Você está na página 1de 95

Ligações Químicas

A Ligação Química
- Os sistemas no universo tendem a buscar uma situação de
maior estabilidade
- Em ciência, um sistema estável está associado a uma
situação de baixa energia

- Átomos isolados (com exceção dos gases nobres)


possuem maior energia do que quando estão ligados

Situação de maior estabilidade


Ligação Química
Menor energia

Química Geral I
Tipos de Ligações Químicas

Ligação Ligação Ligação


Iônica Covalente Metálica

Refere-se às forças Resulta do São encontradas


eletrostáticas que compartilhamento em metais como
existem entre íons de de elétrons entre cobre, ferro e
cargas de sinais dois átomos alumínio. Cada
contrários átomo está ligado
a vários átomos
vizinhos
Química Geral I
Elemento Eletropositivo
+ Ligação Iônica
Elemento Eletronegativo

Elemento Eletronegativo
+ Ligação Covalente
Elemento Eletronegativo

Elemento Eletropositivo
+ Ligação Metálica
Elemento Eletropositivo

Química Geral I
Elétrons de Valência

Elétrons envolvidos nas Ligações Químicas

Símbolos de Lewis

Símbolo do elemento químico mais um ponto


para cada elétron de valência
Química Geral I
Exemplo:
12 Mg : [Ne] 3s2

Cerne Elétrons de
valência

Mg :
O número de elétrons de valência de qualquer elemento
representativo corresponde ao número do grupo do
elemento da tabela periódica
Química Geral I
Símbolos de Lewis

Química Geral I
Gases Nobres

Átomos muito estáveis (altas energias de ionização,


baixas afinidades por elétrons adicionais e deficiência
geral em reatividade química)

Oito Elétrons de Valência

Química Geral I
A Regra do Octeto

Os átomos tendem a ganhar, perder ou


compartilhar elétrons até que eles estejam
circundados por oito elétrons de valência

Octeto de Elétrons: subníveis s e p completos

Química Geral I
A Ligação Iônica

O cloreto de sódio é
composto de íons
Na+ e Cl- ,
arranjados em uma
rede tridimensional
regular

Química Geral I
Metal de baixa energia de ionização

NaCl
Não-metal com alta afinidade por elétrons

: -

:
Na . + . Cl :
:
Na+ , [ : Cl : ]

:
Estrutura de Lewis para o
NaCl

Ocorre a transferência de um elétron do átomo Na


para um átomo de Cl
Química Geral I
Química Geral I
Retículo cristalino iônico

A fórmula química em um composto iônico é uma fórmula


empírica, simplesmente fornecendo a razão de íons baseado
no balanço de carga

Para o NaCl o número de coordenação (NC) é 6 tanto para


o Na+ quanto para o Cl-
Química Geral I
Propriedades Físicas das Substâncias
Iônicas

São propriedades observadas nos compostos


iônicos:
- Altos pontos de fusão e ebulição
- Condutividade elétrica quando fundidos ou
dissolvidos em água
- Solubilidade em água ( a maioria)
- Apresentam aspecto cristalino
- São sólidos e possuem brilho ( a maioria)

Química Geral I
A Ligação Covalente

G.N. Lewis: os átomos podem adquirir uma


configuração eletrônica de gás nobre pelo
compartilhamento de elétrons com outros
átomos

Química Geral I
A Molécula de Hidrogênio
(H2)

Atrações entre os núcleos e os elétrons fazem com que a


densidade eletrônica concentre-se entre os núcleos

Os dois núcleos são atraídos eletrostaticamente pela


concentração de cargas negativas entre eles

Estrutura de Lewis:

H. + .H H .. H
Química Geral I
Curva de Energia Potencial
Repulsão Atração

HH Separação
Internuclear →
Re
Energia →

0
H ........H.
Energia de H – H como
Energia função da distância
da ligação internuclear
A ligação covalente leva o
sistema de dois átomos a um
sistema de menor energia,
H–H portanto de maior estabilidade

De: Comprimento da ligação


Curva de energia potencial molecular mostrando como a energia total
de uma molécula varia à medida que a separação internuclear é
Química Geral I
alterada
Ligações Múltiplas
- Ligação simples: um par de elétrons compartilhado (A–B).

- Ligação dupla: dois pares de elétrons compartilhados


(A=B).

- Ligação tripla: três pares de elétrons compartilhados


( A≡B).

Obs: Um par de elétrons de valência não compartilhado em


um átomo (A:) é chamado de um par isolado.

Embora esses pares isolados de elétrons não


contribuam diretamente para a ligação, eles influenciam na
forma da molécula e nas suas propriedades químicas.
Química Geral I
Exemplos:
:

:
:
: Cl . + . Cl : : Cl : Cl :
:

:
:
Ligações
[ Cl
x

[ :
x Simples

.
x Cx + 4 . Cl :
x Cl x. C x. Cl
:
x

.
Dupla ligação Cl
x

[ [ :

:
:O =C =O :
:

x C x + 2 :O : : O : xx C xx : O :
x

Tripla ligação

.. . x ..
N .. x
x
N x
x N ≡ N xx

Química Geral I
Ligação covalente coordenada

Um par de elétrons de um dos átomos é


compartilhado por dois átomos.

Exemplo.:
+
NH3 + H+ NH4

H. H ┐+
x

H. x
N xx H + H N H
x
.
H H
Química Geral I
A regra do Octeto e as Estruturas de Lewis
A regra do octeto fornece uma maneira simples de se construir
as estruturas de Lewis, um diagrama que mostra o esquema
das ligações e dos pares isolados em uma molécula.

Na maioria dos casos, podemos construir uma estrutura de


Lewis em três etapas:

1. Determine o número de elétrons a serem incluídos na


estrutura somando todos os elétrons de valência fornecidos
pelos átomos.

2. Escreva os símbolos químicos dos átomos num arranjo


que mostre quais átomos estão ligados entre si. Química Geral I
A regra do Octeto e as Estruturas de Lewis
3. Distribua os elétrons em pares de forma que haja um par
de elétrons formando uma ligação simples entre cada par de
átomos ligados entre si e então acrescente pares de
elétrons ( formando pares isolados ou ligações múltiplas) até
que cada átomo tenha um octeto.
Obs1: O elemento central, normalmente, é o menos
eletronegativo, como em CO2 e SO42- , mas há um grande
número de exceções bem conhecidas (H2O e NH3).
Obs2: Cada carga negativa sobre um íon corresponde a um
elétron adicional; cada carga positiva corresponde à perda de
um elétron. Química Geral I
Exemplo:
2-
Escreva a estrutura de Lewis do íon SO4 .
Resolução:
Os átomos fornecem 6 + (4 x 6) = 30 elétrons de valência. A carga do
íon fornece mais dois elétrons. Portanto, o total de elétrons presentes é


de 32 elétrons ou 16 pares de elétrons ao redor de cinco átomos.
: :O: 2-

:
:O S O:
:

:
:O:
:

Obs: As estruturas de Lewis não indicam as formas geométricas das


espécies, mas apenas o esquema das ligações e dos pares isolados.
Química Geral I
Exceções à Regra do Octeto
• A regra do octeto é um guia prático.
• Não é observada em um número significativo de casos.

Menos que um Octeto

Exemplo 1: BeF2 e BF3


:

:
[ ]
. Be . + 2 . F : : F : Be : F : BeF2
:

:
: F::
.
[ ]
:

:
:
. B . + 3 .F: :F : B : F: BF3
:

:
Química Geral I
Exceções à Regra do Octeto
Mais que um Octeto
Exemplo 2: PF5 (ou PCl5) e SF6
:

:
: Cl : :F:
:

:
:

: Cl Cl : :F F:

: :

:
:

P S

:
:F F:
:

: Cl Cl :

:
:F:
:

:
Espécies deste tipo, que demandam a presença de mais do que um
octeto de elétrons em torno de pelo menos um átomo, são denominadas
hipervalentes.
Essas violações à regra do octeto se tornam cada vez mais freqüentes
após os dois primeiros períodos de oito elementos da tabela periódica
devido a disponibilidade de orbitais d parcialmente preenchidos de
baixa energia os quais podem acomodar os elétrons adicionais.
Exceções à Regra do Octeto

Exemplo 3: Moléculas com número ímpar de


elétrons: NO e ClO2
:
:

:
:
:
:
:

N. = O Ou, N=O
.
O =Cl = O
.
:

:
:

Espécies radicais ou birradicais (espécies com um ou dois


elétrons desemparelhados, respectivamente)
Ex.: . CH 3

Apesar dessas exceções, a regra do octeto é


surpreendentemente útil e explica satisfatoriamente o número
de ligações formadas em moléculas simples. Química Geral I
Estruturas de ressonância
 Algumas moléculas têm estruturas que não podem ser
expressas corretamente por uma única estrutura de Lewis.
Exemplo: O3 (ozônio)
:

:
:

:O O
:
O:
: :O O O

:
Exemplo: SO2
:

:
S S
:

:O O: :O O:
:

Química Geral I
• A estrutura de Lewis sugere que as ligações enxofre-oxigênio
do exemplo anterior sejam diferentes; uma sendo mais curta,
e mais forte.
• Evidências experimentais sugerem que as duas ligações
enxofre oxigênio são idênticas.

• A estrutura eletrônica real do SO2 corresponde a uma


estrutura intermediária entre a 1 e 2 e que tenha
propriedades de ambas.

• Essa estrutura é conhecida como híbrido de ressonância


das estruturas contribuintes 1 e 2.

• Outros exemplos: o benzeno, o íon carbonato, o íon


nitrato...
Química Geral I
A Carga Formal
 Possibilita encontrar a estrutura de Lewis de menor energia
(menores cargas formais).

 A carga formal é a carga que cada átomo teria se a ligação


fosse perfeitamente covalente, com cada par de elétrons
sendo compartilhado igualmente entre os dois átomos
ligados.
Carga formal = V – (L + ½ S)
Expressão:
V - é o número de elétrons de valência do átomo livre
L - é o número de elétrons presentes nos pares isolados
S - é o número de elétrons compartilhado Química Geral I
 A carga formal representa o número de elétrons que
um átomo ganha ou perde quando participa de uma
ligação perfeitamente covalente com outros átomos.

 Em síntese a carga formal é a diferença entre o


número de elétrons de valência no átomo livre e o
número de elétrons que o átomo tem na molécula.

Química Geral I
Com relação as cargas formais em espécies covalentes, não
são eletrostaticamente favoráveis as estruturas que
apresentarem:
1. Cargas iguais em átomos diferentes;
2. Cargas opostas em átomos não adjacentes;
3. Carga dupla em qualquer átomo;
4. Cargas em desacordo com as eletronegatividades relativas dos
átomos;
5. Em princípio, uma espécie será tanto mais estável quanto maior
for o número de ligações presentes;
6. Átomos com menos de oito elétrons de valência só são aceitáveis
nos casos muito especiais de não haver elétrons em números
suficientes.
Química Geral I
Exemplo:
Escreva as estruturas de ressonância para a molécula NO2F
e identifique a(s) estrutura(s) dominante(s).
-1 +2 -1 -1 +1 0 0 +1 -1
:

:
:O N O: :O N O O N O:

:
:

:
:F:
:F: : F:
:

:
:
0 0 0
-1 +1 -1

:
:
:O
: N O:

:
: F:
+1
É muito improvável que a menor energia será alcançada com uma carga
positiva sobre o átomo de Flúor (regra 4) ou sobre o átomo de nitrogênio
(regra 3); assim, as duas estruturas com ligação N = O deverão predominar
na ressonância.
Química Geral I
Exemplo:
1. Sugira uma estrutura plausível para o gás venenoso
fosfogênio, COCl2. Escreva a estrutura de Lewis e as cargas
formais.
2. Um teste para a presença de íons ferro (III) em solução é a
adição de tiocianato de potássio, KSCN, com formação de
um composto que contém ferro e íon tiocianato, de cor
vermelho-sangue. Escreva três estruturas de Lewis com
arranjos atômicos diferentes para o íon tiocianato e selecione
a estrutura mais plausível, identificando a estrutura com
cargas formais mais próximas de zero. Para simplificar, utilize
somente estruturas com ligações duplas entre os átomos.
Formas espaciais moleculares
• As formas de Lewis fornecem a conectividade atômica: elas
nos mostram o número e os tipos de ligações entre os átomos
• A forma espacial de uma molécula é determinada por seus
ângulos de ligação
• Considere o CCl4: verificamos que todos os ângulos de
ligação Cl – C – Cl são de 109,5º

• Consequentemente, a molécula não pode ser plana


• Todos os átomos de Cl estão localizados nos vértices de
um tetraedro com o Carbono no seu centro

Química Geral I
Química Geral I
Existem cinco geometrias fundamentais para a forma
molecular:

Química Geral I
A Teoria de Sidgwick-Powell
• Sugeriram que a geometria aproximada das moléculas
poderia ser prevista utilizando-se o número de pares de
elétrons na camada de valência do átomo central, no caso de
íons e moléculas contendo somente ligações simples.
• A camada externa contém um ou mais pares de elétrons,
mas também pode apresentar pares não-compartilhados de
elétrons (pares de elétrons isolados).

• São considerados equivalentes pares de elétrons ligantes e


isolados, uma vez que ambos ocupam algum lugar no
espaço.
Química Geral I
Teoria da Repulsão dos pares de elétrons da
camada de valência (RPENV)
• A estrutura das moléculas é determinada pelas repulsões entre
todos os pares de elétrons presentes na camada de valência.

• Para se determinar a forma de uma molécula, fazemos a


distinção entre pares de elétrons solitários (ou pares não-
ligantes, aqueles fora de uma ligação) e pares ligantes (aqueles
encontrados entre dois átomos).

• Definimos o arranjo eletrônico pelas posições no espaço 3D de


TODOS os pares de elétrons (ligantes ou não ligantes).

• Os elétrons assumem um arranjo no espaço para minimizar a


repulsão e- – e- .
Química Geral I
Modelo RPENV
• Para determinar o arranjo:
- Desenhe a estrutura de Lewis;
- Conte o número total de pares de elétrons ao redor do
átomo central;
- Ordene os pares de elétrons em uma das geometrias
acima para minimizar a repulsão e- – e- e conte as
ligações múltiplas como um par de ligação.
Modelo RPENV
Esta teoria depende:
1. Dos tipos de elétrons presentes no átomo central ( ligantes ou
não-ligantes);
As repulsões ao redor do átomo central apresentam o
seguinte ordenamento:

Par isolado/par isolado ˃ par isolado/par ligante ˃ par


ligante/par ligante

2. Dos tipos de ligações entre o átomo central e os ligantes (


Ligações simples, dupla ou tripla).

3. Da diferença de eletronegatividade entre o átomo central e os


demais átomos;
EFEITO DOS PARES ISOLADOS

Tabela 1: Efeito dos pares isolados sobre os ângulos de ligação.

Composto Arranjo Nº de Nº de Ângulos


espacial pares pares da ligação
ligantes isolados
CH4 Tetraédrica 4 0 109,5º
NH3 Tetraédrica 3 1 107º
H2O Tetraédrica 2 2 104,5º
SF6 Octaédrica 6 0 90º
BrF5 Octaédrica 5 1 84º30’

Química Geral I
Efeito dos pares isolados

• Como os elétrons em uma ligação são atraídos por dois


núcleos, eles não se repelem tanto quanto os pares solitários.

• Consequentemente, os ângulos de ligação diminuem


quando o número de pares de elétrons não-ligantes aumenta.
Química Geral I
Química Geral I
Efeito das ligações múltiplas

Os elétrons das ligações múltiplas se repelem mais


que os elétrons das ligações simples.

Química Geral I
EFEITO DA ELETRONEGATIVIDADE

Tabela 2: Efeito da eletronegatividade sobre ângulos de ligação.


Composto Arranjo Nº de Nº de Ângulos
espacial pares pares da ligação
ligantes isolados
NH3 Tetraédrica 3 1 107º
NF3 Tetraédrica 3 1 102º30’
H2O Tetraédrica 2 2 104,5º
F2O Tetraédrica 6 0 102º

Química Geral I
Moléculas com níveis de valência
expandidos
• Os átomos que têm expansão de octeto têm arranjos AB5 (
de bipirâmide trigonal) ou AB6 (octaédricos).

• Para as estruturas de bipirâmides trigonais existe um plano


contendo três pares de elétrons. O quarto e o quinto pares de
elétrons estão localizados acima e abaixo desse plano.

• Para as estruturas octaédricas, existe um plano contendo


quatro pares de elétrons. Da mesma forma, o quinto e o
sexto pares de elétrons estão localizados acima e abaixo
desse plano.
Química Geral I
Química Geral I
Moléculas com níveis de valência
expandidos

Para minimizar a repulsão e- – e-, os pares solitários são


sempre colocados em posições equatoriais.

Bipiramidal trigonal Octaédrico


Química Geral I
Quais das estruturas abaixo para o ClF3 é a mais estável?

1) .. 2) 3)
F
F
F
F F

..
..
F
Cl
Cl
Cl
F
F
.. .. F
Mais estável

Em geral, se existirem pares isolados numa bipirâmide


trigonal eles se situarão em posições equatoriais ( no plano
do triângulo) e não nas posições apicais, uma vez que esse
arranjo minimiza as forças repulsivas.
Química Geral I
Por que o íon triiodeto é linear ( ângulo de ligação de
180º) ?
Formação do íon triiodeto:

I 2 + I- → [ I – I ← I - ]
I
..

..
I

Química Geral I
Apresente a estrutura mais estável para o SF4.

..
F
S

F
F

Química Geral I
O XeF4 apresenta arranjo octaédrico com ângulos de ligação
de exatamente iguais a 90º (arranjo quadrado planar). Como
explicar esse efeito, uma vez que o átomo central apresenta
dois pares isolados?

.. ..
..

..
F F
.. .. .. Os pares isolados
Xe estão em posição trans
.. um em relação ao
.. .. outro.
F
..

..

.. .F.

Química Geral I
EXEMPLOS DA APLICAÇÃO DA TEORIA DA REPULSÃO
DOS PARES DE ELÉTRONS DA CAMADA DE VALÊNCIA

Nas espécies à seguir, forneça a geometria e


diga se as estruturas são regulares.
1. BF3
2. BF4 -
3. PCl5
4. NO3-
5. XeOF4
Química Geral I
Formas espaciais de moléculas
maiores
• No ácido acético, CH3COOH, existem três átomos centrais.
• Atribuímos a geometria ao redor de cada átomo central
separadamente.

Química Geral I
Forma Molecular e Polaridade
Molecular

• Quando existe uma diferença de eletronegatividade entre


dois átomos, a ligação entre eles é polar

• É possível que uma molécula que contenha ligações


polares não seja polar

• Por exemplo, os dipolos de ligação no CO2 cancelam-se


porque o CO2 é linear

Química Geral I
Química Geral I
Química Geral I
Química Geral I
Polaridade de Ligação e
Eletronegatividade
• Átomos diferentes ⇒ diferentes forças de atração dos
e−.
• Eletronegatividade χ“qui” (Pauling - 1930): medida
da habilidade de um átomo numa molécula de atrair e−
para si.
• Caráteres iônico e covalente dependem de ∆χ:
> ∆χ ⇒ > > caráter iônico
• Também a polaridade da molécula,
> ∆χ ⇒ > molécula mais polar Química Geral I
Polaridade de Ligação e
Eletronegatividade

Química Geral I
Polaridade da Ligação

Ligação Ligação Ligação


Covalente Covalente Iônica
Apolar Polar

Elétrons Um dos átomos Grande diferença


igualmente exerce maior de
compartilhados atração pelos eletronegatividade
elétrons ligantes

Momento de
dipolo
Química Geral I
Polaridade de Ligação e
Eletronegatividade

Química Geral I
Polaridade de Ligação e Eletronegatividade

Química Geral I
Diferença de eletronegatividade ∆χ e
polaridade das ligações

Substância F2 HF LiF

0 1,9 3,0
∆χ
Tipo de ligação Cov. Apolar Cov. Polar Iônica

Química Geral I
Momento de dipolo

µ
H F

µ=e.d

SI – 1 Debye ( 1 C . m)
Química Geral I
µ=e.d

Duas cargas iguais e opostas de grandeza e, separadas


pela distância d, constituem um dipolo e produzem um
momento dipolar µ.

e = 1,6 x 10-19 C
d = 1 Ǻ = 10-10 m
1 Debye= 3,34 x 10-30 C.m

µ = (1,6 x 10-19 C)(1 Ǻ )(10-10 m/1 Ǻ)( 1D/3,34 x10-30 C.m)= 4,79 D

Química Geral I
Comprimento de Ligação, Diferença de
Eletronegatividade e Momento dipolar

Composto Comprimento Diferença de


de Ligação eletronegatividade Momento de dipolo
(Ǻ) (∆χ) (D)

HF 0,92 1,9 1,82

HCl 1,27 0,9 1,08

HBr 1,41 0,7 0,82

HI 1,61 0,4 0,44

Química Geral I
Momentos Dipolares em Debyes

Química Geral I
Ligação Iônica x Ligação Covalente

Modelo Modelo
Iônico Covalente

Diferença de
eletronegatividade
Química Geral I
LIGAÇÃO E POLARIDADE MOLECULAR
LIGAÇÃO E POLARIDADE MOLECULAR

© Cengage Learning. Todos os direitos reservados.


MOMENTOS DIPOLARES E POLARIDADE
MOLECULAR

© Cengage Learning. Todos os direitos reservados.


RELAÇÃO ENTRE GEOMETRIA
MOLECULAR E MOMENTO DIPOLAR
Fórmula Geometria Momento dipolar
molecular
AX Linear Pode ser 0

AX2 Linear Zero

Angular Pode ser 0

AX3 Planar trigonal Zero

Piramidal trigonal Pode ser 0

Forma de T Pode ser 0

AX4 Tetraédrica Zero

Planar quadrada Zero

Gangorra Pode ser 0

AX5 Planar Trigonal Zero

Planar quadrada Pode ser 0

AX6 Octaédrica Zero


EXEMPLOS
FAÇA OS EXERCÍCIOS E COMPARTILHE COM UM COLEGA

 Preveja a geometria e polaridade


 A. polar (  0) B. Não polar ( = 0)

 PCl3 versus BCl3


 PCl5 versus SbCl52–
 SF4 versus ICl4–
 ClF3 versus XeF2
 CCl4 versus SF6
MAIS EXEMPLOS
 Preveja a geometria e a polaridade de:
 XeF4

 XeF3Cl

 XeF2Cl2

 OSCl2
Polarizabilidade
Cátion
Polarizante

Distorção da Ânion
Nuvem Polarizável
Química Geral I
Forças das Ligações Covalentes
• A estabilidade de uma molécula está relacionada
com a força das ligações covalentes que ela
contém.

• A força de uma ligação covalente entre dois


átomos é determinada pela energia necessária para
quebrar a ligação (energia de dissociação).

Quanto maior a energia de dissociação,


mais forte é a ligação.
Química Geral I
Curva de Energia Potencial

Distância Internuclear
Energia →

Ligação Fraca

Ligação Forte

Maior a distância de ligação menor a


energia de dissociação.
Química Geral I
Ordem de Ligação

• É o número de pares de e− compartilhados entre


dois átomos.
• Números inteiros: estruturas com ligações simples,
duplas e triplas.
• Números fracionários: estruturas de ressonância.

Química Geral I
Comprimento (ou distância) de ligação
• É a distância entre os núcleos dos 2 átomos
ligados.
• Depende do tamanho do átomo.
• Depende da ordem de ligação (ex.: C − C > C = C >
C ≡ C)
(mais e−, maior atração dos núcleos).
• Varia de acordo com a vizinhança ⇒ valores
aproximados.
• Determinada experimentalmente.
Química Geral I
Comprimento (ou distância) de ligação

Química Geral I
Energia de Ligação

É a variação de entalpia, ∆H, para a quebra de


uma ligação em particular em um mol de
substância gasosa.
:

:
: Cl Cl : (g) 2 . Cl : (g)
:

:
∆H = E (Cl – Cl) = 242 kJ
Química Geral I
H
.
H C H (g) . C . (g) + 4 .H (g)
.

H ∆H = 1.660 kJ
Quatro ligações semelhantes no metano: calor de
atomização é igual à soma das energias de ligação das
quatro ligações C – H.

Entalpia média da ligação C – H para o CH4:

E (C – H) = (1.660 / 4) kJ/mol
Química Geral I
Energia média de Dissociação

Química Geral I
Entalpias de reação

ΔHr = Σ ΔH°
Obs:
• As entalpias de dissociação são valores
positivos.
• As entalpias de formação são valores negativos.
Química Geral I
Exemplo: Usando as energias médias de ligação, estime o
valor de ΔHr° para a reação a 25 °C.
O H

+
H C H H2 H C O

Dados:
H H
Ligação ΔH° (kJ/mol)
H–H 424
C–H 412
C–O 360
C=O 743
O–H 463 Química Geral I
Efeito de repulsão eletrônica em ligações
múltiplas

Química Geral I
Efeito de repulsão por pares isolados (H2 × F2)

Química Geral I
Efeito do tamanho dos átomos
Aumento do raio impede a maior proximidade entre os núcleos e o par
ligante.
⇒ menor energia de dissociação

• Força dos ácidos:


HF < HCl < HBr < HI
• Polaridade da ligação decresce no
mesmo sentido (ou seja, deveríamos
esperar efeito contrário na força dos
ácidos).
• Explicação está no enfraquecimento
da ligação H-A.

Química Geral I
Bons Estudos !