Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO

ESPECIAL FEDERAL DA UNIDADE AVANÇADA DE ATENDIMENTO


EM WENCESLAU BRAZ (PR) – SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

Nº do Processo: 5000548-35.2018.4.04.7024

JOSÉ DONIZETE GONÇALVES, devidamente qualificado


nos autos em epígrafe por meio de seu advogado, vem, respeitosamente,
perante Vossa Excelência IMPUGNAR A CONTESTAÇÃO apresentada
pelo INSS no Evento 27, diante dos fatos e fundamentos a seguir
expostos:

Em primeiro lugar, a Autarquia Federal, EM UM


ABSURDO IMENSURÁVEL, apresentou no processo DUAS
CONTESTAÇÕES.

Uma no Evento 10 e outra no Evento 27.


Com o máximo respeito, Excelência, o “procedimento”
adotado pelo INSS não se sustenta.

Quando duas contestações são apresentadas no mesmo


processo, apenas a primeira deve ser considerada, por força de
preclusão consumativa, no qual esbarra a tentativa da Autarquia Ré
de levar à apreciação da instância recursal as alegações deduzidas
na segunda contestação.

Se não bastasse o DESPREPARO dos representantes


legais do INSS, ainda tentam menosprezar e subestimar a
inteligência de Vossa Excelência, protocolando duas contestações
nos mesmos autos.

Em segundo lugar, em mais uma atitude não menos


REPUGNANTE por parte da Autarquia, alega que a Parte Autora não
deve ser considerada segurada especial por ter apenas um vínculo de
2001 no CNIS.

Ora, Excelência, o que se espera de um patrono,


advogado, procurador, é que ao menos VERIFIQUE TODOS OS
DOCUMENTOS ACOSTADOS À INICIAL.

É O SEU DEVER LEGAL.

O Autor possui inúmeras Notas de Produtor Rural e um


Contrato de Comodato firmado com seu Pai anexados à petição inicial,
configurando, sem dúvida alguma, a qualidade de segurada especial da
Parte Autora.

Todos estes documentos poder ser facilmente verificados


nos eventos “OUT9” e “OUT12”, acostados à inicial.
Tal DESLEIXO e DESÍDIA da parte do INSS configura
GRAVÍSSIMA OFENSA AOS PRINCÍPIOS DA CELERIDADE E DA
ECONOMIA PROCESSUAL, pois a não observância dos referidos
documentos comprobatórios causa um prejuízo e atraso enorme ao
processo e à obtenção do benefício.

INACEITÁVEL!

Por derradeiro, transcreve-se os sábios e verdadeiros


dizeres do brilhante e renomado Dr. Paulo Afonso Brum Vaz, Professor
e Desembargador Federal do Egrégio Tribunal Federal da 4ª Região:

“No exercício da Magistratura Federal, tenho testemunhado a utilização


dos mais artificiosos expedientes, por parte do INSS, para furtar-se do
cumprimento da lei. Tudo o que foi dito alhures, acerca das condutas
processuais caracterizadoras de abuso de direito de defesa e desígnio
protelatório, representa a manifestação da prática forense daquela
entidade”.

DOS PEDIDOS E REQUERIMENTOS

Diante do exposto, tudo suprido pelo notável saber jurídico de Vossa


Excelência requer-se:

a) Que seja desconsiderada a segunda contestação apresentada pelo


INSS, por força de preclusão consumativa, sendo assim considerada
apenas a primeira contestação;
b) Ratificando na íntegra o contido na exordial, requer digne-se Vossa
Excelência em considerar TOTALMENTE IMPROCEDENTES OS
PEDIDOS E ALEGAÇÕES formulados pelo INSS em suas
contestações, julgando TOTALMENTE PROCEDENTE os pedidos
contidos nos termos da inicial.

Respeitosamente

Pede deferimento

Quatiguá, 22 de março de 2019

RAFAEL DAVID FILIPE

OAB/PR n° 69.315