Você está na página 1de 4

PROGRAMA DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS – UFRGS

LEITURA E ESCRITA ACADÊMICA


PROF. BRUNA SOMMER
2014.1

DESENVOLVIMENTO DE PARÁGRAFOS

A vida nas grandes cidades alimenta os índices de doenças do coração.

1. Desenvolvimento por detalhes


“A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doença do coração.
O tráfego intenso excessivo, as preocupações geradas pela pressa, o almoço
corrido, o horário de entrar no trabalho, tudo isso abala as pessoas,
produzindo o estresse que provoca os males cardíacos.

2. Desenvolvimento por definição


“A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. O tipo de
vida em questão é aquela agitada em que o indivíduo não tem tempo para
cuidar de si próprio, que fica a mercê dos compromissos e do tempo exíguo
para cumpri-los”.

3. Desenvolvimento por exemplo específico


“A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração.
Imaginemos um chefe de família que deixa sua casa às 6h da manhã. Logo de
início, tem que enfrentar a fila da condução. A angústia da demora: será que vem?

4. Desenvolvimento por fundamentação da proposta


“A vida nas grandes cidades e os índices de doenças do coração. Somente na
última década, segundo informações da Secretária da Saúde do Estado do Paraná,
o paranaense sofreu mais infartos que no decênio anterior. O estresse causado pela
vida intensa acelera os batimentos cardíacos, por intermédio da injeção
exagerada de adrenalina”.

5. Desenvolvimento por comparação


“A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doença do coração. Imagine o
leitor, por exemplo, um automóvel dirigido suavemente, com trocas de macha
em tempo exato, sem freadas bruscas ou curvas violentas.A vida últil desse veículo
tende a prolongar-se bastante. Imagine agora o contrário: um automóvel cujo
proprietário se satisfaz em arrancadas e freadas violentas, a vida últil desse será
menor. O mesmo podemos fazer com o coração. Podemos conduzi-lo com doçura,
ou tratá-lo agressivamente”.

MODALIDADES E EXPRESSÕES DE ESTILO EMFÓRMULAS TEXTUAIS

Expressões que indicam  em resumo;


possibilidade:  para concluir.
 é possível;
 seria desejavél que; Para expor um ponto de vista:
 parece que.  estima-se que;
 é preciso salientar;
Expressões que indicam  parece relevante ressaltar;
flexibilidade:  no que diz respeito a….
 a afirmação é, em
parte,pertinente, mas … Para propor alternativas:
 de um lado …do (por)outro
Expressões que indicam certeza: lado;
 sem dúvida;  entretanto, pode-se pensar
 certamente; realmente que;
 visivelmente;notoriamente;  se é verdade que…
com certeza;  pode-se admitir que …
 evidentemente etc.
Para expressar concordância:
Expressões que indicam dúvida:  é realmente
 poderiamos, talvez, afirmar;  indiscutível;
 não é totalmente certo que…  não há como negar.

Expressões para introduzir um Para refutar, discordar:


assunto:  não é pertinente a
 trata-se aqui de; afirmação;
 de início;  não se pode deixar
 em primeiro lugar. deobservar que;
 É necessário seconsiderar
Expressões para concluir: também que;
 para por termo a essa
controvérsia;

OUTRAS EXPRESSÕES PRÓPRIAS A ORGANIZARAS IDEIAS NO


PARAGRAFO

 Nota-se que…  Não se deve todavia;


 Do mesmo modo;  O que significa que;
 É preciso reconhecer que;  Em primeiro lugar;
 Em um primeiro momento;  Entretanto é pertinente
 É importante lembrar; salientar/resaltar…
Exercícios:

1.Na elaboração dos períodos, a mesma palavra foi utilizada várias vezes. Reescreva-
os utilizando-se de outros mecanismos coesivos que não seja a repetição.

a) Eu falei com ele que você não queria que os pintores ficassem trabalhando o dia
todo porque eles não sabem que o silêncio é indispensável para que você possa se
concentrar e trabalhar.

b) Muitos alunos confessaram que não haviam estudado a matéria que caiu na prova
de Matemática que foi marcada para aquele dia pelo professor que a elaborou.

c) Pediram que eu devolvesse o filme que me foi emprestado pela biblioteca da escola
no fim do bimestre que passou para que ele pudesse ser emprestado a outro aluno.

2. Nestas questões, apresentamos alguns segmentos de discurso separados


por ponto final. Retire o ponto final e estabeleça entre eles o tipo de relação
que lhe parecer compatível, usando para isso os elementos de coesão
adequados.
a) O solo do Nordeste é muito seco e aparentemente árido. Quando caem as
chuvas, imediatamente brota a vegetação.

b) Uma seca desoladora assolou a região Sul, principal celeiro do país. Vai
faltar alimento e os preços vão disparar.

2. Estas questões apresentam problemas de coesão por causa do mau uso do


conectivo, isto é, da palavra que estabelece a conexão. A palavra ou expressão
conectiva inadequada vem em destaque. Procure descobrir a razão dessa
impropriedade de uso e substituir a forma errada pela correta.
a) Em São Paulo já não chove há mais de dois meses, apesar de que já se
pense em racionamento de água e energia elétrica.

b) As pessoas caminham pelas ruas, despreocupadas, como se não existisse


perigo algum, mas o policial continua folgadamente tomando o seu café no bar.

c) Talvez seja adiado o jogo entre Botafogo e Flamengo, pois o estado do


gramado do Maracanã não é dos piores.
d) Uma boa parte das crianças mora muito longe, vai à escola, com fome, onde
ocorre o grande número de desistências.

3. Transforme as frases como no modelo:

Prejuízos que não podem ser calculados > Prejuízos incalculáveis


a) Crime que não se aceita

b) Decisão que não se pode discutir

c) Decisão que não se pode alterar

As sugestões que o diretor apresentou são perfeitamente viáveis >


As sugestões apresentadas pelo diretor são perfeitamente viáveis.

a) Os assuntos que os vereadores mais discutiram foram o aumento das


passagens dos ônibus e o asfaltamento de mais ruas.

b) O secretário alegou que as cartas que enviou às filiais não foram


respondidas.

Esperavam que o povo colaborasse > Esperavam a colaboração do povo

a) Aguardava-se que se congelem os preços

b) Nós não contávamos que ela seria absolvida

4. Reescreva o parágrafo abaixo eliminando todos os quês.

O Brasil, que é um país que sempre precisou do FMI para pagar as suas
contas, que sempre estão nas alturas, porque o país gasta mais do que ganha,
tem preocupado os investidores internacionais que pretendem ter ganhos
exorbitantes aqui que tem taxas de juros atrativos para quem vem de fora e
não tem as mesmas facilidades para quem é investidor que nasceu no Brasil.
Não se compreende que o Brasil que é um país que tem riquezas tão grandes
no seu subsolo seja considerado um país pobre que não tem
dinheiro sequer para honrar seus compromissos.