Você está na página 1de 20

GEOGRAFIA – 9o ANO

PROF – PADRÃO – VOL II


Direção Executiva:
Fabio Benites

Gestão Editorial:
Maria Izadora Zarro

Diagramação, Ilustração Autores:


de capa e Projeto Gráfico:
Alan Gilles Mendes Biologia: Bruno Zeitone
Alex França D. Geométrico: Thiago Santos
Dominique Coutinho Espanhol: Verônica Louro
Erlon Pedro Pereira Física: Collyer
Estevão Cavalcante Geografia: João Paulo Prado
Paulo Henrique de Leão História: Michelle Trugilho
Inglês: Maria Izadora Zarro
Estagiários: Matemática: Luanna Ramos
Amanda Silva Português: Luiza Marçal
Fabio Rodrigues Química: Wendel Medeiros
Gustavo Macedo Redação: Cláudia Pires
Lucas Araújo

Irium Editora Ltda


Rua Desembargador Izidro,
no114 - Tijuca - RJ
CEP: 20521-160
Fone: (21) 2560-1349
www.irium.com.br

É proibida a reprodução total ou parcial, por qual-


quer meio ou processo, inclusive quanto às caracte-
rísticas gráficas e/ou editoriais. A violação de direitos
autorais constitui crime (Código Penal, art. 184 e §§, e
Lei nº 6.895, de 17/12/1980), sujeitando-se a busca e
apreensão e indenizações diversas (Lei nº 9.610/98).
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

ORIENTADOR METODOLÓGICO PADRÃO

ENSINO FUNDAMENTAL 2016/2017

O material didático da Irium Educação foi reformulado para o biênio 2016/2017 com o
intuito de estar atualizado com as demandas educacionais dos principais concursos do país e
alinhado com os pilares educacionais elementares defendidos pela editora.

Além de conter um projeto pedagógico inovador, o projeto gráfico é totalmente inovador.


O design de cada página foi projetado para ser agradável para a leitura e atrativo visualmente,
favorecendo a passagem das informações. Há uma identidade visual para cada disciplina e as
seções são marcadas para favorecer a aprendizagem.

Veja algumas páginas:

1
Didaticamente, há um projeto traçado que envolve fundamentos pedagógicos de
vanguarda. Além disso, o material impresso “conversa” com o site galeracult.com.br, além de
vídeos dispostos na videoteca do irium.com.br.

Confira os fundamentos pedagógicos do material e suas justificativas:

Fundamento 01:
Apresentar um conteúdo em termos de ementa e nível de acordo com os Parâmetros
Curriculares Nacionais (PCNs), refletidos pelos principais concursos do país do referido
segmento, assim como do segmento subsequente (Ensino Médio).

Descrição: O conteúdo de cada série segue as orientações dos PCNs, porém existe a
possibilidade de reordenação, pois o material é constituído de cadernos independentes, que
possibilitam a construção de acordo com a vontade da escola parceira. Para isso, basta a escola
utilizar o nosso cronograma – que está apresentado a seguir – e escolher a nova ordem dos
cadernos, inclusive trocando de séries, caso seja necessário. Fundamento 02: Alinhar desde o
princípio os objetivos pedagógicos de cada caderno (capítulo).

Fundamento 02:
Alinhar desde o princípio os objetivos pedagógicos de cada caderno (capítulo).

Descrição: Ainda na capa de cada caderno (capítulo), professores e alunos encontrarão


os objetivos a serem alcançados naquela unidade. Dessa forma, pretende-se que docentes e
discentes comecem “com o objetivo em mente”, ou seja, que tenham clareza desde o início dos
objetivos.

Como funciona na prática? Após a contextualização, sugerimos que o professor


apresente os objetivos pedagógicos do caderno, ou seja, o que o aluno deve assimilar e quais
competências ele deve desenvolver, quando o caderno estiver com a teoria vista e os exercícios
realizados.

Na capa do caderno de Sinais de Pontuação, ao lado, ao ler os


objetivos da unidade, junto com os alunos, o professor deixa
claro que visa ensinar para compreensão dos alunos dos erros
de comunicação gerados por má emprego da pontuação,
reconheçam e saibam empregar corretamente os sinais de
pontuação.

2
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 03:
Transcender o conteúdo tradicional, através do diálogo entre este e outros saberes,
não previstos na Base Nacional Comum, mas considerados relevantes para a formação
do jovem, segundo a visão da Irium Educação.

Descrição: Além do conteúdo tradicional, o material do Ensino Fundamental II é focado


em novos saberes essenciais para a formação dos jovens hoje em dia. Saberes como Educação
Financeira, Noções de Nutrição, Noções de Direito, Empreendedorismo, entre outros, são
apresentados de forma dialógica com os conteúdos tradicionais. De forma prática, em cada
caderno há pelo menos uma inserção transdisciplinar em formato de observação. Essas inserções
surgem no material impresso em uma versão reduzida e o artigo na íntegra pode ser acessado
no site do projeto galeracult.com.br.

Como funciona na prática? As inserções são apresentadas em um quadro específico e


o conteúdo é exposto por um personagem ficcional criado pelo time da Irium Educação. Esses
personagens são jovens e possuem características e linguagem próprias da adolescência, o que
gera identificação com os alunos. Para os professores, fica a sugestão de utilizar esses artigos
transdisciplinares para apresentar como o conteúdo presente “dialoga” com outros, estendendo
a aprendizagem e mostrando outras áreas do conhecimento onde alguns alunos, com certeza,
irão se identificar. Esse fundamento do material didático é uma grande oportunidade para fazer
conexões entre os saberes, valorizando cada um e ainda mais a sinergia entre eles. Além do
artigo presente na apostila, os educadores podem incentivar os educandos a acessar o conteúdo
completo, no site, possibilitando a navegação por outros artigos e, consequentemente, o acesso
a mais informações de qualidade. Veja no recorte abaixo, como a música do Cazuza foi utilizada
para exemplificar uma Oração Subordinada Adverbial e, com isso, acaba sendo conectada a
história do próprio compositor, enriquecendo o conhecimento cultural do aluno.

3
Fundamento 04:
Sugerir contextos para apresentação dos conteúdos a fim de tornar o aprendizado
mais prático e concreto para o aluno.

Descrição: Um desafio para os educadores é não cair no “conteudismo” puro, distante


da aplicabilidade desses e da realidade dos alunos. Para isso não acontecer, o material traz
sugestões de contextualizações para o início do conteúdo, além de outras exemplificações
práticas ao longo da apresentação da teoria.

Como funciona na prática? Na capa de cada caderno, há uma charge, uma tirinha, uma
citação, um meme ou outra representação que o professor pode usar como “gancho” para iniciar
a sua aula de forma contextualizada, trazendo mais significado para o aprendizado desde o início
da aula. Repare que o texto abaixo (à esquerda) – entre a imagem principal e a seção “Objetivos”
– propõe uma reflexão sobre o conceito de História. Essa provocação cabe perfeitamente para o
início da exposição, considerando que se pretende desconstruir o conceito vulgar de História. No
outro exemplo (à direita), o autor inseriu uma tirinha para exemplificar uma oração subordinada
adverbial.

4
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 05:
Promover uma linguagem mais dialógica e sedutora para o aluno, a fim de
sensibilizá-lo para a importância do conteúdo, facilitando o processo de aprendizagem.

Descrição: A forma como as informações são apresentadas é essencial para criar


simpatia ou rejeição por parte dos alunos. Pensando nisso, reformulamos a linguagem do
material, especialmente no início de cada caderno – na primeira impressão, - para que ela fosse
mais atrativa para os jovens. Assim, o texto “conversa” com o leitor, favorecendo a apresentação
do conteúdo e evitando rejeições devido a forma como ele é apresentado.

Como funciona na prática? Os textos do material não possuem linguagem coloquial,


eles são técnicos. Porém, não são puramente técnicos no sentido tradicional. Eles buscam
uma aproximação do leitor, como se o autor estivesse “conversando” com o leitor. Esse tipo de
construção favorece a compreensão e os professores podem usar isso em exercícios como:
reescreva determinado texto com suas palavras, deixando claro o que você entendeu. Nos textos
tradicionais, normalmente, os alunos tem dificuldade de entenderem sozinhos. Veja os textos
abaixo como são convidativos.

5
Fundamento 06:
Articular conteúdo e exercícios de forma planejada, a fim de tirar o melhor do
proveito desses últimos, funcionando como validação dos conceitos básicos trabalhados
ou espelhando a realidade dos mais diversos concursos.

Descrição: Há três seções de exercícios “tradicionais”. Os Praticando possuem o


aspecto de validação da aprendizagem, os Aprofundando refletem a clássica abordagem dos
concursos e os Desafiando são os mais difíceis, até mesmo para os principais concursos do
país. Existem também, em todas as seções, questões resolvidas em vídeo. Elas estão sinalizadas
com um ícone de uma câmera, que indica que há solução gravada, e podem ser localizadas pelo
código justaposto. Através desse código, o aluno-usuário deverá acessar a área da Videoteca,
localizada em irium.com.br.

Como funciona na prática? Os exercícios Praticando, por serem validações da


aprendizagem, permeiam a teoria, ou seja, teoria 1 → praticando 1 → teoria 2 → praticando 2
→ ... Os Aprofundando servem como mini simulados de concursos e são recomendados “para
casa” para serem corrigidos na aula seguinte. Os Desafiando, por serem os mais difíceis, podem
valer pontos extras em atividades a parte.

Fundamento 07:
Incentivar o aluno a estender sua aprendizagem além da sala de aula, seja com links
com sites e aplicativos ou através de atividades complementares de pesquisa e reflexão.

Descrição: O material possui também exercícios não ortodoxos. As questões “tradicionais”


são testes para verificar se o aluno consegue reproduzir aquilo que deveria ser aprendido. Na
seção Pesquisando, o material propõe exercícios novos, que incentivam a pesquisa on-line
e off-line, reflexões sobre escolhas e comportamentos e servem também, para possibilitar a
atuação dos responsáveis na educação formal do filho, pois podem ajuda-los nas pesquisas e
reflexões sugeridas pela atividade.

Como funciona na prática? A seção Pesquisando é constituída


de exercícios “fora da caixinha”, isto é, aqueles que exigem
pesquisas e/ou reflexões. Há algumas utilizações pedagógicas
interessantes para essa seção. Exemplos: 1) O professor poderia
pedir um caderno separado para registro desses exercícios. Ao
final ele teria um verdadeiro portfólio da produção dos alunos ao
longo de determinado tempo; 2) Os pais poderiam ser convidados
a participar da educação formal do filho, ajudando-o ou
simplesmente perguntando sobre os temas abordados nesses
exercícios, pois são mais fáceis para esse intuito do que os
exercícios tradicionais; 3) O aluno poderia exercitar sua oratória
apresentando atividades propostas nessa seção; 4) Alguns
Pesquisando podem ser usados como temas para debates em
sala, desenvolvendo as habilidades de ouvir e compreender o
outro, além, obviamente, da capacidade de argumentação.

6
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 08:
Oferecer informações sintetizadas, a fim de atender momentos de revisão do
conteúdo.

Descrição: No final de todo caderno, apresentamos uma seção denominada Resumindo,


onde é apresentado uma síntese do conteúdo do caderno. O intuito é possibilitar que o aluno
tenha um resumo bem construído para uma revisão rápida, quando necessária.

7
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
9º ANO – 2016 / 2017
GEOGRAFIA

1º bimestre

EF2GEO901: O planeta Terra


• Localização da Terra no espaço
• Principais movimentos da Terra
• Orientação
• Coordenadas geográficas
• Fusos horários

EF2GEO902: Cartografia
• Noções de cartografia
• Escalas

EF2GEO908: Industrialização
• A evolução industrial brasileira: dos surtos industriais aos governos militares
• A década perdida
• O neoliberalismo

2º bimestre

EF2GEO909: Urbanização
• Conceitos de urbanização
• Principais aglomerações urbanas
• Rede e hierarquia urbana
• O estatuto da cidade

EF2GEO910: Agricultura
• Principais sistemas agrícolas do mundo
• Políticas agrícolas e estrutura fundiária brasileira

8
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

EF2GEO907: Estudo das populações


• Conceitos demográficos
• Estrutura da população
• Teorias demográficas
• Migrações populacionais

3º bimestre

EF2GEO903: O Brasil: geologia e relevo


• Características do espaço brasileiro
• Estrutura geológica do Brasil
• As classificações do relevo brasileiro
• As grandes estruturas do território brasileiro

EF2GEO904: O Brasil: clima e vegetação


• Elementos e fatores do clima
• Pluviogramas
• Paisagens naturais
• As formações vegetais do Brasil

4º bimestre

EF2GEO905: O Brasil: hidrografia


• Bacias fluviais do Brasil
• O litoral brasileiro

EF2GEO906: Impactos ambientais


• Problemas ambientais

EF2GEO911: Regionalização do Brasil


• As diversas formas de divisão do território brasileiro
• Região Norte
• Região Centro-oeste
• Região Nordeste
• Região Sudeste
• Região Sul

9
10
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

ORIENTADOR METODOLÓGICO PADRÃO

ENSINO FUNDAMENTAL 2016/2017


9º ano
GEOGRAFIA

2o bimestre:

Aula 11
Tópico: Urbanização
Objetivos: Compreender o conceito de urbanização, a evolução das cidades e analisar os fatores que
levaram ao desenvolvimento urbano; Estudar tipos de aglomeracão urbana.
Subtópicos: Urbanização: conceituação e evolução; Principais tipos de aglomeração urbana
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 ao 3

Aula 12
Tópico: Urbanização
Objetivos: Compreender o que é rede urbana e quais foram as mudanças apresentadas em seus fluxos
ao longo do processo de urbanização; Entender a relação de industrialização com a urbanização e analisar
os problemas sociais, econômicos e ambientais encontrados nas grandes cidades.
Subtópicos: Rede urbana e hierarquia urbana; Urbanização rápida e anômala
Exercícios: Praticando 4 e 5
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula 13
Tópico: Urbanização
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando e Desafiando
Para casa: Pesquisando

Aula 14
Tópico: Agricultura
Objetivos: Compreender o processo de modernização da agricultura e analisar as consequências para
os meios ambiente e social; Analisar os principais sistemas agrícolas
Subtópicos: Introdução; Modernização agrícola; Sistemas agrícolas
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 e 2

9
Aula 15
Tópico: Agricultura
Objetivos: Entender as principais características das produções dos países centrais; Entender as
consequências da modernização agrícola no Brasil, incluindo os problemas sociais, econômicos e
ambientais encontrados nas zonas rurais
Subtópicos: Agricultura brasileira
Exercícios: Praticando 3 e 4
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula 16
Tópico: Agricultura
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando e Desafiando
Para casa: Pesquisando

Aula 17
Tópico: Estudo das populações
Objetivos: Compreender os principais conceitos para o estudo das populações; Perceber a diferença
na estrutura demográfica dos países subdesenvolvidos e desenvolvidos; Analisar a estrutura demográfica
brasileira;
Subtópicos: Conceitos demográficos; Transição demográfica nos países subdesenvolvidos; Estrutura
etária brasileira
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 ao 4

Aula 18
Tópico: Estudo das populações
Objetivos: Estudar as principais teorias demográficas apresentadas, entendendo a abordagem de cada
uma delas; Compreender os fatores que levam a um movimento migratório
Subtópicos: As teorias demográficas; Migrações populacionais
Exercícios: Praticando 5 ao 8
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula 19
Tópico: Estudo das populações
Objetivos: x
Subtópicos: Exercícios
Exercícios: Aprofundando e Desafiando
Para casa: Pesquisando

Aula 20
Tópico: Revisão
Objetivos:
Subtópicos: Revisão
Exercícios: Revisão bimestral
Para casa: Revisão bimestral

10
URBANIZAÇÃO

ORIENTADOR METODOLÓGICO
Urbanização

Conteúdo:
• Urbanização: conceito e evolução;
• A expansão urbana;
• Os principais tipos de aglomeração urbana;
• Rede urbana e hierarquia urbana;
• O surgimento da metrópole e seus impactos;
• Segregação socio-espacial;
• Reforma urbana.

Objetivos de aprendizagem:
• Compreender o conceito de urbanização e a evolução das cidades;
• Analisar os fatores que levaram ao desenvolvimento urbano;
• Entender as principais características desenvolvidas pelas grandes cidades;
• Estudar os tipos de aglomeração urbana;
• Compreender o que é uma rede urbana e quais foram as mudanças apresentadas
em seus fluxos ao longo do processo de urbanização;
• Entender a relação da industrialização com a urbanização;
• Analisar os problemas sociais, econômicos e ambientais encontrados nas grandes
cidades.

Sugestões Didáticas:
No presente capítulo, é ideal que o aluno desenvolva o conhecimento sobre os fatores
que levaram ao processo de urbanização. Como conhecimento prévio, é ideal que o aluno
tenha uma boa compreensão sobre o processo de industrialização. A partir disso, o aluno
deverá analisar e entender os processos de evolução urbana, bem como analisar os princi-
pais aglomerados urbanos e diferenças entre as cidades.

Praticando:
1) Conjunto de municípios contíguos e integrados socioeconomicamente a uma cidade cen-
tral ou principal e com serviços públicos de infraestrutura comuns.

2) Conurbação entre duas ou mais metrópoles.


PROIBIDA A VENDA

3) Urbana.

4) Segregação socioespacial, favelização, periferização, poluição, degradação ambiental, etc.

5) Uma cidade com nível de influência global.


EF2GEO9-09

1
URBANIZAÇÃO

Aprofundando:
1) E

2) D

3) B

4) E

Desafiando:
1) Crescimento urbano desordenado levando à engarrafamento, segregação socioespacial,
formação de favelas, periferização, degradação ambiental, insuficiência na coleta de lixo,
péssimo sistema de esgoto, baixa infraestrutura.

2) a) Podemos destacar como características distintivas da favela: a ilegalidade de 100% das


construções; a inobservância de princípios técnicos de construção civil ligados à segurança,
conforto e salubridade, com a utilização, de um modo geral, de materiais não apropriados nem
recomendáveis tecnicamente; a ocupação de áreas com infraestrutura precária ou ausente.
b) As favelas, na sua quase totalidade, tendem a ocupar áreas de risco, tais como encos-
tas, fundos de vale, além de áreas de mananciais, o que resulta numa retirada da maior par-
te da cobertura vegetal, favorecendo o processo erosivo e de desmoronamento de encostas,
a poluição e o assoreamento de cursos fluviais, entre outros.
c) Não, pois também decorre de outros fatores, tais como: a baixa renda da população
favelada,o alto valor do terreno em áreas de melhor infraestrutura e a baixa eficiência da
política habitacional destinada à população carente.

Pesquisando:
1) O aluno deve consultar um mapa e localizar as megalópoles.
EF2GEO9-09

2
AGRICULTURA

ORIENTADOR METODOLÓGICO
Agricultura
Conteúdo:
• Modernização agrícola;
• Sistemas agrícolas;
• Produção agrícola nos países centrais;
• Agricultura brasileira.

Objetivos de aprendizagem:
• Compreender o processo de modernização da agricultura;
• Analisar as consequências da modernização para os meios ambiental e social;
• Analisar os principais sistemas agrícolas;
• Entender as principais características das produções dos países centrais;
• Entender as consequências da modernização agrícola no Brasil;
• Analisar os problemas sociais, econômicos e ambientais encontrados nas zonas rurais.

Sugestões Didáticas:
Para o desenvolvimento do tema abordado no capítulo, sugere-se que o professor desta-
que os fatores sociais resultantes da formação histórica da realidade rural brasileira.

Praticando:
1) Monocultura de produtos tropicais em latifúndios, com mão de obra escrava e voltada
para a exportação.

2) Prática agrícola em que o destino produtivo é a alimentação familiar e venda de exceden-


te, com mão de obra familiar e pequena propriedade.

3) As ligas tinham como objetivos básicos lutar contra a monopolização das terras e contra
a exploração da mão de obra rural.

4) Embora o Estatuto tenha sido elaborado no governo Jango, sua aplicação ficou nas mãos
do militares. Essa lei teve o objetivo de levar aos trabalhadores rurais as garantias já conce-
didas aos trabalhadores urbanos pela CLT, em 1943.

Aprofundando:
1) D
PROIBIDA A VENDA

2) E

3) A

4) E
EF2GEO9-10

3
AGRICULTURA

5) A

6) A

Desafiando:
1) A) Sistema de “belts”.
B) Os belts são especializados no cultivo de determinados produtos, como trigo, milho,
algodão, frutas, culturas tropicais. Merecem ainda destaque as produções de soja, tabaco,
laranja e gado bovino.

2) V – V – F – V

3) F – V – V – F – V

Pesquisando:
Os alimentos transgênicos são geneticamente modificados com o objetivo de melhorar a
qualidade e aumentar a produção e a resistência às pragas, visando o lucro. O DNA desses
alimentos é modificado.
Alguns produtos são modificados para que contenha um maior valor nutricional, como o
arroz dourado da Suíça, que é muito rico em betacaroteno, substância precursora de Vita-
mina A. O arroz é um alimento muito consumido em todo o mundo e quando rico em beta-
caroteno, ajuda a combater as doenças por deficiência de vitamina A.
Alguns vegetais são modificados para resistirem ao ataque de vírus e fungos, como a
batata, o mamão, o feijão e banana. Outros são modificados para que a produção seja au-
mentada e os vegetais sejam de maior tamanho. Existem também alimentos que têm o seu
amadurecimento prolongado, resistindo por muito mais tempo após a colheita.
Pontos positivos
• Aumento da produção;
• Maior resistência à pragas (vírus, fungos, bactérias e insetos);
• Resistência aos agrotóxicos;
• Aumento do conteúdo nutricional;
• Maior durabilidade e tempo de estocagem.

Pontos negativos
• A seleção natural tende a ser maior nas plantas que não são transgênicas;
• Eliminação de populações naturais de insetos, animais e outras espécies de plantas;
• Aumento de reações alérgicas em determinadas pessoas.
EF2GEO9-10

4
ESTUDO DAS POPULAÇÕES

ORIENTADOR METODOLÓGICO
Estudo das populações

Conteúdo:
• Conceitos demográficos;
• Transição demográfica nos países desenvolvidos;
• Estrutura etária brasileira;
• As teorias demográficas;
• Migrações populacionais.

Objetivos de aprendizagem:
• Compreender os principais conceitos para o estudo das populações;
• Entender o processo de transição demográfica nos países subdesenvolvidos;
• Perceber a diferença na estrutura demográfica dos países subdesenvolvidos e desenvolvidos;
• Analisar a estrutura demográfica brasileira;
• Estudar as principais teorias demográficas apresentadas, entendendo a abordagem
de cada uma delas;
• Compreender os fatores que levam a um movimento migratório.

Sugestões Didáticas:
Neste capítulo, é ideal que o aluno desenvolva o conhecimento sobre a transição de-
mográfica, sabendo pontuar as diferenças entre o processo que aconteceu nos países de-
senvolvidos e o processo dos países subdesenvolvidos. Também é importante que o aluno
saiba a atual configuração das estruturas etárias dos diversos países no mundo, assim como
os processos migratórios mais importantes.

Praticando:
1) É a diferença entre as taxas de natalidade e de mortalidade. Não inclui os estrangeiros
residentes no país.

2) Nos países subdesenvolvidos.

3) Avanços na medicina e saneamento básico.

4) Entrada da mulher no mercado de trabalho e métodos contraceptivos.

5) Após a Segunda Guerra Mundial, nos países desenvolvidos.


PROIBIDA A VENDA

6) A ideia básica é que a população cresce em progressão geométrica, enquanto a produção


de alimentos cresce em progressão aritmética.

7) É a migração diária de ida e volta do trabalho.


EF2GEO9-07

5
ESTUDO DAS POPULAÇÕES

8) Portugueses, Alemães, Italianos e várias etnias Africanas.

Aprofundando:
1) E

2) B

3) C

4) E

5) B

6) B

7) C

8) D

9) C

Desafiando:
1) A taxa de natalidade se apresenta baixa, com uma média de menos de um filho por casal.
A taxa de mortalidade também se apresenta baixa, pelo bom acesso a métodos preventivos,
remédios e hospitais.

2) Nos países centrais, o principal problema da estrutura etária populacional é o envelheci-


mento da população, que gera uma grande despesa do governo com previdência social. Nos
países periféricos, a estrutura populacional apresenta uma grande quantidade de crianças,
fazendo com que o governo tenha alta despesa com saúde e educação.

Pesquisando:
1) Inverno demográfico é uma hipótese apresentada pelo francês Gérard François Dumont,
observada na Europa, particularmente na Alemanha e na Itália, assim como em outros mui-
tos países, como o Japão. O fenômeno é percebido quando a taxa de natalidade não se es-
tabiliza e a taxa de mortalidade mantém-se em níveis baixos. Isso tem como consequência
o envelhecimento da população.
Um país deve manter uma taxa de natalidade de 2,1 filhos por mulher para substituir a
sua população atual. No entanto, apenas na Europa, a taxa de natalidade é de 1,3 filhos por
mulher e estima-se que no ano de 2030, a Europa irá ter um decréscimo de vinte milhões de
trabalhadores. Ao mesmo tempo, a população da Rússia reduzirá em 2050 para dois terços
de sua população atual
EF2GEO9-07