Você está na página 1de 9

ESTUDO: O QUE SÃO LARVAS ASTRAIS?

O presente texto vem complementar ainda mais nosso estudo sobre as formas-
pensamento e criações mentais e de como somos responsáveis pelo Mal no mundo.
As larvas-astrais são criações da mente humana e uma variação das formas-
pensamento, apenas na polaridade negativa da energia.

O simples fato de estarmos conscientes do poder criador que emana de nossos


pensamentos habituais já constitui, por si só, uma grande parte da cura de doenças
físicas e psíquicas não somente em nosso corpo, mas no mundo e nas pessoas que nos
cercam. Enquanto atribuirmos o Mal como a ação de diabos, capetas e demônios,
criaremos mais mal e obscuridade na aura do planeta por desviar-se das verdadeiras
causas por covardia, orgulho e egoísmo.

É esse mesmo Mal que se manifesta no comportamento de muitos criminosos,


psicopatas, assassinos, pessoas preconceituosas, fanáticos religiosos, guerras e ódios
raciais de todos os tipos, pois reproduzem esses pensamentos acumulados de forma
automática, ampliados pela sintonia de seus próprios pensamentos inferiores. Somos
todos responsáveis pelo caos e desgraça existentes no mundo material. O primeiro
passo para promover a cura da humanidade e a limpeza da aura do planeta é
trabalharmos em nosso próprio ser e estancar a fonte de pensamentos negativos
emitidos por nós mesmos.
“[…] Seria tão somente pelo encadeamento simples e natural de todas essas
observações, que o homem conseguirá fixar suas ideias sobre a origem do Mal; se, é
por permitir que sua VONTADE se degenere que o Ser inteligente e livre adquire o
conhecimento e o sentimento do Mal, deve-se assegurar que o Mal não tem outro
princípio, nem outra existência que na VONTADE deste mesmo Ser livre; e que é por
essa mesma VONTADE que o Princípio, tornado mal, deu originalmente o
nascimento ao Mal e que ele persevera ainda hoje: em uma palavra, que é por esta
mesma VONTADE que o homem adquiriu e adquire esta Ciência funesta do Mal,
pela qual ele se afunda nas trevas, ao passo que nasceu exclusivamente para o Bem e
para a Luz [...].”
(Louis-Claude de Saint-Martin, Dos Erros e da Verdade, Capítulo 1, Sobre a Origem do Mal)

Todo seu na Luz do Soberano Colégio dos Magos Praticantes!


Charles Lucien de Lièvre

LARVAS ASTRAIS, O QUE SÃO?


por Selma Magni

A chamada larva astral tem sido muito confundida com espírito e até com a
alma, mas, na verdade, a larva astral nada mais é que um resíduo de energia em
dissolução que se desprende das pessoas depois da morte. Essa energia, por imitação
mecânica, vai vagar em busca de satisfação dos instintos, as sensações a que estava
acostumada quando seu antigo hospedeiro era vivo. Larva astral é o mesmo que
parasita.
Vamos tomar como exemplo um dependente químico que passou parte da sua
vida se entregando ao vício, onde encontrava satisfação e isso acabou matando-o. Ao
morrer, algo semelhante (mas não é) a um corpo astral se solta do corpo. Ainda
conserva os contornos, mas perderá a capacidade de conservá-lo. É um molde de
energia pesada, de baixa vibração. Para tentar prolongar sua existência, irá em busca
da satisfação do que lhe dava prazer quando seu hospedeiro estava vivo.

Vagará em busca de um hospedeiro químico. Enquanto não encontra, vai


perdendo os contornos, de forma que a larva-astral do tipo padrão é sempre descrita
como uma espécie de nuvem, algo como um “pedaço de neblina”, que se torna cada
vez mais transparente, pois é aos poucos absorvida pelo telurismo da terra, até
desaparecer.

Ao encontrar alguém com o mesmo perfil do antigo hospedeiro, sempre por


imitação mecânica, se apega a essa pessoa, grudando-se em sua aura. E a partir daí
incentivará o dependente a drogar-se cada vez mais, pois pelo fato de estar agarrado à
aura dele, a larva-astral conseguirá alguns vislumbres das sensações que o viciado
está experimentando, e isso dará à larva alguns instantes de prazer, o prazer a que
estava acostumada.

Convém não esquecer que a larva-astral é um parasita e, como todo parasita,


exaurirá toda a sua energia até matar seu hospedeiro.

No exemplo do viciado, fará com que ele busque um “prazer” cada vez mais
intenso, por uma simples razão: a larva-astral necessitará que as doses do viciado
sejam cada vez mais intensas, assim continuará desfrutando do prazer que buscava
para si.

Mas ela perderá lentamente as forças, pois a existência de uma larva-astral é


relativamente curta. Todavia, até que seja extinta, já deixou sua vítima em um estado
tal que sua morte é uma certeza. E, ao morrer, ele desprenderá sua própria larva-astral
que também precisará satisfazer-se e, por sua vez, sairá em busca de um hospedeiro,
dando continuidade a um novo ciclo. Todo tipo de vício atrai larvas-astrais, cada uma
de acordo com suas necessidades. Há larvas-astrais que encontram prazer no álcool e,
por isso, acoplam-se à aura de alcoólatras, impulsionando-os a beber cada vez mais.

Mas, as práticas de magia e rituais descontroladas também são um vício para


muitas pessoas. Pessoas que, sem habilitação, de repente, se envolvem com a Magia e
passam a fazer dela a sua razão de ser, transformando-a em um vício. Há larvas-
astrais que são atraídas por isso, pois encontram satisfação em unir-se a pessoas
assim.
Nota do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
Por isso, somos tão insistentes com relação ao preparo do adepto pelo Treinamento Mágico. Como
aconselhamos a evitar pseudocírculos que realizam rituais de Magia a torto e a direita,
desprezando os exercícios de purificação psíquica ou o regime de preparação obrigatória (jejum)
antes da execução de qualquer ritual mágico. Essa é a turma do alakazam, hocus focus e Harry
Potter. Não estão preocupados com a Magia e, muito menos com o desenvolvimento da
consciência dos participantes, estão unicamente interessados em exibir-se como Mestres e
aparentar um conhecimento que não possui. Se fizer parte de algum círculo parecido, caia fora o
quanto antes, pois está arriscando sua boa sorte e sua sanidade mental!

Larvas costumam manifestar-se em sessões espíritas mal orientadas, e enganam


seus médiuns. São as larvas que costumam apresentar-se e pedir sacrifícios de
animais em troca da concessão de pedidos.
Nota do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
Esse é o exemplo mais comum e mais fácil de verificar no Brasil. Principalmente na maioria dos
terreiros e casas de Umbanda e Candomblé nas quais predominam a fofoca, a maledicência, a falta
de preparo dos médiuns, os sacrifícios de animais. Esses Elementares ou Entidades Artificiais em
forma de larvas-astrais são atraídos pela mente dos seguidores que demonstram um profundo
desrespeito ao Sagrado, recorrendo ao auxílio dos supostos guias, espíritos e orixás somente para
satisfazer desejos mesquinhos e egoístas.
E seja qual for o tipo de larva, invariavelmente todas elas se sentem atraídas
pelo sangue fresco. Matadouros, por exemplo, são lugares incrivelmente insalubres,
pela concentração de larvas-astrais que ali se encontra. Os vapores do sangue dão às
larvas a sensação de vida e, por isso, muitas delas enganam os médiuns, pedindo-lhes
“oferendas” na forma de sangue de animais, e para dar credibilidade apresentam-se
com os nomes de entidades que, em seus respectivos panteões, são espíritos de luz.
Poucas pessoas se dão conta do porquê como espíritos de luz pediriam sangue como
oferenda.
Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
1. A mesquinhez, o egoísmo e a ignorância das pessoas estão na causa de tais entidades artificiais
solicitarem determinados tipos de sacrifícios, principalmente o de sangue. Com este ato é selado
um pacto de dependência entre o seguidor e a suposta entidade, inclusive com o obscurecimento
da razão, do entendimento e da capacidade de dar ouvidos ao seu Mestre Interior. A ânsia na
realização de desejos puramente egoístas, muitas vezes, com o prejuízo do próximo, tornam esses
incautos escravos e seguidores cegos dessas entidades manipuladoras, que não são espíritos de
luz.
2. Por essa razão, o uso de qualquer sacrifício de animais e o uso de sangue são totalmente
abolidos e contrários ao desenvolvimento da VONTADE SOBERANA do Adpeto.

Onde houver a possibilidade da satisfação do instinto lá estarão as larvas que se


sentem atraídas por este tipo de satisfação. A simples reunião de pessoas más
intencionadas já é o suficiente para atrair as larvas, pois o contato é feito por empatia,
ou seja, por afinidade.

Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:


1. As reuniões tão comuns nas casas de Candomblé e terreiros de Umbanda para falar mal da vida
alheia, de outras casas da mesma religião e, na maioria das vezes, sob o comando do próprio
dirigente espiritual é prova contundente do domínio de larvas-astrais e entidades artificiais
negativas comumente confundidas com orixás, guias e espíritos.
2. São as pessoas que se reúnem nestes grupos que denigrem essas religiões de matriz africana,
não as religiões em si, pois todo o Mal vem do homem e é criado pelo egoísmo, vaidade e cobiça.
Vícios relativos tão somente às fraquezas humanas.

Pessoas más que vivem sempre desejando o mal para os outros estão sempre
cercadas por larvas-astrais. São parasitas. É preciso que se livre delas. Estas
entidades do mental e do astral inferior alimentam-se de nossos pensamentos e
sentimentos negativos e destrutivos. Normalmente são gerados em locais onde há
uma egrégora, ou seja, um ambiente que congrega pessoas que têm um pensamento,
sentimento e atitudes semelhantes, como bares, bordéis, prostíbulos, etc. Os
elementares, também conhecidos como Elementários, ou larvas-astrais, podem ser
gerados em nossos lares e ambientes de trabalho quando gera-se um pensamento
negativo habitual. Eis alguns tipos de larvas-astrais:

Nota importante: É preciso observar que os nomes dessas larvas-astrais são apenas
alegorias para melhor representá-los:

Dragões: formas-pensamento criadas em prostíbulos, bordéis, boates e congêneres.

Íncubus e Súcubus: nascidos de fantasias sexuais, sonhos eróticos e masturbações.


Os Íncubus acompanham as mulheres, ao passo que os súcubos permanecem na
atmosférica dos homens. (Isso não significa que o simples fato de termos fantasias
sexuais ou praticarmos a masturbação gera esse tipo de larva. É a prática compulsiva
que denota um desequilíbrio. Sexo é bom, no entanto, sem compulsividade.)

Fantasmatas ou cascões astrais: átomos desprendidos de cadáveres. Fixam-se nas


pessoas emocionalmente receptivas que visitam cemitérios e/ou ficam pensando em
pessoas falecidas.

Leos e Aspis: nascem de atitudes ligadas ao orgulho e à ira exacerbados, em reuniões


de partidos políticos, desfiles militares e discussões que não levam a nada.
Mantícoras e Basiliscos: gerados em atos sexuais desequilibrados, compulsivos,
repletos de sentimentos não edificantes.
Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
1. São muitas dessas formas que predominam igualmente nos rituais de Magia, nos quais os
participantes desprezam o preparo, as purificações e o Treinamento Mágico, além da negligência
nos ritos de exorcismo e consagração aplicados a todos os materiais usados no cerimonial. Estando
sujos e despreparados não podem atrair outra coisa senão essas entidades artificiais que se
acoplam à aura dos participantes, passando-se por grandes mestres espirituais ou Inteligências
Invisíveis. São essas entidades artificiais que são comumente confundidas com demônios.

Há muitos outros como vermes da Lua, Caballis e Vampiros, que se alimentam


de sangue (locais onde houver mênstruo, matadouros, depósitos de lixo hospitalar,
carne apodrecida, casas sujas, etc.). Os tenebrosos têm uma infinidade de recursos
para atacar o homem de diversas maneiras:

Os ataques durante o sono, geralmente, são através dos sonhos intelectuais,


emocionais, sexuais, instintivos e motores. Durante o estado de vigília, através de
abordagens, fascinações, dependências etc. Outra forma muito conhecida de ataque
dos tenebrosos é através de inimizades, intrigas e difamações, que se infundem na
mente dos outros, para que estes nos ataquem.
Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
1. Os ataques mais comuns durante o estado de vigília é a presença constante de pessoas
mentalmente desequilibradas, revoltadas, pessimistas, arrogantes, depressivas e que se queixam
da vida o tempo todo.

2. Basta uma mudança de atitude mental positiva para que as pessoas negativas se afastem.

Há uma infinidade de doenças que são provocadas pela ação nefasta de


entidades psíquicas. São doenças do tipo imaginárias como impotência sexual,
hipocondria e até suicídios. Vejam o que os maus hábitos acarretam ao perispírito.
Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:
1. Não podemos esquecer de incluir a depressão nesse rol de doenças psíquicas, além do
fanatismo, radicalismo, extremismo, ideia fixa e muitas outras.

2. As larvas-astrais também se manifestam e são atraídas por comportamentos psicóticos.

Existem diversos tipos de larvas e elementares nocivos tanto no plano astral


como no plano etérico. Tanto podem ser criações das mentes humanas desregradas,
das articulações de grupos trevosos nos planos sutis como habitantes desses planos,
corrompidos pelo que conhecemos como mal (tão subjetivo como relativo). Muitas
larvas assumem, para a visão clarividente, formas de insetos, que repugnam a maioria
das pessoas como: baratas, escorpiões, aranhas, formigas, lacraias, e outros seres de
formas heterogêneas, mas também de aspecto execrável. São egrégoras negativas,
acúmulo de energias densas, que tomam formas que são reconhecidas pelos seres
humanos como asquerosas e pestilentas.

São seres com vida, mas não com vida como a temos ou entendemos, entre os
espiritualistas e afins chamada vida artificial. A esses seres são relacionados alguns
males que os mesmos causam aos encarnados ao acoplarem-se à aura de suas vítimas.

Larvas-astrais em forma de baratas são parasitas noturnos. Reúnem-se em


ambientes de energias densas e desequilibradas, locais que sejam escuros, sujos, ou
“funcionem” somente à noite e que não absorvem a luz solar. Alimentam-se das
energias humanas a partir dos membros inferiores, provocando perda de energias,
cansaço.

Formas aracnídeas são atraídas pelos pensamentos mórbidos emitidos por


aqueles que se entregam ao sofrimento, desespero, lamentações incansáveis, e que
põem nos outros a culpa de todo seu sofrimento. As larvas aranhas se alimentam
desses fluídos mórbidos, injetando seu veneno fluídico através da aura de saúde. A
integridade do duplo etérico rompida, apresentando ruptura e, por conseguinte, perda
de energia vital. As lacraias estão perto de pessoas que se deliciam com o sexo
promíscuo. Sugam as energias sexuais e estimulam o hospedeiro a um maior
desregramento nessa área. Onde também atuam os íncubus e súcubus. Após, dano
causado podem surgir fisicamente: edemas, inchaços, estado febril, calafrios,
tremores, sudoreses, feridas pequenas. O vírus HPV pode estar associado a essa
forma astral de parasita. O que não quer dizer que todos os portadores de HPV são
promíscuos, cada caso é um caso.

As formigas causam dores de picadas aparentemente inexistentes, mas sentidas


pela sua vítima. Localizam-se no duplo etérico. Provocam também coceiras,
resistentes à medicação convencional. Podem causar edemas e eritemas com causas
aparentes ou desconhecidas. Ocorre apresentar-se aos hospedeiros na hora dos
tratamentos energéticos como o Reiki, logo após a aplicação.

Formas mistas são criaturas que mesclam características de diversos animais e


insetos, causando sempre asco e repulsa. Geralmente, encravadas no duplo na coluna
espinhal (Umeral) até o chakra básico, quando se instalam na parte dorsal do
hospedeiro. Na parte frontal são as mais comuns na região etérea dos órgãos genitais
e no conjunto dos chakras estômago, baço e fígado.

Vale ressaltar que a presença de parasitas na região sexual nem sempre está
ligada a atividades dissolutas. Pessoas que ainda jovens não se relacionam
sexualmente, têm essa região super carregada de energia sexual não resolvida ou não
sublimada, daí atraírem vampiros energéticos.

Notas do Soberano Colégio dos Magos Praticantes:


1. Vale lembrar que os maiores criadores de larvas-astrais sexuais são as pessoas reprimidas,
frustradas e insatisfeitas sexualmente. Por essa razão, os monastérios e conventos cristãos são os
maiores criadouros e pontos de transmissão de íncubus e súcubus.

Fonte de pesquisa: http://ongfraterna.blogspot.com.br/2012/05/estudo-o-que-sao-larvas-astrais.html