Você está na página 1de 10

eh esperado que depois que a morte leva um parente, amigo ou qualquer outro ente querido, se fazca a este uma

cerimonia
[religiosa ou nao] a fim de que haja uma despedida entre os que permanecem vivos y o falecido ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ apos as
despedidas o caixao / urna eh entregue a terra/enterrado ou cremado segundo as crenzas do morto y/ou seus irmaos. essa
cerimonia eh chamada funeral y cada grupo etnico ou nacion a realiza seguindo seus constumes tradicionais y/ou valores
herdados de seus antecessores ‐‐‐‐‐‐ o que nao impedi mundazas de acordo com o tempo y lugar geografico‐social no qual
o morto y seus fraternos viveram ============
a construcion da estrada de ferro vitoria do espirito santo‐minas gerais provocou a morte de cetenas de kren[boruns,bruns,
krenacs,aymores] atropelados pelo trem de ferro ou eletrocutados por cabos eletricos dispostos ao longo da estrada que
os boruns ate entao desconheciam‐‐‐‐‐‐‐ “trem de doido” eh como chamavam em barbacena/MG= o trem de carga que
transportava os pacientes psiquiatricos vi mas da colonia de barbacena _ assim chamado o maniconio fundado no ano de
1903 , periodo que tambem se construia a estrada de ferro que cortaria as terras indigenas do vale do rio doce/MG,
acelerando o processo de genocidio dos krenacs ‐‐‐ rama etnica dos antes iden ficados aymores===== quiza nazareth de
jesus, mulher kren, mãe de minha mãe,seguiria a colonia num desses trens nos fins do ano de 1944 quando a segunda
grande guerra se findava y a alemanha nazista junto com seus ideais perdia terreno em EUROPA y AMERICA.‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
tratamentos similares aos hitlerianos con nuaram exis ndo, para homens y mulheres indigenas, negros y outros grupos
silenciados ao longo da historia do BRASIL, intencificados durante a ditadura militar brasileira‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
antes do incen vo estatal do conhecido presidente da REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, juceliono kubitschek [JK] a
industria automobilis ca no pais em meados dos anos de 1950 com incen vos fiscal para a implantacion da fabrica aleman
de automoveis Volkswagen; o territorio nacional era cortado por uma boa malha ferroviaria que fazia muitas estradas de
ferro chegarem a barbacena com seus trem lotados de carga humana em codicion similar ao gado bovino‐‐‐__com
capacidade inicial para 200 pacientes em sua inalguracion, o hospital psiquiatrico de barbacena chegou a superar cinco mil
o numero de internos nos anos que precediam o golpe ditatorial militar [golpe esse que teve inicio com uma marcha de
soldados mineiros a poucos quilomentros de ahi, na cidade de juiz de fora seguindo rumo a cidade do rio de janeiro] ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

nesses anos que se estendem o seculo XX em nossa REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, pessoas cujo comportamento
desagrada a sociedade tradicional sao taxadas::: insanas y enviadas a colonia [hospital psiquiatrico de barbacena] ___
acredita‐se que mais da metade dos internos nao possuiam nenhum diagnos co de transtorno mental – mulheres nao
submissas, pros tutas, gays, lesbicas, mendigos, insubordinados poli cos, desobedientes civis, nao portadores de
iden dade civil y inumeros outros marginalizados pelo estado‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ um ebo para EXU eh suficiente para nazareth de
jesus, mulher kren, mãe de minha mãe; ser enviada ao hospital psiquiatrico , numa sociedade catolica cujo os primeiros
anos se moudou sobre a sombra da inquisição [caracterizada pela perseguicao _y queima em fugueiras_ a judeus , siganos y
demais desajustados socialmente] __documenta‐se que nazareth de jesus, mãe de minha mãe, permaneceu na colonia ate
fins do ano de 1963‐‐‐ decada em que o numero de mortos cresceu absurdamente alimentando o comercio de corpos que
foram vendidos as faculdades de medicina da REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐

queima de corpo judio em campo de concentracion nazista _ fotografo y fotografado nao indentificado
P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014
nazareth de jesus, mãe de minha mãe__ ana da silva__, caminhava ao suaçuí ,com a filha nos brazos , antes deste se
desaguar no watu [rio largo‐‐‐rio grande‐‐‐ rio doce]‐‐‐‐‐ sua oferenda a EXU eh o que a teria levado a um diagnós co de
loucura pelos homens de seu tempo y os que se fizeram senhores/doutores/coroneis das terras boruns ‐‐‐‐‐‐‐‐‐ dizem que
ofertou uma ou meia saca de café ao capiroto , que teria voltado [bonito como homem branco] para cobrar a divida que a
mulher bugre fizera em troca do amor y fidelidade de outro bugre, pedro da silva_____________ dona helena , _mulher
católica esposada por júlio cipriano‐‐‐proprietario de terras na região, == da família a qual tomou minha mãe para cria_ ,
contava aos empregados que o diabo leva o corpo dos que com ele fazem trato ficando os parentes sem o ente para o
enterro ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ obrigando‐os a meter um tronco de bananeira no caixao a fim de subs tuir o corpo perdido. :::::::::
registra‐se que depois de ahi nazareth permaneceu no hospital psiquiátrico de barbacena por duas décadas até o ano de
1963 pouco andes de os militares instaurarem a ditadura brasileira com forte apoio de tropas de minas gerais que par ram
da cidade de juiz de fora seguindo rumo a cidade do rio de janeiro ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ com a ditadura os
movimentos sindicais y demais movimentos populares assim com os movimentos an ‐manicomiais foram abafados y
silenciados, hospitais psiquiátricos seguem como prisões onde os pacientes por não apresentarem comportamentos
esperados para uma sociedade pacata são tratados como criminosos sofrendo inúmeros procedimentos de tortura entre
os quais a lobotomia, re rada de parte importante do cérebro, vegetalizando o paciente. ‐‐‐.... minha mãe pensa ir junto a
mim ao estado da bahia rezar pelos corpos sequestrados y expostos no an go museu do crime [museu estacio de lima]‐‐‐‐‐
nazareth de jesus junto com outros parentes deixa os krén em um tempo em que foram brutalmente perseguidos primeiro
pelas forzas do império posteriormente pela republica ======= considerados ex ntos suas terras foram loteadas y oferecidas aos
colonos dispostos a “desbrava‐las” ‐‐‐‐‐ nesses tempos muitos deixaram seus costumes indo viver nas fazendas y vilarejos
prestando serviços aos que se fizeram senhores das terras::::: deixam de ser krenák, borun aimorés, grén, krén [índios,
indígenas] y para serem chamados pejora vamente bugres no lugar do pejora vo botocudos = já não levam os adornos labiais y
oraculares que antes os caracteriram ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ quando os an gos viviam os
portugueses chegaram ao sul da bahia y encontram os kren que ahi habitavam_ houve um choque entre eles y sem dominar a
arma de fogo os parentes lutaram bravamente até se re rarem para o que hoje conhecemos como estado do espirito santo para
povoarem o vale do rio doce desde sua foz ao interior do estado de minas gerais‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ os corpos dos a ngidos por
balas de revolver e carabina ficaram pelo caminho voltando a ser terra== a construção da estrada de ferro vitória do espirito
santo a minas gerais a par r do final do século XIX intensifica a perseguição aos kren y seu processo de aculturação y genocídio
=============== nazareth de jesus perde os costumes ‐‐ minha mãe perde a mãe y não aprende a língua dos an gos ‐‐‐‐ minha
mãe ainda chora sua mae === desde a instauração da ditadura militar no brasil não há no cias de nazareth de jesus ___ a par r do
ano de 1960 a disponibilização de corpos pelo hospital psiquiátrico de barbacena transforma o mesmo numa indústria
hegemônica de venda de cadáveres no estado brasileiro negocio este tendo como clientes as faculdades de medicina de
universidades federais. Estando no ARQUIVO PUBLICO DE SALVADOR / em contacto com o acervo do an go museu do crime
nos porões do IML/BA [MUSEU ETNOGRÁFICO ESTÁCIO LIMA] posso tocar os corpos iden ficados genericamente como mulher
indígena y homem caboclo além de inúmeros crânios y outras ossadas sem maiores iden ficações____________________ no
anonimato [indigência] nos aproximamos y nos fazemos parentes ‐‐‐ ‐‐‐‐‐‐os eguns [espíritos ancestrais] nos reclamam o DIREITO
A O F U N E R A L para os corpos criminalizados ‐‐‐ que seus espíritos possam seguir ao orum [morada do
criador]...............................................................................................................................
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐ me deixo desconectado por dias [muitos dias] __perdo‐me [perco‐me] no sertão que se faz minas, me re ro da internet [me faço
um desaparecido virtual] ======== em meu olhar vivo em um pedazo de sertão que comeza na comunidade do Palmital / Santa Luzia /
grande belo horizonte /MG _ BRASIL‐‐‐‐ grande belo horizonte‐‐‐um SERTAO uma AFRICA ‐‐‐ aqui nesta zona eh onde encontraram
Luzia, o fóssil mais an go das américas até a data de hoje deste ano de 2014,__ uma negroide xara de Santa Luzia que dá nome a cidade
onde vivo‐‐‐‐‐ penso que Luzia teria andado por onde moro ‐‐‐‐‐‐‐ o belo horizonte, Capital esta que nasceria como Cidade de Minas, se
fundou numa zona geográfica de transicion entre mata atlân ca ao sul y cerrado [como savana] ao norte onde permanezo quando estou
–‐‐ paisagens diferentes y bem próximas uma da outra ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐carrego um pedazo de sertão dentro de
mim‐‐‐‐‐‐ durante muitos anos nós que aqui moramos carregamos lata d'agua na cabeza ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ agua nos era um dos maiores
problemas, mesmo vivendo numa grande belo horizonte, ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ hoje já não sofremos
tanto por falta d'agua ..... __a internet ainda eh algo que não chega a comunidade tão facilmente, um problema entre as empresas de
telecomunicacion y o lugar social .................................... =====.............. pelo nome [nazareth de jesus] que carrego, penso em
Direito ao Funeral ‐‐‐‐ =================== ::::: um funeral a corpos indigen ficados que se tornam objetos de museu ‐‐‐
____ busco ajuda de conhecidos y desconhecidos‐‐‐ alguém a dirigir um carro funerário ao sertão do estado da Bahia ... ‐‐‐
alguém não suspeito _____ um carro com um motorista de caminhão ‐‐ um motorista viageiro ======= seguir ao sertão‐‐‐
seguir canudos de antônio conselheiro ‐‐‐‐‐ preciso seguir com o funeral....‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ [sobre corpos embalsamados y
ossadas de desconhecidos deixo cair a cal de OXALAH em prédio tombado pelo Ins tuto do Patrimônio Histórico e
Ar s co Nacional. Um an go mosteiro da companhia de jesus em salvador da bahia /BR] ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
penso em um processo legal junto ao ministério público pelo direito ao funeral ‐‐‐‐ penso no lugar social das ossadas
encontradas no porão do Ins tuto de Medicina Legal da Cidade de Salvador Bahia / BR __ ‐‐este eh meu trabalho, uma
recomendacion de caboclos y eguns :::: os corpos merecem lapides para o descanso das almas ‐‐‐‐ seus nomes não podem
permanecer desaparecidos ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
saber sobre os eguns [espíritos ancestrais] y eu‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ saber sobre os eguns
[espíritos ancestrais] de BAHIA y sobre os enguns [espíritos ancestrais] próximos de casa‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐encontrar eguns [espíritos ancestrais] de BAHIA y com eguns [espíritos ancestrais]
conversar sobre parentes y contra‐parentes‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ saber das mascaras
de eguns [espíritos ancestrais] y sobre as mascaras que preparo em casa‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ apontar os encontros que tenho com eguns [espíritos ancestrais] –
gravar imagens y sons das conversas que tenho com eguns [espíritos ancestrais]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
encontrar com eguns [espíritos ancestrais] y saber destes sobre a morte que me anunciam saber sobre as cores que
carregam os eguns [espíritos ancestrais]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ saber se um dia posso me tornar um egum [espírito
ancestral]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ saber o dia em que posso me tornar um egum [espírito ancestral]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

urna de madeira com ossadas y corpos nao indentificados pertencentes ao acervo museu do crime da cidade de salva
dor / BAHIA [museu do Instituto de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]--PNAC/LTDA

P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014


levar os corpos indígenas a enterrar no sertão‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
cabezas y armas de cangaceiros _ fotografo y fotografado nao identificado
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
caminhonete branca para levar corpos indígenas ao sertão de canudos [experiência pra ca de sociedade comunista
entre a virada brasil império / brasil republica]

P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014


na querência de andar pelas vias tortas do onde caminho‐‐‐ levo um andar canhoto, um caminhar não‐direito:: ao redor
d'casa [no BRASIL] ou qualquer outro canto deste mundo agrandado ==== ando como anda o que representa meus pares y
parentes‐‐‐‐‐‐‐‐ CONFESSO minha paridade revoltante ao cangaço _ também sou SERTAO, nascido na boca da terra
semiárida::: o norte/leste do E S TA D O D E M I N A S G E R A I S a pouco se faz B A H I A ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
=================================================================================================

João Maria José Francisco Xavier de Paula Luís António Domingos Rafael de Bragança [dom joão VI], rei de portugal, ao se
ver pressionado por forças napoleônicas de um lado y anglicanas de outro, que o cobram uma posição nessa grande guerra
europeia tendo frança y Inglaterra como cabezas em lados opostos ; decide se re rar para as américas em fins do ano de
1807, transferindo a corte [q a princípio seria à cidade de salvador / BAHIA com fins de agradar os moradores desta que a
pouco perdera o tulo de capital da colônia] à cidade do rio de janeiro, elevando a colônia a categoria de reino do BRASIL y
esta cidade, à capital do mesmo reino‐‐‐‐‐‐‐ com o termino dos conflitos na europa, o monarca português não suportaria
mais a vida nos trópicos regressando‐se à península ibérica provocando o descontentamento dos brasileiros y com este a
independência daqueles que já não queriam voltar as condições anteriores de colônia.‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ consta‐se em
documentos portugueses que dom joão antes de fugir para o BRASIL teria sugerido ao george III do reino unido britânico,
uma declaração de guerra fic cia à Inglaterra—em comum acordo os ingleses ajudaram a família real a fugir para o brasil,
transferindo‐se a corte para ahi,__ preserva‐se a legi midade do governo português nas américas __recebendo [os
britânicos] vantajosamente em troca:: o con nuo y lucra vo comercio com o império transcon nental português em
américa [y africa?]. ================dom joão chegaria ao BRASIL no princípio do ano de 1808, primeiro a cidade de
salvador / BAHIA _ de ahi seguindo à cidade do rio de janeiro / RJ acompanhado por uma esquadra inglesa que havia
entrado no porto de Lisboa com a ordem de escoltar a família real às américas ou atacar e conquistar a cidade cede do reino
de portugal caso seu governo optasse por se juntar aos franceses que haviam invadido o pais juntamente com os
espanhóis.‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ os portos de aqui agora são abertos as chamadas nações amigas a fim de suprir as
necessidades da nobreza recém chegada‐‐‐__ a Inglaterra dependente do comercio marí mo se converte em madrinha do
reino do brasil a se beneficiar diretamente dos portos que lhe são abertos com todos os privilégios de senhor feudal _ o
comercio na capital do BRASIL antes escasso de produtos manufaturados agora se abastece com a moda anglicana__
acontece os primeiros passos para a independência do que seria o império do brasil com a volta de João Maria José
Francisco Xavier de Paula Luís António Domingos Rafael de Bragança a portugal y a permanência de seu filho dom pedro I
em solo brasileiro no ano de 1821‐‐__pedro I se desligaria oficialmente de portugal um ano depois, seguindo as diretrizes
do pai, mantendo os acordos comerciais com os ingleses‐===================================================

o resultado da revolução industrial inglesa se derrama sobre o território brasílico por meio dos trilhos de trens que _com o
passar dos anos cortando terras indígenas de aqui_ se estendem da costa ao interior do pais consolidando o império que
quando colônia se dividia em capitanias hereditárias [grandes extensões de terras cujos governadores antecedem os
coronéis do nordeste , herdeiros conceituais do feudalismo medieval europeu, licenciados pela polí ca de estado]. ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ dom pedro I não podendo mais suportar a vida nos trópicos desiste do poder
imperial regressando a seu pais de origem y aqui deixando seu filho pedro II, menor de idade que após 7 anos, recebera
precocemente a maioridade a fim de assumir o trono do impero do BRASIL.‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ pedro II
_nascido no brasil_ aos 12 anos de idade assumi o trono deste império tropical proveniente do colonialismo português‐‐‐‐‐‐
‐‐‐ segui como chefe de estado até perto de sua morte, quando em 1889 militares brasileiros proclamam a REPUBLICA
FEDERATIVA DO BRASIL_ o que nada melhora nas condições de vida de indígenas, negros y seus descendentes_ que após
a abolição da escravidão um ano antes, são deixados a sua sorte num processo de embranqueci mento oficial, em que o
estado incen va a imigração europeia y persegui os negros y filhos de mistura que pra cam seus ritos y costumes
afrodescendentes. ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ ANTONIO CONCELHEIRO fundador y líder espiritual de canudos [cidade nordes na de
valores fundados sobre pilares comunitários] após a destruição de sua cidade terá sua cabeza cortada y exposta ao público
do museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima] a
qual se juntara mais tarde as cabezas de VIRGULINO FERREIRA DA SILVA [o Lampião], MARIA BONITA y outros membros
do cangaço__ movimento revolucionário nordes no cons tuído por homens y mulheres que vagavam armados pelo
sertão em busca de jus ça y vingança contra os coronéis y a quem consideravam cumplices de suas injus ças sociais __.‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

cabezas de cangaceiros exibidas longo q cortadas y 3 decadas depois a serem enterradas _ lampiao y seus companheiros
fotografo nao identificado
P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014
derramar sobre a “antropologia do negro” y “antropologia do cangaço” 3700 kg de sal grosso originário do golfo do
BENIN [DAOMEh] ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
derramar sobre os restos mortais no conhecido museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de
Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima] 3700 kg de flor de sal‐‐‐‐‐‐‐ derramar sobres os estudos criminalistas de
nina Rodrigues Y Estácio Lima 3700 kg de sal grosso originário de golfo do BENIN [DAOMEh]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

estacio de lima, medico legista seguidor das teorias de cesare lombroso, em africa junto a uma casa de EXU _
fotografo nao identificado

P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014


Lavar as ossadas do acervo do museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal –
IML / museu Estácio de Lima] com sal grasso y agua de rosas ‐‐‐‐‐‐‐‐‐enterrar as ossadas em solo sagrado‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ rezar aos mortos não iden ficados‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

crânios nao indentificados pertencentes ao acervo museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Institu
to de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]--PNAC/LTDA

P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014


pedir a EXU que mostre o caminho aos espíritos desgarrados que rondam o museu do crime da cidade de salvador /
BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]
pedir a EXU que mostre o caminho aos espíritos desgarrados que rondam a sessão de antropologia do negro y
antropologia do cangaço do museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal –
IML / museu Estácio de Lima]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
pedir a EXU que mostre o caminho a espíritos desgarrados nas terras de BAHIA‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
pedir a EXU que mostre o caminho a espíritos escravizados em terras de BAHIA‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
pedir a EXU que mostre o caminho a eguns [espíritos ancestrais] escravizados em terras de BAHIA‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
que nenhum terreiro escravize egum [espírito ancestral] algum ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

crânios nao indentificados pertencentes ao acervo museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Institu
to de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]--PNAC/LTDA
P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014
MAPEAR O CAMINHO DOS MORTOS:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :
desenhar os corpos dos mortos a serem enterrados‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos
mortos não iden ficados‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos mortos que
permanecem no museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal – IML / museu
Estácio de Lima]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos mortos não iden ficados que permanecem no museu do
crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos mortos
desaparecidos‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos mortos não iden ficados‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos negros, indígenas y demais grupos sertanejos mortos
pelas mãos do estado‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar
os corpos do cangaço mortos y não iden ficados‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos do cangaço
mortos pelo estado‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos negros, indígenas y demais
grupos discriminados mortos por negligencia do estado‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ desenhar os corpos dos mortos a serem enterrados‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ enterrar os
mortos‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐

crânio nao indentificado pertencente ao acervo museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Institu
to de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]--PNAC/LTDA
P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014
a par r da segunda metade do século XIX inicia‐se em europa um costume de exibir a grandes públicos seres humanos
originários das colônias em áfrica, ásia y américa ‐‐‐ os chamados zoológicos humanos era um negócio rentável que se
mul plicava por diversas capitais europeias ‐‐‐ povos indígenas de todo o mundo cons tuíam um grande atra vo para a
civilização europeia pós revolução industrial:: ‐‐‐‐‐‐‐ uma evolução dos shows de variedade, gabinetes de curiosidade y circo
dos horrores.__ para incrementar o exo smo do acontecimento leva‐se junto com os indígenas:: seus pertences pessoais y
outras indumentárias que os caracterizavam como primi vos socialmente diante do olhar civilizado dos europeus ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ no entanto esse negócio em europa, não suportaria seguir adentrando o século XX que nos
apresentaria numerosas questões sobre a dignidade humana‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ o século XX
apresentaria ao velho con nente questões humanas até então não pensadas por grande parte de sua gente, não fosse as
duas grandes guerras y campanhas como o nazismo de hitler y o fascismo de mussolini, teria sua civilização alcançado uma
distância enorme de seu passado medieval ‐‐‐‐‐ o italiano cesare lombroso já havia sido deixado para traz em sua terra
quando nina rodrigues, medico legista na cidade de salvador / BAHIA _REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ‐‐‐‐‐,
ressuscitou suas teorias raciais:: na qual certos indivíduos nascem biologicamente propensos ao crime y a desordem
social=== tais pessoas pertenceriam a grupos étnicos negroides, indígenas y descendentes de misturas étnicas. ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐
‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ até os fins do século XX restos mortais de indígenas, afrodescendentes y conhecidos cangaceiros são
expostos ao público no museu do crime da cidade de salvador / BAHIA [museu do Ins tuto de Medicina Legal – IML /
museu Estácio de Lima]‐‐‐‐‐‐ estando ahi no subsolo, neste ano de 2014, sinto a presença de eguns [espíritos ancestrais]

grato a toda equipe do museu de arte moderna da bahia[ MAM-BAHIA] y a equipe da 3 bienal de arte da bahia
que se perdem entre as ossadas não iden ficadas que foram exibidas pelo poder público, junto a utensílios confiscados dos
terreiros de candomblé desta salvador, cidade com o maior número de negros no território brasileiro ‐‐‐ deito‐me junto a
dois corpos iden ficados genericamente como mulher indígena carajá y homem caboclo. ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ me aproximo de
ambos na iden ficação genérica: filho de mistura=bugre‐caboclo. sigo NEGRO_ .
. eguns [espíritos ancestrais] reclamam::: há que desarmar o circo de horrores ‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐‐ eu junto a restos mortais
de desconhecidos indigenciados deixo‐me exposto a reclamar o direito ao funeral ________________________________

eu,paulo sergio da silva [NAZARETH], junto a crânios nao indentificados pertencentes ao acervo museu do crime da
cidade de salvador / BAHIA [museu do Instituto de Medicina Legal – IML / museu Estácio de Lima]--PNAC/LTDA

P. NAZARETH EDIC. / LTDA --santa luzia / mg / BRASIL _ nov. 2014