Você está na página 1de 4

Comentário 1 Corintios 13,8

“O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão;
havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas,
quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. Quando eu era menino,
pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora
conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente
conhecido. (1 Cor 13;8-12)”

Além as evidencias externas para interpretação desse pequeno texto visto que as “Escrituras
se interpretam pela escrituras”, recorre-se aqui ao proprio texto afim de realçar certas
verdades que o próprio texto fornece:

1. Paulo inicia o capitulo 13 desta carta mostrando o caminho mais excelente para o dons
espirituais (1 Cor 12;31), o objectivo desse cápitulo não é mostrar uma alternativa
aos dons espirituais mas sim, um caminho para que eles pudessem abundar em dons
espirituais, não era mostrar um caminho que substitui os dons espirituais mas sim
um caminho para a busca dos dons espirituais. O amor conforme apresentado nesse
texto, não vem a substituir os dons no seio da Igreja, antes vem auxiliar no fluir destes
no meio da Igreja, daí a expressão: “...sem amor nada seria”
2. O Amor é eterno, e quais quer que sejam os dons como “profecia, línguas, ciência, etc”
desaparecerão! Porquê que estes desaparecerão?! A resposta de Paulo foi “porque...”
demos graças a Deus, porque Paulo empregou a palavra “porque”, porque senão
teriamos aberto um caminho para diversas respostas, conclusões, interpretações
incorrectas. Paulo tratou de explicar o porquê? “porque em parte conhecemos, em
parte profetizamos, MAS QUANDO VIER O QUE É PERFEITO, então o que é “em parte”
será aniquilado”.
3. A razão do futuro desaparecimento dos dons é somente que “quando vier o que é
perfeito, então o que é em parte será aniquilado” , notemos que “tudo o que é em
parte (ou imperfeito) será aniquilado”, o que inclui o “conhecimento, a profecia, as
linguas e o resto dos dons espirituais”.
4. A grande pergunta seria “o quê que é o perfeito que virá? O que Paulo quis dizer com
o “o perfeito”?” Ao sabermos isso, logo saberemos a resposta para grande pergunta
dos nossos tempos: “os dons são para hoje ou não?”
5. Quais as dicas que esse texto nos fornece sobre “o que é perfeito”?
a. Até a epoca de Paulo o que é perfeito ainda está no futuro, isto é, ainda não
tinha vindo nos dias de Paulo;
b. Quando o que é perfeito vier, Paulo diz que “se acabará as coisas de menino”
c. E Paulo explica com um “porque” quais são as coisas de menino, “ver como
por um espelho” e “ver em parte”;
d. Quando vir o que é perfeito, veremos claramente e não por espelho;
6. Ao notarmos todas essas dicas, podemos responder a pergunta: o que é perfeito? A
palavra “perfeito”aqui usada é “teleios” que aparece, a fora desse texto, somente 19
vezes no NT:
a. Referindo-se a Deus, como “perfeito”: Mat_5:48, Rom_12:2, 1Co_13:10,
Ef_4:13, Col_4:12, Heb_9:11, , Tg_1:17, Tg_1:25, 1Jo_4:18 Heb_5:14 (2),
b. Referindo-se aos homens que devem ser perfeitos ou que já são perfeitos:
Mat_5;48, Mat_19:21, 1Co_2:6, Fil_3:15, Col_1:28, Tg_1:4 (2 vezes) Tg_3:2,
Heb_5:14, 1Co_14:20
7. Esta palavra só nos deixa nos duas opções: ou falava de Deus que quando viesse então
“as coisas que usamos para nos remediar serão aniquiladas”, o que é referido como
“quando chegar o tempo se completar ou terminar, ou mesmo quando se consumar”
ou se referia a nós mesmos que “quando chegassemos à perfeição, então não
precisariamos mais de dons espirituais porque veriamos claramente”
8. Será esta segunda verdadeira? Notemos cuidadosamente alguns detalhes do texto,
para quem lê, dá logo conta que Paulo enquanto escrevia, ele mesmo assumiu que
ainda “profetizava em parte e conhecia em parte”, o que o remete a um tempo antes
o que é perfeito viesse. A pergunta é “se esse texto se refere à nós que quando
chegamos a perfeição já não precisamos de dons espirituais porquê que o próprio
Paulo que sempre se incluiu entre os perfeitos (Fil 3;15, 1 Co. 2;6, Col. 1;28) ainda
profetizava em parte e ainda conhecia em parte? é só notar o “presente continuo na
1ª pessoa do plural: nós conhecemos...nós profetizamos...o que vemos por
enigama...agora conheço em parte, depois conhecerei o como sou conhecido” está
claro que embora “perfeitos (teleios)” ele ainda não “via claramente” razão por que
“ainda conhecia em parte, profetizava em parte”
9. Se referia Paulo ao canón? Os que defendem esta posição, assumem que “quando a
biblia se completasse, já não precisariamos de dons espirituais”, os tais não
conseguem responder a duas questões:
a. Paulo nunca soube e nem tinha mente que algum dia os seus escritos
espalhados pelo mundo todo viriam a ser colectados em um unico livro. É
pouco provavel e até impossivel que Paulo soubesse que no futuro os seus
escritos viriam a serem um canôn.
b. Mesmo estando a Biblia completa, continuamos a conhecer em parte, porquê
só a profecia é que desapareceria e o conhecimento não? Porquê assumir
que a profecia já cessou, as linguas já cessaram quando os mesmos
continuam a ir a busca do conhecimento? Porquê que não há necessidade de
profecia ou línguas mas continua a haver necessidade de se conhecer e o
conhecimento que temos não se compara com “ver face a face” ou
“conhecer plenamente”?
c. Paulo mostrou que os 3 desapareceriam: “as profecias, as línguas e o
conhecimento”, e os três desapareceriam na mesma fase—quando o que é
perfeito viesse
d. Se o que é perfeito (a Biblia) veio, porquê que “ninguém conhece as coisas da
forma como as pessoas o conhecem?, pois, Paulo disse que “quando viesse o
perfeito, então, ele conheceria o que ele no momento conhecia em parte, de
forma clara e plena tal como as pessoas lhe conheciam”. Quem pode dizer
conhecer Deus da forma que conhece a sua esposa, filho, amigo?
e. Se o que é perfeito (a Biblia) já veio, então Paulo errou na sua previsão,
porque a biblia só se completou (ou só veio a ser colocada em um unco livro)
em 1545-1548:
“O Concílio de Trento, no 1º Período (1545-48), promulgou os decretos sobre o
cânon sagrado para a Igreja Católica Romana reafirmando o Cânon do Novo
Testamento também com os 27 livros que temos hoje.”
(http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A2non_b%C3%ADblico)
... e Paulo mostrou claramente que “ele estaria lá quando isso ia acontecer”:
“agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também
sou plenamente conhecido”. Paulo se referia a uma epoca onde ele mesmo
seria abrangido pelo que é perfeito: ele mesmo seria transformado e veria
“face a face” e conheceria como ele conhece e assim terminaria a busca por
conhecer mais como ele fazia “prossigo em conhecer (Fil. 3;8,10)

10. São questões que eles nunca responderão, até porque eles ignoram que não existem
descontinuidade na “era da Igreja”, a era da Igreja é una, a Igreja surgiu em Atos e
terminará com a volta de Cristo” é uma unica fase, os dons nessa fase são os mesmos,
a dispensação é a mesma, é um unico corpo.
11. Outras evidências:
a. Paulo implicitamente mostrou que “o que é perfeito” era uma pessoa: (1)
verei face a face; (2)conhecerei como eu sou conhecido;
b. Essas duas evidencias são sustentadas pelos textos:
i. “...e verão a sua face; e nas suas frontes estará o seu nome. E ali não
haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz
do sol, porque o Senhor Deus os alumiará; e reinarão pelos séculos
dos séculos. (Ap 22;4-5)
ii. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que
havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar,
seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. (1
Jo.3;2)
c. Que necessidade haverá do conhecimento ou da profecia ou das línguas
quando FACE A FACE O VERMOS?! Haveria espaço pra tal?!
d. Quanto ao cessamento da conhecimento, as Escrituras dizem:
i. Eis que virão dias, diz o Senhor, em que estabelecerei com a casa de
Israel e com a casa de Judá um novo pacto. Não segundo o pacto que
fiz com seus pais no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da
terra do Egito; pois não permaneceram naquele meu pacto, e eu para
eles não atentei, diz o Senhor. Ora, este é o pacto que farei com a casa
de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; porei as minhas leis no
seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o seu Deus,
e eles serão o meu povo; e não ensinará cada um ao seu concidadão,
nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos
me conhecerão, desde o menor deles até o maior. (Heb 8;8-11)
ii. Se calhar alguém que este texto se refere ao Novo Testamento, claro
que sim, mas o seu pleno significado se aplica à casa de Israel nos
ultimos dias quando se cumprir o “eu serei o seu Deus, e eles serão o
meu povo” em “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram
o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe. E vi a santa
cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus,
adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. E ouvi uma
grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus
está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e
Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima;
e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem
dor; porque já as primeiras coisas são passadas. (Ap 21;1-4)
12. Conclusão: a ultima opção que nos restou da palavra “teleios” é Deus, o ser digno de
ser chamado perfeito que QUANDO VIESSE por Jesus Cristo, restauraria todas as coisas
e se daria a conhecer TAL COMO ELE É, sem mais enigmas ou espelhos, mas
CLARAMENTE O “VEREMOS”, e aí sim, nao haverá mais necessidade de
CONHECIMENTO porque O VEREMOS, SIM, TAL COMO ELE É, O VEREMOS.
13. “Portanto, irmãos, procurai com zelo o profetizar, e não proibais o falar em línguas. E
segui o amor; e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de
profetizar.”
14. Que a graça e a paz esteja com vós todos!