Você está na página 1de 20

Matemática Financeira I

Matemática Financeira I

Juros Simples

Responsável pelo Conteúdo:


Profa. Ms. Rosângela Maura Correa Bonici

Revisão Textual:
Profa. Esp. Vera Lidia de Sa Cicaroni
Unidade
Juros Simples

• Juros Simples

• Juro Exato e Juro Comercial

• Fórmula para Cálculo do Juro Simples

• Fórmula Para o Cálculo do Montante (M)


ou Valor Futuro (FV)

·· Nesta unidade você vai conhecer o conceito de juros simples


e também vai aprender a calculá-los. O conteúdo teórico
apresenta exercícios resolvidos algebricamente além de
mostrar como resolvê-los usando a calculadora HP-12C.

Para que sua aprendizagem seja completa, leia sempre o conteúdo teórico, assista ao
vídeo da aula e ouça o Power-Point narrado. Esses materiais são complementares e visam
proporcionar a melhor aprendizagem possível. Se, mesmo assim, tiver dúvidas, entre em
contato com seu tutor, ele poderá auxiliá-lo. Somente depois faça as atividades propostas
para a unidade. Dessa forma você estará agregando conhecimentos e maximizando o
entendimento do conteúdo proposto.
Organize seu tempo de estudo. Não deixe tudo para a última hora, pois problemas inesperados
podem acontecer, levando-o o perder o prazo para entrega da atividade.

5
Unidade: Juros Simples

Contextualização

Por que essa chatice de juros? Por que foram inventar essas coisas tão complicadas?
Algum matemático, sádico, na calada da noite, inventou essa tortura de letras e números
para apavorar os estudantes?
Sabe, não inventaram isso como algo para dificultar a vida das pessoas e também não é nada
complicado. Pelo contrário, esses conhecimentos saíram de gente simples do comércio de esquina.
Então, vamos à história!
Tudo que sabemos hoje, das coisas mais simples às mais avançadas, vem dos primeiros
pensamentos simples do dia a dia. Não foi a Matemática que inventou a prática; foi o contrário disso.
Assim, para entendermos bem os cálculos de porcentagem é necessário conhecermos sua história.
Tudo começou com a necessidade de se tomar dinheiro emprestado. Alguém emprestava
dinheiro para outra pessoa, cobrava o dinheiro de volta, após algum tempo, e mais um outro
valor como aluguel, inicialmente arbitrário, de acordo com a ‘cara do freguês’.
Claro está que quem emprestava o dinheiro gostaria de receber o maior aluguel possível. Os
tomadores de empréstimo, por sua vez, queriam pagar pouco pelo aluguel.
Uns olhavam os negócios dos outros e comparavam com os próprios negócios que tinham
feito antes, para ver quem era menos ganancioso na hora de emprestar.
Agora, vamos supor a seguinte situação: alguém pegou R$ 10.000,00 emprestados e, após
um mês, devolveu esse valor e pagou mais R$ 500,00 pelo aluguel do dinheiro. Uma outra
pessoa também tomou emprestado R$ 10.000,00 e, após um mês, devolveu os R$ 10.000,00 e
mais R$ 600,00 como valor do aluguel.
Por um acaso, o segundo tomador do empréstimo (o que pagou R$ 600,00) encontrou o
primeiro tomador (o que pagou R$ 500,00) e ficou sabendo dos valores, concluindo que pagou
demais. Pagou R$ 100,00 a mais que o primeiro.
A visualização do negócio foi imediata: R$ 10.000,00, emprestados por um, exigiram R$
500,00 de aluguel; o mesmo valor, emprestado por outro, exigiu pagamento maior.
Claro fica que, se o segundo tomador do empréstimo precisar novamente de dinheiro, não
irá procurar aquele emprestador que lhe cobrou mais dinheiro. Irá, naturalmente, procurar o
emprestador do outro negócio, que praticava preço de aluguel de dinheiro mais em conta.
E isso foi feito.
Passando o tempo, o emprestador de dinheiro que cobrava ‘mais caro’ percebeu que não
estava mais sendo procurado para fazer empréstimos e foi em busca da razão disso: descobriu
que alguém estava emprestando (alugando) dinheiro ‘mais barato’.
Ele, então, para não perder oportunidades de negócio, passou a anunciar que iria cobrar,
daquele momento em diante, R$ 499,00 de aluguel, caso alguém necessitasse de R$ 10.000,00
emprestados. Assim, nasceu o primeiro mercado de juros, em que a competição ditava os valores.

6
Juro é o mesmo que aluguel. Repare bem que, no exemplo dado, bastou ver os valores
cobrados como aluguel (juro) para ver quem fez o melhor negócio. E você sabe por quê? Porque
a base de cálculo era igual nos dois casos: R$ 10.000,00.
Agora, se os valores fossem R$ 2.200,00, com juros de R$ 92,00, e R$ 1.600,00, com juros de
R$ 80,00, de imediato, não daria para saber, apenas olhando os valores, quem estava levando
mais vantagem, não é?
Isso, nos primeiros momentos, causou uma grande dificuldade, pois nem sempre as bases de
cálculo (o dinheiro emprestado ou objeto do aluguel) eram em números redondos.
Então alguém teve uma brilhante ideia: que tal imaginar que o valor do empréstimo é
R$ 100,00 para qualquer transação? Assim, com a base de cálculo sempre a mesma, ficaria
imediata, visual, a comparação entre juros (aluguéis) com base em valores diferentes (capitais).
Vamos pensar com valores mais fáceis. Fizeram mais ou menos assim:
Se alguém emprestou R$ 800,00 e cobrou R$ 40,00 de aluguel no fim de um mês, então era
só ‘fingir’ que esse valor R$ 800,00 era R$ 100,00.
Mas como assim ‘fingir’?
‘Fingir’, no caso, é separar os R$ 800,00 em blocos de R$ 100,00, o que dá 8 blocos. Agora,
se por 8 blocos pagou-se R$ 40,00 de aluguel, então cada bloco ‘custou’ a quem pegou o
empréstimo R$ 5,00. E pronto, resolvido o problema: para cada R$ 100,00 existentes no valor
do empréstimo, cobraram-se R$ 5,00.
Podemos reescrever a sentença anterior da seguinte forma. “R$ 5,00 de juros POR CADA
CEM REAIS emprestados”, ou seja, “5 POR CENTO de juros”. Esse valor financeiro que você
associa a cada grupo de R$ 100,00 (no caso o valor R$ 5,00) chama-se Taxa de Juros. O
dinheiro emprestado inicialmente chama-se ‘Capital’.
Para calcular os juros simples, basta multiplicar o capital pela taxa e pelo período que o
dinheiro ficou emprestado. Assim aparece a fórmula dos juros simples J = PV . i . n, em que PV
é o capital emprestado, i é a taxa de juros e n o período em que o dinheiro ficou emprestado.

Fonte: Adaptado de http://www.infoescola.com/matematica/historia-e-juros-simples-matematica-financeira.


Acesso em 30 Maio 2011

7
Unidade: Juros Simples

1. Juros Simples

Diz-se que o regime de capitalização é simples quando o juro incide apenas sobre o valor do
capital inicial (C) ou valor presente (PV).

Vejamos um exemplo: Suponha que uma pessoa tenha aplicado, em uma instituição financeira
sob o regime de juros simples, o capital de R$ 100,00 a uma taxa de 2% ao mês, durante 3
meses. A evolução da aplicação, no regime de juros simples, seria a seguinte:

Mês Juro (2%) Montante ou Valor Futuro


0 - 100
1 100 X 0,02 = 2 102
2 100 X 0,02 = 2 104
3 100 X 0,02 = 2 106

Vemos que, no final dos 3 meses, no regime de juros simples, a pessoa terá um montante de
R$ 106,00. Observe que, neste caso, o juro incide sempre SOMENTE sobre o valor do Capital.

Em Matemática Financeira, consideramos, para os cálculos, que um mês tem 30 dias (mês
comercial) e um ano 360 dias (ano comercial).

2. Juro Exato e Juro Comercial

O juro exato considera os dias do calendário, ou seja, para o cálculo do juro exato devemos
levar em conta a quantidade de dias existentes em cada mês. Como por exemplo:

Mês Quantidade de dias


Janeiro 31 dias
28 dias
Fevereiro
29 dias (ano bissexto)
Março 31 dias
Abril 30 dias
E assim por diante...

Em relação ao ano exato, devem ser considerados 365 dias ou 366, se ele for bissexto.
No caso do juro comercial, devemos considerar que um mês tem 30 dias e que um
ano tem 360 dias.

8
Vejamos um exemplo de aplicação.

1. Uma prestação no valor de R$ 14.500,00 venceu em 01/02/2001, sendo quitada em


15/03/2001, com uma taxa de 48% ao ano. Determine o valor dos juros exato e comercial
pagos nessa operação.

Dados Solução algébrica


PV = 14500
J = PV . i . n
i = 48% ao ano.
Transformando a taxa de anual para diária
i exato = 0,48/365 J exato = 14500 . 0,48 . 42
365
i comercial =0,48/360
J exato = 800,88
J exato = ?
J comercial = ?
Vencimento: 01/02/2001 J comercial = 14500 . 0,48 . 42
360
Pagamento: 15/03/2001
J comercial = 812
Calculando dias exatos = 42

As Unidades de Tempo precisam der iguais

Solução HP 12-C
Cálculo do numero do número de dias

[ D.MY ]

01.022001

[ ∆DYS ]
15.032001

42 dias

9
Unidade: Juros Simples

Solução HP 12-C
Juro Exato

14500

0,48

42

365

R$ 800,88

Solução HP 12-C
Juro Comercial

14500

0,48

42

360

R$ 812,00

3. Fórmula para Cálculo do Juro Simples

Vamos admitir um capital ou Valor Presente ( PV ) aplicado sob o regime de juros simples,
a uma determinada taxa ( i ), durante um certo período de tempo (n) . Assim sendo, a fórmula
para calcular os juros simples será:

J = PV . i . n

10
É importante observar que essa fórmula só poderá ser aplicada se o prazo da
aplicação (n) estiver expresso na mesma unidade de tempo a que se refere a
respectiva taxa (i) considerada.

Vejamos alguns exemplos de aplicação.

3.1 Cálculo dos Juros Simples


Determine o juro simples obtido com a aplicação de um capital de R$ 1250,23 durante 5
meses com a taxa de 5,5% ao mês.

Dados Solução algébrica


PV = 1250,23 J = PV . i . n
n = 5 meses J = 1250,53. 0,055 . 5
i = 5,5% a. m. (dividir por 100) J = R$ 343,81
J=?
As Unidades de Tempo Precisam der Iguais

Solução HP 12-C
Prazo sempre em dias
Taxa sempre em ano
FIN

1250,23

150
5 x 30 = 150

66
5,5 x 12

INT

R$ 343,90

3.2 Cálculo do Capital ou Valor Presente


Qual foi o capital que gerou rendimentos de R$ 342,96 durante 11 meses, a uma taxa
de 2,5 % ao mês?

11
Unidade: Juros Simples

Dados Solução algébrica


PV = ?
J = PV . i . n
n = 11 meses
PV = J 342,96 = PV . 0,275
i = 2,5% a. m. i.n 342,96 / 0,275 = PV
PV = 342,96 PV = R$ 1247,13
(dividir por 100)
0,025. 11
J = 342,96

As Unidades de Tempo Precisam ser Iguais


Solução HP 12-C

342,96

0,025

11

R$ 1247,13

3.3 Cálculo da Taxa de Juros Simples


Maria pagou ao Banco de Imóveis S/A a importância de R$ 2,14 de juros simples por dia, por
um atraso sobre uma prestação de R$ 537,17. Qual foi a taxa mensal de juros aplicada pelo banco?

Dados Solução algébrica


PV = 537,17 i = 0,00398 ... x (1 mês)
J = PV . i . n
n = 1 dia i = J i = 0,11951 ...
PV . n
i=? i = 2,14
537,17 . 1 i = 11,95% ao mês
J = 2,14

As Unidades de Tempo Precisam ser Iguais

12
Solução HP 12-C

2,14

537,17

30

100

11,95% ao mês

3.4 Cálculo do Período


Durante quanto tempo foi aplicado um capital de R$ 967,74 que gerou rendimentos de R$
226,45 com uma taxa de 1,5% ao mês?

Dados Solução algébrica


PV = 967,74
J = PV . i . n n = 15,60
n=?
n = J (15 meses e 0,6 do mês)
i = 1,5% a.m. PV . i
n = 226,45 0,6 x 30 = 18 dias
(dividir por 100)
967,74 . 0,015 n = 5 meses e 18 dias
J = 226,45

As Unidades de Tempo Precisam ser Iguais

Solução HP 12-C

226,45

967,74

0,015

15,60 meses

13
Unidade: Juros Simples

4. Fórmula Para o Cálculo do Montante (M) ou Valor Futuro (FV)

Montante ou Valor Futuro é o capital inicial acrescido dos juros.


FV = PV + J J = PV . i . n

Assim, temos:
FV = PV + PV . i . n

Colocando PV em evidência, temos:

FV = PV . ( 1 + i . n)

Vejamos alguns exemplos de aplicação

4.1 Cálculo do Montante


Qual o valor do resgate de uma aplicação de R$ 84.975,59, aplicados em um CDB de 90
dias a uma taxa de 1,45% ao mês?

Dados Solução algébrica


FV = ? PV = PV . ( 1 + i . n )
PV = 84975,59 PV = 84975,59 . ( 1 + 0,0145 . 3 )
n = 90 d = 3 m PV = 84975,59 . ( 1 + 0,0435 )
i = 1,45% a.m. PV = 84975,59 . ( 1,0435 )
(dividir por 100) PV = 88672,03
As Unidades de Tempo Precisam ser Iguais

Solução HP 12-C
Prazo sempre em dias
Taxa sempre em ano

FIN

84975,59

90

1,45

14
12

INT

R$ 88672,03

4.2 Cálculo do Valor Presente ( PV ) ou Capital ( C )


Determine o valor da aplicação cujo valor de resgate foi de R$ 84.248,00 por um período de
3 meses, sabendo que a taxa de aplicação a juros simples foi de 1,77% ao mês.

Dados Solução algébrica


FV = 84248,00 FV = PV . ( 1 + i . n )
PV = ? PV = FV PV = 84248
n = 3 meses (1+i.n) ( 1,0531 )
i = 1,77% a.m. PV = 84248 PV = 80000,00
( 1 + 0,0177 . 3 )
(dividir por 100)
As Unidades de Tempo Precisam ser Iguais

Solução HP 12-C

84248

0,0177

R$ 80000,00

15
Unidade: Juros Simples

Material Complementar

Easy Calc – Site que faz cálculos de juros simples. Disponível em: http://www.drcalc.net/
juros.asp?ml=Calc&it=4.Acesso em 31 Mai. 2011.

Só Matemática - Site que traz teoria e exercícios sobre Matemática. Disponível em:
http://www.somatematica.com.br/financeira.php.Acesso em 31 Mai. 2011.

Mundo Vestibular - Site que traz teoria e exercícios sobre Matemática. Disponível em: http://
www.mundovestibular.com.br/articles/6497/1/Como-Calcular-Juros/Paacutegina1.html.
Acesso em 31 Mai. 2011.

Oficina da Net – Site que traz teoria sobre juros simples e ensina a calculá-los, usando o
Microsoft Excel. Disponível em: http://www.aprenderexcel.com.br/2013/tutoriais/calculo-de-
juros-simples-e-composto-no-excel. Acesso em 31 Mai. 2011.

EPx - Web HP 12C Emulator – Site que traz a calculadora HP-12C virtual. Disponível em
http://epx.com.br/ctb/hp12c.php. Acesso em 31 Mai. 2011.

16
Referências

PUCCINI, A. L. Matemática financeira: objetiva e aplicada. 8 ed. São Paulo: Saraiva,


2009.

CRESPO, A. A. Matemática comercial e financeira. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

BRANCO, A. C. C. Matemática financeira aplicada: métodos algébricos. HP-12C,


Microsoft Excel. 2 ed. Ver. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005

17
Unidade: Juros Simples

Anotações

18
www.cruzeirodosulvirtual.com.br
Campus Liberdade
Rua Galvão Bueno, 868
CEP 01506-000
São Paulo SP Brasil
Tel: (55 11) 3385-3000