Você está na página 1de 71

Actros 932314

MR - Módulo do motor
Coleta de material de nossa literatura técnica
Elaborado: turibio.l.marquetto@daimler.com
VPC - Assistência técnica de Caminhões e Sprinter
GF07.15-W-5000MP Disposição/Tarefa do módulo de comando da regulagem do motor (MR) 17.7.02
MOTOR 541 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542 no TIPO 930, 932, 934

A6 Módulo de comando regulagem do motor (MR)

W07.15-1189-11

Módulo de comando de regulagem do motor O módulo de comando da regulagem do


(MR) Disposição motor (MR) está instalado no lado direito do
bloco do motor.
Módulo de comando de regulagem do motor GF07.15-W-5000-02MP
(MR) Tarefa

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-5000mp / Disposição/Tarefa do módulo de comando da regulagem do motor (MR) Página 1 de 1
MOTOR 541 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-0002MP Funcionamento da regulagem do motor (MR) 5.12.06
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1388-79
Esquema de ligações geral,
representado no motor 541.9

0 Ignição DESLIGADA
1 Borne 15R LIGA
2 Borne 15 LIGA
3 Borne 50
4 Bus de dados ASIC
Sistemas
a) Regulagem do motor (MR) e) Campo de comutação modular i) Módulo especial parametrizável
b) sistema de pós-tratamento de (MSF) (PSM)
gases de emissão com tecnologia f) comando de marchas (GS) - Somente em veículos
diesel BlueTec - Somente em veículos
com Código (EM7) Módulo
- Somente em veículos
com Código (GS7) comando de especial parametrizável com
com Código (MS4) BlueTec 4 ou
marchas II (também relacionado
barramento CAN da carroçaria
com Código (MS5) BlueTec 5 com Código (GE2) Comando
(ISO 11992), Código (EM8)
c) sistema de partida por chama
eletrônico de propulsão II ou
(FLA) Módulo especial parametrizável
- Somente em veículos Código (GE3) Mercedes
com barramento CAN de
com Código (M89) sistema de PowerShift)
carroçaria e reboque (ISO 11992)
partida por chama g) Comando do freio (BS)
ou Código (EM9) Módulo especial
h) Instrumento (INS)
d) Regulagem do veículo (FR) parametrizável com barramento
CAN de carroçaria e reboque, ISO

11898 em vez de 11992


Componentes
A3 Módulo de comando de regulação B16 Sensor de posição da árvore de P3 Tacógrafo modular (MTCO)
do veículo (FR) comando de válvulas S1 Interruptor de marcha
A4 Módulo de comando do sistema B65 Sensor de temperatura do liquido S10 Tecla de partida do motor
de partida por chama (FLA) de arrefecimento - até nº final do motor
A6 Módulo de comando regulação do B111 Sensor combinado de temperatura
394441
motor (MR) do ar de sobrealimentação e
A7 Módulo básico (GM) sobrepressão de alimentação S10.1 Tecla de partida/parada do motor
A11 Módulo de comando do comando CAN 1 CAN veículo - a partir do nº final do
de freio (BS) CAN 2 CAN interior motor 394442
A16 Módulo de comando do comando CAN 3 CAN periférico
Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
A16 Módulo de comando do comando
de marchas (GS) CAN 4 CAN motor S11 Tecla de parada do motor
- até nº final do motor
A22 Módulo de comando do módulo CAN 5 CAN da transmissão automática
especial parametrizável (PSM) CAN 6 CAN freio 394441
A28 Modulador de eixo do eixo de CAN 10 CAN taco
Y6 Unidade injetora 1º cilindro
acionamento CAN 12 SCR-CAN
Y7 Unidade injetora 2º cilindro
A42 Eletrônica de seleção bloqueio de K2 Interruptor de separação da
Y8 Unidade injetora 3º cilindro
partida bateria
Y9 Unidade injetora 4º cilindro
A68 Módulo de comutação 4 Master M1 Motor de partida
Y10 Unidade injetora 5º cilindro
A78 Módulo de comutação 3 corrimão P2 Instrumento (INS)
Y11 Unidade injetora 6º cilindro
A95 Módulo de comando do quadro
Z3 Ponto estrela CAN adicional
SCR
B10 Sensor de temperatura do
combustível
B11 Sensor de temperatura do óleo do
motor
B15 Sensor de posição da árvore de
manivelas
Generalidades
A regulagem do motor (MR) é um sistema eletrônico independente,
cuja tarefa principal consiste em regular ou controlar a injeção no
sistema bomba-tubulação-injetor (PLD). Ela garante que o motor
funcione de forma mais econômica, mais silenciosa e menos
poluente possível sob todas as condições de serviço.

Função
A unidade central de comando e regulagem da regulagem do
O estado de funcionamento do motor é determinado a partir dos
motor (MR) é o módulo de comando da regulagem de motor (MR)
valores de entrada dos seguintes sensores:
(A6). Dependendo do estado de funcionamento do motor e da
Sensor de posição da árvore de manivelas (B15)
especificação de torque da regulagem do veículo (FR), ele calcula o
início da injeção otimizado, assim como a quantidade de injeção Sensor de posição da árvore de comando de válvulas (B16)
Sensor combinado da temperatura e da pressão de
necessária para a combustão. Além disto, o módulo de comando
da regulagem do motor (MR) (A6) se encarrega de que o sobrealimentação (B111)
Sensor de temperatura do combustível (B10)
combustível seja injetado no momento certo e na quantidade certa
Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento (B65)
por meio do acionamento elétrico preciso das válvulas magnéticas,
nas unidades injetoras, para dentro do cilindro.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

Enquanto grandezas relevantes referentes a consumo, potência e Se o veículo estiver equipado adicionalmente com código (MS4)
emissão são registradas pelo Sensor combinado da temperatura e BlueTec 4 ou Código (MS5) BlueTec 5, então no módulo de
da pressão de sobrealimentação (B111), pelo sensor de comando da regulagem do motor (MR) (A6) haverá outro
temperatura de combustível (B10) e pelo Sensor de temperatura barramento CAN - o CAN SCR (CAN 12). Por meio deste, o
do agente refrigerante (B65), o módulo de comando da regulagem módulo de comando da regulagem do motor (MR) (A6) poderá
do veículo (MR) (A6) reconhece, por meio do Sensor de posição trocar com o módulo de comando do módulo periférico SCR (A95),
da árvore de manivelas (B15), a rotação momentânea assim como todas as informações que são necessárias para o comando do
o ângulo de giro em relação ao PMS (posição do motor) e, em sistema de pós-tratamento de gases de emissão.
conexão com o Sensor de posição da árvore de comando de
válvulas (B16), o tempo de compressão do 1º cilindro. Ocorrendo uma falha no CAN do motor (CAN 4),no CAN STCR
A especificação de torque, calculada pelo módulo de comando da (CAN 12) ou num componente do sistema da regulagem do motor
regulagem do veículo (FR) (A3), também a partir da posição do (MR) ou do sistema de pós-tratamento de gases de emissão,
sensor de posição do acelerador, chega por meio do CAN do então, dependendo da gravidade da falha, a regulagem do motor
motor (CAN 4) ao módulo de comando da regulagem do motor (MR) procederá segundo um esquema preciso definido. Assim, ela
(MR) (A6), o qual, por sua vez, transmite o momento real e o fará uso de valores substitutos em caso de falhas menos graves,
momento máximo possível ao módulo de comando da regulagem como, por exemplo, em caso de falha de sensor, enquanto que,
do veículo (FR) (A3). por ex., em caso de falha na CAN do motor (CAN 4), ela passará a
Além disto, existe a possibilidade pelo CAN do motor (CAN 4) e o funcionar em regime de emergência.
módulo de comando de regulagem do veículo (FR) (A3), trocar Assim o motorista terá a possibilidade de, em caso de falha no
informações com outros sistemas eletrônicos ou módulos de sistema, pelo menos conduzir até a oficina mais próxima.
comando.

Regulagem do motor (MR) Comportamento GF07.15-W-0002-02MP


em caso de falhas
Regulagem do motor (MR) - troca de GF07.15-W-0002-03MP
informação com a regulagem do veículo
(FR)
Regulagem do motor (MR) - Troca de Somente em veículos com Código (MS4) GF07.15-W-0002-04MP
informação com o sistema de pós-tratamento BlueTec 4 ou com Código (MS5) BlueTec 5
de gases de emissão

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
Regulagem do motor (MR) - Troca de Somente em veículos com Código (M89) GF07.15-W-0002-05MP
informações com o sistema de partida por sistema de partida por chama
chama (FLA)
Funcionamento do processo de partida GF07.15-W-2001MP
Funcionamento da regulagem das rotações GF07.15-W-3007MP
Funcionamento da regulagem das rotações GF07.15-W-3008MP
de serviço
Funcionamento da regulagem das rotações GF07.15-W-3009MP
da propulsão secundária
Funcionamento do pós-tratamento de Somente em veículos com Código (MS4) GF14.40-W-0001A
emissões com tecnologia diesel BlueTec BlueTec 4 ou com Código (MS5) BlueTec 5
Funcionamento do processo de parada GF07.15-W-2003MP

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 3
GF07.15-W-0002-02MP Regulagem do motor (MR) Comportamento
em caso de falhas

Se a regulagem do motor (MR) verificar uma falha ou um erro


no sistema ou em um componente de sistema, ela procederá
segundo um esquema preciso definido, dependendo da gravidade
da falha:

1 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso


de perda do barramento CAN do motor (CAN 4)
Isto é reconhecido pela regulagem do motor (MR), que
Para garantir uma máxima segurança contra perdas passará a funcionar em regime de emergência. Caso a
possíveis, a linha de sinais do barramento CAN do motor rotação do motor esteja abaixo de 1250/min no momento da
perda do barramento CAN, então esta rotação será mantida
(CAN 4) é dupla. Cada linha é denominada como CAN-Low e
pela regulagem do motor (MR). Em todos os outros casos,
CAN-High e é alimentada com sinais polarizados opostos. após uma nova tentativa de partida, ela regulará uma rotação
Falhas que aparecem nas duas linhas anulam-se desta de 1250/min, independente da carga.
Com isto, o motorista terá a possibilidade de pelo menos
maneira. Falhas que aparecem somente num barramento
conduzir o veículo até uma oficina próxima.
CAN também não interferirão na transferência de dados, pois
O regime de emergência é comunicado aos outros
a mensagem pode ser reconstruída a partir do sinal da linha
sem falhas, ou seja, o barramento sistemas e indicado no display do sistema de informação do

CAN do motor (CAN 4) pode funcionar com uma linha só. motorista (FIS) do instrumento (INS). Além disso, ocorre o

Haverá perda do barramento CAN do motor (CAN 4), registro na memória de falhas.

somente quando ambas linhas estejam interrompidas ou -----------------------------------------------------------------------------------------

quando houver um curto-circuito em relação à tensão da


bateria ou em relação à massa.
-----------------------------------------------------------------------------------------
2 Comportamento da regulagem do motor (MR), em caso 3 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
de falha do sensor de posição da árvore de comando de perda do sensor de posição da árvore de manivelas
de válvulas (B16) (B15)
Se o sensor de posição da árvore de comando de válvulas Em caso de falha do sensor de posição da árvore de
(B16) falhar durante a marcha, o motor continuará funcionado manivelas (B15), a regulagem do motor (MR) ainda receberá
inalteradamente. Porém, por razões de proteção ao motor, o os sinais de rotação do sensor de posição da árvore de
momento máximo do motor é limitado. comando de válvulas (B16). Se bem que estes pulsos não
Se o sensor de posição da árvore de comando de válvulas são produzidos em intervalos curtos como os do sensor de
(B16) não emitir pulsos já durante a fase de partida, então posição da árvore de manivelas (B15), eles ainda são
sempre serão acionadas 2 unidades injetoras ou suas suficientes para calcular os tempos de acionamento das
válvulas magnéticas, com base na falta do reconhecimento unidades injetoras.
do tempo de compressão no 1º. cilindro. A determinação de tempo será um pouco menos precisa, de
A 2ª unidade injetora é aquela do cilindro deslocado em 360° forma que os níveis otimizados em relação a consumo,
de ângulo da árvore de manivelas em relação à emissão de gases etc. não serão atingidos. Além disto, o
1ª unidade injetora. momento máximo do motor será limitado a aprox. metade do
Desta forma, é garantido que um cilindro participe da momento máximo possível, por razões de proteção ao motor.
combustão enquanto que, no outro cilindro, em princípio, não
ocorra a injeção.
O momento máximo é reduzido por razões de proteção ao
motor.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
4 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso 6 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
de falha do sensor de temperatura de perda do sensor de pressão atmosférica no módulo
Se os valores do sensor de temperatura do combustível de comando MR/PLD (A6)
(B10), do sensor de temperatura do agente refrigerante (B65) Caso o sensor de pressão atmosférica apresente uma falha

ou do sensor de temperatura no Sensor combinado da ou um erro no módulo de comando (MR) (A6), então a

temperatura e da pressão de sobrealimentação (B111) forem regulagem do motor (MR) utilizará, dependendo da situação,

não plausíveis, ou caso um deles apresente interrupção ou valores substitutos diferentes:

curto-circuito, então a regulagem do motor (MR) continuará Se o sensor de pressão no sensor combinado da
temperatura e da pressão de sobrealimentação (B111)
trabalhando com valores substitutos. Como os valores de estiver intacto, então a regulagem do motor (MR) utilizará os
medição de cada um dos sensores de temperatura diferem valores armazenados em uma linha característica substituta
durante a operação (com o motor funcionando) e, durante o
entre si,Daimler
Copyright existem valores substitutos
AG 05-08-2008 G/05/08. Estapróprios memorizados
impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
entre si, existem valores substitutos próprios memorizados processo de partida, a pressão do ar na carcaça do ar de
para cada sensor de temperatura. Estes, porém, não podem sobrealimentação.
O motivo pelo qual a regulagem do motor (MR) faz uso dos
atender a todas as condições de operação, de forma que
valores de uma linha característica substituta durante a
ocorrerá forçosamente uma pequena limitação do momento
operação, deve-se à pressão do ar na carcaça do ar de
máximo.
sobrealimentação ser diferente, dependendo do estado de
5 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso carga do motor e, portanto, não pode ser utilizado como
de falha do sensor de pressão no Sensor combinado da pressão atmosférica.
temperatura e da pressão de sobrealimentação (B111)
Caso a regulagem de motor (MR) determine que no sensor
Caso o sensor de pressão no sensor combinado da
de pressão no Sensor combinado da temperatura e da temperatura e da pressão de sobrealimentação (B111)
pressão de sobrealimentação (B111) há um curto-circuito ou também esteja defeituoso, então a regulagem do motor (MR)
recorrerá aos valores da linha característica substituta, acima
uma interrupção, ou que este fornece valores não plausíveis, mencionada, sob todas as condições de serviço.
então ela continuará trabalhando com uma linha -----------------------------------------------------------------------------------------
característica, que é puramente dependente das rotações.

-----------------------------------------------------------------------------------------
7 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso 8 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
de falha do módulo de comando da regulagem do motor de falha de uma unidade injetora
(MR) (A6) Se um curto-circuito ou uma interrupção for reconhecida em
O módulo de comando da regulagem do motor (MR) (A6)
uma válvula magnética da unidade injetora, esta não será
possui um processador principal e um processador de
mais acionada. O motor continuará funcionando com um
emergência. Em caso de falha do processador principal, o número reduzido de cilindros.
processador de emergência assumirá o acionamento das O momento máximo, o momento nominal e o momento real
válvulas magnéticas nas unidades injetoras. do motor referem-se, em cada caso, aos cilindros que se
Este então regulará uma rotação de 1250 rpm, encontram em operação. Por isto, o momento máximo do
independentemente da carga. motor não é limitado.
Em caso de falha total do módulo de comando da regulagem
do motor (MR) (A6), o motor desligará e não poderá ser
ligado novamente.
A regulagem do veículo (FR), no entanto, estará apta a
diagnosticar a falha do módulo de comando da regulagem do
motor (MR) (A6), através da leitura da memória de falha, de -----------------------------------------------------------------------------------------
forma que um diagnóstico ainda seja possível.
-----------------------------------------------------------------------------------------
Enquanto a regulagem do motor (MR) passa a operação de Para evitar conclusões errôneas durante uma busca de falhas,
emergência em caso de falhas graves ou trabalha com valores deve ser observado que certas condições de serviço podem levar a
substitutos em caso de falhas menos graves, ela armazena cada uma limitação do momento máximo do motor,
falha ocorrida e comunica isto ao motorista, por meio de uma por ex.:
indicação correspondente no display do instrumento.
Um radiador entupido com pó e sujeira reduz a capacidade de
Além do tipo da falha e eventualmente um valor de medição,
arrefecimento. A regulagem do motor (MR) comprova um aumento
também é armazenado se a falha ainda é atual ou passageira, ou da temperatura do agente refrigerante e limita o momento máximo
se ocorreu esporadicamente. A memória de falhas também pode
disponível do motor, de maneira que o valor limite da temperatura
ser apagada novamente de forma autônoma, caso a falha do agente refrigerante não seja excedido. Este valor é comunicado
armazenada não ocorra novamente dentro das próximas 50 horas.
à regulagem do veículo (FR), considerado por ela, de forma que o
momento nominal e a potência do motor sejam limitados.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

Somente em veículos com Código (MS4) BlueTec 4 ou Código 9 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
(MS5) BlueTec 5: de falha do
Em veículos com Código (MS4) BlueTec 4 ou Código (MS5) SCR-CAN (CAN 12)
BlueTec 5, a regulagem do motor (MR) será responsável Quando uma das duas linhas de sinal (CAN-Low ou
adicionalmente pelo monitoramento de todos os componentes de CAN-High) for interrompida ou se ela apresentar curto-
sistema do sistema de pós-tratamento de emissões e do CAN circuito em relação à tensão da bateria ou em relação à
SCR (CAN 12). massa, o SCR-CAN (CAN 12) deixará de funcionar e o
Em caso de falha do SCR-CAN (CAN 12) ou de um componente tratamento de gases de emissão será interrompido.

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
de sistema do sistema de pós-tratamento de gases de emissão, a
responsabilidade sobre a decisão se o sistema é desligado ou se 10 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
de falha do sensor de temperatura no Sensor
continuará operando com valores substitutos será unicamente da
combinado da umidade e temperatura do ar SCR
regulagem do motor (MR). Além disso, todas as eventuais falhas (B132)
produzidas no sistema de pós-tratamento de gases de emissão Se os valores do sensor de temperatura no Sensor

serão armazenadas na regulagem do motor (MR) e comunicadas combinado da umidade e temperatura do ar SCR (B132) não

ao motorista, por meio de indicações correspondentes no display forem plausíveis, ou se ocorrer uma interrupção ou um curto-

do sistema de informação ao motorista (FIS) do instrumento (INS). circuito no sensor de temperatura no Sensor combinado da
umidade e temperatura do ar SCR (B132), então a
regulagem do motor (MR) continuará trabalhando com

----------------------------------------------------------------------------------------- valores substitutos.


-----------------------------------------------------------------------------------------
11 Comportamento da regulagem do motor (MR) em caso
de falha de algum outro componente de sistema (ainda
não mencionado) do sistema de pós-tratamento de
gases de emissão
Caso ocorra uma falha em outro componente de sistema, no
sistema de pós-tratamento de gases de emissão, então o
pós-tratamento de gases de emissão será interrompido ou
nem será iniciado.

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 3
GF07.15-W-0002-03MP Regulagem do motor (MR) - troca de
informação com a regulagem do veículo
(FR)

As informações de entrada e saída descritas a seguir 1 Informações de entrada da regulagem do motor (MR)
representam somente uma fração das muitas informações que são O momento nominal do motor, os estados de comutação das
trocadas entre a regulagem do motor (MR) e a regulagem do propulsões secundárias (ou da propulsão secundária -
veículo (FR).
Em razão desta variedade, são mencionadas somente as dependendo do equipamento do veículo) e a liberação para
informações mais importantes e como estas são enviadas desde partida fazem parte das informações de entrada mais
os diversos sistemas do veículo à regulagem do motor (MR) ou
importantes que são enviadas à regulagem de motor (MR),
desde a regulagem do motor (MR) aos diversos sistemas do
veículo. por meio da regulagem do veículo (FR).
Porém dependendo do equipamento do veículo, outras
informações de entrada, por ex., do módulo especial
parametrizável (PSM), do campo de comutação modular
(MSF) ou do módulo básico (GM), poderão ser adicionadas.
Informações do
módulo especial parametrizável (PSM)
ou
módulo básico (GM), por ex., sobre os

estados de marcha das propulsões


secundárias

a) Regulagem do motor (MR)


d) Regulagem do veículo (FR)
e) Campo de comutação modular
(MSF)
i) Módulo especial com inclusão de
parâmetros (PSM)

A3 Módulo de comando de regulagem


do veículo (FR)
A6 Módulo de comando regulagem do
motor (MR)
A7 Módulo básico (GM)
A22 Módulo de comando do módulo
especial parametrizável (PSM)*
A68 Módulo de comutação 4 Master
W26.45-1295-76
A78 Módulo de comutação 3 corrimão
CAN 1 CAN veículo
CAN 2 CAN interior
CAN 4 CAN motor
S23 Interruptor de controle tomada de
força 1
S64 Interruptor da propulsão
secundária 1

S65 Interruptor da propulsão


secundária 2*
S66 Interruptor da propulsão
secundária 3
S79 Interruptor de controle da propulsão
secundária 2
S80 Interruptor de controle da propulsão * Veículos com Código (EM7) Módulo ** Veículos sem Código (EM7) Módulo
secundária 3 especial parametrizável com especial parametrizável com
S108 Interruptor da regulagem de barramento CAN da carroçaria barramento CAN da carroçaria
rotações de serviço (ISO 11992), (ISO 11992),
Y46 Válvula eletromagnética tomada de
Código (EM8) Módulo especial Código (EM8) Módulo especial
força 1
Y47 Válvula eletromagnética tomada de parametrizável com barramento parametrizável com barramento
força 2 CAN de carroçaria e reboque CAN de carroçaria e reboque

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
CAN de carroçaria e reboque CAN de carroçaria e reboque
Y48 Válvula eletromagnética tomada de
força 3 (ISO 11992) ou Código (EM9) (ISO 11992) ou Código (EM9)
Módulo especial parametrizável com Módulo especial parametrizável com

barramento CAN de carroçaria e barramento CAN de carroçaria e


reboque , ISO 11898 em vez de reboque , ISO 11898 em vez de
11992 11992
1.1 Módulo especial parametrizável (PSM) ou módulo
básico (GM) regulagem do veículo (FR) regulagem
do motor (MR)
Informações sobre os estados de marcha das
propulsões secundárias:
módulo de comando do Módulo Especial Parametrizável
Os estados de comutação das propulsões secundárias (ou (PSM) (A22) enviam o estado de comutação da propulsão
da propulsão secundária - dependendo do equipamento do secundária correspondente pelo CAN do veículo (CAN 1)
veículo) são determinados pelo interruptor de controle da ao módulo de comando da regulagem do veículo (FR)
(A3), o qual, por um lado, processa esta informação e, por
propulsão secundária 1 (S23), propulsão secundária 2 (S79) outro, a retransmite pelo CAN do motor (CAN 4) ao módulo
e, eventualmente, propulsão secundária 3 (S80). de comando da regulagem do motor (MR) (A6).
Se uma propulsão secundária já estiver comutada durante o
As posições de comutação do interruptor de controle da
processo de partida, o módulo de comando da regulagem
propulsão secundária 2 (S79) são registradas exclusivamente
do veículo (FR) (A3) ativará o bloqueio da função de
pelo Módulo de comando do Módulo Especial Parametrizável
partida e o motor não poderá ser ligado.
(PSM) (A22), enquanto que as posições de comutação do
Se o motor estiver funcionando, o módulo de comando da
interruptor de controle da propulsão secundária 1 (S23) e do
regulagem do motor (MR) (A6) selecionará o campo
interruptor de controle da propulsão secundária 3 (S80)
característico armazenado para a propulsão secundária
podem ser registradas, dependendo do equipamento do
acionada e regula a rotação de serviço correspondente.
veículo, ou pelo Módulo de comando do Módulo Especial
Parametrizável (PSM) (A22) ou pelo módulo básico (GM) -----------------------------------------------------------------------------------------
(A7).
Tanto o módulo básico (GM) (A7) como também o
-----------------------------------------------------------------------------------------
Outras informações do Módulo Especial Outras informações do módulo básico (GM):
Parametrizável (PSM): Além dos estados de comutação das propulsões
Além dos estados de comutação das propulsões
secundárias, o módulo básico (GM) pode enviar diferentes
secundárias, o Módulo especial parametrizável (PSM) poderá
parâmetros para a regulagem de rotações de serviço das
enviar requisições para partida ou parada do motor, as quais propulsões secundárias e informações do interruptor de
também são retransmitidas pela regulagem do veículo (FR) à separação da bateria (para parada do motor).
regulagem do motor (MR).
Informações da regulagem do veículo (FR), por ex. sobre a
liberação de partida

a) Regulagem do motor (MR)


d) Regulagem do veículo (FR)
f) Comando de marchas (GS)
- Somente em veículos com Código (GS7) comando
de marchas II (também relacionado com Código (GE2)

Comando eletrônico de propulsão II ou Código (GE3)


Mercedes PowerShift)
A3 Módulo de comando de regulagem do veículo (FR)
A6 Módulo de comando de regulagem do motor (MR)
A16 Módulo de comando do comando de marchas (GS)
B60 Sensor de marcha (SGG)
B61 Sensor de pista (SGE)
CAN 4 CAN motor
CAN 5 CAN da transmissão automática
W30.35-1130-81
S9 Interruptor da posição neutral
- Somente em veículos com Código (GS3) sistema
de engrenagens "hidráulico"

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
1.2 Regulagem do veículo (FR) regulagem do motor
(MR)
Informação sobre a liberação da partida:
Em veículos com Código (GS3) trambulação
Antes de enviar a liberação de partida à regulagem do motor
"hidráulica", são analisados os sinais de comutação do
(MR), a regulagem do veículo (FR) verifica se as seguintes
interruptor da posição neutral (S9) para determinar a
condições estão sendo atendidas:
posição de transmissão "N". O interruptor da posição

- Velocidade do motor < 50/min neutral (S9) está conectado diretamente no módulo de
A velocidade do motor é enviada do módulo de comando comando da regulagem do veículo (FR) (A3).
da regulagem do motor (MR) (A6); vide 2.2. Em veículos com Código (GS7) comando de marchas II, a
posição de marcha atual na transmissão é determinada
- Propulsão secundária desligada - se disponível
pelo Módulo de comando de regulagem do veículo (FR)
O módulo de comando da regulagem do veículo (FR) (A3)
(A16).
obtém os estados de comutação das propulsões
Para isto, o Módulo de comando do comando de
secundárias ou o módulo básico (GM) (A7) ou do Módulo
marchas (GS) (A16) efetua a avaliação das informações
de comando do Módulo Especial Parametrizável (PSM)
do Sensor Marcha (SGG) (B60) e do Sensor pista (SGE)
(A22); vide 1.1.
(B61), as transforma em uma mensagem correspondente

- Posição da transmissão ="N" e as envia, por meio do CAN da transmissão (CAN 5),
(somente em caso de requisição de partida pela tecla para o módulo de comando da regulagem do veículo
partida do motor (S10) ou tecla partida/parada do (FR) (A3).

motor (S10.1))
A posição da transmissão "N" pode ser determinada de
diferente maneira: -----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
Outras informações da regulagem do veículo (FR): 1.3 Campo de comutação modular (MSF) módulo básico
A regulagem do veículo (FR) envia, além da informação para (GM)
a liberação de partida, adicionalmente, informações sobre o regulagem do veículo (FR) regulagem do motor

momento máximo possível do motor, sobre o momento (MR)

nominal do motor e sobre a rotação de marcha lenta. Informação sobre a requisição para ativação ou
Além disto, a regulagem do veículo (FR) serve como gateway desativação da manutenção de rotações constante:
para os outros sistemas eletrônicos do veículo, de forma que, O Campo de comutação modular (MSF) envia a informação
por ex., também podem chegar informações do Campo de para ativação ou desativação da manutenção de rotações
comutação modular (MSF) à regulagem do motor (MR). constante para o módulo básico (GM).
O módulo básico (GM) envia seguidamente a informação ao
módulo de comando da regulagem do veículo (FR), o qual,
----------------------------------------------------------------------------------------- por sua vez, retransmite a informação ao módulo de
comando da regulagem do motor (MR).
-----------------------------------------------------------------------------------------
2 Informações iniciais da regulagem do motor (MR)
Fazem parte das informações iniciais mais importantes, que
são colocadas à disposição pela regulagem do motor (MR),
pela regulagem do veículo (FR), por meio da regulagem do
veículo (FR) aos outros sistemas eletrônicos do veículo,
aquelas informações que servem para o cálculo do momento
nominal do motor e para a representação de diversas
indicações no instrumento (INS).
Dependendo do equipamento do veículo, podem ser
adicionadas outras informações iniciais, por ex., para
comando do retarder (RS).

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 3
Informações para o Instrumento (INS), por ex., para exibição
da temperatura do líquido de arrefecimento ou do nível do
líquido no reservatório AdBlue - representado no motor 541.9
com Código (MS4) BlueTec 4 ou com Código (MS5) BlueTec 5

a) Regulagem do motor (MR)


b) Sistema de pós-tratamento de gases de emissão com
tecnologia diesel BlueTec

- Somente em veículos com Código (MS4) BlueTec


4

ou com Código (MS5) BlueTec 5


d) Regulagem do veículo (FR)
h) Instrumento (INS)

A3 Módulo de comando de regulagem do veículo (FR)


A6 Módulo de comando regulagem do motor (MR)
A7 Módulo básico (GM) W07.15-1402-81

A95 Módulo de comando do quadro SCR


B65 Sensor de temperatura do liquido CAN 1 CAN veículo P2 Instrumento (INS)
de arrefecimento CAN 4 CAN motor Z3 Ponto neutro adicional CAN
B117 Sensor combinado do nível e CAN 12 SCR-CAN
temperatura de AdBlue SCR
2.1 Regulagem do motor (MR) Regulagem do veículo
(FR) Módulo básico (GM) Instrumento (INS)
Informações sobre a temperatura do líquido de
Informações adicionais para o Instrumento (INS):
arrefecimento e o nível do líquido no reservatório

AdBlue:
Além das informações sobre a temperatura do líquido de
A informação sobre a temperatura do líquido de
arrefecimento e o nível do líquido no reservatório AdBlue, a
arrefecimento que é determinada pela regulagem do motor
regulagem do motor (MR) envia informações sobre a
(MR) pelo Sensor de temperatura do agente refrigerante
velocidade do motor, a temperatura do óleo do motor, a
(B65) e a informação sobre o nível do líquido no reservatório
pressão do óleo do motor e o nível do óleo do motor para a
AdBlue, que é enviada à regulagem do motor (MR) desde o
regulagem do veículo (FR).
módulo de comando do módulo SCR periférico (A95) pelo
SCR-CAN (CAN 12), são enviadas conjuntamente à
regulagem do veículo (FR).
Ambas informações são retransmitidas desde a regulagem
do veículo (FR), que neste caso serve exclusivamente como
gateway pelo CAN do veículo (CAN 1) ao módulo básico -----------------------------------------------------------------------------------------
(GM) (A7), e do módulo básico (GM) (A7) ao Instrumento
(INS) (P2).
-----------------------------------------------------------------------------------------
2.2 Regulagem do motor (MR) Regulagem do veículo
(FR)
Informações sobre o momento nominal e sobre o Outras informações sobre a regulagem do veículo
(FR):
momento máximo possível:
Além do momento real e o momento máximo possível, a
Para o cálculo do valor do torque é necessário, entre outros,
regulagem do motor (MR) envia informações que são

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 4
que a regulagem do motor (MR) envie informações sobre o
necessárias não somente para a regulagem do veículo (FR). A
momento real e sobre o momento máximo possível para a
velocidade do motor, por ex., pertence a estas informações.
regulagem do veículo (FR).
Como já mencionado, a informação sobre a velocidade do
Estas informações são utilizadas exclusivamente pela
motor é necessária para acionamento do conta-giros do
regulagem do veículo (FR).
instrumento (INS) e para a associação da liberação de
partida pela regulagem do veículo (FR).
Em veículos com Código (BA9) Retarder secundário Voith R
115 ou Código (BA1) Retarder Voith otimizado por potência, a
regulagem do motor (MR) envia adicionalmente informações
sobre o momento máximo possível de frenagem do motor à
regulagem do veículo (FR), a qual calcula a partir disto,
considerando o momento de frenagem do Retarder máximo
possível do controle do Retarder (RS), o momento nominal
de frenagem do Retarder.

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 5
GF07.15-W-2001MP Funcionamento do processo de partida 5.12.06
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1387-79

Representado no motor 541.9

0 Ignição DESLIGADA B65 Sensor de temperatura do liquido Y8 Bomba unitária 3º cilindro


1 Borne 15R LIGA de arrefecimento Y9 Bomba unitária 4º cilindro
2 Borne 15 LIGA B111 Sensor combinado de temperatura Y10 Bomba unitária 5º cilindro
3 Kl.50 do ar de sobrealimentação e Y11 Bomba unitária 6º cilindro
sobrepressão de alimentação
A3 Módulo de comando de regulagem CAN 1 CAN veículo * Somente em veículos com Código
do veículo (FR) CAN 4 CAN motor (EM7) Módulo especial
A6 Módulo de comando regulagem do M1 Motor de partida parametrizável com barramento
motor (MR) S1 Interruptor de marcha CAN da carroçaria (ISO 11992),
A7 Módulo básico (GM) S10 Tecla de partida do motor Código (EM8) Módulo especial
A22 Módulo de comando do módulo - até nº final do motor parametrizável com barramento
especial parametrizável (PSM)* 394441 CAN de carroçaria e reboque
A42 Eletrônica de seleção bloqueio de S10.1 Tecla de partida/parada do motor (ISO 11992) ou Código (EM9)
partida - a partir do nº final do motor Módulo especial parametrizável
394442 com barramento CAN de carroçaria
B10 Sensor de temperatura do
S11 Tecla de parada do motor e reboque, ISO 11898 em vez de
combustível
- até nº final do motor 11992
B11 Sensor de temperatura do óleo do
motor 394441
B15 Sensor de posição da árvore de Y6 Bomba unitária 1º cilindro
manivelas Y7 Bomba unitária 2º cilindro
B16 Sensor de posição da árvore de
comando de válvulas

Generalidades Condições
Pode-se dar partida no motor: Há alimentação de tensão (borne 30 e borne 15) no módulo
com a chave de ignição pelo interruptor de marcha (S1), de comando MR/PLD (A6).
com a tecla partida do motor (S10) Bloqueio de partida (WSP) desativado, ou seja, o módulo de
- em motores até nº. final de motor 394441 comando MR/PLD (A6) obteve o código de transponder
com a Tecla partida/parada do motor (S10.1) correto do bloqueio de partida (A42) por meio dos
- em motores a partir de nº. final de motor 394442 dispositivos de leitura eletrônicos e assim reconheceu a
por meio do Módulo de comando do módulo especial chave de ignição correta.
parametrizável (PSM) (A22) Bloqueio da função de partida levantada, ou seja:
- Em veículos com Código (EM7) Módulo especial Transmissão automática em posição neutral (somente com
parametrizável com barramento CAN da carroçaria requisição de partida pela tecla partida do motor (S10) ou
(ISO 11992), pela Tecla partida/parada do motor (S10.1))
Código (EM8) Módulo especial parametrizável com Propulsão secundária desligada, caso disponível.
barramento CAN de carroçaria e reboque (ISO 11992) ou Motor parado ou velocidade do motor <50/min
Código (EM9) Módulo especial parametrizável com
barramento CAN de carroçaria e reboque , ISO 11898 em
vez de 11992
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-2001mp / Funcionamento do processo de partida Página 1 de 2


MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Função
Se todas as condições forem atendidas e a chave de ignição for Se o motor arrancar enquanto a chave de ignição é mantida na
girada para a posição borne 50 (3) e ali mantida, o interruptor da posição do borne 50 (3) do interruptor de marcha (S1) ou se o
tecla de pressão da partida do motor (S10) ou a tecla partida/ interruptor da partida/parada do motor (S10) ou o interruptor de
parada do motor (S10.1) tiver sido acionada ou se uma partida do motor (S10.1) ainda estiver sendo acionado, e se ele
mensagem de requisição de partida tiver sido enviada desde o atingir uma rotação de aprox. 450 rpm com motor quente até
módulo de comando do módulo especial parametrizável PSM aprox. 650 rpm com motor frio, o acionamento do motor de partida
(A22), então o módulo de comando da regulagem do motor MR (M1) será interrompido (rotação de retração do motor de partida). O
(A6) aciona o relê solenóide do motor de partida (M1) por meio de pinhão é retraído da engrenagem do volante, enquanto que a
um relê limitador regulagem do motor (MR) passará a funcionar no regime de
O motor de partida (M1) coloca o motor em movimento e a regulagem desejado.
regulagem do motor (MR) verifica se o motor de partida (M1) está O volume de mistura maior de partida, eventualmente necessário,
girando o motor com uma rotação mínima de 50/min. Além disso, será aumentado segundo necessidade pelo módulo de comando
ela espera até ter reconhecido o tempo de compressão do da regulagem do motor MR (A6).
1º cilindro, baseada nos sinais do emissor de posição do ângulo
da árvore de manivelas (B15) e do sensor de posição da árvore Em temperaturas externas especialmente baixas e,
de comando de válvulas (B16), para depois efetuar o cálculo do conseqüentemente, com comportamento de partida pior, o tempo
início da alimentação (para regulagem do início da injeção). de partida é limitado a 40 segundos para evitar uma sobrecarga
Dependendo do estado de funcionamento do motor no momento, o do motor de partida (M1). O acionamento do motor de partida
volume de injeção necessário para a combustão é calculado e (M1) e das válvulas magnéticas nas unidades injetoras é
controlado simultaneamente, por meio do acionamento das interrompido. O processo de partida poderá ser repetido somente
válvulas magnéticas nas unidades injetoras. após um tempo de espera (até 1 s após desligamento do motor de
partida).
Em veículos com Código (M89) sistema de partida por chama, o
tempo de partida pode ser reduzido significativamente.

Funcionamento do acionamento da partida GF07.15-W-3005MP


Funcionamento da regulagem de início de GF07.15-W-3003MP
injeção PLD
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3002MP
de alimentação PLD
Alimentação de combustível - Função GF47.00-W-0002MP

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-2001mp / Funcionamento do processo de partida Página 2 de 2


MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3005MP Ativação do motor de partida - função 25.11.08
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W15.30-1029-79

0 Ignição DESLIGADA A80 Módulo de interruptores 7 do painel S10.1 Tecla de partida/parada do motor
1 Terminal 15R ligado completo - a partir do nº. final do
2 Terminal 15 ligado B15 Sensor de posição da árvore de motor 394442
3 Borne 50 manivelas S11 Tecla de parada do motor
4 Barramento de dados ASIC B16 Sensor de posição da árvore - até nº. final do motor
comando de válvulas 394441
A3 Módulo de comando de regulagem B60 Sensor de marchas (SGG) S23 Interruptor de controle tomada de
B61 Sensor de seleção e engate (SGE) força 1
do veículo (FR)
A6 Módulo de comando regulação do CAN 1 CAN veículo S64 Interruptor da tomada de força 1
motor (MR) CAN 2 CAN de compartimento interno S65 Interruptor da tomada de força 2*
A7 Módulo básico (GM) CAN 4 CAN motor S66 Interruptor da tomada de força 3
A16 Módulo de comando de marchas CAN 5 CAN de transmissão automática S79 Comutador de controle da tomada
(GS) M1 Motor de partida de força 2
A22 Módulo de comando do módulo S1 Interruptor de marcha S80 Comutador de controle tomada de
especial parametrizável (PSM)* S9 Interruptor da posição neutro força 3
A68 Módulo de comutadores 4 Master S10 Tecla de partida do motor S103 Interruptor da plataforma de carga
A78 Módulo de comutadores 3 do - até nº. final do motor traseira
painel completo 394441 Y46 Válvula eletromagnética tomada de
força 1
Y47 Válvula eletromagnética da tomada
de força 2
Y48 Válvula eletromagnética da tomada
de força 3

a) Somente em veículos com * Veículos com Código (EM7) módulo ** Veículos sem Código (EM7) Módulo
plataforma de carga traseira especial parametrizável com especial parametrizável com
b) Somente em veículos com tomada barramento CAN da cabina (ISO barramento CAN da cabina (ISO
de força(s) 11992), 11992),
c) Veículos com Código (GS3), Código (EM8) módulo especial Código (EM8) módulo especial
acionamento "hidráulico" da caixa parametrizável com barramento parametrizável com barramento
de mudanças CAN de cabina e reboque (ISO CAN de cabina e reboque (ISO
d) Veículos com Código (GS7) 11992) ou Código (EM9) módulo 11992) ou Código (EM9) módulo
comando de mudanças, Código especial parametrizável com especial parametrizável com
(GE3) Mercedes PowerShift ou barramento CAN de cabina e barramento CAN de cabina e
Código (GE7) Mercedes PowerShift reboque, ISO 11898 ao invés de reboque, ISO 11898 ao invés de
2 11992 11992

Generalidades
A ativação do motor de partida (M1) ocorre exclusivamente O acionamento do motor de partida (M1) ocorre
através da saída de classe 50 do módulo de comando da no reconhecimento do sinal do borne 50 do interruptor de
regulagem do motor (RM) (A6).

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3005mp / Ativação do motor de partida - função Página 1 de 5
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934
marcha (S1) na entrada do módulo de comando da
regulagem do motor (MR) (A6)
Isto o possibilita: na solicitação de partida do módulo de comando do módulo
proteger o motor de partida de sobrecarga mecânica e especial parametrizável (PSM) (A22)
térmica (limitação do tempo de partida, proteção contra - Somente em veículos com Code (EM7) módulo
sobre-rotações) especial parametrizável com barramento-CAN da cabina
executar, com auxílio do STAR DIAGNOSIS, um diagnóstico (ISO 11992),
ativo por meio de uma medição comparativa da pressão de Code (EM8) módulo especial parametrizável com
compressão barramento-CAN da cabina e reboque (ISO 11992) ou Code
(EM9) módulo especial parametrizável com barramento-CAN
da cabina e reboque, ISO 11898 ao invés de 11992.
Uma vez que o estágio final do motor de partida, no módulo no acionamento da tecla partida do motor (S10)
de comando de regulagem do motor (RM) (A6), não fornece
corrente suficiente, ou seja, não é equipado para altas correntes (a - Em motores até nº. final de motor 394441.
etapa final do motor de partida se desconecta com uma corrente no acionamento da tecla partida/parada do motor (S10.1)
de no máx. 3 A em 0 °C, ou seja, 2 A em 25 °C), encontra-se, - Em motores a partir de nº. final de motor 394442.
entre o módulo de comando e o relé de engate do motor de
partida (M1), um relé em série. Por motivos de segurança, o acionamento do motor de partida
também ocorre quando não for reconhecido no módulo de
comando MR/PLD (A6) nenhum código de transponder válido.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

Condições
Há alimentação de tensão (borne 30 e borne 15) no módulo liberação de partida ao módulo de comando da regulagem
de comando MR/PLD (A6). do motor (MR) (A6), o qual somente então aciona o motor
Bloqueio da função de partida revogado, ou seja: de partida (M1).
Motor parado, ou seja, a velocidade do motor <50 rpm Havendo uma requisição de partida, o módulo de comando
Transmissão automática em posição neutra (somente da regulagem do veículo (FR) (A3) verificará primeiro os
necessário em caso de requisição pela tecla partida do seguintes pontos, antes de outorgar a liberação de partida:
motor (S10) ou pela tecla partida/parada do motor
(S10.1), pois uma requisição por meio do interruptor de Velocidade do motor
marcha (S1) deve estar garantida sob todas as A velocidade do motor, a qual é determinada pelo módulo de
condições) comando MR/PLD (A6), chega pelo barramento
Propulsões secundárias desligadas, caso disponível CAN do motor (CAN 4) ao módulo de comando da
regulagem do veículo (FR) (A3).
Ela é retransmitida desde o módulo de comando da
As condições para a suspensão do bloqueio de função do
regulagem do veículo (FR) (A3), por um lado, pelo
motor de partida serão analisadas pelo módulo de comando de
barramento CAN do veículo (CAN 1) até o instrumento (INS)
regulagem do veículo (FR) (A3). Se todas as condições forem
(P2) e, por outro lado, é utilizada para verificação das
atendidas, então ele envia pelo CAN do motor (CAN 4) uma condições e a conseqüente liberação de partida.
mensagem correspondente para
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

Posição da transmissão automática "N" Posições de acionamentos das tomadas de forças


- Veículos com Código (GS3) acionamento respectivamente das tomadas de forças
"hidráulico" da caixa de mudanças (c) - Somente em veículos com tomada de força (forças)
Para determinação da posição "N" da transmissão (b)
automática, são avaliados os sinais de marcha do interruptor As posições de acionamentos das tomadas de forças (ou
da posição neutra (S9). O interruptor da posição neutra (S9) das tomadas de forças - dependendo dos equipamentos do
está conectado ao módulo de comando da regulagem do veículo) serão determinados através dos comutadores de
veículo (FR) (A3), que registra e calcula a posição de controle da tomada de força 1 (S23), tomada de força 2
marcha. (S79) e caso necessário tomada de força 3 (S80).
As posições de comutação do interruptor de controle da
- Veículos com Código (GS7) comando de mudanças II, tomada de força 2 (S79) são registradas exclusivamente pelo
Código (GE3) Mercedes PowerShift ou Código (GE7) módulo de comando do módulo especial parametrizável
Mercedes PowerShift 2 (d) (PSM) (A22), enquanto que as posições de comutação do
A atual posição de comutação na caixa de mudanças será interruptor de controle da tomada de força 1 (S23) e do
determinada pelo módulo de comando do comando de interruptor de controle da tomada de força 3 (S80) podem
marchas (GS) (A16).Para isto ele avalia as informações do ser registradas, dependendo dos equipamentos do veículo,
sensor de marcha (SGG) (B60) e do sensor de seleção de ou pelo módulo de comando do módulo especial
marcha (SGE) (B61), transforma este na respectiva parametrizável (PSM) (A22) ou pelo módulo básico (GM)
mensagem e a envia através do CAN-transmissão (CAN 5) (A7).
ao módulo de comando de controle do veículo (FR) (A3). Tanto o módulo básico (GM) (A7) como também o módulo de
O sensor de marcha (SGG) (B60) está integrado no comando do módulo especial parametrizável (PSM) (A22)
módulo de marcha e o sensor de seleção de marcha (SGE) enviam a situação de marcha da tomada de força
(B61) está integrado no módulo de engate. correspondente pelo CAN do veículo (CAN 1) ao módulo de
----------------------------------------------------------------------------------------- comando da regulagem do veículo (FR) (A3).

-----------------------------------------------------------------------------------------

Processos

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3005mp / Ativação do motor de partida - função Página 2 de 5
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934
1 Acionamento do motor de partida (M1), em caso de
requisição de partida pelo interruptor de marcha (S1)
Em veículos com plataforma de carga traseira (c) a linha
de sinal do borne 50 é interrompida, no momento em que o Em caso de ativação do sinal do borne 50 no módulo de
interruptor da plataforma de carga traseira (S103) é comando da regulagem do motor (MR) (A6) sem envio da
acionado. Logo acende a lâmpada de controle no comutador mensagem do módulo de comando da regulagem do veículo
da plataforma de carga traseira (S103), então, para garantir a (FR) (A3), então será armazenada, após 1 segundo, a falha
ativação do motor de partida (M1), o comutador da "borne 50 inconsistente" na memória de falhas e a partida
plataforma de carga traseira (S103) terá que ser reativado. será atrasada por esse período de tempo. Esta redundância
Após ligar a ignição (borne 15) e girar a chave de ignição possibilita que, por ex., em caso de falha no sistema do
para a posição de partida do motor (posição borne 50 (3)), o barramento CAN, ainda possa ser dada partida no veículo
sinal do borne 50 do interruptor de marcha (S1) chega pelo borne 50 e que ele possa ser conduzido com uma
simultaneamente ao módulo de comando da regulagem do rotação prescrita fixa para a oficina mais próxima - sempre e
veículo (FR) (A3) e ao módulo de comando MR/PLD (A6). quando o código do transponder correto tiver sido
O módulo de comando da regulagem do veículo (FR) (A3) reconhecido.
envia no momento da ativação do borne 50 na entrada do Se o módulo de comando MR/PLD (A6) receber
módulo de comando, pelo CAN do motor (CAN 4), uma simultaneamente o sinal do borne 50 pelo conector do borne
mensagem para requisição de partida ao módulo de 50 na entrada do módulo de comando e pelo barramento
comando da regulagem do motor (MR) (A6), o qual compara CAN do motor (CAN 4), ele acionará o motor de partida (M1)
esta com o sinal direto do borne 50 proveniente do imediatamente (sem retardo).
interruptor de marcha (S1) (verificação de consistência): O acionamento do motor de partida (M1) ocorre até que a
requisição de partida seja retirada, o motor tenha atingido a
rotação de retração do motor de partida (aprox. 450 rpm com
motor quente até aprox. 650 rpm com motor frio) ou se tiver
----------------------------------------------------------------------------------------- sido excedido um tempo máximo de partida de 40 segundos
(limitação do tempo de partida).
-----------------------------------------------------------------------------------------

Se for executada uma medição comparativa da pressão oscilações do número de rotações, as quais podem ser
de compressão com auxílio do STAR DIAGNOSIS, o módulo reconhecidas pelo módulo de comando da regulagem do
de comando MR/PLD (A6) também interromperá, após um motor (MR) (A6) com base nos sinais de rotação do sensor
certo tempo, o acionamento do motor de partida (M1). de posição da árvore de manivelas (B15) e do sensor de
A medição comparativa da pressão de compressão baseia-se posição da árvore comando de válvulas (B16). Ele calcula as
no fato de que o êmbolo passa pelo PMS de ignição mais divergências entre cada um dos cilindros e as transmite à
rapidamente em um cilindro com compressão ruim do que STAR DIAGNOSIS, onde elas são indicadas como valores
num cilindro com boa compressão. Além disto, haverá comparativos em %.
exatamente neste momento, leves A fim de receber os valores mais exatos possíveis na
medição comparativa de pressão de compressão, evita-se
por o motor em marcha, pelo fato das válvulas magnéticas
----------------------------------------------------------------------------------------- nas unidades injetoras não serem ativadas.
-----------------------------------------------------------------------------------------

2 Ativação do motor de partida (M1) na solicitação de


partida pelo módulo de comando do módulo especial
parametrizável (PSM) (A22)
Somente em veículos com Code (EM7) módulo especial
parametrizável com cabina com barramento-CAN (ISO juntamente com a liberação de partida com mensagens
11992), correspondentes ao módulo de comando da regulagem do
Code (EM8) módulo especial parametrizável com cabina e motor (MR) (A6). O módulo de comando da regulagem do
reboque com barramento-CAN (ISO 11992) ou Code (EM9) motor (MR) (A6) aciona o motor de partida (M1) até que a
módulo especial parametrizável com cabina e reboque com requisição de partida tenha sido retirada pelo Módulo de
barramento-CAN, ISO 11898 ao invés de 11992. comando do módulo especial parametrizável (PSM) (A22), a
O módulo de comando do módulo especial parametrizável rotação de retração do motor de partida (aprox. 450 rpm com
(PSM) (A22) está interligado através do CAN-veículo (CAN 1) motor quente até aprox. 650 rpm com motor frio) tenha sido
com o módulo de comando de regulagem do veículo (FR) atingida ou o acionamento do motor de partida (M1) tenha
(A3).Tão logo for enviada uma respectiva solicitação de sido interrompido para proteção contra sobrecarga mecânica
partida, o módulo de comando da regulagem do veículo (FR) ou térmica (limitação do tempo de partida).
(A3) verifica as condições e se estas tenham sido atendidas,
transmite a solicitação de partida
-----------------------------------------------------------------------------------------

-----------------------------------------------------------------------------------------

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3005mp / Ativação do motor de partida - função Página 3 de 5
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934
3 Acionamento do motor de partida (M1) na requisição de
partida pela tecla partida do motor (S10)
Somente em motores até nº. final de motor 394441.
As posições de marcha da tecla partida do motor (S10) são ou o acionamento tenha sido interrompido para proteção
avaliadas pelo módulo de comando da regulagem do motor contra sobrecarga mecânica ou térmica (limitação do tempo
(MR) (A6). Se o sensor de partida do motor (S10) for de partida).
acionado, o módulo de comando de regulagem do motor
(RM) (A6) enviará, através do CAN do motor (CAN 4), uma O motor pode ser girado por meio do acionamento
mensagem referente ao requisito para a partida ao módulo adicional da tecla parada do motor (S11) para trabalhos de
de comando de regulagem do veículo (FR) (A3). manutenção, sem que ele arranque.
O módulo de comando de regulagem do veículo (FR) (A3) Ou seja: no momento em que o módulo de comando da
analisa a permissão, isto é, as condições que devem ser regulagem do motor (MR) (A6) reconhece que a tecla partida
satisfeitas para a suspensão do bloqueio da função do do motor (S10) e a tecla parada do motor (S11) estão sendo
motor de partida, e a libera, quando todas as condições acionadas simultaneamente, ele acionará o motor de partida
forem satisfeitas, através da transmissão de uma mensagem (M1), suprimindo, no entanto, o acionamento das válvulas
correspondente. magnéticas nas unidades injetoras (não ocorre injeção e o
Após a recepção desta mensagem, o módulo de comando da motor não arranca).
regulagem do motor (MR) (A6) aciona o motor de partida
Aqui também ocorre o acionamento do motor de partida
(M1), o qual será desengrenado somente quando a tecla
(M1) somente se todas as condições são atendidas e se
partida do motor (S10) for solta, a rotação de retração do
ocorrer liberação de partida pelo módulo de comando da
motor de partida (aprox. 450 rpm com motor quente até
regulagem do veículo (FR) (A3).
aprox. 650 rpm com motor frio) tenha sido atingida
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

4 Acionamento do motor de partida (M1) com requisição


de partida pela tecla partida/parada do motor (S10.1)
Somente em motores a partir de nº. final de motor
394442. será novamente desligado quando a tecla partida do motor/
O acionamento ocorre como já descrito no ponto 3. Um giro parada do motor (S10.1) for solta, o número de rotações de
do motor (sem que ele arranque) não é possível. partida do motor de partida atinge (aprox. 450/min com
As posições de marcha da tecla partida/parada do motor motor quente e até aprox. 650/min com motor frio) ou o
(S10.1) são avaliadas pelo módulo de comando da acionamento for interrompido automaticamente para proteção
regulagem do motor (MR) (A6). Se a tecla partida/parada do de sobrecarga mecânica ou térmica (limitação de tempo de
motor (S10.1) for acionada, o módulo de comando da partida).
regulagem do motor (MR) (A6) envia pelo CAN do motor
(CAN 4) uma mensagem referente à requisição de partida ao Antes que o motor possa ser girado com a Tecla partida/
módulo de comando da regulagem do veículo (FR) (A3). O parada do motor (S10.1) para trabalhos de manutenção
módulo de comando de regulagem do veículo (FR) (A3) (sem que este arranque), deve ser disposto pelo STAR
analisa a permissão, isto é, as condições que devem ser DIAGNOSIS que as unidades injetoras não sejam acionadas.
satisfeitas para a suspensão do bloqueio da função do
O item de menu correspondente encontra-se sob regulagem
motor de partida, e a libera, quando todas as condições
do motor/Acionamentos/Verificação mecânica da pressão de
forem satisfeitas, através da transmissão de uma mensagem
compressão.
correspondente.
Também aqui, a ativação do motor de partida deve ser feita
Após a recepção desta mensagem o módulo de comando de
(M1) somente quando todas as condições forem satisfeitas, e
regulagem do motor (MR) (A6) ativa o motor de partida (M1),
ocorrer a liberação para a partida por parte do módulo de
o qual comando de regulagem do veículo (FR) (A3).
-----------------------------------------------------------------------------------------

-----------------------------------------------------------------------------------------

Por motivos de segurança, o sinal que provocou a partida deve


ser basicamente suspenso, antes que seja possível uma nova
partida com o mesmo sinal (bloqueio do motor de partida).
Se o motor de partida (M1) for acionado por acionamento da tecla
partida do motor (S10) ou pela tecla partida/parada do motor
(S10.1) ou por acionamento simultâneo da tecla partida do motor
(S10) e parada do motor (S11), então por motivos de segurança
uma partida do motor será possível somente pelo interruptor do
veículo (S1), depois que a ignição tiver sido desligada e
novamente ligada.

Sensor de partida do motor - disposição/ Em motores com número final até 394441 GF07.15-W-4120MP
tarefa
Sensor de parada do motor - disposição/ Em motores com número final até 394441 GF07.15-W-4121MP
tarefa
Sensor de partida/parada do motor - Em motores com número final a partir de GF07.15-W-4125MP
disposição/tarefa 394442
© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3005mp / Ativação do motor de partida - função Página 4 de 5
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Módulo de comando de controle do motor GF07.15-W-5000MP
(MR) - disposição/tarefa
Interruptor da posição neutra - disposição/ Veículos com Código (GS3) acionamento GF26.19-W-4106MP
tarefa "hidráulico" da caixa de mudanças
Módulo de marchas - disposição/tarefa/ Veículos com Código (GS7) comando de GF26.20-W-3012MP
estrutura/função marchas II (tanto sem Código (GE2)
comando de acionamento eletrônico II como
também em ligação com Código (GE2)
comando de acionamento eletrônico II)
Descrição dos componentes do módulo de Veículos com Código (GE3) Mercedes GF26.20-W-3015KA
marcha PowerShift ou Código (GE7) Mercedes
PowerShift 2
Módulo de seleção e engate - disposição/ Veículos com Código (GS7) comando de GF26.20-W-3013MP
tarefa/estrutura/função marchas II (tanto sem Código (GE2)
comando de acionamento eletrônico II como
também em ligação com Código (GE2)
comando de acionamento eletrônico II)
Descrição dos componentes módulo de Veículos com Código (GE3) Mercedes GF26.20-W-3016KA
seleção PowerShift ou Código (GE7) Mercedes
PowerShift 2
Módulo de comando das marchas (GS) - Somente em veículos com Código (GS7) GF26.20-W-3100MP
disposição/tarefa comando de marchas II, Código (GE3)
Mercedes PowerShift ou Código (GE7)
Mercedes PowerShift 2
Comutador da tomada de força 1 - Somente em veículos com tomada de força GF26.45-W-4105MP
disposição/tarefa NA 121, NA 123, NA 124, NA 125 ou NA 131
dependentes da caixa de mudanças
Comutador de controle da tomada de força 2 Somente em veículos com tomada de força GF26.45-W-4106MP
- disposição/tarefa NA 123-11, NA 124-11 ou NA 125-11
dependente da caixa de mudanças
Comutador de controle da tomada de força 3 Somente em veículos com Código (N56) GF26.45-W-4107MP
- disposição/tarefa tomada de força independente da caixa de
mudanças (NMV) i = 1,48 ou com Código
(N57) tomada de força independente (NMV)
i = 1,09
Módulo de comando de controle do veículo GF30.35-W-4103MP
(FR) - disposição/tarefa
Módulo de comando do módulo especial Somente em veículos com Código (EM7), GF54.21-W-5002MP
parametrizado (PSM) - disposição/tarefa módulo especial parametrizável com
barramento CAN-cabina (ISO 11992), Código
(EM8), módulo especial parametrizável com
barramento CAN-cabina e reboque (ISO
11992) ou Código (EM9), módulo especial
parametrizável com barramento CAN-cabina e
reboque ISO 11898 ao invés de 11992
Módulo do interruptor 4 Master - disposição/ GF54.25-W-4104MP
tarefa/estrutura
Módulo dos interruptores do parapeito - GF54.25-W-4105MP
disposição/tarefa/estrutura

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3005mp / Ativação do motor de partida - função Página 5 de 5
Motor 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 Motor 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3003MP Funcionamento da regulagem de início de injeção PLD 5.3.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1249-79

Componentes para determinação e Grandezas de influência para regulagem Faixas de distribuição da emissão de NO x
regulagem do início de injeção otimizado do início de injeção otimizado ( ) e HC dependendo do início da injeção

A3 Módulo de comando de regulagem A Velocidade do motor e posição da X Início da injeção em °KW


do veículo (FR) árvore de manivelas (ângulo da Y Emissão em %
A6 Módulo de comando regulagem do árvore de manivelas)
motor (MR) B Posição da árvore comando de Início de injeção otimizado
B1 Emissor do pedal acelerador válvulas
B10 Sensor de temperatura do C Início de injeção efetivo
- adiantado
combustível D Temperatura do combustível
+ atrasado
B15 Sensor de posição da árvore de E Temperatura do motor
manivelas F Estado de carga (carga parcial,
B16 Sensor de posição da árvore de carga total)
comando de válvulas
B65 Sensor de temperatura do liquido
de arrefecimento
B111 Sensor combinado de temperatura
do ar de sobrealimentação e
sobrepressão de alimentação
CAN 4 CAN motor
Y6-Y13 Unidade injetora dos cilindros 1 até
8 (motor 542)

Generalidades
A regulagem do inicio da injeção ocorre primariamente para Como o inicio da injeção é determinado por cálculo, a regulagem
compensar o atraso da ignição e para assegurar a ignição na do motor (MR) poderá considerar, além da velocidade do motor
faixa do PMS, ou seja, com máxima temperatura final de (A), outras grandezas como temperatura do combustível (D),
compressão. temperatura do motor (E) e estado de carga (F). Também estas
Se o início da injeção não for regulado, a conseqüência será que o grandezas têm efeito sobre o deslocamento da ignição e podem
atraso de ignição (o tempo desde o início da injeção até o início ter também um aumento na emissão de gases nocivos.
da ignição), principalmente na faixa superior de rotações, tenha A regulagem do motor (MR) pode, por meio de um cálculo preciso
efeitos desvantajosos sobre o processo de combustão. A emissão e um deslocamento correspondente do início da injeção,
de gases nocivos e o desenvolvimento de ruído aumentariam, compensar estes efeitos e diminuir a emissão de gases nocivos.
enquanto que a potência do motor diminuiria. Desta forma podem ser reduzidos significativamente óxidos de
Assim, o inicio da injeção depende, em primeiro lugar, da rotação nitrogênio (NOx ), que são produzidos num início de injeção cedo
do motor e, para evitar as desvantagens do deslocamento da demais, e hidrocarbonetos (HC), que são produzidos durante um
ignição na faixa de rotações superior, ele é deslocado em direção início de injeção atrasado demais.
de "adiantado" . -----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3003mp / Funcionamento da regulagem de início de injeção PLD Página 1 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
1 Regulagem do inicio da injeção 2 Cálculo do início da alimentação
O inicio da injeção é regulado pelo Início da alimentação e Para o cálculo do Início da alimentação, os sinais do sensor
constantemente adaptado às condições de serviço do motor. de posição da árvore de manivelas (B15) são decisivos. Por
O início da alimentação, que ocorre um pouco mais cedo que meio dele são determinados a rotação do motor e a posição
o início da injeção efetivo, é o momento no qual a válvula do eixo de manivelas (A).
magnética na unidade injetora está completamente fechada e Os sinais do sensor de posição da árvore comando de
o combustível pode ser comprimido ou alimentado. O início válvulas (B16) são usados adicionalmente somente durante o
da alimentação pode ser regulado total e independentemente processo de partida, ou em caso de falha do sensor de
dentro do limite mecânico (limitado pela forma do came) da posição da árvore de manivelas (B15) Eles indicam a posição
regulagem do motor (MR). atual da árvore comando de válvulas (B) e, portanto, quando
Os valores limite (início de alimentação máx. 25° ângulo da o 1º. cilindro se encontra no tempo de compressão.
árvore de manivelas antes até 5° ângulo da árvore de Para o cálculo definitivo do início da alimentação, é
manivelas após PMS) estão armazenados no módulo de determinado o início da injeção efetivo (C), além da
comando MR/PLD (A6), por meio do qual também ocorre o temperatura do combustível (D), a temperatura do motor (E) e
cálculo e o correspondente acionamento de cada válvula o estado de carga (F), o qual pode ser derivado, entre
magnética nas unidades injetoras dos cilindros 1 até 8 outros, da rotação do motor e da posição do emissor do
(Y6-Y13). pedal do acelerador (B1). Isto ocorre com o auxílio do
O início da injeção é calculado novamente após cada reconhecimento da abertura e fechamento, a qual serve para
processo de injeção, devido às condições de serviço do determinar dispersões e tolerâncias na fabricação das
motor que mudam constantemente. unidades injetoras e compensá-las por meio de uma
regulagem do campo característico.

Funcionamento da alimentação de GF47.00-W-3012MP


combustível alta pressão
Funcionamento da determinação da GF07.15-W-4006MP
temperatura do motor
Funcionamento da determinação da GF07.15-W-4008MP
temperatura de combustível
Funcionamento da determinação da GF07.15-W-4005MP
velocidade do motor e do ângulo da árvore
de manivelas
Funcionamento da determinação do tempo GF07.15-W-4004MP
de compressão no 1º cilindro
Funcionamento do reconhecimento de GF07.15-W-4003MP
abertura/fechamento

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3003mp / Funcionamento da regulagem de início de injeção PLD Página 2 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3002MP Funcionamento do controle de quantidade de alimentação PLD 5.3.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1364-79

Representado no motor 542.9 A Início da alimentação - por ex., no a Início da alimentação, por ex., em 10°
5º. cilindro ângulo da árvore de manivelas antes
1 Árvore de manivelas B Fim da alimentação - por ex., no do ponto morto superior (PMS)
2 Árvore de comando das válvulas 5º. cilindro b Fim da alimentação, por ex., em 10°
3 Came da unidade injetora ângulo da árvore de manivelas após o
4 Tucho de rolos da unidade injetora OT Ponto morto superior ponto morto superior (PMS), quando
5 Câmara de alta pressão da unidade UT Ponto morto inferior o ângulo de alimentação ( ) for de
20°
injetora
Ângulo de alimentação

Generalidades
A quantidade de alimentação (portanto também a quantidade de A faixa na qual pode ocorrer um controle da quantidade de
injeção) é controlada por meio do Ângulo de alimentação ( ): alimentação é determinada pela construção das unidades injetoras
O ângulo de alimentação ( ) é o ângulo ao redor do qual gira o e da árvore comando de válvulas (2):
eixo de manivelas (1) com o motor funcionando entre o Início da Se o tucho de rolos da unidade injetora (4) se encontrar, por ex.,
alimentação (a) e o Fim da alimentação (b) de uma unidade num círculo básico do came da unidade injetora (3), não ocorrerá
injetora. injeção ao ser acionada a válvula magnética.
A quantidade de combustível que é alimentada pela unidade Ou seja, a faixa máxima de comando é determinada pelo curso da
injetora correspondente e injetada no cilindro correspondente varia came da unidade injetora (3) (aprox. 65,5° ângulo da árvore de
dependendo do valor do Ângulo de alimentação ( ). comando de válvulas) e a faixa máxima de volume pelo volume
Se a quantidade a ser injetada tem que ser aumentada, por ex., vazado correspondente na Câmara de alta pressão da unidade
havendo uma requisição de potência e o momento atual do motor é injetora (5).
menor que o momento nominal do motor, então a regulagem do
motor (MR) aumenta o ângulo de alimentação ( ). Isto ocorre
porque ela aciona as válvulas magnéticas nas unidades injetoras
por mais tempo, deslocando assim o fim da alimentação (b) para
um momento posterior.
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Função
Inicialmente a regulagem do motor (MR) calcula a quantidade Depois que a regulagem do motor (MR) calculou a quantidade de
necessária de injeção ou alimentação, que ela requer para alimentação necessária e determinou o ângulo de alimentação
regulagem da rotação do motor. Os fatores que influenciam no resultante ( ) para cada unidade injetora (o início da alimentação
cálculo e no posterior controle da quantidade de alimentação (a) já foi determinado pela regulagem de início de injeção), ela
variam segundo o estado de operação e carga do motor. aciona a válvula magnética na unidade injetora, cujo cilindro se
Para evitar uma emissão aumentada de fumaça, especialmente encontra no tempo de compressão, iniciando assim o curso de
durante o processo de partida, no qual o volume de injeção é alimentação nessa unidade injetora.
determinado pela posição do pedal do acelerador, mas também O tempo de parada subseqüente, ou seja, o tempo no qual a
durante a marcha, a quantidade de alimentação poderá ser válvula magnética é acionada na unidade injetora, determina a
limitada, por ex., por meio do um campo característico de limitação quantidade de alimentação e, portanto, a duração da injeção ou o
de fumaça. volume de injeção.
Uma correção de altura adicional também evita que combustível Ou seja, o combustível é injetado na câmara de combustão, até
em excesso seja injetado e, que devido a isso, ocorra uma que a regulagem do motor (MR) interrompa o acionamento da
emissão de fumaça aumentada. válvula magnética e inicie o fim da alimentação (b).

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3002mp / Funcionamento do controle de quantidade de alimentação PLD Página 1 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3013MP
do processo de partida
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3016MP
em marcha-lenta
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3017MP
com carga parcial/total
Funcionamento de controle de quantidade GF07.15-W-3015MP
em regime de propulsão

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3002mp / Funcionamento do controle de quantidade de alimentação PLD Página 2 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3007MP Funcionamento da regulagem das rotações 5.3.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

A3 Módulo de comando de regulagem


do veículo (FR)
A6 Módulo de comando regulagem do
motor (MR)
B1 Emissor do pedal acelerador
CAN 4 CAN motor
S2 Alavanca de acionamento regulação
motor/freio contínuo
S10 Tecla partida do motor
- até nº final do motor 394441
S10.1 Tecla partida/parada do motor
- a partir do nº final do motor
394442
S11 Tecla de parada do motor
- até nº final do motor 394441
Y6 Unidade injetora 1º cilindro
Y7 Unidade injetora 2º cilindro
Y8 Unidade injetora 3º cilindro
Y9 Unidade injetora 4º cilindro
Y10 Unidade injetora 5º cilindro
Y11 Unidade injetora 6º cilindro
Y12 Unidade injetora 7º cilindro
- Somente no motor 542.9
Y13 Unidade injetora 8º cilindro
- Somente no motor 542.9

W07.15-1391-76

Generalidades
Este motor a diesel necessita sempre de uma quantidade de
combustível regulada. Sem regulagem da quantidade de
combustível, a rotação cairia até a parada total do motor, por ex.,
em marcha lenta, ou ela aumentaria continuamente até a rotação
máxima do motor.
São conhecidos basicamente dois tipos de reguladores da bomba
de injeção de diesel clássica: o regulador marcha lenta/ rotações
finais (regulador RQ) e o regulador da bomba injetora (regulador
RQV). Estes estão implementados também na regulagem do motor
(MR) além de outros tipos de reguladores. A regulagem do motor
(MR) alterna, dependendo da situação e requisição entre os
diferentes tipos de reguladores, garantindo que as requisições do
motorista ao motor sejam atendidas sob todas as condições.

1 Regulagem da rotação da marcha lenta 2 Modificação da rotação da marcha lenta


A regulagem da rotação da marcha lenta ocorre A rotação da marcha lenta pode ser modificada:
imediatamente após o processo de partida e sob todos os com a alavanca de comando regulagem do motor/freio
estados de operação, no momento em que o momento contínuo (S2), com motor funcionando em regime de
nominal do motor, o qual é calculado pela regulagem do marcha lenta
veículo (FR), entre outros, a partir da posição do emissor do com a tecla partida do motor (S10), com motor
pedal (B1) e enviado pelo barramento CAN do motor (4) ao funcionando em regime de marcha lenta
módulo de comando MR/PLD (A6), seja igual a "0". - em motores até nº. final de motor 394441, com
O módulo de comando MR/PLD (A6) seleciona o tipo de módulos de comando de motor instalados com
regulador correspondente ou o campo característico versão de software 56
armazenado para este tipo de regulador e regula a rotação com a tecla partida do motor (S10), durante a partida do
da marcha lenta, acionando a quantidade de alimentação motor (acionando e mantendo pressionada a tecla)
correspondente. - em motores até nº. final de motor 394441, com
Paralelamente a isto ele regula o inicio da injeção, para módulos de comando de motor instalados com
manter a emissão de gases nocivos o mais baixo possível. versão de software 60
A rotação da marcha lenta está parametrizada no módulo com a tecla partida/parada do motor (S10.1), durante a
de comando da regulagem do veículo (FR) (A3), e é enviada partida do motor (acionando e mantendo pressionada a
igualmente pelo módulo de comando MR/PLD (A6), pelo tecla)
barramento CAN do motor (4) como padrão de regulagem. - em motores a partir de nº. final de motor 394442

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3007mp / Funcionamento da regulagem das rotações Página 1 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Modificação da rotação da marcha lenta com a alavanca de acionamento
regulagem do motor/freio contínuo (S2)
Dependendo para qual posição (1, 2 ou 3) é empurrada ou puxada a alavanca de
acionamento regulagem do motor/freio (S2) contínuo com o motor funcionando, o
módulo de comando da regulagem do veículo (FR) (A3) modifica o padrão de
regulagem para a rotação da marcha lenta e a envia pelo barramento CAN do motor (4)
ao módulo de comando MR/PLD (A6).
O módulo de comando MR/PLD (A6) recebe o novo padrão de regulagem e converte a
rotação requerida por meio de comando da quantidade de alimentação como segue:

Alavanca de acionamento da regulação motor/freio contínuo (S2)


pressionar brevemente em posição (1):
A rotação de marcha lenta atual aumenta em aprox. 20 rpm.
segurar na posição (1):
A rotação de marcha lenta atual aumenta até máx. 750 rpm. W54.25-1088-71

pressionar brevemente em posição (2):


A rotação de marcha lenta atual diminui em aprox.20 rpm.
segurar na posição (2):
A rotação de marcha lenta atual diminui até máx. 550 rpm.
pressionar brevemente na posição (3):
A rotação de marcha lenta parametrizada na regulagem do veículo (FR) é ajustada
novamente.

A rotação de marcha lenta parametrizada na regulagem do veículo (FR) é


automaticamente ajustada quando o veículo passa ao modo de serviço e a
velocidade do veículo estiver acima de aprox. 20 km/h.

Modificação da rotação da marcha lenta com a tecla a rotação da marcha lenta - por comando da quantidade
partida do motor (S10) - Motores até nº. final de motor de alimentação, até que o motor esteja regulando ou a
394441, com módulos de comando de motor instalados tecla partida do motor (S10) tenha sido solta novamente.
com versão de software 56 Depois de soltar a tecla partida do motor (S10) o motor
Se a tecla partida do motor (S10) é acionada com motor continuará funcionando com as rotações, que ele atingiu
funcionando, então o módulo de comando da regulagem antes da tecla ter sido solta.
do motor (MR) aumenta, por meio de comando da
quantidade de alimentação, continuamente a rotação da Modificação da rotação da marcha lenta com a tecla
marcha lenta, até que o motor esteja regulando ou a tecla partida/parada do motor (S10.1) - Motores a partir de
partida do motor (S10) tenha sido solta novamente. nº. final de motor 394442
Imediatamente após soltar a tecla partida do motor (S10), a Se a tecla partida/parada do motor (S10.1) é acionada e
regulagem do motor (MR) regulará novamente a rotação mantida pressionada com o motor parado, então o módulo
da marcha lenta. de comando da regulagem do motor (MR) aumentará,
aprox. 3 segundos depois do motor ter arrancado, a
Modificação da rotação da marcha lenta com a tecla rotação da marcha lenta continuamente- por comando da
partida do motor (S10) - Motores até nº. final de motor quantidade de alimentação até que o motor esteja
394441, com módulos de comando de motor instalados regulando ou a tecla partida/parada do motor (S10.1)
com versão de software 60 tenha sido solta novamente.
Se a tecla partida do motor (S10) é acionada e mantida Depois de soltar a tecla partida/parada do motor (S10.1) o
pressionada com o motor parado, então o módulo de motor continuará funcionando com as rotações que ele
comando da regulagem do motor (MR) aumentará, aprox. 3 atingiu antes da tecla ter sido solta.
segundos depois do motor ter arrancado, continuamente a

Funcionamento do cálculo do momento GF30.35-W-3002MP


nominal do motor
Funcionamento da determinação da GF30.35-W-4001MP
velocidade do veículo
Funcionamento da regulagem de início de GF07.15-W-3003MP
injeção PLD
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3002MP
de alimentação PLD
Alimentação de combustível - Função GF47.00-W-0002MP

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3007mp / Funcionamento da regulagem das rotações Página 2 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3008MP Funcionamento da regulagem das rotações de serviço 5.3.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

A3 Módulo de comando de regulagem do veículo (FR)


A6 Módulo de comando regulagem do motor (MR)
B1 Emissor do pedal acelerador
CAN 4 CAN motor
Y6 Bomba unitária 1º cilindro
Y7 Bomba unitária 2º cilindro
Y8 Bomba unitária 3º cilindro
Y9 Bomba unitária 4º cilindro
Y10 Bomba unitária 5º cilindro
Y11 Bomba unitária 6º cilindro
Y12 Unidade injetora 7º cilindro - Somente no motor 542.9
Y13 Unidade injetora 8º cilindro - Somente no motor 542.9

W07.15-1254-81

Se a regulagem do veículo (FR) não requerer regulagem de A regulagem do motor (MR), portanto, está constantemente
rotação de marcha lenta, ou se o módulo básico (GM) ou o Módulo incumbida de adaptar o valor real ao valor nominal.
de comando do módulo especial parametrizável (PSM) não Durante a adaptação, o módulo de comando MR/PLD (A6) ajusta o
requerer regulagem de rotações de serviço, isto significa serviço inicio da injeção, para compensar o atraso de ignição, o qual se
normal. manifesta especialmente negativamente em altas rotações, e
Durante o serviço, a indicação do momento do motor depende, em manter a emissão de gases nocivos o mais baixo possível.
primeiro lugar, da posição do pedal do acelerador e da posição do
emissor do pedal (B1). Se o momento nominal do motor for negativo, por ex., no regime
de propulsão, então a regulagem do motor (MR) acionará as
A regulagem do motor (MR) seleciona o tipo de regulador válvulas magnéticas nas unidades injetoras. Desta forma, pode ser
correspondente ou o campo característico armazenado para este aproveitado o efeito de frenagem do motor.
tipo de regulador e compara o momento do motor nominal
proveniente da regulagem do veículo (FR), o qual é derivado entre A regulagem do motor (MR) pode limitar o momento nominal
outros da posição do emissor do pedal (B1) e colocado à do motor enviado pela regulagem do veículo (FR) por motivos de
disposição pelo barramento CAN do motor (CAN 4), com o proteção do motor, por ex., quando a temperatura do líquido de
momento real do motor, o qual representa as reais condições de arrefecimento tenha excedido um valor não permissível ou se o
serviço do motor. motor atingir sua rotação final ou de regulagem. No último ela
Se houver diferença entre o momento real do motor e o momento regulará a rotação máxima.
nominal do motor, então a regulagem do motor (MR) controla a
Além disto, ocorre uma correção do momento nominal na
quantidade de alimentação de tal forma, até que o momento real
regulagem do motor (MR), a qual leva em consideração a massa
do motor corresponda ao momento nominal do motor.
efetiva do combustível. Para isto, ela utiliza a temperatura do
Ou seja, se o momento nominal do motor requerido é menor que o combustível.
momento real do motor atual, então a regulagem do motor (MR)
reduzirá a quantidade de alimentação, e se o momento nominal do
motor requerido for maior que o momento real do motor atual,
então ela aumenta a quantidade de alimentação.

Funcionamento do cálculo do momento GF30.35-W-3002MP


nominal do motor
Funcionamento da regulagem de início de GF07.15-W-3003MP
injeção PLD
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3002MP
de alimentação PLD
Alimentação de combustível - Função GF47.00-W-0002MP

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3008mp / Funcionamento da regulagem das rotações de serviço Página 1 de 1
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-3009MP Funcionamento da regulagem das rotações da propulsão secundária 5.12.06
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1390-79

1 Bus de dados ASIC S64 Interruptor da tomada de força 1 * Veículos com Código (EM7) Módulo
S65 Interruptor da propulsão secundária especial parametrizável com
A3 Módulo de comando de regulagem 2* barramento CAN da carroçaria
do veículo (FR) S66 Interruptor da tomada de força 3 (ISO 11992),
A6 Módulo de comando regulagem do S79 Interruptor de controle tomada de Código (EM8) Módulo especial
motor (MR) força 2 parametrizável com barramento
A7 Módulo básico (GM) S80 Interruptor de controle tomada de CAN de carroçaria e reboque (ISO
A22 Módulo de comando do módulo força 3 11992) ou Código (EM9) Módulo
especial parametrizável (PSM)* S108 Interruptor da regulagem de especial parametrizável com
rotações de serviço barramento CAN de carroçaria e
A68 Módulo de comutação 4 Master reboque , ISO 11898 em vez de
A78 Módulo de comutação 3 corrimão Y6 Unidade injetora 1º cilindro 11992
B1 Emissor do pedal acelerador Y7 Unidade injetora 2º cilindro
CAN 1 CAN veículo Y8 Unidade injetora 3º cilindro
** Veículos sem Código (EM7) Módulo
CAN 2 CAN interior Y9 Unidade injetora 4º cilindro especial parametrizável com
CAN 4 CAN motor Y10 Unidade injetora 5º cilindro barramento CAN da carroçaria
P2 Instrumento (INS) Y11 Unidade injetora 6º cilindro (ISO 11992),
P2p1 Display do sistema de informação Y12 Unidade injetora 7º cilindro Código (EM8) Módulo especial
ao motorista (FIS) - Apenas no motor 542.9 parametrizável com barramento
S2 Alavanca de acionamento Y13 Unidade injetora 8º cilindro CAN de carroçaria e reboque
regulação motor/freio contínuo - Apenas no motor 542.9 (ISO 11992) ou Código (EM9)
S23 Interruptor de controle tomada de Y46 Válvula eletromagnética tomada de Módulo especial parametrizável
força 1 força 1 com barramento CAN de carroçaria
Y47 Válvula eletromagnética tomada de e reboque , ISO 11898 em vez de
força 2 11992
Y48 Válvula eletromagnética tomada de
força 3

Generalidades 1 Regulagem da rotação de serviço


Para a regulagem das rotações da propulsão secundária ou das A regulagem da rotação de serviço ocorre no momento em
propulsões secundárias (dependendo do equipamento do veículo), que há uma requisição do módulo básico na regulagem do
há armazenados diferentes tipos de regulador no módulo de motor (MR) proveniente do módulo básico (GM) (A7) ou do
comando MR/PLD (A6). módulo de comando do módulo especial parametrizável
Estes podem ser requeridos de maneira diferente durante o (PSM) (A22).
acionamento da propulsão secundária, dependendo do campo de Nisto ela considera, em primeiro lugar, os parâmetros
aplicação do veículo e dependendo de como os parâmetros para ajustados no módulo básico (GM) (A7), sempre e quando
as funções das propulsões secundárias foram ajustadas no estes não foram sobrescritos pelo módulo de comando do
módulo básico (GM) (A7) ou no módulo de comando do módulo módulo especial parametrizável (PSM) (A22). O último
especial parametrizável (PSM) (A22). significa que, em veículos com Código (EM7) Módulo

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3009mp / Funcionamento da regulagem das rotações da propulsão secundária Página 1 de 3
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
O tipo de regulador mais utilizado é o regulador da bomba injetora especial parametrizável com barramento CAN da carroçaria
(RQV, Grau P 0). (ISO 11992), código (EM8) Módulo especial parametrizável
As condições de entrada, por ex., "freio de estacionamento com barramento CAN de cabina e reboque (ISO 11992) ou
puxado" ou "transmissão automática em posição neutral", a faixa Código (EM9) Módulo especial parametrizável com
de rotações (rotação do motor mínima e máxima) ou a limitação barramento CAN de cabina e reboque, ISO 11898 ao invés
de torque podem ser, juntamente com muitos outros parâmetros, de 11992, independente de quais parâmetros estão ajustados
parametrizáveis no módulo básico (GM) (A7) ou no módulo de no módulo básico (GM) (A7), somente serão considerados os
comando do módulo especial parametrizável (PSM) (A22). parâmetros no Módulo de comando do módulo especial
parametrizável (PSM) (A22).
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

Como mencionado no início, estão programados na Além da seleção do tipo de regulador correspondente pelo
regulagem do motor (MR) tipos de reguladores diferentes módulo básico (GM) (A7) ou pelo Módulo de comando do
para regulagem da rotação de serviço. Estes podem ser módulo especial parametrizável (PSM) (A22), também são
associados individualmente aos interruptores da propulsão fornecidos os outros parâmetros como rotação mínima,
secundária 1 (S64), propulsão secundária 2 (S65) e propulsão rotação máxima etc. pelo CAN do veículo (CAN 1), de onde
secundária 3 (S66), de forma que a seleção do regulador são recebidos pelo módulo de comando da regulagem do
durante o acionamento da propulsão secundária dependa veículo (FR) (A3), podendo ser retransmitidos por meio do
exclusivamente da parametrização. CAN do motor (CAN 4) ao módulo de comando da
Nestes interruptores trata-se de um interruptor de sinais, ou regulagem do motor (MR) (A6).
seja, em cada um destes interruptores há um circuito que Com base nestas informações, o módulo de comando (MR)
reconhece a posição de comutação do interruptor, enviando-a (A6) finalmente seleciona o campo característico armazenado
em forma de mensagem por meio do bus de dados ASIC para o tipo de regulador requerido e regula a rotação de
(1) ao Módulo de comutação 4 Master (A68). serviço de acordo com os parâmetros ajustados por
Do Módulo de comutação 4 Master (A68) as informações são comando da quantidade de alimentação.
retransmitidas por meio do CAN do interior (CAN 2) ao Paralelamente a isto ele regula o inicio da injeção, para
módulo básico (GM) (A7) o qual, dependendo do manter a emissão de gases nocivos o mais baixo possível.
equipamento do veículo, as envia por meio do CAN do
veículo(CAN 1) ao Módulo de comando do módulo especial
parametrizável (PSM) (A22) ou as avalia.
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

A rotação de serviço será regulada somente quando o O interruptor regulagem de rotações de serviço (S108)
módulo de comando da regulagem do motor (MR) (A6) assume uma tarefa especial para a regulagem da rotação de
reconhecer que a propulsão secundária correspondente serviço
esteja totalmente ativa. Com ele, pode ser ligada a manutenção constante de
As informações sobre isto são enviadas ou pelo módulo rotações, ou seja, a regulagem do motor (MR) regula uma
básico (GM) (A7) ou pelo Módulo de comando do módulo rotação de motor parametrizada especialmente para isto,
especial parametrizável (PSM) (A22), os quais monitoram o mantendo-a constante, independentemente da carga.
estado das propulsões secundárias por meio do interruptor O interruptor da regulagem de rotações de serviço (S108)
de controle de propulsão secundária 1 (S23), propulsão também é um interruptor de sinais, que envia suas posições
secundária 2 (S79) ou propulsão secundária 3 (S80). de comutação em forma de mensagens ao módulo de
Uma propulsão secundária pode ser reconhecida através das comutação 4 Master (A68).
lâmpadas de controle que estão acesas nos interruptores e O módulo de comutação 4 Master (A68) por sua vez
porque no display do sistema de informação ao motorista transmite estas ao módulo básico (GM) (A7) onde ou elas
(FIS) (P2p1) do Instrumento (INS) (P2) aparece uma exibição são processadas ou retransmitidas ao Módulo de comando
correspondente. do módulo especial parametrizável (PSM) (A22).
O acionamento das lâmpadas de controle nos interruptores
ocorre por meio da confirmação de status do módulo básico
(GM) (A7), a qual não somente é enviada pelo CAN do
veículo (CAN 1) ao módulo de comando da regulagem do
veículo (FR) (A3) e dali, pelo CAN do motor (CAN 4), ao
módulo de comando da regulagem do motor (MR) (A6), mas
também simultaneamente também pelo CAN do interior
(CAN 2) ao módulo de comutação 4 Master (A68) e dali pelo
bus de dados ASIC (1) ao módulo de comutação 3 corrimão
(A78).
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

2 Modificação da rotação de serviço


Dependendo do equipamento do veículo e parametrização
das funções das propulsões secundárias, é possível
modificar a rotação de serviço por meio do pedal do
acelerador, ou seja, por meio do emissor do pedal (B1), com
a alavanca de acionamento regulagem do motor/freio
contínuo (S2) ou automaticamente com o interruptor
regulagem de rotações de serviço (S108), sempre e quando a
rotação máxima e mínima não forem excedidas:

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3009mp / Funcionamento da regulagem das rotações da propulsão secundária Página 2 de 3
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Modificação da rotação de serviço com o pedal do
acelerador pelo emissor do pedal (B1)
Se o pedal do acelerador e, com isto, o emissor do pedal Se a rotação de serviço máxima não for excedida,
(B1) forem ativados, então o módulo de comando da então ocorre uma requisição para aumento da
regulagem do veículo (FR) (A3) modifica o padrão de rotação de serviço, a qual é enviada primeiramente
regulagem para a rotação de serviço, enviando-a pelo por meio do barramento CAN do veículo (CAN 1)
CAN do veículo (CAN 1) ao módulo básico (GM) (A7) ou ao módulo de comando da regulagem do veículo
ao Módulo de comando do módulo especial parametrizável (FR) (A3) e dali pelo barramento CAN do motor
(PSM) (A22). (CAN 4) ao módulo de comando da regulagem do
Ali, a rotação de serviço desejada é comparada tanto com a motor MR (A6).
rotação de serviço atual como com a rotação de serviço O módulo de comando MR/PLD (A6) aumenta a rotação
máxima permissível - sempre e quando uma rotação de de serviço por meio do comando da quantidade de
serviço máxima tiver sido parametrizada. alimentação para o valor desejado, mantendo-o constante.
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Modificação da rotação de serviço com a alavanca de


acionamento regulagem do motor/freio contínuo (S2)
Dependendo para qual posição é empurrada ou puxada a Se nem a rotação de serviço máxima e mínima forem
alavanca de acionamento regulagem do motor/freio contínuo excedidas, então ocorre uma requisição correspondente para
(S2), o módulo de comando da regulagem do veículo (FR) aumento ou diminuição da rotação de serviço, a qual é
(A3) modifica o padrão de regulagem para a rotação de enviada primeiramente por meio do barramento CAN do
serviço e a envia pelo barramento CAN do motor (CAN 1) ao veículo (CAN 1) ao módulo de comando da regulagem do
módulo básico(GM) (A7) ou ao módulo de comando do veículo (FR) (A3) e dali, por meio do barramento CAN do
módulo especial parametrizável (PSM) (A22). motor (4), ao módulo de comando da regulagem do motor
Ali, a rotação de serviço desejada é comparada com a (MR) (A6).
rotação de serviço atual, a rotação de serviço máxima, e a
rotação de serviço mínima permissível - sempre e quando a
rotação de serviço máxima e mínima tiverem sido
parametrizadas.

O módulo de comando de regulagem do motor (MR) (A6) recebe o novo padrão de


regulagem e converte a rotação requerida por meio de comando da quantidade de
alimentação, como segue:

Alavanca de acionamento regulação motor/freio contínuo (S2)


pressionar brevemente em posição (1):
A rotação de serviço atual aumenta em aprox.20 rpm.
segurar na posição (1):
A rotação de serviço atual aumenta até máx. 750 rpm.
pressionar brevemente em posição (2):
A rotação de serviço atual diminui em aprox. 20 rpm.
segurar na posição (2):
A rotação de serviço atual diminui até máx. 550 rpm.
pressionar brevemente em posição (3):
W54.25-1088-71
A rotação de serviço parametrizada é novamente regulada.

Funcionamento da regulagem de início de GF07.15-W-3003MP


injeção PLD
Funcionamento do controle de quantidade GF07.15-W-3002MP
de alimentação PLD
Alimentação de combustível - Função GF47.00-W-0002MP

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-3009mp / Funcionamento da regulagem das rotações da propulsão secundária Página 3 de 3
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.15-W-2003MP Funcionamento do processo de parada 5.12.06
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1404-79

Representado no motor 541.9

0 Ignição DESLIGADA K2 Interruptor de separação da Y10 Unidade injetora 5º cilindro


1 Borne 15R LIGA bateria** Y11 Unidade injetora 6º cilindro
2 Borne 15 LIGA S1 Interruptor de marcha
3 Borne 50 S5 Interruptor de PARADA DE
EMERGÊNCIA da cabina** * Somente em veículos com Código
A3 Módulo de comando de regulagem S10 Tecla de partida do motor (EM7) Módulo especial
do veículo (FR) - até nº final do motor parametrizável com barramento
A6 Módulo de comando regulagem do 394441 CAN da carroçaria (ISO 11992
motor (MR) S10.1 Tecla de partida/parada do motor ), Código (EM8) Módulo especial
A7 Módulo básico (GM) - a partir do nº final do motor parametrizável com barramento
A22 Módulo de comando do módulo 394442 CAN de carroçaria e reboque (ISO
especial parametrizável (PSM)* S11 Tecla de parada do motor 11992) ou Código (EM9) Módulo
A76 Módulo de comutação 2 corrimão - até nº final do motor especial parametrizável com
394441 barramento CAN de carroçaria e
B15 Sensor de posição da árvore de reboque , ISO 11898 em vez de
manivelas S109 Interruptor de PARADA DE
EMERGÊNCIA do chassi** 11992
B16 Sensor de posição da árvore de
comando de válvulas Y1 Válvula magnética Top Brake
pneumático ** Somente em veículos segundo
CAN 1 CAN veículo GGVS
CAN 3 CAN periférico Y6 Unidade injetora 1º cilindro
CAN 4 CAN motor Y7 Unidade injetora 2º cilindro
Y8 Unidade injetora 3º cilindro
Y9 Unidade injetora 4º cilindro

Pode-se desligar o motor:


com a chave de ignição pelo interruptor de marcha (S1), por meio do Módulo de comando do módulo especial
com a tecla de parada do motor (S11) parametrizável (PSM) (A22)
- em motores até nº. final de motor 394441 - Somente em veículos com Código (EM7) Módulo
com a tecla partida do motor (S10) especial parametrizável com barramento CAN da
- Em motores até nº. final de motor 394441, nos quais carroçaria (ISO 11992
estão instalados módulos de comando de motor com ), Código (EM8) Módulo especial parametrizável com
versão de software 60. barramento CAN de carroçaria e reboque (ISO 11992) ou
com a Tecla partida/parada do motor (S10.1) Código (EM9) Módulo especial parametrizável com
- Em motores a partir de nº. final de motor 394442. barramento CAN de carroçaria e reboque , ISO 11898 em
vez de 11992
com o interruptor PARADA DE EMERGÊNCIA da cabina
(S5) ou com o Interruptor PARADA DE EMERGÊNCIA do
chassi (S109)
- Somente em veículos segundo GGVS.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-2003mp / Funcionamento do processo de parada Página 1 de 3


MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
1 Desligar o motor com a chave de ignição por meio do
interruptor de marcha (S1)
Após girar a chave de ignição para a posição Ignição O acionamento da válvula magnética correspondente
DESLIGADA (0), a alimentação (borne 15) no módulo de (para comando do Top Brake) ocorre desde o módulo
comando da regulagem do motor MR (A6) é interrompida por de comando da regulagem do veículo (FR) (A3).
meio do interruptor de marcha (S1) Caso haja uma requisição correspondente (em forma de uma
Com a interrupção da alimentação (borne 15), as válvulas mensagem) do módulo de comando da regulagem do motor
magnéticas nas unidades injetoras deixam de ser acionadas. O (MR) (A6), então ele aciona, durante o período, no qual
volume total de combustível que é alimentado pelos existe a requisição, a válvula magnética Top Brake
elementos de bomba nas unidades injetoras entre o PMI e o pneumático (Y1).
PMS é pressionado, primeiramente, para dentro da camâra
para comando correspondente, e depois para o canal de
A regulagem do motor (MR) determina o período durante
retorno. Como a pressão de injeção ou abertura dos bicos
o qual é acionada a válvula magnética Top Brake pneumática
injetores não é mais atingida, não ocorre a injeção e o motor
(Y1).
apaga.
Após o processo de parada, o módulo de comando MR/PLD
Para acelerar o processo de parada e para proteger o (A6) ainda é alimentado por pelo menos 10 segundos com
motor e o meio ambiente, as válvulas do Top Brake são tensão. A memória de falhas permanente é gravada durante
acionadas simultaneamente nos cabeçotes. este período, denominado fase pós-funcionamento.
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Em veículos com Código (MS4) BlueTec 4 ou Código


(MS5) BlueTec 5, o aparelho dosificador é ventilado na fase
pós-funcionamento (máx. 300 s), o que evita danos por
congelamento por AdBlue congelado.
A ventilação do aparelho dosificador ocorre por abertura e
fechamento da Válvula magnética de limitação de ar
comprimido SCR (Y106) e da válvula dosadora AdBlue SCR
(Y109) em intervalos definidos. As grandezas de influência
principais para a duração da ventilação são a pressão
existente no sensor de pressão AdBlue SCR (B129) e a
pressão existente no sensor de pressão do ar comprimido
SCR (B128). Somente quando o módulo de comando da
regulagem do motor (MR) (A6), com base nesses valores,
reconhecer que o aparelho dosificador foi enchido com ar, a
ventilação será finalizada.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------

2 Desligamento do motor com a Tecla parada do motor


(S11)a), com a tecla partida do motor (S10) b) ou com a
Tecla partida/parada do motor (S10.1) c)
Para evitar um desligamento não intencional do motor, a Quando o motor está parado, o módulo de comando
Tecla parada do motor (S11) a), a tecla partida do motor MR/PLD (A6) envia, por meio do barramento CAN do
(S10)b) ou a Tecla partida/parada do motor (S10.1) c) deve motor (4), uma mensagem correspondente sobre a
ser mantida pressionada até que o motor desligue. imobilização do motor para o módulo de comando da
Se a Tecla parada do motor (S11) a), a tecla partida do motor regulagem do veículo (FR) (A3). O motivo disto reside
(S10)b) ou a Tecla partida/parada do motor (S10.1) c) é solta em que a regulagem do veículo (FR) tem que ser
antes da rotação cair além das 50 rotações, então o motor informada sobre o estado do motor, para levar o
ligará novamente. mesmo em consideração para os cálculos
No momento em que é acionada a Tecla parada do motor subseqüentes.
(S11)a), a tecla partida do motor (S10) b) ou a Tecla partida/
parada do motor (S10.1) c), o módulo de comando da
regulagem do motor (MR) (A6) interrompe o acionamento as
válvulas magnéticas nas unidades injetoras.
As unidades injetoras alimentam o combustível, da mesma
forma que no processo de parada com a chave de ignição,
diretamente para o retorno, que interrompe a injeção fazendo a)
com que o motor desligue, tão logo as rotações caiam além Em motores até nº. final de motor 394441
b) Em motores até nº. final de motor 394441, nos quais
de 50 rpm.
----------------------------------------------------------------------------------------- estão instalados módulos de comando de motor com
versão de software 60.
c) Em motores a partir de nº. final de motor 394442.
-----------------------------------------------------------------------------------------

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-2003mp / Funcionamento do processo de parada Página 2 de 3


MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
3 Desligamento do motor pelo Módulo de comando do
módulo especial parametrizável (PSM) (A22)
Somente em veículos com Código (EM7) Módulo especial
parametrizável com barramento CAN carroçaria (ISO 11992), O módulo de comando MR/PLD (A6) interrompe o
código (EM8) Módulo especial parametrizável com acionamento das válvulas magnéticas nas unidades
barramento CAN de cabina e reboque (ISO 11992) ou Código injetoras, o que produz a parada do motor.
(EM9) Módulo especial parametrizável com barramento CAN Também no desligamento do motor por meio do módulo de
de cabina e reboque, ISO 11898 ao invés de 11992. comando do módulo especial parametrizável PSM (A22),
O Módulo de comando do módulo especial parametrizável como é o caso do desligamento do motor com a chave de
(PSM) (A22) está ligado ao módulo de comando da ignição, são acionadas as válvulas do Top Brake nos
regulagem do veículo (FR) (A3) por meio do CAN do veículo cabeçotes.
(CAN 1). Quando este envia uma mensagem para desligar o Seguidamente, o módulo de comando de regulagem do
motor, então esta é retransmitida pelo módulo de comando motor MR (A6) passa para a fase pós-funcionamento, para
da regulagem do veículo (FR) (A3) por meio do barramento registrar a falha de memória permanente.
CAN do motor (4) ao módulo de comando MR/PLD (A6).
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

4 Desligamento do motor com o Interruptor PARADA DE


EMERGÊNCIA da cabina (S5) ou Interruptor de PARADA
DE EMERGÊNCIA do chassi (S109)
Somente em veículos segundo GGVS.
Se for acionado o interruptor PARADA DE EMERGÊNCIA
da cabina (S5) ou o Interruptor PARADA DE EMERGÊNCIA
do chassi (S109), então o Interruptor de separação da alimentação de tensão (borne 15) desde o módulo de
bateria (K2) sinaliza ao módulo básico (GM) (A7), comando da regulagem do motor (MR) (A6) e as válvulas
primeiramente, que o motor deve ser desligado, antes que magnéticas nas bombas injetoras não são mais acionadas.
ele separe a rede de bordo da bateria. A injeção é interrompida e o motor desliga.
Isto ocorre, de um lado, pela transmissão de um sinal PWM Somente depois, ou seja, quando o motor está desligado, o
por uma linha de sinais separada e, por outro lado, pela Interruptor de separação da bateria (K2) interrompe a
transferência de uma mensagem correspondente pelo CAN alimentação de tensão de todos os consumidores, exceto a
do chassi (CAN 3). do Tacógrafo modular (MTCO).
No momento em que o módulo básico (GM) (A7) recebe a
mensagem ou o sinal PWM, ele interrompe a O Interruptor PARADA DE EMERGÊNCIA deve ser
acionado somente em caso de perigo e com o veículo
parado, porém nunca durante a marcha, porque senão o
veículo não será mais controlável.

Disposição/Tarefa/Função Válvula magnética GF01.50-W-4105MP


Top Brake
Disposição/Tarefa/Estrutura/Função da GF07.02-W-2110MP
unidade injetora PLD
Disposição/Tarefa do sensor de posição da GF07.04-W-5045MP
árvore de manivelas
Disposição/Tarefa da tecla partida do motor Em motores até nº. final de motor 394441 GF07.15-W-4120MP
Disposição/Tarefa da tecla parada do motor Em motores até nº. final de motor 394441 GF07.15-W-4121MP
Disposição/Tarefa da tecla partida/parada do Em motores a partir de nº. final de motor GF07.15-W-4125MP
motor 394442
Disposição/Tarefa do módulo de comando GF07.15-W-5000MP
da regulagem do motor (MR)
Disposição/Tarefa do módulo de comando GF30.35-W-4103MP
da regulagem do veículo (FR)
Disposição/Tarefa do interruptor de Somente em veículos segundo GGVS GF54.10-W-4101MP
separação da bateria
Disposição/Tarefa do módulo básico (GM) GF54.21-W-4014MP
Disposição/Tarefa do módulo de comando Somente em veículos com Código (EM7) GF54.21-W-5002MP
do módulo especial parametrizável (PSM) Módulo especial parametrizável com
barramento CAN da carroçaria (ISO 11992 ),
Código (EM8) Módulo especial
parametrizável com barramento CAN de
carroçaria e reboque (ISO 11992) ou Código
(EM9) Módulo especial parametrizável com
barramento CAN de carroçaria e reboque,
ISO 11898 em vez de 11992
Disposição/Tarefa do interruptor de Somente em veículos segundo GGVS GF54.25-W-4120MP
PARADA DE EMERGÊNCIA da cabina
Disposição/Tarefa do interruptor de Somente em veículos segundo GGVS GF54.25-W-4121MP
PARADA DE EMERGÊNCIA do chassi
© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.15-w-2003mp / Funcionamento do processo de parada Página 3 de 3
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF47.00-W-0002MP Funcionamento da alimentação de combustível 18.2.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W47.00-1011-79

Representado no motor 541.9

1 Reservatório de combustível A6 Módulo de comando regulagem do A Tubulação prévia do combustível, lado


2 Bomba manual de combustível motor (MR) da aspiração, respectivamente lado
2.1 Pré-filtro de combustível Y6 Unidade injetora 1º cilindro da pressão absoluta
4 Trocador de calor do combustível Y7 Unidade injetora 2º cilindro B Tubulação prévia do combustível, lado
5 Bomba de combustível Y8 Unidade injetora 3º cilindro da pressão
6 Filtro de combustível Y9 Unidade injetora 4º cilindro C Tubulação de alta pressão do
7 Combinação do suporte do injetor Y10 Unidade injetora 5º cilindro combustível
Y11 Unidade injetora 6º cilindro D Tubulação de retorno do combustível
9 Válvula solenóide

Generalidades
Através da alimentação de combustível é garantido que o
combustível necessário para a combustão sob todas as condições
de operação esteja disponível no momento exato em quantidade
suficiente e com a necessária pressão.
A alimentação de combustível dos diversos cilindros ocorre
através da tubulação da bomba sistema de injetores (sistema
PLD), que é abastecida com combustível pelo circuito de
combustível de baixa pressão.

Circuito de combustível de baixa pressão Tubulação da bomba sistema de injetores (sistema PLD)
O circuito de combustível de baixa pressão assegura que o Através do sistema PLD, injeta-se nos cilindros, no tempo correto
combustível seja limpo e disponibilizado nas unidades injetoras do com a pressão necessária e na quantidade suficiente, o
sistema PLD em quantidade suficiente, e com pressão suficiente. combustível disponibilizado pelo circuito de baixa pressão de
Ele é constituído fundamentalmente dos seguintes componentes: combustível.
Reservatório de combustível (1) O sistema PLD é constituído das unidades injetoras cilindro 1 até 6
Bomba manual de combustível (2) (Y6 até Y11) no Motor 541.9, respectivamente nas unidades
Pré-filtro de combustível (2.1) injetoras cilindro 1 até 8 (Y6 até Y13) no Motor 542.9, das
Trocador de calor de combustível (4) tubuladoras para tubo de pressão, dos bicos injetores nas
Bomba de combustível (5) combinações dos porta-injetores (7) e das tubulações de alta
Filtro de combustível (6) pressão de combustível (C), através das diversas unidades
injetoras juntamente com os respectivos bicos injetores.
Tubulação prévia do combustível, lado da aspiração,
O combustível alimentado em excesso através da alimentação de
respectivamente lado da pressão absoluta alta pressão é enviado novamente pelas tubulações de retorno de
Tubulação prévia de combustível, lado da pressão (B) combustível (D) ao circuito de baixa pressão de combustível.
Tubulações de retorno de combustível (D)

Funcionamento do circuito de baixa pressão GF47.00-W-3011MP


do combustível
Funcionamento da alimentação de GF47.00-W-3012MP
combustível em alta pressão

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf47.00-w-0002mp / Funcionamento da alimentação de combustível Página 1 de 1


MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF47.00-W-3012MP Funcionamento da alimentação de combustível em alta pressão 18.2.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W07.15-1365-78

Representado no motor 541.9

1 Unidade injetora Y6 Unidade injetora 1º cilindro A Afluxo do combustível (lado da


2 Tubulação de alta pressão Y7 Unidade injetora 2º cilindro aspiração, respectivamente lado da
3 Tubuladora para tubo de pressão Y8 Unidade injetora 3º cilindro pressão absoluta)
4 Combinação do suporte do injetor Y9 Unidade injetora 4º cilindro B Afluxo de combustível (lado de
Y10 Unidade injetora 5º cilindro pressão )
Y11 Unidade injetora 6º cilindro C Alta pressão do combustível
D Retorno do combustível

Generalidades Condições
O transporte em alta pressão do sistema PLD ocorre através de Para que as válvulas solenóide sejam comandadas nas unidades
diversas unidades injetoras (1) que estão ordenadas injetoras (somente dessa forma pode ocorrer o transporte de
respectivamente a um cilindro. As unidades injetoras (1) são combustível com alta pressão), as seguintes condições devem ser
acionadas através dos tuchos de roletes do eixo comando, e com preenchidas:
as tubulações curtas de alta pressão (2) estão unidas as Sistema de imobilização anti-furto (WSP) desativado, ou seja,
tubuladoras para tubo de pressão (3), assim como para com as o módulo de comando regulagem do motor (MR) reconheceu
combinações dos bicos injetores (4). através da eletrônica de seleção o sistema de imobilização
Em cada unidade injetora (1) está uma válvula solenóide de anti-furto de um code válido do Transponder, e com isso
acionamento rápido, através da qual é regulado o início do reconheceu a chave de ignição correta.
transporte e comandada a vazão. O comando das válvulas A tecla de pressão parada do motor não deve ser acionada
solenóide ocorre através do módulo de comando regulagem do quando é dada partida do motor através do comutador da
motor (MR), que calcula o início do transporte e a vazão de acordo tecla de pressão, pois nesse caso igualmente não ocorre
com o estado de operação do motor assim que é dada partida, ou nenhum comando das válvulas solenóides.
seja, quando o motor está em funcionamento. Somente em motores até nº final do motor 394441.
O comando das unidades injetoras não pode ter sido
desativado pelo STAR DIAGNOSIS, pois nesse caso
igualmente não ocorre nenhum comando das válvulas
solenóides.
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Funcionamento
Conforme a posição do eixo comando nas correspondentes
unidades injetoras (1), ocorrem os seguintes cursos de trabalho:
Curso de aspiração
Curso inicial
Curso de transporte
Curso restante

Em conjunto, esses cursos formam um ciclo de trabalho que se


repete a cada nova rotação do eixo comando nas respectivas
unidades injetoras (1), até que o motor seja desligado.
Assim que o motor é desligado, o módulo de comando regulagem
do motor (MR) interrompe o comando das válvulas solenóides. As
unidades injetoras (1) transportam o combustível praticamente sem
pressão no retorno do combustível do circuito de baixa pressão, e o
motor se desliga.

A descrição a seguir de um ciclo de trabalho na unidade


injetora do 4º cilindro também é válida para outras unidades
injetoras.
© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf47.00-w-3012mp / Funcionamento da alimentação de combustível em alta pressão Página 1 de 4
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Curso de aspiração representado na
unidade injetora do 4º cilindro no Motor
541.9

1 Unidade injetora
2 Tubulação de alta pressão
3 Tubuladora para tubo de pressão
4 Combinação do suporte do injetor
5 Elemento de bomba
6 Canal de abastecimento
7 Válvula solenóide
8 Compartimento da alta pressão

B Afluxo de combustível
C Alta pressão do combustível
D Retorno do combustível

W07.15-1239-75

O curso de aspiração é iniciado após o vértice do excêntrico ter No compartimento de alta pressão (8) abastecido com combustível
sido ultrapassado e o elemento da bomba (5) se movimenta para predomina, assim, a mesma pressão do circuito de baixa pressão
baixo sob a força da mola de retorno. de combustível.
Através da pressão efetiva constante de aprox. 4 até 6 bar no
circuito de baixa pressão do combustível pelo canal de
alimentação (6) e válvula solenóide aberta (7), o compartimento de
alta pressão (8) é abastecido com combustível.

Curso inicial representado na unidade


injetora do 4º cilindro no Motor 541.9

1 Unidade injetora
2 Tubulação de alta pressão
3 Tubuladora para tubo de pressão
4 Combinação do suporte do injetor
5 Elemento de bomba
6 Canal de abastecimento
7 Válvula solenóide
8 Compartimento da alta pressão
9 Canal de retorno

B Afluxo de combustível
C Alta pressão do combustível
D Retorno do combustível

W07.15-1236-75

Após o curso de aspiração, o elemento de bomba (5) permanece, Pela movimentação para cima do elemento de bomba (5) e a
antes de tudo, parado na posição final inferior e o tucho de roletes ainda aberta (sem corrente) válvula solenóide (7), o combustível é
da unidade injetora (1) rola no círculo primitivo do excêntrico da comprimido no compartimento de alta pressão (8) previamente em
unidade injetora. Somente quando o eixo comando continua a uma câmara para comando, e em seguida no canal de retorno (9).
girar, e o elemento da bomba (5) através do crescente excêntrico
da unidade injetora é movimentado para cima, é que começa o
curso inicial.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf47.00-w-3012mp / Funcionamento da alimentação de combustível em alta pressão Página 2 de 4
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Curso de transporte representado na
unidade injetora do 4º cilindro no Motor
541.9

1 Unidade injetora
2 Tubulação de alta pressão
3 Tubuladora para tubo de pressão
4 Combinação do suporte do injetor
5 Elemento de bomba
6 Canal de abastecimento
7 Válvula solenóide
8 Compartimento da alta pressão
9 Canal de retorno
10 Eletroimã
11 Placa do induzido
12 Agulha da válvula
13 Bico injetor

B Afluxo de combustível
C Alta pressão do combustível
D Retorno do combustível
W07.15-1237-75

O curso inicial está concluído, e o curso de transporte é iniciado A uma pressão de aproximadamente 330 bar, o bico injetor (13)
assim que o módulo de comando regulagem do motor (MR) abre e o combustível é injetado na câmara de combustão (início
comanda o eletroimã (10) na unidade injetora (1). O eletroimã (10) da injeção). Durante a injeção, a pressão de combustível pode se
puxa a placa do induzido (11) com a agulha da válvula (12) que, elevar até 1800 bar.
em seguida, fecha a união entre o compartimento de alta pressão Enquanto o elemento de bomba (5) se encontra no movimento
(8) e o canal de retorno (9). para cima e a válvula solenóide (7) está fechada, a unidade
Se a válvula solenóide (7) estiver fechada, o combustível que se injetora (1) se encontra no curso de transporte. O tempo de
encontra no compartimento de alta pressão (8) é comprimido permanência da válvula solenóide (7) determina a quantidade
(início do transporte) através do movimento para cima do transportada ou injetada.
elemento da bomba (5).
Com a continuidade do movimento para cima do elemento de
bomba (5), a pressão se eleva no compartimento de alta pressão
(8) e, com isso, também na tubulação de alta pressão (2), na
tubuladora para tubo de pressão (3) e também no bico injetor
(13).

Curso restante representado na unidade


injetora do 4º cilindro no Motor 541.9

1 Unidade injetora
2 Tubulação de alta pressão
3 Tubuladora para tubo de pressão
4 Combinação do suporte do injetor
5 Elemento de bomba
6 Canal de abastecimento
7 Válvula solenóide
8 Compartimento da alta pressão
9 Canal de retorno
10 Eletroimã
11 Placa do induzido
12 Agulha da válvula
13 Bico injetor

B Afluxo de combustível
C Alta pressão do combustível
D Retorno do combustível

W07.15-1238-75

Se o comando dos eletroimãs (10) é interrompido, a agulha da O restante do elemento de bomba (5) até o ponto do vértice do
válvula (12) da mola da válvula magnética é comprimida de excêntrico da unidade injetora do combustível transportado será
retorno a sua posição de partida no batente de parada. A válvula enviado através de uma câmara para comando e do canal de
solenóide (7), e com ela a união entre o compartimento de alta retorno (9) novamente para o circuito de baixa pressão do
pressão (8) e o canal de retorno (9), está aberta. Com isso a combustível.
pressão do combustível cai acentuadamente no compartimento de A câmara para comando é necessária como compartimento de
alta pressão (8) e no bico injetor (13). O bico injetor (13) fecha e o expansão para as pontas de pressão da unidade injetora (1) no
processo de injeção está concluído (término do transporte). curso restante. Com isso, evita-se uma influência no
comportamento da pressão das unidades injetoras vizinhas por
intermédio do canal de retorno (9).

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf47.00-w-3012mp / Funcionamento da alimentação de combustível em alta pressão Página 3 de 4
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Disposição/função/construção/ GF07.02-W-2110MP
funcionamento da unidade injetora PLD
Disposição/função/construção/ GF07.03-W-3151MP
funcionamento do bico injetor
Disposição/função do módulo de comando GF07.15-W-5000MP
regulagem do motor (MR)

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf47.00-w-3012mp / Funcionamento da alimentação de combustível em alta pressão Página 4 de 4
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.02-W-2110-03A Estrutura da unidade injetora PLD

1 O-Ring
2 Furo de vazamento
3 placa de cobertura
4 Batente de válvula
5 Rosca para porca de capa
6 Mola da válvula
7 Placa intermediária
8 Placa de ancoragem
9 Ímã da unidade injetora (eletroímã)
10 Base da mola da válvula
11 Prato da mola
12 Agulha da válvula
13 Câmara de alta pressão
14 Carcaça da bomba
15 Luva
16 Elemento de bomba
17 Mola de tucho de rolos
18 Prato de mola (tucho de rolos)
19 Tucho de rolos
20 Orifício de óleo
21 Rolete
22 Pino do tucho de rolos

W07.02-1005-73

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
GF47.00-W-3011MP Circuito de baixa pressão do combustível - função 21.5.07
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

W47.00-1012-79
Representado no motor 541.9 com
bomba de engrenagem

1 Reservatório de combustível 6 Filtro de combustível A6 Módulo de comando regulagem do


1.1 Peneira do filtro de combustível 6.1 Válvula de escoamento do filtro de motor (MR)
(800 m) combustível B10 Sensor de temperatura do
6.2 Sangria permanente no filtro de combustível
2 Bomba manual de combustível
combustível R3 Vela incandescente
2.1 Pré-filtro de combustível (300 m)
- Nos veículos sem Code (K81) 6.3 Elemento do filtro de combustível (1,5 - Somente em veículos com
m)
código (M89) sistema de partida por
Pré-filtro de combustível com 7 Bicos injetores nas combinações de
suporte de injetores chama (FLA)
separador de água aquecido
8 Estrangulado na peça anelar na Y5 Válvula magnética do sistema de
2.2 Pré-filtro de combustível (10 m) válvula de descarga
- Nos veículos com Code (K81) partida por chama
9 Válvula solenóide (2,0 bar) - Somente em veículos com
Pré-filtro de combustível com 9.1 Estrangulado na válvula de descarga
10.1 Conexão de encaixe da tubulação de código (M89) sistema de partida por
separador de água aquecido
alimentação de combustível chama (FLA)
3.1 Válvula de montagem no tubo de (no chassi)
Y6 Bomba unitária 1º cilindro
entrada de combustível
10.2 Conexão de encaixa do retorno de Y7 Bomba unitária 2º cilindro
(sempre aberta)
combustível Y8 Bomba unitária 3º cilindro
3.2 Válvula de montagem na tubulação de (no chassis) Y9 Bomba unitária 4º cilindro
retorno do combustível Y10 Bomba unitária 5º cilindro
11 Estrangulado na alimentação de
(sempre aberta) Y11 Bomba unitária 6º cilindro
combustível, lado da pressão, para o
4 Trocador de calor do combustível sistema de partida por chama (FLA)
5 Bomba de combustível - Somente em veículos com
5.1 Válvula de pressão efetiva
código (M89) sistema de partida por
(9,0 até 12,0 bar)
chama (FLA)
A Tubulação do circuito do combustível, F Tubulação do circuito do combustível, G Tubulação do circuito do combustível,
lado da aspiração, ou seja, lado de lado da aspiração, ou seja, lado de lado da pressão, para o sistema de
baixa pressão baixa pressão, para o pré-filtro de partida por chama (FLA)
b Tubulação do circuito do combustível, combustível com separador de água - Somente em veículos com
lado da pressão aquecido
código (M89) sistema de partida por
C Tubulação de alta pressão do Somente em veículos com

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
código (M89) sistema de partida por
C Tubulação de alta pressão do - Somente em veículos com
combustível chama (FLA)
código (K81), pré-filtro de combustível
D Tubulação de retorno do combustível
E Tubulação de combustível em curto com separador de água aquecido
circuito
O circuito de baixa pressão de combustível é alimentado com pela Nos dois pré filtros de combustível se encontra uma bomba
bomba de combustível (5), que é de engrenagens ou palhetas manual (2) que possibilita, p. ex., sangrar o circuito de baixa
rotativas. pressão após um reparo.
A bomba de combustível (5) se encontra na carcaça da
distribuição do motor (abaixo do compressor) é acionada pela O combustível purificado através do pré filtro de combustível
árvore de manivelas do compressor. Dando a partida no motor a (2.1 ou 2.2) chega em seguida ao trocador de calor (4) no módulo
bomba de combustível succiona (5) o combustível (1) que se
de comando da regulagem do motor (MR) (A6).
encontra no reservatório através da peneira (1.1) e o conduz,
nos veículos com Code (K81) Filtro de combustível com Através do trocador de calor (4) é refrigerado o módulo de
separador de água com aquecimento, através da tubulação comando de regulagem do motor (MR) (A6) onde, entre outros, se
de alimentação de combustível, lado de sucção ou vácuo (A) encontram os estágios finais das válvulas eletromagnéticas que
ao pré filtro de combustível (2.1), devem comutar correntes de até 18 A.
nos veículos com Code (K81) Filtro de combustível com Em seguida o combustível é levado através da tubulação de
separador de água com aquecimento, através da tubulação alimentação, lado da pressão (B), ao reservatório de pressão (6).
de alimentação de combustível, lado de sucção ou vácuo ao Lá são filtradas as últimas impurezas e também separada a água
pré filtro de combustível com separador de água aquecido (F) eventualmente arrastada junto.
ao pré filtro (2.2).
Uma válvula de sobre pressão (5.1) que se encontra na bomba de
No pré filtro de combustível (2.1 ou 2.2) são retidas impurezas combustível (5) limita a pressão no
brutas. Nos veículos com Code (K81) Pré filtro de combustível com no circuito de baixa pressão em 9,0 até 12,0 bar.
separador de água aquecido é separada adicionalmente a água
que eventualmente foi arrastada junto.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
Deste modo o combustível purificado e sob pressão chega as Como o volume de combustível a ser injetado depende da
bombas PLD dos cilindros 1 até 6 (Y6 até Y11), e nos veículos temperatura, o módulo de comando de regulagem do motor (MR)
com Code (M89) Sistema de partida a frio por chama (FLA), (A6) apura através do sensor de temperatura (B10) a temperatura
através da tubulação de alimentação de combustível até o sistema do combustível na tubulação de alimentação lado da pressão (B).
de partida por chama (FLA) (G), na válvula eletromagnética
magnética do sistema de partida por chama (Y5).

Através das bombas PLD o combustível é, de acordo com a


posição da válvula eletromagnética, levado ou através das
tubulações de pressão (C) aos bicos injetores nas combinações de
suporte de injetores (7) ou através da tubulação de retorno de
combustível (D) de volta ao reservatório de combustível (1)

Unidade injetora PLD - disposição/tarefa/ GF07.02-W-2110MP


estrutura/função
Sensor de temperatura do combustível - GF07.04-W-4101MP
disposição/tarefa
Bico injetor - disposição/tarefa/estrutura/ GF07.03-W-3151MP
função
Módulo de comando de regulagem do motor GF07.15-W-5000MP
(MR) - disposição/tarefa
Válvula magnética do sistema de partida por Somente em veículos com código (M89) GF15.45-W-3001MP
chama - disposição/tarefa/função sistema de partida por chama (FLA)
Velas incandescentes - disposição/tarefa Somente em veículos com código (M89) GF15.45-W-3002MP
sistema de partida por chama (FLA)
Bomba de combustível - disposição/tarefa/ GF47.20-W-4003MP
estrutura/função
Filtro de combustível - disposição/tarefa/ GF47.20-W-4004MP
estrutura/função
Disposição/Tarefa/Estrutura/Função da Veículos sem código (K81) pré-filtro de GF47.20-W-4111MP
bomba de combustível com pré-filtro de combustível com separador de água
combustível aquecido
Pré-filtro de combustível com separador de Veículos com código (K81) pré-filtro de GF47.20-W-4112MP
água aquecido - disposição/tarefa combustível com separador de água
aquecido

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
GF07.02-W-2110-04A Função da unidade injetora PLD

W07.02-1006-79
Representado na unidade injetora do
4. cilindro no motor 541.9

4 Combinação do suporte do injetor 11 Placa de ancoragem


I Curso de aspiração
5 Elemento de bomba 12 Agulha da válvula
II Curso inicial
6 Canal de alimentação 13 Bico injetor
III Curso de alimentação
7 Válvula magnética
IV Curso restante
8 Câmara de alta pressão B Alimentação de combustível
9 Canal de retorno C Alta pressão do combustível
1 Unidade injetora
10 Eletroímã D Retorno do combustível
2 Tubulação de alta pressão
3 Conexão do tubo de pressão
Cada unidade injetora (1) é impulsionada por meio de um tucho de Juntos, estes cursos de trabalho formam um ciclo de trabalho que
rolos da árvore comando de válvulas e está conectada por meio se repete com cada giro adicional da árvore comando de válvulas
de uma linha de alta pressão (2), assim como a tubuladora para na unidade injetora correspondente (1), até que o motor seja
tubo de pressão (3) com o bico injetor na combinação do suporte desligado.
do bico (4). No momento em que o motor é desligado, o módulo de comando
Em cada unidade injetora (1), encontra-se uma válvula solenóide da regulagem do motor (MR) interrompe o acionamento das
(7) de rápida comutação, por meio da qual é regulado o início da válvulas magnéticas. As unidades injetoras (1) alimentam o
alimentação e a quantidade de alimentação. O acionamento das combustível quase sem pressão, no retorno do combustível do
válvulas magnéticas ocorre pelo módulo de comando da circuito de baixa pressão do retorno do combustível, e o motor
regulagem do motor (MR), que calcula o início da alimentação e a desliga.
quantidade da alimentação correspondente ao estado de
funcionamento do motor, tão logo o motor é ligado ou quando o Os processos descritos a seguir, dentro dos cursos de trabalho
motor está funcionando. individuais de um ciclo de trabalho (representado na unidade
injetora do 4. cilindro no motor 541.9), são extensíveis a todas as
Dependendo da posição da árvore comando de válvulas, ocorrem outras unidades injetoras.
os seguintes cursos de trabalho em cada unidade injetora (1):
Curso de aspiração (I)
Curso inicial (II)
Curso de alimentação (III)
Curso restante (IV)
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Curso de aspiração (I) Curso de alimentação (III)


O curso de aspiração (I) inicia-se depois que o ápice do came é O curso inicial (II) está finalizado e inicia-se o curso de
ultrapassado e o elemento da bomba (5) movimenta-se para baixo, alimentação (III), no momento em que o módulo de comando da
sob pressão da mola de retração. regulagem do motor (MR) aciona o eletroímã (10) na unidade
Devido à constante sobrepressão de aprox. 4 a 6 bar no circuito injetora (1). O eletroímã (10) atrai a placa do induzido (11) com a
de baixa pressão do retorno do combustível, a câmara de alta agulha da válvula (12), a qual fecha seguidamente a união entre a
pressão (8) é enchida com combustível pelo canal de alimentação câmara de alta pressão (8) e o canal de retorno (9).
(6) e pela válvula solenóide (7) aberta. Portanto, na câmara de alta Se a válvula solenóide (7) está fechada, o combustível na câmara
pressão (8) cheia com combustível, existe a mesma pressão como de alta pressão (8) será comprimido pelo movimento ascendente

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
no circuito de baixa pressão do retorno do combustível. do elemento de bomba (5) (início da alimentação).
Com o movimento ascendente dos elementos de bomba (5),
Curso inicial (II) continuará aumentando a pressão na câmara de alta pressão (8) e
Após o curso de aspiração (I), o elemento de bomba (5) assim também na linha de alta pressão (2), na tubuladora para
permanece parado inicialmente na posição final inferior e o tucho tubo de pressão (3) e no bico injetor (13).
de rolos da unidade injetora (1) rola para o círculo básico do came O bico injetor (13) abre a uma pressão de aprox. 330 bar e o
da unidade injetora. O curso inicial (II) começará somente quando a combustível é injetado na câmara de combustão (começo da
árvore comando de válvulas continuar girando e o elemento de injeção). Durante a injeção, a pressão do combustível pode
bomba (5) for movimentado para cima, pelo came ascendente da aumentar até 1800 bar.
unidade injetora. Enquanto o elemento de bomba (5) se encontrar em movimento
O combustível na câmara de alta pressão (8) é pressionado ascendente e a válvula solenóide (7) estiver fechada, a unidade
inicialmente para dentro de uma câmara para comando e, depois, injetora (1) estará no curso de alimentação. O tempo de parada da
para o canal de retorno (9) pela movimentação ascendente do válvula solenóide (7) determina a quantidade de alimentação ou da
elemento de bomba (5) e a ainda aberta (desenergizada) válvula injeção.
solenóide (7).
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Curso restante (IV)


Caso o acionamento dos eletroímãs (10) seja interrompido, então a O combustível restante, alimentado desde o elemento de bomba
agulha de válvula (12) é empurrada sobre o batente de parada, (5) até o ápice do came da unidade injetora, é alimentado pela
pela mola da válvula solenóide, de volta à sua posição original. A camâra para comando e o canal de retorno (9) novamente para
válvula solenóide (7) e, conseqüentemente, a união entre a dentro do circuito de baixa pressão do retorno do combustível.
câmara de alta pressão (8) e o canal de retorno (9), estão abertas. A câmara para comando é necessária como câmara de expansão
Assim, a pressão do combustível na câmara de alta pressão (8) e para os picos de pressão nas unidades injetoras (1) no curso
no bico de injeção (13) cairá significativamente. O bico injetor (13) restante. É evitada uma influência sobre o comportamento de
fecha, e o processo de injeção está terminado (fim da pressão das unidades de retorno próximas, por meio do canal de
alimentação). retorno (9).

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
GF07.03-W-3152-01MP Função do bico injetor

W07.03-1031-79
1 Suporte do bico 8 Agulha do injetor 15 Cavidade
2 Disco de compensação 9 Bico injetor 16 Orifício para injeção
3 Orifício de entrada 10 Porca de tensionamento do bico 17 Superfície de batente de curso
4 Pino de pressão 11 Conexão do tubo de pressão 18 Assento da agulha do bico injetor
5 Arruela intermediária 12 Filtro de vareta
6 Mola 13 Apoio de pressão A Posição de repouso
7 Pinos de centralização 14 Câmara de pressão b Posição durante o processo de
injeção
A mola de pressão (6) no suporte do bico (1) exerce pressão por A pressão do combustível age sobre a agulha do injetor (8), a qual
meio do pino de pressão (4) sobre a agulha do injetor (8). A é levantada do seu assento no momento em que a pressão de
tensão preliminar da mola de pressão (6) que, entre outros, combustível gerada pela unidade injetora excede a pressão de
depende da espessura da arruela de compensação (2), determina a abertura, por meio do apoio de pressão (13).
pressão de abertura do bico injetor (9). Uma vez que a agulha do injetor (8) levanta do seu assento, o
combustível flui pelo assento da agulha do injetor (18) para dentro
O combustível, que é alimentado pela unidade injetora da cavidade (15), sendo injetado uniformemente através de vários
correspondente no momento em que a regulagem do motor (MR) orifícios de injeção (16), distribuídos pela ponta do injetor para
aciona a válvula magnética, entra nos orifícios de alimentação (3) dentro da câmara de combustão.
do suporte do bico (1) pelas linhas de injeção e suas tubuladoras A altura do curso da agulha do injetor (8) é limitada pela superfície
para tubo de pressão (11). Desde o orifício de alimentação (3) no de batente de curso (17), localizada na agulha do injetor (8) e que
suporte do bico (1), o combustível chega à arruela intermediária
(5), a qual veda o suporte do bico (1) contra o bico de injeção (9), encosta na arruela intermediária (5).
servindo simultaneamente como batente de curso da agulha do
injetor (8). O processo de injeção estará concluído quando a pressão de
O combustível chega pela arruela intermediária (5) ao orifício de combustível, gerada pela unidade injetora, tiver diminuído de forma
alimentação do bico injetor (9) e, portanto, à câmara de pressão que a mola de pressão (6) possa empurrar a agulha do injetor (8)
(14) e ao assento da agulha do bico injetor (18). de volta ao seu assento.
O orifício de alimentação (3) é vedado contra a câmara de
combustão pelo assento da agulha do bico injetor (18).

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
Processo de injeção, representado num bico injetor de 8 orifícios (bico injetor tipo
cavidade)

W07.03-1032-73

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 2
GF30.35-W-3002MP Cálculo do funcionamento do momento nominal do motor 4.10.02
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

A3 Módulo de comando de regulagem do veículo (FR)


A6 Módulo de comando regulagem do motor (MR)
A95 Módulo de comando SCR do chassi
- Somente em veículos com Código (MS4) BlueTec
4 ou Código (MS5) BlueTec 5.
A11 Módulo de comando, comando do freio (BS)
B1 Sensor do pedal do acelerador
B17 Sensor de velocidade
CAN 1 CAN veículo
CAN 4 CAN motor
CAN 12 SCR-CAN
P3 Tacógrafo modular (MTCO)
Z3 CAN-ponto estrela adicional

W30.35-1129-81

a Posição do pedal do acelerador d Momento do motor máximo f Temperatura dos gases de escape
b Velocidade do veículo possível antes do catalisador Somente em
c Condição do sistema anti-bloqueio e E momento nominal calculado do veículos com Código (MS4)
(ABS), respectivamente da motor e eventualmente limitado BlueTec 4 ou Código (MS5)
regulagem do deslizamento do BlueTec 5.
acionamento (ASR)

Generalidades condições marginais adicionais como, por exemplo, a velocidade


O momento nominal do motor é um valor puramente determinado máxima prevista por lei ou uma intervenção do sistema anti-
por cálculo em que predomina o desejo de funcionamento do bloqueio (ABS), respectivamente a regulagem do deslizamento no
motorista. acionamento (ASR).
Esse valor depende em primeira linha da posição do pedal do Isso quer dizer que, conforme a velocidade do veículo (b) ou
acelerador, sendo requisitado pela regulagem do motor (MR) condição do sistema anti-bloqueio (ABS) ou a regulagem de
principalmente para a regulagem da carga em serviço. deslizamento do acionamento (ASR) (c), a regulagem do veículo
Contudo, devido a motivos de proteção do motor, o momento (FR) pode limitar o momento nominal do motor.
nominal do motor pode ser limitado na regulagem do veículo (FR), Além disso, o momento nominal do motor será escolhido sempre
por exemplo, para manter a velocidade máxima prescrita por lei ou no contexto do momento máximo possível do motor (d), o que por
em uma intervenção de regulagem do sistema anti-bloqueio (ABS) outro lado determina a regulagem do motor (MR) enviada através
ou seja a regulagem de deslizamento no acionamento (ASR) e a do CAN (CAN 4) do motor para a regulagem do veículo (FR).
regulagem do motor (MR). O momento máximo possível do motor (d) é determinado
primariamente através do registro na eletrônica MR, e com isso
Funcionamento depende do modelo do motor. Além disso, ele pode ser limitado de
Primeiramente, a regulagem do veículo (FR) determina a posição acordo com as condições de serviço do motor (temperatura do
do pedal do acelerador (a). Isso ocorre através de um sensor motor, número de rotações etc.).
eletrônico do acelerador (B1), que registra a posição do pedal do
acelerador e transforma em sinais PWM (Pulso - amplitude - Esse calculado e eventualmente limitado momento nominal do
modulados). Esses sinais PWM são transmitidos ao módulo de motor (e) é enviado finalmente através do CAN (CAN 4) do motor
comando regulagem do veículo (FR) (A3) de onde é derivado o para a regulagem do motor (MR).
momento nominal do motor.
Juntamente com a posição do pedal do acelerador (a), eles
obedecem a regulagem do veículo (FR)
----------------------------------------------------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

Na regulagem do motor (MR), o momento nominal do motor pode O momento nominal do motor (e) calculado pela regulagem do
ser adicionalmente limitado, caso necessário (por exemplo, para a veículo (FR) e eventualmente limitado nem sempre é positivo:
proteção do motor ou em veículos com Código (MS4) BlueTec 4 Se o pedal do acelerador se encontrar na posição de ponto morto,
ou Código (MS5) BlueTec 5, para proteger o catalisador), e levar o momento nominal do motor é igual a "0", na operação de freio
em consideração a massa efetiva do combustível, que é derivada motor ele pode até ser negativo.
da temperatura do combustível, corrigida, antes que daí seja
finalmente calculado o início da alimentação ou início da injeção e o
final da alimentação das unidades injetoras.

Determinação da rotação do motor e do GF07.15-W-4005MP


funcionamento do ângulo da árvore de
manivelas

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf30.35-w-3002mp / Cálculo do funcionamento do momento nominal do motor Página 1 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
Determinação do funcionamento da GF07.15-W-4006MP
temperatura do motor
Determinação do funcionamento da GF07.15-W-4008MP
temperatura do combustível
Determinação da posição do pedal do GF30.35-W-4002MP
acelerador
Determinação do funcionamento da GF30.35-W-4001MP
velocidade do veículo

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf30.35-w-3002mp / Cálculo do funcionamento do momento nominal do motor Página 2 de 2
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF01.50-W-4105MP Disposição/Tarefa/Função da válvula solenóide Top Brake pneumática 11.7.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

Y1 Válvula solenóide do Top Brake


pneumático
Y2 Válvula solenóide da Borboleta do
freio motor
Y15 Válvula solenóide do bloqueio
transversal no eixo traseiro
Y43 Válvula eletromagnética bloqueio
longitudinal

W01.50-1035-06

Válvula solenóide do Top Brake pneumático A válvula solenóide do Top Brake


disposição pneumático (Y1) está instalada no lado do
motorista, na parte traseira da entrada na
área da engrenagem de direção, no quadro.
Tarefa da válvula solenóide do Top Brake A válvula solenóide do Top Brake
pneumático pneumático (Y1) comanda os Top Brake
pneumáticos nos cabeçotes.
Função da válvula solenóide do Top Brake No acionamento pelo módulo de comando
pneumático da regulagem do veículo (FR), a válvula
solenóide abre e controla ar comprimido às
válvulas do Top Brake nos cabeçotes.

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
GF01.50-W-4105MP Disposição/Tarefa/Função da válvula solenóide Top Brake pneumática 11.7.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

Y1 Válvula solenóide do Top Brake


pneumático
Y2 Válvula solenóide da Borboleta do
freio motor
Y15 Válvula solenóide do bloqueio
transversal no eixo traseiro
Y43 Válvula eletromagnética bloqueio
longitudinal

W01.50-1035-06

Válvula solenóide do Top Brake pneumático A válvula solenóide do Top Brake


disposição pneumático (Y1) está instalada no lado do
motorista, na parte traseira da entrada na
área da engrenagem de direção, no quadro.
Tarefa da válvula solenóide do Top Brake A válvula solenóide do Top Brake
pneumático pneumático (Y1) comanda os Top Brake
pneumáticos nos cabeçotes.
Função da válvula solenóide do Top Brake No acionamento pelo módulo de comando
pneumático da regulagem do veículo (FR), a válvula
solenóide abre e controla ar comprimido às
válvulas do Top Brake nos cabeçotes.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf01.50-w-4105mp / Disposição/Tarefa/Função da válvula solenóide Top Brake pneumática Página 1 de 1
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.04-W-4101MP Disposição/Função do sensor de temperatura do combustível 16.10.03
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934
MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934

Representado no motor 542.9

B10 Sensor de temperatura do combustível


Y6 Unidade injetora 1º cilindro
Y7 Unidade injetora 2º cilindro

W07.04-1035-11

Disposição do sensor de temperatura do O sensor de temperatura do combustível


combustível (B10) está localizado na parte inferior da
carcaça do ar de sobrealimentação, na parte
dianteira direita, no sentido da marcha, entre
a unidade injetora do cilindro 1 (Y6) e a
unidade injetora do cilindro 2 (Y7).
Função do sensor de temperatura do A regulagem do motor (MR) determina a
combustível temperatura do combustível, através do
sensor de temperatura do combustível (B10),
derivando deste valor a massa do
combustível.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.04-w-4101mp / Disposição/Função do sensor de temperatura do combustível Página 1 de 1
MOTOR 541.9 no TIPO 930, 932, 933, 934 MOTOR 542.9 no TIPO 930, 932, 934
GF07.04-W-5051MP Disposição/Função do sensor de temperatura do óleo do motor 19.9.02
TIPO 930, 932, 933, 934 com motor 541.9
TIPO 930, 932, 934 com MOTOR 542.9

B11 Sensor de temperatura do óleo do


motor

W07.04-1034-06

Disposição do sensor de temperatura do O sensor de temperatura do óleo do motor


óleo do motor (B11) está disposto na parte frontal do
motor ao lado da carcaça do filtro de óleo.
Tarefa do sensor de temperatura do óleo do O sensor de temperatura do óleo do motor
motor (B11) registra a temperatura do óleo do
motor, fornecendo um sinal de tensão
analogamente correspondente, o qual é
proporcional ao sensor de temperatura, cuja
resistência diminui com o aumento da
temperatura.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.04-w-5051mp / Disposição/Função do sensor de temperatura do óleo do motor Página 1 de 1
TIPO 930, 932, 933, 934 com motor 541.9 TIPO 930, 932, 934 com MOTOR 542.9
GF07.04-W-5052MP Disposição/Tarefa do sensor de temperatura do agente refrigerante 19.9.02
TIPO 930, 932, 933, 934 com motor 541.9
TIPO 930, 932, 934 com MOTOR 542.9

B65 Sensor de temperatura do liquido de


arrefecimento

W07.04-1032-06

Disposição do sensor de temperatura do O Sensor de temperatura do agente


agente refrigerante refrigerante (B65) está disposto na área
frontal do motor, por cima da bomba do
agente refrigerante.
Tarefa do sensor de temperatura do agente O sensor de temperatura do agente
refrigerante refrigerante (B65) registra a temperatura do
agente refrigerante, fornecendo um sinal de
tensão analogamente correspondente, o qual
é proporcional ao sensor de temperatura,
cuja resistência diminui com o aumento da
temperatura.

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / gf07.04-w-5052mp / Disposição/Tarefa do sensor de temperatura do agente refrigerante Página 1 de 1
TIPO 930, 932, 933, 934 com motor 541.9 TIPO 930, 932, 934 com MOTOR 542.9
BE18.00-N-1000-01D Pressão do óleo Motor 541, 542

Valores de medição da pressão do óleo

Número Denominação Motor 541.9,


542.9

BE18.00-N-1001-01D pressão do óleo em Rotação de bar 0 ,5


marcha lenta

Rotação máxima bar 2,5

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
BE47.00-N-1000-01A Valores de teste do circuito de baixa pressão Motor 541, 542
do combustível

Valores de teste da pressão do combustível

Número Denominação Motor Motor


541.9, 542.9 541.9, 542.9

até número a partir do nº


final do motor final de motor

092407 092408
(válvula (válvula
solenóide solenóide

2,0 bar) 2,65 bar)

BE47.00-N-1001-01A Pressão do combustível após o filtro Rotação de marcha bar 1,8...2,8 2,2...3,2
de combustível lenta

Rotação de bar 4,5...5,5 4,5...5,5


regulagem

BE47.00-N-1002-01A Volume de retorno de combustível Rotação de marcha l/min 0,6...1,0 0,6...1,0


no reservatório de combustível lenta

Rotação de l/min 1,0...1,6 1,0...1,6


regulagem

BE47.00-N-1003-01A Queda de pressão no circuito de Pressão de teste bar 0 0


baixa pressão do combustível 5,5 bar/
tempo de teste

5 minutos

BE47.00-N-1004-01A Pressão de sucção de combustível Rotação de bar - 0,35...-0,25 - 0,35...-0,25


antes da bomba de combustível regulagem

Copyright Daimler AG 05-08-2008 G/05/08. Esta impressão WIS não pode ser registrado pelo Serviço de Alterações. Página 1
!"#$%&'(&'(&)*#$+,&- .$/01234546//64778
9:,*;&'(&'(&)*#$+,&- <=>*$#?'$;@,%A)&'%$B*;?B$#'(&'#&,&%'CDEF

GH%$IA?,*%?- J($+,A8A)?KL&- M&=AKL&-

C203F P%?+Q=R?8,'?+B;$'?+('9SP'%$)&B+A,A&+ N6'O


C2T3F M&5$%'&*,.*,'=,?B$='8&%'.%&.&%,A&+A+B'I?;I$= U/'O
C2TNF M&5$%'&*,.*,'=,?B$='8&%'*+A,'.*#.= NN'O
C6/7F <+BA+$'=,?%,V'$+BA+$'=,&. 6T'O
C6N0F 9$#.$%?,*%$'=$+=&%'=AB+?;'?)>*A=A,A&+'?+('$I?;*?,A&+ 30'O
C60UF W&;,?B$'=*..;X 2/'O
C60UF W&;,?B$'=*..;X 22'Y
C60UF W&;,?B$'=*..;X 20'Y
C60UF W&;,?B$'=*..;X 6Z'Y
C6T3F P&+,%&;';&BA) Z'O
C6T3F P&+,%&;';&BA) 2T'O
C6T3F P&+,%&;';&BA) U/'O
C6T3F P&+,%&;';&BA) ZU'O
C6T3F P&+,%&;';&BA) 3T'O
C6T3F P&+,%&;';&BA) 02'O
CU/7F WN'$+BA+$ NN'Y
CU2/F WT'$+BA+$ NN'[
CU26F P?H;$=',5A=,$( 2'\
CZU/F ]?+'=.$$('($,$),A&+ Z0'O
CN6F SA?B+&=,A)= 66'O
CNUF SA?B+&=,A)';A+$^'$;$),%&=,?,A)'&A;'=$.?%?,&% U7'O
C0N7F _*.$%)R?%B$%'=.$$( 3U'O
C07NF 5A,R'B$?%=RA8,^'RX(%?*;A) 2'`
C070F 5A,R',%?+=#A==A&+')&+,%&;'C[_F 2'`
GU S%AI$')&+,%&;'*+A,'C]EF U'Y
GZ ];?#$'=X=,$#')&+,%&;'*+A,'C]YGF N'Y
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF T'G
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF 27'G
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF UZ'G
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF Z0'G
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF 37'G
GN <+BA+$')&+,%&;'*+A,'CDEF 06'G
GNZ ]%&+,'#&(*;$'C]DF 2/'Y
GN3 E$?%'#&(*;$'C\DF 7'Y
G0 O?=$'#&(*;$'C[DF 2Z'Y
O2/ ]*$;',$#.$%?,*%$'=$+=&% N2'Y
O2/Z 9*%HA+$'=.$$('=$+=&% 3U'Y
O22 <+BA+$'&A;',$#.$%?,*%$'=$+=&% 3T'Y
O222 PR?%B$'?A%',$#.$%?,*%$'?+('H&&=,'.%$==*%$')&#HA+?,A&+'=$+=&% 3/'Y
!"#$%&'(&'(&)*#$+,&- .$/01234546//64778
9:,*;&'(&'(&)*#$+,&- <=>*$#?'$;@,%A)&'%$B*;?B$#'(&'#&,&%'CDEF

GH%$IA?,*%?- J($+,A8A)?KL&- M&=AKL&-

O26 aA;'.%$==*%$'=$+=&% ZU'Y


O2Z aA;';$I$;'=$+=&% Z/'Y
O23 P%?+Q=R?8,'.&=A,A&+'=$+=&% NU'Y
O2N P?#=R?8,'.&=A,A&+'=$+=&% N3'Y
ON3 P&&;?+,',$#.$%?,*%$'=$+=&% 30'Y
O76 <;$),%&=,?,A)'&A;'=$.?%?,&% UT'Y
PG!'Z <+BA+$4PG! 6'b
]624G0 <+BA+$')&+,%&;'CDEFV'B$+$%?,&%'8*=$^',$%#A+?;'23 2Z'`
]32 ]%&+,'#&(*;$'8*=$^',$%#A+?;'U/ 22'[
]36 E$?%'#&(*;$'8*=$^',$%#A+?;'U/ 26'[
[6 [$+$%?,&% 2T'b
`U4G0 9$%#A+?;'23'%$;?X 23'Y
D2 _,?%,$% 6Z'\
_2/ <+BA+$'=,?%,'H*,,&+ 60'Y
_22 <+BA+$'=,&.'H*,,&+ 67'Y
_2NN aA;'.%$==*%$'=5A,)R Z3'Y
c26T M&5$%'(A=,%AH*,$%^',$%#A+?;'U/ 22'\
c2U SA?B+&=,A)'=&)Q$, 66'Y
c616 P?H4)R?==A='.;*B')&++$),A&+ 2']
c616 P?H4)R?==A='.;*B')&++$),A&+ 66']
d2/ e+A,'.*#.')X;A+($%'3 0U'\
d2/ e+A,'.*#.')X;A+($%'3 03'Y
d22 e+A,'.*#.')X;A+($%'N 0N'Y
d22 e+A,'.*#.')X;A+($%'N 0T'\
d26 e+A,'.*#.')X;A+($%'0 NT'\
d2U e+A,'.*#.')X;A+($%'T 0/'\
dZ7 P&+=,?+,',R%&,,;$'=&;$+&A('I?;I$ U/'Y
dN e+A,'.*#.')X;A+($%'2 N0'Y
dN e+A,'.*#.')X;A+($%'2 N0'\
d0 e+A,'.*#.')X;A+($%'6 NT'Y
d0 e+A,'.*#.')X;A+($%'6 03'\
d0/ ]?+'=,?B$'2'=&;$+&A('I?;I$ U3'Y
d02 ]?+'=,?B$'6'=&;$+&A('I?;I$ UN'Y
dT e+A,'.*#.')X;A+($%'U 0/'Y
dT e+A,'.*#.')X;A+($%'U 02'\
dT0 <;$),%A)4.+$*#?,A)')&+I$%,$%'C<MfF U6'Y
d7 e+A,'.*#.')X;A+($%'Z 0U'Y
d7 e+A,'.*#.')X;A+($%'Z 0N'\
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19

A6 A6
A

(285) (285)

B (273)
HIGH GND GND LOW 30 30 15

C
X1 X1 X1 X1 X1 X1 X1
16/1 16/4 16/3 16/2 16/5 16/6 16/15 16/9

D
1 1 1 1 2.5 2.5
bl br br ge rt rt
rt gr
E

18/3 18/4 18/2 18/1


X2.2 70 16 1
F sw rt sw
bl
li
1 1 1 1
G bl br br ge
rt gr F51 F52
80A 60A 2 W
L
1
(312) 4 G 3
H 1 1 3~
X128 1 BS U 15
bl ge
sw B1+ G2
CAN 4 10 16 70/95 gn
rt rt sw
J 1 1 25 25 1
X4 X4 X4 X1 X1 X7 X7 X23 X23 bl rt rt br ws
18/3 18/2 18/1 18/1 18/3 2/1 2/1 30 12/9 12/12 bl
HIGH GND LOW HIGH LOW 15
K (796) PE30.35-W-2001F PE15.45-W-2000D F21
(797) PE30.35-W-2001G 10A
FLA PE54.10-W-2000D K3 PE54.10-W-2000D
FR
A3 A4 A65 A64 (273) A7 (273)
L

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19
g'P&;?%'?'.hBA+?'6'?>*A'g

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-99f / Esquema elétrico regulagem do motor (MR) Página 1 de 5
MOTOR 541 no Tipo 930, 932, 933, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3 MOTOR 542 no Tipo 930, 932, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3'
19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37

A6 A6

(285)

31 31 (62) 50 50 (209) (185) PROP1 PROP2 PROP3 PROP4

X1 X1 X1 X1 X1 X1 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2
16/9 16/11 16/13 16/8 16/12 16/14 55/18 55/25 55/30 55/35 55/40 55/42 55/51 55/50 55/52 55/41 55/12 55/43 55/11

1 1 1
li sw sw
ge bl gr
ws

18/6 18/5
X2.2

0.75 0.75 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 1 0.5 1 0.5 1
li sw rt bl rt gr gr ws br br rt br sw br
ge bl sw ws ws vi vi sw rt rt ws rt
ws 50
1 M 30
3
15 M1
31

1 70 1
ws sw rt
bl 1 2 3
1 2 3 2 1 4 1 2 3 4
9
E2 E1 GDN 24V
2.5 2.5
br br PE54.22-W-2000B PE54.10-W-2000D

X13 (273) S10 S11 Y49 Y87 Y70 Y71

19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37

E$)&%,?%'?>*A
g'P&;?%'?'.hBA+?'U'?>*A'g

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-99f / Esquema elétrico regulagem do motor (MR) Página 2 de 5
MOTOR 541 no Tipo 930, 932, 933, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3 MOTOR 542 no Tipo 930, 932, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3'
37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55

A6

(285)

PROP5 (63) GND GND +5V GND +5V +5V (430) +5V GND + (769)
-

X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2
55/11 55/27 55/0 55/33 55/49 55/10 55/6 55/32 55/10 55/6 55/32 55/14 55/17 55/7 55/29 55/23 55/24 55/5

1 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5
br br sw sw ws ge gr br gn gr br gn gn vi bl br gn gn
rt bl rt ge gr bl ge gr bl sw vi ws

1 2
4 1 2 3 1 2 2 3 1 3 2 1 2 1 4 3
R2
GND 24V S U U t
p
p p
R1
B92 B14 B12 S166 B111 B104

37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55

E$)&%,?%'?>*A
g'P&;?%'?'.hBA+?'Z'?>*A'g

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-99f / Esquema elétrico regulagem do motor (MR) Página 3 de 5
MOTOR 541 no Tipo 930, 932, 933, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3 MOTOR 542 no Tipo 930, 932, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3'
55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74

A6 A6

(285) (285)

(267) (175) - + - + (186)

X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2 X2
55/34 55/3 55/39 55/15 55/48 55/21 55/36 55/4 55/2 55/19 55/1 55/20 55/54 55/53 55/16 55/47 55/46 55/45

1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5


gr rt gr rt rt ws rt gr gr
sw gn ws gn gn rt gn gn ge

K10 K11 K22 K23 K24 K25 K15 K14 K19


0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5 0.5
rt ws gr br br br sw br sw br (310)
ge ge br ws gn bl vi vi ge ge
Y6 Y12 Y13 Y8 Y10

1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5


gr rt gr rt rt ws gr
sw gn ws gn gn rt ge
1 2 1 2 1 2 1 2 2 1 K10 K11 K13 K12 K15 K14 K16

t t t
(309)
Y6 Y7 Y8 Y9
B65 B11 B10 B15 B16

55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74

E$)&%,?%'?>*A
g'P&;?%'?'.hBA+?'3'?>*A'g

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-99f / Esquema elétrico regulagem do motor (MR) Página 4 de 5
MOTOR 541 no Tipo 930, 932, 933, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3 MOTOR 542 no Tipo 930, 932, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3'
74 75 76 77 78 79 80

C
X2 X2 X2 X2 X2
55/45 55/44 55/9 55/38 55/37

1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5


gr rt gr rt rt ws rt gr
ge bl bl bl bl bl bl vi F

K19 K18 K13 K12 K17 K16 K21 K20

Y10 Y7 Y9 Y11
H

1.5 1.5 1.5 1.5 1.5 1.5


gr rt gr rt rt ws J
ge bl bl bl bl bl 1
sw
K16 K17 K19 K18 K20 K21 bl
ws
K

Y9 Y10 Y11 A0
L
PE07.15-W-2002-99F
74 75 76 77 78 79 80

E$)&%,?%'?>*A
© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-99f / Esquema elétrico regulagem do motor (MR) Página 5 de 5
MOTOR 541 no Tipo 930, 932, 933, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3 MOTOR 542 no Tipo 930, 932, 934 com Code (MS3) execução do motor Euro 3'
PE07.15-W-2002-60F Legenda do esquema elétrico da regulagem com Code (MS3) execução do motor
do motor (MR) Euro 3

Abreviação Denominação Coordenada


A3 Módulo de comando de regulação de marcha (FR) 3L
A4 Módulo de comando do sistema da incandescência (FLA) 6L
A6 Módulo de comando regulação do motor (MR) 9A
19A
34A
47A
60A
72A
A7 Módulo básico (GM) 15L
A64 Módulo frontal (FM) 10L
A65 Módulo traseiro (HM) 9L
B10 Sensor de temperatura do combustível 61L
B11 Sensor de temperatura do óleo do motor 58L
B12 Sensor de pressão de óleo 43L
B14 Sensor de nível de óleo 41L
B15 Sensor de posição da árvore de manivelas 63L
B16 Sensor de posição da árvore de comando das válvulas 65L
B65 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento 57L
B92 Separador eletrônico de óleo 38L
B104 Sensor de rotação das turbinas 53L
B111 Sensor combinado de temperatura do ar de sobrealimentação e pressão de sobrealimentação 50L
F21-A7 Fusível regulagem do motor / alternador, terminal 15 14K
F51 Fusível módulo frontal, terminal 30 11G
F52 Fusível módulo traseiro, terminal 30 12G
G2 Alternador 18H
K3-A7 Relês, terminal 15 15K
M1 Motor de partida 24H
S10 Tecla partida do motor 27L
S11 Tecla parada do motor 29L
S166 Interruptor de pressão do óleo 45L
X2.2 Conexão de encaixe cabina-trem de rodagem 1F
22F
X13 Tomada para diagnose 22L
X128 Distribuidor de energia, terminal 30 11H
Y6 Bomba unitária 1º cilindro 67H
67L
Y7 Bomba unitária 2º cilindro 68L
75H
Y8 Bomba unitária 3º cilindro 70L
71H
Y9 Bomba unitária 4º cilindro 73L
76H
Y10 Bomba unitária 5º cilindro 73H
75L
Y11 Bomba unitária 6º cilindro 76L
78H
Y12 Unidade injetora cilindro 7 68H
Y13 Unidade injetora cilindro 8 70H
Y49 Válvula magnética estrangulador constante (top brake) 30L
Y70 Válvula solenóide do ventilador estágio 1 35L
Y71 Válvula solenóide do ventilador estágio 2 36L
Y87 Conversor eletro pneumático (EPW) 32L
CAN 4 CAN motor 2J
(62) Diagnose 22B
(63) Cabo de diagnose do separador eletrônico de óleo 39B
(175) Reconhecimento do ângulo da árvore de manivelas e marcação OT 63B
(185) Escalas de potências finais válvulas proporcionais 30B
(186) Escalas finais de potências unidades injetoras 67B
(209) Partida do motor/Parada do motor 28B
(267) Registro do sinal e avaliação do emissor de temperatura 57B
(273) Alimentação de tensão 10B
11L
18L
24L

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-60f / Legenda do esquema elétrico da regulagem do motor (MR) Página 1 de 2
MOTOR 541 im TYP 930, 932, 933, 934 mit CODE (MS3) Motorausführung Euro 3 MOTOR 542 im TYP 930, 932, 934 mit CODE (MS3) Motorausführung Euro 3'
(285) Lógica de comando 4B
18B
30B
43B
58B
71B
(309) V6 motor 66K
(310) V8 motor 66G
(312) Cabos trançados 1H
(430) Captador de rotação do ventilador 48B
(769) Rotação do alternador 53B
(796) no comando hidráulico da transmissão 1K
(797) com GS 1K

© Daimler AG, 31-03-2010, G/02/10 / pe07.15-w-2002-60f / Legenda do esquema elétrico da regulagem do motor (MR) Página 2 de 2
MOTOR 541 im TYP 930, 932, 933, 934 mit CODE (MS3) Motorausführung Euro 3 MOTOR 542 im TYP 930, 932, 934 mit CODE (MS3) Motorausführung Euro 3'
Sistema de Assistência à Diagnose Copyright 1999 Daimler AG

VIN WDB9323149L419743 Série/amostra ACTROS 932.314

Nº da ordem de Identificação
serviço

DAS Instrumento Denominação

02 MW01 Torque especificado do motor

03 MW02 Torque máximo momentâneo do motor

01 MW03 Torque atual do motor

06 MW04 Ângulo de injeção

07 MW05 Início da injeção

08 MW06 Rotação atual de correção

10 MW07 Correção final da rotação pelo módulo de comando FR

09 MW08 Valor especificado da rotação de correção através do módulo de comando FR

05 MW09 Rotação redundante do terminal W através do módulo de comando FR

04 MW10 Rotação do motor

18 MW11 Gradiente da limitação da rotação

19 MW12 Velocidade do veículo

11 MW13 Temperatura do líquido de arrefecimento

12 MW14 Temperatura do combustível

31 MW15 Desvio em relação ao nível especificado do óleo

30 MW16 Temperatura do óleo

13 MW17 Temperatura do ar de sobrealimentação

14 MW18 Pressão de sobrealimentação

15 MW19 Pressão atmosférica

16 MW20 Pressão do óleo

17 MW21 Tensão da bateria

32 MW22 Tipo de regulador

33 MW23 Condição do motor

Posição do Bit

76 54 32 10

24 BW01 00 00 00 (00) Característica dos equipamentos: Freio a válvula de descompressão (DVB)

25 BW01 00 00 (00) 00 Característica dos equipamentos: Turboalimentador mecânico

XX BW01 00 (00) 00 00 Não definido

XX BW01 (00) 00 00 00 Não definido

40 BW02 00 00 00 (00) Cigarra de alarme

41 BW02 00 00 (00) 00 Lâmpada de parada

27 BW02 00 (00) 00 00 Condição do CAN - linha L

26 BW02 (00) 00 00 00 Condição do CAN - linha H

22 BW03 00 00 00 (00) Condição do terminal 15 no módulo de comando MR

52 BW03 00 00 (00) 00 Tensão no terminal 15

23 BW03 00 (00) 00 00 Condição do terminal 50 no módulo de comando MR

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 11:24:22 Página 1/2


04/2009 (2009-03-19)\AddONs: (1140);(1146);(1148);(1155);(1159);(1161);(1169);(1171);(1182);(1186);(1192);(1201);(1202)
Sistema de Assistência à Diagnose Copyright 1999 Daimler AG

21 BW03 (00) 00 00 00 Condição do terminal 50 no módulo de comando FR

28 BW04 00 00 00 (00) Tecla "partida do motor"

29 BW04 00 00 (00) 00 Tecla 'parada do motor'

42 BW04 00 (00) 00 00 Ativação do motor de partida (MR)

43 BW04 (00) 00 00 00 Bloqueio da partida

48 BW05 00 00 00 (00) Condição das válvulas proporcionais 1

49 BW05 00 00 (00) 00 Condição das válvulas proporcionais 2

50 BW05 00 (00) 00 00 Condição das válvulas proporcionais 3

51 BW05 (00) 00 00 00 Condição das válvulas proporcionais 4

34 BW06 00 00 00 (00) Borboleta do freio-motor

35 BW06 00 00 (00) 00 Estrangulador constante

XX BW06 00 (00) 00 00 Não definido

XX BW06 (00) 00 00 00 Não definido

44 BW07 00 00 00 (00) Limitação de torque pela proteção do motor

45 BW07 00 00 (00) 00 Limitação de torque pela plena carga

46 BW07 00 (00) 00 00 Limitação de torque pela correção final da rotação do motor

47 BW07 (00) 00 00 00 Limitação de torque pelo limitador de fumaça

Instrução Pressionar a tecla F7 para classificar a tabela conforme os números do Sistema de


Assistência à Diagnose.

A posição de bit entre parênteses (00) é válida para este parâmetro.

Os bits são numerados da direita para a esquerda de 0 até 7

Significado da indicação

00 Não ativo

01 Ativo

10 Não definido

11 Sinal não disponível

Nome do arquivo: F:\Programme\Das\trees\lkw\mr\MrMp201\hilfe\HMRx4000.s

Coordenadas das 5,3


células:

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 11:24:22 Página 2/2


04/2009 (2009-03-19)\AddONs: (1140);(1146);(1148);(1155);(1159);(1161);(1169);(1171);(1182);(1186);(1192);(1201);(1202)
AD00.19-N-9019GA Página 1 de 5

AD00.19-N-9019GA Lista de códigos de falhas módulo de comando da regulagem do motor (MR)

Tipo 930, 932, 933, 934

Código de
Descrição dos códigos de falhas
falhas
0100 A união CAN-H para a FR regulagem de rodagem está com defeito
0101 A união CAN-L para a FR regulagem de rodagem está com defeito
0102 Dados do módulo de comando FR regulagem de rodagem com falhas
0104 A união CAN para a FR regulagem de rodagem está com defeito
0149 Falha de parametrização CAN
0308 Sensor de posição da árvore de manivelas em curto para massa
0309 Sensor de posição da árvore de manivelas com interrupção
0310 Sensor de posição da árvore de manivelas, sinal baixo demais
0311 Sensor de posição da árvore de manivelas, atribuição do sinal da árvore de manivelas e o sinal da árvore
comando
está com falhas.
0312 Sensor de posição da árvore de manivelas, sem sinal
0313 Sensor de posição da árvore de manivelas está com os pólos invertidos.
0408 Sensor de posição da árvore de comando está em curto para massa
0409 Sensor de posição da árvore de comando está com interrupção
0412 Sensor de posição da árvore de comando, sem sinal
0413 Sensor de posição da árvore de comando com os pólos invertidos
0530 Excesso de rotação
1015 O sensor de temperatura do óleo transgrediu a faixa de medição (curto para massa, interrupção).
1016 O sensor de temperatura do óleo não alcançou a faixa de medição (em curto para massa).
1115 O sensor de temperatura do combustível, transgrediu a faixa de medição (curto para massa,
1116 O sensor de temperatura do combustível não alcançou a faixa de medição (em curto para mas
1215 Sensor combinado 'pressão e temperatura do ar da recarga': sensor de temperatura , transgrediu a faixa
medição
(em curto para positivo interrupção)
1216 Sensor combinado 'pressão e temperatura do ar da recarga': sensor de temperatura , não alcançou a
medição (em curto para massa)
1315 O sensor de pressão da atmosfera, transgrediu a faixa de medição (em curto para positivo interrupção).
1316 O sensor de pressão da atmosfera não alcançou a faixa de medição (em curto para massa)
1415 Sensor combinado 'pressão e temperatura do ar da recarga': sensor de pressão, transgrediu a faixa de
(em
curto para positivo interrupção)
1416 Sensor combinado 'pressão e temperatura do ar da recarga': sensor de pressão, não alcançou a faixa de
(em curto para massa)
1417 Sensor combinado 'pressão e temperatura do ar da recarga': sensor de pressão, valor de medição não
1515 O sensor de temperatura do líquido de arrefecimento, transgrediu a faixa de medição (em curto para posi
interrupção).
1516 O sensor de temperatura do líquido de arrefecimento não alcançou a faixa de medição (em curto para ma

file://D:\docs\00\AD00.19-N-9019GA.htm 31/3/2010
AD00.19-N-9019GA Página 2 de 5

1615 O sensor de pressão do óleo, transgrediu a faixa de medição (em curto para positivo interrupção).
1616 O sensor de pressão do óleo, não alcançou a faixa de medição (em curto para massa)
1617 Sensor de pressão do óleo, valor de medição não plausível
1715 Entrada combinada: faixa de medição transgredida
1716 Entrada combinada: faixa de medição não alcançada
1717 Entrada combinada: sinal não plausível
1818 Circuito de carga com defeito
1820 Pressão de carga alta demais
1822 A temperatura do ar de recarga foi transgredido
1873 A velocidade do turbo alimentador está com distúrbio de equalização.
1875 O desvio da pressão de recarga está alto demais.
1876 A pressão de recarga para a operação de freio não é alcançada.
1878 Circuito de carga com defeito
2020 A pressão de óleo é baixa demais.
2026 O nível de óleo do motor está alto ou baixo demais.
2122 A temperatura do líquido de arrefecimento está alta demais.
2219 Terminal 15 do módulo de comando MR ou FR está com interrupção.
2319 Terminal 50 do módulo de comando MR ou FR está com interrupção.
2415 O sensor da pressão diferencial do combustível está com interrupção.
2416 O sensor da pressão diferencial do combustível está em curto para positivo, em curto para massa.
2509 Sensor do nível de óleo com interrupção
2515 Sensor de nível do óleo em curto para positivo, faixa de medição transgredida
2516 Sensor de nível do óleo em curto para massa, faixa de medição não alcançada
2517 Sensor de nível do óleo, valor de medição não plausível
2612 O sensor de rotação do turbo alimentador está com interrupção, curto para positivo, curto para
2712 O sensor de rotação do turbo alimentador está com interrupção, curto para positivo, curto para massa
alimentador 2).
3015 O sensor de pressão do combustível, transgrediu a faixa de medição (em curto para positivo interrupção)
3016 O sensor de pressão do combustível, não alcançou a faixa de medição (em curto para massa)
3115 O sensor de temperatura do ar de recarga 2 está com interrupção.
3116 O sensor de temperatura do ar de recarga 2 está em curto.
3215 O sensor de temperatura do retorno dos gases de escape está com interrupção.
3216 O sensor de temperatura do retorno dos gases de escape está em curto.
3332 Temperatura de retorno do gás de escape fora da faixa nominal.
4024 Falha interna no módulo de comando
4034 Falha interna no módulo de comando
4035 Falha interna no módulo de comando
4036 Falha interna no módulo de comando
4037 Falha interna no módulo de comando
4038 Falha interna no módulo de comando

file://D:\docs\00\AD00.19-N-9019GA.htm 31/3/2010
AD00.19-N-9019GA Página 3 de 5

4039 Falha interna no módulo de comando


ou
Comando do motor de partida (estágio final) com defeito
4040 Falha interna no módulo de comando
4041 Falha interna no módulo de comando
4047 Falha interna no módulo de comando
4048 Falha interna no módulo de comando
4049 Parametrização não válida para as válvulas proporcionais
4050 Falha interna no módulo de comando
4051 Falha interna no módulo de comando
4052 Falha interna no módulo de comando
4053 Falha interna no módulo de comando
4054 Falha interna no módulo de comando
4056 Falha interna no módulo de comando
4058 O registro no módulo de comando MR regulagem do motor (PLD) foi manipulado.
4149 Freio do motor está parametrizada errada.
4805 Uma unidade injetora da bancada 1 está em curto para positivo.
4806 O retorno das unidades injetoras da bancada 1 está em curto para massa.
4905 Uma unidade injetora da bancada 2 está em curto para positivo.
4906 O retorno das unidades injetoras da bancada 2 está em curto para massa.
5026 Unidade injetora para cilindro 1: válvula sem abertura
5027 Unidade injetora para cilindro 1: falha de comando
5028 Unidade injetora para cilindro 1: em curto
5126 Unidade injetora para cilindro 2: válvula sem abertura
5127 Unidade injetora para cilindro 2: falha de comando
5128 Unidade injetora para cilindro 2: em curto
5226 Unidade injetora para cilindro 3: válvula sem abertura
5227 Unidade injetora para cilindro 3: falha de comando
5228 Unidade injetora para cilindro 3: em curto
5326 Unidade injetora para cilindro 4: válvula sem abertura
5327 Unidade injetora para cilindro 4: falha de comando
5328 Unidade injetora para cilindro 4: em curto
5426 Unidade injetora para cilindro 5: válvula sem abertura
5427 Unidade injetora para cilindro 5: falha de comando
5428 Unidade injetora para cilindro 5: em curto
5526 Unidade injetora para cilindro 6: válvula sem abertura
5527 Unidade injetora para cilindro 6: falha de comando
5528 Unidade injetora para cilindro 6: em curto
5626 Unidade injetora para cilindro 7: válvula sem abertura
5627 Unidade injetora para cilindro 7: falha de comando

file://D:\docs\00\AD00.19-N-9019GA.htm 31/3/2010
AD00.19-N-9019GA Página 4 de 5

5628 Unidade injetora para cilindro 7: em curto


5726 Unidade injetora para cilindro 8: válvula sem abertura
5727 Unidade injetora para cilindro 8: falha de comando
5728 Unidade injetora para cilindro 8: em curto
6409 A flange de aquecimento está com interrupção.
6506 O cabo de diagnose do separador de óleo está em curto para massa.
6564 O cabo de diagnose do separador de óleo está com interrupção ou em curto para positivo.
6678 A válvula de retorno do gás de escape está com defeito.
6679 A diferença de temperatura entre o gás de escape e o líquido de arrefecimento não é plausível.
7006 Válvula magnética 1: regulagem do turbo alimentador (em curto para massa)
7007 A válvula proporcional 1 está em curto para positivo.
7009 Válvula magnética 1: regulagem do turbo alimentador (interrupção)
7106 Válvula magnética 3: estágio do ventilador 1 está em curto para massa.
7107 A válvula proporcional 3 está em curto para positivo.
7109 Válvula magnética 3: estágio do ventilador 1 está com interrupção.
7112 Válvula magnética 3: rendimento máximo do ventilador, ventilador sem rotação
7206 Válvula magnética 4: estágio do ventilador 2 está em curto para massa.
7207 A válvula proporcional 4 está em curto para positivo.
7209 Válvula magnética 4: estágio do ventilador 2 está com interrupção.
7305 A válvula magnética 2: válvula de freio da descompressão está em curto para positivo.
7306 A válvula magnética 2: válvula de freio da descompressão está em curto para massa.
7307 A válvula proporcional 2 está em curto para positivo.
7309 A válvula proporcional 2 está com interrupção.
7317 A válvula magnética 2: válvula de freio da descompressão está com interrupção ou em curto para massa.
7405 A válvula proporcional 5 está em curto para positivo.
7408 A válvula proporcional 5 está em curto para massa.
7542 Tensão da bateria alta demais
7543 Tensão da bateria baixa demais
7609 A válvula proporcional 6 está com interrupção.
7705 A válvula proporcional da bancada 1 está em curto para positivo.
7708 A válvula proporcional da bancada 1 está em curto para massa.
7805 A válvula proporcional da bancada 2 está em curto para positivo.
7808 A válvula proporcional da bancada 2 está em curto para massa.
8005 Terminal 50 no relê de pré comando (em curto para positivo)
ou
Relê de partida do terminal 50 (em curto para positivo)
8008 Terminal 50 no relê de pré comando (em curto para massa)
ou
Relê de partida do terminal 50 (em curto para massa)
8009 Terminal 50 no relê de pré comando (interrupção)
ou
Relê do motor de partida terminal 50 (interrupção)

file://D:\docs\00\AD00.19-N-9019GA.htm 31/3/2010
AD00.19-N-9019GA Página 5 de 5

8033 Relê de partida com defeito, trava mecanicamente


ou
Relê de pré comando com defeito
8039 Comando do motor de partida (estágio final) com defeito
8086 Sem engate do motor de partida
9044 Unidade injetora do cilindro 1: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9045 Unidade injetora do cilindro 1: compensação individual do cilindro em limitação
9144 Unidade injetora do cilindro 2: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9145 Unidade injetora do cilindro 2: compensação individual do cilindro em limitação
9244 Unidade injetora do cilindro 3: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9245 Unidade injetora do cilindro 3: compensação individual do cilindro em limitação
9344 Unidade injetora do cilindro 4: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9345 Unidade injetora do cilindro 4: compensação individual do cilindro em limitação
9444 Unidade injetora do cilindro 5: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9445 Unidade injetora do cilindro 5: compensação individual do cilindro em limitação
9544 Unidade injetora do cilindro 6: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9545 Unidade injetora do cilindro 6: compensação individual do cilindro em limitação
9644 Unidade injetora do cilindro 7: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9645 Unidade injetora do cilindro 7: compensação individual do cilindro em limitação
9744 Unidade injetora do cilindro 8: regulagem da calmaria da marcha lenta em limitação
9745 Unidade injetora do cilindro 8: compensação individual do cilindro em limitação
9846 Interrupção da compensação individual do cilindro
9960 Excesso de chaves
9961 Função de proteção do bloqueio de deslocamento ativa, módulo de comando MR regulagem
9962 Bloqueio de deslocamento ativado no MR regulagem do motor
9963 Nenhum código transponder através do CAN-Bus do motor
9964 Nenhum código transponder através do terminal 50
9965 Chave transponder errada

file://D:\docs\00\AD00.19-N-9019GA.htm 31/3/2010