Você está na página 1de 72

Construções Metálicas

Profa. Marina Rocha


marinar@utfpr.edu.br
Por que precisamos conhecer as
características e propriedades dos
materiais?
Um bom conhecimento dos materiais é indispensável
para a concepção de uma estrutura, seu
dimensionamento, execução, além de ser necessário
para definir a resistência dos elementos estruturais.
O uso do aço na construção
- 1.6 bilhões de ton. de aço produzidos anualmente no mundo:
mais de 50% utilizado na construção (Civil Engineering Materials,
2013).
Por que o aço consolidou-se
como material de construção?
O que é o aço?

- O aço é uma liga de Ferro-Carbono, com o teor deste


último variando de 0.1 a 2%, além de outros elementos
em pequena quantidade;

- O minério de ferro forma 5% da crosta terrestre e é o


quarto elemento mais abundante depois do oxigênio,
silício e alumínio.
Metais ferrosos na construção
Perspectiva histórica
- Formas usuais dos metais ferrosos utilizados na
construção:

• Ferro fundido;
• Ferro forjado;
• Aço.
Uso na Ferro fundido Ferro forjado Aço
construção
Auge Final do séc. XVIII - ~1840 ao início ~1900
início do séc. XIX do séc. XX
Características dos materiais ferrosos

Uso na Ferro fundido Ferro forjado Aço


construção
Teor de > 2.0 < 0.08 ~ 0.1 a 2
Carbono (%)
Características - Frágil - Dúctil - Redução das impurezas; –
- Baixa resistência à - Maleável Propriedades otimizadas
tração: 3 a 5 vezes - Dobrável Controle do Carbono e outros
menor que a - Soldável elementos
resistência Controle da temperatura e do
compressão. tempo.
Ensaio de tração – diagrama
tensão x deformação

1 – fy: Limite de elasticidade ou tensão de escoamento;


2 - Patamar de escoamento;
3 - Domínio de encruamento;
fu: Resistencia de ruptura à tração ou resistência máxima
4- Ruptura localizada da seção
https://www.youtube.com/watch?v=D8U4G5kcpcM
Diagrama tensão x deformação
Aço de alto teor
de carbono
Tensão N/mm2

Aço de baixo teor de Carbono

Ferro forjado

Ferro fundido:
cast iron
Exemplos de estruturas em ferro
e aço
Ponte em ferro fundido
- Primeira relevante ponte metálica: “Coalbrookdale” ou
"Iron bridge" (1779), na Inglaterra;
-Vão (arco semicircular): 31m;
-Ainda em uso: ponte de pedestres.

https://structurae.net/photos/233252-iron-bridge
Ponte em ferro fundido
- Ligações por encaixe: adaptação das técnicas usadas
nas construções em madeira.

(http://www.ironbridge.org.uk/collections/the-iron-bridge/building-the-iron-bridge/)
Torre Eiffel
- Torre em ferro forjado em Paris construída entre 1887-
1889;
- Engenheiro: Gustave Eiffel;
- Portão cerimonial da “Exposição Internacional” de 1889:
homenagem ao centésimo aniversário da Revolução
Francesa de 1789.
Torre Eiffel
Ligações: 2.5 milhões de rebites
Ferro: 7300 toneladas

https://structurae.net/structures/
eiffel-tower

http://www.greatbuildings.com/buildings/eiffel_tower.html
Torre Eiffel inspirada no fêmur
humano

- Forma mais alongada próximo à metade e


expandida nas extremidades;
- Na parte interna, os contraventamentos
seguem o design dos pequenos ossos dentro
do fêmur.
Torre Eiffel
- Altura: 300 m (sem antenas) - mais alta estrutura da
época e a segunda maior da França (primeira: viaduto
de Millau com 342 m);

- Gustavo Eiffel também construiu o esqueleto da Estátua


da Liberdade.
Viaduto Garabit
- Ponte em ferro forjado na França construída entre 1882 e
1884;
- Engenheiro: Gustave Eiffel

https://www.garabit.com/
Ponte Bayonne
- Ponte em aço nos EUA construída entre 1928 e 1931;

- Engenheiro: Othmar Ammann.

Ponte Bayonne - Pelly (2009)


Estádio nacional de Beijing
- Conhecido como “ninho de passarinho”;
- Construído para os jogos olímpicos de verão (2008)
e utilizada para os jogos olímpicos de inverno de
2022).
Beijing National Stadium

-O formato geral da estrutura metálica


parece aleatória mas segue ferramentas
geométricas rígidas.

-As cargas em cada interseção (ponto


vermelho) são separadas entre os
membros e transferidas até a fundação.
Torre de Xangai
- Construída entre 2008 e 2015 com altura de 632 m.
Torre de Xangai
- Sistema outrigger.

http://seaoo.org/downloads/BED/
megatall_structures_the_shanghai_tower_joseph_kaufman__uc_2017.pdf
O aço no Brasil
O minério de ferro no Brasil
- 1946: a Companhia Siderúrgica Nacional entra em
operação.
- Atualmente, as maiores empresas produtoras de minério
de ferro são:

- Fonte: IBRAM, 2014.

- Do minério produzido, 86% é destinado à exportação: 56% para a


China, 20% para a Europa e 7% para o Japão.
Estados produtores de minério de ferro

Fonte: DNPM, 2014.


A maior mina no país é a de Carajás que atinge uma produção de
120 milhões de ton. por ano.
Construção metálica no Brasil
- 1857: Ponte de Paraíba do Sul, em Niterói, RJ - primeira
obra a utilizar ferro fundido (acredita-se);
- Cinco vãos de 30 m vencidos por:
Arcos atirantados formados por peças em ferro fundido
montadas por encaixe e tirantes em ferro forjado.
Estrutura em aço no Brasil
- Ponte ferroviária sobre o rio Suaçui construída na década
de 1940 e localizada na Estrada de Ferro Vitória – Minas
Gerais.
- Perfis antigos
- Perfis “novos”: fy= 295 MPa
Vantagens do aço na construção
Vantagens do aço na construção
- Redução do peso próprio da estrutura como um todo. Por isso, o aço é
o material preferido para construção de arranha-céus e pontes de
grandes vãos.

Ponte Akashi-Kaikyo no Japão (1998) com vão central de 1900 m e


comprimento total de 3991 m.
Vantagens do aço na construção
- Otimização dos espaços com o uso de colunas e vigas
de aço esbeltas;
- Elevada rigidez e ductilidade comparada a outros
materiais de construção.
Tensão

Aço - baixo Carbono

Ferro fundido

Concreto

Deformação
Vantagens do aço na construção

- Material homogêneo, com propriedades uniformes e


previsíveis.

- Diferente do concreto, as propriedades à tração e


compressão são similares.

- Não há a necessidade de fôrmas como para o concreto.

- Seções de aço são produzidas em indústrias com


rigoroso controle de qualidade.
Vantagens do aço na construção
- Os componentes são produzidos em diferentes
formatos e tamanhos tornando-o bastante versártil.
Vantagens do aço na construção
- Menor tempo de execução;
- Facilidade de montagem/desmontagem;
- Maior facilidade de ampliação/reforço.
Limitações do aço
-Transporte ao local de montagem e os custos deste;
-Sensibilidade estrutural em caso de incêndio:
propriedades físicas decrescem rapidamente a partir de
400 oC. Um incêndio interno pode atingir mais de 1.000° C.
http
://www.cimentoitambe.com.br/fogo-em-estruturas-de-co
ncreto-ate-quanto-elas-suportam
/

-Durabilidade: susceptível à corrosão podendo levar a


perda de sua resistência. A utilização de aços com alta
resistência à corrosão, pintura e galvanização são medidas
que podem ser tomadas para prevenir a corrosão do aço
estrutural;
Limitações do aço
- Por que a falha por flambagem pode ser crítica em
elementos estruturais em aço?

Flambagem lateral com torção de uma viga.


Limitações do aço
- Devido à elevada razão resistência/peso, os elementos
estruturais em aço são geralmente esbeltos comparados
a estruturas em pedra ou concreto.

- Falha por flambagem pode ser crítica em elementos


esbeltos.
De onde vem as propriedades do aço?
As propriedades do aço dependem:

Composição

Processamento

Microestrutura

Propriedades
Processo de fabricação - vídeos
Classificação do aço estrutural de acordo com
a composição química

Os aços estruturais são divididos em dois grupos:

a) Aço carbono;

b) Aço de baixa liga.


Aço carbono
- Possuem em sua composição quantidades limitadas de
Carbono (0.1 a 2%), Manganês, Silício, Enxofre e
Fósforo. Outros elementos químicos existem em
quantidades residuais.

- Em função do teor de Carbono (%) são classificados


em:
a) Aço de baixo carbono;
b) Aço de médio carbono;
c) Aço de alto carbono.
Aço-carbono
a) Aço de baixo Carbono:

- Teor de Carbono C<=0.3%;

- Boa ductilidade e soldabilidade;

- Construção de pontes e edifícios.


Aço-carbono
a) Aço de baixo Carbono:

- O aço MR250 (também corresponde ao aço ASTM A36)


é um aço de baixo Carbono comumente utilizado em
estruturas.

Tabela A1 da norma NBR 8800:2008.


Aço-carbono
b) Aço de médio Carbono: 0.3<C<0.6%

-Boa tenacidade e resistência;


-Engrenagens e bielas.

c) Aço de alto Carbono: 0.6<C<2.0%

-Elevada dureza e resistência;


-Molas, componentes agrícolas, trilhos ferroviários.
Aço de baixa liga

- Aço-Carbono acrescido de elementos de liga (Cromo,


Cobre, Manganês, Molibidênio, Níquel, Fósforo, Vanádio,
Zircônio, Nióbio), os quais melhoram suas propriedades
mecânicas.
- Maior resistência mecânica que aços de baixo
Carbono, considerando um teor de Carbono (%) idêntico,
mantendo a ductilidade e a soldabilidade;
Aços patináveis
- Aço de baixa liga;

- Regiões de grande poluição por dióxido de enxofre


(zonas industriais) ou aquelas próximas da orla marítima;

- Redução da velocidade de corrosão;

- http://www.corten.ind.br/aco-corten
Aços patináveis
- Película de óxido de cor avermelhada aderente e
protetora – pátina.
Aços patináveis

Atmosfera industrial
Cubatão - SP
Perda de massa (mg/cm2)

Tempo (meses)
http://www.cbca-acobrasil.org.br/site/construcao-em-aco-acos-estruturais.php
Aços patináveis

COR-TEN

CORrosion Resistance and TENsile Strength

ASTM 242; ASTM 588


Aço estrutural no Brasil
- Muito utilizados no Brasil são os aços de baixo
carbono, baixa liga, média e alta resistência mecânica.

http://brasil.arcelormittal.com/pdf/quem-somos/guia-aco.pdf

A36 : aço de baixo carbono e média resistência;


A572: aço de baixa liga e alta resistência;
A588: aço de baixa liga e alta resistência à corrosão.
Aço estrutural – padronização ABNT
- Nomenclatura segundo a ABNT:
Grau de
resistência

MR 250 : Média Resistência

Limite de escoamento
mínimo (em MPa).
COR: Resistência à CORrosão.
Anexo A da norma NBR 8800:2008.

http://www.cbca-acobrasil.org.br/site/construcao-em-aco-acos-estruturais.php
Aço estrutural – padronização ASTM
- Nomenclatura segundo a ASTM:
Anexo A da norma NBR 8800.

Refere-se ao tipo de material


(ferroso)
A - 572

Tipo do produto.

Letra B: refere-se a metais não ferrosos.


Propriedades mecânicas
NBR8800:2008 – pág. 13
Microestrutura do aço

- O aço, a nível microscópico, é um material não


homogêneo e anisotrópico;

- O aço é formado por grãos (também chamados de


cristais) com diferentes propriedades e orientações.
Microestrutura do aço
Ponte Marechal Hermes - rio São Francisco/MG (1922).
Microestrutura presente nos perfis da Ponte
Marechal Hermes
Amostra 1: apenas ferrita

Amostra 2: ferrita e perlita (escura)


Tipos de perfis estruturais
Perfis estruturais

- Os perfis estruturais podem ser classificados em três


grupos em razão do seu processo de fabricação:

a) Perfis formados a frio;

b) Perfis laminados (padrão americano e padrão europeu


ou de abas planas/ paralelas);

c) Perfis soldados.

* As barras e chapas são produtos laminados.


Perfis formados a frio
- Estes perfis são obtidos por dobragem (conformação) de
chapas planas;
Perfis formados a frio
- Apresentam grande relação inércia/peso produzindo
estruturas leves;

- Oferecem grande liberdade de forma e dimensões;

- Por serem fabricados a partir de chapas de pequena


espessura (de 1.5 a 6.3 mm) são mais sensíveis à
flambagem local e perda da seção por corrosão;

- Aplicados em estruturas de pequeno porte ou elementos


secundários (fachadas e telhados);

- Os critérios de dimensionamento são estabelecidos pela


NBR14762:2001 e não fazem parte do escopo do curso.
Ligth Steel Framing - LSF
Perfis formados a frio em aço galvanizado

http://www.cbca-acobrasil.org.br/site/
construcao-em-aco-produtos-e-
sistemas-em-aco.php
Perfis Laminados

- O aço pré-aquecido passa por sucessivos laminadores


que lhe conferem a seção desejada.

- https://www.youtube.com/watch?v=COnoBFsWDYI

- Perfis em forma de H, I, C e L.

- Os perfis C são correntemente chamados de perfis U.

- Os perfis L (cantoneiras) podem ser de abas iguais ou


desiguais.
Perfis Laminados Americanos
Os perfis “padrão americano” apresentam:

- Baixa relação inércia/peso;


- Pouca variedade de formas e dimensões;
- Espessuras dos elementos variáveis (característica deste
tipo de perfil) dificultando as ligações.

Nos perfis “padrão europeu” esses problemas são


resolvidos mas a oferta desses perfis no Brasil ainda é
restrita.
Perfis Laminados

Padrão americano Padrão europeu –


abas paralelas
Perfis soldados
- Estes perfis são obtidos pela soldagem de chapas
planas , principalmente em seção do tipo I;

- Seu uso no Brasil ocorreu em função da baixa oferta no


mercado de perfis laminados do tipo europeu,
sobretudo para edifícios.
Perfis tubulares
- Estes perfis são obtidos por laminadores especiais
(tubos sem costura) ou a partir de chapas dobradas e
soldadas (tubos com costura);
- São produtos ocos de seção circular, retangular ou
quadrada.
- São frequentemente especificados pelo diâmetro
externo e espessura da parede,
Tensões residuais
Tensões residuais
- Tensões existentes no elemento sem que haja
qualquer força externa aplicada;

- Tensões em auto equilíbrio;

- Resultantes do processo de fabricação.


Tensões residuais
- Particularmente importante em detalhes soldados;
- Tensões residuais de tração geradas localmente;

- Ligações soldadas - zonas de fraqueza na estrutura:


efeito das tensões residuais somado ao efeito das
concentrações de tensão (descontinuidades
geométricas).
Fadiga
- Tensões cíclicas que podem levar a ruptura brusca da
estrutura ou parte dela, sem aviso prévio, a tensões
bem abaixo da tensão de escoamento do material;

- A resistência de um elemento à fadiga depende das


propriedades mecânicas do material;

- Pontes: estruturas solicitadas à fadiga devido à carga


de tráfego.

https://www.youtube.com/watch?v=DykiHVrVkKg
Fadiga
- Exemplo de trinca por fadiga em elemento metálico
soldado.
Fadiga