Você está na página 1de 4

O Mito das Estações – Perséfone e Hades

O vulcão Etna estava em plena erupção. Sinal de que Tifão, o


monstro aprisionado por Zeus estava especialmente descontente. Os
tremores causados pelo vulcão deixou Hades, o senhor do
submundo preocupado. Ele temia que os tremores rompessem a
Terra e trouxessem luz ao mundo das trevas.

Por isso ele sobe a superfície para analisar melhor a situação.

Enquanto isso Afrodite e seu filho Eros, também conhecido como


"Cupido" estavam observando Perséfone, a Deusa da Primavera.

Eros e Afrodite estavam se sentindo "incomodados" pelo fato de que


as Deusas Atena e Artemis (Diana) eram virgens e puras. E assim se
negaram aos impulsos da paixão e do amor. E percebiam que a
jovem Perséfone estava indo pelo mesmo caminho.

Tanto que para manter sua castidade, sua mãe, a Deusa Deméter a
afastou do Olimpo, já que lá ela era constantemente assediada por
diversos deuses.

De repente, Afrodite percebe que Hades começa a perseguir


Perséfone. Hades conseguia se esquivar das influências dos Deuses
do Amor já que vivia dentro do submundo.

Mas Afrodite acredita que isso está na hora de mudar e diz para o
filho Eros:

" Deve ser muito triste viver sozinha num lugar tão sombrio. Acho que
podemos ajudá-la a livrar dessa solidão, não é meu filho?
Eros escolhe sua flecha mais afiada e atinge o coração do Deus do
submundo. Hades não percebia que foi flechado, porém o impacto
foi devastador.

Ao se deparar com Perséfone, Hades fica perdidamente apaixonado


por ela. Hades agarra sua amada com força e faz a Terra se abrir
para que assim ele possa retornar ao submundo.

Hades e Perséfone vão juntos para o submundo.

Deméter, mãe de Perséfone, fica muito triste e angustiada sentindo


falta da filha. Ela descobre através de uma ninfa que Perséfone foi
"sequestrada".

Deméter, na mais profunda tristeza, começa a negligenciar as suas


tarefas diárias. Então a terra passou a ficar infértil e as colheitas se
perderam.

Deméter, sem saber mais o que fazer, implora a Zeus para que ele
obrigue Hades a devolver sua filha. Relutante, Zeus diz que não pode
fazer nada, já que Hades é soberano em seu território do submundo.

Então Deméter ameaça tornar o mundo infértil para sempre, sem


mais nenhuma colheita. Já que a Terra foi cúmplice do rapto da sua
filha ao abrir passagem para o submundo.

Zeus, se sentindo ameaçado, decide que Perséfone poderá retornar


a superfície, desde que não tenha comido nada oferecido por Hades.
O Deus supremo permite que Hermes conduza Deméter até o
submundo para resgatar sua filha. Contudo, quando eles chegam lá,
descobrem que Perséfone já havia comido uma romã oferecida por
Hades. Então o vínculo dela com o submundo não poderia ser
totalmente desfeito.

Deméter, inconsolada, diz para sua filha:

"Como pode aceitar um alimento oferecido por este ser maligno?"

A filha, já encantada por Hades, responde a mãe:

"Ele não é tão mau assim, ele me respeita e me ama genuinamente.


Sem falar que agora eu sou uma verdadeira rainha."

Deméter fica desolada sem saber mais o que fazer.

Hades então propõe um acordo com a sogra. Ele propõe que


Perséfone vai passar metade do ano com cada um deles.

O acordo é selado, então Perséfone pode voltar a superfície com sua


mãe. Ela volta nesse meio-período e as colheitas voltam com muita
fartura. Mas no período em que Perséfone volta para o submundo
para ficar com Hades e ela volta a descuidar de suas tarefas.

Quando volta, tudo floresce novamente. Marcando o surgimento das


estações.

Fonte: Créditos ao Canal Foca na História


Texto transcrito do vídeo:
https://www.youtube.com/channel/UCI5WkIKM1kPDKUR9g2ImnKQ
Análise do Mito

Atributo: Equilíbrio (Yin e Yang)

O mito mostra que a natureza tem ciclos de renovação.

Na verdade tudo no Universo é complementar através das energias


Yin e Yang.

Parecem ser coisas opostas, mas no fundo são complementares. Um


precisa do outro para gerar o equilíbrio no Universo.

Jung diz que: “A maior realização da vida é a integração dos opostos”

Não podemos ser radicais em determinadas situações da vida.

Exemplo: Momentos de ação x momentos de contemplação


Momento de plantar X momento de colher

O mito também evidencia que a vida e a morte são aspectos


complementares e que está no perfeito equilíbrio do Universo.

É a dinâmica de “vida e morte” e “plantar e colher” que é necessário


para movimentar as energias.

Importante para que as pessoas saiam da zona de conforto. Se fosse


apenas verão e primavera, as pessoas se acomodariam.