Você está na página 1de 63

O Coração Admirável de Maria

SAINT JOHN EUDES

Traduzido do francês por CHARLES DI


TARGIANI e RUTH HAUSER

com prefácio do REVERENDO


RICHARD J. CUSHING, DD

ARCEBISPO DE BOSTON

NEW YORK

PJ KENEDY & FILHOS


1948

Imprimi potest

A. D'AMOURS, CjM Praepositus Provincialis Laval-des-


Rapides, PQ, 15e setembro, 1947

Nihil obstat

JOHN MA Fearns, DST Censor


Librorum

Imprimatur.

FRANCIS CARDINAL SPELLMAN


Arcebispo de Nova York, 5 de
dezembro de 1947.
Copyright, 1948, PJ Kennedy & filhos NEW
YORK, NY
PREFÁCIO GERAL

ST. JOHN EUDES foi chamado de "a maravilha de sua época". Missionário, fundador, reformador do
clero, ele acumulou em uma vida de setenta e nove anos tantas e tão variadas realizações que uma maravilha
como um único homem poderia conseguir tanto. Além das atividades de um apostolado incessante e
multifacetado, ele escreveu uma série de livros valiosos, que o colocam entre os escritores ascéticos mais
prolíficos do século XVII.

Por muitos anos as obras devocionais de São João Eudes eram praticamente desconhecidas.
(1). Ocasionalmente, um volume era descoberto na biblioteca de algum seminário ou casa religiosa. Muitos
outros preservados em forma de manuscrito foram perdidos no caos da Revolução Francesa. (2). No início do
presente século, os filhos de São João Eudes se uniram em um tributo de piedade filial para trazer uma
edição completa das obras de sua autoria. pai espiritual, procurando-os em bibliotecas públicas e privadas
em todo o mundo. (3) Cerca de vinte volumes foram encontrados e editados em 1905 pelos falecidos Padres
Charles Lebrun, CJM e Joseph Dauphin, (1). Antes da Revolução Francesa, a obra de São João Eudes era
popular na França. Em 1792, as casas da Congregação de Jesus e Maria foram confiscadas pelo governo e
seus membros foram massacrados ou dispersos por toda a Europa. Com a supressão dos eudistas, sua rica
herança literária foi amplamente dispersa e parcialmente destruída. Não foi até o restabelecimento da
Congregação de Jesus e Maria, em 1826, que foi feito um esforço para recuperar as obras impressas e
manuscritas de São João Eudes. A pesquisa foi realizada até o último pacto do século XIX. No prefácio geral
às Oeuvres Complètes (Vannes, 1905), o padre Charles Lebrun aponta que um dos propósitos da edição era
"desenterrar essas obras enterradas por muito tempo no esquecimento". 'oubli ... (2) Os seguintes
manuscritos não foram encontrados: O Homem Cristão, Todo Jesus, O Ofício Divino, O Admirável Sacrifício
da Missa, Meditações, (2 vol.), Sermões de São João Eudes (3 vols) Favores obtidos pela Diocese de
Coutances através da Santíssima Virgem, A Divina Infância de Jesus, A Devoção ao Sagrado Coração de
Jesus, AAdmirável Vidade Maria dos Vallées, (cópia incompleta encontrada na Biblioteca da Universidade de
Laval, Quebec) e Correspondência de São João Eudes. (3) cf. oeuvres Complètes, P. XIV
- PREFÁCIO GERAL

CJM A primeira edição em francês, Oeuvres Complètes du Vénérable Jean Eudes, encontrou doze volumes
octavários com introduções, notas explicativas, analíticas e índices alfabéticos de grande valor. Estes escritos
constituem uma summa completa da teologia ascética e pastoral. A lista é a seguinte:

Volume 1 A Vida e o Reino de Jesus nas Almas Cristãs. Neste trabalho o Santo desenvolve seu
ensinamento espiritual sobre a vida cristã, ou seja, que a vida cristã é simplesmente a vida de Jesus estendida
e continuada em cada um de nós.

Volume 11. Este volume contém seis pequenos tratados sobre assuntos relacionados à vida cristã:

1. Um Tratado sobre o Respeito Devido aos Lugares Santos, que é um eco das denúncias de
fogo pronunciadas durante suas missões contra os profanadores do templo de Deus.
2. Meditações sobre a humildade, uma série de meditações sobre a profissão de humildade,
usadas diariamente em sua ordem de sacerdotes, a Congregação de Jesus e Maria.
3. Colóquios Interiores da Alma com Deus, meditações sobre a criação, o fim do homem e a
graça do Batismo.
4. O contrato do homem com Deus no Santo Batismo, resumo dos ensinamentos da Sagrada
Escritura e Tradição sobre o sacramento do Baptismo.

5. A prática da piedade, uma breve explicação do que é necessário para viver uma vida cristã.
6. Catecismo da Missão, um esboço das instruções catequéticas dadas durante uma missão.

Volume III. Contém duas importantes obras sobre a perfeição sacerdotal:

1. O Memorial da Vida Eclesiástica, uma explicação da dignidade e dos deveres do sacerdócio.


2. Um Manual de Piedade para Uso em uma Comunidade Eclesiástica, no qual o autor explica
como os meios de santificação que ele recomendou a seus sacerdotes devem ser aplicados em sua vida diária.

Volume IV Compreende trabalhos significativos sobre o ministério sacerdotal. 1. O pregador apostólico é um


dos primeiros tratados escritos sobre o ministério da Palavra de Deus e ainda é um dos mais práticos.

PREFÁCIO GERAL V11-

2. O Bom Confessor explica as qualidades e obrigações do ministro do Sacramento da


Penitência.
3. Conselhos para Missão Confessores sugere meios práticos de auxiliar penitentes para fazer
seu exame de consciência e excitar-se a contrição.
4. A maneira de servir a missa explica a dignidade e a santidade desse ato e o que se deve
fazer para realizá-lo com devoção e dignidade.

Volume V. A Infância Admirável da Santíssima Mãe de Deus. Este livro trata da santa infância
de Maria e os meios práticos de honrar os mistérios e virtudes de sua vida primitiva.

Os volumes VI, VII e VIII contêm todos os escritos do Santo sobre os Sagrados Corações de
Jesus e Maria. O trabalho é intitulado: O coração admirável da Santíssima Mãe de Deus. É composto por doze
livros que cobrem a teologia completa da devoção aos Sagrados Corações. Onze livros discutem a teoria,
história e prática da devoção ao Imaculado Coração de Maria. O último livro trata da devoção ao Sagrado
Coração de Jesus. É este trabalho, juntamente com os Ofícios dos Sagrados Corações, que merecem por ele
o título de Pai, Doutor e Apóstolo da Devoção aos Sagrados Corações.

Volume IX. As regras e Constituições da Congregação de Jesus e Maria.

Volume X. Contém as Regras e Constituições da Ordem de Nossa Senhora da Caridade, o


Diretório da Ordem, e uma coleção de duzentas e quarenta cartas.

Os volumes XI e XII abrangem asdo Santo Obras Litúrgicas, compreendendo vinte e cinco
Escritórios e Missas para festas às quais ele pediu especial devoção, o Memorial das Bênçãos de Deus e várias
outras pequenas obras.

A segunda edição francesa apareceu em 1935, Oeuvres Choisies de Saint Jean Eudes, preparada
sob a direção do Padre Lebrun, a principal autoridade em pesquisa eudística. É composto por nove volumes:
A Vida e o Reino de Jesus nas Almas Cristãs, Meditações dos Vários Assuntos, Regulae Vitae Christianae e
Sacerdotalis, o Contrato do Homem com Deus no Santo Batismo, Cartas e Trabalhos Menores, Escritos sobre
o Sacerdócio, O Sagrado Coração de Jesus O admirável coração de Maria e a admirável infância da mãe de
Deus. O formato do

V111 - PREFÁCIO GERAL

destes volumes é compacto e mais conveniente do que a edição de 1905, que está agora fora de
catálogo.

A publicação das obras de São João Eudes revelou a extensão e profundidade de sua doutrina
espiritual. O cardeal Pitra, que estava associado à causa da beatificação, descobriu nos escritos de São João
Eudes uma notável profundidade de pensamento e pureza de doutrina. O cardeal Vives expressou mais
recentemente sua admiração:

eu conhecia os doutores da Ordem de São Francisco; Eu conhecia Santa Teresa e São João da
Cruz, os escritores místicos do meu próprio país, a Espanha; mas eu era completamente ignorante dos escritos
do padre Eudes. Como membro da Sagrada Congregação dos Ritos, era meu dever estudar sua vida e suas
obras, e estou admirado. O beato João Eudes deve ser classificado com as grandes luzes da Igreja. Sua
doutrina espiritual é profunda e de maravilhosa exatidão. Ele é um dos escritores que melhor propôs a doutrina
do Evangelho (4).

O falecido padre Ange Le Doré, por cinquenta anos Superior Geral da Congregação de Jesus e
Maria, escreveu:

As obras do beato João Eudes, embora não tenham o toque científico do teólogo profissional, são
prova de sua notável teologia, conhecimento ascético e escriturístico ... Ele não é um Doutor segundo a moda
dos escolásticos do século XIII ou dos grandes teólogos dos séculos XVI e XVII. Como eles, ele poderia ter
construído teses e livros compostos de forma didática; mas ele era antes de tudo um salvador de almas. Para
ele, a ciência da teologia encontrou seu principal campo de utilidade na prática da virtude e na aquisição da
santidade da qual é o princípio ... Ele era um Doutor à maneira dos Apóstolos, os Padres da Igreja, São
Francisco de Sales e Santo Afonso de Ligório. A ciência que brilha em suas obras não apenas emite luz;
engendra a piedade e a santidade. (5)
A doutrina espiritual exposta por São João Eudes segue o ensinamento do cardeal Pierre de
Bérulle e do padre Charles de Condren, dois membros proeminentes da Escola Francesa de Espiritualidade
do século XVII. São João Eudes aplica essa doutrina à devoção ao (4). Citado por PA Bray, CJM, São João
Eudes (Halifax, 1925), P. 116. (5). Citado por Bray, op. cit., p. 117.

PREFÁCIO GERAL 1X -

Sagrado Coração de Jesus e Maria, desenvolvendo-o e tornando-o mais preciso e prático. Ele tem o dom raro
de expressar as verdades mais sublimes em linguagem simples e familiar. Ele também se destaca em
condensar em poucas páginas um esquema completo da vida e perfeição cristãs.

O desejo foi expressado repetidamente que esses escritos inspiradores poderiam ser
disponibilizados para os leitores de língua inglesa. Excelentes edições abreviadas de certos livros foram
publicadas na Inglaterra e no Canadá, mas não fizeram jus ao valor literário do Santo. Conseqüentemente, os
Padres Eudistas comemorando seu tricentenário em 1943 resolveram publicar uma tradução completa das
principais obras de seu fundador. Tradutores competentes foram assegurados e muito tempo e esforço foram
gastos para produzir volumes legíveis no inglês moderno, fiéis ao espírito e estilo do original. A primeira edição em
inglês, Selected Works of Saint John Eudes, é o resultado. Ao apresentá-lo ao público, os Padres Eudistas e os Religiosos de Nossa
Senhora da Caridade do Refúgio, e do Bom

Pastor, desejam agradecer a todos aqueles que contribuíram para o sucesso deste empreendimento
abrangente. Eles são especialmente gratos aos ilustres clérigos que aceitaram tão graciosamente introduzir
esses volumes aos leitores católicos, porque consideram que as obras de São João Eudes deveriam ser mais
amplamente conhecidas. O Santo, no seu trabalho apostólico e nos seus escritos, classifica-se com as figuras
eminentes que pertencem não a um país e a uma só ordem religiosa, mas à Igreja universal. Três séculos se
passaram desde que ele escreveu as obras agora sendo impressas no novo mundo, uma ilustração
impressionante que ele escreveu para todos os tempos. Ele ainda fala em sotaques que penetram a mente e
o coração do leitor para iluminar, purificar e santificar para que Jesus Cristo possa viver e reinar na alma cristã.
WILFRID E.MYATT, CJM
PATRICK J. SKINNER,CJM
Editor
es do Holy Heart
Seminary Halifax, NS
Festa de St. John Eudes, 1945.
CONTEÚDO

PÁGINA
DE

Prefácio Geral. . . . . . . . . . . . . V

Prefácio. . . . . . . . . . . . . .. xvii

Epistle Dedicatory. . . . . . . . . . . . X1X

PARTE UM

OBJETO DA DEVOÇÃO AO CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

CAPÍTULO I. Razões para o Nome


"Admirável. 3 Il. O Coração de Maria em Geral ... 8.
III. O Coração Corporal de Maria.... 13 IV O
Coração Espiritual de Maria ... 19 V. O Coração
Divino de Maria ... 24

PARTE DOIS

PRIMEIRA FUNDAÇÃO DA DEVOÇÃO: O CORAÇÃO DE DEUS O PAI

SEIS IMAGENS
SIMBÓLICAS

I. Deus Pai, Delineador do Admirável Coração de Maria - 31 11. O


Coração de Maria, os Céus ... 34 III O Coração de Maria, o Sol. ... IV O
Coração de Maria, o Centro da Terra ... 42 V. O Coração de Maria, a
Fonte Inesgotável ... 47 VI O Coração de Maria, o Mar. ... VII O Coração
de Maria, o Jardim do Éden ... 60

PARTE TRÊS

SEIS FOTOS SIMBÓLICAS ADICIONAIS

I. O Coração de Maria, a Sarça Ardente de Moisés ... 71. O


Coração de Maria, a harpa do rei Davi ... 75

X11 - CONTEÚDO

CAPÍTULO PÁGINA III. O coração de Maria, o Trono do rei


Salomão 7 9 IV. Coração de Maria, o Templo de Jerusalém. . . . . . 8
4 V. Coração de Maria, a Fornalha Ardente da Babilônia. . . . . 9 2
VI. Coração de Maria, a colina do Calvário. . . . . . . 9 9
PARTE
QUATRO

FUNDAÇÃO DA DEVOÇÃO: O CORAÇÃO DE DEUS AS PERFEIÇÕES


DIVINAS DO FILHO ESPELHIDAS NO CORAÇÃO ADMIRADO DE
MARIA

I. Nosso Senhor Jesus Cristo, Mestre da Devoção ao


Admível Coração de Maria. . . . . . . . . 105 II. Algumas Perfeições
Divinas Essenciais Espelhadas no Admirável
Coração de Maria . . . . . . . . . . 112 III. Pureza e
Santidade de Deus Espelhada no Admirável Coração
de Maria. . . . . . . . . . . . . 117 IV. Força e Poder de Deus
Espelhados no Admirável Coração
de Maria. . . . . . . . . . . . . 119 V. Sabedoria e Verdade
de Gc ~ Espelhada no Admirável Coração
de Maria. . . . . . . . . . . . . 122 VI. Bondade e
Providência de Deus Espelhadas no Admirável
Coração de Maria. . . . . . . . . . 125

PARTE
CINCO

OUTRAS PERFEIÇÕES DIVINAS ESPELHADAS NO CORAÇÃO


ADMIRADO

DE MARIA

1. Misericórdia de Deus Espelhada no admirável Coração de Maria - 133 11. Mansidão, paciência e
clemência de Deus Espelhadas no admirável coração de Maria. .138 111. Justiça de Deus
Espelhada no Admirável Coração de Maria 144 IV. Zelo de Deus Espelhado no Admirável Coração
de Maria. 147 V. Soberania Divina Espelhada no Admirável Coração de Maria. . . . . . . . . . . . . . 151
VI. Paz de Deus espelhada no admirável coração de Maria. - 156

CONTEÚDO X 1 1 1 -

V11. Glória e Felicidade de Deus Espelhada no Admirável Coração de Maria .


. . . . . . . . . . . 159 VIII. O Admirável Coração de Maria: Compêndio da Vida de
Deus 1 6 2

PARTE VI

TERCEIRA FUNDAÇÃO DA DEVOÇÃO: O CORAÇÃO DE DEUS O ESPÍRITO


SANTO INSPIRA OS

TEXTOS ESCRITURAIS REFERENTES AO CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA


I. "Toda a glória da filha do rei está dentro de "167 11." Um pacote de mirra é o meu amado
para mim ... 171 Ill "Eu durmo e meu coração assiste. . . . . . . 174 IV. "Meu amado para mim e
eu para ele ... (...) V. V." Coloque-me como um selo sobre o teu mar. . . . . . 182 VI. "Maria
guardou todas estas palavras, ponderando-as em seu coração" - 185

PARTE SETE

INSPIRADA TRADIÇÃO CATÓLICA SOBRE MIM


CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

1. Testemunho dos Padres e Escritores Ascéticos. . . . 193 11.


Aprovações Eclesiásticas. . . . . . . . . 202 III. Exemplo de santos e
ordens religiosas. . . . . . 206

PARTE OITO

QUARTA FUNDAÇÃO DA DEVOÇÃO: SANTIDADE DO CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA, EXPOSIÇÃO


DE SUA EXCELÊNCIA

1. Coração de Maria, imaculado e sem pecado. . . . . . 213 11.


Coração de Maria, Oceano da Graça. . . . . . . . 217 111.
Coração de Maria, Milagre do Amor. . . . . . . . 222 IV. Coração
de Maria, Espelho da Caridade. . . . . . . 226 V. Coração de
Maria, Abismo da Humildade. . . . . . . 231 VI. Coração de
Maria, Império da Vontade Divina. . . . . 236

X1V - ÍNDICE

CAPÍTULO PÁGINA

V11 Coração de Maria, Casa do Tesouro das Graças Gratuitas 240 V111. Coração de Maria, tesouro
inestimável das riquezas. . . . 245 IX. Coração de Maria, Santuário, Incensário e Altar do Amor Divino. 249 X.
Coração de Maria, Centro da Cruz e Coroa de Mártires, Médicos e Virgens. . . . . . . . . . 254 XI. Coração de
Maria, Mundo das Maravilhas. . . . . . . 256

PARTE NOVE

PRÁTICA DA DEVOÇÃO AO CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

1 Doze Razões para Honrar o Coração de Maria. . . 263 11.


Doze Métodos de Praticar esta Devoção. . . . . 266

PARTE DEZ

O CANÍCULO DO ADMIRADO CORAÇÃO DE MARIA


EXPOSIÇÃO DO "MAGNIFICAT", TRATANDO DE SEU
SIGNIFICAMENTO VERSO POR VERSO

1. Fxcelência deste Sublime Cântico. . . . . . . 275 11. O verdadeiro


cântico do coração de Maria. . . . . . . 277 111. "Minha Alma magnifica
o Senhor ... (...) 279 IV." O meu espírito se alegra em Deus, meu
Salvador "... 283 V." Ele considerou a humildade de sua serva "288
VI. "Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurado"
291

V11 "Aquele que é poderoso fez grandes coisas para mim: e santo
é o seu nome ... . . . . . . . . . . 295 V111. "Sua misericórdia é
de geração em geração, para aqueles que o
temem ... (...) 301 IX." Ele mostrou poder em seu braço. . . . . . 306 X. "Ele espalhou o
orgulho na presunção do seu coração". 309 X1. "Ele derrubou os poderosos do seu assento e
exalta os humildes". . .. 313 XII. "Ele encheu os famintos com coisas boas e os ricos ele enviou
mãos vazias .. 316

ÍNDICE XV-

XIII. Ele já recebeu Israel seu servo -321- XIV." Como falou a nossos pais, a Abraão
e à. dele . sced para - 326 sempre.
ANEXO I

MISSA E ESCRITÓRIO DO CORAÇÃO ADMIRADO DE


MARIA

Massa do Admirável Coração de Maria. . . . * 333


Escritório do Admirável Coração de Maria 338

APÊNDICE 11

ORAÇÕES EM HONRA DO CORAÇÃO ADMIRADO DE


MARIA

Litania em Honra ao Santíssimo Coração de Maria. . . 355


Saudação aos Sagrados Corações de Jesus e Maria. . . 358
Saudação à bem-aventurada Virgem Maria. . . . . . 359 Rosário
do admirável coração de Maria. . . . . . 361 Consagração ao
Coração Admirável de Maria. . . . 362

XV11-
PREFÁCIO

A série de obras selecionadas de São João Eudes, agora editadas para a conveniência e a edificação do
devoto, presente trabalho acrescenta um grande clássico espiritual, o tratado central, de certa forma, de todos
os livros escritos por São João. . O Papa Leão XIII, ao proclamar as virtudes heróicas do autor sagrado,
declarou-o "o autor do culto litúrgico do Sagrado Coração de Jesus e do Sagrado Coração de Maria" e, ao fazê-
lo, o Vigário de Cristo prestou, implicitamente, homenagem O Coração Admirável de Maria, agora oferecido em
tradução inglesa pelos editores dessas obras selecionadas.

Este foi o primeiro livro escrito sobre a devoção aos Sagrados Corações. Como tal, é um trabalho
básico na espiritualidade moderna, um dos grandes tratados devocionais que moldaram a história da vida de
oração católica. Os dons característicos do devoto escritor - sua elevação de pensamento e franqueza de
expressão - são admiravelmente exemplificados nas amadas páginas de sua obra-prima mariana. Os
tradutores devem ser calorosamente agradecidos pela fidelidade e felicidade de sua versão em inglês; mantém
notavelmente o espírito e a simplicidade do trabalho original de São João.

Os Padres Eudistas estão ansiosos para levar diante de um público cada vez maior as obras
espirituais de seu Fundador inspirado. Ao fazê-lo, eles estão agindo em obediência aos instintos filial de filhos
dignos de um pai que merecem o seu zelo. Mas eles também estão fazendo a Igreja e todas as almas um
grande serviço. Eles estão servindo à Igreja porque estão espalhando uma devoção ao mesmo tempo fiel às
tradições da piedade católica e coerentes com as necessidades espirituais de nossos dias. Eles são almas
inspiradoras porque estão disponibilizando para aqueles que sinceramente buscam amar a Deus e honrar Sua
Mãe um rico tesouro da mais sublime, porém mais simples literatura sobre o culto de Cristo e de Maria. Que
Deus abençoe seus esforços!

Vivemos em tempos cheios de perigo para a Igreja. Seus inimigos raramente foram tão
numerosos ou tão organizados na história. Sua propriedade é o objeto de projetos avarentos; seus prelados
estão cada vez mais sob ataque; sua organização, ressentido por aqueles que odeiam ela, encontros diários
frescos

XVIII- PRÓLOGO

oposiçãoe interferência malicioso. Os propósitos de Deus estão sempre ocultos e às vezes difíceis para os
Seus filhos discernirem. Só podemos aguardar a Sua Santa Vontade com paciência e oração, confiantes de
que no último dia Ele vindicará Seus santos e estabelecerá o Seu Reino além do alcance de mãos destrutivas.

Mas uma coisa é certa: não pode haver momentos tão difíceis que eles não produzam santos. De
fato, tempos de crise são invariavelmente tempos de grande santidade. Portanto, nos alegramos que, entre os
muitos livros que estão sendo publicados sobre eventos atuais, sociologia, política e história, como estes
afetam a Igreja, há um aumento nos livros sobre a Ciência dos santos, a arte de amar a Deus e os meios de
crescer em Seu favor. Na rica colheita de livros agora tornados nossos por modernas técnicas editoriais,
nenhum é mais fervorosamente bem-vindo do que as obras de São João Eudes, o "prodígio de sua época", e
entre seus livros ninguém mais enriquecerá a vida espiritual de seus leitores. do que este clássico devocional
incomparável O Admirável Coração de Maria.

RICHARD J. Cushing, D.D. Arcebispo de Boston.

Festa de São João Eudes, 1947

X1X-
DEDICATÓRIOEPISTAS

À Sua Alteza Real

DEMADAME DE GUISE
(1)
Madame,Todas as pedras da Igreja do Santíssimo Coração de Jesus e de Maria, erigidas noCaen seminário de, são como tantas
outras. vozes gritando que este livro, que também leva o título de O Admirável Coração de Maria,
deve ser dedicado a Sua Alteza Real como um sinal de gratidão. da nossa pequena Congregação.
(2) Nós consideramos e honramos você, Madame, como a fundadora da nossa primeira e principal
igreja, cuja pedra é ainda a língua materna, proclamando que, entre o grande número de príncipes e
princesas que construíram igrejas em honra do rei e do Rainha dos anjos, Sua Alteza Real sozinha
pode reivindicar este privilégio: que não existem outros a quem Deus concedeu o favor de fazer
deles Seus instrumentos para erigir igrejas em honra do adorável Coração (1). Elizabeth de Orléans,
a duquesa de Alençon e Guise (1652-1696) era a filha de Gaston d'Orléans e a viúva de Louis
Joseph de Lorraine, o duque de Guise, Joyeuse e Angoulème. Na falta de recursos, São João
Eudes fora obrigado a interromper o trabalho na capela do seminário de Caen, cuja pedra
fundamental fora lançada com grande solenidade em 20 de maio de 1664. Os vereadores, vendo a
lentidão com que a construção estava progredindo, ameaçavam recuperar o terreno que eles tinham
concedido ao Santo na Place Royale. Em 1673, a duquesa de Guise, por recomendação de
Madame de Lorraine, da abadessa de Montmartre e de sua cunhada, deu a São João Eudes a soma
de 12 mil libras para completar a capela, sob a condição de que a missa e a bênção da O
Santíssimo Sacramento em honra do Sagrado Coração de Maria é celebrado perpetuamente em
todos os sábados para ela e sua família. Confiscada durante a Revolução Francesa, a capela e o
Seminário em Caen se tornaram a Prefeitura. A capela era dividida horizontalmente no meio e, até
recentemente, a parte superior servia de biblioteca municipal, enquanto a parte inferior se
transformara em um salão de funções sociais. O edifício foi completamente destruído durante a
invasão aliada em 1944. (2). A Congregação de Jesus e Maria foi fundada por São João Eudes em
1643.

seu filho Jesus e do admirável coração de sua querida filha Mary. Sua Alteza Real é a primeira a ser escolhida
por Sua Mãe Divina. gracejos para um trabalho tão nobre e augusto. Todos os cidadãos do céu olharão para
você e o respeitarão para sempre como a fundadora da primeira igreja no mundo que sempre levou o nome da
Igreja do Santíssimo Coração de Jesus e Maria, (3) e que foi assim chamada pelo nome. Soberano Pontífice
Clemente X, ou melhor, pelo Espírito Santo, uma vez que este Espírito Divino é a alma da Igreja, assim como
a sua cabeça, governando-a em todos os assuntos da fé e piedade cristãs.

Seu nascimento real, Madame, dotou-o de certas grandezas que merecem a homenagem e o
respeito de toda a Europa, enquanto as excelentes virtudes que brilham na santidade de sua vida o tornam
venerável no céu e na terra. Mas o título de fundadora da primeira igreja a ser dedicada a estes dois Corações
incomparáveis irá eternamente coroá-lo com uma honra e glória completamente inigualável no céu.

Sua Alteza Real é também a primeira a estabelecer nesta igreja a celebração de cada Sábado
do Santo Sacrifício do Altar, juntamente com a Bênção do Santíssimo Sacramento, em honra

do admirável Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria. É aí que os anjos, que assistem aos milhares
neste sacrifício e benção, e que têm um amor especial por todas as pessoas que honram sua soberana
princesa, olham para você e honram você como o amado de seu coração, e como o único que teve um santuário
construído na terra para ser a morada do Rei e Rainha do céu. É por isso que eles estão preparando para você
um palácio incomparavelmente mais belo, rico e magnífico do que todos os palácios dos maiores monarcas do
mundo. Eu era meu palácio? É muito mais que isso, Madame. eles estão preparando uma morada gloriosa e
eterna para você em seus corações.

Além disso, todas as missas disseram nesta igreja e todas as obras realizadas lá até a
consumação do mundo serão como pedras preciosas de valor incalculável que farão sua coroa
maravilhosamente rica e brilhante. Eu humildemente e com urgência suplicar ao meu mais adorável Salvador
e Sua Mãe mais amável que tome posse completa, absoluta e eterna do coração verdadeiramente real de
Sua Alteza e faça com que seu santo amor reine nele, para que você possa viver em toda a perfeição de
acordo com o Coração de Deus (3). São João Eudes já havia dedicado a capela do seminário Coutances ao
Sagrado Coração de Maria, "que tem apenas um Coração com seu Filho Amado". Nesta capela, iniciada em
3 de julho de 1652, a missa foi celebrada pela primeira vez em 4 de setembro de 1655. Cf. Costil: Annales de
Ia Congrégation de Jésus et Marie, 1, pág. 235; Eudes: Memoriale Beneficiorum Dei, nº 57.

EPISTLEXX1 DEDICATORY-

Essa é a oração mais ardente que será oferecida a eles todos os dias de sua vida por
aquele que é, com o mais profundo respeito, Madame,

Sua Alteza Real, a mais humilde, servo obediente e grato,

JOHN EUDES.

3-
PRIMEIRA
PARTE

Objeto da devoção ao admirável


coração de Maria

Parte I

OBJETO DA DEVOÇÃO AO
CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

CAPÍTULO I

RAZÕES PARA O NOME "ADMIRADOS"

JESUS CRISTO, o Filho Unigênito de Deus, escolheu a incomparável Virgem Maria de entre todas as
criaturas para ser Sua Mãe e se dignou a ser nutrida e governada por ela. Em Sua infinita bondade Ele também
deu a ela para sermos nossa Rainha, nossa Mãe e nosso Refúgio seguro em todas as nossas necessidades.
Ele, portanto, deseja que a honremos como Ele a honra e a ame como a ama.

De acordo com o apóstolo São Paulo, Cristo é a Cabeça do Seu Corpo Místico, a Igreja, e nós
somos os membros. (1) Devemos, portanto, ser animados pelo Seu Espírito; devemos seguir Suas inspirações,
trilhar o caminho que Ele traçou e continuar, por assim dizer, Sua vida na Terra praticando as virtudes que
eram Suas. Segue-se que nossa devoção à Sua Santa Mãe deve ser uma continuação de Sua devoção a ela.
Devemos ser preenchidos com os sentimentos de respeito, submissão e afeição que Ele nutriu por ela na terra
e ainda entretém no céu. Maria sempre manteve e manterá para sempre o primeiro lugar no Sagrado Coração
de seu Divino Filho; ela sempre foi e nunca deixará de ser o primeiro objeto de Seu amor depois do Pai Eterno;
e assim Ele deseja que, ao lado de Deus, ela seja o principal objeto de nossa devoção. Por esta razão, depois
da veneração que devemos à Divina Majestade de Deus, não podemos prestar um maior serviço a Jesus Cristo
ou fazer algo mais agradável a Ele do que servir e honrar a Sua Mãe mais digna.

A vontade humana não é, no entanto, movida a amar um semelhante, a


menos que (1). 1 Cor. 12, 27; Ef. 5, 30

4 - O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

O intelecto primeiro sabe o que o torna digno de respeito e estima. O infinito zelo com o qual o Filho de Deus
está inflamado por tudo o que concerne à Sua querida Mãe, instou-O a revelar-nos através das palavras
inspiradas da Sagrada Escritura e através dos escritos dos Padres, uma pequena medida das perfeições com
as quais Ele tem enriqueceu ela. A realidade que supera de longe nosso conhecimento sobre ela neste vale
das trevas será revelado apenas no céu, a terra da luz sem nuvens.

Entre as passagens divinamente inspiradas da Sagrada Escritura escolho uma do décimo


segundo capítulo do Apocalipse, que é um compêndio de todas as grandes coisas que podem ser ditas ou
pensadas de nossa maravilhosa Rainha. "Apareceu um grande sinal no céu: uma mulher vestida de sol, a lua
debaixo dos pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas." (2) O que é esse grande sinal? Quem é essa mulher
milagrosa? São Epifânio, (3) Santo Agostinho, (4) São Bernardo (5) e muitos outros médicos santos concordam
que a mulher é Maria, a Rainha entre as mulheres, o Soberano dos anjos e dos homens, a Virgem das virgens.
Ela é a mulher que carregou em seu casto útero o homem perfeito, o Deus-Homem. "Uma
Mulher bússola um homem." (6)

Maria aparece no céu porque ela vem do céu, porque ela é a obra-prima do céu, a Imperatriz do
Céu, sua alegria e sua glória, em quem tudo é celestial. Mesmo quando seu corpo morava na terra, seus
pensamentos e afetos eram todos arrebatados no céu.

Ela está vestida com o eterno Sol da Divindade e com todas as perfeições da Essência Divina,
que a envolvem, preenchem e penetram a tal ponto que ela se transformou, por assim dizer, no poder, bondade
e santidade de Deus. .

Ela tem a lua sob seus pés para mostrar que o mundo inteiro está abaixo dela. Ninguém está
acima dela, exceto Deus, e ela tem absoluta influência sobre todas as coisas criadas.

Ela é coroada com doze estrelas que representam as virtudes que brilham tão intensamente em
sua alma. Os mistérios de sua vida são tantas estrelas mais luminosas do que as mais brilhantes luzes do
céu. Os privilégios e prerrogativas que Deus concedeu a ela, o menor dos quais é maior do que qualquer
coisa brilhando no firmamento do céu, bem como a glória dos santos do Paraíso e da terra, são sua coroa e
(7) sua glória em um Um senso muito mais completo do que os filipenses poderia ser considerado a coroa e a
alegria de São Paulo. (2). Apoc. 12, 1. (3). Lebres, 78. (4). De Symbolo. lib. 4. (5). Sermo no Signum
Magnum. (6). Jer. 31, 22. (7) Phil. 4, 1.
OBJETO DA DEVOÇÃO 5 -

Mas por que o Espírito Santo chama Maria de "um grande sinal"? É simplesmente para nos dizer
que tudo nela é maravilhoso, e que as maravilhas que enchem seu ser devem ser proclamadas ao mundo
inteiro, para que ela possa tornar-se um objeto de admiração pelos habitantes do céu, bem como pela
humanidade. terra, e para que ela possa ser o doce deleite de anjos e homens.

Esta é também a razão pela qual o Espírito Santo inspira os fiéis em todo o mundo a cantar em
seus louvores: Mater admirabilis. "0 mãe mais admirável." Além disso, de acordo com o testemunho de vários
confiança. autores dignos, (8) um santo jesuíta que uma vez pediu a Mãe de Deus para revelar-lhe qual dos
muitos títulos em sua litania foi mais agradável para ela recebeu a mesma resposta: Mater admirabilis.

Maria é verdadeiramente admirável em todas as suas perfeições e em todas as suas virtudes. (9)
Mas o que é mais admirável nela é seu coração virginal. O coração da Mãe de Deus é um mundo de
maravilhas, um abismo de maravilhas, a fonte e princípio de todas as virtudes que admiramos em
nossa gloriosa Rainha: "Toda a glória da filha do rei está dentro". Foi através da humildade, pureza e
amor do seu mais sagrado Coração que ela mereceu tornar-se a Mãe de Deus e receber as graças e
privilégios com que Deus a enriqueceu na terra. Estas mesmas virtudes sublimes do seu Imaculado
Coração a tornaram digna da glória e felicidade que surgem. rodeia-a no céu e das grandes
maravilhas que Deus operou dentro e através dela.

Não se surpreenda se eu disser que o Coração virginal desta Mãe do Belo Amor é de fato um
Coração admirável. Maria é admirável em sua maternidade divina porque, como diz São Bernardo de Siena,
"ser mãe de Deus é o milagre dos milagres"; miraculum miraculorum. Mas morrer agosto Coração de Maria

também é verdadeiramente admirável, pois é o princípio da sua maternidade divina e dos mistérios
maravilhosos este privilégio implica.
De coração admirável de Maria Vou tentar falar neste livro, embora a falar e escrever
dignamente do sagrado Coração da própria Mãe de Deus, seria necessário um coração de fogo Para
conhecer e proclamar as perfeições do nobre Coração da Rainha dos Anjos, deve-se ter o intelecto de um
querubim e o amor flamejante de um serafim. seria necessário possuir a mente, o coração, a língua e a mão
de Jesus Cristo, o Rei de todos os corações, para compreender, honrar, proclamar ou (8) Cf. Tríplice corte da
Mère de Dieu pelo Reverendo Francisco Poiré, SJ, Tratado 4, cap. 9, 89. O livro foi publicado em Paris em
1630. Em 1858, os Padres Beneditinos de Solesmes trouxeram uma nova edição (9). “O Santo enumera aqui
muitas das admiráveis perfeições de Maria. Como a maioria dessas passagens é encontrada em outro lugar,
nós os ocorremos nesta edição.
6 - O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA se

compromete a escrever os tesouros da santidade contidos no sagrado Coração de Maria, o mais digno, mais
real e mais maravilhoso de todos os corações, depois do mais adorável Coração de nosso próprio Salvador.

Não sou tão presunçoso a ponto de acreditar que posso incluir nas páginas deste livro o imenso
tesouro e as inumeráveis maravilhas contidas no incomparável Coração de Maria, que é e será para sempre o
objeto da contemplação extática dos felizes cidadãos do céu. .

Quando os anjos viram a sua Rainha e a nossa no momento da sua imaculada concepção, ficaram
cheios de admiração com tanta plenitude da graça e no seu espanto exclamaram: "Quem é aquela que sai
como a manhã nascente, bela como a lua, brilhante como o sol, terrível como qualquer exército colocado em
ordem? " (10) O que então deve ser o seu regozijo, agora que eles contemplam no céu todas as perfeições
maravilhosas do seu Coração desde o primeiro momento de sua vida na terra até o último?

O Deus dos Anjos encontra até mesmo os passos desta gloriosa Rainha tão santa e tão agradável
à Sua Divina Majestade que exclama: "Quão belos são os teus passos em sapatos, ó filha de príncipe!" (1 1)
Sob Sua inspiração divina, a Santa Igreja, tanto Militante como Triunfante, celebra na terra e no céu a visita de
Nossa Senhora à sua prima Isabel. A partir disso, vemos quão grande é o desejo de Nosso Senhor que
devemos admirar e honrar como Ele faz as muitas ações santas e admiráveis que foram inspiradas no Coração
mais amável de Sua Mãe ímpar.

Se o menor ato virtuoso desta Virgem celestial representado na Sagrada Escritura por um de seus
cabelos, é tão agradável a Deus como fazê-lo proclamar que ela feriu e arrebatou o Seu coração com um fio
de seu pescoço (12), o que devemos pensar dos múltiplos atos de amor que, como as chamas sagradas, se
moviam constantemente da fornalha ardente de seu coração virginal, ardendo de amor divino? Estas chamas
foram incessantemente subindo ao Céu até o Coração da Santíssima Trindade.

A Santa Igreja, a quem o Espírito Santo orienta em todas as coisas, celebra na terra e celebrará
para sempre no céu várias festas para honrar os vários eventos da vida terrena da Mãe de Deus, como a sua
Apresentação, na qual se ofereceu a Deus. no templo de Jerusalém; sua Purificação para honrar sua
obediência a uma lei que não se aplica a ela; a festa de Nossa Senhora das Neves em memória da
dedicação da primeira igreja consagrada a ela. O que louva e homenageia o seu Coração Sagrado então
merece, aquele Coração que há pelo menos sessenta e três anos ofereceu (10). Não posso 6, 9 (11). Não
posso 7, 1. (12). Não posso 4, 9. "Feriste o meu coração, minha irmã, minha esposa; tu feriste o meu coração
(...) com um fio do teu pescoço."
OBJETO DA DEVOÇÃO 7 -

Tantos atos de fé, esperança, amor a Deus e caridade para com os homens, humildade, obediência e todas
as outras virtudes? Que mente pode entender e que língua expressa a riqueza deste incomparável Coração, o
Soberano de todos os corações consagrados a Jesus?

Seu coração é um vasto mar de graça, um oceano incomensurável de perfeições, uma imensa
fornalha de amor. Oxalá eu me perca como uma gota de água neste oceano ou seja consumido como uma
palha nesta fornalha, para que nada do que escrevo possa ser considerado como vindo de mim, mas somente
de Jesus Cristo, que é a única fonte de tudo bom!

Ó santíssima Maria, Teu divino Filho, Jesus, criou o teu Coração e só Ele conhece os grandes
tesouros que nele ocultou. Ele foi quem acendeu o fogo que queimava nesta fornalha, e ninguém além dele
pode medir as alturas alcançadas pelas chamas que saltam de seu abismo. Somente ele pode medir as vastas
perfeições com as quais Ele enriqueceu a obra-prima de Sua bondade todo-poderosa, ou contar as inúmeras
graças que Ele derramou neste oceano de graça: "Ele a criou no Espírito Santo, e a viu, e numerou ela, e medi-
la ". (13)

E agora eu te rogo, ó Santíssima Virgem Maria, através do teu Coração e pela honra daquele
mesmo Coração para me oferecer ao teu amado Filho e orar para que Ele aniquile a minha personalidade e
se coloque no lugar do meu nada, para que não a minha voz, mas a Sua, possa ser ouvida. Que Jesus Cristo
seja o autor deste livro, e eu, mas o instrumento de Seu amor supremo por ti e do zelo com que Ele cuida da
honra do teu mais digno Coração. Que Ele inspire os pensamentos que deseja ver expressos neste livro e as
próprias palavras que Ele deseja que eu use. Que Sua bênção repouse em toda a medida sobre os leitores
deste livro, e que Ele transforme todas as suas palavras em brilhantes e ardentes carvões, para que seus
corações possam ser purificados, iluminados e inflamados com o fogo sagrado de Seu amor. Em suma,
tornem-se dignos de viver segundo o coração de Deus e de serem contados entre os filhos do coração
materno da própria mãe de Deus (14) (13). Ecclus 1, 9. (14). É comum nas obras devocionais do século XVII
encontrar orações espalhadas pelas partes doutrinárias. São João Eudes segue esse costume no presente
volume. Os dois últimos parágrafos deste capítulo constituem uma bela oração ao Imaculado Coração de
Maria.

8-
CAPÍTULO 11

O CORAÇÃO DE MARIA EM GERAL

ANTES de expor as virtudes prodigiosas e as maravilhas incomparáveis do admirável Coração de Maria,


de acordo com as luzes que Ele, que é a Fonte de toda a luz, terá prazer em me dar, vou apontar os vários
significados da palavra "heare", na Sagrada Escritura.

I. A palavra "coração" significa, em primeiro lugar, o coração material eespecífico que bate em
nosso peito, a parte mais nobre do corpo humano. da vida, o primeiro órgão a começar a viver e o último a ser
silenciado na morte, é a sede do amor, ódio, alegria, tristeza, medo e toda paixão da alma. diz: "Com toda a
vigilância mantenho o teu coração, porque a vida sai dele." (1)

2. "Coração" é também empregado nas Escrituras para significar a memória. Isto é, sem dúvida,
o seu significado nestas palavras de Nosso Senhor. : "Portanto, estabeleça-se em seus corações para não
meditar antes de como você deve responder. Pois eu te darei uma boca e uma sabedoria que todos os teus
adversários não serão capazes de resistir e contradizer. "(2) Isto é, lembre-se quando você é levado perante
reis e juízes por causa do meu nome, não para preparar uma resposta para o seu inimigos, porque lhes darei
sabedoria, que seus inimigos não serão capazes de contradizer.

3. Da mesma forma, denota o intelecto com o qual meditamos. A meditação é, de fato, um


raciocínio discursivo sobre as coisas de Deus, tendendo a persuadir e a nos convence da verdade da doutrina
cristã: este é o coração aludido nas palavras: "A meditação do meu coração (é) sempre à tua vista". (3) Em
outras palavras, "meu coração, isto é, meu intelecto". , está sempre ocupado em meditar e contemplar a tua
glória, mistérios e obras. "

4. A palavra" heare, expressa o livre "eu da parte superior e racional da alma, a rainha das
outras faculdades, a raiz do bem e (1), Provérbios 4, 23
(2), Lucas 21,
14. (3), Sl 18, 15.

OBJETO DA DEVOÇÃO 9 - o

mal e a mãe da virtude e do vício. Nosso Senhor se refere a este coração quando Ele diz: "Um homem bom,
do bom tesouro do seu coração tira o que é bom; e um homem mau, do tesouro mau, tira o que é mau". "um
bom esforço" significa a vontade justa do homem justo, da qual todos os tipos de bem podem vir; e "malévolo"
significa a má vontade dos ímpios, que é fonte de todos os tipos de mal.

5. Devemos entender também pela palavra "aquecer" a parte mais alta da alma que os teólogos
chamam de ponto do espírito. . É a sede da contemplação, que consiste em direcionar a mente diretamente
para Deus e vê-Lo em toda simplicidade, sem raciocínio discursivo ou multiplicidade de pensamentos. Os
Padres da Igreja aplicam a esse poder da alma aquelas palavras que o Espírito Santo coloca na boca da
Santíssima Virgem Maria: "Eu durmo e meu coração vigia". (5) De acordo com São Bernardo de Siena e vários
outros escritores, o sono e o descanso do corpo não impediram que o sagrado Coração de Maria, isto é, a
parte mais alta de sua mente, estivesse sempre unido a Deus em contemplação sublime. )

6. Às vezes, o "coração" representa toda a vida interior do homem; Quero dizer, é claro, a vida
espiritual, como indicado por estas palavras ditas pelo Filho de Deus para a alma fiel: "Coloque-me como um
selo sobre o teu coração, como um selo sobre o teu braço", (7) isto é, carimbar a imagem da minha vida interior
e exterior em sua vida interior e exterior, em sua alma e em seu corpo, por uma perfeita imitação de mim.

7. A palavra "coração" também pode significar o Espírito Santo, o verdadeiro Coração do Pai e
do Filho, que eles desejam nos dar para nossa própria mente e coração. "E eu lhe darei um novo coração e
colocarei um novo espírito dentro de você." (8)

8. O Filho de Deus é chamado Coração do Eterno Pai na Sagrada Escritura, e é deste coração
que o Pai fala à Sua Esposa, a Santíssima Virgem, quando lhe diz: "Feriste minha coração, minha irmã,
minha esposa ", (9) ou de acordo com a Septuaginta:" Tu arrebataste o meu coração. " E o próprio Filho de
Deus é chamado na Escritura "O (4). Lucas 6, 45. (5). Cant. 5, 2. (6). Somnus qui abyssat et sepelit nobis
rationis e liberi arbitrii actus, non credo quod talia em Virgine fuerit operatus, sed anima ejus libere ac
meritorio actu tunc tendebat em déum. unde illo tempore erat perfectior contemplatrix, quam unquam fuerit
aliquis alius dum vigilavit. SERM. 51, Art. 1, c. 2. (7). Cant 8, 6. (8), Ezequiel 36, 26. (9). Cant. 4, 9

10- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

respiração de nossa boca, "(10) isto é, a alma de nossa alma e nosso heares muito
coração.

Todos esses corações podem ser encontrados em Maria, a Mãe do Belo Amor, e eles formam em
seu único coração, porque todas as faculdades da parte superior e inferior de sua alma estavam sempre
harmoniosamente unidas. Além disso, Jesus, que é o coração de Seu Pai, e o Espírito Santo, que é o coração
do Pai e do Filho, foram dados a Maria para ser a alma de sua alma e o coração de seu coração.

Para entender mais claramente o que significa o Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria,
devemos recordar que, assim como nós adoramos na Santíssima Trindade e no Verbo Encarnado três
corações que formam apenas um coração, assim também nós honramos no Mãe de Deus três corações unidos
em um.

O primeiro coração a ser encontrado na Santíssima Trindade é o Filho de Deus, que é o Coração
do Pai Eterno, como vimos acima. (11) O segundo é o Espírito Santo, que é o Coração do Pai e o Filho. O
terceiro é o próprio Amor Divino, um adorável atributo da essência divina. que pode ser considerado como o
Coração do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Esses três corações são na realidade apenas um único Coração,
e com ele as três Pessoas Eternas se amam como Elas merecem ser amadas. Eles também amam a
humanidade com uma caridade incomparável.

O primeiro coração a ser encontrado em nosso Amoroso Salvador, Jesus Cristo, o Deus-Homem,
é Seu coração de carne, deificado como todas as outras partes de Seu corpo sagrado por sua união hipostática
com a Palavra Divina. O segundo é o seu coração espiritual, isto é, as faculdades superiores da sua alma
santa, como a sua memória, a sua compreensão e a sua vontade, tudo mais especialmente deificado pela
união hipostática. O terceiro é Seu coração divino, isto é, o Espírito Santo, por quem Sua humanidade adorável
sempre foi animada em um grau mais elevado do que por sua própria alma e coração.

Assim, temos em Jesus Cristo, o Deus-Homem, três corações formando um só, porque Seu divino
Coração constituiu a alma, o coração e a vida de seus corações espirituais e corporais. Além disso, Deus
estabeleceu uma unidade tão perfeita entre eles que esses três corações formam apenas um único coração,
cheio de amor infinito para com a Santíssima Trindade e com uma caridade suprema para com os homens.
O primeiro coração de Maria, a Mãe de Deus, é o coração de carne que se encerra em seu seio
virginal. Embora este coração seja corpóreo, é no entanto (10). Lam. 4, 20. (11). Veja não. 8, p. 9.

OBJETO DA DEVOÇÃO 11-

completamente espiritualizado pelo espírito da graça e o espírito de Deus que o


preenche.

O segundo coração é o seu coração espiritual, feito semelhante a Deus, não de fato pela união
hipostática como no Verbo Encarnado, mas por uma participação superlativa nas perfeições divinas, como
veremos nas páginas seguintes. Este coração é referido pelas palavras do Espírito Santo: "Toda a glória da
filha do rei está dentro", (12) isto é, tem sua origem em seu coração e em sua alma íntima.

O terceiro coração de Maria é divino e é verdadeiramente oDeus próprio, pois não é outro senão
o amor de Deus. Este é o coração do qual ela diz: "Eu durmo e meu coração vigia" (13), o que significa, de
acordo com a interpretação de vários doutores sagrados: "Enquanto eu concedo o necessário descanso ao
meu corpo, meu Filho Jesus, que é meu Coração e quem eu amo como meu próprio coração, está sempre
cuidando de mim e para mim ".

Esses três corações da Mãe de Deus constituem um único Coração, através da união mais santa
e íntima que sempre existiu e será, junto à união hipostática. Destes três corações, ou melhor, deste único
Coração, o Espírito Santo disse duas vezes: "Maria guardou todas estas palavras, refletindo sobre elas em seu
coração". (14)

Nossa Senhora acariciava os mistérios e as maravilhas da vida de seu Filho, antes de mais nada,
em seu coração material e corpóreo, o princípio da vida, a sede do amor e das outras emoções físicas. Todos
os movimentos, cada batida deste coração virginal, as funções materiais que realizava e as emoções que o
influenciavam, existiam unicamente para Jesus e para as coisas que o preocupavam. Seu amor foi gasto em
amá-lo, seu ódio em odiar tudo o que é contrário a ele, sua alegria em regozijar-se em sua glória e grandeza,
sua tristeza e compaixão em lamentar suas provações e sofrimentos. O mesmo pode ser dito de toda emoção
de seu coração físico.

Em segundo lugar, Maria mantinha todas essas coisas em seu coração espiritual, isto é, na parte
mais nobre de sua alma, nos mais profundos recessos de sua mente. Todas as faculdades de sua alma eram
constantemente aplicadas para contemplar e adorar tudo o que acontecia na vida de seu Filho Amado, até os
mínimos detalhes.

Em terceiro lugar, Nossa Senhora guardou todas estas coisas em seu divino Coração, isto é,
em seu Filho Jesus, que era a mente de sua mente e o coração de seu coração. Ele, por sua vez, os
guardava para ela e recordava-os quando necessário, para que ela pudesse se alimentar em contemplação
dos mistérios de Sua vida, prestando-lhes devida honra e adoração, e repetindo (12). Ps. 44, 14 (13). Cant 5,
2. (14). Lucas 2, 19 e 51.

12- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

aos santos apóstolos e discípulos, que os pregariam aos fiéis.

Isto é o que significa o admirável Coração da amada Mãe de Deus. Este é o assunto digno do
qual terei que falar neste livro. Os próximos três capítulos tratarão com mais detalhes o coração corporal,
espiritual e divino de Maria. No restante do livro, você encontrará comentários adequados ao seu coração
corpóreo, outros referentes ao seu coração espiritual, outros referentes apenas ao seu Coração divino,
enquanto características adicionais serão comuns aos três. Cada palavra que eu escrevo, cada ponto que eu
faço, promoverá o progresso espiritual de meus leitores, se eles apenas elevarem seus corações a Deus
enquanto leem, em louvor e ação de graças pelas inúmeras graças e tesouros do Coração de Maria. .

0 Jesus, filho de. Deus e Filho de Maria, minha tarefa é grande e além do meu poder, mas
confio na Tua bondade e no amor da Tua Santa Mãe. Eu não busco nada, como eu, um pecador, me esforço
para mostrar as maravilhas do Coração de Maria; nada, exceto fazer um pequeno retorno pelas inúmeras
graças recebidas de Teu coração paterno através do Coração amoroso de Tua Mãe. A Ti, ó Jesus, eu me
rendo, minha mente, meu coração e minha caneta para um único propósito: que meus leitores possam
entender e cultivar uma viva devoção ao Mais Admirável Coração de Tua Mãe Santíssima.

13-
CAPÍTULO III

DO CORAÇÃO corporal DE MARIA

Assim como tudo em Nosso Senhor Jesus Cristo é grande e admirável, assim também tudo o que diz respeito
a Maria, sua santa Mãe, está repleta de grandeza e maravilhas. Cada parte da humanidade sagrada do Filho
de Deus é deificada e elevada a uma dignidade infinita através de sua união com a Divindade; Da mesma
forma, tudo na Santíssima Virgem Maria é enobrecido e santificado por sua divina maternidade. Não há parte
do corpo sagrado do Deus-Homem que não seja digno da admiração eterna de anjos e homens, e não há nada
no corpo virginal da Mãe de Deus que seja indigno do elogio eterno de todas as criaturas. (1)

O Espírito Santo, o Filho de Deus e Seus santos deram grandes louvores aos membros sagrados
do corpo imaculado de Maria. Podemos, portanto, concluir que seu coração abençoado, a primeira e mais
digna, merece especial veneração. Não devemos compartilhar os sentimentos de Jesus Cristo, nosso chefe, e
seguir o exemplo que Ele nos dá? O Filho Divino de Maria, que quis ser nosso Cabeça e nosso Irmão, manifesta
grande zelo em honrar até mesmo os menores detalhes exteriores da pessoa de Sua Santíssima Mãe. Quem,
portanto, pode ousar criticar (2) os outros filhos desta Mãe do Belo Amor, se, seguindo o espírito e exemplo de
seu divino Chefe e Irmão Mais Velho, eles prestam uma homenagem especial ao seu Coração materno e
celebram uma festa em sua honra com a permissão da Santa Igreja?

Há cinco maravilhosas prerrogativas do coração corpóreo de Maria, que tornam sempre digno
receber a veneração de homens e anjos. (1). Na edição original, o Santo aqui procede para exaltar o corpo
da Virgem Maria, apoiando sua exposição com provas da Sagrada Escritura, os Padres da Igreja e os
escritos de vários santos. Cf. Oeuvres Complètes V. 6, p. 41, ff. (2). Quando São João Eudes escreveu este
trabalho, a devoção ao Coração de Maria era nova. Foi atacado e criticado pelo jansenismo. Essa oposição
explica por que o Santo neste livro nunca perde a oportunidade de silenciar aqueles "que ousam criticar",
expondo as provas da devoção ao Imaculado Coração de Maria.

14 - O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

A primeira prerrogativa consiste no fato de que o coração é o princípio da vida de nossa santa
Mãe. É o princípio de todas as funções da sua vida corporal e material, sempre sagrada em si mesma e em
todas as suas funções e empregos. É a fonte da vida da Mãe de Deus, a vida dela que deu à luz o único Filho
de Deus, a vida da mulher pela qual Deus deu vida a todos os filhos de Adão, afundados como estavam no
abismo da morte eterna. Finalmente, seu coração é a fonte de uma vida tão santa, tão nobre, tão sublime que
é mais preciosa aos olhos de Deus do que a vida de todos os anjos e homens.A segunda prerrogativa do coração corpóreo de
Maria é que produziu (3) ovirginal sanguecom o qual o corpo sagrado do Deus-Homem foi formado no casto ventre de Sua
abençoada Mãe.A terceira prerrogativa do coração de carne de Maria é que foi a fonte damaterial e humana vidado Menino Jesus durante os
nove meses que Ele habitou no seio sagrado de Maria. Enquanto o bebê está no seio de sua mãe, o coração
da mãe é, de tal maneira, a fonte da vida do bebê que pode-se dizer que tanto a mãe quanto o bebê dependem
dele para sua existência. O coração admirável de Maria foi, portanto, a fonte das duas vidas mais nobres e
preciosas, ao mesmo tempo a fonte da vida santa da

Mãe de Deus e de seu único filho, a humanidade divina e a vida divinamente humana do Deus-Homem. .

A quarta prerrogativa do coração amável é notada nas palavras da santa noiva ao esposo
divino, isto é, de Maria a Jesus, que é seu Filho e seu Pai, seu Irmão e sua Esposa: "Nossa cama está
florescendo". (4) isto é, nossa cama é coberta e perfumada com flores. O que é essa cama? É o coração
puro da Santíssima Virgem onde o divino Infante descansou tão gentilmente? (3). São João Eudes pensava
que o sangue, que cura a vida através do organismo, é produzido no coração, ou pelo menos recebe a sua
perfeição final, de modo que antes de ter passado pelo coração é inadequado para nutrir o corpo ou para
ajudar no desempenho de suas funções vitais. Ele estava enganado nessa noção, assim como todos os seus
contemporâneos. Mas ainda é verdade que o coração influencia todo o organismo ao enviar o sangue
através dele. "Todo movimento vital brota do coração", diz Claude Bernard, "e assim é o coração que dá
indicação de vida ... Continua em ação quando os outros órgãos que o rodeiam permanecem latentes ...
Nunca descansa. enquanto tudo o mais dorme, o coração está batendo Enquanto permanece em movimento,
a vida pode se reafirmar, mas quando deixa de pulsar, a vida é irrevogavelmente perdida, assim como seu
primeiro movimento era a inconfundível indicação de vida, sua última batida é a soma da morte ". Citado pelo
reverendo Ange LeDoré em Les SS. Coeurs et le V. Jean Eudes, V. 2, P. 25. Cf. Trabalho de padre Charles
Lebrun, La dévotion au coeur de Marie (Paris, 1910, p. 289. (4). Cant. I, 15.

OBJETO DA DEVOÇÃO 15-

Foi um grande privilégio para São João, o discípulo amado, ter descansado uma vez no adorável
seio do Salvador, de onde tirou tanta luz e obteve o conhecimento de tantos segredos maravilhosos, mas não
apenas uma, mas muitas vezes nosso divino Salvador repousou no coração virginal de Sua querida Mãe. Que
abundância de luzes, de graça e de bênçãos, o Sol Eterno, a própria fonte de luz e graça, deve ter sido
derramado naquele coração materno, no qual Ele descansou com tanta frequência! Seu coração nunca interpôs
o menor obstáculo à graça divina. ela estava sempre disposta a receber todos os favores celestiais.Nosso
Senhor amava seu coração mais do que todos os outros corações juntos, e por sua vez era amado por ele
mais perfeitamente do que pelos corações de todos os Serafins.Que união, que intimidade, que compreensão,
que correspondência entre esses dois corações s! Que fogo nestes dois fornos de amor constantemente
inflamados pelo sopro do Espírito Santo!

E agora chegamos à quinta prerrogativa deste sagrado coração. É o altar sobre o qual um
grande e perpétuo sacrifício, mais agradável a Deus, é constantemente oferecido. Nele são imoladas todas
as paixões naturais que residem no coração humano. (5) Lá encontramos imediatamente os concupiscíveis e
irascíveis apetites da alma, dados por Deus ao homem para que sejam levados a odiar, temer, evitar,
combater e destruir as coisas que os ferem, (5). São João Eudes enfatiza a conexão entre o coração e as
paixões, a fim de trazer uma prerrogativa final do coração corpóreo de Maria. Existe, de fato, uma estreita
relação entre o coração e os sentimentos perceptíveis. "Sentimos nossos corações afetados por nossos
estados emocionais e até mesmo nossas disposições morais", diz o padre Bainvel. "Sentimos que nossos
estados emocionais e nossas disposições morais estão conectados com certos estados e movimentos do
coração. Não somos simplesmente uma metáfora quando dizemos: 'Meu coração está ofegante; meu
coração está cheio; meu coração está oprimido; o coração está alegre. Essas expressões traduzem para nós
uma realidade fisiológica e psíquica ". Cf. Bainvel, La Dévotion no Sacré-Coeur de Jésus, p. 183.
Seguindo a fisiologia de seus dias, São João Eudes considerava o coração como a sede das
paixões e o órgão do amor. Essa era a opinião prevalecente no século XVIII. Mesmo nos últimos anos, essa
teoria encontrou adeptos. O falecido cardeal Billot, um destacado teólogo, corajosamente fez a seguinte
declaração em seu tratado, De Verbo Incarnato (Roma, 1904), 4a edição, P. 348:
Cor non solum symbolum amoris est, sed etiam organum; imo symbolum quia organum; inquam, amoris
sensitivi et compassivi qui subjectatur in conjuncto. "O coração não é meramente o símbolo do amor (dos
sentidos); é também o seu órgão. Ele está em símbolo, na verdade, apenas porque é o seu órgão." Esta é
também a opinião de Bainvel em La Dévotion au Sacré-Coeur, p. 122, e Vermeersch, Prática e Doutrina da
Dévolução ao Sagrado Coração, p. 392. Deve-se notar, contudo, que a maioria dos fisiologistas modernos
ensina que o coração não pode fazer mais do que experimentar as repercussões dos movimentos, o órgão de
que é o cérebro junto com o sistema nervoso. Cf. Lebrun, Oeuvres Complètes, du Vénérable Jean Eudes
(Vannes. 1907), v. 6, p. xxv.

16- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

e amar, desejar, esperar e buscar aquilo que os beneficiará. Essas duas principais paixões compreendem
outras onze, que são como soldados lutando sob dois capitães, ou como armas e instrumentos usados para
alcançar os dois fins mencionados acima.

O apetite irascível possui cinco paixões, a saber, esperança, desespero, ousadia, medo e raiva.
O apetite concupiscível inclui seis; amor, ódio, desejo, aversão, alegria e tristeza.

A revolta do homem contra os mandamentos de Deus fez com que todas essas paixões se
revoltassem contra si mesmas e caíssem em tamanha desordem que, em vez de ficarem completamente
sujeitas à vontade, que é a rainha de todas as faculdades da alma, muitas vezes o fazem escravo. Em vez de
serem os guardiões do coração em que residem, preservando-o em paz e tranquilidade, as paixões geralmente
se tornam tantos executores que atormentam o coração e o enchem de conflitos e guerras.

Tal não foi o caso com as paixões que residem no coração corpóreo da Rainha dos Anjos, pois
elas estavam sempre inteiramente sujeitas à sua razão e à Vontade Divina que dominava soberanamente todas
as partes de sua alma e corpo.

Assim como essas paixões se tornaram divinas no adorável Coração de Nosso Senhor Jesus
Cristo, elas foram santificadas de maneira excelente no sagrado Coração de Sua Santíssima Mãe. O fogo do
amor divino, ardendo dia e noite na fornalha ardente deste coração virginal, tão purificado, consumido e
transformou suas paixões em sua própria substância, que, como este fogo celestial não tinha outro objeto,
exceto Deus, para quem constantemente tendido com incomparável ardor e impetuosidade, assim essas
paixões. estavam sempre voltados para Deus e exercitados em Seu serviço. Eles eram movidos e conduzidos
exclusivamente pelo amor de Deus, que os possuía, animava e inflamava de maneira tão maravilhosa que se
tornaram um sacrifício perpétuo e admirável em honra da Santíssima Trindade.

Podemos considerar o corpo mais puro de Maria como um templo sagrado, na verdade como o
templo mais augusto que já existiu ou será, ao lado do templo da humanidade sagrada de Jesus Cristo, seu
divino Filho. Nós vemos seu coração virginal como o altar sagrado deste templo. Nós contemplamos o Amor
Divino como o sumo sacerdote oferecendo a Deus sacrifícios ininterruptos neste templo e neste altar.
Contemplamos a Vontade Divina trazendo muitas vítimas para serem sacrificadas neste altar do coração de
Maria. Entre as vítimas, distinguimos as onze paixões naturais abatidas pela espada flamejante que o sumo
sacerdote segura na mão, isto é, pela eficácia do Amor Divino. Eles são consumidos e transformados no fogo
celestial que arde no altar de seu coração; eles são imolados para a Santíssima Trindade em sacrifício de
louvor, de glória e de amor.

OBJETO DA DEVOÇÃO 17-


Assim fez o grande sumo sacerdote, Amor Divino, sacrifício no altar sagrado do coração de
Maria, todas as suas paixões, inclinações e sentimentos de amor, ódio, desejo, aversão, alegria, tristeza,
esperança, desconfiança,

ousadia , medo e raiva.

E este sacrifício começou no primeiro instante em que o Sagrado Coração de Maria começou a
bater em seu seio virginal, isto é, o primeiro instante da vida desta imaculada Virgem. Continuou
ininterruptamente até o último suspiro, ganhando em santidade e no amor a cada momento que passava.

0 grande e verdadeiramente admirável sacrifício, tão maravilhosamente agradável ao Deus dos


corações! 0 bendito Coração da Mãe do Belo Amor, altar consagrado em que foi oferecido um sacrifício tão
divino! Bendito és tu, 0 Coração Santíssimo, por ter amado e desejado nada mais do que somente aquele que
é amável e desejável! Bendito és tu por ter estabelecido tua alegria e teu contentamento em amar e honrar
Aquele que sozinho é capaz de satisfazer o coração do homem, e por não ter conhecido nenhuma outra dor
que a causada pelas ofensas cometidas contra Sua Divina Majestade!

Ó Coração Abençoado, não odiaste nada, fugiu do nada, não temeu nada, exceto o que poderia
ferir os interesses do teu Filho Amado, e nunca conheceu a ira senão para o que era contrário à Sua glória!

Ó Coração Abençoado, tão completamente fechado às vaidades da terra e do interesse próprio


que nenhum vestígio deles jamais encontrou em ti! Tua confiança em Deus foi igualada por tua firme confiança
na generosidade divina, e, disparada com santa generosidade, nunca foste cedinho diante dos obstáculos
levantados pelo inferno e pelo mundo para impedi-lo de avançar no caminho do amor sagrado, mas tu o fizeste.
sempre superá-los com constância e força invencíveis.

Estas são algumas das maravilhosas prerrogativas do admirável Coração que bate no seio
virginal da Mãe de Deus. Não é verdade que, mesmo se considerarmos apenas o Coração material e corpóreo
da Rainha do Céu, ainda seria digno da maior honra e veneração?

Bem-aventurados de fato nós, os corações dos verdadeiros filhos de Maria, que se esforçam
por viver em conformidade com o mais sagrado Coração de sua Mãe, o mais admirável!

Pense, pense na honra que é devida ao seu Coração, a parte mais nobre do corpo virginal que
deu carne humana à Palavra Eterna, para sempre o centro de adoração dos anjos e santos no céu! Que honra
é devida ao seu coração, princípio da vida da Mãe de Deus e do Deus criado!

Acima de tudo, o grande veneração é merecido pelo coração que Deus

18- O CORAÇÃO admirável de

MARY-seamado e glorificado mais altamente, o coração que adorado e amado a Deus mais perfeitamente do
que todos os corações no céu e sobre a terra! Que todo coração te louve e te engrandeça para todo o
sempre.

19-
CAPÍTULO 1V

o coração espiritual de Maria,


a Espírito Santo costuma descrever muitas coisas com poucas palavras. Desejando louvar as principais
faculdades do corpo e alma de Sua Esposa, a Bem-Aventurada Virgem Maria, e exaltar os méritos de seu
Coração, Ele usa muito poucas palavras, que, não obstante, contêm muitos significados. O que ele diz? Como
Ele louva Maria, o soberano dos corações? Ele profere apenas três palavras: Quod intrinsecus latet. (1) Mas
essas três palavras abrangem todas as grandes e admiráveis expressões que podem ser ditas ou pensadas
em seu coração real; eles nos revelam que é um tesouro escondido dos olhos mais iluminados do céu e da
terra, um tesouro tão cheio de riquezas celestiais que somente Deus pode ter um perfeito conhecimento de
suas maravilhas.

Observe que o Espírito Santo pronuncia essas palavras não apenas uma vez, mas duas vezes
no mesmo capítulo. Ele faz isso para impressioná-los mais fortemente em nossas mentes e obrigar-nos a
considerá-los com maior atenção, bem como a manifestar-nos tanto o coração corpóreo da Rainha do Céu,
que foi o assunto do capítulo anterior, e seu coração espiritual, do qual falarei agora.

Qual é o coração espiritual? Para entendê-lo, devemos lembrar que, embora a alma seja
essencialmente uma só, ela pode ser considerada como tendo uma vida tríplice.

A primeira e mais baixa vida é a da alma vegetativa, que é similar em natureza à das plantas, pois
a alma nesse estado não tem outra função senão nutrir e sustentar o corpo. A segunda é a vida sensível, que
temos em comum com os animais. A terceira é a vida intelectual, como a dos anjos, compreendendo a memória
intelectual, o intelecto próprio e a vontade, juntamente com a parte mais alta da mente, que os teólogos chamam
de ponto, o ápice ou a eminência do espírito. Este último poder é conduzido não pela luz do raciocínio
complexo, mas por uma clara intuição do intelecto e um simples movimento da vontade pelo qual a alma se
submete à verdade e à vontade de Deus. (1). Não posso 4, 1 e 3 "o que está escondido dentro".

20- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

É esta terceira vida chamada espírito, a parte mental, superior da alma, que nos torna como os
anjos e carrega consigo em seu estado natural a imagem de Deus e no estado de graça, um participação da
natureza divina.

Esta parte intelectual é o coração e a parte mais nobre da alma, pois, primeiro, é o princípio da
vida natural da alma racional, que consiste no conhecimento que pode obter da verdade suprema com a ajuda
da luz natural da alma. sua inteligência e seu amor natural pela bondade soberana. Animado pelo espírito de
fé e graça, torna-se o princípio da vida sobrenatural da alma, que conhece a Deus pela luz celestial e o ama
com amor sobrenatural: "Esta é a vida eterna: para que te conheçam, o único Deus verdadeiro " (2)

Em segundo lugar, esta parte intelectual é o coração da alma, porque nela está centrada a
vontade, a faculdade e capacidade de amar, mas de uma maneira muito mais espiritual e nobre e exaltada e
com um amor incomparavelmente mais excelente, mais viva, mais ativa, mais sólida e durável que o amor que
procede do coração sensível e corpóreo.
A vontade, iluminada pela luta do intelecto e a tocha da fé, é o princípio desse amor. Quando é
conduzida apenas pela luz da razão humana e age apenas em virtude de suas capacidades naturais,

a vontade produz apenas um amor humano e natural incapaz de unir a alma a Deus. Mas quando segue a
tocha da fé, e é movido pelos impulsos do espírito da graça, torna-se a fonte de um amor sobrenatural e divino,
que torna a alma digna de Deus.

Em terceiro lugar, a teologia sagrada nos ensina que, embora a graça, a fé, a esperança e a
caridade espalhem sua influência celestial e movimentos divinos para as outras faculdades da parte inferior da
alma, elas residem e têm sua verdadeira morada natural na parte superior. Portanto, segue-se que essa mesma
parte é o verdadeiro coração da alma cristã, porque a caridade divina não pode ter outra morada além do
coração que a possui, segundo as palavras de São Paulo: "A caridade de Deus é derramada em nossa vida".
corações. " (3)

Em quarto lugar, São Paulo proclama a todos os cristãos: "Porque vocês são filhos, Deus
enviou o Espírito do seu Filho ao seu coração" (4) e asseguraram-lhes que ele se ajoelha ao Pai de Nosso
Senhor Jesus. Cristo para obter o privilégio de que Seu Divino Filho habite em seus corações (5) Agora, o
que é este coração, senão a parte superior de nossa alma, desde o Deus da graça (2). João 17, 3. (3). ROM.
5, (4). Gal. 4, 6. (5). Ephes 3, 14-17.

OBJETO DA DEVOÇÃO 21-

e o amor não pode habitar em uma alma cristã em outra parte do que na parte onde a graça e a caridade
residem?

Tudo isso demonstra claramente que o verdadeiro e próprio coração da alma racional é a parte
intelectual, chamada espírito, a parte mental superior.

Sendo assim, o coração espiritual da Santíssima Virgem Maria é o elemento intelectual de sua
alma, compreendendo sua memória, inteligência, vontade e o ponto supremo de seu espírito. Este é o coração
que se expressa nas primeiras palavras de seu admirável Cântico, o Magnificat: "A minha alma engrandece o
Senhor; e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador". (6) É o espírito, o primeiro e o primeiro da alma.
parte mais nobre, que deve, de uma maneira muito especial, glorificar a Deus e se alegrar com Ele.

Deste maravilhoso coração eu tenho grandes coisas a dizer. Mas, para usar a linguagem de São
Paulo, mesmo todas as línguas humanas e angélicas juntas pro, substantivo tudo o que poderia ser dito ainda
estaria longe de suas perfeições. "De quem temos muito a dizer, e difícil de ser inteligivelmente proferido." (7)

Se o coração virginal batendo no seio consagrado da Virgem das virgens, o Órgão excelente de
seu corpo santo, é tão admirável, como já vimos, quais devem ser as maravilhas de seu coração espiritual, a
porção mais nobre de sua alma? Não é verdade que, como a condição da alma supera a de o corpo, o coração
espiritual também excede o corpóreo? Consideramos as raras prerrogativas de seu coração de carne, e agora
nos esforçaremos para expressar os presentes incomparáveis e tesouros inestimáveis com os quais seu
coração espiritual está cheio.

Colocarei diante de você apenas um pequeno resumo para encorajá-lo a abençoar a fonte de
tantas maravilhas, a louvar àquele que se fez digno de tantas graças e a honrar seu coração santíssimo, que
tão fielmente preservou suas graças e privilégios e usava-os tão perfeitamente.

Primeiro de tudo, a Divina Recompensa milagrosamente preservou o coração da Mãe de Nosso


Salvador da mancha do pecado, que nunca a tocou porque Deus a preencheu com graça desde o momento
de sua criação, e a vestiu com pureza tão radiante que, ao lado de Deus é impossível conceber

uma pureza maior. Sua Divina Majestade possuiu seu coração tão completamente, desde o seu primeiro
instante, que nunca deixou de pertencer inteiramente a Ele e amá-lo mais ardentemente do que todos os
corações mais santos do céu e da terra unidos. Essa é a opinião de muitos grandes teólogos.

Em segundo lugar, o Pai da Luz encheu este lindo Sol (6). Lucas 1,
46-47. (7). Hebr. 5, 11.
22- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

com as mais brilhantes luzes da natureza e da graça. Se considerarmos a iluminação natural brilhando dentro
de Maria, vemos que Deus deu à Esposa escolhida do Espírito Santo um intelecto natural mais claro, vivo,
profundo, mais vasto e mais perfeito do que qualquer outro intelecto, um intelecto digno do Mãe de Deus, digna
da mulher destinada a guiar e governar a Divina Sabedoria, digna da Senhora da Igreja e Rainha Regente do
universo, digna daquela que deveria conversar: familiarmente na terra com os anjos do céu, e o que é mais,
com o Rei dos Anjos, por trinta e quatro anos, um intelecto digno das elevadas funções e sublime contemplação
a que foi consagrada.

Quanto à luz sobrenatural, o coração luminoso de Maria, Sede da Sabedoria, estava tão cheio de
sua radiância que o erudito Alberto Magno, nutrido na escola da Mãe de Deus, ensina claramente, junto com
muitos outros doutores santos, que não era nada que Nossa Senhora não soubesse. (8) Eles afirmam que ela
possuía conhecimento infundido de toda ciência, e em um grau muito mais eminente do que as mentes mais
eruditas que já existiram (9)

Ile vasto conhecimento da Santíssima Virgem Maria para um uso santíssimo, empregado apenas
para instá-la a amar a Deus com maior ardor, a obter a salvação das Almas com maior fervor, a odiar o pecado
com mais vigor, a humilhar-se mais profundamente, a desprezar ainda mais tudo aquilo que o mundo estima e
premiar e abraçar com maior afecto as coisas que detesta, nomeadamente a pobreza, as abjezões e o
sofrimento.

Além disso, Nossa Senhora nunca experimentou um prazer indevido nas luzes que Deus
concedeu a ela, nunca se apegou a esses favores, nunca se deu preferência a outros seres por causa deles,
mas sempre os devolveu a Deus tão puros quanto eles surgiram de sua fonte.

Tal era o conhecimento do Admirável Coração de Maria. O que diremos agora do duplo amor
que inflamava seu coração, seu amor a Deus e incomparável caridade para com os homens?

Foi pela força do amor e da humildade que Maria atraiu o bem-amado Filho de Deus, o Coração
do Pai Eterno, para ser o Coração de seu coração.

O amor do coração mais abençoado de Maria torna-o uma fonte inesgotável de presentes,
favores e bênçãos para todos aqueles que realmente amam sua mãe mais amáveis, e honram com afeição
seu coração mais amável, segundo (8). Trato. super Missus est, cap. 149 - Depois de enumerar os vários
aspectos do conhecimento de Maria, Santo Alberto, o Grande, resume assim:. . . Conclusão ex praedictis
omnibus, quod nullius rei proprie habuit ignorantiam. (9). Aqui São João Eudes descreve em detalhes os
diferentes tipos de conhecimento possuídos pela Santíssima Virgem Maria. Cf. Oeuvres Complètes, v. 6, p.
92 ff.

OBJETO DA DEVOÇÃO 23-

às palavras que o Espírito Santo coloca em seus lábios: "Eu amo aqueles que me
amam". (10)

Finalmente, é este coração que amou e glorificou a Deus acima de todos os corações dos anjos
e dos homens e, portanto, nunca pode ser reverenciado adequadamente.

Que honra é devida a essas grandes e admiráveis maravilhas! Que veneração deve ser mostrada
ao coração de Maria, a parte mais nobre da alma santa da Mãe de Deus! Que louvores devem ser prestados
a todas as faculdades do coração espiritual da Virgem Mãe, ou seja, sua memória, seu intelecto, sua vontade
e a parte mais íntima de seu espírito, que nunca foram exercitadas, exceto por Deus e pela motivação do
Espírito Santo. Fantasma.

Que respeito sua sagrada memória comanda, que só lembrava os indescritíveis favores que ela
recebera da divina munificência, e as graças que Deus constantemente dá a cada criatura, para agradecer-
Lhe incessantemente!

Que veneração é devida ao seu intelecto, sempre empenhado em considerar e meditar nos
mistérios de Deus e nas Suas divinas perfeições, a fim de honrá-los e imitá-los! Que veneração é também
devida a sua vontade, perpetuamente absorvida pelo amor de Deus!

Que honra a suprema parte de seu espírito comanda, que foi dia e noite absorta em contemplar
e glorificar Sua majestade divina com toda a excelência!

Há algum louvor que não seja merecido pelo coração maravilhoso da Mãe do Salvador, um
coração que nunca englobou nada que pudesse, no mínimo, desagradá-lo, um coração tão cheio de luz e
graça, um coração que possua a perfeição de todas as virtudes? os dons, todos os frutos do Espírito Santo,
com todas as bem-aventuranças evangélicas?

Você vai admitir, querido leitor, que se o céu e a terra exaltassem eternamente o admirável
coração de Maria com toda a força possível e se o universo inteiro fosse para agradecer a Deus por ter
enchido seu coração com uma riqueza de maravilhas, essa honra e agradecimento nunca poderia ser feito
apropriadamente. (10). Prov. 8, 17

24
CAPÍTULO V

DO CORAÇÃO divina de Maria

Jesus Cristo, o coração do Eterno Pai, é o Coração de Sua Mãe Santíssima. (1) Não é o coração o princípio
da vida? E o que é o Filho de Deus para sua querida mãe? Ele sempre foi e será para sempre o coração de
seu coração, a alma de sua alma, o espírito de seu espírito e o único princípio de todos os movimentos, usos
e funções de sua vida santíssima. São Paulo nos diz isso. não é ele mesmo quem vive senão Jesus Cristo que
vive nele? (2) Nosso Senhor é a vida de todos os cristãos: (3) então quem poderia duvidar que Ele habita em
Sua santa Mãe, e que Ele é a vida de sua vida, o coração de seu coração, em uma união incomparavelmente
mais excelente mesmo do que com São Paulo e os santos fiéis?

Vamos ouvir o que Nossa Senhora revelou a St Brigid: "Meu filho era (1) Entre o Sagrado
Coração de Jesus e do Coração Sagrado de Maria existe uma união tão perfeita que nunca houve eserá."
never A mais perto da união hipostática. "São João Eudes chama Jesus e o Espírito Santo, o Divino Coração
de Maria. Devemos lembrar, no entanto, que não importa quão próxima seja a união entre Jesus e Maria, isso
não destrói a distinção. Jesus Cristo, o Coração Divino de Maria, tão unida aos seus corações corpóreos e
espirituais, é, no entanto, extrínseco à sua pessoa , não podendo, portanto, pertencer ao objeto imediato da
devoção ao Sagrado Coração de Maria, porque a devoção interessa. Mary-se e não pode ter qualquer objeto
que não seja tudo o que pertence adequadamente para sua pessoa. Assim é que o objeto específico da
devoção ao Sagrado coração de Maria deve ser limitada a seus corações corporais eespirituais.
no entanto, deve ser notado que o d a evocação à Santíssima Virgem Maria e aos santos, quando
bem entendida, nunca se limita às suas pessoas; ascende a Deus, que é o autor de sua santidade e quem não
é menos adorável naquilo que Ele produz em Seus santos do que naquilo que Ele é em Si mesmo. Sem essa
consideração, a devoção a Maria e aos santos não seria um ato de religião, pois a religião se relaciona com
Deus e se de vez em quando os atos que ela inspira são dirigidos a criaturas, é por causa de sua união especial
com a Divindade. "A devoção que temos para os santos", diz São Tomás, "nunca termina com eles; passa para
Deus, pois é o próprio Deus que honramos nos santos". Soma. O ol. 2a 2ae, cl. 82, um. 2, ad 3.
São João Eudes estava convencido e com razão que toda a honra prestada à Santíssima
Virgem Maria e aos Santos na Igreja Católica implica em homenagem à pessoa de Jesus Cristo, que é o
objetivo final, juntamente com o Pai. e o Espírito Santo. Cf. Lebrun, La Dévotion no Coeur de Marie (Paris,
1917); P. 312 e segs. (2). Gal. 2, 20. (3). Col. 3, 4.

OBJETO DA DEVOÇÃO 25-

verdadeiramente meu coração para mim. Quando Ele deixou meu peito para nascer, parecia que metade
do meu Coração estava saindo de mim. Quando Ele sofreu, senti a Sua dor como se meu Coração suportasse
os mesmos sofrimentos e tormentos que Ele suportou. Quando meu filho estava sendo flagelado e dilacerado
por chicotes, meu coração foi açoitado e chicoteado com ele. Quando Ele olhou para mim da Cruz e eu para
Ele, duas correntes de lágrimas jorraram dos meus olhos; e quando Ele me viu oprimido com tristeza, Ele
experimentou uma angústia tão violenta em minha desolação que a dor causada por Sua tristeza foi a minha
tristeza como Seu Coração era meu Coração. Porque Adão e Eva juntos traíram o mundo por um único e
proibido fruto, assim meu amado Filho desejou que eu cooperasse com Ele em redimi-lo com um só Coração,
quase sem Corde. (4)

Você vê, portanto, como o Filho de Deus é o Coração e a vida da Sua santa Mãe, na mais

perfeita união concebível. O Espírito Santo, falando por São Paulo, proclama que nosso adorável Salvador
deve viver em todos os Seus servos para que Sua vida seja manifestada em seus corpos. "Que a vida também
de Jesus pode se manifestar em nossa carne mortal." (5) Quem poderia conseqüentemente entender com que
abundância e perfeição Nosso Senhor comunica Sua vida divina a ela de quem Ele recebeu uma vida
divinamente humana e humanamente divina porque ela concebeu e gerou o Deus-Homem?

Jesus vive em sua alma e em seu corpo e em cada faculdade de seu corpo e alma. Ele vive nela
inteiramente, o que significa que tudo o que está em Jesus também está em Maria, o Seu Coração habita em
seu coração, Sua alma em sua alma, Seu espírito em seu espírito. 'A memória, intelecto e vontade de Jesus
estão vivos na memória, intelecto e vontade de Maria; seu interior e exterior sentem em seus sentidos interiores
e exteriores. Suas paixões em suas paixões; Suas virtudes, mistérios e atributos divinos estão vivendo em seu
coração. Mais do que viver, eles mantêm um domínio soberano, produzindo efeitos inconcebivelmente
maravilhosos e imprimindo uma imagem viva de si mesmos enquanto seu Coração espelha Seu Sagrado
Coração.

Assim é que Jesus é o princípio da vida em Sua Mãe Santíssima. Assim é que Ele é o Coração
de seu Coração e a vida de sua vida. St. Brigid uma vez a ouviu dizer: "Todas as homenagens prestadas ao
meu Filho são igualmente prestadas a mim, e quem O desonra Ele me desonra. Nós sempre tivemos um amor
mútuo tão perfeito que parecíamos ter, por assim dizer, um Coração para ambos. Quasi cor unum ambo fuimus"
(6)

Este admirável Coração é, que recebe nosso respeito e louvor, que (4).
Revel. Lib. 1, Cap. 35 (5). 2 Cor. 4, 11. (6). Revel. Lib. eu, cap. 8.

26- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA


deve ser considerado um objeto de veneração para todos os cristãos, pois honrar o maravilhoso Coração de
Maria significa honrar incontáveis mistérios santos e divinos, merecedores da eterna veneração de anjos e
homens. Também significa honrar todas as funções da vida corpórea e material da Rainha dos Céus, da qual
o Coração é o princípio, aquela vida superlativamente santa em si mesma e em todo uso que ela fez dela.
Significa honrar as funções perfeitas de sua memória, sua vontade, seu intelecto e a parte mais alta de seu
espírito. Significa honrar inumeráveis grandes e inefáveis mistérios que foram aperfeiçoados na parte superior
de sua alma.

Significa acima de tudo honrar o grande amor e caridade ardente desta Mãe do Belo Amor para
com Deus e os homens, juntamente com os efeitos que esse amor e caridade produziu em seus pensamentos,
palavras, orações, ações, sofrimentos e no exercício de toda virtude.

Esta veneração de Maria significa honrar o Coração corpóreo, o Coração espiritual e o Coração
divino de Jesus, que são também os Corações, ou melhor, o único Coração de Maria. Significa dar glória a
Nosso Senhor, Jesus Cristo, que é o Coração do Pai Eterno, e desejou tornar-se o Coração de Sua Santa Mãe.

Significa honrar e glorificar todos os efeitos da luz, graça e santidade que este divino Coração de
Maria, que é o próprio Jesus Cristo, efetuou, e todos os movimentos da vida celestial dos quais Ele foi o
princípio em sua alma, e também a grande fidelidade com a qual ela cooperou, por sua parte, com tudo o que
Sua graça realizou em seu coração durante tantos anos. Que língua poderia proclamar, que mente poderia
conceber, que coração poderia dignamente honrar tantas grandes e admiráveis maravilhas da graça!

Se a Santa Igreja celebra uma festa anual em honra das correntes de São Pedro, o Príncipe dos
Apóstolos, quão grande solenidade não é o augusto Coração da Rainha dos Apóstolos! Se o santo nome de
Maria é tão venerado por todos os fiéis, se os oráculos do Espírito Santo, os Padres e Doutores da Igreja,
como São Germano, Patriarca de Constantinopla, Santo Anselmo, São Bernardo e muitos outros , disse
coisas maravilhosas sobre o nome de Maria, se uma delas (7) nos assegura que "depois do nome adorável
de Jesus, o nome de Maria está acima de todo nome, então todas as criaturas no céu, na terra e no inferno
devem inclinai-vos para honrá-lo e para que toda língua proclame a santidade, a glória e a virtude deste
santo nome "; se a Igreja celebra seu banquete anualmente em muitos lugares, o que devemos dizer, o que
devemos pensar do maravilhoso Coração de nossa santa Mãe, esse Coração muito mais precioso do que o
nome dela? O que devemos fazer para honrá-lo? De fato, todo coração, toda pena e toda língua devem ser
empregadas no amor, na escrita e em (7). Raym Jordânia. Desprezo. B. Virg., Parte 4, Contempl. 1.

OBJETO DA DEVOÇÃO 27-

falando do incomparável Coração de Maria. Todo o universo deve, portanto, celebrar a Festa do Imaculado
Coração de Maria.

Todos vocês sabem que em várias grandes igrejas em todo o mundo cristão há veneração
constante, com festas especiais, preciosas relíquias da Santíssima Mãe de Deus, por exemplo seu véu. Se a
Santa Igreja proclamou festas na veneração dos menores e menores objetos tradicionalmente pertencentes a
Nossa Senhora, quanto mais não deveríamos celebrar os louvores de seu mais exaltado e sublime e honroso
coração?

Para concluir o primeiro trecho do meu tratado, gostaria que você percebesse, querido Leitor, que
Nosso Senhor Jesus Cristo, que é o Coração do Pai Eterno, quis tornar-se o Coração ou princípio de vida de
Sua Santíssima Mãe, e Ele da mesma forma deseja tornar-se o coração da sua própria vida.

Tendo concedido a você a graça de se tornar um dos membros do Seu corpo místico, Ele busca
compartilhar sua vida para que você possa estar com São Paulo: "Cristo vive em mim!" 8) Tal é o plano infinito
de Deus, tal desejo ardente. Nosso Senhor busca estabelecer Sua vida, não apenas em sua alma, mas em
seu corpo, para que Seu espírito possa se tornar seu espírito e Seu coração, seu coração, unido em todo seu
amor, pensamentos e ações, por auto-entrega. render, mesmo como o Seu Coração foi completamente e
perfeitamente o coração da Sua Mãe Admirável.

Se a vontade de Deus é tornar-se sua vontade, e se as faculdades espirituais e corporais da


humanidade sagrada de Nosso Senhor são para animar as faculdades de sua alma e corpo, o que você deve
fazer? Você deve cooperar.

Primeiro, você deve buscar a morte de toda atividade de sua alma e corpo que esteja
desagradando a Deus, levando em seu corpo a mortificação de Cristo. (9) Então, mortificando suas faculdades,
seus poderes e exercícios devem ser voltados para a virtude.

Acima de tudo, ofereça-se freqüentemente ao Filho de Deus. Peça-Lhe que se digne a exercer o
poder onipotente de Seu braço para destruir dentro de você tudo o que é contrário à Sua Santa Vontade, e
estabelecer sobre você o reino de Sua Alma divina e Seu Corpo Crucificado.

Especialmente útil é a mais devota oração de Santo Agostinho, o Anima Christi, Sanctifica Me.
"Alma de Cristo, santifica-me." (10) Ajudá-lo-á a atingir o seu propósito em todos os momentos, mas
particularmente depois de ter recebido

(8). Gal. 2, 20. (9). 2 Cor. 4, em. (10). São João Eudes atribui esta oração a Santo Agostinho, mas não dá
razões para fazê-lo. Embora Santo Inácio o coloque no início dos Exercícios Espirituais, ele não é visto como
o autor da oração. O Anima Christi foi indulgenciado pela primeira vez em 1330 pelo Papa João XXII, que se
acredita ter escrito. Cf. Dreves, Laacher stimmen, 1898. A esta bem conhecida oração, São João Eudes
acrescenta a invocação: Cor Jesu, purifica-me, acende-me. "Coração de Jesus, purifica-me, ilumina-me,
inflama-me."

28- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

concebeu Nosso Salvador em seu coração, seja durante o Santo Sacrifício da Missa ou na Santa Ceia. Quando
você estiver falando ao Divino Coração de Jesus, se você perceber Sua verdadeira e verdadeira presença
dentro de você, você pronunciare esta oração com maior fervor e receba maior bênção para sua recitação.

Mas eu ainda volto para ti, 0 Mãe Mais Admirável, para exclamar que em ti, são realizadas todas
as coisas mais perfeitamente, mais gloriosamente, em união com teu Divino Filho. Quer seja corpóreo,
espiritual ou divino, o Seu Coração é teu, Ele é a vida da tua vida e o coração do teu Coração. Que Ele seja
abençoado, louvado e glorificado para sempre por todas as criaturas, por causa das graças concedidas a ti,
Maria e toda a grandeza de Sua humanidade e Sua divindade!

29-
SEGUNDA
PARTE

Primeira Fundação da Devoção: O Coração de


Deus Pai

Six Symholic Pictures


31-
Part Two

primeira fundação da devoção: o coração de


Deus Pai

Six simbólica Pictures

CAPÍTULO I

Deus Pai, DELINEATOR DO CORAÇÃO


admirável de MARIA

A exposição que fiz na Parte Um deve ser suficiente para mostrar que, ao lado da sagrada humanidade
de Cristo, existe no universo nenhuma criatura mais merecedora de honra e veneração do que o admirável
Coração de Sua Mãe mais pura, e que esta a devoção é especialmente agradável à Divina Majestade de Deus
e mais benéfica para todos os cristãos.

Mas para fomentar e fortalecer esta devoção cada vez mais profundamente nos corações dos
fiéis onde já existe, e para difundi-la e estabelecê-la entre aqueles que até agora não têm lugar para ela, desejo
mostrar plenamente que a devoção ao O Coração de Nossa Senhora, em vez de ser sem base e razão, é um
culto estabelecido em fundações tão firmes, com raízes tão fortes, que todos os poderes da terra e do inferno
não podem abalar ou enfraquecer.

O primeiro fundamento e a fonte primária da devoção ao mais sagrado Coração de Maria é o


adorável Coração do Pai Eterno e Seu insondável amor pela Santíssima Mãe de Seu Filho Unigênito. Esse
amor infinito induziu nosso Pai Celestial a nos dar muitas belas imagens e figuras do mais digno Coração de
Sua santa Mãe.

Deus Pai, a quem atribuímos pela apropriação da criação do mundo, juntamente com o
estabelecimento e cumprimento do Antigo

32- O CORAÇÃO admirável deMaria,

Lei era o prazer de prefigurar, em todas as partes do universo e em todos os mistérios sacrifícios e
cerimônias do Antigo Testamento, Seu único Filho através de quem Ele criou e quis renovar todas as coisas.
Da mesma forma, o Pai Eterno prefigurou com amor, tanto no mundo visível como nos ritos da Lei mosaica,
Maria, a mulher escolhida desde toda a eternidade para ser a Mãe do Redentor adorável. "Foi ela quem os
Profetas profetizaram muito antes de seu nascimento", diz São Jerônimo. "Foi ela quem os Patriarcas
descreveram em muitas figuras; foi ela quem foi anunciada pelos evangelistas." (1) "Rumo a ela convergem
todas as predições dos profetas, todos os mistérios das Escrituras", diz São Ildefonso. (2) Em outro lugar ele
escreve: "O Espírito Santo a predisse através dos Profetas, anunciando-a pelos oráculos divinos,
manifestando-a em figuras, prometendo-a por meio das coisas que lhe precederam e cumprindo nela as coisas
que a seguiram. " (3)

São João Damasceno (4) diz que o paraíso terrestre, a arca de Noé, a sarça ardente, as Tabelas
da Lei, a Arca da Aliança, o vaso de ouro contendo o maná, os castiçais de ouro no Tabernáculo, o mesa com
os pães de proposição, a vara de Arão, a fornalha da Babilônia, eram todas figuras da incomparável Virgem
Maria.
O Pai Eterno não se contentou em prefigurar a pessoa de Seu Filho Jesus em Seus protótipos,
Abel, Noe, Melquisedeque, Isaque, Jacó, Moisés, Aarão, Josué, Sansão, trabalho, Davi e muitas outras
pessoas santas que viviam sob o Antigo Testamento. Lei, que precedeu a aparição de Seu Filho na terra. Deus
também desejou nos dar várias belas representações de Seus mistérios em detalhes, tais como Sua divina
defesa da natureza humana na Encarnação, Sua Paixão, Morte, Ressurreição e Ascensão.

Da mesma forma, Deus Pai não estava satisfeito em prefigurar e representar a pessoa da Mãe
de Seu Filho Amado, meramente na pessoa de Maria, irmã de Moisés, na Profetisa Debbora, sábia Abigail,
casta e generosa Judith, bela e compassiva. Ester e muitas outras mulheres valentes. Além disso, o Pai
Eterno planejou confiar-nos quadros especiais e imagens dos mistérios e qualidades de Sua incomparável
Mãe, suas virtudes e até as mais nobres faculdades de seu corpo virginal. Várias passagens da Sagrada
Escritura revelam essas pictunas, especialmente o vigésimo quarto capítulo de Ecclesiasticus, e o Cântico
dos Cânticos, onde sua Imaculada Conceição é representada por (1). Serm de Assumpt. (2). Serm I. (3) Lib.
de Virginitate Mariae. (4). Oral. Eu de Domit. M = Mariae

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 33-

o lírio que cresce entre os espinhos sem ser ferido por eles: "Como o lírio entre os espinhos", (5) a sua
Natividade, pela aurora que sobe, (6) a sua Assunção, pela Arca da Aliança que São João viu no Céu; (7) a
eminência sublime de sua dignidade, seu poder e sua santidade, pela altura do cedro do Líbano; (8) sua
caridade, pela rosa; (9) sua humildade, (10) sua misericórdia, pela azeitona, (11) sua virgindade, pelo portão
fechado do Templo que Deus mostrou a Ezequiel, o Profeta. (12)

Mas acima de tudo, Nosso Pai Celestial quis colocar antes nossos olhos uma riqueza de belas
figuras e maravilhosas representações do mais sagrado Coração de Maria. Ele fez isso para nos mostrar o
quanto Ele valoriza e preza este Coração amável e porque as raras e maravilhosas perfeições que o preenchem
são quase inumeráveis e podem ser representadas e descritas somente através de um grande número de
figuras e figuras simbólicas.

Entre as muitas imagens e representações do Admirável Coração de Maria, posso distinguir doze
de beleza suprema. Seis deles são encontrados nas principais divisões do universo; ou seja, os céus, o sol, o
centro da terra, a fonte inesgotável de Gênesis, o mar e o Jardim do Éden. Os outros seis aparecem em seis
das mais importantes manifestações testemunhadas pelo mundo desde a época de Moisés até a morte de
Nosso Senhor. Eles são a sarça ardente do Monte Horebe, a misteriosa harpa de Davi, o magnífico trono de
Salomão, o maravilhoso Templo de Jerusalém, o forno milagroso da Babilônia e o Santo Monte do Calvário.

Nesta parte, consideraremos uma a uma as primeiras seis manifestações do augusto Coração da
Rainha do Céu. Nós nos alongaremos sobre eles para que possamos ser inspirados a abençoar e louvar a
mão do Artista Divino que os atraiu, para reverenciar e admirar as raras perfeições do protótipo cuja reflexão
inadequada eles são, e para evocar uma maior estima. pela devoção ao

sagrado Coração de Maria. É uma devoção bem fundamentada, testando em uma base sólida, porque
a sua primeira origem e firme fundação é o Coração Adorável do Pai Eterno, que desenhou estas figuras
simbólicas para nós. (5). Não posso 2, 2. (6). Ibid., 6, 9. (7). Apoc. 11, 19, (8). Ecclus 24, 17. (9) Ibid. 39, 17.
(10). eu. (11). Ecclus 19. (12). Ezech. 44, 2.

34-
CAPÍTULO 11

O CORAÇÃO DE MARIA, OS CÉUS


A primeira imagem simbólica do Admirável Coração de Maria que o Pai Eterno nos deu é o céu. O coração
puro de Maria é verdadeiramente um céu do qual o céu sobre nossas cabeças é uma mera sombra e imagem.
É um céu exaltado acima de todos os outros, do qual o Espírito Santo fala quando Ele diz que o Salvador do
Mundo saiu de um céu superando todos os outros em excelência, quando Ele veio à terra para redimir a
humanidade: A summo caelo egressio ejus.(1) Como Nossa admirável Mãe havia formado seu Divino Filho em
seu Coração antes de concebê-Lo em seu ventre, (2) podemos verdadeiramente dizer que, tendo permanecido
escondida em seu Coração por um pequeno tempo, como Ele esteve no Coração de Seu Pai celestial de toda
a eternidade, Nosso Abençoado Salvador emergiu dele para se manifestar aos homens. Mas, assim como Ele
saiu do céu e do seio de Seu Pai, sem contudo renunciar a eles: Excesso, não recesso; (3) da mesma forma,
o Coração de Sua Mãe é um céu de onde Ele veio de tal maneira que Ele permaneceu e permanecerá para
sempre nela: "Para sempre, Senhor, a tua palavra permanece firme no céu." (4)

Os céus são chamados de obra especial das mãos de Deus: "Os céus são as obras das tuas
mãos" (5), mas o Coração da Mãe de Deus é a inigualável obra-prima de Sua onipotência, Sua sabedoria
insondável e Seu infinito bondade.

Deus fez o céu para ser a morada particular de Sua Divina Majestade: (1). Sl.18, 7. (2). São
João Eudes repete muitas vezes que Maria concebeu seu Filho Divino em seu Coração através da fé e do
amor antes de concebê-Lo em seu ventre. Neste contexto, ele gosta de citar as palavras de Santo Agostinho
(Lib. De S. Virginitate, c. 3): "A relação materna de Maria não teria aproveitado nada, se ela não tivesse
suportado Cristo em seu coração mais feliz do que em seu corpo "; e também o ditado de São Leão, o
Grande: "Ela concebeu (Cristo) em sua alma antes de concebê-lo em seu corpo". (I de SermãoNalivitate
Domini). (3). Tertul. (4). Ps. 118, 89. (5). PS. 10 1, 26.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 35-

"O Senhor preparou o seu trono no céu." (6) É verdade que Ele preenche o céu e a terra com Sua divindade:
"Eu encho o céu e a terra", (7) mas o céu em um grau muito maior que a terra, pois Ele estabeleceu ali a
plenitude de Sua grandeza, poder e a magnificência divina: "Tua magnificência é elevada acima dos céus". (8)
De maneira semelhante, podemos verdadeiramente dizer do Coração da Abençoada Mãe de Deus que é um
verdadeiro Céu da Divindade, dos atributos divinos e da Santíssima Trindade

O Admirável Coração de Maria é um céu empírico, isto é, um Céu todo fogo e chamas, sempre
ardendo com o fogo e as chamas do amor celestial, mais santo e ardente que o amor dos Serafins e do maiores
santos que moram no céu celestial

, o Coração puro de Maria é o Céu dos Céus, criado somente para Deus, porque é a inestimável
herança e rica porção do Senhor, que sempre a possuiu mais completamente: "Ile heaven of heaven é o Do
Senhor. "(9) Sim, o mais sagrado Coração da Rainha dos Anjos é o O Céu dos Céus por três razões
significativas.

Primeiro de tudo, Jesus Cristo é verdadeiramente o Céu da Santíssima Trindade. O Espírito Santo
nos assegura que a plenitude da Divindade permanece Nele: "Pois nele habita toda a plenitude da Deidade"
(10) e esse mesmo Jesus estabeleceu para sempre Sua habitação no Coração Abençoado de Sua Mãe mais
digna. Isso não deve nos surpreender, pois a Sagrada Escritura revela que mesmo nesta vida presente, Ele
mantém a Sua morada nos corações de todos os que nEle crêem com uma fé firme e perfeita. Portanto,
podemos concluir que, como nosso Salvador mais amável é Ele mesmo um Céu, não possuindo morada mais
gloriosa e agradável, ao lado do adorável seio de Seu Pai Eterno, do que o Coração de Sua santa Mãe, que é
em si um Céu. verdadeiramente o Céu habitando dentro de um céu. Deste modo, pode-se dizer que o Coração
da Mãe de Jesus é o Céu do Céu.
Em segundo lugar, o Imaculado Coração de Maria é o Céu do Céu, porque a Virgem imaculada
é realmente um céu considerado em sua própria pessoa. Esta é a qualidade atribuída a ela pelo Espírito
Santo, de acordo com um escritor erudito e santo: "Do céu o Senhor olhou para a terra." (11) Como este
comentarista explica, "o Senhor, habitando na Santíssima Virgem Maria, como em um céu, transformou os
olhos de Sua misericórdia para com o (6). PS. 102, 19. (7). Jer. 23, 24 (8),Sal. 8, 2. (9), ps.113, 16. (10),
Col.2, 9. (11), Sl 101, 20.

36- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

terra, isto é, para com os pecadores ". (12) Então, o mesmo autor continua dizendo que esta maravilhosa
Virgem é um céu porque, como todas as coisas vivas na natureza recebem sua vida da influência do céu, assim
a Santa Igreja nos ensina que a vida da graça é nos foi dado através da Santíssima Virgem Maria: Vitam datum
per Virginem."(13) Eu Agora se esta incomparável Virgem é um Céu, nosso próprio céu neste mundo de graça,
porque junto a Deus a fonte de nossa vida espiritual, podemos bem dizer que seu Coração é o Céu do Céu,
tendo sido o Princípio de sua vida corporal e espiritual na terra e da vida eterna que ela desfruta agora no Céu.

Terceiro, o Admirável Coração de Maria é o Céu do Céu, porque, como diz São Bernardo, contém
toda a Igreja, que é chamado na Sagrada Escritura, o Reino dos Céus, e porque todos os filhos da Igreja
recebem através de Maria a vida da graça. (14) Se São Paulo assegurou aos cristãos de sua época que eles
estavam em seu coração, (15) ousar contradizer São Bernardo de Siena, (16) que nos diz que a Santíssima
Virgem Maria, como uma boa mãe, carrega todos os seus filhos no Coração? Quem me contradiz se eu
acrescentar que Nossa Senhora carregará para sempre toda a habitantes do céu em seu íntimo Coração, que
se torna o Céu do Céu, e um verdadeiro Paraíso dos Eleitos, em que eles encontram a plenitude de prazer e
alegria, devido ao inconcebível amor por cada alma que consome seu coração materno? Assim os abençoados
cantarão para sempre: Sicut laetantium omnium nostrum habitatio in corde tuo, sancta Dei Genetrix. Ó santa
Mãe de Deus, tua ilimitada caridade estendeu tão vastamente teu coração materno que se tornou como uma
grande cidade, ou melhor, um imenso céu, cheio de inefáveis consolos e indescritíveis alegrias para teus
amados filhos, cuja feliz morada será para toda a eternidade.

O Coração da nossa Santa Mãe é, portanto, verdadeiramente um céu, um empírico céu, o Céu
do Céu. 0 céu, mais exaltado,mais extensivee mais vasto do que o de todos os céus! 0 Céu, encerrando Aquele
que o céu dos céus não pode conter! 0 Céu, cheio de mais louvor, glória e amor a Deus do que o Céu onde
aeterna felicidadereside! 0 Céu, onde o Rei do Céu reina mais completamente do que em todos os outros céus!
0 Céu, onde a Santíssima Trindade habita

mais dignamente e realiza maravilhas muito maiores do que no empyrean (12)


.Ignotus in Ps. 101. (13). Ignotus em Ps. 109. (14) Serm. 3 Super Salve. (15). 2
Cor. 7, 3. (16). Serm 6, art. 22, Cap. 2.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 37-

céu! 0 Céu, no qual a misericórdia divina estabeleceu o seu trono e depositou os seus tesouros, onde ouve o
clamor dos desafortunados e ajuda-os em todas as suas necessidades! "Ó Senhor, a tua misericórdia está no
céu." (17)

Vamos nos aproximar deste trono da graça e com grande confiança apresentar nossos pedidos
à Mãe da graça e da misericórdia. Através da intercessão de seu Coração, mais exaltado, porém mais terno,
obteremos as graças de que necessitamos para nos tornar agradáveis à vista da majestade celestial de Deus.

Alegra-te, ó leitores, alegrai-vos, cuja grande felicidade deve ser contada entre os verdadeiros
filhos da Mãe do amor puro, pois os vossos nomes estão escritos no seu coração materno! Levante seus
olhos e seus corações para esse lindo céu! É aí que os vossos corações encontrarão luz, força, ajuda
poderosa na batalha da vida, orientação e socorro e, acima de tudo, inspiração para amar o vosso Criador e
Redentor, o Senhor do Céu, com firmeza, pureza e acima de todas as coisas. (17). Ps. 35, 6.

38-
CAPÍTULO III

O CORAÇÃO DE MARIA, O SOL

O sol é o segundo quadro simbólico que Deus, o Criador do céu e da terra, se dignou a dar-nos do
Imaculado Coração da Rainha do Céu e da Terra. Deus não criou o sol natural, nossa maravilhosa luminária,
apenas para iluminar nosso mundo material; Ele fez também para ser uma representação das excelentes
perfeições que brilham no coração luminoso da Senhora Soberana do mundo.

Devemos lembrar que o poder infinito de Deus dividiu este grande universo em três estados ou
ordens diferentes, ou seja, o estado de natureza, o estado de graça e o estado de glória. Sua sabedoria divina,
no entanto, estabeleceu um vínculo, relação e semelhança tão perfeita. Entre esses três estados e entre os
seres existentes nessas ordens que tudo o que está na ordem da natureza é uma imagem das coisas
pertencentes à ordem da graça, e tudo o que pertence à ordem da natureza e da graça é uma figura do que é
ser visto no estado de glória. Assim, o sol, que é verdadeiramente o coração do mundo visível, e a mais bela e
brilhante jóia da natureza, nos dá, apesar de sua luz ofuscante, apenas uma sombra muito fraca de nosso Sol
celestial, o Coração da Mãe. de Deus.

A Sagrada Escritura chama o sol de admirável vaso, obra do Soberano Senhor. "Um instrumento
admirável, o trabalho do Altíssimo. Grande é o Senhor que o fez. (1) Eu, porém, podemos dizer do mais
excelente Coração da Mãe de Deus que é uma incomparável obra-prima da mão todo-poderosa de Deus. É é
um compêndio de todas as maravilhas que Ele operou em criaturas puras, e será o eterno objeto da admiração
e deleite dos anjos e dos homens.Grande, de fato, é Aquele que fez isso, porque Sua magnificência divina
aparece em seu admirável Coração mais claramente do que em todas as outras coisas maravilhosas da
natureza, graça e glória

O sol, que dá luz ao nosso mundo visível e que é, assim para (1)
Ecclus 43, 2 e 5.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 39-

fala seu coração é inteiramente luminoso, é a própria luz e a fonte da qual os outros corpos celestes recebem
sua luz.O Coração de Maria é cercado, preenchido, penetrado pela luz, e sua luz é incomparavelmente mais
brilhante e radiante do que todas as luzes do mundo. espaços celestes, é tudo luz, e depois de Deus, é o
primeira fonte das luzes que brilham no firmamento da Igreja. "Eu fiz que no céu deveria subir a luz que nunca
falha." (2)

O sol é, além disso, o princípio do vegetativo, sensível e um. vida humana no mundo visível. Ile
Coração da Santíssima Virgem Maria é a fonte da vida de três grandes mundos. Já vimos (3) que é a fonte da
vida da Mãe de Deus, que é um mundo em si mesmo, cheio de maravilhas muito maiores e mais maravilhosas
do que o mundo que contemplamos com nossos olhos corporais.

Mas devo acrescentar que o puro Coração de Maria é a fonte de três diferentes vidas a serem
encontradas nesta santa Mãe, a saber, a vida natural e humana que animou seu corpo na terra; a vida espiritual
e sobrenatural que sua alma possuía; e a vida gloriosa e eterna que tanto o corpo quanto a alma desfrutam no
céu. Todos concordam que o coração, no sentido em que o definimos, é a fonte da vida corpórea; devemos
igualmente admitir que é a fonte do amor e da caridade, as virtudes que constituem a verdadeira vida de uma
alma cristã no tempo e na eternidade e, portanto, pode-se

dizer muito verdadeiramente ser o próprio elemento que promove a vida da alma. tanto para a terra como
para o céu.Em segundo lugar, o Imaculado Coração de Maria é o princípio da vida de um segundo mundo, infinitamente mais admirável que o
anterior. O que é este mundo? É o Deus-Homem, cheio de incontáveis maravilhas raras. Agora, esse Deus-
Homem é o Filho de Maria, e o Coração de Maria é, conseqüentemente, a fonte de Sua vida, uma vez que o
coração da mãe é o princípio da vida da criança e também dela.

Em terceiro lugar, o Coração da Mãe de Nosso Salvador é a origem da vida para um terceiro
mundo, composto de verdadeiros filhos de Deus, que são vivificados pela graça na terra e glória no céu,
porque sob Deus derivam a vida da graça e a vida de glória da Mãe daquele que é a Cabeça e cujos
membros eles são. Eles são gratos por este benefício a seu sagrado Coração, cuja pureza original,
humildade profunda e amor ardente, a tornaram digna de se tornar a Mãe de Deus e de todos os filhos de
Deus. São João Crisóstomo certamente está certo quando diz que o coração de São Paulo era "o coração de
todo o mundo. Pois é através desse coração apostólico que o Espírito da Vida era (2) Ecclus. 24, 6. (3 Parte
1, Capítulo 3,. 25.

pág40- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA foi

derramado sobre todas as coisas e dado aos membros de Jesus Cristo. " (4) Mas quanto mais verdadeiro é
este do coração incomparavelmente amoroso da Rainha dos Apóstolos? Sim, o dela é realmente o coração de
todo o mundo, o coração do Céu e da terra, o coração da Igreja Militante, Sofredor e Triunfante, já que o Espírito
Santo nos manda cantar: Vitam datam per Virginem, genies redemptae plaudite. "Todas as nações, redimidas
pelo Precioso Sangue de Jesus Cristo, regozijem-se, cantem os louvores de seu Redentor e Sua Mãe gloriosa!
Vocês foram condenados à morte eterna, e o Filho de Maria os libertou; a Mãe de Jesus restaurou vida para
você, até mesmo a vida eterna, dando-lhe seu Filho, que é a vida essencial e a fonte de toda a vida ".

O sol solar tem estado em perpétuo movimento desde a sua criação no espaço, e viaja tão
rapidamente que os matemáticos calculam a sua velocidade em mais de um milhão de léguas por hora. Da
mesma forma, o sagrado Coração de Maria, desde o momento de sua Imaculada Conceição, foi completamente
mantido em movimento pelo amor a Deus e pela caridade para com a humanidade. Enquanto Mary, o admirável
Sol de Luz e Pureza, estava na terra, ela acelerou ou melhor, voou com tanta celeridade no caminho da
santidade que a velocidade do nosso sol material é simplesmente uma sombra e uma figura em comparação.
Para este santo Sol, o Imaculado Coração de Maria, progrediu incomparavelmente mais no caminho místico e
sobrenatural do mundo da graça do que o sol material que gira em torno do nosso mundo visível.

A Sagrada Escritura nos ensina que o Sol é o tabernáculo de Deus. "Ele colocou seu tabernáculo
no sol". (5) Isto é infinitamente mais verdadeiro do Coração da Santíssima Virgem Maria. São Ambrósio aplica
estas palavras a ela, e nós devemos referenciá-las especialmente ao seu Coração, no qual Deus reside mais
gloriosamente e trabalha maravilhas muito maiores do que no sol de qualquer universo. Eu ouço o Pai Eterno
dizer que o trono de Seu Filho Unigênito é como um sol diante de Seu rosto: "Seu trono (é) como o sol diante
de mim..." (6) O que é este trono de Cristo, se não o Coração da Sua querida Mãe, que é, portanto, o sempre
brilhante Sol brilhando diante do Pai das luzes?

Se o sol material irradia sua luz, calor e influência sobre todas as coisas vivas na terra, ainda mais
este Sol místico, o Coração de Maria, faz sua luz sagrada, calor divino e influência celestial sentidos em todos
os lugares do céu e da terra, sobre os homens e anjos: "Não há ninguém que possa se esconder de seu calor".
(7) O sol terrestre alegra com seus raios morrer
(4). No cap. 16, Epist. Rom. homil, 23. (5). Ps.
18, 6. (6). Ps. 88, 38 (7). Ps. 18, 7

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 41-

habitantes do mundo humilde; o sol celestial enriquece todo o universo com sua grande e ilimitada
caridade para com todas as criaturas de Deus. Gaudium annuntiat universo mundo. É o consolo das almas
sofredoras no Purgatório, a alegria dos fiéis na terra, a exultação dos anjos e santos no céu e o deleite da
Santíssima Trindade. São Germano de Constantinopla chama o Coração de Maria a felicidade do mundo
inteiro. Commune mundi gaudium (8) E São João Damasceno diz que é um oceano de prazer inesgotável:
Gaudii pelagus inexhaustum.(9).
"Tirar o sol que ilumina o nosso mundo material", diz São Bernardo, "o que será do dia ou da luz?
Tirar Maria, a Estrela do Mar, ou tirar o Coração de Maria, o verdadeiro Sol do Cristão Mundo, e o que restaria?
Sem o esplendor de Maria, nada resta a não ser escuridão envolvente, a sombra da morte e a assustadora
noite da sepultura. " (10)

0 excelente Coração da minha Rainha, meu Sol mais amável, bem-aventurados os corações que
te amam! Felizes as mentes que meditam na tua grandeza e as línguas que te pregam e te louvam! Bem-
aventurados os olhos que te contemplam, 0 radiante Maria! Quanto mais eles contemplarem você, maior será
o desejo deles, mais forte será a luz e a força que eles receberão para capacitá-los a contemplar ainda mais a
tua luz ofuscante!

Ó Sol lindo, ilumina as nossas trevas, derrete a nossa frigidez, dissipa as nuvens e nevoeiros das
nossas mentes, inflama os nossos corações com o teu fogo sagrado! Torna-nos sempre receptivos à tua doce
influência, para que todas as virtudes cristãs possam florescer nas nossas almas, para que se tornem férteis
em todos os tipos de boas obras. Por sua intercessão, obtenha que possamos levar uma vida celestial na Terra
e nunca buscar qualquer alegria aqui abaixo, exceto a alegria dos filhos de Deus, que consiste em agradar ao
Pai Celestial e obedecer a Sua vontade adorável em todas as coisas.

Ó Sol radiante, que nossos corações se tornem como espelhos claros e polidos, e que tenham
prazer em imprimir a tua semelhança neles, para que possam ter uma imagem perfeita de tua humildade,
pureza e submissão à vontade divina, bem como de tua caridade, amor , santidade e todas as outras virtudes
e perfeição do teu admirável coração. Isso pedimos a glória de Deus que fez o nosso coração sozinho. (8).
Homil de Nativit. Mariae (9). Orat. 2 de dormitório. Deip. (10). Em Serm. de Aquaeductu, em Nativit. B. Mariae

42 -
CAPÍTULO IV

O CORAÇÃO DE MARIA, O CENTRO DA TERRA

O terceiro quadro simbólico do mais nobre Coração de Maria é descrito nas palavras inspiradas: "Deus fez a
salvação no meio da terra.(1)

O que é esta terra e O que é o seu centro? Eu encontro vários significados da palavra "terra",
como mencionado na Sagrada Escritura, entre os quais dois parecem ser mais importantes. A primeira é a
terra criada por Deus no início do mundo, que Ele deu a Adão. e seus descendentes "Mas a terra que ele deu
aos filhos dos homens" (2) A segunda é a terra feita para o novo homem, Jesus Cristo, Nosso Senhor, a quem
as seguintes palavras foram ditas: "Senhor, tu abençoaste a tua terra. "(3)
Ile primeira terra incorreu na ira de Deus porque o primeiro homem pecou. Maldito é a terra na
tua obra. (4) A terra caída é uma terra de miséria e trevas, de desordem e morte, uma terra de infindáveis
desgraças, nas palavras de Jó, é "uma terra de miséria e trevas, onde a sombra da morte, e nenhuma ordem,
mas habita o horror eterno. ”(5)

A segunda terra é uma terra de bênçãos, graça e luz, uma terra de vida eterna, uma terra que se
tornou mais nobre, mais augusta, mais luminosa e mais sagrada do que todos os céus. O que é essa
inestimável terra renovada? É a Santíssima Virgem Maria, de quem a primeira terra, considerada como tendo
saído das mãos de Deus e existido antes de ser amaldiçoada por Deus, é apenas uma imagem e esboço
imperfeitos. Desta terra o Espírito Santo falou nas Escrituras: quando Ele disse através do Profeta Isaías:
"Deixa a terra se abrir e brotar um salvador". (6)

Foi em Maria, o centro desta terra abençoada, que Deus realizou a salvação da humanidade.
"Ele fez a salvação no meio de (1). Sl 73, 12 (2). Sl 113, 16. (3). Sl 84, 2. (4). Gn 3, 17 (5). Jó 10, 22 (6),
Isaías 45, 8.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 43 -

a terra: '(7) Tanto São Jerônimo como São Bernardo (8) aplicam estas palavras à Santíssima Virgem Maria.
No entanto, o Espírito Santo que proferiu estas palavras através dos lábios do Profeta Real, Davi, não proclama
apenas que Deus operou a salvação do mundo nesta terra, mas no meio da terra, na mídia terra, ou de acordo
com a versão materna, no íntimo terrae, no centro ou no coração da terra, que significa o coração e o seio da
imaculada Virgem Maria, sim, no meio desta "boa terra", ou melhor , no bom e excelente Coração de Maria,
Mãe de Jesus Cristo, "em um coração bom e perfeito" (9), que a Palavra Eterna, surgida do seio do Pai para
salvar a humanidade, foi recebida e zelosamente nutrida, produzindo frutos. cem vezes e cem mil tim es cem
vezes.

Tudo isso foi declarado naquela divina profecia do Espírito Santo, que revela tantos grandes e
admiráveis mistérios: "Haverá um firmamento sobre a terra, no cume dos montes, acima do Líbano, o seu fruto
será exaltado; e os da cidade florescerá como a erva da terra " (10) ou de acordo com a versão da mãe: "Uma
medida cheia de trigo espalhada sobre as altas

montanhas, crescerá tão alta que, agitada pelo sopro do vento, suas ondulações imitarão as florestas
verdejantes do Líbano."

O que é essa medida transbordante de trigo, se não o único Filho de Deus, o verdadeiro trigo
dos eleitos, o pão de Deus, quem é a vida e a força do coração do homem? "O pão pode fortalecer o coração
do homem." (11) O Pai Eterno espalhou este trigo santificante quando nos deu o Seu Divino Filho com tão
grande amor no mistério da Encarnação e ainda o espalha, todos os dias, em plenitude, quando continua a
dar-nos diariamente ao Senhor com bondade consumada. a Santíssima Eucaristia. Quais são os altos cumes
das montanhas, se não a Sua Mãe mais digna, a quem o Espírito Santo coloca diante de nossos olhos sob o
nome e figura não de uma única montanha, mas de muitas montanhas? Maria possui no mais alto grau tudo
que é mais excelente nas montanhas sagradas, isto é, em todos os santos, que são chamados na Sagrada
Escritura de "as montanhas sagradas" (12) e "as colinas eternas". (13) Quais são os poderosos cumes
dessas montanhas, se não as exaltadas prerrogativas e sublimes perfeições da Soberana Senhora do
Universo? (7). Ps. 73, 12. (8). Serm 2 no pentec. (9). Lucas 8,15 (10). Ps. 71, 16. (11) .Ps. 103, 15. (12). Ps.
86, 1. (13). Ps. 75, S.

44- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA


Agora, então, estava em cima destas montanhas sagradas com altos cumes em meio a este solo
sagrado, no excelente Coração do melhor das Mães, que o adorável trigo da redenção foi semeado pela
primeira vez e plantou, desde que ela recebeu Nosso Salvador em seu coração antes de O conceber em seu
ventre. Mais tarde, fui espalhado por todo o mundo pela pregação dos Apóstolos, animada pelo Espírito Santo
como por um vento impetuoso e multiplicada infinitamente nos corações de todos os cristãos.

Podemos, portanto, dizer com verdade que Jesus é o fruto do Coração de Maria e também do
seu ventre, e que os fiéis são os frutos do mesmo Coração, porque as virtudes da fé, da humildade, da pureza,
do amor e da caridade, que a tornou digna de se tornar a Mãe de Deus, fez dela também a Mãe de todos os
filhos de Deus. Como o Pai Eterno deu a ela o poder de conceber Seu Filho em seu Coração e em seu ventre
virginal, vestindo-a com a virtude divina pela qual Ele gera Seu Divino Filho desde toda a eternidade em Seu
próprio seio adorável, assim também Deus lhe concede o poder para formar Cristo e dar nascimento a Ele no
coração dos filhos de Adão, que assim se tornaram membros de Jesus Cristo e filhos de Deus.

Assim como Maria concebeu e eternamente levará seu Filho Jesus Cristo em seu Coração, ela
também concebe e mantém para sempre no mesmo Coração todos os santos membros de nossa Divina
Cabeça. Eles são seus amados filhos, os frutos de seu Coração maternal, e ela os oferece à divina majestade
como um sacrifício perpétuo.

Assim, Nossa Senhora, "a boa terra", frutifica o grão de trigo que ela recebeu de Deus. Seu Filho
teve que morrer, assim como a semente deve morrer e, por assim dizer, ser aniquilada para não permanecer
só, mas produzir outros grãos. Neste sentido, o Rei dos Reis realizou nossa salvação no centro da terra.

Eu poderia citar muitos Padres santos e ilustres médicos para mostrar como Deus Todo-
Poderoso salvou a humanidade "no meio da terra", isto é, no Sagrado Coração de Maria, Mãe de Jesus. Seu
Coração

cooperou com Sua divina misericórdia, tendo recebido tal plenitude de graça, segundo o Doutor
Angélico, São Tomás, que se tornou habilitada a cooperar com seu Filho na salvação de todos os homens.
(14) Isto inspira São Boaventura para dizer que seu coração é a fonte da salvação universal. "Toda a
salvação brota do coração de Maria". (15) (14). Magnum está no quolibet Sancto, quando tem tantum de
gratia, quádruplo sufficit ad salutem multorum; sed quando haberet tantum, quad sufficeret salutem omnium
hominum de mundo, hoe esset maximum, et hoc est in Christo, et in beata Virgine. Opusc. 8. (15). Em Psalt.
B. Virg. Ps.79.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 45-

Tudo isso sendo concedido, quais devem ser nossas obrigações para com o Coração mais
caridoso de nossa Mãe Santíssima! Que gratidão podemos mostrar, que louvores podemos cantar, que festa
podemos celebrar em honra de seu Coração, que será digna de sua excessiva caridade para conosco e dos
favores concedidos a nós pela divina misericórdia por meio de sua intercessão?

Maria é o centro da terra em que nossa salvação foi realizada. Ela é também o centro do mundo
renovado, o mundo cristão, o mundo do novo homem, o mundo do amor divino e da santa caridade. Aqui estão
três razões para mostrar que o coração de Maria é o centro do mundo cristão.

Primeiro, todos os seres consideram seu centro a sede de seu repouso, seu engodo. servação e,
por assim dizer, sua salvação. A salvação do homem tendo ocorrido no Coração de Maria, todos os cristãos
devem considerá-la como a fonte de sua vida depois de Deus e como a causa e o centro de sua felicidade.
As palavras dos Padres da Igreja nos sustentarão nisso. Aqui está o que São Bernardo tem a
dizer. - Suas palavras referem-se à pessoa da Santíssima Virgem, mas podem ser aplicadas especialmente ao
seu Coração. "Com razão, Maria chama o centro da terra, para todos os habitantes do Céu, e aqueles do
inferno, aqueles que vêm antes de nós, e aqueles que virão depois de nós, os filhos de seus filhos e toda a sua
posteridade olhar para ela como para o meio e para o centro da terra Ela está, de fato, ao lado de seu divino
Filho, o mediador entre Deus e o Homem, entre a Cabeça e os membros do Corpo Místico, a Igreja, entre o
Antigo e o Novo Testamento. entre o Céu e a terra, entre a justiça e a misericórdia, para ela, a Arca de Deus,
a Arca da Aliança e a paz entre Deus e o seu povo, como causa de tudo que é bom e obra-prima de todos os
séculos. Os habitantes do Céu, isto é, os anjos, olham para ela como para aquele através do qual as perdas
infligidas pelo pecado serão reparadas, aqueles que estão no tormento de fogo, que aqui significa purgatório,
olham para ela como para aquele através de cuja mediação eles serão entregues, aqueles que vieram antes
de nós veja nela o cumprimento das antigas profecias, aqueles que nos seguirem a consideram como o meio
pelo qual eles um dia serão coroados com a glória imortal ”. (16)

Estas palavras de São Bernardo não só podem ser aplicadas ao Coração da Mãe de Deus, mas
são realmente mais aplicáveis ao seu Coração do que à sua pessoa. A causa que é mais nobre que seus
efeitos, seu Coração tão cheio de humildade é, como veremos, a causa e a fonte de todas as virtudes que
adornam Nossa Senhora e a tornam digna de ser o objeto, o (16). Serm 2 no pentec.

46 O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

refúgio e, por assim dizer, o centro de toda criatura passada, presente e futura. Portanto, concluo que seu
maravilhoso Coração é, de fato, o meio e o centro do mundo do novo homem.

Em segundo lugar, digo que o Coração de Maria é o centro deste novo mundo, significando o
mundo do amor divino e da santa caridade, um mundo de ternura e dilatação, tendo a caridade como única lei,
porque todo amor sagrado e caridade divina contidos os corações dos anjos e dos homens, que amam a Deus
por Ele mesmo e ao próximo pelo amor de Deus, encontram-se unidos no Coração da Mãe do Belo Amor como
em seu centro. O Coração de Maria é como um espelho bonito, grande o suficiente para refletir todos os raios
do Sol focados em sua superfície polida.

Em terceiro lugar, você se lembrará de que a mais humilde e pura Virgem arrebatou e atraiu para
si o adorável Coração do Pai Eterno, Seu Filho Amado, e que Ele se tornou o Coração de seu Coração. Jesus
é, portanto, o verdadeiro Coração de Maria. Não é este amável Jesus o amor, o deleite, o centro e a alegria do
céu e da terra? Não é certo, portanto, que o verdadeiro Coração de Maria, a saber, Jesus, seja o centro de
todos os corações dos anjos e dos homens? Eles devem sempre estar voltados para ela, contemplá-la
incessantemente e torná-la o objeto de suas aspirações e desejos. É a sede de seu perfeito repouso e de sua
suprema felicidade. Fora disso, há apenas problemas, medo, ansiedade, morte e inferno.

Ó Jesus, verdadeiro Coração de Maria, tome posse de nossos corações e aproxime-os de Ti.
Inspire-os a amar, desejar, buscar e saborear somente a Ti. Que eles sempre desejem por Ti, que eles sempre
busquem seu descanso e felicidade em Ti, que eles permaneçam em Ti para sempre e sejam consumidos na
ardente fornalha de Teu Divino Coração, de modo a serem transformados eternamente em Ti!

47-
CAPÍTULO V

O CORAÇÃO DE MARIA, A FONTE INEXAUSTA


A quarta imagem simbólica do Coração mais bendito de Nossa Senhora é a fonte maravilhosa que Deus fez
brotar do solo no começo do mundo, como descrito no segundo capítulo de Gênesis. "Uma mola subiu da terra,
regando toda a superfície da terra." (1) São Boaventura nos diz que esta fonte era uma figura da Santíssima
Virgem Maria. "Ela foi prefigurada na fonte que surgiu da terra." (2) Mas temos a mesma razão para dizer que
isso representava o seu Coração, que é verdadeiramente uma fonte viva cujas águas celestes irrigam não
apenas toda a terra, mas todas as coisas criadas no Céu, assim como na Terra.

Maria é a fonte selada da Santa Esposa, que seu divino Noivo chama de "uma fonte
dimensionada" (3), pois permaneceu reduzida não apenas contra o mundo, o diabo e todo tipo de pecado, mas
também foi fechada até o Querubins e Serafins, que não podiam penetrar nos maravilhosos segredos ou
compreender os inestimáveis tesouros escondidos por Deus no Coração puro de Nossa Senhora.

A Sagrada Escritura afirma que o coração do homem é mau e inescrutável. (4) Mas o Coração
da Rainha do Céu inspira estas palavras: "Deus a criou no Espírito Santo, e a viu, e numerou-a, e mediu-a".
(5) Em outras palavras, tão sagrado e impenetrável é o Coração de Maria que somente Deus, que encerrou
em Seus tesouros da graça e colocou Seu selo sobre ele, pode conhecer a qualidade, quantidade e preço
das graças ocultas nesta fonte em escala. Tudo o que podemos dizer é que o Imaculado Coração de Maria é
uma fonte de luz, uma fonte de água sagrada e abençoada, uma fonte de água viva e vivificante, uma fonte
de leite e mel e uma fonte de vinho. É a fonte de um grande rio, ou melhor, de quatro correntes miraculosas
e, finalmente, é a fonte de uma infinidade de bênçãos e bondade. (1). Gênesis 2, 6.
(2). Figurada fuit per Fontem quae ascendebat de terra. Na opusc. inscripto Laus Virg.
(3). Não posso 4, 12. (4). Jer. 17, 9 (5). Ecclus 1, 9.

48- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

O inigualável Coração de Maria é uma fonte de luz; que prenunciava na pessoa da rainha Ester,
que é representada na Sagrada Escritura como uma pequena fonte que se torna uma grande luz e se
transforma no sol. "A pequena fonte que cresceu em um rio e foi transformada em luz e no sol ..." (6) É a fonte
do sol, fans solis, mencionada nos capítulos quinze e dezessete do Livro de Josué.

O Coração de Maria, assim como seu nome, que significa "iluminado" ou "aquele que ilumina", e
também "estrela do mar", é de fato uma verdadeira fonte de luz. A Santa Igreja a considera e a honra como a
porta resplandecente da luz pura; Tu porta lucis fulgida, e saúda-a como o portal através do qual a Luz divina
entrou no mundo: Salve porta, ex qua mundo lux est orta. Verdadeiramente o Coração de Maria é a fonte do
sol, porque Maria é a Mãe do Sol da Justiça, e este Sol divino é o fruto do Coração de Maria.

0 maravilha incrível! 0 milagre inconcebível! Quem poderia ter pensado que o sol poderia nascer
de uma estrela, ou que uma fonte poderia ser a fonte do sol, fons solis. Assim, o Coração virgem de Maria é
uma verdadeira fonte de luz.

O Coração de Maria é uma fonte de água,de água masabençoada, santa e preciosa. Eu aqui falo
das inumeráveis lágrimas que derramaram desta fonte sagrada e, unidas às do próprio Redentor, cooperaram
em nossa redenção. Ó Maria, quantas correntes de lágrimas têm curvado de teus olhos, com sua fonte no teu
amor, caridoso, devotado e misericordioso Ouvido Lágrimas de amor, lágrimas de caridade, lágrimas de alegria,
de tristeza e de compaixão! Quantas vezes o amor ardente do Coração materno pelo teu Filho infinitamente
amável não te fez derramar lágrimas amargas, vendo-o tão pouco amado, tão odiado, ofendido e desonrado
pela maioria dos homens, embora fosse dever do homem servi-lo? Quantas vezes a tua caridade ardente pelas
almas te fez chorar porque, através da sua própria malícia, milhões de almas preciosas seriam perdidas, apesar
de tudo o que Ele fez e sofreu para salvá-las? Quantas vezes os santos anjos testemunharam lágrimas de
sublime devoção percorrendo teu belo rosto, como foste absorvida em santa comunhão com a Divina
Majestade? Todos os santos receberam o presente de lágrimas, o que não poderia ter sido falta na Mãe das
Dores que nos assegurou que ela possui a plenitude dos dons. Arrumada em todos os santos. Em plenitude
sanctorum detentia mea.(7)

0 Mãe de Jesus, a alegria que encheu o teu Coração inigualável em tantas ocasiões enquanto
você estava na terra com o teu amado Filho, causou doces (6). Ester 10, 6. (7). Ecclus 24, 16.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 49- São

lágrimas que correm dos teus olhos. Essas foram lágrimas de alegria e consolação, por exemplo, quando Ele
assumiu nossa natureza humana em seu ventre sagrado, quando visitaste tua santa prima Isabel, quando teu
querido Filho nasceu em Belém, quando os três Santos Reis vieram para adorá-lo, quando, depois de tê-lo
perdido por três dias, você O encontrou no templo entre os Doutores, quando Ele visitou você depois da
ressurreição e quando você assistiu Sua ascensão triunfante ao céu.

Infelizmente, suas consolações nesta vida foram insignificantes em comparação com os


sofrimentos que você teve que suportar. Se as alegrias do teu Coração faziam com que lágrimas de êxtase
fluíssem dos teus olhos, as tristezas pungentes que tantas vezes foram tuas, especialmente na Cal da paixão
e morte do teu amado Filho, fizeram-te derramar lágrimas de lágrimas amargas. Então as palavras sagradas
foram cumpridas em ti: "Que as lágrimas corram como uma torrente dia e noite: não te dê descanso, e não
deixe a menina dos teus olhos cessar." (8)

Agora, então, não são todas estas lágrimas de alegria, amor, caridade, devoção, tristeza e
compaixão como tantas águas fluindo da fonte santa do Imaculado Coração de Maria? Oh, com que boa razão,
portanto, chamamos a ela admirável Coração uma fonte de água abençoada, santa e preciosa.

O mais puro Coração de Maria é também uma fonte deviva água, que significa fonte de graça.
Isso não deve nos surpreender, pois o Arcanjo Gabriel declarou há muito tempo que a Mãe do Salvador estava
cheia de graça, gratia plena, e a Igreja chama de Mater gratiae, Mãe da Graça, e Mater divinae gratiae, Mãe
da Graça Divina. O Doutor Angélico, São Tomás, afirma que Nossa Senhora é tão cheia de graça que, de sua
abundância, pode dar graças a todos os homens. (9)

Seu coração mais generoso é de fato uma fonte de águas vivas cujas correntes salutares fluem
os lados, sobre a terra dos ímpios, bem como dos justos, em imitação do Todo-Bem e Todo-Misericordioso
Coração de nosso Pai Celestial, que faz com que Sua chuva providencial caia sobre os bons e os maus
igualmente. Essa é a razão pela qual o Espírito Santo chama o caridoso Coração da Mãe da Misericórdia "a
fonte dos jardins", fons hortorum. (10) Em outra passagem Ele o nomeia a fonte que "regará a torrente de
espinhos". (11)

Quais são esses jardins, o que é essa torrente de espinhos, regada por esta bela fonte? (8).
Lam. 2, 18. (9). Opusc. 8. (10). Não posso 4, 15 (11). Joel 3, 18

50- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

Os jardins são todas as Ordens da Igreja que levam uma vida verdadeiramente cristã e santa.
São deliciosos jardins para o Filho de Deus, florescendo com flores e frutos que a Esposa anseia quando
exclama: "Fique comigo com flores, bordeje-me com maçãs: porque eu definhando com amor". (12) Esses
jardins místicos também representam todas as almas santas, não importa. qual seu estado ou condição, em
quem o Noivo celestial encontra Seu deleite entre as flores dos pensamentos, desejos e afetos santos, e entre
os frutos refrescantes de virtudes e boas obras.
Esses jardins de deleite são constantemente regados pela fonte que é chamada pelo Espírito
Santo de "a fonte dos jardins", de acordo com muitos dos doutores sagrados que aplicam essas palavras à
Santíssima Virgem Maria. (13)

Mas o Coração de Maria não é apenas a fonte de jardins cujas águas transmitem o reavivamento
a almas justas e santas. São Jerônimo também se refere à Santa Mãe de Deus estas palavras do Profeta Joel:
"... uma fonte sairá da casa do Senhor e regará a torrente de espinhos." (14) Quais são esses espinhos e essa
torrente? Os espinhos representam os ímpios, cujas vidas estão infestadas pelos espinhos de seus pecados.
Essa torrente é o mundo, que se assemelha a uma torrente impetuosa, cheia de lixo e maus odores, fazendo
muito barulho, mas fluindo rapidamente, arrastando a maioria dos homens para o abismo da perdição. "O
mundo passa ea concupiscência disso." (15)

Mas o Coração da Mãe da Misericórdia é tão cheio de bondade que seus efeitos são sentidos até
mesmo pela torrente de espinhos, ou melhor, pelos pobres espinhos que são arrastados nesta torrente para
serem lançados no eterno redemoinho do inferno. . As águas maravilhosas de sua fonte sagrada, entrando em
contato com esses espinhos estéreis e mortos, servem apenas para o fogo eterno, fazendo com que muitos
deles despertem para uma nova vida, e alguns são até transformados em belas árvores que produzem bons
frutos, dignos para ser colocado na mesa do Rei Eterno. A razão é que as águas divinas desta fonte não são
apenas vivas, mas também vivas. O Coração de Maria é, portanto, não apenas uma fonte de águas vivas, mas
uma fonte de vida e de vida eterna.

Mas não é suficiente amar a vida sem fornecer a substância para nutri-la e sustentá-la. Por esta
razão, o coração materno de Maria não é apenas uma fonte de águas vivas e vivificantes; é, além disso, uma
fonte de leite, de mel, de azeite e de vinho.

É uma fonte de leite e mel, porque ouvimos a Esposa Divina dizer


(12). Cant 2, 5. (13). Cf. Rupen em Cantio. (14). Joel 3, 18. (15). João 2,17

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 51

a Maria: "Tua boca, minha esposa, é como um favo de mel caindo, mel e leite estão debaixo da tua
língua", (16) que significa: "Tuas palavras estão cheias de doçura e ternura, e teu coração deve
conseqüentemente ser preenchido com eles ". O coração e a língua de Maria sempre concordam, e há perfeita

concordância entre suas palavras e seus sentimentos. Se, portanto, ela tem leite e mel em sua boca, ela
também deve tê-los em seu Coração; e eles estão debaixo de língua e nos lábios dela só porque o Coração
dela está cheio de doçura incomparável.

Daí as palavras inspiradas: "Meu espírito é doce acima do mel e minha herança acima do mel e
do favo de mel". (17) Devemos, portanto, concluir que o Coração dela é uma verdadeira fonte de leite e mel,
cujas correntes fluem incessantemente para o coração de seus filhos, verificando assim a afirmação do Espírito
Santo: "... vocês serão levados em os seios e sobre o joelho acariciarão a ti como a quem a mãe acaricia. (18)
Felizes são aqueles que não levantam obstáculos para o cumprimento dessas palavras consoladoras! Felizes
são aqueles que não fecham os ouvidos à voz da Mãe mais doce, chorando constantemente: "Como recém-
nascidos, desejem o leite racional sem dolo, para que assim cresçam para a salvação." (19) Vem, meu bem-
amado, Venha do meu mel e beba do meu leite, para que possa saborear e ver quão doce e delicioso é servir
e amar Aquele que me fez tão amável e terno para com Seus filhos, e como meu Coração está cheio de amor
e carinho para aqueles que me amam em troca. "Eu amo os que me amam." (20)
Vemos, portanto, que o Coração da Mãe do Belo Amor é uma fonte de leite e mel para todos os
seus filhos, especialmente para aqueles que ainda são fracos, tenros e delicados, ainda incapazes de ingerir
alimentos mais sólidos.

Seu Coração é também uma fonte de óleo, isto é, de misericórdia para todos os pecadores. Além
disso, é uma fonte de vinho para dar força e vigor aos fracos e consolar os tristes e aflitos, de acordo com as
palavras divinas: "Dê bebida forte para os que estão tristes; e vinho para aqueles que estão tristes em mente".
" (21)

Todos aqueles que confortam outros homens em favor da caridade e, acima de tudo, que
trabalham pela salvação do próximo, devem ser embriagados com o vinho do amor divino! Para aqueles
como estes, nossa Mãe caridosa, sempre ardendo de zelo pela salvação das almas, clama em alta voz: (16).
Não posso 4, 11. (17). Ecclus 24, 27. (18). É um. 66, 12-13. (19). Pedro 2, 2. (20). Prov. 8, (21). Prov. 31, 6.

52- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

"Venha, filhos, amados do meu Coração, venham, tragam da fonte do Coração da sua Mãe o vinho celestial
do amor divino; bebam longos e profundos; repletos do arrebatamento do espírito, você não precisa temer
nenhum excesso. 'Beba e seja inebriado, meu querido amado'. (22) Bebida deste vinho puro, pai da virgindade
e de todas as virgens sagradas. 'Vinho que salta virgens.' (23) Este vinho celestial enche de alegria os Serafins,
embriagou os Apóstolos do meu Filho Divino, encheu o próprio Redentor com santo arrebatamento quando, no
excesso do Seu amor por você, Ele renunciou às grandezas da sua divindade e se humilhou. no humilde
presépio e na ignominiosa Cruz, beba com Ele deste delicioso vinho, para que possa esquecer e desprezar o
que o mundo ama e estima, amar e valorizar somente a Deus e se empenhar com todas as suas forças para
estabelecer reinado de seu amor e sua glória nas almas dos homens. Assim você vai se tornar os filhos amados
do seu coração e do meu próprio.

Quem vai me dar uma voz forte o suficiente para ser ouvido em todo o mundo, clamando a todos
os homens: " Todos os que têm sede, vêm para as águas; e você, que não tem dinheiro, depressa, compra, e
gato: Vinde, compra vinho e leite sem dinheiro, e sem preço. "(24)

Você que tem sede em vão depois do falso honras do mundo, vêm em vez disso para o mais
honroso Coração da Rainha do Heave e você aprenderá pelo exemplo da sede deste Coração somente pela
glória de Deus, que a verdadeira honra consiste em seguir Sua Divina Majestade: "É uma grande glória seguir
o Senhor" (25). , vaidade e ilusão. Você que tem sede das riquezas da terra, venha para cá e encontrará
tesouros incomparáveis.

Você que tem sede dos prazeres mundanos, Venha e você encontrará o contentamento dos
anjos, as delícias de Deus, a paz e alegria dos filhos de Deus e da Mãe de Deus, de acordo com a promessa
divina dirigida a cada alma fiel: "Eis Eu trarei sobre ela como se fosse um rio de paz, e como uma torrente
transbordante a glória dos gentios ". (26)

Emerja da imundície da torrente horrível do mundo, da torrente de espinhos que está girando
você no abismo da perdição! Emerja e entre nas águas doces do rio da paz. Entregue-se em santo êxtase a
esta torrente de prazeres. Aproprie-se, apresse-se, por que você espera? (22). Não posso 5, z. (23). Zach 9,
17 (24). É um. 55, 1. (25). Ecclus 23, 38 (26). É um. 66, 12.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 53-


Você tem medo de desprezar a incomparável bondade do Coração de Jesus, seu Deus e
Redentor, se invocar a caridade do Coração de Sua Mãe? Você não sabe que Maria não é nada, não possui
nada e nada pode fazer senão em, através e por Jesus? Você não sabe que Jesus é tudo e que Ele pode e
realiza tudo através dela? Não sabeis que Jesus fez o Coração de Maria como é e que Ele quis que ele fosse
a fonte de luz, de consolação e de toda a graça possível para aqueles que o recorressem em suas
necessidades? Você se esquece que não apenas Jesus reside e habita perpetuamente no Coração de Maria,
mas que Ele é na verdade o coração de seu Coração e a alma de sua alma; e que, portanto, chegar ao Coração
de Maria significa honrar a Jesus e invocar seu Coração é invocar Jesus?

Nossa Senhora só lhe pede uma coisa, ou seja, se você procura provar a doçura do leite e do mel
que flui da fonte de seu Coração, e experimenta a potência de seu vinho, você deve renunciar a todo o banquete
do mal e desistir. toda a degustação do vinho dos demônios. É impossível beber do cálice de Nosso Salvador
e da taça do diabo, participar do banquete celestial de Deus e, ao mesmo tempo, comer à mesa do diabo. (27)
Você deve escolher entre eles. Deve ser muito fácil fazer a sua escolha!

Considere como é estranho! O mundo oferece nada além de migalhas e restos de festejos, fama
vazia, riqueza e prazer passageiro, mas vende essas migalhas e restos velhos ao preço caro de preocupação,
dor, amargura, inquietação, angústia, muitas vezes até mesmo ao preço do seu muito vida. Como a Sagrada
Escritura exclama: «Por que gastas dinheiro por aquilo que não é pão e teu trabalho por aquilo que não te
satisfaz? »(28) Além disso, as libações que o mundo vende tão caro não são apenas estagnadas e amargas,
completamente incapazes de satisfazê-lo nesta vida, mas seu veneno é veneno que traz a morte eterna. Que
satisfação você pode esperar obter das águas tão amargas quanto as do Egito? (29).

Por outro lado, o Divino Filho de Deus e de Maria oferece a você o refresco e o arrebatamento da
fonte da plenitude da Casa de Deus, da qual você é livre para beber para sempre. 0 que loucura cega e cega
é escolher o cálice do pecado em vez do cálice de Nosso Salvador! O próprio Deus

exclamou surpreso com isso, através do profeta Jeremias, dizendo:

« Surpreenda-se, pois, quanto a vós, e às suas portas, estais muito desolados. . . . Pois meu
povo fez dois males. Eles se esqueceram (27). I Cor. 10, 21. (28). É um. 55, 2. (29). Jer. 2, 18.

54 - O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

eu, a fonte da água viva, e cavei para si cisternas, cisternas quebradas, que não podem conter água.
"(30)

Senhor, tem piedade de tal miséria, e pelo coração puro de Tua Mãe Santíssima, concede-nos a
água viva que flui de Ti através da fonte milagrosa de seu Coração, sufoca em nossos corações a sede
perigosa de coisas mundanas e nos concede a sede que queima somente para Te agradar. , para Te amar,
buscar nosso deleite e revigoramento seguindo Tua Santa Vontade, imitando o admirável Coração de Maria,
fonte de doçura e graça, que não conhecia alegria ou paraíso senão realizar Tua Vontade Divina com
perfeição (30). Jeremias 2, 12-13

55-
CAPÍTULO V1

O CORAÇÃO DE MARIA, O
MAR
O Admirável Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria não é apenas uma fonte, como vimos, é também um
mar, do qual o oceano criado por Deus no terceiro dia é uma bela figura. Esta é a quinta imagem simbólica ou
representa sentença do Coração Imaculado de Nossa Senhora.

São João Crisóstomo diz que o coração de São Paulo é um mar: Cor Pauli Mare Est, (1) mas o
próprio Espírito Santo dá esse nome à Santíssima Mãe de Deus e, portanto, ao seu Coração, ao qual o título
é ainda mais aplicável do que à sua pessoa, 'Ou mostraremos que o Coração dela é o princípio de todas as
qualidades santas que a adornam.

O Espírito Santo declara que Maria, Sua Noiva mais digna, é um mar. Um humilde e erudito
escritor que, embora tenha revelado seus brilhantes dons em seu excelente comentário sobre os salmos,
escolheu que seu nome e sua pessoa permaneçam desconhecidos, (2) nos chega que o nome do mar é dado
na Sagrada Escritura à gloriosa Virgem porque ela é de fato um mar de pureza, vasta em extensão e em
utilidade. Vamos considerar em breve que Maria é um meio em pureza e em extensão. Quanto à utilidade, este
santo doutor nos diz que, assim como o mar não permite que a terra adjacente permaneça estéril, as almas
que se aproximam da Mãe de Deus com verdadeira devoção produzem abundantes frutos de benção, graças
às graças que ela deu. ishly concede a eles. Vamos dizer do seu coração que é um mar cheio de grandes e
maravilhosas riquezas.

Na ordem da natureza, o mar é uma das maiores maravilhas da onipotência de Deus.


"Maravilhosas são as ondas do mar." (3) Deus, que é grande em todos os lugares, é especialmente
admirável no mar. "Maravilhoso é o Senhor nas profundezas." (4) O sagrado Coração de Maria é um oceano
de maravilhas e um abismo de milagres. é a extraordinária obra-prima do essencial e incriada (1). No cap. 28
ato. Uma postagem. homil. (2). Incognitus, em PS. 71. (3). Ps. 92, 4. (4). Ibid.

56- O CORAÇÃO admirável de Maria

Amor, no qual os efeitos do poder infinito, sabedoria e brilho bem mais brilhante do que em todos os
corações dos anjos e dos homens.

O que é o mar? É a reunião das águas, diz a Sagrada Escritura, ou se preferir, é o lugar onde
todas as águas estão reunidas. "Que as águas que estão debaixo do céu sejam reunidas em um só lugar." (5)
E o texto sagrado acrescenta: "o ajuntamento das águas, seja chamado de mares". (6) Agora, o que é o augusto
Coração de Maria? É o lugar onde estão reunidos e unidos as águas vivas de todas as graças que brotam do
Coração de Deus, desde sua primeira fonte. São Jerônimo diz: "A graça é dividida entre outros santos, mas
Maria possui a plenitude da santidade". (7) Pela mesma razão que São Pedro Crisólogo chama Maria collegium
sanctitatis, (8) este é o lugar onde A graça e santidade são reunidas e reunidas; e São Bernardo, égua
admirabile gratiarum, (9) um prodigioso mar de graças.

"Todos os rios correm para o mar, mas o mar não transborda", diz o Espírito Santo. (10) Assim
também todas as correntes, todas as torrentes e todos os rios da graça celestial correm para o Coração da
Mãe da Graça. e estão prontamente contidos lá. Todas as graças do céu e da terra fundem suas

águas no grande mar do Sagrado Coração da Mãe do Santo dos Santos. "Em mim é toda a graça do caminho
e da verdade." (11) No Coração de Maria estão todas as graças dos anjos e dos homens, todas as graças dos
Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Virtudes, Poderes, Principados, Arcanjos e Anjos, todas as graças
dos santos Patriarcas, Profetas, Apóstolos, Evangelistas, discípulos de Jesus, mártires, sacerdotes e levitas,
confessores, eremitas, virgens e viúvas, dos Santos Inocentes e de todos os abençoados no céu. Não há
transbordamento da graça em Maria; ela não está sobrecarregada, pois seu Coração é digno de todos os dons
e todas as liberalidades da infinita bondade de Deus, e é capaz de receber e usar todos eles para a glória de
Sua Divina Majestade.
São Bernardo de Siena nos diz que todos os dons e graças do Espírito Santo desceram à alma
e coração desta Virgem celestial com tanta plenitude, especialmente quando ela concebeu o Filho de Deus
dentro de seu casto ventre, que seu Coração forma um abismo da graça que nenhum intelecto humano ou
angélico pode compreender. A mente de Deus, aquela de (5). Gen. 1, 9. (6). Ibid. assim. (7). Caeteris per
partes: Mariae vero simul se tota infundit pIenitudo gratiae. Serm de .assumpt. B. Mariae (8). Serm 1, 46. (9)
.Serma. de B. Virg. (10). 1, 7. (11) Ecclus. 24, 25

O CORAÇÃO DE DEUS PAI 57-

o Filho dela, Jesus Cristo, e o seu próprio, são os únicos capazes de compreender a abundância e perfeição
deste meio de graça. (12)

O mar não acumula suas águas, mas distribui livremente eles para a terra através dos rios, que
fluem na média apenas para sair dela novamente, para que possam regar toda a terra e fazê-la suportar todos
os tipos de frutos. "Até o lugar de onde os rios vêm, eles retornam, para fluir novamente." O coração de nossa
rainha munificente não retém nenhuma das graças que ela recebe da generosa mão de Deus. Ela retorna a
todos para a primeira fonte e rega a terra estéril de nossos corações na medida necessária para torná-los
frutíferos para Deus e para a eternidade. "Para que possamos dar fruto a Deus." (13)

As palavras de São Bernardo sobre este assunto são as mais bonitas. Ele nos diz que Maria
deseja se tornar tudo para todos. Em sua abundante caridade, ela não nega a ninguém reivindicar seu Coração.
Ela abre a porta da sua misericórdia e os portais do seu generoso Coração a todos, para que todos possam
receber da sua plenitude. Para o cativo, ela traz a redenção; aos doentes, curando; aos aflitos, conforto; para
o pecador, perdão; aos justos, aumento da graça. Ela aumenta a alegria dos anjos; para o Filho de Deus ela
dá a substância da carne humana, e a glória da Santíssima Trindade e o louvor eterno. O amor e a caridade
do seu Coração se fazem sentir pelo próprio Criador e por todas as Suas criaturas. (14)

Sim, o admirável Coração de Maria é realmente um mar, sendo, depois de Nosso Senhor, a base
e sustento do mundo cristão. mar de caridade e amor, um mar mais sólido e firme do que aquele que sustentava
os pés de São Pedro enquanto caminhava sobre sua superfície. Seu coração é um meio mais forte que o
próprio firmamento, aquele mar de que São João fala no Apocalipse: "E à vista do trono estava, como se fosse,
um mar de vidro semelhante ao cristal; um mar de vidro misturado com fogo, e aqueles que venceram a besta
... de pé no mar de vidro, tendo as harpas de Deus ". (15)

Vamos estudar o simbolismo da visão do evangelista. O vidro é um produto que deve a sua
claridade, forma e perfeição à moldagem no calor do fogo intenso. Da mesma forma, o Coração de Maria foi
moldado no fogo que tudo consome da Santíssima Trindade, a fornalha do Espírito Santo, da qual é a obra
mais perfeita. Além disso, durante sua vida na Terra, o coração de Maria foi temperado, como o vidro, na
fornalha do sofrimento.

São João fala de vidro como cristal, significando vidro que é


ambos (12). Serm 5 de Nativ. B. Virg, cap. 12. (13). ROM. 7, 4. (14). Serm de
verbo. Apoc, Signum magnum. (15). Apoc. 4, 6 e 15, 2.

58- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

transparente e brilhante, absorvendo e irradiando luz clara, o mais vívido símbolo de pureza. O mar como cristal
é a média do coração de Maria brilhando em sua pureza impecável. O vidro feito pelo homem é escuro na
escuridão, precisando de luz para ser luminoso, brilhando mais brilhantemente no brilho direto do sol, refletindo
a medida de luz que recebe. Da mesma forma, o admirável Coração de Maria absorve e reflete mais
maravilhosamente o brilho celeste total do Sol Eterno.
Ela é o mar de cristal "à vista do Trono", isto é, diretamente diante do rosto da Divina Majestade,
toda a sua existência sendo para receber e refletir a imagem de Deus, não apenas como um mar, mas como
um espelho brilhante .

São João também fala da visão de um milagre, um mar misturado com fogo, e assim ele explica
as palavras inspiradas do Cântico dos Cânticos: "Muitas águas não podem." Amparo a caridade, nem as
inundações podem afogá-la. (16) Essas inundações representam a torrente de tristeza que envolveu o
coração de Maria, a Esposa Amada, particularmente durante a Paixão de seu Filho Divino. "... Virgem filha de
Sião, grande como o mar é a tua profunda aflição." (17) No entanto, mesmo o meio de tristeza não subjugou
o fogo do amor no coração de Maria, mas fez suas chamas brilharem mais intensamente.

O evangelista visualiza os santos de pé sobre o mar de cristal, porque a salvação deles foi
fundada sobre Maria e eles escolheram habitar com seu Filho Amado. Por causa dela, eles ganharam a graça
de cantar para sempre o cântico do Cordeiro, o hino de louvor, de alegria, de vitória sobre o mal; por isso estão
no mar do seu coração, ouvindo harpas.

Ó adorável Jesus, concede-nos que possamos cantar contigo, com Tua Mãe mais admirável, e
com toda a companhia dos santos, este cântico miraculoso em louvor do adorável Coração da Santíssima
Trindade, que é a fonte dos incontáveis maravilhas e perfeições que enriquecem o coração de Maria, o oceano
da graça e da caridade.

Ó Maria, tu, mar de amor, unquenched pela tristeza, eis meu coração, o menor e menor de
todos os corações, uma mera gota de água procurando unir-se com teu vasto oceano, para se perder em
tuas profundezas para sempre! Ó Maria, Rainha de todos os corações consagrados a Jesus, olhe para baixo
sobre a minúscula gota, meu indigno coração, ofereceu-te a ti, fundindo-te para sempre no mar do teu amor
resplandecente! Mãe da Misericórdia, tu vês-nos aqui embaixo, jogados sobre um mar tempestuoso de
provação e provação furiosa. Em tua grande misericórdia, digne-se a ser nossa força, nossa estrela-guia,
nosso sustento, isso, posição (16). Não posso 8, 7 (17). Lm 2, 13

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 59-

firme sobre aquele mar de cristal diante do Trono, teu Admirável Coração, que as tempestades não podem
atacar, podemos cantar sem medo:

"Teu coração real é nossa pura luz, nosso refúgio seguro. Por que Temo que a bondade dela
seja um firme apoio de nossas vidas. Nada pode incomodar nossos corações ”.

60-
CAPÍTULO V11

DO CORAÇÃO MARY, o Jardim do

Éden,jardim de Éden descrito no segundo e terceiro capítulos do Gênesis é uma das figuras mais expressivas
atraídos pela onipotente e onisciente mão de Deus para representar o coração de sua amada filha a bem-
aventurada Virgem Maria. Sua bondade infinita nos deu uma excelente imagem de seu coração imaculado. O
paraíso terrestre das Escrituras é a representação perfeita de outro paraíso; é o paraíso do primeiro homem,
Adão, retratando com perfeição o paraíso do Segundo homem, Jesus Cristo, nosso Redentor.

Para ver esta imagem em sua verdadeira luz, devemos considerar muitos
aspectos dela.
Nós começamos com o nome. Se consultarmos a Sagrada Escritura, aprenderemos que o
primeiro paraíso foi chamado de "paraíso do prazer", "eu" um lugar de prazer ". (2) O nome do jardim das
delícias pode muito bem ser aplicado ao admirável Coração da Mãe de Deus, verdadeiro paraíso do novo
homem, Jesus Cristo. É um jardim do Amado, um jardim escalado e duplamente trancado, um jardim de
delícias. O Espírito Divino dá três nomes ao Coração de Sua santa noiva, e eles contêm muitos significados
profundos.

Em primeiro lugar, o Coração de Maria é o Jardim do Amado. Não ouvimos o Espírito Santo
inspirando-a a dizer: "Que meu amado venha ao seu jardim". (3) Quem é a amada de quem ela fala? Não é
seu filho Jesus, o único e único objeto de seu amor? Em que jardim ela o convida a vir, se não é seu Coração
virginal, no qual Ele foi atraído, como dissemos, por sua humildade e seu amor? Tal é a explicação do sábio
Balingham. (4) O Jardim do Amado, portanto, é o Coração da Amada Noiva; o Coração de Maria é o Jardim
de Jesus. (1). Gênesis 2, 8. (2). Ibid. 2, 10. (3). Não posso 5, 1. (4). In locis commun. Saco. Roteiro. verbo
Cor. 4.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 61-

Em segundo lugar, o Coração Admirável da Mãe de Deus é um jardim selado. Sua esposa
celestial diz dela: "Minha irmã, minha esposa, é um jardim fechado, um jardim fechado, uma fonte fechada".
(5) Mas por que Ele repetiu duas vezes que é um jardim fechado? Ele, portanto, significa nos ensinar que o
Coração de Sua Amada Noiva está absolutamente fechado contra duas coisas: é fechado contra o pecado,
que junto com a serpente, o autor do pecado, nunca entrou lá: e está fechado contra o mundo e todos coisas
do mundo, contra tudo que não é Deus. Ele sozinho sempre ocupou este jardim inteiramente, e nunca existiu
lugar nele para qualquer outra coisa.

O terceiro nome dado pelo Espírito Santo refere-se à figura profética, o primeiro Paraíso, e Ele o
chama de jardim das delícias, locus voluptatis, (6) paradisus voluptatis.(7) O coração imaculado de Maria é
realmente um jardim de êxtase para o Filho de Deus, um jardim onde Ele experimentou alegrias que foram
Suas maiores delícias depois daquelas desfrutadas desde toda a eternidade no coração e no seio de Seu Pai
Eterno.

Se, Tu nos assegurar, 0 Jesus, tchapéu Teu prazer é estar com crianças morrem de homens, (8),
mesmo que eles estão cheios de pecado, ingratidão e infidelidade, o que não deve ter sido Tua alegria no
coração amável de Tua Mãe Santíssima, onde Tu nunca encontraste nada desagradável a Ti,

mas encontraste. Teu sempre elogiado, glorificado e amado mais perfeitamente do que no Paraíso dos
Querubins e Serafins? Pode-se dizer facilmente que, depois do adorável seio do Pai Eterno, nenhum lugar
jamais foi ou será tão santo, tão digno de Tua majestade, tão cheio de glória e contentamento para Teu deleite
como o Coração virginal de Tua mais amável Mãe.

Por isso é, 0 Salvador, que depois de ouvir o convite para entrar em seu jardim, isto é, seu
Coração, expressa nas palavras: "Deixe o meu amado entrar em seu jardim", (9) responder-lhe: "Eu sou
entra em minha casa, minha irmã, minha esposa, ajuntei minha mirra com minhas especiarias aromáticas:
Comi o favo de mel com meu mel, bebi meu vinho com meu leite. (10) A mirra representa as mortificações e
angústias do teu amoroso Coração que eu juntei, bem como todos os atos de virtude que praticaste por amor
a Mim, e eu os guardarei em meu Coração para sempre, para alegria e glória eternas. Eu também comi mel e
(5). Não posso 4, 12. (6). Gen 2, 8 e para.
(7). Ibid. 3, 23 e 24.
(8). Prov. 8, 3 1. (9). Não
posso 5, 1. (10). Ibid.
62- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

bebeu meu vinho e meu leite, isto é, encontro tantas delícias neste paraíso dado a mim pelo meu Pai
Celestial, que pareço estar constantemente me banqueteando com mel.

Essas palavras inspiradas certamente definem para nós o nome de


"paraíso".

Você deseja conhecer o Criador deste paraíso terrestre? Ouça a Palavra de Deus; "O Senhor
Deus plantou um paraíso de prazer desde o começo." (11) Foi Sua infinita bondade para com o primeiro Adão,
que impeliu Deus a plantar este primeiro paraíso para os homens e para a posteridade. Se os homens fossem
obedientes a Deus, teriam passado de um paraíso terreno e temporal para um paraíso eterno e celestial. O
insondável amor do Pai Eterno pelo segundo Adão, a saber, Seu Filho Divino, Jesus Cristo, levou-O também a criar um segundo paraíso
para Cristo e todos os Seus verdadeiros filhos, que permanecerão eternamente com seu Pai todo-bom. Ele faz
com que eles participem até agora, bem como por toda a eternidade, nas delícias santas e divinas que Ele
desfruta. Por esta razão, tendo dito à Sua Mãe mais digna que Ele entrou em seu jardim para comer Seu mel
e beber Seu vinho e leite, Ele se volta para Seus filhos e lhes diz: "Coma, 0 amigos, e beba, e seja inebriado,
meu querido amado ". (12)

Eu vejo três objetos principais no jardim do primeiro Adão. Eu sou a árvore da vida e a árvore do
conhecimento do bem e do mal, plantada no centro do Paraíso. Eu também sou muitas outras árvores sendo
todos os tipos de frutas, agradável de se olhar e delicioso de se provar.

No segundo Jardim, vejo árvores incomparavelmente melhores, das quais as primeiras são
apenas sombras. Eu vejo a verdadeira Árvore da Vida, Jesus Cristo, o único Filho de Deus, que o Pai plantou
no meio deste paraíso divino do Coração virginal da Sua Mãe Santíssima, quando o Anjo lhe disse: "O Senhor
está com te." Santo Agostinho, portanto, explica esta passagem: "O Senhor é contigo, para habitar primeiro no
teu coração e depois no teu ventre virginal, para encher a tua alma antes de descer para o teu seio casta." (13)

Não foi o fruto desta Árvore da Vida que nos restituiu a vida eterna que nós perdemos ao comer
outro fruto que nos foi dado por uma mulher cujo nome era Eva? Não foi o fruto da vida eterna dado a nós
pelas mãos de uma mulher celestial cujo nome era Maria? "O que você disse, 0 Adão?" exclama São
Bernardo. "A mulher que me deste deu-me do fruto e eu comi." Estas palavras tendem a aumentar a tua
culpa, ao invés de diminuí-la.Mudar esta desculpa injusta (11) Gênesis 2, 8. (12) Cant. 5, x (13) De sanctis,
serm A.

O CORAÇÃO DE DEUS PAI 63-

em palavras de gratidão, e diga: 'Senhor, a mulher que tu me deste, deu-me do fruto da Árvore da Vida, e eu
comi, e minha boca achou mais doce do que mel, porque este precioso fruto me restauraste à vida. "Então o
Santo acrescenta:" 0 Virgem maravilhosa, digna de toda honra! 0 mulher a quem é devida a mais alta
veneração, que é admirável acima de todos os outros, que reparou sua culpa e deu vida àqueles que virão
depois de ti " (14)

Tal é a primeira árvore que eu vejo no segundo Paraíso, o Coração Virginal de Maria, que é mais
do Céu do que da terra. Mas eu também sou eu a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, porque o Coração
luminoso e mais iluminado da Mãe de Deus foi preenchido com a ciência dos santos, com a sabedoria e a
ciência de Jesus Cristo, o Santo dos Santos. Seu Coração é a morada do Sol, sempre unido àquele em quem
todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento de Deus estão ocultos. O coração de Maria, portanto,
conhece perfeitamente o bem soberano, que é Deus, e o mal supremo, que é pecado. Ela não conhecia o
pecado, contudo, como Adão e Eva sabiam, transgredindo os mandamentos de Deus; ela conhece o pecado
à luz de Deus e como Deus sabe disso, odiando-o como Deus o odeia. O fruto desta árvore não a prejudicou,
pois o fruto da Árvore do Conhecimento no primeiro paraíso prejudicou o primeiro homem e mulher. Adão e
Eva perderam a si mesmos e sua posteridade comendo seus frutos, porque eles comiam contra a vontade de
Deus. Mas nossa verdadeira Eva, a verdadeira Mãe dos Viver, santificou-se e contribuiu para a santificação de
seus filhos comendo o fruto da Árvore do Conhecimento que Deus plantou em seu Coração. Ela comeu como
Deus, e como Deus desejava que ela comesse, isto é, usando seu conhecimento como Deus emprega Sua
onisciência divina, valendo-se de conhecimento apenas para amar a Deus como Deus ama a si mesmo, e odiar
o pecado como Deus odeia isso.

Deus disse de Adão, depois de seu pecado, em certo sentido implicando sua confusão e
condenação: "Eis que Adão se tornou como um de nós, conhecendo o bem e o mal". (15) assim também pode
dizer da nossa incomparável Virgem, mas num sentido que contribui para o seu louvor e glória: "Eis que Maria
se tornou como um de nós, conhecendo o bem e o mal da mesma forma que os conhecemos, e assim tornando-
se uma imagem clara de nossa santidade e perfeição ".

Eu vejo muitas outras árvores em nosso novo Jardim, isto é, no Coração de Maria, carregado de
excelentes frutos que são mais agradáveis à vista e deliciosos para o gosto. Dele que os plantou. Ela não
tem os mesmos frutos em mente quando diz a ela. Amada: "Que meu amado venha ao dele (14). Homil. 2,
SUP. Missus est. (15). Gênesis 3, 22.

64- O CORAÇÃO ADMIRADOR dE MARIA

jardim, e comer o fruto das suas macieiras? (16) é a sua fé, a sua esperança, sua caridade, sua submissão à
vontade divina, são tantas árvores sagradas plantada em seu coração e tendo uma infinita variedade de frutas
justas .

Sua pureza virginal é outra árvore celeste, que teve como fruto de frutas, Cristo, o Rei das virgens,
e mais tarde os milhares de virgens, que nunca vai ser encontrados na Igreja de zelo ardente Deus. de Maria
para glória de Deus ea salvação das almas é uma árvore divina que sustenta tantas frutas quantas as almas
em cuja salvação ela cooperou.Nossa Senhora fala desses frutos, que ela também chama de flores, quando,
no excesso de seu amor pelas almas, ela exclama: "Fique -me com flores, bússola-me com maçãs: porque eu
definham com amor ". (17) Com as flores, ela indica co almas nortistas que apenas começaram a servir a Deus;
com os frutos, aquelas almas que progrediram e são mais firmes em virtude.

Tais são as árvores encontradas no primeiro e no segundo jardim do Éden. Há flores que possam
ser encontradas lá? A Sagrada Escritura não menciona a presença de quaisquer flores no primeiro jardim;
todavia quem pode duvidar que um jardim de deleite deve ter contido flores em grande abundância? No entanto,
tenho certeza de que o jardim de Jesus está cheio de flores celestes, o mais belo e doce perfume imaginável.
O Coração da Mãe de Cristo é um canteiro de flores celestial, pontilhado com as flores sagradas de todas as
virtudes cristãs, flores imortais, que nunca desaparecem, cuja beleza arrebatadora e deliciosa fragrância
permanecem em cada estação. Eles enchem o universo com o seu doce perfume e dão alegria aos Anjos, sim,
até ao próprio Deus. São ao mesmo tempo flores e frutos, pois o Espírito Santo inspira as palavras: "Minhas
flores são o fruto da honra e das riquezas". (18)

O Rei Eterno adorna seu jardim com estas flores, e por meio de sua fragrância divina atrai
inumeráveis corações para si mesmo. Ele gatos destas frutas, que estão entre as escolhas mais escolhidas
de sua mesa celestial e dá-lhes como alimento para seus filhos. Ele nos assegura, além disso, que Ele
descansa e se refresca nas obras de misericórdia que estão entre as primeiras flores de Seu jardim: "Este é
meu descanso, fresco e cansado, e este é o meu refrescante". (19) Assim também Ele deleita com deleite
nos outros atos de virtude que procedem de corações devotados, e especialmente do Coração perfeito de
Sua Mãe gloriosa. Com eles Ele nutre e fortalece as almas de Seus filhos. (16). Não posso 5, 1 (17). Não
posso 2, 5. (18). Ecclus 24, 23. (19). É um. 28, 12.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 65-

Foi isso que Deus quis dizer quando entrou no Seu jardim, comeu seu mel e bebeu seu vinho
com leite, e então convidou seus amigos e filhos para comer, beber e ser inebriado com Ele. (20)

Entre as flores no Jardim de Maria para sua esposa divina, São Bernardo admira especialmente
o perfume das violetas, a brancura dos lírios e a cor brilhante das rosas. Aqui estão as suas palavras: "Tu és
um jardim fechado, 0 Mãe de Deus, em que abatemos todos os tipos de flores. Entre eles, contemplamos com
particular admiração as tuas violetas, teus lírios e tuas rosas, que enchem a casa de Deus com Sua doce
fragrância. Tu és, Maria, uma violeta de humildade, um lírio de castidade e uma rosa de caridade. (21) Podemos
acrescentar: "Tu és, 0 Maria, um cravo da misericórdia, um duplo cravo, pois o teu Coração maravilhoso está
cheio de misericórdia e compaixão, não só pelas nossas enfermidades corporais, mas ainda mais pela nossa
miséria espiritual, que é infinitamente mais doloroso e complexo do que nossos males corporais podem ser. 0
Mãe da Misericórdia, tenha piedade de todos que são infelizes e, especialmente, daqueles que permanecem
inconscientes de sua própria miséria. "

E agora vou para outro objeto a ser imaginado no paraíso terrestre. No segundo capítulo de
Gênesis, lemos que Deus trouxe ao primeiro homem os animais e os pássaros que Ele criou que Adão poderia
dar-lhes nomes adequados, como um sinal de seu domínio sobre eles e de sua

dependência dele. Vários doutores instruídos são da opinião de que Adão ofereceu alguns dos animais a
Deus em sacrifício na época.

Podemos agora perguntar se alguma das qualidades do Coração da Rainha do Céu pode ter sido
simbolizada por coisas tão humildes como animais e pássaros? Sim, e isso não deveria surpreendê-lo, já que
seu Filho, que é o próprio Deus, quis ser representado por bois, ovelhas, cordeiros e vários outros animais que,
sob a Antiga Lei, foram sacrificados a Deus.

O que, então, é representado pelos animais e pássaros submetidos por Deus ao domínio de Adão
no Paraíso? Eles representam as paixões naturais que têm seu assento no coração físico e corporal do homem.
Essas paixões são de dois tipos, ou seja, os instintos mais terrestres e animais, como raiva, ódio, medo, tristeza,
aversão, desconfiança, que são representados pelos animais, e as emoções mais espirituais, como amor,
desejo, Esperança, coragem e alegria tipificadas pelos pássaros.

Todas essas paixões existiram como vimos, (22) no Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria,
assim como elas são encontradas nos corações de todos os filhos de Adão, mas ela desfrutou do grande
privilégio que em seu Coração elas estavam completamente sujeitas a razão, assim como as bestas
selvagens estavam sob o total con (20). Não posso 5, 1. (21). Em deprecat. et laude ad B. Virg. (22). Veja a
Parte I, Capítulo 111.

66- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

trol de Adão no paraíso terrestre. O espírito de Cristo, o novo homem, reinou tão perfeitamente no Coração de
Maria e tão absolutamente governou suas paixões, que nunca experimentaram qualquer motivação contrária
à vontade de Deus. Ela nunca os empregou, exceto sob a orientação do Espírito Santo de Deus e para a glória
de Sua Divina Majestade. Ela nunca amou nada além de Deus; ela nunca desejou nada, exceto para agradá-
lo; ela não temia nada a não ser desagradá-lo. Todas as tarefas difíceis que ela empreendeu foram realizadas
em Seu serviço e para Sua glória, a única causa de sua alegria, mesmo quando a ofensa e a desonra oferecidas
pelo pecado eram os únicos motivos de seu ódio, sua aversão e sua raiva. Então verdadeiramente suas paixões
naturais foram elevadas e quase aniquiladas para o mundo e todos os objetos mundanos e preocupações,
mesmo em relação a ela e seus próprios interesses, que suas emoções existiam e vibravam apenas pelo que
agradava àquele que possuía, animava e dirigia em todos os pensamentos.

A partir disso, aprendemos que o Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria era verdadeiramente
o Paraíso Terrestre, no qual não havia guerra, problemas ou desordens de qualquer espécie, mas paz,
tranqüilidade e ordem maravilhosa, combinadas com incessante louvor e adoração ao Deus que havia
estabelecido Seu trono neste Paraíso. Todas as suas paixões, estando inteiramente sujeitas à razão e ao
Espírito de Deus, e perfeitamente misturadas, abençoaram-no e louvaram-No com admirável harmonia na
variedade de seus distintos movimentos, usos e funções. Todos foram guiados pelo mesmo Espírito e todos
dirigidos para o mesmo fim, para glorificar a Divina Majestade.

Agora vamos estudar os jardineiros. No primeiro paraíso terrestre, Adão foi designado "para vesti-
lo e mantê-lo" (23), mas em vez de cultivar seu belo jardim, ele o vendeu a seu arquiinimigo, a serpente, por
um mero sabor do fruto proibido. . Em vez de cultivar o Jardim do Éden, Adão trouxe o pecado para dentro,
enchendo-o de espinhos e cardos. Que guardião infiel! Que jardineiro malvado!

Mas no segundo Paraíso, o jardim fechado do Coração de Maria, o jardineiro é Sabedoria,


eterno, vigilante e fiel, e os três jardineiros assistentes são o Amor, que escava e prepara

o solo para receber a semente da inspiração celestial, Graça que semeia a semente e a paciência que a cultiva
para a fruição pela perseverança. Assim, as flores do coração de Maria tornam-se cada vez mais belas, mais
admiráveis para nós e mais agradáveis a Deus, enquanto os frutos do seu jardim multiplicam cem mil vezes.

Quanto ao significado dos eventos que ocorreram, considero que o casamento de nossos
Primeiros Pais no Jardim do Éden, uma união santa designada diretamente por Deus, era um símbolo da
união hipostática entre os (23). Gênesis 2, 15

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 67-

divindade e humanidade da Palavra Eterna, e a aliança mística de Nosso Salvador e Sua Igreja. No entanto,
onde estava o contrato para essas alianças divinas elaborado, se não no Jardim do coração de Maria, a serva
de Deus Todo-Poderoso e a amada Esposa do Espírito Santo? Realizaram-se as negociações secretas e
inefáveis entre o Pai Eterno e a Santíssima Virgem sobre o mistério da Encarnação. Lá ela fez a oferenda e
rendeu-se à Divina Vontade, e deu seu consentimento para ter uma parte nos Esponsais Divinos, não somente
entre a augusta Trindade e ela mesma, mas entre a natureza divina e humana, entre o Filho de Deus e o Santo.
Igreja.

No jardim original do Paraíso, Deus procurou o homem, dizendo "onde estás tu?" (24), porque o
pecado fez com que Adão se escondesse e se apagasse de medo. No segundo Paraíso, Deus procurou se
esconder e Sua grande glória por amor, escondendo Seu esplendor real para que os Três Reis, que vieram de
longe para adorá-lo, tivessem que perguntar: "Onde ele está?" Foi o pecado que causou a aniquilação de Adão,
mas o amor alcançou a aniquilação do novo Adão, o Filho de Deus, que desceu ao jardim de Maria para nos
tirar do nada do pecado.

No primeiro jardim, Deus pronunciou a sentença sobre a serpente: "A mulher esmagará a tua
cabeça e te esperará o calcanhar". (25) No jardim do coração de Maria, este pronunciamento foi cumprido. Sua
Imaculada Conceição esmagou o pecado original, sua santidade derrotou os poderes do mal e seu amor obteve
a comutação de nossa sentença de morte, trazendo-nos o Salvador do mundo. (26) O
homem, tendo se rebelado contra Deus no primeiro paraíso, foi levado daquele jardim e banido
para sempre com toda a sua posteridade, e no portão foi colocado um anjo com uma espada flamejante na
mão para evitar que os filhos de Adão voltassem ao Jardim do Éden. A partir disso aprendemos que para entrar
e compartilhar o segundo paraíso, ou seja, o coração puro da Mãe do novo Adão, devemos deixar de ser filhos
de Adão e nos tornar filhos de Jesus Cristo, isto é, nossa velha vida deve morrer.

Essa morte parece temerosa; a espada dos querubins é aterrorizante; no entanto, na verdade, é
uma espada de amor, que fere ou mesmo mata os abençoados, a fim de curar suas almas e fazê-las viver a
vida de Deus. "Preciosa aos olhos do Senhor é a morte dos seus santos" (27) diz a Sagrada Escritura,
significando a morte que não é a morte, mas o começo da vida eterna. (24). Gên. 3, 9. (25). Gn 3, 15. (26).
Cf. São João Damasceno: Orat 2 de domit. B. Mariae (27). Ps. 115, 15.

68-ADMIRADO O CORAÇÃODE MARIA

Agora que eu lhe mostrei, caro leitor, o admirável Coração de Maria como o jardim do deleite do
Deus-Homem, eu o advertiria que seu próprio coração deve ser um dos dois. coisas, seja um inferno de
tormento para si mesmo, ou um paraíso de prazeres para você e para Jesus Cristo. Se você banir o pecado e
o amor próprio do jardim do seu coração, abrindo a porta para a graça e para o Rei da Virtude, Ele entrará e
encontrará repouso naquele lugar. (28) Se você afastar a graça e a mortificação, deixando o pecado crescer
em seu jardim, então os demônios entrarão e farão sua morada, um verdadeiro inferno em vez do paraíso.
Mas se você se esforça para imitar Maria, sua Rainha, cuidando de seu coração com sabedoria, amor, graça
e paciência, Deus não recusará a medida completa de Seus dons para que você possa cultivar seu jardim
frutiferamente e fazê-lo, como o de Maria. um paraíso de prazer para o seu Senhor e Salvador, bem como um
lugar de descanso, profunda doçura e paz para si mesmo. (28). Prov. 15, 15.

69-
TERCEIRA
PARTE

Seis Imagens Simbólicas Adicionais


71-
Parte Três

Seis Imagens Simbólicas Adicionais

CAPÍTULO I

O CORAÇÃO DE MARIA, A ARBITRAGEM QUEIMA DE


MOISÉS

JOHN GERSON, muito instruído e devoto chanceler da famosa Universidade de Paris, ao comentar sobre o
Magnificat , diz que coração incomparável de Maria foi prefigurada pela sarça ardente visto por Moisés no
Monte Horebe. (1) Gerson não fala assim, sem uma boa razão. O espetáculo extraordinário de um arbusto
queimando em meio a um fogo ardente, sem ser consumido, é uma bela representação do Coração de Maria,
que ele retrata com perfeição de várias maneiras.
Primeiro, devemos considerar que a montanha em cujas encostas o mato cresceu é chamada na
Sagrada Escritura de "a montanha de Deus", mons Dei. (2) também é falado como "uma montanha sagrada",
pois Moisés ouviu uma voz dizendo-lhe: "O lugar em que tu estás é terra santa." (3) Nós seremos facilmente
convencidos, portanto, que representa a Santíssima Virgem Maria, que é a verdadeira montanha de Deus, uma
montanha de santidade da qual podemos bem dizer com São Gregório Magno (4) que ela é a montanha predita
pelo Profeta Isaías como o pico que se eleva acima de todas as outras alturas: "Uma montanha ... no topo das
montanhas", (5) porque Deus a criou em dignidade, em santidade e poder acima do chefe Serafim e do maiores
santos.

Em segundo lugar, não devemos desprezar esse arbusto insignificante, um arbusto humilde, a
menor de todas as plantas. Pelo contrário, devemos considerá-lo com (1). Altare Cordis (Mariae) em quo
sempre ignis ardebat holocausti. Fuit enim rubus ardens incombustus. Trato. 9 super Magnificat, parte. 1. (2).
Exod, 3, 1. (3). Ibid-3, 5. (4). Na Reg. 1. (5). É um. 2, 2.

72-ADMIRADOR O CORAÇÃODE MARIA

respeita, pois Deus honrou tanto este arbusto quanto o escolheu de preferência aos cedros mais altos do
Líbano para esta manifestação de Sua glória, em meio ao fogo e às chamas de sua chama miraculosa. Você
saberia o motivo disso? Ouça o Espírito Santo: "O Senhor é alto e olha para baixo; e o alto conhece de longe.
(6) Embora Deus seja altíssimo e infinitamente superior às Suas criaturas, no entanto, deleita Sua Divina
Providência a olhar com olho bondoso e amoroso para com o que é pequeno e humilde.Embora Ele se
aproxima dos humildes, Ele observa os grandes e poderosos de longe, como se Ele os desconsiderasse e
desprezasse.E

assim Ele foi atraído pela humildade de Maria, Sua serva. Respexit humilitatem ancillae suae (7)
São Bernardo fala como segue a profunda humildade do Coração de Maria: "Ela que em sua mente e coração
era a menor de todas as criaturas, foi justamente a primeira, porque, embora ela foi na verdade a primeira, ela
se considerou a última. "(8) Esta humildade dado

RainhaCoração dos Céus é representada pela humildade do misterioso mato do monte Horebe.

Em terceiro lugar, não devemos ficar assustados ou horrorizados espinhos afiados que guardam
este arbusto por todos os lados, fora e dentro. Isto deveria, ao contrário, nos fazer amar mais, porque o próprio
Deus a ama por esse motivo. É óbvio que Deus ama todas as Suas criaturas e não odeia nenhuma das obras
de Suas mãos, pois está escrito: "Tu amas tudo o que és e não aborreces nenhuma das coisas que fizeste."
(9) Também é óbvio que Deus acariciou um amor especialmente terno por este pequeno arbusto, que Seu
Coração estava lá e que Ele sentiu prazer nele. Ele escolheu para ser Seu trono, o lugar onde Ele manifestaria
Sua glória ao Seu servo Moisés, onde Ele falaria ao Seu profeta, revelaria os segredos divinos e revelaria Seus
desígnios providenciais para libertar o Povo Escolhido da servidão egípcia.Deus amou a sarça ardente porque o fogo que o
envolvia sem consumi-lo representava o fogo do amor divino que enchia o Coração de Maria, um amor muito superior
ao de todos os corações dos homens e dos anjos. Os espinhos simbolizavam a tristeza amarga e a angústia
indescritível que perfuravam o Coração da Mãe de Deus, sofrendo que ela aceitava pelo amor de Deus e pela
salvação da humanidade.

Além disso, Deus desceu do céu para o mato no Monte Horebe e se manifestou a Moisés, "na
chama do fogo", para mostrar o Seu amor e caridade para com o seu povo, e falou "do meio do (6)". 137, 6.
(7), Lucas 1, 48 (8) Em Assunção, Serm 5, De Verbo Apoc Signum Magnum (9), Wisdom 11, 25.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 73-


bush, "ou de acordo com outra versão" do coração do mato ", para declarar sua intenção de libertar os filhos
de Israel do cativeiro do faraó através da instrumentalidade de Moisés. De igual modo o Filho de Deus, no
excesso do seu amor, desceu do seio do Pai Eterno ao Coração da sua Mãe, resplandecente como foi com
amor a Deus e caridade para com os homens, a fim de realizar a nossa redenção e associá-la a si mesmo
como o instrumento desta grande obra.

Deus permaneceu na sarça ardente por pouco tempo, mas sempre esteve e permanecerá para
sempre no Coração de nossa Mãe gloriosa. Deus in medio ejus, non commovebitur? (10) Deus está no meio
dela, não deve ser movido. "De acordo com outra tradução, Deus em intimo ejus non amovebitur, " Deus está
no mais íntimo Coração e nunca partirá dele ".

A principal característica que devemos considerar sobre a sarça ardente, no entanto, é marcada
pelas palavras de Moisés: "Eu irei e verei esta grande visão, porque a sarça não está queimada". (11) O texto
sagrado diz que Moisés viu a sarça no meio de um resplandecente fogo, que no entanto não o destruiu. "Ele
viu que o mato estava em chamas e não foi queimado." (12)

Este é realmente um grande milagre. No entanto, é apenas uma figura da maravilha muito maior
que teve lugar no Coração de nossa admirável Mãe. O Coração de Maria era uma galáxia de maravilhas, e
uma das mais estupendas foi que, enquanto a Mãe do Belo Amor permaneceu neste mundo, seu Coração se
inflamou de amor a Deus a tal intensidade que esta chama sagrada ter consumido sua vida corporal se ela não
tivesse sido milagrosamente preservada em meio a fervor celeste. Foi, portanto, uma grande surpresa
contemplar Nossa Senhora vivendo rodeada de fogo celestial, sem ser aniquilada, do que observar a sarça
ardente de Moisés no meio do fogo sem ser consumida.

Do exposto podemos concluir, portanto, que a sarça ardente do Monte Horebe era de fato uma
representação significativa do Coração mais Sagrado da Mãe de Deus.

Da mesma forma, querido leitor, não esqueça que seu coração deve arder com o fogo amoroso
que acendeu o Coração virginal de Maria, o fogo que o Filho de Deus veio espalhar sobre a terra, ou deve
queimar para sempre na terrível conflagração preparada para o diabo e suas coortes. Oh, que diferença entre
esses dois tipos de fogo! As chamas devoradoras (10). Ps. 45, 6. (11). Êx, 3, 3. (12). Ibid. 3, 6.

74- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA

que atormenta eternamente sem consumir, e as deliciosas e alegres chamas que constantemente invadem
os corações dos ardentes serafins!

Alegre-se, cada um de vocês que lê ou ouve estas palavras! Dê graças a Deus que você ainda
está vivo, que o seu ainda é o poder de escolher qual desses fogos acenderá seu coração. Esforce-se
seriamente para extinguir a chama do amor-próprio, do mundanismo, da queima da raiva, da luxúria, da inveja
e da ambição. Entregue seu coração inteiramente a Jesus Cristo, pedindo a Ele para atear fogo ao Seu amor.
Para este propósito não há melhor oração do que as palavras de Santo Agostinho:

"0 fogo divino que queima sempre e nunca se extingue; 0 amor sempre ardente e nunca esfriando,
acende meu ser! Põe-me no fogo completamente, para que eu pode se tornar nada mais que uma chama
brilhante de amor por Ti. "

75-
CAPÍTULO 11
DO CORAÇÃO MARY, a harpa de Davi

a harpa misteriosa do Rei Davi, mencionado em diversas passagens da Sagrada Escritura, é uma outra imagem
simbólica do Sagrado Coração de Maria. é uma representação excelente porque seu coração puro era de fato
a harpa do verdadeiro Davi, a saber, Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele fez isso com suas próprias bandas; Ele
sozinho sempre possuiu isto. Nenhum outro dedo, a não ser Ele, jamais evocou suas melodias, porque seu
coração virginal nunca vibrava com sentimentos, afeições ou impulsos que não fossem inspirados pelo Espírito
Santo.

As cordas desta harpa real são as virtudes do Coração de Maria, especialmente sua fé,
esperança, amor a Deus, caridade para com o próximo, religião, humildade, pureza, obediência, paciência,
misericórdia, ódio ao pecado, amor à cruz. Nestas doze cordas o Divino Espírito tocou com maravilhosa
harmonia melodiosos cânticos de amor que encantaram tão grandemente os ouvidos do Pai Eterno que Ele
esqueceu a sua ira contra os pecadores, Ele pôs de lado os raios com os quais prometeu destruir a humanidade
e deu Seu próprio Filho seja o Salvador da humanidade.

A Sagrada Escritura nos diz que o rei Davi empregou sua harpa especialmente em quatro grandes
ocasiões e nós, Jesus, o Filho de Davi, usando Sua harpa mística para realizar quatro realizações infinitamente
maiores.

No primeiro caso, Davi, o homem de Deus, pelo simples som de sua harpa, pôs em fuga o espírito
maligno que possuía Saul. Da mesma forma, o novo Davi usou o Coração de Sua Mãe amorosa como uma
harpa sublime e, consequentemente, libertado por sua música divina, a raça humana que se humilhava sob o
domínio maligno de Satanás.

O profeta Davi também empregou Sua harpa para cantar muitos salmos e cânticos à honra e
glória de Deus. Nosso verdadeiro Davi, da mesma forma, cantou com Seu instrumento cinco tipos de cânticos
em louvor à Santíssima Trindade. Os primeiros eram cânticos de amor, o amor mais forte, mais puro e mais
perfeito que já existiu ou será. A segunda eram cânticos de louvor e ação de graças que ~ para os benefícios
da bondade divina em nome de todas as criaturas, para a Virgem Maria não limitou-se a agradecer

76- O CORAÇÃO admirável de MARY

Deus pelos favores infinitas que ela recebeu de Sua mão , mas ela O louvou incessantemente pelas graças
que Ele derrama sobre todos os seres criados. O terceiro eram cânticos de tristeza, angústia e luto no tempo
dos sofrimentos e morte de seu amado Filho. O quarto eram cânticos de triunfo para todas as vitórias
conquistadas por ela como general dos grandes exércitos do rei sobre seus inimigos e, podemos realmente
dizer, sobre si mesmo, tendo tantas vezes desarmado a vingança divina quando estava pronta para destruir o
mundo e punir seus inimigos. inumeráveis crimes. O quinto foram cânticos de profecia para anunciar os grandes
desígnios de Deus para o futuro, muitos dos quais foram profetizados pela Rainha dos Profetas no cântico
maravilhoso que ela compôs quando cumprimentou sua prima Santa Isabel.

O terceiro propósito para o qual o rei Davi usou sua harpa foi louvar a Deus e especialmente
louvá-lo com alegria. De igual modo, Cristo, o segundo Davi, não apenas sintonizou o sagrado Coração de sua
Mãe para louvar e abençoar Sua divina Majestade em todos os sentidos, mas também induziu Maria a buscar
sua alegria e felicidade exclusivamente em Seus louvores e em todos os atos que realizou. para sua glória e
em seu serviço.

O rei Davi escolheu como a quarta função de sua harpa para excitar e atrair outros homens para
o louvor de Deus, com corações cheios de alegria e alegria. Assim também Cristo, o Rei, atrai almas
inumeráveis para o amor e louvor de Seu Pai celestial pelo doce som de Sua preciosa harpa, isto é, por meio
do bendito Coração de Sua Mãe gloriosa. “As virtudes extraordinárias do seu vibrante Coração ressoam tão
ruidosamente e harmoniosamente em toda a Igreja Cristã que incontáveis pessoas de todas as patentes e
condições se veem impelidas a imitar as perfeições que a adornam, começando assim a realizar na terra aquilo
que os anjos e santos alcançam. no paraíso. Em outras palavras, eles colocam todo o seu contentamento e
felicidade em tudo o que diz respeito ao soberano monarca no céu e na terra.

Outro ponto digno de menção especial é que Cristo, nosso adorável Davi, possui muitas outras
harpas dadas a Ele pelo Pai Eterno para satisfazer seu desejo ilimitado de ouvir o louvor a Deus
incessantemente em todo lugar, em todo tempo, em todas as coisas e em todas as coisas. todos os sentidos.

Sua primeira e soberana harpa é o seu próprio Sagrado Coração. É essa harpa da qual Ele fala
quando diz: "Cantarei a ti com a harpa, ó santo de Israel". (1) Nesta harpa, de fato, Ele cantou continuamente
durante Sua vida mortal na terra, e eternamente cantará na glória do céu milhares de cânticos de amor,
louvor e ação de graças a Seu Pai celestial, em Sua própria casa assim como em nome de todos os seus
membros e de todas as criaturas que Deus criou. Mas o amor que inspira esses cânticos (1). Ps. 70, 22.

O CORAÇÃO DE DEUS PAI 77-

é infinitamente mais alto, seu canto é incomensuravelmente mais sagrado que os dos cânticos que Ele canta
em Sua segunda harpa, que acabamos de descrever, ou seja, o Coração de Sua Mãe inigualável.

Estes dois Corações e estas duas Harpas são, no entanto, tão intimamente sintonizados que, em
certo sentido, constituem uma única harpa, vibrando em uníssono, emitindo apenas um som e uma canção,
cantando o mesmo cântico de amor. Se o primeiro soa um cântico de louvor, o segundo o ecoa com seus
próprios acordes. Se o Coração de Jesus ama a Deus Pai, o Coração de Maria se une nesse amor; se o
Coração de Jesus se derrama em ação de graças diante da Santíssima Trindade, o Coração de Maria canta
um hino idêntico de gratidão. O Coração de Maria ama e odeia tudo o que o Coração de Jesus ama e odeia.
O que alegra o Coração do Filho também regozija o Coração da Mãe; o que crucifica o Coração do Filho
também une o Coração da Mãe à Cruz. "Jesus e Maria", diz Santo Agostinho, "eram duas harpas místicas. O
que soou em uma, também soou na outra, mesmo que ninguém a tocasse. Quando Jesus estava em tristeza,
Maria estava em tristeza; quando Jesus estava crucificado, Maria foi crucificada ". (2)

O Pai Eterno deu ao Seu Divino Filho outras inumeráveis harpas, a saber, o coração de todos os
anjos e santos, para louvar e glorificar Seu Pai Todo-Poderoso enquanto eram peregrinos na terra, e
eternamente louvá-lo e glorificá-lo em bem aventurança. eternidade. Toda a glória, honra e louvor que sempre
foi ou será entregue a Deus o Pai pelos anjos e santos foi e será prestada através do Seu Divino Filho, Jesus
Cristo. "Por Ele, e com Ele, e Nele, é para ti, Deus Pai Todo-Poderoso, toda honra e glória."

Estas são as harpas mencionadas em várias passagens do Apocalipse, (3) onde São João nos
diz que Deus permitiu que contemplasse os santos, todos segurando harpas, sobre as quais cantavam muitos
cânticos em honra ao Cordeiro de Deus. Mas um autor culto, (4) em seus comentários sobre o Apocalipse
percebe uma diferença marcante entre essas harpas e a harpa da Mãe de Deus. Os primeiros, enquanto na
terra, eram muitas vezes discordantes, devido à fraqueza e fragilidade humanas, e às vezes cansavam de
louvar a Deus; por isso, era necessário sintonizá-los de tempos em tempos e instá-los a cumprir seu dever.

A harpa da rainha de todos os santos, por outro lado, nunca sofreu nenhum enfraquecimento ou interrupção
em sua canção, tendo louvado e glorificado a Santíssima Trindade com um amor imutável e a mais perfeita
harmonia. Daí Viegas diz que Nossa Senhora não exclamar, como though exortando-se: Magnificat, anima
mea, (2). Serm. de passagem. Dom. (3). Apoc. 5, 8; 14, 2; 15, 2 (4). Viegas, em Apoc.

78-ADMIRADOR O CORAÇÃODE MARIA


Dominum, mas Magnificat "anima mea Dominum; (5) não" 0 minha alma, engrandece o Senhor ", mas"
o pano da minha alma engrandece o Senhor ".

O Pai Eterno deu ao Seu Filho Amado outra harpa que, como os corações de todos os cristãos,
destina-se a entoar louvores ao Seu Santo Nome, e esta harpa é o seu próprio coração.Tenha cuidado para
não seguir o exemplo miserável daqueles que tiram de Cristo os corações dados a Ele pelo Céu Celestial. Pai
e comprado pelo Seu Precioso Sangue Ao contrário de um instrumento comum, a harpa do teu coração não
pode permanecer em silêncio, deve ser tocada pela mão de Deus ou pela mão do diabo, ou cantará os cânticos
divinos de Nossa Senhora. e dos santos, ou ecoará as canções amaldiçoadas e infelizes dos mundanos aqui
embaixo em desonra a Deus seu Criador, e vibrar eternamente com as blasfêmias e as horríveis fúnebres dos
condenados no inferno

Para fazer de seu coração uma harpa de Nossa Salvador, o verdadeiro David, você deve
arrancar a corda s de vício e substituí-los com as cordas da virtude, que devem ser ajustadas em sintonia
com a paz e caridade dos corações de seus semelhantes. Soem a sua harpa em uníssono com os peitos
inspirados dos verdadeiros cristãos, da hoste angélica e dos santos, acima de tudo com a sublime Harpa do
Coração de Maria, Rainha de todos os santos, unindo-se ao coro de louvores Rod amor do Deus Todo-
Poderoso , liderado pelo Harpista Real, Nosso Senhor, "cantando em uma só voz: Santo, Santo, Santo,
Senhor Deus dos Exércitos". (5). Lucas 1, 46.

79-
CAPÍTULO III

DO CORAÇÃO MARY, o trono do rei Salomão

Entre as muitas belas qualidades atribuídas pelo Espírito Santo à Santíssima Virgem Maria, se destaca
proeminentemente. Ela está contida nestas palavras do oitavo e sexto salmo, que a Santa Igreja e seus
Doutores aplicam à Mãe de Deus: "Coisas gloriosas são ditas sobre ti, a cidade de Deus". (1)

Maria é realmente a grande e gloriosa cidade de Deus, a cidade santa, a cidade de Jerusalém, a
cidade da paz, a cidade real, "a cidade do grande Rei". (2) O Rei dos Reis construiu este cidade com as próprias
mãos; Ele a isentou inteiramente do infame tributo do pecado; Ele a honrou com inúmeros privilégios grandes
e extraordinários; Ele a enriqueceu com presentes e tesouros inestimáveis e estabeleceu Sua primeira e mais
gloriosa morada dentro de seu Coração. Nela Ele escolheu revelar as mais raras maravilhas de Seu poder e
magnificência real.

Ó cidade santa de Deus, que coisas elevadas e admiráveis devem ser ditas e pensadas em ti! Tu
não és apenas a cidade do grande Rei, a incomparável Virgem, tu és também o Seu palácio real e eterno.
"Sim", diz São Boaventura, "esta donzela celestial é o palácio sagrado do grande Deus: Sacratum Dei palatium!
(3) Agora, se Maria é o palácio do Rei dos Reis, seu coração deve ser o trono imperial do Rei." .

este magnífico trono está perfeitamente representada pelo trono do rei Salomão, conforme
descrito no Livro dos Reis (4). Lemos ali que este grande rei erigido um trono de marfim em sua casa na
Lebanus e cobriu-a de ouro brilhante. Six os degraus levavam a este trono, o topo era arredondado na parte
de trás, e havia duas mãos de cada lado para segurar o assento, com dois grandes leões de pé perto,
enquanto pequenos leões ficavam de cada lado dos seis degraus. era qualquer trono semelhante feito em
qualquer reino do mundo. (1). Sl 86, 3 (2). Sl 47, 3 (3). Em Carminibus super Salve Regina. (4). 3 Reis 10, 18-
20.

80- O CORAÇÃO ADMIRADO DE MARIA


Há outro trono do rei Salomão que também representa o Coração de Nossa Senhora com mais
perfeição.O terceiro capítulo do Cântico de Cant icles descreve da seguinte maneira: "O rei Salomão fez dele
uma liteira do bosque do Libano. As colunas de prata que ele fez, a sede de ouro, o subir de púrpura: o meio
ele cobriu com caridade para as filhas de Jerusalém ". (5)

No mesmo capítulo, imediatamente antes da descrição deste trono é feita menção da cama de
Salomão com as seguintes palavras: "Eis que sessenta valentes dos mais valentes de Israel cercaram o leito
de Salomão. Todos segurando espadas e mais peritos em guerra; espada de cada homem sobre sua coxa,
por causa dos medos da noite. "(6)

O que tudo isso significa? Aqui está a resposta.

O trono e o leito de Salomão simbolizam a mesma representação, ou seja, o sagrado Coração da


Rainha do Senhor. mundo, o divã representando o Coração em contemplação, a ninhada descrevendo nele
ação.O Coração de Maria é ao mesmo tempo o trono e o leito do verdadeiro Salomão, Jesus Cristo, Nosso
Senhor.É a cama sobre a qual Ele descansa na doçura e calma da contemplação É a

ninhada em que o amor e a caridade o colocam neste trono, levam-no de um lugar para outro, para reinar
em toda a parte, para a glória de Deus e a salvação das almas Um ilustre comentarista exprime um pensamento
semelhante quando ele diz: "A cama de Salomão representa o coração descansando na doçura da
contemplação. Sua ninhada é o coração que se move no exercício de boas obras. ”(7)

Quem são os valentes que cercam a cama de Salomão bem armados e peritos em guerra? De
acordo com São Bernardo e vários outros doutores doutos, eles são os anjos e os O mais poderoso entre os
anjos, ou seja, os Serafins, que armados com a força de Deus e peritos no combate contra Seus inimigos,
sempre vigiavam o coração seráfico de sua Imperatriz, na noite escura do mundo. é, eles impediram que os
poderes das trevas se aproximassem e de alguma forma perturbassem o divino Salomão quando Ele
descansasse neste sagrado leito. (8)

Mas voltemos para a liteira de Salomão. Ele o projetou com suas próprias mãos como o trono
do palácio. no Líbano: Fecit sibi. (9) De maneira semelhante, nosso adorável Salomão é ele mesmo o autor
da incomparável obra prima do Coração de Maria, Ele preparou para Si um trono digno (5) .Cant. 3, 9-10 (6).
Cant. 3, 7-8. (7) .Hugh de St. Victor, Erudit, Theolog., Lib. 1, tit. 61. (8). S. Berna em Deprecat. ad Virgin;
Honório Augusto. Presbítero. (9). Não posso 3, 9.

O CORAÇÃO DE DEUS O PAI 81 -

de Sua infinita grandeza e eterna majestade no augusto Coração de Sua Mãe gloriosa.

Temos boas razões para chamar a liteira de Salomão de figura do trono do Rei dos Reis, a saber,
do Coração da Mãe Santíssima deste grande Rei. São Gregório de Nissa nos diz que este trono de Salomão
é "uma figura do coração de todo cristão fiel" (10) e um famoso Doutor diz que "o coração do verdadeiro cristão
é a liteira do Filho de Deus, porque vai onde o que ele carrega quer que ele vá, e nunca em outro lugar ". (11)
Isto se cumpriu mais perfeitamente no Coração da Santa Virgem do que nos corações das mais santas das
criaturas. Seu Coração virginal nunca experimentou inclinações ou afeições além daquelas derivadas do
Mestre que detinha absoluta influência sobre ele.

O trono de Salomão foi feito de madeira incorruptível do cedro do Líbano, para mostrar que o
Coração Imaculado da Mãe de Deus não só foi preservado da corrupção do pecado, mas também que sua
superabundância de graças celestes o tornou incapaz de pecar pela graça, como Deus é incapaz de pecar por
natureza.

As quatro colunas do trono de Salomão são as quatro virtudes cardeais, que sustentam o trono
do verdadeiro Salomão: a justiça, a prudência, a fortaleza e a temperança. Os pilares de prata denotam a
sinceridade da inocência preservada no coração que os possui. Este símbolo foi eminentemente verificado no
mais puro e inocente Coração da Rainha de todas as virtudes.

A cadeira de ouro representa o livre-arbítrio transformado pelo amor no adorável amor de Deus.
Pode ser verdadeiramente dito com Davi, o Profeta Real: "O que quer que aconteça comigo, minha alma
confiará no Senhor em todas as coisas, com humildade e submissão à Sua vontade. Dele é a minha salvação.
Ele é meu Deus, minha fortaleza, minha rocha viva, nada pode me abalar ". (12) Todo ser humano que atinge
esse estado de submissão torna-se a sede do trono de Jesus e, na vontade de Sua Mãe Santíssima, isso foi
realizado da maneira mais perfeita. Portanto, São Pedro Damião chama-lhe "a sede de ouro em que, após o
tumulto e desordem ocasionada pelos pecados de anjos e homens, Ele procurou e encontrou