Você está na página 1de 3

PROJETOS THYDEWÁ 2018

By admin
Posted 22 de novembro de 2018
In Blog
0

A
ONG Thydêwá promove o VI Encontro de Pontos de Cultura Indígena do Nordeste, em
Salvador Bahia. Dentro da programação do Encontro 16 indígenas apresentarão suas
manifestações culturais e há uma parte especial destinada a dialogar com o público, na
sexta feira 31 de agosto, no sábado 1º e no domingo 2 de setembro, das 14h às 18h, no
Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA), com entrada gratuita. No MAM está
acontecendo a Mostra Interativa AEI – Arte Eletrônica Indígena, e durante os últimos
três dias da mostra, haverá apresentações de cantos e danças indígenas, Rodas de
Conversas com projeção de vídeos sobre a cultura desses povos e visitas guiadas pelos
artistas indígenas.

Durante o Encontro estarão presentes representantes indígenas de oito Pontos de Cultura


Indígena (PCI) de oito comunidades: Os Pataxó da Aldeia Trambuco (Porto Seguro); os
Pataxó Hãhãhãe da Aldeia Milagrosa (Pau Brasil); os Pataxó da Aldeia 2 Irmãos
(Cumuruxatiba – Prado); os Tupinambá de Olivença da Aldeia Itapoã (Ilhéus) – todos
os localizados na Bahia; os Pankararu (Tacaratu – Pernambuco), os Kariri-Xocó (Porto
Real do Colégio – Alagoas), os Karapotó Plaki-ô (São Sebastião – Alagoas) e os Xokó
(Porto da Folha – Sergipe).

Nas dinâmicas exclusivas para os indígenas, os representantes devem avaliar o projeto


“Mensagens da Terra”, de autoria da ONG Thydêwá que tem o apoio do Ministério da
Cultura e visa fortalecer indígenas como Agentes de Cultura Viva no uso das
tecnologias de informação e comunicação para agirem a favor do planeta e de suas
comunidades. Os indígenas participaram de uma formação continuada, presencial e a
distância, no decorrer de três anos, com o objetivo de afirmar e valorizar suas culturas,
conhecimentos e memórias, bem como buscar dignidade para a vida em suas
comunidades.

Entre as vitórias do programa “Mensagens da Terra” a rede lançou cinco livros


multiétnicos de autoria coletiva dos indígenas, disponibilizou mais de 70 curta-
metragens na internet e vem apoiando a rede “Pelas Mulheres Indígenas”.

A rede de Pontos de Cultura Indígena (PCI) teve como resultado de destaque a Mostra
“Arte Eletrônica Indígena (AEI): uma exposição interativa”, com trabalhos cocriados
entre indígenas brasileiros e artistas do Brasil, Reino Unido e Bolívia, selecionados via
edital para residências artísticas nas comunidades indígenas participantes da rede, nos
estados da Bahia, Alagoas, Pernambuco e Sergipe.

As obras interativas tratam da reivindicação de terras, da preservação da memória e do


diálogo entre gerações, destacando também a cultura indígena na música, na fotografia,
no vídeo, na cartografia dos sons, na escultura, na tecelagem, na colagem digital, nas
pinturas rupestres, na projeção eletrônica da pintura corporal entre outras manifestações
artísticas.

O AEI (http://aei.art.br/) foi idealizado pela ONG Thydêwá (http://www.thydewa.org/)


com patrocínio da Oi e Estado da Bahia, com apoio do Oi Futuro e da British Academy.
O projeto é um programa de vanguarda e inovação que promoveu a produção
colaborativa e cocriada entre artistas e indígenas de diferentes povos. Muitas das
iniciativas selecionadas abordam linguagens artísticas ainda não nomeadas, expressões
híbridas, fusão de suportes, e a convergência das tecnologias analógicas e digitais,
potencializando a expressão da vida.

SERVIÇO
O QUÊ: Rodas de Conversa e Arte Eletrônica Indígena (AEI): uma exposição
interativa.
QUANDO: Rodas de Conversa, exibição de vídeos e visitas guiadas com os artistas
indígenas de 14h às 18h, nos dia 31 de agosto, 1 e 2 de setembro. Exposição Arte
Eletrônica Indígena até 02 de setembro, das 13h às 18h.
ONDE: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) – Salvador (BA)
VALOR: Entrada gratuita

Interesses relacionados