Você está na página 1de 2

Definição do escopo do projeto

Definir o escopo talvez seja a parte mais importante do processo de definição e de


planejamento antecipado. Na realidade, se você não souber com certeza o que
você entregará e quais são os limites do projeto, você não terá qualquer
possibilidade de sucesso. Se você não tiver realizado um bom trabalho para definir
o escopo, o gerenciamento do mesmo será quase impossível.

A finalidade de definir o escopo é para descrever claramente e obter um acordo


sobre os limites lógicos de seu projeto. As declarações do escopo são utilizadas
para definir o que está dentro dos limites do projeto e o que está fora dos limites .
Quanto mais aspectos do escopo você puder identificar e definir, melhor será o seu
projeto. Os seguintes tipos de informação podem lhe ajudar na definição do escopo.

 Os deliverables que estão dentro do escopo e aqueles que estão fora do


escopo. Você deve definitivamente incluir os deliverables dentro de suas
declarações do escopo. Mas, somente descrever os deliverables finais e
outros deliverables do projeto que são focados no cliente. Por exemplo,
Relatórios das “Exigências do Negócio” e “Avaliação da situação atual”
podem ser listados como deliverables do projeto, porque ambos são focados
e aprovados pelo cliente. Você não necessita mencionar os documentos
internos. Por exemplo, O Plano do Trabalho (Workplan) do Projeto, Design
Técnico ou Casos de testes.

 Os principais processos do ciclo de vida do projeto que estão dentro e os que


estão fora do escopo. Por exemplo, seu projeto pode incluir somente a fase
de análise e não as fases de design, construção, testes.

 Os tipos de dados que estão dentro e os que estão fora do escopo. Por
exemplo, dados financeiros, vendas e empregados. É possível que seu
projeto inclua alguns tipos de dados e outros não.

 As fontes dos dados (ou bases de dados) que estão dentro e as que estão
fora do escopo. Este é similar aos tipos de dados, exceto que este referencia
os dados agregados. Por exemplo, Database dos clientes, Faturamentos,
Livro-Razão, etc. (Estas fontes de dados podem ter mais de um tipo de
dados)

 As organizações que estão dentro e as que estão fora do escopo. Por


exemplo, seu projeto pode focar somente nos departamentos de Recursos
Humanos e Financeiro e os outros poderão estar fora do escopo.

 A funcionalidade principal das aplicações dos sistemas que estão dentro e


que estão fora do escopo. Por exemplo, os relatórios gerenciais podem estar
dentro do escopo, mas o processamento de dados em lotes noturno está
fora do escopo.

Use objetivos elevados como um ponto de partida

Quando o projeto foi apresentado para fins de financiamento, deveria haver um


grupo dos objetivos e dos deliverables definido em um nível elevado. Também,
poderia haver algum tipo de declaração do escopo em um nível elevado. Todas as
informações criadas anteriormente devem ser usadas como um ponto de partida
para definir as declarações mais detalhadas do escopo. Se você achar que não
possui informações suficientes para criar um escopo abrangente e claro, você deve

1
trabalhar com o patrocinador para coletar informações adicionais. Esta é uma das
finalidades do processo de definição e planejamento.

Utilize os objetivos para ajudar a moldar as declarações do escopo. Deve haver um


ou mais deliverables criados para realizar cada objetivo. A definição dos
deliverables do projeto é um dos aspectos principais do escopo do projeto. Depois
que você determinar quais serão os deliverables principais que o projeto produzirá,
comece a fazer outras perguntas para determinar outros aspectos do escopo. Os
deliverables descrevem “o quê” o projeto entregará. Você também pode identificar
“quais” organizações sofrerão o impacto, “que” tipos de dados serão necessários,
“que” características e funções serão necessárias, etc.

Para uma maior clareza e contraste, você também poderá identificar condições que
estão fora do escopo, descrevendo quais os deliverables que não serão criados,
quais organizações não serão impactadas, que características e funções não estão
incluídas, etc. Naturalmente, há um número infinito de declarações fora do escopo.
Para as finalidades de definição do escopo, você quer incluir somente aquelas
declarações que lhe ajudem a definir os limites do projeto, e tocar naquelas áreas
as quais o leitor possa ter perguntas. Por exemplo, se você tiver que instalar um
software financeiro, você poderá declarar que um pacote de “Contas a Pagar” está
dentro do escopo, mas que o Sistema de “Compras” relacionado ao mesmo está
fora. Isto fará sentido desde que os processos de “compras” e “contas a pagar”
sejam relacionados entre si e poderá haver questões sobre o sistema de compras
se está dentro ou fora do escopo. Mas você não deve listar todos os outros
sistemas que estão fora do escopo – somente aqueles que os leitores poderão
questionar.

Uma boa prática é documentar as organizações que estão dentro do escopo e


aquelas relacionadas que estão fora do escopo. Os leitores poderão, então,
determinar com maior facilidade se serão impactados, ou se ajudarão no projeto.
Também, pode fazer sentido identificar quais as organizações que estão dentro do
escopo, de modo que você possa ter pessoas daquelas organizações representadas
na equipe do projeto - talvez em um comitê de direção.

Alinhando objetivos e escopo

Quando você terminar de documentar os seus objetivos e as declarações do


escopo, retorne e certifique-se de que eles estão todos alinhados. Você não deve
ter nenhum objetivo referente aos deliverables que não esteja definido no escopo.
Da mesma maneira, você não deve incluir deliverables em seu projeto, que não o
ajudem a alcançar seus objetivos. Se as duas áreas não estiverem totalmente de
acordo, tanto o escopo como os objetivos (ou ambos) devem ser modificados para
que tudo se alinhe.

Fonte
TENSTEP BRASIL. Definição do escopo do projeto. Disponível em:
<http://www.tenstep.com.br/files/template/987TenStep_Vol2_Edicao29.htm>.
Acesso em: 20 dez. 2006.