Você está na página 1de 1

Mística da PJ

1. NAS HORAS DE DEUS


1. Nas horas de Deus, amém. Pai, Filho, Espírito Santo (bis). Luz de Deus em todo canto, nas horas de Deus, amém (bis).
2. Nas horas de Deus, amém. Que o bem nos favoreça (bis). Que o mal não aconteça, nas horas de Deus, amém (bis).
3. Nas horas de Deus, amém. Que o coração do meu povo (bis) de amor se torne novo, nas horas de Deus, amém (bis).
4. Nas horas de Deus, amém, que a colheita seja boa (bis). Que ninguém mais vague a toa nas horas de Deus, amém (bis).
5. Nas horas de Deus, amém, Deus abençoe os artistas (bis). As crianças e as catequistas, nas horas de Deus, amém (bis).

2. PAI NOSSO DOS MÁRTIRES


PAI NOSSO, DOS POBRES MARGINALIZADOS! PAI NOSSO, DOS MÁRTIRES E TORTURADOS!
1. Seu nome é santificado naqueles que morrem defendendo a vida. Seu nome é glorificado quando a justiça é a nossa medida. Teu Reino é de liberdade,
de fraternidade, paz e comunhão. Maldita toda a violência que devora a vida pela repressão.
2. Queremos fazer tua vontade, És o verdadeiro Deus Libertador, não vamos seguir as doutrinas corrompidas pelo poder opressor. Pedimos-te o pão da
vida, o pão da segurança, o pão das multidões. O pão que traz humanidade, que constrói o homem em vez de canhões;
3. Perdoa-nos quando por medo ficamos calados diante da morte, perdoa e destrói os reinos em que a corrupção, protege-nos da crueldade, do esquadrão
da morte dos prevalecidos.
PAI NOSSO REVOLUCIONÁRIO, PARCEIRO DOS POBRES, DEUS DOS OPRIMIDOS (2x).

3. BOA NOVA EM NOSSA VIDA


1. Toda Palavra de vida é Palavra de Deus. Toda ação de liberdade, é a divindade agindo entre nós, é a divindade agindo entre nós.
BOA NOVA EM NOSSA VIDA JESUS SEMEOU O EVANGELHO EM NOSSO PEITO É CHAMA DE AMOR (bis).
2. Todo grito de justiça que sobe do chão. É clamor e profecia que Deus pronuncia para a conversão.
ALELUIA, ALELUIA, BENDITA PALAVRA QUE FAZ LIBERTAR! (bis)

4. NO NOSSO ALTAR
1. As mesmas mãos que plantaram a semente, aqui estão. O mesmo pão que a mulher preparou aqui está. O vinho novo que a uva sangrou jorrará no
nosso altar!
A LIBERDADE HAVERÁ, A IGUALDADE HAVERÁ E NESTA FESTA ONDE A GENTE É IRMÃO O DEUS DA VIDA SE FAZ COMUNHÃO!
2. Na flor do altar brilha o sonho da paz mundial. Na luz acesa é a fé que palpita hoje em nós. Do livro aberto o amor se derrama total no nosso altar.
3. Bendito sejam os frutos da terra de Deus. Bendito seja o trabalho e a nossa união. Bendito seja Jesus que conosco estará além do altar.

5. SEU NOME É JESUS CRISTO


1. Seu nome é Jesus Cristo e passa fome e grita pela boca dos famintos e a gente quando vê passa adiante Às vezes pra chegar depressa à Igreja. Seu
nome é Jesus Cristo e está sem casa e dorme pelas beiras das calçadas e a gente, quando vê, apressa o passo e diz que ele dormiu embriagado.
ENTRE NÓS ESTÁ E NÃO O CONHECEMOS, ENTRE NÓS ESTÁ E NÓS O DESPREZAMOS (bis).
2. Seu nome é Jesus Cristo e é analfabeto e vive mendigando um subemprego e a gente quando o vê diz: é um à-toa melhor que trabalhasse e não
pedisse. Seu nome é Jesus Cristo e está banido das rodas sociais e das igrejas porque dele fizeram um rei potente enquanto que ele vive com o pobre.
3. Seu nome é Jesus Cristo e está doente e vive atrás das grandes da cadeia; e nós tão raramente vamos vê-lo sabemos que ele é um marginal. Seu
nome é Jesus Cristo e anda sedento por um mundo de amor e de justiça; mas, logo que contesta pela paz, a ordem o obriga a ser da guerra.
4. Seu nome é Jesus Cristo e é difamado e vive nos imundos meretrícios, mas muitos o expulsam da cidade com medo de estender a mão a ele. Seu
nome é Jesus Cristo e é todo homem que vive neste mundo ou quer viver, pois pra ele não existem mais fronteiras só quer fazer de nós todos irmãos.

6. EU QUERO VER
EU QUERO VER, EU QUERO VER ACONTECER. O SONHO BOM, SONHO DE MUITOS ACONTECER.
1. Nascendo da noite escura a manhã futura trazendo amor No vento da madrugada a paz tão sonhada brotando em flor nos braços da Estrela guia, a
alegria chegando do amor.
2. Na sombra verde e florida criança em vida brincando de irmãos no rosto da juventude sorriso e virtude virando canção alegre e feliz camponês entrando
de vez na posse do chão.
3. Um sorriso em cada rosto, uma flor em cada mão a certeza na estrada, o amor no coração e uma semente nova escondida em cada palmo deste chão.
4. Sonho que se sonha só pode ser pura ilusão sonho que se sonha juntos é sinal de solução Então vamos sonhar companheiros sonhar ligeiro sonhar em
mutirão.

7. CANTO DOS MÁRTIRES DA TERRA


1. Venham todos cantemos um canto que nasce da Terra. Canto novo de paz esperança em tempos de guerra. Neste instante há inocentes tombando nas
mãos de tiranos. Tomar terra, ter lucro matando são esse seus planos;
Eis o tempo da graça, eis o dia da libertação. De cabeças erguidas, de braços unidos, irmãos haveremos de ver qualquer dia, chegando a vitória, o povo
nas ruas fazendo a historia, crianças sorrindo por toda a nação.
2. Lavradores, Raimundo, José, Margarida, Nativo. Assumir sua luta, seu sonho, por nós é preciso. Haveremos de honrar todo aquele que caiu lutando.
Contra os muros e cercas da morte, jamais recuando.
3. Companheiros, no chão dessa pátria é grande a peleja. No altar da Igreja seu sangue bem vivo lateja. Sobre a mesa de cada família há frutos marcados
e há flores vermelhas gritando por sobre os roçados.

8. COM MARIA EM DEUS EXULTEMOS


1. Com Maria em Deus exultemos, neste canto de amor-louvação. Escolhida dentre os pequenos, Mãe-Profeta da libertação! (bis)
MARIA DE DEUS, MARIA DA GENTE, MARIA DA SINGELEZA DA FLOR! VEM CAMINHAR, VEM COM TEU POVO, DE QUEM PROVASTE A DOR!
2. És a imagem da “nova cidade”, sem domínio dos grandes ou nobres, o teu canto nos mostra a verdade: que teu Deus é do lado dos pobres.
3. És o grito do irmão bóia-fria, nesta América empobrecida, espoliada com vil valentia do direito ao chão desta vida.
4. És Maria de nossos caminhos, solidária de tantas Marias coroadas de sangue e espinhos, pela exploração noite e dia.
5. És a força da nossa esperança ó Maria da fraternidade! No cansaço de nossas andanças, guia os passos da real liberdade!
6. Com as flores e o pão partilhados, preparamos a mesa da história. Da opressão, afinal, libertados, cantaremos contigo vitória.