Você está na página 1de 3

Universidade de Católica de Brasília - UCB

Disciplina: Problemas Filosóficos


Discente: Osvaldo Araújo Pena
Matrícula: UC19122960

Aula 2 - Por que, para que e para quem Filosofia?

DESAFIO TIPOS DE CONTEÚDO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO

Faça seis questionamentos sobre coisas da vida e classifique-os conforme seu


conteúdo filosófico. Observar as diferentes naturezas dos conteúdos filosóficos, relacionando
os questionamentos aos conteúdos. Em primeiro lugar, justifique a escolha dos
questionamentos. Em segundo, responda os questionamentos. Em terceiro, classifique os
questionamentos conforme conteúdo filosófico, ou seja, se é metafísico, epistemológico ou
axiológico. Por fim, justifique as escolhas de classificação do conteúdo.

1. O que é liberdade?
A escolha desse questionamento deu-se por historicamente estar ligado
ao ato de pensar, de filosofar. Liberdade é agir segundo o seu livre arbítrio, de
acordo com a própria vontade, pode ser compreendida sob uma perspectiva
que denota a ausência de submissão e de servidão. Ou sob outra perspectiva
que é a autonomia e a espontaneidade de um sujeito racional. Esse
questionamento possui natureza na realidade, ou seja metafisico, situando-se
na essência dos seres e as razões de estarmos no mundo.

2. O que é sobrenatural?
A escolha desse questionamento deu-se por abarcar inquietações
primeiras do pensar filosófico. Sobrenatural é aquilo que está além do que é
natural, no sentido de uma realidade de valores e conceitos. Sobrenatural seria
uma realidade substancial, isto é, de entes que seriam feitos de algo, mesmo
que esse algo não fosse campo e matéria físico. Esse questionamento possui
natureza na realidade, ou seja metafisico, situando-se na essência dos seres e
as razões de estarmos no mundo.
3. O que é o conhecimento científico?
O pensamento técnico-cientifico possuir capacidade de legitimar
discursos, diante disso se escolheu esse questionamento. O conhecimento
científico é o estudo crítico dos princípios, das hipóteses e dos resultados das
diversas ciências, com a finalidade de determinar seus fundamentos lógicos,
seu valor e sua importância objetiva. Possui natureza fundamental na
epistemologia, das relações cognitivas entre pessoas e outras partes da
realidade as relações de pensar sobre, conhecer, e assim por diante.

4. O conhecimento científico é verdadeiro?


Escolheu-se esse questionamento pelo motivo de por vezes o
pensamento cientifico é tomado como o único conhecimento válido e
inquestionável na sociedade moderna. O conhecimento cientifico é verdadeiro
e real porque lida com ocorrências ou fatos. Mas não é definitivo pois está em
permanente processo de construção, a ciência evolui ao longo do tempo,
adquirindo novos conceitos. Possui natureza fundamental na epistemologia,
das relações cognitivas entre pessoas e outras partes da realidade as relações
de pensar sobre e conhecer.

5. O embrião humano deve ser considerado pessoa?


Determinar quando tem início a vida é um dos grandes dilemas da
atualidade por isso se escolheu esse questionamento. Para religiosos, é no
momento da concepção. Mas os cientistas se dividem entre a 3ª à 24ª semana
de gravidez. Ao redor desse questionamento, gravitam grandes dilemas éticos,
como a questão do aborto e a pesquisa com células-tronco. Se embriões são
seres humanos, é aceitável sacrificar embriões para descobrir a cura de
algumas doenças? A interrupção da gravidez deve ser um crime ou um direito?
Diante dessas perguntas, a maior parte das pessoas corre para campos opostos,
fé ou ciência. Penso que o essencial não seja delimitar a partir de quando a
vida começa, mas determinar se todos os estágios da existência humana
devem ser igualmente valorados. Ao nascer, a criança não fala, não anda e
carece de diversas características que só vai adquirir mais tarde. Mas nem por
isso negamos a ela a mesma dignidade de um adulto. Portanto, não tem como
não reconhecer que a vida intrauterina tem o mesmo valor, embora faltem ao
feto vários traços que ele irá adquirir depois. Essa questão possui natureza
axiológica, valores que pertencem às relações éticas entre as pessoas.

6. Os animais têm direitos?


Para muitas pessoas não existem bases racionais que justifiquem o
princípio dos direitos dos animais, mesmo os que aceitam que qualquer animal
tem um valor intrínseco. Diante do exposto, escolheu-se esse questionamento.
O conceito de direitos dos animais possui vários desdobramentos, alguns
defendem ser justificável reservar o direito de matar animais para alimento,
outros para fins de consumo e até mesmo para fins desportivos. Outros evitam
matar o menor dos animais, mesmo que de forma acidental, alguns até evitam
a ingesta de alimentos de origem animal. Importa ressaltar que o conceito de
direitos é uma construção humana, não empregada por nenhum outro ser vivo.
Porque então se falar em direitos dos animais? Os direitos dos animais, são
direitos humanos, e existem para definir limites aos seres humanos. Podemos
chamar direitos dos animais aos direitos que estabelecem os limites das
relações dos seres humanos com os animais. Possui natureza fundamental na
axiologia, em valores, sobretudo valores que pertencem às relações éticas
entre as pessoas e animais não humanos.

PADRÃO DE RESPOSTA ESPERADO


Pergunta: Os homens nascem bons ou maus?
Justificativa: Pensar sobre as condições que tornam os homens bons ou
maus.
Resposta: Não. O contexto social em que estão inseridos é que tem a
capacidade de transformá-los em bons ou maus.
Classificação: Metafísica.