Você está na página 1de 32

PROGRAMA SEMINÁRIO TRANSMITINDO O DNA Módulo I - Carga de 8 horas

Desafiar transmitir uma visão desafiadora


Nutrir fornecer recursos e capacitação
Apoiar oferecer apoio e mentoria para líderes

8:00 Credenciamento e distribuição de material

Abertura e Louvor

Palestra 1: Paradigmas

Palestra 2: Visão/Missão/Estratégia

Palestra 3: Transição

Palestra 4: Escola de Líderes

Kit DNA/Talentos
17:30 Encerramento

Intervalo

1
Informações e inscrições de todos os eventos:
Site da IBC: www.ibcbh.com.br
Blog do DNA: dnacentral.wordpress.com
(31)3298-8900 missoes@ibcbh.com.br

2
INTRODUÇÃO
IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA PARA FUNCIONAMENTO
DAS CÉLULAS
A utilização da metodologia de Células nas igrejas, em todo o mundo, tem
possibilitado às mesmas experimentar um crescimento quantitativo e
qualitativo, de forma a possibilitá-las a cumprir a ordenança de Jesus na Grande
Comissão de ir e fazer discípulos.

Se bem trabalhada, esta metodologia, poderá em curto espaço de tempo refletir


aspectos altamente positivos na sua igreja, formando lideranças e atraindo cada
vez mais pessoas para Jesus.

A idéia de Células é apresentada de forma muito simples e espontânea


no livro de ATOS 2.42, onde os cristãos se reuniam nos lares e no templo,
compartilhavam o pão e a palavra, se ajudavam mutuamente e tinham tudo em
comum, acrescentando-lhes o Senhor, dia a dia aqueles que iam sendo salvos.

Implantar a metodologia de Células é uma tarefa árdua, que exige uma grande
dedicação do Pastor Principal da Igreja e de seus auxiliares. O objetivo principal
é atrair aqueles que não conhecem Jesus para apresentar-lhes o evangelho,
e pelo poder transformador do Espírito Santo receberem graciosamente a
salvação através do reconhecimento de Jesus como seu único e fiel salvador.

Por uma série de preconceitos as pessoas muitas vezes se recusam a ir às


igrejas, mas quando o convite é feito para ir a um lar, onde se pode conversar,
argumentar e sentir a comunhão das pessoas com Jesus, esta tarefa é
sobremaneira facilitada.

A Celula é a porta de entrada da Igreja, depois de freqüentar a Célula por um


espaço de tempo as pessoas são convidadas a freqüentar a igreja, se batizarem
e iniciar sua trajetória de vida cristã.

A formação de líderes é um sub-produto excepcional no desenvolvimento das


Células. O Pastor, anteriormente sobrecarregado com muitas atribuições dentro
da igreja, principalmente dentro da área de atendimento às pessoas, agora
passará a contar com os líderes de Células, que estarão sendo potencializados

3
para pregar, cuidar e acompanhar a trajetória cristã de cada novo convertido.
Muitas igrejas tem procurado informações a respeito de como implantar as
Células. Para isto procuram outras igrejas que já tem a metodologia funcionando,
compram livros específicos para o assunto, participam de seminários e cursos
voltados para este fim e buscam informações de como se inserir no contexto
de Células. Sensível a esta demanda a Igreja Batista Central de Belo Horizonte
desenvolve o programa DNA Central, e é um privilégio para nós tê-lo(a) como
participante deste seminário.

Que o Senhor o abençoe grandemente!

Equipe DNA Central

4
O que são células?
Para explicarmos o que é uma célula, primeiramente precisamos dizer o que
não é célula.
CÉLULA NÃO É:

Grupo de Oração - Este tipo de grupo estamos em contato e interagindo


está interessado somente em crescer com o ambiente que nos rodeia.
no movimento de oração. São grupos
recheados de muita oração e os dons Grupo de cura interior e de apoio
do Espírito fluem com liberdade; - Os que desejam participar deste
no entanto, quem vai apenas ao tipo de grupo estão interessados
grupo não está se vinculando nem em terapias para a cura de seus
crescendo como igreja. traumas emocionais. Neste tipo de
grupo as pessoas têm um problema
Grupo de Estudo Bíblico - Este tipo real e querem se livrar dele. São
de reunião não estimula a comunhão grupos semelhantes aos Alcoólatras
e geralmente são liderados por Anônimos, em que as pessoas falam
pessoas que se consideram grandes de seus problemas vez por vez,
mestres e que gostam de demonstrar semana após semana. Este tipo de
conhecimento teológico; o incrédulo grupo leva o amor, mas falha em
não é bem-vindo. São estéreis e não levar os membros a Cristo.
servem como estrutura de igreja.
Ponto de Pregação - São grupos
Grupo de comunhão entre crentes conhecidos como aquele em
ou Grupo de Crescimento - As que as pessoas freqüentam sem
pessoas interessadas neste tipo de compromisso. Elas vêm e vão, e o
grupo desejam um crescimento grupo é apenas um ajuntamento.
espiritual num ambiente fechado e Tais grupos têm como deficiência
exclusivista. Importante salientar que o básica o fato de não compartilhar a
crescimento apenas acontece quando realidade da vida do Corpo.

ENTÃO, O QUE É CÉLULA?

A célula é a igreja que se reúne aos A célula é uma estratégia eficaz


domingos nos cultos de celebração de evangelização, de discipulado
e durante a semana nas casas e de pastoreio e não um sistema
com o objetivo de evangelizar, de governo de igreja. São grupos
confraternizar, edificar e servir. que se reúnem nos lares, escolas,

5
empresas ou no trabalho, gerando A célula almeja a multiplicação
vida e desempenhando um papel - apesar de a reunião não ser
de grande importância para alcançar apenas evangelística, todo o
pessoas para Cristo. Ali elas são projeto final de edificação do
cuidadas e pastoreadas por líderes grupo visa à multiplicação: crentes
capacitados pelo CCM. comprometidos são crentes
frutíferos.
É um “grupo de até quinze pessoas
que se reúnem regularmente A célula tem hora e lugar definido
para cumprir os mandamentos para a reunião, criando um senso de
das Escrituras de amar uns aos identidade, constância e segurança;
outros, estando ao mesmo tempo é impossível produzir um ambiente
integralmente ligados a uma igreja familiar se nos reunirmos a cada
local e com olhar voltado para o semana em uma casa diferente.
mundo.” NEWMANN, Mikel. Alcançar Por isso, não basta ter um lugar de
a cidade. São Paulo: Vida Nova, 1993. reunião, é preciso que o grupo se
reúna numa base regular.
O grupo busca ser uma comunidade
e para isso precisamos entender que A célula tende a ser homogênea
a célula é muito mais do que reunião porque quando participamos de
semanal. Quando nossa percepção do um grupo, buscamos nele aquelas
grupo é limitada à reunião semanal, características que nos identificam
então não estamos envolvidos em com os demais e nos sentimos muito
comunidade. A vida em comunidade mais à vontade para compartilhar.
existe fora dos cultos e das reuniões.
Além disso, ao evangelizar nossa
tendência é priorizar pessoas
O relacionamento é mais importante
do nosso círculo de amizade.
que a reunião. É no relacionamento
que crescemos como servos, Normalmente estudantes se reúnem
aprendemos a viver a vida cristã, com estudantes, profissionais com
somos supridos e também suprimos profissionais; se é jovem, a tendência
os outros em amor. é evangelizar outro jovem, se é
casado vai procurar outro casado.
A célula também visa à edificação
dos crentes - o foco é o evangelismo Também devemos levar em conta o
e a multiplicação, mas o objetivo seguinte:
específico da reunião é também a • As células não sobrevivem quando
edificação. as funções substituem Jesus;

6
• Somente quando Jesus é o centro é CUIDADO! Célula não é:
que ela alcança todo o seu potencial • Grupo de oração;
e podemos dizer que é uma célula • Grupo de estudo bíblico;
verdadeira; • Grupo de comunhão entre crentes;
• Grupo de cura interior e de apoio;
• A célula permite que a igreja
• Ponto de pregação;
aumente sua influência e sua
Célula não é um ministério que toma
presença na sociedade;
uma parte de nossa vida. Ela está
• O alvo da célula é a multiplicação. centrada em Cristo e tudo o que
A multiplicação deve ser a principal fazemos se dá em função de cumprir
motivação de toda célula. o “Ide” de Jesus.

2. QUAIS OS OBJETIVOS DE UMA CÉLULA?

• COMUNHÃO - Desenvolvimento de Uma organização morta é apenas


vida compartilhada, alvos comuns e uma instituição, um monumento.
aliança mútua. Isso significa fomentar Mas um corpo existirá quando
o amor de uns pelos outros. formos membros uns dos outros,
pois “ajudados e consolidados pelo
A comunhão retira as impurezas - Em auxílio de toda junta, efetua o seu
primeiro lugar, assim como o sangue próprio crescimento pela vida de
tem o poder de retirar as impurezas Cristo” Rm 12:5; Ef: 4:l6
do nosso organismo, a vida de Deus
circulando entre membros do corpo A comunhão mata os germes - Um
expele todo tipo de impureza na vida dos componentes do sangue são
dos membros. Quanto mais a vida de os leucócitos ou glóbulos brancos,
Deus fluir em um grupo, maior será a cuja função é promover a defesa
expressão da santidade pessoal. do organismo celular Em outras
palavras, eles são os agentes de
A vida de Deus se manifesta defesa do corpo humano e têm a
plenamente nos relacionamentos. propriedade de atacar e destruir os
Quando estamos conectados uns aos germes invasores do organismo.
outros, em vínculos de amor é comum Semelhantemente, a vida de Deus,
vivermos a vida espontaneamente, que circula entre os membros do
eliminando as impurezas do pecado. corpo de Cristo, destrói as setas
Se tudo na igreja se resume em fazer do diabo e expulsa os demônios
coisas, então nos tornamos uma invasores.
organização morta.

7
Cada membro precisa compreender comunhão. Uma coisa é a oração
a importância de estarmos juntos, individual, outra, muito diferente e
de ministrarmos uns aos outros, de mais poderosa, é a oração em um
funcionarmos como um só corpo e grupo. O mesmo se pode dizer da
não tem nada a ver com o prédio, é adoração, do louvor e da celebração.
uma relação viva desenvolvida nas O sangue da vida de Deus é o poder
células. disponível a todos quando estamos
conectados no corpo.
A comunhão alimenta as células -
Assim como os membros do corpo A comunhão mantém a temperatura
humano são supridos e alimentados – Assim como o sangue tem
pelo sangue, a vida de Deus também a propriedade de manter a
supre e alimenta os membros do temperatura do corpo humano, uma
Corpo de Cristo, na comunhão uns célula cheia de vida, invariavelmente,
com os outros. Os membros podem é um lugar quente, cheio do fogo
ser muitos, mas a vida que circula do Espírito. Quando não há vida, os
entre eles é a mesma: a vida de Deus. membros se tomam frios; mas onde
o sangue circular, a temperatura
Muitos podem argumentar que são se elevará. Existem muitas pessoas
alimentados nos cultos pela Palavra que se esfriaram porque estão sós.
ministrada, e isto é bom e necessário. Individualismo, definitivamente, é
Mas há um tipo de fortalecimento uma palavra que não combina com
que é mais que aprender algo cristianismo. Uma brasa sozinha logo
novo, é ver e ouvir repetidamente o se apaga.
mesmo ensino, no relacionamento
espontâneo entre irmãos. A É curioso que a Bíblia fala muito
comunhão alimenta o membro e mais de comunhão na igreja do que
fortalece a vida. de evangelismo. Talvez a melhor
estratégia de evangelismo seja a
A comunhão traz energia - Ainda verdadeira e genuína comunhão
que a forma e o estilo de comunhão entre os irmãos. Jesus disse que
possam variar, o crente que não o mundo nos reconheceria como
experimenta uma vida de intimidade seus discípulos se nos amássemos
numa célula já perdeu o real sentido uns aos outros. É na comunhão que
do que significa ser membro do corpo. testemunhamos esse amor.

Quando estamos vinculados uns aos Você notou quantas coisas a vida de
outros, somos supridos de energia Deus pode operar em nós? Basta que
e vigor espiritual. O poder de Deus os membros estejam devidamente
é a sua própria vida, liberada na ligados pelo auxílio “de toda junta,
8
segundo a justa cooperação de cada Cada célula precisa ter um nível forte
parte” - Ef 4:l6. de compartilhamento da Palavra.
Quando falamos de nível, não nos
Precisamos ser cuidadosos para que referimos à erudição nem à cultura
a nossa comunhão não se transforme dos irmãos, mas ao fogo que queima
em clube social e, assim, sermos quando a palavra é ministrada.
distraídos por outras coisas. Tudo Quando temos o coração incendiado
isso foi dito para mostrar o quanto pela palavra, contagiamos todo o
são importantes os vínculos de grupo.
comunhão na Igreja. Por isso, cada
líder deve priorizar a comunhão do O ensino ministrado deve ser fruto
seu grupo. de revelação. O líder não precisa
saber muito, mas aquilo que ele
Cada membro da célula deve estar falar, por mais simples que seja, deve
vinculado a outro membro em amor. ser de coração, fruto da luz de Deus
Cada um deve ter a quem se sujeitar no seu espírito, uma palavra forte,
em amor para receber edificação não necessariamente profunda ou
pessoal e suprimento. O discipulador erudita. Talvez o grupo não tenha
natural de uma pessoa é aquele que aprendido algo profundo, mas foram
o ganhou para Cristo, mas mesmo ministrados de forma correta.
aqueles que já têm muitos anos de
convertidos devem se submeter a • EVANGELISMO – A célula é o lugar
outro que seja reconhecido como onde inserimos novos membros.
mais maduro e experiente na fé. Não É onde alimentamos, guardamos
deve existir ninguém sem vínculo. e suprimos os novos irmãos. Isso
significa ganhar almas perdidas.
• EDIFICAÇÃO – A célula oferece
o ambiente para o crescimento O novo convertido precisa de cinco
espiritual, aprendizado prático cuidados básicos:
de disciplina e amor através do
ouvir a palavra de Deus e do 1. Alimento - Todo novo convertido
comprometimento com as funções e necessita de uma dieta equilibrada.
privilégios da igreja local. Se não for alimentado nesta fase
inicial da vida espiritual, poderá
Este é o segundo objetivo da célula: tomar-se um crente problemático,
compartilhar a palavra de Deus com se não morrer antes, de inanição.
vida. Ou seja, não é ensinar muito, Na célula eles são alimentados com
mas ensinar de forma correta, com palavras de fé, de encorajamento e
revelação. de ânimo;

9
2. Proteção - Além de alimento, o E a proposta das células é justamente
recém-nascido precisa de proteção. A esta: ser uma família vinculada pelo
rotatividade na igreja é fruto de falta amor. Neste ambiente familiar nossos
de cuidado e proteção. O lobo entra filhos serão supridos e nenhum deles
e leva a ovelha, pois não há pastores se extraviará.
guardando o rebanho. Líderes
de célula são pastores vigiando o • SERVIÇO - Cada crente é um
rebanho. Até que o novo convertido ministro e cada um recebeu
aprenda a caminhar sozinho, é um dom. Na célula, os dons são
fundamental a proteção de um pai exercitados para o serviço mútuo.
espiritual;
Muita gente pensa que servir a Deus
3. Ensino – Aqui o termo ensino não se é fazer coisas na igreja como cantar,
refere simplesmente ao aprendizado orar e pregar. Poucos percebem que
de doutrinas, mas à aquisição de servimos a Deus quando exercitamos
hábitos espirituais. O ensino aponta nossos dons e conhecimentos para
para a conduta e as atitudes que ajudar e edificar as pessoas. São
devem ser desenvolvidas no novo tantas as possibilidades de ajuda
crente. Se quando criança o crente mútua e serviço que não poderíamos
não foi ensinando a ser dizimista, enumerá-las aqui.
por exemplo, vai ser difícil mudá-lo
depois de adulto na fé. É na célula Jesus disse que seríamos conhecidos
que a criança espiritual recebe o como seus discípulos se nos
ensino; amássemos uns aos outros. Não
existe melhor forma de expressar
4. Disciplina - Todo novo convertido esse amor do que servindo os nossos
deve ser alimentado, protegido, irmãos.
ensinado e também corrigido,
quando sair do padrão da Palavra. A Quando uma célula atinge estes
célula é o ambiente propício para ser quatro objetivos: comunhão,
corrigido em amor; edificação, evangelismo e serviço, ela
se torna uma pedaço do céu na terra.
5. Amor - Por último, a criança na
fé precisa ser amada. Quase todos
vêm para a vida da igreja com suas
emoções destruídas. Entretanto,
o amor paciente dos irmãos na
célula restaura a alma. Uma criança
só recebe amor e suprimento
adequado em um ambiente familiar.
10
3. QUAL É A BASE BÍBLICA PARA CÉLULAS?

• Velho Testamento: de Cesaréia de Filipe...” - Mc 8:27, no


Jetro - Êx 18:13-27 - Delegação de nordeste.
autoridade: um, cuidando de 10 - - Local das Reuniões: no templo –
líder; outro, de 100 -discipulador; e sinagoga - e nas casas - At 2:42-47;
outro, de 1000 - pastor de área. Hb 5:42. No templo se reuniam para
adorar a Deus, para ouvirem os ensinos
• Novo Testamento: e a pregação das Sagradas Escrituras.
Jesus - Mt 16:18 Nos lares, os recém-convertidos
- Iniciou seu ministério com um eram acolhidos e alimentados
pequeno grupo de célula de 12 espiritualmente. Ali aprendiam a
discípulos - Mc 3:13-14; respeito de Jesus, suas necessidades
- Comissionou a Igreja - Jo 20:21. eram supridas, recebiam cuidados e
A missão de Jesus Cristo, recebida acompanhamento até se sentirem
do Pai, tem, por conseguinte, a sua aptos para cuidarem com carinho de
continuação na Igreja - Mt 28:18-20; outros.
- Alicerçou seu ministério em
relacionamentos, entre outras No Novo Testamento encontramos
atividades que desenvolveu para uma variedade de textos que
estar presente com seus discípulos. atestam a igreja se reunia em grupos
Pode-se vê-lo conversando, pequenos nas casas:
comendo e dormindo com eles
durante o seu ministério, que era At 2.42-47 - “…partindo o pão de casa
muito ativo - Jo 1:39; 2:2; 4:7; Lc 6:12; em casa”
11:1. Andaram juntos em estradas, At 5.42 - “... no templo e de casa em
visitaram cidades, viajaram de casa”
barco, pescaram no mar da Galiléia, At 20.20 - “.... ensinando-vos
oraram juntos, foram às sinagogas publicamente e de casa em casa”
e ao templo. Fizeram viagens a Tiro Rm 16.3,5,10 - “....a igreja que está na
e a Sidom - Mc 7:24; Mt 15:21, para casa deles”
o “...território de Decápolis...” -Mc Cl 4.15 - “... a igreja que está em sua
7:31; Mt 15:29 - e para as “...regiões casa”
de Dalmanuta”, a sudeste da Galiléia Fm 1.2 - “... à igreja que está em tua
-Mc 8:10; e também para as “...aldeias casa”

11
A REUNIÃO DA CÉLULA
O tempo na reunião da célula
1º Momento - QUEBRA-GELO

É de suma importância, principalmente


15
quando o grupo é novo e as pessoas não Quebra  20
se conhecem. O quebra-gelo deve ser Gelo Louvor & 
Oração
feito como o primeiro acontecimento da
reunião. As pessoas quando chegarem 30
devem encontrar um ambiente informal e Lanche
30
nada assustador. Estudo & 
Compartilhar
15
Planejamento &  10
Características: Desafios
Oração & 
• Quebra-Gelo não é um jogo; Ministração

• É uma atividade que ajuda a


pessoa a tirar a atenção de si
mesma;
para se sentir à vontade com os outros;
• Ele concentra todos os participantes da célula em um assunto
central;
• Como o nome sugere, ele quebra a hesitação inicial que cada
pessoa tem para falar abertamente;
• É preciso cuidado para não expor detalhes da intimidade de
alguém.

Exemplos de perguntas:
• Onde você morou entre os 7 e 12 anos de idade?
• Quantos irmãos você tem?
• Quem era a pessoa mais próxima de você?
• Quando foi que Deus se tornou mais do que uma palavra para você?

2º Momento - LOUVOR E ADORAÇÃO

Esta é uma parte extremamente importante da reunião. As


pessoas agora movem o foco para o Senhor.
• Escolha cânticos conhecidos e fáceis;
• Providencie folhas de cânticos para ajudar as pessoas que
não sabem as letras de cor;
• Não fique pregando e falando entre os cânticos;
• O líder precisa ter comunhão com Deus para que este
12 momento realmente flua na célula.
3º Momento - EDIFICAÇÃO/ESTUDO DA PALAVRA

O foco agora se move para as necessidades das pessoas presentes. A


Bíblia é a ferramenta e não o ponto central.
Lembre-se de que o líder é um facilitador e não um professor.
Numa reunião de célula, o alvo são as verdades simples da Bíblia,
ou seja, a prática destas verdades, a aplicação pessoal destes ensinamentos.
As micro-células, ou seja, outros subgrupos formados na
própria célula, são extremamente importantes na época que precede
a multiplicação, pois favorecem a participação de várias pessoas em
diferentes funções.

Características de um bom estudo:


• Relaciona-se com as coisas que estão acontecendo na
célula;
• Transmite ânimo, estímulo ou desafio;
• O bom estudo ministra alguma necessidade;
• A célula é um lugar onde se dá apoio espiritual e
emocional a cada membro;
• O bom tema focaliza-se na vida, não nos conhecimentos.
• Proporcione experiências - não apresente uma preleção ou
lição - Ajude o grupo a descobrir alguma coisa por meio
de uma experiência;
• Organize as cadeiras em círculos;
• Receba o retorno do grupo - feedback - Que conclusões
podemos tirar do que acabamos de estudar?
• Tente resumir as conclusões do grupo - ao fazer isso
com regularidade você vai descobrir quais os tipos de
experiências que melhor servem ao seu grupo;
• Sonde para ver se os membros do grupo conseguiram reter
os princípios ensinados;
• Gaste um momento perguntando “desta nossa experiência
o que você vai poder aplicar em sua vida?”
4º Momento – COMPARTILHAMENTO

Este momento dá a oportunidade para os membros testemunharem
as bênçãos recebidas durante a semana anterior, ou compartilhar problemas
que estejam enfrentando; também podem fazer pedidos específicos de
oração.

13
É como se fosse um “link” entre a lição ministrada na reunião
passada e sua aplicação prática na vida das pessoas.

Este momento poderá ocorrer também no início da reunião, após o


quebra-gelo ou o louvor.

5º Momento – DESAFIOS PRÁTICOS E AVISOS

Neste momento o líder desafia o grupo a colocar em prática o que


os membros aprenderam naquele dia e dá os avisos necessários. É hora
também de estabelecer ou relembrar os alvos e metas para a vida pessoal de
cada um e para a célula.

6º Momento – LANCHE E COMUNHÃO

Momento de descontração e de oportunidade para que as pessoas


possam conversar e se conhecer um pouco mais. Poderá acontecer tanto no
início como no fim da reunião.

OUTRAS CONSIDERAÇÕES:

A reunião tem tempo, dia, hora e local definidos. É realizada


durante a semana, considerando-se os seguintes aspectos:

• É na reunião que se colhe o que foi planejado previamente;


• A reunião de célula deve acontecer num ambiente de confiança,
proporcionando o envolvimento e participação de todos;
• Deve seguir todas as etapas propostas: Quebra-Gelo, Louvor, Oração,
Ministração da Palavra, Compartilhamento, Desafios e Lanche;
• A duração máxima da reunião é de duas horas, incluindo o lanche;
• Evite cancelar reunião ou mesmo mudar seu local e horário;
• Procure manter um ritmo constante. Isso gera confiabilidade para os
novatos;
• Respeite horário de início e término, não excedendo o tempo de
uma hora e meia para a reunião e mais meia hora para o lanche,
totalizando duas horas. Isso dá liberdade para quem precisa sair e
previsibilidade de horário para quem tem outros compromissos;
• Procure sempre equilibrar todos os momentos da célula.
Extraído da apostila “Treinamento” do Centro de Capacitação Ministerial da Igreja
14 Batista Central de Belo Horizonte - Módulo Igreja em Células.
15
LIÇÃO DE CÉLULA
A REGRA DE OURO

INTRODUÇÃO:

Em nossos relacionamentos cotidianos, todos gostamos e queremos ser bem


tratados. Não há nada de anormal ou errado nisso. A grande questão é que,
muitas vezes, não tratamos e/ou não estamos dispostos a tratar as pessoas tão
bem como gostaríamos de ser tratados. Há um exemplo simples para ilustrar
isso. Certamente, a maioria de nós não gosta de ser ridicularizada e “zoada”
pelas pessoas. Entretanto, ridicularizamos e “zoamos” amigos e conhecidos
quando temos oportunidade para isso.

DESENVOLVIMENTO DO ENSINO:

Provoque um bate-papo a partir da seguinte pergunta:

Pare e pense: Quais são as atitudes que mais te incomodam em sua interação
com as outras pessoas? E as que mais te agradam? Como você gostaria de ser
tratado pelas pessoas? Fale sobre atitudes específicas.

O Sermão do Monte, o mais conhecido conjunto de ensinamentos de Jesus


Cristo, nos apresenta a chamada “regra de ouro”. Esse é um ensinamento muito
claro sobre como as pessoas devem ser tratadas. Jesus disse: “Tudo quanto, pois,
quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta
é a Lei e os Profetas” (Mt 7.12). É simples: pense na maneira como você gostaria de
ser tratado e trate os outros dessa forma. E mais: agindo assim você fará a vontade
de Deus para a sua vida. Não é extraordinário! Pense: essa regra resolve muitos de
nossos problemas de relacionamento; ela nos sensibiliza para as necessidades
do outro. Todos temos consciência de nossas necessidades pessoais e, quando
nos damos conta de que o outro tem as mesmas necessidades, nos tornamos
mais sensíveis a ele.

John Maxwell, conhecido palestrante e escritor, em um de seus livros, fala sobre


algumas expectativas que as pessoas têm em seus relacionamentos com os
outros. Vamos citar cinco delas:
16
1. As pessoas querem ser encorajadas;
2. As pessoas querem ser valorizadas;
3. As pessoas querem ser perdoadas;
4. As pessoas querem ser queridas;
5. As pessoas querem ser entendidas.

Converse sobre cada um dos cinco pontos com os presentes. Essas não são
atitudes que, de fato, gostaríamos que as pessoas tivessem conosco? Enfatize
isso em cada um dos pontos. Peça aos presentes que dêem exemplos e contem
casos de situações em que foram e não foram tratados dessas maneiras. Como
se sentiram?

CONCLUSÃO E DESAFIOS:

Trate os outros como gostaria de ser tratado por eles. A prática dessa regra de
ouro, certamente, revolucionaria o mundo em que vivemos. Você consegue
imaginar o impacto?

Nesta próxima semana, tendo em vista os cinco pontos que foram abordados
nesta lição, e/ou outros que tenham se destacado para você, pratique a verdade
ensinada nesta lição. Como você gostaria de ser tratado? Trate assim as pessoas
com quem você convive. Como você gostaria que sua esposa/ namorada
(marido/namorado) o tratasse? Como você gostaria que seu amigo (amiga) o
tratasse? Como você gostaria que seu colega de trabalho e/ou escola o tratasse?
Trate-os dessa maneira.

Para sua reflexão:

Uma das maneiras de você tratar bem uma pessoa é através das palavras. Eis
algumas sugestões:

• A palavra menos importante: “Eu”;


• A palavra mais importante: “Nós”;
• As duas palavras mais importantes: “Muito obrigado” (apreciação);
• As três palavras mais importantes: “Tudo está perdoado”;
• As quatro palavras mais importantes: “Qual a sua opinião?” (ouvir);
• As cinco palavras mais importantes: “Você fez um bom trabalho”
(encorajamento);
• As seis palavras mais importantes: “Eu quero poder conhecer você”.

17
PALESTRA 1

Colheita e Paradigmas
1. A urgência do chamado

2. Mudanças necessárias

O que não pode mudar O que deve mudar

Essência Forma

Paradigma antigo Paradigma novo


Pastor é responsável por tudo

É necessário ter conhecimento


bíblico profundo para liderar

Células só trazem sobrecarga

18
19
PALESTRA 2

Visão, Missão, Estratégias

1. O que é a Igreja

2. História da Igreja

3. Realidade da Igreja Batista Central

20
21
PALESTRA 3

Transição: O que fazer primeiro


Formação Pastoral

a) Estudo e domínio do assunto

b) Leitura de livros chaves

c) Visitas à igrejas em células

d) Fazer seminários e conferências

Passo O que fazer primeiro?


1

22
23
PALESTRA 4

Escola de Líderes
1. Principais dificuldades para a formação de líderes

2. Como formar líderes

3. O que é uma escola de líderes

4. Como começar uma escola de líderes

5. O Centro de Capacitação Ministerial da Igreja Batista Central

O que fazer?
Fase 1:
Implantação

Fase 2:
Manutenção

24
25
KIT DNA CENTRAL
A Igreja Batista Central oferece graciosamente às igrejas de qualquer
denominação, um KIT contendo as ferramentas principais que possibilitarão às
Igrejas darem início ao seu processo de implantação da metodologia de Células.
No entanto, essa ferramenta precisa ser avaliada, adaptada e complementada
por cada igreja, para que ela própria chegue a seu modelo particular, que
respeita sua cultura, regionalismos e estratégias.
Este KIT contempla 4 módulos principais, que são descritos a seguir :

1: RELATÓRIOS DE CONTROLE 2: LIÇÕES PARA AS CÉLULAS

• Cadastro de Membros da célula • Estação Comunhão


• Controle de presença (para o líder) • Estação Crescimento
• Ficha de Cadastro da Célula • Estação Cuidado
• Ficha de Batismo • Lições avulsas
• Ficha de Transferência de igreja • Série 21 Dias para Receber seu
• Ficha de Decisão para novos Milagre
convertidos • Série A vida de Jesus
• Minha Célula (cadastro para o líder) • Série A Bússola
• Perfil de Célula • Série A pessoa e o caráter de Jesus
• Planejamento do Mês • Série Caminhos da Restauração
• Planejamento da Multiplicação • Série Conexões com Deus
• Registro de Visitantes da Célula • Série Escolhas que transforma vidas
• Relatório Semanal • Série Especial de Natal
• Série Graça- o melhor dos
presentes
• Série Valores
• Série Grandes Perguntas sobre a fé
cristã
• Série Histórias de Atos
• Série Ingredientes para a
maturidade
• Série Interligados
• Série Marcas de um Verdadeiro
Cristão
• Série Março Radical
• Série Meu relacionamento com
26 Deus
• Série Nossa Identidade 3: MATERIAL PARA TREINAMENTOS
• Série Nova Direção
• Série Nova Vida em Cristo • CCM: Apostilas, Planejamento e
• Série O mais importante Apresentação
• Série Paixão Contagiante • Células de Crianças
• Série Parábolas de Jesus • Material para formação de
• Série Quem é Jesus Discipuladores
• Série Sermão do Monte • Material para formação de Líderes
• Série Tiago: a fé que se revela • Para pastores: Material informativo
• Série Transformando Vidas sobre a visão de Células
• Série Vencendo os inimigos da Fé
• Série Verdades Essenciais do 4: PALESTRAS DO SEMINÁRIO
Evangelho TRANSMITINDO O DNA
• Sugestões de Quebra-Gelo
• Livros de referência que podem ser • Apresentações dos Power Points e
usados como textos para as reuniões vídeos utilizados no seminário

5: WORKSHOP ENCONTRO COM


DEUS
• Apresentação do Encontro
• Ministrações
• Planejamento
• Organização do Encontro
• Palestras
• Teatros
6: EXTRAS
• Vídeo de Apresentação das 4
Estações da Central e Institucional
• Diário das 4 Estações
• Revista “Visão Central”
• Campanha 21 dias de oração

7: DIAGNÓSTICO
• Cronograma do Processo de
Transição
• Formulário Diagnóstico
• Plano de Ação (Etapa 1 e 2)

27
28
29
30
31
32

Interesses relacionados