Você está na página 1de 56

IMUNIDADE INATA

Profa. Dra. Natássia Ribeiro


Plano de Ensino
Características da resposta inata
4

Primeira linha de defesa do organismo.

Importante na indução da resposta adaptativa.

Pouca especificidade para os microrganismos


(antígenos)- reconhecimento de padrões de
patógenos.
Não há formação de memória imunológica.

Resposta inicial aos microrganismos


que impede, controla ou elimina a
infecção do hospedeiro.
IMUNIDADE INATA

INATA
 Barreiras físicas e químicas;

 Barreiras celulares;

 Proteínas efetoras;

 Citocinas
6
Mecanismos de defesa da R.I. Inata

Sistema Imune Inato

Barreiras químicas Barreiras


físicas/mecânicas
Acidez estômago
Mucosas
Moléculas solúveis
Pele
Antimicrobianas
Enzimas Microbiota Movimento do muco

Barreiras Proteínas-
celulares mediadores solúveis
Complemento
Células que detectam os produtos
Citocinas
microbianos e estimulam o contra-ataque
Proteínas de fase aguda
Barreiras químicas e mecânicas

PELE

epiderme

derme

FATORES
MECÂNICOS

-presença de queratina;
-células intimamente unidas;
-renovação da pele.
8
Barreiras físicas/mecânicas e químicas

A pele e as
paredes da
mucosa epitelial
são defesas
contra a
colonização
microbiana por
uma variedade
de mecanismos
químicos,
mecânicos e
celulares.
Barreiras químicas e mecânicas
PELE ROMPIDA

Superfícies epiteliais intactas


formam barreiras físicas entre
os microrganismos no
ambiente externo e os tecidos
do hospedeiro.

Perda da integridade
predispõe infecções.
Barreiras químicas e mecânicas

PELE

• Produção de grande variedade de agentes


antimicrobianos.
Ex.: psoriasina, inibe o crescimento da bactéria
Eschericha coli

10
11
Barreiras químicas
e mecânicas

PELE
• Fatores químicos
Pele e epitélio: agentes
antimicrobianos
(psoriasina)-> inibe o
crescimento da bactéria
E. coli, protegendo o
organismo contra
arranhões, feridas ou
escoriações.
Barreiras químicas e mecânicas

MUCOSAS

•Barreira física

•Lágrimas, saliva e secreções


que lavam as mucosas contêm
substâncias antibacterianas e
antivirais.

12
Barreiras químicas e mecânicas

MUCOSAS

Muco “captura” microrganismos externos.

Cílios do trato respiratório inferior movimentam-se


de forma sincronizada, expelindo o muco com
microrganismos.

Cílios traquéia 13
Barreiras químicas e mecânicas

pH ácido

14
Microbiota e Resistência Inespecífica

MICROBIOTA DA
VAGINA

Candida albicans
* Lactobacillus sp (predominante); glicogênio-> ac. lático-> pH ácido
(3,8 a 4,5).
IMUNIDADE INATA

 Barreiras físicas e químicas;

 Mediadores solúveis;
peptídeos antimicrobianos
Proteinas de fase aguda
Sistema complemento

 Barreiras celulares;

 Citocinas
Os componentes da imunidade inata reconhecem
estruturas que são características de
microrganismos, que não estão presentes nas
células dos mamíferos

Padrões moleculares associados a patógenos


(pathogen-associated molecular patterns –
PAMPs)

 Motivos conservados entre as sp microbianas.


Muitos são essenciais a sobrevivencia do patógeno.
17
LPS (bactérias gram negativas)
potente estimulador da imunidade inata 18
Barreira celular
“Conjunto de células com capacidade de detectar,
por meio de sensíveis receptores, os produtos
de microrganismos e estimular o contra-ataque”.
Tipos celulares na Resposta Imune Inata

 Principais leucócitos:
Tipos celulares na RI Inata: FAGÓCITOS

• Função primária é identificar, ingerir e destruir


patógenos.

• Também produzem citocinas com importante


papel na resp imune inata e adaptativa.
Tipos celulares na RI Inata: NEUTRÓFILOS

• Leucócitos polimorfonucleares
• Leucócito predominante na circulação sanguínea
• Vida curta
• Fase inicial da resposta inflamatória
Tipos celulares na RI Inata: MACRÓFAGOS
Macrófagos nos diferentes tecidos

Macrófagos intestinais – estômago;


Macrófagos alveolares – pulmões;
Histiócitos – tecidos conjuntivos;
Células de Kupffer – fígado;
Células mesangliais – rim;
Células microgliais – cérebro;
Osteoclastos – ossos.
Fagocitose

25
Fagocitose

Bactéria fica ligada à


membrana invaginada,
denomina pseudópodo

Bactéria é ingerida
formando fagossoma

Fagossoma se funde com


lisossoma

Enzimas lisossomais
digerem material capturado

Produto digerido é liberado


das células
26
Tipos celulares na RI Inata: CÉLULAS NATURAL
KILLER (NK)
 Primeira linha de defesa contra os vírus

Células NK reconhecem células tumorais ou infectadas


por vírus e induzem a morte celular (apoptose)
Inflamação
Inflamação
Inflamação

AGUDA CRÔNICA

Minutos após a Quanto o antígeno


lesão tecidual persiste –
(combate os Pode levar a
estágios consequências
recentes da patogênicas ex.:
infecção). artrite.
30
Inflamação

FASES

Vasodilatação e aumento da permeabilidade vascular;

 Migração de fagócitos e fagocitose;

 Reparo tecidual.

PROTEÍNAS DE FASE AGUDA

Proteínas que mudam de concentração durante a fase aguda da


doença.

Ex.: Componentes do Sistema Complemento, Proteína C reativa.


Inflamação
Inflamação

1.Vasodilatação e aumento da permeabilidade vascular


Inflamação

1.Vasodilatação e aumento da permeabilidade vascular


Inflamação

2. Migração de Fagócitos
Inflamação

2. Migração de Fagócitos
Moléculas de adesão intercelular controlam a interação entre
leucócitos e células endoteliais durante a resposta inflamatória
Inflamação

Fagocitose e liberação de mediadores moleculares que


contribuem para a resp. Inflamatória, recrutamento e ativação
de células efetoras.
Resposta de fase aguda sistêmica

•Resposta inflamatória local é acompanhada por uma resposta


sistêmica

•Febre
• Aumento da síntese de hormônios
(ACTH e hidrocortisona)
• Aumento na produção de leucócitos
• Produção de proteínas de fase
aguda

• Inibe o crescimento de patógenos


• Potencializa resposta imune
Resposta de fase aguda sistêmica

(Adrenocorticotrófico)
Proteína C reativa (PCR)
Proteína C reativa (PCR)

Marcador de fase aguda que se eleva em


processos inflamatórios e infecciosos.

Tipo especial de proteína, produzida pelo fígado.

De forma geral, indica a existência de um processo


inflamatório e infeccioso agudo.

Opsonização e ativação do sistema complemento.

41
Sistema Complemento
•A capacidade do sistema complemento de eliminar
determinadas bactérias foi o que levou a sua descoberta

• O sistema complemento é formado por uma família de


proteínas, cujos fragmentos derivados de proteólise,
facilitam a eliminação de microrganismos

• São várias proteínas ativadoras e reguladoras encontradas


ligadas à membrana celular ou livres na circulação

• Desempenha seu papel nas imunidades inata e adquirida


Sistema Complemento

 Mais de 25 proteínas ( plasmáticas e membranares )

 Reações em cascata

 Pertence ao sistema imune inato

 Importante na imunidade e inflamação


-primeira linha de defesa contra infecção
Via clássica Via da lectina Via alternativa

Complexo Superfície
Ligação da lectina
Antígeno-Anticorpo de patógenos
a superfície
de patógenos

ATIVAÇÂO DO COMPLEMENTO

Opsonização
Quimiotaxia
C3b
C3a,e C5a Morte microbiana
Ativação celular
MAC
-Depuração complexo imune
- Defesa antimicrobiana
Opsonização
 A superfície alvo (bactéria, vírus, complexo antigénio-
anticorpo) é envolvido por proteínas do complemento
às quais se podem ligar células fagocíticas.
Lise celular

 O objetivo final do complemento é formar um complexo


que se insere na membrana citoplasmática da célula alvo
abrindo nesta um poro que provoca lise celular.
Via Clássica Via Alternativa Via da Lectina

Complexos imunes Superfície de patógenos Carboidratos

C1q C3b MBL

C1r Fator B MASP1, MASP2


C1s
Fator D
COMPONENTES

C4
C4

C2 Properdina C2

C5
C5b
Via comum C6
C7
C8 Legenda:
C9 MBL = Proteína Ligadora de Manose
MASP = Serina Protease Associada a MBL
FUNÇÕES DO COMPLEMENTO

AUMENTA A
FAGOCITOSE
Remoção de complexos
imunes
Respostas locais
inflamatória
FUNÇÕES DO COMPLEMENTO
LINHAS DE DEFESA

Microrganismos invasores

Barreiras Físico-Químicas

Resposta Imune Inata

Resp. Imune Adaptativa


“Resposta imune inata
contribui fundamentalmente
para a ativação da imunidade
adaptativa”
55

Resumindo…

-Imunidade inata é a primeira linha de defesa do


organismo;

-Mediada por células fagocíticas como macrófagos


e neutrófilos, além de células NK e dendríticas;

-Mediada por fatores protéicos como citocinas,


quimiocinas, interferons;

-Há indução de um processo inflamatório que tenta


conter o Ag no seu local de invasão do organismo,
além de eliminá-lo;
56

Resumindo…

-As citocinas e outros fatores protéicos


produzidos durante a resposta inata são
importantes para o início da resposta
adaptativa;

-Não há formação de memória imunológica.