Você está na página 1de 34

COMO

PRESCREVER
ATIVIDADES
PSICOMOTORAS

Prof. Lino Saiba quais são os 7 passos


Azevedo essenciais para prescrever as suas
Júnior atividades psicomotoras

www.psicomotricidadepositiva.com.br
Editora Flor de Ouro | 1ª Edição | 2016.
como prescrever atividades psicomotoras

como prescrever atividades


psicomotoras
S A I BA Q U A I S S Ã O O S 7 PA S S O S E S S E N C I A I S
PA R A P R E S C R E V E R A S S U A S AT I V I DA D E S
PSICOMOTORAS

Prof. Lino Azevedo Júnior

INTRODUÇÃO

Página 1
como prescrever atividades psicomotoras

Imagine ter que planejar uma aula


para alunos com características
bem diferentes uns dos outros.
Imagine que cada aluno
apresente idade, condições de
vida, necessidades e
potencialidades diferentes.
Imagine se ver diante destes
alunos e não ter a menor ideia por
onde começar...
Imagine ainda que você deseje
desenvolver um trabalho
pedagógico com esses alunos
usando o movimento corporal

Página 2
como prescrever atividades psicomotoras

como principal estratégia de


intervenção.
Sem dúvida surgirá a pergunta:
Como prescrever atividades
psicomotoras a esses alunos???
Evidentemente eu mesmo já me vi
diante deste dilema e não foi de
uma hora para a outra que
consegui desvendar este mistério.
Aos poucos, durante muitos anos e
com muito estudo, pesquisa,
reflexão e intuição, sempre tendo
a prática psicomotora /
psicopedagógica como a maior
fonte de estímulo e provocação,
Página 3
como prescrever atividades psicomotoras

que fui desenvolvendo um método


psicomotor que chamei de Método
Vida Pura.
Este Método foi organizado em
dois principais contextos: um
teórico e outro operacional.
A teoria específica que se refere
ao método psicomotor chamamos
de Psicomotricidade Positiva.
Deste método destacamos
didaticamente 7 passos essenciais
para ajudar você a prescrever
suas atividades psicomotoras.
Veja também o vídeo: O que é psicomotricidade?
https://www.youtube.com/watch?v=SFHdePvxCfo

Página 4
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 1| OBJETIVO

Em primeiro lugar, precisamos ter


bem claro em nossa mente qual é
o nosso objetivo. Quando não se
tem um objetivo qualquer
atividade serve e muito
Página 5
como prescrever atividades psicomotoras

provavelmente cairemos na
armadilha de focar nossa atenção
na aula, nas atividades e não no
aluno. Isso significa que a nossa
maior preocupação pode ser
direcionada para que a aula seja
boa, que ocorra tudo na mais
perfeita ordem, disciplina e que
não gere muitos transtornos.
No final fica aquela sensação de
que a aula foi boa, mas que há

Página 6
como prescrever atividades psicomotoras

algo lá no fundo que lhe diz que


tem alguma coisa fora do lugar,
fica aquela sensação de que
talvez não seja bem isso que é
Educação...
Isso que estou dizendo não é uma
invenção de um escritor de obras
literárias, mas inspiradas em
minhas próprias vivências e
observações como professor.
Digamos que vivenciei essas fases

Página 7
como prescrever atividades psicomotoras

e que, naquela época, até


entendia o que era Objetivo, mas
não sabia direito como esse
Objetivo poderia me ajudar na
minha aula, no meu dia-a-dia,
então acabávamos por criar aulas
baseadas em “conteúdos” que
achávamos que seriam
importantes ou que deveriam ser
aqueles, afinal de contas, sempre
foi feito assim. Objetivo é um alvo

Página 8
como prescrever atividades psicomotoras

mais abstrato, como “Promover o


Desenvolvimento Integral do
Aluno”. É aí que a coisa pega, pois
como o Objetivo é mais abstrato,
pode parecer tão abstrato que
tenhamos dificuldades em
transformar essa coisa abstrata
em uma atividade prática,
concreta! O “problema” então é
saber transformar um Objetivo

Página 9
como prescrever atividades psicomotoras

abstrato em uma atividade


concreta.
Devemos sempre nos fazer duas
perguntas: 1. Essa atividade está
colaborando para que
caminhemos (o aluno e eu) em
direção ao Objetivo? 2. A maneira
que eu estou conduzindo a aula
está colaborando para que
caminhemos em direção ao
Objetivo?

Página 10
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 2 | PRESSUPOSTOS

Vamos imaginar os pressupostos


como sendo um passo a mais que
damos, no sentido de uma teoria
mais ampla, profunda, complexa

Página 11
como prescrever atividades psicomotoras

e abstrata em direção a conceitos


que começam a se transformar em
atividades práticas e concretas.
Teoria (abstrata) 
Pressupostos  Atividades
(concretas)
Os pressupostos, que estão em
consonância, sinergia e coerência
com o Objetivo vão dando forma
aos conceitos abstratos, que vão

Página 12
como prescrever atividades psicomotoras

ficando visíveis nas atividades que


estamos prescrevendo.
Em outras palavras, os
pressupostos, que estão
contextualizados numa teoria mais
ampla, vão dando significado,
orientação e justificativa àquelas
atividades concretas / práticas -
aquelas que realizamos com os
movimentos corporais.

Página 13
como prescrever atividades psicomotoras

Assim, organizamos o nosso


contexto teórico em 7
pressupostos:
Pressuposto 1: Buscamos o
Objetivo refinando-se os
movimentos corporais;
Pressuposto 2: Buscamos o
Objetivo promovendo-se o
ajustamento entre os mundos
interno e externo do Ser Humano;

Página 14
como prescrever atividades psicomotoras

Pressuposto 3: Buscamos o
Objetivo promovendo-se a
apreensão da leitura, escrita e
dos conteúdos escolares;
Pressuposto 4: Buscamos o
Objetivo promovendo-se o
contato como o Self;
Pressuposto 5: Buscamos o
Objetivo potencializando-se as
qualidades físicas (com ênfase à
circuitaria cerebral);

Página 15
como prescrever atividades psicomotoras

Pressuposto 6: Buscamos o
Objetivo sublimando-se os instintos
primitivos através das atividades
esportivas;
Pressuposto 7: Buscamos o
Objetivo promovendo-se os
aspectos positivos do indivíduo.

Página 16
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 3 | TIPOS DE
MOVIMENTOS

Quais são os tipos de movimentos


corporais que utilizamos em nossas
atividades psicomotoras?

Página 17
como prescrever atividades psicomotoras

O movimento corporal para nós é


um meio e não um fim. Nosso fim é
o nosso Objetivo, portanto
utilizamos os movimentos corporais
como estratégia de intervenção
para caminharmos em direção ao
nosso Objetivo.
Em outras palavras o nosso foco
está no “Objetivo” e não no
“Meio” que é o movimento
corporal. Então para isso nos

Página 18
como prescrever atividades psicomotoras

utilizamos de 5 tipos de
movimentos corporais:
Tipo 1: Atividade Física;
Tipo 2: Atividades Esportivas;
Tipo 3: Brincadeiras populares;
Tipo 4: Dinâmicas de Grupo;
Tipo 5: Atividades da Vida
Prática.

Página 19
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 4 | GRUPOS DE
MOVIMENTOS

Se observarmos o
desenvolvimento da criança,
veremos que existem alguns

Página 20
como prescrever atividades psicomotoras

momentos que traduzimos em


grupos de movimentos que nos
orientam na prescrição das nossas
atividades psicomotoras:
Grupo 1: Movimentos que são
realizados com o próprio corpo;
Grupo 2: Movimentos que são
realizados com o próprio corpo +
algum objeto;

Página 21
como prescrever atividades psicomotoras

Grupo 3: Movimentos que são


realizados com o próprio corpo +
objeto(s) + outra(s) pessoa(s);
Grupo 4: Movimento realizados
em grupos, envolvendo o próprio
corpo + objeto(s) + outas pessoas
+ regras e metas do jogo ou
dinâmica de grupo.

Página 22
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 5 | CRITÉRIOS

Os critérios para a prescrição das


atividades psicomotoras já
envolvem algum conhecimento do
aluno. Digo algum, pois o

Página 23
como prescrever atividades psicomotoras

conhecimento do aluno é um
processo contínuo e permanente,
assim devemos considerar:
Critério 1: Gosto e interesse do
aluno;
Critério 2: Necessidade do aluno;
Critério 3: Zona de
desenvolvimento proximal;
Critério 4: Cuidados;
Critério 5: Segurança.

Página 24
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 6 | CRIATIVIDADE

Por mais que se planeje e se


elabore um Plano de Ação,
sempre haverá situações não
previstas durante a aula, então

Página 25
como prescrever atividades psicomotoras

também não há como não contar


com a criatividade da professora
e do professor.
A criatividade está diretamente
ligada a, pelo menos, duas coisas:
a sensibilidade e ao repertório de
movimentos corporais que a
professora e o professor possuem.
Sensibilidade para perceber o
que o aluno irá expressar durante
a aula, tanto para compreendê-lo

Página 26
como prescrever atividades psicomotoras

melhor, bem como, para intervir


solucionando problemas e propor
atividades que favoreçam a nossa
busca pelo Objetivo.
Evidentemente, para propor
atividades psicomotoras é preciso
ter um repertório de movimentos
corporais, ou seja, para poder
propor precisa-se ter
conhecimento prévio.

Página 27
como prescrever atividades psicomotoras

Como a nossa principal estratégia


de intervenção é o movimento
corporal então é importante que a
professora e o professor
desenvolvam o seu “vocabulário
motor” ou o conhecimento sobre
quais são as possibilidades e
diversidades de movimentos que o
corpo humano pode realizar.

Página 28
como prescrever atividades psicomotoras

PASSO 7 | PLANO DE AÇÃO

Finalmente devemos elaborar um


Plano de Ação, que nada mais é
do que escrever o que se pretende
desenvolver.

Página 29
como prescrever atividades psicomotoras

Quando se escreve o Plano de


Ação muitas dúvidas ou aspectos
que não estejam bem claros são
esclarecidos e formalizados
dentro de um contexto que deve
ter coerência e consistência
consigo mesmo, ou seja, o próprio
texto do Plano irá revelar se o que
se pretende fazer está de acordo
com seus tópicos. Por exemplo, se
o método está de acordo com o

Página 30
como prescrever atividades psicomotoras

Objetivo, se o local e os materiais


viabilizam o que está proposto e
assim por diante.
O Plano de Ação é uma referência
importante mas deve ser flexível
às lapidações e aprimoramentos
que serão “reivindicados” quando
for colocado em prática. O Plano
de Ação deve ser uma ferramenta
para a professora e para o

Página 31
como prescrever atividades psicomotoras

professor e não deve se tornar seu


algoz.
O Plano de Ação pode ser
elaborado comtemplando o
seguinte:
1. Anamnese
2. Objetivo
3. Método
4. Acompanhamento e
Avaliação
5. Cronograma (com Metas)

Página 32
como prescrever atividades psicomotoras

6. Recursos (Humanos,
Equipamentos, Locais,
Materiais didáticos e
Financeiros)
7. Registros (Fotos, Vídeos*,
Relatórios, Materiais
desenvolvidos pelos alunos).

*Como estamos falando de movimento


corporal, o vídeo é o mais apropriado para
se registrar o movimento.

www.psicomotricidadepositiva.com.br

Página 33