Você está na página 1de 61

96 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 31

PERFEITOS DO VERBO

O verbo grego tem dois perfeitos chamados (perfeito e mais-que-perfeito). Para formação dos
perfeitos existem prefixos e sufixos. O perfeito simples é levluka, eu tenho solto, e o mais-que-
perfeito, ejleluvkein. eu tinha solto.

1. Enunciemos os tempos
Primários Presente Futuro Perfeito
Secundários Imperfeito Aoristo Mais-que-perfeito

2. Morfemas construtores do perfeito


a) Raiz verbal: lu duplicação raiz sufixo terminação
b) Duplicação: le le luv ka men
c) Sufixo temporal: ka
d) Terminação pessoal: men 1ª pessoa plural

3. Morfemas construtores do m-q-p


a) Raiz verbal: lu aumento duplic. raiz sufixo terminação
b) Aumento: ej ej le luv kei men
c) Duplicação: le
d) Sufixo temporal. kei
e) Terminação pessoal: men 1ª pessoa plural

4. Flexão dos perfeitos


Indicativo Perfeito activo Tradução Perf. md/ps Tradução
1ª le -luv- ka Tenho solto le -luv- mai Tenho solto p/ mim
2ª le -luv- ka -" Etc. le -luv- sai Ou, tenho sido solto
3ª le -luv- ke -(n) le -luv- tai Etc.
1ª le -luv- ka -men le -luv- meqa
2ª le -luv- ka -te le -luv- sqe
3ª le -luv- ka -n le -luv- ntai
Infinitivo le -luv- ke -nai Ter solto le -luv- sqai Ter solto p/mim/ e 2ª
Particípio le -lu- kwv" Tendo solto le -lu- mevno" Tendo sido solto

Indicativo M-q-perf. act. Tradução M-q-perf. md/ps Tradução


1ª ej- le -luv- kei-n Tinha solto ej- le -luv- mhn Tinha solto p/mim
2ª ej- le -luv- kei-" Etc. ej- le -luv- so Ou, tinha sido solto
3ª ej- le -luv- kei-(n) ej- le -luv- to Etc.
1ª ej- le -luv- kei-men ej- le -luv- meqa
2ª ej- le -luv- kei-te ej- le -luv- sqe
3ª ej- le -luv- kei-san ej- le -luv- nto

5. Notas sobre duplicação


a) Quando a raiz verbal inicia por vogal só recebe (e) que se contrai e resultam em (h).
b) Se o verbo começar por sibilante (z, s, x) só recebe (e) sem contracção.
c) Se a raiz verbal iniciar por consoante fricativa (q, f, c), a duplicação é (te, pe, ke).

96
Constantino Ferreira 97

6. Exemplos daquela duplicação


Verbo Perfeito Verbo Perfeito Verbo Perfeito
a) ajgapavw hj gavph ka ejlpivzw hj lpiv ka – –
b) zhtevw ej zhvte ka salpivzw ej salpiv ka xhraivnw ej xhrav ka
c) qnhvskw tev qnh ka filevw pe fivlh ka crivw ke xriv ka

7. Concernente aos verbos contractos


a) Recordemos que a vogal da raiz contrai-se fechando para (h) ou (w) respectivamente.
Vogal raiz Verbo Perfeito act. e méd. M-q-perf. act. e méd.
a) Verbos em – aw > h timavw te -tivmh- ka / mai ej- te -timhv- kein / mhn
b) Verbos em – ew > h filevw pe -fivlh- ka / mai ej- pe -filhv- kein / mhn
c) Verbos em – ow > w doulovw de -douvlw- ka / mai ej- de -doulwv- kein /mhn

b) Os verbos cuja raiz termina em (d, q, t) perdem esta consoante antes do (k).
Um exemplo: a raiz de ejlpivzw
v é ejlpid, logo, o perfeito é h[ -lpi- ka.

8. O segundo perfeito
Tal como o 2º aoristo, que é irregular, existe o 2º perfeito, também irregular.
– O aoristo de bavllw é e[balon – e o perfeito é bevblhka.
a) Mas o 2º perfeito não leva (k);; toma aumento (e) e leva a terminação pessoal a seguir
à raiz: O perfeito de gravfw é gevgrafa – terminando a raiz em (f) não toma (k).
b) O perfeito de kravzw é kevkraga – terminando a raiz em (z) muda para (g) e não
toma (k).
c) O perfeito de ginwvskw é e[gnwka, e o de oJravw, eJwrv aka.

9. Vocabulário
Verbo Perfeito activo Tradução
ajkouvw ajkhvkoa Tenho ouvido
ginwvskw e[gnwken Tem conhecido
gravfw gevgrafa Tenho escrito
ejgeivrw ejghvgerka Tenho ressuscitado
evrj comai ejlhvluqa Tenho ido /vindo
oJravw eJwravken Tem visto
swvzw sevswka Tenho salvo

10. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.27,28
b) Denominar: leluvkamen, ajkhvkoamen, e[gnwkate, ejlhvluqa
c) Traduzir: o}ti oJ a[rcwn tou' kovsmou touvtou kevkritai.

11. Textos do NT
Mt 10.26 oujdevn ejstin kekalummevnon, o} oujk ajpokalufqhvsetai
Mc 5.34 oJ de; ei\pen aujth':/ qugavthr, hJ pivsti" sou sevswken sev.
Cl 3.3 hJ zwh; uJmw'n kevkruptai su;n tw'/ Cristw'/ ejn tw'/ Qew'/
1 Jo 1.1a o} ajkhkoamen, o} eJwravkamen toi'" ojfqalmoi'" hJmw'n
1 Jo 1.1b o} ejqeasavmeqa kai; aiJ cei'ra" hJmw'n ejyhlavfhsan peri; tou' lovgou th'" zwh'"
'
1 Jo 3.6 pa'" oJ ajmartavnwn oujk eJwrv aken aujto;n oujde; eJgnwken aujtovn.
yeuvsth" estin: oJ ga;r mh; ajgapw'n to;n ajdelfo;n aujtou o}n eJwrv aken,
1 Jo 4.20
to;n Qeo;n o}n oujc eJwrv aken ouj duvnatai ajgapa'n. (infinitivo de ajgapavw)
o}ti pa'n to; gegennhmevnon ejk tou' Qeou' nika'/ to;n kovsmon
1 Jo 5.4 kai; au}th ejsti;n hJ nivkh hJ nikhvsasa to;n kovsmon, hJ pivsti" hJmw'n.
98 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

98
Constantino Ferreira 99

LIÇÃO 32

SIGNIFICADO DO PERFEITO

Temos estudado que o grego enfatiza primariamente a qualidade da acção. Observar o quadro
acerca dos principais tempos do verbo grego.

1. Qualidade da acção
Acção Passado Presente Futuro
Pontilear (.) e[lusa . luv
w . luvsw .
(acção simples) soltei aoristo solto soltarei
Linear (------) e[luon ------ luvw ------ luvsw ------
(acção contínua) soltava imperfeito estou soltando estarei soltando
Pontilear linear (.----) levluka .------ -- --
(passado + presente) tenho solto perfeito com efeito no presente --

a) .----- significa que o estado presente é resultado duma acção realizada no passado:
Se disser, levluka to;n o[non – significa que soltei o burro e continua solto...
b) Cristo;" ajpevqanen kai; ejghvgertai th'/ hJmevra th'/ trivth/ (Kor. a, 15.3,4)
c) Esta ideia é seguida por todos os perfeitos, mesmo os particípios.

2. Declinação do particípio perfeito activo


M – 3ª declinação F – 1ª declinação N – 3ª declinação Tradução
lelu -kwv" lelu -kui'a lelu -kov" o/a tendo solto,
lelu -kovto" lelu -kuiva" lelu -kovto" etc.
lelu -kovti lelu -kuiva/ lelu -kovti
lelu -kovta lelu -kui'an lelu -kov"
lelu -kovte" lelu -kui'ai lelu -kovta
lelu -kovtwn lelu -kuiw'n lelu -kovttwn
lelu -kovsi(n) lelu -kuai'" lelu -kovsi(n)
lelu -kovta" lelu -kuiva" lelu -kovta

a) A declinação do particípio perfeito médio segue a regra seguinte:


lelumeno", -menou, -menw, -menon, -menoi, -menwn, -menoi'", -menou", etc.

3. Resumo dos particípios


Voz Presente Futuro Perfeito Aoristo
luvw luvsw levluka e[lusa
Activa luv -wn (onto") luv -swn (sonto") lelu -kwv" (koto") luv -sa" (santo")
-ousa -sousa -kuiva -sasa
-on -son -kov" -san
soltando indo soltar tendo solto tendo solto
luvomai luvsomai levlumai ejlusavmhn
Média lu -ovmen- o" lu -sovmen- o" lelu -mevn- o" lu -savmen- o"
- h - -h - -h - -h
- on - -on - - on - - on
soltando p/si indo soltar p/si tendo solto p/si tendo solto p/si
100 Estudo Programado de Grego Comum

luvomai luqhvsomai levlumai ejluvqhn


Passiva lu -ovmen- o" luqhv -somen- o" lelu -mevn- o" lu -qevi"
- h - -h - -h -qei'sa
- on - - on - - on -qevn
sendo solto indo ser solto tendo sido solto tendo sido solto

4. Declinação do particípio aoristo passivo


M. 3ª declinação F. 1ª declinação N. 3ª declinação Tradução
lu -qevi -" lu -qei' -sa lu -qevi -n o/a tendo sido solto
-qevn -to" -qeiv -sh" -qevn -to" do/da
-qevn -ti -qeiv -sh/ -qevn -ti ao/à
-qevn -ta -qei' -san -qevn o/a
lu -qevn -te" lu -qei' -sai lu -qevn -ta os/as
-qevn -twn -qei -sw'n -qevn -twn dos/das
-qei' -si(n) -qeiv -sai" -qei' -si(n) aos/às
-qevn -ta" -qeiv -sa" -qevn -ta os/as

5. Formas básicas do verbo grego


Até aqui tomámos conhecimento das seis formas principais do verbo grego e seus parti-
cípios: pia fia aia pfia pfim aips
luvw luvsw e[lusa levluka levlumai ejluvqhn

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajpokrivnomai responder libanwto;n incensário
gemivzw encher marturevw (me...hka) testemunhar
ginwvskw (ejgnwkate) conhecer oi\da conhecer
ejrcomai (h[lqomen) vir oJravw (eJwraka) ver
i}sthmi (ejsthkwv") permanecer o[xo" vinagre
kajgw; (kaiv ejgw) e eu pou' onde?
khfavlh cabeça proskunevw (hsai) ajoelhar para adorar
klivnw inclinar tetevlestai está cumprido
lambavnw (e[laben) receber, tomar tivktw (tecqei;") parir (dar à luz)
levgw (ei\pen) dizer zavw (zhsetai) viver

7. Exercícios
d) Leitura: Ij wavnnhn 3.29,30
e) Pesquisar: noivo, noiva, amigo, voz, no texto grego acima.
f) Denominar: as formas, encontradas no texto, daquelas palavras gregas.

8. Textos do NT
Mt 2.2 pou' ejstin oJ tecqei;" basilevw" tw'n Ij oudaivwn_ ...h[lqomen proskunh'sai aujtw/'
Mt 4.4 oJ de; ajpokriqei;" ei\pen. Gevgraptai, oujk ejp! a[rtw/ movnw/ zhvsetai oJ a[nqrwpo",
Jo 1.34 kajgw; eJwraka, kai; memartuvrhka o}ti ou\to" ejstin oJ uiJo" tou' Qeou'.
Jo 3. 29 oJ de; fivlo" tou' numfivo" oJ ejsthkwv" kai; ajkouvwn aujtou'
Jo 8.52 ei\pon aujtw'/ oiJ Ij oudai'oi: nu'n ejgnwvkamen o}ti daimovnion e[cei".
Jo 8.55 kai, oujk ejgnwvkate aujtovn, ejgw; de; oi\da aujtovn.
o}te ou\n e[laben to; o[xo" Ij hsou'" ei\pen: Tetevlestai,
Jo 19.30 kai; klivna" th;n khfalh;n parevdwken to; pneu'ma.
Ap 8.5 kai; ei[lhfen oJ a[ggelo" to;n libanwtovn kai, ejgevmisen aujtou' ejk tou' puro;"

100
Constantino Ferreira 101

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
102 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 33

INFINITIVO

O infinitivo é propriamente a forma nominal do verbo. Geralmente, os infinitivos expressam


acção sem indicar a pessoa: soltar, dizer, partir, etc. O infinitivo existe nos tempos primários e
num dos secundários: presente, futuro, perfeito e aoristo. É muito fácil por ser idêntico ao portu-
guês, e só tem tempo e voz.

1. Paradigma do infinitivo
Voz Presente Futuro Perfeito Aoristo
luvw luvsw levluka e[lusa
Activa luv -ein luv -s- ein lelu -ke- nai lu' -sai
soltar ir soltar ter solto ter solto
luvomai lusomai levlumai ejlusavmhn
Média luv -esqai luv -s- esqai leluv -sqai luv -sa- sqai
soltar p/si ir soltar p/si ter solto p/si ter solto p/si
luvomai luqhsomai levlumai ejluvqhn
Passiva luv -esqai lu -qh- s- esqai leluv -sqai lu -qh'- nai
ser solto ir ser solto ter sido solto ter sido solto

2. Infinitivos 2º perfeito e 2º aoristo


a) Pia: gravfw; 2º perf. act: gevgrafa; inf. act: gegrafevnai; inf. méd: gegravfqai
b) Pia: bavllw; 2º perf. act: e[balon ; inf. act: balei'n; inf. méd: balevsqai

3. Significado do infinitivo
Assim como particípio é um adjectivo verbal, também o infinitivo é um substantivo ver-
bal. Como tal, pode ser acompanhado por artigo, preposição, ou adjectivo.
a) O infinitivo é de acção contínua como já estudámos:
i. Eu quero ouvir a palavra de Deus = qevlw ajkouvein to;n lovgon tou' Qeou'.
ii. Quero (ir) libertar os escravos = qevlw luvsein tou'" doulou'".
b) O infinitivo pode ser acompanhado por artigo:
i. O soltar = to; luvein – do soltar = tou' luvein
ii. do crer = tou' pisteuvein – ao obedecer = tw'/ uJpakouvein
c) O infinitivo pode ser acompanhado por adjectivo ou preposição:
i. Bom é cantar ao teu nome = ajgaqo;n yavllein tw'/ ojnomativ sou
ii. E ao semeá-la (a semente) = kai; ejn tw'/ speivrein aujto;n
d) Ainda que o artigo obedeça à declinação, o artigo permanece indeclinável.

4. Uso do infinitivo
O infinitivo pode ser usado como sujeito ou complemento directo.
a) Sujeito: O amar é o grande mandamento = to; agapa'n hJ mega;lhn ejntovlhn
b) Compl: O grande mandamento é amar = hJ megavlh ejntolh; to; ajgapa'n ejstin
c) Finalidade: Viemos para adorá-lo = h[lqomen proskunh'sai aujtw'/
i. c/ genitivo: ga;r H j rwvd/ h" zhtei'n to; paidivon tou' ajpolevsai aujtov (Maq. 2.13)
ii. c/ prep. eij": tacu;" eij" to; ajkou'sai, bradu;" ei" to; lalh'sai. ( Ij akwb. 1.19)
iii. c/ prep. pro;": pro;" to; qeaqh'nai aujtoi'" Maq. 6.1
d) Resultado: Ij hsou'" ejqeravpeusen aujto;n w}ste to;n tuflo;n blevpein (Maq. 12.22)

102
Constantino Ferreira 103

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajnoivgw (xai) abro h[pion manso
avxj io" digno qeaqh'nai (qeavomai) ser visto
dei' (devw) convém, é necessário qevlw quero
diercomai (sqai) passo, vou através ijdei'n (ojravw) ver
duvnamai (tai) posso kakopoievw faço mal
dusi; (duvo) dois lambavnw (labei'n) recebo
e[dei era necessário oujdei;" nenhum
evmj prosqen diante de oijkevth" servo
evxj estin (e[xeimi) é lícito, permitido paragivnetai dirigiu-se
ejxomologevw confesso, louvo povlesin cidades
h[ ou sfragi'da" selos

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.31,32
b) Pesquisar: e denominar os particípios existentes no texto
c) Conjugar: o particípio ind. act. ejrcovmeno"
d) Traduzir: oJ w[n ejk th'" gh'" ejk th'" gh'" ejstin kai; ejk th'" gh'" lalei'.

7. Textos do NT/AT
paragivnetai oJ Ij hsou'"... ejpi to;n Ij ordavnhn
Mt 3.13
pro;" to;n Ij wavnnhn tou' baptisqhnai uJp! aujtou'.
Mt 6.1 ...mh; poiei'n e[mprosqen tw'n ajnqrwvpwn pro;" to; qeaqh'nai aujtoi'":
Mc 3.4 e[xestin toi'" savbbasin ajgaqo;n poih'sai h[ kakopoih'sai_
Lc 4.43 kai; eJterai'" povlesin eujaggelivsasqai me dei' th;n basileivan tou' Qeou',...
Lc 16.13 oujdei;" oijkevth" duvnatai dusi; kurivoi" douleuvein:
Jo 4.4 e[dei de; aujto;n dievrcesqai dia; th'" Samareiva".
Jo 12.21 kuvrie, qevlomen to;n Ij hsou'n ijdei'n.
2 Tm 2.24 dou'lon de; kurivou ouj dei' mavcesqai, ajlla; h[pion ei\nai pro;" pavnta",...
Ap 5.9 a[xio" ei\ labei'n to; biblivon kai; ajnoi'xai ta;" sfragi'da" aujtou',...
Sl 92.1 A
j gaqo;n to; ejxomologei'sqai tw'/ kuriw'/ kai; yavllein tw'/ ojnomativ sou,

SALMO 1.1,2
(GREGO – LXX)
1. Makavrio" ajnhvr o[" oujk ejporeuvqh ejn boulh' ajsebw'n kai; ejn ojdw' aJmartwlw'n oujk
e[sth kai; ejpi kaqevdran loimw'n oujk ejkaqisen,
2. ajll!h[ ejn tw' nomw/ kurivou to; qevlhma aujtou', kai; ejn tw' novmw'/ aujtou melethvsei
hJmevra" kai; nuktov".
(LATIM – VULGATA)
1. Beatus vir qui non abiit in consilio impiorum et in via peccatorum non stetit et in
cathedra pestilentiae non sedit;
2. sed in lege Domini voluntas eius et in lege eius meditabitur die ac nocte.
(PORTUGUÊS – ARC)
1. Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém
no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores;
2. antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
104 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

104
Constantino Ferreira 105

LIÇÃO 34

VERBOS CONTRACTOS

Deparamos várias vezes com verbos cuja raiz termina em vogal, como timavw, e na conjugação
sofrem contracção por fusão com as terminações pessoais: timavw = timw' = honro. Estes verbos
classificam-se em três grupos, de acordo com as vogais terminais: aw, ew, ow.

1. Tabela de contracções
a) No encontro da vogal da raiz com as da terminação uma prevalece sobre a outra. Mas
esta contracção ocorre somente nos tempos primários.
Tema Verbo 1ª pessoa sg Contracção Resultado
a timavw tima + w a + w > w domina a = w' timw'
e filevw file + w e + w > w domina e = w' filw'
o doulovw doulo + w o + w > o alonga-se = w' doulw'
2ª pessoa sg
a timavw tima + ei" a + ei" > a domina e = a'" / tima'" /
e filevw file + ei" e + ei" > e alonga-se = h'"
/ filh'"
/
o doulovw doulo + ei" o + ei" > o domina e = oi'" douloi'"
1ª pessoa pl
a timavw tima + omen a + o > o domina a = w' timw'men
e filevw file + omen e + o > o domina e = ou' filou'men
o doulovw doulo + omen o + o > o contrai-se = ou' doulou'men

2. Tabela nos outros tempos


Tema Verbo 1ª sg fut. ind. act. 1ª sg aor. ind. act. 1ª sg aor. ind. pas.
a > h timavw timhv -sw ejtimh -ka ejtimhv -qhn
e > h filevw filhv -sw ejfivlh -sa ejfilhv -qhn
o > w doulovw doulwv -sw ejdouvlw -sa ejdoulwv -qhn

3. Infinitivo dos verbos contractos


a) Eu quero honrar o meu Deus = qevlw tima'n to;n Qeo;n mou. a'n
Forma da contracção de aw = timavw > timaein > tima'n
b) Eu quero amar o meu irmão = qevlw filei'n to;n ajdelfon mou. i'n
Forma da contracção de ew = filevw > filevein > filei'n
c) Eu quero servir o meu Deus = qevlw doulou'n to;n Qeo;n mou. u'n
Forma da contracção de ow = doulovw > doulovein > doulou'n
(o acento circunflexo é sinal que ali houve contracção de vogais)

4. Como pesquisar no dicionário


a) Primeiro devemos achar a raiz verbal de: ejtimhvqhn = ej -timhv- qhn
b) A raiz é timh mas (h) pode ter resultado de (a) ou (e)
c) Procurar no dicionário a palavra timavw e lá está ela.
d) Porém, se a forma verbal for ejfilhvqhn só encontrará em tema (e) filevw
e) Se a forma verbal for ejdoulhvqhn só encontraremos em tema (o) doulovw
f) Esta perícia adquire-se com a prática constante.
106 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgapavw amar eujcaristevw agradecer
ajdialeivptw" sem cessar ejcqrov" inimigo
aijtevw pedir kataraomai (revw) falar mal, dizer mal
ajkolouqevw seguir lalevw falar
ajfivhmi perdoar megavlh grande
blasfhmevw blasfemar metanoevw arrepender
boavw clamar misevw odiar
gennavw gerar o}sa o que
dokevw parecer, pensar pavnta todas, tudo
e}kasto" cada um plhsivo" vizinho, próximo
ejnavth nona proseuvcomai orar
eujlogevw bendizer, louvar rJhm
v ata (rhvma) palavras

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.33,34
b) Pesquisar: um particípio substantivado; e quais as formas de artigo existentes?
c) Denominar: marturivan, plhsivo", blasfhmevw, ajkolouqevw
d) Traduzir: 1. o}n ga;r ajpevsteilen oJ Qeo;" ta; rJhm
v ata tou' Qeou' lalei'.
2. ejn aujth'/ eujlogou'men to;n kuvrion kai; patevra, kai; ejn aujth'/ katarwvmeqa
tou;" ajnqrwvpou".

7. Textos do NT
Mt 1.2 A
j braa;m ejgevnnhsen to;n Ij saavk, Ij saavk de; ejgennhsen to;n Ij akwb,...
Mt 5.43 ajgaphvsei" to;n plhsivon sou kai; mishvsei" to;n ejcqrovn sou.
Mt 5.44 ejgw; de; levgw uJmi'n: ajgapa'te tou;" ejcqrou;" uJmw'n
Mc 2.14 kai; levgei aujtw':/ ajkolouvqei moi. kai; ajnasta;" hjkolouvqhsen aujtw'./
Mc 11.24 pavnta o}sa proseuvcesqe kai; aijtei'sqe, pisteuvete o}ti ejlavbete
Mc 15.34 kai; th'/ ejnavth/ w[ra/ ejbovhsen oJ Ij hsou'" fwnh' mevgalh
Lc 12.10 tw'/ de; eij" to; a}gion pneu'ma blasfhmhvsanti oujk ajfhqhvsetai.
ajmh;n ajmhn levgw soi eja;n mhv ti" gennhqh'/ a[nwqen ouj duvnatai ijdei'n th;n
Jo 3.3 basileivan tou' Qeou'.
Jo 3.34 o}n ga;r ajpevsteilen oJ Qeo;" ta; rJhm
v ata tou' Qeou' lalei'
At 15.22 Tovte e[doxe toi'" ajpostovloi" kai; toi'" presbutevroi" suvn o}lh/ th'/ ejkklhsiva
At 2.38 metanohvsate kai; baptisqhvtw e}kasto" uJmwn ejpi tw'/ ojnovmati Ij hsou' Cristou'
ejn aujth'/ eujlogou'men to;n kuvrion kai; patevra, kai; ejn aujth'/ katarwvmeqa
Tg 3.9
tou;" ajnqrwvpou"
1 Ts 2.13 eujcaristou'men tw'/ Qew'/ ajdialeivptw"

(In, Gundry, Robert H. , Panorama do Novo Testamento)

106
Constantino Ferreira 107

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
108 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 35

VERBOS BRANDOS

Verbos brandos são aqueles cuja raiz termina em consoante branda, ou líquida: l, m, n, r. Estes
verbos só abrandam nos tempos futuro e aoristo, activo e médio, e omitem o sufixo temporal
(s). Ao invés disso sofrem outra modificação explicitada abaixo.

1. Futuro brando
a) Normalmente, o futuro activo de ajggevllw seria ajggevlsw, mas é ajggelw'.
b) Omite o sufixo temporal (s) mas leva vogal auxiliar que é alongada.
c) O acento sobre (w') indica que ali há contracção, e isso distingue o futuro do presente.
ajggevllw mevnw ai\rw
Fut. I. Act. Fut. I. Méd. Fut. I. Act. Fut. I. Méd. Fut. I. Act. Fut. I. Méd.
ajggel-w' ajggel-ou'mai men-w' men-ou'mai ajr-w' ajr-ou'mai
-ei'" -h'/ -ei'" -h'/ -ei'" -h'/
-ei' -ei'tai -ei' -ei'tai -ei' -ei'tai
-ou'men -ou'meqa -ou'men -ou'meqa -ou'men -ouvmeqa
-ei'te -ei'sqe -ei'te -ei'sqe -ei'te -ei'sqe
-ou'si -ou'ntai -ou'si -ou'ntai -ou'si -ou'ntai
ajggelw'n ajggelouvmeno" menw'n menouvmeno" ajrw'n ajrouvmeno"

d) Há verbos que só têm raiz branda no futuro, como no caso de levgw > ejrw' > falarei.
e) Há verbos que parecem brandos mas não são, como no caso de lambavnw cuja raiz é
lab- e o futuro lhmyomai.

2. Aoristo brando
a) Alguns verbos brandos têm o aoristo irregular como no caso de lambavnw > e[balon.
b) Normalmente, o aoristo activo de ajggevllw seria hjggellsa, mas é h[ggeila.
c) Neste caso, perdeu (s) ficando somente (a) e recebeu compensação na vogal da raiz.
ajggevllw mevnw ai\rw
Aor. I. Act. Aor. I. Méd. Aor. I. Act. Aor. I. Méd. Aor. I. Act. Aor. I. Méd.
h[ggeil-a hjggeil-avmhn ejmein-a ejmein-avmhn h\r-a h\r-avmhn
-a" -w -a" -w -a" -w
-e (n) -ato -e (n) -ato -e (n) -ato
-amen -avmeqa -amen -avmeqa -amen -avmeqa
-ate -asqe -ate -asqe -ate -asqe
-an -anto -an -anto -an -anto
ajggeivla" ajggeilavmeno" meivna" meinavmeno" a[ra" a[rameno"

3. Verbos brandos
Presente I. A. Tradução Raiz Futuro I. A. Aoristo I. A.
ajpostevllw enviar -stel- ajpo-stel-w' ajp-ev-steil-a
bavllw jogar bal- bal-w' ej-bal-on
ajpokteivnw matar -kten- ajpo-kten-w' ajp-e-ktein-a
krivnw julgar krin- krin-w' e[-krin-a
ejgeivrw erguer ejger- ejger-w' h[geir-a
speivrw semear sper- sper-w' e[speir-a

108
Constantino Ferreira 109

4. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
avbj usso" abismo kratevw dominar, prender
ajpeiqevw descrer, desobedecer mevnw permanecer
dravkonta dragão ojrgh; ira
evjgnwsan (ginwvskw) conhecer o[yetai (oJravw) ver
ejgeivrw ressuscitar ponhrov" mau
ejxercomai sair speivrw semear
h[dh já sunivhmi entender
h}ran (aijrw) erguer uJpantavw encontrar
i}na a fim de (para) ceivr, -ov" mão

5. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.35,36
b) Pesquisa: flexão do verbo amar; flexão do vb. dar; flexão do vb. crer;
c) Denominar essas flexões verbais.
d) Traduzir: aquele trecho de João
e) Quais são os verbos brandos encontrados em Ij wavnnhn 1.5,6 ?

6. Textos do NT
Mt 13.18 uJmei'" ou\n ajkouvsate th;n parabolh;n tou' speivranto".
Mt 17.23 kai; ajpokteinou'sin aujtovn, kai; th'/ trith/ hJmera/ ejgerqhvsetai.
Lc 19.22 levgei aujtw':/ Ejk tou' stomatov" sou krinw' se, ponhre; dou'le;.
Jo 3.18 oJ pisteuvwn eij" aujto;n ouj krivnetai: oJ de; mh; pisteuvwn h[dh kevkritai,
Jo 4.51 h[dh de; autou' katabaivnonto" oiJ dou'loi aujtou' uJphvnthsan aujtw',/
Jo 8.59 h\ran ou\n livqou" i}na bavlwsin ejp!aujtovn
Jo 12.1 Bhqanivan, o}pou h\n Lavzaro", o}n h[geiren ejk nekrw'n Ij hsou'".
Jo 17.8 e[gnwsan ajlhqw'" o}ti para; sou' ejxh'lqon, kai; ejpivsteusan o}ti suv me ajpevsteila".
At 8.35 ajrxavmeno" ajpo; th'" grafh'" tauvth" eujhggelivsato aujtw'/ to;n Ij hsou'n.
1 Jo 4.16 oJ Qeo;" ajgavph ejstivn, kai; oJ mevnwn ejn th'/ ajgavph/ ejn tw'/ Qew'/ mevnei
Ap 20.3 kai, ejkravthsen to;n dravkonta,...kai; e[balen aujto;n eij" th;n ajbusson

Baptistério Bizantino
(In, eBibleTeacher)
110 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

110
Constantino Ferreira 111

LIÇÃO 36

PARTICÍPIO (cont.)

Embora tenhamos estudado o particípio, há ainda algo para estudar sobre o mesmo. É importante
notar que nem todos os verbos têm particípios, assim como não têm infinitivos. Tanto os particí-
pios como os infinitivos parecem nos mesmos tempos; isto é, em todos os tempos primários e um
dos secundários: presente, futuro, perfeito e aoristo. O imperfeito e o mais-que-perfeito não usam
particípio nem infinitivo. O aspecto temporal do particípio mantêm-se em todos os particípios.

1. Aspecto temporal.
a) Exemplos de aoristo, presente e futuro
luvsa" Part. Aor. Act. Indica acção antes da acção do verbo principal
luvwn Part. Pres. Act. Indica acção durante a acção do verbo principal
luvswn Part. Fut. Act. Indica acção depois da acção do verbo principal

b) Esclarecendo na mesma ordem


Sujeito Ac. prin. Acção. Compl. Significado
(nome) (aoristo) (particípio) (Tradução)
oJ ajpovstolo" e[khruxen uJmnhvsa" Aor O apóstolo pregou depois de ter cantado
oJ ajpovstolo" e[khruxen uJmnw'n Pres O apóstolo pregou cantando
oJ ajpovstolo" e[khruxen uJmnhvswn Fut O apóstolo pregou a fim de cantar
(presente) (particípio)
oJ ajpovstolo" khruvssei uJmnhvsa" Aor O apóstolo prega depois de ter cantado
oJ ajpovstolo" khruvssei uJmnw'n Pres O apóstolo prega cantando
oJ ajpovstolo" khruvssei uJmnhvswn Fut O apóstolo prega a fim de cantar
(futuro) (particípio)
oJ ajpovstolo" khruvxei uJmnhvsa" Aor O apóstolo pregará depois de ter cantado
oJ ajpovstolo" khruvxei uJmnw'n Pres O apóstolo pregará cantando
oJ ajpovstolo" khruvxei uJmnhvswn Fut O apóstolo pregará a fim de cantar

c) Quanto ao particípio perfeito


uJmnhkwv" Part. Perf. Act. Indica acção “permafeita” no tempo do verbo principal (a)
Isto é: a acção está completa antes da acção do verbo principal, mas o resultado está pre-
sente durante a acção desse verbo. Assim

oJ apovstolo" e[khruxen uJmnhkwv" Aor O apóstolo pregou após ter cantado


oJ apovstolo" khruvssei uJmnhkwv" Pres O apóstolo prega após ter cantado
oJ apovstolo" khruvxei uJmnhkwv" Fut O apóstolo pregará após ter cantado

d) Notemos uma excepção à regra


Muitas vezes encontramos expressões como esta: ajpokriqei;" de; oJ Ij hsou'" ei|pen:,
oj de; ajpokriqei;" ei|pen:, kai; ajpokridei;" oJ Ij hsou" ei|pen:
Significado: e respondendo Jesus disse: etc. (Mt 3.15, 4.4, 11.4).

2. Tempos perifrásticos
Perifrástico vem de perífrase e significa circunlóquio. Apareceu por influência aramaica.
Os perifrásticos são usados para enfatizar a continuação da acção.
112 Estudo Programado de Grego Comum

Observemos alguns exemplos:


Tempo Perifrástico Frase Tradução literal
Imp. Perif. Pr de eijmià part pres h\n khrussw'n ele estava pregando
Fut. Perif. Ft de eijmià part pres e[sh/ zwgrw'n ajnqrwvpou" estarás pescando hom.
Fut. pf. Peri Ft de eijmià part perf e[stai lelumevnon terá sido solto
Perf. Perif. Pr de eijmià part perf cavriti ejste seswsmevnoi pela graça tendes sido s
Mqp perif. Imp de eijmiàpart perf h\n Ij wavnnh" ejndedumevnou" João tinha estado vestido

3. Vocabulário (Este sinal < indica a origem do vocábulo)


Grego Tradução Grego Tradução
h}mj arton < ajmartavnw Pecar paradidwmi < didwmi Entregar
ajpevstelein < ajpostevllw Enviar plhvqou" < plh'qo" Multidão
divkaion < divkaio" Justo potev Antes, noutro tempo
diwvkwn < diwvkw Perseguir prosetivqei < prostiqhmi Acrescentar
e[xw < ejk Fora sthvkonte" < sthvkw Estar firme
ejporqei < porqevw Destruir swzomevnou" < swvzw Salvar
h[d/ ei < oi\da Saber tivne" < tiv" Quem, quais

4. Exercícios
Leitura: Ij wavnnhn 3.3-7
Pesquisa: Quantas vezes aparecem no trecho formas verbais de gennavw
Denominar: cada uma das formas encontradas nesse trecho
Traduzir: Ij wavnnhn 3.3-4
Teologia: À luz deste trecho, donde provém o novo nascimento?

5. Textos do NT
São dois aspectos de acção antecedente, dois de acção simultânea e dois de acção subsequente.
Ac 4.32 – antou' de; plhvqou" tw'n pisteusavntwn h\n kardiva kai; yuch; miva.
Gl 1.23 – anoJ diwvkwn hJma'" pote nu'n eujaggelizetai th;n pivstin h}n pote ejpovrqei.
Mt 27.4 – sih}marton paradou;" ai|ma divkaion.
Ac 2.47 – sioJ de; kuvrio" prosetivqei tou;" swzomevnou" kaq! hjmevran ejpi; to; aujtov.
Jo 6.64 – sbh[d/ ei ga;r ejx ajrch'" oJ Ij hsou'" tivne" eijsi;n oiJ mh; pisteuvonte" kai;
tiv" ejstin oJ paradwvswn aujtovn.
Mc 3.31 –sb e[rcontai hJ mhth;r aujtou' kai; oiJ ajdelfoi; aujtou' kai; e[xw sthvkonte"
ajpevsteilan pro;" aujto;n kalou'nte" aujtovn.

(In, Panorama do Novo Testamento, Edições Vida Nova)

112
Constantino Ferreira 113

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
114 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 37

VERBOS IRREGULARES (cont.)

Em todas as línguas os verbos irregulares apresentam um problema sério. Temos de aprender as


formas básicas a fim de saber conjugar as demais formas verbais. Em português, para conjugar o
verbo “fazer” é preciso conhecer os tempos principais, que são: presente, pretérito e futuro: faço,
fiz, farei. Mas em grego temos de aprender seis tempos básicos, que são como seis estacas sobre
as quais o edifício é construído.

Existem cinco verbos, cujas bases devemos aprender, que nos ajudam na conjugação dos restan-
tes. São eles: luvw, (que é regular) timavw, filevw, doulovw, divdwmi, (irregulares).

1. Recordando os principais
P. I. A. F. I. A. Aor. I. A. Pf. I. A. Pf. I. Md. Aor. I. Ps.
luvw
lu v luvsw
lu v sw e[lusa levluka
le vluka levlumai
le vlumai ejluuvqhn
vqhn
timavw timhvsw ejtivmhsa tetivmhka tetivmhmai ejtimhvqhn
filevw filhvsw ejfivlhsa pefi¥lhka pefivlhmai ejfilhvqhn
doulovw doulwvsw ejdouvlwsa dedouvlwka dedouvlwmai ejdoulwvqhn
divdwmi dwvsw e[dwka devdwka devdomai ejdodhn

2. Construindo os derivados
Pres. Med. Fut. I. Med. Aor. I. Med. Mqpf. I. Act. Perf. I. Pass. Fut. I. Pass.
Pres. Pass. Mqpf. I. Med
Imp. Act. Mqpf. I. Pass
Imp. Med.
Imp. Pass.
Nota: Observar esta conjugação completa no Apêndice.

3. Recapitulando
Eis um quadro resumido dos tempos principais e secundários nossos conhecidos.
Tempos primários Tempos secundários
Voz Modo
Pres. Fut. Perf. Impf. Aor. Mqpf.
Ind luvw luvsw levluka e[luon e[lusa ejleluvkein
activa Inf luvsein luvsein lelukevnai < lu'sai <
Par luvwn luvswn lelukwv" < luvsa" <

Ind luvomai lusovmai levlumai ejluovmhn ejlusavmhn ejleluvmhn


média Inf luvesqai luvsesqai leluvsqai < luvsasqai <
Par luovmeno" lusovmeno" lelumevno" < lusavmeno" <

Ind luvomai luqhvsomai levlumai ejluovmhn ejluvqhn ejleluvmhn


passiva Inf luvesqai luqhvsesqai leluvsqai < luqh'nai <
Par luovmeno" luqhsovmeno" lelumevno" < luqeiv" <
2º perf. 2º aor.
activa Ind gevgrafa e[balon
média Ind gevgrammai ejbalovvmhn
passiva Ind gegrammai ejblhvqhn

114
Constantino Ferreira 115

4. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
a[fesin perdão oi\da saber
genevsqai acontecer o}pou – pou' onde
genneqh'nai ser gerado uJpavgei vai
dei' < devw convém pneu'ma vento
dievtriben < diatrivbw permaneceu pnevw soprar
h\lqen < ercomai foi < ir povqen donde
qaumavzw maravilhar sarko;" < sarx carne
katakriqhvsetai será condenado fwnhv voz

5. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.7-11
b) Pesquisar: todas as formas do verbo gennavw
c) Denominar: essas mesmas formas
d) Escrever as partes principais de: luvw, timavw, filevw, doulovw, divdwmi
e) Traduzir: Ij wavnnhn 3.7-11

6. Textos do NT
Mc 1.4 ejgevneto Ij wavnnh" [oJ] baptivzwn ejn th/' ejrhmw/' kai;
khruvsswn bavptisma metanoiva" eij" a[fesin amartiw'n.
Jo 3.22 Meta; tau'ta h\lqen oJ Ij hsou'" kai; oiJ maqhtai; aujtou' ei;" th;n Ij oudaivan
gh'n kai; ejkei' dievtriben met! aujtw'n kai; ejbavptizen.
Mc 16.16 oJ pisteuvsa" kai; baptisqei;" swqhvsetai,
oJ de; ajpisthvsa" katakriqhvsetai.
At 2.38 a Metanohvsate, kai; baptisqhvtw e}kasto" uJmw'n ejpi; tw/' ojnovmati
Ij hsou' Cristou' eij" a[fesin tw'n ajmartiw'n uJmw'n
At 2.38 b kai lhvmyesqe th;n dwrea;n tou' ajgivou pneuvmato".
At 18.8 kai; polloi; tw'n korinqivwn ajkouvonte" ejpivsteuon kai; ejbaptivzonto.

7. Confissão apostólica
Pisteuvw eij" Qeo;n patevra pantokravtora (poihth;n oujanou' kai; gh'").
kai; eij" Cristo;n Ij hsou'n, uiJo;n aujtou' to;n monogenh', to;n kuvrion hJmw'n,
to;n gennhqevnta ejk pneuvmato" aJgiou kai; Mariva" th'" parqevnou,
to;n ejpi; Pontivou Pilavtou staurwqevnta kai; tafevnta,
th'/ trivth hJmevra/ ajnastavnta ejk nekrw'n,
ajnabanvta eij" tou;" oujranou", kaqhvmenon ejn dexia'/ tou' patrov",
o}qen e[rcetai kri'nai zw'nta" kai; nekrouv".
kai; eij" pneu'ma a}gion,
aJgivan (kaqolikh;n) ejkklhsivan,
a[fesin aJmartiw'n,
sarko;" ajnavstasin.
(zwh;n aijwvnion) A j mhvn.

(In, Pequena Gramática do Grego Neotestamentário, Schalkwijk, Frans Leonard, 1979, Brasil)
116 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

116
Constantino Ferreira 117

LIÇÃO 38

DECLINAÇÃO 3ª

Os substantivos gregos distinguem-se uns dos outros pelos temas. Na primeira e segunda decli-
nações são acrescentadas as vogais temáticas (a e o) à respectiva raiz. Por exemplo: o acusativo
hJmevran, da primeira declinação, forma-se juntando ao radical (hJmer) a vogal temática (a) e o
sufixo (n) referente a caso e número.

Já estudámos a primeira e a segunda declinações:


A 1ª com raiz em (a) (oijkiva, grafhv).
A 2ª com raiz em (o) (lovgo", biblivon)

Os substantivos da terceira declinação dividem-se em classes de acordo com o respectivo tema.


A maioria usa temas terminados em consoante (C), poucas usam temas terminados em vogal (V).

1. Abrangência da 3ª declinação
A terceira declinação abrange todas as palavras não incluídas na 1ª e na 2ª declinações:
palavras masculinas, femininas e neutras.
a) Masculinas: oJ a[rcwn, oJ pathvr, oJ poimhvn, oJ swthvr
b) Femininas: hJ povli", hJ savrx, hJ nuvx, hJ cavri"
c) Neutras: to; gevno", to; pneu'ma, to; fw'", to; u}dwr

2. Como achar a raiz


a) Procura-se o genitivo no léxico e tira-se-lhe a terminação. Na posse da raiz temática
formam-se os restantes casos.
b) Substantivos cujos temas terminam em consoante: nominativo a[rcwn, genitivo
a[rconto", terminação o". A raiz temática é a[rcont-. Os respectivos casos são: (wn,
o", i, a, e", wn, i(n), a").
c) Substantivos cujos temas terminam em vogal: o nominativo povli", forma o genitivo
povlew", a terminação é w", A raiz temática é povle-. Os respectivos casos são:
(povli-", povle-w", povle-i, povli-n, povle-i", povle-wn, povle-si(n), povle-i"). Meste
caso há algumas excepções como em basileuv" > basilevw". ijcquv" > ijcquvo", etc.
d) No dativo plural ocorrem umas mudanças que merecem a nossa atenção: por exem-
plo, ejlpivd muda o (d) em (s) e forma ejlpivsin. Cavrit muda o (t) em (s) cavrisin.
e) Estas mudanças fonéticas seguem a mesma regra que ocorre no futuro dos verbos de
raiz oclusiva, estudadas na lição 23.2.
(i) Labiais (p, b, f) + si = yi
(ii) Palatais (k, g, c) + si = xi
(iii) Dentais (t, d, t) + si = ssi, reduzido a (si) por contracção.

3. Terminações
As terminações da terceira declinação são geralmente estas:
Caso Mas. + Fem. sg. Neutro sg. Mas. + Fem. pl. Neutro pl.
N -" (n, r) -- -e" -a
G -o" -o" -wn -wn
D -i -i -si(n) -si(n)
A -a -- -a" (") -a
118 Estudo Programado de Grego Comum

4. Paradigmas
a) masculinos de raiz C – consoante (n ou s)
Artigo Época Chefe Norma Pastor Quem?
oJ aijw'n a[rcwn kanwvn poimhvn tiv"
tou' aijw'n-o" a[rcont-o" kanovn-o" poimevn-o" tivn-o"
tw'/ aijw'n-i a[rcont-i kanovn-i poimevn-i tivn-i
to;n aijw'n-a a[rcont-a kanovn-a poimevn-a tivn-a
oiJ aijw'n-e"
n-e"
n-e a[rcont-e"
cont-e" kanv
kanon-e"
von-e
on-e" poimev
poimevn-e"
n-e"
n-e tiv
tivn-e"
n-e"
n-e
tw'n aijwvn-wn ajrcovnt-wn kanovn-wn poimevn-wn tivn-wn
toi'" aijw's-in a[rcous-in kanovs-in poimevs-in tivs-in
tou;" aijw'n-a" a[rcont-a" kanovn-a" poimevn-a" tivn-a"
Nota: a consoante (n) desaparece ante de (s) = aijw'n > aijw'-sin.
as consoantes (nt) desaparecem antes de (s) e alonga a vogal (o) = a[rconto" >
a[rcou-sin.
b) masculinos de raiz C – consoante (n, nt, r, k)
Art.º Homem Pai Salvador Pregador Testemunha
oJ ajnhvr pathvr swthvr khvrux mavrtu"
tou' ajndr-ov" patr-ov" swth'r-o" khvruk-o" mavrtur-o"
tw'/ ajndr-iv patr-iv swth'r-i khvruk-i mavrtur-i
to;n a[ndr-a patevr-a swth'r-a khvruk-a mavrtur-a
oiJ a[ndr-e"
dr-e" patev
pater-e"
vr-e"
r-e swth'
swthr-e"
'r-e"
r-e khv
khruk-e"
vruk-e"
ruk-e mav
martur-e"
vrtur-e"
rtur-e
tw'n ajndr-w'n patevr-wn swthvr-wn khruvk-wn martuvr-wn
toi'" ajndrav-sin patrav-sin swth'r-sin khvrux-in mavrtu-sin
tou;" ajndr-a" patevr-a" swth'r-a" khvruk-a" mavrtur-a"
Nota: a consoante (k+s) resulta em (x) conforme estudámos anteriormente.

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgalliavw alegrar-se kravto" poder
basillivssa rainha krivsei juízo
geneav geração mhtevra mãe
dwvsei < didwvmi dar novtou sul
h[geiren < ejgeivrw ressuscitar o[gdoo" oitavo
ejpei porque, visto que o}n quem, o qual, que
qugavthr filha pw'" como (modo)

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.12-15
b) Pesquisar: no trecho e escrever as formas do verbo pisteuvw
c) Denominar: essas mesmas formas do verbo pisteuvw
d) Traduzir: os versículos 14,15 do mesmo trecho.

7. Textos do NT
Mt 10.37 Oj filw'n patevra h[ mhtevra uJpe;r ejme; oujk e[stin mou a[xio".
Mt 10.37 kai; oJ filw'n uiJo;n h[ qugatevra uJper ejme; oujk e[stin mou a[xio".
Lc 1.32 kai; dwvsei aujtw/' kuvrio" oJ Qeo;" to;n qrovnon Daui;d tou' patro;" aujtou'
Lc 1.34 pw'" e[stai tou'to, ejpei a[ndra ouj ginwvskw'_
Lc 1.47 kai; hjgallivasen to; pneu'ma mou ejpi tw/' Qew/' tw/' swth'riv mou.
Lc 11.31 basivlissa novtou ejgerqhvsetai ejn th/' krivsei meta; tw'n ajndrw'n th'" genea'" tauvth"
At 3.15 o}n oJ Qeo;" h[geiren ejk nekrw'n, ou| hJmei'" mavrture" ejsmen.
Ap 1.6 aujtw/' hJ dovxa kai; to; kravto" eij" tou;" aijw'na" tw'n aijwvnwn. ajmhvn.

118
Constantino Ferreira 119

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
120 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 39

DECLINAÇÃO 3ª – cont.

Os substantivos da 3ª declinação em consoante (k, kt, d, t) e vogal (e, eu, u) têm os paradig-
mas seguintes:

1. Paradigmas femininos em C (k, kt, d, t)


Artº Esperança Graça Noite Carne
hJ ejlpiv" cavri" nuvx savrx
th'" ejlpivd-o" cavrit-o" nukt-ov" sark-ov"
th'/ ejlpivd-i cavrit-i nukt-iv sark-iv
thvn ejlpivd-a cavri-n nuvkt-a sark-a
aiJ ejlpiv
pid-e"
vd-e"
d-e cav
carit-e"
vrit-e"
rit-e nuv
nukt-e"
vkt-e"
kt-e ¥sv
¥sark-e"
vark-e"
ark-e
tw'n ejlpivd-wn carivt-wn nukt-w'n sark-wn
tai'" ejlpivs-in cavris-in nux-ivn s
~ arx-ivn
ta;" ejlpivd-a" cavrit-a" nuvkt-a" savrka"

2. Algumas palavras têm duas raízes


Artº Subs. Fem. Raiz 1 Raiz 2 D. pl Tradução
hj gunhv gunaikov" guna- gunaik- gunaix-ivn mulher
hj qrivx tricov" qrix- qrik- qrix-ivn cabelo
hj klei" kleidov" klei- kleid- kleis-ivn chave
hj ceivr ceirov" ceir- cer- cers-ivn mão

3. Paradigmas masculinos e femininos em V (e, eu, u)


Artº Rei, m Peixe, m Artº Cidade, f Obra, f
oJ basileuv-" ijcquv-" hJ povli-" pravxi-"
tou' basilev-w" ijcquv-o" th'" povlev-w" pravxe-w"
tw'/ basile-i' ijcquv-i th'/ povle-i pravxe-i
to;n basilev-a ijcquv-n thvn povli-n pravxi-n
oiJ basile-iv
basile-i" v ijcquv
qu-e"
v-e"
-e aiJ pov
pole-i"
vle-i"
le-i prav
praxe-i"
vxe-i"
xe-i
tw'n basilev-wn ijcquv-wn tw'n povle-wn pravxe-wn
toi'" basileuv-sin ijcquv-sin tai'" povle-sin pravxi-n
tou;" basile-i'" ijcquv-a" ta;" povle-i" pravxe-i"

4. Paradigmas neutros em C (t, s)


Nota: Algumas palavras sofrem contracção conforme exemplo abaixo em gevno".

Artº Espírito Raça Irregulares


to; pneu'ma gevno" - fw'" - luz u}dwr - água
tou' pneuvmat-o" gevnou" < gevneso" fwt-ov" u}dat-o"
tw'/ pneuvmat-i gevnei < gevnesi fw't-i u}dat-i
to; pneu'ma gevno" - fw'" u}dwr
ta;
ta; pneuvmat-a gevnh' < gevnesa fw't-a u}dat-a
tw'n pneuvmat-wn genw'n < genevswn fwvt-wn ujdat-w'n
toi'" pneuvmas-in gevnesin < gevnessin fws-ivn u}das-in
ta; pneuvmat-a gevnh' < gevnesa fw't-a u}dat-a

120
Constantino Ferreira 121

5. Exemplo das três declinações


1ª declinação, raiz (a):
a) Feminino a, h > oijkiva, grafhv, e o sigmático (glw'ssa).
b) Masculino a", h" > neaniva", profhvth"
2ª declinação, raiz (o):
a) Masculino, o" > lovgo"
b) Neutro, on > biblivon
3ª declinação, raiz C :
a) Masculino > a[rcwn, poimhvn, swthvr, khvrux, (oJ)
b) Feminino > ejlpiv", nuvx, savrx, cavri", (hJ)
c) Neutro > gevno", pneu'ma, fw'", (to;)

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgnoei'n < ajgnoevw ser ignorante katevbhsen < katabaivnw descer
a[nemo" vento lalei'n falar
dihgeivreto < diegeivrw levantar ma'llon mais (muito mais)
ejgevneto < givnomai tornar mevgalh/ grande
ejggu;" perto meivzwn maior
diwvkete < diwvkw perseguir mevlh < mevlo" membro
h[fien < ajfivhmi deixar mevnw permanecer
e}kasto" cada um ojyiva tarde (do dia)
ejkei' ali ou}tw" modo, maneira
ejxevbalen < ejkbavllw expulsar polla; < poluv" muito
zhlou'te < zhlovw buscar savlpiggo" trombeta
qavllassa mar u}data < u}dwr água
i[dio" próprio W
J " como, conforme

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.18-21
b) Pesquisar: e escrever artigos e substantivos neutros existentes no trecho.
c) Denominar: caso, pessoa e número em que se encontram no trecho.
d) Traduzir: o mesmo trecho

8. Textos do NT
Mt 24.31 kaiv ajpostelei' tou;" ajggevlou" aujtou' meta; savlpiggo" megavlh",
Mc 1.34 kai; daimovnia polla; ejxevbalen kai; oujk h[fien lalei'n ta; daimovnia
Jo 3.23 h\n de; kai; oJ Ij wavnnh" baptivzwn ejn Aijnw;n ejggu;" tou' Saleivm oJti u}data
polla; h\n ejkei'
Jo 6.16 W
J " de; ojyiva ejgevneto katevbhsan oiJ maqhtai; aujtou' ejpi; th;n qavlassan
Jo 6.18 h} te qavlassa ajnevmou megavlou pnevonto" dihgeivreto.
1 Co 7.7 ajlla; e}kasto" i[dion e[cei cavrisma ejk Qeou', oJ me;n ou}tw", oJ de; ou}tw".
1 Co 12.1 Peri; de; tw'n pneumatikw'n, ajdelfoiv, ouj qevlw uJma'" ajgnoei'n.
1 Co 12.12 pavnta de; ta; mevlh tou' swvmato" polla; o[nta e}n ejstin sw'ma
1 Co 14.1 Diwvkete th;n ajgavphn, zhlou'te de; ta; pneumatikav, ma'l~ lon de; i}na profhteuvhte
1 Co 13.13 nuni; de; mevnei pivsti", ejlpiv", ajgavph. ta; triva tau'ta, meivzwn de; touvtwn
hJ ajgavph.

9. Revisão
122 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

122
Constantino Ferreira 123

LIÇÃO 40

ADJECTIVOS

Sendo conhecidos os paradigmas da terceira declinação, estudamos agora os adjectivos. Podem


distinguir-se três grupos de adjectivos, simples e compostos.

A. Classificação dos adjectivos da 3ª declinação


2. Adjectivos simples da 3ª declinação > ajlhqhv", pleivwn, tiv"
3. Adjectivos compostos da 3ª e da 1ª declinações > pa'", baquv", mevla",
4. Adjectivos compostos das 3ª, 1ª e 2ª declinações > mevga", poluv"
Os adjectivos simples da 3ª declinação usam a mesma forma para masculino e feminino.

1. Paradigma dos adjectivos simples, 3ª declinação


Mais Verdade – Verdadeiro
m/f nt m/f nt < contracção
pleivwn plei'on ajlhqhv" ajlhqev"
pleivon-o" pleivon-o" ajlhdou'" ajlhdou'" < ajlhqevso"
pleivon-i pleivon-i ajlhqei' ajlhqei' < ajlhqevsi
pleivon-a plei'on ajlhqh' ajlhqev"
pleiv
pleion-e"
von-e"
on-e pleiv
pleion-a
von-a ajlhqei'
hqei"' ajlhqh'
hqh' < ajlhqev
hqesav sa
pleiovn-wn pleiovn-wn ajlhqw'n ajlhqw'n < aj
l hqev
s wn
pleivos-in pleivos-in ajlhqevs-in ajlhqevs-in < ajlhqevssin
pleivon-a" pleivon-a ajlhqei'" ajlhqh' < ajlhqevsa
Nota: pleivwn é o grau comparativo de poluv", e significa ‘mais que’.

2. Paradigma dos adjectivos compostos, 3ª e 1ª declinações


TODO – pa'
pa"' Uso de pa'
pa"'
Mas. 3ª Fem. 1ª Neut. 3ª Alguns exemplos
pa'" pa's-a pa'n ijna pa'" oJ pisteuvwn – Jo 3.16
pant-ov" pa's-h" paant-ov" para que todo o que crer – cada um
pant-iv pa's-h/ pant-iv pa'n ou'n devndron – Mt 3.10
pavnt-a pa's-an pa'n pois toda a árvore – cada árvore
pav
pavnt-e"
nt-e"
nt-e pa'
pas-ai
's-ai pav
pavnt-a
nt-a pavnta di!aujtou' ejgevneto – Jo 1.3
pavnt-wn pas-w'n pavnt-wn tudo foi feito por Ele – todas as coisas
pa's-in pa's-ai" pa's-in kai; ijdou; pa'sa hJ povli" ejxh'lqen
pavnt-a" pa's-a" pavnt-a e eis que a cidade inteira saiu – Mt 8.34

Mais dois exemplos nesta classe


Profundo – baquv
baqu"
v Preto – mev
mela"
vla"
la
Mas. 3ª Fem. 1ª Nt. 3ª Mas. 3ª Fem. 1ª Nt. 3ª
baquv" baqei'-a baquv mevla" mevlain-a mevlan
baqev-o" baqeiv-a" baqev-o" mevlan-o" mevlain-a" mevlan-o"
baqe-i' baqeiv-a baqe-i' mevlan-i melaivn-h/ mevlan-i
baquv-n baqei'-an baquv mevlan-a mevlain-an mevlan
baqe-i'
baqe-i" ' baqei'
baqei-ai
'-ai baqev
baqe-av -a mev
melan-e"
vlan-e"
lan-e mev
melain-ai
vlain-ai mev
melan-a
vlan-a
baqev-wn baqei-w'n baqev-wn melavn-wn melain-w'n melavn-wn
baqev-sin baqeiv-ai" baqev-sin mevlas-in mevlas-in mevlas-in
baqei'-" baqeiv-a" baqei'" mevlan-a" melaivn-a" mevlan-a
124 Estudo Programado de Grego Comum

3. Paradigma dos adjectivos compostos, 3ª, 2ª e 1ª declinações


GRANDE MUITO
Mas. 3ª, 2ª Fem. 1ª Neut. 3ª, 2ª Mas. 3ª, 2ª Fem. 1ª Neut. 3ª, 2ª
mevga" megavl-h mevga poluv" poll-hv poluv
megavl-ou megavl-h" megavl-ou pollou' poll-h'" poll-ou'
megavl-w'/ megavl-h/ megavl-w/ pollw/ poll-h/' poll-w/'
mevga-n mevgh-n mevga polluvn poll-hvn poluv
megav
megal-oi
vl-oi megav
megal-oi
vl-oi megav
megal-a
vl-a polloiv
polloiv poll-aiv
poll-aiv poll-av
poll-av
megavl-wn megavl-wn megavl-wn pollwvn poll-w'n poll-w'n
megavl-oi" megavl-oi" megavl-oi" polloiv" poll-ai'" poll-oi'"
megavl-ou" megavl-ou" megavl-a pollouv" poll-av" poll-av

4. Particípios verbais que pertencem à 3ª declinação


Tempo Masc. 3ª Genitivo Fem. 1ª Nt. 3ª
Part. Pres. Act. luv-wn luv-onto" luv-ousa lu'-on
Part. Fut. Act. lu-s-wn luv-s-onto" luv-s-ousa lu'-s-on
Part. Per. Act. le-lu-kwv" le-lu-kovto" le-lu-kui'a le-lu-kov"
Part. Aor. Act. luv-s-a" luv-s-anto" luv-s-asa lu'-s-an
Part. Aor. Pas. lu-q-eiv" lu-q-evnto" lu-q-ei'sa lu-q-evn

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgaqov" bom kreivttwn, ou kreivsswn melhor
ajsqen-hv", -ia fraco, fraqueza mevga" grande
ajfrwn bobo mevizwn maior
gumno;" nu mesivth" mediador
ejlavsswn menor monogenhv" unigénito
ejpeskevyasqev (a) visitar swvfrwn sábio
ijscurov" (b) forte uJgihv" sadio, são
kaqavper conforme fulakh' prisão
kakov" mau ceivrwn pior
(a) ejpeskevyasqev é o indicativo aoristo médio de ejpiskevptomai,
(b) ijcurovtero" é o comparativo de ijscurov".

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.22-24
b) Pesquisar: os substantivos, verbos, pronomes e adjectivos.
c) Denominar: essas palavras da pesquisa
d) Traduzir: o texto da leitura.

7. Textos do NT
Mt 7.18 ou}tw" pa'n devndron ajgado;n karpou;" kalou;" poiei'.
Mt 10.8 ajsqenou'nta" qerapeuvete, nekrou;" ejgeivrete, leprou;" kaqarivzete,
daimovnia ejkbavllete.
Mt 25.43 gumno;" kai; ouj periebavlete me. ajsqenh;" kai; ejn fulakh' kai; oujk
ejpeskevyasqev me.
1 Co 1.25 kai; to; ajsqene;" tou' qeou' ijscurovteron twvn ajnqrwvpwn (ejstivn).
Rm 9.12 oJ meivzwn douleuvsei tw/' ejlavssoni: kaqavper gevgraptai: to; Ij akw;b
hjgavphsa, to;n de; H j sau' ejmivshsa.
Hb 1.4 ( I
j hsou") kreiv t twn gevnomeno" tw'n ajggevlwn
Hb 8.6 kai; kreivttonov" ejstin diaqhvkh" mesivth".

124
Constantino Ferreira 125

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
126 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 41

GRAUS DOS ADJECTIVOS

Os adjectivos compreendem três graus: Positivo, comparativo e superlativo. Tal como em portu-
guês, há adjectivos regulares e irregulares. A maior parte dos adjectivos forma o comparativo
juntando ao positivo os sufixos: tero", ou, iwn. O superlativo é formado acrescentando-lhe os
sufixos: tato", ou, isto". Alguns adjectivos são irregulares.

1. Comparação dos graus


Declinação Positivo Comparativo Superlativo
Regular o", h, on tero", a, on tato", h, on
Irregular h iwn, iwn, ion isto", h, on

2. Adjectivos regulares
Português Positivo Comparativo Superlativo
Forte ijscurov", a, ovn ijcurovtero", a, on ijscurovtato", h, on
Pequeno mikrov", a, ovn mikrovtero", a, on mikrovtato", h, on
Novo nevo", a, on newvtero", a, on newvtato", h, on
Fiel pistov", hv, ovn pistovtero", a, on pistovtato", h, on
Sábio sofov", hv, ovn sofwvtero", a, on sofwvtato", h, on
Fraco, enfermo ajsqenhv", a, on ajsqenevstero", a, on ajsqenevstato", h, on

a) Se a penúltima letra da raiz do positivo for (o) torna-se (w) nos graus comparativo e
Superlativo, conforme em (nevo" e sofov").
b) O acento mantém a mesma posição tanto no comparativo como no superlativo.
c) Os adjectivos em (e") formam os graus da mesma maneira como em (ajsqenhv".

3. Adjectivos irregulares (exemplo)


Português Positivo Comparativo irreg. Superlativo irreg.
Bom ajgaqov" kreivttwn, kreivsswn kravtisto" =
Mau kakov" ceivrwn, h}sswn Exmº
Grande mevga" meivzwn meigisto"
Pequeno mikrov" mikrovtero", ejlavsswn ejlavcisto"
Muito poluv" pleivwn, plevwn plei'sto"

4. Declinação do comparativo irregular


Positivo Mas. Fem. sg Neutro sg Mas. Fem. pl Neutro pl
mevga" meivzwn mei'zon meivzone", meivzou" meivzona
meivzono" meivzono" meizovnwn meizovnwn
meivzoni meivzoni meivzosi meivzosi
meivzona, meivzw mei'zon meivzona", meivzou" meivzona, meivzw

5. Comparativos e Superlativos especiais


Preposição Advérbio Graus Adjectivo Tradução
ajnav > a[nw + tero" = ajnwvtero" mais para cima
eij" > e[sw + tero" = ejswvtero" interior, mais dentro
ejk > e[xw + tero" = ejxwvtero" fora, mais para fora
katav > kavtw + terio" = katwvtero" mais para baixo

126
Constantino Ferreira 127

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
bakthriva cajado povda" pés
dhvsante" < devw amarrar prosanavbhqi subir
ejkbavllw lançar fora ravbdo" vara
ejlacistov" o mínimo skovto" treva (s)
ejxwvteron exterior, mais fora tovpon lugar
e[rcomai Ir, vir uJpavrcw liderar sob autoridade
mwrov" louco, néscio ujterevw faltar
oujdei" ninguém fwnh; voz, som
oujdevn nada ceivra mão
ojpisw após, depois de clovh" verde

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnen 3.25-27
b) Pesquisar: as preposições encontradas no trecho.
c) Denominar: denominar as formas verbais encontradas no trecho.
d) Traduzir: o mesmo trecho de João.
e) Quais os comparativos em Mt 11.11?

8. Textos do NT
Mt 3.11 oJ de; ojpivsw mou ejrcovmeno" ijcurovtero" mouv ejstin
Mt 11.11 oJ de; mikrovtero" ejn th/' basileiva tw'n oujranw'n meivzwn aujtou' ejstin.
Mt 22.13 dhvsante" aujtou' povda" kai; cei'ra" ejkbavlete aujto;n eij" to; skovto" ejxwvteron.
Lc 9.48 oJ ga;r mikrovtero" ejn pa'sin uJmi'n uJpavrcwn, ou}to" ejstin mevga".
Lc 14.10 fivle, prosanavbhqi ajnwvteron (pro" ana bhqi) (anw teron)
Lc 16.10 oJ pisto;" ejn ejlacivstw/ kai; ejn pollw/' pistov" ejstin,
kai; oJ ejlacistw/ a[diko" kai; ejn pollw~/ a[diko" ejstin.
Jo 15.13 meivzona tauvth" ajgavphn oujdei;" e[cei,
At 16.24 o}" paraggelivan toiauvthn labw;n e[balen aujtou;" eij" ejswtevran fulakh;n
1 Co 1.25 oJti to; mwro;n tou' qeou' sofwvteron tw'n ajnqrwvpwn ejstin
Ef 4.9 o}ti ka; katevbh eij" ta; katwvtera th'" gh'"_
Ap 1.15 kai; hJ fwnh; aujtou' wJ" fwnh; uJdavtwn pollw'n

9. Texto da Septuaginta

Yalmo;" tw/' Dauid 22 (23)


1. Kuvrio" poimaivnei me, kai; oujdevn me uJsterhvsei.
2. eij" tovpon clovh", ejkei me kateskhvnwsen,
ejpi; u}dato" ajnapauvsew" ejxevqreyen me,
3. th;n yuchvn mou ejpevstreyen.
wJdhvghsen me ejpi; trivbou" dikaiosuvnh"
e}neken tou' ojnovmato" aujtou'.
4. eja;n ga;r kai; poreuqw' ejn mevsw/ skia" qanavtou,
ouj fobhqhvsomai kakav, o}ti su; met! ejmou' ei\:
hJ ravbdo" sou kai; hJ baktriva sou, aujtaiv me oarekavlesan.
5. hJpoivhsasa" ejnwvpiovn mou travpezan ejx ejnantiva" tw'n qlibovntwn me:
ejlivpana" ejn ejlaivw/ th;n kefalhvn mou,
kai; to; pothvriovn sou mequvskon wJ" kravtisron.
6. kai; to; e[leo" sou katadiwvxetaiv me pavsa" ta;" hJmevra" th'" zwh'" mou,
kai; to; katoikei'n me ejn oi[kw/ kurivou eij" makrovthta hJmerw'n.
128 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

128
Constantino Ferreira 129

LIÇÃO 42

ADVÉRBIOS

Assim como o adjectivo é o auxiliar do substantivo, qualificando-o, também o advérbio é o auxi-


liar do verbo, qualificando a sua acção. A maioria dos advérbios gregos são formados com a raiz
do adjectivo e o sufixo adverbial (w'"). Também podemos procurar o genitivo plural (wn) e a
partir dele reconhecer o advérbio. Esta terminação tem a mesma função que a portuguesa ‘men-
te’ particularmente. Assim: oJ a[nqrwpo" kal-ov" > oJ a[nqrwpo" gravfei kal-w'".

1. Quadro de formação de advérbios em (w"


(w")
Adjectivo Genitivo pl Advérbio Tradução
ajlhqhv" ajlhqw'n ajlhqw'" verdadeiramente
a[xio" a[xivwn a[xivw" dignamente
divkaio" dikaivwn dikaivw" justamente
kalov" kalw'n kalw'" belamente
ou}to" touvtwn ou}tw'" assim como
pa'" pavntwn pavntw" em todo o caso
sovfo" sovfwn sovfw" sabiamente
tacuv" tacevw tacevw" rapidamente

2. Graus dos advérbios em (w"(w")


Os graus deste advérbios obedecem à regra dos seus adjectivos correspondentes.
Positivo Comparativo Superlativo
seguramente ajsfalw'" ajsfalevsteron ajsfalevstata
justamente dikaivw" dikaiovteron dikaiovtata
fortemente ij
s curw'
" ij
s curov t eron ij
curovtata
temerosamente foberw'" foberwvteron foberwvtata

3. Outro grupo forma os graus com (terw e tatw)


Positivo Comparativo Superlativo
acima a[nw ajnwtevrw ajnwtavto
abaixo kavtw katwtevrw katwtavtw
distante povr rw porrwtevrw porrwtavtw

4. Graus dos advérbios irregulares


Positivo Comparativo Superlativo
perto ejggu" ejgguvteron e[ggista
suavemente hJdevw" h}dion h}dista
muito mavla ma'llon mavlista
rapidamente tacevw" tavceion tavcista

5. Advérbios usados como prefixos


a) aj, ou ajn < a[neu = (ausência) expressa (não):
a[-gnwsto", desconhecido; ajn-avxio", indigno; a[n-udro", sem água.
b) euj = bem, bom; expressa bem: eujgehv", bem-nascido; euj-dokia, bem-pensar;
c) du" exp. dificuldade: dus-bastako", difícil de levar; dus-novhto", difícil de entender.
130 Estudo Programado de Grego Comum

6. Advérbios correlativos
São aqueles que estão interrelacionados entre si. Por exemplo, o interrogativo ‘onde’ tem
o seu complemento nos demonstrativos de resposta: “aqui, lá, em algum lugar”, etc.
Há quatro classes de advérbios correlativos:
a) Interrogativos, que perguntam por lugar, tempo, ou modo.
b) Indefinidos, que respondem vagamente àquelas perguntas.
c) Relativos, que estabelecem relação com o antecedente na frase.
d) Demonstrativos, que respondem claramente àquelas perguntas.
e) Aprendem-se facilmente lendo-os na horizontal e na vertical respectivamente.

7. Quadro dos advérbios correlativos


Advérbio Interrogativo Indefinido Relativo Demonstrativo
Lugar ou pou' _ pouv ou| w|de, ejkei', pantacou'
Significado Onde? em algum lug. onde aqui, ali, em todo o lugar
Origem qen povqen _ poqen o}qen ejnteu'qen, ejkei'qen, pavntoqen
Significado De onde? de algum lug. de onde daqui, dali, de todo o lugar
Tempo te povte _ potev o}te tovte, pavntote
Significado Quando? alguma vez quando naquele tempo, todo o tempo
Modo w" pw'" _ pw" wJ" wJ", ou}tw", pavntw"
Significado Como? seja como for como assim como, de qualquer modo

8. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajfivhmi deixar, perdoar h[dh, adv. já, agora
a[rti, adv. agora leivpw faltar
divktia redes nu'n(i), adv. agora mesmo
e\ijpen < levgw falar, dizer o}pu", adv. como
e[mprosqen diante de pavlin, adv. outra vez, de novo
eujquv" (-ew") gn imediatamente plhrovw cumprir
eujdokevw (-ia) agradar, agrado prevpon convém
e[ti, adv. ainda u}yisto" altura

9. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.28-30
b) Pesquisar: os substantivos afins a noivo.
c) Denominar os seus casos.
d) Traduzir: o referido trecho.

10. Texto do NT
Mt 3.15 a[fe" a[rti, ou}tw" ga;r prevpon ejsti;n hJmi'n plhrw'sai pa'san dikaiosuvnhn.
Mc 2.5 Ij hsou'" levgei tw/' paralutikw':/ Tevknon, ajfiventai sou aiJ ajmartivai.
Mt 4.20 de; euqjevw" ajfevnte" ta; divktua hjkolouvqhsan aujtw'.
Lc 2.14 Dovxa ejn uJyivstoi" qew/' kai; ejpi; gh'" eijrhvnh ejn ajnqrwvpoi" eujdokiva".
Lc 10.21 naiv, oJ pathvr, o}ti ou}tw" eujdokiva ejgevneto e[mprosqen sou.
Lc 18.22 ajkouvsa" de; oJ Ij hsou'" ei\pen aujtw': E
[ ti e}n soi leivpei.
Jo 3.18 oJ de; mh; pisteuvwn h[dh kevkritai, o}ti mh; pepivsteuken eij" to o[noma...
Jo 9.21 pw'" de nu'n blevpei oujk oi[damen,

130
Constantino Ferreira 131

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
132 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 43

VERBO NO CONJUNTIVO

Enquanto o indicativo expressa realidade e certeza, o conjuntivo exprime possibilidade, mas com
dúvida, incerteza. Tal como em português: ‘sei que ele escreve; espero que ele escreva’. O modo
conjuntivo aparece somente no presente e no aoristo, nas três vozes, activa, média e passiva,
sendo muito raro no perfeito. Ver mais informação na secção de Sintaxe.

1. Formação do conjuntivo
O conjuntivo é formado a partir do presente do indicativo fechando a vogal auxiliar em
todas as pessoas. Assim: luvei" > luv-h", luvomen luv-wmen, etc.
a) Presente: (e > h) luvei > luvhh/ = ele solta, que ele solte; (o > w) luvomen > luvwmen;
b) O aoristo leva acréscimo de (s) q) .
(i) Aoristo activo: luvsh/, = que ele solte;
(ii) Aoristo médio : luvshtai = que ele solte para si;
(iii) Aoristo passivo: luqh/'/ = que ele seja solto;

2. Quadro do conjuntivo
Voz Indicativo Conjuntivo Conjuntivo Tradução
Presente Presente Aoristo
luv
lu-w
v -w luv
lu-w
v -w luv
lu-s-w
v-s-w Que eu solte
-ei" -h/" -s-h/"
Activa -ei -h/ -s-h/
-omen -wmen -s-wmen
-ete -hte -s-hte
-ousin -wsin -s-wsin
luv
lu-omai
v-omai luv
lu-wmai
v-wmai luv
lu-s-wmai
v-s-wmai Que eu solte para mim
-h/ -h/ -s-h/
Média -etai -htai -s-htai
-ovmeqa -wvmeqa -s-wvmeqa
-esqe -hsqe -s-hsqe
-ontai -wntai -s-wntai
luv
lu-omai
v-omai luv
lu-wmai
v-wmai luv
lu-q-w'
v-q-w'
-q-w Que eu seja solto
-h/ -h/ -q-h'"
Passiva -etai -htai -q-h/
-ovmeqa -wvmeqa -q-w'men
-esqe -hsqe -q-h'te
-ontai -wntai -q-w'sin

3. Conjuntivo do 2º aoristo
Voz Ind. Pres. Ind. Aor. Conj. Aor. Tradução
Activa bavllw e[bal-on bal-w' que eu jogue
Média bavllomai ejbal-ovmen bavl-wmai que eu jogue para mim

4. Qualidade da acção do conjuntivo


a) O conjuntivo presente tem aspecto linear: que eu esteja soltando.
b) O conjuntivo aoristo tem aspecto pontilear: que eu solte (no futuro).

132
Constantino Ferreira 133

5. Conjuntivo dos verbos contractos


a) Conjuntivo presente
Voz -aw > w', a' -ew > w', h' -ow > w', oi
timavw tim-w' filevw fil-w' doulovw doul-w'
timavh" tim-a'" filevh" fil-h'/" doulovh"
/ doul-oi'"
Activa timavh/ tim-a'/ filevh/ fil-h/' doulovh/ doul-oi'
timavwmen tim-w'men filevwmen fil-w'men doulovwmen doul-w'men
timavhte tim-a'te filevhte fil-h'te doulovhte doul-w'te
timavwsin tim-w'si(n) filevwsin fil-w'si(n) doulovwsin doul-w'si(n)

M/P timavwmai tim-w'mai fillevwmai fil-ou'mai doulovwmai doul-w'mai

b) Conjuntivo aoristo
Activa timavw tim-hvsw filevw fil-hvsw doulovw doul-wvsw
Média tim-hvsomai fil-hvsomai doul-wvsomai
Passiva tim-hqw' fil-hqw' doul-wqw'

6. O negativo do conjuntivo
Enquanto (ou) é o negativo para o indicativo, (mh) é para os outros modos.
a) Tu não escreves > ouj gravfei" (indicativo presente)
b) Que tu não escrevas > mh grafh'/" (conjuntivo aoristo )

7. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajristavw comer threvw guardar
bovskw apascentar fanerovw manifestar
i}na para que filevw beijar
kratevw prender cwri;" sem
scivsma divisão w\sin, conj. < eijmi estar

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 21.15
O
} te ou\n hjrivsthsan levgei tw/' Sivmwni Pevtrw/ oJ Ij hsou'": Sivmwn Ij wavnnou, ajgap-
a'" me plevon touvtwn_ levgei aujtw': Naiv, kuvrie, su; oi\da" o}ti filw' se. Levgei auj-
tw', bovske ta; ajrniva mou.
b) Pesquisar: as formas verbais no texto acima.
c) Denominar: as formas verbais encontradas
d) Traduzir: esse texto

9. Texto do NT
Mt 26.48 o}n a[n filhvsw aujtov" ejstin, krathvsate aujtovn.
Mc 3.14 i}na w\sin met! aujtou' kai; i}na ajpostevllh/ aujtou;" khruvssein
Jo 5.23 i}na pavnte" timw'si to;n uiJo;n kaqw;" timw'si to;n patevra.
Jo 14.23 ejavn ti" ajgapa'/ me to;n lovgon mou thrhvsei,
Jo 14.24 oJ mh; ajgapw'n me tou;" lovgou" mou ou; threi'.
Rm 10.14 pw'" de; pisteuvswsin ou| oujk h[kousan_
pw'" de; ajkouvswsin cwri;" khruvssonto"_
v. 15 pw'" de khruvxwsin eja;n mh; ajpostalw'sin_
1 Co 12.25 i}na mh; h\/ scivsma ejn tw'/ swvmati,
1 Jo 3.8 eij" tou'to ejfanerwvqh oJ uiJo" tou' qeou', i}na luvsh/ ta; e[rga tou'
diabovlou.
134 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

134
Constantino Ferreira 135

LIÇÃO 44

VERBO NO IMPERATIVO

No verbo grego há três modos: o indicativo, que expressa certeza; o conjuntivo, que exprime
possibilidade; e o imperativo, que declara uma ordem. Tanto o conjuntivo como o imperativo
aparecem somente em dois tempos: no presente e no aoristo, sendo muito raros no perfeito. To-
davia, são usados nas três vozes, activa, média e passiva.

1. Formas do imperativo
Voz Ind. Pres. Impv. Pres. Impv. Aor. Tradução
Activa luv-e-i" > luv-e lu'-so-n solta tu
luv-e-i luv-e-tw lu-sa-tw solte ele
luv-e-te luv-e-te luv-sa-te soltai vós
luv-ou-sin lu-ov-ntwn luv-sa-twsan soltem eles
Média luv-h/ > luv-ou lu'-sa-i solta para ti
luv-e-tai lu-ev-sqw lu-sav-sqw solte para ele
luv-e-sqe luv-e-sqe luv-sa-sqe soltem para vós
luv-o-ntai lu-ev-sqwn lu-sav-sqwsan soltem para eles
Passiva luv-h/ > luv-ou luv-qh-ti sê solto tu
luv-e-tai lu-ev-sqw lu-qhv-tw seja solto ele
luv-e-sqe luv-e-sqe luv-qh-te sede soltos vós
luv-o-ntai lu-ev-sqwn lu-qhv-twsan sejam soltos eles

2. Tradução do imperativo
a) O imperativo presente e aoristo não têm diferença alguma senão na acção. Enquanto o
presente expressa uma acção linear, o aoristo exprime uma acção pontilear.
b) Exemplos: luve – continua soltando; lu'son – solta tu.
pivsteuson ejpi to;n kuvrion Ij hsou'n – continua crendo no Senhor Jesus; At 16.31.
luvsate to;n pw'lon kai; fevrete aujto;n – soltai o jumento e trazei-o; (Mc 11.2).

3. Imperativo do 2º aoristo
Este é formado da raiz do 2º aoristo.
Activa: bavllw > e[balon > bavl-e, evtw, -ete, evtwsan
Méd/P: bavllomai > ejbalovmhn > bavl-ou, -evsqw, -esqe, evsqwsan

4. Imperativo de eijmiviv
Pessoas Ind. Pres. Imperativo Tradução
2ª sg ei\ i[sqi sê tu
3ª sg ejstiv e[stw seja ele
2ª pl ejste e[ste sede vós
3ª pl eijsin e[stwn sejam eles

Frequentemente é usado o verbo givnomai com a negativa mh;.


mh; givnesqe wJ" oiJ uJpokritai;. Maq 6.16.

5. Imperativo do perfeito
a) Este é reconhecido pela reduplicação levluk-e, -evtw, -ete, -evtwsan.
b) Perifrástico méd/passivo com eijmiv: i[sqi lelukwv" – sê tu solto, etc.
136 Estudo Programado de Grego Comum

6. Imperativo dos contractos


Este imperativo segue a mesma regra dos contractos estudados anteriormente.
Impv. Presente
Voz timavw (ae > a) filevw (ee > ei) doulovw (oe > ou)
Activa tivmae > tivm-a fivlee > fil-ei' douvloe > douvl-ou
-aevtw timavtw -evetew fileivtw -oetw doulouvtw
-avete tima'te -evete filei'te -ovete doulou'te
-aevtwsan timavtwsan -evetwsan fileivtwsan -oetwsan doulouvtwsan
Md 2sg ti-mavou > timw' filevou > fil-ou' doulovou > doul-ou'
Impv. Aoristo
Activa - tivmhson - fivlhson - douvlwson
Média - tivmhsai - fivlhsai - douvlwsai
Passiva - timhvqhti - filhvqhti - doulwvqhti

7. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajspavzomai saudar mhde; nem
barov" carga o[ntw" < (eijmiv) verdadeiramente
basileuvw reinar o}pla < o}plon instrumento
bastavzw levar pavlin outra vez
deuvteron segundo(a) paristavnw apresentar
ejmprosqen diante de planavw enganar, errar
zw'nta" < zavw viver poimaivnw pastorear
h[rxato < a[rcomai começar fivlhma beijo
qnhtw'/ < qnhvskw morrer chvra viúva
lavmpw > (yavtw) resplandecer wJsei como

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 21.16
levgei aujtw' pavlin deuvteron: Sivmwn Ij wavnnou, ajgapa'" me_ levgei aujtw':/
Naiv, kuvrie, su; oi\da" o}ti filw' se. Levgei aujtw/': Poivmaine ta; provbata mou.
b) Pesquisar: o imperativo e denominá-lo
c) Denominar: kuvrie, aujtw', ta; provbata
d) Traduzir: Ij wavnnhn 21.16

9. Textos do NT
Mt 5.16 ou}tw" lamyavtw to; fw'" uJmw'n e[mprosqen tw'n ajnqrwvpwn
Mt 15.4 oJ ga;r qeo;" ei\pen, Tivma to;n patevra kai; th;n mhtevra
Mc 13.5 oJ de; Ij hsou'" h[rxato levgein aujtoi": Blevpete mhv ti" uJma'" planhvsh/:
Jo 5.23 i}na pavnte" timw'si to;n uiJo;n kaqw'" timw'si to;n patevra.
Rm 6.12 Mh; ou\n basileuevtw hJ aJmartiva ejn tw/' qnhtw'/ uJmw'n swvmati
Rm 6.13 a mhde; paristavnete ta; mevlh uJmw'n o}pla ajdikiva" th/' aJmartiva
Rm 6.13 b ajlla; parasthvsate eJautou;" tw/' qew/' wJsei; ejk nekrw'n zw'nta"
Rm 16.16 Ajspavsasqe ajllhvlou" ejn filhvmati aJgiw/.
1 Co 5.14 ajspavsasqe ajllhvlou" ejn filhvmati ajgavph".
Gl 6.2 Ajllhvlwn ta; bavrh bastavzete kai; ou}tw" ajnaplhrwvsete to;n novmon...
1 Tm 5.3 Chvra" tivma ta;" o[ntw" chvra".
Tt 3.15 Ajspasai tou;" filou'nta" hJma'" ejn pivstei.

136
Constantino Ferreira 137

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
138 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 45

VERBO NO OPTATIVO
Além dos modos estudados, indicativo, conjuntivo e imperativo, temos ainda o modo optativo,
algo semelhante ao imperativo, mas com uma pequena diferença. Enquanto o imperativo expres-
sa uma ordem definida, o optativo exprime uma afirmação hesitante. O optativo aparece 67 ve-
zes no Novo Testamento, nos tempos presente e aoristo, e representa um conjuntivo fraco.

1. Uso do imperativo
a) Para ordenar:
ajgapa'te tou;" ejcqrou;" uJmw'n, kalw'" poiei'te toi'" misou'sin uJma'" (Lk 6.27)
b) Para permitir:
kai; ei\pen aujtoi'": U
j pavgete. OiJ de; ejxelqovnte" ajph'lqon tou;" coivrou" (Mq 8.32)
c) Para pedir:
pavter a}gie, thvrhson aujtou;" ejn tw/' ojnovmativ sou ( Ij wan 17.11).

2. Uso do optativo
a) Para expressar opção, preferência:
mhv gevnoito = não seja assim, não aconteça (Rm 6.15) (16 vezes em Paulo).

b) Para fazer perguntas indirectas:


tiv" a[ra ei[h ejx aujtw'n oJ tou'to mevllwn pravssein (Lk 22.23).
= quem seria entre eles o que estava para fazer isto.

c) A tradução do optativo é semelhante à do conjuntivo:


i. mhv + impv. presente é uma ordem para não continuar a acção:
mh; lambavnete aujto;n eij" oijkivan kai; caivrein aujtw'/ mh; levgete. ( Ij wavn. b,10).
= não o recebais em casa e não o saudeis.
ii. mhv + conj. aoristo é uma ordem para não iniciar a acção:
kai; mh; givnou a[pisto", ajlla; pistov". (Ijwavn 20.27).
= e não sejas descrente, mas crente.
iii. Optativo aoristo é um desejo realizável ou imaginário:
dwvh/ e}leo" oJ kuvrio" tw/' O
j nhsifovrou oi[kw/'. (Tim b, 1.16).
= que o Senhor conceda misericórdia à casa de Onesífero.

3. Sinais do optativo
Há dois sinais para reconhecer o optativo: (i ou ih). Às vezes o êta leva iota subscrito
(h/). Ao deparar com oi, ai, ei, antes de, ou como, terminação pessoal, podemos concluir
estar perante um optativo. Usamos o paradigma luvw :
a) Optativo presente activo: luv-oimi = que eu solte
b) Optativo aoristo activo: luv-saimi = que eu solte.
c) Optativo presente médio: lu-oivmhn = que eu solte para mim.
d) Optativo aoristo passivo: lu-qeivn = que eu seja solto.

4. Formas representativas do optativo


Pessoa Pres. a/m. sg Pres. a/m. pl 1º aor. a/m. sg 1º aor. a/m. pl 2º aor. a/m. sg
1ª dunaivmhn eujxaivmhn ojnaivmhn
3ª ei[h < eijmiv e[coien katartivsai poihvsaien dw'h/
3ª e[coi < e[cw duv nainto kateuquvnai yhlafhvseian lavboi
3ª qevloi < qevlw pleonavsai favgoi

138
Constantino Ferreira 139

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajpostrevfw volto de klevptw roubar
gevnhsqe < givnomai acontecer, ser kravzw clamar
gumnavzw exercito-me lupevw entristecer
deu'te vinde mimhthv", ou, oJ imitador
devxai < decomai receber moiceuvw adulterar
doxavzw glorificai ojnaivmhn < ojnivnhmi ser útil, proveitoso
ejlqei'n < ejrcomai ir O
j nhvsimo" útil, proveitoso
ejluphvqh < lupevw entristecer peripatevw andar
eujsevbeia piedade strevfw volto, converto
qevlhma vontade sunavcqhte < sunavgw ajuntar-se
i[dete < oJravw ver sw'sovn < swvzw salvar
ijdou; eis fobevomai temer
keleuvw mandar yeudomarturevw testemunhar falso

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 21.17
Levgei aujtw/' to; trivton: Sivmwn Ij wavnnou, filei'" me_ ejluphvqh oJ Pevtro" o}ti
ei\pen aujtw'/ to; trivton, filei'" me_ kai; levgei aujtw/', Kuvrie, pavnta su; oi\da",
su; ginwvskai" o}ti filw'/ se. Levgei aujtw'/ (oJ Ij hsou'"), bovske ta; provbata mou.
b) Pesquisar: as formas verbais no texto.
c) Denominar: essas formas verbais.
d) Conjugar: o indicativo aoristo activo e passivo de luvpew.
e) Traduzir: o texto da leitura acima.

7. Textos do NT
Mt 14.28 Pevtro" ei\pen: Kuvrie, eij su; ei\, kevleuson me ejlqei'n pro;" se ejpi ta; u}data
Mt 14.30 blevpwn de; to;n a[nemon (ijscuro;n) ejfobhvqh...
Mt 14.30 kai; e[kraxen levgwn: Kuvrie, sw'sovn me.
Mt 28.19 maqhteuvsate pavnta ta; e[qnh, baptivzonte" aujtou;", didavskonte" aujtou;"
Lc 1.38 ei\pen de; Mariavm: Ij dou; douvlh kurivou: gevnoito moi kata; to; rJh'mav sou.
Lc 16.29 lev gei de; Ajbraavm: E[ cousi Mwu>seva kai; tou;" profhvta", ajkousavntwsan.
Lc 18.20 ta;" ejntola;" oi[da": Mh; moiceuvsh", mh; klevyh", mh; yeudomarturhvsh/"
Jo 4.29 Deu'te, i[dete a[nqrwpon o}" ei\pen moi pavnta o}sa ejpoihsa:
Jo 12.36 pisteuvete eij" tov fw'" i}na uiJoi; fwto;" gevnhsqe.
At 7.59 Kuvrie Ij hsou', devxai to; pneu'mav mou.
At 21.14 Tou' kurivou to; qevlhma ginevsqw.
Rm 6.15 aJmarthvswmen o}ti oujk ejsme;n uJpo; no;mon ajlla; uJpo; cavrin_ mh; gevnoito.
Ef 4.30 kai; mhv lupei'te to; pneu'ma to; a}gion tou' qeou'
Ef 5.1 givnesqe ou\n mimhtai; qeou' tevkna ajgaphtav kai; peripatei'te ejn ajgavph
1 Tm 4.7 Guvmnaze de; seauto;n pro;" eujsevbeian.
1 Pd 2.17 pavnta" timhvsate, th;n ajdelfovthta ajgapa'te,
to;n qe;on fobei'sqe, to;n basileva tima'te.
1 Pd 3.15 kuvrion de; to;n Cristo;n aJgiavsate ejn tai'" kardiva" uJmw'n
Fl 20 Naiv, ajdelfev, ejgwv soi ojnaivmhn ejn kurivw.
Ap 2.7 oJ e[cwn ou\" ajkousavtw tiv to; pneu'ma levgei tai'" ejkklhsivai".
Ap 19.17 Deu'te, sunavcqhte eij" to; dei'pnon to; mevga tou' qeou'
Ap 22.20 Naiv, e[rcomai tacuv. A j mhvn, e[rcou, kuvrie Ij hsou'.
140 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

140
Constantino Ferreira 141

LIÇÃO 46

PRONOMES

INTERROGATIVOS E INDEFINIDOS

Como é sabido, os pronomes tomam o lugar dos substantivos. Quando dizemos, “o homem es-
creve”, podemos transformar em “ele escreve”. Depois de termos estudado os pronomes pesso-
ais, demonstrativos, reflexivos e recíprocos, vamos estudar os interrogativos e indefinidos.

1. Recordando os pronomes
a) pronome pessoal: ejgwv, suv, aujto"
b) pronome demonstrativo: ou|to", ejkei'no"
c) pronome reflexivo: ejautou'
d) pronome recíproco: ajllhvlwn

2. Pronomes interrogativo e indefinido


a) A principal distinção é o sinal de interrogação, que às vezes aparece no final da frase.
b) A segunda distinção está nos acentos: interrogativo: tivno"; indefinido: tino",
i. O interrogativo tem acento na 1ª sílaba (tiv);
ii. O indefinido geralmente não é acentuado. Mas pode ter acento na 2ª (tinov").
c) O indefinido responde ao interrogativo: Quem fez? – Alguém fez.
d) Este pronome pertence à 3ª declinação. Vejamos:

3. Declinação destes pronomes


INTERROGATIVO INDEFINIDO
M/F Nt Tradução M/F Nt Tradução
tiv" tiv Quem? Qual? O que? ti" ti Alguém, algo, que
tivn-o" tivn-o" de quem tin-o" tin-o" Etc.
tivn-i tivn-i a quem tin-i tin-i
tivn-a tiv quem tin-a ti
tiv
tivn-e"
n-e" tiv
n-e tivn-a
n-a Quem? Quais? O que? tin-e"
tin-e" tin-a
tivn-wn tivn-wn de quem tin-wn tin-wn
tivs-in tis-in a quem tis-in tis-in
tivn-a" tivn-a quem tin-a" tin-a"

4. Uso destes pronomes


Ambos podem ser usados como substantivos, adjectivos e advérbios.
a) Como substantivo: tiv" luvei_ – luvei ti = quem solta? – alguém solta.
b) Como adjectivo: tiv" gunhv_ – gunhv ti" = qual mulher? – alguma mulher.
c) Como advérbio: tiv klaivei"_ = porque choras?

5. O pronome interrogativo em perguntas directas e indirectas


a) Directas: ejpistrafei;" ejn tw/' o[clw/ e[legen, tiv" mou h}yato tw'n ivmativwn_ Mk 5.30.
b) Indirectas: blevpei" to;n o[clon sunqlivbontav se kai; levgei", tiv" mou h}yato_ Mk 5.31.

6. Texto exemplo
Ajll! eijsi;n ejx uJmw'n tine" oi} ouj pisteuvsousin. h[dei ga;r ejx ajch'" oJ Ij hsou'" tivne"
eijsi;n oiJ mh; pisteuvonte" kai; tiv" ejstin oJ paradwvswn aujtovn. Ij wavnnhn 6.64.
142 Estudo Programado de Grego Comum

7. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajparnevomai negar a si mesmo eu[kopo" fácil
ajpevrcomai Ir embora ejxetavzw examinar, indagar
ajpokulivw remover rolando ejcivdna víbora
ajpokrivnomai responder mevllw estar para
a[ra então, pois mnhmei'on sepulcro
ajfivhmi perdoar ojrgh' ira
Gennhvma raça ou}tw" assim, deste modo
ei}" um poievw fazer
ejperwtavw perguntar swqh'nai < swvzw salvar
ejrwtavw rogar uJpodeivknumi induzir

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.31,32
b) Pesquisar: e denominar as formas verbais encontradas no trecho.
c) Denominar: os artigos encontrados no trecho.
d) Traduzir: o trecho da leitura.

9. Textos do NT
Mt 3.7 Gennhvmata ejxidnw', tiv" uJpevdeixen uJmi'n fugei'n ajpo; th'" mellouvsh" ojrgh'/"_
Mt 10.11 ejxetavsate tiv" ejn aujth'/ a[xio" ejstin
Mt 16.24 ei[ tiv" qevlei ojpivsou mou ejlqei'n, ajparnhsavsqw eJauto;n
Mt 18.1 Tiv" a[ra meivzwn ejsti;n ejn th'/ basileiva tw'n oujranw'n_
Mt 19.25 Tiv" a[ra duvnatai swqh'nai_
Mt 21.28 Ti de; uJmi'n dokei'_ ...tiv" ejk tw'n duvo ejpoivhsen to; qevlhma tou' patrov"_
Mc 2.7 a Ti ou|to" ou}tw" lalei'_ blasfhmei':
Mc 2.7 b tiv" duvnatai ajfievnai aJmartiva" eij mh; ei|" oJ Qeov"_
Mc 2.9 tiv ejstin eujkopwvteron, ... _
Mc 16.3 Tiv" ajpokulivsei hJmi'n to;n livqon ejk th'" quvra" tou' mnhmeivon_
Lc 3.10 Kai; ejphrwvtwn aujto;n oiJ o[cloi levgonte": tiv ou\n poihvswmen_
Lc 7.49 Tiv" ou}to" ejstin o}" kai; aJmartiva" ajfivhsin_
Jo 1.19 iJerei'" kai; leuivta" i}na ejrwthvswsin aujtovn, Su;; tiv" ei\_
Jo 1.22 Tiv levgei" peri; seautou'_
Jo 6.68 ajpekrivqh aujtw/' Sivmwn Pevtro", Kuvrie, pro;" tivna ajpeleusovmeqa_

10. Septuaginta Yalmov" 116 (117).


1. Ajllhlouia.
Aijnei'te to;n kuvrion, pavnta ta; e[qnh,
ejpainevsate aujtovn pavnte" oiJ laoiv,
2. o}ti ejkrataiwvqh to; e[leo" aujtou' ejf! hJma'",
kai; hJ ajlhvqeia tou' kurivou mevnei eij" to;n aijw'na.

Epitáfio no Museu Cristão do Vaticano, com dois peixes


cada lado de uma âncora, símbolo da cruz e da salvação.
Por cima está a legenda: “Os peixes dos vivos”. Séc. III.

(In, Os Primitivos Cristãos, Michael Gough, Editorial Verbo, Lisboa, 1969).

142
Constantino Ferreira 143

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
144 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 47

PRONOMES RELATIVOS

O pronome relativo já o temos encontrado em vários trechos apresentados anteriormente, sem,


todavia, o termos estudado. É o momento oportuno para isso. Conforme o próprio nome indica,
este pronome está relacionado com um substantivo antecedente. É fácil de reconhecer pelo facto
de ter aspiração áspera ( } | ).

1. Os Pronomes relativos
a) Os pronomes são masculino, feminino e neutro: o}", h}, o} = (aquele(a) que...
b) O antecedente é o substantivo anterior: oJ ajdelfov" o}" ajgavpw = o irmão que eu amo.
c) O significado é, por conseguinte: “que” ou “(aquele) que” “quem”.

2. A declinação do pronome
Comparar o artigo e o pronome para facilitar a aprendizagem. O pronome perde o
(t) inicial do artigo e leva aspiração áspera ( ,J )} . >
O Artigo O Pronome
Caso
Masc. Fem. Neut. Masc. Fem. Neut.
Nsg oJ hJ tov
to v o}" h} o}
G tou' th" tou' ou| h|" ou|
D tw/' ~th/' tw/' w|/ h| w|/
A tovn thvn tov o}n h|n o}
Npl oiJ aiJ tav
tav oi} ai} a}
G tw'n tw'n tw'n w|n w|n w|n
D toi'" tai'" toi'" oi|" ai|" oi|"
A touv " tav " tav ou| " a} " a}

3. Reconhecimento do artigo e do pronome


a) O artigo nominativo masculino singular e plural geralmente não usa acento. O pro-
nome no mesmo caso leva (") acento e aspiração áspera.
b) Os outros casos perdem (t) inicial e levam acento e aspiração áspera.
c) Mas, às vezes o artigo tem a função de pronome, que é reconhecido pela frase:
1. kai; lavmpei pa'sin toi'" ejn th/' oijkiva./ Mq 5.15.
2. Sivmwn kai; oiJ met! aujtou'. Mk 1.36.

4. Correspondência do pronome com o antecedente


O pronome corresponde em género e número com o seu antecedente, mas o caso depende
da frase subordinada. Exemplos abaixo:
a) Ej mmanouhvl, o} ejstin meqermhneuovmenon Meq! hJmw'n oJ Qeov". Mq 1.23.
b) Ou|tov" ejstin oJ uiJov" mou oJ ajgaphtov", ejn w/| eujdovkhsa. Mq 3.17.
c) Às vezes o antecedente está ausente, sobretudo quando o pronome relativo é facil-
mente entendido.

5. Frases com o pronome relativo


a) O pronome relativo definido: oJ ajsth;r... ejstaqh ejpavnw ou} h}n to; paidivon. Mq 2.9.
b) O pro. relativo indefinido: hJgouvmeno" o}sti" poimanei' to;n laovn mou... Mq 2.6.
c) Frases indefinidas: o}" d! a}n ei[ph/ tw/' ajdelfw/' aujtou': Rakav, Mq 5.22
d) o}" d! a[n ei[ph/: Mwrev, e[noco" e[stai eij" th;n gevennan tou' purov". Mq 5.22.

144
Constantino Ferreira 145

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
a[gkura âncora iscurovterov" mais poderoso
ajriqmevw contar kataskeuavzw preparar
aujlhv aprisco, pátio kuvya" < kuvptw encurvar-se
ejdunato < duvnamai poder latreuvw servir
ejpikalevshtai < kalevw chamar o}sti" qualquer
ikano;" digno poihvsh/ < poievw fazer
iJmavnta correia swqhvsetai < swvzw salvar
ejpisteuvsate < pisteuvw crer uJpodhmavtwn sandálias

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.33,34
b) Pesquisar: as formas verbais existentes no trecho.
c) Denominar: essas mesmas formas verbais.
d) Traduzir: o trecho lido.

8. Textos do NT
Mt 12.50 o}" } ti" ga;r a]n poihvsh° to; qevlhma tou' patrov" mou, aujto" mou ajdelfo"...
Mc 1.2 to;n a[ggelovn mou... o}" kataskeuavsei th;n oJdovn sou.
Mc 1.7 oJ iscurovterov" mou..., ou} oujk eijmi; ikano;" kuvya" lu'sai to;n imavnta...
Mc 3.35 o}" (ga;r) a[n poihvsh/ to; qevlhma tou' Qeou' ou\to" ajdelfov" kai; ajdelfh...
Jo 10.16 a[lla provbata ecw, a} oujk e[stin ejk th'" aujlh'" tauvth"
At 2.21 pa'" o}" eja`n ejpikalevshtai to; o[noma kurivou swqhvsetai
At 3.6 o}' de; e[cw, tou'tov soi divdwmi
At 9.5 ejgwv eijmi Ij hsou'", o}n sou; diwvkei".
At 27.23 a[ggelo" tou' qeou', ou| eijmi (ejgwvv) w/| kaiv latreuvw
1 Co 3.5 tiv oun ejstin A j pollw'"_ tiv dev ejstin Pau'lo"_ diavkonoi di w
j |n ejpisteuvsate
1Co 15.10 cavriti de; qeou' eijmi; o] eijmi
Cl 1.24 uJpe;r tou' swvmato" aujtou' o] ejstin hJ ejkklhsiva
Hb 2.13 ijdou; ejgw; kai; ta; paidiva a] moi e[dwken oJ qeov"
Hb 6.19 (ejlpiv") hn wJ" a[gkuran e[comen th'" yuch'"
Ap 7.9 ijdou; o[clo" poluv", o}n ajriqmh'sai aujto;n oujdei;" ejduvnato

Baptistério descoberto em Nazaré


146 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

146
Constantino Ferreira 147

LIÇÃO 48

PRONOMES E ADJECTIVOS POSSESIVOS

Convém recordar que o pronome possessivo equivale ao genitivo do pronome pessoal. Por
exemplo: oJ so;" pathvr = oJ pathvr sou. Todavia, o adjectivo possessivo é mais usado na koinê.
Enquanto o pronome possessivo tem sentido normal, o adjectivo possessivo enfatiza a possessão.
Exemplo: oJ lovgo" oJ so;" ajlhvqeiav ejstin = a tua palavra é a verdade. sov" é o adjectivo que en-
fatiza a possessão.

1. Pronomes possessivos
Pessoas Pronome Tradução Sentido Enfático Fem / Neut
1 sg mou meu de mim ejmov" hv, ovn
2 sg sou teu de ti sov" hv, ovn
3 sg aujtou' seu dele aujtou' -
1 pl hJmw'n nosso de nós hJmevtero" a, on
2 pl uJmw'n vosso de vós uJmevtero" a, on
3 pl aujtw'n seu deles aujtw'n -

2. Exemplo dos Possessivos


Grego Tradução Enfático Significado
oJ ajdelfov" mou o meu irmão oJ ajdelfov" oJ ejmov" ...que me pertence
to; biblivon sou o meu livro to; biblivon to; sov" ...que te pertence
oJ lovgo" aujtou' a palavra dele oJ lovgo" oJ aujtou' ...que lhe pertence
oJ pathvr hJmw'n o nosso pai oJ pathvr oJ hJmevtero" ...que nos pertence
hJ douvlh uJmw'n a vossa escrava hJ douvlh hJ uJmevtero" ...que vos pertence
hJ oijkiva aujtw'n a casa deles hJ oijkiva hJ aujtw'n ...que lhes pertence

3. Possibilidades de ênfase
Existem duas maneiras de enfatizar a ideia:
a) Com adjectivos possessivos: oJ ejmov" ajdelfov" _ oJ ajdelfov" oJ ejmov".
 makavrioi oiJ ptwcoi; tw'/ pneuvmati, oJvti aujtw'n ejsti;n hJ basileiva tw'n oujranw'n
 bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o reino dos céus, Mt 5.3.
 makavrioi oij ptwcoiv, o]ti uJmetevra ejsti;n hJ basileiva tou' qeou'.
 bem-aventurados os pobres porque vosso é o reino de Deus, Lc 6.20.

b) Com o adjectivo ivdj io", a on: eij" ta; ijvdia h\lqen, kai; oiJ i[dioi aujto;n ouj parevlabon.
 veio para o que era seu (próprio), e os seus (próprios) não o receberam; Jo 1.11.
 kat! ijdivan de; toi'" ijdivoi" maqhtai'" ejpevluen pavnta.
 porém, tudo explicava em particular aos seus próprios discípulos; Mc 4.34

4. Posição do pronome
a) A posição do pronome é imediatamente após o substantivo:
ajnabaivnw prov" to;n patevra mou kai; patevra uJmw'n = subo para meu pai e vosso
pai.

b) A posição do adjectivo (enfático) é antes do substantivo:


ov ajspasmo;" th'/ ejmh'/ ceiri; Paulou = a saudação da minha própria mão, de Paulo.
148 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajnavmnhsi", ew", hJ memória i]sthmi ponho, coloco
ajph'lqon < ajpevrcomai afastar-se luvcno", ou, oJ lâmpada
ajfe" < ajfivhmi perdoar nou'", noov", oJ mente
eijsenevgkh/" < eijsfevrw introduzir ojfeilhvmata dívidas, ofensas
ejlqavtw < evrj comai ir, vir pevmyantov" < pevmpw enviar
ejmov", hv, ovn meu plhroforevw estar convencido
ejpiouvsio" quotidiano rJusai < rJuomai livrar
hJmevtero", a, on nosso uJmevtero", a, on vosso
ijdio", a, on próprio yeu'do", ou", to mentira
iJlasmov", ou', oJ propiciação yeuvsth", ou, oJ mentiroso

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.35,36
b) Pesquisar no trecho:
i. os artigos existentes
ii. as preposições existentes
iii. as formas verbais existentes
c) Denominar: essas mesmas formas verbais
d) Traduzir: o trecho lido.

7. Trechos NT
Mt 6.9 Ou}tw" ou\n proseuvcesqe uJmei'": Pavter hJmw'n oJ ejn toi'" oujranoi'",
Mt 6.9b ajgiasqhvto to; ovjnomav sou:
Mt 6.10 ejlqavtw hJ basileiva sou: genhqhvtw to; qevlhmav sou,
Mc 6.32 kai; ajph'lqon ejn tw'/ ploivw/ eij" e[rhmon tovpon kat ijdivan.
Lc 11.3 to;n ajvrton hJmw'n to;n ejpiouvsion divdou hJmi'n to; kaq! hJmevran:
Jo 1.41 euJrivskei ou]to" prw'ton to;n ajkolouqhsavntwn aujtw'/.
Jo 5.30 h krivsi" h ejmh; dikaiva ejstivn
Jo 7.16 hJ ejmh; didach; oujk ejvstin ejmh; ajlla; tou' pevmyantov" me
Jo 8.44 o]tan lalh'/ to; yeu'do", ejk tw'n ijdivwn lalei', o]ti yeuvsth" ejsti;n
Jo 17.10 kai; ta; ejma; pavnta sav ejstin kai; sa; ejmav,
Jo 20.17 ajnabaivnw pro;" to;n patevra mou kai; patevra uJmw'n kai; qevon mou
Rm 14.5 e]kasto" ejn tw'/ ijdivw/ noi` plhroforeivsqw.
1 Co 7.7 ajlla; e]kasto" i[dion e[cei cavrisma ejk qeou'
1 Co 11.24 tou'to poiei'te eij" th;n ejmh;n ajnavmnhsin.

8. Oração do Senhor
Pavter hJmw'n oJ ejn toi'" oujranoi'",
AJgiasqhvtw to; ojvnomav sou:
ejlqavtw hJ basileiva sou:
genhqhvtw to; qevlhmav sou,
wJ" ejn oujranw'/ kai; ejpi; gh'":
To;n ajvrton hJmw'n to;n ejpiouvsion do;" hJmi'n shvmeron.
kai; a[fe" hJmi'n ta; ojfeilhvmata hJmw'n:
wJ" kai; hJmei'" ajfhvkamen toi'" ojfeilevtai" hJmw'n:
kai; mh; eijsenevgkh/" hJma'" ei'" peirasmovn,
ajlla; rJusai hJma'" ajpo; tou' ponhrou'.

148
Constantino Ferreira 149

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
150 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 49
VERBOS DA CONJUGAÇÃO MI

Até agora temos estudado os verbos da conjugação temática, em w. Agora temos que estudar os
verbos da conjugação atemática, em mi, que se dividem em três grupos: omi, emi, ami, cujo pa-
radigma é divdwmi. Destes três grupos fazem parte os quatro grandes verbos em mi:
divdwmi, tivqhmi, i{sthmi, i{hmiv, e seus compostos. Estes servem de exemplo para a conjugação
dos outros.

1. Comparação das terminações


a) A diferença entre as conjugações em w e mi existem somente nos sistemas do presen-
te, no imperfeito, e 2º aoristo.
b) Outra diferença é que os verbos em mi não usam vogal auxiliar como os outros.
c) Os verbos cuja raiz termina em a, e, o, sofrem mudança fonética nessa vogal:
luvw, no singular, toma a forma de luomen, no plural.
d) O mesmo acontece na conjugação mi: divdwmi, no singular, toma a forma divdomen no
plural. Aprender este verbo como paradigma da conjugação mi.
:
2. A conjugação verbal mi
Terminações Dou Ponho Coloco Envio
-w -mi div-dw-mi tiv-qh-mi i{-sth-mi i{-h-mi
ow omi div-dw-" tiv-qh-" i{-sth-" i{-h-"
ew emi div-dw-sin tiv-qh-sin i{-sth-sin i{-h-sin
aw ami div-do-men tiv-qe-men i{-sta-men i{-e-men
div-do-te tiv-qe-te i{-sta-te i{-e-te
di-dova-sin ti-qeva-sin iJ-sta'-sin iJ-a'-sin
Raiz verbal R- do R- de R- sta R- e

3. Comparação verbal entre w e mi


Term. Pre act Fut act Aor act Aor pas Pf act Pf méd
w luv-w luvsw e[lusa ejluvqhn leluvka levlumai
ow douvlo-w doulwvsw ejdouvlwsa ejdouvlwqhn dedouvlwka dedouvlwmai
omi divdw-mi dwvsw e[dwka ejdovqhn devdwka devdomai

4. Esclarecimento
Além do presente e do aoristo, todos os tempos dos verbos em mi seguem a regra de luvw.
a) O futuro activo de divdwmi é regular: a vogal da raiz permanece fechada e recebe o
sigma do futuro e outro omega: dwv-s-w. O futuro médio é formado sobre o futuro ac-
tivo.
b) O perfeito activo é também regular porque tem duplicação e sufixo temporal k:
dev-dw-k-a. O mais-que-perfeito é formado sobre o perfeito activo.
c) O perfeito médio tem duplicação e a vogal da raiz (do) não fecha: dev-do-mai. O mais-
que-perfeito médio é formado sobre o perfeito médio.
d) O aoristo passivo tem aumento (e), sufixo temporal (qh) e a vogal da raiz não fecha:
ej-do-qh-n.
e) Mais informação sobre a conjugação em (mi) encontra-se no Apêndice.

150
Constantino Ferreira 151

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
aijtevw pedir zhtevw buscar
ajntitavssomai opor-se kruptw'/ secreto
ajpodivdwmi doar, cumprir kaqivzw sentar-se
ajpoluvw liberar, divorciar kordavnth" quadrante, moeda
ajpostavsia separação kusivn < kuno" cachorro
ejpioikevw Jurar falso pei'n < pivnw beber
eurivskw achar tapeinov" humilde
ejdovqh < divdwmi dar uJperhfavno" orgulhoso, altivo
ejxelqh/" < ejxevrcomai sair oJvrkou" < o]rko" juramento

6. Exercícios
a) Leitura: os trechos abaixo
b) Pesquisar: os verbos em mi
c) Conjugar: o p.i.a. de divdwmi e o f.i.a. de ajpodivdwmi
d) Denominar: seis substantivos à escolha
e) Traduzir: todos os trechos de Mateus, abaixo

7. Trechos NT
Mt 5.26 ouj mh; ejxevlqh/" ejkei'qen, e[w" a}n ajpodw'" to;n e[scaton kodravnthn.
Mt 5.31 o}" a]n ajpoluvsh/ th;n gunai'ka aujtou', dovtw aujth'/ ajpostavsion.
Mt 5.33 Oujk ejpiorkhvsei", ajpodwvsei" de; tw'/ kurivw/ tou;" o{rkou" sou.
Mt 5.38 divdote kai; doqhvsetai uJmi'n
Mt 6.4 kai; oJ pathvr sou oJ blevpwn ejn tw'/ kruptw'/ ajpodwvsei soi.
Mt 7.6 Mh; dw'te to; a]gion toi'" kusivn
Mt 7.7 Aijtei'te kai; doqhvsetai uJmi'n, zhtei'te kai; euJrhvsete.
Jo 1.17 o]ti oJ novmo" dia; Mwu>sevw" ejdovqh, hJ cavri" kai; hJ ajlhvqeia dia; Ij hsou' Cr.
Jo 4.7 levgei aujth'/ oJ Ij hsou'": Dov" moi pei'n.
Jo 4.15 Kuvrie, dov" moi tou'to to; uvdJ wr,
Jo 2.18 Tiv shmei'on deiknuvei" hJmi'n oJvti tau'ta poiei'"_
Ac 2.22 Ij hsou'n to;n Nazwrai'on, a[ndra ajpodedeigmevnon ajpo; tou' qeou'
2 Ts 2.4 eij" to;n nao;n tou' qeou' kaqivsai ajpodeiknuvnta eJauto;n o]ti e[stin qeov".
Tg 4.6 OJ qeo;" uJperhfavnoi" ajntitavssetai, tapeinoi'" de; divdwsin cavrin.
152 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS

152
Constantino Ferreira 153

LIÇÃO 50

CONJUNÇÕES E PARTÍCULAS

Conjunções são pequenas palavras indispensáveis para ligar palavras e frases de forma a expres-
sar ideias claras. Outras aparecem no texto como meteoritos, quase sem motivo, e, por isso são
chamadas de partículas intraduzíveis. Optamos por omiti-las neste programa. As conjunções
agem como dobradiças ligando duas partes para fazerem sentido.

1. Divisão das conjunções


a) Aditivas, porque acrescentam palavras ou frases: vigiai e orai
b) Adversativas, porque colocam duas palavras ou frases em contradição: não o velho,
mas o novo homem.
c) Explicativas, porque indicam o alvo, o motivo ou a condição da acção: faço isto por-
que gosto.

2. Conjunções aditivas
a) kai; – e, também – oJ pavter kai; oJ uJiov" pistouv" eijsivn.
b) dev – e, mas – ejlqw;n de; oJ Ij hsou'" (de; é pospositiva)
c) te – e; associada com dev ou kai; significa ‘tanto como’ te ... dev ; te ... kai; .

3. Conjunções adversativas
a) ajllav – mas – enfático, mais forte do que dev
b) dev e, mas (pospositiva)
i. oujde; ... oujdev – nem ... nem
ii. mhde; ... mhdev – nem ... nem
iii. ne;n ... dev – mas (de facto)
c) ei[te ... ei[te – ou ... ou
d) h[ ... h[ – ou ... ou
e) ou\n – contudo, portanto, pois

4. Conjunções explicativas
a) Conclusivas
i. a[ra – pois, então, ora
ii. gavr – porque
iii. diov – porque (di joJ , por isso)
iv. ovJti – porque, que, (aspas “.” )
v. diovti – porque (dia; tou'to oJvti, por isso)
vi. ou\n – pois, então, ora
vii. w{ste – assim, deste modo, por isso

b) condicionais
i. a[n , eij, – se
ii. ejavn (eij + a[n) – se
iii. eijvper – se

c) finais (apontam para uma finalidade)


i. i]na, oJvpw", – para que
154 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgiasmo;" santificação qnhtov" mortal
diafevrw valer katavkrima condenação
ejpidhmevw residir krivnw julgar
eujkairevw tempo próprio xevno" estrangeiro
hjvrxato < ajrcomai começar fobevw temer, ter medo
h'san < eijmi ser, estar fugevw fugir

6. Leitura
a) Ij wavnnhn 3.16, nos Trechos NT, abaixo
b) Pesquisar: os verbos no referido trecho
c) Conjugar: diafevrw, eijmi, eujkairvew
d) Denominar: ajpovlhtai, eujkaivroun, kriqh'te
e) Traduzir: João 3.16 e Actos 17.21, dos Trechos NT

7. Trechos NT
Mt 7.1 mh; krivnete i[na mh; kriqh'te
Mt 10.31 mh; ou\n fobei'sqe: pollw'n strouqivwn diafevrete uJmei'".
Jo 3.16 ouJvtw" ga;r hjgavphsen oJ Qeo;" to;n kovsmon, wJvste to;n uiJo;n monogenh' e[dw-
ken, iJvna pa'" ' oJ pisteuvwn eij" aujto;n mh; ajpovlhtai ajll j e[ch/ zwh;n aijwvnion
At 1.1 peri; pavntwn, w\ Qeovfile, w|n h[rxato oJ Ij hsou'" poiei'n te kai; didavskein.
At 14.4 kai; oiJ me;n h'san su;n toi'" Ij oudaivoi", oiJ de; su;n toi'" ajpostovloi"
At 17.21 Aj qhnai'oi de; pavnte" kai; oiJ ejpidhmou'nte" xevnoi
eij" oujde;n eJvteron hujkaivroun h} levgein ti h} ajkouvein ti kainovteron.
Rm 3.29 h] Ij oudaivwn oJ Qeo;" movnon_ oujci kai ejqnw'n_ nai; kai; ejqnw'n
Rm 6.12 Mh; ou\n basileuevtw hJ aJmartiva ejn tw'/ qnhtw' uJmw'n swvmati
Rm 8.1 OuJde;n ajvra nu'n katavkrima toi'" ejn Cristw'/ Ij hsou'.
Rm 13.10 plhvrwma oujvn novmou ajgavph
1 Co 1.12 ejgw; mevn eijmi Pavulou, ejgw; de; A j pollw'
1Co 10.14 Diovper, ajgaphtoiv mou, feuvgete ajpo; th'" eijdwlolatriva".
1 Ts 4.3 tou'to gavr ejstin qevlema tou' qeou', oJ aJgiasmo;" uJmw'n

8. Revisão Geral

154
Constantino Ferreira 155

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
156 Estudo Programado de Grego Comum

EXEGESE SINTÁTICA E SEMÂNTICA

Após concluir o estudo deste manual elementar é aconselhável estudar também o excelente
manual de Exegese do Novo Testamento, do Professor Manuel Alexandre Junior, da Colecção
Philologia, de Alcalá – Sociedade Bíblica de Portugal, Lisboa, 2004.

Constantino Ferreira

156