Você está na página 1de 3

1.

Transparência 1 –

. O aparelho auditivo ou AASI (Aparelho de Amplificação Sonora Individual) É um dispositivo


eletrônico que tem a essencial função de amplificar as ondas sonoras, de forma que uma pessoa
com perda de audição possa ouvir os sons que se passam no ambiente. Esse aparelho tem três
partes simples:

1. Um microfone,

2. Um amplificador e,

3. Por último, o receptor

O aparelho conta com algumas peças fundamentais além das duas já mencionadas: receptor,
bateria, adaptadores e chip de processamento sonoro. Daqui já conseguimos ver que não é um
simples aparelho de som.

. Criar condições para o diálogo – Se a pessoa pode escutar então poderá dialogar

. Limitações - Apesar do avanço da tecnologia, ainda possui limitações na relação sinal/ruído,


principalmente quando a fonte sonora está distante.

2. Transparência 2 –

Como funciona?

O aparelho capta o som por meio do microfone, que converte as ondas sonoras em sinais elétricos e
os manda diretamente a um amplificador. Nessa etapa, o amplificador aumenta a potência dos
sinais e os enviam para o ouvido através do receptor. Os sons são transmitidos para a pessoa
captando os impulsos que, posteriormente, serão analisados pelo cérebro, completando o ciclo
da audição.

Esse aparelho tem como objetivo ajudar pessoas com uma perda auditiva a perceber sons.

A qualidade do som está diretamente associada às especificações das partes do aparelho auditivo,
quanto melhor for, a experiência do usuário será mais fidedigna a vida real.

. Como o cérebro ouve

O som enviado pelo aparelho, da mesma forma daquele que o ouvido recebe normalmente, é
recebido pela cóclea, que fica no ouvido interno. Depois é passado ao nervo acústico do cérebro.

Melhorias

Os ruídos de fundo sempre foram um dos maiores problemas das pessoas que usam o aparelho. No
entanto, graças ao desenvolvimento gradativo da tecnologia atual, é possível encontrar
aparelhos auditivos pequeninos que podem até ser encaixados no fundo do​ ​canal auditivo,​ sem
danificar a reprodução sonora, que fica bem precisa e reduz os ruídos, realçando os sons. Todo
este processo realiza-se automaticamente dentro do aparelho auditivo sem que o usuário
perceba.

Recomendação para crianças


É essencial que crianças que foram diagnosticadas com ​perda de audição ​comecem a utilizar o
aparelho rapidamente. Caso contrário, podem ter problemas decorrentes da perda de audição,
como o comprometimento no desenvolvimento intelectual, psicológico, motor e na linguagem.

Transparência – 3

Diversidade de marcas tipos e modelos

São tantas as marcas de aparelhos auditivos, que na hora de escolher, fica difícil saber quem e
quando procurar. Os diversos modelos que variam no tamanho e no tipo de cada amplificação.

Existem alguns tipos de aparelhos no mercado, alguns podem funcionar melhor do que outros ou
ainda serem mais confortáveis de usar. A escolha/indicação também pode variar de acordo com
a tecnologia aplicada, sendo mais caros a depender do que tem a oferecer.

● Retroauricular: esse modelo é encaixado na parte externa da orelha e conduz o som


através de um tubo fino que fica no ouvido.
● Intracanal: é fixado diretamente no canal auditivo e é feito sobre medida, ou seja, é
realizado um molde para a criação de um aparelho com suas exatas medidas.
● Intracanal profundo: esse é o mais tecnológico dos três e é praticamente invisível
quando colocado. Ele se encaixa totalmente dentro do canal auditivo, sendo ideal
quando se pensa em estética.

Os preferidos da maioria, por questões estéticas, são os intracanais e retroauriculares, entretanto


não funcionam bem para todo tipo de perda auditiva. O que varia é a porção da orelha onde são
encaixados, o tamanho e o molde. Cada modelo de aparelho auditivo é indicado para um tipo de
perda. Saiba que a porção do aparelho que fica dentro do chamado meato acústico externo é
feita sob medida.

Procurar fonoaudiólogo / ou otorrinolaringologista

O ideal, seria procurar um(a) fonoaudiólogo(a) ou otorrinolaringologista especializado em


reabilitação auditiva em termos gerais que poderá indicar qual o melhor aparelho auditivo para
o seu caso, em vez de pedir indicação de aparelho para outros usuários, visto que nem sempre a
pessoa sabe informar. O fonoaudiólogo também deve fazer uma avaliação das características
técnicas do aparelho; Porém, hoje em dia, praticamente todas as marcas tem opções de
modelos para os diversos tipos de perdas.

Pode ser necessário após situações tais como:

● Sequelas após inflamações severas do aparelho auditivo;


● Traumatismos que ocasionaram alteração da estrutura do ouvido;
● Degeneração natural ou não das células responsáveis pela conversão das ondas sonoras
em impulsos nervosos;
● Tumores do canal auditivo;
● Doenças que possam alterar as estruturas responsáveis pela captação do som, tais como
otosclerose.

Manutenção -
Uma dica é procurar uma marca que tenha representantes na sua cidade ou em cidades próximas,
para que em caso de manutenção e eventuais problemas, você consiga um rápido contato com a
assistência técnica.