Você está na página 1de 3

Por:

Adriana Tosta Rêgo

Salvador – Bahia
Setembro, 2008

NEVES, Rita de Araújo, DAMIANI, Magda Floriana. Vygotsky e as teorias da


aprendizagem. UNIrevista - Vol. 1, n° 2 : (abril 2006)

O texto afirma que, para entender Vygotsky devem-se examinar algumas


outras teorias que também estuda o desenvolvimento do homem ao adquirir
conhecimento, pois cada uma delas tem uma abordagem diferente em explicar
como o individuo aprende. Observa-se o inatismo e o empirismo relata que
aprendizagem, não se dá em somente associar idéias armazenadas, mas sim
em um processo interno, ativo e interpessoal.
Observando a investigação empirista ao afirmar que o conhecimento se
desenvolve em cadeias de idéias formadas a partir de registros dos fatos que
nada mais é replica do real, conseqüentemente afirmam que os indivíduos
adquirem suas características a partir de fatores externos. Essas idéias são
defendidas pelo Behaviorismo, pois ele é adeptos ao empirismo, tem como
base a dissociação do sujeito e conhecimento evidente, ou seja, a
aprendizagem é identificada como condicionamento, e o individuo como se
fosse uma tabula rasa, que a partir de condicionamentos vai-se adquirindo o
conhecimento. Nessa corrente chamada empirista o processo de
aprendizagem é centrado no professor, pois ele é o detentor do conhecimento
e que tem o poder de inserir o conhecimento pronto no aluno que é uma tabula
rasa, a noção de conhecimento para o empirismo é o acumulo de informações
e fatos que são armazenados por associação e são recuperados quando for
preciso por isso tem o objetivo de organizar o ensino, esse processo se dá na
concepção de memória associacionista/empirista. Essa teoria afirma que o
indivíduo quando nasce nada tem em torno de conhecimento, então é certo
afirmar que o conhecimento surge de fora para dentro, conseqüentemente o
sujeito é totalmente determinado pelo mundo do objeto, ou meio físico e social.
Então se afirma que o aluno só aprende se o professor ensinar, ou seja, ocorre
uma transferência de conhecimento, e a responsabilidade da escola em moldar
o individuo, tanto socialmente, culturalmente e em seu comportamento, já que
o aluno é uma tabula rasa, esquecendo assim as condições psicosociais e
históricas as relações sociais que vem surgindo entre os indivíduos do grupo
social a troca ocorrendo entre eles. Pode perceber o fracasso abordado no
empirismo e nas ações do processo ensino aprendizagem que aderem essa
corrente.
A Gestalt tem como base epistemológica o racionalismo, ou seja, o professor é
mediador, pois o aluno aprende por si, o professor tem como objetivo incentivar
despertar, a busca do conhecimento no aluno, pois se acredita que o ser
humano já nasce com o conhecimento programado na sua herança genética
então se pode dizer que ao nascer o individuo traz a predisposição em, por
exemplo, ser inteligente, ou não, ser marginal, ou não, isso explica o fracasso
que ocorre com mais freqüência em classe desfavorecida, pois essa situação
foi direcionada geneticamente, e a educação quase nada altera essas
determinações, pois o sucesso e o fracasso, aptidão, dom já vem
geneticamente inseridos no individuo. Então essa corrente afirma que o
desempenho do aluno não é responsabilidade do sistema educacional.
Ao conhecer as correntes pode-se afirmar que uma é o inverso da outra pôr o
foco das instituições educacionais deveria ser de transmitir o conhecimento de
uma forma que a autonomia intelectual e a produção do conhecimento sejam o
seu papel primordial.
Piaget com a corrente interacionista tem como base a síntese do empirismo e o
racionalismo dessa forma afirma que o individuo constrói o conhecimento
interagindo com o meio físico e social, então o conhecimento ocorrera tanto
dependendo das condições do meio como do individuo e eles se fundem.
Piaget afirma que o interacionismo é uma teoria em desenvolvimento. Pode-se
afirmar que aprendizagem é uma construção tendo o equilíbrio da bagagem
hereditária e o meio social ocorrendo assim à unidade do conhecimento
através da relação sujeito/abjeto então com a pratica social adquiri o
conhecimento ocorrendo assim com a coletividade.
Vygotsky a depto a corrente interacionista/construtivista afirma que a
aprendizagem da linguagem que ocorre pela imitação, tem como fundamento o
meio social e o desenvolvimento humano, ele também afirma que o homem é
um ser social e histórico, que organiza e gera seus processos psicológicos, por
um produto social o signo por que as relações sociais entre o homem com ele
mesmo e com os outros é mediado pela linguagem. Esse instrumento provoca
mudanças internas, e o homem como o ser intelectual tendo em vista o
processo de aprendizagem Vygotsky associa aprendizagem com o
desenvolvimento.
O texto afirma a má interpretação das obras de Vygotsky, alguns vêem nele a
psicolingüística, os textos publicados pouco estabeleceram as bases para
idéias e pensamentos dos autores Piaget e Vygotsky, abordando assim a
diferença principalmente na práxis pedagógicas.
Há varias denominações para a teoria de Vygotsky porem o autor se preocupou
em abranger suas idéias que aborda o histórico social do psiquismo humano
por isso usam-se mais a denominação da teoria sócio-historica. O autor para
explicar a formação da mente tem como base o marxismo que tem como idéia
de que produção possui relações, superestrutura. Classes sociais que mostra a
formação social, a produção capitalista tem como fundamento a divisão social
do trabalho sendo a sociedade dividida em burguesia e proletariado. O
“marxismo denominou conceitos como “valor”, “estado” “classes social” e
dialética”.
Vygotsky afirma que o homem transforma e é transformado a uma interação
dialética entre o ser e o meio e a cultura em que se é inserida, ocorre assim
uma troca e conseqüentemente o desenvolvimento do conhecimento, ele
afirma que alguns seres realmente têm a predisposição para algumas
atividades, mais não é essa situação o determinante para que se ocorra ou não
o processo de aprendizagem.
O autor finaliza o texto relatando a dificuldade de associar e classificar o
pensamento de Vygotsky as correntes estudadas e abordadas no texto, por
que a teoria por ele desenvolvida é um estudo sobre a psicologia geral, pois ele
tem como foco o desenvolvimento humano.