Relatório de Biologia

Desenvolvimento de bactérias, assepsia de mãos e antibiograma
Pedro Emanuel (201), Evelyn Alvernakoz (200) e Fernanda Gomes (202) Professora Vânia • Instituto Educacional Mayrink Vieira • 07/05/2010

Pedro Emanuel (201), Evelyn Alvernaz (200) e Fernanda Gomes (202)

1

Abre-se a placa e. interromper a cadeia de transmissão de doenças. Evelyn Alvernaz (200) e Fernanda Gomes (202) 2 . PVP-I e gazes estéreis. para evitar o contágio por micróbios presentes no ar. Acender uma lamparina próxima à placa. pode reduzir ainda mais os riscos de transmissão. em seguida. ágar nutriente.Assepsia das mãos PARTE I Materiais: placa de Petri. Lavar as mãos com álcool etílico a 70% e. detergente. A utilização simples de água e sabão pode reduzir a população microbiana presente nas mãos e. pressiona-se suavemente o meio de cultura com um dedo sem lavar. em seguida. Lavar as mãos com água e detergente abundantemente e. A aplicação de produtos anti-sépticos. na maioria das vezes. Pedro Emanuel (201). em especial de agentes com base alcoólica. A assepsia das mãos é um conjunto de medidas utilizadas para impedir a penetração de microorganismos (contaminação) em local que não os contenha. pressionar a segunda divisão com o mesmo dedo usado anteriormente. álcool 70%. fazer marcações com uma caneta. Aguardar o período de incubação e analisar o crescimento de colónias de micro-organismos nas quatro divisões da placa. repetir o passo anterior na terceira divisão. pela intensificação da redução microbiana ou por favorecer um aumento na freqüência de higienização das mãos. sem abri-la. Lavar as mãos com PVPI e repetir o passo anterior e repetir o passo anterior na quarta divisão. Desenvolvimento Na placa de Petri contendo solução nutritiva. dividindo-a em quatro partes. na primeira divisão.

alça de platina. bico de busen. porém sem efeito residual. pelo álcool 70% que possui ação germicida. em parte. após 3 horas. em 97. À medida em que aumenta a solubilidade. estante. 1 (sem lavar) 2 (detergente) 3 (álcool 70%) 4 (PVP-I) 20 14 6 4 Antibiograma PARTE II Materiais: placa de Petri. mais estamos livres de bactérias que possam vir a nos infectar. swabs. O detergente comumente usado age mecanicamente e sem atividade bactericida.Resultados Quadrante Número de colônias Conclusão Podemos perceber que quanto maior for a assepsia das mãos.3%. solução salina e antibióticos. Assim há ainda um significativo número de bacterias. O iodo livre é o responsável pela ligação com os microorganismos.3% e. aumenta o iodo livre disponível. demonstrando um efeito inicial ótimo e uma efetiva ação residual. que serão eliminadas. Age nas bactérias através da lise celular e coagulação de proteínas. O restante das bactérias são eliminadas pela ação do PVP-I (iodo + polivinilpirrolidona yodo). tubo de ensaio. ágar nutrientes. Evelyn Alvernaz (200) e Fernanda Gomes (202) 3 . Alguns estudos mostram que PVPI reduz a flora bacteriana das maõs após a lavagem em 94. Pedro Emanuel (201).

Evelyn Alvernaz (200) e Fernanda Gomes (202) 4 . o antibiótico utilizado no experimento mais indicado para combater a bactéria é a penicilina. Penicilina (10) 1 cm Amoxilina (10) 0. ao redor de um disco de antibiótico. colocase discos de papel embebidos em diferentes antibióticos (com os discos previamente identificados). Depois. Desenvolvimento Antes de começar o processo do antibiograma. insere-se o swabs neste. indica uma região com ausência de crescimento bacteriano. Ágar Müeller Hinton é um meio de cultura em placas recomendado para a realização de antibiograma (teste de sensibilidade). para espalhar nesta as bactérias das colônias. Resultados Antibiótico Diâmetro do halo de inibição Conclusão A formação de um halo transparente sobre a superfície do meio. acende-se uma lamparina para evitar o contato de bactérias presentes no ar. Depois. contaminando-o com as bactérias presentes na solução. passando-se o swabs contaminado sobre o meio. uma vez que esta inibiu mais bactérias ao seu redor. Aguarda-se o período de incubação e desenvolvimento das bactérias e analisase em que partes da solução houve desenvolvimento bacteriano. Primeiro. Fecha-se e agita-se o tubo de ensaio. contamina-se a alça de platina inserindo sua ponta em uma colônia de bactérias. Assim. insere-se essa alça em um tubo de ensaio com solução salina.Abre-se uma placa de Petri contendo ágar e espalha-se sobre este a solução salina contaminada com bactérias. por espalhamento. é rico proteínas e carboidratos que fornece o substrato ideal para o desenvolvimento e crescimento de cepas bacterianas de interesse clínico.Um antibiograma é um ensaio que mede a susceptibilidade ou resistência de uma bactéria aos antibióticos através do espectro de sensibilidade identificados na placa de cultura. Depois. uma amostra de uma cultura bacteriana previamente crescida em meio líquido.9 cm Cefaclor (30) 0 (não inibiu) Pedro Emanuel (201). revelando a ação inibidora do agente antimicrobiano sobre a bactéria ensaiada. O teste é feito utilizando-se discos de difusão antibióticos depositados sobre a superfície do meio onde se inoculou. O objetivo é verificar a sensibilidade ou resistência das bactérias aos antibióticos determinados.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful