Você está na página 1de 17

I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol.

14 – n° 1 (2018)
159

GESTÃO DE RESÍDUOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL: UM ESTUDO EM BELO


HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA
Waste management in construction: a study in Belo Horizonte and the
metropolitan area
Izabella Caroline de Almeida Leite1, João Luís Corrêa Damasceno2,
Alexandre Magrineli dos Reis3, Marina Alvim4
Recebido em 02 de dezembro de 2016; aceito em 28 de agosto de 2017; disponível on-line em 07 de novembro de 2017.
RESUMO: O presente estudo teve como objetivo geral analisar a gestão de resíduos na
construção civil no município de Belo Horizonte (MG) e região metropolitana. Para isso,
foi elaborada uma pesquisa de campo. A revisão bibliográfica teve por objetivo
identificar, na literatura, os processos de gerenciamento utilizados pelos municípios,
bem como verificar o que preconiza a legislação vigente. O universo da pesquisa
elencou o município de Belo Horizonte e a região metropolitana, constituída por 34
municípios. A realização da pesquisa permitiu adquirir conhecimentos sobre o
gerenciamento de Resíduos de Construção Civil (RCCs), tanto nos aspectos teóricos
quanto nas informações obtidas na coleta de dados por meio do questionário de
pesquisa. De modo geral, o setor de construção civil é um grande gerador de RCCs e
PALAVRAS CHAVE: ainda faltam políticas públicas, nas esferas federais, estaduais e municipais, para
auxiliar gestores a criar estruturas capazes de proporcionar uma gestão eficaz,
Gestão de resíduos
minimizando os impactos dos resíduos no meio ambiente. Foi possível perceber a
Construção civil;
carência quanto ao incentivo do processo de reciclagem nos municípios, que poderia
Gerenciamento RCC ser um facilitador na gestão dos RCCs.
Reciclagem
ABSTRACT: The present study had as general objective to analyze the waste
Meio ambiente management in civil construction in the city of Belo Horizonte (MG) and metropolitan
region. For this, a field research was developed. The bibliographic review aimed to
identify, in the literature, the management processes used by the municipalities, as well
KEYWORDS:
as verify what the current legislation recommends. The research universe listed the
Waste management municipality of Belo Horizonte and the metropolitan region, made up of 34 municipalities.
Civil construction; The research carried out allowed to acquire knowledge about the management of Civil
Construction Waste (RCCs), both in the theoretical aspects and in the information
RCC Management obtained in the data collection through the research questionnaire. In general, the
Recycling construction industry is a great generator of RCCs, and there is still a lack of public
Environment policies at federal, state and municipal levels to help managers create structures capable
of effective management while minimizing the impacts of waste on the environment . It
was possible to perceive the lack of incentive of the recycling process in the
municipalities, which could be a facilitator in the management of RCCs.
* Contato com os autores:
1e-mail: iza.almeidaleite@hotmail.com (I. C. A. LEITE)
Graduando em Engenharia Civil, Centro Universitário Izabela Hendrix.
2e-mail: joaoluistec@yahoo.com.br (J. L. C. DAMASCENO)

Graduando em Engenharia Civil, Centro Universitário Izabela Hendrix.


3e-mail: alexandre.magrineli@gmail.com ( A. M. Reis)

Mestre, Professor orientador de conteúdo, Centro Universitário IzabelaHendrix.


4e-mail: marina.alvim@izabelahendrix.ed.u.br (M. ALVIM)

Doutora em Biologia ambiental, Professor doutor em metodologia, Centro Universitário Izabela Hendrix.

ISSN: 2179-0612 D.O.I. 10.5216/reec.V14i1.44439 © 2017-2018 REEC - Todos os direitos reservados.


I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
160

1. INTRODUÇÃO consumo de energia elétrica nas fases de extração,


transformação, fabricação, transporte e aplicação;
A construção civil contribui da geração de resíduos decorrentes de perdas,
significativamente para o crescimento desperdício e demolições, bem como do
econômico do país, gerando emprego, renda e desmatamento e de alterações no relevo (BRASIL,
comercialização de insumos, equipamentos e 2002a). Quanto às externalidades geradas pelo
serviços em seu processo produtivo. O grande setor, outro ponto relevante consiste na
implantação de sistemas de gestão de Resíduos da
desafio do século XXI será, sem dúvida,
Construção Civil (RCCs) eficientes, buscando evitar
conciliar desenvolvimento econômico e
os custos de retrabalho e reduzir problemas
preservação ambiental, ou seja, compatibilizar
relativos a descarte em locais inadequados. Para
atividade produtiva com conceito de
uma gestão de RCCs sustentável, a captação, coleta
desenvolvimento sustentável (KARPINSK et al., e a reciclagem destes pode ser um instrumento útil
2009). e eficaz (RODRIGUES, 2011).
Os países em desenvolvimento Quanto à problemática deste estudo,
apresentam problemas ambientais acentuados, eventos que ocorreram no Brasil fomentados pelo
principalmente por não existirem políticas públicas Governo, como a Copa do Mundo de 2014 e as
que tratem os problemas ambientais de maneira obras do Programa de Aceleração do Crescimento
prioritária e emergencial. Segundo Moura (2011), o (PAC), são exemplos do crescimento de obras de
capitalismo, com seu processo de expansão, têm infraestrutura que provocaram o aumento na
ocasionado concentração de população e produção geração de RCCs. (MARTINS, 2012). Assim, é
nas cidades e levado ao predomínio da sociedade fundamental para o setor utilizar um sistema de
urbana de hoje, com graves problemas de gestão que possibilite reduzir os custos das obras e
contaminação, congestionamento e desigualdades o volume de desperdícios e viabilize o uso das
na satisfação das necessidades sociais básicas de sobras de materiais. Essas ações podem minimizar
grande parte da população. Nesse cenário, a impactos ambientais negativos, tais como consumo
construção civil busca crescer juntamente com o de recursos naturais desnecessários, degradação
aumento da população, procurando atender suas ambiental e problemas de saúde pública
expectativas. Porém, o excesso de resíduos (BARRETO, 2005).
gerados pelo crescimento demográfico A indústria da construção civil tem papel
descontrolado e o aumento da renda causam fundamental no desenvolvimento econômico e
impacto na quantidade de resíduos gerados pelo social do país, porém ainda é vista como grande
setor. Esse é um dos problemas enfrentados pela geradora de impactos ambientais, tanto pelo
Administração Pública, sendo que o alto custo consumo de recursos naturais, modificação da
gerado pela limpeza e remoção de resíduos paisagem ou geração de RCCs. No âmbito
depositados em locais inapropriados tem se governamental, objetivando minimizar os impactos
agravado cada vez mais (OLIVEIRA e MENDES, ao meio ambiente, houve, de forma específica, o
2008). estabelecimento de um regulamento antes mesmo
Estudos realizados no Brasil sobre as de uma política pública geral para a gestão dos
características das "cidades sustentáveis" resíduos no país, a Resolução CONAMA n. º 307,
apontaram a indústria da construção civil como um (BRASIL, 2002). O documento estabeleceu as
setor a ser aperfeiçoado, uma vez que causa diretrizes, os critérios e os procedimentos para a
grande impacto sobre o meio ambiente em razão gestão dos Resíduos da Construção Civil
do consumo de recursos naturais ou extração de (BRASIL, 2002a). Posteriormente, tal política foi
materiais de jazidas (pedras ornamentais etc.); do aprovada e sancionada na forma da Lei nº 12.305,
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
161
de 2 de agosto de 2010, regulamentada pelo sociedade e o meio ambiente. Como justificativa
Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010, acadêmica, este estudo possa contribuiu com
firmando, de forma expressa, que os geradores discussões teóricas e práticas sobre o tema
devam ser responsáveis pelos seus resíduos, gerenciamento de resíduos na construção civil no
abrangendo inclusive aqueles das atividades meio científico. Como justificativa pessoal e
voltadas para a construção (BRASIL, 2010). A profissional este estudo possibilitou agregar
pergunta norteadora do presente estudo é: como conhecimento e informações para os
ocorre a gestão de resíduos na construção civil em pesquisadores em sua formação.
Belo Horizonte (MG) e região metropolitana?
Estima-se que um valor médio de 0,50 t 2. OBJETIVOS
por habitante de RCC é gerado anualmente em
algumas cidades brasileiras. Contudo, ainda existe O presente estudo teve como objetivo
grande dificuldade de se estabelecerem analisar o atual estado da gestão de resíduos na
estimativas de geração, tratamento e disposição construção civil no município de Belo Horizonte
exata em níveis estaduais, municipais e nacionais. (MG) e região metropolitana.
As discussões entre a União, os Estados e os
Municípios, o setor produtivo e a sociedade sobre a
3. METODOLOGIA
Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS têm
tido forte articulação no sentido de identificar Para o desenvolvimento da presente
soluções para os problemas graves e de grande pesquisa, foi elaborado um estudo de caráter
abrangência territorial provocados pelo descarte exploratório envolvendo uma pesquisa de campo.
incorreto, resultando na degradação ambiental. O A revisão bibliográfica teve por objetivo identificar
gerenciamento adequado dos RCCs ainda encontra na literatura os processos de gerenciamento
obstáculos pelo desconhecimento da natureza dos utilizados pelos municípios, verificou-se ainda o
resíduos e pela ausência de cultura de separação, que preconiza a legislação vigente. A pesquisa de
entre outros. Dessa forma, conhecer e diagnosticar campo e o levantamento de dados sobre o
os resíduos gerados possibilitará o melhor processo de gestão de resíduos procurou averiguar
encaminhamento para o plano de gestão e o a rotina de coleta, transporte, tratamento e
gerenciamento dos RCCs (BRASIL, 2012). disposição dos resíduos nos últimos seis meses
Desse modo, o RCC representa um grave compreendendo o período de dezembro de 2015 à
problema para as cidades brasileiras. Sua gestão junho de 2016 . Este tipo de pesquisa possibilitou a
deve ser realizada no sentido de evitar que sejam investigação do problema, de modo a explicitá-lo,
abandonados e se acumulem em margens de rios, por meio de pesquisa bibliográfica e aplicação de
rodovias, terrenos baldios ou outros locais questionários com gestores, secretários e diretores
inadequados. Pensando nestes fatores em um do setor do meio ambiente. Foram elaborados
contexto regional, faz-se necessário analisar a (Carta de anuência, Termo de Consentimento Livre
gestão de resíduos na construção civil em Belo e Questionário de pesquisa) todos enviados aos
Horizonte e região metropolitana, buscando gestores no intuito de informá-los sobre o estudo e
identificar mecanismos apropriados para sua coletar autorização para elaboração da pesquisa no
gestão. município.
A realização desta pesquisa se tornou Quanto ao universo e amostra da
relevante a partir do momento que buscou pesquisa, Belo Horizonte e os municípios no
identificar de que forma tem sido conduzido o entorno foram formalizados como região
processo de gerenciamento de resíduos da metropolitana – RMBH – em 1973, sendo
construção civil e quais as consequências para a inicialmente composta por 14 e, atualmente, por
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
162
34 municípios. Cabe ressaltar que Belo Horizonte pessoais ou confidenciais e sua escolha de não
tem desempenhado um papel importante neste responder. Conforme preconiza a legislação, esse
conjunto de cidades, pelo fato de ser a capital e por estudo não realizou nenhuma intervenção ou
sua expressão populacional e econômica. A criação modificação intencional nas variáveis fisiológicas,
da RMBH seguiu uma tendência nacional: foram psicológicas e sociais dos indivíduos que participam
criadas nove RMs em todo país pela Lei do estudo. Quanto aos benefícios, verificou-se a
complementar nº 14, de 8 de junho de 1973. Essa contribuição do conhecimento neste debate
ação foi uma resposta à necessidade de “Gestão de resíduos”, podendo somar para
desenvolvimento planejado dessas áreas, que já melhorias neste processo junto às prefeituras.
eram, naquele momento, apresentavam maiores Adotou-se, também, a pesquisa
desafios urbanos em função de sua população e se bibliográfica, cujo principal objetivo foi adquirir
desenvolvimento econômico (MINAS GERAIS, informações acerca dos temas Resolução Conama
1973). n. º 307 (BRASIL, 2002); Gestão de resíduos sólidos
Portanto, o universo da pesquisa da construção civil; Geração de resíduos sólidos da
elencou o município de Belo Horizonte e a região construção civil; Classificação; PGRCC – Plano de
metropolitana. A área de abrangência do presente Gerenciamento dos Resíduos de Construção Civil;
estudo foram os seguintes municípios: Belo Modelos de gerenciamento de resíduos e
Horizonte, Betim Caeté, Contagem, Ibirité, Lagoa Reciclagem na Construção Civil. Para teorizar sobre
Santa, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Raposos, o assunto, foram analisados artigos científicos de
Ribeirão das Neves, Rio Acima, Sabará, Santa Luzia referências nacionais e internacionais, dissertações
e Vespasiano, da norma original de 1973, nacionais, disponibilizadas na internet, por meio
Brumadinho; Esmeraldas; Igarapé e Mateus Leme, dos endereços eletrônicos das principais
incluídos em 1989; Juatuba, São José da Lapa, universidades sobre gerenciamento de resíduos na
Florestal, Rio Manso, Confins, Mário Campos, São construção civil. Para a tabulação e análise dos
Joaquim de Bicas e Sarzedo, incorporados entre dados obtidos, foram seguidos os seguintes passos:
1993 e 1997. Soma-se ainda em 2000 os municípios As questões foram tabuladas no (access) e após
de Baldim, Capim Branco, Jaboticatubas, Taquaraçu categorizadas de acordo com os respondentes
de Minas, Itaguara, Matozinhos e Nova União e criando se as siglas (PM1 à PM10) as questões
2002 o Município de Itatiauçu. abertas foram agrupadas no sentido de captar
Para o procedimento de coleta de ideias ou padrões de resposta de acordo com
dados, foram aplicados 34 questionários, palavras-chave identificadas na pesquisa.
elaborados com base nos pressupostos teóricos Após a coleta, tabulação e
desenvolvidos nesse estudo. Os respondentes categorização dos dados foi realizada a
foram abordados via contato telefônico e, em interpretação dos dados por meio da técnica
seguida, foi enviado o questionário por e-mail. O análise de conteúdo, foi feita a organização em
local de realização da pesquisa foram as Prefeituras categorias, tendo como foco o material extraído
municipais da região metropolitana de Belo dos depoimentos registrados. Bardin (1977)
Horizonte, incluindo a capital. Os participantes entende que a análise de conteúdo é um conjunto
foram os “coordenadores” da área de gestão de de técnicas de análise das comunicações, utilizada
resíduos, o início da pesquisa ocorreu a partir da para estudar e analisar material qualitativo,
assinatura da Carta de Anuência, em seguida buscando a melhor compreensão de uma
assinou-se o Termo de Consentimento e houve o comunicação ou discurso, além de relacionar suas
preenchimento do questionário. Quanto aos riscos características gramaticais às ideológicas e teóricas,
de participação foi informado aos entrevistados podendo a partir daí, extrair aspectos relevantes
sobre o desconforto em compartilhar informações para a pesquisa.
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
163

4. RESÍDUOS: DOS ASPECTOS GERAIS AOS restos de pedregulhos, areias, materiais cerâmicos,
RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL argamassa, aço e madeira (JOHN, 2010).
A construção civil se destaca na economia
A gestão de resíduos sólidos se enquadra nacional, sendo responsável por uma parcela
nas atividades de saneamento básico, pois existe a significativa do Produto Interno Bruto (PIB) do país.
interdependência entre este, a saúde e o meio Tem grande relevância pelo contingente de mão-
ambiente. Portanto, as ações de gerenciamento de de-obra direta empregada. Entretanto, o setor vem
resíduos da construção civil devem ser inter- sofrendo de forma genérica uma estabilização
relacionadas para contribuir com a melhoria da (SINDUSCON, 2008). De acordo com Souza (2004)
qualidade ambiental proporcionada a população as discussões sobre as questões ambientais têm
(SILVA et al. 2015). Figueiredo (1994), alerta que ganhado conotação no cenário nacional, uma vez
todo processo econômico gera resíduos. Mesmo que desperdiçar materiais, seja na forma de
sendo considerados inservíveis por grande parcela resíduo (mais comumente denominado entulho de
da sociedade, os resíduos possuem, construção) ou sob outra natureza, significa
aproximadamente, 40% de materiais recicláveis. Os desperdiçar recursos naturais, o que coloca a
RCCs foram inicialmente definidos na legislação indústria da construção civil no centro das
brasileira como o conjunto dos produtos não discussões na busca pelo desenvolvimento
aproveitados das atividades humanas nas sustentável nas suas diversas dimensões (SOUZA,
atividades de implantação e transformação dos et al. 2004).
bens de consumo na construção civil
(BRASIL, 2002). Posteriormente, o art. 13, inciso I, h 4.1 GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA
da Lei n. º 12.305/2010 (BRASIL, 2010), ao CONSTRUÇÃO CIVIL
estabelecer uma classificação para os vários tipos
de resíduos também definiu estes como “os Na atual conjuntura, os municípios
gerados nas construções, reformas, reparos e brasileiros têm como foco principal o manejo
demolições de obras de construção civil, incluindo- adequado e sustentável dos resíduos gerados pelos
se os resultantes da preparação e escavação de domicílios e a área da saúde. Contudo, é fato que
terrenos para obras civis”. aqueles gerados pela construção civil têm uma
O diagnóstico de geração de resíduos participação importante no conjunto daqueles
oriundos da construção civil nas cidades brasileiras produzidos, podendo alcançar a cifra expressiva de
necessita de estimativas da área construída, de até duas toneladas de entulho para cada tonelada
quantificação de volumes por empresas coletoras, de resíduo domiciliar. Portanto, torna-se
do monitoramento de descargas nas áreas de necessário que as cidades do país e seus gestores
disposição final dos resíduos de construção civil, desenvolvam e implementem políticas públicas
permitindo, assim, uma quantificação confiável, direcionadas ao gerenciamento desses resíduos
que pode ser utilizada em todo município (BRASIL, 2010). Os resíduos gerados nas obras e
que possui cadastro de construções licenciadas seus canteiros devem ser segregados na fonte e
(PINTO, 2005). Os RCCs normalmente são descartados conforme a legislação. É obrigação de
denominados de “entulhos” e, em termos técnicos, todos os colaboradores descartá-los
são todo o resíduo de material usado na realização adequadamente. Assim, cabe aos gestores
de obras em atividades de construção civil, sendo disponibilizar orientações de fácil acesso nos locais
oriundos das etapas de infraestrutura, demolições, e frentes de serviço por meio de placas de
reformas, restaurações, reparos e construções orientação, cartilhas e treinamentos (SICEPOT,
novas, ou seja, é todo o conjunto de fragmentos ou 2014). A Resolução CONAMA n. º 275, de 25 de
abril 2001 (BRASIL, 2001), estabeleceu o código de
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
164
cores para os diferentes tipos de resíduos, a ser do meio ambiente. Porém, nosso processo de
adotado na identificação de coletores e desenvolvimento da reciclagem ainda está
transportadores, bem como nas campanhas muito atrasado em relação à Europa, que iniciou a
informativas para a coleta seletiva. ação após a Segunda Guerra Mundial e onde
O gerenciamento dos resíduos países como Holanda já conseguem atingir
oriundos da construção civil não deve ter ação cerca de 90% de seu processo de reciclagem
corretiva e sim uma ação educativa, criando em RCCs (DORSTHORST e HENDRIKS, 2000).
condições para que as empresas envolvidas Estudos de Schneider e Philippi (2004) sobre a
possam exercer suas responsabilidades sem geração dos resíduos da construção civil mostram
produzir impactos socialmente negativos. que essa questão é mundialmente reconhecida.
Karpinsk et al., (2009), aponta que o programa O autor ressalta que os Estados Unidos da
de ações educativas deve ser divulgado entre América, por exemplo, geram, aproximadamente,
os pequenos geradores e coletores e apontado 136 milhões de toneladas de resíduos de
as opções para a correta disposição de resíduos construção e demolição (RCD) por ano.
no município, informando a rede de pontos de O processo de reciclagem dos resíduos
entrega voluntária e a possibilidade de de construção é constituído das etapas de
solicitação telefônica da prestação de serviços, por triagem, homogeneização, trituração, extração
meio de um sistema como o “disque coleta”. de materiais metálicos, eliminação de
Blumenschein (2007) por sua vez relata em seus contaminantes e estocagem para expedição. O
estudos que um Sistema Integrado de mercado brasileiro apresenta sinais de interesse
Gerenciamento de RCCs envolve questões no sentido de explorar o negócio de reciclagem
complexas, particularmente, no processo de na construção civil e não apenas o negócio de
produção da cadeia principal da cadeia produtiva transporte, com experiências limitadas em ações
da indústria da construção, ou seja, no processo das municipalidades (PINTO, 2005).
construtivo. O município de Belo Horizonte,
opera plantas de reciclagem, produzindo
4.2 RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL principalmente base para pavimentação.
No cenário atual, o processo de Estudos de Resende (2016) apontam os
reciclagem na construção civil no país tem se caminhos percorridos pelos RCC em
fortalecido no sentido de buscar soluções para o Belo Horizonte, desde os diversos geradores,
gerenciamento dos resíduos gerados por esta passando pelos intermediários (responsáveis
atividade. Essa vertente ganha força pela triagem e reciclagem do material) até
principalmente pela procura de novos materiais, os receptores dos resíduos estão descritos na
que possam substituir as matérias-primas retiradas Figura 1.
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
165

FIGURA 1: Fluxograma do gerenciamento de RCC em Belo Horizonte.


FONTE: Resende (2016).

Segundo Resende (2016) a geração de critérios e do rigor usados na eliminação dos


resíduos ocorre em função das diversas obras de contaminantes.
modificação (expansão ou reforma) que as Fagury e Grande (2007) acreditam que os
empresas realizam em suas plantas de operação, resíduos dos canteiros de obras podem ser
de modo que a quantidade gerada é considerável, empregados novamente como material de
de acordo com informações disponibilizadas construção se devidamente reciclados. Os
pelos receptores (aterro de resíduos industriais e concretos, argamassas e rochas têm grande
botas foras) A redução de disposição dos RCC em potencial para ser reciclados. No caso dos blocos,
locais inapropriados, ocorreu a partir de 1993 tijolos e cerâmicas, é possível reutilizá-los sem
quando a prefeitura municipal (PBH) criou o serem necessários processos de tratamento. Os
Programa de Correção das Disposições solos, a areia e a argila podem ser reutilizados em
Clandestinas e Reciclagem de Entulho, e a obras viárias. Quanto aos metais ferrosos, podem
partir de então a cidade passou a ser considerada ser reciclados e reaproveitados pelo setor de
um caso de sucesso na gestão desses resíduos. metalurgia. Os resíduos do gesso, se armazenados
No entanto, a dificuldade de se monitorar e adequadamente em local seco, como em caixas
mensurar o ciclo dos RCC (da geração à disposição com piso concretado ou caçambas, readquirem
final) ainda faz com que qualquer tomada de características químicas da gipsita, minério extraído
decisão, principalmente do poder público, seja o gesso e que pode ser reutilizado, sendo
dificultada. Desse modo, os estudos relacionados aproveitada na agricultura, devido ao seu efeito
ao tema são considerados de grande relevância e fertilizante (fonte de enxofre e de cálcio), ação
novas pesquisas se mostram necessárias (RESENDE, corretiva de solos sódicos, funcionando como um
2016) Carneiro et al., (2001), citado por Silva condicionador de subsuperfície e de estercos
(2007), afirma que, de modo geral, os processos de (DRYWALL, 2011).
reciclagem têm equipamentos similares aos As indústrias recicladoras de RCCs podem
utilizados na produção de agregados ser consideradas como: emergente, quando o
naturais. Contudo, os sistemas de reciclagem de mercado de reciclados ainda não está consolidado,
entulho podem ser classificados em função dos principalmente nas qualificações dos produtos, e
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
166
madura, quando os agregados reciclados se tornam fluxos da destinação dos resíduos da construção
mercadoria concorrente e certificada, dispostos à civil, associada ao descompromisso dos geradores
venda nas lojas de material de construção (LIMA, no manejo e, principalmente, na destinação dos
2013). Assim, executar a separação do RCC na resíduos, provocando os seguintes impactos
fonte geradora dos resíduos beneficia a reciclagem ambientais: degradação das áreas de manancial e
e é imprescindível na obtenção de reciclados com de proteção permanente; proliferação de agentes
melhor qualidade. Segundo Alves e Quelhas (2004), transmissores de doenças; assoreamento de rios e
a indústria da construção civil é um grande córregos; obstrução dos sistemas de drenagem
reciclador de resíduos de outras indústrias e de sua (piscinões, galerias e sarjetas); ocupação de vias e
própria atividade. Na ponta geradora do resíduo, a logradouros públicos por resíduos, com prejuízo
reciclagem significa redução de custos e até para a circulação de pessoas e veículos, além da
mesmo novas oportunidades de negócios. própria degradação da paisagem urbana e
Cunha Júnior (2005) reconhece que a existência e acúmulo de resíduos que podem gerar
necessidade de se aproveitar os resíduos da risco devido a sua periculosidade.
construção civil não ocorre somente pela vontade
4.4 PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS
de economizar, mas é também uma atitude
DE CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)
fundamental para a preservação ambiental. O
sucesso de um processo de reciclagem depende De acordo com a Resolução CONAMA
muito de fatores regionais, que devem ser nº 307/2002 (BRASIL, 2002), os planos de
avaliados para mensurar se uma determinada Gerenciamento de Resíduos de obra,
cidade ou região possui condições de implantação constantes do item Projetos de Gerenciamento de
favoráveis ou desfavoráveis (LANGUELL, 2001). Resíduos, são basilares para a indução de
procedimentos disciplinados na cadeia de
4.3 IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO produção da construção civil. Esta norma é
DESCARTE INADEQUADO DO RCC exigência da Política Nacional de Resíduos
Já foi mencionado anteriormente o papel Sólidos – PNRS – a todas as empresas da área de
da construção civil na economia do país e em seus construção. Seu principal objetivo é designar
impactos ambientais. Isto se produz a partir do os responsáveis pelo manejo correto dos resíduos
consumo de recursos naturais e da geração de gerados pela obra (BRASIL, 2010). Portanto, para
resíduos, mas também podem surgir a partir da executar o planejamento de um projeto dessa
alteração da paisagem (CASTRO, 2012). natureza, é necessário considerar as seguintes
Tozzi (2006) cita Degani (2003) quando reconhece indagações: há política da qualidade em sua
que uma das maiores preocupações referentes à empresa? E como posso estruturar o PGRCC em
geração descontrolada de RCCs é a disposição sintonia com tal política? Desse modo, ao iniciar a
irregular. Degani (2003) afirma em seus estudos implantação do plano é prudente criar uma
que a disposição irregular engloba todos despejos experiência piloto para única obra, validando
clandestinos em vias e logradouros públicos, assim, metodologia que será utilizada pela
terrenos baldios e fundos de vales. Tais despejos instituição. É fundamental que todos os
são responsáveis pelo surgimento de bota-foras procedimentos operacionais do PGRCC sejam
irregulares, que acabam se transformando em considerados na sua elaboração e os princípios e
lixões, o que tem sido uma grande preocupação métodos seja a tradução do projeto. Ressalta-se
esse tipo de descarte irregular. que o gerenciamento dos resíduos é um tema
Para o Sinduscon – SP (2005), a muito importante e deve ser pautado na
disposição irregular está relacionada à carência de classificação dos resíduos gerados
políticas públicas que disciplinem e ordenem os obrigatoriamente conforme CONAMA n° 307
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
167
(BRASIL, 2002) Classes A, B, C e D definidas em sua processo de gestão de resíduos em Belo Horizonte
resolução (ROS; MAZONI, 2006). e região metropolitana. O bloco de questões a
seguir representa as informações específicas da
5. RESULTADOS E DISCUSSÕES pesquisa sobre a gestão de resíduos no
município os resultados tabulados para as 10
Nesta seção, apresentam-se os
prefeituras analisadas estão descritos na
resultados pertinentes a coleta de dados desta
pesquisa, no sentido de identificar como ocorre o Tabela 1.

TABELA 1: Gestão de RCC nas prefeituras.

SIM NÃO

FREQ

FREQ
Bloco de questões sobre Gestão de RCC nas prefeituras
% %

Indique se o município possui legislação específica para a gestão de


0 0% 10 100%
resíduos sólidos.

Indique se o município possui Plano de Gerenciamento de Resíduos


1 10% 9 90%
Sólidos.

Indique se o município possui Programa Integrado de Gerenciamento


0 0% 10 100%
de Resíduos da Construção Civil (conforme legislação vigente).

Indique se a prefeitura desenvolveu programas ou realizou ações


educativas voltados ao reaproveitamento e destinação final dos 4 40% 6 60%
resíduos de construção civil (RCC).

Indique se a prefeitura tem cadastro de grandes geradores. 0 0% 10 100%

Indique se há sistema de coleta de RCC implantado no município. 6 60% 4 40%

Indique se há segregação dos RCC? 4 40% 6 60%

FONTE: Autoria própria.


I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
168
5.1 QUESTÕES ABERTAS As informações sobre os pontos de
entrega de grandes volumes de resíduos são
Esse bloco de questões procurou oferecidos pelo município, a existência de áreas de
identificar a opinião dos pesquisados sobre a o bota-fora e o tempo de vida útil de um destes
processo de Gestão de Resíduos no município. A locais.
opinião dos entrevistados quanto a existência de Os resíduos são transportados pela
entrepostos oferecidos para os geradores de própria prefeitura e encaminhados a um
pequenos volumes de RCC. aterro de RCC devidamente licenciado, onde
Diversos [PM1]; A coleta dos RCC é são realizadas triagem e destinação final dos
realizada in loco, na área onde foi gerado. Há demais resíduos. Não temos informação da
um local de transbordo temporário para vida útil do aterro [PM2]; Uma unidade que
depósito dos resíduos em casos de não é área de bota fora, vida útil aproximada
morosidade do transporte [PM2]; Não existe de dez anos [PM3]; Um ponto, com vida útil
[PM3]; Um ponto que é terceirizado [PM4]; aproximada de 2 anos [PM4]; Um bota fora,
Um [PM5]; Não há no município entrepostos sem previsão de vida útil [PM5]; O município
oferecidos para os geradores de pequenos realiza a disposição final dos RCCs em parte
volumes de RCC [PM6]. da área denominada aterro do Mingu, e não
Diante dos relatos observa-se são poucos cobra nenhuma taxa de coleta, transporte ou
os entrepostos existentes nos municípios, destinação final deste tipo de resíduos das
dificultando o descarte para que os geradores de empresas privadas usuárias do aterro do
pequenos volumes de RCC. É necessário que Mingu. Ainda, quando solicitado, a Secretaria
de Obras e Serviços Urbanos (SEMOS) efetua a
medidas sejam tomadas no sentido de acabar com
coleta de resíduos desse tipo sem custos,
o descarte inadequado e melhorar as condições de
quando em pequenas quantidades. Segundo
trabalhos dos pequenos geradores de resíduos,
informações da SEMOS a vida útil do aterro é
talvez uma solução fosse o processo de de 20 anos. No Plano Municipal de
terceirização, como o que existe em um dos Saneamento Básico entregue em 06 de 2016
municípios participantes da pesquisa. foram destacados 26 pontos de descarte
Ao serem indagados sobre o perfil do [PM6]; Não há PM7; Sim 10 anos em média
profissional que atua nos entrepostos os [PM8]; Primeira área de bota fora, também
respondentes apresentaram os depoimentos a são usados no controle de erosão em lotes
seguir: [PM9]; Não existe ponto de entregas de RCC
Como o local é apenas para [PM10].
transbordo e é temporário, atuam no local Os gestores afirmam que nos municípios
somente os motoristas dos caminhões e existem pontos de entrega de RCC e que a vida
máquinas para organização da área [PM2]; média dos aterros ou bota fora possui entre 2 e 10
Não existe [PM3]; Aproximadamente 5, anos. Contudo houve um município que afirmou
Ensino Fundamental e Médio [PM4]; 1 Ensino que a vida de um aterro em seu município é de 20
Médio [PM5]; Não há entrepostos [PM6]; 03 anos. Em um município pequenos geradores de
funcionários, Ensino Fundamental [PM7]; Não resíduos contam com 26 pontos de descarte,
há [PM8]; Não se aplica [PM9]; Não existem
verificou-se também que algumas áreas de bota
entrepostos no município [PM10].
fora são usados em controle de erosão de lotes.
Para os entrevistados a maioria dos
A avaliação da Prefeitura com relação a
funcionários está em uma faixa de escolaridade de
atuação das empresas construtoras e
ensino médio e ou fundamental, e existe ainda a
transportadoras de resíduos no que se refere a
presença de motoristas e maquinários para
adaptação a nova lei são:
execução dos serviços em uma das prefeituras.
Só existe uma transportadora de
Outros afirmam não haver entrepostos no
resíduos que atende aos requisitos mínimos
município. [PM3];
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
169
Estão se adaptando assim, como o o que gera bastante incomodo para o
município [PM4]; Em função do porte e da município em geral [PM2]; A transportadora
tipologia das atividades desenvolvidas, nos se compromete a cumprir a legislação vigente
termos da Lei n 12.305, de 02 de agosto de [PM3]; Considera que a maioria das
2010 que instituiu a política nacional de construtoras apresentam planos e propostas
resíduos sólidos, há uma série de que não são executados servindo apenas para
empreendedores operando no município que a aprovação do licenciamento [PM6];
já dispõe ou devem elaborar seu plano de Cumprem o Plano de Gerenciamento de
gerenciamento de resíduos sólidos, Resíduos proposto pelo município [PM7];
entretanto, não existe uma fiscalização Fiscaliza e autua as empresas [PM8]; Não se
efetiva para avaliar o cumprimento do plano aplica [PM9]; É de extrema importância o
[PM6]; O Plano de Gestão integrada de aproveitamento dos RCCs em todas as
Resíduos Sólidos está em revisão [PM7]; Não construções, sejam ela por parte de
querem se adaptar à lei. A grande maioria construtoras ou pessoas comuns, em obras
descarta os resíduos ao longo das vias pouco particulares ou públicas [PM10].
movimentadas [PM8]; Não se aplica [PM9]; É De um modo geral as prefeituras
de extrema importância o planejamento e o desenvolveram um bom relacionamento com as
Gerenciamento correto dos RCCs não apenas construtoras, sendo que, na opinião dos gestores, a
das empresas construtoras, mas também de
maioria cumpre as determinações da legislação,
toda a sociedade. Isso implica na redução,
apesar de ainda haver aqueles que realizam o
reaproveitamento ou destinação correta e
descarte de maneira incorreta, mas ainda assim é
mais adequada [PM10].
necessário estabelecer um trabalho intensivo de
Para os gestores, algumas prefeituras
conscientização e reaproveitamento quer seja
estão procurando se adequar as normas e
pelas empresas, sociedade ou para qualquer um
regulamentos, contudo ainda são identificadas
que lide com os resíduos gerados pela construção
empresas que fazem o descarte de modo
civil. É preciso haver uma maior efetividade quanto
inadequado, utilizando vias e estradas para realizá-
aos planos de gestão, não se pode permitir que
los. Esta disposição irregular também é feita pela
eles sirvam apenas de aprovação para obtenção de
sociedade, que precisa ser conscientizada e
licenciamento.
educada, uma vez que o problema vem se
Quanto a cobrança de projetos de
agravando a cada dia. A possibilidade de criação de
gerenciamento de RCC para aprovação da obra na
programas de reciclagem para minimizar os
Prefeitura, os relatos por parte dos entrevistados
impactos ambientais causados por esta ação ilegal
informam que:
é uma das alternativas que os municípios podem
Não (PMCON/PMITA/PMM/PMSJB);
adotar para minimizar os impactos ambientais,
Sem previsão (PMMC); Sim, a partir de 2012
sociais e econômicos.
foram definidas diretrizes mais específicas para
A opinião dos entrevistados sobre a os projetos de gerenciamento de RCC.
maneira como a prefeitura encara a aceitação por Entretanto, anterior a isto já era feita a
parte das construtoras e transportadores no que se cobrança por meio da Prefeitura Municipal
refere à Legislação expressa-se no Quadro 5. (PMNL); Sim (PMSL, PMPL); Não há previsão
No que tange a construtoras, as (PMRA).
envolvidas com o município geralmente É importante ressaltar que medidas no
possuem um plano de gerenciamento de sentido de estabelecer diretrizes e proporcionar
resíduos gerados e aprovados junto aos melhorias no processo de gestão de resíduos são
órgãos ambientais pertinentes. Já alguns
fundamentais, cobrar das empresas os projetos de
transportadores independentes descartam os
RCCs é fundamental uma vez que envolve o
restos de entulhos, em beira de estradas e
município e seu entorno, e os benefícios gerados
áreas de pouco tráfego de veículos e pessoas,
por um bom gerenciamento de resíduos
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
170
beneficiam a sociedade, as empresas e todo o meio municipal. Distância do aterro e topografia do
ambiente envolvido no município. munícipio contribuem para as práticas
A indagação que buscou identificar se irregulares de bota fora. Falta estímulo à
reciclagem de inertes e ações educativas
existe práticas estudadas e ou viabilizadas para que
voltadas para a prática da logística reversa
existam áreas de reciclagem de resíduos no
[PM6]; Localização de área onde seja possível
município os resultados são:
realizar o tipo de serviço, já que o município é
Sim, previsto para implantação no
cercado por unidades de conservação e
município a partir de 2017 projeto referente a
licenciamento dessa área para aterro e/ou
gestão do vice prefeito e candidato nestas
Usina de Reciclagem de RCC. Precisamos de
eleições [PM2]; Ainda não existe [PM3]; Sim
legislação específica de cobrança e
[PM4/PM7]; No momento nada efetivo.
recolhimento [PM7]; resiliência dos
Apenas alguns estudos e propostas de
construtores locais [PM8]; Falta de recursos
empresas privadas [PM6]; Sim. Existe uma
para a construção de um aterro apropriado
área que está em processo de licenciamento
para esses resíduos [PM9]; Em primeiro lugar,
onde prevê o reaproveitamento e reciclagem
a conscientização dos moradores locais a
dos materiais [PM8]; Não [PM9/PM10].
respeito da disposição irregular desse tipo de
Diante dos resultados apresentados nesta resíduo em terrenos baldios e ou lugares
questão percebeu-se a implantação de projetos e impróprios. A ausência de uma prévia
áreas de reciclagem nas prefeituras ainda é uma segregação na fonte geradora é uma questão
questão prematura, sendo necessário haver maior muito observada, pois é comum encontrar
engajamento por parte dos gestores municipais outros tipos de resíduos como, por exemplo,
para que a reciclagem se torne realidade para um domésticos misturados a estes [PM10].
número maior de municípios. Evidenciam-se A falta de uma legislação específica para a
também estudos e propostas por parte da iniciativa gestão de resíduos no município é um elemento
privada. Percebe-se que os processo de reciclagem dificultador, além da questão financeira, para se
são capazes de promover geração de renda e construir aterros e usinas de reciclagem. Aliado a
inclusão social, uma vez que muitas vezes tudo isso ainda é preciso lidar com o descarte
possibilita tirar indivíduos que estão à margem da incorreto, proporcionado pela vulnerabilidade dos
sociedade. locais vago onde é feito o descarte irregular.
As dificuldades do município em relação a Deveria existir uma fonte segregadora que
Gestão de RCCs expõe-se a seguir: possibilitasse melhor seleção e utilização dos
Em nosso município e região, há resíduos, usinas de reciclagem seriam o ideal para
diversos locais vagos onde ainda populares o processamento e gestão de resíduos. A criação
depositam entulhos de forma inadequada de programas educacionais, também é primordial
contendo resíduos diversos misturados. A para a população, os programas de conscientização
falta de uma legislação ambiental municipal e educação ambiental podem ensinar o modo
incluindo-se ainda recursos para fiscalização e
correto de descarte de resíduos com o devido
poder de autuações pelo município levam as
respeito ao meio ambiente e seu entorno.
pessoas e esse tipo de atitude, visto que as
áreas mais próximas para destinação final
5.2 DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
ambientalmente adequada para os RCC
requerem investimentos [PM2]; Falta maior Em relação ao primeiro objetivo que
dedicação, estudo e disponibilidade de tempo foi analisar a gestão de resíduos na construção civil
para gerenciar RCC [PM3]; Aprovação de Leis no município de Belo Horizonte (MG) e região
ambientais municipais pela Câmara dos metropolitana, de modo geral percebeu-se que as
Vereadores [PM4]; Dificuldades para instituições pesquisadas têm uma preocupação
elaboração do projeto e dificuldades quanto ao gerenciamento de resíduos em seus
financeiras [PM5]; Falta de ações de
municípios. Contudo as limitações de recursos e a
regulação e de maior atuação da fiscalização
falta de políticas públicas específicas voltadas para
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
171
a gestão de RCCs apresentam-se como um tratem os problemas ambientais de maneira
dificultador no sentido de se obter resultados prioritária e emergencial.
eficazes que possam minimizar os impactos Estudos de Silva et al., (2015) tiveram
ambientais provocados muitas vezes pela por finalidade analisar a investigar as práticas de
disposição irregular. Para Rodrigues (2011) é gestão de resíduos da construção civil
necessário que ocorra a implantação de sistemas implementadas pelo poder público municipal em
de gestão de resíduos da construção civil (RCCs) Belo Horizonte, há 10 anos já existia uma estreita
eficientes buscando assim evitar os custos de relação com dos problemas ambientais com vários
retrabalho e a redução de problemas relativos à fatores macroeconômicos e sociais, aspectos como
disposição irregular. Para uma gestão de RCC o crescimento populacional e urbano, a
sustentável a captação, coleta e reciclagem destes desigualdade na distribuição de renda e os
pode ser um instrumento útil e eficaz. processos de industrialização aumentou
O segundo objetivo tratou de analisar significativamente a geração de resíduo causando
a situação atual dos resíduos da construção civil no impactos no meio ambiente. Embora esse cenário
município de Belo Horizonte e região venha se desenvolvendo ao longo dos anos,
metropolitana por meio de dados primários. somente nas últimas duas décadas que as
Identificou-se que a gestão de resíduos ainda é indagações políticas e científicas se intensificaram,
precária, com seus gestores enfrentando ao mesmo tempo em que a problemática
dificuldades em relação a infraestrutura, recursos socioambiental ganhou maior destaque, tanto na
financeiros e a necessidade de elaboração de mídia quanto no meio acadêmico. E, mesmo diante
projetos que tenham como foco a gestão de RCCs do crescente conhecimento sobre gestão
nos municípios. É preciso criar diretrizes eficazes ambiental e da maior pressão exercida pela
para o processo de gestão de resíduos nos sociedade e pelo Estado (através da legislação),
municípios, principalmente no que tange à região diversos atores das cadeias produtivas, como os da
metropolitana. O estudo demonstrou que muitas indústria da construção civil, continuam
prefeituras possuem pouca geração de resíduos. depositando indiscriminadamente os resíduos de
Um dos municípios informou, por meio de contato suas atividades. Em Belo Horizonte, cerca de 42%
telefônico, que a coleta de resíduos é dos resíduos coletados é entulho oriundo da
responsabilidade das empresas vencedoras dos construção civil, uma indústria de elevado
processos de licitação, essa é uma das condições potencial poluidor.
impostas no contrato, o licitante vencedor deve ser A Prefeitura de Belo Horizonte por
responsável pelo processo de gestão de resíduos, a meio da Superintendência de Limpeza Urbana
coleta, o descarte e todo o planejamento para criada pela Lei nº 2.220 de 27 de agosto 1973
gerenciar os resíduos gerados nas obras é definida como autarquia municipal tem por
gerenciado pelo licitante vencedor do contrato. A finalidade prestar serviços de varredura, coleta,
responsabilidade que há alguns anos era da depósito, tratamento e transformação de lixo em
prefeitura hoje foi transferida para as empresas todo o município de Belo Horizonte, além de
privadas. Essa é uma ação importante e que pode possuir o Departamento de Programas Especiais
ser disseminada para outros municípios mineiros. responsável pelo Programa de Correção das
Desse modo poderia se minimizar os impactos Deposições Clandestinas e Reciclagem de Entulho e
ambientais provocados pelo descarte inadequado outros projetos específicos da área. Ressalta-se que
praticado contra o meio ambiente. Neste sentido, desde a década de 1990, vem formulando no
Gomes (1988) ressalta que nos países em município políticas públicas e implementando um
desenvolvimento, os problemas ambientais se conjunto de práticas de gestão ambiental. No
acentuam por não haver políticas públicas que ano de 1993 iniciou-se o Programa de Correção
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
172
Ambiental uma empresa de consultoria foi de construção se devidamente reciclados. Os
contratada pela superintendência para avaliar as concretos, argamassas e rochas têm grande
condições de deposição do entulho da construção potencial para ser reciclados, sendo que, no caso
civil na cidade (SILVA et al., 2015). dos blocos, tijolos e cerâmicas é possível reutilizá-
Os resultados obtidos a partir dessa los sem ser necessários processos de tratamento.
consultoria levaram a Prefeitura de Belo Horizonte Já os solos, a areia e argila podem ser reutilizados
a formular e programar uma política municipal de em obras viárias.
gestão integrada dos resíduos da construção civil Para o objetivo que buscou identificar
envolvendo desde a regulamentação da política os modelos de gerenciamento de resíduos de
municipal de resíduos da construção civil; um plano construção civil utilizados pelo setor no município
integrado de gerenciamento desses resíduos; e de Belo Horizonte e região metropolitana, não foi
projetos específicos para esse gerenciamento. identificado um modelo específico para tal. Por isso
Após incansáveis estudos e detalhamento das recomenda-se uma nova etapa de estudos no
diretrizes a Prefeitura de Belo Horizonte organizou sentido de aprofundar essa pesquisa de modo a se
e programou na década de 1995, duas práticas de obter resultados específicos para essa indagação.
combate e prevenção: 1) a primeira, denominada
“rede receptora do resíduo”, envolvendo a 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
implantação das URPVs, das estações de
reciclagem de entulho e os aterros municipais de A realização desta pesquisa
resíduos inertes; e 2) criou-se a rede programática, possibilitou uma melhora significativa nos
envolvendo práticas de gestão específicas: conhecimentos dos pesquisadores quanto ao
educação e informação, recuperação de áreas gerenciamento de RCC, tanto nos aspectos
degradadas e projeto de fiscalização (SILVA, et al., teóricos, quanto nas informações obtidas com a
2015). O processo de gestão de resíduos corretos coleta de dados por meio do questionário de
possibilita o desenvolvimento sócio econômico e a pesquisa. De modo geral o setor de construção civil
inclusão social, onde os diversos atores envolvidos é um grande gerador de Resíduos de Construção
se beneficiam os catadores e carroceiros, buscam Civil (RCC) e apesar de haver resoluções
os recursos nas empresas que deixam de fazer o estabelecidas pelo CONAMA, ainda faz se
descarte incorreto e fornecem a matéria prima necessário uma maior intervenção governamental
para reciclagem, o que para o município também é no sentido de auxiliar os gestores a criar estrutura
fundamental, pois reduz os impactos ambientais e capaz de proporcionar uma gestão eficaz,
os custos de gerenciamento. minimizando os impactos no meio ambiente. Foi
Oliveira e Mendes (2008) corroboram possível perceber a carência quanto a incentivos ao
esta situação quando relatam que o excesso de processo de reciclagem nos municípios, que
resíduos gerados pelo crescimento demográfico poderia ser um facilitador na gestão dos RCCs.
descontrolado e o aumento da renda causam Práticas de reutilização, reciclagem ou reuso de
impacto na quantidade de resíduos gerados pelo materiais de construção inutilizados poderiam
setor. Este é um dos problemas enfrentados pela resultar em arrecadação financeira para os
Administração Pública com o alto custo gerado municípios e ainda permitir a obtenção de
pela limpeza e remoção de resíduos depositados certificados de qualidade. Poderia também reduzir
em locais inapropriados, o que tem se agravado as quantidades de material de construção a serem
cada vez mais. compradas, uma vez que se o município possuísse
Outro autor que acredita no processo uma usina de reciclagem o material produzido
de reciclagem é Fagury e Grande (2007), que poderia ser comercializado para o mercado de
defende que os resíduos dos canteiros de obras, modo geral ou ainda utilizado em obras realizadas
podem ser empregados novamente como material pelo mesmo. Isto acarretaria na geração de renda,
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
173
empregos e redução de custos de compra, na Projeto de pesquisa. Aracaju: SENAI/SE; SENAI/DN;
execução de obras. COMPETIR; SEBRAE/SE; SINDUSCON/SE, 2005. 28p.
É necessário conscientizar as empresas BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA.
e a população sobre o processo de descarte de Resoluções do Conama: Resoluções vigentes publicadas
resíduos, pois executar o mesmo em locais entre setembro de 1984 e janeiro de 2012. Ministério
do Meio Ambiente. Brasília: MMA, 2012. 1126 p.
inadequados é prejudicial ao meio ambiente e
extremamente oneroso aos cofres públicos, uma BRASIL. Lei Federal nº 12.305, de 02 de agosto Institui a
vez que o município precisa lidar com esta situação Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no
9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras
e providenciar a remoção e limpeza. Outro
providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 03 Ago
agravante são os danos causados ao meio 2010.
ambiente que muitas vezes podem ser irreversíveis
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Programa
ou levar anos para se obter uma recuperação.
Nacional de Educação Ambiental. Sistema Brasileiro
Outro fator de relevância nesse estudo sobre Educação Ambiental e Práticas Sustentáveis.
foi a baixa adesão por parte dos municípios que Brasília, 2002a. Acessado em: 17/11/2005, disponível
constituíram o universo da amostra. Inicialmente em: <http://www.mma.gov.br/port/sdi/ea/index.cfm>.
foi feito contato telefônico informando e BRASIL. Resolução n.º 307, de 5 de julho de 2002.
solicitando a participação na pesquisa, após houve Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/
o envio dos questionários, TCLE e carta de conama/legiabre.cfm?codlegi=307>. Acessado em 13
anuência, na sequencia feito outro contato março de 2016.
telefônico, confirmando os e-mails e reforçando a BRASIL. Resolução CONAMA nº 275, de 25 de abril de
solicitação de participação no estudo. Contudo, a 2001. Estabelece o código de cores a ser adotado na
devolução dos documentos, foi muito baixa. identificação de coletores e transportadores, bem como
nas campanhas informativas para a coleta seletiva de
Recomenda-se um novo estudo no sentido de
lixo. Diário Oficial da República Federativa do Brasil,
obter uma adesão de pelo menos cinquenta por Brasília, 19 jun. 2001
cento dos municípios que compõe a RMBH. É
BLUMENSCHEIN, Raquel Naves. Manual técnico: Gestão
importante que Secretários, Gestores e Diretores
de Resíduos Sólidos em Canteiros de Obras. Brasília:
entendam que a participação nesse tipo de SEBRAE/DF. 2007. 48 p.
pesquisa possibilita enriquecer o mercado com
CARNEIRO, A.P.; CASSA, J.C.S.; BRUM, I.A.S. Reciclagem
informações valiosas, que poderiam auxiliar tanto o
de Entulho para a Produção de Materiais de
meio acadêmico, como empresas e construtoras Construção. Projeto entulho bom. EDUFBA; Caixa
que lidam com os RCCs, nas suas dificuldades o Econômica Federal. Salvador. 312 p. 1ª edição. 2001.
gerenciamento.
CASTRO, Cristina Xavier de. Gestão de resíduos na
construção civil. Monografia. Universidade Federal de
7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Minas Gerais. 2012. 54 p.

CUNHA JÚNIOR, Nelson BoechatCoord. Cartilha de


ALVES, Carlos Eduardo Teobaldo; QUELHAS, Osvaldo L.
gerenciamento de resíduos sólidos para construção
G. A ecoeficiência e o ecodesign na indústria da
civil. Belo Horizonte: SINDUSCON-MG, 2005. 38 p.
construção civil: uma abordagem à prática do
desenvolvimento sustentável na gestão de resíduos DEGANI, C. M. Sistemas de gestão ambiental em
com uma visão de negócios. Dissertação de mestrado. empresas construtoras de edifícios. Dissertação de
Rio de Janeiro: Associação Educacional Dom Bosco, Mestrado, Escola Politécnica da Universidade de São
2004. 10p. Disponível em: Paulo. São Paulo, 2003.
<http://www.aedb.br/seget/artigos04/106_seget%20art
igo.doc>. Acesso em: abr. 2016. DORSTHORST, B.J.H; HENDRIKS, Ch. F. Re-use of
construction and demolition waste in the EU. In: CIB
BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa: Symposium: Construction and Environment – theory
Edições 70, 225 p. 1977. into practice., São Paulo, 2000. Proceedings. São Paulo,
EPUSP, 2000.
BARRETO, Ismeralda Maria Castelo Branco do
Nascimento. Gestão de resíduos na construção civil.
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
174
DRYWALL. Associação Brasileira de Drywall. Nova demolição: Estudo de caso da resolução 307 do
resolução do Conama define que gesso é totalmente Conama. Goiânia, Junho de 2008. Disponível em: <
reciclável. 2011 Revista Fator Brasil. [online] Disponível http://pucgoias.edu.br/ucg/prope/cpgss/ArquivosUploa
em: d/36/file/Continua/GERENCIAMENTO.pdf>
http://www.revistafatorbrasil.com.br/ver_noticia.php?n
ot=160684 acesso em abr. 2016. PINTO, T. P. (Coord.) Gestão ambiental de resíduos da
construção civil: a experiência do Sinduscon-SP, São
FAGURY, S.C; GRANDE, F.M. Gestão de resíduos de Paulo: Obra Limpa: I&T: Sinduscon-SP, 2005.
Construção de DemoliçãoRCD: aspectos gerais da
gestão pública de São Carlos/SP. São Carlos, SP. 2007. RESENDE, Luiz Henrique Siqueira. R433a Análise da
gestão de resíduos sólidos de construção civil de Belo
FIGUEIREDO, P. J. M. A Sociedade do Lixo: os Resíduos, Horizonte (MG) a partir da percepção dos atores
a Questão Energética e a Crise Ambiental. envolvidos [manuscrito] (Dissertação). Universidade de
Piracicaba/SP, Editora UNIMEP, 1994. Minas Gerais. 2016. xii, 110 f., enc.: il.

GOMES, H. A questão ambiental: Idealismo e Realismo RODRIGUES Gonçalves, Rogério. Tratamento dos
Ecológico. In: Terra Livre, São Paulo, n.3, p.33-54, mar. resíduos sólidos da construção civil no município de
1988. Ibirité - MG. Dissertação Mestrado - Universidade
Federal de Ouro Preto. Programa de Pós-Graduação em
JOHN, Vanderley Moacyr. Reciclagem de resíduos na Sustentabilidade Socioeconômica e Ambiental. 2011.
construção civil: contribuição à metodologia de 96f.
pesquisa e desenvolvimento. São Paulo, 2010. 102p.
Tese livre docência – Escola Politécnica, Universidade de ROS, Denise Chaves; MAZONI, Patrícia. Porquê e Como
SP. elaborar o Projeto de Gerenciamento de Resíduos da
Construção Civil. 1ª Edição. Brasília-DF, 2006.
KARPINSK, L. A.; PANDOLFO, A.; REINEHER, R.;
GUIMARÃES, J. C. B.; PANDOLFO, L. M.; KUREK, J. Gestão SCHNEIDER, D.M.; PHILIPPI, A.JR. Public management of
diferenciada de resíduos da construção civil : uma construction and demolition waste in the city of São
abordagem ambiental [recurso eletrônico] . Dados Paulo. Ambiente construído, Porto Alegre, 2004.
eletrônicos. – Porto Alegre : Edipucrs, 163 p. Disponível
em: http://www.sinduscondf.org.br/portal/arquivos/ SILVA, Roberto Bernardo da; RODRIGUES, Evaldo Cesar
GestaodeResiduosPUCRS.pdf . 2009. Cavalcante; ZAU, Flavia Garcia; TRINDADE, Gabriela
Pereira da. Panorama do projeto de gerenciamento de
LANGUELL, J. L. Development of a prototype resíduos da construção civil (PGRCC) – estudo de caso
assessment tool to evaluate the potential to na construção do centro administrativo do distrito
successfully implement deconstruction as a regional federal (CADF). In: IV SINVEP Simpósio Internacional de
waste reduction strategy. Ph.D. thesis, Department of Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade. Anais
Coastal Engineering, University of Florida, 232f. 2001. do IV SINGEP – São Paulo – SP – Brasil – 08, 09 e 10 de
novembro de 2015.
LIMA, F. M. da R. de S. A Formação da mineração
urbana no Brasil: reciclagem de RCD e a produção de SILVA, Alex Fabiane Fares da. Gerenciamento de
agregados. Tese de Doutorado. Escola Politécnica da resíduos da construção civil de acordo com a resolução
Universidade de São Paulo. SP. 2013. Conama n. 307/02: Estudo de Caso para um conjunto
de obras de pequeno porte. Escola de Engenharia da
MARTINS, Flávia Gadêlha. Gestão e gerenciamento de UFMG, Belo Horizonte, 2007. Disponível em
resíduos da construção civil em obras de grande porte: http://www.smarh.eng.ufmg.br/defesas/249M.PDF,
estudo de caso. Dissertação de mestrado, Escola de acessado em mar/2016.
Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.
São Carlos, 2012. SICEPOT, Manual de sustentabilidade no canteiro de
obras. 2014. Disponível em: http://www.sicepot-
MINAS GERAIS. Planejamento da Região Metropolitana mg.com.br/imagensDin/arquivos/7458.pdf. Acesso
de Belo Horizonte. 1973. 23 p. mar./2016.
MOURA, Gustavo Muller Gonçalves de. Environmental SINDUSCON-MG; SENAI-MG. Gerenciamento de
Issues and Management Structure in Palmas (TO). Resíduos Sólidos da Construção Civil. 3º. Ed. Rev. e
Goiânia, Faculdade Alves Faria, 2011. 114 p. Dissertação Aum. Belo Horizonte: SINDUSCON-MG, 2008. 72p.
de Mestrado.
SINDUSCON-SP, SINDICATO DA INDÚSTRIA DA
OLIVEIRA, Edieliton Gonzaga de; MENDES, Osmar. CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Gestão
Gerenciamento de resíduos da construção civil e Ambiental de Resíduos da Construção Civil: a
I.C.A.LEITE; J.L.C.DAMASCENO; A.M.REIS; M.ALVIM REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil Vol. 14 – n° 1 (2018)
175
Experiência do Sinduscon-SP. São Paulo: SINDUSCONSP,
2005. 48 p. Disponível em:
<http://www.sindusconsp.com.br/teste_secoes.asp?cat
eg=10&subcateg=62&goframe=meioambiente>. Acesso
em abr/2016.

SOUZA, U. E. L.; PALIARI, J. C.; AGOPYAN, V.; ANDRADE,


A. C. De. Diagnóstico e combate à geração de resíduos
na produção de obras de construção de edifícios: uma
abordagem progressiva. Ambiente Construído, Porto
Alegre, v. 4, n. 4, p. 33-46, out./dez. 2004.

TOZZI, R. F. Estudo da Influência do Gerenciamento na


Geração dos Resíduos da Construção Civil RCC – Estudo
de Caso de Duas bras em Curitiba/PR. Dissertação
Mestrado. Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental
- Universidade Federal do Paraná. Curitiba, PR, 2006.
117 p. Disponível em:
<http://www.ppgerha.ufpr.br/publicacoes/dissertacoes/
files/123-rafael_fernando_tozzii.pdf>. acesso em
abr/2016.