Você está na página 1de 5

Escola Cooperativa de Teixeira de Freitas

Agatha Sousa Braga

Ana Clara Silva Alves

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE QUÍMICA

Diluição de Soluções

Teixeira de Freitas

2019
1. Introdução:
Neste prática, realizada no dia 28 de março, trata-se de um experimento
sobre a diluição de soluções. As soluções são misturas homogêneos
formadas pelo soluto (aquele que é dissolvido) e o solvente (aquele que
dissolve). Diluição significa adicionar solvente a uma solução já
existente, de modo que se consiga obter uma solução de concentração
menor do que a inicial, ou seja, mais diluída.
A diluição é um processo comum no dia a dia. Por exemplo, ao
adicionarmos água a algum produto de limpeza, como desinfetantes,
para torná-lo menos concentrado.
Para entender o processo de diluição devemos conhecer a solução em
seu momento inicial e após a adição de solvente:

 Concentração inicial: Ci = m1 / Vi
 Concentração final: Cf = m1 / Vf
Onde:
Ci / Cf = concentração inicial / concentração final
m1 = massa de soluto
Vi / Vf = volume inicial / volume final
Considerando que a massa de soluto não é alterada durante a diluição,
temos a seguinte equação: Ci . Vi = Cf . Vf
2. Objetivo

 Preparar uma solução de H2SO4 de 0,2M com 50 ml.

3. Materiais

 Béquer
 Pipeta Graduada
 Pera de succçao
 Erlenmeyer

4. Método

 Pegou-se a pera de sucção e a pipeta graduada para então,


encaixar-las.
 Despejou-se uma pequena quantia ácido sulfurico no béquer.
 Sugou-se 10ml de H2SO4 através da pera de sucção e a pipeta
graduada.
 Completou-se o béquer com 40ml de H2O, afim de termos 50ml
de solução.
 Misturou-se os elementos que estavam dentro do béquer.

5. Discussão
Durante o procedimento, vimos como colocar a pera de succção em
uma pipeta graduada sem quebrar o “pescoço” da mesma, e como
funcionavam as suas válvulas, das quais são indicadas pelas letras A, E
e S. No decorrer, faltou uma pequena quantia de H2SO4 para realizar-
mos o experiento, mas mesmo assim, conseguimos realiza-lo com êxito.
No final, vimos que a mistura de um ácido com H2O não é segura, já
que uma pequena quantidade esquentou bastante o fundo do béquer.
6. Conclusão
Concluimos que não devemos misturar água em um ácido pois esta
mistura, como vemos anteriormente, esquentou o fundo do béquer a
ponto de não ser seguro segurar o frasco por um longo período de
tempo, pois poderia acarretar em uma leve queimadura, porém lançando
em conta que não se deve misturar água em um ácido, nós podemos
misturar um ácido na água, pois a reação de um ácido forte e
concentrado com água ocorre de forma muito energética com liberação
de grandes quantidades de calor e a água tem uma capacidade de
absorver calor, logo, a água dará conta de absorver a energia liberada
na reação.

7. Referências

 https://www.todamateria.com.br/diluicao-de-solucoes/
 http://web.ccead.puc-
rio.br/condigital/mvsl/Sala%20de%20Leitura/conteudos/SL_funcoes_qui
micas.pdf