Você está na página 1de 18

PROEDUCADOR

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE EDUCADORES


CURSO DE APERFEIÇOAMENTO - PROGRAMA

ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA O


DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS E PRODUTOS

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de São Paulo - Ano 2012
PROEDUCADOR – Programa de Formação de Educadores do SENAI-SP - Curso
de Especialização - Elaboração de Projetos para o Desenvolvimento de
Processos e Produtos – Programa – 60 h

SENAI-SP, 2012

Diretoria Técnica Ricardo Figueiredo Terra

Gerência de Educação João Ricardo Santa Rosa

Supervisão Paulo Rogério Borges

Coordenação dos Programas Eliana Misko Soler

Margarida Maria Scavone Ferrari

Elaboração Vicente Manuel Cristofoletti Calvo – Gerência de Inovação


e de Tecnologia - GIT

1
2
SUMÁRIO

I. OBJETIVO..............................................................................................................5
II. REQUISITOS DE ACESSO ...................................................................................5
III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO ................................................................................6
a) Modalidade e carga horária do curso ....................................................... 6
b) Organização de Turmas ........................................................................... 6
c) Desenvolvimento Metodológico do Curso ................................................ 6
d) Conteúdo Formativo ................................................................................. 8
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS ..............................................................................9
V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA....................................................................10
VI. CERTIFICADOS...................................................................................................12

3
4
I. OBJETIVO

O curso Elaboração de Projetos para o Desenvolvimento de Processos e


Produtos tem por objetivo:
 Conceber e planejar projetos, tendo em vista a solução de problemas
que estejam fundamentados na visão sistêmica de um determinado
processo, seja ele de produção, de construção, de administração e de
suporte à produção ou, ainda, de prestação de serviços.
 Avaliar a viabilidade de projetos de acordo com critérios definidos.

II. REQUISITOS DE ACESSO

Para realizar o curso é necessário:


Exercer a função - docente do quadro:

– instrutor de práticas profissionais – atividades básicas,


intermediárias e avançadas,
– professor.

Além das exigências acima, é necessário ter realizado anteriormente o


curso Metodologia do Trabalho Cientifico e ser docente da unidade
curricular Projetos ou Desenvolvimento de Projetos ou participar do
Inova Senai como autor ou orientador de trabalhos.

5
III. ORGANIZAÇÃO DO CURSO

a) Modalidade e carga horária do curso

O curso Elaboração de Projetos para o Desenvolvimento de Processos e


Produtos é desenvolvido em 60 horas, sendo 16 h na modalidade presencial e
44h de acompanhamento posterior.

b) Organização de Turmas

As turmas são organizadas com um número máximo de 40 participantes.

c) Desenvolvimento Metodológico do Curso

A cultura de desenvolvimento de projetos nos cursos técnicos do SENAI-SP já


está disseminada, desde 2000, na unidade curricular Projetos, que é culminância
dessa modalidade de curso. Além disso, as Metodologias SENAI para Formação
Profissional com Base em Competências, especificamente no Norteador da
Prática Pedagógica, apresenta projetos nas vertentes ensino e aprendizagem
como uma das práticas para se alcançar o Perfil Profissional de Conclusão.

Dentro deste contexto, cabe considerar que a ênfase deste curso recai sobre o
desenvolvimento de projetos na vertente aprendizagem, devendo ser colocados
para reflexão e discussão dos participantes alguns temas a esse respeito.

Segundo Moesby, os projetos podem estar presentes no currículo em diferentes


momentos e a escolha do docente interfere nos resultados a serem alcançados.
Moura aborda os tipos de projetos, sua complexidade e utilidade na formação do
aluno. Portanto é relevante que o docente identifique os alunos que estão
preparados para assumir problemas de maior magnitude, abrangência e
complexidade.

Assim, este curso pretende a troca de experiências entre os participantes,


docentes, sobre a sua prática pedagógica, tendo em vista o desenvolvimento de
6
projetos. E, como forma de melhorar a efetividade do seu trabalho, o curso
apresenta o “ciclo de vida de projetos”, utilizado pelo Project Management
Institute – PMI, como uma das alternativas para a organização dos trabalhos dos
alunos dos cursos do SENAI – SP.

Durante o desenvolvimento deste curso, com a aplicação de conhecimentos


adquiridos em Metodologia do Trabalho Científico, os participantes devem, a
partir de um dado modelo de acompanhamento de projetos na vertente
aprendizagem, elaborar um instrumento específico para isso, a ser utilizado em
situação real.

Posteriormente à fase presencial será realizado o acompanhamento das


atividades do participante, que, por sua vez deve acompanhar o desenvolvimento
dos projetos dos alunos, utilizando o instrumento já elaborado. E, cabe
esclarecer que para esse trabalho o participante deve dispor de 40h.

Durante a fase em que o participante deve ser acompanhado, é solicitada a


entrega de dois trabalhos, quais sejam, o Plano de Ação com o escopo dos
projetos a serem desenvolvidos pelos alunos na unidade curricular Projetos,
incluindo uma proposta de monitoramento. O segundo constitui-se em Relatório
de resultados alcançados ao final da execução de cada um dos projetos.

O primeiro trabalho deve ser entregue ao docente deste curso na primeira


semana de março ou de setembro, dependendo do semestre do ano. No final da
primeira quinzena de junho ou dezembro, deve ser entregue o relatório.

A avaliação dos dois trabalhos, realizado pelo docente deste curso, será
apresentada aos participantes em uma reunião presencial de 4 horas, a ser
definida para o início do semestre seguinte.

7
d) Conteúdo Formativo

O conteúdo formativo é composto de capacidades técnicas, sociais,


organizativas, metodológicas e conhecimentos a estas relacionados.

Curso: Elaboração de Projetos para o Desenvolvimento de Processos e


Produtos: - 60 horas
Capacidades Técnicas Conhecimentos
1. Analisar o modelo que contribui em cada momento 1. Modelos de Projetos:
do curso para o alcance do Perfil Profissional de 1.1. Individual,
conclusão. 1.2. Grupo,
2. Identificar linhas de pesquisa e atuação dos 1.3. Institucional;
docentes da unidade onde trabalha. 2. Tipos de Projetos:
3. Avaliar o tipo de projeto mais adequado á maturidade 2.1. Intervenção,
e ao desenvolvimento de cada aluno. 2.2. Pesquisa,
4. Identificar as oportunidades de se trabalhar com 2.3. Desenvolvimento,
projetos, na vertente aprendizagem, nos cursos do 2.4. Ensino,
SENAI. 2.5. Trabalho;
5. Organizar o processo de trabalho com as turmas. 3. Ciclo de vida dos projetos:
6. Avaliar a viabilidade de cada projeto nas fases 3.1. Inicialização,
iniciais, de acordo com a turma e o curso. 3.2. Planejamento,
7. Avaliar a relevância de se desenvolver projetos 3.3. Execução,
planejadamente. 3.4. Controle,
8. Definir critérios de avaliação do desenvolvimento de 3.5. Encerramento
projetos nas suas diferentes etapas. 4. Modelo de Plano de Projeto:
9. Elaborar instrumento de acompanhamento do 4.1. Escopo,
desenvolvimento de projetos pelos alunos, de acordo 4.2. Plano de Ação,
com os critérios definidos. 4.3. Plano de Controle e Avaliação.
10. Avaliar se a proposta do projeto é pertinente para o 5. Projetos temáticos de Inovação no SENAI-SP.
alcance do Perfil Profissional de Conclusão do curso.
11. Avaliar o trabalho discente de acordo com o proposto
na fase de planejamento do projeto.

Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas

1. Ter visão sistêmica


2. Ter capacidade de organização.
3. Ter capacidade de análise.
4. Ter capacidade de avaliação.
5. Obedecer a normas na elaboração de textos técnicos
6. Utilizar a língua padrão na elaboração de textos
técnicos.

8
IV. AMBIENTES PEDAGÓGICOS

SALA DE AULA CONVENCIONAL


 Carteiras e cadeiras que permitam diferentes arranjos físicos;
 Quadro branco;
 Flip-chart;
 Computador com acesso à Internet;
 Data-show;
 Pincel atômico de diferentes cores;
 Canetas para quadro branco de diferentes cores;
 20 folhas de papel a A0 para flip-chart;
 100 folhas de papel sulfite A4;
 Lápis;
 Borracha;
 Bloco para rascunho;
 Material didático impresso (1exemplar para cada participante e 1 para o docente):
 Observação: os participantes devem portar:
o Plano de Curso em que o participante, docente, leciona.
o Elementos curriculares – Projetos.
o Livros utilizados como subsídio para o desenvolvimento da unidade curricular
Projetos.
o Apresentação elaborada com, no mínimo: nome e a experiência profissional e
acadêmica; unidade escolar (com linhas de atuação), curso e metodologia
adotada nele e proposta utilizada no desenvolvimento da unidade curricular
Projetos.

9
V. BIBLIOGRAFIA PARA CONSULTA

1. ARAUJO, Ulisses F.; SASTRE, Genoveva (Org.). Aprendizagem baseada


em problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, 2009.

2. BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem


baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos?
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v2n2/08.pdf>. Acesso em 13 de jun.
2011.

3. BERBEL, Neusi Aparecida Navas. O problema de estudo na metodologia


da problematização. Disponível em:
<http://www.uel.br/pos/mestredu/images/stories/downloads/docentes/conheca_neu
si_arq1.pdf>. Acesso em 13 de jun. 2011.

4. Buck Institute for Education. Aprendizagem baseada em projetos: guia


para professores de ensino fundamental e médio. Porto Alegre: Artmed, 2008.

5. ComCiencia - Revista eletrônica de jornalismo científico. Aprendizagem


baseada em problemas. Edição nº 115 disponivel em:
<http://www.comciencia.br/comciencia>. Acesso em 13 de jun. 2011.

6. Congresso Internacional de PBL 2010 – Aprendizagem baseada em


problemas e metodologia ativas de aprendizagem. Disponível em:
<http://www.uspleste.usp.br/pbl2010/index_pt.htm>. Acesso em: 13 de jun. 2011.

7. d'Ávila Márcio. PMBOK e Gerenciamento de Projetos. Disponível em:


<http://www.mhavila.com.br/topicos/gestao/pmbok.html>. Acesso em: 13 de jun.
2011.

8. FLEURY, Afonso. A tecnologia industrial básica (TIB) como


condicionante do desenvolvimento industrial na América Latina. Santiago de
Chile: Cepal-gtz, 2007. 45 p. Disponível em: <
http://www.eclac.cl/iyd/noticias/paginas/1/31431/TIB_Fleury.pdf >. Acesso em: 13
jun. 2011.

9. GUEDES, Maria da Graça et al. (Org.). Bolonha: ensino e aprendizagem


por projeto. Lisboa: Centro Atlântico, 2007.

10. HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A organização do


currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. Porto
Alegre: Artmed, 1998.

10
11. JUNGMANN, Diana de Mello; BONETTI, Esther Aquemi. Inovação e
propriedade intelectual: guia para o docente. Brasília: Senai, 2010. Disponível
em: < http://www.propintelectual.com.br >. Acesso em: 13 jun. 2011.

12. MOESBY EGON Implementation of Problem-Based Learning in a


Traditional University Setting. Disponível em:
http://www.prolehre.tum.de/symposium2011/doku/keynote_moesby2.pdf>. Acesso
em 13 de jun. 2011.

13. MOURA, Dácio G. e BARBOSA, Eduardo F. Modelo de Plano de Projeto


orientado pelo Escopo. Disponível em:
<http://www.tecnologiadeprojetos.com.br/>. Acesso em: 13 jun. 2011.

14. MOURA, Dácio G. e BARBOSA, Eduardo F. Trabalhando com projetos –


Planejamento e gestão de projetos educacionais. Petrópolis: Vozes, 2010.

15. MOURA, Dácio G. e BARBOSA, Eduardo F. Uma proposta de tipologia


de Projetos Educacionais. Disponível em: <
http://www.tecnologiadeprojetos.com.br/>. Acesso em: 13 jun. 2011.

16. PAROLIN, Sonia Regina Hierro et al. (Org.). Elaboração de projetos


inovadores na educação profissional. 2. ed. Curitiba: SESI/SENAI/PR, 2008.
144 p. (Coleção Inova). Disponível em: <http://www.fiepr.org.br/colecaoinova>.
Acesso em: 13 jun. 2011.

17. PRADO, Darci. Planejamento e controle de projetos. Belo Horizonte:


INDG, 2004.

18. SANSÃO, Woiler; MATHIAS, Washington Franco. Projetos: planejamento,


elaboração, análise. São Paulo: Atlas, 2008.

19. SENAI – DN - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. Departamento


Nacional. Metodologias SENAI para Formação Profissional com Base em
Competências: Norteador da Prática Pedagógica/ SENAI/DN. – 3. ed. –
Brasília, 2009.

20. TRAVASSOS, Alexandre. PMBoK ® 4ª Edição - Project Management


Institute. Disponível em: http://www.technopoint.com.br/arquivos/mapas/00%20-
%20PMBoK%204%C2%AA%20Edi%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 13 jun.
2011.

21. VARGAS, Ricardo. Fluxo de processos - pmbok® - 4a edição .


Disponível em: <http://saletto.com.br/italo/wp-
content/uploads/2010/03/Fluxo_PMBOK4.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2011.

11
VI. CERTIFICADOS

O aluno que concluir o curso, demonstrando desempenho de acordo com as


capacidades prescritas como conteúdo formativo, recebe um certificado de
Elaboração de Projetos para o Desenvolvimento de Processos e Produtos.

12
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO


00 13/06/2011 Primeira edição

13
Programa de Formação de Educadores
SENAI-SP

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial


Departamento Regional de São Paulo
www.sp.senai.br