Você está na página 1de 8

Jovens Adoradores

Estudos Bíblicos para Evangélicos


http://www.jovensadoradores.com

O Cristão e a Sexualidade - Pr. Silas Malafaia

O assunto sobre sexualidade envolve o que há de mais íntimo no ser humano. Porém, para
uma grande maioria, a sexualidade está muito mais associada ao erro e ao pecado do que a
algo bom, criado por Deus. Muitas vezes os problemas de relacionamento entre os casais em
nossas igrejas ficam sem solução por falta de diálogo entre os cônjuges ou até mesmo devido
à timidez e à falta de preparo por parte da liderança, que não dá a atenção que o assunto
requer.

SEXUALIDADE É:

Conjunto dos fenômenos da vida sexual.

A SEXUALIDADE NO CONTEXTO BÍBLICO

Deus criou o homem e a mulher, e colocou órgãos genitais diferentes em cada um deles. Criou
também os hormônios: no homem, a testosterona, e na mulher, o estrógeno.

ESTRUTURA DOS ÓRGÃOS GENITAIS

Foram criados por Deus de modo especial e com funções específicas. No homem, são o pênis,
os testículos, os canais deferentes, os canais ejaculadores, o escroto, a próstata e as glândulas
bulbouretrais. Na mulher, são os ovários, as trompas, o útero e a vulva.

OS DESEJOS ÍNTIMOS SÃO ALGO MUITO BOM CRIADOS POR DEUS

Deus criou a sexualidade no homem e na mulher para despertar neles a vontade de unir os
seus corpos e satisfazer os seus desejos mais íntimos (1 Coríntios 7.32-34). Quando Deus
estava criando todas as coisas, em Gênesis 1.10,12,18,21,24, verificamos esta declaração: “E
viu Deus que era bom”. Porém, ao criar o homem à sua imagem e semelhança, Ele viu que era
muito bom. Isto significa que tudo quanto Deus fez no homem é muito bom. Concluímos, então,
que o sexo e a intimidade dentro dos princípios sagrados são muito bons, porque foram
instituídos por Deus.

NOTA BIOLÓGICA

1/8
Deus criou no pênis e 110 clitóris milhares de vasos sanguíneos, onde o sangue é injetado em
quantidade maior para aumentar a sensibilidade. Deus criou a libido, o desejo sexual e
milhares de terminações nervosas capazes de suscitarem a sexualidade quando um casal se
acaricia. Deus não fez isto tudo para brincar com as nossas emoções, mas para despertar no
homem o desejo de união.

I. O PADRÃO DE DEUS PARA UMA SEXUALIDADE CRISTÃ SAUDÁVEL

O padrão de Deus para uma sexualidade saudável está registrado em Gênesis 2.24. Tem
como base a união de um homem e uma mulher. O padrão de Deus para uma sexualidade
estável foi ratificado tanto por Jesus, em Marcos 10.7,8, como por Adão, em Gênesis 2.24.

II. A DIFERENÇA DA RELAÇÃO SEXUAL NO CASAMENTO E FORA DELE.

No sexo dentro do casamento:

O caráter de Deus é manifestado na carne. No casamento há uma unicidade na relação sexual


(Gênesis 2.23,24). É o que podemos chamar de inocência erótica.

No sexo fora do casamento:

Não é celebrada a intimidade profunda. Na relação extraconjugal, o homem e a mulher se


juntam, porém eles nunca poderão tornar-se um só corpo como no casamento, e pecarão
contra o seu próprio corpo (1 Coríntios 6.18). A relação extraconjugal é permeada de medo,
culpa, raiva, e o resultado é sempre a violência e a troca de parceiro, porque nenhum dos dois
podem satisfazer-se.

III. RELACIONAMENTOS QUE FEREM O PRINCÍPIO DA SEXUALIDADE CRISTÃ:

3.1 —Adultério

É o sexo extraconjugal entre pessoas casadas ou entre casado e solteiro. O sétimo


mandamento bíblico condena o adultério (Êxodo 20.14). O adúltero é condenado à morte
(Levítico 20.10 e Deuteronômio 22.22).

3.2 — Prostituição

É o sexo entre solteiros, e solteiro e casado. Quem se prostitui peca contra o seu próprio corpo
(1 Coríntios 6.18). A prostituição é uma das obras da carne (Gálatas 5.19).

2/8
3.3 — homossexualismo

Esta prática sexual entre pessoas do mesmo sexo também é condenada pela Bíblia (Levítico
18.22; Romanos 1.27; 1Coríntios 6.9,10).

3.4 — Fornicação

A Bíblia condena esta prática, que é o sexo preconjugal ou extraconjugal. Uma pessoa na
igreja de Corinto praticava este pecado (1 Coríntios 5.1).

3.5 - Bestialidade

Ato detestável e repulsivo a Deus. Pela lei, o homem ou a mulher que mantivesse relação
sexual com animais era punido de morte (Êxodo 22.19).

IV. ALGUMAS ATITUDES QUE ABALAM A SEXUALIDADE CRISTÃ:

4.1 —Agressão verbal

As palavras, quando faladas precipitadamente, podem arruinar um relacionamento conjugal


(Provérbios 15.1).

4.2 —Agressão física

Quando a discussão chega a este nível, o casal perde o equilíbrio emocional e o respeito
mútuo (Efésios 4.26).

4.3 — Falta de interesse

É preciso que os cônjuges aproveitem os momentos juntos para compartilharem a sua alegria
(Provérbios 15.13).

4.4 — Descuido com a aparência

A esposa precisa cuidar de seu corpo para agradar o seu esposo, pois o valor da mulher
virtuosa muito excede o de rubi

(Provérbios 3 1.10).

4.5 - Falta de dialogo

Os cônjuges devem conversar, falar o que sentem, evitando, assim, que os problemas se
agravem (Hebreus 12.15).

3/8
4.6 — Mentira

É importante vencer o espírito da mentira, usando a Palavra de Deus (Mateus 5.37).

V. ALGUNS PRINCÍPIOS DA SEXUALIDADE CRISTÃ APROVADA POR DEUS:

5.1 — Benevolência

O marido deve satisfazer sexualmente a mulher, e a mulher satisfazer sexualmente o marido. A


mulher não é objeto de satisfação sexual do homem, como também o homem não o é da
mulher. Tem de haver satisfação mútua. O marido deve pagar à mulher a devida benevolência,
e a mulher ao marido (1 Coríntios 7.3). Os ingredientes indispensáveis para a benevolência
são: diálogo, honestidade, compreensão e carinho.

5.2 — Submissão

Paulo escreveu em 1 Coríntios 7.4 que nenhum dos cônjuges tem poder sobre o seu próprio
corpo. Deus colocou limites para frear a brutalidade do homem. Se não fosse isso, o homem
trataria a mulher de maneira violenta como sua propriedade. Quem tem a primazia na
intimidade é a mulher, e não o homem.

5.3 — Concordância

Paulo disse: “Não vos defraudeis um ao outro senão por consentimento mútuo, por algum
tempo, para vos aplicardes à oração” (1 Coríntios 7.5). A prática sexual é ativa e deve ser feita
no tempo e na medida certa. O sexo é o termômetro do relacionamento conjugal.

NOTA CULTURAL

A Organização Mundial de Saúde (OMS) coloca a sexualidade como um dos índices que
medem o nível de qualidade de vida de uma pessoa. Sexualidade ativa anda de mãos dadas
com casamento sadio. Nenhum dos cônjuges pode apregoar um jejum sem o consentimento
mútuo e, se o fizer, deve ser por pouco tempo. A atividade sexual não é mercadoria de troca,
portanto não pode ser usada como chantagem emocional. Biblicamente falando, a relação
sexual no matrimônio é uma relação ativa, é uma relação mútua.

SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO

O casamento é o símbolo do relacionamento entre Cristo e a Igreja, pois, assim como o marido
e a mulher unem-se em um só corpo (Gênesis 2.24), a Igreja também está unida a Cristo

4/8
(Efésios 5.31,32).

VI. ALGUNS PROBLEMAS RELACIONADOS À ÁREA SEXUAL:

6.1 — Ejaculação precoce

É o termo usado para a situação em que o homem chega à ejaculação antes de desejar fazê-
lo. Isso traz ansiedade e insegurança e o faz fugir da relação, temendo não conseguir
satisfazer à mulher. Às vezes, é preciso um tratamento psicológica e antes de tudo, calma. Isto
pode acontecer com qualquer homem.

6.2 — Impotência sexual

Muitas vezes é causada pelo esgotamento físico e mental ou depressão. Recomenda-se o


tratamento com algum profissional especializado. A situação de apreensão vivida pelo homem
devido a algum fracasso pode levá-lo a perder a capacidade de manter a ereção.

NOTA CULTURAL

A impotência pode aparecer no homem com idade entre 30 e 50 anos e, em muitos casos, tem
fundo psicológico e estão ligada ao estresse e à depressão. Também os distúrbios físicos
costumam ser a causa da impotência. Entre eles estão a hipertensão, o diabetes (40 a 60%), o
colesterol alto ou o desequilíbrio na produção do hormônio masculino testosterona. Tudo isto
tem tratamento. Os problemas psicológicos como inibição, vergonha, abstenção, insegurança,
incapacidade pessoal, culpa, raiva, hostilidade e medo da intimidade, estão definitivamente
associados à impotência em mais de 65% dos homens.

6.3 — Impotência psicogenética

Ë a idéia errônea de achar que o sexo é pecado como muitas vezes é ensinado na infância.

VII. ALGUMAS INTERPRETAÇÕES BIBUCAS SOBRE A SEXUALIDADE

SUBSIDIO TEOLÓGICO

Hermenêutica é a ciência da interpretação bíblica Exegese é a ciência da Interpretação do


texto Existe um principio na hermenêutica, entre tantos outros, que a Bíblia por si só se aplica.
Não se pode quebrar esse principio.

5/8
7.1 - Exegese errada

Um exemplo é o texto de Hebreus 13.4. Para muitos líderes, a expressão leito sem mácula’,
neste versículo, refere-se à ausência de mancha causada pela emissão do sêmen do homem.

7.2- Exegese correta

A expressão leito sem mácula’ de Hebreus 13.4 refere-se ao leito isento da infidelidade, em
um sentido figurativo. Neste mesmo versículo de Hebreus, a frase “Venerado seja entre todos
os matrimônios” quer dizer “admirado e respeitado sejam o casamento e o leito em que há
fidelidade entre os cônjuges”.

7.3 — Exegese errada

Romanos 1.26 também é outro versículo interpretado equivocadamente. Para muitos crentes, a
relação sexual somente poderá ser consumada se houver penetração vaginal. Este texto tem
sido milito deturpado e transformado em heresia para se adaptar a interesses próprios e
combater a intimidade do casal.

7.4 — Exegese correta

A própria Bíblia explica, no versículo seguinte, o que é o “uso natural’. e não tem nada a ver
com a intimidade do casal. Em Romanos 1.27. a expressão “uso natura!» fala especificamente
sobre as relações homossexuais. Mudar o uso natural é a mulher deixar de ter relação com o
homem e ter com outra mulher. É o homem deixar de ter relação com a mulher e ter com outro
homem.

VIII. INTERPRETAÇÕES DE ALGUNS TEXTOS DO LIVRO DE CANTARES DE SALOMÃO

Em Cantares verificamos que Salomão e a sulamita, sua amada, falam sobre a sexualidade
ativa. Este livro não fala da Igreja, não faz nenhuma alegoria da aliança de Deus com Israel
nem da união da alma com Deus. Salomão fala da sexualidade dc um casal.

8.1 — Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho
(Cantares 1.2).

Esta não é uma linguagem figurada. Faz referência às carícias entre um casal. Muitas mulheres
sofrem com rigidez do tônus muscular, bico de papagaio, problemas na coluna ou
envelhecimento precoce, porque não são tocadas, não são beijadas.

6/8
8.2 — Eis que és formoso, Ó amado meu, e também amável; o nosso leito é viçoso (Cantares
1.16).

As palavras “formoso” e “amável” significam gentil e agradável. O homem não deve agir corno
animal, não deve ser ignorante, mas demonstrar cuidado e carinho com a sua amada, falando
palavras de ternura.

8.3 — Eis que és formosa, meu amor (...) os teus olhos são como o das pombas, (...) teus
cabelos são como o rebanho das cabras os teus dentes como o rebanho das ovelhas (..) teus
lábios como ofio de escarlata (...) o teu pescoço como a torre de Davi os teus selos como dois
filhos gêmeos da gazela... (Cantares 4.1-5).

Neste texto, o esposo descreve em detalhes o corpo da esposa, via-a nua. Tanto que, em
Cantares 4.7, ele sabe que nela não há nenhuma mancha.

8.4 — A sua cabeça é Como ouro (‘...) seus olhos são como o das pombas (...) sua face é como
um canteiro de bálsamo (...) seus lábios como o lírio (...) suas mãos como anéis (‘...) seu
ventre como o alvo marfim (....) suas pernas como coluna de mármore (...) sua boca (...) é
totalmente desejável... (Cantares 5.11-16).

Observamos nestes versículos a ênfase do erotismo nas expressões “o seu ventre como alvo
marfim, coberto de safiras,» referindo-se à região genital masculina. Ela o olha por inteiro, tanto
que diz que é totalmente desejável.

8.5 - Quão formosos são os teus pés e(...) o contorno de suas coxas são como jóias (...) teu
umbigo como a taça redonda, a que não falta bebida (...) teu ventre como montão de trigo
cercado de lírios (Cantares 7.1-8).

Salomão era inteligente e gostava de criar novidades para tornar o seu leito viçoso. Ele
entornava vinho no umbigo de sua amada. Ele também observava os seus órgãos genitais e os
compara a um montão de trigo cercado de lírios.

8.6— Os teus dois seios são como filhos gêmeos de gazela (...) o teu pescoço como torre de
marfim os teus olhos como piscinas de Hesbom (...) teu nariz como torre do Líbano (...) sua
cabeça como o monte Carmelo e...) os teus cabelos são como púrpura (...) a tua estatura é
como a palmeira (...) os teus selos são semelhantes aos cachos de uvas (Cantares 7.1-7).

O texto fala sobre “cachos de uvas’ Para que servem as uvas? Não são apenas para serem

7/8
admiradas. Ninguém compra um cacho de uvas só para ficar olhando para elas e depois jogar
no lixo.

8.7—. ..Subirei à palmeira, pegarei em seus ramos; e então os teus selos serão como os cachos
na vide, e o cheiro da tua respiração como o das maçãs (Cantares 7.8).

Há um batimento cardíaco alterado na relação sexual, uma pulsação sanguínea. A expressão


sexual do casamento é um paradigma, um modelo, um padrão da união, do relacionamento de
Deus com o Seu povo. O prazer sexual, o êxtase, a satisfação sexual na intimidade do
casamento são um retrato do prazer e satisfação que Deus quer dar-nos eternamente.

CONCLUSÃO

A sexualidade consegue atingir as quatro áreas fundamentais do ser humano: física ou


biológica, psicológica, sociológica e espiritual. Se o casal tem um bom desempenho sexual,
certamente superará qualquer problema nas outras áreas dc sua vida.

Por: Pr. Silas Malafaia

8/8
Powered by TCPDF (www.tcpdf.org)

Você também pode gostar