Você está na página 1de 12

Quando estava aprendendo a andar, o seu filho…

1. Teve problemas em se soltar de você.


2. Andar? Ele já começou a correr assim que conseguiu dar o primeiro passo.
3. Ficou feliz em continuar engatinhando.
4. Estava determinado a conseguir andar sozinho.

Enquanto você está preparando o jantar, seu filho provavelmente…


1. Fica no sofá vendo livros.
2. Corre pela casa, fica de ponta-cabeça no sofá e começa a montar um quebra-cabeças,
tudo isso em cinco minutos.
3. Brinca com seus brinquedos ou fica junto com o irmão. Porém, se você pedir, ele fica
feliz em arrumar a mesa.
4. Continua a montar o vilarejo de Lego que começou a fazer dias atrás.

Se você está visitando o zoológico, seu filho é mais tendecioso a…


1. Chorar quando o leão ruge.
2. Correr para ver o próximo animal.
3. Deixar você guiá-lo pelo passeio.
4. Insistir em ver os macacos primeiro, porque são os seus favoritos (e ficar chateado
quando você para primeiro nos ursos polares).

Quando seu filho está desenhando, provavelmente ele irá…


1. Trabalhar no desenho quieto até que o seu giz de cera quebre, o que desencadeia uma
crise.
2. Rabiscar furiosamente por alguns minutos, perder o interesse e buscar outra atividade.
3. Colorir contente, sussurrando enquanto trabalha no desenho.
4. Começar três vezes porque o desenho não está bom o suficiente.

Se ele está começando um novo curso ou atividade em grupo, você fica mais
preocupada que…
1. Ele se recuse a participar enquanto você estiver lá.
2. Tenha problemas por ele não prestar atenção.
3. Na verdade, você não se preocupa, ele lida muito bem com novas situações.
4. O seu filho tente ser a estrela e fique exibindo suas habilidades para todo mundo.

Em uma reunião de família com um monte de gente que o seu filho não conhece, ele
tende a…
1. Se esconder atrás de você e ficar encarando o chão.
2. Correr pela casa, batendo em todas as coisas que encontra no caminho.
3. Juntar-se às outras crianças para brincar no jardim.
4. Convencer as outras crianças a fazer um show para os adultos.

Saiba qual é o seu plano personalizado:

Se você escolheu mais 1: Seu filho é sensível.

Emocional e cauteloso, ele tem problemas em lidar com com mudanças e novas pessoas.
Pelo outro lado, crianças com esse tipo de temperamento tendem a seguir regras com
bastante consciência.

 Prepare-o para situações desafiadoras. Se ele tiver que ir a um aniversário onde você não
estará, dê o passo a passo. Por exemplo, fale que ele deve entrar, deixar o presente junto
com a pilha, parabenizar o amigo e depois se juntar às outras crianças para brincar.
 Reconheça as emoções. Caso ele abra o berreiro quando você desligar a televisão, diga
que você entende que ele está chorando porque gostaria de assistir mais um desenho, mas
que agora farão outra atividade e deixe-o escolher qual.
 Use elogios específicos. Crianças sensíveis gostam de agradar aos seus pais, então
comemore o bom comportamento, especialmente nas situações em que ele precisa superar
os próprios medos.

Se você escolheu mais 2: Seu filho é impetuoso.

Impulsivo e energético, ele tem dificuldade em sentar e se concentrar em uma tarefa. Ele
também fica entusiasmado com todas as situações.

 Reforce as regras. Dê explicações claras, repita-as com frequência e seja consistente. Isso
é necessário porque o seu filho se distrai facilmente. Olhar nos olhos enquanto fala com
ele também é muito importante.
 Planeje com antecedência.Certifique-se de que o seu filho não está com fome, cansado
ou entediado antes de um evento, já que esses fatores tendem a incitar problemas de
comportamento. Se ele ainda tiver que sentar e esperar durante algum tempo (como em
um casamento), deixe-o queimar energia de antemão e leve algum brinquedo para que ele
possa ficar com as mãos ocupadas.
 Atribua uma tarefa. Se você está em um parque de diversões, peça para que ele empurre
o carrinho do irmão. Quando você está indo ao carro, faça com que ele carregue algo.
Esta é uma forma de trabalhar seu ímpeto, ao invés de ir contra ele.

Se você escolheu mais 3: Seu filho é maleável.


Ele raramente discute e geralmente faz o que lhe é pedido. Mas ele pode ser relutante em
fazer mais que o mínimo. Como um seguidor de vontades, ele pode se meter em encrenca
por seguir outra criança que gosta de testar os limites.

 “Fofoque” sobre ele. Sussurre alto para alguém sobre como ele fez algo muito certo ou
com eficiência e o quanto você ficou orgulhosa, funciona até falar com os bichinhos de
pelúcia! É fácil garantir o bom comportamento do seu filho, mas você deve reconhecer
isso, para que ele não precise buscar sua atenção.
 Ajude-o a ser mais assertivo. Encoraje o seu filho a se impor ao invés de seguir a multidão.
Se os amiguinhos estão se comportando mal, ele deve saber se impor e não os seguir.
 Seu filho pode mal piscar quando você grita com ele para que se apresse e pode ser que
nem se importe em ser privado de algo que deseja. Ao invés disso, motive-o com
incentivos, por exemplo, diga a ele que pode chamar o amigo para brincar em casa quando
acabar a lição.

Se você escolheu mais 4: Seu filho é determinado.

Crianças com essa característica adoram estar no comando e amam vencer. Elas são muito
orientadas através de metas e podem ter dificuldades em se comprometer. Por outro lado,
são persistentes, aplicadas e líderes natos.

 Deixe-o palpitar em uma decisão. Dê opções ao seu filho ao invés de apenas ditar o que
ele deve fazer. Por exemplo: “você quer colocar o pijama ou escovar os dentes primeiro?”
 Comece uma corrida. Seu filho floresce com competições, então use brincadeiras de
“crianças contra adultos” e desafios contra o tempo para motivá-lo. Por exemplo: “você
consegue guardar todas as peças de Lego antes de eu contar até 20?”
 Dê avisos. Crianças extremamente focadas não gostam de ser interrompidas em suas
tarefas e precisam de muitos avisos sobre transições. Ante de fazê-lo parar de brincar, por
exemplo, dê a ele avisos entre 15, 10 e 5 minutos até do momento de interrompê-lo
ESCALA DE CONNERS

Destinada a pais e professores, visando o diagnóstico da hiperatividade, adaptada


e validada no Brasil por Barbosa (1995).

versão para pais – ponto de corte igual a 58


nunca = 0 ; às vezes = 1
freqüentemente = 2; sempre = 3

Comportamento habitual em casa


1. Desperta à noite 0
2. Tem medo diante de novas situações 2
3. Tem medo de gente 1
4. Tem medo de estar sozinho 1
5. Preocupa-se com doenças e mortes 1
6. Mostra-se tenso e rígido 0
7. Apresenta sacudidas ou espasmos musculares 3 quando fica muito nervoso
8. Apresenta tremores 0
9. Sente dores de cabeça 3
10. Sente dores de estômago 0
11. Tem vômitos 0
12. Queixa-se de enfermidades e dores 2
13. Deixa-se levar por outras crianças 3
14. Desafia e intimida os demais 3
15. É valente (arrogante) e desrespeita seus superiores (insolente) 2
16. É descarado com os adultos 2
17. É tímido diante dos amigos 2
18. Teme não agradar seus amigos 1
19. Tem amigos sim
20. É malicioso com seus irmãos 1
21. Briga constantemente 3
22. Critica muito outras crianças 3
23. Aprende na escola 3
24. Gosta de ir à escola 3
25. Tem medo de ir à escola 0
26. Desobedece as normas da escola 2
27. Mente, culpando os demais dos seus erros 2
28. Realiza roubos de seus pais 1
29. Realiza roubos na escola 0
30. Rouba em lojas, em barracas e em outros lugares 0
31. Tem problemas com a polícia 1
32. Pretende fazer tudo bem feito (perfeito) 2
33. Necessita fazer sempre as coisas da mesma maneira 0
34. Tem objetivos muito altos (sonhar alto) 3
35. Distrai-se facilmente 1
36. Mostra-se nervoso e inquieto 3
37. Não pode ficar quieto 0
38. Sobe em todas as partes 0
39. Desperta-se muito cedo 2
40. Não fica quieto durante as refeições 0
41. Se começa a fazer alguma coisa, repetitivamente, é impossível parar 0
42. Seus atos dão a impressão de serem movidos por um motor 1

Versão para professores – ponto de corte igual a 62

I. Comportamento na sala de aula

1. Constantemente se mexendo
2. Emite sons, ruídos
3. Pedidos tem que ser imediatamente atendidos
4. Coordenação motora comprometida, fraca
5. Inquieto, superativo
6. Excitável, impulsivo
7. Desatento, facilmente distraído
8. Não termina o que começa
9. Extremamente sensível
10. Extremamente sério, triste
11. Sonha acordado
12. Mal-humorado, rabugento
13. Chora com freqüência e facilidade
14. Perturba outras crianças
15. Provoca confusões
16. Humor muda drasticamente com rapidez
17. Matreiro, faz-se de esperto
18. Destrutivo
19. Furta
20. Mente
21. Explosões de raiva, comportamento imprevisível, explosivo.

II. Participação em Grupo

22. Isola-se de outras crianças


23. Parece não ser aceito pelo grupo
24. Parece se deixar levar com facilidade
25. Não tem "espírito esportivo"
26. Parece não ter liderança
27. Não se relaciona bem com o sexo oposto
28. Não se relaciona bem com crianças do mesmo sexo
29. Provoca outras crianças ou interfere com as suas atividades

III. Atitude em relação a autoridades

30. Submissa
31. Desafiadora
32. Atrevida
33. Tímida
34. Medrosa
35. Excessiva exigência da atenção do professor
36. Teimosa
37. Excessivamente ansiosa para agradar
38. De não cooperação.
39. Falta à aula com frequência

Segmento Resultado
Pais
Escola
Como avaliar:
1) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9
= existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.
2) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a
18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa
criança ou adolescente.
O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A)
para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.

IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério


A! Veja abaixo os demais critérios.
CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima)
CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.
CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2
contextos diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).
CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos
sintomas.
CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental,
psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.

Teste TDAH

Leia essa lista de comportamentos e classifique-se em cada comportamento catalogado.


Use a escala e coloque o número apropriado ao lado do item.

0 = nunca
1 = raramente
2 = ocasionalmente
3 = freqüentemente
4 = muito freqüentemente

___21. Incapacidade de prestar atenção a detalhes


ou evitar erros por falta de cuidado.
___32. Problema em manter a atenção em situações
de rotina (dever de casa, tarefas,papelada, etc.).
___43. Dificuldade em ouvir.
___24. Incapacidade de terminar coisas, seguimento
insuficiente.
___25. Falha na organização de tempo e espaço.
___26. Distração.
___27. Pouca habilidade de planejamento.
___18. Falta de objetivos definidos ou de pensar no futuro.
___49. Dificuldade em expressar os sentimentos.
___210. Dificuldade em expressar solidariedade pelos outros
___011. Excessivo sonhar acordado
___312. Tédio
___013. Apatia ou falta de motivação
___014. Letargia
___015. Sentimento de vazio de estar "em uma neblina"
___116. Desassossego ou dificuldade de ficar parado
___117. Dificuldade de permanecer sentado em situações em que se espera que a pessoa
fique sentada
___318. Busca de conflito
___119. Falar demais ou de menos
___320. Dar rápido a resposta, antes de as
perguntas terem sido completadas.
___321. Dificuldade em esperar sua vez
___222. Interrupção dos outros ou intromissão
(por exemplo: meter-se em conversas ou jogos)
___423. Impulsividade (dizer ou fazer coisas sem pensar antes)
___324. Dificuldade de aprender pela experiência,
tendência para cometer erros repetitivos.

Avaliação

Cinco ou mais sintomas com a nota 3 ou 4 é indicativo de possível hiperatividade.


Porém, apenas através de uma consulta com um profissional chegar-se-á a um
diagnóstico e consequente prognóstico.

Faça mais um teste, apresentado no site da Associação Brasileira do Déficit de Atenção


(ABDA).

Ao visitar o site da ABDA, no final da lateral esquerda deste site, você encontrará
indicações de profissionais que atuam com hiperatividade e déficit de atenção em todo o
Brasil, inclusive profissionais que atendem na rede pública.

IMPORTANTE: Lembre-se que o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um


profissional.
Por favor, responda as perguntas abaixo se avaliando de acordo com os critérios do lado
direito da página. Após responder cada uma das perguntas, circule o número que
corresponde a como você se sentiu e se comportou nos últimos seis meses.
1. Com que freqüência você comete erros por falta de atenção quando tem de trabalhar
num projeto chato ou difícil?
2. Com que freqüência você tem dificuldade para manter a atenção quando está fazendo
um trabalho chato ou repetitivo?
3. Com que freqüência você tem dificuldade para se concentrar no que as pessoas
dizem, mesmo quando elas estão falando diretamente com você?
4. Com que freqüência você deixa um projeto pela metade depois de já ter feito as
partes mais difíceis?
5. Com que freqüência você tem dificuldade para fazer um trabalho que exige
organização?
6. Quando você precisa fazer algo que exige muita concentração, com que freqüência
você evita ou adia o início?
7. Com que freqüência você coloca as coisas fora do lugar ou tem de dificuldade de
encontrar as coisas em casa ou no trabalho?
8. Com que freqüência você se distrai com atividades ou barulho a sua volta?
9. Com que freqüência você tem dificuldade para lembrar de compromissos ou
obrigações?
Parte A
1. Com que freqüência você fica se mexendo na cadeira ou balançando as mãos ou os
pés quando precisa ficar sentado (a) por muito tempo?
2. Com que freqüência você se levanta da cadeira em reuniões ou em outras situações
onde deveria ficar sentado (a)?
3. Com que freqüência você se sente inquieto (a) ou agitado (a)?
4. Com que freqüência você tem dificuldade para sossegar e relaxar quando tem tempo
livre para você?
5. Com que freqüência você se sente ativo (a) demais e necessitando fazer coisas, como
se estivesse “com um motor ligado”?
6. Com que freqüência você se pega falando demais em situações sociais?
7. Quando você está conversando, com que freqüência você se pega terminando as
frases das pessoas antes delas?
8. Com que freqüência você tem dificuldade para esperar nas situações onde cada um
tem a sua vez?
9. Com que freqüência você interrompe os outros quando eles estão ocupados?
Parte B

Como avaliar:
Se os itens de desatenção da parte A (1 a 9) E/OU os itens de hiperatividade-
impulsividade da parte B (1 a 9) têm várias respostas marcadas como
FREQUENTEMENTE ou MUITO FREQUENTEMENTE existe chances de ser
portador de TDAH (pelo menos 4 em cada uma das partes).
O questionário ASRS-18 é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A)
para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.
IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com os sintomas
descritos na tabela! Veja abaixo os demais critérios.
CRITÉRIO A: Sintomas (vistos na tabela acima)
CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes desde precocemente
(antes dos 7 ou 12 anos).
CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2
contextos diferentes (por ex., no trabalho, na vida social, na faculdade e no
relacionamento conjugal ou familiar).
CRITÉRIO D: Há problemas evidentes por conta dos sintomas.
CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental,
psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.

Crianças e Adolescentes

O questionário abaixo é denominado SNAP-IV e foi construído a partir dos sintomas do


Manual de Diagnóstico e Estatística - IV Edição (DSM-IV) da Associação Americana
de Psiquiátrica. Você também pode imprimir e levar para o professor preencher na
escola. Esta é a tradução validada pelo GEDA – Grupo de Estudos do Déficit de
Atenção da UFRJ e pelo Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência da UFRGS.

IMPORTANTE: Lembre-se que o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um


profissional.

Para cada item, escolha a coluna que melhor descreve o(a) aluno(a) (MARQUE UM X):
Nem um pouco Só um pouco Bastante Demais
1. Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos
trabalhos da escola ou tarefas.
2. Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer
3. Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele
4. Não segue instruções até o fim e não termina deveres de escola, tarefas ou
obrigações.
5. Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades
6. Evita, não gosta ou se envolve contra a vontade em tarefas que exigem esforço
mental prolongado.
7. Perde coisas necessárias para atividades (p. ex: brinquedos, deveres da escola, lápis
ou livros).
8. Distrai-se com estímulos externos
9. É esquecido em atividades do dia-a-dia
10. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira
11. Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que se espera que fique
sentado
12. Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é
inapropriado
13. Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de lazer de forma
calma
14. Não pára ou freqüentemente está a “mil por hora”.
15. Fala em excesso.
16. Responde as perguntas de forma precipitada antes delas terem sido terminadas
17. Tem dificuldade de esperar sua vez
18. Interrompe os outros ou se intromete (p.ex. mete-se nas conversas / jogos).

Como avaliar:

1) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a


9 = existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.

2) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a


18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa
criança ou adolescente.
O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A)
para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.

IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério A!


Veja abaixo os demais critérios.
CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima)

CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.

CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2


contextos diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).

CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos
sintomas.

CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental,


psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.

Alguns adultos tiveram TDAH na infância e ainda tem alguns sintomas na vida adulta,
porém em menor quantidade e sem o CRITÉRIO C ou D (isto é, não existem muitos
problemas causados pelos sintomas e quando ocorrem eles aparecem apenas em uma
única situação, como o trabalho, por exemplo, mas não em nenhuma outra)
O diagnóstico de TDAH é feito com base nos sintomas clínicos relatados pelo indivíduo
ou pelos pais e interpretado por um especialista. O Eletroencefalograma, o Mapeamento
Cerebral, a Tomografia Computadorizada, a Ressonância Magnética e o Potencial
Evocado não podem fornecer este diagnóstico!

30% Sanguíneo

23% Colérico
21% Melancólico

26% Fleumático