Você está na página 1de 18

PROEDUCADOR

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE EDUCADORES


CURSO DE APERFEIÇOAMENTO - PROGRAMA

MÉTODO PARA O DESENVOLVIMENTO DA


UNIDADE CURRICULAR MATEMÁTICA APLICADA (CAI)

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de São Paulo - Ano 2012
PROEDUCADOR – Programa de Formação de Educadores do SENAI-SP – Curso
de Aperfeiçoamento – Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular
Matemática Aplicada (CAI) – Programas – 32h.

SENAI-SP, 2012

Diretoria Técnica Ricardo Figueiredo Terra

Gerência de Educação João Ricardo Santa Rosa

Supervisão Paulo Rogério Borges

Coordenação dos Programas Eliana Misko Soler

Margarida Maria Scavone Ferrari

Elaboração Anderson Aparecido Campanharo – CFP 6.03

Eliane Portalone Crescenti – CFP 6.01

Flávio Máximo – CFP 3.01

1
2
SUMÁRIO

I. OBJETIVO .............................................................................................................. 5
II. REQUISITOS DE ACESSO .................................................................................... 5
III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO ................................................................................. 5
a) Modalidade e carga horária do curso......................................................... 5
b) Organização de Turmas ............................................................................ 6
c) Desenvolvimento Metodológico do Curso.................................................. 6
d) Conteúdo Formativo .................................................................................. 7
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS ............................................................................. 10
V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA .................................................................... 11
VI. CERTIFICADOS.................................................................................................... 12

3
4
I. OBJETIVO

O curso Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular Matemática


Aplicada (CAI) têm por objetivo capacitar docentes na aplicação de metodologia
específica adotada nas unidades curriculares Matemática e Matemática Aplicada, tendo
em vista desenvolver nos alunos a capacidade de empregar conceitos e estabelecer
relações matemáticas em cálculos de dimensionamento, em operações básicas e
ensaios, essenciais para a solução de problemas técnicos.

II. REQUISITOS DE ACESSO

Para realizar o curso é necessário exercer uma das funções:


 Docente do quadro:
– instrutor de práticas profissionais – atividades básicas, intermediárias e
avançadas,
– instrutor de aperfeiçoamento profissional – áreas básicas,
intermediárias e avançadas,
– professor,
 Coordenador de atividades pedagógicas,
 Coordenador de atividades técnicas,
 Orientador de prática profissional.

Além da exigência acima, é necessário ter realizado anteriormente um dos cursos


- Prática Pedagógica para Cursos Estruturados com Base em Competências
ou Planejamento de Ensino e Avaliação do Rendimento Escolar - PEARE.

III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO

a) Modalidade e carga horária

O curso Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular Matemática


Aplicada (CAI) – é desenvolvido na modalidade presencial com 32 horas.

5
b) Organização de Turmas

As turmas são organizadas com um número máximo de 40 participantes.

c) Desenvolvimento Metodológico do Curso

Esse curso terá o enfoque didático-pedagógico sobre a utilização da Matemática


como ferramenta facilitadora da formação profissional, buscando desenvolver as
competências necessárias ao docente, visando ampliar sua práxis pedagógica.

A aprendizagem de conceitos e procedimentos matemáticos está ligada à


compreensão, ou seja, à atribuição e apreensão de significado. Dessa forma, o
tratamento dos conteúdos de forma rígida, em uma sucessão linear, deve ser
substituída por uma abordagem que favoreça a análise e a reflexão, pelo aluno,
sobre sua aplicabilidade e sobre as conexões que estabelece com a área de
formação profissional.

As estratégias de ensino focam a prática que o docente utiliza no desenvolvimento


do seu trabalho e, sendo assim, são utilizados no desenvolvimento desse curso
diferentes espaços de aprendizagem, buscando focar os variados problemas
matemáticos presentes nas diversas áreas profissionais.

Assim, na oficina de mecânica são discutidos conceitos como transmissão de


movimentos, proporcionalidade, aplicação de ângulos e alguns fenômenos físicos
explicados pela matemática. Na oficina de eletroeletrônica, são realizados
ensaios, utilizando protoboard para comprovar as expressões algébricas
desenvolvidas em sala de aula, tendo em vista discutir, também, a relevância de
se buscar a aprendizagem significativa.

Ao longo de todo o curso, a discussão deve enfatizar a importância da resolução


de problemas, uma vez que o conhecimento matemático torna-se significativo
quando há situações desafiadoras propostas, que conduzem à busca de solução
e ao desenvolvimento de habilidades de análise, de reflexão, de avaliação, entre
outras, inerentes à formação profissional.

6
Serão discutidas, também, as várias formas de avaliação e como essas
informações contribuem para o retroalimentação dos processos de ensino e
aprendizagem.

Nessa direção, outra discussão a ser feita refere-se ao desenvolvimento de


funções cognitivas, que pode se dar a partir do estabelecimento de relação
dialógica com os alunos, por meio da adoção de postura mediadora.

d) Conteúdo Formativo

O conteúdo formativo é composto de capacidades técnicas, sociais, organizativas,


metodológicas e conhecimentos a estas relacionados.

7
Curso: Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular Matemática Aplicada (CAI) – 32 horas
Capacidades Técnicas Conhecimentos

1. Identificar a finalidade da Matemática desenvolvida na Educação Básica e na  Documentos Norteadores: Proposta Educacional,
Educação Profissional; Proposta Pedagógica, Plano de Curso, Elementos
2. Relacionar as diretrizes e procedimentos educacionais do SENAI/SP com o Curriculares, Ditec 008 e seus anexos;
desenvolvimento da unidade curricular Matemática Aplicada;  Conjuntos numéricos (naturais, inteiros, relativos,
3. Avaliar em que situações os conceitos de conjuntos numéricos são aplicáveis racionais e reais);
em diferentes contextos ocupacionais;  Geometria Plana e Espacial;
4. Aplicar o conceito de conjuntos numéricos em um determinado contexto  Relações Trigonométricas;

ocupacional;  Regra de Três Simples;

5. Avaliar em que situações os conceitos de geometria plana e espacial são  Estatística Básica;

aplicáveis em diferentes contextos ocupacionais;  Álgebra de Boole;


 Recursos educacionais adequados à Matemática
6. Aplicar os conceitos de geometria plana e espacial em um determinado
Aplicada.
contexto ocupacional;
7. Avaliar em que situações os conceitos de trigonometria são aplicáveis em
diferentes contextos ocupacionais;
8. Aplicar os conceitos de trigonometria em diferentes contextos ocupacionais;
9. Avaliar em que situações os conceitos de grandezas proporcionais são
aplicáveis em diferentes contextos ocupacionais;
10. Aplicar os conceitos de grandezas proporcionais em diferentes contextos
ocupacionais;
11. Avaliar em que situações os conceitos estatísticos são aplicáveis em
diferentes contextos ocupacionais;
12. Aplicar os conceitos de estatística em diferentes contextos ocupacionais;
13. Avaliar em que situações os conceitos de Álgebra de Boole são aplicáveis em
diferentes contextos ocupacionais;

8
Curso: Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular Matemática Aplicada (CAI) – 32 horas
14. Aplicar os conceitos de Álgebra de Boole em diferentes contextos
ocupacionais;
15. Avaliar se o aluno identifica o significado e a relevância da aplicação dos
conceitos matemáticos na prática profissional;
16. Identificar os diferentes recursos educacionais necessários para o
desenvolvimento da unidade curricular Matemática Aplicada.

Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas

1. Trabalhar em equipe
2. Ter senso crítico
3. Ter visão sistêmica
4. Ter concentração
5. Ser pró-ativo
6. Ser criterioso
7. Ter capacidade de análise
8. Ter iniciativa

9
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS

SALA DE AULA CONVENCIONAL


 Carteiras e cadeiras que permitam diferentes arranjos físicos;
 Quadro branco;
 Flip-chart;
 Computador com acesso a internet;
 Data-show;
 Pincel atômico de diferentes cores;
 Canetas para quadro branco de diferentes cores;
 20 folhas de papel A0 para flip-chart;
 100 folhas de papel sulfite A4;
 Lápis;
 Borracha;
 Bloco para rascunho;
 Sólidos geométricos;
 Material didático impresso: 1 exemplar para cada participante e 1 para o docente.

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA

 Protoboard
 Circuitos integrados
 Cabos para conexão
 Fontes de tensão ajustável
 EPIs: óculos de segurança e calçado de couro

OFICINA AUTOMOBILÍSTICA

 Motores
 Suspensões
 Caixa de transmissão aberta
 Eixo com as engrenagens da caixa de transmissão
 Ferramental necessário
 EPIs: óculos de segurança e calçado de couro

10
OFICINA DE USINAGEM

 Torno mecânico
 Fresadora
 Furadeira de bancada
 EPIs: óculos de segurança e calçado de couro

LABORATÓRIO DE CONTROLE DIMENSIONAL

 Paquímetros
 Micrômetros
 Mesa de seno
 Escalas

V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA

1. DEPRESBITERIS, L. O Desafio da Avaliação da Aprendizagem. São


Paulo: EPU, 1989.

2. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Matemática: Ensino Fundamental.


Porto Alegre: Globo, 2009.

3. GOMES, C. M. A. Feuerstein e a construção mediada do


conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2002.

4. MEIER, Marcos; GARCIA, Sandra. Mediação da aprendizagem:


contribuições de Feuerstein e de Vygotsky. 3 ed. Curitiba: Edição do Autor,
2008. 212p.

5. MELO, M. M. (ORG). Avaliação na Educação. Pinhais, PR: Editora


Melo,2007.

6. SENAI.SP. Proposta Educacional do SENAI/SP – versão 01. São


Paulo, 2000.

7. SENAI.SP. DITEC 008 – versão 02. São Paulo, 2008.

11
8. SOUZA, A. M. M; DEPRESBITERIS, L.; MACHADO, O. T. M. A
mediação como princípio educacional. Bases teóricas das abordagens de
Reuven Feurstein. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VI. CERTIFICADOS

O aluno que concluir o curso, demonstrando desempenho de acordo com as


capacidades prescritas como conteúdo formativo, recebe um certificado de
Método para o Desenvolvimento da Unidade Curricular Matemática
Aplicada (CAI).

12
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO


00 Maio/2011 Emissão do documento

13
Programa de Formação de Educadores
SENAI-SP

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial


Departamento Regional de São Paulo
www.sp.senai.br