Você está na página 1de 2

• Identificar as situações de risco à saúde no caso.

A casa de sua amiga, na capital, onde Ana fica hospedada, é situada na periferia, perto de uma
fábrica de veneno. Sua amiga Sandra tem carga de trabalho excessiva, tendo que lidar com
exaustão física diária e falta de tempo para cuidar de sua saúde e de seus filhos. Ausência de
rede de esgotos, de coleta e tratamento de lixo e falta de água esporadicamente. Crianças e
animais dividem espaço com lixo e valas a céu aberto. O bairro não conta com ESF. O pronto-
socorro próximo tem déficit de profissionais e equipamentos adequados. Demora no
agendamento e realização de exames. A Ana se sente obrigada a procurar atendimento
particular para seu problema nas mamas, recebendo um atendimento superficial e
incompleto, sem anamnese ou exame físico. Ausência de suporte psicológico para a paciente
da rede. Ausência de díalogo, explicações e orientações para a paciente.

• Definir RISCO e VULNERABILIDADE;

Vulnerabilidade: Condição de desamparo e desassistência para o atendimento de


necessidades de segurança, saúde, educação, moradia, alimentação, saneamento etc.

Risco: Exposição direta a situações de ameaça à vida, à segurança, à saúde, à educação e ao


bem estar das pessoas.

• Caracterizar os casos suspeitos no caso;

Sandra, amiga de Ana, que apresenta febre baixa vespertina com sudorese, inapetência e
tosse, caso suspeito de tuberculose.

Os filhos de Sandra, que apresentam tosse, febre e inapetência, caso suspeito de virose.

Lucia, a vizinha de Sandra, que apresenta enjoos, náuseas, dores de cabeça constantes e
muita tosse, caso suspeito de intoxicação crônica por veneno

Ana, com caso suspeito de câncer de mama.

• Definir o que é:

– Um caso suspeito?

Um indivíduo que apresenta alguns sinais e sintomas sugestivos de um grupo de agravos que
compartilha a mesma sintomatologia.

– Um caso provável?

Um caso clínicamente compatível, sem identificação de vínculo epidemiológico ou confirmação


laboratorial.

– Um caso confirmado?

Um caso que é classificado como confirmado para os propósitos de notificação e segundo os


seguintes critérios:
Clínico: é o caso que apresenta somente os achados clínicos compatíveis com a doença, cujas
medidas de controle foram efetuadas.

Laboratorial: é o caso que apresentou teste laboratorial reativo para detecção de vírus,
bactérias, fungos ou qualquer outro microrganismo.

• Relacionar as ações de vigilância para enfrentamento do caso ANA;

Prevenir, diminuir ou mesmo eliminar os riscos relativos aos produtos e serviços de saúde.
Instrumentalizar o planejamento, organização e operacionalização dos serviços de saúde, bem
como a normatização das atividades técnicas correlatas. Recomendar e adotar as medidas de
prevenção e controle dos fatores de riscos e das doenças ou agravos relacionados à variável
ambiental.

• Descrever qual ou quais vigilância(s) estaria(m) atuando no caso;

Vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental.