Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS - DTCS


CAMPUS III
CURSO DE DIREITO

LIDIANE GOMES DOS REIS


MILENE BARBOSA
QUEILIANE SANTOS LOPES
TAIANE ASSIS SOARES

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DO AMBIENTE REPUBLICANO BRASILEIRO?


O BRASIL É UM PAÍS DEMOCRÁTICO?

JUAZEIRO – BA
MARÇO – 2019
LIDIANE GOMES DOS REIS
MILENE BARBOSA
QUEILIANE LOPES
TAIANE ASSIS SOARES

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DO AMBIENTE REPUBLICANO BRASILEIRO?


O BRASIL É UM PAÍS DEMOCRÁTICO?

Trabalho apresentada à disciplina Sociologia Jurídica, ministrada pela professora


Anna Cristina Barbosa, como avaliação parcial, para obtenção de nota.
JUAZEIRO – B A
MARÇO – 2019
Na segunda metade do século XIX, a economia brasileira estava passando
por sensíveis transformações com os primeiros sinais de crise da cafeicultura, além
disso, a abolição da escravidão, a ascensão da classe média urbana, a expansão
dos partidos republicanos nas províncias, somados aos problemas políticos
enfrentados pelo presidente do Conselho de Ministros, o Visconde de Ouro Preto,
foram fatores decisivos para que os militares republicanos desse um golpe na
Monarquia e proclamassem a República.
O processo de modernização em nosso país ocorrido a partir de 1850, fez
nascer importantes centros urbanos, com toda uma rede de empreendimentos
ligados as atividades de comércio, transporte, finanças e industrias. Também
aumentava o espaço de trabalho para os profissionais liberais: médicos, advogados,
farmacêuticos, professores, jornalistas, entre outros.
Segundo Ordoñez e Quevedo (1999) a proclamação da República permitiu
que os cafeicultores e outros setores não ligados a escravidão assumissem o poder.
Adotaram a forma federativa de governo, o que agravava as oligarquias regionais e
reforçava os partidos republicanos locais. Entretanto, é importante considerar que o
exército era a força que dominava naquele momento de desestruturação do Estado
escravista. Esse domínio possibilitou aos militares estabelecerem alianças com os
setores da sociedade descontentes com o regime monárquico, e assim, eles não só
se tornaram líderes do movimento republicano como também ocuparam a
Presidência nos primeiros anos do novo regime.
Foi durante o período conhecido como República Velha, que a sociedade
brasileira emergiu em um processo de desenvolvimento industrial. As cidades
ganharam importância atraindo os proprietários de terra, imigrantes e trabalhadores
rurais. No entanto, a maior parte da população continuava vivendo no campo, o que
caracterizava o Brasil ainda como um país rural.
Ordoñez e Quevedo (1999) afirma que no período da República Velha, classe
dominante, a camada rica da sociedade nas cidades eram formadas pela burguesia
industrial e banqueiros, já média urbana era formada pelos funcionários públicos,
profissionais liberais, militares, pequenos comerciantes e artesão. Essa última classe
defendia o voto secreto e almejava maior participação política. Os operários eram
constituídos por imigrantes estrangeiros e brasileiros que deixaram as zonas rurais,
eles trabalhavam de dez a onze horas por dia, não tinha direito as férias
remuneradas, nem indenização por acidente no trabalho. Os salários eram muito
baixo e por isso alimentavam-se mal e moravam em habitações precárias.
Dessa forma, os primeiros atos democráticos surgem no Brasil com a
implantação do Regime Republicano, porém, de forma bem limitada, já que quem
dominava o país eram os militares e os grandes proprietários de terra, limitando a
escola governamental a um número bastante reduzido da sociedade. Com a
Revolução de Trinta, novas classes assumiam o poder: a burguesia, na Era Varga.
Getúlio que foi eleito de forma direta, ou seja, escolhido pelo povo, governou
segundo o interesse dessa classe, aprovando leis trabalhistas como:
regulamentação do trabalho feminino e infantil, descanso semanal remunerado,
férias remuneradas e jornada de trabalho de oito horas diária.
Porém, durante o regime militar, o Brasil era um pais marcado pela ausência
de democracia, com eleições indiretas, e extinções dos partidos políticos, restando
apenas dois: ARENA (Aliança Renovadora Nacional) e MDB (Movimento
Democrático Brasileiro). Somente com a Constituição de 1988, que essa esfera
política seria renovada, liberando o voto a todas as classes sociais do país, e aos
jovens entre 16 e 17 anos.
Assim, apesar de toda a camada social ter acesso a escolha dos
governantes em nosso país, através do voto, percebe-se que a falta de instrução
(conhecimento), de uma certa forma negada as camadas mais pobres da nossa
sociedade, impossibilita o exercício pleno da democracia, pois, alguns grupos
políticos aproveitando-se da fraqueza desses, oferecem favores em troca de voto,
infelizmente ainda presenciamos as formações de currais eleitorais e
consecutivamente o voto de cabresto.

REFERÊNCIA

ORDOÑEZ, Marlene; QUEVEDO, Júlio. História. IBEP. São Paulo, 1999.


Período republicano teve início em 1889, com a proclamação da República pelo
Marechal Deodoro. Disponível em: <http://
http://www.brasil.gov.br/noticias/cultura/2009/11/brasil-republica>. Acessado em:
19/03/2019.

Uma breve história das Constituições do Brasil. Disponível em: <http://


http://www.senado.gov.br/noticias/especiais/constituicao25anos/historia-das-
constituicoes.htm>. Acessado em: 19/03/2019.