Você está na página 1de 15

1ª Série Sociologia

1 - “A ação social (incluindo tolerância ou omissão) orienta-se pela ação de outros, que podem
ser passadas, presentes ou esperadas como futuras (vingança por ataques anteriores, réplica a
ataques presentes, medidas de defesa diante de ataques futuros). Os ´outros` podem ser
individualizados e conhecidos ou uma pluralidade de indivíduos indeterminados e
completamente desconhecidos”
(Max Weber. Ação social e relação social. In M.M. Foracchi e J.S Martins. Sociologia e Sociedade. Rio de Janeiro,
LTC, 1977, p.139).

Max Weber, um dos clássicos da sociologia, autor dessa definição de ação social, que para ele
constitui o objeto de estudo da sociologia, apontou a existência de quatro tipos de ação social.
Quais são elas?

A) Ação tradicional, ação afetiva, ação política com relação a valores, ação racional com relação
a fins.

B) Ação tradicional, ação afetiva, ação racional e ação carismática.

C) Ação tradicional, ação afetiva, ação política com relação a valores, ação política com relação
a fins.

D) Ação tradicional, ação afetiva, ação racional com relação a objetivos, ação racional com
relação a valores.

E) Ação tradicional, ação emotiva, ação racional com relação a objetivos e ação política não
esperada.

2 - No conjunto da sua Sociologia compreensiva, o sociólogo alemão Max Weber define ação
social como ação

A) racional em que o agente associa um sentido objetivo aos fatos sociais.

B) desprovida de sentido subjetivo e motivacional.

C) humana associada a um sentido objetivo.

D) cuja intenção fomentada pelos indivíduos se refere à conduta de outros, orientando-se por
ela.

E) não orientada significativamente pela conduta do outro em prol de um bem comum.

3 - Quando desempenho meus deveres de irmão, de esposo ou de cidadão, quando me


desincumbo de encargos que contraí, pratico deveres que estão definidos fora de mim e de
meus atos, no direito e no costume”. Ainda exemplificando o mesmo conceito, refere-se
Durkheim ao “sistema de sinais de que me sirvo para exprimir pensamentos, o sistema de
moedas que emprego para pagar dívidas, os instrumentos de crédito que uso nas relações
comerciais, as práticas seguidas nas profissões (...)”.
DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico, 4ª ed. Trad. de Maria Isaura Pereira Queiroz, São Paulo, Editora
Nacional, 1966, p. 96. Para Durkheim, quais elementos caracterizam um fato social?

A) Exterioridade, generalidade e organicidade social.

B) Coercitivade, generalidade e interatividade social.

C) Exterioridade, coercitividade e generalidade.

D) Liberdade, coercitividade e solidariedade.


E) Coercitividade, dignidade humana e organicidade social.

4.

A foto ilustra as redes sociais e as relações humanas

(...) toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção
exterior; ou então ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma
existência própria, independente das manifestações individuais que possa ter.
DURKHEIM, Emilé. As regras do método sociológico. São Paulo: Companhia Editora Nacional: 1972. p. 1-4; 5; 8-11.
(Fragmento)

Para o sociólogo Emilé Durkheim, a Sociologia tem um objeto claramente definido que são os
fatos sociais que compreendem certas características que preservam sua cientificidade, quais
sejam:

As alternativas abaixo expressam as características dos fatos sociais, exceto.

A) Exterioridade.

B) Generalidade.

C) Individualidade.

D) Objetividade.

E) Coercitividade.

5 - Karl Marx (1818-1883) foi um intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina


comunista moderna, atuou como economista, filósofo, historiador, teórico político e jornalista e
foi o mais revolucionário pensador sociológico.

Marx concebe a sociedade dividida em duas classes: a dos capitalistas que detêm a posse dos
meios de produção e o proletariado (ou operariado), cuja única posse é sua força de trabalho a
qual vendem ao capital. Para Marx, os interesses entre o capital e o trabalho são irreconciliáveis,
sendo este debate a essência do seu pensamento, resultando na concepção de uma sociedade
dividida em classes. Assim, os meios de produção resultam nas relações de produção, formas
como os homens se organizam para executar a atividade produtiva. Tudo isso acarreta
desigualdades, dando origem à luta de classes.
Disponível em: <http://brasilescola.uol.com.br/sociologia/pensadores-classicos-sociologia.htm>. Acesso em: 15 nov.
2016.
A sociedade moderna, que deu continuidade ao processo histórico descrito por Marx, está
caracterizada no texto acima pela divisão social de classes entre

A) burguesia e proletariado.

B) operariado e campesinato.

C) clero e nobreza.

D) partido e sindicato.

E) aristocracia e burocracia.

GABARITO 1D / 2D / 3C / 4C / 5A

1ª Série Filosofia

1–

Disponível em: <https://professorjoaopaulo.com/mitologia/dionisio-e-o-surgimento-do-teatro/>. Acesso em: 15 dez.


2016.

Os rituais ao deus Dionísio na Grécia arcaica tinham por finalidade

A) celebrar o deus da vinha, do vinho e da embriaguez.

B) festejar a vitória dos gregos sobre Troia.

C) comemorar início do calendário lunar egípcio.

D) celebrar os principais feitos realizados por Homero.

E) relembrar as grandes epopeias de Hesíodo.

2 - Esses rituais dionisíacos contavam com alguns elementos que davam por sua vez um
significado especial a essas festividades. Os elementos abaixo são parte integrante dos rituais
dionisíacos

A) danças, cantos, música e vinho.


B) harpa, acordeom e cítara.

C) vinho, cítara e harpa.

D) danças, acordeom e vinho.

E) música, harpa e dança

No teatro grego encontramos duas formas de gênero teatral: a comédia e a tragédia. Com
relação a tragédia podemos afirmar que ela

A) simboliza a falta de liberdade humana.

B) faz referência ao espírito apolíneo.

C) reflete no gênero teatral grego um equilíbrio total do ser humano.

D) reflete uma experiência exclusivamente estética.

E) simboliza a liberdade humana bem como o homem dividido entre si mesmo e o destino que
o ultrapassa.

4 - “Quando Édipo nasceu, seus pais, Laio e Jocasta, os reis de Tebas, foram informados de
uma profecia na qual o filho mataria o pai e se casaria com a mãe. Para evitá-la, ordenaram a
um criado que matasse o menino. Porém, penalizado com a sorte de Édipo, ele o entregou a um
casal de camponeses que morava longe de Tebas para que o criasse. Édipo soube da profecia
quando se tornou adulto. Saiu então da casa de seus pais para evitar a tragédia. Eis que,
perambulando pelos caminhos da Grécia, encontrou-se com Laio e seu séquito, que
insolentemente, ordenou que saísse da estrada. Édipo reagiu e matou todos os integrantes do
grupo, sem saber que entre eles estava seu verdadeiro pai. Continuou a viagem até chegar em
Tebas, dominada por uma Esfinge. Ele decifrou o enigma da Esfinge, tornou-se rei de Tebas e
casou-se com a rainha, Jocasta, a mãe que desconhecia”.
Disponível em: http://www.culturabrasil.org. Acesso em: 28/08/2010 (adaptado).

No mito Édipo Rei, são dignos de destaque os temas do destino e do determinismo. Ambos são
características do mito grego e abordam a relação entre liberdade humana e providência divina.
A expressão filosófica que toma como pressuposta a tese do determinismo é:

A) “Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo”. (Jean Paul
Sartre)

B) “Quem não tem medo da vida também não tem medo da morte”. (Arthur Schopenhauer)
C) “Não me pergunte quem sou eu e não me diga para permanecer o mesmo”. (Michel
Foucault)

D) “Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser”. (Santo
Agostinho)

E) “O homem, em seu orgulho, criou a Deus a sua imagem e semelhança”. (Friedrich Nietzsche)

5 - Na Grécia entre os séculos VIII e V a.C., as concepções de homem, de sociedade e de mundo


sofreram mudanças profundas como consequência dos processos de transformação política,
social e cultural. Dentro deste contexto podemos atribuir à tragédia um processo de
transformação e construção de uma nova ordem. Podemos assim atribuir à tragédia

A) uma função política de formação e dominação do povo grego.

B) uma função científica de educação democrática.

C) uma função pedagógica de instrução e formação do povo grego.

D) uma função ética.

E) uma função religiosa.

GABARITO 1 A / 2 A / 3 E / 4 D / 5 C

2ª Série Sociologia

1 - Televisão

A televisão me deixou burro, muito burro demais

Agora todas coisas que eu penso me parecem iguais

O sorvete me deixou gripado pelo resto da vida

E agora toda noite quando deito é boa noite, querida.

Ô cride, fala pra mãe

Que eu nunca li num livro que um espirro

fosse um vírus sem cura

Vê se me entende pelo menos uma vez, criatura!

Ô cride, fala pra mãe!

A mãe diz pra eu fazer alguma coisa mas eu não faço nada

A luz do sol me incomoda, então deixa a cortina fechada

É que a televisão me deixou burro, muito burro demais

E agora eu vivo dentro dessa jaula junto dos animais


Ô cride, fala pra mãe

Que tudo que a antena captar meu coração captura

Vê se me entende pelo menos uma vez, criatura!

Titãs. Compositores: Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer e Tony Belloto.

Disponível em: <http://www.vagalume.com.br/titas/televisao-2.html#ixzz3uP7nUNnL>. Acesso em: 09 dez. 2015.

Os compositores da letra da música retratam através do comportamento da personagem um


processo de

A) alienação.

B) conscientização.

C) esclarecimento.

D) fetichismo.

E) liberdade.

2 - Qual das alternativas abaixo corresponde à definição de Max Weber sobre o Estado
Moderno?

A) Comitê executivo dos negócios de toda a burguesia.

B) Comunidade humana que, dentro dos limites de um determinado território, reivindica o


monopólio da força legítima.

C) Representante de uma das classes fundamentais.

D) Instrumento de dominação de uma classe sobre a outra.

E) Representante da burocracia pública.

3 - Marx e Weber possuíam concepções significativamente distintas acerca do papel do Estado.


Na concepção de Marx, o Estado tem como característica

A) garantir a organização moral da sociedade.

B) usar da força física dentro de um determinado território.

C) estar subordinado à sociedade.

D) dominar as classes sociais e propagar a ideologia da classe dominante

E) fornecer modelos sociais exemplares à sociedade.


4

Disponível em: http://www.otempo.com.br/infogr%C3%A1ficos/pesquisa-corrup%C3%A7%C3%A3o-1.678176. Acesso


em: 12 dez.2015.

O Estado se definia como o “órgão do pensamento social”, o “ego” da consciência coletiva


(conscience collective). Durkheim rejeitava especificamente a ideia de que o Estado era
primordialmente um agente executivo. A principal tarefa do Estado era ser “um órgão especial
cuja responsabilidade era a de elaborar certas representações que fossem aprovadas pela
coletividade”; o “verdadeiro significado” do Estado “consiste, não na ação exterior, em provocar
mudanças, mas na deliberação”.
GIDDENS, Anthony. A Sociologia Política de Durkheim. In: Política, Sociologia e Teoria Social. 9.edição. São Paulo:
Fundação Editora da UNESP, 1998. Página 139.

Tendo como referência a concepção sociológica de Durkheim acerca do papel do Estado para
a comunidade e a avaliação que a sociedade brasileira faz do mundo político, indicam que a
corrupção:

A) amplia a transparência pública.

B) elimina a governabilidade estatal.

C) enfraquece a moralidade do Estado.

D) obscurece o conflito de classes.

E) representa a moralidade da Sociedade.


5 - Karl Marx (1818-1883) foi um intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina
comunista moderna, atuou como economista, filósofo, historiador, teórico político e jornalista e
foi o mais revolucionário pensador sociológico.

Marx concebe a sociedade dividida em duas classes: a dos capitalistas que detêm a posse dos
meios de produção e o proletariado (ou operariado), cuja única posse é sua força de trabalho a
qual vendem ao capital. Para Marx, os interesses entre o capital e o trabalho são
irreconciliáveis, sendo este debate a essência do seu pensamento, resultando na concepção
de uma sociedade dividida em classes. Assim, os meios de produção resultam nas relações de
produção, formas como os homens se organizam para executar a atividade produtiva. Tudo
isso acarreta desigualdades, dando origem à luta de classes.

Disponível em: <http://brasilescola.uol.com.br/sociologia/pensadores-classicos-sociologia.htm>.


Acesso em: 15 nov. 2016.

A sociedade moderna, que deu continuidade ao processo histórico descrito por Marx, está
caracterizada no texto acima pela divisão social de classes entre

A) burguesia e proletariado.

B) operariado e campesinato.

C) clero e nobreza.

D) partido e sindicato.

E) aristocracia e burocracia.

GABARITO 1A / 2B / 3D / 4C / 5A

2ª Série Filosofia

1 - Seguindo-se ao período da escola patrística, a filosofia praticada no seio do cristianismo


passou a ser ensinada em escolas, a partir do século IX. O período conhecido
como escolástica perdurou até o fim da idade média e tem seu nome derivado da palavra latina
"scholasticus", que significa "aquele que pertence a uma escola". Utilizou-se da base proposta
pela patrística, mas com maior dedicação a atividade especulativa, deixando de lado, em parte,
a teologia e dedicando-se a formulação da filosofia cristã. O filósofo de maior destaque deste
período, que promoveu a transição real do platonismo para uma forma mais sofisticada de
filosofia, é Tomás de Aquino. Destacam-se ainda, neste período, Occam, Scoto e Erígena.

O método escolástico consistia em leitura crítica de obras selecionadas, aprendendo a apreciar


as teorias do autor, por meio do estudo minucioso de seu pensamento e das consequências
deste. Neste processo, como complemento, eram explorados outros documentos ou obras
relacionadas com a obra em questão. A partir da comparação entre o texto da obra e os
documentos a ela relacionados, especialmente documentos da igreja e análises de estudiosos
anteriores, se produzia as sententiae, curtas sentenças nas quais eram listadas as discordâncias
entre fontes diversas, acerca dos temas tratados na obra em estudo. As setentiae podiam incluir
também recortes dos textos originais, para comparação e comentário.

Disponível em: <http:// http://www.infoescola.com/filosofia/escolastica/>. Acesso em: 18 jan. 2017.

Sobre a filosofia patrística e escolástica podemos afirmar que


A) a filosofia patrística consiste em fornecer argumentos racionais para a fé e as ideias cristãs
e a escolástica é inspirada nos escritos de Aristóteles aliando saber filosófico com as sagradas
escrituras.

B) a filosofia patrística prioriza o conhecimento da revelação em oposição ao conhecimento


natural e a escolástica fundamenta-se exclusivamente nas sagradas escrituras.

C) a filosofia patrística e escolástica tem como pano fundo somente discussões filosóficas.

D) o que verdadeiramente importa para estas duas correntes é o conhecimento natural.

E) para a filosofia escolástica a revelação está subordinada à razão e para a patrística é razão
que está subordinada à revelação.

2-

Cidade de Deus e cidade dos homens.


Disponível em: <http:// http://www.enluminures.saintaugustin/allegorie>. Acesso em: 18 jan. 2017.

Para Agostinho a Cidade de Deus possui uma diferença capital em relação à Cidade dos
Homens. Isso porque para Agostinho a Cidade de Deus é o lugar onde reina a

A) corruptibilidade e pecado.

B) incorruptibilidade e perfeição.

C) imperfeição e incorruptibilidade.

D) corruptibilidade e perfeição.

E) pecado e graça.

3 - Após a revolução renascentista e protestante, sente-se a necessidade de uma séria


indagação crítica, não para demolir aquelas intuições revolucionárias, mas, ao contrário, para
dar-lhes uma sistematização lógica.

Disponível em: <http://www.mundodosfilosofos.com.br/pensmoderno.htm#ixzz4W26QwrHJ>. Acesso em: 15 dez. 2016.


Como características do pensamento moderno podemos assinalar a afirmativa abaixo

A) o saber passivo, método científico e geocentrismo.

B) o racionalismo, método experimental e antropocentrismo.

C) o inatismo, método experimental e teocentrismo.

D) o saber passivo, método científico e teocentrismo.

E) o saber religioso e geocentrismo.

4-

O Homem Vitruviano, desenho de Leonardo da Vinci, 1490.

Podemos afirmar que o antropocentrismo renascentista rivaliza com o teocentrismo medieval no


seguinte aspecto

A) o antropocentrismo é uma espécie de teologia disfarçada.

B) o antropocentrismo exalta os valores do período medieval.

C) o antropocentrismo valoriza o homem como significador do mundo.

D) o antropocentrismo é marcado por preocupações de natureza teológica.

E) apesar de contraditório, no fundo o antropocentrismo e o teocentrismo são equivalentes.

5 - O Renascimento foi um movimento cultural que marcou a fase de transição dos valores e das
tradições medievais para um mundo totalmente novo, em que os códigos cavalheirescos cedem
lugar à afetação burguesa, às máscaras sociais desenvolvidas pela burguesia emergente.

Esta importante etapa histórica predominou no Ocidente entre os séculos XV e XVI,


principalmente na Itália, centro irradiador desta revolução nas artes, na literatura, na política, na
religião, nos aspectos socioculturais. Deste polo cultural o Renascimento se propagou pela
Europa, especialmente pela Inglaterra, Alemanha, Países Baixos e com menos ênfase em
Portugal e Espanha.

Disponível em: <http://www.infoescola.com/movimentos-culturais/renascimento/>. Acesso em: 14 dez. 2016.

O período renascentista pode ser caracterizado pelo(a)


A) continuidade conceitual com o período medieval acerca dos principais temas como a
submissão do homem a questões de natureza teológica.

B) estagnação econômica.

C) estabilidade política.

D) reformulação dos conceitos acerca do homem e do lugar que ele ocupa na natureza.

E) reformulação de conceitos científicos e políticos.

GABARITO 1A / 2 B / 3 B / 4 C / 5D

3ª Série – Sociologia

1-

Disponível em: <https://atitudereflexiva.files.wordpress.com/2016/04/3poderes.jpeg>. Acesso em: 19 dez. 2016.

No que tange aos três poderes da República marque a alternativa incorreta.

A) O poder executivo é encabeçado pelo presidente.

B) O poder legislativo é composto de senadores e deputados.

C) O poder judiciário é quem exerce o controle de constitucionalidade.

D) Junto com o presidente da República, governadores e prefeitos compõem o Poder


Executivo.

E) Os juízes são responsáveis pela criação das leis.

2 - Montesquieu, inspirado na teoria esposada por John Locke, entende que os Poderes
Legislativo, Executivo e Judicial devem ser atribuídos a pessoas diferentes, sem, contudo,
pontuar rigorosa separação entre as funções. Em Montesquieu há verdadeira harmonia que
enseja a atribuição conjunta e indivisível de três órgãos, quer dizer, a soberania de três órgãos
políticos.
PEIXINHO, Manoel Messias. Disponível em:
<http://www.publicadireito.com.br/conpedi/manaus/arquivos/anais/brasilia/07252.pdf>. Acesso 19 dez. 2017.
Montesquieu argumentava que o Legislativo, o Executivo e o Judiciário precisariam ser
separados e independentes entre si. Entre as características que distinguem esse princípio
destaca-se a ideia de que a(o)

A) equilíbrio dos três poderes é eficaz no plano constitucional, inexistindo na política cotidiana.

B) legislativo tem mais autonomia, pois poderia criar leis específicas que favorecessem a si
próprio.

C) poder Executivo é o mais forte, por concentrar a administração da força coercitiva do


Estado.

D) poder Judiciário é o mais fraco, porque se omite de criar as leis gerais que regem a
sociedade.

E) três poderes precisam de funções distintas e de autonomia para controlarem, uns aos
outros.

3 - Nos últimos quinze anos, é medida que se acelerava a globalização liberal, este “quarto
poder” se viu esvaziado de sentido, perdendo, pouco a pouco, sua função fundamental de
contrapoder, estamos nos referindo a que tipo de poder

A) religioso.

B) tecnologias virtuais.

C) imprensa.

D) militar.

E) econômico.

4 - As Mídias sociais são espaços de interação entre usuários. São considerados exemplos de
mídias sociais: blogs, microblogs (twitter), redes sociais (Facebook), fóruns, e-groups, instant
messengers, wikis, sites de Compartilhamento de conteúdo multimídia (YouTube, Flickr,
SlideShare, Vimeo). Nestes canais, as pessoas podem dialogar e compartilhar informação. O
conteúdo de uma Mídia Social tende sempre ao infinito, uma vez que qualquer membro pode
contribuir a qualquer momento. Este diálogo entre usuários constitui blocos colaborativos de
opinião.

As Mídias Sociais significam novas oportunidades para criar e comunicar com pessoas que se
importam. As Mídias sociais trazem oportunidades tanto para grandes empresas como para
indivíduos com uma ideia, uma opinião. Mídias sociais, um meio para propagação da sua marca,
da sua opinião, da sua causa. Aproveita as mídias sociais em sua estratégia de marketing digital.
Disponível em: <http://www.pedroquintanilha.com.br/midias-sociais/o-que-sao-midias-sociais/>. Acesso em: 19 dez.
2016.

Baseado no texto acima é possível considerar que

A) apresenta uma reflexão acerca das possibilidades e do uso das novas tecnologias no
mundo atual.

B) levar os jovens a abandonar o uso das redes sociais, como Facebook e o Twitter.

C) critica a excessiva dependência das redes sociais pelos jovens.

D) mostrar que nas compras via Internet, o consumidor é sempre anônimo.

E) o advento do comércio via Internet não subverteu as teorias tradicionais de marketing.


5 - As atuais manifestações sociais no Brasil

Há alguns dias o Brasil está vivendo sob inúmeras manifestações sociais, as quais estão
repercutindo não somente em nível nacional, como também, na esfera internacional. A princípio,
imaginou-se que o objetivo dessas manifestações, as quais ganharam as ruas de várias cidades
brasileiras, fosse único e exclusivamente o aumento tido por exagerado na tarifa do transporte
coletivo urbano em algumas dessas cidades nacionais. Constatou-se, porém, aos poucos, que o
horizonte dos objetivos dessas manifestações é bem mais extenso do que aquele anteriormente
imaginado.

Não há, portanto, democracia sem normas jurídicas, bem como, democracia também não existirá
sem que as normas jurídicas existentes sejam observadas e necessariamente respeitadas por
todos, sem exceção. É exatamente este, entre outros, o exercício de equilíbrio que um país
democrático deve enfrentar, ou seja, reconhecer, permitir, respeitar e aprender com o exercício
do direito constitucional de liberdade de expressão de seu povo manifestado na forma pacífica
e, não obstante, efetivar todos os esforços e modelos necessários para a completa e necessária
solução pacífica das controvérsias, sem, no entanto, deixar de impedir que eventuais atos
contrários ao direito sejam efetivados, ainda que eventualmente concretizados por uma minoria,
tais como, a incitação à destruição de patrimônio público ou particular e demais outros crimes
tipificados no ordenamento jurídico nacional.
Disponível em: <http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/481180/as-atuais-manifestacoes-sociais-no-brasil>. Acesso
em: 19 dez. 2016.

Baseado no texto acima e nos seus conhecimentos sobre o tema considere as afirmativas a
seguir.

I. Dentre os direitos tutelados pela Constituição Federal, encontra-se o direito à


liberdade de expressão.
II. Manifestações sociais, desde que na forma pacífica, possuem legitimidade e
legalidade no Brasil.
III. A liberdade de expressão, não é necessária em país civilizado e democrático.

IV. Liberdade de expressão é um direito absoluto.

Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas.

A) I e II.

B) I, II e III.

C) I e IV.

D) II e IV.

E) II, III e IV.

GABARITO 1E / 2E / 3C / 4A / 5 A

3ª Série Filosofia

1 - “Liberalismo é o nome dado à doutrina que prega a defesa da liberdade política e econômica.
Neste sentido, os liberais são contrários ao forte controle do estado na economia e na vida das
pessoas. Em outras palavras, o liberalismo defende a ideia de que o Estado deve dar liberdade
ao povo, e deve agir apenas se alguém lesar o próximo (conhecido como Princípio do Dano). No
mais, em boa parte do tempo, as pessoas são livres para fazer o que quiserem, o que traz a ideia
de livre mercado. (...)
Disponível em: <http://www.infoescola.com/filosofia/liberalismo/>. Acesso em: 17 dez. 2016. (Fragmento)

Nessa perspectiva, podemos afirmar que o liberalismo é uma doutrina político-econômica que
tem no indivíduo o seu centro de gravidade. Podemos associá-lo ao fim do

A) copernicanismo.

B) regime burguês.

C) regime feudal.

D) protestantismo.

E) geocentrismo.

2 - Quanto ao romantismo, pode-se dizer que ele é o jorro daquilo que foi rejeitado pelo
Iluminismo. O espírito de comunidade, a relação mística com a natureza, as virtudes do
fenômeno religioso, enfim, coisas que realmente aparecem como uma espécie de reabilitação
da Idade Média.
MORIN, Edgar. Romantismo. Porto Alegre: Revista FAMECOS, no. 26, abril 2005.

Segundo o texto, o Romantismo, ao contrapor-se ao Iluminismo, valorizou o (a)

A) artificial sobre o natural.

B) coletivo sobre o individual.

C) paixão em detrimento da razão

D) racional sobre o místico.

E) local em detrimento do nacional.

3 - O Romantismo está ligado a dois acontecimentos: a Revolução Francesa e a Revolução


Industrial, responsáveis pela formação da sociedade burguesa. Depois da revolução francesa
(1787-1789), seguiu-se uma época de rápidas e profundas mudanças no mundo europeu. A
sociedade se tornou muito mais complexa.

A Revolução Industrial gerou novos investimentos que buscavam solucionar os problemas


técnicos decorrentes do aumento de produção. Sua consequência mais evidente foi a divisão
do trabalho e o início da especialização da mão-de-obra.
Disponível em: <http://denisemiletto.blogspot.com.br/p/romantismo.html>. Acesso em: 16 dez. 2016.

O Romantismo pode ser associado ao Liberalismo na medida em que

A) não valoriza aspectos emocionais.

B) reforça o individualismo.

C) reforça a coesão social.

D) apregoa a intervenção do Estado em assuntos privados.

E) defende a intervenção da Igreja na vida pessoal.


4 - O Positivismo, inaugurado por Augusto Comte desde os seus primórdios, se intitulou como
uma espécie de física social. Isso porque o método usado pelos positivistas buscava descrever
de forma quantitativa aspectos mensurados no mundo físico. Podemos então dizer que o método
utilizado por eles era

A) conceitual.

B) dialético.

C) empírico.

D) dedutivo.

E) transcendental.

5 - O botão desaparece no desabrochar da flor, e poderia dizer-se que a flor o refuta; do


mesmo modo que o fruto faz a flor parecer um falso ser-aí da planta, pondo-se como sua
verdade em lugar da flor: essas formas não só se distinguem, mas também se repelem como
incompatíveis entre si [...].

HEGEL, G.W.F. Fenomenologia do Espírito. Petrópolis: Vozes, 1988

Hegel, prosseguindo na árdua tarefa de unificar o dualismo de Kant, substituiu o eu de Fichte e


o absoluto de Schelling por outra entidade: a ideia. A ideia, para Hegel, deve ser submetida
necessariamente a um processo de evolução dialética, regido pela marcha triádica da

A) experiência, juízo e raciocínio.

B) realidade, crítica e conclusão.

C) matéria, forma e reflexão.

D) tese, antítese e síntese.

E) experiência, tese e conclusão


GABARITO 1 C / 2 C / 3 B / 4 C / 5D