Você está na página 1de 2

A vantagem de Dilma nas intenções de voto no segundo turno

José Eustáquio Diniz Alves1

As primeiras pesquisas do segundo turno das eleições presidenciais de 2010 apontavam, em


termos de votos válidos, intenções de voto de 54% para Dilma Rousseff (PT) e 46% para José
Serra (PSDB). A diferença estava em apenas 8 pontos, bem menor da votação do primeiro turno
quando Dilma teve cerca de 47% dos votos e Serra teve 33% dos votos.

Já no primeiro debate do segundo turno, a candidata do PT partiu para o ataque em relação ao


candidato do PSDB e a campanha ficou muito mais quente do que no primeiro turno. O debate
religoso e o tema do aborto teve grande peso na primeira quinzena de outubro. Denuncias de
corrupção, de ambos os lados, dominaram todo o segundo turno.

A despeito da pouca discussão de projetos de nação para o país, o fato é que Dilma Rousseff
cresceu e chegou a 56% e José Serra caiu um pouco para 44%, no final de outubro. O gráfico 1
mostra que a diferença de votos válidos, no dia 30/10, estava em 12 pontos, quase repetindo a
mesma diferença de votos entre os dois candidatos no dia 03 de outubro. Isto quer dizer que os
20% dos votos de Marina Silva parece ter se dividido meio a meio para os dois candidatos do
segundo turno.

Gráfico 1: Votos válidos para Dilma e Serra, total e por sexo do eleitorado, segundo turno, 2010
70 70

60 60

50 50

40 40
%

30 30

20 20

10 10

0 0
Data Vox Ibope Sensus Data Vox Sensus Ibope Data Vox Data Sensus Ibope Data Sensus Data Ibope
08/10 11/10 13/10 13/10 15/10 17/10 19/10 20/10 21/10 24/10 25/10 25/10 28/10 28/10 29/10 30/10 30/10

Dilma total Serra total Serra homem Serra mulher


Dilma homem Dilma mulher 3 per. Mov. Avg. (Dilma homem) 3 per. Mov. Avg. (Dilma mulher)
3 per. Mov. Avg. (Serra mulher) 3 per. Mov. Avg. (Serra homem)

Fonte: 17 pesquisas dos Institutos Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi, outubro de 2010

1
Professor titular da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE. Expressa seus pontos de vista em
caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br. Artigo publicado em 30/10/2010.

1
O gráfico também mostra que Dilma começou o segundo turno com cerca de 56% de intenções
de voto no eleitorado masculino e 51% entre o eleitorado feminino. Esta diferença de 5 pontos se
reduziu ligeiramente, para 4 pontos, pois, na média móvel das três últimas de outubro, Dilma
atingiu 57% entre os homens e 53% entre as mulheres. José Serra começou o segundo turno com
cerca de 44% entre o eleitorado masculino e 49% entre o eleitorado feminino, chegando a 42% e
46%, respectivamente.

Portanto, Dilma cresceu um pouco no mês de outubro e Serra caiu ligeiramente na preferência
dos eleitores. A diferença das intenções de voto entre homens e mulheres, da candidata do PT,
aumentou durante o mês de outubro e se reduziu no final. Assim, Dilma Rousseff conseguiu se
recuperar entre o eleitorado feminino, principalmente nos últimos 2 ou 3 dias da campanha,
embora não tenha conseguido igualar as intençoes de voto entre eleitores homens e mulheres.

O gráfico 2 mostra que o percentual de homens indecisos ficou praticamente estável e em torno
de 4% durante todo o segundo turno. Já o percentual de mulheres indecisas começou em torno de
6%, subiu para algo com 9% e chegou no dia 30/10 ao redor de 5%.

Gráfico 2: Percentagem de mulheres e homens indecisos no segundo turno, 2010

10

0
Vox 11/10

Vox 17/10

Vox 24/10
Data 08/10

Ibope 13/10

Data 15/10

Ibope 20/10

Data 21/10

Data 25/10

Ibope 28/10

Data 28/10

Data 30/10

Ibope 30/10
Sensus 13/10

Sensus 19/10

Sensus 25/10

Sensus 29/10

% Homens indecisos % Mulheres indecisas


3 per. Mov. Avg. (% Mulheres indecisas) 3 per. Mov. Avg. (% Homens indecisos)

Fonte: 17 pesquisas dos Institutos Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi, outubro de 2010

Se as pesquisas estiverem certas, Dilma Rousseff pode se considerar eleita Presidenta da


República do Brasil em 31/10, pois apresentava, na média móvel de três pesquisas consecutivas,
uma diferença de 12 pontos e existiam apenas 5% de eleitores indecisos. Quando se abrir as urnas
no último domingo de outubro saberemos se o Brasil, de fato, terá a sua primeira mulher
presidenta do país.