Você está na página 1de 54

Software Livre como fator de

Inovação e Competitividade
para Pequenas e Médias
empresas de TIC

Luciano Cunha de Sousa


Secretaria de Tecnologia Industrial
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
Brasil – um país pouco inovador
O jornal britânico The Economist divulgou, em abril
de 2009, o Índice Global de Inovação (2004-2008)
no qual o Brasil é o 49º colocado entre um grupo de
82 países – o país caiu uma posição desde o último
levantamento feito para o período de 2002-2006,
ficando atrás de países como Argentina (42ª) e
México (48ª). O relatório mostra ainda que a China
subiu da 59ª para 54ª posição e a Índia saltou da 58ª
para a 56ª. Para o próximo período (2009-2013) a
previsão é que a China alcance o 46º lugar, a Índia o
54ª e o Brasil mantenha sua posição.
Brasil – um país pouco competitivo

Índice de Preparo em TIC (NRI) vs.


CGI Índice Global de competitividade (CGI) 2007-2008

As TICs são
fundamentais
para
competitividade

NRI
Fonte:WEF, Global Competitiviness Report global IT report, 2007-2008
Contribuição das TIC para o crescimento do PIB

Contribuição do capital de TIC para crescimento econômico,


em porcentagem, por região

Fonte: Jorgenson , Dale W. and Vu, Khuong, Information Technology and the World Economy. Scandinavian Journal of Economics, Vol.
107, No. 4, pp. 631-650, December 2005.
Número de inovações de grandes e pequenas empresas
nas indústrias mais inovadoras (1982)
Indústria Inovações Grandes Pequenas
totais firmas firmas

Equipamento de computação eletrônica 395 158 227


Instrumentos de controle de processo 165 68 93
Componentes eletrônicos 128 54 73
Instrumentos científicos e de engenharia 126 43 83
Produtos plásticos 107 22 82
Medidores de eletricidade 77 28 47
Equipamentos médicos e cirúrgicos 66 30 36
Controles industriais 61 15 46

Válvulas e conexões 54 20 33
Equipamentos de medida e controle 52 3 45
Estruturas metálicas 35 12 17

Lentes e instrumentos óticos 34 12 21


Materiais sanitários e para polir 33 13 19
Caminhões e tratores 33 13 20
Fonte: U.S. Small Business Administration Innovation Data Base, in Acs & Audretsch, 1990, p. 13-4. Apud Botelho et al
Máquina a Vapor

James Watt, Lean's Reporter e a máquina de bombeamento de Cornish

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
James Watt != Vapor

“Duty” ou eficiência de máquinas a vapor

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
1811 Lean's Reporter
Jornal mensal publicado pelos mineiros de Cornish,
os principais usuários-desenvolvedores de
máquinas a vapor.

Publicava as especificações completas de cada


máquina melhorada, que podiam ser copiadas.

Melhorias e performance subiram rapidamente.

Os novos inventores (Trevithick, Woolf...) evitavam


patentes, liberando as especificações
publicamente.
(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
185 anos depois
Software existente melhorado por usuários-desenvolvedores
de websites inovativos.

Publicam as especificações completas – código fonte – de


cada versão melhorada.

Melhorias, performance e participação de mercado sobem


rapidamente.

Muitos novos inventores evitam patentear (ou licenciar por


direito autoral proprietário), enquanto liberam o código fonte
como software livre.

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Altruismo ou egoísmo?

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Altruismo ou egoísmo?

12

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Um ponto de vista Hobbesiano?

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Um ponto de vista Hobbesiano?

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Porquê eles fazem isto?
Uma simples pergunta...
“Para compartilhar conhecimento e habilidades” 67%

“Para ter mais oportunidade de emprego” 30%

“Software não deve ser proprietário” 30%

“Limitar o poder de grandes empresas” 29%

“Participar de uma nova forma de cooperação” 37%

(Razões para se manter / se juntar ao desenvolvimento de FLOSS)

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)
Escambo

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)
Escambo

Lucro Lucro

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)
Compra

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)
Compra

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)

Panelas de cozinhar
(maneira mais fácil de desenhar uma nuvem)

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)
Panelas de cozinhar
(maneira mais fácil de desenhar uma nuvem)

Lucro
(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Fluxo de valor e
panelas de cozinhar (cooking pot)

Com bens do intelecto, todos pegam uma cópia da


panela inteira

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Auto-organização: liderança pelo faze

Participação de Código

Participação de desenvolvedores

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Quem escreve FLOSS?

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Onde os desenvolvedores FLOSS vivem

Copyright © 2006: MERIT, Source: URJC, World Bank World Development Indicators 2001

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Onde os desenvolvedores FLOSS vivem

Copyright © 2006: MERIT, Source: URJC, World Bank World Development Indicators 2001

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Onde os desenvolvedores FLOSS vivem

Copyright © 2006: MERIT, Source: URJC, World Bank World Development Indicators 2001

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Economia FLOSS: mercado de software

“Como pode haver economia em torno


de FLOSS quando você não pode obter
dinheiro vendendo o software?”

37

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Economia FLOSS: mercado de software
●Menos de 6% dos programadores nos
EUA trabalham em empresas de
“software pacote”


30% trabalham em setores produzindo
principalmente software customizado /
integração / suporte


Quase 60% trabalham no “setor
usuário” - financeiro, governo (12%),
manufatura, varejo etc.

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Economia FLOSS: mercado de software

●16% dos gastos com software nos EUA


são em pacotes de software propritário
(19% na UE)

●>50% é no desenvolvimento interno de


software (30% na UE)

• O resto é software customizado

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Economia FLOSS: mercado de software

●A economia do software nos dias de


hoje: a maioria das pessoas (e
empresas) que escrevem software não
fazem dinheiro pela venda do software,
mas vendendo seu tempo!


Isto é consistente com a economia do
FLOSS e não com a economia do
software proprietário empacotado

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Distribuição das empresas de TI por tamanho (Brasil)

As PME's representam em número 90,2% do total de empresas no Brasil.

Fonte: Mercado Brasileiro de Software: panorama e tendências, 2008. Associação Brasileira das Empresas de Software, 2008.
Distribuição das empresas de TI por setor (Brasil)

Serviços e software representam 58,9% do mercado brasileiro

Fonte: Mercado Brasileiro de Software: panorama e tendências, 2008. Associação Brasileira das Empresas de Software, 2008.
Segmentação do mercado de Software e Serviços no Brasil

Volume Participação
Segmento (US$ milhões) (%)
Aplicativos 973 8,75
Desenvolvimento e Implementação 925 8,31
Infra-estrutura 1.232 11,07
Software sob Encomenda 995 8,94
Software para Exportação 71 0,64
Consultoria 1.178 10,59
Integração de Sistemas 1.248 11,22
Outsourcing 3.049 27,4
Suporte 1.247 11,21
Treinamento 208 1,87
Total Software e Serviços 11.126 -

Aplicativos e os software de infra-estrutura, que são software vendidos


já acabados, representam apenas 19,82% do mercado de Software e
Serviços no Brasil.

Fonte: Mercado Brasileiro de Software: panorama e tendências, 2008. Associação Brasileira das Empresas de Software, 2008.
Tipos de software produzidos por setor

Fonte: MERIT, software innovation survey of firms, 2005. n=499. (responses overlap)
Produtividade FLOSS: valor
●Código FLOSS existente – se uma
empresa fosse recriar, isto iria custar:
- 12 bilhões de euros (custo de
substituição, até 2005)
- 163 mil pessoas-ano
- 100 bilhões de euros (até 2010)

• Duplica o tamanho a cada 18 – 24 meses

• Investimento atual das empresas em


desenvolvimento de software: pelo menos
1,2 bilhões de euros

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Posição de mercado do FLOSS
Uso de FLOSS em produtos de software, por indústria

(c) 2007 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-nd-nc
Economia FLOSS

Serviços relacionados ao FLOSS podem


alcançar 32% de participação de todos os
serviços de TI em 2010

A participação de serviços relacionados ao


FLOSS podem atingir 4% do PIB europeu
em 2010 (A participação relacionada à TI
no PIB será em torno de 13% em 2010)
Não é somente software

“A Wikipedia está próxima à Britannica em termos de acurácia de


suas entradas científicas”
- Nature

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
Biotech

SNP Consortium

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
O conceito é antigo...

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
A escala é nova...

(c) 2008 Rishab Aiyer Ghosh - Licensed under Creative Commons cc-by-sa
A importância da Padronização

“A padronização tem um grande impacto no


crescimento econômico – acelera a transferência
de tecnologia e a redução de custos. Como a
tecnologia progride rapidamente, o preço do
produto também cai rapidamente.
Consequentemente, a eficiência da sociedade
como um todo é melhorada e o benefício aos
consumidores é ampliado. Esta cadeia –
padronização, progresso tecnológico, queda
de preço e expansão de benefício aos
consumidores – causa crescimento na
economia global.” Shintaku et al (2006)
Padronização Internacional aberta
= arquitetura modular

1) Tecnologia aberta & regras de design abertas


→ Acelera a difusão e popularização da tecnologia e do produto

2) Remoção da interdependência entre produtos acabados e


componentes chaves
→ Acelera a divisão internacional de trabalho

3) Base instalada espalhadas mundialmente


→ Propicia novas oportunidades de negócio com valor-agregado
Velocidade de expansão de mercado de
produtos padronizados

Fonte: Shintaku et al (2006)


Velocidade de expansão de mercado de produtos
padronizados após a modularização

Fonte: Shintaku et al (2006)


Desenvolvimento do mercado de DVD player em
países em desenvolvimento

Fonte: Shintaku et al (2006)


Mudança no processo de catch-up

Fonte: Shintaku et al (2006)


Preço cai e o mercado cresce

Desenvolvedores iniciais tem ganhos e os novos também

Fonte: Shintaku et al (2006)


Porquê o Software Livre é um fator
de inovação para PMEs de TIC?
O processo de inovação seguindo os caminhos associados aos
Direitos de propriedade Intelectual pode ser resumido como:

Patenteamento Prestação de
P&D Venda
(ou copyright) Serviços
Porquê o Software Livre é um fator
de inovação para PMEs de TIC?
Patenteamento Prestação de
P&D Venda
(ou copyright) Serviços

Problemas
•Alto custo •Alto custo
•Reinventar a roda •Prazo longo para
Software Livre
•Período longo de registro
investimento •Disputas Judiciais
- Diminui o retrabalho de
P&D
- Diminui o prazo de P&D
Pode ser inviável Pode ser inviável
- Diminui os Custos de P&D
para empresas para empresas
- Elimina os custos de
com pouco com pouco
Patenteamento (ou reduz)
capital capital
- Elimina disputas judiciais
Porquê o Software Livre é um fator de
competitividade para PMEs de TIC?
Prestação de
Venda
Serviços

Problemas
• Impõem barreiras à Software Livre
entrada
• Diminui mercado potencial - Aumenta o mercado
• Combater a “pirataria“ é usuário
virtualmente impossível - Reduz as barreiras à
entrada
- elimina a “pirataria”

Pode ser inviável para


empresas com pouco
capital
Porquê o Software Livre é um fator de
competitividade para PMEs de TIC?
Prestação de
Serviços

Software proprietário
• Impõem barreiras à entrada (em alguns Software Livre
casos exige credenciamento para
prestação de serviços - “Autorizadas do - Disponibilidade de
Software” softwares de alta qualidade;
• Baixo grau de condições de alterar o
- Baixo Custo e baixa
software ou proibição completa restringe o barreira à entrada;
prestador de serviços - Disponibilidade de
•Busca por aprisionar o cliente levando-o a
customização e serviço de
adquirir demais soluções restringe o suporte local;
prestador de serviços a fornecer outras - Independência de
alternativas fornecedor e flexibilidade.

Restrições à livre competição


Porquê o Software Livre é um fator de
competitividade para PMEs de TIC?
O interesse das pequenas e médias empresas por software como serviço
(SaaS, do inglês, software as a service) e serviços gerenciados de tecnologia da
informação (TI) cresceu no segundo trimestre do ano em relação aos três primeiros
meses, segundo uma pesquisa realizada pela consultoria AMI-Partners em 11 países -
entre eles o Brasil.

O estudo indica um aumento no percentual de pequenos e médios negócios interessados


nos dois assuntos. Em relação a SaaS, 48% das empresas disseram estar atentas ao
tema, contra 35% de respostas positivas na primeira edição da pesquisa.
http://computerworld.uol.com.br/negocios/2009/08/11/reducao-de-custos-incentiva-interesse-em-saas-e-servicos

Software como Serviço?


➔Mercado potencialmente adequado para SL!
Obrigado!
• Estou elaborando dissertação de mestrado
sobre o tema, se tiver interesse:
http://econolivre.blogspot.com/

• Preciso de estatísticas relacionadas à


software livre e inovação no Brasil

luciano.cunha.sousa@gmail.com