Você está na página 1de 8

Fundamentos da Engenharia da Nanotecnologia

1ª Lista de Exercícios de Mecânica Quântica

1.1. Calcule o comprimento de onda e a frequência da onda associada a um


elétron acelerado com os seguintes valores de energia cinética. Depois faça o
mesmo para um íon de argônio Ar+. Compare seus valores de comprimento de
onda com as dimensões de outros objetos conhecidos e os valores de frequência
com as diferentes regiões do espectro eletromagnético (consulte a figura 9.1):
a) 1 meV b) 1 eV c) 1 keV d) 1 MeV
Resposta:
a)
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:

E 1 ∗ 10−3 eV
υ= = = 0,23 ∗ 1012 Hz
h 4,135 ∗ 10−15 eV. s
c
υ=
λ
c 3 ∗ 108 m/s
λ= = = 13,04 ∗ 10−4 m = 0,1304 μm
υ 0,23 ∗ 1012 Hz

b)
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:
h = 6,63 x 10-34 J.s
ou
h = 4,14 x 10-15 eV.s
E 1 ∗ 10³ eV
υ= = = 0,23 ∗ 1018 Hz
h 4,135 ∗ 10−15 eV. s
c
υ=
λ
c 3 ∗ 108 m/s
λ= = = 13,04 ∗ 10−10 m = 1,304 nm
υ 0,23 ∗ 1018 Hz

c)
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:
h = 6,63 x 10-34 J.s
ou
h = 4,14 x 10-15 eV.s
E 1 eV
υ= = = 0,24 ∗ 1015 Hz
h 4,14 ∗ 10−15 eV. s
c
υ=
λ
c 3 ∗ 108 m/s
λ= = = 12,5 ∗ 10−7 m = 0,125 nm
υ 0,24 ∗ 1015 Hz

d)
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:
h = 6,63 x 10-34 J.s
ou
h = 4,14 x 10-15 eV.s
E 1 ∗ 106 eV
υ= = = 0,23 ∗ 1021 Hz
h 4,14 ∗ 10−15 eV. s
c
υ=
λ
c 3 ∗ 108 m/s
λ= = = 13,04 ∗ 10−13 m = 1,304 pm
υ 0,23 ∗ 1021 Hz
1.2. Calcule a energia do fóton associado à radiação eletromagnética com os
seguintes comprimentos de onda:
a) 1 nm (raios X) b) 100 nm (ultravioleta) c) 400 nm (luz violeta)
d) 1 m (infravermelho) e) 1mm (microondas) f) 10 m (ondas de rádio)
Resposta:
a)
c 3 ∗ 108
υ= = = 3 ∗ 1017 Hz
λ 1 ∗ 10−9
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:
h = 6,63 x 10-34 J.s
ou
h = 4,14 x 10-15 eV.s
E = 6,63 ∗ 10−34 J. s ∗ 3 ∗ 1017 Hz = 19,89 ∗ 10−17 J = 0,1989 ∗ 10−19 J
0,1989 ∗ 10−19 J
E= = 0,124 eV
1,6 ∗ 10−19 C

b)

1.3. Faça uma estimativa de qual seriam o comprimento de onda e a frequência


das ondas associadas às duas situações abaixo e conclua sobre o sentido físico
dessa associação.
a) Uma bola de tênis após o saque de um jogador profissional
b) Um caminhão trafegando em velocidade máxima

1.4. a) Um determinado microscópio ótico trabalha com luz monocromática verde


de comprimento de onda 520 nm. Calcule a frequência e a energia do fóton
associado a esta radiação eletromagnética.
b) Um determinado microscópio eletrônico trabalha com um feixe de elétrons
acelerados por uma diferença de potencial de 20 kV. Calcule o comprimento de
onda e a frequência da onda associada a estes elétrons.
Resposta:
a)
c 3 ∗ 108
υ= = = 0,0058 ∗ 1017 Hz
λ 520 ∗ 10−9
E = hυ
Temos que a constante de Planck é:
h = 6,63 x 10-34 J.s
ou
h = 4,14 x 10-15 eV.s
E = 6,63 ∗ 10−34 J. s ∗ 0,0058 ∗ 1017 Hz = 0,038 ∗ 10−17 J = 0,00038 ∗ 10−19 J
0,00038 ∗ 10−19 J
E= = 0,00024 eV = 0,24 meV
1,6 ∗ 10−19 C

b)
A energia do elétron será de 20 keV, ou seja, 20 x (1,6 x 10-19)= 3,2 x 10-15 J
p = (2mE)1/2 = (2 ∗ 9,11 ∗ 10−31 kg ∗ 3,2 ∗ 10−15 J)1/2 = 7,63 ∗ 10−23 kg. m/s
Logo:
h 6,63 ∗ 10−34
λ= = = 0,87 ∗ 10−11 m = 0,0087 nm
p 7,63 ∗ 10−23

1.5. Um fóton proveniente de uma fonte de luz monocromática azul de


comprimento de onda 440 nm incide sobre um elétron inicialmente em repouso,
e é absorvido. Calcule a energia e velocidade do elétron após o processo de
absorção.
Resposta:
h 6,63 ∗ 10−34
p= = = 0,015 ∗ 10−25 kg. m/s = 1,5 ∗ 10−27 kg. m/s
λ 440 ∗ 10−9
p = (2mE)1/2 = √2mE
Vamos isolar o E.
Eleva todo mundo ao quadrado.
p² = 2mE
p² (1,5 ∗ 10−27 kg. m/s)2
E= = = 0,123 ∗ 10−23 J = 1,23 ∗ 10−24 J
2m 2 ∗ 9,11 ∗ 10−31 kg
1
E= mV²
2

2E 2 ∗ 1,23 ∗ 10−24
V=√ =√ = 1643,27 m/s
m 9,11 ∗ 10−31

1.6. Um fóton proveniente de uma fonte de luz monocromática amarela de


comprimento de onda 590 nm é absorvido por um átomo de hidrogênio no estado
n = 3, que se ioniza. Calcule a energia (em eV) e o comprimento de onda de de
Broglie do elétron emitido após o processo de ionização.
Resposta:

1.7. Um elétron com velocidade igual a 5 x 106 m/s é capturado por uma partícula
alfa, formando um íon He+ em repouso no estado fundamental. Obtenha o
comprimento de onda do fóton emitido neste processo.
Resposta:

1.8. Mostre que a relação de de Broglie (equação 1.6) também é válida para
fótons, se admitirmos que o momento linear do fóton é dado por p = E/c, onde
c é a velocidade da luz.
Resposta:

1.9. A tabela abaixo apresenta os dados originais obtidos por Millikan em 1916
para a energia cinética máxima dos elétrons emitidos por um fotocatodo de sódio
sob incidência de luz monocromática versus o comprimento de onda da luz
incidente. De posse destes dados obtenha uma estimativa para a constante de
Planck h e a função trabalho do sódio metálico. Determine também o
comprimento de onda de corte acima do qual não há fotoemissão.
Comp. de onda (nm) EC (eV)
546,1 0,455
433,9 1,021
404,7 1,225
365,0 1,608
312,6 2,149
253,5 3,070
Resposta:
1.10. Uma lâmpada de vapor de sódio (lâmpada de cor amarelada comumente
usada para iluminação pública, em túneis, monumentos, etc.) de 100W de
potência emite luz de comprimento de onda 590 nm. Suponha que a eficiência
da lâmpada seja de 90% e calcule o número de fótons emitidos por esta lâmpada
por unidade de tempo.
Resposta:

1.11. Em seu famoso experimento, Davisson e Germer incidiram um feixe de


elétrons de energia 54 eV sobre a superfície de um cristal de níquel e observaram
um máximo de difração a um ângulo  = 50º.
a) Utilizando a condição de difração de Bragg 2d.sen = n, obtenha o
comprimento de onda  do feixe de elétrons (note que  = 2, e  = 90º – ).
b) Calcule o valor de  utilizando a relação de de Broglie e compare seu resultado
com o do item anterior.
Resposta:

1.12. Deduza as expressões para os raios das órbitas e as energias dos estados
do átomo de Bohr (equações 1.3 e 1.4).
Resposta:

1.13. Mostre que o postulado de Bohr de quantização do momento angular, L =


m.v.r = n.  , onde n é um número quântico inteiro positivo e não nulo, é
equivalente a supor que os elétrons nas órbitas formam ondas estacionárias, ou
seja, que n. = 2rn , onde  é o comprimento de onda de de Broglie do elétron
e rn são os raios das órbitas.
Resposta:

1.14. Resolva a equação de Schrödinger para um elétron submetido a um poço


de potencial infinito de largura 10 Å, e obtenha:
a) As energias (em eV) dos estados possíveis.
b) A energia (em eV) do fóton emitido na transição entre o primeiro estado
excitado (n=2) e o estado fundamental (n=1) do elétron.
Resposta:
1.15. a) Resolva a equação de Schrödinger para uma partícula aprisionada em
um poço infinito unidimensional de largura L e obtenha os valores possíveis da
energia.
b) Sabendo que um átomo possui dimensões da ordem de 10-10 m e o núcleo
atômico 10-14 m, utilize seu resultado do item anterior para fazer uma estimativa
para a energia do estado fundamental de um elétron confinado em uma região
de espaço tal que L= 10-10 m e faça o mesmo para um próton com L=10-14 m.
c) Compare os resultados acima e comente suas implicações sobre a estrutura
atômica dos elementos.
Resposta:

1.17. Aplique o princípio da incerteza a uma partícula confinada em um poço


infinito de largura L e obtenha o valor mínimo da sua energia. Compare com o
resultado obtido fazendo n = 0 na equação 1.21.
Resposta:

1.14. Um elétron está confinado em uma camada de silício de 100 nm de


espessura, limitada por duas camadas isolantes (que não contém elétrons,
portanto) de óxido de silício. Supondo que esta situação pode ser descrita por
um poço de potencial infinito unidimensional, estime a energia (em eV) do estado
de menor energia para o elétron. Se a energia é cinética, qual é a velocidade do
elétron neste estado?
Resposta:

1.15. Um átomo excitado pode voltar ao estado fundamental emitindo radiação


eletromagnética de comprimento de onda bem determinado.
a) Calcule, utilizando o modelo do átomo de Bohr, os comprimentos de onda
emitidos nas transições dos diversos estados excitados para o estado
fundamental (n=1). Qual é o menor comprimento de onda emitido? E o maior?
b) Particularize seu resultado para a transição n=2  n=1 dos átomos de
hidrogênio (Z=1) e potássio (Z=19), e compare com os valores experimentais
tabelados: hidrogênio  = 121,6 nm e potássio  = 0,375 nm.
Resposta:

1.16. Suponha que um átomo de hidrogênio é colocado no interior de um sólido


como o silício (constante dielétrica  = 11,8 0). Baseado no modelo do átomo de
Bohr, calcule o raio da órbita (em nm) e a energia do seu estado fundamental
(em eV). Compare o resultado com os valores obtidos para o átomo de hidrogênio
isolado no vácuo e conclua.
Resposta: