Você está na página 1de 46

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

PROJETO E DIMENSIONAMENTO

INSTALAÇÕES PREDIAIS
DE ÁGUA QUENTE

DISCIPLINA DE SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS


Professores: Marcelo Benetti e Roberto Silvestrin
1o Semestre de 2004
SUMÁRIO:
1. Introdução
2. Consumo de Água Quente
3. Vazões e Pesos dos Aparelhos, e Diâmetros Mínimos dos sub-ramais
4. Estimativa das Vazões nos Ramais, Colunas e Barrilete de Água Quente
5. Velocidade e Vazões Máximas nas Tubulações
6. Pressão Máxima e Mínima nas Tubulações e Aparelhos
7. Perdas de Carga nas Tubulações e Peças
8. Sistemas de Aquecimento
9. Aquecedores
10. Características do Aquecedor de Passagem
11. Tubulações para Água Quente
12. Exemplo de dimensionamento
1. Introdução

O projeto deve atender a NBR 7198/1993.

Temperatura de Utilização:

Banhos e higiene pessoal ............ 35 a 50o C


Lavanderia ................................... 75 a 80o C
Cozinha (lavagem de louças)........ 55 a 75o C
2. Consumo de Água Quente
Tabela 1 – Estimativa do Consumo – Dados de Norma’
Prédio Consumo Litros/dia
Alojamento provisório 24 por pessoa
Casa popular ou rural 36 por pessoa
Residência 45 por pessoa
Apartamento 60 por pessoa
Quartel 45 por pessoa
Escola internato 45 por pessoa
Hotel (s/cozinha s/lavanderia) 36 por hóspede
Hospital 125 por leito
Restaurante e similar 12 por refeição
Lavanderia 15 por kg de roupa seca
3. Vazões e Pesos dos Aparelhos e Diâmetros
Mínimos dos sub-ramais
Tabelas: 3, 4 e 6 da Norma

Peças Vazão Peso Di


(L/s) (mm)
Banheira 0,30 1,0 15

Bidê 0,06 0,1 15


Chuveiro 0,12 0,5 15
Lavatório 0,12 0,5 15
Pia de cozinha 0,25 0,7 15
Tanque 0,25 0,7 15
Máquina de Lavar 0,30 1,0 20
Roupa
4. Estimativa das Vazões nos Ramais,
Colunas e Barrilete de Água Quente

Uso simultâneo  somatório das vazões


dos aparelhos atendidos pelo trecho de
tubulação

Uso não simultâneo  Vazão máxima


provável  Q = c * (Soma P) 1/2
5. Velocidade e Vazões Máximas nas
Tubulações

Velocidade máxima de atender a duas


condições:

V máx = 14 * Di ½

V máx = 2,50 m/s


6. Pressão Máxima e Mínima nas Tubulações e
Aparelhos

Pressão Máxima  Pressão Estática  40 mca

Pressão Mínima de Serviço  Pressão Dinâmica


 depende do aparelho.
Torneiras = 0,5 mca
Chuveiro = 1,0 mca
Tubulação em geral = 0,5 mca
Aquecedor passagem = 5 a 15 mca (Ver catálogo do fabricante)
Misturadores automáticos = Ver catálogo do fabricante
7. Perdas de Carga nas Tubulações e Peças

Perda de Carga Unitária  J (m/mca)


Para Cobre J = ( Q / ( 55,934 * Di 2,714 )) 1,751

Perda de Carga no Trecho  Hp = J * L (mca)

Comprimento total para cálculo L = l1 + l2 (m)

Comprimento real de tubulação l1 (m)

Comprimento equivalente das peças l2 (m)


Ver Tabela 6 da Norma – Perdas Localizadas
8. Sistemas de Aquecimento

Individual  Aquecedores de
 Atende a um aparelho Passagem
 Chuveiros Elétricos

Central Privado
 Aquecedores de
 Atende a uma Economia Passagem
Central Coletivo  Aquecedores de

 Atende a um Prédio Acumulação


Aquecimento Central Privado
Respiro Caixa D’água
Rede de água fria exclusiva
para o thermerô em tubo
Respiro
resistente a 100ºC

Coluna de Água fria para os


Água fria demais pontos

Thermerô

IMPORTANTE:
A coluna de água fria que abastece os aquecedores instalados em edifícios deve:
1- Ser exclusiva para esta finalidade
2- Ser de material resistente a temperatura de no mínimo 100ºC
3- Ter respiro conforme o desenho acima.
Aquecimento Central Coletivo
9. Aquecedores
Tipos:
Aquecedor de Passagem
Aquecedor de Acumulação
Geradoras de Calor
Caldeiras

Fonte de Energia:
Óleo
Gás
Energia Elétrica
Lenha
Energia Solar
Outras fontes de energia
9. Aquecedores
Aquecedor de Passagem:
a água vai sendo aquecida à medida que passa pela
fonte de aquecimento, sem necessidade de acumulação.

Aquecedor de Acumulação:
a água que foi aquecida vai sendo acumulada em
um reservatório próprio, à medida que passa pela fonte
de aquecimento.
9. Aquecedores
Aquecedor de Passagem (NBR 7198/93):
Geradoras de Água Quente
Geradoras de Água Quente
Geradoras de Água Quente
Geradoras de Água Quente
Aquecimento Indireto com Geradora Separada do Depósito

Vaso de expansão
Água fria da rede

Válvula de segurança
Água quente para o consumo

Retorno do Água quente


consumo

Corpo
Camisa

Retorno

Água fria
EHZ

EHZ - Aquecimento direto


Água quente central para edifícios,
hotéis, indústrias, clubes, motéis, etc.
Instalação Típica - EHZ
(espaço físico)

Ralo resistente

0,30
a 100ºC
Terminal da chaminé

PXQ
Ponto de gás Porta de inspeção
M do depósito

Portão gradeado ou
veneziana
0,70 Vaso de
expansão

Ponto de força
P

Janela basculante
Geradoras de Água Quente
Geradoras de Água Quente
10. Características do Aquecedor de Passagem
- Aquecedor de Passagem elétrico.
- Ideal para pias, bidês e lavatórios.

DETALHES TÉCNICOS
- Possui tecla liga e desliga: o ajuste mais fino da temperatura se dá
diretamente pelo acionamento automático com a simples abertura
do registro ou da torneira, tornando-se desnecessária a utilização
do misturador.
- Funcionamento em baixa e alta pressão, de 2 a 40 m.c.a.
- Sistema de Aterramento Lorenzetti: proteção contra choque elétrico
- Tensão: 127 V ou 220 V
- Potência: 5400 W
- Disjuntor ou Fusível: 127 V >> 50 A e 220 V >> 30 A
- Seção do Condutor: 127 V >> 10 mm2 e 220 V >> 4 mm2
11. Características do Aquecedor de Passagem
- Aquecedor de Passagem à gás.
- Atende a um único aparelho ou a um conjunto de aparelhos.
11. Características do Aquecedor de Passagem
LZ-3200D
Características Técnicas

Diâmetro mínimo para saída da Chaminé (mm) 80

Altura (mm) 590

Largura (mm) 385

Profundidade (mm) 185

Peso Bruto (kg) 22,5

Peso Líquido (kg) 21,0

GN GLP GM

Potência nominal (Kcal/min) 785 759 -

Rendimento sobre P.C.S. (%) 82,8 84,1 -

Consumo de gás (m3/h) 4,95 - -

Consumo de gás (kg/h) - 3,84 -

Vazão de água para Δt de 20° (l/min) 32,5 32 -

Pressão mínima de água (mca) 1,5 1,5 -

Pressão máxima de água (mca) 80 80 -

Conexões para ligação do gás e água 1/2"(BSP) 1/2"(BSP) -


(polegada)

Alimentação de Energia 127/220 127/220 -


V V

Consumo de energia 74,6 Wh 74,6 Wh -


Aquecedor de Passagem - conjunto de aparelhos
12. Tubulações para Água Quente

Cobre classe E (leve) A(média) I(pesada)

CPVC poli (cloreto de vinila) clorado

PEX polietileno com ligação cruzada (reticulada)

Outros
12. Tubulações para Água Quente

Isolamento Térmico:
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Tubulações para Água Quente
Misturadores de Água Quente/Fria

bicomando (água quente e fria monocomando (água quente e


em um só ponto em comandos fria em um só ponto).
separados).
12. Exemplo de dimensionamento
Escolha do Aquecedor:
Nº de Pessoas 9
Litros dia p/ Pessoa 45
Estimativa de Consumo (l) 405
(Para dimensionar reservatório no caso de
aquecedor de acumulação)

Vazão - Uso Simultâneo Uso Provável


Peça Qtd Q (l/s) Q Total(l/s) Peso P Total
Banheira 1 0,300 0,300 1,000 1,000
Chuveiro 3 0,120 0,360 0,100 0,300
Lavatório 3 0,120 0,360 0,300 0,900
Pia de Cozinha 2 0,250 0,500 0,700 1,400
Máquina de Lavar Roupa 2 0,300 0,600 1,000 2,000
Vazão Total (l/s) 1,090 2,120 3,100 0,710
Vazão Total (l/min) 65,400 127,200 186,000 42,596
12. Exemplo de dimensionamento
12. Exemplo de dimensionamento
EXEMPLO: DIMENSIONAMENTO DOS RAMAIS DE ÁGUA QUENTE
Verificação de Pressão no Aquecedor de Passagem Compartimento: ÁREA DE SERVIÇO
COMPARTIMENTO EQUIP. VAZÃO PESO Observações
ÁREA DE SERVIÇO Aquecedor 0,5416
Tanque 0,25 A velocidade será sempre menor que 2,5m/s.
Lavdora Roupa 0,3
Perdas de Carga
TRECHO Vazão (Q) Q Acum. Q(l/s) D(mm) V(m/s) V<14D¹/² J(m/m) Lr(m) Lq(m) Ln(m) h(m)
A-B 0,54 - 0,542 25 1,103 2,214 0,0682 2,627 3,9 6,527 0,445
B-C 0,25 0,79 0,792 32 0,984 2,504 0,0410 0,50 0,9 1,4 0,057
C-D 0,30 1,09 1,092 32 1,357 2,504 0,0720 10,28 11 21,28 1,531
D-E 0,50 1,59 1,592 40 1,267 2,800 0,0482 1,66 5,4 7,06 0,340
E-F 1,50 3,09 3,092 50 1,575 3,130 0,0534 0,825 7,6 8,425 0,450
F - Reserv. 0,70 3,79 3,792 50 1,931 3,130 0,0764 0,65 2,8 3,45 0,263

hTOTAL(m) 3,088

Comprimentos Equivalentes
TRECHO DN R.P. quant Lq(m) Lq(m) Verif. Pressão no Aquecedor
joelho 90 2 1,5 3 altura do reservatório 0,98 metros
A-B 25 Têe direto 1 0,9 0,9 altura do aquecedor -1,3 metros
Soma 3,9 referente ao barrilete 5,6 metros
B-C 25 Têe direto 1 0,9 0,9 Diferença de Nível 5,28 metros
Soma 0,9 hTOTAL(m) 3,09 mca
joelho 90 3 2 6 Pressão (P) 2,19 mca
C-D 32 Têe s/Lat. 1 4,6 4,6
Reg. Gaveta 1 0,4 0,4 40 m.c.a. > P > 1,0 m.c.a. (10 kPa)
Soma 11
joelho 90 1 2,2 2,2 2,19 mca > 1,0 mca ==> OK
D-E 40 Têe direto 1 3,2 3,2
Soma 5,4
E-F 50 Têe bilateral 1 7,6 7,6
Soma 7,6
F - Reserv. 50 Ent. Borda 1 2,8 2,8
Soma 2,8
12. Exemplo de dimensionamento

Segundo Pavimento
12. Exemplo de dimensionamento
EXEMPLO: DIMENSIONAMENTO DOS RAMAIS DE ÁGUA QUENTE
Verificação de Pressão no Chuveiro Menos Favorável Compartimento: BANHEIRO PAV. SUP.
COMPARTIMENTO EQUIP. VAZÃO PESO Observações
BANHEIRO PAV. SUP. Lavatório 0,15
Ducha - Chuveiro 0,2 A velocidade será sempre menor que 2,5m/s.
Banheira 0,3
Tanque 0,25
Lavdora Roupa 0,3
Perdas de Carga
TRECHO Vazão (Q) Q Acum. Q(l/s) D(mm) V(m/s) V<14D¹/² J(m/m) Lr(m) Lq(m) Ln(m) h(m)
A-B 0,20 - 0,200 20 0,637 1,980 0,0344 2,75 3,2 5,95 0,205
B-1 0,15 0,35 0,350 25 0,713 2,214 0,0317 4,95 7,6 12,55 0,398
C-D 0,15 - 0,150 20 0,477 1,980 0,0208 1,05 2 3,05 0,063
D-E 0,30 0,45 0,450 25 0,917 2,214 0,0493 0,25 3,1 3,35 0,165
E-1 0,20 0,65 0,650 32 0,808 2,504 0,0290 1,70 8,6 10,30 0,299
1-2 1,00 1,000 32 1,243 2,504 0,0617 2,40 2,0 4,40 0,272
2-J 1,00 1,000 32 1,243 2,504 0,0617 1,75 6,6 8,35 0,515
J-1 0,30 1,30 1,300 40 1,035 2,800 0,0338 0,55 7,3 7,85 0,266
I - Aquecedor 0,25 1,55 1,550 40 1,233 2,800 0,0460 1,70 6,4 8,10 0,373

hTOTAL(m) 2,556
Verif. Pressão no Aquecedor
altura até chuveiro -5 metros
altura do aquecedor 1,3 metros
Pressão aquecedor 2,19 metros
Diferença de Nível -1,51 metros

hTOTAL(m) 2,56 mca


Pressão (P) -4,07 mca
40 m.c.a. > P > 1,0 m.c.a. (10 kPa)

-4,07 mca < 1,0 mca ==> Não há pressão


suficiente ==> Solução: pressurizar s rede
de água quente.
12. Exemplo de dimensionamento
Comprimentos Equivalentes
TRECHO DN R.P. quant Lq(m) Lq(m)
joelho 90 2 1,2 2,4
A-B 20 Têe direto 1 0,8 0,8
Soma 3,2
joelho 90 3 1,5 4,5
B-1 25 Têe lateral 1 3,1 3,1
Soma 7,6
joelho 90 1 1,2 1,2
C-D 20 Têe direto 1 0,8 0,8
Soma 2,0
D-E 25 Têe lateral 1 3,1 3,1
Soma 3,1
joelho 90 2 2,0 4,0
E-1 32 Têe lateral 1 4,6 4,6
Soma 8,6
1-2 32 joelho 90 1 2,0 2,0
Soma 2,0
joelho 90 1 2,0 2,0
2-J 32 Têe lateral 1 4,6 4,6
Soma 6,6
J-1 40 Têe lateral 1 7,3 7,3
Soma 7,3
I - Aquecedor 40 joelho 90 2 3,2 6,4
Soma 6,4
12. Exemplo de dimensionamento
Pressurizador MINI TPGV 120W
Silencioso - Para Aquecedor de
Passagem - Texius
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:
Potência: 120W
Voltagem: 110 ou 220 V
Freqüência: 60 Hz
Temperatura máxima: 60º C
Hmax: 8,5 m
Qmax: 30 l/min
Rosca da bomba: 3/4"
Uniões: 1/2"
Peso: 2,8 kg
12. Exemplo de dimensionamento