Você está na página 1de 2

Existem também memórias históricas que persistem em

retornar à superfície.
1. (G1 - cftrj 2016) A Grécia enfrenta 'uma queda de Jogos como Polônia x Rússia ou França x Inglaterra são
braço' com os credores de sua dívida. [...] evocações fantasmagóricas de lutas seculares que
Atualmente, a dívida grega supera, em muito, o deixaram sua pegada arqueológica. Quando essas
limite de 60% do PIB estabelecido pelo pacto equipes se voltarem a enfrentar na Eurocopa, não será
assinado pelo país para fazer parte do euro. A apenas de futebol que a mídia irá falar.
Grécia deve um total de € 271 bilhões, segundo [...]
Na Europa, não existe um único país; nem sequer como
a BCE (Banco Central Europeu). A origem da pretendem os federalistas, diferentes “regiões” que
atual crise se deu há dez anos, quando foi podem fazer parte de um super Estado com capital em
revelado por autoridades da Europa que o país Bruxelas.
havia maquiado suas contas ao longo de vários O que existe são nações múltiplas que, na hora do
anos para conseguir entrar na zona do euro. confronto desportivo, regressam a um sentimento
primordial de pertença: a uma língua, uma cultura, uma
Disponível em: identidade.
http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/06/o-que- Coutinho, João Pereira. In: Folha de S.Paulo.p. E6. Ilustrada.12
acontece-se-grecia-der-calote-no-fmi-entenda-crise-no- de junho de 2012. (adaptado)
pais.html.
(Adaptado). Acesso em 08/09/2015. A partir da análise e interpretação desse trecho, FAÇA o
que se pede:
a) O jornalista português João Pereira Coutinho
Uma característica da União Europeia expressa no texto estabelece uma relação entre o comportamento das
é a: torcidas, a história e a situação econômica europeia
a) Criação da união monetária. atual. APRESENTE dois argumentos que comprovam
b) Circulação livre de mão de obra. a relação estabelecida pelo autor.
c) Adoção da Tarifa Externa Comum. b) Pode-se perceber pela leitura do trecho que o jornalista
d) Idealização do Parlamento Europeu. tem uma posição com relação à integração europeia.
EXPLIQUE qual é essa posição, justificando-a.
2. (Pucrj 2014) O modelo de formação do bloco
regional europeu sofreu mudanças, ao longo da 4. (Fuvest 2017) As origens da oposição dos
segunda metade do século XX, de acordo com os britânicos à União Europeia (UE), que estão na
caminhos traçados pela geopolítica mundial no justificativa do Brexit, remontam ao fato de que,
período. Apesar de todos os seus problemas, historicamente, eles nunca abraçaram uma
esse modelo se mantém como referência para identidade europeia. O Brexit representa um duro
outros processos de regionalização no mundo de golpe ao projeto de integração europeu cujas
hoje. origens datam do pós Segunda Guerra Mundial.
BBC Brasil, junho de 2016. Adaptado.
a) Diferencie o objetivo de formação do Mercado Comum a) Aponte e explique o contexto geopolítico relacionado à
Europeu (MCE), pelo Tratado de Roma, de 1957, do da origem do projeto de integração europeia.
União Europeia (UE) pelo Tratado de Maastricht, em b) Aponte um motivo de ordem econômica e outro de
1992. ordem social relacionados ao interesse dos britânicos na
b) Identifique dois processos geopolíticos geradores de saída da UE.
grandes mudanças territoriais e políticas ocorridos na
Europa, entre 1989 e 1991, que impulsionaram a 5. (UNICAMP, 2014) Criada em 2010, no início da
expansão da UE para outras regiões. crise financeira grega, a Troika (composta pelo
Banco Central Europeu e Fundo Monetário
3. (Ufmg 2013) Leia este trecho: Internacional) tem sido a principal protagonista
dos planos de resgate de países europeus em
Eurocopa & eurocrises crise. Contudo, as medidas de austeridade
Sempre gostei da Eurocopa. O futebol é um pormenor. As impostas a esses países têm promovido mais
minhas razões são políticas. Gosto da Eurocopa porque desigualdades sociais e, contrariamente ao
ela é a expressão tangível (e bem ruidosa) da diversidade desejado, têm aumentado o desemprego. a)
nacional europeia que nenhuma construção federal será Indique duas medidas de austeridade impostas
capaz de suprimir. pela Troika aos países em crise da Zona do Euro.
Dias atrás, a chanceler Angela Merkel [alemã] declarou b) Além do desemprego, indique duas
em entrevista: a solução para os problemas do euro passa consequências sociais provocadas pela recessão
por mais “integração” dos países da zona do euro. [...] econômica em que se encontram esses países
Angela Merkel, claro, não lê a imprensa portuguesa. Se europeus.
lesse, veria o que escreveram a respeito do jogo
Alemanha x Portugal (que os portugueses, injustamente,
perderam por 1 a 0). A retórica antigermânica era violenta,
o que se entende; o país está sob resgate financeiro
internacional, com a bênção punitiva da Alemanha.
Mas as rivalidades que a Eurocopa oferece não são
apenas explicadas por crises econômicas momentâneas.
GABARITO
1. A
2. a) Em 1957, com o Tratado de Roma, foi instituído o Mercado Comum Europeu ou a Comunidade Econômica
Europeia, um bloco econômico formado por 6 países com o objetivo de reduzir as tarifas de importação e estimular o
comércio entre os países sócios. O Tratado de Maastricht (1992) estabeleceu regras para os países do bloco adotarem
o euro, a moeda única.
b) Em 1989, aconteceu a queda do muro de Berlim significando o término do regime socialista na Alemanha Oriental.
Em outros países do Leste Europeu, os regimes socialistas autoritários também caíram. Em 1991, houve o término da
União Soviética e sua fragmentação em 15 novos países independentes. A partir de então, os países do Leste Europeu
atravessaram uma transição do socialismo para o capitalismo com a democracia pluripartidária que possibilitou vários
países ingressarem na União Europeia a partir do final da década de 1990, são exemplos: Polônia, República Tcheca,
Hungria, Romênia, Croácia, entre outros. Para os novos integrantes, as vantagens são a atração de investimentos de
transnacionais e ampliação das exportações. Para a União Europeia, a vantagem é a incorporação de novos mercados
consumidores e maior lucratividade para as empresas transnacionais.
3. a) O comportamento das torcidas de futebol reflete sentimentos variados, como os ressentimentos decorrentes dos
nacionalismos, dos conflitos e guerras do passado (Primeira e Segunda Guerras Mundiais, onde a Alemanha foi uma
protagonista decisiva), da ordem geopolítica anterior (a exemplo da hegemonia soviética no Leste Europeu) que se
entrelaçam com o quadro contemporâneo onde também a Alemanha tem um papel de centralidade no campo
financeiro. A Alemanha tem sido o país-chave na União Europeia no resgate financeiro dos PIIGS (Portugal, Irlanda,
Itália, Grécia e Espanha). O auxílio financeiro é concedido, mas exige-se em contrapartida medidas como cortes em
gastos públicos que provocam baixo crescimento e desemprego. Assim, o sentimento “antigermânico” é crescente em
diversos países europeus.
b) O autor é contrário ao ideário de um “Super Estado” (referência ao aprofundamento da União Europeia), onde as
soberanias nacionais seriam gradativamente suprimidas do ponto de vista econômico e legislativo. Na verdade, se
ressalta o fato de que a Europa é constituída de Estados nacionais com peculiaridades culturais (língua e tradições),
econômicas e políticas, muitos deles também com expressiva diversidade interna.
4. a) O contexto geopolítico em que se deu a origem do projeto de integração europeia remete ao pós-Segunda Guerra
Mundial, momento onde a Europa, que desde o século XVI mantinha-se em franco projeto expansionista, encontra-se
destruída e têm seu espaço hegemônico ocupado pela ascensão da URSS e EUA. A tentativa de integração surge
com os primeiros acordos da década de 1940 como uma forma de os países europeus superarem as dificuldades do
pós-guerra para a reconstrução econômica e manterem sua autonomia perante a expansão hegemônica bipolar.
b) Dentre os motivos de ordem econômica para a saída dos britânicos da UE, pode-se citar: a perda da autonomia nas
decisões do comércio externo e, o elevado custo de manutenção ou ajuda aos países em crise e com a economia
periférica. Dentre os motivos de ordem social para a saída dos britânicos da UE, pode-se destacar: a defesa da
soberania nacional, o orgulho da identidade britânica e, a perda do controle efetivo sobre suas próprias fronteiras frente
à imigração.
5. a) Entre as medidas de austeridade impostas pela União Europeia e FMI aos países em crise da Zona do Euro
(Portugal, Irlanda, Itália, Grécia, Espanha), destacam-se: ajuste fiscal (adequação dos gastos públicos à arrecadação
com aumento da carga tributária), reforma na previdência (aumento de idade para se aposentar), reforma do setor
bancário, congelamentos ou redução de salários, demissão de funcionários públicos e diminuição de investimentos
sociais.
b) Entre as consequências sociais provocadas pela recessão econômica estão:
- aumento significativo do número de imigrantes dos países em crise como a Grécia em direção aos países de melhor
situação econômica da União Europeia e até países emergentes;
- crescimento da xenofobia (aversão aos estrangeiros e intolerância étnica e religiosa) em vários países contra
imigrantes de nações subdesenvolvidas.