Você está na página 1de 132

A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS • MAIO DE 2006

A Liahona
Discursos da
Conferência Geral
REPRODUÇÃO PROIBIDA

City Creek, de Al Rounds


Esta vista do Templo de Salt Lake, de 1893, mostra uma das quatro indústrias de transformação construídas sobre o
City Creek [Ribeirão da Cidade], a nordeste do templo. Esta indústria processou a seda que foi trazida de Saints, em St. George, Utah.
O Presidente Brigham Young promoveu a criação de bichos-da-seda como indústria caseira para fornecer tecidos para roupas.
A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS • MAIO DE 2006

A Liahona
2 Resumo da 176ª Conferência 50 Um Sacerdócio Real 93 Instrumentos da Paz do Senhor
Geral Anual Presidente James E. Faust Élder Robert S. Wood
54 Nosso Sagrado Voto de Confiança 96 Oração, Fé e Família: Pedras que
SESSÃO DA MANHÃ DE SÁBADO do Sacerdócio Pavimentam o Caminho para a
4 Agir por Nós Mesmos: Presidente Thomas S. Monson Felicidade Eterna
O Dom e as Bênçãos do Arbítrio 58 A Necessidade de Mais Bondade Élder H. Bruce Stucki
Élder Robert D. Hales Presidente Gordon B. Hinckley 99 “Vida em Abundância”
8 Um Coração Quebrantado e Mãos Élder Joseph B. Wirthlin
que Ajudam SESSÃO DA MANHÃ DE DOMINGO 102 Até Nos Vermos Novamente
Bispo H. David Burton 61 A Restauração de Todas as Coisas Presidente Gordon B. Hinckley
11 Uma Torrente de Bênçãos Presidente James E. Faust
Julie B. Beck 69 Consertar o que Está Quebrado REUNIÃO GERAL DAS MOÇAS
14 Como uma Criança Élder Jeffrey R. Holland 103 “Eu Sou a Luz que Levantareis”
Élder Henry B. Eyring 72 O Grande Plano de Felicidade Susan W. Tanner
18 Sempre Fiéis Élder Earl C. Tingey 106 Vocês Têm um Nobre Legado
Presidente Thomas S. Monson 74 Crescer no Senhor Julie B. Beck
Anne C. Pingree 109 Teu Rosto Revela
SESSÃO DA TARDE DE SÁBADO Elaine S. Dalton
77 Todos os Homens, em Todos os
22 Apoio aos Líderes da Igreja Lugares 111 Sua Luz — Um Estandarte para
Presidente Thomas S. Monson Élder Dallin H. Oaks Todas as Nações
23 Relatório do Departamento de 81 Buscai o Reino de Deus Presidente James E. Faust
Auditoria da Igreja, 2005 Presidente Gordon B. Hinckley
Robert W. Cantwell 64 Autoridades Gerais de A Igreja
24 Relatório Estatístico de 2005 SESSÃO DA TARDE DE DOMINGO de Jesus Cristo dos Santos dos
F. Michael Watson 84 Criar um Lar que Transmite o Últimos Dias
25 “Não Mais Me Lembro de Seus Evangelho 115 Ensinamentos para os Nossos Dias
Pecados” Élder M. Russell Ballard 116 Eles Falaram para Nós: Fazer com
Presidente Boyd K. Packer 87 Agora É a Hora de Servir em uma Que a Conferência Se Torne Parte
28 Para Que Possamos Ter Sempre Missão! de Nossa Vida
Conosco o Seu Espírito Élder Richard G. Scott 118 Guias de Recursos para o
Élder David A. Bednar 90 Sião em Meio à Babilônia Sacerdócio Aarônico e Moças
32 Sua Missão Mudará Tudo Élder David R. Stone 121 Presidência Geral das Auxiliares
Élder David F. Evans
122 Notícias da Igreja
34 O Dom do Arbítrio
Élder Wolfgang H. Paul
36 Fortalecer o Casamento
Élder Russell M. Nelson
39 Ao Tomar o Sacramento
Élder L. Tom Perry

SESSÃO DO SACERDÓCIO
42 Ver o Fim desde o
Princípio
Élder Dieter F. Uchtdorf
46 Nossa Nova Geração
Élder Ronald A. Rasband
48 Arrependimento, uma
Bênção para os Membros
Élder Richard G. Hinckley
Resumo da 176ª Conferência Geral Anual Wilberg como regentes; Linda Margetts e
Bonnie Goodliffe como organistas: “Sing
Praise to Him” [Cantai-Lhe em Louvor],
Hymns, nº 70, arr. Wilberg, inédito; “Jesus
MANHÃ DE SÁBADO, 1º DE ABRIL DE 2006, Richards. Oração de encerramento: Élder Cristo É Meu Senhor”, Hinos, nº 65, arr.
SESSÃO GERAL Marlin K. Jensen. Música pelo Coro do Wilberg, inédito; “Que Firme Alicerce”,
Presidida por: Presidente Gordon B. Hinckley. Tabernáculo; Craig Jessop e Mack Wilberg Hinos, nº 42; “É Tarde, a Noite Logo Vem”,
Dirigida por: Presidente James E. Faust. como regentes; Clay Christiansen, organista: Hinos, nº 96, arr. Gates, pub. Jackman.
Oração de abertura: Élder Cláudio R. M. “A Deus, Senhor e Rei”, Hinos, nº 35;
Costa. Oração de encerramento: Élder Neil L. “Ele Mandou Seu Filho”, Músicas para NOITE DE SÁBADO, 25 DE MARÇO DE 2006,
Andersen. Música pelo Coro do Tabernáculo; Crianças, 20–21, arr. Bradford, pub. Nature REUNIÃO GERAL DAS MOÇAS
Craig Jessop e Mack Wilberg como regen- Sings; “Assombro Me Causa”, Hinos, nº 112; Presidida por: Presidente Gordon B.
tes; John Longhurst e Richard Elliott como “Cantando Louvamos”, Hinos, nº 50; “O Hinckley. Dirigida por: Susan W. Tanner.
organistas: “A Alva Rompe”, Hinos, nº 1; Lord Most Holy” [Santíssimo É o Senhor], Oração de abertura: Annette C. Burgess.
“Ó Crianças, Deus Vos Ama”, Hinos, nº 192; Franck, arr. Robertson e Schreiner, inédito; Oração de encerramento: Jessica Barth.
“Com Fervor Fizeste a Prece?” Hinos, nº 83, “Vive o Redentor”, Hinos, nº 67, arr. Música por um coro de Moças das estacas
arr. Wilberg, pub. Jackman; “Alegres Wilberg, inédito. de Ogden, Utah; Merrilee Webb, regente;
Cantemos”, Hinos, nº 3; “Pela Beleza do Bonnie Goodliffe, organista: “Jesus, Minha
Mundo”, Hinos, nº 49, arr. Wilberg, inédito; TARDE DE DOMINGO, 2 DE ABRIL DE 2006, Luz”, Hinos, nº 44; “Shine the Light” [Que
“Consider the Lilies of the Field” [Olhai para SESSÃO GERAL Resplandeça a Luz], pot-pourri, arr. Huff,
os Lírios no Campo], Hoffman, arr. Lyon, Presidida por: Presidente Gordon B. inédito (“Brilha”, Músicas para Crianças, p.
pub. Jackman; “No Monte a Bandeira”, Hinckley. Dirigida por: Presidente James E. 96; “Faz-Me Andar Só na Luz”, Músicas para
Hinos, nº 4, arr. Wilberg, inédito. Faust. Oração de abertura: Élder Lance B. Crianças, p. 70; “A Luz de Deus”, Hinos, nº
Wickman. Oração de encerramento: Élder 77); “Eu Sei Que Vive Meu Senhor”, Hinos,
TARDE DE SÁBADO, 1º DE ABRIL DE 2006, Dennis B. Neuenschwander. Música pelo nº 70, arr. Huff, inédito (solo: Hillary Dodd);
SESSÃO GERAL Coro do Tabernáculo; Craig Jessop e Mack “No Monte a Bandeira”, Hinos, nº 4, arr.
Presidida por: Presidente Gordon B. Webb, inédito.
Hinckley. Dirigida por: Presidente Thomas S.
Monson. Oração de abertura: Élder Cecil O. GRAVAÇÃO DAS SESSÕES DA CONFERÊNCIA
Samuelson Jr. Oração de encerramento: A gravação das sessões da conferência, em
Élder Glenn L. Pace. Música por um coro muitos idiomas, estará à disposição nos cen-
combinado da Universidade Brigham Young; tros de distribuição, geralmente dois meses
Rosalind Hall, regente; Bonnie Goodliffe, após a conferência.
organista: “I Saw a Mighty Angel Fly” [Vi
um Poderoso Anjo Voar], Hymns, nº 15, DISCURSOS DA CONFERÊNCIA NA INTERNET
arr. Lewis, inédito; “Neste Mundo”, Hinos, Para acessar os discursos da conferência
nº 136, arr. Zabriskie, pub. Plum; “Vinde, geral pela Internet em vários idiomas, entre
Ó Filhos do Senhor”, Hinos, nº 27; “Vinde no site www.lds.org. Clique em “Gospel
a Mim”, Hinos, nº 68, arr. Manookin, Library” e em “General Conference”.
pub. Sonos. Depois, selecione o idioma.
NOITE DE SÁBADO, 1º DE ABRIL DE 2006, MENSAGENS DOS MESTRES FAMILIARES E
SESSÃO DO SACERDÓCIO DAS PROFESSORAS VISITANTES
Presidida por: Presidente Gordon B. Para as mensagens dos mestres familiares e
Hinckley. Dirigida por: Presidente Thomas S. das professoras visitantes, escolha um dis-
Monson. Oração de abertura: Élder Ronald T. curso que melhor atenda às necessidades
Halverson. Oração de encerramento: Élder daqueles a quem visitam.
Robert J. Whetten. Música por um coro do
sacerdócio dos institutos de Orem e Salt NA CAPA
Lake; Douglas Brenchley, Ryan Eggett, e Primeira Capa: Fotografia: Welden C.
Rick Decker como regentes; Richard Elliott, Andersen. Última Capa: Fotografia: Craig
organista: “Awake, Ye Saints of God, Awake!” Dimond.
[Despertai, Vós Santos de Deus, Despertai!],
Hymns, nº 17, arr. Staheli, pub. Plum; “O FOTOGRAFIAS DA CONFERÊNCIA
Senhor Meu Pastor É”, Hinos, nº 37, arr. As cenas da conferência geral em Salt Lake
Loose, inédito; “Graças Damos, Ó Deus, City foram tomadas por Craig Dimond,
por um Profeta”, Hinos, nº 9; “Ó Vem, Welden C. Andersen, John Luke, Matthew
Supremo Rei”, Hinos, nº 28. Reier, Christina Smith, Les Nilsson, Scott
Davis, Amber Clawson, Rod Boam, Joel
MANHÃ DE DOMINGO, 2 DE ABRIL DE 2006, Remke, e Candelaria Atalaya; na Coréia, por
SESSÃO GERAL Lee Hyun Kyu e Lee Min Hee; no México,
Presidida por: Presidente Gordon B. por Cristian Barragan; nas Filipinas, por
Hinckley. Dirigida por: Presidente Thomas S. Athley Barba Glori; no Uruguai por Abel
Monson. Oração de abertura: Élder H. Bryan Gómez; e no Missouri, USA, por Brent Jones.

2
Maio de 2006 Vol. 59, Nº 5
A LIAHONA 26985 059
Publicação oficial em português d’A Igreja de Jesus Cristo
dos Santos dos Últimos Dias
A Primeira Presidência: Gordon B. Hinckley,
Thomas S. Monson, James E. Faust
Quórum dos Doze: Boyd K. Packer, L. Tom Perry,
Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard,
Joseph B. Wirthlin, Richard G. Scott, Robert D. Hales,
Jeffrey R. Holland, Henry B. Eyring, Dieter F. Uchtdorf,
David A. Bednar
Editor: Jay E. Jensen
Consultores: Monte J. Brough, Gary J. Coleman,
Yoshihiko Kikuchi
Diretor Gerente: David L. Frischknecht
Diretor Editorial: Victor D. Cave
Editores Sêniores: Larry Hiller, Richard M. Romney
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg
Gerente Editorial: Victor D. Cave
Gerente Editorial Assistente: Jenifer L. Greenwood
Editores Associados: Ryan Carr, Adam C. Olson
Editor(a) Adjunto: Susan Barrett
Equipe Editorial: Shanna Butler, Linda Stahle Cooper, LaRene
Porter Gaunt, R. Val Johnson, Carrie Kasten, Melvin Leavitt,
Sally J. Odekirk, Judith M. Paller, Vivian Paulsen, Jennifer Rose,
Christy Rusch, Don L. Searle, Rebecca M. Taylor, Roger Terry,
Janet Thomas, Paul VanDenBerghe, Julie Wardell,
Kimberly Webb
Secretário(a) Sênior: Monica L. Dickinson
Gerente de Marketing: Larry Hiller
Gerente Gráfico da Revista: M. M. Kawasaki
Diretor de Arte: Scott Van Kampen
Gerente de Produção: Jane Ann Peters
Equipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo,
Collette Nebeker Aune, Brittany Jones Beahm, Howard G.
Brown, Julie Burdett, Thomas S. Child, Reginald J. Christensen,
Kathleen Howard, Denise Kirby, Tadd R. Peterson, Randall J.
Pixton
Diretor de Impressão: Craig K. Sedgwick
Diretor de Distribuição: Kris T Christensen
A Liahona:
Diretor Responsável: Wilson R. Gomes
Produção Gráfica: Eleonora Bahia
Editor: Luiz Alberto A. Silva (Reg. 17.605)
Tradução: Edson Lopes
Assinaturas: Cezare Malaspina Jr.
© 2006 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
reservados. Impresso nos Estados Unidos da América.
O texto e o material visual encontrado n’ A Liahona
podem ser copiados para uso eventual, na igreja ou no ORADORES EM ORDEM ÍNDICE POR ASSUNTO Luz de Cristo, 111
lar, não para uso comercial. O material visual não pode ser
copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos ALFABÉTICA Ajuda Humanitária, 8 Luz, 103, 106, 109
constantes da obra. As dúvidas sobre direitos autorais devem Ballard, M. Russell, 84 Alegria, 99 Moralidade, 18
ser encaminhadas para Intellectual Property Office, 50 East
North Temple Street, Salt Lake City, UT 84150, USA; e-mail: Beck, Julie B., 11, 106 Amizade, 84 Natureza divina, 111
cor-intellectualproperty@ldschurch.org. Bednar, David A., 28 Amor, 99, 103 Obediência, 34
A Liahona pode ser encontrada na Internet em vários idio- Burton, H. David, 8 Apostasia, 61
mas, no site www.lds.org. Para vê-la em inglês clique em
Obra missionária, 32, 84, 87
“Gospel Library”. Para vê-la em outro idioma clique no Dalton, Elaine S., 109 Arbítrio, 4, 34, 81 Oração, 96
mapa-múndi. Evans, David F., 32 Arrependimento, 25, 48, 69 Padrões, 42, 90
REGISTRO: Está assentado no cadastro da DIVISÃO DE
CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS, do D.P.F., sob Eyring, Henry B., 14 Batismo, 28 Palavra de Sabedoria, 18
nº 1151-P209/73 de acordo com as normas em vigor. Faust, James E., 50, 61, 111 Bênçãos Patriarcais, 106 Paz, 69, 93
ASSINATURAS: A assinatura deverá ser feita pelo telefone Hales, Robert D., 4 Bênçãos, 11
0800-130331 (ligação gratuita); informações sobre assina-
Perdão, 25
turas solicite ao Centro de Distribuição da Igreja, Caixa Hinckley, Gordon B., 58, Bondade, 58, 99 Perspectiva, 42
Postal 26023, CEP 05599-970 - São Paulo - SP, ou pelo e- 81, 102 Caridade, 8
mail: distribuicao@ldschurch.org
Plano de salvação, 34, 72
Preço da assinatura anual para o Brasil: R$ 18,00. Preço Hinckley, Richard G., 48 Casamento, 36 Pornografia, 18
do exemplar em nossa agência: R$ 1,80. Para Portugal — Holland, Jeffrey R., 69 Comunicação, 36 Potencial, 99
Centro de Distribuição Portugal, Rua Ferreira de Castro,
10 — Miratejo, 2855-238 Corroios. Assinatura Anual: Monson, Thomas S., 18, Convênio Abraâmico, 106 Preparação, 87, 111
10 Euros; para o exterior: exemplar avulso: US$ 3.00; assi- 22, 54 Convênios, 28, 39, 61 Proteção, 14
natura: US$ 30.00. As mudanças de endereço devem ser
comunicadas indicando-se o endereço antigo e o novo. Nelson, Russell M., 36 Conversão, 77 Racismo, 58
Envie manuscritos e perguntas para: Liahona, Oaks, Dallin H., 77 Dignidade, 42 Responsabilidade, 50
Room 2420, 50 East North Temple Street, Salt Lake City, Packer, Boyd K., 25 Dívida, 18
UT 84150-3220, USA; ou mande e-mail para:
Ressurreição, 72
liahona@ldschurch.org Paul, Wolfgang H., 34 Dons espirituais, 11 Restauração, 54, 61
For readers in the United States and Canada: Perry, L. Tom, 39 Espírito Santo, 4, 14, 28 Retidão, 109
May 2006 Vol. 59 Nº 5. A LIAHONA (USPS 311-480) (ISSN
1044-3347) is published monthly by The Church of Jesus Pingree, Anne C., 74 Espiritualidade, 74 Sacerdócio Aarônico, 39, 50
Christ of Latter-day Saints, 50 East North Temple, Salt Lake Rasband, Ronald A., 46 Exemplo, 46, 54, 84, 106, 109 Sacerdócio, 11, 54
City, UT 84150. USA subscription price is $10.00 per year;
Canada, $14.00. Periodicals Postage Paid at Salt Lake City, Scott, Richard G., 87 Expiação, 25, 48, 72 Sacramento, 39
Utah and at additional mailing offices. Sixty days’ notice Stone, David R., 90 Família, 36, 46, 96, 103 Serviço, 8, 32, 74, 103
required for change of address. Include address label from
a recent issue; old and new address must be included. Send Stucki, H. Bruce, 96 Fé, 14, 74, 96, 102 Sião, 90
USA and Canadian subscriptions to Salt Lake Distribution Tanner, Susan W., 103 Felicidade, 32 Tentação, 4, 18
Center, at address below. Subscription help line: 1-800-
537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard, and Tingey, Earl C., 72 Filhos, 14 Testemunho, 50, 81,
American Express) may be taken by telephone. Uchtdorf, Dieter F., 42 Gratidão, 81 87, 102
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake Wirthlin, Joseph B., 99 Jesus Cristo, 48, 69, 77, 102
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368, Tolerância, 58, 93
Salt Lake City, UT 84126-0368. Wood, Robert S., 93 Juventude, 46 Trabalho, 58
Livro de Mórmon, 77 União, 93

A L I A H O N A MAIO DE 2006 3
SESSÃO DA MANHÃ DE SÁBADO
1º de Abril de 2006

Agir por Nós


Mesmos: O Dom
e as Bênçãos do
Arbítrio
É L D E R R O B E R T D. H A L E S
Do Quórum dos Doze Apóstolos

O arbítrio, usado com retidão, permite que a luz disperse a


escuridão e nos capacite a viver com alegria e felicidade.

mencionado no Livro de Mórmon,


também escolheu seguir ao Senhor.
Ele foi instruído a que “partisse com
a família para o deserto”.1 A despeito
das duras condições da viagem e das
reclamações de seus filhos Lamã e
Lemuel, Leí guiou sua família a uma
terra de promissão. Mas não era um
lugar de paz. Quando Lamã e Lemuel
usaram seu arbítrio para desobedecer
ao Senhor, o coração de Leí “[se
encheu] de pesar [por eles]”.2 Antes Ele ensinou que “os homens são
de sua morte, Leí reuniu os filhos à ensinados suficientemente para dis-
sua volta, abençoou-os e os aconse- tinguirem o bem do mal”.5 Essa ins-
lhou.3 A seus filhos rebeldes, reco- trução sagrada começou nos céus. Lá,
mendou que se arrependessem e em um Grande Conselho, nosso Pai
fossem fiéis: “Despertai, meus filhos Celestial deu continuidade ao dom do

S
ou grato pelo testemunho do (...). Sacudi as correntes com que arbítrio para nos provar aqui na mor-
nosso profeta, o Presidente estais amarrados”.4 E a seu filho justo, talidade, “para ver se [faremos] todas
Gordon B. Hinckley. Em nome Jacó, ele ensinou uma lição final as coisas que o Senhor [nosso] Deus
de todos os membros em todo o muito importante. [nos] ordenar”.6
mundo, expresso gratidão por ele Se pudéssemos deixar uma lição Mas Satanás se opôs a Deus e a Seu
ter escolhido seguir a inspiração do da maior importância para nossos plano, dizendo: “Redimirei a humani-
Senhor e ter-nos pedido que lêsse- filhos e netos, qual seria ela? De todos dade toda, (...) portanto dá-me a tua
mos o Livro de Mórmon. Fomos os gloriosos princípios do evangelho, honra”.7 “Portanto, por ter Satanás se
abundantemente abençoados por Leí escolheu ensinar a seu filho sobre rebelado contra mim e procurado
seu conselho inspirado. o plano de salvação — e o dom do destruir o arbítrio do homem, o qual
O patriarca Leí, primeiro profeta arbítrio. eu, o Senhor Deus, lhe dera; (...) fiz

4
com que ele fosse expulso”.8 “E, oposição em todas as coisas”.12 Essa Jardim do Éden para cultivar a
naquele dia, muitos o seguiram”.9 Na oposição é essencial ao propósito de terra”.15 Por causa daquela escolha,
verdade, “uma terça parte das hostes nossa vida. Como Leí explicou: “Para também “tiveram filhos, (...) a família
do céu”10 usou seu arbítrio para rejei- conseguir seus eternos propósitos de toda a Terra”,16 e esta existência
tar o plano de Deus. com relação ao homem, (...) o Senhor terrena “se tornou um estado de pro-
Você e eu estávamos entre aqueles Deus concedeu, portanto, que o vação”17 para eles e para sua posteri-
que usaram seu arbítrio para aceitar o homem agisse por si mesmo; e o dade. Pois, “eis que todas as coisas
plano do Pai Celestial de vir à Terra, homem não poderia agir por si foram feitas segundo a sabedoria
ter uma vida mortal, e progredir. mesmo a menos que fosse atraído daquele que tudo conhece”, disse
“Bradamos de alegria (...) por ter a por um ou por outro”.13 Leí a Jacó. “Adão caiu para que os
oportunidade de vir à terra e receber Adão e Eva foram os primeiros homens existissem; e os homens
um corpo [pois sabíamos] que pode- filhos de Deus a experimentarem existem para que tenham alegria.” 18
ríamos nos tornar, pela fidelidade, essas tentações. Objetivando a miséria Às vezes esquecemos que nosso
semelhantes a [nosso] Pai, Deus”. 11 de toda a humanidade, Satanás, “o pai Pai Celestial deseja que cada um de
Agora estamos aqui na Terra, onde de todas as mentiras”,14 tentou Adão e nós tenha essa alegria. Somente
há várias oportunidades de usar Eva. Por terem escolhido partilhar do cedendo à tentação e ao pecado
nosso arbítrio; pois aqui “[há] uma “fruto proibido, foram expulsos do poderemos ser impedidos de sentir

A L I A H O N A MAIO DE 2006 5
tal alegria. E ceder é exatamente o Embora o diabo ria, seu poder é direção? Testifico que o modo como
que Satanás quer que façamos. limitado. Alguns devem lembrar-se do escolhemos sentir e pensar e agir a
Certa vez tive a oportunidade de velho adágio: “O diabo me fez fazer cada dia é a maneira de chegar ao
acompanhar o Presidente Spencer W. isto”. Hoje quero afirmar, em termos caminho, e permanecer nele, até que
Kimball a uma terra distante. Visitamos absolutamente claros, que o adversário alcancemos nosso destino eterno.
vários lugares naquela região, não pode fazer com que façamos coisa Mas nenhum de nós permanece no
incluindo catacumbas subterrâneas — alguma. Ele jaz à nossa porta, como caminho estreito o tempo todo. Todos
locais de sepultamento dos que dizem as escrituras, e deseja possuir- cometemos erros. Foi por isso que Leí,
tinham sido perseguidos por cristãos nos.20 A cada vez que saímos, a cada que entendia o papel do Salvador na
fanáticos. Ao subirmos as estreitas e decisão que tomamos, estamos esco- preservação e recuperação de nosso
escuras escadas para sair daquele lhendo nos mover na direção dele ou arbítrio, ensinou a Jacó — e a nós: “O
lugar, o Presidente Kimball ensinou- de nosso Salvador. Mas o adversário Messias vem na plenitude dos tempos
me uma lição inesquecível. Ele puxou terá que ir embora se dissermos a ele para redimir da queda os filhos dos
a barra de meu paletó e disse: “Sempre que vá. Ele não pode influenciar-nos a homens. E porque são redimidos da
me perturbou o que o adversário faz não ser que permitamos que o faça, e queda tornaram-se livres para sempre,
usando o nome de nosso Salvador”. ele sabe disso! O único momento em distinguindo o bem do mal; para agi-
E então, disse: “Robert, o adversário que ele pode afetar nossa mente e rem por si mesmos e não para recebe-
nunca terá alegria a não ser que você e corpo — ou mesmo nosso espírito — rem a ação”.21 Essa é a resposta: “para
eu pequemos”. é quando permitimos que o faça. Em agirem por si mesmos e não para rece-
Ao meditar sobre aquele comentá- outras palavras, não temos que sucum- berem a ação”.
rio e estudar as escrituras, comecei a bir às suas tentações! Nestes últimos dias, como nos
entender o que o Presidente Kimball Recebemos o arbítrio, recebemos tempos antigos, temos que evitar
disse. Lembrei-me da palavra do as bênçãos do sacerdócio, e recebe- receber a ação, agindo por nós mes-
Senhor a todos os habitantes da Terra, mos a Luz de Cristo e o Espírito Santo mos para fugir do mal. O Espírito
registrada no Livro de Mórmon: “Ai, para um propósito. Esse propósito é Santo nos orientará. José foi orien-
ai, ai deste povo! Ai dos habitantes de nosso crescimento e felicidade neste tado a fugir da mulher de Potifar.
toda a Terra, a não ser que se arrepen- mundo e vida eterna no mundo Abraão obedeceu ao mandamento de
dam; porque o diabo ri e seus anjos futuro. Hoje eu pergunto: haveis rece- fugir da terra de Ur. Leí foi instruído a
se regozijam em virtude da morte dos bido esse Espírito? Nós estamos fugir de Jerusalém antes que ela fosse
belos filhos e filhas de meu povo”.19 seguindo pelo caminho estreito e destruída. E para proteger a vida do
São nossos pecados que fazem o apertado que leva a Deus e à vida Salvador, Maria e José foram inspira-
diabo rir; é nossa tristeza que dá a eterna? Estamos segurando na barra dos a fugir para o Egito.
ele falsa alegria. de ferro? Ou estamos indo em outra A inspiração que recebemos para

6
fugir do mal reflete o entendimento no buraco negro de verdade, no causa do sacrifício Dele por você, Ele
que o Pai Celestial possui de nossas espaço, pode parecer impossível que tem o poder de “não mais [Se lem-
forças e fraquezas, e Sua consciência a luz penetre até onde você está. brar de seus pecados]”.24 Você deve
das circunstâncias imprevistas em Como escapar? Testifico que a única fazer o mesmo.
nossa vida. Quando essa inspiração maneira é por meio do próprio arbí- Depois que estiver no caminho e
ocorre, geralmente não nos faz parar trio que você exercitou tão valente- “livre para escolher” novamente,
de imediato, pois o Espírito de Deus mente na vida pré-mortal, o arbítrio escolha rejeitar os sentimentos de
não fala com uma voz de trovão. A que o adversário não pode retirar de vergonha por pecados dos quais já
voz será tão suave quanto um sus- você a menos que você o dê a ele. tenha se arrependido, recuse-se a ser
surro, vindo como um pensamento a Como recuperar tal arbítrio? Como desencorajado pelo passado e rego-
nossa mente ou como um sentimento começar a exercê-lo novamente da zije-se na esperança no futuro.
a nosso coração. Dando ouvidos a sua maneira correta? Você escolhe agir Lembre-se: é Satanás quem quer que
inspiração delicada, estaremos prote- em fé e obediência. Quero sugerir sejamos “tão miseráveis como ele
gidos das conseqüências destrutivas algumas escolhas básicas que você próprio”.25 Faça com que seus desejos
do pecado. pode começar a fazer agora — neste sejam mais fortes do que os dele. Seja
Mas se ignorarmos tal inspiração, a mesmo dia. feliz e confie na vida e nas oportuni-
luz do Espírito se desvanecerá. Nosso Escolha aceitar — aceitar de ver- dades e bênçãos que esperam por
arbítrio será limitado ou perdido e dade — que você é um filho de Deus, você aqui e por toda a eternidade.
perderemos a confiança e a habili- que Ele o ama e que Ele tem o poder Por fim, lembre-se de que nosso
dade de agir. Estaremos “[andando] para ajudá-lo. arbítrio não é apenas para nós. Temos
em trevas [espirituais] ao meio-dia”.22 Escolha depositar tudo — literal- a responsabilidade de usá-lo em bene-
E quão fácil é desviar-nos por cami- mente tudo — no altar diante Dele. fício de outras pessoas, para edificá-
nhos estranhos e perder-nos! Quão Acreditando que é Seu filho, decida las e fortalecê-las em suas provações e
rapidamente somos presos às corren- que sua vida pertence a Ele e que tribulações. Alguns de nossos irmãos
tes do pecado mencionadas por Leí a você usará seu arbítrio para fazer a e irmãs perderam o uso pleno de seu
seus filhos rebeldes.23 Por exemplo, se vontade Dele. Você pode fazer isso arbítrio por causa de escolhas iníquas.
fizermos escolhas que nos coloquem várias vezes na vida; mas nunca, Sem nos expor a tentações, podemos
em sério débito, perderemos o arbí- nunca desista. e devemos convidar outras pessoas a
trio de prover nossos desejos e neces- Escolha colocar-se em posição de receberem a luz do evangelho de
sidades, ou de poupar para aquele ter experiências com o Espírito de Jesus Cristo. Por intermédio de ami-
inevitável dia chuvoso. Se escolher- Deus por meio da oração, do estudo zade e amor, podemos conduzi-las ao
mos quebrar a lei, podemos ser colo- das escrituras, das reuniões da Igreja, caminho da obediência e encorajá-las
cados na prisão onde nosso arbítrio é em seu lar, e da interação sadia com a usar seu arbítrio para fazerem as
tão limitado que não podemos esco- outras pessoas. Quando sentir a escolhas certas uma vez mais.
lher aonde ir, com quem nos encon- influência do Espírito, você estará Assim como o patriarca Leí testifi-
trar ou o que fazer. A prisão espiritual começando a ser limpo e fortalecido. cou a sua família sobre as bênçãos do
também é assim. Portanto, para pre- A luz estará sendo ligada, e quando arbítrio, também desejo testificar a
servar nosso arbítrio, temos que cami- aquela luz brilha, a escuridão do mal vocês, meus amados irmãos e irmãs
nhar diariamente na luz de nosso não consegue permanecer. em todo o mundo, e a minha família.
Senhor e Salvador e seguir o caminho Escolha obedecer e manter seus O arbítrio foi manifestado no
da obediência. Esse é o único cami- convênios, a começar pelo convênio Conselho dos Céus quando escolhe-
nho que leva ao nosso Pai Celestial. batismal. Renove esses convênios par- mos seguir o plano de nosso Pai
Se, por meio de nossas escolhas tilhando dignamente do sacramento. Celestial e vir à mortalidade para este
iníquas, desviamo-nos daquele cami- Escolha preparar-se para freqüen- período probatório. O arbítrio permite
nho, temos que nos lembrar do arbí- tar dignamente o templo, fazer e que sejamos testados para ver se ire-
trio que nos foi dado, arbítrio que renovar convênios sagrados e receber mos ou não perseverar até o fim e vol-
podemos escolher exercitar nova- todas as ordenanças e bênçãos salva- tar a nosso Pai Celestial com honra. O
mente. Falo especialmente àqueles doras do evangelho. arbítrio é o catalisador que nos leva a
vencidos pela espessa escuridão do Finalmente, e mais importante que expressar nossos desejos espirituais
vício. Se você sucumbiu a algum com- tudo, escolha acreditar na Expiação internos com comportamentos exter-
portamento vicioso, pode sentir-se de Jesus Cristo. Aceite o perdão do nos cristãos. O arbítrio permite-nos
em um buraco negro espiritual. Como Salvador e perdoe a si mesmo. Por fazer escolhas de fé e obediência que

A L I A H O N A MAIO DE 2006 7
Um Coração
nos fortaleçam para que edifiquemos
e fortaleçamos outras pessoas. O arbí-
trio, usado com retidão, permite que a
luz disperse a escuridão e nos capacite
a viver com alegria e felicidade no pre-
sente, olhar com fé para o futuro,
mesmo para as eternidades, e não se
ater às coisas do passado. O uso que
Quebrantado e
fazemos do arbítrio determina quem
somos e o que seremos.
A todos que desejarem desfrutar as
grandiosas bênçãos do arbítrio, testi-
Mãos que Ajudam
B I S P O H . DAV I D B U R TO N
fico que ele é fortalecido por nossa fé Bispado Presidente
e obediência. O arbítrio nos leva a
agir: buscar para que encontremos,
pedir para que recebamos orientação A todos os que têm um coração quebrantado e mãos que
do Espírito, bater naquela porta que ajudam e que aliviam o fardo de muitos, minha profunda
conduz à luz espiritual e, finalmente, gratidão.
à salvação. Presto testemunho espe-
cial de que nosso Salvador, Jesus
Cristo, é a fonte dessa luz, mesmo a
Luz e a Vida do Mundo. Quando usar- seguida, enfiou a mão no bolso,
mos nosso arbítrio para segui-Lo, Sua pegou cinco dólares e disse: “Estou
luz brilhará em nós sempre mais sentido pelo que houve com esse
intensamente, até aquele dia per- irmão pelo valor de cinco dólares. O
feito26 em que seremos admitidos na quanto cada um de vocês (...) está
presença de nosso Pai Celestial por sentido [por ele]?”1 A resposta ime-
toda a eternidade. Que usemos nosso diata do Profeta é significativa. No ano
arbítrio para esse fim sagrado e glo- passado, milhões de vocês demons-
rioso, eu oro em nome de Jesus traram sua compaixão pelos outros,
Cristo. Amém. ■ com seus recursos, corações quebran-
NOTAS tados e mãos que ajudam. Muito obri-
1. 1 Néfi 2:2. gado pela maravilhosa medida de sua
2. 2 Néfi 1:17.
3. Ver 2 Néfi 1:14.
generosidade.
4. 2 Néfi 1:23. A compaixão pelos outros sempre
5. 2 Néfi 2:5. foi uma característica fundamental
6. Ver Abraão 3:24–25.
7. Moisés 4:1. dos membros de A Igreja de Jesus
8. Moisés 4:3. Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

O
9. Abraão 3:28. ntem à noite a irmã Burton e O profeta Alma disse:
10. D&C 29:36.
11. Joseph Fielding Smith, Man, His Origin eu saboreávamos uma comida “Desejais entrar no rebanho de
and Destiny (1965), p. 277. chinesa. Dentro do meu bis- Deus e ser chamados seu povo; e
12. 2 Néfi 2:11. coitinho da sorte li a mensagem: “O sendo que estais dispostos a carregar
13. 2 Néfi 2:15–16.
14. 2 Néfi 2:18. estresse que você sente muito em os fardos uns dos outros, para que
15. 2 Néfi 2:19. breve desaparecerá”. De fato. fiquem leves; sim, e estais dispostos
16. 2 Néfi 2:20.
17. 2 Néfi 2:21.
Certo dia, um grupo de homens a chorar com os que choram; sim,
18. 2 Néfi 2:24–25. conversava com o Profeta Joseph e consolar os que necessitam de
19. 3 Néfi 9:2. Smith, quando chegou a notícia de consolo”.2
20. Ver Gênesis 4:7; Moisés 5:23.
21. 2 Néfi 2:26.
que a casa de um pobre irmão que O Salvador nos pede que “[socor-
22. D&C 95:6. vivia a certa distância da cidade fora ramos] os fracos, [ergamos] as mãos
23. Ver 2 Néfi 1:13. incendiada. Cada um expressou tris- que pendem e [fortaleçamos] os joe-
24. D&C 58:42.
25. 2 Néfi 2:27. teza pelo que acontecera. O Profeta lhos enfraquecidos.”3
26. Ver D&C 50:24. ouviu por um momento e, em Tenho testemunhado em primeira

8
mão o comprometimento dos santos Quando enchentes se abateram
dos últimos dias e de pessoas de sobre a América Central, as capelas
outras denominações, que têm cora- foram abertas para servirem de abrigo
ções quebrantados e mãos que aju- provisório aos flagelados. Em áreas
dam, que “levam as cargas uns dos aonde os veículos não conseguiam
outros.”4 Minha tristeza tem sido pro- chegar, os membros da Igreja amarra-
funda ao ver grandes devastações e vam suprimentos às costas e atraves-
visitar vítimas desesperadas. savam terrenos alagados e perigosos
Nos últimos anos, a Mãe Natureza para levar alívio aos que sofriam.
exibiu toda sua violência e suprema- Depois de um período de agitação
cia de modo incomum e poderoso. civil no Sudão, mais de um milhão de
Em dezembro de 2004, um terrível pessoas haviam abandonado seu lar e
terremoto atingiu a costa da aldeia, em busca de segurança. Muitos
Indonésia e criou um tsunami gigan- refugiados caminharam centenas de
tesco que matou milhares de pessoas milhas por terreno hostil para chegar
e destruiu a vida dos que ficaram para aos campos de desabrigados, ten-
trás. Sob a direção dos líderes locais tando reencontrar os parentes e
do sacerdócio e de casais missioná- recuperar a saúde.
rios, a ajuda mobilizou-se imediata- O Atmit, composto alimentar vita-
mente, oferecendo assistência mínico que já mostrou sua eficácia
urgente a hospitais, socorristas e a salvando a vida de crianças e idosos
comunidades na Indonésia, no Sri subnutridos, foi-lhes fornecido.
Lanka, na Índia e na Tailândia. Suprimentos médicos e milhares
Em um curto espaço de tempo, de kits de higiene e kits para recém-
vários membros da Igreja foram para nascidos também foram enviados.
uma das áreas mais atingidas — a A Igreja uniu-se a outras importan-
região de Aseh, no norte da Sumatra. tes organizações de solidariedade não
A irmã Bertha Suranto, presidente das governamentais para ajudar a vacinar
Moças no Distrito de Jacarta, milhões de crianças na África, em uma
Indonésia, e algumas amigas dirigiram campanha de erradicação do sarampo.
caminhões cheios de itens essenciais foram distribuídos para as famílias Dois mil membros fiéis africanos da
que salvaram vidas e proveram con- recuperarem sua auto-suficiência. Igreja doaram muitas horas de traba-
solo àqueles que tanto perderam. A área do norte do Paquistão e da lho voluntário para divulgar a campa-
“Sempre que entrávamos em uma Índia sofreu o maior terremoto dos nha, reunir as crianças e ajudar
aldeia”, disse Bertha, “as pessoas nos últimos cem anos, que ceifou milha- durante a vacinação.
rodeavam e ofereciam alimentos para res de vidas e deixou multidões desa- A temporada de furacões de 2005
distribuirmos — mesmo que eles pró- brigadas. Devido à severidade do no sul dos Estados Unidos e no
prios não tivessem mais que uma por- inverno naquela região, a preocupa- Caribe ocidental foi a mais devasta-
ção de arroz e alguns peixes que ção não se limitava apenas aos feri- dora e a que causou mais prejuízo em
apanhavam no mar. Das mesquitas, os dos, mas estendia-se também aos toda a história. Tempestades se suce-
líderes comunitários anunciavam que desabrigados. diam, destruindo lares e empresas de
outra doação da Igreja de Jesus havia Quatro dias após o terremoto, Honduras até a Flórida. Sempre que
chegado.” a Agência Islâmica de Bem-Estar um furacão surgia, milhares de volun-
Assim que as necessidades imedia- enviou-nos um Boeing 747 de carga tários sob a direção do sacerdócio
tas eram satisfeitas, iniciavam-se os que logo carregamos com cobertores, estavam presentes provendo o essen-
projetos de prazos mais longos. Foram barracas, kits de higiene, suprimentos cial para a preservação da vida. Kits de
implementados os planos de assistên- médicos, sacos de dormir, agasalhos e higiene e de limpeza, alimentos, água,
cia para a construção de mais de mil lonas, doados pelos armazéns dos bis- panelas, roupas de cama e outros arti-
casas e a restauração de hospitais e pos. Enviamos vários contêineres por gos ajudaram a limpar as moradias e
escolas. Os moradores receberam ar, terra e mar com outros suprimen- organizar os abrigos temporários.
ajuda para substituir barcos e redes de tos e barracas de inverno suficientes O irmão Michael Kagle levou um
pesca. Teares e máquinas de costura para abrigar mais de 75 mil pessoas. comboio de caminhões carregados

A L I A H O N A MAIO DE 2006 9
e caixas de alimentos, distribuindo-os
com cobertores aos necessitados.
Princípios de bem-estar como tra-
balho e auto-suficiência são mantidos
e ensinados enquanto a ajuda é
levada ao mundo inteiro. Durante
2005, muitas aldeias receberam água
potável graças a poços novos. Os
habitantes aprenderam a cavar poços,
instalar as bombas e fazer reparos, se
necessário.
O treinamento e os equipamentos
levados pelos voluntários locais e os
sempre devotados casais missionários
permitem que as famílias suplemen-
tem sua dieta com alimentos nutriti-
No Uruguai, dois missionários ajudam uma irmã que chega para assistir à vos cultivados em casa.
transmissão da conferência. Muitas cadeiras de rodas distribuí-
das devolveram a autonomia aos
de equipamentos de sua própria Quero agradecer pelos dedos ágeis deficientes. Milhares de profissionais
empresa para o Mississipi. Muitos fun- que produziram milhares de belos médicos foram treinados para
cionários, de outras denominações cobertores, e um agradecimento salvar a vida de recém-nascidos.
religiosas, ofereceram-se para ir com especial pelos dedos não tão ágeis de Oftalmologistas realizaram gratuita-
ele todos os fins de semana para levar nossas irmãs mais idosas que teceram mente cirurgias de catarata, devol-
ajuda às áreas atingidas pelas tem- aquelas belas colchas tão bem-vindas. vendo a visão a muitos. No mundo
pestades. No trajeto, comunicavam- Certa bisavó de 92 anos confeccionou inteiro, os Serviços às Famílias SUD
se por rádio. O líder do grupo dos várias centenas de cobertores. No aconselham quanto a assuntos
sumos sacerdotes de Mike, que dirigia caso dela, tanto a doadora quanto delicados.
uma pick-up no meio do comboio, os beneficiários foram abençoados. Pontes de compreensão e de
conta que os nós dos dedos já esta- Quando seu filho admirava seu traba- respeito são edificadas em muitas
vam inchados pelo esforço de dirigir lho, ela perguntou: “Será que alguém nações, ao colaborarmos com órgãos
tão velozmente. Tentando diminuir a vai usar um dos meus cobertores?” A já bem conhecidos e confiáveis.
marcha do comboio, pegou o rádio e carta de uma jovem mãe da Louisiana O Dr. Simbi Mubako, ex-embaixa-
disse: “Senhores, percebem que esta- responde a essa pergunta: dor africano na ONU, declarou: “O
mos indo a 130 km por hora?” Um “Moro na Louisiana e levo meus trabalho da Igreja de Jesus Cristo dos
dos motoristas entrou no ar e repli- filhos sempre ao centro de saúde Santos dos Últimos Dias é ainda mais
cou: “Bem, você deve entender que local. Enquanto estava lá, deram-me significativo porque não se limita a
isso é o máximo que esses ‘donos de algumas roupas, fraldas, lenços ume- atender aos membros da Igreja, mas
estrada’ podem dar. Não há como ir decidos e dois belos cobertores para estende-se a todos os seres humanos
mais rápido!” bebê. Um deles tem o verso amarelo, de diferentes culturas e religiões, por-
Recebemos centenas de cartas de com pés e mãos estampados na que [eles] vêem em cada pessoa a
agradecimento. Uma enfermeira no frente. O outro cobertor é dourado imagem de Jesus Cristo”.
Mississipi escreveu: “Eu não tinha e tem zebras estampadas. São lindos. Nosso amado Presidente Gordon B.
palavras. Teria Deus respondido a Meu filho de 4 anos adora o que tem Hinckley tem trabalhado ativamente
minhas orações tão rapidamente? zebras e, é claro, o de 7 meses não no desenvolvimento dessa grande
Lágrimas rolaram por minha face consegue dizer nada. Só queria agra- obra humanitária. “Precisamos esten-
quando vi homens de capacete e decer a vocês e aos membros da sua der a mão para toda a humanidade”,
botas, munidos de serras elétricas de Igreja por sua generosidade. Que disse ele. “Todos são filhos e filhas
todos os tamanhos e formas, aparece- Deus abençoe vocês e sua família.” de Deus, nosso Pai Eterno, e Ele
rem por entre os escombros. Foi, sem Em resposta aos recentes desliza- nos considerará responsáveis pelo
dúvida, um dos maiores sacrifícios que mentos de terra nas Filipinas, os san- que fizermos em relação a eles. (...)
já presenciei em toda minha vida”. tos na área montaram kits de higiene Que abençoemos a humanidade

10
Uma Torrente
estendendo a mão para todos,
erguendo os que estão abatidos e
oprimidos, vestindo e alimentando o
necessitado e o faminto, expressando
amor e companheirismo para aqueles
à nossa volta que porventura não
façam parte desta Igreja.”5
Esse esforço humanitário moderno
de Bênçãos
JULIE B. BECK
é uma manifestação maravilhosa da
Primeira Conselheira na Presidência Geral das Moças
caridade que arde na alma de pessoas
cujo coração é quebrantado e cujas
mãos estão prontas para ajudar. Esse
serviço altruísta demonstra realmente Todos os membros fiéis são igualmente abençoados pelas
o puro amor de Cristo. ordenanças do sacerdócio.
O Salvador promete grandes bên-
çãos aos que dão de si mesmos. “Dai,
e ser-vos-á dado (...) porque, com a
mesma medida com que medirdes No outono passado, nossa neta
também vos medirão de novo.”6 mais velha foi batizada e confirmada
O que falei hoje não é nem a cen- membro da Igreja. Depois que ela
tésima parte do que está acontecendo recebeu o Espírito Santo, sua irmã
nas aldeias e nações do mundo todo. caçula foi abençoada e recebeu um
Aonde quer que eu vá, recebo expres- nome. No mês seguinte, outra neti-
sões da mais profunda gratidão. Em nha recebeu um nome e uma bênção.
nome da Primeira Presidência, do De lá para cá, tenho refletido com fre-
Quórum dos Doze e do Comitê qüência sobre os privilégios que aque-
Executivo de Bem-Estar da Igreja, cuja las garotinhas usufruem graças à
designação é dirigir esta obra, desejo restauração do sacerdócio de Deus.
expressar nosso sincero apreço e Espero que nossas netas e netos
admiração. cresçam sabendo que não são e
É impossível encontrar palavras nunca foram “meros” observadores
adequadas para exprimir os sagrados do sacerdócio. As bênçãos do sacer-
e cálidos sentimentos de minha alma. dócio, que estão “disponíveis para
Um simples “obrigado” nunca será homens e mulheres igualmente”3 são

E
suficiente. A todos os que têm um m Kirtland, quando as chaves parte essencial da sua vida. Cada um
coração quebrantado e mãos que aju- remanescentes do sacerdócio deles é abençoado por ordenanças
dam e que aliviam o fardo de muitos, foram restauradas, o Senhor sagradas e cada um deles pode des-
minha profunda gratidão. Invoco disse: “Este é o princípio da bênção frutar das bênçãos de dons espirituais
sobre vocês e sua família as mais sele- que será derramada sobre a cabeça de em virtude do sacerdócio.
tas bênçãos do Senhor, ao continua- meu povo”.1 Sou grata pela torrente de Todos os membros fiéis da Igreja
rem se lembrando daqueles cujo bênçãos advinda a cada um de nós por do Senhor são igualmente abençoa-
coração está aflito e cujas mãos pen- intermédio do sacerdócio de Deus. dos pelas ordenanças do sacerdócio.
dem. Em nome de Jesus Cristo. Pelo poder do sacerdócio, foi criado A primeira ordenança4 na vida de
Amém. ■ este mundo e tudo o que nele há, uma criança geralmente acontece
NOTAS
incluindo cada um de nós. O sacerdó- quando ela é bebê e recebe um
1. Andrew Workman, em “Recollections of the cio está intrinsecamente ligado ao que nome e uma bênção. Quando as
Prophet Joseph Smith”, Juvenile Instructor, somos e sempre fomos.2 Como filhos crianças atingem a idade da razão,
15 de outubro de 1892, p. 641.
2. Mosias 18:8–9.
e filhas de Deus, cada um de nós tem são batizadas. Não há um batismo
3. D&C 81:5. papéis e responsabilidades únicas. Por diferenciado para meninos e meni-
4. Gálatas 6:2. meio das bênçãos do sacerdócio, rece- nas. A mesma ordenança batismal é
5. “Viver na Plenitude dos Tempos”,
A Liahona, janeiro de 2002, p. 6. bemos todos a mesma parceria, realizada para uma menina e para um
6. Lucas 6:38. os mesmos dons e bênçãos. menino que são batizados na mesma

A L I A H O N A MAIO DE 2006 11
No Centro de Conferências, a Primeira Presidência (mais abaixo, à direita), três membros do Quórum dos Doze Apóstolos
(mais abaixo, à esquerda), o Bispado Presidente (centro, à direita), e membros dos Setenta levantam-se para cantar o hino
durante uma sessão.

fonte. Quando essas crianças são con- sacerdócio”.5 Quando uma de minhas Deus instituiu no princípio com o
firmadas e recebem o Espírito Santo, sobrinhas recebeu sua investidura no patriarca Adão”.9
o mesmo poder é conferido a cada templo, há alguns meses, exclamou Presenciei o poder das bênçãos do
uma delas. Elas se qualificam para com alegria: “Consegui! Fui ensinada sacerdócio quando visitei uma família
receber a ajuda daquele santo poder a vida inteira sobre preparar-me para em que o jovem pai havia falecido. Ao
por meio de sua fidelidade e não por o templo, e consegui!” redor dele estavam a esposa e as lin-
qualquer outro critério. Todo homem e mulher que deseja das filhas. Em cada parede do quarto
Como membros da Igreja, somos servir ao Senhor e qualifica-se para se via pelo menos um retrato da famí-
iguais perante o Senhor ao partilhar o receber uma recomendação para o lia ou do templo. A mãe testificou de
sacramento. Por intermédio de nossa templo faz os convênios de obediên- suas bênçãos quando disse: “Somos
fé em Jesus Cristo e pelo poder de cia e de sacrifício. Cada um é inves- fortalecidas e protegidas por nossos
Sua Expiação, podemos todos nos tido de poder do alto.6 convênios. Nossa família durará para
arrepender e tornar-nos pessoas Todo élder e síster que recebe um sempre. O Senhor está cuidando de
melhores, renovando semanalmente chamado missionário é designado nós, e não estamos sozinhas”. Todos
nossos convênios. para fazer a obra do Senhor e recebe os membros fiéis são igualmente
Cada um de nós tem o mesmo autoridade para pregar o evangelho abençoados pela torrente de bênçãos
direito a uma bênção do sacerdócio de Jesus Cristo. que recebem por intermédio das
quando estamos doentes ou necessi- Um homem e uma mulher que ordenanças do sacerdócio.
tamos mais do apoio do Senhor em entram na parceria plena do convênio Graças à restauração do sacerdócio,
nossa vida. Uma moça que deseja de um casamento no templo parti- nós também partilhamos igualmente
uma bênção patriarcal tem tanto lham igualmente das bênçãos daquele das bênçãos dos dons espirituais. O
direito de saber sua linhagem e convênio, se forem fiéis.7 O Senhor Senhor nos concede esses dons para
potencial quanto um rapaz da mesma disse que esse convênio estará em nosso próprio benefício10 e para aju-
idade. As bênçãos a que cada um vigor após esta vida, e juntos recebem darmos uns aos outros.11
deles tem direito por meio de Abraão a promessa de poder e exaltação.8 Morôni disse que “de diversas
são poderosas e importantes. O Presidente Ezra Taft Benson maneiras são esses dons administra-
Ensinamos todos os rapazes e disse: “Quando nossos filhos obede- dos, mas é o mesmo Deus que opera
moças a prepararem-se para ir ao cem ao Senhor, vão ao templo para tudo em tudo; e eles são dados pelas
templo para que possam “receber as receber suas bênçãos e entram no manifestações do Espírito de Deus
bênçãos d[os] pais para que tenham convênio do casamento, entram na aos homens, para beneficiá-los.
direito às mais altas bênçãos do mesma ordem do sacerdócio que Pois a um é dado ensinar, pelo

12
Espírito de Deus, a palavra de também. Eu tinha dons espirituais,
sabedoria; assim como ela. Tinha recebido a
E a outro, ensinar a palavra de oportunidade de me arrepender, e ela
conhecimento, pelo mesmo Espírito; também. Recebi o Espírito Santo, e ela
E a outro, fé extraordinária; e a também. Eu recebi as ordenanças do
outro, os dons de cura, pelo mesmo templo, e ela também. Se ambas tivés-
Espírito”.12 semos deixado este mundo juntas
Em meus esforços para aprender naquele momento, teríamos chegado
espanhol e lembrar-me do português na mesma situação diante do Senhor,
(que aprendi quando criança), tenho quanto a nossas bênçãos e potencial.
orado pedindo a ajuda do Senhor — e As bênçãos do sacerdócio são o
a tenho sentido — ao me comunicar grande equalizador. Essas bênçãos são
nesses idiomas. Tenho ouvido outros as mesmas para homens e mulheres,
líderes e missionários da Igreja presta- para meninos e meninas; são as mes-
rem poderosos testemunhos em lín- mas para casados e solteiros, ricos e
guas que mal conhecem. Conheço pobres, intelectuais e analfabetos,
pessoas que receberam o dom de ter famosos e desconhecidos.
um espírito crédulo. Quando ouvem o Sou grata pelo fato de que, por
evangelho, logo sentem sua veraci- intermédio do amor e da justiça infini-
dade no coração. Conheço outros que responsabilidade e bênçãos referen- tos de Deus, todos os homens e
recebem o dom da sabedoria ou da tes a seu ofício”.15 mulheres receberam parceria, dons,
capacidade de usar o conhecimento Os dons espirituais são numerosos bênçãos e potencial iguais por meio
com retidão. Alguns são capazes de e variados e vêm a nós quando os das ordenanças do sacerdócio e dos
fazer milagres, alguns têm o dom de buscamos e usamos adequadamente. dons espirituais. Graças ao sacerdó-
curar e outros têm grande discerni- Nós os desfrutamos por causa do cio, que está intrinsecamente ligado a
mento.13 poder do Espírito Santo que envolve tudo em nossa vida, todo poder, todo
Quando era garotinha, eu adoecia todos os aspectos de nossa vida.16 convênio de que precisamos para exe-
com freqüência. Meu pai estava sem- Por meio das bênçãos do sacerdó- cutar a obra de nossa vida e caminhar
pre disposto e digno para usar o cio, o Senhor nos mostra que “não faz de volta ao nosso lar celestial foi der-
poder do sacerdócio que possuía para acepção de pessoas”.17 Em minhas via- ramado sobre nossa cabeça. Em
me abençoar. Mas eu também sentia gens, geralmente tenho a chance de nome de Jesus Cristo. Amém. ■
que o dom especial de minha mãe visitar a casa de alguns membros.
contribuía para minha cura. Ela era Algumas dessas casas são habitações NOTAS
1. D&C 110:10.
verdadeiramente dotada da habili- bastante rudimentares. No princípio, 2. Ver D&C 88:36–45; Abraão 3.
dade de cuidar de minhas necessida- eu dizia a mim mesma: “Por que sou 3. Dallin H. Oaks, “A Autoridade do
des e ajudar-me a sarar. Sua grande fé abençoada com uma casa que tem Sacerdócio na Família e na Igreja”,
A Liahona, novembro de 2005, p. 26.
na orientação do Senhor para encon- eletricidade e encanamento quando 4. Ver “As Ordenanças e Bênçãos do
trar respostas sobre o tratamento esta família não tem nem mesmo Sacerdócio”, Guia da Família (2001), p. 18.
médico me confortava. Fui muito água perto de casa? O Senhor os 5. Ezra Taft Benson, “What I Hope You Will
Teach Your Children about the Temple”,
abençoada por ter tido pais que usa- ama menos do que a mim?” Tambuli, abril-maio de 1986, p. 6.
vam seus dons espirituais com amor. Então, certo dia, sentei-me no tem- 6. Ver D&C 95:8.
O Presidente Wilford Woodruff disse plo junto a uma irmã que mora em 7. Ver D&C 131:1–2.
8. Ver D&C 132: 19–20.
que “é privilégio de todo homem e uma casa humilde. Passei duas horas 9. Tambuli, abril-maio de 1986, p. 6.
mulher neste reino usufruir o espírito ao lado dela. Olhei com freqüência em 10. Ver D&C 46:26.
11. Ver D&C 46:12.
de profecia, o qual é o Espírito de Deus; seus lindos olhos e vi neles o amor do 12. Morôni 10:8–11.
ao fiel Ele revela as coisas necessárias Senhor. Quando terminamos nosso 13. Ver D&C 46:10–26.
ao seu conforto e consolação, e que os trabalho no templo, dei-me conta de 14. Deseret News, 30 de julho de 1862, p. 33.
15. Boyd K. Packer, “What Every Elder Should
guiam em seus afazeres diários”.14 algo muito importante. Em todas as Know — and Every Sister as Well: A Primer
As bênçãos do sacerdócio possi- bênçãos eternas, em todos os nossos on Principles of Priesthood Government”,
bilitam que toda pessoa designada privilégios e oportunidades mais Tambuli, novembro de 1994, p. 21.
16. Ver Morôni 10:7–17.
para servir em qualquer ofício na importantes, somos iguais. Fui bati- 17. D&C 38:16.
Igreja do Senhor receba “autoridade, zada “para o arrependimento”18 e ela 18. Alma 9:27.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 13
Como uma
maioria de nós o leu outra vez recen-
temente e ponderou a respeito mais
de uma vez. O rei Benjamim viu a nós
e a nossos descendentes. Ele conhe-

Criança
ÉLDER HENRY B. EYRING
ceu pelo poder profético o que
enfrentamos. Conheceu por experiên-
cia própria os terrores da guerra.
Defendeu seu povo em combate, con-
fiando no poder de Deus. Viu clara-
Do Quórum dos Doze
mente os terríveis poderes de Lúcifer
tentarem-nos e vencerem-nos.
Nossa natureza tem que ser modificada para que nos Ele era um homem grandioso e
santo. E sabia como convidar pessoas
tornemos como uma criança e ganhemos a força de que a construírem sobre aquela rocha de
necessitamos para estarmos seguros nos momentos de segurança, tanto quanto qualquer
perigo moral. profeta do Senhor.
Iniciou seu discurso dizendo por
onde devemos começar para ajudar
as pessoas a escaparem do desastre
com tal futuro para nós e para aqueles espiritual. As pessoas têm que acredi-
que amamos, — em nossas famílias, tar que o perigo é real para que quei-
quóruns ou aulas — há esperança na ram encontrar segurança. Têm que
promessa que o Senhor nos fez de que temer a conseqüência de ignorar o
haverá um lugar seguro em meio às perigo. Ele explicou claramente os ris-
tempestades que virão. Aqui está uma cos que corremos por termos a liber-
descrição desse lugar. Vocês leram dade de escolher o certo ou o errado
sobre isso nas escrituras. Foi descrito e por não podermos evitar a conse-
repetidas vezes por profetas vivos. Um qüência dessas escolhas. Falou de
pai amoroso assim falou sobre isso a modo direto e incisivo porque sabia
seus filhos, procurando fortalecê-los quanta tristeza adviria aos que não
contra as tormentas da tentação: escutassem e não dessem ouvidos às
“E agora, meus filhos, lembrai-vos, suas advertências.
lembrai-vos de que é sobre a rocha de Eis como ele descreveu as conse-
nosso Redentor, que é Cristo, o Filho qüências de nossa escolha de seguir
de Deus, que deveis construir os vos- os sussurros do Espírito de Cristo ou
sos alicerces; para que, quando o as mensagens malignas que vêm de

O
s profetas de Deus previram diabo lançar a fúria de seus ventos, Satanás, cujo propósito é tentar-nos
a época em que vivemos. O sim, seus dardos no torvelinho, sim, e levar-nos ao pecado:
Apóstolo Paulo escreveu a quando todo o seu granizo e violenta “Mas eis que há uma condenação
Timóteo: “Sabe, porém, isto: que nos tempestade vos açoitarem, isso não decretada para o que se inclina a obe-
últimos dias sobrevirão tempos traba- tenha poder para vos arrastar ao decer a esse espírito; porque o que se
lhosos”.1 Qualquer um que tenha abismo da miséria e angústia sem fim, inclina a obedecer-lhe e permanece e
olhos para ver os sinais dos tempos por causa da rocha sobre a qual estais morre em seus pecados, bebe conde-
e ouvidos para ouvir as palavras dos edificados, que é um alicerce seguro; nação para a própria alma; porque
profetas sabe que o perigo é grande. e se os homens edificarem sobre esse recebe por salário um castigo eterno,
O perigo vem das forças da iniqüi- alicerce, não cairão.”2 havendo transgredido a lei de Deus
dade. Tais forças estão aumentando. Nunca foi mais importante do que contra seu próprio conhecimento. (...)
Por isso, tornar-se-á mais difícil, e não agora compreender como construir Portanto se tal homem não se arre-
mais fácil, guardar os convênios que esse alicerce seguro. Para mim, não pende e permanece e morre inimigo
temos que fazer para viver o evange- há melhor lugar para procurar do que de Deus, as exigências da divina jus-
lho de Jesus Cristo. no último sermão do rei Benjamim, tiça despertam-lhe a alma imortal para
Para aqueles que estão preocupados registrado no Livro de Mórmon. A um vivo sentimento de sua própria

14
culpa, que o leva a recuar diante da
presença do Senhor e enche-lhe o
peito de culpa e dor e angústia, como
um fogo inextinguível cuja chama se
eleva para todo o sempre.”
O rei Benjamim prossegue: “Oh!
todos vós, anciãos, e também vós,
jovens, e vós, criancinhas, que podeis
entender minhas palavras, pois falei-
vos claramente para que pudésseis
compreender, oro para que vos lem-
breis da terrível situação daqueles
que caíram em transgressão”.3
Para mim, o poder daquela adver-
tência é a imagem que se forma em
minha mente daquele momento em
que cada um de nós estará diante do
Salvador após esta vida para ser jul-
gado. Quando o rei Benjamim fala em
recuar diante da presença do Senhor,
sinto medo em meu coração. Posso
ver-me naquele dia de julgamento,
diante do Salvador glorificado e res- caridade, o puro amor de Cristo, em uma criança, submisso, manso,
suscitado. Quero de todo coração não nossa vida: “Quando eu era menino, humilde, paciente, cheio de amor,
recuar, mas sim olhar para Ele e vê-Lo falava como menino, sentia como disposto a submeter-se a tudo quanto
sorrir e dizer: “Bem está, servo bom e menino, discorria como menino, mas, o Senhor achar que lhe deva infligir,
fiel. Entra” (…).4 logo que cheguei a ser homem, aca- assim como uma criança se submete
O rei Benjamim deixa claro como bei com as coisas de menino”.5 a seu pai.”6
podemos ganhar a esperança de ouvir Mas o rei Benjamim, que entendia Estamos seguros na rocha que é o
essas palavras caso encontremos nesta tão bem quanto qualquer mortal o Salvador quando nos submetemos a
vida um modo de transformar nossa que significa ser um homem de força Ele em fé, correspondendo à orienta-
natureza por meio da Expiação de e coragem, deixa claro que ser como ção do Santo Espírito de guardar os
Jesus Cristo. Essa é a única maneira uma criança não é ser infantil. É ser mandamentos por tempo suficiente e
de construir sobre o alicerce seguro como o Salvador, que orou ao Pai por com fé suficiente para que o poder da
e permanecer firmes em retidão força para ser capaz de fazer a von- Expiação modifique nosso coração.
durante as tormentas da tentação. tade Dele, e então a fez. Nossa natu- Quando, por meio dessa experiência,
O rei Benjamim descreve tal reza tem que ser modificada para que tornamo-nos como uma criança em
mudança com uma belíssima compa- nos tornemos como uma criança e nossa capacidade de amar e obede-
ração, usada por profetas durante ganhemos a força de que necessita- cer, estamos no alicerce seguro.
milênios, e pelo próprio Senhor. Ele mos para estarmos seguros nos Aprendemos com o rei Benjamim
afirma que podemos e temos que momentos de perigo moral. o que podemos fazer para chegar até
nos tornar como uma criança — uma Esta é a inspiradora descrição que esse lugar seguro. Mas lembrem-se:
criancinha. faz o rei Benjamim dessa mudança as coisas que fazemos são os meios,
Para alguns, isso não será fácil de para tornarmo-nos como crianças e e não o fim que procuramos. O que
entender ou aceitar. A maioria de nós de como ela vem a nós: fazemos permite que a Expiação de
quer ser forte. Podemos muito bem “Porque o homem natural é ini- Jesus Cristo nos transforme no que
achar que ser como uma criança é ser migo de Deus e tem-no sido desde a devemos ser. Nossa fé em Jesus
fraco. A maioria dos pais já desejou queda de Adão e sê-lo-á para sempre; Cristo leva-nos ao arrependimento
em algum momento que seus filhos a não ser que ceda ao influxo do Santo e à obediência aos mandamentos.
fossem menos infantis. Mesmo o Espírito e despoje-se do homem natu- Obedecemos e resistimos à tentação
Apóstolo Paulo usou as seguintes ral e torne-se santo pela expiação de seguindo os sussurros do Espírito
palavras ao nos exortar a incorporar a Cristo, o Senhor; e torne-se como Santo. Com o tempo nossa natureza

A L I A H O N A MAIO DE 2006 15
quando meu coração está silencioso
e quieto, em submissão como o de
uma criancinha, me é possível ouvir
com clareza o Espírito em meu cora-
ção e mente.
O rei Benjamim ensinou como
esses momentos podem ocorrer com
mais freqüência, como é necessário
que aconteça devido aos perigos que
enfrentamos. Ele nos disse que há
coisas que podemos e temos que
fazer para trazer a bênção dessa
mudança para um coração de criança.
Todas essas coisas implicam fazer o
que é preciso para aumentar a fé em
Cristo e assim qualificar-se para rece-
ber o auxílio do Espírito Santo. O rei
Benjamim nos deu a razão disso:
“E digo-vos ainda mais, que
nenhum outro nome se dará,
nenhum outro caminho ou meio
pelo qual a salvação seja concedida
mudará. Tornar-nos-emos como uma Orei, mas por várias horas parecia aos filhos dos homens, a não ser
criancinha, obedientes a Deus e mais não haver resposta. Logo antes do em nome e pelo nome de Cristo,
amorosos. Essa mudança, se fizermos amanhecer, fui tomado por um senti- o Senhor Onipotente.”7
tudo para mantê-la, nos qualificará mento. Senti-me como uma criança, O que precisamos é ter fé Nele e
para desfrutar os dons advindos do mais do que jamais me sentira desde amá-Lo. Temos que saber que Ele vive
Espírito Santo. Estaremos, então, que fora uma. Meu coração e minha e quem Ele é. Quando o fizermos,
seguros na única rocha firme. mente pareceram aquietar-se. Havia nós O amaremos. O rei Benjamim
Tal como vocês, entendi o que o paz naquela serenidade interior. sugeriu como conhecê-Lo, nessas
rei Benjamim quis dizer quando afir- Então, para minha surpresa, vi-me palavras tantas vezes já ouvidas:
mou que poderíamos nos tornar orando: “Pai Celestial, não importa o “Pois como conhece um homem o
como uma criancinha diante de Deus. que eu quero. Não dou mais a mínima mestre a quem não serviu e que lhe é
Orei tal qual vocês para saber o que importância para o que quero. Só estranho e que está longe dos pensa-
fazer quando enfrentei escolhas que quero que seja feita a Tua vontade. mentos e desígnios de seu coração?”8
teriam conseqüências eternas. Através Isso é tudo o que quero. Por favor, Passamos a amar aqueles a quem
dos anos, tenho observado um dize-me o que fazer”. servimos. Se escolhermos começar a
padrão repetido nas vezes em que as Naquele momento senti uma sere- servir ao Mestre, ainda que com um
respostas a essas orações vieram mais nidade interior como jamais sentira. simples lampejo de fé, começaremos
claramente. E então a resposta veio, e tive certeza a conhecê-Lo. Viremos a conhecer
Certa vez, por exemplo, orei por de onde vinha. Ficou claro o que eu Seus propósitos para as pessoas a
toda a noite para saber o que deveria deveria fazer. Não recebi qualquer quem servimos por Ele. Mesmo
escolher fazer pela manhã. Sabia que promessa quanto ao resultado. Havia quando essas pessoas não aceitarem
nenhuma outra escolha teria maior apenas a certeza de que eu era uma nossa oferta de servi-los, sentiremos
efeito na vida de outras pessoas e na criança a quem havia sido ensinado o a gratidão Dele, se persistirmos.
minha própria. Sabia qual escolha caminho que levaria àquilo que Ele Ao persistirmos, sentiremos neces-
parecia mais fácil para mim. Sabia qual queria para mim. sidade da influência do Espírito Santo,
resultado eu queria. Mas não podia Aprendi com aquela experiência pois nossas tarefas parecerão estar
ver o futuro. Não podia saber qual e com incontáveis repetições que a além de nosso alcance. Nossa humilde
escolha levaria a um determinado descrição do Espírito Santo como oração ao Pai Celestial será respon-
resultado. Assim, o risco de estar uma “voz mansa e delicada” é real. É dida. O Espírito Santo tem como pro-
errado me parecia muito grande. poética, mas não é poesia. Somente pósito principal testificar que Jesus é

16
o Cristo. Ao pedirmos ajuda quando
estamos a Seu serviço, o Espírito
Santo virá e confirmará nossa fé Nele.
Nossa fé no Salvador aumentará. E
continuando a servi-Lo, viremos a
amá-Lo. Um chamado para servir é um
chamado para amar o Mestre a quem
servimos. É um chamado para uma
mudança de natureza.
Manter a bênção dessa mudança
em nosso coração vai requerer deter-
minação, esforço e fé. O rei Benjamim
ensinou pelo menos parte do que vai
ser requerido. Ele disse que, para
manter a remissão dos pecados dia
após dia, temos que alimentar os
famintos, vestir os nus, visitar os
doentes e ajudar as pessoas tanto
espiritual como materialmente.9 Ele
ressaltou que devemos nos resguar-
dar para que sentimentos de con-
tenda não entrem em nosso
coração.10 Deixou claro que a pode-
rosa mudança que ocorre por inter- palavras e vossas obras; e se não que o Salvador vive e é o alicerce
médio da Expiação e que age em nós observardes os mandamentos de seguro. Sei que agindo com fé Nele
pode diminuir se não permanecer- Deus nem continuardes tendo fé no podemos ser limpos e modificados
mos em guarda contra o pecado. O que ouvistes concernente à vinda de para nos tornarmos puros e fortes
Senhor advertiu: “Portanto, que a nosso Senhor, até o fim de vossa como uma criancinha. Presto-lhes
Igreja esteja atenta e ore sempre para vida, perecereis. E agora, ó homem, meu testemunho de que o Espírito
não cair em tentação; sim, até os san- lembra-te e não pereças.”12 Santo pode conduzir-nos à verdade
tificados estejam também atentos”.11 Com o auxílio do Espírito Santo, e para longe do pecado.
Pelo pecado, o dom pode ser per- podemos cuidar de nós mesmos. Joseph Smith viu o Pai Celestial e
dido. O rei Benjamim ensinou que Podemos orar para reconhecer e Seu Amado Filho. O Livro de Mórmon
somos responsáveis pelo esforço rejeitar os primeiros pensamentos é a palavra de Deus e uma testemu-
determinado necessário para resistir pecaminosos. Podemos orar para nha de Jesus Cristo como nosso
à tentação. Ele alertou seu povo sobre reconhecer um aviso de não proferir Salvador. Esta é a Igreja verdadeira.
tentações específicas. Mas, depois de palavras que magoem ou tentem Sei que podemos escolher a alegria
fazer essas advertências, deixou a res- outra pessoa. E podemos, quando prometida da vida eterna, por mais
ponsabilidade para eles. Por mais que necessário, orar para termos humil- perigosos que sejam os tempos.
oremos para não cairmos em tentação dade e fé para nos arrependermos. Em nome de Jesus Cristo.
e sermos livrados do mal, continuamos Certamente haverá quem, ao ouvir- Amém. ■
sendo responsáveis por nós mesmos. me, tenha o seguinte pensamento: NOTAS
Estas são as palavras que ele disse, as “Mas as tentações são grandes demais 1. II Timóteo 3:1.
quais não são dele, mas de Deus: para mim. Tenho resistido o máximo 2. Helamã 5:12.
3. Mosias 2:33, 38, 40.
“E finalmente, não vos posso dizer possível. Para mim, os mandamentos 4. Ver Mateus 25:21.
todas as coisas pelas quais podeis são difíceis demais. O padrão é por 5. I Coríntios 13:11.
cometer pecado; porque há vários demais elevado”. 6. Mosias 3:19.
7. Mosias 3:17.
modos e meios, tantos que não os Isso não é verdade. O Salvador é 8. Mosias 5:13.
posso enumerar. nosso Advogado junto ao Pai. Ele 9. Ver Mosias 4:26.
Isto, porém, posso dizer-vos: se conhece nossas fraquezas. Sabe como 10. Ver Mosias 2:32.
11. D&C 20:33–34.
não tomardes cuidado com vós mes- socorrer os que são tentados.13 12. Mosias 4:29–30.
mos e vossos pensamentos e vossas Presto-lhes meu testemunho de 13. Ver D&C 62:1.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 17
Sempre Fiéis
escritura: “Ai dos que ao mal, chamam
bem e, ao bem, mal; que fazem da
escuridão luz e, da luz, escuridão”.1
Isso descreve o maka-feke da imorali-
P R E S I D E N T E T H O M A S S. M O N S O N dade. É-nos lembrado no Livro de
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência Mórmon que a castidade e a virtude
são mais preciosas que todas as coisas.
Quando a tentação surgir, lem-
Decidamo-nos aqui e agora a seguir o caminho reto que brem-se do sábio conselho do
nos leva ao lar do Pai de todos nós. Apóstolo Paulo, que declarou: “Não
veio sobre vós tentação, senão
humana; mas fiel é Deus, que não vos
deixará tentar acima do que podeis,
pescadores tonganeses deslizam antes com a tentação dará também o
devagar por um arrecife, remando escape, para que a possais suportar”.2
suavemente a canoa com uma das A seguir, o maligno nos tenta com
mãos e balançando o maka-feke do o maka-feke da pornografia. Ele quer
lado oposto, com a outra mão. O que acreditemos que assistir porno-
polvo sai rapidamente de sua toca grafia não faz realmente mal a nin-
rochosa e tenta capturar a isca, con- guém. Aqui vemos como se aplica
fundindo-a com uma preciosa refei- bem o clássico de Alexander Pope,
ção. O polvo agarra-a com tamanha “Ensaio sobre o Homem”.
força e é tão determinado o seu ins-
tinto de não desistir da valiosa presa, O vício é um monstro tão aterrador,
que os pescadores podem jogá-lo Que para ser odiado, basta que o
direto para dentro da canoa. vejamos;
Foi uma transição fácil para o pro- Mas se o vemos muito,
fessor explicar aos jovens ansiosos e acostumamo-nos com seu rosto.
de olhos arregalados que o maligno A princípio o suportamos, depois
— o próprio Satanás — confecciona o temos pena, e por fim o

H
á muitos anos, ao cumprir uma que se pode chamar de seus próprios abraçamos.3
designação nas lindas ilhas de maka-fekes, iscas com as quais atrai
Tonga, tive o privilégio de visi- pessoas incautas e assume o controle Algumas editoras e gráficas pros-
tar uma escola da Igreja, a Escola de sua vida. tituem suas prensas ao imprimir
Secundária Liahona, onde nossos Hoje estamos circundados pelos milhões de artigos pornográficos por
jovens são ensinados por professores maka-fekes que o maligno coloca dia. Não poupam despesas para produ-
que partilham da mesma fé que eles diante de nós e com os quais planeja zir algo que certamente será visto e
— dando-lhes treinamento para a nos seduzir e atrair. Uma vez agarra- revisto. Uma das fontes de pornogra-
mente e preparando-os para a vida. dos, tais maka-fekes são difíceis fia mais acessíveis hoje em dia é a
Naquela ocasião, ao entrar em uma demais — e algumas vezes quase Internet, podendo-se ligar o computa-
sala de aula, notei a atenção arreba- impossíveis — de serem largados. dor e ter instantaneamente na ponta
tada que as crianças davam ao instru- Para ficarmos protegidos, precisamos dos dedos inúmeros sites com a por-
tor tonganês. Seu livro didático e o reconhecê-los pelo que são e então nografia como destaque. O Presidente
dos alunos repousavam fechados ser resolutos em nossa determinação Gordon B. Hinckley disse: “Temo que
sobre as carteiras. Ele segurava nas de evitá-los. isso possa estar ocorrendo no lar de
mãos uma isca de pesca de aparên- Constantemente encontramos alguns de vocês. É algo pernicioso,
cia estranha, feita com uma pedra diante de nós o maka-feke da imorali- sórdido e abjeto. É envolvente e vicia.
redonda e grandes conchas. Descobri dade. Em quase todos os lados para [Levará vocês] à destruição, e isso é
que aquilo se chamava maka-feke, onde nos voltamos existem aqueles certo, não há como negar. A porno-
ou armadilha para polvos. Em Tonga, que tentam nos convencer de que grafia é um negócio vil e desprezível
a carne de polvo é uma iguaria. aquilo que um dia foi considerado que enriquece quem a promove, mas
O professor explicou que os imoral, hoje é aceitável. Penso na empobrece e arrasa as vítimas”.4

18
Corrompidos da mesma forma dispostos propositadamente no cami- desejar coisas que nos dão proemi-
encontram-se o produtor do filme, o nho da juventude vulnerável. nência e prestígio. Vivemos em uma
que o leva ao ar e o apresentador que Cada um de nós tem um corpo época em que é fácil fazer emprésti-
fomenta a pornografia. A censura que que nos foi confiado por um Pai mos. Podemos comprar quase tudo
havia no passado deixou de existir há Celestial amoroso. Foi-nos ordenado com que já sonhamos, bastando usar
muito tempo. Procura-se o chamado que cuidássemos dele. Podemos abu- o cartão de crédito, ou fazer um
realismo, o que resulta no fato de sar de nosso corpo ou feri-lo, sem ser- empréstimo. São extremamente
hoje nos vermos cercados por essa mos responsabilizados? Não, não populares os empréstimos garantidos
imundície. podemos! O Apóstolo Paulo declarou: pelo valor da casa, nos quais a pessoa
Evitem qualquer coisa que lembre “Não sabeis vós que sois o templo de pode solicitar uma quantia em
a pornografia. Ela tira a sensibilidade Deus, e que o Espírito de Deus habita dinheiro correspondente ao valor
do espírito e corrói a consciência. É- em vós? (...) líquido já pago pelo imóvel em ques-
nos dito em Doutrina e Convênios: “E O templo de Deus, que sois vós, tão. O que talvez não percebamos é
aquilo que não edifica não é de Deus é santo”.6 Devemos manter nosso que um empréstimo assim equivale a
e é trevas.”5 Assim é a pornografia. corpo — nosso templo — saudável e um segundo financiamento. Se viver-
A seguir menciono o maka-feke limpo, livre de toda substância preju- mos continuamente acima de nosso
das drogas, incluindo nelas as bebidas dicial que destrói nosso bem-estar orçamento, o dia de enfrentarmos as
alcoólicas. Uma vez agarrado, esse físico, mental e espiritual. conseqüências certamente chegará.
maka-feke é particularmente difícil O último maka-feke que quero Meus irmãos e irmãs, evitem a filo-
de abandonar. As drogas e o álcool mencionar hoje pode destruir a nossa sofia de que o supérfluo de ontem
anuviam o pensamento, removem auto-estima, arruinar relacionamentos tornou-se a necessidade de hoje. Não
inibições, fragmentam a família, des- e deixar-nos em circunstâncias deses- existem necessidades, a menos que as
troem sonhos e encurtam a vida. peradoras. É o maka-feke da dívida criemos. Muitos contraem dívidas de
Eles são encontrados em todo lugar, excessiva. É uma tendência humana longo prazo só para descobrir que o

A L I A H O N A MAIO DE 2006 19
de um personagem poderoso, car-
deal do clero, o Cardeal Wolsey. A
prolífera pena de escrever de William
Shakespeare descreveu as alturas
majestosas e o pináculo do poder a
que o Cardeal Wolsey galgou. Essa
mesma pena mostrou como os prin-
cípios foram corrompidos pela ambi-
ção vã, pelo oportunismo, pela busca
de proeminência e prestígio. Então
veio a queda trágica e o penoso
lamento de alguém que tudo con-
quistou e tudo perdeu.
A Cromwell, seu servo fiel, o
Cardeal Wolsey diz:

Oh Cromwell, Cromwell!
Tivesse eu servido meu Deus com
a metade, que fosse, do zelo
Com que servi meu rei, Ele não
teria em minha idade avançada
Me entregue desnudo aos meus
inimigos.9
inesperado pode ocorrer: pessoas amar. Temos poder para resistir a
adoecem ou ficam incapacitadas para qualquer tentação e capacidade para Esse mandamento inspirado que
o trabalho, companhias vão à falência determinar o caminho que queremos teria guiado o Cardeal Wolsey para a
ou reduzem o quadro funcional, seguir e a direção a tomar. Nossa segurança foi destruído pelo desejo
demissões ocorrem, desastres natu- meta é o reino Celestial de Deus. de poder e proeminência, pela pro-
rais abatem-se sobre nós. Por muitas Nosso propósito é o de seguir um cura da riqueza e da posição. Da
razões, os pagamentos das grandes curso invariável nessa direção. mesma forma que outros antes dele
dívidas podem ser interrompidos. A todos os que trilham o caminho e muitos que ainda virão, o Cardeal
Nossa dívida se torna a espada de da vida, nosso Pai Celestial adverte: Wolsey sucumbiu.
Dâmocles, pendurada por um fio de Cuidado com os desvios, os perigos Em uma época anterior a essa, um
cabelo sobre nossa cabeça, amea- ocultos e as armadilhas. Os maka- servo de Deus foi testado por um rei
çando destruir-nos. fekes são-nos apresentados estraté- perverso. Auxiliado pela inspiração
Eu os exorto a viverem dentro de gica e ardilosamente, disfarçados com vinda do céu, Daniel interpretou para
seu orçamento. Uma pessoa não astúcia, tentando-nos para que os o rei Belsazar o que estava escrito na
pode gastar mais do que ganha e per- agarremos e percamos aquilo que parede do palácio. No que concernia
manecer digna de crédito. Prometo- mais desejamos. Não se deixem enga- às recompensas prometidas — um
lhes que vocês serão mais felizes do nar. Parem e orem. Escutem a voz manto púrpura e uma cadeia de ouro
que seriam se vivessem constante- mansa e suave que transmite às pro- ao pescoço — Daniel disse: “As tuas
mente preocupados com o próximo fundezas de nossa alma o doce con- dádivas fiquem contigo, e dá os teus
pagamento de uma dívida não essen- vite do Mestre: “Vem, e segue-me”.8 prêmios a outro”.10
cial. Lemos em Doutrina e Convênios: Ao fazer isso, afastamo-nos da destrui- Dario, o rei seguinte, também hon-
“Paga a dívida contraída (...). Livra-te ção e da morte e encontramos felici- rou Daniel, elevando-o ao posto mais
da servidão”.7 dade e vida eterna. destacado. Com isso seguiu-se a inveja
Existem, evidentemente, inúmeros Ainda assim, existem aqueles que da multidão, o ciúme dos príncipes e a
maka-fekes que o maligno coloca não escutam e não obedecem; intriga de homens ambiciosos.
diante de nós para desviar-nos do rendem-se aos engodos do maligno e Por meio de trapaça e bajulação, o
caminho da retidão. Contudo, nosso agarram-se a esses maka-fekes até rei Dario assinou uma proclamação
Pai Celestial deu-nos a vida e, com ela, não conseguirem soltá-los mais, até real que declarava que qualquer um
a aptidão para pensar, raciocinar e que tudo esteja perdido. Lembro-me que fizesse um pedido a qualquer

20
deus ou homem que não fosse o rei, dá atenção. Ainda assim, os fiéis
seria atirado na cova dos leões. Era visitavam-nos com freqüência para
proibido orar. Em tais assuntos, desfrutar do espírito que lá existia.
Daniel seguia os mandamentos não Em março de 1982, o irmão e a
de um rei terreno, mas do Rei do Céu irmã Wacker foram chamados para
e da Terra, o seu Deus. Surpreendido servir como oficiantes de tempo inte-
durante as orações matinais, Daniel gral no Templo de Washington D.C.
foi levado diante do rei. Com relutân- Em 29 de junho de 1983, enquanto o
cia, a pena foi pronunciada. Daniel irmão e a irmã Wacker ainda serviam
deveria ser atirado na cova dos leões. nessa designação no templo, o irmão
Gosto demais do relato bíblico, a Wacker, com a esposa amada a seu
seguir: lado, deixou tranqüilamente a mortali-
“Pela manhã, ao romper do dia, dade rumo à sua recompensa eterna.
levantou-se o rei, e foi com pressa à Adequadas são estas palavras: “Aos
cova dos leões. E, chegando-se à cova, que honram a Deus, Deus honra”.12
chamou por Daniel com voz triste; Meus irmãos e irmãs, decidamo-
(...) Daniel (...) dar-se-ia o caso que nos aqui e agora a seguir o caminho
teu Deus, a quem tu continuamente reto que nos leva ao lar do Pai de
serves, tenha podido livrar-te dos todos nós, para que o dom da vida
leões? Então Daniel falou ao rei: (...) eterna — vida na presença de nosso
O meu Deus enviou o seu anjo, e Pai Celestial — seja nosso. Se houver
fechou a boca dos leões, para que não coisas que precisem ser mudadas ou
me fizessem dano. (...) Então o rei O irmão Wacker ganhava a vida corrigidas para que isso aconteça,
muito se alegrou em si mesmo. (...) como barbeiro. Suas posses eram incentivo-os a cuidarem delas agora.
Assim foi tirado Daniel da cova, e limitadas, mas ele e a irmã Wacker O que diz a letra desse hino tão
nenhum dano se achou nele, porque sempre pagavam mais de dez por conhecido, seja a nossa promessa:
crera no seu Deus.”11 cento de dízimo. Como presidente
Em um momento de necessidade de ramo, o irmão Wacker iniciou um Sempre fiéis nossa fé guardaremos,
crucial, a determinação de permane- fundo missionário e, durante meses Sempre valentes, com ardor
cer fiel e digno deu a Daniel proteção seguidos, ele era o único contri- lutaremos.
divina e um santuário de segurança. buinte. Quando havia missionários na A nossa mão e o coração,
O relógio da história, como a areia cidade, os Wacker alimentavam-nos e A teu serviço, Senhor, estão.13
da ampulheta, marca a passagem do cuidavam deles, e os missionários
tempo. Um novo elenco ocupa o nunca iam embora sem antes receber Que cada um de nós possa cumpri-
palco da vida. Os problemas de nossos algum tipo de doação material para la, é minha humilde oração, em nome
dias parecem superar nossa capaci- seu trabalho e bem-estar. de Jesus Cristo. Amém. ■
dade de resolvê-los. Cercados pelos O lar de Gustav e Margarete
desafios da vida moderna, voltamo- Wacker era um paraíso. Eles não NOTAS
nos para o céu buscando esse senso foram abençoados com filhos, mas 1. 2 Néfi 15:20; ver também Isaías 5:20.
2. I Coríntios 10:13.
de orientação infalível, para podermos agiam como pai e mãe de muitos 3. Epístola 2, linhas 217–220; John Bartlett,
traçar e seguir uma rota sábia e ade- membros da Igreja que os visitavam. Familiar Quotations, 14ª. Ed., 1968,
quada. Nosso Pai Celestial não deixará Homens e mulheres cultos e sofistica- p. 409.
4. “A Paz de Teus Filhos Será Abundante”,
nossa petição sincera sem resposta. dos buscavam esses servos de Deus Gordon B. Hinckley, A Liahona, janeiro
Quando penso em pessoas dignas, humildes e iletrados e consideravam- de 2001, pp. 61–68.
5. D&C 50:23.
ocorre-me prontamente o nome de se afortunados por passar uma hora 6. I Coríntios 3:16, 17.
Gustav e Margarete Wacker. Deixem- na companhia deles. A aparência dos 7. D&C 19:35.
me descrevê-los: Conheci os Wacker Wacker era comum, o inglês era hesi- 8. Lucas 18:22.
9. William Shakespeare, Henry VIII, Ato 3,
quando fui chamado para presidir a tante e de certo modo difícil de ser cena 2, linhas 454–457.
missão Canadense, em 1959. Eles entendido, o lar muito simples. Eles 10. Daniel 5:17.
haviam imigrado para Kingston, não tinham nem automóvel nem tele- 11. Daniel 6:19–23.
12. Ver I Samuel 2:30.
Ontário, no Canadá, vindos da visão, nem faziam nenhuma das coi- 13. “Deve Sião Fugir à Luta?”, Hinos, nº 183,
Alemanha, sua terra natal. sas a que o mundo normalmente letra e música de Evan Stephens.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 21
SESSÃO DA TARDE DE SÁBADO
1º de Abril de 2006

Apoio aos Líderes


Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks,
M. Russell Ballard, Joseph B. Wirthlin,
Richard G. Scott, Robert D. Hales,
Jeffrey R. Holland, Henry B. Eyring,

da Igreja Dieter F. Uchtdorf, e David A. Bednar.


Os que forem a favor, queiram se
manifestar.
Alguém se opõe?
P R E S I D E N T E T H O M A S S. M O N S O N É proposto que apoiemos os con-
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência selheiros na Primeira Presidência e os
Doze Apóstolos como profetas, viden-
tes e reveladores.
Todos a favor manifestem-se.
Quórum dos Doze Apóstolos; Os que se opõem, se houver, pelo
Boyd Kenneth Packer como mesmo sinal.
Presidente Interino do Quórum É proposto que desobriguemos os
dos Doze Apóstolos; e os seguintes seguintes como Setentas de Área, a
como membros desse quórum: vigorar em 1º de maio de 2006:
Boyd K. Packer, L. Tom Perry, Salvador Aguirre, Jose C. Aleson,

M
eus irmãos e irmãs, o
Presidente Hinckley pediu-
me que lhes apresentasse
agora as Autoridades Gerais, os
Setentas de Área e as presidências
gerais das auxiliares da Igreja para
seu voto de apoio.
É proposto que apoiemos Gordon
Bitner Hinckley como profeta,
vidente e revelador e Presidente de
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
dos Últimos Dias; Thomas Spencer
Monson como Primeiro Conselheiro
na Primeira Presidência; e James
Esdras Faust como Segundo
Conselheiro na Primeira Presidência.
Os que forem a favor, manifestem-
se erguendo a mão.
Os que se opõem, manifestem-se,
se houver.
É proposto que apoiemos Thomas
Spencer Monson como Presidente do

22
Relatório do
Daniel P. Alvarez, David S. Baxter,
Shayne M. Bowen, Yatyr M. Cesar,
Robert M. Cowan, Keith R. Edwards,
Stanley G. Ellis, Franz R. Gaag,
Daniel L. Johnson, Joel H. McKinnon,
Marcus B. Nash, Armando A. Sierra,
Jeffrey C. Swinton, Remus G. Villarete.
Todos os que quiserem juntar-se a
Departamento
nós em sinal de agradecimento
manifestem-se. Obrigado.
É proposto que apoiemos os
de Auditoria da
seguintes como novos membros do
Primeiro Quórum dos Setenta os
Élderes Keith K. Hilbig, David S.
Baxter, Shayne M. Bowen, Daniel L.
Igreja, 2005
A P R E S E N TA D O P O R R O B E R T W. C A N T W E L L
Johnson, Marcus B. Nash e Anthony D.
Perkins; e como novos membros do Diretor Gerente da Auditoria da Igreja
Segundo Quórum dos Setenta os
Élderes Craig A. Cardon, Don R.
Clarke, Keith R. Edwards, Stanley G. À Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
Ellis e Larry W. Gibbons. dos Últimos Dias
Todos a favor manifestem-se.
Os que se opuserem, pelo mesmo
sinal.

C
É proposto que apoiemos os seguin- aros irmãos, Como determi- e sistemas necessários para avaliar a
tes como novos Setentas de Área: nado por revelação na seção adequação dos controles de recebi-
Jose L. Alonso, Vladimiro J. 120 de Doutrina e Convênios, mentos e despesas de fundos, bem
Campero, Juan A. Etchegaray, o Conselho de Disposição de Dízimos como a proteção dos recursos da
Hernan I. Herrera, David J. Hoare, autoriza os gastos custeados com os Igreja. O Departamento de Auditoria
Cesar H. Hooker, Javier Ibañez, fundos da Igreja. Esse conselho é for- da Igreja realiza seu trabalho indepen-
Daniel M. Jones, Stephen C. Kerr, mado pela Primeira Presidência, o dentemente de todos os outros depar-
Joni L. Koch, Daniel A. Moreno, Quórum dos Doze Apóstolos e o tamentos e operações da Igreja e sua
Kent H. Murdock, J. Michel Paya, Bispado Presidente. Ele aprova o equipe consiste de contadores públi-
Stephen D. Posey, Carlos F. Rivas, orçamento dos departamentos e ope- cos credenciados, auditores internos
Juan M. Rodriguez, Carlos Villanova, rações da Igreja. Depois de receber a credenciados, auditores de sistemas
Todos a favor, manifestem-se. autorização do conselho, os departa- de informações credenciados e outros
Os que se opõem, pelo mesmo mentos da Igreja fazem uso desses profissionais credenciados.
sinal. fundos de acordo com os orçamentos Com base nas auditorias realizadas,
É proposto que apoiemos as aprovados e segundo as normas e a opinião do Departamento de
demais Autoridades Gerais, Setentas procedimentos da Igreja. Auditoria da Igreja é de que, sob todos
de Área e presidências gerais das O Departamento de Auditoria da os aspectos materiais, as contribuições
auxiliares como presentemente Igreja tem acesso a todos os registros recebidas, as despesas e os recursos
constituídas. da Igreja no ano de 2005 foram regis-
Todos a favor, manifestem-se. trados e administrados de acordo com
Se alguém se opuser, manifeste-se. as devidas práticas contábeis, com os
Parece, Presidente Hinckley, que orçamentos aprovados e com as nor-
o apoio foi unânime e afirmativo. mas e procedimentos da Igreja.
Obrigado, irmãos e irmãs, por sua Atenciosamente,
fé e orações. Departamento de Auditoria
Convidamos as Autoridades Gerais da Igreja
recém-chamadas a ocupar seu lugar Robert W. Cantwell
ao púlpito. ■ Diretor Gerente ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 23
Relatório
Templos
Templos Dedicados em 2005 .............3
(San Antonio Texas,
Aba Nigéria, Newport Beach

Estatístico de 2005
A P R E S E N TA D O P O R F. M I C H A E L WAT S O N
Califórnia)
Templos Rededicados em 2005..........1
(Apia Samoa)
Número total
de Templos em
Secretário da Primeira Presidência
Funcionamento Atualmente...........122

Membros Proeminentes
da Igreja Falecidos desde Abril

I
rmãos e irmãs, a Primeira Membros da Igreja do Ano Passado
Presidência emitiu o seguinte rela- Total de Membros ...............12.560.869 Élder Rex C. Reeve, Autoridade
tório quanto ao crescimento e a Aumento no Geral Emérita; Élder F. Arthur Kay,
situação da Igreja até 31 de dezembro Número de ex-membro dos Setenta; Élder
de 2005. Crianças Registradas...................93.150 Helvécio Martins, ex-membro dos
Conversos Batizados ................243.108 Setenta; irmã Amelia Smith
Número de Unidades da Igreja McConkie, viúva do Élder Bruce R.
Estacas...........................................2.701 Missionários McConkie, ex-membro do Quórum
Missões.............................................341 Número de dos Doze Apóstolos; irmã Geniel
Distritos............................................643 Missionários Johnson Christensen, esposa do Élder
Alas e Ramos...............................27.087 de Tempo Integral......................52.060 Shirley D. Christensen, dos Setenta. ■

24
“Não Mais Me
Deus, que te abstenhas de tuas ini-
qüidades” (Alma 39:11–12).
Após essa severa reprimenda,
Alma, o pai amoroso, tornou-se Alma,

Lembro de Seus o professor. Ele sabia que “a pregação


da palavra exercia uma grande
influência sobre o povo, levando-o a
praticar o que era justo — sim, surtia

Pecados”
P R E S I D E N T E B OY D K . PA C K E R
um efeito mais poderoso sobre a
mente do povo do que a espada ou
qualquer outra coisa” (Alma 31:5).
Portanto, Alma ensinou Coriânton.
Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos Ele falou primeiro de Cristo: “Meu
filho, eu desejaria falar-te algo a res-
peito da vinda de Cristo. Eis que te
Por intermédio do plano de redenção do Pai, aqueles que digo que, sem dúvida, será ele quem
porventura tropeçarem e caírem “não [serão] rejeitados virá tirar os pecados do mundo; sim,
para sempre”. ele vem proclamar boas novas de sal-
vação a seu povo” (Alma 39:15).
Coriânton perguntou por que
deveriam saber a respeito da vinda de
“Mas isso não era desculpa para ti, Cristo tão antecipadamente.
meu filho. Tu deverias ter cuidado do Alma respondeu: “Não é uma alma
ministério que te havia sido confiado” tão preciosa para Deus agora, como
(Alma 39:4). o será na ocasião de sua vinda?”
Alma disse a seu filho que o diabo (Alma 39:17).
o havia desviado (ver Alma 39:11). A Coriânton estava “[preocupado] a
falta de castidade é “mais abominável respeito da ressurreição dos mortos”
que todos os pecados, salvo derramar (Alma 40:1).
sangue inocente ou negar o Espírito Alma inquiriu o Senhor acerca da
Santo” (Alma 39:5). ressurreição e falou a Coriânton a res-
“Quisera Deus que não tivesse peito da Primeira Ressurreição e de
sido culpado de tão grande crime.” outras ressurreições. “Há uma hora
Depois, disse: “Eu não insistiria em designada, em que todos se levanta-
teus crimes, para atormentar-te a rão dentre os mortos” (Alma 40:4).
alma, se não fosse para o teu bem. Ele perguntou ao Senhor “o que
Mas eis que tu não podes esconder acontece à alma dos homens desde
teus crimes de Deus” (Alma 39:7–8). essa hora da morte até a hora desig-

M
inha mensagem é sobre um Alma ordenou severamente que nada para a ressurreição” (Alma 40:7).
pai e um filho. Alma, o pai, seu filho aceitasse o conselho de seus Depois, Alma disse a Coriânton: “O
era profeta; seu filho, irmãos mais velhos (ver Alma 39:10). espírito de todos os homens, sejam
Coriânton, missionário. Disse-lhe que sua iniqüidade foi eles bons ou maus, é levado de volta
Dois dos filhos de Alma — Siblon grande porque afastou os pesquisado- para aquele Deus que lhes deu vida”
e Coriânton, os mais jovens — esta- res. “Quando viram teu procedi- (Alma 40:11). Os “justos [serão rece-
vam em missão entre os zoramitas. mento, não acreditaram em minhas bidos] num estado de felicidade”
Alma estava muito desapontado com palavras. (Alma 40:12) e os iníquos serão “leva-
seu filho Coriânton porque ele não E agora o Espírito do Senhor dos cativos pela vontade do diabo”
havia cumprido os padrões de con- me diz: Ordena a teus filhos que (Alma 40:13). Os justos permanecem
duta de um missionário. Coriânton pratiquem o bem, a fim de não con- “no paraíso, até a hora de sua ressur-
abandonou o ministério e foi à terra duzirem o coração de muitos à des- reição” (Alma 40:14).
de Siron atrás da meretriz Isabel truição; por conseguinte eu te “Não podereis dizer, quando for-
(ver Alma 39:3). ordeno, meu filho, no temor de des levados a essa terrível crise:

A L I A H O N A MAIO DE 2006 25
Arrepender-me-ei para retornar a meu por causa das orações de seu pai e de
Deus. Não, não podereis dizer isso; outras pessoas (ver Mosias 27:14).
porque o mesmo espírito que possuir Alma sentiu a agonia e a culpa e
vosso corpo quando deixardes esta disse: “Enquanto eu estava sendo
vida, esse mesmo espírito terá poder assim atormentado e enquanto eu
para possuir vosso corpo naquele estava perturbado pela lembrança de
mundo eterno” (Alma 34:34). tantos pecados, eis que me lembrei
Alma disse a seu filho que “há um também de ter ouvido meu pai profe-
espaço de tempo entre a morte e a tizar ao povo sobre a vinda de um
ressurreição do corpo; e um estado Jesus Cristo, um Filho de Deus, para
de alma, em felicidade ou miséria, até expiar os pecados do mundo.
a hora designada por Deus para que Ora, tendo fixado a mente nesse
os mortos se levantem e corpo e alma pensamento, clamei em meu coração:
sejam reunidos e levados à presença Ó Jesus, tu que és Filho de Deus, tem
de Deus, para serem julgados misericórdia de mim que estou no fel
segundo suas obras” (Alma 40:21). da amargura e rodeado pelas eternas
“A alma” — que é o espírito — correntes da morte.
“será restituída ao corpo e o corpo, à E então, eis que quando pensei
alma” (Alma 40:23). “Esta”, disse ele, da justiça e da misericórdia: “De isto, já não me lembrei de minhas
“é a restauração que foi a anunciada acordo com a justiça, o plano de dores; sim, já não fui atormentado
pela boca dos profetas” (Alma 40:24). redenção não poderia ser realizado pela lembrança de meus pecados.
Alma disse que “alguns desvirtuaram senão em face do arrependimento E oh! Que alegria e que luz maravi-
as escrituras e se desencaminharam dos homens” (Alma 42:13). lhosa contemplei! Sim, minha alma
por essa razão” (Alma 41:1). Ele explicou que “o plano de mise- encheu-se de tanta alegria quanta
Alma disse depois: “E agora, meu ricórdia não poderia ser levado a havia sido a minha dor.
filho, eu percebo que existe algo mais efeito se não fosse feita uma expiação; Sim, digo-te, meu filho, que nada
que te preocupa e que não podes portanto o próprio Deus expia os pode haver tão intenso e cruciante
compreender, relativo à justiça de pecados do mundo, para efetuar o como foram minhas dores. Sim, meu
Deus na punição do pecador; pois ten- plano de misericórdia, para satisfazer filho, digo-te também que, por outro
tas acreditar que é injustiça ser o peca- os requisitos da justiça, a fim de que lado, nada pode haver tão belo e doce
dor entregue a um estado de miséria. Deus seja um Deus perfeito, justo e como o foi minha alegria. (...)
Agora, meu filho, eis que te expli- também um Deus misericordioso” Sim, e desde aquela ocasião até
carei isto” (Alma 42:1–2). (Alma 42:15). agora tenho trabalhado sem cessar
Ele conversou com Coriânton a Ele ensinou a Coriânton sobre o para conseguir trazer almas ao arre-
respeito do Jardim do Éden e da padrão imutável da lei eterna (ver pendimento; para fazer com que elas
Queda de Adão e Eva: “E agora, vês Alma 42:17–25). experimentem a intensa alegria que
assim que nossos primeiros pais Também explicou claramente por eu experimentei; para que também
foram afastados tanto física como que o castigo era necessário: “Ora, nasçam de Deus e encham-se do
espiritualmente da presença do o arrependimento não poderia ser Espírito Santo” (Alma 36:17–21, 24).
Senhor; e assim vemos que eles fica- concedido aos homens se não hou- Alma perguntou a Coriânton:
ram sujeitos a sua própria vontade” vesse um castigo tão eterno como a “Acaso supões que a misericórdia
(Alma 42:7). vida da alma, estabelecido em oposi- possa roubar a justiça?” (Alma 42:25).
“Foi determinado que o homem ção ao plano de felicidade, também Explicou-lhe então que por causa da
morresse” (Alma 42:6). tão eterno como a vida da alma” Expiação de Cristo ambas poderiam
Ele então explicou por que a morte (Alma 42:16). ser satisfeitas pela lei eterna.
é absolutamente necessária: “Se não O próprio Alma sentiu as dores “Movido pelo Espírito Santo”
fosse pelo plano de redenção (dei- do castigo e a alegria do arrependi- (D&C 121:43; ver também Alma
xando-o de lado), assim que eles mor- mento. Ele mesmo desapontara imen- 39:12), ele repreendeu Coriânton
ressem sua alma se tornaria miserável, samente seu pai, o avô de Coriânton. com rigidez. Então, depois de ensinar
sendo afastada da presença do Ele se rebelou e “[procurou] destruir com clareza e paciência esses princí-
Senhor” (Alma 42:11). a igreja” (Alma 36:6). Foi ferido por pios fundamentais do evangelho,
Alma ensinou Coriânton a respeito um anjo, não porque merecesse, mas mostrou seu grande amor.

26
O papel de Jesus Cristo como Salvador do mundo é representado nessa reprodução do Christus, exposta na Praça do Templo.

O Profeta Joseph Smith aprendeu chamado Alma, foi um dos sacerdo- chamado por Deus para pregar a pala-
por revelação que “nenhum poder ou tes que serviu o iníquo rei Noé. Alma vra a este povo. (...) Segue teu cami-
influência pode ou deve ser mantido ouviu o profeta Abinádi testificar de nho, proclama a palavra com verdade
em virtude do sacerdócio, a não ser Cristo e converteu-se. Condenado à e circunspecção. (...) E que Deus te
com persuasão, com longanimidade, morte, fugiu da corte iníqua para conceda conforme minhas palavras”
com brandura e mansidão e com ensinar a respeito do Salvador (Alma 42:31).
amor não fingido. (ver Mosias 17:1–4). Coriânton uniu-se a seus irmãos,
Com bondade e conhecimento Alma, como seu pai, insistiu Helamã e Siblon e àqueles que eram
puro, que grandemente expandirão a com o filho Coriânton para que se líderes do sacerdócio. Vinte anos
alma, sem hipocrisia e sem dolo — arrependesse. depois na terra do norte, ele ainda
Reprovando prontamente com fir- Depois de repreender severa- estava trabalhando fielmente no evan-
meza, quando movido pelo Espírito mente o filho e de pacientemente gelho (ver Alma 49:30; 63:10).
Santo; e depois, mostrando então um ensinar-lhe as doutrinas do evange- O mundo em que vivemos e onde
amor maior por aquele que repreen- lho, Alma, o pai amoroso, disse: “E nossos filhos devem encontrar seu
deste, para que ele não te julgue seu agora, meu filho, eu desejo que não caminho é um mundo muito iníquo.
inimigo; te preocupes mais com essas coisas Problemas com pornografia, identi-
Para que ele saiba que tua fideli- e que deixes apenas teus pecados te dade sexual, imoralidade, maus-tratos,
dade é mais forte que os laços da preocuparem, com aquela preocupa- drogas, vícios e todo resto estão em
morte“ (D&C 121:41–44). ção que te levará ao arrependimento” toda parte. Não podemos escapar de
Alma disse: “Oh! Meu filho, desejo (Alma 42:29). sua influência.
que não negues mais a justiça de Deus. Em agonia e vergonha, Coriânton Certas pessoas são levadas à tenta-
Não procures, mesmo nas mínimas humilhou-se até o pó (Alma 42:30). ção pela curiosidade, depois querem
coisas, desculpar-te de teus pecados, Alma, que era o pai de Coriânton experimentar, e algumas caem na
negando a justiça de Deus: mas deixa e também seu líder do sacerdócio, armadilha do vício. Elas perdem a
que a justiça de Deus e sua misericór- estava agora satisfeito com o arrepen- esperança. O adversário faz sua
dia e sua longanimidade governem dimento do filho. Ele tirou o terrível colheita e as amarra como feixes.
plenamente teu coração; e deixa que fardo de culpa que seu filho carregava Satanás é o enganador e o destrui-
te humilhem até o pó” (Alma 42:30). e mandou-o de volta para o campo dor, mas sua vitória é temporária.
O avô de Coriânton, também missionário: “E agora, ó meu filho, és Os anjos do mal convencem alguns

A L I A H O N A MAIO DE 2006 27
Para Que
de que nasceram para uma vida da
qual não podem fugir e são compeli-
dos a viver em pecado. A pior de
todas as mentiras é a de que não
podem mudar e se arrepender e de
que não serão perdoados. Isso não
pode ser verdade. Eles se esqueceram
da Expiação de Cristo.
Possamos Ter
“Pois eis que o Senhor vosso
Redentor sofreu a morte na carne;
portanto sofreu a dor de todos os
Sempre Conosco
homens, para que todos os homens
se arrependessem e viessem a ele”
(D&C 18:11).
Cristo é o Criador, aquele que cura.
o Seu Espírito
É L D E R DAV I D A . B E D N A R
O que Ele fez, Ele pode consertar. O
evangelho de Jesus Cristo é o evange- Do Quórum dos Doze Apóstolos
lho do arrependimento e do perdão
(ver 2 Néfi 1:13; 2 Néfi 9:45; Jacó 3:11; Devemos nos esforçar para discernir “quando nos
Alma 26:13–14; Morôni 7:17–19).
“Lembrai-vos de que o valor das afastamos do Espírito do Senhor” e prestar atenção e
almas é grande à vista de Deus” aprender com as escolhas e influências que nos separam
(D&C 18:10). do Espírito Santo.
O relato desse pai amoroso e de
um filho desobediente tirado do Livro
de Mórmon: Um Outro Testamento
de Jesus Cristo é uma espécie de ordenança introdutória do evangelho
padrão, um exemplo. de Jesus Cristo e deve ser precedido
Cada um de nós tem um Pai pela fé no Salvador e pelo arrepen-
Celestial amoroso. Por intermédio do dimento sincero e completo. O
plano de redenção do Pai, aqueles batismo na água deve ser seguido
que porventura tropeçarem e caírem pelo batismo do Espírito para que
“não [serão] rejeitados para sempre” seja completo [ver Guia para Estudo
(Livro de Mórmon, página de rosto, das Escrituras: Batismo, p. 26]. Como
parágrafo 2). o Salvador ensinou a Nicodemos,
“E quão grande é sua alegria pela “aquele que não nascer da água e do
alma que se arrepende!” (D&C 18:13). Espírito, não pode entrar no reino de
“O Senhor não [pode] encarar o Deus” (João 3:5). Minha mensagem
pecado com o mínimo grau de tole- esta tarde se centraliza no batismo do
rância; entretanto” (D&C 1:3–32), o Espírito e nas bênçãos que advêm da
Senhor disse: “Aquele que se arrepen- companhia do Espírito Santo.
deu de seus pecados é perdoado e
eu, o Senhor, deles não mais me lem- A Ordenança e o Convênio

H
bro” (D&C 58:42). oje, faço uma lembrança e Associado ao Batismo
Poderia haver nas escrituras pala- uma admoestação àqueles de Ao sermos batizados, cada um
vras mais doces e confortadoras, mais nós que somos membros de A de nós fez um solene convênio com
plenas de esperança do que essas? Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos nosso Pai Celestial. Um convênio é
“Eu, o Senhor, não mais me lembro Últimos Dias. Oro pelo Espírito Santo um acordo entre Deus e Seus filhos
[de seus pecados]” (D&C 58:42). Esse e O convido a auxiliar-nos enquanto na Terra e é importante que se com-
é o testemunho do Livro de Mórmon, aprendemos juntos. preenda que Deus determina as con-
e esse é o meu testemunho a vocês, O batismo por imersão para a dições de todos os convênios do
em nome de Jesus Cristo. Amém. ■ remissão dos pecados é uma evangelho. Nem eu nem vocês

28
determinamos a natureza ou os A Confirmação e o Batismo do do Senhor e ser imersos Nele, “e
elementos de um convênio, mas Espírito [receberemos], então, a remissão de
exercendo nosso arbítrio moral, Seguindo-se ao batismo, cada um [nossos] pecados pelo fogo e pelo
aceitamos os termos e exigências de nós recebeu a imposição de mãos Espírito Santo” (2 Néfi 31:17).
de um convênio da forma como o por quem tinha autoridade do sacer- Ao nos acostumarmos com o
Pai Eterno os estabeleceu [ver Guia dócio e foi confirmado membro de A Espírito Santo, aprendemos que a
para Estudo das Escrituras: Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos intensidade com que sentimos Sua
Convênio, p. 43]. Últimos Dias, e o Espírito Santo foi- influência não é sempre a mesma.
A ordenança salvadora do batismo nos conferido (ver D&C 49:14). A Impressões espirituais fortes e dra-
deve ser administrada por quem declaração “recebe o Espírito Santo” máticas não nos são dadas com
tenha a autoridade adequada dada dita na confirmação foi um manda- freqüência. Mesmo quando nos
por Deus. As condições básicas do mento de buscarmos o batismo do esforçamos para ser fiéis e obedien-
convênio que fazemos ao entrar nas Espírito. tes, existem épocas nas quais a orien-
águas do batismo são as seguintes: O Profeta Joseph Smith ensinou: tação, a segurança e a paz de espírito
testificamos que desejamos tomar “Pode-se batizar até mesmo um saco não são percebidas com facilidade
sobre nós o nome de Jesus Cristo, de areia como se fosse um homem, em nossa vida. De fato, o Livro de
que sempre nos lembraremos Dele se não for feito com vistas à remissão Mórmon descreve lamanitas fiéis que
e que guardaremos Seus mandamen- dos pecados e à obtenção do Espírito “foram batizados com fogo e com o
tos. A bênção prometida por honrar- Santo. O batismo de água é apenas Espírito Santo e não o souberam”
mos esse convênio é que poderemos meio batismo e de nada serve sem (3 Néfi 9:20).
ter sempre conosco o Seu Espírito a outra metade — ou seja, sem o A influência do Espírito Santo é
(ver D&C 20:77). Em outras palavras, batismo do Espírito Santo” (History of descrita nas escrituras como “uma
o batismo na água autoriza-nos a the Church, volume 5, p. 499). Fomos voz mansa e delicada” (I Reis 19:12;
oportunidade de gozar da companhia batizados por imersão na água para a ver também 3 Néfi 11:3) e uma “voz
constante do terceiro membro da remissão dos pecados. Precisamos de perfeita suavidade” (Helamã
Trindade. também ser batizados pelo Espírito 5:30). Assim, o Espírito do Senhor

A L I A H O N A MAIO DE 2006 29
geralmente Se comunica conosco de minuto ou a cada hora de cada dia. Liahona não funcionasse antigamente
maneira suave, delicada e sutil. Entretanto, o Espírito Santo pode nos afastarão do Espírito Santo hoje.
estar em nós muitas vezes, talvez até a
Quando nos Afastamos do Espírito maior parte do tempo e, sem dúvida, A Liahona: Propósitos e Princípios
do Senhor a presença desse Espírito é mais cons- Quando estudarmos e ponderar-
Em nosso estudo individual e nas tante que sua ausência. À medida que mos sobre os propósitos da Liahona e
aulas, repetidamente enfatizamos a permanecemos cada vez mais imersos sobre os princípios que a faziam fun-
importância de reconhecermos a ins- no Espírito do Senhor, devemos nos cionar, testifico-lhes que receberemos
piração e os sussurros recebidos do esforçar para reconhecer as impres- inspiração adequada às nossas cir-
Espírito do Senhor. E tal abordagem sões quando elas vêm e as influências cunstâncias e necessidades pessoais
é correta e útil. Devemos buscar com ou eventos que nos afastam do ou familiares. Podemos ser e seremos
diligência o reconhecimento dos sus- Espírito Santo. abençoados com a orientação contí-
surros que chegam a nós e agir de Tomar “o Santo Espírito [como nua do Espírito Santo.
acordo com eles. Entretanto, um nosso] guia” (D&C 45:57) é possível A Liahona foi preparada pelo
aspecto importante do batismo do e essencial para nosso crescimento e Senhor e entregue a Leí e sua família
Espírito pode, geralmente, ser negli- sobrevivência espiritual em um mundo quando saíram de Jerusalém e viaja-
genciado no nosso desenvolvimento cada vez mais iníquo. Às vezes nós, vam pelo deserto (ver Alma 37:38;
espiritual. santos dos últimos dias, falamos e agi- D&C 17:1). Essa bússola ou orienta-
Devemos também nos esforçar mos como se o reconhecimento do dor indicava a direção que Leí e sua
para discernir quando “[nos afasta- Espírito Santo em nossa vida fosse algo caravana deveriam seguir (ver 1 Néfi
mos] do Espírito do Senhor e não raro e excepcional. Devemos nos lem- 16:10), até mesmo o “caminho reto
[tem] ele lugar em [nós] para guiar- brar, no entanto, que a promessa do para a terra prometida” (Alma 37:44).
[nos] pelas veredas da sabedoria, a convênio é de que poderemos ter sem- Os ponteiros da Liahona operavam
fim de que [sejamos] abençoados, pre conosco o Seu Espírito. Essa bên- “conforme a fé e a diligência e a
favorecidos e preservados” (Mosias ção celestial se aplica a cada membro atenção” (1 Néfi 16:28) que lhes
2:36). Exatamente porque a bênção da Igreja que foi batizado, confirmado davam os viajantes, e não funciona-
prometida é de que poderemos ter e instruído a “receber o Espírito Santo”. vam quando os membros da família
sempre conosco o Seu Espírito, deve- eram contenciosos, rudes, preguiço-
mos prestar atenção e aprender com A Liahona como Protótipo e Símbolo sos ou negligentes (ver 1 Néfi 18:12,
as escolhas e influências que nos para os Nossos Dias 21; Alma 37:41, 43).
separam do Espírito Santo. Atualmente, o Livro de Mórmon é A bússola também lhes propor-
O padrão é claro. Se algo em que a fonte primordial da qual devemos cionava meios pelos quais Leí e sua
pensamos, algo que vemos, ouvimos beber para aprender a convidar a família podiam obter maior “entendi-
ou fazemos nos afasta do Espírito companhia constante do Espírito mento sobre os caminhos do Senhor”
Santo, devemos parar de pensar, ver, Santo. A descrição feita no Livro de (1 Néfi 16:29). Assim, os propósitos
ouvir ou fazer esse algo. Se aquilo Mórmon sobre a Liahona, como guia básicos da Liahona eram de prover
que tem o objetivo de nos divertir, ou bússola usada por Leí e sua família tanto orientação quanto instrução
por exemplo, nos aliena do Espírito em sua jornada pelo deserto, foi espe- durante a longa e penosa viagem.
Santo, é porque com certeza esse cificamente incluída no registro para Aquele dispositivo era um instru-
tipo de diversão não nos serve. Uma servir de protótipo ou símbolo para mento físico que servia de indicador
vez que o Espírito não pode tolerar os nossos dias. Foi uma lição essencial externo da condição espiritual inte-
a vulgaridade, a rudeza, ou a falta de sobre o que devemos fazer para des- rior que apresentavam diante de
recato, então, sem dúvida, tais coisas frutar das bênçãos do Espírito Santo. Deus. Ele funcionava de acordo com
não são para nós. Se afastamos o Ao nos aplicarmos para alinhar os princípios da fé e da diligência.
Espírito do Senhor quando fazemos nossas atitudes e ações à retidão, o Assim como Leí foi abençoado na
o que sabemos ser ruim, então tais Espírito Santo Se torna para nós, hoje, Antigüidade, cada um de nós recebeu
coisas não são mesmo para nós. o que a Liahona foi para Leí e sua uma bússola espiritual que pode nos
Reconheço que somos homens e família naquela época. Os mesmos orientar e instruir durante nossa jor-
mulheres decaídos e que vivemos em fatores que faziam a Liahona funcio- nada mortal. O Espírito Santo foi-nos
um mundo mortal e que não pode- nar para Leí também convidarão o conferido ao sairmos do mundo para
mos ter a presença do Espírito Santo Espírito Santo à nossa vida. E os mes- entrar na Igreja do Salvador por meio
conosco a cada segundo de cada mos fatores que faziam com que a do batismo e da confirmação. Pela

30
autoridade do Santo Sacerdócio,
fomos confirmados membros da
Igreja e admoestados a buscar a
companhia constante do “Espírito
de verdade, que o mundo não pode
receber, porque não o vê nem o
conhece; mas vós o conheceis, por-
que habita convosco, e estará em vós”
(João 14:17).
Ao avançar pelos caminhos da vida,
recebemos orientação do Espírito
Santo exatamente como Leí foi orien-
tado pela Liahona. “Pois eis que vos
digo novamente que, se entrardes
pelo caminho e receberdes o Espírito
Santo, ele vos mostrará todas as coi-
sas que deveis fazer” (2 Néfi 32:5).
O Espírito Santo opera em nossa
vida exatamente como a Liahona fun-
cionava para Leí e sua família, de
acordo com nossa fé, diligência e
atenção que lhe damos.
“Que a virtude adorne teus pensa-
mentos incessantemente; então tua
confiança se fortalecerá na presença Também devemos evitar com firmeza Profeta se ele tinha uma mensagem
de Deus (...) a falta de recato, a rudeza e a grosse- para os irmãos. O Profeta Joseph res-
O Espírito Santo será teu compa- ria, o pecado e o mal que fazem com pondeu: “Diga às pessoas que sejam
nheiro constante, e teu cetro, um que nos afastemos do Espírito Santo. humildes e fiéis, procurando manter o
cetro imutável de retidão e verdade” Também convidamos a companhia Espírito do Senhor, e Ele as conduzirá
(D&C 121:45–46). constante do Espírito Santo ao parti- no caminho correto. Tomem cuidado
E o Espírito Santo nos concede lharmos dignamente do sacramento para não repelir a voz mansa e delicada
hoje os meios segundo os quais pode- no Dia do Senhor. “E para que mais que as ensinará o que fazer e aonde ir.
mos receber, “por meio de coisas plenamente te conserves limpo das Ela irá produzir os frutos do Reino”
pequenas e simples” (Alma 37:6), manchas do mundo, irás à casa de (ver Ensinamentos dos Presidentes da
maior compreensão a respeito dos oração e oferecerás teus sacramentos Igreja: Brigham Young:1997, p. 41,
caminhos do Senhor. “Mas aquele no meu dia santificado” (D&C 59:9). grifo do autor). De todas as verdades
Consolador, o Espírito santo, que o Por meio da ordenança do sacra- que o Profeta Joseph Smith podia ter
Pai enviará em meu nome, esse vos mento, renovamos nosso convênio ensinado a Brigham Young naquela
ensinará todas as coisas, e vos fará batismal e podemos receber e reter a ocasião sagrada, ele enfatizou a impor-
lembrar de tudo quanto vos tenho remissão de nossos pecados (ver tância de obtermos e mantermos o
dito” (João 14:26). Mosias 4:12, 26). Ademais, somos Espírito do Senhor.
O Espírito do Senhor pode nos relembrados semanalmente da pro- Meus amados irmãos e irmãs, tes-
guiar e nos abençoar com orientação, messa de que poderemos ter sempre tifico da viva realidade de Deus, o Pai
instrução e proteção espiritual conosco o Seu Espírito. Ao nos esfor- Eterno, e de Seu Filho, Jesus Cristo,
durante nossa jornada mortal. çarmos por nos manter limpos e sem e do Espírito Santo. Que cada um de
Convidamos o Espírito Santo à nossa as manchas do mundo, tornamo-nos nós viva de maneira a podermos ter
vida por meio da significativa oração vasos dignos nos quais o Espírito do sempre conosco Seu Espírito e assim
pessoal e familiar, banqueteando-nos Senhor pode sempre habitar. nos qualificarmos para as bênçãos da
com as palavras de Cristo, da obediên- Em fevereiro de 1847, o Profeta orientação, instrução e proteção que
cia diligente e precisa, da fidelidade e Joseph Smith apareceu a Brigham são essenciais nestes últimos dias.
honra aos convênios e por meio da Young em sonho ou visão. O No sagrado nome de Jesus Cristo.
virtude, da humildade e do serviço. Presidente Young perguntou ao Amém. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 31
Sua Missão
de inverno e sentaram-se. Tal como os
missionários do início daquele dia, a
despeito do clima, eles também esta-
vam felizes. Sentiam o Espírito do

Mudará Tudo
É L D E R DAV I D F. E VA N S
Senhor na vida deles. Por meio do
serviço na causa do Senhor, sentiam
amor, entusiasmo e uma alegria que
são difíceis de descrever.
Ao observar aqueles grandes jovens
Dos Setenta
missionários naquela noite, tive uma
experiência notável. Em minha mente,
vi os missionários de toda a missão
Venham e façam parte da melhor de todas as gerações de saindo para trabalhar naquela noite
missionários que o mundo já conheceu. de inverno. Alguns estavam batendo
em portas e enfrentando a rejeição,
enquanto procuravam ensinar o evan-
gelho de Jesus Cristo. Alguns estavam
voltando para chuva novamente. em casas e apartamentos, ensinando
Alguns missionários chegavam de pessoas e famílias. A despeito das
trem das cidades vizinhas e caminha- árduas condições que enfrentavam,
vam até a Igreja no meio da tempes- estavam fazendo tudo o que podiam
tade. Outros vinham de bicicleta. para ensinar o evangelho de Jesus
Quase todos, sem exceção, estavam Cristo aos que quisessem ouvir, e esta-
felizes e alegres. Eram os missionários vam felizes. Em meu coração, tive um
do Senhor. Tinham o Seu Espírito e sentimento que não consigo explicar
sentiam alegria no serviço Dele, a des- plenamente.
peito das circunstâncias. Por um maravilhoso dom do
À medida que cada dupla termi- Espírito, senti o Seu amor, o puro
nava sua entrevista, saía em meio à amor de Cristo que Ele tem pelos mis-
tempestade para pregar o evangelho sionários fiéis do mundo inteiro, e
e realizar o que o Senhor os chamara isso mudou minha vida para sempre.
a fazer. Nunca me esquecerei daque- Compreendi quão precioso é cada
les momentos. Seu comprometi- missionário para Ele. Tive um vislum-
mento e dedicação eram visíveis. bre do que os profetas descreveram

F
az um ano que fui apoiado na Senti o amor que tinham pelas pes- como “a melhor de todas as gerações
conferência geral. Sinto-me soas e pelo Senhor. Ao observá-los de missionários que o mundo já
grato por este ano e por tudo partindo, senti um imenso amor por conheceu” (ver M. Russell Ballard,
que passei. Amo o Senhor e sinto- eles e pelo que estavam fazendo. “A Melhor de Todas as Gerações de
me extremamente grato por Seu Mais tarde, à noite, assisti a uma Missionários”, A Liahona, novembro
sacrifício e por Seu evangelho. Amo reunião do sacerdócio naquela de 2002, p. 46). Comecei a compreen-
o Presidente Hinckley e o apóio mesma cidade. A tempestade conti- der por que foi necessário elevar as
como o profeta do Senhor na Terra. nuava a cair, sendo então quase só exigências para que os missionários
Juntamente com os santos fiéis do neve. Durante o primeiro hino, o pre- do mundo inteiro tivessem direito à
mundo inteiro, presto testemunho sidente do menor e mais afastado proteção, orientação e felicidade que
dos profetas e apóstolos de nossos ramo e seus dois conselheiros missio- vêm do Espírito do Senhor. Também
dias e dedico minha vida à Sua causa. nários, o Élder Warner e o Élder comecei a compreender por que nós
Há poucos anos, eu estava entre- Karpowitz, chegaram à capela. — como pais, bispos, presidentes de
vistando missionários. Havia uma Quando estavam preparando-se para estacas e outros líderes — precisamos
tempestade de inverno caindo sentar-se, aqueles dois maravilhosos fazer tudo o que pudermos para aju-
enquanto os missionários chegavam e missionários tiraram o chapéu e as dar os jovens da Igreja a tornarem-se
partiam durante o dia. A tempestade luvas. Tiraram o casaco que vestiam. dignos das bênçãos do trabalho
mudou de chuva gelada para neve, Depois, tiraram um segundo casaco missionário.

32
O Presidente Hinckley descreveu o Pervasive during Visit of President decisão de servir em uma missão e
que acontece no coração de cada mis- Hinckley”, de Mike Cannon, Church entregar minha vida ao Senhor”.
sionário ou missionária que dedica News, 9 de setembro de 1995, p. 4). O Presidente Hinckley lembrou que
sua vida e trabalho ao Senhor, quando O Presidente Hinckley prosseguiu, não são apenas os jovens élderes que
falou sobre as próprias experiências dizendo: “Querem ser felizes? têm direito a essas bênçãos. Os casais
como missionário. No início de sua Esqueçam-se de si mesmos e entre- servem de modo maravilhoso e são
missão, ele sentiu-se desanimado. O guem-se inteiramente a essa grande muito necessários. Embora as jovens
trabalho era árduo, e as pessoas não causa, dedicando todo o seu empe- irmãs não sejam obrigadas a servir, o
eram receptivas. Contudo, houve um nho no trabalho de ajudar as pessoas” Presidente disse: “Precisamos de algu-
momento em que o desânimo se (Church News, 9 de setembro de mas moças. Elas realizam um trabalho
transformou em comprometimento. 1995, p. 4). notável” (“Para os Bispos da Igreja”,
Para ele, o início foi uma carta de seu A cada rapaz, eu costumo dizer: Reunião Mundial de Treinamento
pai, na qual ele leu: “Querido “Quer ser feliz?” Se quiser, venha e de Liderança, 19 de junho de 2004,
Gordon, recebi sua carta. (...) Tenho junte-se a nós, que somos 52.000 p. 27). Também sabemos que há
apenas uma sugestão: Esqueça-se de e seremos cada vez mais, e sirva a alguns que por motivos de saúde ou
si mesmo e trabalhe”. Ao descrever o seu próximo como missionário do outras razões estão honrosamente
que aconteceu em seguida, ele disse: Senhor. Assuma o compromisso de desobrigados do serviço. Amamos
“Ajoelhei-me naquele pequeno quarto oferecer dois anos de sua vida ao essas pessoas e sabemos que nosso
(...) e prometi que tentaria entregar Senhor. Isso mudará tudo. Você será Pai Celestial proverá bênçãos compen-
minha vida ao Senhor. feliz. As dúvidas se dissiparão. Você sadoras na vida delas ao servirem de
O mundo inteiro mudou. A névoa aprenderá a amar a cultura e o povo outras maneiras e viverem fielmente.
se dissipou. O sol começou a brilhar do lugar em que for chamado a servir. Há um ano, o Élder Ballard pediu
em minha vida. Senti um interesse O trabalho será difícil, mas haverá aos pais, bispos e presidentes de
renovado. Vi a beleza daquele país. também grande satisfação e alegria ao ramo que trabalhassem juntos e aju-
Vi a grandiosidade das pessoas. (...) servir. Se for fiel durante a sua missão dassem pelo menos mais um rapaz,
Tudo o que me aconteceu de bom e depois dela, ao relembrá-la em sua além dos que normalmente se prepa-
desde aquela época teve início com a vida você dirá, tal como o Presidente rariam para servir, a tornar-se digno
decisão que tomei naquela pequena Hinckley: “Tudo o que aconteceu de de ser chamado em cada ala e ramo
casa” (“Missionary Theme Was bom para mim teve início com a da Igreja (ver “Mais Um”, A Liahona,

A L I A H O N A MAIO DE 2006 33
O Dom do Arbítrio
maio de 2005, p. 69). Muitos atende-
ram a esse pedido. Como líderes,
devemos todos renovar nosso com-
promisso de atender a esse pedido
inspirado. É L D E R W O L F G A N G H . PA U L
Irmãos e irmãs, muitos bons bis- Dos Setenta
pos já estão fazendo há muito tempo
o que o Élder Ballard pediu. Há trinta À medida que obedecemos aos mandamentos de nosso Pai
e seis anos, o bispo Frank Matheson
ligou para minha casa e convidou-me Celestial, nossa fé aumenta, crescemos em sabedoria e
a ir até o seu escritório. Devido à força espiritual, e cada vez se torna mais fácil fazer as
situação mundial, o número de mis- escolhas certas.
sionários que cada ala podia enviar
era limitado, mas havia surgido uma
oportunidade e ele tinha a responsa-
bilidade de recomendar mais um mis- geral encontramos a idéia ampla-
sionário. Ele me disse que ele e seus mente disseminada de que, quando
conselheiros tinham orado. Disse-me alguém faz o que quer, alcança a liber-
que se sentiu inspirado a dizer-me dade e é feliz. A mensagem sugere
que aquele era o momento em que o que os únicos critérios em que se
Senhor desejava que eu servisse em baseiam nossas decisões são: o que
uma missão. Fiquei aturdido. Nunca nos agrada, o que é divertido, ou o
ninguém me dissera que o Senhor que atende aos nossos desejos.
tinha algo que Ele queria que eu Nosso Pai Celestial nos deu um
fizesse. Senti o Espírito do Senhor conceito melhor. É o Seu grande
testificar que eu devia ir, e que devia plano de felicidade que nos propor-
fazê-lo naquele momento. Eu disse ao ciona a verdadeira liberdade e felici-
bispo: “Se o Senhor quer que eu sirva dade. Lemos no Livro de Mórmon: “E
em uma missão, então eu irei”. o Messias vem na plenitude dos tem-
Para mim, tudo mudou. A névoa pos para redimir da queda os filhos
realmente se dissipou, e senti alegria dos homens. E porque são redimidos
e felicidade na vida. De um modo ou da queda tornaram-se livres para sem-

H
de outro, todas as coisas boas que me á algum tempo, parei o carro pre, distinguindo o bem do mal; para
aconteceram desde aquele dia foram em um semáforo e um adesivo agirem por si mesmos e não para rece-
resultado do compromisso que no veículo à minha frente me berem a ação, salvo se for pelo castigo
assumi de servir ao Senhor e a Seus chamou a atenção. Lia-se nele: “Faço da lei no grande e último dia, segundo
filhos e de dedicar dois anos de o que quero”. os mandamentos dados por Deus.
minha vida a serviço Dele. Fiquei pensando por que alguém Portanto os homens são livres
Digo novamente: Venham e jun- colocaria uma frase dessas no seu segundo a carne; e todas as coisas de
tem-se a nós. Venham e sejam puros. carro. Que mensagem queria trans- que necessitam lhes são dadas. E são
Venham e sejam felizes. Venham e mitir? Talvez o dono do carro qui- livres para escolher a liberdade e a
sintam justamente o que o Senhor sesse expressar publicamente que vida eterna por meio do grande
disse ser “de maior valor” (D&C 15:6) alcançou total liberdade fazendo Mediador de todos os homens, ou
para vocês nesta época de sua vida. só aquilo de que gostava. Pensando para escolherem o cativeiro e a
Venham e façam parte da melhor de mais no assunto, compreendi que o morte, de acordo com o cativeiro e o
todas as gerações de missionários que mundo seria um lugar muito caótico poder do diabo; pois ele procura tor-
o mundo já conheceu. se todos fizessem somente o que nar todos os homens tão miseráveis
Este é o trabalho de Deus. Nosso lhes agradasse. como ele próprio”.1
Pai Celestial vive e Seu Filho Jesus É óbvio que existe alguma confu- Ao virmos a este mundo, trouxe-
Cristo lidera e dirige esta obra hoje. são em nossa sociedade sobre esse mos conosco do lar celestial essa
Presto testemunho disso, em nome assunto. Nos meios de comunicação, dádiva de Deus a que chamamos
de Jesus Cristo. Amém. ■ na propaganda e nas diversões em arbítrio. Ele nos dá o direito e o

34
poder de tomar decisões e de
fazer escolhas. O arbítrio é uma lei
eterna. O Presidente Brigham Young,
falando sobre o arbítrio, ensinou-
nos: “Essa é uma lei que sempre
existiu em toda a eternidade e que
continuará a existir por todas as eter-
nidades futuras. Todo ser inteligente
deve ter o poder de decidir”. 2
O Presidente Wilford Woodruff
falando sobre o assunto disse: “Esse
arbítrio sempre foi a herança do
homem sob a direção e o governo de
Deus. O homem o possuía no céu
dos céus antes deste mundo existir,
e o Senhor o manteve e o defendeu
contra a agressão de Lúcifer e de seus
seguidores. Em virtude desse arbítrio,
vocês e eu e toda a humanidade nos
tornamos seres responsáveis, respon- perfeito para todos nós de como escola em Hamburgo e agora tinham
sáveis pelo rumo que tomamos, pela usarmos nosso arbítrio. Naquele de se acostumar ao sistema socialista
vida que vivemos e pelos atos que Conselho dos Céus, quando o plano de educação da Alemanha Oriental.
praticamos”.3 de nosso Pai foi apresentado a nós, de Uma filha chegou a ficar para trás para
Quando o Senhor ensinou a que teríamos a oportunidade de vir a terminar os estudos no ocidente.
Abraão sobre a natureza eterna dos esta Terra e receber um corpo, o Filho Entretanto, aprendemos com essa
espíritos e que ele tinha sido esco- Amado, que fora Amado e Escolhido experiência que o que parecia difícil
lhido mesmo antes de nascer, Ele do Pai desde o princípio, disse ao Pai: para nós no início, tornou-se afinal
explicou a Abraão um dos mais impor- “Pai, faça-se a tua vontade e seja tua a uma grande bênção. O Senhor tinha o
tantes propósitos de virmos à Terra, glória para sempre”.5 Seu próprio modo de cuidar de nos-
dizendo: “E assim os provaremos para Da mesma forma, devemos fazer sos desafios.
ver se farão todas as coisas que o nossas escolhas usando os mesmos Queridos irmãos e irmãs, sou
Senhor seu Deus lhes ordenar.”4 critérios: Em vez de dizer, “faço o que muito grato pelo extraordinário dom
Portanto, o nosso arbítrio torna a quero”, nosso lema deve ser: “Faço o do arbítrio que o Pai Celestial nos
vida nesta Terra um período de teste. que o Pai quer que eu faça”. concedeu. Sou grato por saber que
Se não tivéssemos esse maravilhoso Assim fazendo, poderemos ter a somos Seus filhos. Sei por experiência
dom do arbítrio, não seríamos capazes certeza de que as bênçãos do Senhor própria que Ele nos ama e que zela
de mostrar a nosso Pai Celestial que estarão sobre nós. Pode até ser que por nós. Sei que Jesus é o Cristo, o
faríamos tudo o que Ele mandasse. tenhamos de fazer algumas dessas Filho de Deus, nosso Salvador e
Para sermos capazes de exercer escolhas quando não nos for conve- Redentor. Sei que o Profeta Joseph
nosso arbítrio, é essencial distinguir- niente. Aprendi, no entanto, que Smith viu o Pai e o Filho e que ele é o
mos o bem do mal, termos liberdade embora o tempo possa não ser conve- profeta da Restauração. Sei que o
de escolha e, depois de exercermos niente em nossa agenda, ainda assim, Presidente Gordon B. Hinckley é o
nossa escolha, deverão existir conse- se fizermos a escolha certa, o Senhor profeta de Deus hoje.
qüências para os nossos atos. cuidará de nós à Sua própria maneira Disso testifico em nome de Jesus
Aprendi que à medida que obede- que, naquele momento, não será Cristo. Amém. ■
cemos aos mandamentos de nosso conhecida por nós.
Pai Celestial, nossa fé aumenta, cres- Quando fomos transferidos, em NOTAS
1. 2 Néfi 2:26–27.
cemos em sabedoria e força espiri- 1989, da Missão Alemanha Hamburgo, 2. Deseret News, 10 de outubro de 1866,
tual, e cada vez se torna mais fácil na Alemanha Oriental, para presidir a p. 355.
fazer as escolhas certas. Missão Dresden, o momento não era 3. Millennial Star, 14 de outubro de. 1889,
p. 642.
Nosso grande exemplo, o Senhor adequado para a nossa família. Nossos 4. Abraão 3:25.
Jesus Cristo, estabeleceu o exemplo filhos vinham se adaptando à nova 5. Moisés 4:2.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 35
Fortalecer o
potencial. Eles deixam que seu
romance se deteriore, acham que
não precisam valorizar um ao outro,
permitem que outros interesses ou

Casamento
ÉLDER RUSSELL M. NELSON
nuvens de negligência obscureçam
a visão do que seu casamento pode
realmente vir a ser. Os casamentos
seriam mais felizes se nutridos com
mais cuidado.
Do Quórum dos Doze Apóstolos
Sei que muitas pessoas maduras na
Igreja não são casadas. Não por culpa
própria, elas lidam sozinhas com as
Os casamentos seriam mais felizes se nutridos com mais provações da vida. Lembremos que
cuidado. no devido tempo do Senhor e à
Sua maneira, nenhuma bênção será
negada a Seus santos fiéis.3 Para aque-
les que estão casados hoje ou irão se
totalmente alheio à sua presença. casar, quero sugerir dois passos que
Estava concentrado em um jogo ele- vocês podem dar para ter um casa-
trônico. Durante o vôo inteiro, sua mento mais feliz.
atenção ficou voltada para aquele
mini-game. Em nenhum momento I. Alicerce Doutrinário
ele olhou para ela, falou com ela ou O primeiro é compreender o ali-
deu-se conta de sua necessidade cerce doutrinário do casamento. O
de carinho. Senhor declarou que o casamento é
Sua desatenção deu-me vontade a união legal entre um homem e uma
de gritar: “Abra os olhos, homem! mulher: “O casamento foi instituído
Não está vendo? Preste atenção! Sua por Deus para o homem.
mulher o ama! Ela precisa de você!” Portanto é legítimo que ele tenha
Não sei mais nada sobre eles. Não uma esposa e os dois serão uma só
os vi mais. Pode ser que eu tenha me carne; e tudo isto para que a Terra
alarmado à toa. É bem possível que, cumpra o fim de sua criação”.4
se esse homem soubesse da minha A tendência do mundo em definir o
preocupação por eles, talvez lamen- casamento de alguma outra forma ser-

Q ueridos irmãos e irmãs, obri-


gado pelo amor que têm ao
Senhor e Seu evangelho. Onde
quer que vocês morem, sua vida em
tasse o fato de eu não saber usar
aquele joguinho tão empolgante.
Mas isto é o que eu sei: “O casa-
mento entre homem e mulher foi
virá infelizmente para destruir a insti-
tuição do matrimônio. Esses esquemas
são contrários ao plano de Deus.
Foi Ele quem disse: “Portanto, dei-
retidão dá bons exemplos nestes dias ordenado por Deus e (...) a família é xará o homem pai e mãe, e se unirá
de moral decadente e casamentos essencial ao plano do Criador para o a sua mulher, e serão dois numa só
desfeitos. destino eterno de Seus filhos”.1 Sei que carne”.5
Quando nós, as Autoridades a Terra foi criada e a Igreja do Senhor A escritura também afirma que
Gerais, viajamos pelo mundo, às restaurada para que as famílias pudes- “nem o homem é sem a mulher, nem
vezes presenciamos cenas angustian- sem ser seladas e exaltadas como enti- a mulher sem o homem, no Senhor”.6
tes. Num desses últimos vôos, sentei- dades eternas.2 Eu sei que um dos O casamento é a instituição que
me atrás de um casal. Era óbvio que métodos astutos de Satanás minar a forma a ordem social, a fonte da vir-
ela amava o marido. Quando ela acari- obra do Senhor é atacar a sagrada insti- tude e o alicerce da exaltação eterna.
ciou o pescoço dele, vi sua aliança. tuição do casamento e da família. O casamento foi divinamente orde-
Ela se acomodou bem juntinho a ele O casamento traz chances maiores nado como um novo e eterno convê-
e descansou a cabeça em seu ombro, de felicidade do que qualquer outro nio.7 Ele é santificado quando é
procurando seu aconchego. relacionamento humano. Contudo, cultivado e honrado em santidade.
Em contrapartida, ele parecia alguns casais não alcançam seu pleno Essa união não é meramente entre

36
marido e mulher; ela inclui uma
sociedade com Deus.8 O marido e a
mulher “têm a solene responsabili-
dade de amar-se mutuamente”.9
Os filhos nascidos dessa união são
“herança do Senhor”.10 O casamento
é o broto da vida familiar. A materni-
dade e a paternidade são suas flores.
E esse buquê se torna ainda mais
bonito quando é agraciado com
netos. As famílias podem ser eternas
como o próprio reino de Deus.11
O casamento é tanto um manda-
mento como um princípio de exalta-
ção do evangelho.12 Por ser ordenado
por Deus, as íntimas demonstrações
físicas de amor entre duas pessoas
casadas são sagradas. No entanto, é
muito comum que esses dons divinos
sejam desonrados. Se um casal per-
mite que a linguagem vulgar ou a
pornografia corrompam sua intimi-
dade, eles ofendem Seu Criador, ao
mesmo tempo em que degradam e
diminuem seus próprios dons divi-
nos. A verdadeira felicidade origina-
se na pureza pessoal.13 A escritura
ordena: “Sede limpos”.14 O casa-
mento deve ser um convênio que
sempre conduza maridos e esposas
à exaltação na glória celestial.
O casamento foi instituído pelo
Senhor para perdurar além da morte
física. Seu plano oferece a perpetua-
ção eterna da família no reino de
Deus. Seu plano fornece templos e
oportunidades de oficiar ordenanças
para os vivos e os mortos. Um casa-
mento feito nesse local coloca marido vários afazeres. Em geral, mencionam II. Fortalecer o Casamento
e mulher naquela grande ordem e os deveres importantes para os quais Com esses fundamentos doutriná-
unidade tão necessárias para a perfei- foram chamados. Poucos se lembram rios em mente, vejamos o segundo
ção da obra de Deus.15 de suas responsabilidades no lar. No passo: atos específicos que fortalecem
As doutrinas relacionadas ao casa- entanto, os ofícios, chaves, chamados e o casamento. Vou dar algumas suges-
mento incluem o arbítrio e a respon- quóruns do sacerdócio têm o objetivo tões e convido cada casal a refletir
sabilidade individuais. Todos nós de exaltar as famílias16. A autoridade do sobre elas em particular e a adaptá-las
somos responsáveis por nossas esco- sacerdócio foi restaurada para que as conforme necessário às suas próprias
lhas. Os casais que têm filhos são res- famílias sejam seladas para a eterni- circunstâncias.
ponsáveis perante Deus pelo cuidado dade. Portanto, irmãos, a sua obrigação Minhas sugestões usam três verbos
que dispensam a eles. mais importante no sacerdócio é forta- de ação: valorizar, comunicar-se e
Quando me reúno com líderes do lecer seu casamento — cuidar, respei- contemplar.
sacerdócio, muitas vezes pergunto tar, honrar e amar sua esposa. Sejam Valorizar — dizer “eu te amo” e
quais são suas prioridades entre seus uma bênção para ela e para seus filhos. “obrigado” — não é difícil. Mas essas

A L I A H O N A MAIO DE 2006 37
expressões de amor e apreço fazem Porque você fala comigo com
mais do que reconhecer um bom pen- doce voz,
samento ou ação. Elas são sinais de Vejo as rosas despertarem aos
terna cortesia. Quando companheiros meus pés,
que são gratos procuram coisas boas E sou levado em meio a lágrimas
um no outro e trocam elogios, mari- de alegria até você,
dos e esposas tentarão tornar-se a pes- Porque você fala comigo.
soa descrita nesses elogios.
Sugestão número dois — Porque Deus fez com que você fosse
comunicar-se bem com seu cônjuge minha,
— também é importante. A boa comu- Eu te amarei
nicação inclui arranjar tempo para Na luz e na escuridão, por todas as
fazer planos juntos. Os casais precisam épocas que virão,
de algum tempo sozinhos para obser- E oro para que Seu amor faça
var, conversar e realmente ouvir um nosso amor divino,
ao outro. Precisam cooperar, ajudando- Porque Deus fez com que você fosse
se mutuamente como parceiros iguais. tirem sobre essas sugestões e depois minha.20
Precisam nutrir sua intimidade espiri- a estabelecerem metas específicas
tual tanto quanto a intimidade física. para nutrir seu próprio relaciona- Que cada casamento seja fortale-
Eles devem procurar edificar e motivar mento. Comecem com um desejo cido, é minha oração, em nome de
um ao outro. A união matrimonial é sincero. Identifiquem as ações neces- Jesus Cristo. Amém. ■
preservada quando as metas são com- sárias para abençoar sua união e pro-
preendidas por ambos os cônjuges. A pósito espirituais. Acima de tudo, NOTAS
boa comunicação também melhora não sejam egoístas! Criem um espí- 1. “A Família: Proclamação ao Mundo”,
por meio da oração. Orar dizendo algo rito de altruísmo e generosidade. A Liahona, outubro de 2004, p. 49,
parágrafo 1.
específico que o cônjuge tenha feito Comemorem cada dia juntos como 2. Toda vez que as escrituras advertem que
de bom (ou de que precise) fortalece uma dádiva preciosa dos céus. “a Terra seria completamente destruída”,
o casamento. O Presidente Harold B. Lee disse: o aviso está relacionado à necessidade da
autoridade do sacerdócio para selar as
Minha terceira sugestão é contem- “O maior trabalho do Senhor que famílias nos templos sagrados (ver
plar. Essa palavra tem um significado vocês, irmãos, farão como pais será D&C 2:3; 138:48: Joseph Smith —
História 1:39).
profundo. Vem de raízes latinas: con-, realizado dentro de seu próprio lar”.18 3. Ver Joseph Fielding Smith, Doutrinas
que significa “com” e –templum, que E o Presidente David O. McKay decla- de Salvação, comp. Bruce R. McConkie,
significa “um espaço ou lugar para rou: “Nenhum sucesso compensa o 3 vols. (1954–1956), volume 2, p. 76.
4. D&C 49:15–16.
meditar”. É a raiz de onde vem a pala- fracasso no lar”.19 5. Mateus 19:5; ver também Marcos 10:7–8.
vra templo. Se os casais contempla- Quando vocês como marido e 6. I Coríntios 11:11.
rem com freqüência — juntos no mulher reconhecerem seu papel 7. Ver D&C 132:19.
8. Ver Mateus 19:6.
templo — os convênios sagrados divino em sua união — quando senti- 9. “A Família: Proclamação ao Mundo”,
serão lembrados e cumpridos mais rem profundamente que Deus os parágrafo 6.
facilmente. A participação assídua no uniu — sua visão será ampliada e 10. Salmos 127:3.
11. Ver D&C 132:19–20.
templo e o estudo regular das escritu- terão uma compreensão melhor das 12. Ver Joseph Fielding Smith, O Caminho
ras com os familiares nutre o casa- coisas. Esses sentimentos estão da Perfeição, 10ª edição (1953),
mento e fortalece a fé na família. A expressos na letra de uma música pp. 232–233.
13. Ver Alma 41:10.
contemplação permite que um deseje que há muito tempo é uma de 14. D&C 38:42; ver também Isaías 52:11;
estar em sintonia com o outro e com minhas favoritas: 3 Néfi 20:41; D&C 133:5.
15. Ver D&C 128:15–18.
o Senhor. A contemplação nutrirá 16. Ver D&C 23:3.
tanto o casamento quanto o reino de Porque você vem a mim, 17. Tradução de Joseph Smith, Mateus 6:38
Deus. O Mestre disse: “Não busqueis Sem nada, exceto amor, (ver Mateus 6:33, nota de rodapé a).
18. Stand Ye in Holy Places (1974), p. 255.
as coisas deste mundo, mas buscai E leva-me pela mão e faz-me olhar 19. Citação de J. E. McCulloch, Home: The
primeiro edificar o reino de Deus e mais alto, Savior of Civilization (1924), p. 42;
estabelecer sua justiça, e todas essas Vejo um mundo mais amplo de Conference Report, abril de 1935,
p. 116.
coisas vos serão acrescentadas”.17 esperança e alegria, 20. “Because”, letra de Edward Teschemacher
Convido todos os cônjuges a refle- Porque você vem a mim. (1902).

38
Ao Tomar o
incompleta, pois o irmão Call despen-
deu algum tempo me explicando o
que significava ser um portador do
santo sacerdócio. O fato de eu ser

Sacramento
É L D E R L . TO M P E R R Y
digno de possuir o sacerdócio dava-
me o direito de usar o poder de Deus
delegado ao homem. Todo aquele
que possui o sacerdócio dignamente
pode, com legitimidade, realizar as
Do Quórum dos Doze Apóstolos
ordenanças que Deus prescreveu para
a salvação da humanidade. Essa auto-
ridade vem diretamente do próprio
Tomar o sacramento nos proporciona momentos sagrados Salvador, por meio de uma linha con-
em um lugar santo. tínua de portadores do sacerdócio.
Minha entrevista com o irmão Call
deve ter sido bastante satisfatória,
porque fui levado para a reunião do
para lembrar-me da época em que se quórum de diáconos. Ali, os membros
usavam copinhos de vidro. do bispado impuseram as mãos sobre
Ao ver o copinho de vidro, minha minha cabeça, e o bispo, que era, na
mente se encheu de lembranças agra- época, o meu pai, conferiu-me o
dáveis. Os copinhos de vidro de sacra- Sacerdócio Aarônico e ordenou-me
mento eram usados na época que fiz ao ofício de diácono. Fui também
12 anos, um importante marco na apoiado pelos outros diáconos para,
minha vida. Meu aniversário de 12 com eles, tornar-me membro de um
anos foi num domingo. Por muitos quórum do sacerdócio.
anos, observei os diáconos distribuí- Na reunião sacramental daquela
rem o sacramento, ansiando pelo dia noite, tive a minha primeira oportuni-
em que eu teria a bênção de receber dade de exercer o sacerdócio distri-
o Sacerdócio Aarônico e de adquirir buindo o sacramento aos membros de
aquele privilégio. nossa ala. O sacramento adquiriu um
Quando o dia finalmente chegou, novo significado para mim naquele
pediram-me que fosse cedo à Igreja dia. Ao observar a bandeja ser passada
para falar com o irmão Ambrose Call, pelas fileiras de membros da Igreja,

H
á um ou dois anos tive a opor- o segundo conselheiro do bispado de percebi que nem todos tomavam o
tunidade de visitar o instituto nossa ala. O irmão Call me convidou a sacramento com a mesma atitude.
de religião de Logan, Utah. O entrar em uma sala de aula e pediu- Havia aqueles que pareciam tomar o
edifício no qual o instituto se reúne me que fizesse uma oração. Depois, sacramento apenas por rotina, mas
foi reformado recentemente. abriu as escrituras e leu para mim a havia muitos que aceitavam o sacra-
Disseram-me que quando os operá- seção 13 de Doutrina e Convênios: mento com grande reverência.
rios removeram o antigo púlpito da “A vós, meus conservos, em nome Ao longo dos anos, participei,
capela, descobriram algumas pratelei- do Messias, eu confiro o Sacerdócio de como todos nós, de muitas reuniões
ras que tinham ficado seladas por Aarão, que possui as chaves do minis- sacramentais, e para mim elas foram
algum tempo. Ao remover a cober- tério de anjos e do evangelho do arre- realmente mais do que apenas outra
tura, encontraram uma bandeja de pendimento e do batismo por imersão reunião. Tomar o sacramento nos pro-
sacramento. Aparentemente era bem para remissão de pecados; e ele nunca porciona momentos sagrados em um
antiga, porque os copinhos do sacra- mais será tirado da Terra, até que os lugar santo. Fazemos isso de acordo
mento eram feitos de vidro. Um dos filhos de Levi tornem a fazer, em reti- com o mandamento do Senhor que
copinhos de vidro, como podem ver, dão, uma oferta ao Senhor.” nos foi dado na seção 59 de Doutrina
foi colocado numa base e me dado de O irmão Call então me pediu que e Convênios:
presente, provavelmente por eu ser o comentasse aquela seção. Minha “E para que mais plenamente te
único que era suficientemente velho explicação sem dúvida estava conserves limpo das manchas do

A L I A H O N A MAIO DE 2006 39
detalhado de quando o Salvador
ministrou o sacramento aos nefitas:
“E aconteceu que Jesus ordenou
aos seus discípulos que lhe trouxes-
sem pão e vinho.
E enquanto foram buscar o pão e
o vinho, ele ordenou à multidão que
sentasse no chão.
E quando os discípulos chegaram
com pão e vinho, Jesus tomou do pão
e partiu-o e abençoou-o; e deu a seus
discípulos e mandou que comessem.
E quando eles acabaram de comer
e achavam-se fartos, mandou que des-
sem à multidão.
E depois que a multidão comeu e
fartou-se, disse ele aos discípulos: Eis
que um dentre vós será ordenado e a
ele eu darei poder para partir o pão e
abençoá-lo e distribuí-lo ao povo de
mundo, irás à casa de oração e ofere- Daquele dia até a época de nosso minha igreja, a todos os que crerem
cerás teus sacramentos no meu dia Salvador, os filhos do Pai Celestial e forem batizados em meu nome.
santificado” (vers. 9). foram ordenados a oferecer sacrifí- E sempre procurareis fazer isto tal
Desde o princípio, antes de o cios. Isso teve fim com o sacrifício como eu fiz, da mesma forma que eu
mundo ser organizado, Deus estabe- expiatório do Salvador. Então, na parti o pão, abençoei-o e dei-o a vós.
leceu um plano pelo qual ofereceria noite anterior ao sacrifício que Ele E isto fareis em lembrança de meu
bênçãos a Seus filhos, de acordo com realizou, o Salvador instituiu o sacra- corpo, o qual vos mostrei. E será um
a obediência deles a Seus mandamen- mento da Ceia do Senhor para ajudar testemunho ao Pai de que vos lem-
tos. Ele sabia, porém, que às vezes a lembrar-nos Dele e da Expiação que brais sempre de mim. E se lembrardes
nos distrairíamos pelas coisas do fez por toda a humanidade. Assim, na sempre de mim, tereis meu Espírito
mundo e precisaríamos ser lembrados antiga lei do sacrifício e no sacra- convosco.
regularmente de nossos convênios e mento, o Senhor nos ajudou a não E aconteceu que depois de haver
de Suas promessas. nos esquecermos de Suas promessas proferido estas palavras, ordenou aos
Um dos primeiros mandamentos e da exigência de O seguirmos e de discípulos que tomassem do vinho do
dados a Adão foi o de que ele devia obedecermos à Sua vontade. cálice, bebessem-no e dessem-no
adorar a Deus e oferecer as primícias No Novo Testamento temos o também à multidão para bebê-lo.
de seus rebanhos como oferta a Ele. relato de quando o Senhor ministrou E aconteceu que eles assim proce-
Essa ordenança foi dada para lembrar o sacramento a Seus discípulos. deram e beberam dele e fartaram-se;
as pessoas que Jesus Cristo viria ao Encontra-se em Mateus, capítulo 26: e deram à multidão e eles beberam e
mundo e que por fim ofereceria a Si “E, quando comiam, Jesus tomou o fartaram-se.
mesmo em sacrifício. pão, e abençoando-o, o partiu, e o E depois de haverem os discípulos
“E Adão foi obediente aos manda- deu aos discípulos, e disse: Tomai, feito isso, Jesus disse-lhes: Bem-
mentos do Senhor. comei, isto é o meu corpo. aventurados sois por isto que fizestes,
E após muitos dias, um anjo do E, tomando o cálice, e dando gra- porque isto cumpre meus manda-
Senhor apareceu a Adão, dizendo: Por ças, deu-lho, dizendo: Bebei dele mentos e testifica ao Pai que tendes
que ofereces sacrifícios ao Senhor? E todos; o desejo de fazer o que vos ordenei”
Adão respondeu-lhe: Eu não sei, Porque isto é o meu sangue, o san- (vers. 1–10).
exceto que o Senhor me mandou. gue do novo testamento, que é derra- Suas instruções foram bem claras
E então o anjo falou, dizendo: Isso mado por muitos, para remissão dos no sentido de que devemos estar dis-
é à semelhança do sacrifício do pecados” (vers. 26–28). postos a fazer o que Ele nos ordenou.
Unigênito do Pai que é cheio de graça O Livro de Mórmon, em 3 Néfi, Sem dúvida era de se esperar que em
e verdade” (Moisés 5:6–7). capítulo 18, contém um relato nossos dias fôssemos novamente

40
Os visitantes sobem a rampa do Centro de Visitantes Norte, na Praça do Templo, para ver a escultura Christus.

ordenados a tomar o sacramento. temos a oportunidade de crescer Sacramental Covenant”, Improvement


Como lemos em Doutrina e espiritualmente. Era, outubro de 1919, p. 1027).
Convênios: Lembro-me de quando eu era Quando tomamos o sacramento
“É conveniente que a igreja se menino, uma bela música era tocada dignamente, lembramos o sacrifício
reúna amiúde para partilhar do pão e enquanto o sacramento era distri- de nosso Senhor e Salvador, que Ele
do vinho, em lembrança do Senhor buído. Pouco depois, as Autoridades deu a vida e tomou sobre Si os peca-
Jesus” (D&C 20:75). Gerais pediram que interrompêsse- dos do mundo para que tenhamos as
O propósito de tomarmos o sacra- mos essa prática porque nossa mente bênçãos da imortalidade. Tomamos
mento, evidentemente, é renovar os se concentrava mais na música do que sobre nós o nome do nosso Salvador
convênios que fizemos com o Senhor. no sacrifício expiatório do nosso e prometemos sempre nos lembrar
O Élder Delbert L. Stapley nos Senhor e Salvador. Durante a minis- Dele e guardar Seus mandamentos,
ensinou ao dizer o seguinte sobre os tração do sacramento, deixamos o ou seja “[viver] de toda palavra que
convênios: mundo de lado. É um período de sai da boca de Deus” (D&C 84:44).
“O evangelho de nosso Senhor renovação espiritual ao reconhecer- Pais, vocês têm a responsabilidade
Jesus Cristo é um convênio entre mos o profundo significado espiritual de ensinar à sua família a importância
Deus e Seu povo. Quando somos que a ordenança oferece a cada um de assistirmos a reunião sacramental
batizados por um servo autorizado de de nós. Se não levarmos o sacra- todas as semanas. Deve ser uma prá-
Deus, fazemos o convênio de seguir a mento a sério, perderemos a oportu- tica familiar regular. Toda família pre-
vontade do Senhor e obedecer a Seus nidade de renovar nosso crescimento cisa desse momento de renovação e
mandamentos. Ao tomarmos o sacra- espiritual. comprometimento de viver o evange-
mento renovamos todos os convênios O Élder Melvin J. Ballard disse: lho de acordo com os ensinamentos
que fizemos com o Senhor e fazemos “Sou testemunha de que há um do Salvador. As famílias, devidamente
a promessa de tomar sobre nós o espírito presente na ministração do preparadas, assistirão a reunião sacra-
nome de Seu filho, sempre nos lem- sacramento que aquece a alma dos mental com reverência e gratidão pela
brar Dele e guardar Seus mandamen- pés à cabeça. Sentimos as feridas do oportunidade de tomar os emblemas
tos” (Conference Report, outubro de espírito serem curadas, e a carga é sagrados.
1965, p. 14). aliviada. Consolo e felicidade são con- Lembro-me de uma experiência
O sacramento é uma das ordenan- cedidos à alma que é digna e verda- que nossa família teve quando estáva-
ças mais sagradas da Igreja. Quando deiramente desejosa de partilhar mos passando as férias em um hotel.
tomamos o sacramento dignamente desse alimento espiritual” (“The Como o período que passaríamos ali

A L I A H O N A MAIO DE 2006 41
SESSÃO DO SACERDÓCIO
1º de Abril de 2006

Ver o Fim desde


incluía um domingo, tomamos as
providências para assistir a reunião
sacramental em uma capela próxima.
O mesmo fizeram centenas de outras
pessoas que estavam no hotel. A
capela estava lotada. Antes do início
da reunião, o bispo convidou todos
os diáconos presentes que estivessem
o Princípio
É L D E R D I E T E R F. U C H T D O R F
dignos e devidamente vestidos a par-
Do Quórum dos Doze Apóstolos
ticiparem da distribuição do sacra-
mento. Um número adequado, todos
de camisa branca e gravata, se apre-
sentou para receber instruções sobre Se confiarem no Senhor e obedecerem a Ele (...) Ele os
como lidar com uma congregação tão ajudará a atingir o grande potencial que Ele vê em vocês.
grande. A ordenança foi ministrada
com reverência e eficácia. Ao observar
a congregação, vi que muitos estavam
profundamente tocados pelo espírito o sagrado juramento e convênio do
da reunião. Sacerdócio de Melquisedeque. O
Depois de voltarmos ao hotel, sacerdócio que vocês possuem é uma
houve uma diferença visível nas ativi- maravilhosa força para o bem. Vocês
dades realizadas no Dia do Senhor em vivem num mundo cheio de desafios
comparação com aquelas dos dias de e oportunidades. Como filhos espiri-
semana. Os barcos permaneceram tuais de pais celestiais, têm a liber-
atracados; o lago estava quase sem dade de fazer escolhas corretas. Isso
nenhum banhista; e os trajes eram exige trabalho árduo, autodisciplina e
muito adequados ao Dia do Senhor. uma visão otimista, que proporciona-
Aquelas famílias viram o cumpri- rão alegria e liberdade em sua vida
mento da promessa do Senhor: Indo atual e futura.
à casa de oração em Seu dia santifi- O Senhor disse a Abraão: “Meu
cado e renovando os convênios de nome é Jeová e conheço o fim desde
obedecer aos mandamentos, elas o princípio; portanto minha mão
puderam manter-se mais plenamente estará sobre ti” (Abraão 2:8). Digo a
limpas das manchas do mundo vocês hoje, meus jovens amigos, que

M
(ver D&C 59:9). eus queridos irmãos, sinto- se confiarem no Senhor e obedece-
Que se instile em nós uma reve- me maravilhado e humilde rem a Ele, sentirão o poder de Sua
rência cada vez maior pelo Dia do por estar com vocês nesta mão. Ele os ajudará a atingir o grande
Senhor. Que estejamos mais plena- assembléia mundial de portadores potencial que Ele vê em vocês e os
mente cientes da bênção especial de do sacerdócio. Eu os amo e admiro. ajudará a ver o fim desde o princípio.
podermos tomar o sacramento e de Sinto-me honrado por ser contado Gostaria de compartilhar com
seu significado em nossa vida. Que como um de vocês. Cumprimento vocês uma experiência de minha
sempre nos lembremos Dele e guar- vocês que possuem a autoridade para infância. Quando eu tinha onze anos
demos os mandamentos que Ele nos agir em nome de Deus e realizar de idade, minha família teve que sair
deu, a fim de alcançarmos o propó- ordenanças que são uma fonte vital da Alemanha Oriental e começar uma
sito da vida e termos esperança nas de força e energia eternas para o nova vida na Alemanha Ocidental de
eternidades futuras. Esta é a obra do bem-estar da humanidade. um dia para o outro. Até meu pai con-
Senhor. Deus vive. Jesus é o Cristo, o Falarei hoje aos maravilhosos rapa- seguir voltar a exercer sua profissão
Salvador do mundo. Temos o privilé- zes que estão se preparando para como funcionário do governo, meus
gio de fazer parte do grande plano do fazer uma grande diferença neste pais abriram uma pequena lavanderia
evangelho, do qual o sacramento é mundo: Vocês que passaram a fazer em nossa pequena cidade. Tornei-me
uma peça tão vital. Em nome de Jesus parte das fileiras do Sacerdócio o menino de entregas da lavanderia.
Cristo. Amém. ■ Aarônico e vocês que já receberam Para conseguir fazer isso eficazmente,

42
eu precisava de uma bicicleta para
puxar o pesado carrinho da lavande-
ria. Sempre sonhei em possuir uma
bicicleta leve, vermelha, bonita,
esportiva e brilhante. Mas não tínha-
mos dinheiro suficiente para realizar
aquele sonho. O que ganhei, em vez
disso, foi uma bicicleta pesada, feia,
preta e muito forte. Fiz entregas para
a lavanderia naquela bicicleta antes e
depois da escola, por vários anos. Na
maior parte do tempo, não me sentia
muito entusiasmado com a bicicleta,
o carrinho e meu emprego. Às vezes
o carrinho parecia tão pesado e o tra-
balho tão cansativo que eu achava
que meus pulmões iam estourar, e
freqüentemente tinha de parar para
recuperar o fôlego. Mesmo assim,
continuei fazendo a minha parte, por-
que sabia que nossa família precisava
desesperadamente de dinheiro, e
aquela era a minha maneira de
contribuir.
Se ao menos eu tivesse sabido
naquela época o que aprendi muitos tipo de doença pulmonar. Só então nenhuma. Ele, o pai de todas as men-
anos depois — se eu tivesse sido ficou claro para mim que meu exercí- tiras, tentará impedir-nos de ver o fim
capaz de ver o fim desde o princípio cio regular ao ar livre como menino desde o princípio.
— teria valorizado mais aquelas expe- de entregas da lavanderia tinha sido Felizmente, vocês, jovens portado-
riências, e meu trabalho teria sido o fator chave para a cura de minha res do sacerdócio de A Igreja de Jesus
muito mais fácil. doença. Sem o esforço extra de peda- Cristo dos Santos dos Últimos Dias,
Muitos anos depois, quando eu lar aquela bicicleta preta e pesada e são ensinados por profetas, videntes e
estava prestes a ser convocado para o levar o carrinho da lavanderia para reveladores de nossos dias. A Primeira
exército, decidi apresentar-me como cima e para baixo pelas ruas da Presidência disse: “Depositamos
voluntário na Força Aérea e tornar-me cidade, eu jamais teria me tornado grande confiança em vocês. Vocês são
piloto. Eu adorava voar, e a coisa que piloto e mais tarde comandante de espíritos escolhidos. (...) Estão ini-
eu mais desejava era tornar-me piloto. um Boeing 747. ciando sua jornada por esta vida mor-
Para ser aceito no programa, eu Nem sempre conhecemos os deta- tal. Seu Pai Celestial deseja que ela
teria que passar em diversos testes, lhes de nosso futuro. Não sabemos o seja alegre e que os leve de volta à
inclusive um rigoroso exame físico. que está à nossa frente. Vivemos em Sua presença. As decisões que toma-
Os médicos estavam um pouco preo- uma época de incertezas. Estamos rem agora determinarão em grande
cupados com os resultados e tive que cercados de desafios por todos os parte aquilo que ocorrerá durante sua
fazer mais alguns exames. Então, eles lados. Ocasionalmente, o desânimo vida e na eternidade” (Para o Vigor
anunciaram: “Você tem cicatrizes no pode infiltrar-se em nosso dia; a frus- da Juventude, 2001, p. 2). “Você tem
pulmão que são indícios de uma tração pode invadir nosso pensa- a responsabilidade de aprender o que
doença pulmonar no início de sua mento; a dúvida pode surgir sobre o Pai Celestial deseja que você faça e
adolescência, mas você está, sem o valor de nosso trabalho. Nesses depois deve fazer o melhor possível
dúvida, saudável agora”. Os médicos momentos sombrios, Satanás sussurra para seguir Sua vontade” [Sacerdócio
ficaram se perguntando a que tipo de em nossos ouvidos que nunca sere- Aarônico: Cumprir Nosso Dever
tratamento eu havia sido submetido mos capazes de ter sucesso, que o para com Deus, (2002), p. 4].
para curar a doença. Até o dia daquele preço não vale o esforço e que nossa Sinto-me profundamente grato pela
exame, não sabia que tivera qualquer pequena parte jamais fará diferença liderança inspirada do nosso amado

A L I A H O N A MAIO DE 2006 43
Presidente Gordon B. Hinckley, o pro- são sagrados, o mesmo acontece com Cumpre a Palavra de Sabedoria?
feta de Deus para os nossos dias, e seu corpo físico. O Apóstolo Paulo Obedece à lei do dízimo? Apóia as
seus nobres conselheiros. A visão pro- disse: autoridades da Igreja? As respostas
fética deles ajuda vocês a verem o fim “Não sabeis que o vosso corpo é o dessas perguntas importantes refle-
desde o princípio. templo do Espírito Santo, que habita tem sua atitude e atos.
O Senhor ama vocês. É por isso em vós, proveniente de Deus, e que Vocês, rapazes, talvez não estejam
que Ele lhes deu mandamentos e as não sois de vós mesmos? cientes de que os padrões estabeleci-
palavras dos profetas para guiá-los em Porque fostes comprados por bom dos pelo Senhor nas perguntas da
sua jornada pela vida. Algumas das preço; glorificai, pois, a Deus no recomendação para o templo são
diretrizes mais importantes para sua vosso corpo, e no vosso espírito, os muito semelhantes aos padrões que
vida encontram-se no livreto Para o quais pertencem a Deus” (I Coríntios se encontram em Para o Vigor da
Vigor da Juventude. A aparência física 6:19–20). Juventude. Nos momentos de tranqüi-
desse livreto o qualifica para a descri- Meus queridos colegas portadores lidade, como também nas grandes
ção das escrituras: “De pequenas coi- do sacerdócio de todas as idades e de tentações, esses padrões e a orienta-
sas provém aquilo que é grande” todos os lugares deste mundo, use- ção do Espírito Santo vão ajudá-los a
(D&C 64:33). O livreto por si só tem mos nossos pensamentos, nossa tomar decisões corretas a respeito de
pouco valor material, talvez apenas mente e coração, e nosso corpo com seus estudos, seus amigos, seu modo
alguns centavos. Mas a doutrina e o respeito e a dignidade condizentes de vestir e a aparência, entretenimen-
os princípios nele contidos são um com um templo sagrado que nos foi tos, a mídia e a Internet, sua lingua-
tesouro inestimável. Vocês, rapazes dado por nosso Pai Celestial. gem, o namoro correto, a pureza
que já têm 18 anos ou mais, se não Os profetas modernos prometeram sexual, a honestidade, a santificação
tiverem mais esse livreto, certifi- a vocês, meus amigos, que se mantive- do Dia do Senhor e o serviço ao pró-
quem-se de conseguir um, guardá-lo rem os padrões dados em Para o ximo. A maneira de colocar em prática
e usá-lo. Esse livreto é uma jóia para Vigor da Juventude e “viverem de esses padrões dirá muito sobre quem
qualquer grupo etário. Ele contém acordo com as verdades das escrituras, vocês são e o que procuram tornar-se.
padrões que são símbolos sagrados de vocês estarão aptos a realizar o traba- O Senhor quer que vocês, meus
nossa condição de membros da Igreja. lho de sua vida com maior sabedoria e jovens amigos, desejem de todo o
Chamo sua atenção para o fato de habilidade, assim como suportarão as coração manter esses padrões e viver
que Para o Vigor da Juventude, o provações com maior coragem. Vocês de acordo com as verdades do evange-
livreto que o acompanha Guia para terão a ajuda do Espírito Santo. (...) lho encontradas nas escrituras. Ao
Pais e Líderes dos Jovens e a reco- Serão dignos de ir ao templo a fim de fazerem isso, verão além do momento
mendação para o templo da Igreja, receberem as ordenanças sagradas. presente, e verão seu futuro brilhante
todos têm uma gravura do Templo de Estas bênçãos e muitas mais podem e maravilhoso, com grandes oportuni-
Salt Lake impressa na capa. O templo ser suas” (Para o Vigor da Juventude, dades e responsabilidades. Estarão
é o elo que une gerações, nesta vida pp. 2–3). dispostos a trabalhar arduamente e
e na eternidade. Todos os templos Sabemos que Deus cumpre Suas perseverar por longo tempo, e terão
foram dedicados para o mesmo pro- promessas. Precisamos cumprir nossa uma visão otimista da vida. Verão que
pósito: Auxiliar no cumprimento da parte para receber Suas bênçãos. O a estrada de sua vida vai conduzi-los à
obra e glória de Deus, nosso Pai Profeta Joseph Smith nos ensinou casa do Senhor em primeiro lugar, e
Eterno: “Levar a efeito a imortalidade que: “quando recebemos uma bênção depois a servir em uma missão de
e vida eterna do homem” (Moisés de Deus, é por obediência à lei na tempo integral, representando o
1:39). Esses templos são estruturas qual ela se baseia” (D&C 130:21). Salvador onde quer que Ele os envie.
sagradas nas quais são respondidas Todo membro que deseja ir ao Depois de sua missão, vocês organiza-
perguntas eternas, são ensinadas ver- templo, independentemente de rão e planejarão sua vida com base
dades e são realizadas ordenanças idade, precisa preparar-se para essa nesses mesmos padrões. Portanto, em
para que possamos viver com a com- experiência sagrada. Algumas pergun- sua mente verão a si mesmos entrando
preensão de nosso legado divino tas serão feitas por seu bispo e presi- na Casa do Senhor para um casamento
como filhos de Deus e cientes de dente de estaca, que possuem as e uma família eternos. Suas priorida-
nosso potencial como seres eternos. chaves da autoridade do sacerdócio des na vida mudarão para estarem em
A casa do Senhor ajuda vocês a verem e são juízes comuns na Igreja. Essas conformidade com as prioridades que
o fim desde o princípio. perguntas vitais incluirão: Você é nos foram dadas pelo Salvador. E Deus
Assim como os templos de Deus honesto? É moralmente limpo? vai abençoá-los e abrir os olhos de seu

44
entendimento para que consigam ver “Sabe, meu filho, que todas essas coi- para nossos jovens e os ajudarão
o fim desde o princípio. sas te servirão de experiência e serão a ver o fim desde o princípio.
O cumprimento dos padrões para o teu bem” (D&C 122:7). Meus queridos jovens amigos,
estabelecidos em Para o Vigor da Caros avós, pais, tios, irmãos e ami- aperfeiçoem sua vida no cumpri-
Juventude fará com que se sintam gos de nossos jovens, nós podemos mento desses padrões dados pelos
bem a respeito de si mesmos. ser de grande ajuda nesse processo. profetas de nossos dias. Ao fazerem
Escrevam esses padrões em sua O rei Benjamim ensinou que quando isso, passo a passo, dia após dia, hon-
mente e coração, e vivam de acordo os pais estão verdadeiramente con- rarão o sacerdócio e estarão prepara-
com eles. Comparem cada um deles vertidos eles “[ensinarão os filhos] a dos para fazer uma grande diferença
com a condição em que vocês se andarem nos caminhos da verdade e neste mundo. Também estarão no
encontram hoje. Ouçam o Espírito, da sobriedade; [e os ensinarão] a caminho certo para retornarem com
que lhes ensinará o que precisam amarem-se uns aos outros e a servi- honra à presença de nosso Pai
fazer para tornarem-se mais seme- rem-se uns aos outros” (Mosias 4:15). Celestial.
lhantes a Jesus. Se reconhecerem Foi-nos dito: “O ensino pelo exemplo Meus queridos conservos do sacer-
a necessidade de mudar, façam a é um modo de ensinar”. Eu diria: “O dócio, prometo-lhes hoje que se
mudança; não procrastinem. Usem o ensino pelo exemplo é o melhor seguirem esse padrão, o Senhor vai
verdadeiro arrependimento e o dom modo de ensinar”. ajudá-los a fazer muito mais em sua
e o poder da Expiação de Jesus Cristo Ensinem nossos jovens por meio vida do que conseguiriam fazer por si
para resolver as coisas que os impe- de seu exemplo, sendo portadores do mesmos. Ele sempre os ajudará a ver
dem de atingir seu verdadeiro poten- sacerdócio dignos de entrar no tem- o fim desde o princípio.
cial. Se esse processo parecer difícil, plo. Sua vida digna, seu amor a Deus Disso presto testemunho, como
agüentem firme; pois vale a pena. O e ao próximo, seu testemunho prático Apóstolo do Senhor, nosso Salvador,
Senhor prometeu a vocês o que Ele do evangelho restaurado de Jesus no sagrado nome de Jesus Cristo.
havia prometido ao Profeta Joseph: Cristo serão uma força convincente Amém. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 45
Nossa Nova
nessa história. Aprendemos mais
adiante, em Mosias, a respeito daque-
les que eram criancinhas quando
estavam nas tendas por ocasião do

Geração
ÉLDER RONALD A. RASBAND
discurso do rei Benjamim.
“Ora, aconteceu que havia muitos
da nova geração que não podiam
compreender as palavras do rei
Benjamim, pois eram criancinhas na
Da Presidência dos Setenta
época em que ele falara a seu povo; e
não acreditavam na tradição de seus
pais” (Mosias 26:1).
Nossa nova geração merece todo o nosso empenho em O que aconteceu com aquela nova
apoiá-los e fortalecê-los em sua jornada para a vida geração, irmãos? Por que as crianci-
adulta. nhas não aceitaram as tradições cor-
retas de seus pais? O mais importante
é que estamos aqui, séculos depois,
numa época em que há muitos tem-
Numa época do Livro de Mórmon, plos e orientação profética constante,
os membros da Igreja também se reu- e o que dizer da nossa nova geração?
niram perto do templo para receber Temos razões para nos preocupar?
instruções de seu profeta e líder. No Certamente que sim!
fim da vida, o rei Benjamim pediu aos Os rapazes que estão aqui e no
pais que trouxessem suas respectivas mundo todo, bem como as moças,
famílias para que ele as aconselhasse são muito especiais. O Presidente
e admoestasse. Em Mosias, lemos: Hinckley falou o seguinte a respeito
“E aconteceu que quando subiram desses jovens:
ao templo armaram suas tendas nos “Eu já disse muitas vezes que acre-
arredores, cada homem conforme sua dito termos hoje a melhor geração de
família (...) jovens que já houve nesta Igreja. (...)
Cada homem com a porta de sua [Eles] procuram fazer o certo. São bri-
tenda voltada para o templo, a fim de lhantes e capazes, limpos e saudáveis,
que pudessem permanecer nas suas atraentes e espertos. (...) Eles conhe-
tendas e ouvir as palavras que o rei cem o evangelho e procuram vivê-lo,
Benjamim lhes diria” (Mosias 2:5–6). procurando a orientação e a ajuda do

B
oa noite, queridos irmãos do Gosto muito do significado desses Senhor” (“Seu Maior Desafio, Mãe”,
sacerdócio. Esta noite, no versículos. Figurativamente falando, A Liahona, janeiro de 2001, p. 113).
mundo todo, estamos reunidos irmãos, as portas de nossa casa estão Todos nós que estamos envolvidos
mais perto dos templos do Senhor do voltadas para os templos que tanto com esses jovens sabemos que as
que jamais estivemos na história da amamos? Nós os freqüentamos tanto palavras do Presidente Hinckley são
humanidade. Graças à terna bondade quanto possível, mostrando a nossos verdadeiras.
de nosso Salvador em orientar Seus filhos, pelo exemplo, a importância Contudo, o Élder Henry B. Eyring,
profetas, existem agora 122 templos desses lugares especiais e sagrados? do Quórum dos Doze Apóstolos, nos
à disposição do povo do convênio do Como registrado em Mosias, as dá um triste aviso a respeito dos
Senhor para obterem suas próprias famílias receberam a palavra do jovens:
bênçãos do templo e realizarem as Senhor por intermédio de Seu pro- “Muitos têm uma extraordinária fé e
ordenanças vitais para seus ances- feta com entusiasmo e comprometi- maturidade espiritual, porém, mesmo
trais falecidos. E mais templos foram mento. As pessoas foram tocadas de os melhores são testados duramente.
anunciados e outros ainda virão! tal maneira pelos ensinamentos do rei E os testes se tornarão mais difíceis”
Agradecemos a você, Presidente Benjamim que fizeram um novo con- (“We Must Raise Our Sights”, Ensign,
Hinckley, por sua liderança inspirada vênio de seguir o Senhor Jesus Cristo. setembro de 2004, p. 14).
nessa obra extraordinária. Entretanto, há um epílogo triste Esse aviso de que “os testes se

46
tornarão mais difíceis” chama minha
atenção. Nossa nova geração merece
todo o nosso empenho em apoiá-los
e fortalecê-los em sua jornada para a
vida adulta.
Nesses tempos difíceis, em que
nossos jovens enfrentam mais adversi-
dades, podemos aprender com os
outros. Nas forças armadas, particular-
mente na Marinha no mundo inteiro,
todos os marinheiros entendem uma
frase que significa um claro pedido
de ajuda, não importa o que estejam
fazendo ou onde se encontrem no
navio. O chamado é: “Todos a postos
no convés”. Muitas batalhas no mar
são ganhas ou perdidas de acordo
com a resposta a esse chamado.
Todos nós, como membros da
Igreja, líderes da juventude, pais ansio-
sos e avós preocupados, precisamos Agora, irmãos, é o momento, em Inglaterra. Telefonei ao presidente
atender a esse chamado “todos a pos- que em todas as medidas que tomar- White, do CTM, e fiquei feliz em saber
tos no convés” quando se referir a nos- mos, em todos os lugares que formos, que ele sabia da situação da minha
sos rapazes e moças e jovens adultos com todos os jovens santos dos últi- família. Ele sugeriu que levássemos
solteiros. Devemos buscar oportunida- mos dias que conhecemos, precisa- nossos filhos nessa visita a Preston.
des de abençoar os jovens, estejamos mos aumentar nossa percepção da Quando chegamos, ele até convidou
ou não trabalhando de perto com eles necessidade de fortalecê-los, de nutri- nossa filha e nosso filho para falarem
no momento. Devemos continuar a los e de ser uma influência positiva na aos missionários! Que emoção eles
ensinar e fortalecer pais e mães em vida de cada um deles. sentiram por serem e sentirem-se
seus papéis divinamente estabelecidos Em nossa família, tivemos uma incluídos e ao prestarem seu testemu-
relacionados a seus filhos dentro do incrível experiência com portadores nho da obra do Senhor!
lar. Devemos nos perguntar constante- do sacerdócio maravilhosos que esta- Quando tudo terminou e nos des-
mente se aquele evento esportivo a vam atentos às nossas necessidades. pedimos afetuosamente dos missioná-
mais, aquela atividade extra ou tarefa Quando fui chamado para os Setenta, rios, visitamos o lindo Templo de
fora de casa são mais importantes do há alguns anos, fomos designados a Preston que ficava perto do Centro de
que as famílias ficarem juntas em casa. mudar-nos para Solihull, na Inglaterra, Treinamento Missionário. Ao nos diri-
para servir na Presidência de Área. A girmos para a porta de entrada, lá esta-
irmã Rasband e eu levamos nossos vam o Presidente e a irmã Swanney,
dois filhos mais novos conosco. Nossa respectivamente presidente e diretora
filha era uma jovem adulta solteira e do templo. Eles nos cumprimentaram
nosso filho tinha 17 anos, gostava de e deram-nos boas-vindas ao templo
futebol americano e jogava muito dizendo: “Élder Rasband, você e sua
bem. Estávamos muito preocupados família gostariam de fazer batismos
com eles. Não tinham amigos, paren- pelos mortos?” Que idéia maravilhosa!
tes nem futebol americano! “Será que Olhamos uns para os outros e aceita-
essa nova e emocionante experiência mos o convite com gratidão. Depois
se tornaria uma terrível provação para de realizar as ordenanças e enquanto
nossa família?” eu e meu filho ainda estávamos na pia
A resposta veio com uma designa- batismal com lágrimas de alegria nos
ção que recebi. Pediram-me que olhos, ele colocou a mão no meu
falasse aos missionários no Centro de ombro e disse: “Pai, por que nunca
Treinamento Missionário em Preston, fizemos isso antes?”

A L I A H O N A MAIO DE 2006 47
Arrependimento,
Lembrei-me de todos os jogos de
futebol americano e de todos os fil-
mes a que assistimos juntos, todos os
bons momentos compartilhados —
sem dúvida, lembranças felizes e tradi-
ções muito importantes que criamos.
Contudo, percebi que recebêramos
uma oportunidade de ter experiências
uma Bênção para
mais significativas e espirituais com
nossos filhos, como a que tivemos em
Preston naquele dia. Graças à atenção
e carinho desses líderes do sacerdó-
os Membros
É L D E R R I C H A R D G. H I N C K L E Y
cio, vi nessa ocasião que nossa família Dos Setenta
ficaria bem na Europa. Como somos
gratos por muitos líderes do sacerdó-
cio e Moças que sempre se mostraram O arrependimento (...) não é um princípio severo; (...) é
atentos e amorosos com nossos filhos benevolente e misericordioso.
e com os filhos de vocês.
Observando uma outra época do
Livro de Mórmon, Néfi vivenciou uma
situação em que alguns membros de Não obstante, sou grato por seu
sua família estavam tendo problemas voto de apoio e prometo empenhar
com obediência, harmonia e fideli- todo o meu coração nesta grande
dade. Com certeza ele entendia a causa. Sou grato além do que posso
necessidade de dar atenção e estar expressar por minha família, por
envolvido com os filhos da nova gera- minha esposa e filhos, e por meus
ção. Ele disse, já no fim da vida: bons pais. Minha mãe faleceu há dois
“E falamos de Cristo, regozijamo- anos, dois dias após a conferência de
nos em Cristo, pregamos a Cristo, abril. Ela era pequena em estatura,
profetizamos de Cristo e escrevemos mas eu ainda sinto diariamente a sua
de acordo com nossas profecias, para ajuda. Sua influência estará sempre
que nossos filhos saibam em que comigo. Jamais conseguirei honrá-la
fonte procurar a remissão de seus adequadamente com minhas palavras;
pecados” (2 Néfi 25:26). somente com meus atos.
Oro que, como portadores do Não sei o que dizer sobre meu pai
sacerdócio de Deus, cada um de nós que não vá encabulá-lo, exceto que
faça todas as coisas que estiverem ao eu o amo e apóio. Arriscando-me a

M
nosso alcance para ensinar nossos eus queridos irmãos, sinto- ser pessoal demais, direi que, vendo-
jovens em que fonte procurar a remis- me humilde e honrado por o envelhecer, minha mente torna aos
são de seus pecados, ou seja, no ocupar esta posição. Por dias quando éramos criancinhas e
Senhor Jesus Cristo. Que todos nós razões óbvias, nunca passou pela ele se deitava no chão e brincava
atendamos com o maior empenho minha cabeça que um chamado conosco, erguia-nos em seus braços,
possível ao chamado “todos a postos como esse me seria feito algum dia. abraçava-nos, fazia cócegas, ou nos
no convés” no que tange a nossa nova Um ano atrás, quando fui apoiado, colocava na cama dele e da mamãe
geração — sem dúvida, eles merecem o Presidente Hinckley deixou claro quando estávamos doentes ou sentía-
a nossa dedicação. para toda a Igreja que não foi dele a mos medo à noite. Minhas recorda-
Testifico que esta é a verdadeira iniciativa do processo que resultou ções dele serão sempre de risos e
Igreja do Senhor, dirigida por Ele por em meu chamado. Disse a ele mais amor, de firmeza, de testemunho,
intermédio de nosso querido profeta, tarde que eu talvez fosse a única de trabalho incansável, de fé e fideli-
Gordon B. Hinckley, a quem amo e Autoridade Geral na história da Igreja dade. Ele é sábio e maravilhoso, e
apóio. Em nome de Jesus Cristo. a ser apoiada pelos membros apesar sinto-me abençoado além da medida
Amém. ■ da neutralidade do profeta! por poder não apenas apoiá-lo como

48
meu profeta durante a mortalidade, que lhes vierem à mente. Com o pecados, os confessamos e abandona-
mas também por tê-lo como meu pai tempo, mais pensamentos surgirão, mos e “voltamo-nos para Deus”, Ele
agora e por toda a eternidade. e vocês devem adicioná-los à lista. nos perdoa.
Algumas semanas atrás meu pensa- Logo terão uma caderneta sempre Recentemente, quando eu servia
mento foi estimulado quando pedi- com mais anotações, que os encherá como presidente de missão, dois élde-
ram ao Élder Douglas L. Callister, dos de gratidão e apreço por sua condi- res me pediram que conhecesse uma
Setenta, que falasse um pouco sobre ção de membro da Igreja do Senhor. pesquisadora cujo batismo estava mar-
seu avô LeGrand Richards, durante Ela poderá até servir de base para cado para o dia seguinte. Disseram-me
uma reunião do quórum. Entre outras discursos que sejam designados a que ela lhes tinha feito perguntas que
coisas interessantes, relatou que, fazer no futuro. não foram capazes de responder.
quando o Élder Richards era um Minha lista já é longa, e escolhi Fomos até a casa dela, onde fui apre-
jovem bispo, ele visitou os menos um único item para debater esta sentado a uma jovem viúva com
ativos. Ele corajosamente os convidou noite. Guardarei os demais para pouco menos de trinta anos, com uma
a discursar na reunião sacramental outro lugar e ocasião. filha. O marido dela havia morrido em
sobre o tema “O que minha condição Falarei brevemente sobre o princí- um trágico acidente alguns anos antes.
de membro de A Igreja de Jesus Cristo pio do arrependimento. Quão grato Suas perguntas eram profundas e ela
dos Santos dos Últimos Dias significa sou pelo entendimento que temos foi receptiva. Depois de tudo esclare-
para mim?” Surpreendentemente, desse grande princípio. Não é um cido, perguntei se tinha alguma outra
muitos deles responderam de modo princípio severo, como eu pensava preocupação. Ela disse que sim e que
positivo e essa experiência os recolo- quando era garoto. É benevolente e queria falar comigo a sós. Pedi aos
cou na estrada que leva de volta à ati- misericordioso. O radical hebreu da élderes que saíssem da casa e perma-
vidade plena na Igreja. palavra significa simplesmente “tor- necessem no jardim, de onde pudes-
Gostaria de falar sobre o mesmo nar”1 ou retornar a Deus. Jeová sem ver-nos claramente através de
tema esta noite. Convido cada um de prometeu aos filhos de Israel: “(...) uma grande janela. Assim que as por-
vocês, jovens ou não, a dedicar uma Volta (...) e não farei cair a minha ira tas se fecharam, ela começou a chorar.
caderneta a esse tema. Escrevam no sobre ti; porque misericordioso sou Falou dos anos que passara sozinha,
alto da primeira página as palavras “O (...) e não conservarei para sempre a cheia de sofrimento e solidão.
que minha condição de membro de minha ira. Somente reconhece a tua Durante aqueles anos, cometera
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos iniqüidade, que transgrediste contra alguns sérios deslizes. Sabia que não
dos Últimos Dias significa para mim”. o Senhor teu Deus (...)”.2 deveria, disse ela, mas não tivera for-
Façam então uma breve lista das coisas Quando reconhecemos nossos ças para escolher o caminho certo até

A L I A H O N A MAIO DE 2006 49
Um Sacerdócio
ter encontrado nossos missionários.
Durante as semanas em que fora ensi-
nada por eles, suplicara ao Senhor que
perdoasse a ela. Ela queria que eu lhe
assegurasse de que, por intermédio
do arrependimento e das ordenanças
do batismo e do recebimento do
Espírito Santo, seria limpa e tornar-se-
Real
P R E S I D E N T E J A M E S E . FA U S T
ia digna da condição de membro da
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência
Igreja. Abri-lhe escrituras e prestei-lhe
testemunho do princípio do arrepen-
dimento e da Expiação.
No dia seguinte, minha esposa e Portar o sacerdócio traz grandes bênçãos, mas também
eu assistimos ao batismo dela e da implica grandes obrigações.
filha. A sala estava cheia de amigos da
ala, prontos e ansiosos para apoiá-la
como novo membro da Igreja. Ao dei-
xarmos a reunião, fui tomado por um distribuíram o sacramento pela pri-
cálido sentimento de gratidão pelo meira vez. Ao ajudarem a preparar,
magnífico princípio do arrependi- abençoar e distribuir o sacramento,
mento e pela Expiação que torna isso vocês, portadores do Sacerdócio
possível, pelo milagre da conversão, Aarônico, ajudam todos os membros
por esta grande Igreja e seus mem- que dele partilham a se comprome-
bros, e por nossos missionários. terem novamente com o Senhor e a
O que minha condição de membro renovarem a fé no sacrifício expiató-
de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos rio do Salvador. Os membros que
dos Últimos Dias significa para mim? tomam o sacramento devem lem-
Significa tudo. Ela influencia, vivifica, brar-se de tomar sobre si o nome do
preenche e dá propósito e significado Filho, recordá-Lo sempre, guardar
a tudo na vida que é importante para Seus mandamentos e buscar ter sem-
mim: meu relacionamento com Deus, pre Seu Espírito. Espero que vocês
meu Pai Eterno, e com Seu Santo dêem valor ao sacerdócio que pos-
Filho, o Senhor Jesus Cristo. Ela me suem e sempre honrem seus deveres
ensina que, por meio da obediência nesse sacerdócio.

M
aos princípios e ordenanças do evan- eus queridos irmãos, é sem- Li recentemente a história de
gelho, encontrarei paz e felicidade pre um grande privilégio e alguns diáconos que se tornaram um
nesta vida e serei convidado a viver na uma séria responsabilidade tanto descuidados em sua atitude ao
presença de Deus, com minha família, falar ao sacerdócio da Igreja. Esta é distribuir o sacramento. Começaram
na vida que seguramente se seguirá à possivelmente a maior reunião do a pensar naquilo como uma obrigação
mortalidade, onde Sua misericórdia sacerdócio na história do mundo. que ninguém mais queria cumprir.
satisfará as exigências da justiça e Gostaria de falar a vocês, rapazes, Atrasavam-se com freqüência e nem
envolverá a mim e a meus entes que- sobre o quanto são abençoados por sempre se vestiam adequadamente.
ridos, e a vocês e a seus entes queri- serem portadores do Sacerdócio Certo domingo, o consultor do sacer-
dos, nos braços da segurança.3 Isso eu Aarônico, também conhecido como dócio lhes disse: “Não precisam preo-
testifico, em nome de Jesus Cristo. “sacerdócio menor”. A palavra menor, cupar-se com o sacramento hoje. Ele
Amém. ■ entretanto, não diminui em nada sua já foi providenciado”.
importância. Não há nada de pequeno É claro que eles ficaram surpresos
NOTAS
1. Joseph P. Healey, “Repentance”, em The
a respeito dele — especialmente com a notícia, mas, como sempre,
Anchor Bible Dictionary, ed. David Noel quando vejo quão grandes alguns de chegaram atrasados à reunião sacra-
Freedman, 6 volumes (1992), volume 5, vocês, rapazes, são! mental. Entraram discretamente
p. 671.
2. Jeremias 3:12–13. Tenho certeza de que se lembram durante o hino sacramental e senta-
3. Ver Alma 34:16. como ficaram animados quando ram-se com a congregação. Foi

50
quando notaram quem estava sentado
no banco dos diáconos — seu consul-
tor e os sumos sacerdotes da ala,
incluindo homens que haviam servido
como bispos e presidentes de estaca.
Estavam todos vestidos com ternos
escuros, camisa branca e gravata. Mais
do que isso, a postura deles era de
total reverência enquanto levavam as
bandejas de sacramento de fileira em
fileira. Havia algo mais profundo e
significativo quanto ao sacramento
naquele dia. Aqueles diáconos, para
quem seus deveres haviam-se tornado
mera rotina, aprenderam pelo exem-
plo que distribuir o sacramento era
uma responsabilidade sagrada e uma
das maiores honras.1 Começaram a
entender que o sacerdócio é, como o
chamou o Apóstolo Pedro, um “sacer-
dócio real”. 2
Geralmente o Sacerdócio
Aarônico, sob a direção do bispado,
tem a responsabilidade de administrar
e distribuir o sacramento. Em nossa
ala, aqui em Salt Lake City, temos um
bom número de membros fiéis e mais
velhos, mas poucos em idade de
Sacerdócio Aarônico. Através dos
anos tenho observado esses sumos
sacerdotes e élderes, homens de fé
e grandes realizações, distribuírem
humilde e reverentemente o sacra-
mento da ceia do Senhor. Durante
algum tempo esse grupo de portado-
res do sacerdócio incluiu um juiz antigos e modernos, anjos apareceram passaram por essa experiência. Esse
federal sênior, um candidato a gover- e deram instruções, advertências e ministério tem sido e ainda é uma
nador do Estado de Utah e outros orientação em benefício das pessoas parte importante do evangelho. Anjos
homens proeminentes. Mesmo assim, que visitaram. Não temos consciência ministraram a Joseph Smith quando
sentiam-se honrados e privilegiados do quanto o ministério de anjos afeta ele restabeleceu o evangelho em sua
por desempenhar esse sagrado dever nossa vida. O Presidente Joseph F . plenitude.
do sacerdócio. Smith disse: “De igual maneira, os nos- Alma, o filho, teve uma experiência
O Sacerdócio Aarônico é um sos pais e mães, irmãos, irmãs e ami- pessoal com anjos ministradores.
grande dom de poder espiritual que gos que passaram por esta Terra, Quando jovem, ele estava incluído
o Senhor conferiu sobre Aarão e seus tendo sido fiéis e dignos de gozar des- entre os incrédulos e “fez com que
filhos.3 Possui “a chave do ministério ses privilégios e direitos, podem rece- muitos do povo agissem segundo suas
de anjos e do evangelho preparató- ber a missão de visitar seus parentes e iniqüidades”. Certo dia, “enquanto
rio” 4 e inclui também “o evangelho amigos na Terra, trazendo da presença andava procurando destruir a Igreja
do arrependimento e do batismo por divina mensagens de amor, de adver- de Deus” em companhia dos filhos de
imersão para remissão de pecados”.5 tência ou reprovação e instrução àque- Mosias, um “anjo do Senhor apareceu-
Gostaria de dizer algo sobre o les que aprenderam a amar na carne.”6 lhes; e desceu como se fosse numa
ministério de anjos. Em tempos Muitos de nós têm a impressão que já nuvem; e falou como se fosse com voz

A L I A H O N A MAIO DE 2006 51
de trovão, fazendo com que tremesse 3. Portar o Sacerdócio Aarônico
o solo”. O anjo então clamou: “Alma, implica na obrigação de ser um bom
levanta-te e aproxima-te, pois por que exemplo, com pensamentos puros
persegues a igreja de Deus?” e comportamento adequado.
Alma ficou tão impressionado com Adquirimos esses atributos ao desem-
a experiência que desmaiou e teve penhar nossos deveres do sacerdócio.
que ser carregado até a presença de 4. No quórum e em outras ativida-
seu pai. Somente depois que seu pai des, vocês se relacionarão com rapa-
e outras pessoas jejuaram e oraram zes que seguem os mesmos padrões
por dois dias, Alma recuperou a saúde que vocês possuem. Vocês podem
e a força. Ele então se levantou e fortalecer uns aos outros.
declarou: “Arrependi-me de meus 5. Vocês podem estudar as escritu-
pecados e o Senhor redimiu-me; eis ras e aprender os princípios do evan-
que nasci do Espírito”.7 Alma acabou gelho para ajudá-los a prepararem-se
tornando-se um dos maiores missio- para uma missão.
nários do Livro de Mórmon. Ainda 6. Vocês podem aprender a orar e
assim, durante seus muitos anos de a reconhecer as respostas.
serviço missionário, jamais falou O livro de Doutrina e Convênios
sobre a visita do anjo. Preferiu testifi- descreve diferentes tipos de autori-
car que a verdade lhe tinha sido mos- dade relativos ao Sacerdócio Aarônico.
trada pelo Santo Espírito de Deus. Em primeiro lugar, a ordenação ao
Ser instruído por um anjo seria sacerdócio dá autoridade para realizar
uma grande bênção. Entretanto, as ordenanças e possuir o poder do
como Alma ensinou, sua conversão Sacerdócio Aarônico. O bispado é a
derradeira e duradoura só veio depois testemunho, é bem provável que não presidência do Sacerdócio Aarônico
que “[jejuou] e [orou] durante mui- aconteça dessa maneira. na ala.10 Em segundo lugar, dentro
tos dias”. 8 Sua conversão completa Portar o sacerdócio traz grandes desse sacerdócio há diferentes ofícios,
veio do Espírito Santo, que está bênçãos, mas também implica gran- cada qual com responsabilidades e pri-
disponível a todos nós se formos des obrigações. vilégios diferentes. Como diácono,
dignos. 1. Todos os portadores do sacerdó- você deve zelar pela Igreja como um
Eventos miraculosos nem sempre cio precisam magnificar seus chama- ministro local.11 Como mestre, além
têm levado à conversão. Por exemplo, dos, agindo em nome do Senhor até de zelar pela Igreja, você deve “estar
quando Lamã e Lemuel maltrataram onde seu ofício e chamado permiti- com os membros e fortalecê-los”. 12
fisicamente seus irmãos mais novos, rem. Magnificamos nossos chamados Como sacerdote, você deve “pregar,
um anjo apareceu e os advertiu que seguindo a orientação de nossa presi- ensinar, explicar, exortar, batizar e
parassem. O anjo também assegurou dência de quórum, do bispo e do administrar o sacramento e visitar a
a todos os irmãos que Labão seria consultor de nosso quórum. Isso sig- casa de todos os membros”.13 Seu
entregue em suas mãos. Néfi, por um nifica preparar, administrar e distri- bispo, que possui o ofício de sumo
lado, acreditou e resgatou as placas buir o sacramento conforme formos sacerdote, é também o presidente do
de latão. Lamã e Lemuel não acredita- designados a fazer. Também significa quórum de sacerdotes e dirige o tra-
ram nem mudaram de comporta- desempenhar outras responsabilida- balho do quórum.
mento como resultado da visita do des do Sacerdócio Aarônico, tais Ao progredirem de um desses ofí-
anjo. Como lhes lembrou Néfi: como limpar nossas capelas, arrumar cios do Sacerdócio Aarônico para o
“Como é que esquecestes que vistes cadeiras para a conferência da estaca seguinte, vocês manterão a autoridade
um anjo do Senhor?” 9 e outras reuniões da Igreja e cumprir do ofício anterior. Por exemplo, os que
Vocês, rapazes, estão formando outros deveres conforme designados. são sacerdotes ainda possuem autori-
seu testemunho. Ele é fortalecido 2. Os portadores do Sacerdócio dade para fazer tudo o que faziam
pela confirmação espiritual, por Aarônico, ou do Sacerdócio preparató- como diáconos e mestres. Na verdade,
intermédio do Espírito Santo, nas rio, estão obrigados a se qualificar mesmo quando forem ordenados ao
experiências comuns da vida. para o sacerdócio maior e receber trei- Sacerdócio de Melquisedeque, ainda
Embora algumas grandiosas mani- namento para assumirem maiores res- manterão e poderão agir nos ofícios
festações possam fortalecer seu ponsabilidades de serviço na Igreja. do Sacerdócio Aarônico. O falecido

52
Élder LeGrand Richards, que foi mem-
bro do Quórum dos Doze por muitos
anos, entendia bem esse princípio. Ele
costumava dizer sempre: “Sou apenas
um diácono crescido”.
Como já mencionei, ensinar é
um dos importantes deveres do
Sacerdócio Aarônico. Para vocês,
adolescentes, freqüentemente a
oportunidade de ensinar surge
quando servem como companheiros
de seu pai ou de outro portador do
Sacerdócio de Melquisedeque como
mestres familiares. Prover as necessi-
dades de modo temporal e espiritual
é parte significante da responsabili-
dade de zelar pela Igreja.
O Profeta Joseph Smith dava alta
prioridade ao ensino familiar. O
irmão Oakley era o mestre familiar do
Profeta, e sempre que o irmão Oakley
visitava a casa dos Smith para deixar
uma mensagem, “o Profeta reunia a
família e dava sua própria cadeira ao
irmão Oakley, dizendo à família” que
ouvisse o irmão Oakley com toda também a de seus pais, cônjuges e sua influência espiritual toda a minha
atenção. 14 filhos. Como lamentou o profeta vida — na casa de meu avô, na casa
Vocês, rapazes do Sacerdócio Jeremias: “Não creram os reis da de meu pai e em minha própria casa.
Aarônico, precisam ter o Espírito con- terra, nem todos os moradores do É edificante usar o poder e a autori-
sigo na vida pessoal, no ensino fami- mundo, que entrasse o adversário e dade transcendentes do sacerdócio
liar, na preparação e distribuição do o inimigo pelas portas (...) ”15 para transmitir poder a outros, curar e
sacramento, e em outras atividades Em Sua sabedoria, o Senhor nos abençoar. Que vivamos dignos de
do sacerdócio. Precisam evitar certas advertiu que substâncias que não são portar a autoridade do sacerdócio
pedras de tropeço. Uma das maiores boas para nós devem ser totalmente para agir em nome de Deus, eu oro
é o vício. evitadas. Fomos advertidos a não em nome de Jesus Cristo. Amém. ■
Aconselho todos vocês, irmãos, beber o primeiro drinque, não fumar
NOTAS
a evitarem todo tipo de vício. Nesta o primeiro cigarro, nem experimentar 1. Adaptado de Laird Roberts, “On Water and
época, Satanás e seus seguidores a primeira droga. Curiosidade e pres- Bread”, Tambuli, outubro de 1984,
estão escravizando alguns de nossos são do grupo são razões egoísticas pp. 40–41.
2. I Pedro 2:9.
melhores jovens por meio do vício para se brincar com substâncias que 3. Ver D&C 84:18.
do álcool, todo tipo de drogas, por- viciam. Devemos parar e considerar 4. D&C 84:26.
nografia, fumo, jogos de azar e todas as conseqüências, não somente 5. D&C 13:1.
6. Doutrina do Evangelho, p. 400.
outras desordens compulsivas. para nós e nosso futuro, mas para 7. Ver Mosias 27:8–24.
Algumas pessoas parecem ter nas- nossos entes queridos. Essas conse- 8. Alma 5:46.
cido com uma fraqueza por essas qüências são físicas, mas também 9. 1 Néfi 7:10.
10. Ver D&C 107:15.
substâncias, de modo que uma “sim- criam o risco de que percamos o 11. Ver D&C 84:111; ver também
ples” experiência resulta em vício Espírito e fazem com que nos torne- D&C 20:57–59.
12. D&C 20:53.
incontrolável. Alguns vícios alteram a mos presas de Satanás. 13. D&C 20:46–47.
mente e criam uma compulsão que Testifico que o sacerdócio tem tido 14. William G. Hartley, “Ordained and Acting
suplanta a razão e o julgamento. uma influência refinadora, espiritual, Teachers in the Lesser Priesthood,
1851–1883”, Brigham Young University
Esses vícios destroem não apenas a confortadora, fortificadora e preven- Studies, primavera de 1976, p. 384.
vida dos que não resistem a eles, mas tiva em minha vida. Tenho vivido sob 15. Lamentações 4:12.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 53
Nosso Sagrado
Tenho tido várias oportunidades
de fazê-lo. Uma delas ocorreu há
21 anos, antes que a República
Democrática da Alemanha — ou

Voto de Confiança Alemanha Oriental, como era mais


conhecida — se libertasse do jugo
comunista. Eu estava reunido com
o secretário de estado da Alemanha

do Sacerdócio
P R E S I D E N T E T H O M A S S. M O N S O N
Oriental, o Ministro Gysi. Naquela
época, nosso templo em Freiberg, na
Alemanha Oriental, estava em cons-
trução, juntamente com duas ou três
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência capelas. O Ministro Gysi e eu conver-
samos sobre vários assuntos incluindo
nosso programa mundial de constru-
O sacerdócio, mais do que uma dádiva, é um ção. Então, ele perguntou: “Por que
sua igreja é tão rica a ponto de se per-
comissionamento para servir, um privilégio de elevar, mitir construir edifícios em nosso país
e uma oportunidade de abençoar outras vidas. e em todo o mundo? Como conse-
guem o dinheiro?”
Respondi que a Igreja não é rica,
que um pai ora para que seu filho mas que seguimos o antigo princípio
seja inspirado a dar uma resposta bíblico do dízimo, princípio esse reen-
adequada. Clark, sem hesitação, disse fatizado em nossas escrituras moder-
ao Presidente Lee: “Serei ordenado nas. Expliquei também que nossa
diácono!” Igreja não possui clero pago e dei a
Aquela era a resposta pela qual eu entender que essas eram duas das
havia orado e que o Presidente Lee razões que nos permitiam construir os
esperava. Ele então aconselhou meu edifícios que estávamos terminando,
filho: “Lembre-se: é uma grande bên- inclusive o lindo templo em Freiberg.
ção portar o sacerdócio”. O Ministro Gysi ficou muito
Espero de todo coração e alma que impressionado com a informação que
todo jovem que receba o sacerdócio lhe prestei, e fiquei grato por ter sido
honre esse sacerdócio e seja fiel ao capaz de responder às perguntas dele.
voto de confiança que é-nos dado A oportunidade de declarar uma
quando ele é conferido. Que cada um verdade pode surgir quando menos
de nós que porta o sacerdócio de esperamos. Estejamos preparados
Deus saiba em que acredita. Como Certa ocasião, uma mulher não-
admoestou o Apóstolo Pedro, que membro perguntou ao Presidente

H
á alguns anos, quando nosso estejamos sempre prontos a “respon- David O. McKay que ensinamento
filho mais novo, Clark, estava der com mansidão e temor a qualquer específico separava a Igreja de todas
prestes a completar doze anos, que vos pedir a razão da esperança as demais. Falando sobre isso mais
ele e eu deixávamos o edifício de que há em vós”.1 Haverá ocasiões em tarde, o Presidente McKay disse ter se
escritórios da Igreja quando o nossa vida em que seremos chamados sentido impelido a responder: “O que
Presidente Harold B. Lee se aproxi- a explicar ou defender nossas crenças. diferencia as crenças de minha Igreja
mou e cumprimentou-nos. Comentei Quando essa hora chegar, o tempo de das outras é a autoridade divina por
com o Presidente Lee que Clark logo preparação já terá passado. revelação direta”.2
completaria doze anos. O presidente A maioria de vocês, rapazes, terá a Onde poderíamos encontrar um
Lee virou-se para ele e perguntou: “O oportunidade de partilhar seu teste- exemplo mais significativo de autori-
que vai acontecer quando você fizer munho quando servirem como mis- dade divina por revelação direta do
doze anos?” sionários pelo mundo. Preparem-se que nos eventos que ocorreram
Essa é uma daquelas ocasiões em agora para esse privilégio maravilhoso. naquele “belo e claro dia, no início da

54
primavera de 1820”, quando o jovem
Joseph Smith se retirou para o bos-
que a fim de orar? Suas palavras des-
crevendo aquele momento histórico
são impressionantes: “Vi dois
Personagens cujo esplendor e glória
desafiam qualquer descrição, pai-
rando no ar, acima de mim. Um deles
falou-me, chamando-me pelo nome,
e disse, apontando para o outro: Este
é Meu Filho Amado. Ouve-O!” 3
Nosso pensamento se volta para a
visita daquele mensageiro celestial,
João Batista, em 15 de maio de 1829.
Ali, na margem do rio Susquehanna,
perto de Harmony, na Pensilvânia,
João impôs as mãos sobre Joseph
Smith e Oliver Cowdery e os orde-
nou, dizendo: “A vós, meus conser-
vos, em nome do Messias, eu confiro
o Sacerdócio de Aarão, que possui as
chaves do ministério de anjos e do
evangelho do arrependimento e do
batismo por imersão para remissão de
pecados”.4 O mensageiro anunciou tema, afirmou: “É nada mais nada nossa conversa ao telefone foi mais
que agia sob a direção de Pedro, menos do que o poder de Deus dele- ou menos assim:
Tiago e João, que portavam as chaves gado ao homem, e por meio do qual “Alô, Presidente Child, aqui é o
do Sacerdócio de Melquisedeque. este pode agir na Terra para a salvação irmão Monson. O bispo pediu-me
Seguiram-se a ordenação e o batismo. da família humana, em nome do Pai, para conversar com você para ser
Esse é mais um exemplo de autori- do Filho e do Espírito Santo, e agir entrevistado para receber o
dade divina por revelação direta. legitimamente, não se apropriando Sacerdócio Maior.”
No devido tempo, Pedro, Tiago e dessa autoridade ou a emprestando “Ótimo, irmão Monson. Quando
João foram enviados para conferir de gerações passadas, mas usando a você pode estar aqui?”
as bênçãos do Sacerdócio de autoridade outorgada em nossos dias Eu queria expor o mínimo possível
Melquisedeque. Esses apóstolos pela ministração de anjos e espíritos o meu conhecimento de escrituras ao
enviados pelo Senhor ordenaram e do alto, vindos diretamente da pre- escrutínio dele e, sabendo de ante-
confirmaram Joseph e Oliver para sença do Deus Todo-Poderoso”.6 mão que a reunião sacramental da ala
serem apóstolos e testemunhas espe- Ao se aproximar o meu aniversário dele começava às 4 horas, sugeri:
ciais de Seu nome. Essa visitação de 18 anos e a época de alistar-me no “Que tal às 3 horas?”
sagrada foi caracterizada por autori- serviço militar para servir na Segunda Ele respondeu: “Oh, irmão
dade divina e revelação direta. Guerra Mundial, recebi a recomenda- Monson, isso não nos daria tempo
Como resultado dessas experiên- ção para receber o Sacerdócio de suficiente para vasculhar as escrituras.
cias, todos nós temos a obrigação — Melquisedeque. Eu teria de ligar para Poderia vir às 2 horas e trazer com
mesmo a abençoada oportunidade e o Presidente Paul C. Child, meu presi- você as suas escrituras devidamente
o dever solene — de sermos fiéis ao dente de estaca, para marcar uma marcadas?”
voto de confiança que recebemos. entrevista. Ele amava as escrituras e O domingo chegou finalmente e fui
O Presidente Brigham Young decla- as compreendia muito bem. Também até à casa do Presidente Child. Ele me
rou: “O Sacerdócio do Filho de Deus era seu pensamento que outros cumprimentou com entusiasmo e
é (...) a lei pela qual os mundos exis- deveriam igualmente amá-las e com- depois começamos a entrevista. Ele
tem, existiram e continuarão a existir preendê-las. Como outros já me disse: “Irmão Monson, você é portador
para todo o sempre”.5 O Presidente haviam falado a respeito de suas do Sacerdócio Aarônico.” Isso não era
Joseph F. Smith, explorando o mesmo entrevistas detalhadas e profundas, novidade. E ele continuou: “Alguma

A L I A H O N A MAIO DE 2006 55
vez um anjo já ministrou a você?” hesitou enquanto formulava a res- observância de todos os padrões do
Minha resposta: “Não tenho posta. Em meu coração, eu orava para evangelho (...) A segunda exigência
certeza.” que ele respondesse a pergunta. (...) é que se magnifique o chamado.
“Você sabia”, perguntou ele, “que Finalmente, ele respondeu: “O valor Magnificar é honrar, exaltar e glorifi-
tem direito a tal ministração?” de uma alma é a sua capacidade de car, fazer com que seja tido em alta
Respondi: “Não.” tornar-se semelhante a Deus.” estima e respeito. Também significa
Então, ele me instruiu: “Irmão O irmão Child fechou as escrituras, aumentar a importância de algo,
Monson, recite de cor a Seção 13 caminhou solene e silenciosamente ampliá-lo e fazê-lo maior”.8
de Doutrina e Convênios.” até o púlpito. Ao passar por mim, ele Perguntaram certa vez ao Profeta
Comecei: “A vós, meus conservos, disse: “Uma resposta muito profunda.” Joseph Smith: “Irmão Joseph, você
em nome do Messias, eu confiro o Precisamos conhecer o juramento freqüentemente nos insta a que mag-
Sacerdócio de Aarão, que possui as e o convênio do sacerdócio porque nifiquemos nossos chamados. O
chaves do ministério de anjos (...)” ele diz respeito a todos nós. Para que isso significa?” Dizem que ele res-
“Pare,” ordenou o Presidente os que possuem o Sacerdócio de pondeu: “Magnificar um chamado é
Child. Então, em tom suave e amo- Melquisedeque, é uma declaração considerá-lo com dignidade e impor-
roso, ele aconselhou: “Irmão Monson, da exigência de que sejamos fiéis tância, para que a luz dos céus possa
nunca se esqueça de que como porta- e obedientes às leis de Deus e que brilhar por meio de seu desempenho
dor do Sacerdócio Aarônico você tem magnifiquemos os chamados que às vistas dos outros homens. Um
direito à ministração de anjos. Agora, recebermos. Para aqueles que pos- élder magnifica seu chamado quando
continue a dizer a passagem.” suem o Sacerdócio Aarônico, é uma aprende seus deveres como élder e
Citei o restante da seção e o declaração referente a futuros deve- os desempenha”.
Presidente Child exclamou: res e responsabilidades, para que Os que portam o Sacerdócio
“Esplêndido.” Em seguida debateu se preparem aqui e agora. Aarônico devem receber a oportuni-
comigo várias outras seções de O juramento e convênio são esta- dade de magnificar seus chamados
Doutrina e Convênios relativas ao belecidos pelo Senhor nas seguintes naquele sacerdócio.
sacerdócio. Foi uma longa entrevista, palavras: Certo domingo, há dois anos, eu
mas nunca a esqueci. Ao final, o Pois aqueles que forem fiéis de estava assistindo à reunião sacramen-
Presidente Child pôs o braço em meu modo a obter esses dois sacerdócios tal em minha ala. O que raramente
ombro e disse: “Agora você está de que falei e a magnificar seu cha- acontece. Havia três sacerdotes à
pronto para receber o Sacerdócio mado serão santificados pelo Espírito mesa sacramental, sendo que o jovem
de Melquisedeque. Lembre-se de para a renovação do corpo. ao centro tinha algum tipo de defi-
que o Senhor abençoa a todo aquele Tornam-se os filhos de Moisés e ciência nos movimentos e particular-
que O serve.” de Aarão e a semente de Abraão; e a mente na fala. Ele tentou por duas
Anos mais tarde, eu e Paul C. Child, igreja e reino e os eleitos de Deus. vezes abençoar o pão, mas errou em
ele então membro do Comitê de E também todos os que recebem ambas, sem dúvida envergonhado
Bem-Estar do Sacerdócio, assistimos este sacerdócio a mim me recebem, com sua falta de habilidade para pro-
juntos a uma conferência da estaca. diz o Senhor; ferir a oração corretamente. Um dos
Na sessão de liderança do sacerdócio, Pois aquele que recebe os meus outros sacerdotes, então, acabou pro-
quando chegou a vez dele falar, ele servos, a mim me recebe; ferindo a bênção do pão.
pegou as escrituras e caminhou do E aquele que me recebe a mim, Durante a distribuição do pão,
púlpito até o meio da congregação. recebe a meu Pai; pensei comigo mesmo: “Não posso
Conhecendo-o como eu o conhecia, E aquele que recebe a meu Pai, permitir que aquele rapaz experi-
eu já sabia o que ele iria fazer. Ele recebe o reino de meu Pai; portanto mente o fracasso à mesa do sacra-
citou Doutrina e Convênios, inclusive tudo o que meu Pai possui ser-lhe-á mento”. Tive um forte sentimento de
a Seção 18, relativa ao valor de uma dado.7 que, se eu não duvidasse, ele seria
alma, indicando que devemos traba- O já falecido Élder Delbert L. capaz de abençoar a água com eficiên-
lhar todos os nossos dias para trazer Stapley, do Quórum dos Doze, cia. Estando eu no púlpito, próximo à
almas ao Senhor. Em seguida, virou-se comentou certa vez: “Há duas exigên- mesa sacramental, inclinei-me e disse
para um dos presidentes de quórum cias principais referentes a esse jura- ao sacerdote que estava sentado pró-
de élderes e perguntou: “Qual é o mento e convênio. A primeira é ximo a mim, apontando para o rapaz
valor de uma alma?” fidelidade, que denota obediência às que havia passado pela dificuldade:
O presidente de quórum, aturdido, leis de Deus e conota verdadeira “Deixe que ele abençoe a água: é uma

56
oração mais curta”. Então orei. Eu não Sem dúvida, ele continua magnifi-
queria um outro fracasso. Adoro a cando seus deveres e ajudando na
escritura que nos diz que não deve- obra além do véu.
mos duvidar, mas crer sempre.9 Para nós que portamos o
Quando chegou a hora da bênção Sacerdócio de Melquisedeque, o privi-
da água, aquele rapaz se ajoelhou légio de magnificar nossos chamados
novamente e proferiu a oração, talvez está sempre presente. Somos os pas-
um pouco hesitante, mas sem errar tores que cuidam de Israel. A ovelha
uma só palavra. Regozijei-me em faminta olha para nós à espera de
silêncio. Enquanto os diáconos passa- ser alimentada com o pão da vida.
vam as bandejas, olhei para o rapaz e Estamos preparados, irmãos, para ali-
levantei o polegar. Ele abriu um largo mentar o rebanho de Deus? É impera-
sorriso. Quando os rapazes foram dis- tivo que reconheçamos o valor de uma
pensados para juntarem-se à família, alma humana, para que nunca desista-
ele sentou-se entre sua mãe e seu pai. mos de um de Seus preciosos filhos.
Que alegria ver a mãe dele sorrindo e Se houver alguém que se sinta
abraçando-o, enquanto o pai o para- fraco demais para fazer melhor por
benizava e punha o braço ao redor causa do maior dos medos, o medo
de seu ombro. Os três olharam em do fracasso, não há promessa mais
minha direção, e eu mais uma vez confortadora do que as palavras do
levantei o polegar. Pude ver a mãe e o Senhor: “Minha graça basta a todos os
pai enxugando as lágrimas dos olhos. que se humilham perante mim; por-
Senti que aquele rapaz iria se dar bem sempre insistia em, como diácono, que caso se humilhem perante mim e
no futuro. passar o sacramento para sua família e tenham fé em mim, então farei com
O sacerdócio, mais do que uma para os que o haviam trazido. Deitado que as coisas fracas se tornem fortes
dádiva, é um comissionamento para na cama, ele reunia forças para segu- para eles”.10
servir, um privilégio de elevar, e uma rar a bandeja de pão ou água aben- Milagres acontecem a toda hora
oportunidade de abençoar outras çoados. Todos os presentes se quando os chamados do sacerdócio
vidas. aproximavam de Isaac e tomavam o são magnificados. Quando a fé substi-
Há não muito tempo, recebi uma sacramento de sua bandeja. As enfer- tui a dúvida, quando o serviço abne-
carta referente a um jovem e valoroso meiras e outros membros da equipe gado elimina o egoísmo cruel, o
diácono, Isaac Reiter, e aos diáconos, do hospital logo começaram a partici- poder de Deus faz atingir Seus propó-
mestres e sacerdotes que o serviram, par da reunião quando entenderam sitos. A quem Deus chama, Deus
elevaram e abençoaram sua vida e a que Isaac estava próximo do Pai qualifica.
deles próprios. Celestial e que sempre O honrava. Que nosso Pai Celestial sempre
Isaac lutou contra o câncer desde Embora fraco e tomado pela dor, abençoe, sempre inspire e sempre
os sete meses de idade até falecer com Isaac sempre sentia a honra de guie todos os que portam Seu pre-
treze anos. Quando ele se mudou com alguém que porta um sacerdócio real. cioso sacerdócio, é a minha sincera
a família para uma casa próxima a um Isaac foi um grande exemplo para oração, e eu a ofereço em nome do
hospital, a fim de que pudesse rece- os rapazes da ala. Eles presenciaram Senhor Jesus Cristo. Amém. ■
ber cuidados médicos adequados, os seu desejo de cumprir com seus
NOTAS
membros do Sacerdócio Aarônico da deveres, mesmo em seu leito de 1. I Pedro 3:15.
ala local foram designados a levar o morte, e compreenderam que aque- 2. Ver David O. McKay, Stepping Stones to an
sacramento para ele aos domingos. les deveres eram na verdade privilé- Abundant Life (1971), p. 375.
3. Joseph Smith — História 1:14,17.
Essa ordenança semanal se tornou a gios. Começaram a chegar mais cedo 4. D&C 13:1.
atividade favorita dos portadores do para preparar o sacramento e estar 5. Discursos de Brigham Young, sel. John A.
Sacerdócio Aarônico que dela partici- em seus lugares a tempo. A reverên- Widtsoe, São Paulo: Copyright Abijcsud,
1954, [Trad. s.d.] p. 130.
pavam. Juntamente com seus líderes cia aumentou. 6. Smith, Joseph F. Doutrina do Evangelho,
e a família de Isaac, eles reuniam-se Isaac Reiter tornou-se um sermão São Paulo: CEB, 1975, p. 125.
ao redor da cama dele, cantavam hinos vivo sobre como honrar o sacerdócio. 7. D&C 84:33–38.
8. Conference Report, abril de 1957, p. 76.
e partilhavam testemunhos. A seguir, Em seu funeral, foi dito que durante 9. Ver Mórmon 9:27.
o sacramento era abençoado. Isaac toda a sua vida ele teve um pé no céu. 10. Éter 12:27.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 57
A Necessidade de
Que todos nós reconheçamos que
cada pessoa é filha do Pai Celestial e
que Ele ama todos os Seus filhos.
Irmãos, não há fundamento para o

Mais Bondade
PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
ódio racista no sacerdócio desta
Igreja. Se qualquer um ao alcance de
minha voz tiver esse tipo de inclina-
ção, que busque ao Senhor, peça per-
dão e não se envolva mais com isso.
De tempos em tempos, recebo car-
Por que qualquer um de nós haveria de maltratar e ser tas com sugestões de assuntos que, na
opinião do remetente, deveriam ser
grosseiro com os outros? Por que não podemos estender abordados na conferência. Recebi uma
a mão amiga a todos os que nos cercam? carta dessas outro dia. Era de uma
mulher que disse que seu primeiro
casamento acabara em divórcio. Mais
tarde conheceu um homem que pare-
chorar e os filhos sentirem medo! cia ser muito bondoso e cheio de con-
Surgem conflitos raciais em toda a sideração. Contudo, pouco depois do
sua sordidez. Fui alertado de que até casamento, ela descobriu que a situa-
aqui, entre nós, algumas dessas coisas ção financeira dele era caótica, que
acontecem. Não entendo isso. Achei estava com pouco dinheiro, mas
que tínhamos todos nos regozijado mesmo assim demitiu-se do emprego
com a revelação dada ao Presidente e recusa outras ofertas de trabalho.
Kimball em 1978. Eu estava no templo Com isso, ela foi obrigada a trabalhar
na ocasião. Nem eu nem os que esta- para sustentar a família.
vam comigo tivemos a menor dúvida Passaram-se anos e ele continua
de que essa revelação era a mente e a desempregado. Depois, ela contou de
vontade do Senhor. dois outros homens que estão indo
Foi-me dito que às vezes se ouvem pelo mesmo caminho: recusam-se a
comentários e insultos racistas em trabalhar e, enquanto isso, a esposa é
nosso meio. Lembro a vocês que forçada a trabalhar longas horas para
nenhuma pessoa que faça comentá- sustentar a casa.
rios depreciativos a respeito de outras Paulo disse a Timóteo: “Mas, se

É
muito difícil falar após o irmão raças pode considerar-se um verda- alguém não tem cuidado dos seus,
Monson. Ele é dotado de muito deiro discípulo de Cristo; nem tam- e principalmente dos da sua família,
humor, todavia de grande sin- pouco pode achar que está agindo negou a fé, e é pior do que o infiel”
ceridade. de acordo com os ensinamentos (I Timóteo 5:8). Essas são palavras
Agradeço meus irmãos por sua fé e da Igreja de Cristo. Como poderia muito duras.
orações. Aprecio-as profundamente. um portador do Sacerdócio de O Senhor disse em uma revelação
Quando o homem envelhece passa Melquisedeque ser arrogante a ponto moderna: “As mulheres têm o direito
a ser mais bondoso, mais gentil. Tenho de se achar qualificado a receber o de receber dos maridos o seu sus-
pensado muito nisso ultimamente. sacerdócio, enquanto que outro que tento, até que eles lhes sejam tirados;
Fico imaginando por que será que vive em retidão, mas cuja pele seja de (...)
existe tanto ódio no mundo. Estamos outra cor, não se qualifique? Todos os filhos têm o direito de
envolvidos em guerras terríveis em Durante todo o meu tempo de receber de seus pais o seu sustento
que se perdem vidas e muitos são serviço na Primeira Presidência, reco- até alcançarem a maioridade” (D&C
mutilados. Mais perto de nós, vemos nheci e falei diversas vezes sobre a 83:2, 4).
tanta inveja, orgulho, arrogância e crí- diversidade que vemos em nossa Desde o início da Igreja, o marido
ticas destrutivas; pais que ficam zan- sociedade. Ela está a nosso redor e é considerado o provedor da família.
gados com coisas pequenas e sem devemos fazer um esforço para Não acredito que nenhum homem
importância e que fazem a esposa assimilá-la. fisicamente capaz que se recuse a

58
trabalhar para sustentar a família Ele se recorda que, na juventude, dormir. Afinal de contas, foi esse livro
possa ser considerado um membro alguns de seus colegas, membros de que acabou com a minha infância.
digno da Igreja. nossa Igreja, o humilhavam, faziam Tentei esquecer o assunto, mas uma
Eu disse no início que não sabia com que se sentisse deslocado e semana se passou e eu não conseguia
por que existem tantos conflitos, ódio debochavam dele. dormir. Por que será que ele lia aquele
e amargura no mundo. Claro que sei Ele acabou por odiar esta Igreja e livro todas as noites? Logo eu já não
que tudo isso é obra do adversário. seus membros. Não via nada de bom agüentava mais as perguntas que fica-
Ele nos influencia individualmente. em nenhum deles. vam martelando em minha cabeça.
Destrói homens fortes. Ele vem Então, o pai do rapaz perdeu o Então, certa noite perguntei-lhe o que
fazendo isso desde a época da organi- emprego e teve que se mudar. No havia de tão importante naquele livro.
zação desta Igreja. O Presidente lugar para onde foram, ele, que estava O que havia lá? Ele ofereceu-me o
Wilford Woodruff disse o seguinte: com 17 anos, conseguiu matricular-se livro. Fui logo dizendo que não tinha
“Vi Oliver Cowdery quando ele na faculdade. Lá, pela primeira vez na a menor vontade de tocar no livro,
parecia fazer estremecer céus e Terra. vida, sentiu o calor da amizade. Um só queria saber o que continha. Ele
Nunca ouvi um homem prestar um desses amigos, chamado Richard, começou a ler do ponto onde parara.
testemunho mais forte do que ele sob convidou-o a entrar para o clube do O texto falava de Jesus e de Sua apari-
a influência do Espírito. Contudo, a qual era presidente. Ele escreve: “Pela ção no continente americano. Foi um
partir do momento em que deixou o primeira vez na minha vida alguém choque! Eu não achava que os mór-
reino de Deus, perdeu seu poder. (...) queria minha companhia. Não sabia mons acreditassem em Jesus”.
Foi-lhe retirada a força, assim como como reagir, mas felizmente aceitei o Richard convidou-o para participar
Sansão nas mãos de Dalila. Ele perdeu convite. (...) Era uma sensação muito do coro da conferência da estaca.
o poder e o testemunho que desfru- boa (...) a de ter um amigo. Eu pas- Chegou o dia da conferência. “O
tara e nunca os recuperou em sua sara a vida toda orando para ter um e Élder Gary J. Coleman, do Primeiro
plenitude na carne, embora tenha agora, depois de 17 anos de espera, Quórum dos Setenta, era o orador
morrido [como membro] da Igreja” Deus respondeu minhas orações”. convidado. Descobri durante a confe-
(Ensinamentos dos Presidentes da Aos 19 anos ele acabou dividindo rência que ele também [era con-
Igreja: Wilford Woodruff, p. 107). uma barraca com Richard em um verso]. No final, Richard agarrou meu
Recebi permissão de contar-lhes a emprego de verão. Percebeu que toda braço e levou-me para conversar com
história de um rapaz que cresceu em noite Richard lia um livro. Perguntou o ele. Acabei concordando e quando
nossa comunidade. Ele não era da que ele estava lendo, e Richard disse estava chegando perto, ele se virou e
Igreja. Ele e os pais eram ativos em que era o Livro de Mórmon. Ele acres- sorriu para mim. Apresentei-me, disse
outra religião. centa: “Tratei de mudar de assunto e ir que não era membro e que só viera

A L I A H O N A MAIO DE 2006 59
é um trecho da resposta do Profeta:
“É verdade que sofremos muito
em conseqüência de sua conduta — o
cálice de fel que já estava mais cheio
do que os mortais conseguiriam
beber, certamente transbordou
quando você se voltou contra nós.
Contudo, bebemos dele até o fim,
fez-se a vontade do Pai e ainda esta-
mos vivos e, por isso, somos gratos
ao Senhor. (...)
Acredito que sua confissão seja sin-
cera e seu arrependimento genuíno;
portanto ficarei feliz em voltar a aper-
tar-lhe a mão direita em sinal de ami-
zade e muito me alegro com o
retorno do filho pródigo.
Sua carta foi lida para os membros
da Igreja no domingo passado e pedi-
mos que eles se manifestassem,
sendo que chegamos à resolução
unânime de receber W. W. Phelps em
cantar no coro. Ele sorriu e disse que Depois, vemos a forma como nossa irmandade.
estava feliz por eu estar lá e que a ele foi tratado por seu novo amigo, ‘Vem, meu irmão, a guerra acabou.
música tinha sido ótima. Perguntei a Richard. Essa experiência foi total- Pois amigos no início, são nova-
ele como sabia que a Igreja era verda- mente oposta à anterior e levou-o mente amigos ao final’” (Teachings of
deira. Ele respondeu com um breve à conversão e ao batismo por mais the Prophet Joseph Smith, sel. Joseph
testemunho e perguntou se eu lera o impossível que isso parecesse. Fielding Smith, p. 165–166).
Livro de Mórmon. Respondi-lhe que Esse tipo de milagre pode aconte- Irmãos, é o espírito dessas palavras
não. Ele prometeu que a primeira vez cer e acontece quando houver bon- do Profeta que temos de cultivar na
que o lesse, eu sentiria o Espírito.” dade, respeito e amor. Por que vida. Não podemos ser complacentes
Depois, em outra ocasião, quando qualquer um de nós haveria de mal- nisso. Somos membros da Igreja de
os dois amigos fizeram uma viagem tratar e ser grosseiro com os outros? nosso Senhor. Temos uma obrigação
juntos, Richard entregou-lhe o Livro Por que não podemos estender a mão para com Ele assim como para com
de Mórmon e pediu que o lesse em amiga a todos os que nos cercam? Por nós mesmos e para com os outros.
voz alta. Ele o fez e, de repente, foi que será que existe tanta amargura e Este mundo cheio de pecados precisa
tocado pelo Espírito Santo. animosidade? Essas coisas não fazem tanto de homens virtuosos, homens
O tempo passou e sua fé aumen- parte do evangelho de Jesus Cristo. de fé e retidão, homens dispostos a
tou. Ele concordou em ser batizado. Todos tropeçam de vez em perdoar e esquecer!
Os pais se opuseram, mas ele foi em quando. Todos nós cometemos erros. Bem, para concluir, é com prazer
frente e foi batizado nesta Igreja. Faço uma paráfrase das palavras de que acrescento que os exemplos e
O testemunho dele está cada vez Jesus, no Pai Nosso: “E perdoa-nos as histórias que citei não representam o
mais forte. Há poucas semanas casou- nossas ofensas, assim como nós per- comportamento e atitude da grande
se para esta vida e para a eternidade doamos aos que nos ofenderam” maioria dos membros da Igreja. Vejo
com uma bela moça da Igreja, no (ver Mateus 6:12; Tradução de Joseph por toda a minha volta, demonstra-
Templo de Salt Lake. O Élder Gary J. Smith, Mateus 6:13). ções maravilhosas de amor e cuidado
Coleman fez o selamento. William W. Phelps, que era amigo para com o próximo.
Esse é o final da história, mas há íntimo do Profeta Joseph, traiu-o em Na semana passada, este centro de
muito que se aprender com ela. 1838, e isso levou à prisão de Joseph conferências ficou repleto de lindas
Primeiro, é triste ver a forma como no Missouri. Reconhecendo o grande moças empenhadas em viver o evan-
seus jovens colegas mórmons o mal que fizera, o irmão Phelps escre- gelho. Elas são generosas umas com
trataram. veu ao Profeta pedindo perdão. Este as outras. Esforçam-se por fortalecer

60
SESSÃO DA MANHÃ DE DOMINGO
2 de Abril de 2006

A Restauração de
umas às outras. Elas são motivo de
orgulho para os pais e a família que
as criaram. Estão chegando à idade
adulta e terão por toda a vida os
ideais que hoje as motivam.
Pensem no quanto as mulheres da
Sociedade de Socorro fazem de bom!
É possível sentir a influência de seus
Todas as Coisas
P R E S I D E N T E J A M E S E . FA U S T
atos de bondade em todo o mundo.
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência
As mulheres estendem a mão e dedi-
cam tempo, amor, atenção e recursos
para auxiliar os doentes e os pobres.
Pensem no programa de bem-estar Acreditamos que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
e seus voluntários que estendem a Últimos Dias é a restauração da Igreja original estabelecida
mão para fornecer comida, roupas por Jesus Cristo.
e outras coisas necessárias a quem
tanto precisa!
Pensem na extensão do alcance de
nosso trabalho humanitário que não em comum com outras igrejas cristãs.
se limita aos membros da Igreja, mas Mas temos diferenças, e essas diferen-
se estende às nações pobres da Terra. ças explicam por que enviamos mis-
A praga do sarampo está sendo erra- sionários aos outros cristãos, por que
dicada em muitos lugares graças às construímos templos e não só capelas,
contribuições desta Igreja. e por que nossas crenças nos trazem
Atentem para o trabalho do Fundo tanta felicidade e força para enfrentar
Perpétuo de Educação que tira milha- os desafios da vida e da morte.”2
res de pessoas das garras da pobreza Desejo testificar hoje da plenitude
e as leva à luz do conhecimento e da do evangelho restaurado de Jesus
prosperidade. Cristo que se soma às crenças religio-
Eu poderia continuar lembrando a sas de outras denominações cristãs
vocês o grande esforço das boas pes- ou não. Essa plenitude foi original-
soas desta Igreja para proporcionar mente estabelecida pelo Salvador em
bênçãos umas às outras, esforço cujo Seu ministério terreno. Mas depois
alcance chega ao mundo inteiro, aos de fazê-lo, houve uma apostasia.
pobres e aflitos da Terra. Alguns dos Apóstolos da

C
Não há limites para tudo de bom omo membros de A Igreja de Antigüidade sabiam que uma aposta-
que podemos fazer, para o quanto Jesus Cristo dos Santos dos Últi- sia ocorreria antes da Segunda Vinda
podemos influenciar as pessoas. Não mos Dias, importamo-nos com do Senhor Jesus Cristo. Aos tessalo-
nos apeguemos à crítica e ao negati- todos os filhos de Deus que vivem nicenses, Paulo escreveu acerca
vismo. Oremos pedindo forças, agora ou que já viveram na face da desse assunto: “[Que] ninguém de
pedindo a habilidade e o desejo de Terra. “Nossa mensagem”, como decla- maneira alguma vos engane; porque
ajudar ao próximo. Irradiemos a luz do rou a Primeira Presidência em 1978, “é não será assim sem que antes
evangelho em todos os momentos, em de amor e atenção especiais pelo bem- venha a apostasia”.3
todos os lugares, para que o Espírito estar eterno de todos os homens e Com esse afastamento da verdade,
do Redentor resplandeça em nós. mulheres independentementede sua as chaves do sacerdócio foram perdi-
Nas palavras do Senhor a Josué: crença religiosa, raça ou nacionalidade, das e algumas doutrinas preciosas da
“Esforça-te e tem bom ânimo; não sabendo que somos verdadeiramente Igreja organizada pelo Salvador foram
temas; nem te espantes; porque o irmãos porque somos filhos do modificadas. Entre essas, o batismo
Senhor teu Deus é contigo por onde mesmo Pai Eterno”.1 O Élder Dallin H. por imersão4, o recebimento do
quer que andares” (Josué 1:9) Oaks disse há alguns anos: Espírito Santo pela imposição de
Em nome do Senhor Jesus Cristo. “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos mãos5, a natureza da Trindade — que
Amém. ■ dos Últimos Dias tem muitas crenças são três personagens distintas6, que

A L I A H O N A MAIO DE 2006 61
plenitude do evangelho de Jesus
Cristo foi restaurada em nossa época
pelo Profeta Joseph Smith, desejamos
dar a todo o mundo a oportunidade
de conhecer e aceitar essa mensagem.
Hoje temos, na Igreja restaurada,
apóstolos, profetas, pastores, douto-
res e evangelistas conforme descrito
por Paulo em Efésios14. Esses ofícios
do sacerdócio foram estabelecidos
pelo Salvador quando organizou Sua
Igreja no meridiano dos tempos.
Reconhecemos as duas ordens do
sacerdócio e os ofícios que eles
Os membros de Chihuahua, no México, assistem à transmissão da conferência. contêm: o sacerdócio menor é o
Sacerdócio Aarônico, em homena-
toda a humanidade ressuscitará por Anglicana de agir em nome de Deus. gem a Aarão; e o Sacerdócio de
meio da Expiação de Cristo, “tanto os Ao ler a Bíblia, ele reconheceu que as Melquisedeque, designado segundo
justos quanto os injustos”7, revelação chaves apostólicas não estavam na Melquisedeque, a quem Abraão
contínua — que os céus não estão Terra. Em 1632 ele tornou-se ministro pagou dízimos. O Sacerdócio
fechados8, e a obra no templo para os de uma igreja ilegal independente Aarônico foi restaurado em 15 de
vivos e os mortos9. e foi preso. A esposa dele morreu maio de 1829, sob as mãos de
O período que se seguiu ficou enquanto ele estava na prisão e seus João Batista, e o Sacerdócio de
conhecido como a Idade das Trevas. filhos rogaram ao bispo para que ele Melquisedeque um mês depois sob
Essa apostasia foi profetizada pelo fosse libertado. O bispo concordou as mãos dos antigos Apóstolos Pedro,
Apóstolo Pedro que declarou “o céu em libertar Lathrop, desde que ele Tiago e João, que os conferiram a
[deve conter] (Jesus Cristo) até aos saísse do país. Foi o que ele fez. Com Joseph Smith e Oliver Cowdery.
tempos da restauração de tudo, dos 32 membros de sua congregação, ele Assim, os portadores do sacerdócio
quais Deus falou pela boca de todos zarpou para a América.11 hoje invocam o poder de agir em
os seus santos profetas, desde o prin- Roger Williams, pastor que no nome de Deus por meio do sacerdó-
cípio”.10 Uma restituição só seria século XVII fundou a colônia de cio, cujo poder exige respeito tanto
necessária se essas coisas preciosas Rhode Island, recusou-se a continuar na Terra como nos céus.15
tivessem sido perdidas. como pastor em Providence alegando No Templo de Kirtland, em 3 de
Nos séculos seguintes, os religio- que “não existia na Terra uma Igreja abril de 1836, Moisés apareceu e deu
sos reconheceram que tinha ocorrido adequadamente instituída, nem qual- ao Profeta Joseph Smith e Oliver
uma apostasia gradual da Igreja orga- quer pessoa autorizada a administrar Cowdery as chaves da coligação de
nizada por Jesus Cristo. Alguns deles qualquer ordenança; nem poderia Israel. Em seguida, Elias apareceu e
sofreram muito por suas crenças haver até que novos apóstolos fossem comissionou-lhes o evangelho de
naquilo que veio a chamar-se enviados pelo grande Cabeça da Abraão, para que “em nós e em nossa
Reforma, um movimento do século Igreja, por cuja vinda ele esperava”.12 semente todas as gerações depois de
XVI que procurava reformar a cristan- Esses são apenas dois dos eruditos nós [sejam] abençoadas”.16 Depois,
dade ocidental. Isso resultou na sepa- religiosos que reconheceram a aposta- Elias, o Profeta, apareceu e deu a eles
ração das igrejas protestantes da sia da Igreja organizada por Jesus também as chaves desta dispensação,
principal igreja cristã. Cristo e a necessidade da restauração incluindo o poder do selamento, para
Entre esses reformadores estava das chaves do sacerdócio perdido. ligar nos céus o que for ligado na
o reverendo John Lathrop, sacerdote O Apóstolo João teve uma visão da Terra, dentro dos templos.17 Assim, os
da igreja Egerton, de Kent, Inglaterra. época em que “outro anjo [voava] profetas de dispensações anteriores
Incidentalmente, o Profeta Joseph pelo meio do céu, e tinha o evangelho do evangelho entregaram as chaves
Smith era descendente de John eterno para o proclamar aos que habi- que possuíam ao Profeta Joseph Smith
Lathrop. Em 1623, o reverendo tam sobre a terra, e a toda a nação, e nesta que é a última, “a dispensação
Lathrop renunciou ao cargo porque tribo, e língua, e povo.”13 Essa profecia da plenitude dos tempos” anunciada
questionou a autoridade da igreja se cumpriu. Como acreditamos que a pelo Apóstolo Paulo em Efésios18.

62
A L I A H O N A MAIO DE 2006 63
AUTORIDADES GERAIS DE A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS
A PRIMEIRA PRESIDÊNCIA Abril de 2006

Thomas S. Monson Gordon B. Hinckley James E. Faust


Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
O QUÓRUM DOS DOZE APÓSTOLOS

Boyd K. Packer L. Tom Perry Russell M. Nelson Dallin H. Oaks M. Russell Ballard Joseph B. Wirthlin

Richard G. Scott Robert D. Hales Jeffrey R. Holland Henry B. Eyring Dieter F. Uchtdorf David A. Bednar

A PRESIDÊNCIA DOS SETENTA

Earl C. Tingey D. Todd Christofferson Charles Didier Merrill J. Bateman Robert C. Oaks Neil L. Andersen Ronald A. Rasband
O PRIMEIRO QUÓRUM DOS SETENTA O SEGUNDO QUÓRUM DOS SETENTA

Carlos H. Amado David S. Baxter Shayne M. Bowen Monte J. Brough Sheldon F. Child L. Whitney Clayton Gary J. Coleman Spencer J. Condie Mervyn B. Arnold Douglas L. Callister Craig A. Cardon Craig C. Christensen Shirley D. Christensen Don R. Clarke

Gene R. Cook Quentin L. Cook Claudio R. M. Costa Benjamín De Hoyos Robert K. Dellenbach John B. Dickson David F. Evans Christoffel Golden Jr. James M. Dunn Keith R. Edwards Stanley G. Ellis Daryl H. Garn D. Rex Gerratt Larry W. Gibbons

Walter F. González C. Scott Grow Bruce C. Hafen Donald L. Hallstrom Keith K. Hilbig Richard G. Hinckley Jay E. Jensen Marlin K. Jensen Ronald T. Halverson Spencer V. Jones Won Yong Ko Gerald N. Lund Clate W. Mask Jr. Dale E. Miller

Daniel L. Johnson Kenneth Johnson Paul V. Johnson W. Rolfe Kerr Yoshihiko Kikuchi Paul E. Koelliker John M. Madsen Richard J. Maynes Robert F. Orton William W. Parmley Wolfgang H. Paul Wayne S. Peterson H. Bryan Richards R. Conrad Schultz

Lynn A. Mickelsen Marcus B. Nash Dennis B. Glenn L. Pace Anthony D. Perkins Paul B. Pieper Bruce D. Porter Carl B. Pratt W. Douglas Shumway Lowell M. Snow Donald L. Staheli Robert R. Steuer David R. Stone H. Bruce Stucki
Neuenschwander

Lynn G. Robbins Cecil O. Samuelson Jr. Steven E. Snow Ulisses Soares Francisco J. Viñas Lance B. Wickman W. Craig Zwick Paul K. Sybrowsky William R. Walker Robert J. Whetten Richard H. Winkel Robert S. Wood H. Ross Workman

O BISPADO PRESIDENTE

Richard C. Edgley H. David Burton Keith B. McMullin


Primeiro Conselheiro Bispo Presidente Segundo Conselheiro
Os membros chegam para assistir
à transmissão da conferência nas
Filipinas, (acima), no Uruguai (abaixo)
e no Brasil (à esquerda). Na Coréia, os
membros manifestam seu apoio aos
líderes da Igreja (centro, à esquerda).

66
Sou grato que o Senhor tenha
achado adequado restabelecer a lei
do dízimo e das ofertas para seu
povo. Quando observamos a lei do
dízimo, as janelas do céu abrem-se
para nós. Grandes são as bênçãos der-
ramadas sobre os que têm fé para
cumprir a lei do dízimo.
Ao longo da história da Terra, a
adoração no templo sempre foi parte
significativa da vida dos santos, pela
qual eles demonstravam o desejo de
aproximar-se do Criador. O templo foi
um lugar de aprendizagem para o
Salvador quando esteve na Terra; o
templo fazia parte da vida Dele. As
bênçãos do templo estão mais uma
vez disponíveis em nossa época. Uma
característica ímpar da Igreja de Jesus
Cristo dos Santos dos Últimos Dias é
seu ensinamento sobre templos e
sobre o significado eterno de tudo o
que neles fazemos. Nossos majesto-
sos e belos templos agora estão por
toda a Terra. Neles, o mais sagrado
dos trabalhos é feito. O Presidente
Gordon B. Hinckley assim falou sobre
os templos: “Existem poucos lugares
na Terra onde as perguntas que o
homem faz sobre a vida recebem as
respostas da eternidade”19. As solenes
perguntas “de onde viemos?”, “por
que estamos aqui?” e “para onde
vamos depois?” têm respostas com- de dia e de noite no seu templo”.20 O Apóstolo João teve uma visão da
pletas nos templos. Viemos da pre- O Senhor declarou que a Sua obra época em que um anjo viria à Terra
sença de Deus e estamos aqui na é “levar a efeito a imortalidade e vida como parte da Restauração do evan-
Terra para preparar-nos para retornar eterna do homem”21. Segue-se por- gelho. O anjo era Morôni e ele apare-
à presença Dele. tanto que toda a humanidade, vivos e ceu ao Profeta Joseph Smith. Ele
De transcendental importância mortos, deve ter a oportunidade de guiou Joseph ao local onde estavam
são os convênios eternos feitos ouvir o evangelho, seja nesta vida, depositadas as placas de ouro que
pelo homem e a mulher no templo seja no mundo espiritual. Como disse continham antigos escritos. Joseph
sagrado. Esses convênios são selados Paulo aos Coríntios: “Doutra maneira, Smith depois as traduziu pelo dom e
pela autoridade do sacerdócio. Os que farão os que se batizam pelos poder de Deus e o Livro de Mórmon
filhos de tais uniões, se forem dignos, mortos, se absolutamente os mortos foi publicado. Ele é o registro de dois
poderão desfrutar de um relaciona- não ressuscitam? Por que se batizam povos que viveram há séculos no con-
mento eterno como parte de uma eles então pelos mortos”?22 Essa é a tinente americano. Pouco se sabia a
família e como filhos de Deus. Como razão pela qual fazemos ordenanças respeito deles antes do aparecimento
escreveu o Apóstolo João: “Estes que nos templos pelos nossos antepassa- do Livro de Mórmon. Mais impor-
estão vestidos de vestes brancas, dos falecidos. O arbítrio de ninguém tante, no entanto, é que o Livro de
quem são, e de onde vieram? (...) lhe é tirado. Aqueles por quem as Mórmon é um novo testamento de
[Portanto, estes são os que] estão fazemos, podem ou não aceitar essas Cristo. Ele restaurou preciosas verda-
diante do trono de Deus, e o servem ordenanças. des relativas à Queda, Expiação,

A L I A H O N A MAIO DE 2006 67
iluminassem nações inteiras e pro-
porcionassem um melhor entendi-
mento às pessoas”.25 Por isso,
respeitamos as crenças religiosas
sinceras dos outros e agradecemos
àqueles que oferecem a nós a mesma
cortesia e respeito pelas doutrinas
que nos são caras.
Tenho um testemunho pessoal da
verdade dos convênios, ensinamentos
e autoridade restaurados por intermé-
dio do Profeta Joseph Smith. Essa
segurança sempre esteve comigo em
toda minha vida. Sou grato por ter
ocorrido a Restauração da plenitude
do evangelho em nossa época. Ela é o
caminho da vida eterna. Que o poder,
a paz e os cuidados de Deus, o Pai, e o
amor e a graça eternos do Senhor
Jesus Cristo estejam com todos, é pelo
que oro em nome de Jesus Cristo.
Amém. ■
NOTAS
1. Declaração da Primeira Presidência Relativa
ao Amor de Deus por Toda a Humanidade,
15 de fevereiro, 1978.
2. Conference Report, abril, 1995, p. 112; ou
Ressurreição e sobre a vida e a morte. Acreditamos que a Igreja de Jesus Ensign, maio 1995, p. 84.
Antes da Restauração, os céus esti- Cristo dos Santos dos Últimos Dias é 3. II Tes. 2:3; grifo do autor.
4. Ver Marcos 1:9–10.
veram fechados por séculos. Porém, a restauração da Igreja original esta- 5. Ver Atos 8:14–17; 19:3–6
com apóstolos e profetas na Terra mais belecida por Jesus Cristo, aquela que 6. Ver Mateus 3:17; Atos 7:55; D&C 130:22.
uma vez, os céus se abriram de novo foi edificada “sobre o fundamento 7. Atos 24:15.
8. Ver Daniel 2:28; Amós 3:7; D&C 121:26.
com visões e revelações. Muitas das dos apóstolos e dos profetas, de que 9. Ver Obadias 1:21; Malaquias. 4:6;
revelações que foram dadas ao Profeta Jesus Cristo é a principal pedra da I Coríntios 15:29; Apocalipse. 7:15.
10. Atos 3:20–21.
Joseph Smith foram escritas em um esquina”.24 Ela não é uma simples 11. Ver Mark E. Petersen, The Great Prologue
livro conhecido como Doutrina e divergência de qualquer outra igreja. (1975), pp. 34–35.
Convênios. Ele contém mais revelações Acreditamos que a plenitude do 12. Ver William Cullen Bryant, ed., Picturesque
America; or the Land We Live In, 2 vols.
sobre princípios e ordenanças e é uma evangelho de Cristo foi restaurada, (1872–1874), volume 1, p. 502; ver
fonte valiosa de conhecimento sobre a mas isso não é motivo para ninguém também LeGrand Richards, Uma Obra
estrutura do sacerdócio. Além disso, se sentir superior a qualquer outro Maravilhosa e Um Assombro, p. 28.
13. Apocalipse 14:6.
temos outro cânone de escritura cha- filho de Deus. Na verdade, isso exige 14. Ver Efésios 4:11.
mado A Pérola de Grande Valor que uma obrigação maior de invocarmos 15. Ver a Nota 5 em Talmage, A Grande
contém o livro de Moisés, dado por a essência do evangelho de Cristo em Apostasia, p. 169.
16. D&C 110:12.
revelação ao Profeta Joseph Smith, e nossa vida — amar, servir e abençoar 17. D&C 110:13–16.
o livro de Abraão, que foi traduzido os outros. De fato, como a Primeira 18. Efésios 1:10.
19. “Why These Temples?” President Gordon B.
de um pergaminho egípcio. Nessa Presidência declarou em 1978, acredi- Hinckley, Temples of the Church of Jesus
obra, não só aprendemos muito sobre tamos que “os grandes líderes religio- Christ of Latter-day Saints, 1999, p. 14.
Moisés, Abraão, Enoque e outros profe- sos do mundo, como Maomé, 20. Apocalipse 7:13–14.
21. Moisés 1:39.
tas, mas também obtemos muitos deta- Confúcio e os Reformadores, bem 22. I Coríntios 15:29.
lhes sobre a Criação. Aprendemos que como filósofos, incluindo Sócrates, 23. Ver Moisés 5:38; 8:19; Abraão 2:10–11.
o evangelho de Jesus Cristo foi ensi- Platão e outros, receberam uma por- 24. Ver Efésios 2:20.
25. Declaração da Primeira Presidência Relativa
nado a todos os profetas desde o princí- ção da luz de Deus. Deus concedeu- ao Amor de Deus por Toda a Humanidade,
pio — até mesmo na época de Adão.23 lhes verdades morais para que 15 de fevereiro, 1978.

68
Consertar o que
seguido, Jesus voltou-Se e perguntou
aos dois homens: “Que buscais?” Eles
responderam: “Onde moras?” E Cristo
disse: “Vinde, e vede”. No dia seguinte,

Está Quebrado
ÉLDER JEFFREY R. HOLLAND
Jesus encontrou um outro discípulo,
Filipe, e disse-lhe: “Segue-me”.4 Pouco
tempo depois, Ele chamou formal-
mente Pedro e outros dos novos
Apóstolos com o mesmo espírito em
Do Quórum dos Doze Apóstolos
Seu convite: “Vinde após mim”.5
Parece claro que a essência de
nosso dever e o requisito fundamen-
Quando Ele diz ao pobre em espírito “vinde a mim”, Ele diz tal de nossa vida na mortalidade
que sabe como nos livrar e como nos conduzir para o céu. encerram-se nessas pequenas frases
ditas em várias ocasiões do ministério
mortal do Salvador. Ele está nos
dizendo: “Confie em Mim, aprenda
nós como um tsunami da alma. comigo, faça o que Eu faço. Depois,
Desejo falar particularmente a vocês, quando você estiver caminhando por
que sentem que sua vida está des- onde Eu caminho”, diz Ele, “podere-
truída e, aparentemente, não tem mos falar sobre onde você está indo,
conserto. e a respeito dos problemas que está
A todas essas pessoas ofereço o enfrentando e as dificuldades que
mais eficaz e doce remédio que você tem. Se você Me seguir, Eu o
conheço. Ele se encontra no claro tirarei das trevas”. Ele promete:
chamado que o próprio Salvador fez “Responderei às suas orações. Darei
ao mundo. Ele o fez no começo de descanso para a sua alma”.
Seu ministério e também no fim. Fez Queridos irmãos, não conheço
aos crentes e àqueles que tinham nenhuma outra forma de sermos bem-
dúvidas. Fez a todos, quaisquer que sucedidos ou de estarmos seguros em
fossem seus problemas pessoais: meio às armadilhas e problemas da
“Vinde a mim, todos os que vida. Não conheço nenhum outro
estais cansados e oprimidos, e eu modo de carregar nossos fardos ou
vos aliviarei. de encontrar o que Jacó, no Livro de

A
s primeiras palavras que Jesus Tomai sobre vós o meu jugo, e Mórmon, chamou “aquela felicidade
falou em Seu grandioso aprendei de mim, que sou manso e que está preparada para os santos”.6
Sermão da Montanha foram humilde de coração; e encontrareis Então, como uma pessoa “vem a
para pessoas que se sentiam perturba- descanso para as vossas almas.”2 Cristo” em resposta a esse insistente
das, desanimadas e deprimidas. “Bem- Nessa promessa, a frase introdutória convite? As escrituras contêm muitos
aventurados os pobres de espírito”, “vinde a mim” é fundamental. É a exemplos e mostram inúmeras manei-
disse Ele, “porque deles é o reino dos chave para a paz e descanso que procu- ras. Vocês conhecem bem as mais
céus”.1 Sejam vocês membros de A ramos. Na verdade, quando o Salvador básicas. A mais fácil e a que vem em
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos ressuscitado fez Seu sermão no templo primeiro lugar é simplesmente ter o
Últimos Dias ou estejam entre os para os nefitas no novo mundo, Ele desejo em seu coração, a forma de
milhares de ouvintes desta manhã que disse: “Bem-aventurados são os pobres fé mais simples que conhecemos.
não pertencem à nossa fé, falo àqueles em espírito que vêm a mim, porque “Mesmo que não tenhais mais que o
que estão enfrentando tribulações pes- deles é o reino dos céus”.3 desejo de acreditar”, diz Alma, exer-
soais e problemas familiares, àqueles Quando André e João ouviram cendo apenas “uma partícula de fé,
que enfrentam conflitos interiores nos Cristo falar pela primeira vez, foram (...)” e dêem ainda que seja um canti-
solitários recônditos do coração, àque- tocados tão profundamente que foram nho para abrigar as promessas de
les que estão tentando conter as águas atrás Dele quando Ele Se afastou da Deus, isso é suficiente para começar.7
do desespero que às vezes caem sobre multidão. Sentindo que estava sendo Crer somente, simplesmente ter uma

A L I A H O N A MAIO DE 2006 69
diretas com os exemplos do Salvador.
Às vezes procuramos o céu de maneira
muito indireta, concentrando mais a
atenção em programas ou nas histórias
e experiências dos outros. Essas coisas
são importantes, mas não tão impor-
tantes quanto as experiências pessoais,
o verdadeiro discipulado, e a força que
resulta de sentir pessoalmente o poder
de Sua influência.
Você está lutando contra um vício
maléfico — cigarro, drogas, jogo ou a
“molécula” de fé — simplesmente ter outras, a exemplo do sacramento, perniciosa praga contemporânea da
esperança em coisas que não se vêem que fazem parte de nossa vida em pornografia? Está com problemas em
na vida, mas que, no entanto, estão forma de bênçãos e lembretes seu casamento ou seu filho corre
realmente ali para serem concedidas8 adicionais. Ensinando ao povo da perigo? Você está confuso em relação
— esse simples passo, quando centra- sua época a mensagem que estamos à sua identidade sexual ou procu-
lizado no Senhor Jesus Cristo, sempre transmitindo hoje, Néfi disse: rando auto-estima? Você — ou
foi e sempre será o primeiro princípio “[Segui] o Filho com todo o coração, alguém que você ama — está doente,
de Seu evangelho eterno, o primeiro (...) com verdadeira intenção, (...) sofrendo de depressão ou à beira da
passo para fora do desespero. [tomando] sobre vós o nome de morte? Quaisquer que sejam os
Segundo, devemos mudar tudo o Cristo (...). Fazei as coisas que eu outros passos que você tenha que
que pudermos e que faça parte do vos disse ter visto vosso Senhor e tomar para resolver esses problemas,
problema. Em resumo, devemos nos Redentor fazer”.9 achegue-se primeiro ao evangelho de
arrepender, talvez a palavra mais Seguindo esses ensinamentos Jesus Cristo. Confie nas promessas
esperançosa e encorajadora do voca- básicos, gozaremos de uma extraordi- dos céus. Nesse sentido, o testemu-
bulário cristão. Agradecemos ao Pai nária comunicação com Cristo de inú- nho de Alma é também o meu. Ele
Celestial por permitir nossa mudança. meras maneiras: orando, jejuando e diz: “Sei que aqueles que confiarem
Agradecemos a Jesus por podermos refletindo sobre Seus propósitos; em Deus serão auxiliados em suas tri-
mudar, pois afinal só podemos fazer banqueteando-nos com as escrituras bulações e em suas dificuldades e em
isso com Sua ajuda divina. Certamente e servindo o próximo, “[socorrendo] suas aflições”.13
nem tudo o que enfrentamos é resul- os fracos, [erguendo] as mãos que Essa confiança na natureza miseri-
tado de nossas ações. Muitas vezes é pendem, (...) [fortalecendo] os joe- cordiosa de Deus é um dos aspectos
resultado das ações de outras pessoas lhos enfraquecidos.”10 Acima de tudo, principais do evangelho que Cristo
ou apenas coisas que acontecem na amando com “o puro amor de ensinou. Testifico que a Expiação do
vida mortal. Mas tudo o que nós Cristo”, com aquele dom que “nunca Salvador nos livra não só do fardo de
podemos mudar nós devemos mudar, falha”, aquele dom que “tudo sofre, nossos pecados, mas também do
e perdoar o restante. Dessa forma, tudo crê, tudo espera [e] tudo fardo de nossas tristezas e mágoas, de
teremos tanto acesso à Expiação do suporta”.11 Com esse tipo de amor, nossas decepções e desespero.14 Da
Salvador como se nós mesmos, com logo perceberemos que há muitos confiança inicial nessa ajuda é que
nossas imperfeições, fôssemos o autor caminhos diferentes que nos condu- extrairemos uma razão e uma forma
dela. Ele fará o restante, depois de zem ao Mestre e que todas as vezes de melhorar, um incentivo para nos
tudo que pudermos fazer. que nos aproximarmos Dele, não livrar de nossos pecados e trabalhar
Terceiro, devemos tentar de todas importa quão fracos estejamos, des- por nossa salvação. Pode haver e
as formas possíveis tornar-nos mais cobriremos que Ele sempre esteve haverá inúmeras dificuldades na vida.
semelhantes ao Salvador começando ansioso por Se achegar a nós. Assim, Contudo, a alma que vem a Cristo, que
por tomar sobre nós o Seu nome. vamos em frente, lutamos, procura- conhece Sua voz e tenta fazer o que
Esse nome é formalmente concedido mos e nunca nos entregamos.12 Ele fez, encontra forças Nele, como diz
por convênio nas ordenanças salva- Meu desejo hoje é que todos nós — o hino.15 O Salvador nos lembra que
doras do evangelho. Elas começam não somente aqueles que são “pobres estamos “[gravados] nas palmas de
com o batismo e terminam com os em espírito”, mas todos nós — tenha- [Suas] mãos”.16 Considerando o custo
convênios do templo, e há muitas mos experiências mais pessoais e incompreensível da Crucificação e da

70
Expiação, prometo a vocês que Ele E o povo esperançoso, a passo
não virará as costas para nós agora. cansado e lento,
Quando Ele diz ao pobre em espírito Leva a carga estrada acima numa
“vinde a mim”, Ele diz que sabe como longa procissão
nos livrar e como nos conduzir para o E cada qual faz ouvir o mesmo
céu. Ele sabe porque já trilhou esse pedido e lamento:
caminho; porque Ele é o caminho.
Irmãos e irmãs, quaisquer que “Ó meu Senhor Carpinteiro!
sejam seus sofrimentos, por favor, Tende piedade de nós!
não desistam, não se entreguem ao Sara o coração cansado,
medo. Sempre me emociono ao lem- Emenda esta vida desfeita deposta
brar de que quando o filho do irmão diante de Vós!”
Bryant S. Hinckley estava partindo Se você está só, por favor, saiba
para uma missão na Inglaterra, ele se que é possível encontrar consolo. Se E com mão terna e segura
despediu do jovem Gordon com um está desanimado, tenha esperança. Se O Excelente Carpinteiro
abraço e deu-lhe um bilhete escrito à você é pobre em espírito, saiba que Sua vida verte na nossa,
mão com apenas quatro palavras tira- pode se fortalecer. Se tiver a sensação Agora nova, perfeita, transformada
das do livro de Marcos: “Não temas, de que sua vida está arruinada, saiba por inteiro.
crê somente”.17 Penso também que ela tem conserto.
naquela noite em que Cristo correu “Deponho ante Vós, em pedaços,
para ajudar Seus discípulos amedron- A estradinha estreita que corta as vaidades do coração.
tados, caminhando sobre as águas Nazaré Tomai-as, a fé, as quimeras, o desejo
para alcançá-los, anunciando: “Sou É longa ao viajante que a percorre e a ambição
eu, não temais”. Pedro exclamou: a pé, Destrói todas por inteiro e dessa
“Senhor, se és tu, manda-me ir ter Mas quem arfante trilhar esse pobre ruína,
contigo por cima das águas”. A res- caminho inteiro, Ó meu Senhor Carpinteiro, criai a
posta de Cristo foi, como sempre, Há de passar à porta de um Mestre obra Divina.”19
em todas as situações, “vem”. Carpinteiro.
Instantaneamente, como era de sua Que todos nós, especialmente os
natureza, Pedro saiu do barco e pisou E nessa estrada de terra, pobres em espírito, possamos vir a
nas águas turbulentas. Enquanto seus levantando tanto pó Ele e ser curados, eu oro em nome
olhos estavam fixos no Senhor, o Anda o povo o dia inteiro atarefado de Jesus Cristo. Amém. ■
vento podia embaralhar seus cabelos que só.
e borrifar água em suas vestes, mas E todo dia há quem bata à porta do NOTAS
tudo estava bem — ele estava indo Carpinteiro 1. Mateus 5:3.
ao encontro de Jesus. Foi somente Levando algo quebrado que há de 2. Mateus 11:28–29.
3. 3 Néfi 12:3; grifo do autor.
quando sua fé titubeou e o medo mister consertar. 4. João 1:35–39, 43.
assumiu o controle, somente quando 5. Ver Mateus 4:19.
desviou o olhar do Mestre para as Leva a menina a boneca, 6. Ver 2 Néfi 9:43.
7. Ver Alma 32:27; grifo do autor.
ondas enfurecidas e o abismo amea- O lavrador, o arado; 8. Ver Alma 32:21.
çador, só então foi que realmente A mulher leva a cadeira... 9. 2 Néfi 31:13, 17.
começou a afundar na água. Sentindo- E tudo isso em que estado! 10. D&C 81:5.
11. Morôni 7:47, 46, 45.
se novamente aterrorizado, ele gritou: 12. Ver Alfred Lord Tennyson, “Ulysses” The
“Senhor, salva-me!” E cada um a seu tempo Complete Poetical Works of Tennyson,
1898, p. 89.
Sem dúvida com alguma tristeza, Recebe o que encomendou, 13. Alma 36:3.
o Mestre que está acima de qualquer A ferramenta, o brinquedo, 14. Ver Alma 7:11–12.
problema ou medo, Ele que é a solu- o móvel que se quebrou, 15. “Sim, Eu Te Seguirei”, Hinos, nº 134.
16. 1 Néfi 21:16.
ção para todo o desânimo e decep- Pronto de novo, perfeito e 17. Marcos 5:36.
ção, estendeu a mão e agarrou o consertado a contento. 18. Mateus 14:27–31; grifo do autor.
discípulo que afundava, reprovando-o 19. George Blair, “The Carpenter of Nazareth”,
em Obert C. Tanner, Christ’s Ideals for
amorosamente: “Homem de pouca Sai um ano, entra outro, numa Living, Salt Lake City: Manual da Escola
fé, por que duvidaste?”18 longa sucessão, Dominical, 1955, p. 22 [Tradução livre].

A L I A H O N A MAIO DE 2006 71
O Grande Plano
no ar, acima de mim. Um deles falou-
me, chamando-me pelo nome, e
disse, apontando para o outro: Este
é Meu Filho Amado. Ouve-O!”5

de Felicidade
ÉLDER EARL C. TINGEY
Segundo: O conhecimento da
identidade do Pai e do Filho nos ajuda
a saber que todos fomos colocados na
Terra para receber um corpo físico,
adquirir experiência e provar-nos dig-
Da Presidência dos Setenta
nos de retornar a nosso Pai Celestial.
Há leis que governam nossa vida mor-
Por meio da infinita Expiação, Deus proveu um meio tal na Terra. Quando transgredimos a
lei, pecamos. Quando pecamos, que-
pelo qual podemos vencer nossos pecados e voltar a ser bramos leis eternas. A lei da justiça
completamente puros. exige um castigo ou punição.
O pecado e a necessidade do arre-
pendimento podem ser representa-
dos por um homem fazendo uma
homem com Deus. (...) Todos nós, jornada. Ele carrega nas costas uma
independentemente de cor, credo ou grande mochila vazia. De tempos em
nacionalidade, teremos um encontro tempos, ele apanha uma pedra, que
com a experiência a que chamamos representa a transgressão de uma lei,
de morte”.3 e coloca a pedra na mochila que car-
A maioria de nós, em momentos rega nas costas. Com o tempo, a
de sofrimento e perda, fez esta per- mochila fica cheia. Fica pesada. O
gunta junto à sepultura de um ente homem não consegue continuar sua
querido: “Há alguma felicidade na jornada. Precisa de um meio para
morte?” esvaziar a mochila e remover as
Um profeta do Livro de Mórmon pedras. Isso pode ser feito somente
respondeu-nos essa pergunta com pelo Salvador por meio da Expiação.
jubilosas manifestações de gratidão Isso é possível quando exercemos
pela Expiação de Jesus Cristo, que nos fé em Jesus Cristo, abandonamos o
resgata da morte: “Oh! A sabedoria de pecado e fazemos convênios por
Deus, sua misericórdia e graça! (...) meio das ordenanças do evangelho.
Oh! A grandiosidade e a justiça de Se perseverarmos fielmente até o fim,

O
profeta Jacó perguntou: “Por nosso Deus!”4 poderemos então voltar a viver com
que não falar, pois, da expia- Gostaria de compartilhar cinco ver- nosso Pai Celestial e Seu Filho Jesus
ção de Cristo e conseguir um dades sobre o grande plano de felici- Cristo.
perfeito conhecimento dele?”1 dade que me proporcionaram esse Terceiro: Por meio da infinita
Farei dessa pergunta o tema de tipo de alegria. Expiação, Deus proveu um meio pelo
meu discurso: Por que não falar da Primeiro: O conhecimento do qual podemos vencer nossos pecados
Expiação de Jesus Cristo? plano confirma que há um Deus e e voltar a ser completamente puros.
Alma se refere à Expiação como “o que Ele tem um Filho, Jesus Cristo. O Isso foi possível graças à eterna lei da
grande plano de felicidade”.2 Usarei Pai e o Filho são perfeitos. Vivem no misericórdia. A misericórdia satisfaz
essa expressão para descrever a bela céu e possuem um corpo glorificado as exigências da justiça por meio de
doutrina que conhecemos como a de espírito, carne e ossos. nosso arrependimento e do poder da
Expiação de Jesus Cristo. Essas verdades nos foram reveladas Expiação. Sem o poder da Expiação e
O Presidente Hugh B. Brown decla- nesta dispensação quando o menino nosso completo arrependimento,
rou: “Cedo ou tarde as vicissitudes da Joseph Smith se ajoelhou em humilde estamos sujeitos à lei da justiça.
vida levarão cada um de nós a encarar oração e declarou mais tarde: “Vi dois Alma ensinou que “a misericórdia
a importante questão (...) da imortali- Personagens cujo esplendor e glória reclama o penitente”6 e que “o plano
dade da alma e do relacionamento do desafiam qualquer descrição, pairando de redenção não poderia ser realizado

72
senão em face do arrependimento”.7
O grande profeta Amuleque ensi-
nou: “E assim a misericórdia pode
satisfazer as exigências da justiça e
envolve-os nos braços da segurança,
enquanto que aquele que não exerce
fé para o arrependimento está exposto
às exigências de toda a lei da justiça;
portanto, apenas para o que possui fé
para o arrependimento tem efeito o
grande e eterno plano de redenção”.8
Adão e Eva, nossos primeiros pais,
transgrediram a lei e foram expulsos
do belo Jardim do Éden. O grande
plano de salvação foi ensinado a Adão
e Eva, para que tivessem felicidade
nesta vida.9
Adão disse: “Devido a minha trans- sepultamento em um jazigo empres- no céu foi Seu Pai. Dele, Ele herdou a
gressão, meus olhos estão abertos e tado, Cristo ressuscitou no terceiro imortalidade, o poder de vencer a
nesta vida terei alegria; e novamente dia. Sua Ressurreição reuniu o corpo morte física.
na carne verei a Deus”.10 físico de Cristo a Seu espírito. Como o escolhido para cumprir as
Eva proclamou de modo seme- A Ressurreição dos mortos é o exigências da Expiação, Jesus Cristo
lhante a sua felicidade: “Se não fosse mais belo elemento da Expiação e condescendeu em vir à Terra e nascer
por nossa transgressão, jamais tería- realmente faz parte do plano de felici- de Maria como um bebê indefeso. Ele
mos tido semente e jamais teríamos dade. A Ressurreição é universal e se condescendeu a ser tentado, provado,
conhecido o bem e o mal e a alegria aplica a toda a humanidade. Todos escarnecido, julgado e crucificado,
de nossa redenção”.11 seremos ressuscitados. Presto teste- mesmo tendo poder e autoridade
Quarto: A Queda de Adão e Eva munho desse fato e verdade. É uma para impedir essas coisas.
resultou em dois tipos de morte. dádiva incondicional de Deus. O Presidente John Taylor descre-
Estamos sujeitos a essas mortes. A Mas o fato de sermos ressuscitados veu a condescendência de Cristo com
morte física é a separação do espírito não vence a segunda morte. Para estas belas palavras: “Foi também
e do corpo físico. Devido à Queda de ganharmos a vida eterna e vivermos necessário que Ele descesse abaixo
Adão, toda a humanidade sofrerá a na presença do Pai e do Filho, precisa- de todas as coisas para que pudesse
morte física. mos arrepender-nos e tornar-nos erguer-Se acima de todas as coisas;
A segunda morte é espiritual. É a elegíveis para a misericórdia, que porque se Ele não Se erguesse e fosse
separação da presença de Deus. Adão satisfará a justiça. exaltado pelos princípios decorrentes
e Eva conversavam livremente com As revelações ensinam: da Expiação, não poderia erguer
Deus no Jardim do Éden. Depois de “Esta vida é o tempo para os outras pessoas; não poderia fazer
sua transgressão, perderam esse privi- homens prepararem-se para encon- pelos outros o que não pudesse fazer
légio. Depois disso, a comunicação de trar Deus.”12 por Si mesmo.”15
Deus só veio por meio da fé e do sacri- “Não deixeis o dia do arrependi- O sofrimento de Cristo no Jardim
fício, combinados com sincera súplica. mento para o fim.”13 do Getsêmani é o epítome do mais
Atualmente, estamos todos no “O mesmo espírito que possuir magnífico de todos os atributos
estado da morte espiritual. Estamos vosso corpo quando deixardes esta de Cristo: Seu perfeito amor. Ali Ele
afastados da presença de Deus. Ele vida, esse mesmo espírito terá poder mostrou que realmente amava
mora no céu; nós moramos na Terra. para possuir vosso corpo naquele todos nós.
Gostaríamos de voltar a Ele. Ele é mundo eterno.”14 Um teólogo inglês, escrevendo no
puro e perfeito. Somos impuros e Quinto: Jesus Cristo nasceu de século XIX, declarou o seguinte sobre
imperfeitos. uma mãe terrena, Maria. Dela, Ele esse evento: “Tudo o que o corpo
O poder da Expiação de Cristo herdou a mortalidade e tornou-Se humano podia tolerar em termos de
venceu as duas mortes. sujeito à morte. sofrimento era para ser acumulado
Depois de Sua crucificação e José foi Seu mentor terreno. Deus sobre Seu corpo encolhido. (...) A dor

A L I A H O N A MAIO DE 2006 73
Crescer no Senhor
mais aguda, a vergonha em sua mais
assombrosa brutalidade, o fardo do
(...) pecado (...) foi isso que Ele teve
que enfrentar.”16
Descrevendo Seu sofrimento, ANNE C. PINGREE
o Senhor disse numa revelação Segunda Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro
moderna: “Sofrimento que fez com
que eu, Deus, o mais grandioso de
todos, tremesse de dor e sangrasse O firme propósito de servir às pessoas, mesmo em situações
por todos os poros; e sofresse, tanto difíceis, é algo exigido daqueles que realmente desejam
no corpo como no espírito.”17 “crescer no Senhor”.
A Expiação é um evento que nos
permite reconciliar-nos com Deus.
A palavra Expiação significa restaurar
ou retornar. Em termos de família, que é muito mais do que um reflexo
significa reunir-nos uns com os outros de seus anos de vivência. Elas
e com Deus e Seu Filho Jesus Cristo. demonstravam a verdadeira maturi-
Significa que a tristeza da separação dade espiritual.
se transformará em felicidade pela Helamã, o grande profeta do Livro
reunião. de Mórmon, deu a seus filhos o nome
Para concluir, compartilho as pala- de Néfi e Leí por causa de seus ante-
vras do Presidente Boyd K. Packer: passados, e eles “principiaram a cres-
“Se você compreender o grande cer no Senhor”.1 Jovens ou idosos,
plano de felicidade e o seguir, sua feli- todos precisamos fazer o mesmo.
cidade não será determinada pelas Essa idéia de crescer no Senhor é
coisas que acontecem no mundo.”18 muito forte para mim. Ao contrário
Presto testemunho dessa verdade do processo de crescimento físico,
e do amor que nosso Senhor e não amadurecemos espiritualmente
Salvador Jesus Cristo demonstrou por até que decidamos, tal como descre-
nós provendo a Expiação, o grande veu o Apóstolo Paulo, “[acabar] com
plano de felicidade, para todos nós. as coisas de menino”.2
Em nome de Jesus Cristo. Amém. ■

H
á alguns meses, eu estava A oração e o estudo das escrituras
andando de carro com duas diários, o cumprimento dos manda-
NOTAS
corajosas missionárias mais mentos e convênios feitos no batismo
1. Jacó 4:12. velhas que estavam decididas a e no templo são essenciais ao cresci-
2. Alma 42:8; ver também 2 Néfi 9:13; Alma encontrar o apartamento de um mento no Senhor. Aprendemos a
12:32; 34:9, 16; 41:2; 42:15; Moisés 6:62.
3. Em Conference Report, abril de 1967, membro da ala que ficava bem no andar em Seus caminhos ao fazermos
p. 48; paragrafação alterada. centro de uma cidade, no Leste dos as coisas que nos aproximam do Pai
4. 2 Néfi 9:8, 17. Estados Unidos. Enquanto eu estava Celestial e ao ensinarmos nossos
5. Joseph Smith — História 1:17.
6. Alma 42:23. ali sentada no banco traseiro con- filhos e outras pessoas a fazerem o
7. Alma 42:13. tendo a respiração, o sistema de mesmo. “[Abandonamos] as coisas de
8. Alma 34:16. orientação GPS do carro ficava cons- menino” quando decidimos tornar-
9. Ver Alma 12:32.
10. Moisés 5:10. tantemente apitando: “Rota errada, nos semelhantes a Cristo e servir
11. Moisés 5:11. rota errada!” Sem se abalar, a missio- ao próximo como Ele gostaria que
12. Alma 34:32.
13. Alma 34:33.
nária que estava lendo o mapa conti- fizéssemos.
14. Alma 34:34. nuou sugerindo um caminho após Quando a Igreja foi organizada
15. The Mediation and Atonement, (1882), outro no labirinto de ruas da cidade nesta dispensação, o Senhor explicou
p. 144.
16. Frederic W. Farrar, The Life of Christ, até que finalmente encontramos a que aqueles que [fossem] “recebidos
(1994), p. 575. casa da irmã a quem tínhamos prome- pelo batismo na sua igreja” seriam,
17. D&C 19:18 tido ensinar a ler e escrever. em parte, os que estivessem “dispos-
18. Conference Report, abril de 1994,
p. 26; ou Ensign, maio de 1994, p. 20. Ver Em suas ações e atitudes, aquelas tos a tomar sobre si o nome de Jesus
também A Liahona, julho de 1994, p. 24. maravilhosas irmãs incorporavam algo Cristo, tendo o firme propósito de

74
servi-lo até o fim (...)”.3 Isso significa
permanecer “firmes e inamovíveis,
sobejando sempre em boas obras”4
a cada dia de nossa vida. Hoje, à
medida que a Igreja cresce em 170
países do mundo inteiro, o firme pro-
pósito de servir às pessoas, mesmo
em situações difíceis, é algo exigido
daqueles que realmente desejam
“crescer no Senhor”. Essa expansão
da Igreja significa que muitos de nós
teremos oportunidades de servir os
recém-conversos.
Participei de um exemplo memorá-
vel desse firme propósito de servir
os recém-convertidos ao evangelho,
quando acompanhei aquelas dedica-
das missionárias em seus incansáveis
esforços de encontrar e ajudar uma
viúva de quase 80 anos e uma mãe, de
60 anos, que criou os filhos sozinha.
Também testemunhei outro exemplo
disso naquela mesma ala.
Aquela ala era formada por mem-
bros de muitas faixas etárias, de vários
países, todos com situação financeira
e experiência na Igreja variadas.
Alguns dos membros mais experien-
tes na Igreja eram casais universitários
atarefados com muitos afazeres e uma
família jovem para cuidar.
Vi uma jovem mãe que servia
como professora visitante orientando ainda as nossas próprias almas; por- que significa “crescer no Senhor”.
as irmãs recém-convertidas da ala. quanto nos éreis muito queridos”.5 A Além do firme propósito de servir,
Enquanto o marido cuidava do bebê, cada visita, a jovem orientadora levava outra maneira pela qual decidimos
ela demonstrava carinho e atenção alegria, uma ajuda cordial e a mensa- crescer no Senhor é por meio de
para com as duas irmãs africanas. Essa gem das professoras visitantes. nossa disposição de “prosseguir com
atenção envolvia ensinar aquelas Com o tempo, as irmãs passaram a firmeza”7 na fé, mesmo que não sai-
irmãs não apenas a viverem em um preparar juntas a mensagem das pro- bamos bem o que fazer. Pensem no
novo país mas também a adaptarem- fessoras visitantes que compartilha- relato de Néfi quando lhe foi orde-
se a sua nova religião. riam na casa de outras irmãs. nado que construísse um navio. Ele
Por meio do exemplo, ela ensinou Avaliando as necessidades, prestando então relatou:
àquelas irmãs africanas como o serviço imediato nas visitas, elas se “E aconteceu que o Senhor me
Senhor deseja que nos sirvamos tornaram verdadeiras irmãs da falou, dizendo: Tu construirás um
mutuamente. As palavras do Apóstolo Sociedade de Socorro, comprometi- navio da maneira que eu te mostra-
Paulo descrevem ternamente o que vi das a elevar, consolar e incentivar rei (...)
na atitude daquela orientadora para umas às outras. Duvido que eu venha E eu disse: Senhor, aonde irei a fim
com essas irmãs recém-convertidas: a ouvir a frase “corações entrelaçados de encontrar minério para fundir e
“Antes fomos brandos entre vós, (...) em unidade e amor”,6 sem pensar fazer ferramentas (...)?”8
sendo-vos tão afeiçoados, de boa von- naquelas três mulheres felizes e amo- Néfi não questionou a tarefa a ser
tade quiséramos comunicar-vos, não rosas, que demonstraram, por meio realizada. Em vez disso, naquela situa-
somente o evangelho de Deus, mas de seu firme propósito de servir, o ção, ele demonstrou, como em outras

A L I A H O N A MAIO DE 2006 75
ocasiões, sua visão espiritual amadu- e reverentemente abençoarem o pão alguns casos até mais do que sabemos
recida: “E assim vemos que os e a água. Seus irmãos mais experien- fazer. Os desafios podem ser formidá-
mandamentos de Deus devem ser tes, e freqüentemente mais jovens, veis e o caminho, muitas vezes, des-
cumpridos. E se os filhos dos homens praticavam com eles as palavras das conhecido. Mas a despeito dos erros
guardam os mandamentos de Deus, orações sacramentais, para que se inevitáveis, todos os que se esforça-
ele alimenta-os e fortalece-os e dá- sentissem mais confiantes quando as rem para ser verdadeiramente seme-
lhes meios pelos quais poderão cum- proferissem. Então, juntos, todos os lhantes a Cristo — com o firme
prir as coisas que lhes ordenou (...)”.9 irmãos trocavam idéias sobre a natu- propósito de servir ao próximo e dis-
Em resumo, Néfi procurou uma solu- reza sagrada daquela importante posição de prosseguir com firmeza
ção em vez de impedimentos, porque ordenança do sacerdócio. na fé — poderão compreender esta
sabia — ele sabia — que no processo Todos já tivemos experiências em grande verdade espiritual que Néfi
de crescimento no Senhor, Deus que precisamos demonstrar nosso expressou ao continuar a construir
pode e vai ajudar-nos a cumprir todo firme propósito de servir as pessoas e o navio: “E eu (...) orava freqüente-
mandamento que recebermos. nossa disposição de prosseguir com mente ao Senhor; por isso o Senhor
Naquela mesma ala, do centro da firmeza na fé. Quando meu marido me mostrou grandes coisas”.10
cidade, observei esse mesmo tipo de me ligou para dizer-me que nosso “Grandes coisas” serão mostradas —
fé no cuidado amoroso e gentil de um chamado missionário tinha sido que dádiva, que bênção para aqueles
bispo que não perdia tempo se deses- mudado para uma desafiadora desig- que decidirem “crescer no Senhor”!
perando com as imensas necessida- nação na África, respondi: “Posso Que nossa vida seja repleta de gentil,
des de um número cada vez maior de fazer isso. Acho que consigo fazer amorosa e firme maturidade espiri-
recém-conversos. Em vez disso, ele isso”. Demonstrei com minhas pala- tual, é minha humilde oração, em
prosseguia com firmeza convocando vras o meu compromisso de prosse- nome de Jesus Cristo. Amém. ■
os membros mais experientes dos guir com firmeza na fé — confiando
NOTAS
quóruns do Sacerdócio Aarônico e de novamente que o Senhor me ajudaria. 1. Helamã 3:21.
Melquisedeque a ajudarem no pre- Eu estava demonstrando minha dis- 2. I Coríntios 13:11.
paro dos recém-conversos da África e posição de “crescer no Senhor”. 3. D&C 20:37.
4. Mosias 5:15.
da América Latina para suas responsa- Tal como aquele bispo fiel, aquelas 5. I Tessalonicenses 2:7–8; grifo da autora.
bilidades no sacerdócio. Foi ensinada irmãs dedicadas e eu testificamos 6. Mosias 18:21.
aos irmãos mais novos a maneira de que, nesse processo contínuo de cres- 7. 2 Néfi 31:20; grifo da autora
8. 1 Néfi 17:8–9.
segurar a bandeja ao distribuírem o cer no Senhor, nos será pedido que 9. 1 Néfi 17:3.
sacramento, a forma de ajoelharem-se façamos tudo o que pudermos, e em 10. 1 Néfi 18:3.

76
Todos os Homens,
todos os homens ressuscitem”
(2 Néfi 9:21–22).
• “Ordenou ele a alguém que não
participasse de sua salvação? (...) Não;

em Todos os mas deu-a gratuitamente a todos os


homens e (...) todo homem tem
tanto privilégio quanto qualquer
outro e nenhum é excluído” (2 Néfi

Lugares
É L D E R DA L L I N H . O A K S
26:27–28).
Também lemos que “seu sangue
expia os pecados dos (...) que morre-
ram sem conhecer a vontade de Deus
Do Quórum dos Doze Apóstolos acerca de si mesmos ou que pecaram
por ignorância” (Mosias 3:11). De
modo semelhante, “o sangue de
Repetidas vezes o Livro de Mórmon ensina que o evangelho Cristo expia [as criancinhas]” (Mosias
de Jesus Cristo é universal em sua promessa e conseqüência. 3:16). Esses ensinamentos, de que o
poder de ressurreição e purificação da
Expiação é para todos, contradizem
a afirmação de que a graça de Deus
disposição de aprender e de sintonia salva apenas uns poucos escolhidos.
com a luz transmitida pelo Espírito do Sua graça é para todos. Esses ensina-
Senhor. mentos do Livro de Mórmon expan-
dem nossa visão e ampliam nosso
I. entendimento do amor de Deus,
Uma das coisas que aprendi nessa que abrange a todos, e do efeito uni-
leitura mais recente do Livro de versal de Sua Expiação por todos os
Mórmon foi o quanto Deus ama todos homens, em todos os lugares.
os Seus filhos de todas as nações. No
primeiro capítulo, Leí louva o Senhor, II.
cujo “poder e bondade e misericórdia O Livro de Mórmon ensina que o
estendem-se sobre todos os habitan- nosso Salvador: “Convida [todos os
tes da Terra” (1 Néfi 1:14). Repetidas filhos dos homens] a virem a ele e a
vezes o Livro de Mórmon ensina que participarem de sua bondade; e não
o evangelho de Jesus Cristo é univer- repudia quem quer que o procure,
sal em sua promessa e conseqüência, negro e branco, escravo e livre,
que se estendem a todos os que homem e mulher; e lembra-se dos

N
o ano passado, atendendo ao vivem, viveram e viverão na Terra. Eis pagãos; e todos são iguais perante
convite do profeta, milhões alguns exemplos, citados diretamente Deus, tanto judeus como gentios”
leram o Livro de Mórmon. do livro: (2 Néfi 26:33; ver também Alma 5:49).
Milhões foram beneficiados. Todos • “A expiação (...) foi preparada “Ele convida todos”. Compreen-
recebemos bênçãos de obediência, desde a fundação do mundo para demos “homem e mulher”. Também
e a maioria de nós também cresceu toda a humanidade que existiu, desde compreendemos “negro e branco”,
em conhecimento e testemunho do a queda de Adão, (...) ou que existirá” que significa todas as raças. Mas o que
Senhor Jesus Cristo, de quem esse (Mosias 4:7). significa “escravo e livre”? Escravo —
livro é uma testemunha. • “E por causa da redenção do o oposto de livre — significa mais do
Muitas outras coisas foram aprendi- homem, que veio por Jesus Cristo, que cativeiro. Significa estarmos pre-
das, dependendo do leitor. Aquilo que (...) todos os homens são redimidos” sos (escravos) a algo do qual nos é
aprendemos em um livro — particu- (Mórmon 9:13). difícil escapar. Escravo inclui aqueles
larmente um texto sagrado — muitas • “Ele sofre as dores [de todos] cuja liberdade está restringida por afli-
vezes depende daquilo que levamos (...) tanto homens como mulheres e ções físicas ou emocionais. Escravo
para a leitura, em termos de desejo e crianças (...). E ele sofre isto para que inclui aqueles que estão viciados em

A L I A H O N A MAIO DE 2006 77
alguma substância ou prática. Escravo Santo; sim, a toda nação, tribo, língua amigo em um domingo e ficou atô-
sem dúvida se refere aos que se e povo, fazendo grandes milagres, nito ao encontrar exatamente o que
encontram aprisionados pelo pecado sinais e maravilhas no meio dos filhos tinha visto no seu sonho: uma con-
— “cingidos” pelo que outro ensina- dos homens, de acordo com sua fé” gregação chamada ala sendo ensi-
mento do Livro de Mórmon chama de (2 Néfi 26:13). nada por seu amigo, que era o bispo.
“as correntes do inferno” (Alma 5:7). Observem que essa manifestação Impressionado com o que ouviu nas
Escravo inclui aqueles que estão pre- prometida pelo Senhor é para “toda várias visitas que fez, ele e a esposa
sos a tradições ou costumes contrá- nação, tribo, língua e povo”. Vemos foram ensinados e batizados. Dois
rios aos mandamentos de Deus (ver hoje o cumprimento dessa promessa meses depois, mais de trinta pessoas
Mateus 15:3–6; Marcos 7:7–9; D&C em todas as nações em que nossos de sua vila também se filiaram à
74:4–7; 93:39). Por fim, escravo tam- missionários têm a permissão de tra- Igreja, e sua clínica se transformou
bém inclui os que estão confinados balhar, mesmo entre pessoas que não em local de reunião.
aos limites de outras idéias errôneas. conheciam o cristianismo. Conheci um homem do norte da
O Profeta Joseph Smith ensinou que Sabemos, por exemplo, de muitos Índia que nunca tinha ouvido falar no
pregamos para “libertar os cativos”.1 casos em que o Senhor está Se mani- nome de Jesus Cristo até vê-Lo em um
Nosso Salvador “convida todos (...) a festando a homens e mulheres na calendário, na loja de um sapateiro. O
virem a ele e a participarem de sua nação da Rússia, tão recentemente Espírito o guiou a uma conversão para
bondade”, “(...) não repudia quem libertada do jugo do comunismo uma igreja protestante. Mais tarde,
quer que o procure; (...)” e diz que ateu. Ao lerem artigos que criticavam durante uma visita a uma cidade uni-
“todos são iguais perante Deus”. os mórmons ou zombavam deles, versitária distante, ele viu o anúncio
dois russos tiveram a forte inspiração de um grupo americano chamado
III. de procurar um de nossos locais de “Os Jovens Embaixadores da BYU”.
Os filhos de Deus de todas as reunião. Ambos conheceram os mis- Durante a apresentação, uma voz inte-
nações têm a promessa de que Ele sionários e se filiaram à Igreja.2 rior lhe disse que fosse até o saguão,
Se manifestará a eles. O Livro de Um médico de uma vila da Nigéria depois do programa, onde um homem
Mórmon declara: teve um sonho no qual viu um bom de paletó azul lhe diria o que fazer.
“[Ele] se manifesta a todos os que amigo seu falando a uma congrega- Desse modo, recebeu um Livro de
nele crêem, pelo poder do Espírito ção. Curioso, viajou até a vila do Mórmon, leu o livro e foi convertido

78
ao evangelho restaurado. Ele já serviu Seus filhos, em todos os lugares. A
como missionário e como bispo. Bíblia ensina que “se sois de Cristo,
Uma garotinha da Tailândia lem- então sois descendência de Abraão, e
brou-se de um Pai Celestial amoroso. herdeiros conforme a promessa”
Ao crescer, ela freqüentemente orava (Gálatas 3:29; ver também Abraão
e se aconselhava com Ele em seu 2:10). O Livro de Mórmon promete
coração. Quando tinha vinte e poucos que todos os que receberem e cum-
anos, conheceu os nossos missioná- prirem o convite do Senhor de “se
rios. Os ensinamentos deles confirma- arrependerem e acreditarem em seu
ram os carinhosos sentimentos Filho” se tornarão “o povo do convê-
pessoais a respeito de Deus que ela nio do Senhor” (2 Néfi 30:2). Esse é
lembrava da infância. A moça foi bati- um forte lembrete de que nem as
zada e serviu em uma missão de riquezas nem a herança nem quais-
tempo integral na Tailândia. quer outros privilégios de nascença
Apenas 5 por cento dos habitantes devem fazer-nos acreditar que somos
do Camboja são cristãos. Uma família “uns melhores que os outros” (Alma
daquele país estava procurando a ver- 5:54; ver também Jacó 3:9). De fato, o
dade. Quando o filho de onze anos Livro de Mórmon ordena: “Não apre-
estava andando de bicicleta, ele viu ciareis uma carne mais que outra, ou
uns homens de camisa branca e gra- pecados serem perdoados por meio seja, nenhum homem se considerará
vata mostrando uma gravura a alguém de Sua Expiação, precisamos cumprir melhor que outro” (Mosias 23:7).
e perguntando quem era. Sentiu que as condições que Ele determinou, A Bíblia ensina que alguns des-
devia parar. Enquanto observava, foi que incluem a fé, o arrependimento cendentes de Abraão seriam espalha-
inspirado a dizer: “Esse é Jesus Cristo, e o batismo. O cumprimento dessas dos “por todos os reinos da terra”
o Filho de Deus, e Ele veio para salvar condições depende de nossos dese- “entre todos os povos” e “desde uma
os homens”. Depois disso, foi embora jos, nossas escolhas e nossas ações. extremidade da terra até à outra”
dali. Os missionários levaram um mês “Ele vem ao mundo para salvar todos (Deuteronômio 28:25, 37, 64). O
para encontrar o menino e sua famí- os homens, se eles derem ouvidos a Livro de Mórmon confirma esse ensi-
lia. Hoje, o pai é conselheiro na presi- sua voz” (2 Néfi 9:21). namento, declarando que os descen-
dência da missão. O Senhor proveu um meio para dentes de Abraão seriam “dispersos
Em junho passado, uma família todos os Seus filhos e deseja que cada sobre toda a face da Terra e (...) entre
de cinco pessoas esteve na visitação um de nós se achegue a Ele. No todas as nações” (1 Néfi 22:3).
pública de uma capela nova da último capítulo do Livro de Mórmon, O Livro de Mórmon aumenta nosso
Mongólia. Quando o pai entrou pela Morôni pede: conhecimento de como o ministério
porta, “uma força vigorosa percorreu- “Vinde a Cristo, sede aperfeiçoa- terreno de nosso Salvador foi levado
lhe o corpo”, um sentimento de paz dos nele e negai-vos a toda iniqüi- a todo o Seu rebanho disperso. Além
que ele nunca tinha sentido antes. dade; e se vos negardes a toda de Seu ministério na região, hoje cha-
Lágrimas correram. Ele perguntou aos iniqüidade e amardes a Deus com mada de Oriente Médio, o Livro de
missionários o que era aquele maravi- todo o vosso poder, mente e força, Mórmon registra Seu aparecimento e
lhoso sentimento e como poderia então sua graça vos será suficiente; e Seus ensinamentos aos nefitas no con-
senti-lo novamente. Em pouco por sua graça podeis ser perfeitos em tinente americano (ver 3 Néfi 11–28).
tempo, toda a família foi batizada.3 Cristo” (Morôni 10:32). Ali, Ele repetiu que o Pai havia orde-
Esses são apenas alguns exemplos. nado que Ele visitasse as outras ove-
Há milhares de outros. V. lhas que não estavam na terra de
A Bíblia nos conta que Deus fez um Jerusalém (ver 3 Néfi 16:1; João 10:16).
IV. convênio com Abraão e prometeu Também disse que visitaria outras
O Livro de Mórmon também que, por intermédio dele todas as que “ainda não [tinham ouvido]
ensina que o grande Criador morreu “famílias” ou “nações” da Terra seriam a [Sua] voz” (ver. 3 Néfi 16:2–3).
“por todos os homens, para que abençoadas (ver Gênesis 12:3; 22:18). Conforme profetizado séculos antes
todos possam tornar-se-lhe sujeitos” Aquilo a que chamamos de convênio (ver 2 Néfi 29:12), o Salvador disse a
(2 Néfi 9:5). Sermos sujeitos a nosso abraâmico abre as portas para as Seus seguidores nas Américas que Se
Salvador significa que, para nossos maiores bênçãos de Deus a todos os “manifestar[ia]” às “tribos perdidas

A L I A H O N A MAIO DE 2006 79
Concluímos que o Senhor, no final,
fará com que os ensinamentos inspi-
rados que Ele deu a Seus filhos de
diversas nações sejam reunidos para
o benefício de todas as pessoas. Isso
incluirá os relatos da visita do Senhor
ressuscitado ao que chamamos de tri-
bos perdidas de Israel e Suas revela-
ções a toda semente de Abraão. O
encontro dos Manuscritos do Mar
Morto mostra uma maneira pela qual
isso pode acontecer.
Quando surgirem novos escritos
— e de acordo com a profecia eles
surgirão — esperamos que não sejam
tratados com a mesma rejeição que
alguns dirigiram ao Livro de Mórmon
por já terem uma Bíblia (ver 2 Néfi
29:3–10). Tal como o Senhor disse
por meio de um profeta daquele livro:
“E porque eu disse uma palavra não
deveis supor que não possa dizer
outras; pois meu trabalho ainda não
está terminado nem estará até o fim
do homem nem desde aí para sem-
pre” (2 Néfi 29:9).
de Israel, porque não estão perdidas VI. Verdadeiramente, o evangelho é
para o Pai, pois ele sabe para onde as O Senhor não apenas Se manifesta para todos os homens, em todos os
levou” (3 Néfi 17:4). a todas as nações mas também lugares — toda nação, todo povo.
O Livro de Mórmon é uma grande ordena que escrevam Suas palavras: Todos estão convidados.
testemunha de que o Senhor ama “Não sabeis que o depoimento de Vivemos nos dias preditos em
todas as pessoas, em todos os lugares. duas nações é um testemunho a vós de que a justiça seria enviada do céu e a
Ele declara que “ele se manifestará a que eu sou Deus, de que me recordo verdade, da Terra, para “[varrer] a
todas as nações” (1 Néfi 13:42). “Não tanto de uma como de outra nação? Terra como um dilúvio” e reunir os
sabeis que há mais de uma nação?” Portanto digo as mesmas palavras, eleitos “dos quatro cantos da Terra”
disse o Senhor por intermédio do tanto a uma nação como a outra. (...) (Moisés 7:62). O Livro de Mórmon
profeta Néfi. (...) Pois eu ordeno a todos os surgiu para lembrar-nos dos convê-
“Não sabeis que eu, o Senhor homens (. . .) que escrevam as pala- nios do Senhor, para convencer
vosso Deus, criei todos os homens e vras que lhes digo. (...) todos que “Jesus é o Cristo, o Deus
que me lembro dos que estão nas Pois eis que falarei aos judeus e Eterno, que se manifesta a todas as
ilhas do mar? E que governo nas altu- eles escreverão; e também falarei aos nações” (Página de Rosto do Livro
ras dos céus e embaixo, na Terra; e nefitas e eles escreverão; e falarei tam- de Mórmon). Presto igualmente o
revelo minha palavra aos filhos dos bém às outras tribos da casa de Israel, meu testemunho Dele e de Sua
homens, sim, a todas as nações da que levei para longe, e elas escreve- missão, em nome de Jesus Cristo.
Terra?” (2 Néfi 29:7). rão; e também falarei a todas as Amém. ■
De modo semelhante, o profeta nações da Terra e elas escreverão” NOTAS
Alma ensinou que “o Senhor concede (2 Néfi 29:8, 11–12; ver também 1. History of the Church, vol. 2, p. 229.
2. Ver Gary Browning, Russia and the
a todas as nações que ensinem a 1 Néfi 13:38–39). Restored Gospel, 1997, pp. 200–201,
sua palavra em sua própria nação e Além disso, o Livro de Mórmon 220–221.
língua, sim, em sabedoria, tudo o ensina que todos esses grupos 3. Exemplos da Nigéria, Tailândia, Camboja e
Mongólia, conforme relatados por presi-
que ele acha que devem receber” terão os escritos uns dos outros (ver dentes de missão que serviram nesses
(Alma 29:8). 2 Néfi 29:13). países.

80
Buscai o Reino
E isso fez toda a diferença.
(The Poetry of Robert Frost, ed.
Edward Connery Lathem [1969],
p. 105.)

de Deus
PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
Penso nas palavras do Senhor:
“Buscai antes o reino de Deus, e
todas estas coisas vos serão acrescen-
tadas” (Lucas 12:31).
Há 48 anos, na conferência de abril,
fui apoiado como Autoridade Geral.
Espero que todos vocês se recordem de que neste Dia do Desde aquela época falei em todas as
Senhor vocês me ouviram prestar testemunho de que esta é conferências gerais da Igreja. Fiz bem
a obra sagrada de Deus. mais de 200 discursos nelas. Tratei de
uma grande variedade de assuntos.
Mas por todos eles passava o fio pre-
dominante do testemunho deste
grande trabalho dos últimos dias.
será diferente de qualquer um, creio Mas as coisas mudaram e conti-
eu, ouvido anteriormente nas confe- nuam mudando. Minha amada que foi
rências gerais da Igreja. minha companheira durante 67 anos
Encontro-me diante do ocaso da faleceu há dois anos. A saudade que
vida. Estamos todos totalmente nas sinto dela é maior do que consigo
mãos do Senhor. Como muitos devem expressar. Ela foi realmente uma
saber, fui submetido recentemente a mulher notável, com quem caminhei
uma delicada cirurgia. Foi a primeira lado a lado em uma parceria perfeita
vez em 95 anos que fiquei internado durante mais de dois terços de
em um hospital. Não recomendo isso século. Ao relembrar minha vida,
para ninguém. Meus médicos dizem faço-o com certo grau de admiração e
que ainda tenho alguns problemas. reverência. Tudo de bom que aconte-
Logo completarei 96 anos. ceu, inclusive meu casamento, devo à
Aproveito esta oportunidade para minha atividade na Igreja.
expressar gratidão e reconhecimento Tive a oportunidade de, na noite
pelas bênçãos extraordinárias que o passada, examinar uma lista incom-
Senhor derrama sobre mim. pleta de sociedades e organizações

A
mados irmãos e irmãs, agra- Todos nos defrontamos com esco- que me homenagearam, todas
deço por suas orações por lhas no decorrer da vida; algumas são devido à minha atividade na Igreja.
mim. E agora oro por sua fé como o canto da sereia, com promes- Presidentes dos Estados Unidos, um
para me amparar. sas de riqueza e prosperidade; outras número considerável deles, foram ao
Quando um homem chega à parecem menos auspiciosas. Escritório da Presidência da Igreja.
minha idade, ele pára de vez em De algum modo, o Senhor cuidou Tenho em uma das paredes de meu
quando para refletir a respeito do de mim e orientou minhas escolhas, escritório uma foto minha entregando
que o levou à sua presente situação embora isso nem sempre fosse evi- um Livro de Mórmon ao Presidente
na vida. dente na época. Ronald Reagan. Em minha estante
Peço um pouco do seu tempo e À minha mente vêm as palavras do repousa a Medalha Presidencial da
atenção para uma coisa que talvez poema de Robert Frost: The Road Not Liberdade, concedida a mim pelo
seja considerada de certo modo Taken [A Estrada Não Escolhida], que Presidente Bush. Estive na Casa
egoísta. Eu o faço porque a vida se encerra com estas palavras: Branca em diversas ocasiões. Recebi e
do Presidente da Igreja na verdade relacionei-me com primeiros minis-
pertence a toda a Igreja. Ele tem Duas estradas se separavam em um tros e embaixadores de muitas
bem pouca privacidade e nenhum bosque, e eu — nações, incluindo Margaret Thatcher
segredo. Meu discurso nesta manhã Segui pela menos trilhada, e Harold Macmillan, do Reino Unido.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 81
Conheci e trabalhei com todos os morrendo. Eles eram meus amigos.
Presidentes da Igreja desde o No pouco tempo de minha vida, vi
Presidente Grant até Howard W. muitos dos grandes líderes da Igreja
Hunter. Conheci e amei todas as chegarem e partirem. Trabalhei com a
Autoridades Gerais ao longo de tantos maior parte deles e os conhecia pro-
anos. fundamente. O tempo tem um jeito
Estou agora tentando decidir o que especial de apagá-los da memória.
fazer com os muitos livros e artefatos Daqui a cinco anos, nomes como
que acumulei com o passar dos anos. Merrill, Widtsoe e Bowen — persona-
Nesse processo, encontrei um antigo lidades de poder ilimitado — terão
diário com anotações esporádicas dos sido esquecidos por todos, exceto
anos de 1951 a 1954. Na época eu era uns poucos. Um homem precisa ter
conselheiro na presidência de minha satisfação em seu trabalho a cada dia,
estaca e ainda não havia sido cha- precisa admitir que a família se lem-
mado para Autoridade Geral. bre dele, que ele pode contar com o
Ao ler este velho diário, recordei- Senhor, mas acima de tudo, precisa
me com gratidão de como, por inter- o pai na história representava o saber que seu monumento será
médio da bondade do Senhor, Presidente Stephen L Richards, que se pequeno dentre as futuras gerações”.
conheci tão bem e profundamente achava enfermo, mas cujas contribui- E assim prossegue. Li-o apenas
todos os membros da Primeira ções e amizade o Presidente McKay para ilustrar o relacionamento
Presidência e do Quórum dos Doze. tinha na mais alta conta.” extraordinário que tive, quando mais
Tal oportunidade não existiria “Sexta-feira, 3 de abril de 1953 — jovem, com os membros da Primeira
agora porque a Igreja é muito maior. Participei da reunião no templo com Presidência e do Quórum dos Doze.
O diário contém anotações como as Autoridades Gerais e com os presi- Durante minha vida também cami-
as seguintes: dentes de missão das 9h às 15h30. nhei por entre os que empobreceram
“11 de março de 1953 — O Mais de 30 presidentes de missão fala- e os relegados à pobreza na Terra e
Presidente McKay conversou comigo a ram. Todos querem mais missioná- demonstrei-lhes o meu amor, minha
respeito do programa da conferência rios. Todos estão fazendo bastante preocupação e minha fé. Relacionei-
de abril para presidentes de missão”. progresso.” me com homens e mulheres privile-
“Quinta-feira, 19 de março — “Terça-feira, 14 de abril — giados e importantes de muitas partes
Joseph Fielding Smith pediu-me que Encontrei-me com o Presidente da Terra. Em meio a essas oportunida-
conseguisse que uma das Autoridades Richards em seu escritório, passei des, espero ter feito ao menos uma
Gerais demonstrasse como se organi- momentos agradáveis em sua compa- pequena diferença.
zavam as conferências missionárias de nhia. Ele parece estar cansado e Quando eu era jovem, um menino
sábado à noite. (...) Creio que Spencer fraco. Sinto que foi preservado pelo de apenas onze anos de idade, recebi
W. Kimball ou Mark E. Petersen devem Senhor para um grande propósito.” a bênção patriarcal de um homem a
cuidar disso.” “Segunda-feira, 20 de abril de 1953 quem jamais vira antes e a quem
“Quinta-feira, 26 de março — O — Tive uma conversa interessante nunca mais vi. É um documento
Presidente McKay contou-me uma his- com Henry D. Moyle, do Conselho extraordinário, um documento profé-
tória interessante. Disse: ‘Um fazen- dos Doze Apóstolos.” tico. É pessoal e não vou ler trechos
deiro tinha um grande pedaço de “15 de julho de 1953 — Albert E. longos. Contudo, ela contém esta
terra. Quando envelheceu, sentiu que Bowen, membro do Conselho dos declaração: “As nações da Terra ouvi-
o trabalho era excessivo. Ele só tinha Doze, faleceu depois de mais de um rão a tua voz e serão levadas a um
filhos homens na família. Chamou-os ano sofrendo de uma grave doença. conhecimento da verdade pelo mara-
e disse-lhes que teriam que carregar o Mais um de meus amigos se foi. (...) vihoso testemunho que tu prestarás”.
fardo. O pai descansou. Mas um dia Eu o conhecia bem. Era sábio e cons- Quando terminei a missão na
caminhou até o campo. Os filhos dis- tante. Jamais conseguiram apressá- Inglaterra, fiz uma viagem rápida
seram-lhe que voltasse, que não preci- lo e nunca estava com pressa. pelo continente. Prestei meu teste-
savam de sua ajuda. Ele disse: “Minha Extremamente cauteloso — um munho em Londres, fiz o mesmo em
sombra nesta fazenda vale mais do homem de sabedoria incomum, Berlim, depois em Paris, e posterior-
que o trabalho de todos vocês”’. O um homem de uma fé simples e mente em Washington D.C. Disse
Presidente David O. McKay disse que notável. Os mais velhos e sábios estão a mim mesmo que prestara meu

82
testemunho nessas grandes capitais
do mundo e tinha cumprido aquela
parte da minha bênção.
Na verdade isso não foi nem o
começo. Desde aquela época elevei
minha voz em todos os continentes,
em cidades grandes e pequenas,
para cima e para baixo, de norte a
sul e de leste a oeste por todo esse
vasto mundo — da Cidade do Cabo
a Estocolmo, de Moscou a Tóquio, a
Montreal, em cada grande capital do
mundo. É tudo um milagre.
No ano passado pedi aos membros
da Igreja no mundo todo que lessem
novamente o Livro de Mórmon.
Milhares, centenas de milhares, acei-
taram esse desafio. O Profeta Joseph
Smith disse em 1841: “Eu disse aos No Centro de Conferências, o Presidente Gordon B. Hinckley acena para os
irmãos que o Livro de Mórmon era membros, ao término de uma sessão.
o mais correto de todos os livros da
Terra e a pedra fundamental de nossa por falar em um tom pessoal. Porém, ouvidos a Suas instruções.
religião; e que seguindo seus precei- faço-o puramente como expressão O Senhor ressuscitado foi apresen-
tos o homem se aproximaria mais de de reconhecimento e gratidão À tado por Seu Pai, o grande Deus
Deus do que seguindo os de qualquer Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos do Universo. Pela primeira vez, de
outro livro” (History of the Church, Últimos Dias, sendo que tudo isso acordo com os registros da história,
vol. 4, p. 461). ocorreu devido ao lugar no qual o tanto o Pai como o Filho apareceram
Por aceitarem a verdade dessa Senhor me colocou. Meu coração juntos para afastar a cortina e abrir
declaração, acredito que algo extraor- está tomado pela gratidão e amor. esta que é a última e final dispensa-
dinário deve ter ocorrido às pessoas Repetindo: ção, a dispensação da plenitude dos
desta Igreja. Elas foram vistas lendo tempos.
o Livro de Mórmon no ônibus, Duas estradas se separavam em um O Livro de Mórmon é tudo o que
durante o almoço, na sala de espera bosque, e eu — afirma ser — uma obra registrada por
do médico e em dezenas de outras Segui pela menos trilhada, profetas que viveram na Antigüidade
situações. Creio e espero que tenha- E isso fez toda a diferença. e cujas palavras vieram à luz para
mos nos aproximado mais de Deus “convencer os judeus e os gentios de
devido à leitura desse livro. Confio que vocês não vão conside- que Jesus é o Cristo, o Deus Eterno,
Em dezembro passado, tive o privi- rar o que eu disse como um obituá- que se manifesta a todas as nações”
légio de, juntamente com muitos de rio. Em vez disso, anseio pela (Livro de Mórmon, página de rosto).
vocês, homenagear o Profeta Joseph oportunidade de falar a vocês de O sacerdócio foi restaurado pelas
no bicentenário de seu nascimento. novo em outubro. mãos de João Batista e Pedro, Tiago e
Juntamente com o Élder Ballard, Agora, para concluir, espero que João. Todas as chaves e autoridades
estive em seu local de nascimento todos vocês se recordem de que neste relativas à vida eterna são exercidas
em Vermont, enquanto este grande Dia do Senhor vocês me ouviram nesta Igreja.
Centro de Conferências estava repleto prestar testemunho de que esta é a Joseph Smith foi e é um profeta,
com santos dos últimos dias e as pala- obra sagrada de Deus. A visão dada o grande Profeta desta dispensação.
vras proferidas foram levadas por ao Profeta Joseph no bosque de Esta Igreja, que leva o nome do
transmissão via satélite ao mundo Palmyra não foi algo imaginário. Foi Redentor, é verdadeira.
inteiro, em tributo ao amado Profeta real. Aconteceu em plena luz do dia. Deixo-lhes o meu testemunho,
desta grande obra dos últimos dias. Tanto o Pai como o Filho falaram ao minha declaração da verdade e meu
Eu poderia continuar falando des- rapaz. Ele Os viu em pé no ar, acima amor a cada um de vocês, em nome
sas coisas. Peço desculpas novamente dele. Ele ouviu Sua voz. Ele deu de Jesus Cristo. Amém. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 83
SESSÃO DA TARDE DE DOMINGO
2 de Abril de 2006

Criar um Lar
Sem a Restauração, não teríamos
as bênçãos das ordenanças do sacer-
dócio que são válidas nesta vida e na
eternidade. Desconheceríamos as

que Transmite condições do arrependimento e não


entenderíamos a realidade da ressur-
reição. Não teríamos a companhia
constante do Espírito Santo.

o Evangelho
ÉLDER M. RUSSELL BALLARD
Quando compreendemos de ver-
dade que grande bênção o evangelho
de Jesus Cristo é em nossa vida,
quando aceitamos e abraçamos essas
Do Quórum dos Doze Apóstolos verdades eternas e permitimos que
calem fundo em nosso coração e
alma, passamos por uma “poderosa
O modo mais fácil e eficaz de falar do evangelho aos outros mudança” (Alma 5:14) em nosso cora-
é criar um lar que transmite o evangelho. ção. Ficamos repletos de amor e grati-
dão. Como escreveu o profeta Alma,
temos vontade de “cantar o cântico
do amor que redime” (Alma 5:26)
que sou capaz de expressar. para todos os que quiserem ouvir.
Sou grato também ao Presidente “Oh! eu quisera ser um anjo e
Hinckley pelo privilégio de ir em sua poder realizar o desejo de meu cora-
companhia ao lugar onde o Profeta ção de ir e falar com a trombeta de
Joseph nasceu. Graças a Joseph Deus, com uma voz que estremecesse
Smith, muito nos foi concedido. Se a terra, e proclamar arrependimento a
não fosse pela Restauração, desco- todos os povos!
nheceríamos a verdadeira natureza de Sim, declararia a todas as almas (...)
Deus, nosso Pai Celestial, bem como o plano de redenção, para que se arre-
nossa própria natureza divina de pendessem e viessem ao nosso Deus,
filhos Dele. Não compreenderíamos a fim de não haver mais tristeza em
o caráter eterno de nossa existência toda a face da Terra” (Alma 29:1–2).
nem saberíamos que a família pode O mesmo deveria acontecer
permanecer unida para sempre. conosco, irmãos e irmãs. Nosso amor
Não saberíamos que Deus conti- ao Senhor e gratidão pela Restauração
nua a falar a Seus profetas em nossa do evangelho são toda a motivação de
época, a começar da maravilhosa que precisamos para compartilhar o

M
eus irmãos e irmãs, não faz Primeira Visão, em que o Pai e o Filho que nos dá tanta alegria e felicidade.
muitas semanas passei por apareceram ao Profeta Joseph. Não Isso para nós deveria ser a coisa mais
uma cirurgia para colocar teríamos o consolo da certeza de que natural do mundo, mas muitos de nós
próteses nos dois joelhos. Portanto, somos guiados por um profeta, o ainda hesitam em falar de seu teste-
quando digo que fico grato por poder Presidente Gordon B. Hinckley. munho aos outros.
estar de pé, diante de vocês hoje, é Sem a Restauração, provavelmente Em todo o mundo os missionários
a pura verdade! Durante a convales- acreditaríamos que toda a palavra de agem movidos por essa alegria do tes-
cença, fui lembrado da grande bênção Deus se encontra na Bíblia. Por mais temunho e falam do evangelho.
que é o conhecimento da Expiação valioso e maravilhoso que seja esse Muitos chegam ao CTM com o pró-
do Senhor Jesus Cristo. Fico perplexo livro de escrituras, nós não conhece- prio exemplar do Pregar Meu
quando penso na dor e no sofri- ríamos o Livro de Mórmon nem as Evangelho marcado pelo estudo
mento que Ele enfrentou por nós no outras escrituras modernas que ensi- intenso. Fico contente em dizer que,
Getsêmani e na cruz. Como Ele con- nam verdades eternas que nos aju- graças à utilização do Pregar Meu
seguiu, escapa à minha compreensão, dam a achegar-nos ao Pai Celestial e Evangelho, eles estão ficando cada
mas agradeço a Ele e O amo mais do ao Salvador. vez melhores em ensinar em suas

84
Em Springfield, Missouri, EUA, Ryan e Angie Nicholls e os quatro filhos assistem em casa à transmissão da conferência.

próprias palavras, pelo poder do discípulos a ir e ver “onde morava, perdoados quando ajudamos outra
Espírito, e tornaram-se mais capazes e [eles] ficaram com ele aquele dia” pessoa a arrepender-se (ver D&C
de ajustar as lições às necessidades (João 1:39). Em sua opinião, por que 62:3). Temos alegria ao ajudar outras
das pessoas a quem ensinam. O resul- Ele fez isso? As escrituras não explicam pessoas a achegarem-se a Cristo e sen-
tado é que passaram a ter um impacto os motivos Dele, mas tenho certeza de tir o poder redentor de Seu amor (ver
significativo em muitas vidas. que não teve nada a ver com o con- D&C 18:14–16). Nossa família é aben-
Mas, com toda a franqueza, o que forto e a comodidade. Como sempre, çoada à medida que o testemunho e
precisam é de mais gente para ensi- Ele estava ensinando. E haveria a fé dos pais e dos filhos aumentam.
nar. Sabemos por experiência que as maneira melhor de ensinar Seus segui- Nos lares que transmitem o evan-
melhores soluções de ensino surgem dores do que convidá-los a visitá-Lo gelho, as pessoas oram pedindo
quando os membros participam do para que vissem e recebessem Sua orientação para si mesmas e oram
processo de encontrar e ensinar as mensagem em primeira mão? pelo bem-estar físico e espiritual dos
pessoas. Isso não é novidade, vocês já Da mesma forma, nosso lar pode outros. Oram pelas pessoas que os
ouviram isso antes. Talvez alguns de ser um lugar que transmite o evange- missionários ensinam, pelos conheci-
vocês até se sintam culpados por não lho, onde as pessoas que conhece- dos e pelas pessoas de outras reli-
ajudarem muito os missionários. mos e amamos entram e têm contato giões. Nos lares que transmitiam o
Hoje, peço que relaxem, deixem com o evangelho em primeira mão, evangelho na época de Alma, era
de lado suas preocupações e, em vez tanto nas palavras como nas ações. comum que as pessoas “se reunissem
disso, concentrem-se em seu amor ao Podemos transmitir o evangelho sem freqüentemente e que se unissem em
Senhor, em seu testemunho da reali- fazer uma palestra formal. Nossa famí- jejum e fervorosa oração pelo bem-
dade eterna Dele e em sua gratidão lia pode ser a lição que ensinamos e o estar da alma dos que não conheciam
por tudo o que Ele fez por vocês. Se espírito que emana de nosso lar pode Deus” (Alma 6:6).
o amor, o testemunho e a gratidão ser nossa mensagem. O modo mais fácil e eficaz de falar
forem mesmo a sua motivação, vocês Se nosso lar transmitir o evangelho, do evangelho aos outros é criar um
conseguirão, com toda a naturalidade, não será apenas uma bênção para lar que transmite o evangelho. E não
dar o máximo de si para ajudar o aqueles que nos visitam, mas para estamos só falando das famílias tradi-
Senhor a “levar a efeito a imortalidade quem vive nele. Quando vivemos em cionais em que o pai, a mãe e os
e vida eterna” (Moisés 1:39) dos filhos um lar que transmite o evangelho, filhos moram juntos. Os universitários
de nosso Pai. Na verdade, será impos- nosso testemunho se fortalece e nosso que não moram com a família podem
sível impedi-los. entendimento do evangelho aumenta. criar um lar que transmite o evange-
O próprio Salvador mostrou-nos O livro de Doutrina e Convênios lho se adornarem as paredes do apar-
como fazer isso ao convidar os ensina que nossos pecados podem ser tamento com quadros que reflitam

A L I A H O N A MAIO DE 2006 85
Senhor e em Suas promessas é, em
espírito de oração, marcar uma data
para ter alguém preparado para con-
versar com os missionários. Recebi
centenas de cartas de membros que
colocaram a fé em prática dessa
maneira simples. Apesar de essas famí-
lias não terem em mente ninguém a
quem pudessem falar do evangelho,
marcaram uma data, oraram e, depois
falaram com muitas outras pessoas. O
ideais espirituais em vez de coisas do passar uma grande parte de nosso Senhor é o Bom Pastor, Ele conhece
mundo. Os casais e membros soltei- tempo conversando e cultivando os as ovelhas que foram preparadas para
ros mais velhos dão um exemplo de amigos com a intenção de falar do ouvir a Sua voz. Ele nos guiará se bus-
lar que transmite o evangelho quando evangelho. Esses amigos surgirão carmos Sua ajuda divina para transmi-
recebem bem os novos vizinhos, con- naturalmente e, se formos francos tir Seu evangelho.
vidam-nos para ir à Igreja e para visitá- quanto à nossa religião desde o início, Perguntaram a uma irmã na França
los em casa. será fácil citar o evangelho nas con- qual era o segredo de seu sucesso. Ela
Os lares que transmitem o evange- versas com pouco risco de criar respondeu: “Tudo o que faço é trans-
lho são lugares em que os filhos dos algum mal-entendido. Os amigos e mitir minha alegria. Trato a todos
vizinhos adoram brincar e, por isso, é conhecidos aceitarão o fato de que como se já fossem membros da Igreja.
natural convidar a eles e sua família isso é parte do que somos e ficarão Se estiver em uma fila e começar a
para ir à igreja, para participar de uma à vontade para fazer perguntas. conversar com alguém, falo de como
noite familiar ou para alguma outra O que determina se um lar trans- gostei das reuniões da Igreja no
atividade. Os adolescentes que visi- mite o evangelho não é o fato de as domingo. Quando os colegas de tra-
tam um lar que transmite o evangelho pessoas unirem-se ou não à Igreja balho perguntam ‘O que você fez este
ficam à vontade para fazer perguntas como resultado do contato com ele. fim de semana?’, nunca passo direto
ou participar da oração familiar. Temos a oportunidade e a responsabi- da noite de sábado para a manhã de
Os lares que transmitem o evange- lidade de cuidar, compartilhar, testifi- segunda-feira. Digo a eles que fui
lho são lares comuns. Talvez nem car, convidar e, depois, deixar que à igreja, falo do que ouvi ali e de
sempre a limpeza seja impecável nem as pessoas decidam por si mesmas. minhas experiências com os mem-
o comportamento dos filhos seja per- Somos abençoados quando convida- bros. Falo de como vivo, do que
feito, mas nesses lares os membros da mos essas pessoas a ponderarem penso e sinto”.
família claramente se amam e os visi- sobre a Restauração, sem nos preocu- Nos lares que transmitem o evan-
tantes sentem o Espírito do Senhor. par com o resultado. No mínimo, gelho, o trabalho missionário de
Já que estamos falando do que são teremos uma boa amizade com alguém cada um é assunto dos conselhos e
os lares que transmitem o evangelho, de outra religião e poderemos conti- conversas de família. Certa família
talvez seja útil citar algumas coisas nuar a desfrutar dessa amizade. fiel conversou em conselho sobre a
que os lares que transmitem o evan- Nos lares que transmitem o evan- necessidade de cada membro da famí-
gelho não são. gelho não só oramos pela saúde, lia ser um exemplo. Algum tempo
Ter o lar voltado para a proclama- segurança e sucesso de nossos mis- depois, o professor de educação física
ção do evangelho não é um programa: sionários em todo o mundo; oramos do filho, que não é membro, fez uma
é um estilo de vida. Criar um lar que também por nossas próprias expe- doação à Igreja. Por quê? Porque tinha
transmite o evangelho significa convi- riências e oportunidades missionárias ficado impressionado com um rapaz
dar nossos amigos e vizinhos para e para que estejamos preparados para da família que teve coragem de pro-
participar das atividades normais da atender às inspirações que receber- testar e dizer aos amigos que não
família e da Igreja. Quando convida- mos (...) e, prometo-lhes que as rece- usassem linguagem suja. Poderíamos
mos nossos amigos a participar dessas beremos. contar milhares de experiências de
atividades conosco, eles sentem o Há mais de 20 anos, sugeri que pessoas que entraram para a Igreja
Espírito. a chave do sucesso no trabalho de por causa do espírito e da atitude que
Criar um lar que transmite o evan- membro-missionário era exercer a fé. observaram na vida de pessoas cujo
gelho não significa que teremos que Uma maneira de demonstrar a fé no lar transmitia o evangelho.

86
Agora É a Hora
Podemos usar os textos e DVDs da
Igreja para apresentar a Igreja a nos-
sos novos amigos. Há pessoas que
não são da Igreja e que gostam de ser
convidadas para ouvir o discurso na
reunião sacramental ou ir ao batismo
de alguém de uma família da Igreja,
ou para conhecer a capela. De acordo
de Servir em
com todos os nossos indicadores,
não há nada mais eficaz que qualquer
um de nós possa fazer por nossos
amigos do que convidá-los a “vir e
uma Missão!
É L D E R R I C H A R D G. S C OT T
ver” e ir conosco à reunião sacramen- Do Quórum dos Doze Apóstolos
tal. É imenso o número de pessoas
que acham que não podem vir às
nossas reuniões. Por todo o mundo, há campos de trabalho emocionantes
É claro que todos apoiamos os
líderes da ala e os ajudamos em fazer
que permitem que, por inspiração do Senhor, os rapazes, as
com que o plano da missão da ala moças e os casais dedicados sejam chamados para missões
funcione. Qualquer que seja nosso desafiadoras.
chamado, ajudamos o sacerdócio e
os líderes das auxiliares a ajudar os
missionários, a receber e envolver os
visitantes e a integrar os membros mensagem é compreendida e apli-
novos. Vocês também podem pedir cada, é capaz de substituir a agitação
aos missionários que lhes mostrem a pela paz, as tristezas pela felicidade e
agenda de planejamento diário para trazer soluções para as constantes
vocês verem como podem ajudá-los dificuldades da vida.
a alcançar as metas. Se trabalharmos Agora temos orientações muito cla-
juntos, o espírito dos lares que trans- ras para o sucesso no serviço missioná-
mitem o evangelho contagiará nossas rio, fornecidas no guia Pregar Meu
capelas, nossas salas de aula e nossos Evangelho e nos recursos desenvolvi-
salões culturais. dos para acompanhá-lo. As novas
Presto testemunho de que basta lições missionárias altamente eficientes
fazermos essas coisas simples e o baseiam-se em ensinar pelo Espírito,
Senhor nos levará a encontrar deze- em vez de fundamentarem-se na mera
nas de milhares de filhos do Pai memorização. Elas melhoraram muito
Celestial, prontos para aprender o a proclamação do evangelho em todo
evangelho. Nosso amor ao Senhor, o mundo. A cada presidente de missão
nossa gratidão por Seu sacrifício foi ensinado em detalhes como imple-

S
expiatório e por Sua missão de permi- eria difícil imaginar algo mais mentar os novos materiais. O resul-
tir que todos nos acheguemos a Ele emocionante no mundo de tado é um grupo de presidentes de
devem ser toda a motivação de que hoje para um rapaz, uma moça missão de grande capacidade, alta-
precisamos para ter sucesso em pro- ou um casal do que ser missionário mente dedicados e entusiasmados,
clamar o evangelho. de tempo integral de A Igreja de Jesus capazes de inspirar e motivar profun-
Que o Senhor os abençoe, irmãos, Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A damente os missionários.
com mais fé e confiança Nele, agora, mensagem que transmitimos acerca O estudo e a aplicação dos concei-
ao estenderem a mão para falar da do evangelho restaurado é absoluta- tos do Pregar Meu Evangelho pelos
Restauração do evangelho de Jesus mente vital. Vem de Deus, o Pai missionários em todo o mundo
Cristo às pessoas deste mundo, é o Eterno, para cada um de Seus filhos aumentaram nossa capacidade de pro-
que rogo humildemente em nome de na Terra e é centralizada em Seu Filho clamar a mensagem da Restauração,
Jesus Cristo. Amém. ■ Amado, Jesus Cristo. Quando essa de ensinar o plano de salvação e

A L I A H O N A MAIO DE 2006 87
importantes do Senhor. Será fortale-
cido para viver de modo a ser digno
de receber as ordenanças sagradas
do templo e a ser missionário de
tempo integral. Essas experiências
formarão o alicerce da bênção de
tornar-se forte em seu papel de
marido e pai.
Certas partes do Pregar Meu
Evangelho servem para preparar
vocês, moças, para entender e aplicar
No Brasil, um grupo de missionários assiste à transmissão da conferência. a doutrina em seu papel de esposa e
mãe. Se decidirem servir como missio-
outros princípios do evangelho. A ele- missão”. O melhor lugar para ensinar nárias de tempo integral, esse será o
vação da expectativa mínima de digni- o evangelho aos filhos é o lar, no qual alicerce. Os programas do seminário
dade teve conseqüências muito os ensinamentos podem ser adapta- ajudarão vocês, rapazes e moças, a edi-
abrangentes. O serviço no campo é dos à idade e capacidade de cada ficarem os alicerces da felicidade e do
feito com mais dedicação, o relaciona- filho. Em casa toda a armadura da ver- sucesso na vida. Há um curso especial
mento entre as duplas melhorou, o dade é feita sob medida para as carac- no programa do instituto e nas três
ensino ficou muito mais eficiente e a terísticas individuais de cada filho. Os unidades da Universidade Brigham
retenção de conversos aumentou. ensinamentos dos pais preparam os Young que pode prepará-los para o
As orientações gerais quanto à filhos para a vida e formam rapazes serviço missionário. Ele se fundamenta
supervisão do trabalho missionário dignos, preparados para a alegria do nos princípios encontrados no Pregar
são ímpares. Elas dão apoio ao serviço missionário. No lar, as meni- Meu Evangelho e anda de mãos dadas
trabalho missionário como um todo, nas compreendem que seu papel com esse importante recurso. Ele dará
no mundo inteiro, por meio das primordial é o de esposa e mãe. a vocês uma grande vantagem quando
Presidências de Área, dos sete Contudo, enquanto se preparam para forem chamados a servir.
Presidentes dos Setenta, do Quórum isso, talvez tenham a oportunidade de A força e a eficácia do guia Pregar
dos Doze e do interesse concentrado servir como missionárias de tempo Meu Evangelho para os missionários,
e pessoal da Primeira Presidência. integral, contanto que se siga o conse- líderes, membros e pais fica evidente
Por todo o mundo, há campos de lho recente da Primeira Presidência: no fato de que até agora já foram
trabalho emocionantes que permitem “As mulheres solteiras de vinte e um distribuídos quase um milhão de
que, por inspiração do Senhor, os anos ou mais (...) podem receber uma exemplares. E vocês? Estão tirando
rapazes, as moças e os casais dedica- recomendação para servir como mis- proveito de seu próprio exemplar?
dos sejam chamados para missões sionárias de tempo integral. (...) Essas Bispos ou presidentes de ramo,
desafiadoras, adequadas às necessida- irmãs podem fazer uma contribuição por meio de entrevistas motivadoras,
des e à capacidade de cada um. valiosa (...), mas não devem ser pres- vocês podem ser uma bênção na vida
Alegro-me com a oportunidade de sionadas a servir. Os bispos não de cada rapaz de sua ala, bem como
participar desse trabalho cativante devem recomendar que elas entrem na dos casais que se enquadrem no
que leva tão grandes bênçãos a tantas para o serviço missionário se isso perfil missionário incentivando-os a
pessoas em todo o mundo. interferir com algum projeto de casa- prepararem-se para ser missionários
O Élder M. Russell Ballard falou de mento em um futuro próximo”.1 de tempo integral. Vocês não só
criarmos um lar voltado para a divul- Muitos pais passaram a utilizar par- serão uma bênção para esses missio-
gação do evangelho. Eu falarei da pre- tes do guia Pregar Meu Evangelho, nários em potencial, como também
paração de missionários de tempo para salientar os conceitos que darão poderão ser a resposta às orações de
integral, sejam eles élderes, sísteres frutos com o amadurecimento do tes- muitos pais que têm algum filho pró-
ou casais. temunho de seus filhos, enquanto são ximo da idade adulta que ainda não
O processo começa em casa, bem ensinados em casa. Você, menino, se comprometeu a ser missionário,
antes da idade missionária, quando os pode aprender na infância a cumprir apesar do esforço deles para incenti-
pais instilam na mente e no coração de seus deveres como futuro portador do var esse desejo. Por exemplo: desde
cada menino a idéia “quando eu for sacerdócio. Você terá ajuda para com- criança e ao longo da adolescência,
para a missão” e não “se eu for para a preender e aplicar os ensinamentos nossa filha mais velha, Mary Lee,

88
ouvia-nos, seus pais, falar de nossa preparam, bem como na vida de seus menos ativa. Depois de minha mis-
experiência como missionários e via a descendentes. Empreguem os líderes são, isso mudou. Eles tornaram-se
importância que lhe dávamos. Já falá- dos quóruns do Sacerdócio Aarônico membros firmes e serviram com dedi-
ramos de como as oportunidades de sua unidade e seus consultores, cação no templo — ele, como selador
desafiadoras da missão tinham enri- bem como os líderes dos sumos sacer- e ela, como oficiante. Mas quando eu
quecido nossa vida e formado os ali- dotes, élderes e das mulheres para era jovem, não tinha condições de
cerces de tudo o que nos era caro. ajudar vocês a prepararem para avaliar por mim mesmo a importância
Contudo, ensinamos que a decisão chamar o maior número possível de da missão. Enamorei-me de uma
de ser ou não missionária era dela. missionários dignos. Com a utilização jovem extraordinária e, em um
Enquanto crescia, era claro que dos novos recursos missionários, um momento crítico de nosso namoro,
ela planejava ser missionária; mas número muito maior de missionários ela deixou bem claro que só se casaria
quando foi chegando a idade de sair que vocês recomendarem, chegará ao no templo, com um ex-missionário.
em missão, as experiências emocio- campo bem mais preparado e alta- Com esse incentivo, servi como mis-
nantes da universidade passaram a mente motivado a servir. Enquanto a sionário no Uruguai.
ser alternativas atraentes. Certa vez, maioria dos candidatos pode ser pre- Não foi fácil. O Senhor deu-me
quando ela se debatia com essa incer- parada com pouco esforço, alguns muitos desafios que possibilitaram
teza, foi aconselhada a falar com o precisam fazer ajustes substanciais na meu desenvolvimento individual. Ali
bispo. Marcaram uma entrevista e, própria vida para se qualificarem. Com obtive meu testemunho de que Deus,
sentada diante desse bispo inspirado, o apoio dos pais, ajudem-nos a alcan- o Pai, e Seu Filho Amado, Jesus Cristo,
ela perguntou: “O que o senhor acha çar os padrões exigidos. apareceram mesmo a Joseph Smith
de eu ser missionária de tempo inte- Orem para saber que casais podem para dar início à restauração da ver-
gral?” O bispo levantou-se de um ser incentivados a enviar os papéis dade, da autoridade do sacerdócio e
salto, deu uma palmada na mesa e para o chamado ao serviço missioná- da verdadeira Igreja na Terra. Obtive
disse: “Acho que é a melhor coisa que rio de tempo integral. Precisamos um testemunho de que Joseph Smith
você poderia fazer”. Esse comentário deles urgentemente. foi um profeta singular. Aprendi dou-
bastou. Sempre fico admirado com a trinas essenciais; descobri o que é ser
Mary Lee fez uma missão excelente maneira como o Espírito Santo com- guiado pelo Espírito. Houve muitas
na Espanha; nessa missão descobriu bina acertadamente as características e noites em que me levantava enquanto
talentos ocultos e amadureceu espiri- necessidades de cada missionário ou o meu companheiro dormia, para
tualmente e nela desabrocharam habi- casal missionário às mais diversas cir- abrir meu coração ao Senhor e pedir
lidades que foram uma bênção em cunstâncias do serviço missionário no orientação. Implorei a habilidade de
sua vida de esposa e mãe. O bispo mundo todo. Já vi alguns dos missioná- ser eficaz ao transmitir em espanhol
que teve essa influência tão profunda rios e missionárias mais capazes serem o meu testemunho e a verdade que
na vida de minha filha foi J. Willard chamados para os Estados Unidos e estava aprendendo às pessoas que
Marriot Jr., que atualmente é Setenta Canadá, para manter a força das raízes passara a amar. Essas orações foram
de Área. Mas lembramo-nos dele prin- da Igreja ali. Já vi missionários voltarem amplamente respondidas. Enquanto
cipalmente pelo que fez por nossa após designações incomuns, como a isso, minha futura companheira
filha Mary Lee. Agora, na família que de adaptarem-se à cultura de alguma eterna, Jeanene, estava sendo mol-
ela formou, com o forte exemplo do ilha do Pacífico, da Mongólia ou das dada em sua própria missão para tor-
pai e da mãe, que foram missionários, montanhas da Guatemala, ou de servi- nar-se excelente esposa e mãe.
um filho e uma filha cumpriram mis- rem em situações em que o contato Tudo o que agora me é caro na
são de modo exemplar. Está bem direto com o presidente da missão era vida começou a amadurecer no
claro que o outro filho será missioná- mínimo, tendo desenvolvido extrema- campo missionário. Se eu não tivesse
rio e que a última filha tomará a deci- mente bem habilidades individuais sido incentivado a tornar-me missio-
são certa quando chegar a hora. nunca antes vistas. nário, não teria a companheira eterna
Outro de meus netos, seguindo os Vou falar-lhe agora daquilo que nem a família querida a quem tanto
passos do pai, foi recentemente cha- está em meu coração do que signifi- amo. Confesso que não teria tido as
mado para servir na Missão México cou para mim, individualmente, servir excepcionais oportunidades profissio-
Cuernavaca. como missionário de tempo integral nais que expandiram cada uma de
Bispos e presidentes de ramo, de modo honroso. Cresci em um lar minhas habilidades. Estou certo de
vocês podem ser esse forte impacto na com muito bons pais, mas meu pai que não teria recebido chamados
vida dos missionários que incentivam e não era membro e minha mãe era sagrados com as oportunidades de

A L I A H O N A MAIO DE 2006 89
Sião em Meio
servir pelo que serei eternamente
grato. Fui imensamente abençoado na
vida porque servi como missionário.
Agora entendem por que estou
tão ansioso para motivar cada um de
vocês, rapazes, a serem missionários
dignos? Entendem por que incentivo
vocês, casais maduros, a fazerem
à Babilônia
É L D E R DAV I D R . S TO N E
planos de, caso a saúde o permita,
Dos Setenta
servir ao Senhor como missionários?
Entendem por que sugiro que algumas
de vocês, moças, que tiverem o desejo
e caso isso não atrapalhe os planos de Não precisamos adotar os padrões, os costumes e a moral
casamento iminente, considerem a da Babilônia. Podemos estabelecer Sião no meio dela.
idéia de servir ao Senhor como missio-
nárias? Nosso lar foi muito abençoado
graças a uma esposa e mãe que deci-
diu ser missionária de tempo integral mal, permitindo que nos preparásse-
na mesma época em que eu fui. mos para ele.
Se você é rapaz e está-se pergun- O mal vem em nossa direção, quer
tando se deve cumprir uma missão de tenhamos ou não um alarme que
tempo integral, não tome essa decisão nos avise.
vital com base somente em sua pró- Numa ocasião posterior, minha
pria sabedoria. Procure o conselho de mulher e eu viajávamos de carro certa
seus pais, do bispo ou presidente de noite e nos aproximamos de uma
estaca. Quando orar, peça ao Senhor grande cidade. Ao descermos as coli-
que lhe revele a Sua vontade. Sei que nas via-se luzes brilhantes no hori-
a missão lhe proporcionará bênçãos zonte. Acordei minha mulher e disse:
extraordinárias agora e ao longo de “Contemple a cidade de Babilônia!”
toda sua vida. Exorto-o, não a orar Claro que não existe nenhuma
perguntando se deve ir, mas a orar cidade hoje que personifique a
pedindo ao Senhor que o oriente Babilônia. Na época da antiga Israel, a
em tudo o que for preciso para tor- Babilônia foi uma cidade que se tor-
nar-se um missionário de tempo inte- nou sensual, decadente e corrupta.

N
gral digno e capaz. Você nunca se o verão passado, minha O edifício principal da cidade era um
arrependerá de servir como missioná- mulher e eu tivemos a oportu- templo erigido a um falso deus, ao
rio, mas é provável que se arrependa nidade de viajar para San qual muitas vezes nos referimos como
caso decida não fazê-lo. Diego, Califórnia e lá assistir à peça Bel ou Baal.
Sei que Jesus é o Cristo, que Sua Macbeth, de Shakespeare, no Teatro No entanto, a sensualidade, a cor-
Igreja e a plenitude de Seu evangelho Old Globe. Assistimos a duas apresen- rupção, a decadência e a adoração a
foram restaurados à Terra por meio de tações, porque nossa filha, Carolyn, falsos deuses podem ser vistas em
um profeta de singular importância: fazia o papel de uma das três bruxas muitas cidades, grandes e pequenas,
Joseph Smith. Testifico que o serviço da peça. Claro que ficamos encanta- espalhadas pelo mundo todo. Como
missionário dedicado é uma fonte de dos em vê-la atuar e ainda mais mara- o Senhor disse: “Não buscam o
grande felicidade e ricas bênçãos, não vilhados quando, num momento Senhor para estabelecer sua justiça,
só para quem ouve a mensagem, mas dramático, ela disse aquela famosa mas todo homem anda em seu pró-
também para os que, sob a orientação frase: “Meu dedão está coçando. Vem prio caminho e segundo a imagem de
do Espírito, a transmitem. Em nome algum patife andando” (Macbeth: ato seu próprio deus, cuja imagem é à
de Jesus Cristo. Amém. ■ IV, cena 1, linhas 40–41). semelhança do mundo” (D&C 1:16).
Quando ouvi isso, pensei como Gente demais no mundo está-se
NOTA
1. Comunicado da Primeira Presidência, não seria útil ter um sistema que avisasse parecendo com a antiga Babilônia,
publicado. com antecedência a aproximação do trilhando seu próprio caminho e

90
seguindo um deus “cuja imagem é à
semelhança do mundo”.
Um dos grandes desafios que
enfrentaremos é o de sermos capazes
de viver no mundo, mas, de alguma
forma, não sermos do mundo. Temos
que criar Sião no meio da Babilônia.
Sião no meio da Babilônia. Que
frase magnífica, como uma luz bri-
lhando em meio à escuridão espiritual.
Que conceito para termos enraizado
no coração, vendo a Babilônia espa-
lhar-se cada vez mais. Vemos a
Babilônia em nossa cidade, em nossa
comunidade, em todo o lugar.
E com o crescimento da Babilônia,
temos que estabelecer Sião no meio
dela. Não devemos permitir ser traga-
dos pelas influências maléficas do
mundo que estão ao nosso redor.
Raramente percebemos até que
ponto somos um produto da cultura
do local e da época em que vivemos.
Nos dias da antiga Israel, o povo do
Senhor era como uma ilha que acredi-
tava no único e verdadeiro Deus, cer-
cada por um oceano de idolatria. As
ondas daquele oceano quebravam
incessantemente nas praias de Israel.
Apesar do mandamento de não fazer
imagens de escultura, nem de se incli-
nar perante elas, Israel aparente-
mente não conseguia ajudar a si
mesma, influenciada pela cultura do
lugar e da época. Muitas e muitas
vezes, apesar da proibição do Senhor,
a despeito do que o profeta e sacer- Como minha mulher e eu tivemos comida nós gostamos, como nos ves-
dote dissera, Israel foi atrás de deuses a oportunidade de morar em 10 paí- timos, o que constitui um comporta-
estranhos e inclinou-se perante eles. ses diferentes, vimos o efeito que mento educado, de que esportes
Como Israel poderia ter-se esque- esse espírito cultural exerce no com- devemos gostar, qual deve ser nosso
cido do Senhor que a tirara do Egito? portamento. Costumes que são per- gosto musical, a importância da edu-
Eles eram constantemente pressiona- feitamente aceitos numa cultura, são cação e nossa atitude em relação à
dos pelo que era popular no vistos como inaceitáveis em outra; honestidade. Ela também influencia
ambiente em que viviam. uma linguagem educada em alguns os homens quanto à importância da
Que coisa insidiosa é a cultura em lugares é vista como detestável em recreação ou da religião, influencia
que vivemos. Ela permeia o ambiente, outros. Em toda cultura as pessoas mulheres a respeito da prioridade da
e achamos que estamos sendo razoá- vivem num casulo de auto-satisfação carreira ou da maternidade e tem um
veis e lógicos quando, com muita fre- e auto-fingimento, totalmente con- efeito poderoso na maneira como
qüência, somos moldados pelo vencidas de que o modo como vêem encaramos a procriação e assuntos
espírito de uma cultura, o que os ale- as coisas é o modo como elas real- morais. Com muita freqüência, somos
mães chamam de zeigeist, ou cultura mente são. como marionetes, pois nossa cultura
de um lugar e época. Nossa cultura tende a ditar que determina o que é “legal”.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 91
Existe é claro um zeigeist a qual vós, e já vencestes o maligno.
devemos prestar atenção. E este é Não ameis o mundo, nem o que
o espírito da cultura do Senhor, a no mundo há” (I João 2:14–15).
cultura do povo do Senhor. Como Não precisamos adotar os padrões,
declara Pedro: “Mas vós sois a geração os costumes e a moral da Babilônia.
eleita, o sacerdócio real, a nação Podemos estabelecer Sião no meio
santa, o povo adquirido, para que dela. Podemos ter nossos próprios
anuncieis as virtudes daquele que vos padrões de música, literatura, dança,
chamou das trevas para a sua maravi- filmes e linguagem. Podemos ter nos-
lhosa luz” (I Pedro 2:9). sos próprios padrões de vestimenta
É a cultura daqueles que guardam e conduta para educação e respeito.
os mandamentos, andam em Seus Podemos viver de acordo com as leis
caminhos e “[vivem] de toda a palavra morais do Senhor. Podemos limitar
que sai da boca de Deus” (D&C quanto da Babilônia vamos permitir
84:44). Se isso nos faz peculiares, que entre em nosso lar por intermé-
então, que assim sejamos. dio da mídia de comunicação.
Meu envolvimento com a constru- Podemos viver como o povo de
ção do Templo de Manhattan deu-me Sião, se o desejarmos. Será difícil?
a oportunidade de estar no templo Claro que sim; pois as ondas da
várias vezes antes de sua dedicação. Babilônia quebram incessantemente
Era maravilhoso sentar-me na sala em nossas praias. Exigirá coragem?
celestial e ficar lá em perfeito silêncio, beberem o vinho do rei. Sem dúvida.
sem ouvir um único som vindo das Vamos entender claramente a pres- Sempre fomos fascinados por his-
barulhentas ruas de Nova York. Como são sob a qual estavam os quatro tórias de coragem, daqueles que
era possível que o templo fosse tão jovens. Eles tinham sido levados cati- enfrentaram desafios impossíveis e
reverentemente silencioso quando a vos pela força de um conquistador e venceram. A coragem é a base e o ali-
agitação da metrópole estava apenas estavam na casa do rei que detinha o cerce de todas as outras virtudes; a
a alguns metros dali? poder da vida e da morte sobre todos falta dela diminui todas as outras qua-
A resposta estava na construção do eles. Mesmo assim, Daniel e seus lidades que possuímos. Se quisermos
templo. O templo foi construído a irmãos recusaram-se a fazer o que ter Sião no meio da Babilônia, precisa-
partir de paredes já existentes e as acreditavam ser errado, embora a remos de coragem.
paredes internas do templo conecta- maior parte da cultura Babilônica Vocês já se imaginaram passando
vam-se com as paredes externas ape- achasse que era certo. E por essa fide- por um teste e tendo a certeza de que
nas em alguns pontos de junção. lidade e coragem, o Senhor os aben- seriam capazes de realizar um ato de
Dessa maneira, o templo (Sião) limi- çoou e “lhes deu o conhecimento e a bravura? Eu já senti isso quando era
tava os efeitos da Babilônia ou do inteligência em todas as letras, e sabe- menino. Imaginava que alguém estava
mundo lá fora. doria” (Daniel 1:17). em perigo e, arriscando minha pró-
Deve haver uma lição para nós Seduzidos por nossa cultura, mui- pria vida, eu o salvava. Ou enfren-
nisso tudo. Podemos criar a verda- tas vezes quase nem reconhecemos tando algum terrível oponente, eu
deira Sião entre nós, limitando a nossa idolatria, pois somos manipula- tinha coragem de vencê-lo. Assim é
influência da Babilônia em nossa vida. dos por aquilo que é popular no nossa imaginação infantil!
Quando, 600 anos a.C., mundo da Babilônia. De fato, como Quase 70 anos de vida ensinaram-
Nabucodonosor veio da Babilônia e disse o poeta Wordsworth: “Passamos me que essas oportunidades de
conquistou Judá, levou com ele o todo nosso tempo envolvidos com heroísmo são poucas e raras, se
povo do Senhor. Nabucodonosor sele- as coisas do mundo” (“The World Is ocorrerem.
cionou alguns jovens para receberem Too Much with Us; Late and Soon”. Mas a oportunidade de defender o
educação e treinamento especiais. Em The Complete Works of William que é certo — quando as pressões
Entre eles estavam Daniel, Wordsworth [1924], p. 353). são sutis e quando até nossos amigos
Hananias, Misael e Azarias. Eles foram Em sua primeira epístola, João estão nos encorajando a ceder à idola-
privilegiados entre os jovens trazidos escreve: tria da nossa época — essa vem com
para a Babilônia. O servo do rei “Eu vos escrevi (...) porque sois mais freqüência. Não há nenhum
instruiu-os a comerem a comida e a fortes, e a palavra de Deus está em fotógrafo ali para registrar o ato de

92
Instrumentos da
heroísmo, nenhum jornalista escre-
verá sobre isso nem publicará na pri-
meira página do jornal. Apenas na
calma reflexão da nossa consciência
saberemos que enfrentamos o teste
da coragem: Sião ou Babilônia?
Não se enganem: muita coisa na
Babilônia, senão quase tudo, é do mal.
Paz do Senhor
É L D E R R O B E R T S. W O O D
E não teremos a “um dedão coçando”
Dos Setenta
para nos alertar. Mas as ondas estão
quebrando em nossas praias, uma
após a outra. Escolheremos Sião ou a
Babilônia? Será que nós que tomamos sobre nós o nome de Cristo
Se Babilônia é a cidade mundana, decaímos sem perceber para um padrão de difamações,
Sião é a Cidade de Deus. O Senhor maledicências ou estereótipos maldosos?
assim falou sobre ela: “Sião não pode
ser edificada a não ser pelos princí-
pios da lei do reino celestial” (D&C
105:5) e “Pois isto é Sião — o puro de O Senhor advertiu desde o princí-
coração” (D&C 97:21). pio e ao longo de toda a história que
Entretanto, onde quer que esteja- Satanás incitaria o coração das pes-
mos, em qualquer cidade que viva- soas à ira.1 No Livro de Mórmon,
mos, podemos erguer a nossa Sião, se Lamã estabeleceu um padrão de mur-
vivermos de acordo com os princípios murar tanto a ponto de suscitar a
da lei do reino celestial e se sempre raiva, acender a fúria e impelir o assas-
procuramos ser puros de coração. sinato.2 Repetidas vezes no Livro de
Sião é bela e o Senhor a segura em Mórmon encontramos homens iludi-
Suas próprias mãos. Nosso lar pode dos e iníquos incitando a ira e provo-
tornar-se um lugar de refúgio e prote- cando conflitos. Na época do capitão
ção, assim como Sião. Morôni, o apóstata Amaliquias incitou
Não precisamos nos tornar mario- “o coração dos lamanitas contra o
netes nas mãos da cultura do lugar ou povo de Néfi”.3 Amulom e os sacerdo-
da época. Podemos ser corajosos e tes iníquos de Noé, Neor, Corior e
andar nos caminhos do Senhor, Zorã, o apóstata (a lista negra conti-
seguindo Seus passos. E se o fizer- nua em todo o Livro de Mórmon),

T
mos, seremos chamados Sião e sere- enho uma amiga que faz parte foram todos agitadores que inspira-
mos o povo do Senhor. de um painel de debates políti- ram desconfiança, instigaram a con-
Oro para sermos fortalecidos e para cos que é exibido semanal- trovérsia e aprofundaram os ódios.
resistirmos aos ataques da Babilônia e mente em cadeia nacional de Falando a Enoque, o Senhor expli-
para estabelecermos Sião em nosso lar televisão. Explicando seu papel, ela cou que tanto a época de Seu nasci-
e comunidade. Na verdade, para que disse: “Somos incentivados a falar mento quanto a que precederia Sua
tenhamos “Sião em meio à Babilônia”. antes de pensar!” Parece que estamos Segunda Vinda seriam “dias de iniqüi-
Buscamos Sião porque é a habita- vivendo em uma era em que muitos dade e vingança”.4 E o Senhor disse
ção do nosso Senhor, que é Jesus falam sem pensar, incentivando rea- que nos últimos dias a ira seria derra-
Cristo, nosso Salvador e Redentor. ções emocionais em lugar de respos- mada, sem mistura, sobre toda a
Em Sião e de Sião, Sua luz brilhante e tas ponderadas. Seja no âmbito Terra.5 A ira é definida tanto como
incandescente brilhará e Ele reinará nacional ou internacional, nas rela- a justa indignação de Deus quanto
para sempre. Presto testemunho de ções pessoais ou na política, no lar ou aqueles momentos muito humanos de
que Ele vive, que Ele nos ama e vela no fórum público, há vozes cada vez ardor impetuoso ou ódio profundo e
por nós. mais estridentes, e o ato de ofender e violento. A primeira advém da preocu-
Em nome de Jesus Cristo. o de ficar ofendido parecem ser coisa pação de um Pai amoroso cujos filhos,
Amém. ■ deliberada e não inadvertida. em geral, “não têm afeição e odeiam

A L I A H O N A MAIO DE 2006 93
que eu discordava dele. Minha profes-
sora disse que meu trabalho estava
bom, mas não o suficiente. Antes de
lançar suas críticas, disse ela, você pre-
cisa primeiro apresentar a mais forte
defesa da posição à qual está-se
opondo, uma que o próprio filósofo
pudesse aceitar. Refiz o trabalho. Ainda
havia pontos importantes em que eu
discordava do filósofo, mas passei a
compreendê-lo melhor e percebi os
pontos fortes e as virtudes, bem como
as limitações, de sua crença. Aprendi
uma lição que apliquei a todos os
aspectos de minha vida.
O general Andrew Jackson, ao
caminhar pela linha de frente da bata-
lha de Nova Orleans, disse a seus sol-
dados: “Cavalheiros, elevem menos
as suas armas!” Creio que muitos de
nós precisamos elevar menos as nos-
sas “armas”. Mas por outro lado, pre-
cisamos elevar o nível do discurso
particular e público. Devemos abster-
nos de caricaturar a posição alheia,
criando espantalhos, por assim dizer,
seu próprio sangue”6, ao passo que a Alma, nas águas de Mórmon, e espalhando falsas denúncias refe-
outra ira advém de pessoas que “não convidou todos os que quisessem rentes às motivações e ao caráter das
têm ordem nem misericórdia, (...) for- assumir um relacionamento de con- pessoas. Precisamos, como o Senhor
tes em sua perversão”.7 Temo que a vênio com Deus a servir de testemu- aconselhou, apoiar homens e mulhe-
Terra esteja sentindo as duas iras, e nhas Dele e carregar os fardos uns res honestos, sábios e bons, onde
suspeito que a ira divina é em grande dos outros.10 Como aqueles que real- quer que os encontremos, e reconhe-
parte provocada por aqueles que inci- mente fizeram um convênio sagrado, cer que em “todas as seitas, partidos
tam o coração dos homens à iniqüi- precisamos permanecer fiéis ao cami- e denominações” há pessoas que
dade, difamações e ódios violentos. nho, a verdade e a vida, que é Jesus estão afastadas da verdade [do evan-
As primeiras vítimas do ódio Cristo. gelho] por não saber onde encontrá-
humano são a verdade e a compreen- Será que nós que tomamos sobre la.11 Estaríamos ocultando essa luz
são. Tiago aconselhou que o homem nós o nome de Cristo decaímos sem por adotarmos a cultura das difama-
deve ser “pronto para ouvir, tardio perceber para um padrão de difama- ções, dos estereótipos e das provoca-
para falar, tardio para se irar. Porque a ções, maledicências ou estereótipos ções e ofensas?
ira do homem não opera a justiça de maldosos? Será que as diferenças É muitíssimo mais fácil decairmos
Deus”.8 Conforme observou Enoque, pessoais, partidárias, comerciais ou para um espírito de zombaria e
o trono de Deus é de paz, justiça e religiosas se transformaram numa ceticismo ao lidarmos com pontos
verdade.9 Quer sejam falsos amigos espécie de demonização dos pontos de vista contrários aos nossos. Des-
ou professores iníquos, artistas, de vista diferentes? Será que fazemos moralizamos ou depreciamos tanto, a
comentaristas ou pessoas que escre- uma pausa para entender as posições ponto de fazer com que as pessoas e
vem cartas aos jornais locais, que alheias aparentemente diferentes e suas idéias sejam desprezadas. Essa é a
buscam poder ou riqueza, tomem cui- procuramos, se possível, encontrar principal ferramenta dos que ocupam
dado com aqueles que nos incitam a um ponto em comum? o edifício largo e espaçoso que o
tamanha raiva a ponto de fazerem Lembro-me de que, quando era patriarca Leí viu em sua visão12. Judas,
com que a reflexão serena e os senti- universitário, escrevi uma crítica a um o irmão de Cristo, advertiu que “nos
mentos caridosos sejam suprimidos. importante filósofo político. Era óbvio últimos tempos haveria escarnecedo-

94
res que andariam segundo as suas fazer nestes tempos perigosos.
ímpias concupiscências. Estes são os Podemos dar nossa opinião sobre os
que causam divisões, sensuais, que méritos da situação, do nosso ponto
não têm o Espírito”.13 de vista, mas jamais dizer coisas ou
Intimamente relacionado à zomba- participar de atos malignos dirigidos
ria está o espírito de cepticismo. Os contra nossos irmãos e irmãs da Igreja
cépticos estão desejosos de procurar de vários países, quer estejam deste ou
e apontar defeitos. Implícita ou expli- do outro lado. As divergências políticas
citamente, exibem uma escarnece- jamais justificam o ódio ou a aversão.
dora descrença na sinceridade e na Espero que o povo do Senhor esteja
retidão. Isaías falou dos “que se dão à em paz uns com os outros nos
iniqüidade” e que “fazem culpado ao momentos difíceis, independente-
homem por uma palavra, e armam mente da lealdade que possam ter a
laços ao que repreende na porta, e diferentes governos ou partidos”.22
os que sem motivo põem de parte o Como verdadeiras testemunhas
justo”.14 A esse respeito, o Senhor de Cristo nestes últimos dias, não
nos aconselhou nos últimos dias a caiamos nas trevas, “nada vendo ao
“[cessarmos] de achar faltas uns nos longe”, como disse Pedro, mas produ-
outros” e “sobretudo, como que com zamos frutos no testemunho de Cristo
um manto, [revestirmo-nos] do vín- e Seu evangelho restaurado, em pen-
culo da caridade, que é o vínculo da samento, em palavras, em ações.23
perfeição e paz”.15 Terra a fim de prestar testemunho Deus vive. Jesus Cristo é o caminho,
O Presidente George Albert Smith de Cristo e de Sua missão expiatória. a verdade e a vida. Joseph Smith, o
observou: “Não há nada no mundo Como um dilúvio, essa mensagem grande profeta da Restauração, foi o
mais danoso ou prejudicial para a varreria o mundo, e os eleitos do instrumento pelo qual fomos consti-
humanidade do que o ódio, o precon- Senhor seriam reunidos dos quatro tuídos como povo, guiados até hoje
ceito, a suspeita e a atitude rude que cantos da Terra.19 Onde quer que por um profeta de Deus, o Presidente
algumas pessoas têm para com seus estejamos no mundo, fomos molda- Gordon B. Hinckley. Renovemos dia-
semelhantes”.16 Nas questões políti- dos como povo para sermos instru- riamente em nosso coração o puro
cas, ele advertiu: “Sempre que seu mentos da paz do Senhor. Nas amor de Cristo e vençamos com
ponto de vista político fizer com que palavras de Pedro, fomos adquiridos nosso Mestre as trevas do mundo.
fale mal de seu irmão, saiba que está por Deus para sermos Seus, a fim de Em nome de Jesus Cristo. Amém. ■
caminhando em terreno perigoso”.17 proclamar o triunfo Dele “que vos
NOTAS
Falando da grande missão do reino chamou das trevas para a sua maravi- 1. Ver 2 Néfi 28:20; D&C 10:24.
dos últimos dias, ele aconselhou: lhosa luz; vós, que em outro tempo 2. Ver 1 Néfi 16:37–38.
“Esta Igreja a que pertencemos não é não éreis povo, mas agora sois povo 3. Alma 48:1.
4. Moisés 7:46, 60.
uma igreja militante. É uma Igreja que de Deus”.20 Não podemos permitir 5. Ver D&C 115:6.
prega a paz ao mundo todo. Nosso que sejamos envolvidos num mundo 6. Moisés 7:33.
dever não é ir ao mundo e encontrar desejoso de promover discórdias. Em 7. Morôni 9:18–19.
8. Tiago 1:19–20.
defeitos nas pessoas, tampouco criti- vez disso, o Senhor revelou tanto a 9. Ver Moisés 7:31.
car os homens por não compreende- Paulo quanto a Mórmon que não pre- 10. Ver Mosias 18:8–10.
rem. Mas é nosso privilégio, com cisamos ter inveja nem orgulho. Não 11. D&C 123:12; ver também 98:10.
12. Ver 1 Néfi 8:26–33; 11:36.
bondade e amor, ir entre eles e dividir devemos ser facilmente provocados 13. Judas 1:18–19.
com eles a verdade que o Senhor nem nos comportar indignamente. 14. Isaías 29:20–21.
15. D&C 88:124–125.
revelou nestes últimos dias”.18 Não nos regozijamos na iniqüidade, 16. Sayings of a Saint, sel. Alice K. Chase
O Senhor nos constituiu como mas, sim, na verdade. Sem dúvida (1952), p. 30.
povo para uma missão especial. Tal esse é o puro amor de Cristo que 17. Conference Report, abril de 1914, p. 12.
18. Conference Report, abril de 1935, p. 44.
como Ele disse a Enoque, no passado, representamos.21 19. Ver Moisés 7:62.
o dia em que vivemos seria um dia de Em um mundo cheio de ódio, 20. I Pedro 2:9–10.
trevas, mas também seria uma época nosso profeta atual, o Presidente 21. I Coríntios 13:4–6; Morôni 7:45–47.
22. “Guerra e Paz”, Liahona, maio de 2003,
em que a retidão viria do céu, e a ver- Gordon B. Hinckley aconselhou: p. 78.
dade seria enviada novamente para a “Há muito que podemos e precisamos 23. II Pedro 1:8–9.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 95
Oração, Fé e
a área onde tinha certeza de que a
flecha caíra, mas não a encontrei.
O sol se punha no ocidente. Eu
sabia que iria escurecer em cerca de

Família: Pedras 30 minutos e não queria chegar tarde


em casa. Procurei novamente na área
onde a flecha deveria estar, olhando
cuidadosamente debaixo de cada

que Pavimentam moita, mas não a encontrei.


O tempo estava-se esgotando e eu
precisava começar a voltar para casa

o Caminho para a se quisesse chegar antes do escure-


cer. Decidi orar e pedir ao Pai
Celestial que me ajudasse a encontrar
a flecha. Pus-me de joelhos, fechei os

Felicidade Eterna
ÉLDER H. BRUCE STUCKI
olhos e orei ao Pai Celestial. Disse a
Ele que não queria perder minha fle-
cha nova e pedi que me mostrasse
onde encontrá-la.
Dos Setenta
Ainda ajoelhado, abri os olhos e ali,
no arbusto bem à minha frente, ao
nível dos olhos, vi as penas coloridas
O Pai Celestial ouvirá a nossa humilde oração e nos dará da flecha parcialmente oculta pelos
o consolo e a orientação que buscamos. galhos. Peguei a flecha e comecei a
correr para casa, chegando lá bem na
hora em que estava escurecendo.
Nunca esquecerei aquela experiên-
mamãe relutou, mas meu poder de cia tão especial. Nosso Pai Celestial
persuasão fez com que ela acabasse havia respondido a minha oração.
concordando, desde que eu retor- Aquela fora a primeira vez em que eu
nasse antes do anoitecer. havia orado para que Ele me ajudasse,
Ao atingir o alto da colina, coloquei e Ele o fizera! Naquela noite, aprendi
uma flecha no arco e comecei a cami- a ter fé e confiança em meu Pai
nhar silenciosamente pelas moitas e Celestial.
arbustos, na esperança de encontrar Quando precisamos de ajuda,
um coelho alimentando-se ao pé das mesmo que sejamos garotinhos ingê-
salvas, onde a grama macia ainda nuos com uma preocupação impor-
estava verde. tante, nosso Pai Celestial ouve nossa
Fui surpreendido por um grande oração e, com amor, nos dá a orienta-
coelho que pulou de dentro de um ção que buscamos.
arbusto bem à minha frente. Puxei a Jesus Cristo, nosso Salvador, nos
corda do arco para trás, mirando rapi- disse: “Sê humilde; e o Senhor teu
damente, e lancei a flecha contra o Deus te conduzirá pela mão e dará
coelho que fugia em passo acelerado. resposta a tuas orações”.1

E
ra o dia seguinte ao Natal de A flecha errou o alvo e o coelho desa- Nas escrituras, Tiago nos instrui:
1946, em Santa Clara, Utah. Eu, pareceu por entre os arbustos. “E, se algum de vós tem falta de
na época um menino de nove Fui até onde pensei que a flecha sabedoria, peça-a a Deus, que a todos
anos, pedi à minha mãe que me dei- houvesse caído para ver se a encon- dá liberalmente, e o não lança em
xasse estrear meu presente de Natal, trava. O conjunto só tinha cinco fle- rosto, e ser-lhe-á dada.
um conjunto de arco e flechas, chas e eu não queria perder aquela. Peça-a, porém, com fé, em nada
caçando coelhos na colina atrás de Procurei onde a flecha deveria estar, duvidando”.2
nossa casa. Já era fim de tarde e mas ela não estava lá. Olhei em toda O Presidente James E. Faust nos

96
ensinou: “Uma oração fervorosa e
sincera é uma comunicação de mão
dupla, que muito contribuirá para tra-
zer Seu Espírito, fluindo como água
curativa, para ajudar-nos com as pro-
vações, dificuldades, dores e sofri-
mentos que todos enfrentamos”.3
A oração é uma das pedras que
pavimentam o caminho que nos leva
à vida eterna junto de nosso Pai
Celestial.
A fé, outra dessas pedras, é funda-
mental para nossa salvação eterna!
O Salvador também disse: “E tudo
quanto pedirdes ao Pai em meu
nome, que seja justo, acreditando que
recebereis, eis que vos será dado”.4
Trinta anos atrás, uma história real
desenrolou-se em uma das mais
remotas paragens da Nova Zelândia.
As inóspitas Ilhas Chatham situam-se
na parte meridional do Oceano
Pacífico, cerca de 800 quilômetros a
leste de Cristchurch. Cerca de 650
pessoas valentes e trabalhadoras
viviam ali, isoladas no ambiente solitá-
rio e hostil daquela época. Um
médico jovem e inexperiente era res-
ponsável por cuidar daquele grupo.
Um menino de oito anos chamado
Shane sofrera uma séria contusão na
cabeça, em um local distante cerca de
64 quilômetros, no extremo oposto
da ilha. Ele foi levado pelos pântanos
e praias, no banco traseiro de um
carro velho e enferrujado, até o hos- sangue, verificar os tipos sangüíneos e trabalho começou sob a luz de uma
pital de campanha de apenas quatro preparar a anestesia. A velha máquina lâmpada inclinada depois que a escu-
leitos. Estava inconsciente. de raios X estava quebrada e não seria ridão se abateu sobre o local.
O jovem médico, com pouca expe- possível tirar qualquer radiografia. A primeira incisão cirúrgica, feita
riência e apenas alguns instrumentos Foi feito o primeiro de muitos tele- nervosamente, não revelou qualquer
cirúrgicos básicos, não estava prepa- fonemas para a Cidade de Wellington, sangramento; por isso, outras incisões
rado para lidar com aquele caso. O de onde um neurocirurgião tentou precisaram ser feitas no pequeno crâ-
estado de Shane era crítico. Havia cla- visualizar a cena e orientar o nervoso e nio de Shane para localizar a origem da
ramente uma hemorragia interna no jovem médico em um procedimento hemorragia. Mais telefonemas foram
crânio fraturado e um coágulo de san- cirúrgico extremamente delicado. feitos para o neurocirurgião e suas ins-
gue poderia comprimir seu cérebro e A mãe de Shane orou. O médico truções foram meticulosamente segui-
causar-lhe a morte. O médico jamais orou, os enfermeiros oraram, a das. Após seis horas de ansiedade e
presenciara uma operação de cére- esposa do médico orou. pressão, a cirurgia terminou, a hemor-
bro, mas sabia que tinha que realizar As tarefas foram delegadas naquele ragia intracraniana cessou e chegou-se
a delicada cirurgia imediatamente ou cenário tumultuado. O policial admi- a um desenlace bem-sucedido. A sere-
assistir à morte do menino. nistrou a anestesia, um enfermeiro nidade substituiu o caos. Era cerca de
Era preciso convocar doadores de tornou-se assistente cirúrgico e o meia-noite.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 97
O médico era um jovem pai. Ele “Acredito na família em que há um
pensou na família e nas bênçãos que marido que considera sua compa-
desfrutavam. Sentiu-se grato pelas ter- nheira como seu maior bem e a trata
nas misericórdias do Senhor em sua de acordo; onde há uma esposa que
vida e especialmente pela presença considera seu esposo como sua
do Consolador durante as últimas âncora e fonte de força, seu consolo e
doze horas. Sentiu-se grato pela pre- sua segurança, onde há filhos que tra-
sença de um especialista invisível que tam o pai e a mãe com respeito e gra-
partilhou generosamente com ele Seu tidão; onde há pais que consideram
conhecimento bem mais elevado, seus filhos como bênçãos e encaram
naquele momento de necessidade. o desafio de criá-los como algo impor-
No momento crítico, em uma tante, sério e maravilhoso”.10
situação desesperadora, o Senhor Acredito sinceramente que, na san-
proveu a orientação e a habilidade tidade da família, nosso amor, leal-
para que um médico jovem e inexpe- dade, respeito e apoio uns pelos
riente operasse um milagre e preser- outros pode tornar-se o escudo
vasse a vida de um menininho que era sagrado que nos protegerá dos dar-
precioso para Deus. dos inflamados do demônio. No cír-
Neil Hutchison foi o jovem médico culo familiar, repleto do amor de
que orou por ajuda e teve fé para Cristo, seremos capazes de encontrar
confiar no Senhor e no neurocirur- paz, felicidade e proteção contra a ini-
gião, capacitando-o a realizar um qüidade do mundo que nos cerca.
milagre sob a mais difícil das condi- de ‘pedir a Deus’. Devido ao chamado Testifico que a família é a unidade e
ções. Ele hoje serve como bispo da profético de Joseph, Deus, o Pai, e o veículo por meio do qual podemos
Ala East Coast Bay em Auckland, Seu Filho, Jesus Cristo, apareceram ser selados e retornar, como família, à
Nova Zelândia. a ele e deram-lhe instruções”.7 presença de nossos pais celestiais,
O Bispo Hutchison contou-me o O Presidente Thomas S. Monson para assim experimentar alegria e feli-
seguinte: “Tive o privilégio de encon- nos encorajou: “Ao oferecermos ao cidade eternas.
trar Shane e seu pai há uns dois anos, Senhor nossas orações familiares e Oro sinceramente para que utilize-
em Cristchurch, pela primeira vez pessoais, façamo-lo com fé e con- mos as pedras da oração, da fé e de
desde aquele dia em 1976. Ele é ele- fiança Nele. Se qualquer um de nós nossa família para preparar-nos e aju-
tricista autônomo e não tem conheci- tem demorado a dar ouvidos ao con- dar-nos no retorno ao nosso Pai
mento de qualquer seqüela de sua selho de orar sempre, não há hora Celestial e para que ganhemos a vida
longa operação. É um homem muito melhor para começar do que agora”8. eterna, e para que o propósito de
bom, e não posso deixar de ponderar Seja um garotinho com um pedido estarmos nesta Terra seja alcançado
quão fino é o véu entre essa vida e a simples ou um médico com um desa- com sucesso. Em nome de Jesus
que se segue”. fio de vida ou morte diante de si, o Cristo. Amém. ■
“E Cristo disse: Se tiverdes fé em Pai Celestial ouvirá a nossa humilde
mim, tereis poder para fazer tudo oração e nos dará o consolo e a orien- NOTAS
1. D&C 112:10.
quanto me parecer conveniente”.5 tação que buscamos. 2. Tiago 1:5–6.
O Élder Richard G. Scott acrescen- Uma terceira pedra de pavimenta- 3. Conference Report, outubro de 1976; ou
tou: “Você colherá os frutos da fé ao ção e parte essencial do caminho que Ensign, novembro de 1976, p. 58.
4. 3 Néfi 18:20.
seguir os princípios que Deus estabe- nos leva em segurança de volta ao 5. Morôni 7:33.
leceu para seu uso. Um desses princí- nosso Pai Celestial é a família. 6. “O Poder Alentador da Fé nos Momentos
de Incerteza e Provação”, A Liahona, maio
pios é confiar em Deus e em Sua O Presidente Gordon B. Hinckley de 2003, p.75.
disposição de prover ajuda quando nos ensinou: “A família é divina. Foi 7. Ver “Encontrar a Fé no Senhor Jesus
necessário, não importa quão desafia- instituída por nosso Pai Celestial. Ela Cristo”, A Liahona, novembro de 2004, p.
70.
dora seja a circunstância”.6 inclui o mais sagrado dos relaciona- 8. Conference Report, abril 1964, p. 130; ou
O Élder Robert D. Hales testificou mentos. Somente por meio de sua Improvement Era, junho de 1964, p. 509.
que Joseph Smith, “como um rapaz organização, os propósitos do Senhor 9. Teachings of Gordon B. Hinckley (1997),
p. 206.
de 14 anos, exerceu uma fé inabalável podem ser cumpridos”.9 10. Teachings of Gordon B. Hinckley (1997),
e seguiu a instrução do profeta Tiago O Presidente Hinckley prosseguiu: p. 205.

98
“Vida em
um certo sucesso no passado, mas
para competir com os melhores, sabia
que teria de comprar um cavalo com
pedigree que tivesse sido especifica-

Abundância”
ÉLDER JOSEPH B. WIRTHLIN
mente criado para saltar. E esse tipo
de cavalo custaria muito mais do que
ele poderia pagar.
Homem de Neve já estava ficando
velho — tinha oito anos quando
Do Quórum dos Doze Apóstolos
Harry o comprara — e fora muito
maltratado. Mas, aparentemente,
A vida em abundância está a nosso alcance se Homem de Neve queria saltar, por
isso Harry decidiu ver o que o cavalo
simplesmente bebermos da água da vida, enchermos conseguia fazer.
o coração de amor e fizermos de nossa vida uma Harry viu então que talvez o seu
obra-prima. cavalo tivesse chance de competir.
Em 1958, Harry inscreveu Homem
de Neve em sua primeira competição.
Homem de Neve foi colocado entre
vida inteira. Mas algo nele chamou a cavalos muito bonitos, gerados para
atenção de Harry, de modo que ofere- serem campeões, parecendo muito
ceu 80 dólares por ele. deslocado entre eles. Os outros cria-
Estava nevando quando os filhos dores de cavalos chamaram Homem
de Harry viram o cavalo pela primeira de Neve de “cinza pulguento”.
vez, e por causa da neve que cobria o Mas uma coisa maravilhosa e incrí-
dorso do cavalo, chamaram-no de vel aconteceu naquele dia.
“Homem de Neve”. Homem de Neve venceu!
Harry cuidou muito bem do Harry continuou a inscrever
cavalo, que se mostrou um amigo Homem de Neve em outras competi-
gentil e leal — um cavalo no qual as ções, e o cavalo continuou a vencer.
meninas gostavam de montar porque O público aclamava toda vez que
era tranqüilo e não se assustava como Homem de Neve vencia uma compe-
os outros. De fato, Homem de Neve tição. Ele tornou-se um símbolo de
melhorou tão rapidamente que um quão extraordinário pode ser um
vizinho o comprou pelo dobro do cavalo comum. Apareceu na televisão.
preço que Harry tinha pago por ele. Foram escritos livros e histórias a res-

N
evava. Harry de Leyer chegou Mas Homem de Neve estava sem- peito dele.
atrasado ao leilão naquele dia pre sumindo da pastagem daquele Como Homem de Neve continuava
frio de 1956, e todos os bons vizinho — indo muitas vezes parar na a vencer, um comprador ofereceu
cavalos já tinham sido vendidos. Os plantação de batatas ao lado ou vol- 100.000 dólares pelo velho cavalo de
poucos que restavam eram velhos e tando para a casa de Harry. Aparente- arado, mas Harry não quis vendê-lo.
decrépitos e tinham sido comprados mente o cavalo havia pulado a cerca Em 1958 e 1959, Homem de Neve foi
por uma empresa que iria sacrificá-los. que dividia as propriedades, mas isso nomeado “Cavalo do Ano”. Por fim, o
Harry, que era professor de equita- parecia impossível. Harry nunca tinha velho cavalo cinza — que tinha ido a
ção em uma escola para meninas, de visto Homem de Neve pular sequer leilão pelo menor preço oferecido —
Nova York, estava prestes a ir embora um tronco caído. entrou para a galeria da fama dos
quando um daqueles cavalos — um A paciência do vizinho, porém, cavalos de salto.1
velho cavalo cinza com feias feridas chegou ao fim e ele insistiu para que Para muitos, Homem de Neve era
nas pernas — lhe chamou a atenção. Harry voltasse a ficar com o cavalo. muito mais que um cavalo. Ele tor-
O animal ainda tinha as marcas deixa- Por muitos anos, o grande sonho nou-se um exemplo do potencial
das por uma pesada canga, provando de Harry tinha sido criar um cavalo oculto e não utilizado que existe den-
que tinha trabalhado arduamente a que fosse campeão de salto. Tivera tro de cada um de nós.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 99
Procuram perdão? Paz?
Compreensão? Alegria?
Bebam da água da vida.
A vida abundante é a vida espiri-
tual. Muitos se sentam à mesa de ban-
quete do evangelho de Jesus Cristo e
apenas beliscam dos pratos que lhes
são oferecidos. Fazem as ações exter-
nas — assistem às reuniões, folheiam
as escrituras, repetem as orações
familiares — mas seu coração está dis-
tante. Se forem sinceros, admitirão
estar mais interessados nos últimos
boatos da vizinhança, nas tendências
da bolsa de valores e na novela favo-
rita de televisão do que nas sublimes
maravilhas e nos doces sussurros do
Santo Espírito.
Desejam partilhar dessa água da
vida e sentir a fonte divina jorrando
dentro de vocês para a vida eterna?
Tive a oportunidade de conhecer Primeiro, elas bebem profusa- Então não tenham medo. Creiam
muitas pessoas maravilhosas que ocu- mente da água da vida.. do fundo do coração. Desenvolvam
pavam diversas posições na sociedade. O Salvador ensinou: “Aquele que uma fé inabalável no Filho de Deus.
Conheci ricos e pobres, famosos e beber da água que eu lhe der nunca Abram o coração em sincera oração.
modestos, sensatos e nem tanto. terá sede, porque [ela] se fará nele Encham a mente de conhecimento
Alguns se viam afligidos por amar- uma fonte de água que salte para a Dele. Abandonem suas fraquezas.
gos sofrimentos, outros irradiavam vida eterna”.2 Caminhem em santidade e harmonia
uma confiante paz interior. Alguns Se for plenamente compreendido com os mandamentos.
remoíam amarguras inextinguíveis, ao e aceito, o evangelho de Jesus Cristo Bebam da água da vida do evange-
passo que outros manifestavam uma cura o coração quebrantado, dá sen- lho de Jesus Cristo.
alegria irreprimível. Alguns pareciam tido à vida, une os entes queridos por A segunda qualidade dos que têm
derrotados, ao passo que outros, ape- laços que transcendem a mortalidade vida em abundância é ter o coração
sar das adversidades, tinham vencido e proporciona sublime alegria na vida. cheio de amor.
o desânimo e o desespero. O Presidente Lorenzo Snow disse: O amor é a essência do evangelho
Ouvi alguns dizerem, talvez nem “O Senhor não nos deu o evangelho e o maior de todos os mandamentos.
tanto por brincadeira, que as únicas para que fiquemos nos lamentando O Salvador ensinou que todos os
pessoas felizes eram as que simples- todos os dias de nossa vida”.3 outros mandamentos e ensinamentos
mente não tinham muita noção do O evangelho de Jesus Cristo não é proféticos dependem dele.5 O
que estava acontecendo a seu redor. uma religião de lamúrias e tristeza. A Apóstolo Paulo escreveu: “Porque
Mas não creio nisso. fé que nossos pais possuíam é cheia toda a lei se cumpre numa só palavra,
Conheci muitos que vivem cheios de esperança e alegria. Não é um nesta: Amarás ao teu próximo como a
de alegria e irradiam felicidade. evangelho que aprisiona, mas, sim, ti mesmo”.6
Conheci muitos que têm vida em liberta. Geralmente não temos noção das
abundância. Aceitá-lo plenamente é maravilhar- repercussões de um simples ato de
E creio que sei o motivo disso. se e ter grande motivação pessoal e bondade. O Profeta Joseph Smith foi
Quero relacionar hoje algumas das força espiritual. Nosso Salvador decla- um exemplo de compaixão e amor.
características que as pessoas mais rou: “Eu vim para que tenham vida, e Certo dia, um grupo de oito pessoas
felizes que conheci têm em comum. a tenham com abundância”.4 da raça negra chegaram à casa do
São qualidades que podem transfor- Vocês querem ter paz de Profeta, em Nauvoo. Tinham viajado
mar a existência comum em uma vida consciência? desde Buffalo, Nova York, que ficava a
emocionante e em abundância. Bebam da água da vida. uns 1.300 km, para estarem com o

100
profeta de Deus e os santos. Embora Davi se via como pastor, mas o
fossem livres, foram obrigados a se Senhor o via como o rei de Israel. José
esconder daqueles que poderiam do Egito serviu como escravo, mas o
confundi-los com escravos fugidos. Senhor o viu como vidente. Mórmon
Suportaram o frio e muitas dificulda- vestia a armadura de um soldado, mas
des, gastando os sapatos e depois as o Senhor o viu como profeta.
meias, até caminharem descalços para Somos filhos e filhas de um Pai
chegar à Cidade de Joseph. Quando Celestial imortal, amoroso e todo-
chegaram a Nauvoo, o Profeta os poderoso. Fomos criados tanto do pó
recebeu em sua casa e os ajudou a da eternidade quanto do pó da Terra.
encontrar um lugar para ficar. Todos temos um potencial que mal
Mas havia uma moça chamada Jane podemos imaginar.
que não tinha para onde ir e que cho- O Apóstolo Paulo escreveu: “As coi-
rou, sem saber o que fazer. sas que o olho não viu, e o ouvido
“Não queremos lágrimas aqui”, não ouviu, E não subiram ao coração
disse-lhe Joseph. Virou-se para Emma do homem, São as que Deus prepa-
e disse: “Esta moça disse que não tem rou para os que o amam”.11
onde morar. Não acha que ela poderia Como é possível, então, que tantos
morar aqui conosco?” se vejam apenas como um velho
Emma concordou e, desse dia em cavalo cinza que não serve para nada?
diante, Jane passou a morar com eles Aqueles que dedicam a vida à Há uma centelha de grandeza dentro
e fazer parte da família. busca de seus próprios desejos de cada um de nós — um dom de
Anos após o Martírio do Profeta e egoístas, esquecendo-se dos outros, nosso amoroso e eterno Pai Celestial.
depois de ter acompanhado os pio- acabarão descobrindo que sua alegria O que faremos com esse dom…
neiros na longa jornada até Utah, Jane é vazia e que sua vida tem pouco depende de nós.
disse que às vezes ainda “acordava no significado. Amem o Senhor de todo o seu
meio da noite e pensava no irmão Na lápide de uma pessoa como coração, poder, mente e força.
Joseph e na irmã Emma e em como essa estava gravado o seguinte Dediquem-se a causas grandes e
eles tinham sido bondosos comigo. epitáfio: nobres. Transformem seu lar em um
Joseph Smith”, disse ela “foi o melhor santuário de santidade e força.
homem que conheci neste mundo”.7 Um ser mesquinho, que para si Magnifiquem seus chamados na
O Presidente Gordon B. Hinckley mesmo viveu, aqui jaz, Igreja. Encham a mente de conheci-
disse que aqueles que estendem a Sem se preocupar a não ser em mento. Fortaleçam seu testemunho.
mão para elevar e servir outros fortuna acumular, Estendam a mão para os outros.
“conhecerão uma felicidade (...) até Agora onde ele está, ou se está Façam de sua vida uma obra-prima.
então desconhecida. (...) Os céus em paz, Irmãos e irmãs, a vida em abun-
sabem que há muitas e muitas pes- Ninguém quer saber, nem vai se dância não chega até nós embrulhada
soas neste mundo que precisam de importar.9 e pronta. Não é algo que podemos
ajuda. Oh, tantas pessoas. Eliminemos pedir e esperar que nos seja entregue
o câncer do egoísmo de nossa vida, Somos mais felizes quando nossa pelo correio. Ela não vem sem dificul-
irmãos e irmãs, e nos ergamos um vida está conectada a outras pessoas dades e sofrimento.
pouco mais e nos esforcemos um por meio de amor e serviço abnega- Vem por meio da fé, esperança e
pouco mais no serviço ao próximo”.8 dos. O Presidente J. Reuben Clark caridade; e vem para aqueles que, a
Todos somos muito ocupados. É ensinou que “não há maior bênção, despeito das dificuldades e sofrimen-
fácil encontrar desculpas para não maior alegria e felicidade do que ali- tos, compreendem as palavras de um
estendermos a mão para os outros, viar o sofrimento de outras pessoas”.10 escritor que disse: “No meio do
mas imagino que elas soarão tão A terceira qualidade dos que têm inverno, finalmente descobri que
esfarrapadas para nosso Pai Celestial vida em abundância é fazer de sua dentro de mim havia um verão
quanto a do menino que levou para a vida uma obra-prima. invencível”.12
professora um bilhete pedindo para Não importa nossa idade, situação A vida em abundância não é um
ser liberado das aulas do dia 30 até o ou capacidade, cada um de nós pode lugar aonde chegamos, mas, sim, uma
dia 34 de março. fazer algo de notável na vida. magnífica jornada que começamos há

A L I A H O N A MAIO DE 2006 101


Até Nos Vermos
muito e muito tempo e que nunca,
nunca terá fim.
Uma das coisas mais reconfortan-
tes do evangelho de Jesus Cristo é
nosso conhecimento de que esta exis-
tência mortal é um mero piscar de
olhos da eternidade. Estejamos no iní-
cio ou no fim de nossa jornada mor-
Novamente
PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
tal, esta vida é apenas um passo, um
pequeno passo.
Nossa busca da vida em abundân-
cia não se limita à mortalidade; seu Que lembremos e constantemente expressemos em nossa
verdadeiro fim só pode ser com- vida os conselhos recebidos.
preendido do ponto de vista da eter-
nidade que se estende infinitamente
diante de nós.
Irmãos e irmãs, é nessa busca da nosso espírito e confirmaram
vida em abundância que encontramos nossa fé.
nosso destino. Agora, ao retornarmos para casa e
Como ilustrado na antiga história para nossas ocupações, que lembre-
de um cavalo velho e desprezado que mos e constantemente expressemos
tinha dentro de si a alma de campeão, em nossa vida os conselhos recebi-
há dentro de cada um de nós uma dos. Que permaneçamos fortalecidos
centelha divina de grandeza. Quem contra as artimanhas do adversário.
sabe o que seremos capazes de fazer Que nossos afazeres nas diversas res-
se simplesmente tentarmos? A vida ponsabilidades da Igreja não sejam
em abundância está a nosso alcance um fardo, mas que sejam motivo de
se simplesmente bebermos da água alegria e satisfação. Que vivamos jun-
da vida, enchermos o coração de tos como cônjuges, pais e filhos, com
amor e fizermos de nossa vida uma amor e bondade e respeito uns para
obra-prima. com os outros.
Que façamos isso, é minha Deus os abençoe, amados irmãos
humilde oração em nome de Jesus e irmãs. Deixo-lhes meu amor, meu
Cristo. Amém. ■

A
penas algumas palavras para testemunho e minha bênção e oro
concluir, meus irmãos e para que o Senhor esteja com todos
NOTAS irmãs, encerrando esta nós até nos vermos novamente. Que
1. Ver Rutherford George Montgomery,
Snowman, 1962. grande conferência. A música foi as bênçãos do céu se derramem con-
2. João 4:14 magnífica, as orações inspiradas, tinuamente sobre vocês, oro humil-
3. The Teachings of Lorenzo Snow, Clyde J. e os discursos e testemunhos demente no nome sagrado e santo
Williams (org.), 1996, p. 61.
4. João 10:10 tocaram nosso coração, elevaram de Jesus Cristo. Amém. ■
5. Ver Mateus 22:40
6. Gálatas 5:14.
7. Neil K. Newell, “Joseph Smith Moments:
Stranger in Nauvoo”, Church News, 31 de
dezembro de 2005, p. 16.
8. Teachings of Gordon B. Hinckley, 1997,
p. 597.
9. Obert C. Tanner em Christ’s Ideals for
Living, (Manual da Escola Dominical de
1955), p. 266. [Tradução livre]
10. “Fundamentals of the Church Welfare
Plan”, Church News, 2 de março de 1946,
p. 9.
11. I Coríntios 2:9
12. Albert Camus, em John Bartlett (org.),
Familiar Quotations, 16ª ed., 1980, p. 732.

102
REUNIÃO GERAL DAS MOÇAS
25 de Março de 2006

“Eu Sou a Luz


coisas para ajuntar um tesouro no
céu” (Helamã 5:8). As boas obras não
devem ser feitas com o intuito de ser-
mos reconhecidas.

que Levantareis”
S U S A N W. TA N N E R
Charles Dickens criou uma perso-
nagem no livro Bleak House, uma tal
de Sra. Jellyby, cujo defeito ele cha-
mou de “filantropia telescópica”. Ela
estava tão entretida na tarefa de aju-
Presidente Geral das Moças
dar uma tribo que sofria numa terra
distante, que deixou de dar atenção ao
Nossas pequenas ações [cristãs] podem produzir apenas um próprio filho machucado e sujo que a
procurou precisando de consolo. A
pontinho de luz, mas todas elas somadas começam a fazer Sra. Jellyby fazia questão de que suas
uma diferença significativa. boas obras fossem grandiosas e vistas
por todos (ver Charles Dickens, Bleak
House [1985] pp. 82–87). Talvez algu-
mas de nós prefiramos ajudar as víti-
mais um pouco com elas, Ele teve mas de um furacão do que ajudar
compaixão delas e ficou mais um nossos familiares em casa. Ora, as
pouco ali. Então, Ele as curou, orou duas coisas são importantes, mas
com elas, ensinou-as, chorou com o auxílio no lar é nossa principal e
elas, abençoou suas criancinhas, uma eterna responsabilidade. “Os pais
por uma, nutriu-as, e ministrou a elas têm o sagrado dever de criar os filhos
e partilhou o sacramento para que com amor e retidão, atender a suas
fizessem o convênio de sempre se necessidades físicas e espirituais” (“A
lembrarem Dele. Seu ministério foi Família — Proclamação ao Mundo”,
sobre ensinar cada pessoa, cuidar de A Liahona, outubro de 2004, p. 49).
cada pessoa, e concluir a obra que Lembro-me de outro personagem
Seu Pai Lhe ordenara. Ele nunca da literatura, oposto ao de Dickens.
pensava em Si mesmo. Depois que Dorothea é a heroína de um de meus
aprendi isso, passei a vida inteira pro- romances favoritos: Middlemarch. Ela
curando trazer a luz Dele para meu é lembrada no final do livro pelos atos
lar por meio de atos abnegados seme- serenos e abnegados que realizou aos
lhantes aos de Cristo. familiares e amigos. Lemos: “Ela pas-

L
embro-me de um bordado Não é uma tarefa fácil. Viver bem sou a vida inteira dedicando-se a coi-
bem simples que fiz quando no lar geralmente não é algo reconhe- sas que não garantiam grande fama na
era menina da Primária. Dizia: cido. É mais fácil “[erguer-nos e bri- Terra. Mas os efeitos de sua presença
“Trarei a luz do evangelho para meu lhar], para que [nossa] luz seja um nos que a cercavam se difundiram de
lar”. Perguntei-me: “O que será essa estandarte para as nações” (D&C modo incalculável: Porque o desen-
luz?” O próprio Jesus Cristo esclare- 115:5; grifo da autora) do que fazer volvimento do bem no mundo
ceu o significado disso ao ensinar os com que nossa luz seja um estandarte depende em parte de feitos pouco
nefitas. Ele disse: “Portanto levantai para nossa própria família. Às vezes, aclamados; e as coisas não estão tão
vossa luz para que brilhe perante o ninguém nos vê fazendo o bem e par- ruins como poderiam estar para nós
mundo”. Depois, Ele explicou: “Eu tilhando luz em nossa própria casa. É graças, em parte, a muitos que vive-
sou a luz que levantareis — aquilo normal por natureza humana ter o ram fielmente sem ostentação e agora
que me vistes fazer” (3 Néfi 18:24, desejo de receber louvor e atenção. repousam em túmulos nunca visita-
grifo da autora). Helamã ensinou seus filhos Néfi e Leí dos” (George Eliot, Middlemarch,
O que foi que os nefitas O viram a fazerem as boas obras dos antepas- [1986], p. 682).
fazer? Será que eu poderia fazer essas sados cujo nome tinham recebido, Nesses anos de preparação, vocês,
coisas em meu lar? Quando as pes- dizendo: “Não façais estas coisas para moças, passam grande parte de seu
soas desejaram que Ele permanecesse vangloriar-vos, mas que façais estas tempo na escola ou no trabalho, onde

A L I A H O N A MAIO DE 2006 103


recebem louvores, honras, prêmios, discrepância de minhas ações e senti quando fundamentada nos ensina-
fitas ou troféus. Quando trocam essa imenso remorso. Pedi à professora mentos do Senhor Jesus Cristo”
condição pela de uma jovem mãe, que me desse licença por alguns (A Liahona, outubro de 2004, p. 49).
há uma drástica redução nos cumpri- minutos para ligar para casa. Pedi des- Precisamos ser a luz para ajudar nossa
mentos que recebem de outros. Mas culpas à minha mãe por meu compor- família a vencer o pecado, a raiva, a
em nenhum outro papel existem mais tamento e disse que a amava e inveja e as brigas. Podemos orar jun-
oportunidades de servir abnegada- apreciava muito, prometendo que tos, chorar uns pelos outros, curar as
mente como Cristo teria feito, cui- procuraria demonstrar melhor isso. feridas uns dos outros, amar abnega-
dando de centenas de necessidades É difícil para a maioria de nós viver damente e servir-nos mutuamente.
físicas, emocionais e espirituais diá- um dia sequer sem contendas em Vocês, moças, estão-se preparando
rias. Vocês levarão a luz do evangelho nosso lar. A nação nefita teve uma hoje para fortalecer o seu futuro lar e
para seu lar, não para serem vistas sociedade perfeita por 200 anos, nos sua futura família, levando a luz do
pelas pessoas, mas para edificar pes- quais “não havia contendas na terra. evangelho para o seu lar e sua família
soas: homens e mulheres cheios de (...) E não havia invejas nem disputas atuais. As coisas pequenas e aparen-
força e luz. nem tumultos nem libertinagens nem temente insignificantes que vocês
O lar não é um lugar público e mentiras nem assassinatos nem qual- fazem são muito importantes. Li
infelizmente, por isso, o negligencia- quer espécie de lascívia; e certamente sobre uns pequenos vermes fosfores-
mos com freqüência. Em nosso lar e não poderia haver povo mais feliz centes encontrados nas cavernas da
com nossa família às vezes agimos entre todos os povos criados pela Nova Zelândia. Cada um, por si só,
da pior forma para com as pessoas mão de Deus” (4 Néfi 1:15–16). produz apenas um pontinho insignifi-
que mais importam em nossa vida. Algumas de nós nascemos em cante de luz. Mas quando milhões
Lembro-me claramente de uma famílias com problemas muito difí- deles iluminam uma caverna, produ-
manhã, quando eu tinha 14 anos. ceis. E mesmo as boas famílias têm zem luz suficiente para que uma pes-
Antes de sair para a escola, estava muitos desafios. Precisamos fazer em soa consiga ler. Da mesma forma,
com raiva e fui rude com meus pais nosso lar o que Cristo fez com os nefi- nossas pequenas ações podem produ-
e irmãos. Depois que saí de casa, fui tas. Tal como ensina a proclamação da zir apenas um pontinho de luz, mas
educada com o motorista do ônibus e família: “A felicidade na vida familiar é todas elas somadas começam a fazer
cordial com minhas colegas. Percebi a mais provável de ser alcançada uma diferença significativa. Hoje o

104
coro nos lembrará da importância de
compartilhar a nossa luzinha ao can-
tar o hino “Brilha”:

Eu tenho uma doce luz, de fé e


oração,
Que brilha como o sol de Deus,
aqui em meu coração.
Eu tenho uma doce luz que não
devo esconder
E de tal modo viverei que todos a
possam ver.

Brilha, brilha,
Brilha doce luz
Brilha, brilha pelo Rei Jesus.”
(Músicas para Crianças, p. 96).

Podemos brilhar ao cuidar de um


irmãozinho, ao almoçar com uma
irmã no refeitório da escola, ao fazer
as tarefas domésticas, ao resistir à von- e ele permitiu que as outras conhe- Aqueles que os rodeavam quiseram
tade de brigar, ao alegrar-nos com o cessem a Igreja. Daí, elas também ter aquela mesma luz e perguntaram:
sucesso dos outros, ao compartilhar foram batizadas. Por fim, para alegria “O que faremos para que esta nuvem
um doce, ao cuidar de alguém doente, de todos, o pai da família também se de escuridão que nos cobre seja
ao colocar um bilhete de agradeci- filiou à Igreja. No batismo, ele fez um removida?” (Helamã 5:40). Foram
mento embaixo do travesseiro do pai discurso dizendo que por algum ensinados a arrependerem-se e a
ou da mãe, ao perdoar uma ofensa, ao tempo a família tivera dois corações terem fé em Jesus Cristo. Ao fazerem
prestar nosso testemunho. batendo em ritmos diferentes na isso, a nuvem de escuridão se dissi-
Na Romênia, conheci Raluca, uma mesma casa. Mas agora havia uma só pou; e eles foram envolvidos pela luz,
moça de 17 anos que se filiou recen- fé, um só batismo, e os corações esta- por um pilar de fogo, e encheram-se
temente à Igreja. O batismo dela foi vam unidos em amor. Agradeceu aos da indescritível alegria do Santo
um acontecimento muito feliz por- missionários e membros que os aju- Espírito (ver Helamã 5:43–45).
que, entre outras coisas, toda a sua daram. Depois, fez um elogio espe- À medida que vocês partilharem
família estava presente. A mãe e a cial a sua filha Raluca, por ser tão sua luz, outras pessoas também
irmã sentiram o Espírito ali e também semelhante a Cristo em seu lar encontrarão uma luz maior. Acaso
quiseram ouvir as palestras missioná- durante esse período difícil, por ser existe alguém que precise mais da luz
rias. Isso deixou o pai preocupado, uma pacificadora, por curar feridas, que vocês têm do que a sua própria
porque ele achou que estava per- por ser uma professora, um exemplo família? Vejo em vocês, moças maravi-
dendo toda a família para aquela e uma luz, que por fim acabou tra- lhosas, com seu semblante brilhante,
igreja desconhecida. Por isso, ele não zendo toda a família para a Igreja de a força do presente e a esperança do
deu sua permissão, de modo que por Jesus Cristo. futuro em seu lar e na Igreja.
algum tempo houve um sentimento Cada uma de vocês tem luz. Ao Jesus Cristo é a luz que precisamos
de discórdia na família. No entanto, olhar para o rosto de vocês nesta elevar. “Ele é a luz, a vida e a espe-
Raluca lembrou-se de que fizera o noite e ao lembrar os rostos que vi ao rança do mundo. Seu caminho é
convênio batismal de tomar sobre si viajar pelo mundo, vejo a luz bri- aquele que conduz à felicidade nesta
o nome de Jesus Cristo. Procurou lhando em seu semblante “como vida e à vida eterna no mundo vin-
erguer Sua luz fazendo em seu lar as semblantes de anjos” (Helamã 5:36). douro” (“O Cristo Vivo — O
coisas que Ele faria. Foi uma pacifica- Em um mundo coberto pelas trevas Testemunho dos Apóstolos”, A
dora. Foi um exemplo. Foi uma pro- do pecado, os semblantes de Néfi e Liahona, abril de 2000, pp. 2–3). Que
fessora. Curou as feridas. Leí, filhos de Helamã, “brilhavam cada uma de nós brilhe com Sua luz,
Por fim, o coração do pai abrandou, intensamente” (Helamã 5:36). em nome de Jesus Cristo. Amém. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 105


Vocês Têm um
da bênção patriarcal e tiver um desejo
sincero de fazer o trabalho do Senhor,
estará madura o bastante para recebê-
la.7 Às vezes as pessoas esperam mais

Nobre Legado
JULIE B. BECK
tempo do que o necessário para
recebê-la, imaginando que precisam
qualificar-se de alguma forma especial.
Se você se qualifica para receber uma
recomendação para fazer batismos no
Primeira Conselheira na Presidência Geral das Moças
templo, então você deve estar pronta
para receber a bênção patriarcal. É
importante preparar-se com jejum e
Vocês podem aprender mais sobre a sua vida e sua missão oração para que o seu espírito seja
na Terra preparando-se para receber sua bênção patriarcal humilde e ensinável. A sua preparação
e depois estudando-a sempre. pessoal é muito importante.
Ao receber a sua bênção, você terá
um vislumbre da eternidade. Você
começará a enxergar o que está à
Vocês receberam suas primeiras lições frente porque a sua bênção fará refe-
de seus pais celestiais no mundo espi- rência à sua jornada eterna e ao seu
ritual.3 Foram enviadas à Terra para propósito. O patriarca não sabe o
serem “provadas”.4 conteúdo de sua bênção antes de dá-
Vocês estão em uma época da vida la. Ele depende do Espírito conferir-
na qual tomam algumas das suas mais lhe o que dizer. A bênção fala de sua
importantes decisões. Vocês estão ancestralidade na casa de Israel. Essa
sendo bombardeadas por tantas men- é a sua linhagem familiar, que às vezes
sagens incorretas sobre quem vocês é chamada de tribo. Todas as tribos
são, que precisam de orientação extra. têm seu início no grande patriarca
Vocês podem aprender mais sobre a Abraão. A sua linhagem é importante,
sua vida e sua missão na Terra, e sobre pois significa que você tem direito às
a luz que existe em vocês, preparando- promessas dadas a Abraão de que por
se para receber sua bênção patriarcal e meio dele todas as nações da Terra
depois estudando-a sempre. seriam abençoadas.8
Nunca é cedo demais para come- A sua linhagem é uma “relação de
çarem a aprender sobre bênçãos consangüinidade”.9 Isso as torna literal-

N
o ano passado, vi a luz de patriarcais.5 Sou grata por ter rece- mente “filhas dos profetas”10 e de
Deus brilhando no rosto de bido a minha antes de ter sido muito nobre nascimento. É por isso que dize-
vocês, moças, em grandes influenciada pelas mensagens confu- mos sempre que vocês são “jovens de
devocionais realizados desde o Brasil sas e incorretas do mundo. Saí nobre estirpe”11 e que pertencem a
até a República Dominicana. Vi vocês daquela experiência com a segurança uma geração real e escolhida.12
puxando carrinhos de mão em trilhas reconfortante de que o Senhor me Uma amiga me disse: Quando
de pioneiros. Vi sua luz ao cantarem e ama e me conhece e, daquele dia em entrei para a Igreja, aos 16 anos,
se divertirem em seus acampamentos. diante, comecei a pensar mais na eter- comecei a aprender sobre a minha
Vi essa luz de Deus brilhando no nidade do que na popularidade. identidade. Recebi minha bênção
rosto de moças no batistério de tem- Esta é a ocasião para as moças se patriarcal a qual me dizia que eu era
plos, desde o México até Utah. Sua prepararem e receberem sua bênção da casa de Israel. Na ocasião, eu não
luz fez uma grande diferença para patriarcal. Seu bispo e seus pais sabia o que isso queria dizer, mas
mim e para muitas outras pessoas. podem ajudá-la a decidir sobre qual é com o passar do tempo aprendi que
Vocês têm luz porque são literalmente o melhor momento para você, porque tenho o grande privilégio de ser des-
filhas espirituais de Deus, “[filhas a idade e a preparação variam de pes- cendente direta de profetas. Tenho
geradas] por pais celestiais”1 com uma soa para pessoa.6 Quando você com- uma herança preciosa e as melhores
natureza divina e um destino eterno.2 preender o significado e o propósito oportunidades.

106
Como Abraão, procure obter a bên-
ção, para que possa ter maior conheci-
mento e receber instruções do
Senhor.13 Ao recebê-la, você descobrirá
que o Senhor a conhece pelo nome.
No início da Igreja, muitas pessoas
desejavam que Joseph Smith inquirisse
a Deus para que lhes desse orientação
na vida. Algumas dessas revelações são
agora parte de Doutrina e Convênios.
Como os santos daquela época faziam,
você pode considerar a sua bênção
patriarcal como uma “escritura pes-
soal”.14 Você deve considerá-la sagrada
e mantê-la restrita à sua própria família
imediata.15
O patriarca pode prever o desen-
volvimento e as condições da sua vida
e pode dar-lhe uma bênção relacio-
nada a elas. Certa vez, uma moça me
disse: “Havia coisas sobre mim na Nas Filipinas, quatro moças assistem à transmissão da conferência.
minha bênção, que nem meus pais
sabiam”. O Presidente James E. Faust Quando eu estava no curso médio, diante deste povo de tal forma que
disse que cada bênção patriarcal é uma consultora viu as notas de meus vejam as vossas boas obras e glorifi-
uma “revelação pessoal e inspirada testes e me disse que eu não me sairia quem a vosso Pai, que está no céu”.19
vinda de Deus”. Cada uma é “uma bem na faculdade. Mas depois de Quando você sabe quem você é e
estrela a se seguir, (...) uma âncora estudar fervorosamente minha bên- o que deve fazer de sua vida, você
para nossas almas”. Ela revela nossas ção patriarcal, senti que não devia não procura esconder a sua luz.
habilidades e potencial.16 abandonar minha meta de vida. E Por exemplo: Vocês não vão querer
O Presidente Packer disse que assim, por ter a visão do plano que “esconder sua luz” vestindo roupas
nossa bênção é um “[parágrafo] do o Senhor tinha para mim, consegui que diminuam seu potencial real. Não
livro de [nossas] possibilidades”.17 O seguir adiante com confiança e espe- vão querer usar linguagem imprópria
Presidente Monson chamou nossa rança. Descobri que teria sucesso e ou macular seu corpo com tatuagens
bênção de “uma Liahona de luz”.18 conquistei um diploma universitário. ou outros procedimentos indignos
Visto que o objetivo da bênção Quando sabemos quem somos e o para uma filha de legado real. Não
patriarcal não é predizer todas as coi- que se espera que façamos é mais diminuirão seu legado ingerindo qual-
sas que acontecerão na vida de quem fácil tomar decisões importantes quer substância que seja prejudicial
a recebe, devemos buscar e seguir a sobre os estudos, a carreira e o casa- ou que cause dependência. Tampouco
orientação do Espírito Santo para mento. É mais fácil fazer nossa luz bri- verão coisas ou participarão de condu-
obter melhor entendimento do curso lhar em nossa família, entre os amigos tas imorais que rebaixem sua nobre
de nossa vida. Os ensinamentos do e em todos os outros lugares. estatura. Procurarão tudo que for
evangelho guiam-nos sempre para O Salvador disse: “Em verdade, em “digno, virtuoso e amável, de boa
uma plena compreensão de nosso verdade vos digo que eu vos concedo fama ou louvável”20 porque sabem que
destino e privilégios. Por exemplo, as serdes a luz deste povo. Não se pode são de nobre linhagem.
bênçãos patriarcais podem não men- esconder uma cidade edificada sobre Vocês são as preciosas filhas da
cionar que a pessoa se casará ou terá um monte. promissão. Se guardarem os estatutos
filhos, mas somos ensinados no evan- Eis que acendem os homens uma e mandamentos do Senhor e derem
gelho a casar-nos no templo e consti- candeia e colocam-na debaixo de um ouvidos à Sua voz, Ele prometeu que
tuir famílias. Podemos seguir esses alqueire? Não, colocam-na em um as exaltará sobre todas as nações para
ensinamentos do evangelho por velador e ela dá luz a todos os que louvor, para fama e para glória.21 Sua
nossa conta, sem necessidade de uma estão na casa. bênção patriarcal deve inspirá-las a
orientação pessoal específica. Portanto fazei brilhar vossa luz fazer mudanças em sua vida quando

A L I A H O N A MAIO DE 2006 107


forem necessárias. Ela contém pro- arrependimento é como um apagador bênção patriarcal], ou deixam que o
momento chegue e simplesmente acon-
messas que vocês podem receber só gigante que pode apagar até a tinta teça? (...) Penso que toda mãe deveria falar
por meio de sua fidelidade. Se não permanente!24 Não é fácil, mas é pos- sobre a bênção patriarcal a seus filhos
forem fiéis, não poderão contar com sível. O Senhor disse: “Eis que aquele quando ainda são bem pequenos, para
que estejam preparados para recebê-la”
o cumprimento de suas bênçãos. que se arrependeu de seus pecados é (Conference Report, Manchester England
Às vezes, as moças acham que por perdoado e eu, o Senhor, deles não Area Conference, junho de 1976, p. 23).
terem cometido erros não são dignas mais me lembro.”25 6. Ver Ezra Taft Benson, Sermons and
Writings of President Ezra Taft Benson
de receber uma bênção patriarcal ou Moças, sua bênção patriarcal vai (2003), p. 149.
se desqualificaram para a bênção que ajudá-las a saber que vocês têm um 7. Ver Ensign, outubro de 1987, p. 55.
já receberam. Lembrem-se de que o nobre legado. Ao amadurecerem, 8. Ver Gênesis 26:4; Abraão 2:9.
9. Ver Joseph Fielding Smith, Doutrinas de
ensinamento fundamental do Senhor vocês verão as profecias da bênção Salvação, comp. Bruce R. McConkie,
Jesus Cristo é fé Nele e em Seu poder acontecerem em sua vida. O Senhor 3 vols, (1954–1956), volume 3, p. 290.
de expiar nossos pecados. “Satanás tem coisas importantes e estimulantes 10. 3 Néfi 20:25.
11. “Constantes Qual Firmes Montanhas”,
quer que vocês pensem que não para vocês fazerem. Agora é a hora de Hinos, nº 184.
podem arrepender-se, mas isso abso- vocês se erguerem e brilharem,“para 12. I Pedro 2:9.
13. Ver Abraão 1:2–3
lutamente não é verdade!”22 Quando que [sua] luz seja um estandarte para 14. Sermons and Writings of President Ezra
tomamos o sacramento a cada as nações”.26 “Portanto fazei brilhar Taft Benson, p. 149.
semana, assumimos o compromisso vossa luz diante deste povo de tal 15. Ver “Sempre Fiéis — Tópicos do Evangelho”
(2004), pp. 30 a 32.
de melhorar nossa vida. Sempre deve- forma que vejam as vossas boas obras 16. Conference Report, outubro de 1995,
mos procurar nos tornar uma nova e glorifiquem a vosso Pai, que está no pp. 81–82; ou Ensign, novembro de 1995,
pessoa mais semelhante a nosso céu”.27 Em nome de Jesus Cristo. p. 63.
17. “O Patriarca da Estaca”, A Liahona,
Salvador Jesus Cristo. O Apóstolo Amém. ■ novembro de 2002, p. 42.
Paulo chama isso de “[caminhar] em NOTAS 18. Conference Report, outubro de 1986,
1. Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, p. 83; ou Ensign, novembro de 1986, p. 67.
novidade de vida”.23 Se você tiver 2ª edição (1966), p. 589. 19. 3 Néfi 12:14–16.
cometido erros graves que possam 2. Ver “A Família: Proclamação ao Mundo”, 20. Ver a 13ª Regra de Fé.
desqualificá-la em sua nobre estirpe, A Liahona, outubro de 2004, p. 49. 21. Ver Deuteronômio 26:17–19.
3. Ver D&C 138:56. 22. Para o Vigor da Juventude, (2001), p. 30.
leve suas lágrimas de tristeza ao 4. Ver Abraão 3:25; Guia para Estudo das 23. Romanos 6:4.
bispo. Ele é seu amigo no processo Escrituras, “Eleição”, p. 65. 24. Ver Sempre Fiéis — Tópicos do Evangelho”,
de arrependimento e foi designado 5. Ver “Teaching Children about Patriarchal pp. 132–134.
Blessings.” Ensign, outubro de 1987, p. 54. 25. D&C 58:42.
juiz aqui na Terra em lugar do O Presidente Spencer W. Kimball ensinou: 26. D&C 115:5.
Salvador, que é o Juiz Eterno. O “Vocês preparam seus filhos para [sua 27. 3 Néfi 12:16.

108
Teu Rosto Revela
Essa luz é a luz do Salvador. É a luz
do evangelho restaurado de Jesus
Cristo. Pelo modo como vocês vivem
o evangelho, vocês refletem a Sua luz.
E L A I N E S. DA LTO N Seu exemplo terá uma vigorosa
Segunda Conselheira na Presidência Geral das Moças influência para o bem nesta Terra.
“Erguei-vos e brilhai, para que vossa
luz seja um estandarte para as
Vocês refletem a Sua luz. Seu exemplo terá uma vigorosa nações”7 é um chamado para cada
influência para o bem nesta Terra. uma de vocês. É um chamado para
subirem para um nível mais elevado.
É um chamado para que liderem o
mundo na decência, pureza, recato e
Se vives próxima de Deus e de Sua santidade. É um chamado para que
infinita graça — compartilhem essa luz com outras
Não é preciso me dizer, porque teu pessoas. É hora de “erguerem-se e
rosto revela.2 brilharem”.
Será que uma jovem digna pode
Nunca me esqueci desse simples mudar o mundo? A resposta é um
poema e sempre procurei viver de retumbante “Sim!” Vocês têm o
modo que meu rosto revele isso. Vejo Espírito Santo como seu guia, e Ele
que vocês também estão fazendo lhes “mostrará todas as coisas que
dessa maneira. Há uma luz que irradia [devem] fazer”.8 São as coisas diárias
do rosto de vocês porque vocês fize- e constantes que vocês fazem que
ram e cumpriram convênios com vão fortalecê-las para serem uma líder
nosso Pai Celestial e Seu Filho Jesus e um exemplo: a oração diária, o
Cristo e fizeram escolhas que as quali- estudo diário das escrituras, a obe-
ficam para a companhia do Espírito diência diária, o serviço diário ao pró-
Santo. Expresso minha admiração por ximo. Ao fazerem essas coisas, vocês
todas vocês. se aproximarão mais do Salvador e se

N
unca houve melhor época para O Presidente Gordon B. Hinckley tornarão cada vez mais semelhantes
viver na Terra do que esta. disse a respeito de vocês: [Vocês são] a Ele. Tal como Moisés e Abinádi e
Estes são “dias inolvidáveis”.1 “a melhor e [mais forte] geração de outros líderes fiéis9, seu rosto brilhará
Esta é a época de vocês, e é uma jovens da história desta Igreja”.3 Creio com a chama de sua fé. “Haveis rece-
época maravilhosa. Vocês são maravi- que vocês foram preparadas e reser- bido sua imagem em vosso sem-
lhosas! Ao olhar para vocês e ver seus vadas para estar na Terra, nesta época, blante?”10 “Erguei-vos e brilhai.”
rostos radiantes, fico maravilhada por quando os desafios e oportunidades Em 1856, aos 13 anos de idade,
vocês serem tão boas, fortes e puras são maiores. Creio que o Senhor Mary filiou-se à Igreja com sua família,
num mundo tão desafiador. Lembro- conta com vocês para serem líderes na Inglaterra, viajou para os Estados
me de um poema que meu avô costu- em retidão e servirem de testemunha Unidos e uniu-se à companhia Martin
mava recitar quando eu tinha a idade “em todos os momentos e em todas de carrinhos de mão. Em sua biogra-
de vocês. Era assim: as coisas e em todos os lugares”.4 fia ela relatou as dificuldades da jor-
Realmente podemos dizer que vocês nada: a perda de seu irmão bebê e
Não é preciso me dizeres como vives são a “radiante esperança do futuro”.5 de seu irmão mais velho, o congela-
a cada dia; Creio que vocês estão incluídas mento de seus pés e, por fim, a morte
Não é preciso me dizeres se entre aqueles a que o Apóstolo Pedro de uma irmãzinha recém-nascida e de
trabalhas ou brincas; se referia ao dizer: “Vós sois a geração sua mãe. Quando ela chegou ao Vale
Pois há um barômetro fiel e eleita, o sacerdócio real, a nação do Lago Salgado, o médico amputou-
comprovado que me diz essas santa, o povo adquirido, para que lhe os dedos dos pés, mas foi-lhe pro-
coisas — anuncieis as virtudes daquele que vos metido pelo profeta Brigham Young
Não é preciso me dizer, porque teu chamou das trevas para a sua maravi- que ela não precisaria amputar mais
rosto revela. lhosa luz”.6 nenhuma parte de seu pé. Ela contou:

A L I A H O N A MAIO DE 2006 109


vez mais tenebroso, elas estão
fazendo algo digno. Algumas de vocês
são o único membro da Igreja em sua
família ou em sua escola. Vocês estão
fazendo uma grande diferença. Estão
liderando de modo vigoroso.
Há pouco tempo, fui passear com
um grupo de jovens até o cume do
Pico Ensign. Olhamos dali para a
Cidade de Salt Lake e para o templo e
falamos sobre o sacrifício que tantas
pessoas fizeram pelo evangelho.
Depois, cada um dos jovens desfral-
dou uma bandeira. Em suas bandei-
ras, eles haviam desenhado símbolos
de sua mensagem para o mundo: o
que eles queriam defender nestes últi-
mos dias. Fiquei emocionada ao ouvir
o testemunho e o comprometimento
de cada um deles. Depois, cantamos
“Um dia eu me sentei, chorando. pernas se endireitaram e ela apren- “No Monte a Bandeira”14 e os jovens
Meus pés doíam muito, quando uma deu a andar de novo. 12 gritaram juntos: “Hurra para Israel!”15
senhora idosa bateu na porta. Ela Creio que vocês estão aprendendo, Repito essa exclamação hoje. Hurra
disse que tinha sentido que alguém tal como Mary Goble, a atingirem para vocês! Espero que nunca hesi-
precisaria dela por alguns dias. (...) as prateleiras que seus líderes vão tem em fazerem “resplandecer a
Mostrei-lhe meus pés. (...) Ela disse: erguendo só um pouquinho de cada vossa luz (...) para que [as pessoas]
‘Com a ajuda do Senhor nós ainda sal- vez, e se forem subindo à medida que vejam as vossas boas obras e glorifi-
varemos os seus pés’. Ela fez um cata- esses ideais forem sendo elevados, quem a vosso Pai, que está nos
plasma e aplicou nos meus pés, e poderão caminhar para o futuro com céus”.16 Espero que vocês também
todos os dias depois que o médico ia confiança. desfraldem bem alto as suas bandei-
embora, ela vinha e trocava o cata- O rosto das moças da África ras. Sei que se vocês liderarem em
plasma. Ao fim de três meses, meus Ocidental brilha com a luz radiante do retidão, esta escritura de Isaías será
pés estavam curados”.11 Espírito Santo. Elas vivem os padrões cumprida: “Eis que (...) o Senhor virá
Mas Mary teve que ficar sentada de Para o Vigor da Juventude, são surgindo, e a sua glória se verá sobre
por tanto tempo que os tendões de guiadas pelo Espírito e estão-se prepa- ti”.17 Ela será visível e “os gentios
suas pernas ficaram rígidos e ela não rando para serem líderes. Elas amam o caminharão à tua luz, e os reis ao res-
conseguia esticá-las. Quando o pai viu Senhor e são gratas por Sua luz na plendor que te nasceu”.18
a situação em que ela se encontrava, vida delas. Algumas daquelas jovens Vejo o dia em que o mundo olhará
ele chorou. Ele massageou as pernas caminharam três horas para comparti- para vocês e dirá: “Quem são vocês?”
dela com óleo e tentou endireitá-las, lhar seu testemunho comigo. Graças a Quem são essas moças que irradiam
mas de nada adiantou. Certo dia, ele elas, eu jamais serei a mesma. essa luz? Por que vocês são tão felizes?
disse: “Mary, pensei num plano para Quando eu estava na América do Por que sabem o caminho a seguir
ajudá-la. Pregarei uma prateleira na Sul, as moças e suas líderes cantaram: num mundo tão confuso? E vocês se
parede e quando eu estiver fora de “Eu Quero Ser como Cristo”.13 Elas erguerão e dirão com convicção:
casa trabalhando, você vai tentar não apenas cantaram, mas realmente “Somos filhas de nosso Pai Celestial
alcançá-la”. Ela disse que tentou queriam dizer isso. Na Ásia e na Índia, que nos ama, e nós O amamos.
durante o dia inteiro, por vários dias, as moças são um exemplo de fé, Serviremos de testemunhas de Deus
até que finalmente conseguiu alcan- recato no vestir e pureza. Seus olhos em todos os momentos e em todas as
çar a prateleira. Então, o pai colocou brilham e estão cheios de alegria. As coisas e em todos os lugares”.19
a prateleira um pouco mais alto. Isso moças da Inglaterra, Irlanda e País de Meu chamado para vocês é o
prosseguiu por mais três meses, e Gales defendem a verdade e a retidão mesmo de Morôni: “Desperta e
graças à diligência diária dela, suas em suas escolas. Em um mundo cada levanta-te (...) ó filha de Sião”.20 Ele

110
Sua Luz — Um
viu vocês. Viu estes dias. Estes são os
seus dias! Cabe a vocês decidirem que
vão “erguer-se e brilhar”. Creio que à
medida que vocês despertarem e se
levantarem, sua luz será um estan-
darte para as nações, mas também
creio que seus padrões serão uma luz
para as nações. Vocês foram escolhi-
Estandarte para
das e separadas. Vocês se distingui-
ram na existência pré-mortal. Sua
herança traz consigo um convênio e
muitas promessas. Vocês herdaram os
Todas as Nações
P R E S I D E N T E J A M E S E . FA U S T
atributos espirituais dos fiéis, sim, de Segundo Conselheiro na Primeira Presidência
Abraão, Isaque e Jacó. Sua própria
natureza reflete sua herança divina e
seu destino. O fato de terem nascido Vejo a luz brilhando no rosto de vocês. Essa luz provém
meninas não foi por acaso. Suas carac-
terísticas divinas serão magnificadas
do Senhor e, ao irradiarem essa luz, ela vai abençoá-las
à medida que liderarem outras pes- e também a muitas outras pessoas.
soas e se erguerem à altura de seu
potencial divino. Aproximem-se do
Salvador. Ele vive! Ele é a luz, a vida e
a esperança do mundo. Ele vai liderá- precisam desenvolver um testemu-
las e dar-lhes coragem para comparti- nho e ter fé em Cristo, mantendo seu
lharem sua luz. Como meu avô me enfoque em Cristo em vez de no
ensinou: “Se vives próxima de Deus e mundo. Vocês são dignas filhas de
de Sua infinita graça, não é preciso Deus, e Ele as ama e quer ajudá-las.
me dizer, porque teu rosto revela”. O tema desta conferência é muito
Em nome de Jesus Cristo. Amém. ■ adequado: “Erguei-vos e brilhai, para
que vossa luz seja um estandarte para
NOTAS
1. Oliver Cowdery, em Joseph Smith —
as nações”.1 Vejo a luz brilhando no
História 1:71, nota de rodapé. rosto de vocês. Essa luz provém do
2. Autor desconhecido. Senhor e, ao irradiarem essa luz, ela
3. Gordon B. Hinckley, Teachings of
Gordon B. Hinckley, [1997], p. 714.
vai abençoá-las e também a muitas
4. Mosias 18:9 outras pessoas.
5. Gordon B. Hinckley, “Permanecer Firmes Essa mesma luz guiou Mary
e Inamovíveis”, Reunião Mundial de
Treinamento de Liderança, 10 de janeiro Elizabeth Rollins, de 15 anos, e sua
de 2004, p. 20. irmã Caroline, de 13, em um dia
6. I Pedro 2:9. frio e sombrio, em Independence,
7. D&C 115: 5.

S
8. 2 Néfi 32: 5. entimo-nos honrados nesta Missouri. No ano de 1833, uma multi-
9. Ver Êxodo 34:30; Mosias 13:5; noite pela presença do dão furiosa irrompeu pelas ruas de
Mateus 17:2. Presidente Gordon B. Hinckley, Independence, queimando proprie-
10. Alma 5:14.
11. Eugene England, “Utah, a Centennial nosso amado profeta, e do Presidente dades e causando grande confusão.
Celebration”, revista This People, primavera Thomas S. Monson, a quem também No caminho deles estava a casa do
de 1996, p. 21.
12. Ver England, revista This People, pp. 21–22.
apreciamos e amamos. Temos o privi- irmão William W. Phelps, onde era
13. Ver Músicas para Crianças, p. 40. légio de estar aqui com todas vocês, guardada a prensa. Ele estava impri-
14. Ver Hinos, p. 4. jovens irmãs, e suas maravilhosas mindo as revelações recebidas pelo
15. Ver Orson F. Whitney, Life of Heber C.
Kimball, p. 266. líderes. Profeta Joseph Smith. A multidão
16. Mateus 5:16. Vocês são moças de imenso poten- destruiu a prensa e jogou os pedaços
17. Isaías 60: 2. cial. Têm muito a fazer em sua vida. dela na rua. No entanto, empilharam
18. Isaías 60: 3.
19. Tema das Moças; ver também Mosias 18:9. Farão um grande trabalho em seu lar, as páginas impressas no quintal para
20. Morôni 10:31. na Igreja e na comunidade. Para isso, poderem queimá-las mais tarde.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 111


Mary Elizabeth e Caroline estavam Nas palavras de Mórmon: “Conheceis militar. Marchou para a cidade de
escondidas atrás da cerca, assistindo a luz pela qual podeis julgar, luz essa Reims e postou-se com a espada e
assustadas a toda aquela destruição. que é a luz de Cristo”.3 a bandeira nas mãos, enquanto
Embora estivesse aterrrorizada, Mary Há poucos anos, estive no lugar Carlos era coroado rei. Lutou na bata-
Elizabeth estava com os olhos fitos em que Joana D’Arc foi queimada lha de Paris, até ser capturada em
naquelas páginas preciosas. Ela e a numa estaca no ano de 1431. A jovem Compiègne, por aliados dos ingleses,
irmã saíram rapidamente do lugar em Joana D’Arc, uma das grandes heroí- que a venderam aos ingleses por
que estavam escondidas, apanharam nas da história, tornou-se a imprová- 16.000 francos. Foi colocada na pri-
as escrituras e fugiram correndo. vel líder do exército francês na Idade são, julgada como herege e depois
Algumas pessoas da multidão as viram Média, bem antes da restauração do queimada numa estaca em 1431.
e ordenaram que parassem. Mas as evangelho. Joana tinha a Luz de Cristo Embora esse tenha sido um final
corajosas meninas correram para um e também a coragem de seguir suas triste, ele não diminui a grandeza de
milharal, onde se deitaram no chão, inspirações e fazer algo digno. Joana Joana. Ela foi suficientemente cora-
sem fôlego. Colocaram cuidadosa- era uma jovem camponesa que não josa para seguir a inspiração pessoal
mente as páginas das revelações entre sabia ler nem escrever, mas era bri- a que todos nós temos direito. Tal
as altas fileiras de milho e as cobriram, lhante. Os longos anos de guerra con- como o Senhor disse ao Profeta
deitando-se sobre elas. Os agitadores tra a Inglaterra tinham empobrecido Joseph Smith: “Eu sou a verdadeira
procuraram as meninas sem des- e dividido seu país. Aos dezessete luz que ilumina todo homem que
canso, chegando muitas vezes até anos, sentindo que sua vida tinha vem ao mundo”.4
bem perto delas, mas não as encon- um propósito, saiu de casa decidida a Para as outras moças do século XV,
traram. Por fim, desistiram da busca e ajudar a libertar seu país oprimido. Joana D’Arc parecia muito diferente.
foram ver o que mais podiam destruir Naturalmente, zombaram de suas Irmãs, não tenham medo de ser dife-
na cidade. idéias e acharam que ela era meio rentes em nosso século! Às vezes pre-
Creio que a luz do Senhor orientou maluca, mas no final, ela convenceu cisamos ser diferentes para manter os
Mary Elizabeth e Caroline sobre o que as pessoas a lhe darem um cavalo e padrões da Igreja. Portanto, repito:
deviam fazer e onde deviam esconder- uma escolta para que fosse ver o rei. Não tenham medo de ser diferentes,
se para ficarem seguras. Irmãs, essa O jovem rei Carlos VII da França mas sejam as melhores que puderem
luz brilha para vocês e será seu guia, tinha ouvido falar de Joana e decidiu ser. Muitas moças se deixam influen-
tal como foi para as irmãs Rollins. Ela testá-la. Escondeu-se no meio do ciar pelo comportamento e o modo
as manterá em segurança, mesmo que exército e fez com que um de seus de vestir das amigas. Essa conduta
o perigo esteja à espreita. Tal como vassalos de confiança ocupasse o pode ser motivada pelo desejo de ser
prometeu o Mestre: “Serei também trono. Quando Joana entrou no salão, aceita pelo grupo de amigas. Joana
vossa luz no deserto; (...) e prepararei nem deu atenção ao homem no D’Arc não se preocupou com o que as
o caminho a vossa frente, se guardar- trono, mas prontamente se dirigiu até amigas faziam, mas, sim, com o que
des meus mandamentos; (...) sabereis onde Carlos estava e o reverenciou ela sabia que devia fazer.
que sois conduzidos por mim”.2 como seu rei. Isso impressionou de Em nossa sociedade atual vejo
Minhas queridas jovens amigas, tal maneira o rei que ele a nomeou muitas pessoas que culpam os outros
vocês podem permanecer longe do comandante de seus 12.000 soldados. por seus fracassos. Tenho observado
mal, tal como as irmãs Rollins, se A princípio, os soldados franceses não que aqueles que aceitam a responsa-
desenvolverem seu próprio testemu- quiseram obedecer a ela, mas quando bilidade pessoal por suas ações têm
nho do Salvador. Ao fazerem isso, viram que todos que a seguiam mais sucesso do que os que colocam
crescerão em força espiritual. tinham sucesso e todos que a despre- a culpa de seus fracassos e de sua falta
Valorizem a espiritualidade e desco- zavam fracassavam, passaram a consi- de realizações em outras pessoas.
brirão que ela é doce e agradável. derá-la sua líder. Podemos exibir a luz que há dentro
Vocês querem tomar suas próprias Vestindo uma armadura branca e de nós de muitas maneiras diferentes.
decisões, mas precisam fazê-lo com empunhando sua própria bandeira, Pode ser com um simples sorriso.
uma perspectiva eterna. Ao adquiri- Joana D’Arc libertou a cidade sitiada Li recentemente a história de um
rem mais idade, experiência e fé, de Orleans em 1429 e derrotou os homem da região noroeste dos
terão sabedoria para tomar boas deci- ingleses em quatro outras batalhas. Estados Unidos que costumava passar
sões e também as decisões certas. Por duas vezes foi ferida, mas reco- de carro por um ponto de ônibus a
Creio que vocês jovens sabem onde brou-se e continuou lutando. Suas caminho do trabalho. Ele passou a
devem procurar as respostas certas. ordens pareciam as de um gênio notar uma moça no meio das crianças

112
Na Coréia, um grupo de moças assiste à transmissão da conferência.

que esperavam o ônibus escolar. família começou a ler aquelas novas dez virgens contada pelo Salvador7,
Mesmo quando estava chovendo, ela escrituras, e logo ficaram muito inte- cada jovem tinha uma lâmpada. Essa
lhe sorria e acenava sempre que ele ressados. Por fim, o Sr. Hankins parábola tem claramente uma aplica-
passava. Ele disse: “Era uma menina conheceu Vicki. Ela era aquela ção tanto física quanto espiritual. O
alta e magra, com seus 13 anos de menina sorridente que ele tinha visto óleo pode ser comprado no mercado.
idade. Usava aparelho nos dentes, e tantas vezes no ponto de ônibus. Ela Mas outro tipo de óleo, o óleo espiri-
eu o via brilhar refletindo os faróis do estava presente quando ele e dois tual que não está à venda, só pode ser
meu carro”. O empenho dela em ser outros membros da família dele acumulado por meio de nossas boas
amigável lhe proporcionava um bom foram batizados. obras diárias.
início de dia, sendo algo esperado a Relembrando as ações de Vicki e A parábola contava o que aconte-
cada manhã. de outros jovens, o irmão e a irmã ceu quando todas as dez jovens
O nome daquele homem era Hankins se convenceram de que “o esperavam a chegada do noivo. O
Hankins, e ele tinha uma filha, Cheryl, maior potencial para o trabalho mis- noivo chegou no momento mais
que era da mesma idade da menina sionário está nos jovens da Igreja”. escuro da noite, quando menos era
do ponto de ônibus. Certo dia, O irmão e a irmã Hankins já serviram esperado. Era meia-noite, e as impru-
Cheryl pediu aos pais que lhe dessem eles próprios como missionários. dentes tinham ficado sem óleo.
permissão para participar de uma Contaram em seu trabalho com as Vocês talvez se perguntem por que
atividade em uma igreja local. Uma referências e o bom exemplo dados as virgens prudentes não comparti-
menina da vizinhança, Vicki, a convi- pelos jovens. Vicki, a menina do lharam o óleo delas com as outras
dara para a atividade. A atividade era a ponto de ônibus que sorria todos os cinco. Não foi egoísmo da parte
AMM, a precursora do programa das dias, mesmo quando chovia, mudou delas. A preparação espiritual não
Moças! Cheryl gostou muito da AMM a vida deles para sempre.5 pode ser compartilhada em um ins-
e depois contou aos pais que Vicki Cada uma de vocês pode fazer ami- tante porque cada um de nós enche
era mórmon. Pouco tempo depois, zade com alguém, mesmo que seja sua lâmpada gota a gota em nossa
Cheryl voltou da escola para casa e somente sorrindo. Tal como Vicki, vida diária.
disse que Vicki lhes enviaria dois rapa- vocês podem fazer com que a luz que O falecido Presidente Spencer W.
zes, missionários, para apresentarem há em seu coração brilhe em seu Kimball definiu essas gotas de óleo
a Igreja dela para a família. rosto. O Apóstolo João descreveu para nós, há alguns anos, quando
Os élderes os visitaram, ensinaram “uma mulher vestida do sol, tendo a disse:
sobre o Livro de Mórmon e sobre lua debaixo dos seus pés”.6 De modo “Há óleos que mantêm o evange-
Joseph Smith, e prestaram testemu- semelhante, vocês, jovens, podem ser lho brilhando bem forte. Um dos
nho da Restauração do evangelho. A portadoras de luz. Na parábola das tipos de óleo é o da oração familiar.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 113


“[erguer-nos e brilhar], para que
[nossa] luz seja um estandarte para
as nações” deve dar-nos muita ener-
gia. Grandes oportunidades as aguar-
dam, queridas irmãs. A tecnologia
continuará a desenvolver-se. Os
canais para a expressão de seus talen-
tos podem exceder suas mais caras
esperanças e expectativas. Haverá
desafios para cada uma de vocês, mas
vocês poderão encontrar felicidade
fazendo o que sabem ser o certo.
Precisarão de fé e determinação para
encontrarem seu lugar no mundo,
mas com perseverança e a ajuda do
Senhor conseguirão fazê-lo.
Como filhas de nosso Pai Celestial,
cada uma de vocês pode partilhar
de Sua natureza divina.9 Isso é ine-
rente a vocês. Testifico que cada uma
de vocês, moças, tem dons especiais
recebidos do Pai Celestial. Alguns des-
ses dons são exclusivos das mulheres.
Ao desenvolverem esses dons, vocês
crescerão em força, propósito e
nobreza.
Este é o trabalho de Deus. Somos
todos Seus servos. Ele está cuidando
de nós. Ele quer que tenhamos su-
cesso. Todos temos alguma parte a
cumprir nesta obra sagrada, mesmo
Ele nos ilumina e nos torna radiantes se comprar durante o dia, mas não que possa parecer pequena e pouco
e alegres, mas é difícil de se obter à está disponível à noite. É o óleo do visível.
meia-noite. Uma gota ou duas não dízimo. Espero e oro que as maiores bên-
manterão a lâmpada acesa por muito Há um (...) óleo que é tão precioso çãos do Senhor estejam com vocês,
tempo. (...) que sem ele nenhum dos outros maravilhosas jovens irmãs, para apoiá-
Outro tipo é o óleo do jejum. A óleos pode queimar. Sem ele, a luz de las e cuidar de vocês. Abençôo todas
última meia-noite é um início muito todos os outros óleos acabará se apa- vocês para que sejam fortalecidas e
tardio para disciplinarmos nossa vida gando. É o óleo da castidade”.8 magnificadas e tenham felicidade e
em preparação para o grande Dia do Minhas queridas amigas, muitas de realizações, e oro por isso em nome
Senhor. (...) vocês colocaram óleo em suas lâmpa- do Senhor Jesus Cristo. Amém. ■
Outro óleo que não está disponível das no ano passado quando cumpri- NOTAS
à meia-noite é o indispensável óleo ram o desafio do Presidente Hinckley 1. D&C 115:5.
do serviço no lar. Esse raro óleo do de lerem o Livro de Mórmon. Podem 2. 1 Néfi 17:13.
3. Morôni 7:18.
serviço é acumulado por meio de continuar a fazê-lo toda vez que 4. D&C 93:2.
visitas aos enfermos e da ajuda ao lerem as escrituras, tomarem o sacra- 5. Ver C. S. Hankins, “The Bus Stop”,
próximo. (...) mento e fizerem suas orações diárias. New Era, abril de 1991, p. 26.
6. Tradução de Joseph Smith, Apocalipse
Há outro óleo do qual todos preci- E à medida que cada uma de vocês 12:1.
samos — sejamos ricos ou pobres, colocar óleo em sua lâmpada, sua luz 7. Ver Mateus 25:1–13.
enfermos ou sãos. Sua luz é brilhante se tornará “um estandarte para as 8. “Gospel’s Rare Oils Difficult to Obtain
‘at Midnight’”, Church News, 13 de
e aumenta com o uso. Quanto mais é nações”. maio de 1995, p. 14.
usado, mais abundante fica. É fácil de O conselho do Senhor de 9. Ver II Pedro 1:4.

114
líderes quanto a alguma • Faça um esboço da
Ensinamentos para os ênfase em especial.
Aqueles que participam das
maneira como pretende
ensinar esses princípios e
Nossos Dias aulas do quarto domingo são doutrinas. Seu esboço
incentivados a estudar e a levar deve incluir perguntas que

A
s instruções a seguir, Essas edições são publicadas para a sala de aula a edição da ajudem os membros a:
para as aulas do quarto em maio e novembro. Os dis- revista com os discursos da –Procurar princípios e dou-
domingo do Sacerdócio cursos também estão disponí- última conferência geral. Os trinas no(s) discurso(s)
de Melquisedeque e da veis on-line (em muitos líderes da ala e do ramo que você usar para ensinar;
Sociedade de Socorro, substi- idiomas) no site www.lds.org. devem assegurar-se de que –Pensar no significado dos
tuem as contidas na publica- Cada lição poderá ser todos os membros tenham princípios e doutrinas;
ção Informações para os preparada com base em um acesso às revistas da Igreja. –Falar sobre o que eles
Líderes do Sacerdócio e das discurso, ou mais. Os presi- entenderam, as idéias e
Auxiliares sobre Currículo dentes de estaca e de distrito Sugestões para Preparar experiências que tiveram e
para o período de 2005 a podem escolher quais discur- a Aula com Base nos sobre o testemunho que
2008. sos devem ser usados, ou Discursos têm desses princípios e
As reuniões do Sacerdócio podem delegar essa respon- • Ore para que o Espírito doutrinas;
de Melquisedeque e da sabilidade aos bispos e presi- Santo esteja ao seu lado ao –Aplicar à própria vida
Sociedade de Socorro realiza- dentes de ramo. Esses líderes estudar e ao ensinar o(s) esses princípios e
das no quarto domingo de do sacerdócio devem reforçar discurso(s). Poderá haver doutrinas.
cada mês continuarão a ser a importância de que tanto momentos em que você • Estude os capítulos 31 e
dedicadas aos “Ensinamentos os irmãos do Sacerdócio fique tentado a deixar os 32 do manual Ensino, Não
para os Nossos Dias”. Todas as de Melquisedeque quanto discursos de conferência Há Maior Chamado.
aulas dos “Ensinamentos para as irmãs da Sociedade de de lado e usar outros
os Nossos Dias” terão por Socorro estudem os mesmos materiais para preparar a “O que mais importa é que
base a edição de A Liahona discursos no mesmo domin- aula, mas são os discursos os alunos sintam a influência
que traz os discursos da confe- go. Os professores devem da conferência que fazem do Espírito, aumentem sua
rência geral mais recente. buscar o conselho de seus parte do currículo apro- compreensão do evangelho,
vado. Sua tarefa é ajudar aprendam a aplicar em sua
os outros a aprender e vida os princípios verdadeiros
viver o evangelho como e fortaleçam seu compro-
ensinado na última confe- misso de viver o evangelho”
rência geral da Igreja. (Guia de Ensino, 2001, p. 12).
• Estude o(s) discurso(s) Envie seus comentários
procurando princípios e sobre os “Ensinamentos
doutrinas que atendam às para os Nossos Dias” para:
necessidades dos alunos. Curriculum Development,
Procure também histórias, 50 East North Temple Street,
referências de escritura e Room 2420, Salt Lake City,
declarações que o ajudem UT 84150-3220, USA; e-mail:
a ensinar os princípios e cur-development@ldschurch
doutrinas. .org. ■

Meses Materiais para as Aulas do Quarto


Domingo
Maio a Outubro Discursos publicados na edição de
de 2006 A Liahona de maio de 2006*

Novembro de 2006 Discursos publicados na edição de


a Abril de 2007 A Liahona de novembro de 2006*
*Esses discursos estão disponíveis on-line (em muitos idiomas) no site www.lds.org.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 115


Eles Falaram ou formação sejam diferentes das
nossas?
5. Identifique alguns “maka-fekes”
que são colocados à nossa frente para

para Nós nos atrair. O Presidente Thomas S.


Monson fala de como retirar esses
males de nossa vida. (18)
6. Anote o que o Élder L. Tom
Fazer com Que a Conferência Se Torne Parte de Nossa Vida Perry disse sobre o que significa
participar do sacramento. (39)
Experimente ler a letra do hino
sacramental durante a distribuição
do sacramento para manter seus
pensamentos no Salvador.

Para a Noite Familiar ou o


Estudo Pessoal
7. O Élder Joseph B. Wirthlin falou
sobre três características das pessoas
que vivem uma “vida em abundância”.
(99) Quais são essas características?
Como elas enriqueceram sua vida?
Como você pode ajudar os membros
de sua família a desenvolver tais
características?
8. O Élder Dieter F. Uchtdorf falou
sobre ver o fim desde o princípio.
(42) Tente lembrar-se de alguma oca-
sião em que, graças à uma provação,
Dois membros da Estaca São Paulo Brasil Norte estudam as escrituras depois de
uma sessão da conferência.

A
s perguntas a Quais eram eles? (Dica: Ver o
seguir podem discurso do Élder David A.
ajudar crianças, Bednar, página 28.)
jovens e adultos a dis- 3. Muitos desastres naturais
cutir ou ponderar o ocorreram no mundo recente-
que aprendemos mente. Para onde a Igreja
nesta conferência enviou ajuda humanitária?
geral. (Os números (Dica: Ver o discurso
entre parênteses refe- do Bispo H. David você tenha recebido uma grande bên-
rem-se à página inicial Burton, página 8.) ção. Se você soubesse desde o princí-
do discurso.) A lista de histórias Providencie um pio como as coisas terminariam, teria
também pode ajudar. mapa-múndi ou agido de outra forma? Como isso
um globo e loca- poderia influenciar sua atitude quanto
Para as Crianças lize os lugares a futuras provações?
1. Há quanto tempo o sobre os quais 9. O Élder H. Bruce Stucki contou
Presidente Gordon B. Hinckley foi ele falou. duas histórias sobre como o Pai
apoiado como Autoridade Geral? Celestial responde às orações. (96)
Quantos discursos de conferência Para os Jovens Tente lembrar-se dos momentos
geral ele proferiu, aproximadamente? 4. O Presidente Gordon B. em que as suas orações foram res-
(Dica: Ver o discurso do Presidente Hinckley pediu-nos que fôssemos pondidas e avalie a possibilidade
Gordon B. Hinckley, página 81.) mais bondosos e receptivos com as de contar essas experiências na
2. Para Leí e sua família a Liahona pessoas. (58) Como devemos tratar noite familiar ou registrá-las em
servia a dois importantes propósitos. as pessoas cujas crenças e cultura seu diário. ■

116
H I S T Ó R I A S PA R A L E R E C O N T A R
Nos discursos que começam nas páginas indicadas abaixo, você encontrará
histórias e idéias que poderá contar.
Um professor tonganês ensina como funciona uma isca para polvos, 18
Gustav e Margarete Wacker servem fielmente, 18
Joseph Smith instrui Brigham Young durante um sonho, 28
O marido ignora a esposa em um avião, 36
Viajar em férias e santificar o Dia do Senhor, 39
Quando menino, Dieter F. Uchtdorf entregava roupas lavadas usando uma
bicicleta velha, 42
Uma jovem viúva aprende o significado do arrependimento, 48
O Élder LeGrand Richards convida membros menos ativos a À esquerda: Templo de
discursar, 48 Manhattan Nova York.
Diáconos aprendem que o sacramento é sagrado, 50 Abaixo: Presidente
Sacerdote esforça-se com dificuldade para abençoar o Brigham Young.
sacramento, 54
Diácono distribui o sacramento em seu leito de morte, 54
O jovem Thomas S. Monson passa por uma longa entrevista antes
de receber o Sacerdócio de Melquisedeque, 54
Rapaz é humilhado por membros da Igreja mas converte-se anos
depois, 58
Joseph Smith perdoa W. W. Phelps, 58
Pecar é como recolher pedras no caminho e juntá-las na mochila, 72
Missionárias mais velhas procuram a mulher a quem prometeram ensinar, 74
Médico nigeriano sonha que seu amigo fala a uma congregação, 77
A conversão de um homem no norte da Índia, 77
Menino cambojano dá testemunho de Cristo, 77
Conversão de uma mulher tailandesa, 77
O silêncio no Templo de Manhattan Nova York, 90
Quando menino, H. Bruce Stucki ora para encontrar uma
flecha perdida, 96
Médico inexperiente executa uma cirurgia de cérebro, 96
Cavalo comprado em leilão torna-se campeão, 99
Susan W. Tanner pede desculpas à mãe, 103
Moça na Romênia é exemplo para sua família, 103
Os pés congelados de Mary Goble finalmente ficam
sãos, 109
As irmãs Rollin salvam as páginas impressas das
primeiras revelações, 111
O exemplo de uma jovem ajuda uma família a filiar-se
à Igreja, 111

A LIAHONA, DE ARNOLD FRIBERG; FOTOGRAFIA: JED A. CLARK, CRAIG DIMOND,


LAURENI FOCHETTO E MATTHEW REIER

A L I A H O N A MAIO DE 2006 117


Guias de Recursos para A Liahona, janeiro de 2001, p. 104.
Inclua o conselho da irmã Smoot
de sermos instrumentos, na seção
novembro de 2005, p. 16. Substitua a
história do namoro pela história do
tsunami.
o Sacerdócio Aarônico “Introdução: As Ferramentas do
Senhor” dessa aula.
Richard G. Scott, “Como Viver
Bem em meio ao Mal Crescente”,

e Moças Progresso Pessoal: “Experiências


com o Valor: Boas Obras”, nº 1, 2, 5,
ou 6.
A Liahona, maio de 2004, p. 100.
Discuta a opção que o Élder Scott
apresenta na seção “Podemos Viver
Lição 31: Atividades em Grupo: Retamente num Mundo Iníquo”.

O s recursos a seguir podem ser


usados para suplementar, não
substituir, as aulas do Sacerdócio
vestir no Dia do Senhor, em vez de
ler a história da lição.
Helen Walker Jones, “Escolhi a
Base para um Bom Namoro
Boyd K. Packer, “Você Está no
Banco do Motorista”, A Liahona,
Progresso Pessoal: “Experiências
com o Valor: Escolhas e Responsa-
bilidades”, nº 2.
Aarônico, Manual 1, e Moças, Escola Dominical”, A Liahona, feve- junho de 2004, p. 26. Suplemente Lição 36: Importância da Verdade
Manual 1. Nas referências, Dever reiro de 2006, p. 45. Use essa história o conselho do Presidente Kimball, para Viver Virtuosamente
para com Deus é usado para significar para suplementar a seção sobre ativi- sobre as regras para o namoro, com Charles Didier, “A Busca do
os livretos do Sacerdócio Aarônico: dades no Dia do Senhor. as regras citadas pelo Presidente Homem pela Verdade Divina”, A
Cumprir Nosso Dever para com Progresso Pessoal: “Experiências Packer. Liahona, novembro de 2005, p. 48.
Deus. Progresso Pessoal significa o com o Valor: Fé”, nº 4. Progresso Pessoal: “Experiências Inclua os três passos para encontrar a
livreto Progresso Pessoal das Moças. Lição 26: Testemunho com o Valor: Escolhas e Responsa- verdade na primeira discussão das
Algumas atividades dos manuais Dever Gordon B. Hinckley, “Meu bilidades”, nº 6. escrituras.
para com Deus e Progresso Pessoal Testemunho”, A Liahona, julho de Lição 32: Pureza Pessoal através da Progresso Pessoal: “Experiências
podem ser feitas durante as aulas, ou 2000, p. 82. Discuta como o testemu- Autodisciplina com o Valor: Integridade”, nº 4.
você pode incentivar o quórum ou os nho do Presidente Hinckley se desen- James E. Faust, “Capacidade de Lição 37: Cuidados com Nosso
membros da classe a fazê-las em casa. volveu, quando você falar sobre Autocontrole”, A Liahona, julho de Corpo Físico
Outras sugestões didáticas encontram- testemunho pessoal. 2000, p. 52. Use a definição de auto- Boyd K. Packer, “Sois o Templo
se na página 1 da revista A Liahona e M. Russell Ballard, “Testemunho controle dada pelo Presidente Faust de Deus”, A Liahona, janeiro de
no manual Ensino, Não Há Maior Puro”, A Liahona, novembro de 2004, como introdução da lição. 2001, p. 85. Leia o conselho do
Chamado. p. 40. Use uma das histórias desse Jeffrey R. Holland, “Pureza Presidente Packer quanto a ter cui-
Rogamos que as aulas sejam artigo em lugar das histórias dadas Pessoal”, A Liahona, outubro de 2000, dado com nosso corpo, mostrando
ministradas na ordem em que foram na lição. p. 40. Considere a possibilidade de uma gravura do templo.
impressas. O manual não inclui uma Lição 27: Estudo das Escrituras substituir os estudos de caso da lição Susan W. Tanner, “A Santidade do
aula específica para o Natal. Se quiser “Uma Conversa a respeito do com as três razões para permanecer Corpo”, A Liahona, novembro de
dar uma aula especial para o Natal, Estudo das Escrituras: Entrevista com puras, dadas pelo Élder Holland. 2005, p. 13. Use as seções mais ade-
sugerimos usar as escrituras, discur- o Élder Henry B. Eyring”, A Liahona, Progresso Pessoal: “Experiências quadas durante toda a lição.
sos de conferência, artigos de A julho de 2005, p. 8. Inclua a resposta com o Valor: Integridade”, nº 2. Progresso Pessoal: “Projeto com o
Liahona, gravuras e hinos que eviden- final do Élder Eyring na seção “Como Lição 33: Evitar a Má Influência Valor: Conhecimento”, item 3.
ciem a vida e a missão do Salvador. os Pais Podem Ajudar seus Filhos a da Mídia Lição 38: Nutrição e a Palavra de
Para encontrar versões dos guias Amar as Escrituras?” Dallin H. Oaks, “Pornografia”, Sabedoria
de recursos em idiomas diferentes do “Perguntas e Respostas”, A A Liahona, maio de 2005, p. 87. Inclua Boyd K. Packer, “A Palavra de
inglês, visite o www.lds.org, clique no Liahona, junho de 2005, p. 22. Use as a admoestação do Élder Oaks durante Sabedoria: O Princípio e as Promessas”,
mapa-múndi e selecione o idioma sugestões sobre o estudo das escritu- a discussão sobre a pornografia. A Liahona, julho de 1996, p. 17. Inclua
desejado. Clique sobre “Revistas da ras quando discutir os fundamentos M. Russell Ballard, “Que Nossa o conselho do Presidente Packer na
Igreja” e depois sobre a edição de de ponderar e examinar as escrituras. Voz Seja Ouvida”, A Liahona, novem- segunda parte da lição.
maio de 2006. Progresso Pessoal: “Experiências bro de 2003, p. 16. Faça uma coluna Progresso Pessoal: “Projeto com o
A versão em inglês dos guias de com o Valor: Conhecimento”, nº 4. no quadro-negro com as idéias do Valor: Conhecimento”, item 3.
recursos pode ser encontrada no Lição 28: Resistência ao Pecado Élder Ballard sobre expor sua opinião Lição 39: Uso de Drogas
www.lds.org, clicando sobre “Gospel Richard G. Scott, “Como Viver contra a mídia negativa. Colleen Whitley, “Não Estou
Library”. Existem links para os guias Bem em meio ao Mal Crescente”, Progresso Pessoal: “Projeto com o Prejudicando Ninguém”, A Liahona,
de recursos mais recentes na coluna à A Liahona, maio de 2004, p. 100. Valor: Escolhas e Responsabilidades”, março de 2000, p. 40. Inclua o relato
direita. Use as escrituras e histórias para item 3. de John na seção sobre “Devemos
Futuros guias de recursos serão suplementar a lição. Lição 34: Pensamentos Dignos Compreender as Conseqüências do
impressos nas edições de maio de e Lição 29: Segunda Vinda Boyd K. Packer, “O Espírito de Abuso de Drogas”.
novembro de A Liahona. As revistas Dallin H. Oaks, “A Preparação Revelação”, A Liahona, janeiro de Lição 40: Saúde no Lar
da Igreja (para alguns idiomas) podem para a Segunda Vinda”, A Liahona, 2000, p. 26. Use esse artigo para Richard M. Romney, “A Primeira a
ser vistas on-line no www.lds.org. maio de 2004, p. 7. Esse artigo pode suplementar o discurso do Presidente Socorrer”, A Liahona, novembro de
ser usado quando discutir a respeito Packer que consta do manual. 1999, p. 44. Considere a idéia de
dos sinais da Segunda Vinda. L. Tom Perry, “Discipulado”, incluir algumas experiências de Celine
Guia de Recurso para Lição 30: Serviço A Liahona, janeiro de 2001, p. 72. na discussão da primeira história.
Moças, Manual 1 Jeffrey R. Holland, “Chamados a Substitua alguns discursos do Progresso Pessoal: “Projeto com o
Para uso em 2006: Lições de Servir”, A Liahona, novembro de Presidente Packer que se encontram Valor: Boas Obras”, item 4.
25 a 49 2002, p. 36. Considere a possibilidade no manual pela história do Élder Lição 41: Capacidade para Ser
Lição 25: Dia do Senhor de acrescentar algumas das histórias Perry sobre cantos escondidos. Bem-Sucedida
Jeffrey R. Holland, “Para as de mulheres fiéis citadas no artigo, Lição 35: Viver Retamente em Meio Richard G. Scott, “Atingir Seu
Moças”, A Liahona, novembro de como exemplos de serviço. às Pressões Pleno Potencial”, A Liahona, novem-
2005, p. 28. Leia o que o Élder Mary Ellen Smoot, “Somos Joseph B. Wirthlin, “Seguir para bro de 2003, p. 41. Conclua a seção
Holland diz sobre a maneira de nos Instrumentos nas Mãos de Deus”, um Lugar Mais Elevado”, A Liahona, “Não Devemos Subestimar-nos” com

118
as palavras de incentivo do Élder
Scott.
Progresso Pessoal: “Experiências
com o Valor: Natureza Divina”, nº 6.
Lição 42: Coragem de Tentar
Gordon B. Hinckley, “Conselhos
e Oração do Profeta para os Jovens”,
A Liahona, abril de 2001, p. 30.
Substitua a lista contida na lição
pela lista do Presidente Hinckley
e discuta-a.
Thomas S. Monson, “Convite à
Coragem”, A Liahona, maio de 2004,
p. 54. Use a definição de coragem
dada pelo Presidente Monson
durante a primeira apresentação feita
pela professora.
Progresso Pessoal: “Experiências
com o Valor: Valor Individual”, nº 4.
Lição 43: Viver Retamente
Russell M. Nelson, “Agora É o
Tempo de Nos Prepararmos”, A
Liahona, maio de 2005, p. 16. Para
concluir a lição, discuta o conselho
do Élder Nelson sobre como nos
prepararmos.
M. Russell Ballard, “Mulheres de
Retidão”, A Liahona, dezembro de
2002, p. 34. Use o debate do Élder
Ballard sobre as distorções de Satanás
como introdução da parte “O Senhor
Nos Disse que Iniqüidade Nunca Foi
Felicidade”.
Progresso Pessoal: “Experiências
com o Valor: Escolhas e Responsa-
bilidades”, nº 2.
Lição 44: Usar o Tempo com
Sabedoria
Dallin H. Oaks, “Enfoque e
Prioridades”, A Liahona, julho de
2001, p. 99. Inclua a discussão do
Élder Oaks sobre prioridades na
seção “O Bom Uso do Tempo Traz
Bênçãos Materiais e Espirituais”.
“Como Planejar Bem o Tempo e John K. Carmack, “Fundo conselho do Élder Oaks, como um sobre as escrituras, use o debate do
Manter a Vida Equilibrada”, A Liahona, Perpétuo de Educação: Um Brilhante lembrete para que a classe nunca Élder Maxwell sobre Moisés para ofe-
abril de 2003, p. 33. Coloque a lista Raio de Esperança”, A Liahona, perca de vista as metas eternas. recer mais uma ilustração do que seja
desse artigo em discussão como parte janeiro de 2004, p. 32. Discuta os efei- Joseph B. Wirthlin, “Um Passo de delegar.
da seção “O Bom Uso do Tempo Traz tos do FPE na parte que cita o conse- Cada Vez”, A Liahona, janeiro de 2002,
Bênçãos Materiais e Espirituais”. lho do profeta sobre a educação. p. 27. Conte a história do alpinista
Lição 45: Valor do Trabalho Progresso Pessoal: “Projeto com cego juntamente com a história do Guia de Recurso
Joseph B. Wirthlin, “Lições o Valor: Conhecimento”, item 2. Presidente Kimball no final da lição.
Aprendidas na Jornada da Vida”, Lição 47: Encorajar o Progresso Pessoal, “Experiências para Sacerdócio
A Liahona, maio de 2001, p. 34. Desenvolvimento de Talentos com o Valor: Valor Individual”, nº 2. Aarônico, Manual 1
Considere a possibilidade de substi- Carol B. Thomas, “Desenvolver Lição 49: Delegar Para uso em 2006, lições de
tuir a história de Ann Cynick pela Nosso Talento para a Espiritualidade”, Responsabilidades 25 a 49
história do Dr. Ben Carson. A Liahona, julho de 2001, p. 106. Use Joseph B. Wirthlin, “Guiados por Lição 25: Perdão
Progresso Pessoal: “Experiências o artigo para concluir a lição e preste Sua Vida Exemplar”, A Liahona, feve- Gordon B. Hinckley, “O Perdão”,
com o Valor: Conhecimento”, nº 5. testemunho de que a espiritualidade reiro de 1999, p. 34. Depois do ques- A Liahona, novembro de 2005, p. 81.
Lição 46: Propósito e Valor da é um dos talentos mais importantes tionário sobre as escrituras, leia as Use o artigo para suplementar a lição.
Educação que devemos desenvolver. palavras do Élder Wirthlin quanto à Lição 26: Fazer o Bem no Dia do
Earl C. Tingey, “Estabelecer Lição 48: Metas a Curto Prazo São capacidade de delegar demonstrada Senhor
Padrões Eternos”, A Liahona, outu- Degraus pelo Salvador. Earl C. Tingey, “Estabelecer
bro de 2004, p. 20. Inclua o conselho Dallin H. Oaks, “O Mais Neal A. Maxwell, “Sabedoria e Padrões Eternos”, A Liahona, outu-
do Élder Tingey sobre a educação Importante”, A Liahona, março de Ordem”, A Liahona, dezembro de bro de 2004, p. 20. Considere a possi-
como parte da conclusão da aula. 2000, p. 14. Conclua a lição com o 2001, p. 18. Antes do questionário bilidade de usar a seção sobre o Dia

A L I A H O N A MAIO DE 2006 119


“A Administração do Sacramento” no
artigo, depois de fazer a última per-
gunta para pensar.
Dever para com Deus
(Sacerdote), “Atividades do Quórum”
nº 1.
Lição 36: Testemunho
M. Russell Ballard, “Testemunho
Puro”, A Liahona, novembro de 2004,
p. 40. Considere a idéia de substituir
o questionário por uma atividade na
qual os rapazes façam uma busca no
discurso do Élder Ballard para a defi-
nição de testemunho.
Jay E. Jensen, “Prestar
Testemunho”, A Liahona, outubro de
2005, p. 10. Discuta a seção do Élder
Jensen quanto a “O Que Não É um
Testemunho”, quando for definir
testemunho.
Dever para com Deus (Diácono),
“Desenvolvimento Espiritual”, nº 5.
Lição 37: Sacerdócio de Aarão
Thomas S. Monson, “Preparar o
Caminho”, A Liahona, fevereiro de
2001, p. 2. Use o testemunho do
Presidente Monson sobre João Batista
durante essa aula.
do Senhor para suplementar janeiro de 2005, p. 30. Leia a seção Lição 33: Estudo das Escrituras “O Milagre do Sacerdócio”,
a lição. intitulada “Geração de Deus” ao L. Tom Perry, “Bênçãos A Liahona, abril de 2004, p. 26.
“O Testemunho de Toshio colocar em discussão o fato de que Decorrentes da Leitura do Livro de Conclua a lição com a última per-
Kawada”, A Liahona, janeiro de os membros da classe são filhos de Mórmon”, A Liahona, novembro de gunta e resposta do artigo.
2006, p. 38. Considere a idéia de Deus. 2005, p. 6. Inclua a discussão do Élder Dever para com Deus (Diácono),
usar a história do irmão Kawada e Lição 30: Plano de Salvação Perry sobre o sacrifício quando mos- “Atividades do Quórum”, nº 4.
seu testemunho em lugar da história Richard G. Scott, “A Verdade trar a torta do tempo. Lição 38: Magnificar o Chamado
da lição. Restaurada”, A Liahona, novembro “Uma Conversa a respeito do como Portador do Sacerdócio
Dever para com Deus (Mestre), de 2005, p. 78. Use o artigo no início Estudo das Escrituras: Entrevista com Aarônico
“Desenvolvimento Espiritual”, nº 2. da lição. o Élder Henry B. Eyring”, A Liahona, Dieter F. Uchtdorf, “Frutos da
Lição 27: Reverência “Vida Antes do Nascimento”, julho de 2005, p. 8. Inclua perguntas Primeira Visão”, A Liahona, maio de
Dennis B. Neuenschwander, A Liahona, fevereiro de 2006, e respostas adequadas durante toda 2005, p. 36. Fale sobre como o Élder
“Lugar Santo, Espaço Sagrado”, A p. 30. Use o artigo para suplementar a lição. Uchtdorf foi abençoado enquanto
Liahona, maio de 2003, p. 71. Use o a lição. Dever para com Deus cumpria uma designação como porta-
artigo para explicar a reverência por Dever para com Deus (Sacerdote), (Diácono), “Atividades em Família” dor do Sacerdócio Aarônico.
coisas sagradas e para discutir a reve- “Atividades em Família” nº 5. nº 1. David B. Haight, “Crescer Dentro
rência no Dia do Senhor. Lição 31: Perseverança na Oração e Lição 34: Obediência do Sacerdócio”, A Liahona, maio de
Lição 28: Respeito pelas Mulheres Jejum Henry B. Eyring, “Preparação 2003, p. 43. Use as experiências do
Gordon B. Hinckley, “As Mulheres Joseph B. Wirthlin, “A Lei do Espiritual: Começar Cedo e Ser Élder Haight quando discutir a impor-
de Nossa Vida”, A Liahona, novem- Jejum”, A Liahona, julho de 2001, Constante”, A Liahona, novembro de tância de trabalhar no Sacerdócio
bro de 2004, p. 82. Esse artigo pode p. 88. Use o artigo para explicar as 2005, p. 37. Discuta os quatro contex- Aarônico.
ser usado como suplemento durante bênçãos que podemos receber tos quanto à obediência na seção Dever para com Deus (Mestre),
toda a lição. quando obedecemos à lei do jejum. “Todos Podemos Ser Obedientes” “Desenvolvimento Espiritual”, nº 1.
Joseph B. Wirthlin, “A Virtude da Carl B. Pratt, “As Bênçãos de um da lição. Lição 39: Obra Missionária através
Bondade”, A Liahona, maio de 2005, Jejum Adequado”, A Liahona, novem- R. Conrad Schultz, “Obediência e do Exemplo
p. 26. Use os exemplos de bondade bro de 2004, p. 47. Esse artigo pode Fé”, A Liahona, julho de 2002, p. 32. Thomas S. Monson, “O Profeta
antes da seção sobre os homens ser usado como um suplemento Discuta e defina obediência e fé Joseph Smith: Mestre pelo Exemplo”,
cristãos. durante toda a lição. como introdução à lição. A Liahona, novembro de 2005, p. 67.
Lição 29: A Família Eterna Dever para com Deus (Diácono), Lição 35: Sacramento Substitua uma das histórias pela his-
M. Russell Ballard, “Mais “Atividades do Quórum”, nº 2. Thomas S. Monson, “Cumpra Seu tória sobre a vida do Profeta Joseph
Importante É o Que É Duradouro”, Lição 32: Dízimo Dever — É o Melhor a Fazer”, A Smith e discuta sua influência e
A Liahona, novembro de 2005, p. 41. Robert D. Hales, “Dízimo: Uma Liahona, novembro de 2005, p. 56. exemplo.
Use o começo do artigo e trechos Prova de Fé com Bênçãos Eternas”, Inclua a história do Presidente M. Russell Ballard, “O Papel
da proclamação sobre a família para A Liahona, novembro de 2002, p. 26. Monson sobre o sacramento, como Essencial do Membro no Trabalho
suplementar a discussão a respeito Inclua a descrição do Élder Hales um terceiro testemunho. Missionário”, A Liahona, maio de
das famílias terrenas. sobre como o dízimo é usado, na Russell M. Nelson, “Adoração na 2003, p. 37. Substitua a distribuição
“Criados à Imagem de Deus — seção “Ajudar o Crescimento do Reunião Sacramental”, A Liahona, do material por um resumo dos três
Homem e Mulher”, A Liahona, Reino de Deus”. agosto de 2004, p. 10. Discuta a seção passos descritos pelo Élder Ballard

120
Presidência Geral das Auxiliares
ESCOLA DOMINICAL
para sermos melhores exemplos. Dever para com Deus (Mestre),
Lição 40: Casa do Senhor “Atividades do Quórum”, nº 1.
Russell M. Nelson, “Os Jovens Lição 45: O Sagrado Poder da
Adultos e o Templo”, A Liahona, feve- Procriação
reiro de 2006, p. 10. Substitua a histó- “Os Sagrados Poderes da
ria da seção “Preparar-se para o Procriação”, A Liahona, junho de
Templo” pelo segmento “A 2005, p. 38. Leia “Três Razões para
Preparação Pessoal para o Templo”, Obedecer”, ao discutir a seção
no artigo do Élder Nelson. “Um Filho de Deus que Honra a
Howard W. Hunter, “Um Povo Si Próprio Abençoa a Si Mesmo e a Daniel K. Judd A. Roger Merrill William D. Oswald
Motivado pelo Templo”, A Liahona, Sua Família”. Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
março de 2004, p. 40. Como introdu- Lição 46: Tomar Decisões
ção aos propósitos do templo, inclua James E. Faust, “Escolhas”, A SOCIEDADE DE SOCORRO
as citações da seção do Presidente Liahona, maio de 2004, p. 51. Use o
Hunter “O Importante Símbolo que artigo para suplementar e substituir
Representa os Membros da Igreja”. histórias durante toda a lição.
Dever para com Deus Lição 47: Consagração e Sacrifício
(Sacerdote), “Atividades em Família”, Stephen B. Oveson e Dixie
nº 10. Randall Oveson, “Consagração
Lição 41: Pureza Sexual Pessoal”, A Liahona, setembro de
Gordon B. Hinckley, “Um Mal 2005, p. 16. Substitua alguns estudos
Trágico entre Nós”, A Liahona, de caso por exemplos de consagração
novembro de 2004, p. 59. Inclua as citados no artigo.
recomendações do Presidente Elaine S. Dalton, “Fizemos Isso Kathleen H. Hughes Bonnie D. Parkin Anne C. Pingree
Hinckley sobre a pornografia durante por Vocês”, A Liahona, novembro
Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira
a discussão sobre pecados sexuais. de 2004, p. 89. Ao término da lição,
Jeffrey R. Holland, “Pureza conte a história que deu origem à
RAPAZES
Pessoal”, A Liahona, outubro de frase “Fizemos Isso por Vocês”. Preste
2000, p. 40. Conclua a lição com as testemunho de que por meio do
três razões citadas pelo Élder Holland sacrifício, podemos fazer coisas gran-
pelas quais a pureza é tão importante. diosas por outras pessoas.
Dever para com Deus (Mestre), Lição 48: Poder para Batizar
“Desenvolvimento Espiritual”, nº 5. Robert D. Hales, “O Convênio
Lição 42: Honestidade do Batismo: Estar no Reino e Ser do
D. Rex Gerratt, “Encontrando Reino”, A Liahona, janeiro de 2001,
uma Fortuna”, A Liahona, setembro p. 6. Conte como as operações do
de 2003, p. 8. Substitua a primeira Élder Hales prepararam-no para ser Dean R. Burgess Charles W. Dahlquist II Michael A. Neider
história pela experiência do Élder firme na declaração das doutrinas do Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
Gerratt. evangelho.
Dever para com Deus Carol B. Thomas, “O Poder MOÇAS
(Sacerdote), “Desenvolvimento Espiritual de Nosso Batismo”, A
Espiritual”, nº 1. Liahona, julho de 1999, p. 108.
Lição 43: Ferramentas para o Depois de explicar o convênio do
Estudo das Escrituras batismo, dê a explicação da irmã
“Uma Conversa a respeito do Thomas sobre a influência que o
Estudo das Escrituras: Entrevista com batismo deve exercer sobre nós.
o Élder Henry B. Eyring”, A Liahona, Dever para com Deus
julho de 2005, p. 8. Inclua perguntas (Sacerdote), “Desenvolvimento
e respostas adequadas durante toda Espiritual”, nº 6.
a lição. Lição 49: Usar o Tempo com
“Sugestões para o Estudo das Sabedoria Julie B. Beck Susan W. Tanner Elaine S. Dalton
Escrituras”, A Liahona, setembro de Russell M. Nelson, “Agora É o Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira
2001, p. 29. Distribua essas sugestões Tempo de Nos Prepararmos”, A
ao término da lição. Liahona, maio de 2005, p. 16. Antes PRIMÁRIA
Lição 44: Como Ser um Melhor de perguntar aos membros da classe
Mestre Familiar o que fariam se tivessem somente
John L. Haueter, “Companheiro mais uma semana de vida, conte as
Júnior”, A Liahona, novembro de lições que o Élder Nelson aprendeu
2001, p. 28. Substitua a primeira his- após a morte inesperada de sua
tória por esta e discuta a influência do esposa.
companheiro júnior. Dallin H. Oaks, “Enfoque e
“O Quórum de Mestres”, A Prioridades”, A Liahona, julho de
Liahona, fevereiro de 2005, p. 44. 2001, p. 99. Suplemente a história do
Inclua a segunda pergunta e suas res- perito em eficiência pelo conselho do Margaret S. Lifferth Cheryl C. Lant Vicki F. Matsumori
postas ao discutir como ser um Élder Oaks sobre manter o enfoque Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira
melhor mestre familiar. nas coisas mais importantes. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 121


NOTÍCIAS D A I G R E J A

A Conferência Chega aos


Membros no Mundo Inteiro;
Novos Setentas São
Chamados
O
Presidente Gordon B. Os novos idiomas nesta con-
Hinckley, aproxi- ferência incluíram o efique, o
mando-se do 96º ani- ilocano, o ilongo, o ioruba e o
versário, supera os efeitos da lingala.
cirurgia a que se submeteu No sábado, foram chama-
recentemente para falar aos das dez novas Autoridades
membros da Igreja no sábado Gerais e dezessete novos
à noite e domingo pela Setentas de Área.
manhã, e para abençoar os As Autoridades Gerais cha-
ouvintes no encerramento da madas para servir no Primeiro
176ª Conferência Geral Anual Quórum dos Setenta são:
da Igreja. David S. Baxter, Shayne M.
“Deus os abençoe, amados Bowen, Daniel L. Johnson,
irmãos e irmãs”, disse ao Marcus B. Nash e Anthony D.
encerrar a conferência. Perkins. As novas Autoridades
“Deixo-lhes meu amor, meu Gerais chamadas para servir
testemunho e minha bênção no Segundo Quórum dos
com vocês e oro para que o Setenta são: Craig A. Cardon, O Presidente Gordon B. Hinckley e o Presidente Thomas S.
Senhor esteja com todos nós Don R. Clarke, Keith R. Monson, da Primeira Presidência, deixam o púlpito.
até nos vermos novamente.” Edwards, Stanley G. Ellis e
As palavras do Presidente Larry W. Gibbons. (Informa- Cruz, Bolívia; Juan A. Cidade do México, México;
Hinckley, bem como os ensi- ções sobre as novas Autori- Etchegaray, 61 anos, Carlos Villanova, 43 anos,
namentos de seus conselhei- dades Gerais começam na Montevidéu, Uruguai; Hernan Porto Alegre, Brasil.
ros na Primeira Presidência, página 124.) Além disso, o I. Herrera, 50 anos, Santiago, As desobrigações, em
dos membros do Quórum Élder Keith K. Hilbig, mem- Chile; David J. Hoare, 52 anos, vigor desde 1º de maio de
dos Doze Apóstolos e outras bro do Segundo Quórum Sunbury, Austrália; César H. 2006, foram anunciadas para
Autoridades Gerais e líderes dos Setenta desde 2001, foi Hooker, 47 anos, Lima, Peru; os seguintes dezesseis
gerais da Igreja, foram trans- indicado para o Primeiro Javier Ibañez, 51 anos, San Setentas de Área: Salvador
mitidas via satélite em 85 idio- Quórum dos Setenta (ver Cristobal, Venezuela; Daniel Aguirre, Jose C. Aleson,
mas, para 5.952 locais de informações biográficas na M. Jones, 53 anos, Cedar City, Daniel P. Alvarez, David S.
propriedade da Igreja, em 83 revista A Liahona, edição de Utah; Stephen C. Kerr, 45 Baxter, Shayne M. Bowen,
países. As mensagens foram julho de 2001, p. 125). anos, Stirling, Escócia; Joni L. Yatyr M. César, Robert M.
levadas on-line em até 61 idio- Os Setentas de Área ser- Koch, 44 anos, Balneário Cowan, Keith R. Edwards,
mas, dependendo da sessão. vem à Igreja voluntariamente Camboriú, Brasil; Daniel A. Stanley G. Ellis, Franz R.
Transmissões pela Internet em regime de tempo parcial, Moreno, 53 anos, Buenos Gaag, Daniel L. Johnson,
levaram a conferência a algu- dentro das respectivas áreas Aires, Argentina; Kent H. Joel H. McKinnon, Marcus B.
mas capelas em locais fora do geográficas designadas, e Murdock, 58 anos, Salt Lake Nash, Armando A. Sierra,
alcance da rede de satélite da apóiam as Presidências de City, Utah; J. Michel Paya, 61 Jeffrey C. Swinton e Remus G.
Igreja. Área nas áreas internacionais. anos, Mougins, França; Villarete.
Os 85 idiomas, inclusive o Foram chamados como Stephen D. Posey, 58 anos, Para informações sobre a
inglês, representam a língua Setentas de Área: Jose L. Augusta do Norte, Carolina do disponibilidade dos arquivos
nativa de 98% dos membros Alonso, 47 anos, San Nicolas, Sul; Carlos F. Rivas, 46 anos, em vídeo, áudio e em texto,
da Igreja. A Igreja espera che- México; Vladimiro J. San Salvador, El Salvador; visite o site www.lds.org/
gar a 100% até o ano de 2010. Campero, 60 anos, Santa Juan M. Rodriguez, 54 anos, broadcast. ■

122
dados pelos líderes locais se lugar como homens e mulhe-
ouvirem sua confirmação pela res, marido e mulher, pai e
voz das Autoridades Gerais e mãe — e, em segundo lugar,
líderes da Igreja.” como líderes do sacerdócio e
Os discursos já estão dis- das organizações auxiliares na
poníveis em formato de texto, Igreja”, disse ele.
áudio e vídeo on-line, no A irmã Parkin falou sobre
www.lds.org, contendo as o dever sagrado dos pais de
palavras do Presidente prover o sustento dos filhos,
Thomas S. Monson, Primeiro protegê-los e nutri-los, e
Conselheiro na Primeira expressou a importância de
Presidência, do Élder L. Tom demonstrar amor no lar.
Perry e do Élder David A. “Uma das maiores dádivas
As moças e suas líderes, durante a reunião geral das Moças Bednar, do Quórum dos Doze que os pais podem dar aos
realizada em março, foram incentivadas pelo Presidente Apóstolos, e da irmã Bonnie filhos é mostrar-lhes que se
Hinckley durante uma apresentação em vídeo: “Minhas D. Parkin, presidente geral da amam”, disse ela.
queridas e maravilhosas moças. Falo com amor de pai. Sociedade de Socorro. Todos os discursos conti-
Agradeço a todas que caminharam tão bem até aqui. “Nosso pensamento cen- nuarão sendo distribuídos
Peço que nunca desanimem, que estabeleçam uma meta e trou-se no lar e na família, ao como antes, em DVD e em
permaneçam na linha e sigam em frente, não se deixando sermos lembrados que
deter por nenhuma tentação ou força que venha a aparecer o lar é a base da vida
em seu caminho. Vocês vivem em muitos lugares diferentes, em retidão, e nenhuma
falam idiomas diversos, mas cada uma de vocês tem algo outra instrumentali-
divino dentro de si. Vocês são as melhores, vocês são filhas dade pode substituí-lo
de Deus”. ou cumprir suas fun-
ções essenciais”, disse
o Presidente Monson
Textos da Reunião Mundial durante a transmissão.
O Élder Perry falou
de Treinamento de aos membros “de cora-
Liderança Acessíveis ção a coração”, a res-
peito do serviço que
a Todos os Membros prestam no reino do
Senhor. Citando o

O
texto integral da reu- Igreja decidiram tornar esses Presidente Gordon B.
nião mundial de trei- discursos acessíveis a todos Hinckley, relembrou a
namento de liderança os membros da Igreja porque mensagem da reunião
será publicado na edição de seu foco é a família. mundial de treinamento de Os discursos da reunião
junho de 2006 de A Liahona “Recomendamos inserir liderança de 2003: “É funda- mundial de treinamento de
e do Ensign, primeira vez em os discursos nas revistas A mental que não negligenciem liderança realizada em
que todos os discursos dessa Liahona e Ensign porque o sua família. Nada que vocês fevereiro serão publicados na
reunião de treinamento são fortalecimento da família é possuem é mais precioso” edição de junho de 2006 nas
disponibilizados nas revistas. uma mensagem importante (“Regozijar-nos pelo Privilé- revistas A Liahona e Ensign.
A divulgação geral de para os nossos dias dada pela gio de Servir”, Reunião
todos os discursos de uma Primeira Presidência e o Mundial de Treinamento de formato de livreto, para cada
reunião mundial de liderança Quórum dos Doze Apóstolos”, Liderança, 21 de junho de unidade. O texto será dispo-
é algo incomum, uma vez que disse o Élder Dale E. Miller, 2003, p. 22). nibilizado on-line, em mais
a transmissão é feita especifi- dos Setenta, Diretor Executivo O Élder Bednar disse que de 40 idiomas. Os discursos
camente para a liderança do do Departamento do Sacer- essas instruções nunca foram da reunião em vídeo, áudio e
sacerdócio e das organiza- dócio da Igreja. “Os membros tão necessárias no mundo arquivos MP3 já estão dispo-
ções auxiliares da Igreja. serão mais receptivos aos ensi- quanto o são hoje. “Falarei níveis em 11 idiomas, com
Entretanto, os líderes da namentos desses princípios hoje a vocês em primeiro mais 60 em processo. ■

A L I A H O N A MAIO DE 2006 123


Élder David S. Baxter Élder Shayne M. Bowen
Dos Setenta Dos Setenta

Lewars. Eles iam juntos à cultivando batatas. Depois


Mutual e ao seminário e, de obter o bacharelado
entre 1.200 alunos de sua em Inglês na Universidade
escola, faziam parte do grupo Brigham Young, dirigiu uma
de cinco que eram membros agência de seguros com
da Igreja. seu pai e, mais tarde, com
O Élder Baxter formou-se seu filho.
em administração e economia O Élder e a irmã Bowen
na Universidade de Wales, adoram viajar com a família e
e serviu na Missão Escócia passar o tempo com os cinco
Edimburgo. Ele e Dianne netos. O Élder Bowen tam-
casaram-se em 24 de fevereiro bém gosta de treinar seus
de 1979, no Templo de filhos em futebol americano

O O
Élder David Steward Londres Inglaterra. Formaram Élder Shayne Martell e em futebol.
Baxter, dos Setenta, seu lar na Inglaterra, onde Bowen diz que o fato Embora os Bowen tenham
acredita que a hora criaram seus quatro filhos. O de “ser capaz de desfru- enfrentado sérias dificulda-
mais escura é aquela que pre- Élder Baxter trabalhou em tar de todas as bênçãos do des, inclusive a perda de um
cede o amanhecer. Nascido comunicações e marketing evangelho” e o de ter sido filho de nove meses, “a vida
em meio a circunstâncias difí- com várias empresas interna- “extremamente abençoado é maravilhosa”, diz o Élder
ceis em Stirling, Escócia, em cionais. Serviu como presi- com uma família maravilhosa” Bowen. “O Pai Celestial tem
7 de fevereiro de 1955, o Élder dente de estaca, conselheiro prepararam-no para seu sido extremamente bondoso
Baxter diz que sua família do presidente da missão, dire- chamado para o Primeiro conosco.” O fato de subme-
labutou muito antes de entrar tor do instituto da estaca e Quórum dos Setenta. “Aprendi ter-se à vontade do Senhor
para a Igreja. Mas quando os de assuntos públicos, e bispo. a ser obediente”, diz ele. permitiu-lhe “sentir-se mais
missionários encontraram sua Quando foi chamado para A esposa do Élder Bowen, próximo Dele e compreender
mãe, Ellen Steel, que criava o Primeiro Quórum dos Lynette Mortensen, afirma: que, Nele, podemos colocar
sozinha os quatro filhos, o Setenta, servia como Setenta “Ele sempre foi obediente toda a nossa fé”.
espírito que entrou em seu lar de Área e Segundo Conse- com precisão, desde que o O fato de colocar a fé no
era “quase tangível”. lheiro na Área Europa Oeste. conheço”. Ela e os sete filhos Senhor dessa maneira ajudou
“Nosso reconhecimento O Élder Baxter atribui ao sentem-se gratos por depen- o Élder Bowen em muitos
do evangelho foi instantâ- evangelho de Jesus Cristo o derem de sua integridade. chamados, mais recente-
neo”, lembra o Élder Baxter, fato de tirar sua família de um A irmã Bowen chega a atribuir mente como Setenta de Área
que na época tinha 12 anos. período de trevas. “Tudo o à obediência do marido o fato em Idaho. Ele também já
“Deu-nos um novo senso de que é injusto na vida pode de terem-se casado em 28 de serviu como presidente de
propósito.” ser corrigido por meio da dezembro de 1976, no estaca, sumo conselheiro,
Pouco tempo depois, sua Expiação de Jesus Cristo. A Templo de Idaho Falls Idaho: bispo, instrutor do grupo
família mudou-se para Surrey, experiência de minha vida o pai do Élder Bowen havia dos sumos sacerdotes, presi-
Inglaterra, sendo acolhidos ensinou-me a conhecer as aconselhado o filho a dente do quórum de élderes,
calorosamente pelos mem- bênçãos da Expiação do convidá-la para sair. Chefe escoteiro, presidente
bros daquele ramo. “Foi algo Salvador. Podemos ser restau- Filho de Lyle e Jacqueline da Missão Espanha Barcelona
que jamais tínhamos experi- rados, limpos, elevados. Bowen em Rigby, Idaho, EUA, e missionário de tempo inte-
mentado. Não vínhamos de Podemos ser curados.” ■ em 29 de agosto de 1954, o gral em Santiago do Chile. ■
uma classe de pessoas que Élder Bowen trabalhou lado
era convidada para jantar.” a lado com o pai em sua loja
Foi ali também que conhe- de música, entregando pia-
ceu sua futura esposa, Dianne nos, e nas fazendas da Igreja,

124
Élder Daniel L. Johnson Élder Marcus B. Nash
Dos Setenta Dos Setenta

o Élder Johnson visitou Essa resposta edificou o


muitos lugares onde servira alicerce de seu testemunho.
como missionário na Missão O Élder Nash desenvolveu
Oeste México, de 1966 a 1968. um grande amor pelo Profeta
“Cada cidade onde tínhamos Joseph Smith e um vigoroso
missionários na década de sentimento pelo Livro de
1960 tem atualmente pelo Mórmon, erigidos sobre esse
menos uma estaca”, diz ele. alicerce.
“É maravilhoso ver tantos O Élder Nash é filho de
líderes vigorosos.” Brent e Beverly Bell Nash,
O Élder Johnson obteve tendo nascido em 26 de
bacharelado em contabilidade março de 1957 em Seattle,
e economia na Universidade Washington, EUA. Casou-se

O O
Élder Daniel Leroy Brigham Young. Ele e a Élder Marcus Bell Nash com Shelley Hatch em 29 de
Johnson, do Primeiro esposa, LeAnn Holman, casa- lembra-se que ainda maio de 1979, no Templo de
Quórum dos Setenta, ram-se em 1970, no Templo menino, aos oito anos, Salt Lake. O casal tem cinco
acredita que as ordenanças Idaho Falls Idaho. ficou intrigado com algo dito filhos.
do templo são as bênçãos Os Johnson, que têm seis por um amigo não-membro O Élder Nash obteve seu
máximas do evangelho. “A fre- filhos, moraram no Equador, da Igreja. Esse amigo lhe dis- bacharelado em relações inter-
qüência ao templo afeta mui- em Honduras, no México, sera acreditar que sua própria nacionais e em direito na
tos aspectos de uma vida Uruguai e Venezuela; também igreja era verdadeira. O Élder Universidade Brigham Young.
centrada no evangelho”, diz em Utah, Minnesota e Texas, Nash disse: “Eu sabia que a Era sócio em uma importante
ele. “Se formos ao templo nos Estados Unidos. “Tivemos nossa Igreja era a verdadeira. firma de advocacia por ocasião
tantas vezes quantas nos a oportunidade de ver a Nunca me passara pela cabeça de seu chamado. Ele serviu
forem possíveis, isso poderá Igreja crescer”, diz ele. “É um a idéia de que alguém pudesse na Igreja como presidente de
ser o elemento de maior milagre!” pensar que a sua igreja fosse estaca, bispo, presidente dos
influência para mudar nossa Os Johnson tentaram con- verdadeira. Fui para casa Rapazes na ala, presidente do
vida.” tribuir para esse crescimento absorto, ponderando essa quórum de Élderes, professor
O Élder Johnson é filho de em todos os lugares onde questão. Se ele pensa que sua de Doutrina do Evangelho, e
Leroy e Rita Skousen Johnson, moraram. Além de servir igreja é verdadeira, e eu penso missionário de tempo integral
tendo nascido em 15 de como Setenta de Área, o que a minha é que é, quem na Missão El Salvador San
dezembro de 1946, em Élder Johnson foi presidente está certo”? Salvador. O Élder Nash servia
Colônia Juarez, México, onde da Missão Guayaquil Norte Sentou-se nos degraus da como Setenta de Área na Área
foi criado e onde um templo Equador, conselheiro em pre- entrada, com a cabeça entre as América do Norte Noroeste
foi dedicado em 1999. Ele pre- sidências de missão, conse- mãos, perguntando-se: “Como quando foi chamado para
senciou o efeito causado pelo lheiro na presidência da posso saber isso”? O Élder o Primeiro Quórum dos
templo na vida dos membros estaca, bispo, presidente dos Nash diz: “Uma voz penetrou- Setenta. ■
do lugar. “A vida agora gira em Rapazes na ala e professor de lhe a mente, dizendo: ‘Ora,
torno da freqüência ao templo Doutrina do Evangelho. ■ você sabe que Joseph Smith
nessa comunidade”, diz ele. foi um profeta de Deus, não
“O templo modificou vidas.” sabe?’ Respondi a isso em
O Élder Johnson teve a meu íntimo: ‘Sim’. E a voz,
oportunidade de ver o evan- então, falou: ‘Então você sabe
gelho modificar vidas por que a Igreja é verdadeira, não
toda a América. Como Setenta sabe?’ E eu disse: ‘Sim’! E toda
de Área na Área México Norte, a dúvida desapareceu”.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 125


Élder Anthony D. Perkins Élder Craig A. Cardon
Dos Setenta Dos Setenta

e casaram-se no Templo de de servir em uma missão na


Salt Lake em 21 de novembro Itália, casou-se com Deborah
de 1981. Dana, em 25 de novembro de
O Élder Perkins serviu 1970, no Templo de Mesa
como missionário na Missão Arizona. O casal tem oito
Taiwan Taipei, onde ele diz filhos.
ter “pego o vírus chinês”. Enquanto crescia, diz o
Formou-se em finanças pela Élder Cardon, beneficiou-se
Universidade Brigham Young do exemplo de retidão e dos
e obteve seu mestrado em ensinamentos de seus pais.
Administração de Empresas e “Minha mãe me ensinava a
Artes pela Universidade da orar e meu pai ensinou-me a
Pensilvânia. Depois, fez parte confiar no Senhor e amá-Lo”,

O O
Élder Anthony Duane de uma firma internacional de Élder Craig Allen diz ele. A orientação deles aju-
Perkins passou grande consultoria em administração. Cardon diz que não há dou-o a reconhecer o Espírito
parte de sua infância O Élder Perkins mais tarde foi nada que substitua o ainda quando bem jovem.
usando “todos os tipos possí- um dos sócios a abrir uma poder que advém das escritu- Certa ocasião, uma preocupa-
veis de engenhocas” nas per- filial na China, oportunidade ras. “Fiz para mim mesmo ção ocupou pesadamente
nas, pois uma delas parou que levou os Perkins e os seis uma regra, há muito tempo”, seus pensamentos. “Devido
de crescer ao atingir 7 anos filhos a Pequim, onde ficaram comenta. “Eu não deixaria que ao modo como fora ensinado,
de idade. Aos 10 anos, foi por oito anos. No momento, meus olhos se fechassem a dirigi-me a um campo pró-
“cobaia” de uma criativa mas ele está completando seu última vez no final do dia sem ximo da casa e ajoelhei-me
bem-sucedida operação reali- tempo de serviço como presi- que tivessem antes repousado para orar. Lembro-me de
zada por um médico chinês. dente da Missão Taiwan Taipei. sobre as escrituras.” obter respostas distintas.”
O Élder Perkins observa “Passei a metade de minha Ao servir como presidente Experiências semelhantes
que essa foi a primeira de vida adulta na Ásia”, diz ele. da Missão Itália Roma, de 1983 continuaram a acontecer por
uma série de interações com “Essa grande bênção mostrou a 1986, o Élder Cardon come- toda a sua vida e ajudaram-no
os chineses. “Minha vida a minha família o alcance glo- çava colocando em debate as a se preparar para seu cha-
inteira esteve entrelaçada bal do evangelho restaurado escrituras em todas as reu- mado no Segundo Quórum
com o povo chinês.” de Jesus Cristo.” niões de presidência, prática dos Setenta.
Tendo nascido em Cortez, Antes de seu chamado que continuou a adotar nos O Élder Cardon, que traba-
Colorado, EUA, em 22 de julho para o Primeiro Quórum dos chamados subseqüentes. “O lhou em uma empresa fami-
de 1960, filho de Sunny Setenta, o Élder Perkins ser- ensino com base nas escritu- liar do ramo imobiliário,
Kimballa Luther Perkins e viu como conselheiro do ras sempre estava na agenda”, obteve o bacharelado na
Larry Lazelle Perkins, o Élder presidente do distrito, presi- diz ele. “Costumávamos passar Universidade do Estado do
Perkins diz que a família não dente de ramo, presidente do uma quantidade considerável Arizona e o mestrado na
fincou raízes em nenhum lugar quórum de élderes, secretá- de tempo concentrando-nos Escola Kennedy de Governo,
antes de ele completar 13 rio da ala e professor do na doutrina como era ensi- da Universidade Harvard. Já
anos. Então em Farmington, seminário. ■ nada nas escrituras. Era serviu como bispo, presi-
Novo México, conheceu a um tempo valioso e muito dente de estaca, professor de
futura esposa, Christine Abbot, apreciado.” Doutrina do Evangelho e pro-
que surpreendentemente o O Élder Cardon nasceu fessor do instituto. ■
derrotara nas eleições para o em 30 de dezembro de 1948
grêmio estudantil. Mais tarde em Mesa, Arizona, EUA, filho
eles namoraram, trocaram car- de Vilate Allen Cardon e
tas durante toda a missão dele, Wilford Pratt Cardon. Depois

126
Élder Don R. Clarke Élder Keith R. Edwards
Dos Setenta Dos Setenta

credita ao bom lar, bons ami- O Élder e a irmã Edwards


gos e ao avô patriarca, que estabeleceram-se em Las
morava com a família, o forta- Vegas, Nevada, onde ele foi
lecimento do seu testemunho advogado. Naquela ocasião,
quando ainda era criança. outro evento significativo em
Obteve graduação no Ricks sua vida ocorreu. Durante a
College (atual BYU–Idaho), sétima e última gravidez da
bacharelado em administra- irmã Edwards, ela adoeceu e
ção na Universidade Brigham não conseguia comer. Depois
Young e mestrado em admi- de a família jejuar e da bên-
nistração de empresas na ção do sacerdócio, ela melho-
Universidade do Estado de rou. Mas no meio do período
Washington. Casou-se com da gravidez, voltou a adoecer,

Q uando o Élder Don Ray


Clarke serviu como
presidente da Missão
Bolívia Santa Cruz, transferiu
Mary Anne Jackson em 5 de
junho de 1970 no Templo de
Idaho Falls Idaho. O casal tem
seis filhos.
O
Élder Keith Reid
Edwards serviu como
bispo, presidente de
estaca, presidente da Missão
mais gravemente, e o médico
lhes disse que o bebê nasce-
ria pela manhã. Aquela noite
foi preenchida com fervoro-
para a sede da missão um Teve uma carreira bem- Zimbábue Harare e Setenta sas orações do casal ansioso.
Élder que havia deixado bem sucedida em vendas a varejo, de Área. Mas ao relacionar os Sua filha nasceu mais tarde,
claro que preferia terminar ocupando altas posições momentos definitivos de sua após completarem-se os nove
sua missão em outra área. administrativas. Antes de seu vida, eles giram em torno da meses da gravidez.
Pouco tempo depois, o Élder chamado para o Segundo família. “Vinte e um anos depois,
conheceu uma mulher que Quórum dos Setenta, serviu Um desses eventos ocor- na véspera do casamento
procurava pela filha desapare- como membro do sumo con- reu depois de convidar pela dessa filha”, conta o Élder
cida há 10 anos. Assim que selho da Estaca Buena Vista primeira vez sua futura Edwards, “constatamos que
ela lhe mostrou a fotografia, Virgínia, presidente de estaca, esposa para sair. “Meu irmão cada um de nossos filhos
esse missionário reconheceu diretor adjunto da recepção gêmeo disse: ‘Essa garota não mais velhos havia procurado
a jovem, que vira em uma da Igreja, bispo, presidente é do tipo que só namora; ela um local sossegado e havia
área anterior. Ele desempe- dos Rapazes na estaca, presi- é do tipo com quem a gente derramado seu coração em
nhou um papel fundamental dente do quórum de élderes se casa’. E ele estava certo”. O orações ao Senhor”. Foi uma
na reunião de mãe e filha. e missionário de tempo inte- Élder Edwards, filho de Elbert lição inesquecível de uma
Dessa experiência e de gral na Missão Argentina Sul. e Mary Reid Edwards, casou- família unida pela fé.
outras, “Vim a saber que Deus “Aprendi, com o passar do se com Judith Lee Higgins Sobre o chamado para
Se preocupa muito com as tempo, que há um número em 20 de junho de 1964, no o Segundo Quórum dos
pessoas”, diz o Élder Clarke. demasiadamente grande de Templo de St. George Utah. Setenta, o Élder Edwards diz:
Ele acolhe bem as transferên- filhos de Deus precisando de O Élder Edwards nasceu “Isso é resultado de gerações
cias de surpresa e novos cha- ajuda.” Ele ouve suas orações em Boulder city, Nevada, EUA, de homens e mulheres bons,
mados, que lhe permitem por nosso intermédio, diz ele, em 16 de março de 1942. fortes e íntegros. Tudo o que
ajudar outras pessoas. “Espero “para que recebamos as gran- Freqüentou o Church College eu fiz foi seguir a trilha que
poder ministrar”, diz ele a res- des bênçãos de servi-los”. ■ do Havaí, serviu na Missão eles deixaram preparada
peito do novo chamado, “e Flórida de 1961 a 1963, com- para mim”. ■
não só administrar.” pletou o bacharelado em ciên-
Tendo nascido em 11 cia política na Universidade
de dezembro de 1945 em Brigham Young e depois se
Rexburg, Idaho, EUA, filho de formou em direito pela
Raymond e Gladys Clarke, ele Universidade de Utah.

A L I A H O N A MAIO DE 2006 127


Élder Stanley G. Ellis Élder Larry W. Gibbons
Dos Setenta Dos Setenta

duas missões naquele país, de Utah e fazendo mestrado


na época. Hoje há 26 , fato em saúde pública na
que o Élder Ellis soube por Universidade de Harvard.
ter servido recentemente Enquanto freqüentava a
como presidente da Missão escola de medicina, o Élder
São Paulo Brasil. Gibbons casou-se com
“Nosso coração está ligado LaDawn Anderson, em 21 de
ao Brasil”, diz sua esposa, julho de 1967, no Templo de
Kathryn Kloepfer Ellis. Eles Logan Utah. Depois de passar
moram atualmente em algum tempo em Seattle, San
Houston, Texas. Antonio e Boston, estabelece-
O Élder e a irmã Ellis se ram-se em Dallas, Texas, EUA.
conheceram na Universidade O casal tem dois filhos.

“S ervir a Deus é uma


opção,” diz o Élder
Stanley Gareld Ellis,
Brigham Young, onde ele se
formou em direito depois de
se graduar em Harvard em O
Élder Larry Wayne
Gibbons, dos Setenta,
tem uma filosofia: “Se
Embora não possamos
escolher nossos chamados, a
opção de aceitá-los traz tam-
lembrando dos seus dias de estudos governamentais. Eles você tiver uma escolha entre bém experiências que expan-
aluno da Universidade de se casaram em 7 de junho dois desafios, escolha o mais dem nossas limitações. O
Harvard. “Olhando ao meu de 1969, no Templo de Los difícil, aquele que vai exigir Élder Gibbons, atualmente
redor, constatava que não Angeles Califórnia. maior esforço. As ocasiões em membro do Segundo Quórum
havia como provar a existên- Depois de criar os nove que meu testemunho cresceu dos Setenta, figurou entre os
cia de Deus por nenhum filhos, eles observam o mais foram exatamente aque- primeiros Setentas de Área.
método científico. Acreditar quanto cada um é diferente las em que enfrentei os maio- “Ao acompanhar os membros
Nele é uma opção que preci- do outro. “Com esse cha- res desafios”. do Quórum dos Doze
samos fazer”, diz ele. “Ainda mado, também podemos ver Filho de Andrew H. e Lola Apóstolos — estudando, ajoe-
me lembro de estar no pri- o quão diferentes entre si são Heaton Gibbons, e tendo nas- lhando com eles e recebendo
meiro ano ao fazer essa as Autoridades Gerais”, diz o cido em 30 de julho de 1942 revelação a respeito do cha-
opção.” Élder Ellis. “E mesmo assim, em Logan, Utah, EUA, o Élder mado de um novo presidente
Ele se lembra de receber a juntos eles estão efetiva- Gibbons já teve uma miríade de estaca — esse foi um
confirmação do Espírito muito mente servindo ao Senhor.” de oportunidades de desen- tempo de notável crescimento
antes, em sua vida: em suas Ele diz que foi orientado e volver a filosofia. Ele serviu espiritual.”
orações quando era criança. preparado pelo Espírito em em uma missão na Holanda, O Élder Gibbons também
Tendo nascido em 22 de cada passo do caminho e em um dos períodos de maior cresceu como representante
janeiro de 1947, e crescido na cada chamado, para esse cha- crescimento em sua vida. regional, presidente de estaca,
Igreja com o bom exemplo mado no Segundo Quórum Enquanto esteve longe, seu conselheiro na presidência da
dos pais, Stephen e Hazel dos Setenta. Ele serviu como pai morreu e, depois, preci- estaca, professor de seminário
Taylor Ellis, foi criado na presidente de missão, presi- sou escolher entre uma uni- e outros chamados.
fazenda da família em Burley, dente de estaca, sumo conse- versidade local, perto de casa, Antes de fazer boas esco-
Idaho, EUA, onde aprendeu a lheiro, conselheiro no para ajudar a mãe, e os desa- lhas e assumir os desafios cor-
importância do trabalho árduo bispado, presidente do quó- fios da Universidade Stanford, retos, diz o Élder Gibbons, é
— extraindo açúcar de beter- rum de élderes e presidente longe de casa. Diante da insis- importante estabelecer priori-
rabas, colhendo feno e orde- dos Rapazes na ala. ■ tência da família, ele voltou dades. “Use seu tempo e seus
nhando vacas — e da fé. para Stanford, onde estudou melhores esforços em coisas
O Élder Ellis serviu de História. Optou pela carreira de importância eterna.” ■
1966 a 1968, na Missão médica, formando-se em
Brasileira, uma das únicas medicina pela Universidade

128
REPRODUÇÃO PROIBIDA

A Boneca de Ester, 1856 de Dan Speakman


Entre 1856 e 1860, cerca de 3.000 pessoas em 10 companhias de carrinhos de mão foram para o Vale do Lago Salgado.
A maioria era composta de imigrantes do País de Gales e da Escandinávia. Os carrinhos de mão provaram ser um meio mais
econômico e mais rápido de viajar do que os carroções. O dia 9 de junho de 2006 marca o 150º aniversário da primeira
companhia de carrinhos de mão a sair da Cidade de Iowa, no Iowa.
Q
ue lembremos e constantemente expressemos em
nossa vida os conselhos recebidos. Que permaneçamos
fortalecidos contra as artimanhas do adversário”,
disse o Presidente Gordon B. Hinckley ao encerrar a 176ª
Conferência Geral Anual. Ele invocou as bênçãos do céu
sobre os ouvintes: “Deus os abençoe, amados irmãos e irmãs.
Deixo-lhes meu amor, meu testemunho e minha bênção com
vocês e oro para que o Senhor esteja com todos nós até nos
vermos novamente. Que as bênçãos do céu se derramem
continuamente sobre vocês”.
2
02269 85059
PORTUGUESE