Você está na página 1de 30

ADITIVO AO ESTATUTO

CENTRO DE APOIO À PESSOA COM


DEFICIÊNCIA E AO IDOSO
CAPDEI

FORTALEZA- CE
MAR/2016
SUMÁRIO
I DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E SEUS FINS............................................ 04
SEÇÃO l - DA DENOMINAÇÃO ................................................................... 04
SEÇÃO II – DA SEDE ..................................................................................... 04
SEÇÃO II – DOS FINS .................................................................................. 05
II DAS FINALIDADES ....................................................................................... 05
III DO QUADRO GERAL .................................................................................... 07
IV DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS ...................................... 08
SEÇÃO I - DOS DIREITOS DOS ASSOCIADOS........................................... 08
SEÇÃO II – DOS DEVERES DOS ASSOCIADOS......................................... 10
DOS DIREITOS DOS ASSOCIADOS ............................................................ 09
V DA ADMISSÃO, DA DEMISSÃO, DA EXCLUSÃO DO ASSOCIADO E
DAS PENALIDADES ...................................................................................... 10
SEÇÃO I - DA ADMISSÃO ............................................................................ 10
SEÇÃO II- DA DEMISSÃO ............................................................................ 10
SEÇÃO III- DA EXCLUSÃO DO ASSOCIADO ........................................... 10
SEÇÃO IV – DAS PENALIDADES ................................................................ 10
VI CONSTITUIÇÃO E FORMA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA ................ 11
SEÇÃO I- DA ASSEMBLEIA GERAL............................................................ 12
Subseção I - Da Assembleia Ordinária............................................................. 13
Subseção II – Da Assembleia Extraordinária ................................................... 13
SEÇÃO II- DO CONSELHO CONSULTIVO ................................................. 14
SEÇÃO III- DA DIRETORIA ......................................................................... 14
Subseção I- Da composição da Diretoria .......................................................... 15
VII DO DEPARTAMENTO SOCIAL, DA COORDENAÇÃO DE PROJETOS,
DA CULTURA E DOS ESPORTES ................................................................. 18
SEÇÃO I- DO DEPARTAMENTO SOCIAL .................................................. 18
SEÇÃO II – DA COORDENAÇÃO DOS PROJETOS.................................... 18
SEÇÃO III -DA CULTURA ............................................................................. 19
SEÇÃO IV – DOS ESPORTES ......................................................................... 19
VIII DA COORDENAÇÃO DO CONSELHO FISCAL ......................................... 19
IX DO MANDATO, DA PERDA DO MANDATO, DA RENÚNCIA................. 20
SEÇÃO I - DO MANDATO ............................................................................. 20
SEÇÃO II - DA PERDA DO MANDATO ...................................................... 21
SEÇÃO III- DA RENÚNCIA ........................................................................... 21
X DAS ELEIÇÕES ............................................................................................... 22
XI DA CONVOCAÇÃO E DAS PRERROGATIVAS ESPECIAIS .................... 22
XII DO PATRIMÔNIO E DA RECEITA................................................................ 22
SEÇÃO I - DO PATRIMÔNIO ........................................................................ 22
SEÇÃO II - DA RECEITA ............................................................................... 23
XIII DOS DEPARTAMENTOS OU COMISSÕES.................................................. 24
XIV DA REFORMA ESTATUTÁRIA E DA DISSOLUÇÃO ............................... 24
SEÇÃO I - DA DISSOLUÇÃO......................................................................... 24
XV DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS ........................................ 25
COMPONENTES DA DIRETORIA ................................................................. 27
ADITIVO AO ESTATUTO DO CENTRO DE APOIO À
PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO - CAPDEI
(DE ACORDO COM A LEI 10.406/02 (Novo Código Civil)

CAPÍTULO I
DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E SEUS FINS

SEÇÃO I - DA DENOMINAÇÃO

Art. 1º- A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE E REPRESENTATIVA DO COUTO


FERNANDES, fundada em 17 de junho de 1998, tem sede e foro na cidade de Fortaleza –
CE, DECIDIDO em Assembleia Geral regida pelo estatuto social, que em sua Lei Maior e por
deliberações emanadas, e devidamente registrado e microfilmado em 09/06/1998 no
CARTÓRIO MELO JÚNIOR no 3º REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE
FORTALEZA, 6º OFÍCIO DE NOTAS, desta capital, sob nº de registro 159324.

Art. 2º. Atualmente designada neste estatuto como CENTRO DE APOIO À PESSOA COM
DEFICIÊNCIA E AO IDOSO - CAPDEI, cuja alteração no nome da entidade DECIDIDA
em assembleia Geral em 23 de março de 2016. Fundada em 17 de junho de 1998, tem sede e
foro na cidade de Fortaleza – CE, com inscrição no CNPJ sob o nº 02.583.586/0001-90, aditivo
devidamente registrado e microfilmado em 21/07/2016, no CARTÓRIO MELO JÚNIOR
no 3º REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE FORTALEZA, 6º OFÍCIO DE
NOTAS, desta capital, sob nº de registro 159324, é uma entidade de atendimento e defesa
dos direitos da criança, do adolescente, do jovem, do idoso e seus familiares com deficiência e
mobilidade reduzida.
Parágrafo único. A Associação é uma entidade que oferece serviços permanentes para pessoas
de baixa renda ou beneficiárias de programas governamentais e que não faz distinção de
nacionalidade, sexo, cor, crença política e religião. Sem cunho político ou partidário, tem a
finalidade de atender a todos que a ela se associem.

SESSÃO II – DA SEDE
Art. 3º. CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO -CAPDEI tem
sede e foro na Cidade de Fortaleza, Estado do Ceará, provisoriamente na Rua Coronel Nunes
de Melo, 2147| Fortaleza - CE, CEP: 60441-720.

Art. 4º. A Associação tem personalidade Jurídica de Direito privado, sob a forma de sociedade
civil, regidos pela novo Código Civil de 2002, constituída por tempo indeterminado, que pode
ser financiada como forma de facilitar parcerias e convênios com todos os níveis de governo e
órgãos públicos (federal, estadual e municipal) e permite que doações realizadas por empresas

4
possam ser descontadas no imposto de renda. Sem fins lucrativos, de caráter filantrópico,
assistencial, promocional, recreativo e educacional de cunho profissional.
Parágrafo Primeiro- O CENTRO DE APOIO AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA E AO
IDOSO- CAPDEI, tem como atividade principal a defesa dos direitos sociais, promovendo a
atuação em sociedade e nas políticas públicas, gerando inclusão social e a sua participação ativa.
Parágrafo Segundo - O CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO
IDOSO- CAPDEI, poderá constituir Conselhos Comunitário, organização não
governamental(ONGs), principalmente no que se refere à qualificação de OSCIP - Organização
da Sociedade Civil de Interesse Público, em proteção às garantias citadas acima, assim como
as associações beneficentes em prol de grupos socialmente desfavorecidos.
Parágrafo Terceiro– adotará uma bandeira e um emblema, no qual constarão a sua sigla.
Parágrafo Quarto- O emblema é de uso privativo da CAPDEI, ressalvando-se aos sócios o
direito de ostentá-lo como distintivo, confeccionado em tamanho adequado.
Parágrafo Quinto -A confecção e o fornecimento da bandeira, do emblema e da carteirinha de
identificação são de exclusiva competência da entidade.
Parágrafo Sexto - A bandeira terá as cores preta, azul e branca com o emblema na parte central.

SEÇÃO III – DOS FINS

Art. 5º - O CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO- CAPDEI


tem por finalidade primordial melhorar a qualidade de vida de seus associados em geral,
defendo-os; organizando-os e desenvolvendo trabalho social junto aos idosos, jovem e crianças,
atuando junto à população em estado de exclusão social, “sobretudo” os portadores de
deficiência e os idosos, na expectativa de promover e estimular o desenvolvimento profissional,
a partir de atividades educativas diretas e/ou complementares à educação formal, assim como
de caráter artístico/cultural, tecnológico, recreativo e desportivo dos associados.

CAPÍTULO II
DAS FINALIDADES

Art. 6º. O CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO- CAPDEI


tem por finalidades:
I. atuar na área da Assistência Social no que se refere à proteção social básica e
especial, profissionalização das famílias atendidas;
II. promover a saúde integral visando o desenvolvimento harmônico da criança, do
adolescente, do jovem e do idoso;
III.promover o bem-estar social dos seus associados, zelando pelos interesses dos
seus sócios e incentivando o sentimento de solidariedade, companheirismo e união,
através de atividades culturais, esportivas e recreativas;
IV.promover a democratização do acesso a bens culturais, bem como oferecer
atividades de fruição, experimentação e capacitação cultural;

5
V.realizar atividades de educação, proteção, preservação e recuperação do
patrimônio ambiental visando um desenvolvimento local equilibrado e sustentável;
VI.celebrar contratos, convênios ou acordos de qualquer natureza, gratuitos ou
onerosos, com órgãos públicos ou empresas privadas, nacionais ou internacionais;
VII.manter, promover e incentivar atividades de assistência social, nos termos da
Lei orgânica da assistência social, atendendo especialmente aos portadores de
deficiência e idosos da população marginalizada;
VIII.realizar e implementar programas e projetos, promovendo parcerias entre
organizações da sociedade civil com órgãos públicos e organismos de cooperação
técnica e/ou financeira internacionais e instituições privadas nas suas diversas áreas
de atuação;
IX.manter, promover e incentivar cursos, seminários, workshops, palestras e outras
formas de educação, junto às comunidades, escolas, empresas, órgãos públicos ou
outras organizações da sociedade, com o intuito de criar uma consciência de
superação da exclusão social;
X.promover a qualificação profissional e a inserção no mercado de trabalho com
programas educativos e complementares e de geração de emprego e renda;

Art. 7º- Compete ao CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO-


CAPDEI - Atividades de negócios da empresa:
Parágrafo Primeiro – Atividades de associações de defesa de direitos sociais
As associações em defesa dos direitos sociais objetiva a defesa de causas relacionadas aos
direitos humanos, direitos de grupos minoritários étnicos, assim como outros direitos difusos e
coletivos. Ilustram essa categoria as Organizações não governamentais (ONGs) em proteção às
garantias citadas acima, assim como as associações beneficentes em prol de grupos socialmente
desfavorecidos, como as responsáveis pela distribuição de cestas básicas à comunidade carente.
Parágrafo Segundo - Atividades de organizações associativas ligadas à cultura e à arte
Neste campo destacam-se as organizações associativas ligadas à cultura e à arte. Os principais
beneficiados são os profissionais destes ramos, como artistas plásticos, cantores, músicos,
pintores, escritores, escultores, fotógrafos, artesãos, dentre outros. Também se beneficiam
grupos sociais de interesse nas atividades como forma de lazer, entretenimento e cultura - como
os clubes de cinema, literatura e organizações ligadas às artes, a eventos folclóricos e
carnavalescos. Além de colecionadores de cada um dos segmentos artísticos.
Parágrafo Terceiro - Atividades associativas não especificadas anteriormente não especificas
referem-se aos trabalhos de associações direcionadas a diferentes fins, seja para defesa de
questões de interesse público ou causas de objetivos particulares. Os maiores beneficiários
destes serviços são a população de forma geral ou os grupos e categorias particulares
relacionados. Destacam-se os movimentos de defesa do meio ambiente e da causa ecológica,
organizações de apoio à serviços educacionais (municipais), movimentos de proteção a
minorias religiosas, étnicas e culturais, bem como outros grupos minoritários, tais como grupos
feministas e defensores da causa LGBTs. Também estão enquadradas as associações de defesa

6
do consumidor e fraternidades; sociedades protetoras dos animais; clubes e diretórios estudantis
e acadêmicos; associações de bairros, comunitárias; organizações de caridade e Rotary Club.
Parágrafo Quarto - O CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO-
CAPDEI trabalha junto ao indivíduo, à família e à comunidade, com o objetivo de diminuir as
vulnerabilidades sociais, desenvolver potencialidades, adquirir e fortalecer vínculos familiares
e comunitários.
Parágrafo Quinto - É também objetivo do CENTRO DE APOIO À PESSOA COM
DEFICIÊNCIA E AO IDOSO- CAPDEI, como filosofia da instituição, atuar junto ao seu
público alvo, criança, adolescente, jovens, idosos e família, gerando uma consciência acerca da
sexualidade, evitando a iniciação sexual precoce, a gravidez, assim como as doenças
sexualmente transmissíveis, em especial, a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS)
bem como prevenir o uso de drogas e os impactos da violência provocada por tal
comportamento ou situação social.
Parágrafo Sexto - As atividades culturais, esportivas e de lazer terão por foco a constituição
de espaços de convivência, formação para a participação e cidadania, desenvolvimento do
protagonismo e da autonomia das crianças, dos adolescentes e dos idosos, a partir dos
interesses, demandas e potencialidades dessa faixa etária, as intervenções serão realizadas como
formas de expressão, interação, aprendizagem, sociabilidade e proteção social, através de
Termos de Colaboração, Termos de Fomento, Acordos de Cooperação e outros instrumentos
legais, a Associação se prestará a receber e atender, dentro de suas possibilidades estruturais, e
de acordo com suas atividades, o adolescente infrator em cumprimento de medida
socioeducativa.
CAPÍTULO III
DO QUADRO GERAL

Art. 8º - O quadro social é constituído por número ilimitado de pessoas, maiores de 16 anos,
sem distinção de nacionalidade, sexo, cor, credo religioso ou político, distribuído nas seguintes
categorias de associados, sendo um número ilimitado de associados, podendo filiar-se “pessoas
sem deficiência” somente maiores de 18 (dezoito) anos. As pessoas com eficiência e idosos
serão distinguidos nas seguintes categorias:
I. Associados Fundadores: os que fundaram a associação;
II. Associados Beneméritos: os que contribuem com donativos e doações;
III. Associados Beneficiados: os que recebem gratuitamente os benefícios
alcançados pela entidade;
IV. Associados Contribuintes: É a categoria formada por colaboradores que
contribuem com os projetos e programas e que aderirem ao programa de apoio lançado pela
associação, ou ainda pela Diretoria ou pela Assembleia da CAPDEI;
V. Associados Efetivos: Serão Conselheiros Efetivos as pessoas que forem a esse
título admitidas em Assembleia Geral como parte integrante e efetiva;

7
VI. Honorários: São àqueles que por seus atos ou trabalho reconhecido, ou ainda
por mérito que tenham ligação com as finalidades da CAPDEI receberem esse título por ato da
Diretoria ou da Assembleia.
VII. Patronos Institucionais: Serão Patronos Institucionais as pessoas jurídicas de
direito público ou privado que manifestarem seu apoio aos propósitos da organização admitidas
por ato da Diretoria ou da Assembleia.
VIII. Atleta: É a categoria formada por atletas que representam a CAPDEI em
competições locais, regionais ou nacionais, obedecendo as normas e regimento interno.
Parágrafo Primeiro - Para ser admitido na categoria de contribuinte, deve o candidato
satisfazer as seguintes condições:
I - ser proposto por um associado em pleno gozo de seus direitos sociais;
II - preencher ficha de cadastro com os seguintes dados: seu nome, data de
nascimento, nacionalidade, estado civil, profissão e endereço comercial e
residencial;
III - efetuar o pagamento das taxas fixadas pela diretoria, sob pena de ser
considerada automaticamente sem efeito a admissão;
Parágrafo Segundo - Será admitido na categoria de Benemérito o associado que obtiver esse
diploma da assembleia geral, mediante proposta fundamentada e aprovada de que prestou
relevantes serviços à Associação, que conceder-lhe-á o referido título, ficando o mesmo isento
de pagamento de mensalidade e anuidade.
Parágrafo Terceiro - Ninguém será compelido a associar-se ou permanecer associado.

CAPÍTULO IV
DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS

SEÇÃO I - DOS DIREITOS DOS ASSOCIADOS

Art. 9º. São direitos dos associados:

I. cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto;


II. gozar dos benefícios oferecidos pela entidade na forma prevista neste Estatuto;
III. votar e ser votado para qualquer cargo da Diretoria Executiva e Conselho
Fiscal, na forma prevista neste estatuto;
IV. recorrer ao presidente administrativo ou ao conselho solicitando
esclarecimentos que julgar necessário;
V. recorrer à Assembleia Geral contra qualquer ato da Diretoria e do Conselho
Fiscal;
VI. solicitar a convocação de assembleia geral extraordinária, nos termos dos
estatutos;
VII. Recorrer das penalidades que lhes forem impostas, na forma do estatuto e
regimento interno;
VIII. participar e usufruir do programa social da CAPDEI;
8
XI. respeitar e cumprir as decisões da Assembleia Geral;
X. zelar pelo bom nome da Associação;
XI. frequentar todas as dependências da Associação;
XII. Defender o patrimônio e os interesses da Associação;
XIII. Cumprir e fazer cumprir o regimento interno;
XIV. Comparecer por ocasião das eleições;
XV. Votar por ocasião das eleições;
XVI. Denunciar qualquer irregularidade verificada dentro da Associação, para que
a Assembleia Geral tome providencias;
XVII. conhecer os atos e deliberações dos órgãos da administração e fiscalização
da CAPDEI;
XVIII. ao Sócio Titular é assegurado o direito d e desempenhar, nos termos do
presente Estatuto, qualquer cargo da organização da CAPDEI para o qual esteja
habilitado de acordo com a decisão da assembleia geral;
XIX. o sócio Titular, Fundador, Aposentado terá direito de tomar parte nas
assembleias gerais, terá direito ainda, a votar e serem votados nas assembleias e
eleições.
XX. pagar pontualmente as mensalidades e /ou anuidade;
XXI. apresentar por escrito à diretoria sugestões visando melhoria de atendimento
ao adolescente/criança.
Parágrafo Primeiro - para ter direito a votar nas assembleias e eleições é necessário que o
associado titular esteja filiado à pelo menos 06 (seis) meses ininterruptos, antes da data da
Assembleia/Eleições. Para ser votado é necessário que o associado titular esteja filiado à pelo
menos 12 (doze meses) ininterruptos antes das eleições.
Parágrafo Segundo - É vedado ao sócio que seja reincidente, na penalidade suspensão,
concorrer a cargo eletivo para CAPDEI, até o mínimo de 3(três) anos da data de sua punição.
Parágrafo Terceiro – É dever do associado contribuinte honrar pontualmente com as
contribuições associativas e as reuniões.
Parágrafo Quarto – Os associados adquirem todos os direitos e assumem todos os deveres
deste Estatuto da CAPDEI. No entanto, o associado que infringir o Estatuto Social e/ou
Regimento Interno será punido pelo Conselho Deliberativo.

SEÇÃO II – DOS DEVERES DOS ASSOCIADOS

Art. 10- São deveres dos associados:


I. contribuir de maneira decisiva para o bom funcionamento da Associação no
cumprimento de seus objetivos;
II. II. evitar dentro da associação qualquer manifestação de caráter político,
religioso e racial;
III. respeitar e cumprir fielmente as disposições deste estatuto, bem como dos
regimentos internos e demais deliberações sociais;
IV. comunicar por escrito à diretoria, modificação de endereço, etc;
9
V. procurar apresentar novos associados para o quadro de associados contribuintes;
VI. pagar pontualmente as mensalidades e /ou anuidade;
VII. apresentar por escrito à diretoria sugestões visando melhoria de atendimento
ao adolescente/criança.
CAPÍTULO V
DA ADMISSÃO, DA DEMISSÃO, DA EXCLUSÃO DO ASSOCIADO E
DAS PENALIDADES

SEÇÃO I - DA ADMISSÃO

Art. 11 - A admissão dos associados se dará independente de classe social, nacionalidade, sexo,
raça, cor e crença religiosa, e para seu ingresso, o interessado deverá preencher ficha de
inscrição, e submetê-la à aprovação da Diretoria Executiva que observará os seguintes critérios:
I. apresentar a cédula de identidade, e no caso de menor de dezoito anos, autorização
dos pais ou responsáveis;
II. concordar com o presente estatuto e expressar em sua atuação na Entidade e fora
dela, os princípios nele definidos;
III. ter idoneidade moral e reputação ilibada;
IV. em caso de associado contribuinte, assumir o compromisso de honrar
pontualmente com as contribuições associativas;
V. residir na cidade de Fortaleza e/ou municípios adjacentes.

SEÇÃO II- DA DEMISSÃO

Art. 12 - É direito do associado demitir-se quando julgar necessário, protocolando junto a


Secretária da Associação seu pedido de demissão.

SEÇÃO III- DA EXCLUSÃO DO ASSOCIADO

Art. 13 - A exclusão do associado se dará nas seguintes questões;


I. Grave violação do estatuto;
II. Difamar a Associação, seus membros, associados ou objetos;
III. Atividades que contrariem decisões de Assembleias;
IV. Desvio dos bons costumes;
V. Conduta duvidosa, atos ilícitos ou imorais;
VI. Falta de pagamento de três parcelas consecutivas das contribuições associativas;
VII. O associado excluído por falta de pagamento poderá ser readmitido mediante
o pagamento de seu debito junto a tesouraria da Associação.
Parágrafo Único. A perda da qualidade de associado será determinada pela Diretoria
Executiva, cabendo sempre recurso a Assembleia Geral.

SEÇÃO IV – DAS PENALIDADES

10
Art. 14 - Os associados de qualquer categoria que infringirem as disposições deste estatuto,
bem como os regulamentos internos vigentes, serão passíveis de penalidades:
I. advertência;
II. suspensão;
III. eliminação.

Art. 15- A pena de advertência será aplicada ao associado que deixar de cumprir as normas
estatuárias e regulamentos.
Parágrafo único. Em caso de reincidência, o associado será passível de suspensão a critério da
diretoria.

Art. 16 - A pena de suspensão será aplicada pela diretoria, quando:


I. o associado incorrer em falta grave ou quando já houver sido advertido
conforme parágrafo único do artigo anterior.
II. For condenado em sentença passada em julgamento, por ato desabonador e que
o torne idôneo ao convívio social.
Parágrafo único. A suspensão se dará durante o cumprimento da pena, porém receberá
assistência da Associação.

Art. 17 - A pena de eliminação será aplicada ao associado que:


I. deixar de pagar suas contribuições regularmente por 2 (dois) anos consecutivos,
desde que convidado a saldar tal débito;
II. reincidir em infração anteriormente punida com suspensão e a falta for
considerada grave.

Art. 18 - Das penalidades aplicadas pela diretoria caberá recursos à Assembleia Geral
Extraordinária.

CAPÍTULO VI
CONSTITUIÇÃO E FORMA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

Art. 19 - A Administração do CENTRO DE APOIO AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA E


AO IDOSO- CAPDEI é exercida por órgãos, observadas as competências a eles atribuídas neste
estatuto tem como órgãos deliberativos e administrativos.

Art. 20 - Dos Órgãos da Associação e aspectos Gerais:


I. Assembleia Geral
II. Conselho Consultivo
III. Diretoria
IV. Coordenação Executiva
V. Coordenação de Projetos
VI. Conselho Fiscal
11
SEÇÃO I- DA ASSEMBLEIA GERAL
Art. 21- A Assembleia Geral é o órgão supremo da associação e a ela caberá todos os poderes
e deliberações da administração direta ou indireta da entidade, bem como a deliberação quanto
a seus métodos, fins, regras genéricas, específicas e estatutárias, competindo-lhe, além do que
for estabelecido neste estatuto e em outros artigos, especialmente.

Art. 22 - No edital de convocação deverá constar a “ordem do dia” com a discriminação dos
trabalhos, não podendo ser discutidos assuntos que nela não conste, salvo quando pela própria
assembleia for julgado urgente e merecedor de solução imediata.

Art. 23 - A assembleia será presidida pelo presidente da diretoria administrativa, que dirigirá
os trabalhos, fornecendo as informações que lhe forem solicitadas pelos associados presentes.

Art. 24 - As Assembleias Gerais decidirão por quórum estabelecido no estatuto e terá as


seguintes atribuições:
I. eleger os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal e seus respectivos suplentes;
II. elaborar e aprovar o Regimento Interno da CAPDEI;
III. deliberar sobre o orçamento anual e sobre o programa de trabalho elaborado
pela Diretoria, ouvido previamente quanto àquele, o Conselho Fiscal;
IV. examinar o relatório da Diretoria e deliberar sobre o balanço e as contas, após
parecer do Conselho Fiscal;
V. deliberar sobre a conveniência de aquisição, alienação ou oneração de bens
pertencentes à Associação;
VI. decidir sobre a reforma do presente Estatuto;
VII. deliberar sobre proposta de absorção ou incorporação de outras entidades à
Associação;
VIII. autorizar a celebração de convênios e acordos com entidades públicas ou
privadas;
IX. decidir sobre a extinção da Associação e o destino do patrimônio.
Parágrafo Único- A Assembleia Geral se reunirá quando convocada pelo presidente, pelo
conselho fiscal, ou um quinto dos associados, que subscreverão e especificarão os motivos da
convocação.

Art. 25 – O presidente da assembleia escolherá um secretário que lavrará a respectiva ata.

Art. 26 - As votações serão públicas ou secretas, conforme a própria assembleia resolver e


apuradas por 2 (dois) escrutinadores nomeados pela assembleia.

Art. 27 - Para as deliberações relativas a alterações estatutárias, a destituição do Presidente e


do Conselho Fiscal e a dissolução da associação, serão pelo voto de 2/3 (dois terços) dos

12
presentes à Assembleia especialmente convocada para esse fim, não podendo a Assembleia
deliberar, em primeira convocação, sem a presença da maioria absoluta dos associados, ou com
menos de um terço nas convocações seguintes.
Parágrafo único. As demais deliberações da Assembleia serão aprovadas pelo voto da maioria
simples dos presentes.

Art. 28 - No caso de empate nas votações da Assembleia o Presidente terá voto de qualidade.

Art. 29 - No caso de ausência e impedimentos do Presidente administrativo, compete ao


Secretário dirigir os trabalhos, na ausência ou impedimento deste compete à Assembleia
designar substituto para dirigir os trabalhos.
Parágrafo único. A Assembleia Geral será convocada: Para as deliberações a que se referem
os incisos II e IV do Código Civil é exigido o voto concorde de dois terços(2/3) dos presentes
à assembleia, especialmente convocada para esse fim, não podendo a mesma deliberar, em
primeira convocação, sem a maioria absoluta dos associados, ou com menos de um terço (1/3
nas convocações seguintes.

Subseção I - Da Assembleia Ordinária

a) Será realizada a Assembleia Geral Ordinária na primeira quinzena de cada mês,


quando convocada pelo seu presidente, por seu substituto legal ou ainda, por no mínimo 1/3 de
seus membros com convocação no prazo mínimo de 10 (dez) dias de antecedência para
prestação de contas e apresentação do relatório de atividades por determinação do presidente
ou seu substitutivo Legal, em editais fixados fora da Associação, para conhecimento geral da
Comunidade para:
1) tomar conhecimento da dotação orçamentária e planejamento de atividades para
a Associação;
2) deliberar sobre o relatório apresentado pela Diretoria sobre as atividades
referentes ao exercício social encerrado.

Subseção II – Da Assembleia Extraordinária

a) Será realizada a Assembleias Geral Extraordinária quando necessário para


resolver casos omissos, para reformulação do Estatuto, ou substituição de cargos,
com antecedência mínima de 10 (dez) dias.
b) Para resolver em grau de recursos os casos de suspensão e expulsão.
c) Nos editais deverão constar além do local e hora, os motivos que determinam à
convocação da Assembleia. Não podendo esta deliberar sobre assunto que não
constem do edital respectivo.
d) A Assembleia Geral ocorrerá quando for convocada pela Diretoria, pelo
Coordenação Executiva e pelo Conselho Fiscal.

13
SEÇÃO II- DO CONSELHO CONSULTIVO
Art. 30 – São os órgãos que emitem pareceres, opiniões, conselhos que por sua vez são
transmitidos aos órgãos deliberativos para auxiliarem os órgãos deliberativos na sua tomada de
decisão. Compete ao Conselho Consultivo:
I. disciplinar provisoriamente quanto aos casos de vacância;
II. aprovar o orçamento da entidade e seu plano de atividades e de contas para o
exercício a vencer;
III. aprovar o balanço e prestação de contas da instituição;
IV. eleger dar posse e destituir os componentes do Conselho Fiscal;
V. alterar o estatuto;
VI. aprovar e/ou referendar a aceitação de doações com encargos e como as que
acarretam ônus de qualquer natureza.

SEÇÃO III- DA DIRETORIA


Art. 31 – A Diretoria Executiva da Associação será formada de 1 0componentes, assim
discriminados: 01 Presidente, 01 Vice-Presidente, Primeiro e Segundo Secretário, Primeiro e
Segundo Tesoureiro, Primeiro e Segundo Membro do Conselho Fiscal, Primeiro e Segundo
Suplente o Conselho Fiscal, Diretor Social, reunir-se-á ordinariamente a cada mês e
extraordinariamente quando houver convocação de seus membros, nos termos da lei.
Art. 32 - A Diretoria é o órgão de gestão estratégica da entidade, eleito para o acompanhamento
da gestão diária por ato da Assembleia. Compete à Diretoria:
I. dirigir a Associação de acordo com o presente estatuto, administrar o
patrimônio social, promovendo o bem geral da entidade e dos associados;
II. elaborar e executar o programa anual de atividades;
III. elaborar e apresentar a Assembleia Geral o relatório anual e o respectivo
demonstrativo de resultados do exercício findo;
IV. elaborar o orçamento da receita e despesas para o exercício seguinte;
V. elaborar os regimentos internos e de seus departamentos;
VI. entrosar-se com instituições públicas e privadas, tanto no País como no
exterior, para mútua colaboração em atividades de interesse comum;
VII. cumprir e fazer cumprir o presente estatuto, e as demais decisões da
Assembleia Geral;
VIII. Promover e incentivar a criação de comissões com a função de desenvolver
cursos profissionalizantes e atividades culturais;
IX. Representar e defender os interesses de seus associados;
X- Elaborar o orçamento anual;
XI- Apresentar a Assembleia Geral na reunião anual o relatório de sua gestão, e
prestar contas referentes ao exercício anterior;
XII- Admitir e demitir associados.
Parágrafo Primeiro - A Diretoria elegerá um presidente entre seus membros.
14
Parágrafo Segundo – As decisões da diretoria deverão ser tomadas por maioria dos votos, com
participação garantida da maioria simples dos seus membros, cabendo ao Presidente em caso
de empate o voto de minerva.

Art. 33- A diretoria é o órgão administrativo da Associação CENTRO DE APOIO À PESSOA


COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO e será constituída na seguinte ordem:
Subseção I- Da composição da Diretoria
I - Presidente;
II - Vice-Presidente;
III - 1º Secretário;
IV - 2º Secretário;
V- 1º Tesoureiro;
VII-2º Tesoureiro.
Parágrafo Único - A diretoria será eleito pela assembleia geral ordinária, por escrutino secreto,
podendo ser reeleito, bem como os membros do conselho fiscal e terão mandato de dois (2)
anos, podendo ser reconduzido às suas funções se algum projeto bastante significativo para a
instituição tiver necessidade de ser continuado, bem como seus membros.

Art. 34 - A diretoria reunir-se-á mensalmente, em dia previamente designado, sem prejuízo de


reuniões extraordinárias, que poderão ser convocadas pelo presidente, quando julgar necessário.
Parágrafo Primeiro - A diretoria poderá criar quantos departamentos julgar necessários para
o melhor funcionamento da Associação;
Parágrafo Segundo - A critério da Diretoria poderão ser contratados profissionais
especializados para o atendimento dos assistidos pela Associação.

Art. 35 - As decisões da diretoria serão tomadas pela maioria absoluta de votos.

Art. 36 – Nas decisões em que se verificar empate, o presidente terá voto de qualidade.

Art. 37 - Sem prejuízo das responsabilidades que caibam aos outros membros da diretoria, no
exercício das respectivas funções, o presidente será responsável perante o conselho fiscal, pela
administração e orientação geral da Associação.

Art. 38 - Compete ao Presidente Administrativo:


I. convocar, presidir e encerrar as sessões da diretoria e Assembleia Geral;
II. nomear os demais membros da diretoria, conforme parágrafo 2º do art. 32;
I. anunciar a ordem do dia e os assuntos a discutir;
II. procurar por todos os meios fazer discutir os assuntos, não passando a outro
sem ser o anterior aprovado ou não;

15
III. conceder, negar ou retirar educadamente a palavra do Associado que desviar o
assunto em pauta ou pretender tumultuar a sessão;
IV. zelar pela fiel execução, do estatuto, regulamentos e resoluções aprovadas;
V. providenciar para que todos os cargos efetivos e de confiança estejam
preenchidos;
VI. cassar o mandato dos membros da diretoria, fundamentando a sua decisão;
VII. administrar a Associação, representá-la ativa e passivamente em juízo e
extrajudicialmente;
VIII. assinar a correspondência dirigida ao público e as autoridades superiores;
IX. rubricar todos os livros e documentos oficiais;
X. assinar com o tesoureiro, cheques e quaisquer documentos que envolvam
responsabilidades financeiras;
XI. assinar com o secretário toda a correspondência, diploma, etc.;
XII. autorizar as despesas previstas no orçamento;
XIII. autorizar a divulgação dos atos administrativos;
XIV. solucionar os casos omissos, de caráter urgente, providenciando a sua
inclusão na legislação interna;
XV. elaborar, conjuntamente com o tesoureiro, o balancete mensal da receita e
despesas, para ser encaminhado à assembleia geral, referente período de Janeiro a
Dezembro para apreciação e aprovado do conselho fiscal;
XVI. fiscalizar a fiel observância da legislação interna e as leis das entidades
superiores.

Art. 39 – Compete ao vice-presidente auxiliar o presidente em todas as realizações,


principalmente, ao mesmo auxiliar e substituir o presidente em seus trabalhos e/ou
impedimentos. Ou ainda:
I. representar a Associação judicial e extrajudicialmente;
II. cumprir e fazer cumprir este Estatuto e os demais regimentos internos;
III. convocar e presidir as reuniões da Diretoria;
IV. dirigir e supervisionar todas as atividades da Associação;
V. assinar quaisquer documentos relativos às operações ativas da Associação;
VI.assumir quando o presidente estiver ausente.
Art. 40 - Compete a(o) Secretário(a):

I.dirigir os trabalhos da secretaria, preparando o expediente a ser encaminhado à


diretoria, à presidência, ao conselho fiscal e à assembleia geral;
II.assinar com o presidente os títulos honoríficos e diplomas concedidos pela
Associação;
III. secretariar as assembleias gerais e reuniões da diretoria, lavrando as respectivas
atas;
IV.substituir a(o) Vice-presidente nos seus impedimentos;

16
V.ter sob guarda e responsabilidade todos os livros da Associação, exceto os que
estiverem em uso da Tesouraria;
VI. secretariar e redigir as atas de todas as reuniões de diretoria, da Assembleia
Geral e de todas as Reuniões apresentando-as ao final, para que sejam apreciadas,
aprovadas ou não;
VII.ler nas reuniões da diretoria toda a correspondência enviada e recebida pela
Associação;
VIII. redigir a correspondência solicitada pelos diretores fornecendo os dados
respectivos;
IX.assinar com o presidente as correspondências da Associação, quando necessário;
X. oficializar no prazo de 48 horas aos associados que forem desligados, suspensos
ou nomeados para qualquer cargo ou comissão;
XI. entregar a secretaria a seu sucessor com minucioso relatório e inventário de tudo
quanto pertencer à mesma.
Parágrafo Primeiro - Quando o tesoureiro obtiver licença por prazo superior a 30 (trinta dias),
até o limite permitido, o secretario ficará no exercício da tesouraria, feitas as necessárias
comunicações às entidades superiores;
Parágrafo Segundo - O secretário será empossado no cargo, caso de impedimento definitivo
do tesoureiro, ato esse devidamente homologado pela Assembleia Geral Extraordinária.
Parágrafo Terceiro - O secretário será empossado no cargo, caso de impedimento definitivo
do tesoureiro, ato esse devidamente homologado pela Assembleia Geral Extraordinária.
Parágrafo Quarto - Compete a(ao) suplente de secretário, substituir o secretário nos seus
impedimentos e auxiliá-lo em todas as atividades afins.
Parágrafo Quinto - Para fins deste mandato, não haverá distinções entre Presidente da diretoria
ou Presidente da associação.

Art. 41- Compete ao 1º Tesoureiro:


I. arrecadar e contabilizar as contribuições, rendas, auxílios e donativos efetuados à
Associação, mantendo em dia a escrituração;
II. efetuar os pagamentos de todas as obrigações da Associação;
III. acompanhar e supervisionar os trabalhos de contabilidade da Associação,
contratados com profissionais habilitados, cuidando para que todas as obrigações
fiscais e trabalhistas sejam devidamente cumpridas em tempo hábil;
I. apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitadas;
II. apresentar o relatório financeiro para ser submetido à Assembleia Geral;
III. apresentar semestralmente o balancete de receitas e despesas ao Conselho
Fiscal;
IV. publicar anualmente a demonstração das receitas e despesas realizadas no
exercício;
V. elaborar, com base no orçamento realizado no exercício, a proposta orçamentária
para o exercício seguinte a ser submetida à Diretoria, para posterior apreciação da
Assembleia Geral;
17
VI. manter todo o numerário em estabelecido de crédito;
VII. conservar sob sua guarda e responsabilidade, todos os documentos relativos à
tesouraria;
VIII. assinar, em conjunto com o Presidente, todos os cheques emitidos pela
Associação; substituir o tesoureiro quando este estiver impedido, por prazo inferior
a 30 (trinta dias), sem qualquer outra formalidade;
Parágrafo Único - Quando o tesoureiro obtiver licença por prazo superior a 30 (trinta dias),
até o limite permitido, o secretario ficará no exercício da tesouraria, feitas as necessárias
comunicações às entidades superiores.
Art. 42 - Compete ao 2º Tesoureiro: Colaborar com o 2º Tesoureiro, bem como substituí-lo em
suas faltas e impedimentos.

CAPÍTULO VII
DO DEPARTAMENTO SOCIAL, DA COORDENAÇÃO DE PROJETOS,
DA CULTURA E DO ESPORTES

SEÇÃO I- DO DEPARTAMENTO SOCIAL


Art. 43 – Compete Diretor Social:
I.dirigir o departamento social, promovendo o seu perfeito funcionamento e
entrosamento, buscando recursos financeiros, junto a Iniciativa Privada e Órgãos
Municipais, Estaduais e Federais;
II.elaborar, promover e executar os eventos sociais da Associação;
III.apresentar a Diretoria Executiva, quando solicitado pelo Presidente, relatório
relativo ao seu departamento.
SEÇÃO II – DA COORDENAÇÃO DOS PROJETOS
Art. 44 - Coordenação de Projetos é o órgão responsável pela gestão dos trabalhos de durante
as fases de concepção e desenvolvimento dos projetos e tem a responsabilidade de garantir a
compatibilização dos projetos, organizando as demandas de diversos profissionais e empresas
envolvidos na realização da obra.

Art. 45 - Compete ao Coordenador(a) de Projetos:


I.presidir a Comissão Executiva a qual está vinculado convocando suas sessões;
II.zelar pelo cumprimento do Estatuto da Associação, suas normas acessórias;
III.preparar relatórios analíticos e de andamento de projetos e atividades sob sua
responsabilidade para a Coordenação Executiva e Diretoria;
IV.acompanhar projetos apoiados e promover eventos e atividades programáticas;
V.reportar-se ao Coordenador Executivo sempre que solicitado;
VI.responder por seus atos, escolhas e administração no escopo de sua competência.

18
Parágrafo Único – O (a) Coordenador(a) de Projetos terá competência determinada na esfera
de projetos, programas, componentes ou linhas temáticas e será indicado pelo Coordenador
Executivo.

SEÇÃO III -DA CULTURA


Art. 46 – Compete ao Coordenador cultural:

I.dirigir o departamento cultural, promovendo o seu perfeito funcionamento e


entrosamento, buscando recursos financeiros, junto a Iniciativa Privada e Órgãos
Municipais, Estaduais e Federais;
II.elaborar, promover e executar os eventos culturais da Associação;
III.apresentar a Diretoria Executiva, quando solicitado pelo Presidente, relatório
relativo ao seu departamento.

SEÇÃO IV – DA ESPORTES

Art. 47 – Compete ao Coordenador de Esportes


I.Dirigir o departamento de esportes, promovendo o seu perfeito funcionamento e
entrosamento, buscando recursos financeiros, junto a Iniciativa Privada e Órgãos
Municipais, Estaduais e Federais.
II.Elaborar, promover e executar os eventos esportivos da Associação;
III.Apresentar a Diretoria Executiva, quando solicitado pelo Presidente, relatório
relativo ao seu departamento.

CAPÍTULO VIII
DA COORDENAÇÃO DO CONSELHO FISCAL

Art. 48 - Conselho Fiscal é o órgão que fiscaliza os atos da gestão administrativa e funciona de
modo permanente. É eleito em Assembleia Geral, com mandato de preferência igual ao do
grupo dirigente, e composto por no mínimo três membros. Compete ao Conselho Fiscal:
I. arrecadar e contabilizar as contribuições, rendas, auxílios e donativos efetuados
à Associação, mantendo em dia a escrituração;
II. efetuar os pagamentos de todas as obrigações da Associação;
III. acompanhar e supervisionar os trabalhos de contabilidade da Associação,
contratados com profissionais habilitados, cuidando para que todas as obrigações
fiscais e trabalhistas sejam devidamente cumpridas em tempo hábil;
IV.apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitadas;
V. apresentar o relatório financeiro para ser submetido à Assembleia Geral;
VI. apresentar semestralmente o balancete de receitas e despesas ao Conselho
Fiscal;
VII. publicar anualmente a demonstração das receitas e despesas realizadas no
exercício;

19
VIII.elaborar, com base no orçamento realizado no exercício, a proposta
orçamentária para o exercício seguinte a ser submetida à Diretoria, para posterior
apreciação da Assembleia Geral;
IX. manter todo o numerário em estabelecido de crédito;
X. conservar sob sua guarda e responsabilidade, todos os documentos relativos à
tesouraria;
XI. assinar, em conjunto com o Presidente, todos os cheques emitidos pela
Associação.
XII. examinar os documentos e livros de escrituração da entidade;
XIII.examinar o balancete semestral apresentado pelo Tesoureiro, opinando a
respeito;
XIV.apreciar os balanços e inventários que acompanham o relatório anual da
Diretoria;
XV. opinar sobre a aquisição, alienação e oneração de bens pertencentes à
Associação;
XVI. alterar o estatuto;
XVII. aprovar e/ou referendar a aceitação de doações com encargos e
condicionadamente, bem como as que possam acarretar ônus de qualquer natureza.
Parágrafo único. O Conselho Fiscal reunir-se-á a cada seis (6) meses e extraordinariamente,
sempre que necessário.

Art. 49 -. O Conselho Fiscal será constituído por 03 (três) membros efetivos, com igual número
de suplentes, eleito pela assembleia geral, com mandatos de 02 (dois) anos pessoas de
reconhecida idoneidade e seus respectivos suplentes, eleitos pela Assembleia Geral, permitida
apenas uma recondução.
Parágrafo único. O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato da Diretoria.

Art. 50 - Ocorrendo vaga em qualquer cargo do titular do Conselho Fiscal, caberá ao respectivo
suplente substituí-lo até o fim do mandato para qual foi eleito.

Art. 51- Ocorrendo vaga entre os integrantes suplentes do Conselho Fiscal, caberá ao respectivo
suplente substituí-lo até o fim do mandato para o qual foi eleito.

CAPÍTULO IX
DO MANDATO, DA PERDA DO MANDATO, DA RENÚNCIA
SEÇÃO I - DO MANDATO

Art. 52 - A Diretoria será constituída por um Presidente, um Vice-Presidente, Primeiro e


Segundo Secretários, Primeiro e Segundo Tesoureiros.
Parágrafo Primeiro – O mandato da Diretoria será de 3 (três) anos, vedada mais de uma
reeleição consecutiva.

20
Parágrafo Segundo – Os membros da Diretoria permanecerão no exercício de seus cargos até
a posse dos novos membros.
SEÇÃO II - DA PERDA DO MANDATO

Art. 53 - Perderão o mandato os membros da Diretoria Executiva que incorrerem em:


I. Malversação ou dilapidação do patrimônio social;
II. Grave violação deste Estatuto;
III. Abandono de cargo, assim considerado a ausência não justificada em 03 (três)
reuniões ordinárias consecutivas, sem a expressa comunicação a Secretária da Associação;
IV. Aceitação de cargo ou função incompatível com o exercício do cargo da
Associação;
V. Conduta duvidosa.
Parágrafo Único – A perda do mandato será declarada pela Diretoria Executiva, e homologada
pela Assembleia Geral convocada somente para este fim, nos termos da Lei, onde será
assegurado o amplo direito de defesa.
SEÇÃO III- DA RENÚNCIA

Art. 54- Em caso renúncia de qualquer membro da Diretoria Executiva ou do Conselho Fiscal,
o cargo será preenchido pelos suplentes.
Parágrafo Primeiro – O pedido de renúncia se dará por escrito, devendo ser protocolado na
Secretária da Associação, que o submeterá dentro do prazo de 30 (trinta) dias no máximo, a
deliberação da Assembleia Geral.
Parágrafo Segundo – Ocorrendo renúncia coletiva da Diretoria e Conselho Fiscal, e
respectivos suplentes, qualquer dos sócios poderá convocar a Assembleia Geral que elegerá
uma comissão eleitoral de 05 (cinco) membros, que administrará a entidade, fará realizar novas
eleições no prazo de 30 (trinta) dias. Os membros eleitos nestas condições complementarão o
mandato dos renunciantes.

Art. 55- As eleições para a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal realizar-se-ão conjuntamente
de 02 (dois) em 02 (dois) anos, da data de fundação, por chapa completa de candidatos
apresentada à Assembleia Geral, podendo seus membros ser reeleitos.

CAPÍTULO X
DAS ELEIÇÕES

Art. 56 - Os critérios e normas da eleição serão formulados pela comissão eleitoral e aprovados
em Assembleia Geral, convocada especialmente para tal fim.

Art. 57 - As eleições para a Diretoria Executiva, Conselho Fiscal serão realizadas a cada
02(dois) anos em Assembleia Geral Ordinária, sempre por voto secreto, ou por aclamação, caso
não haja concorrentes. Sendo permitida à reeleição total ou parcial dos membros.
21
Art. 58 - Todos os associados com maioridade civil, quites com suas obrigações estatutárias
poderão ser candidatos a cargo eletivo.

Art. 59 - A entrega de chapas para a eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal, deverá
ser apresentada na Assembleia convocada especificamente para este fim.

CAPÍTULO XI
DA CONVOCAÇÃO E DAS PRERROGATIVAS ESPECIAIS
Art. 60 - As eleições para o Diretoria Executiva e o Conselho Fiscal serão convocadas por
edital fixado na sede, com antecedência mínima de 60 (sessenta) dias do término dos seus
mandatos. Nos primeiros 15 (quinze) dias deverão ser registradas na secretaria as chapas
concorrentes. Pode ser eleito a qualquer cargo, todo associado contribuinte pessoa física, maior
de 18 (dezoito) anos, quites com as obrigações sociais, e com pelo menos 03 (Três) meses de
Associação, comprovados através da Secretaria da Associação.

CAPÍTULO XII
DO PATRIMÔNIO E DA RECEITA

SEÇÃO I - DO PATRIMÔNIO
Art. 61 - O patrimônio é representado por bens móveis e imóveis e receitas diversas.

Art. 62 - O patrimônio do O CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO


IDOSO- CAPDEI será composto de:
a) dotações ou subvenções eventuais, diretamente da União, dos Estados e
Municípios ou através de órgãos Públicos da Administração direta e indireta;
b) auxílios, contribuições e subvenções de entidades públicas e privadas, nacionais
ou estrangeiras;
c) doações ou legados;
d) produtos de operações de crédito, internas ou externas, para financiamento de
suas atividades;
e) rendimentos decorrentes de títulos, ações ou papéis financeiros de sua
propriedade;
f) rendas em seu favor constituídas por terceiros;
g) rendimentos decorrentes de títulos ações ou papéis financeiros de sua
propriedade;
h) usufruto que lhes forem conferidos;
i) juros bancários e outras receitas de capital;
j) valores recebidos de terceiros em pagamento de serviços ou produtos;
k) contribuição de seus associados.

22
SEÇÃO II - DA RECEITA
Art. 63 - A receita será constituída de:

I. mensalidade social;
II. contribuição natalina;
III. contribuições extraordinárias;
IV.doações e subvenções do poder público, entidades privadas ou particulares;
V. recursos provenientes de contratos, convênios ou acordos de qualquer natureza;
VI. lucros obtidos com investimentos e/ou aplicações financeiras;
VII. exploração ou arrendamento a terceiros de espaços físicos das dependências
para comercialização de produtos e serviços;
VIII. rendas administrativas e sociais da entidade;
IX .rendas de produtos e/ou serviços no intuito de promover à associação.
Parágrafo Primeiro - A contribuição natalina, de valor idêntico ao da mensalidade social, será
recolhida no mês de dezembro, por ocasião do 13º salário, sendo denominada em conjunto com
a mensalidade social, contribuições sociais.
Parágrafo Segundo - A exploração ou arrendamento que trata o item VII, visa proporcionar
melhor desfrute e utilização da instituição por seus associados integrando-se, pois, nos seus
objetivos e nas atividades próprias.
Parágrafo Terceiro - os recursos da CAPDEI serão aplicados integralmente para melhoria dos
serviços e instalações da Associação e ampliação de benefícios e na consecução dos fins a que
destinam, não podendo ser distribuída qualquer parcela do seu patrimônio ou de suas rendas a
título de lucro ou participação nos seus resultados, sendo toda sua receita aplicada dentro do
País.
Parágrafo Quarto - As contribuições extraordinárias, só poderão ser cobradas mediante
convocação da assembleia geral e apresentação de projetos orçamentários.
Parágrafo Quinto - As rendas do CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E
AO IDOSO- CAPDEI somente poderão ser realizadas para a manutenção dos objetivos da
associação, bem como para remuneração dos membros.

Art. 64 - A fim de cumprir suas finalidades, a Associação se organizará em tantas unidades de


prestação de serviços, denominados departamentos, quantos se fizerem necessários, os quais se
regerão por regimentos internos específicos.

Art. 65 - A Associação poderá firmar convênios ou contratos e articular-se, pela forma


conveniente, com órgão ou entidades, públicas estaduais e/ou municipais ou ainda
internacionais e privadas.
Parágrafo Único – As promoções definidas neste artigo serão proporcionais aos recursos
disponíveis da associação, para sua operação e custeio, e serão definidas em regulamentos
específicos.

23
CAPÍTULO XIII
DOS DEPARTAMENTOS OU COMISSÕES

Art. 66 - A Associação poderá permitir a criação de departamentos ou comissões filiadas a ela,


visando aprimorar o atendimento das suas finalidades, conforme as necessidades sentidas.

Art. 67 - Os diretores ou coordenadores dos departamentos ou comissões serão indicados pela


diretoria e referendados pela Assembleia Geral.

Art. 68 - Os departamentos ou comissões serão cargos de confiança do presidente da


Associação.
Art. 69- A convocação das reuniões ordinárias ou extraordinárias será feita mediante edital,
com pauta dos assuntos a serem tratados, a ser fixado na sede da entidade, com antecedência
mínima de oito (8) dias e correspondência pessoal contra recibo aos integrantes dos órgãos de
administração da Associação.
Parágrafo Primeiro - As reuniões ordinárias instalar-se-ão em primeira convocação com a
presença mínima de dois terços (2/3) dos integrantes da Assembleia Geral, e em segunda
convocação, trinta (30) minutos após, com qualquer número de presentes.
Parágrafo Segundo - As reuniões extraordinárias instalar-se-ão, em primeira convocação, com
2/3 (dois terços) dos integrantes da Assembleia Geral e, em segunda convocação, trinta (30)
minutos após, com maioria absoluta dos integrantes do referido órgão.
Parágrafo Terceiro - O mandado dos integrantes da Diretoria será de quatro anos, permitida
(ou não) a reeleição.

Art. 70 - Ocorrendo vaga em qualquer cargo de titular da Diretoria, caberá ao respectivo


suplente substituí-lo até o fim do período para que foi eleito.

Art. 71 - Ocorrendo vaga entre os integrantes suplentes da Diretoria, a Assembleia Geral se


reunirá no prazo máximo de trinta dias após a vacância, para eleger o novo integrante.

CAPÍTULO XIV
DA REFORMA ESTATUTÁRIA E DA DISSOLUÇÃO

Art.72 - O presente Estatuto poderá ser reformado no tocante à administração, no todo ou em


parte, a qualquer tempo, por deliberação da Assembleia Geral, especialmente convocada para
este fim, composta de associados contribuintes quites com suas obrigações sociais, nos termos
da Lei.

SEÇÃO I - DA DISSOLUÇÃO

Art. 73-A associação CENTRO DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA E AO IDOSO-


CAPDEI somente poderá ser dissolvida por motivos de força maior:

24
Parágrafo Primeiro - Considerar-se-á força maior para o fim deste artigo, além dos casos
previstos em lei, qualquer eventualidade que torne inexequível a existência da Associação.
Parágrafo Segundo - No caso de dissolução da Associação os bens pertencentes às mesmas
serão entregues a uma entidade congênere comprovadamente registrada no Conselho Municipal
de Direitos da Criança e do Adolescente ou Conselho Municipal de Assistência Social e em
pleno funcionamento.
Parágrafo Terceiro - No caso de dissolução da entidade, o respectivo patrimônio líquido seja
transferido a outra pessoa jurídica de igual natureza que preencha os requisitos das Leis 13.019,
de 31 de julho de 2014, e 13.204, de 14 de dezembro de 2015 e cujo objeto social seja,
preferencialmente, o mesmo da entidade extinta.

Art. 74 - Os casos omissos no presente estatuto, fora da alçada da diretoria administrativa serão
resolvidos pela assembleia geral.

Art. 75 - O presente estatuto entrará em vigor na data de sua aprovação, devendo o mesmo ser
registrado em cartório.

Art. 76 - A Associação, poderá ser dissolvida a qualquer tempo, por deliberação da Assembleia
Geral, especialmente convocada para este fim, composta de associados quites com suas
obrigações sociais, não podendo ela deliberar sem voto concorde de dois terços dos presentes,
e obedecendo aos seguintes requisitos:
a) em primeira chamada, com a maioria absoluta dos associados;
b) em segunda chamada, meia hora após a primeira, com um terço dos associados;
Parágrafo único - Em caso de dissolução social da Associação, liquidado o passivo, os bens
remanescentes, serão destinados a outra entidade assistencial congênere, com personalidade
jurídica comprovada, com sede e atividade preponderante nesta capital e devidamente
registrada nos Órgãos Públicos.

CAPÍTULO XV
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

Art. 77- No caso de demissão Coletiva da Diretoria executiva assumirá a direção da


Associação, a Federação a qual ela for filiada e que convocará Assembleia Geral para eleição
da Nova diretoria no prazo de 30 dias.

Art. 78 - Qualquer um dos cargos que vagarem por qualquer tempo serão providos por
nomeação da diretoria Executiva, referendados pela Assembleia Geral.

Art. 79 - A Associação é representada judicial ou extra judicialmente ativa e passivamente por


seu presidente ou substituto legal.

25
Art. 80- Nenhum membro da Associação, ou Associado, responderá por qualquer dívida da
entidade, nem mesmo subsidiariamente, exceto presidente e tesoureiro, na forma da Lei,
restrita, tal responsabilidade às disposições do presente estatuto.

Art. 81 - Os nomes dos Associados fundadores são constantes no livro de atas.

Art. 82 - Durante o termo de posse para a passagem de poderes, deverão ser apresentados os
demonstrativos gerais da tesouraria e um relatório da gestão finda.

Art. 83 - Todos os Associados terão acesso ao Estatuto da Associação.

Art. 84 - Poderá a Associação promover sessões festiva, sem beneficiar a qualquer dirigente.
Art. 85 - Qualquer membro da diretoria ou Conselho Fiscal que deixar de comparecer por Três
reuniões consecutivas ou cinco alternadas, sem justificar por escrito sua ausência será
substituído em seu cargo.

Art. 86 - O Presente estatuto entra em vigor na data de sua aprovação pela Assembleia Geral,
revogando-se as disposições em contrário.

Art. 87- Este estatuto foi elaborado em regime de colaboração com a Assembleia Geral,
Diretoria, Conselho Fiscal e associados, bem como na alteração no nome da associação.

Art. 88 - O conflito de interesses é impedimento para o pleno exercício dos direitos e


competência definidos neste estatuto.

Art. 89 – Estatuto Social de acordo com a LEI 10.406/02 (Novo Código Civil) e aprovado pela
Assembleia Geral Extraordinária de 18 de janeiro de 2019, revogando todas as disposições em
contrário.
Parágrafo Único - O presente estatuto entrará em vigor na data de sua aprovação, devendo o
mesmo ser registrado em cartório.

Fortaleza, 28 de março de 2019.

26
27
28
29
30

Você também pode gostar