Você está na página 1de 20

Coaching e Psicologia:

A Importância da Psicologia
Organizacional Para Empresas
Sumário

14
03 Como a Psicologia
Introdução Organizacional afeta
o ambiente corporativo

05 16
O que é Psicologia Psicologia Organizacional
Organizacional? e Coaching

19
Formações em Coaching
07 mais indicadas para
A Teoria de Maslow psicólogos organizacionais
Introdução:
Contar com uma equipe de alta performance é vantagem competitiva
para qualquer organização. O mercado está cada vez mais dinâmico e
para se manter nele, as empresas precisam atrair e reter talentos que
façam a diferença e deem o seu melhor. Mas por que é tão difícil motivar
os colaboradores?

Acontece que grande parte das empresas tratam seus profissionais como
números ou robôs. Muitas nem ao menos investem em estratégias
motivacionais porque acreditam que precisarão desembolsar altas
quantias. Elas não compreendem que os colaboradores são seres
humanos e precisam ser valorizados. Como todas as pessoas, eles têm
famílias, necessidades, sonhos, objetivos e problemas.

Você já parou para pensar o que há em comum entre as melhores


empresas para se trabalhar? Em geral, elas oferecem aos seus
colaboradores voz e ambiente propício para o desenvolvimento pessoal e
profissional, ou seja, mais qualidade de vida! Apesar disso, não existe uma
fórmula mágica que funcione para todas, porque cada ser humano é
único, apresenta características e individualidades diferentes.

03
Isso explica porque culturas de organizações bem-sucedidas e muito
copiadas (como o Google por exemplo) não funcionam da mesma forma
em outras empresas.

Falta flexibilidade por parte das organizações para compreender o que


motiva a sua equipe e finalmente usufruir de resultados extraordinários.
Existe uma forma de fazer isso com mais assertividade: recorrer à
Psicologia Organizacional!

Motivação é um dos principais objetos de estudo da psicologia em geral,


que busca identificar o que faz as pessoas agirem de determinada
maneira e o que acontece quando elas não estão motivadas. Ao trazê-lo
para o contexto organizacional, é possível compreender melhor as
necessidades dos colaboradores e investir em estratégias de gestão de
Recursos Humanos mais assertivas. Neste e-book, você conhecerá mais
sobre o conceito e sua aplicabilidade nas empresas. Vamos lá?

04
business

research

idea
solution
O que é Psicologia
research
Organizacional?
solution
idea
Psicologia Organizacional não é nada mais do que a psicologia aplicada
nas empresas, sejam elas privadas, ONGs, instituições ou públicas. Nesse
sentido, estuda os fenômenos psicológicos no ambiente corporativo,
especificamente aqueles ligados à gestão de pessoas ou Recursos
Humanos. Seu objetivo é auxiliar na identificação das necessidades dos
colaboradores para oferecer a eles, condições favoráveis de trabalho e
desenvolvimento profissional.

Em geral, a Psicologia Organizacional atenta-se ao bem-estar, progresso e


relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. O psicólogo pode
auxiliar no funcionamento da empresa como um todo, à medida em que
compreende a relação entre o colaborador e o seu contexto. Entre os
processos que participa, estão: recrutamento e seleção, análise de cargos
e salários, aplicação de testes comportamentais, mapeamento dos
colaboradores, avaliação de desempenho e performance, gestão do clima
organizacional, resolução de conflitos entre profissionais, planejamento
de carreira e retenção de talentos.

06
business

research

idea
solution
A Teoria de research
Maslow
solution
idea
Como dissemos, a motivação sempre foi um dos principais objetos de
estudo da psicologia. A Teoria de Maslow (também conhecida como
Pirâmide de Maslow ou Teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas)
é uma das mais famosas sobre o tema. Por meio dela, o psicólogo
norte-americano Abraham Maslow propõe que as necessidades humanas
seguem uma divisão hierárquica. Dessa forma, as de nível mais baixo
devem ser satisfeitas antes das de nível mais alto.

Vamos entender melhor. A Pirâmide de Maslow é dividida


em cinco níveis de necessidades:

Base da pirâmide:

estão as necessidades fisiológicas, indispensáveis para a vida. Classificam-se


como primárias, por serem fundamentais à manutenção da saúde e bem-estar
físico. Estão inclusos aqui alimentação, sono, moradia, água, entre outras.

08
Segundo nível:
Estão as necessidades de
segurança física, material e moral.

Terceiro nível:
Estão as necessidades sociais, ligadas ao
campo da afetividade e relacionamentos,
o que inclui contato com a família,
amigos e vida amorosa.

Quarto nível:
estão as necessidades de estima, que têm
a ver com as conquistas individuais, como
autoestima, respeito dos demais, entre outras.

Topo da pirâmide:
estão as necessidades de realização pessoal,
como educação, crescimento pessoal,
valorização, etc.

09
Enquanto as necessidades primárias (fisiológicas e segurança)
atendem os indivíduos externamente, as secundárias (sociais, estima e
realização pessoal) dizem respeito a fatores íntimos de cada um e
estão ligadas aos sentimentos e manutenção da autoestima. Partindo
dessa tese, os indivíduos precisam satisfazer, mesmo que parcialmente,
as carências de nível mais baixo (próximas à base da pirâmide) para
demandar por aquelas que estão nos níveis acima. Essa prioridade será
determinada de acordo com o contexto vivenciado pelo indivíduo em
dado momento.

Mas o que tudo isso tem a ver com o contexto corporativo?

Essa é uma das principais formas de colocar em prática a Psicologia


Organizacional. As áreas de gestão de pessoas e Recursos Humanos
podem explorar a Pirâmide de Maslow para conhecer melhor as
necessidades dos seus funcionários e elaborar estratégias que os
façam se sentir motivados, produzam melhor e cresçam na empresa.

Quando trazida para o contexto corporativo, a Pirâmide de Maslow


ganha a seguinte estrutura:

10
Base da pirâmide
Fisiológicas: horário de trabalho, salário adequado,
intervalo de descanso, conforto físico.

Segundo nível
Segurança: amparo legal, orientação precisa,
segurança no trabalho, estabilidade.

Terceiro nível
Social: bom relacionamento interpessoal e
ambiente de trabalho em geral.

Quarta coluna
Estima: reconhecimento, valorização,
promoções, responsabilidade por resultados.

Topo da pirâmide
Realização Pessoal: desafios mais complexos, trabalho
criativo, autonomia, participação nas decisões.

11
Baseado na Teoria de Maslow, as pessoas procuram, primeiramente, um
emprego em que tenham estabilidade e salário suficiente para arcar com as
suas despesas mínimas de sobrevivência. Quando conseguem satisfazer
essas necessidades básicas, precisam de outros incentivos que os
mantenham motivados a dar o melhor de si pela organização, como
oportunidades de crescimento, desafios e participação nos resultados.

Quanto mais próximos à base da pirâmide os colaboradores estiverem, mais


vão querer demonstrar competência ou obter status ou reconhecimento.
Por isso, aspiram atividades que os desafiem a utilizar suas habilidades e
nas quais possam manifestar sua criatividade no que se refere à soluções e
estratégias.

12
Para ilustrar tudo isso, podemos pensar em um profissional em início de
carreira que somente quer ganhar experiência e satisfazer suas necessidades
básicas. Se ele conseguir um trabalho que ofereça as circunstâncias e salário
suficiente para isso, estará momentaneamente satisfeito. Já pessoas que
conseguiram uma certa estabilidade econômica tendem a procurar por
empregos nos quais possam preencher outras carências, como satisfação
pessoal, desenvolvimento profissional e sensação de autorrealização.

A aplicação da Teoria de Maslow na gestão de pessoas é apenas um dos


passos da Psicologia Corporativa, já que depende de que ponto da carreira o
colaborador está e quais são as suas necessidades. As melhores empresas
para se trabalhar são aquelas que oferecem recursos em todos os campos da
pirâmide. Dessa forma, conta permanentemente com uma equipe produtiva,
bem capacitada na solução de problemas e inovadora, praticamente tudo o
que precisa para se destacar no mercado.

13
business

research

idea
solution Como a
Psicologia Organizacionalresearch
afeta o ambiente corporativo?
solution
idea
O uso da psicologia organizacional contribui para a manutenção do bom
ambiente corporativo. Passamos grande parte do tempo na empresa e se
não estivermos satisfeitos com o local e pessoas, uma hora ou outra
acabamos desmotivados e sem a menor vontade de ir trabalhar.

Grande parte do sucesso das organizações depende do clima organizacional


e dos relacionamentos interpessoais. Muitas empresas sofrem com alta
rotatividade por conflitos entre os colaboradores, inclusive entre líderes e
liderados. O psicólogo organizacional pode ajudar a melhorar a convivência
e a construir um ambiente que multiplique o conhecimento, estimule a
criatividade e o desenvolvimento de cada um.

Obviamente que a Psicologia Organizacional deve estar diretamente


alinhada a outras estratégias da gestão de pessoas, mas sua participação
tem sido cada vez mais requisitada no mundo corporativo por refletir no
aumento da produtividade, retenção de talentos e no alcance dos objetivos.

15
business

research
Psicologia
Organizacional
e Coaching
solution idea
research

solution
idea
Voltando ao que falamos no início, motivar as pessoas é um grande
desafio. Para conseguir resultados efetivos, a gestão de pessoas deve
humanizar a empresa e precisa se valer de diversas técnicas e métodos,
entre eles, a Psicologia Organizacional.

Para sua contribuição ser eficaz, o psicólogo organizacional precisa, por


sua vez, apresentar algumas habilidades fundamentais. Ele deve, por
exemplo, ter visão sistêmica, conhecer bem a empresa e o mercado, saber
compreender as necessidades reais dos colaboradores e manter-se
constantemente atualizado sobre as tendências de mercado e gestão.

O Coaching ajuda os profissionais a


aperfeiçoarem essas e outras habilidades
essenciais para lidar com pessoas e
desenvolver seus potenciais. Por meio desse
método, é possível atingir excelência em
aspectos como comunicação, relacionamento
interpessoal, liderança, desenvolvimento e
administração dos recursos humanos.

17
É importante lembrarmos que Coaching não é uma área da psicologia,
embora muitos confundam a técnica com terapia. Na verdade, o método não
tem por finalidade tratar as pessoas, mas apoiá-las para que elas saiam do
estado em que se encontram e cheguem ao desejado. Focado em solução,
objetiva apoiar o indivíduo que deseja evoluir.

Mas o contrário é verdadeiro: psicólogos, assim com profissionais de outras


áreas, podem procurar a formação em Coaching para potencializar a sua
atuação. Com isso, eles conseguem não somente avaliar as pessoas, como
contribuem de forma mais assertiva em soluções corporativas.

Dentro do ambiente corporativo, psicólogos organizacionais com


especialização em Coaching, ainda podem utilizar técnicas específicas de
avaliação de desempenho e feedbacks para desenvolver com mais
efetividade o potencial de colaboradores, líderes e equipes.

18
Formações em Coaching mais indicadas
para psicólogos organizacionais
O Instituto Brasileiro de Coaching – IBC oferece diversas tipos de
formações em Coaching. Para os psicólogos organizacionais, há a
possibilidade de curso ou especialização.

Vamos falar primeiro do Professional & Self Coaching - PSC, formação


mais completa em Coaching do Brasil. O curso objetiva capacitar Coaches
Profissionais para promover mudanças e evolução, por meio do
desenvolvimento de habilidades e aprendizado de técnicas e métodos. Os
alunos saem do treinamento capacitados para colocarem em prática o
que absorveram em pessoas, equipes e organizações.

Já a especialização oferecida pelo IBC, indicada aos


psicólogos organizacionais, é o MBA Gestão de
Pessoas com Coaching. Trata-se de uma
especialização em gestão de pessoas aliada a mais
moderna e completa metodologia de Coaching do
país. Durante as aulas, os alunos aprendem
conceitos, técnicas e ferramentas aplicadas ao
desenvolvimento humano.

19
Sobre o IBC
O Instituto Brasileiro de Coaching - IBC tem a missão de despertar e
desenvolver nas pessoas seu potencial infinito, contribuindo para um
mundo melhor.

Por isso nós trabalhamos na construção de conteúdos que possam causar


um impacto positivo e proporcionar a sua máxima evolução.

20