Você está na página 1de 12
” se sours partida muito diferente para contaporem omérit de ume dot sprofundando ainda maisahumilhagioe anjsti, Esseesquema fupeiona até os das de ojesem qualquer diferengs Esse abandono ess inustia flagrant €0 real cncerbrasero ea eausa de todos ‘os reis problemas nacionas, (Os confltos de classe do Brasil moderno ‘Coma ajuda preciosa de Gilberto Freyree Florestan Fernandes, sinda que parcialmentecriticados e reconstruidos temosaembo- cadura geral tanto de uma nova percepcao do Brasil moderno ‘quanto de sas raizes, A escravido e seus efeitos passam a sero Ponto central e no mais a pretensa continuidade com Portugal Mais importante ainda, o problema central do pais deixa cle sera cocrupgio supestamente herdada de Portugal para se localizar no abandon secular de classes etigmatizadas, humilhadase perse- ‘uldas. As contradicdese os confitos centras de uma sociedade ‘to sempre relagdes de dominao entre classes sociais, desde que no utilizemos domote da corupgso paraesconder a verdade nem reduzamos as classes & mera dimensio econdmica Para que percebamos, no entanto, os confit sciaisea domi ‘ago socal oculta,énecessriooacesso ama perspectva que se abraa dia de classe socal Em um contextoem que dirita demo ‘zou 6 marxismo ea nogio de uta de classes, e que a esquerd, per outro lado, banalizou e simplificou o que jé era simplista em Marx, tarefa no € fil ‘Masa tese que pretend defender é que a dindmica das classes, ‘sei, seus interessese suas uta, 6 chave para acompreenso de tudo que érealmente impertante na sociedad Isose aplica sempre {que no percebamos a classes como meas rlaches econdmicas, como fazem tanto olieralismo dominante quanto 0 marxismo. Pretendo comprovar essa tese ao mostrar que a percepgdo mais ‘convincente da sociedade brasileira contempordnea 56 ¢ possivel pela reconstruc das ltas entre as classes sociaisem disput, Para isso, no entanto, €necessério que o leitor se despege e suspenda tudo que ele ouvin ou leu sobre o que io as clases sociais. Afnal, ‘como a classe socal s6 & percebida como fato econdmico, minha tese € que isso equivale simplesmente a nfo compreender coisa renhuma sobre as classes. ‘Adela de classe social émal conhecida por boas razSes, Primero porque ela, acima de qualquer outa ideia, nos dé a chave para compreender tudo agullo que ¢ cuidadosamente posto embaixo do tapetepelas pseudociéncias e pela imprensa enviesada, Como © pertencimento de classe prefigurae predetermina, pelo menos ‘em grande medida, todas as chances que os individues de cada classe especifica voter na sua vida em todas.as dimensOes,negar clase equiva tambséim a negar tudo de importante nas formas rmodernas de prodizirnjusticaedesigualdade, Afnal, sem que se reconstruaa p-histria de classe de cada um de ns temos apenas individuos competindo em condighes de igualdade pelos bens © recursos escassos em disputana sociedade. Tudo muito merecidoe justo. Sem a ideia de classe eo desvelamento dasinjusticas qu ela produz desde o berg, temosalegitimagdo perfeta para o engodo| da meritcracia individual do individuo competitiva. ‘A forma mais efcaz ¢ mais comum de se negar aimportincia do pertencimento de clase social para. a vida de todos nds € (no) percebé-la apenas como realidade econdmica. Esa 6 fraude prin ‘pal que permite que as pessoas (no) percebam a clase sociale sua importincia,Peguemos como exemplo a divisio da sociedade entre “fainas de renda A,B,C, De E. assim que (no) se debate na Imprensa de todos os dias o tema da classe. A idela “belhante” por {ns dessa forma na realidade arbitrria erideula de se segmentar apopulagio €a de que ocomportamento diferencial-afnaléisso “ see Sour que se quer descobrir—entre os individuos deve ser explicado pelo tamanho de seu bolso, Assim todas a escolhas individuais obedeceriam a uma espécie de cleo de chances e oportunidades universalmente compar tithado, Todas as pessoas so percebidas como produto em série rigorosamente igual, diferenciando-se unicamente pelo que possui ra bolea, Ninguém se escandaliza com tamanha pobreza analitict porque um ltr de elasse média percebe apenasa homogeneidade ‘de sua propria classe. Melhor, de sua prpria fragio de classe, Como esse tipo de sujeto e de padrio de consumo ¢tipico das classes médias ~ classe tambsim da esmogadora maioria dos pesqulsaores| ceintelectuas-, que temos aqui €a universalizasio do padrio de ‘comportamento da classe média para todas as outras lasses. O que fica nas sombras ness tipo fajuto de anlis social éo mais impor- tante: porque existem algumas pessoas com RS 50,00 ne bosom fim do mse outras com RS 500 ml ou até RS 500 milhdes? Como {& produzida tamanha diferenga? Afnal, ninguém escolhe ganhar R§500,00 se pode aspirar a R$500 mil. Como sempre, 6a producio da “ginese da injustiga” que étoenada invisve Como se no bastasse, isso acontece mesmo com pessoas que _ganham salériosemelhante- Imaginemosum trabalhador daindis- tri automobilistica eum professor universitirio em inci de eat reira com seus eventuais R68 mil de salério mensal Por conta da incorporagio diferencial de capital cultural de caster “enico” de ‘um trabalhador qualifcado ede capital cultural mais "literdio" de ‘um professor de cigncias humanas, por exemple, todasasescolhas| Individuats em cada caso tendem a ser distntas. Desde 0 padro| de consumo, do filme a que e assist, ao tipo de lazer, 3 forma de sevestir,deescolheramizadeseparceiros erétics, todo um “estilo de vida’ enfim, tendea ser, e 6 de fato, muito diferente, ‘Como uma leturat3oarbitediae to tosca da realidad é to difundidaetransformada em "xenca socal” compartilhada? Ora, 90% do que se passa por cinciae que val sera substncia do (fs) debate midistico so, na verdade, jstficacao sociale politica, sob (0 uso lgitimador do “prestigiocientifio’, de relagbesfiticas de ‘dominagSo, para que nio se compreenda como o mundo social funciona, dando a impressio de que sabemos tudo e que somos adequadamente informados.Infelizmente, a letura de esquerda, influenciada pelo marxismo, nlo é muito melhor que a leita liberal da enda como fator determinant. ‘A leitutainspirada pelo marxismo é um pouco melhor que a Jeitura liberal dominante, que se concentra na mera diferenca de endo, posto que foca no lugar ocupado na produgfo. Enquanto 3 letra liberal, como sempre, leva em consideragio distribuicdo ‘© 0 consumo, letra inspirada pelo marxismo e dominante na cesquerda entre nds concentra-e na produc na ocupacdo. A {enfasena produgioe na ocupasio funcional permite ver aspectos “completamente fora de visio quando setoma apenas dstibuigS0 ‘€0 consumo. A principal vantagem ¢ que 0 foco na produgio & 1a ocupagio permite perceber a distribuigfo eo consumo como varidveis dependentes da instincia de produgio. Ou sea, depen- endo de seu lugar na producio de mercadorias, tem-se acesso diferenciado a dada renda, por exemplo, O foco na produsio, de {ato, aprofunda o vinculo genético que esclarece a razto da renda diferencia, que ¢ o que importa saber e descobrir para que se centendam as litas entre as classes ‘Ao mesmo tempo, as versdes marxistae liberal compartitham cdo mesmo ponto de partida. Ambas slo economicistas, ou seja, cestiofirmemente convencidas de que a tniea motivacso do com- portamento humano é, em dita instincia, econdmica, 0 que é ‘uma grande bobagem. A versio marxsta de percber as classes, apesar de um pouco melhor que a versio liberal, ndo consegue ‘explicaro principak porque algumas pessoas escolhem certo tipo 4e ocupacio ou de lugar na producio? O incu genético para na ‘ocupagio, Parte dela como dado absoluto eno expicao principal: porque alguns individuos que pertencem a algumas clases desem- ‘penham secularmente certo tipo de fungi nas relagées produtiva? E preciso partir, portant, lteralmente do “berco" ou sea, da socializagio familiar priméria, para que se compreenda as classes e sua formago e como els iro definir todas as chances relativas de cada um de nés na luta socal por recursos escassos. ‘As classes so reproduzidas no tempo pela familia e pela trans- ‘missSoafetiva de uma dada “economia emocional” pelos pais 20s fihos, © sucesso escolar dependerd, por exemplo, se disciplina, ppensamento prospectivo ~ ou sea, a capacidade de rendincia no presente em nome do futuro ~ecapacidade de concentragSo 830 fetivamente transmitidos 308 fhos. Sem isso, 08 flhos se tor ‘nam no méximo analfabetos funcionais.£ esse “patrimdnio de dlisposigdes” para o comportamento pritco, que é um privilégio de classe entre nds, que vai esclarecer tanto a ocupacio quanto 1 renda diferencia mais tarde. Como cada classe social tem wm tipo de socializacao familiar espocfica, énela que as diferencas centre as classes tim que ser encontradas refltidas. ‘As classes socaiss6 podem ser adequadamente percebidas, portanto, como um fendmeno, antes de tudo, sociocultural e no ‘penas econdmico, Sociocultural posto que o pertencimento de classe é um aprendizado que possibilita, em um caso, 0 sucesso, «© em outros, 0 fracasso social. S80 0s estos que a crianga de classe média recebe em casa para o habito de letura, para aima- sinagdo,o reforgo constant de sua capacidade e autoestima, que fazem com que os filhos dessa clase sejam destinados a0 sucesso escolar e depois ao sucesso profissonal no mercado de trabalho. (sfilhos dos trabalhadores precios, sem os mesmos etimulos 20 “spiritoe que brincam com o cartinho de mio do pai servente de _edreeo, aprendem aserafetivamente,plaidentiiacso com quem se ama, tabalhadores manuais desqualificados. A dificuldade na escola ¢ muito maior pela falta de exemplos em casa, condenando ‘essa claste no fracasso escolar e mais tarde ao fracasso profssonal no mercado de trabalho competitiv, ‘Como somos formades, como seres amano, pela imitagio © incorporacio pré-reflexva e inconsciente daqueles que amamos «eque cuidam de nés, ou sea, 0s nossos pais ou quem exerga as mesmas fungdes, a classe e seus privilégios ou caréncias s30repro- dluzidos a cada geragio. Como ninguém escolhe oberg onde nase, {6 a sociedade que deve se responsabilizarpelas classes que foram ‘esquecidaseabandonadas. Foi isso que fizeram, sem exces, todas 1s sociedades que lograram desenvolversociedades minimamente Jgualitvias. No nosso caso as classes populares nfo fram abando- nadassimplesmente. Els foram humilhadas, enganadas,tveram sa formagio familiar consientemente prjudicada eforam viimas| de too tipo de preconceit, sea na escravidio, sea hoje em dia. ssa nossa diferenga eal em relagio Etropa que admiramos. A nossa singularidade nio ¢ corrupaio que existe na Europa ainda {que de maneira diferente da que existe em um pats empobrecido como o nosso, Mas principal diferenga¢ que a Europa tornot as recondig6es socials de todas as classes muito mais homogéneas ‘Ainda que exista desigualdade social, ela no ¢abissal como aq, [Nao se tata apenas de acesso boa escola o que nunca existia ‘paraas classes populares. Trata-sede se citicar a nossa herana eseravocrata, que agora é usada para oprimir todas as classes ‘populares independentemente da cor da pele, ainda que acor da ‘pele negra implique uma maldade adicional. Como esse meca- rsmo sociocultural de formacio das classes sociais € tornado invisfvel entdo 0 racismo da cor da pele pase ase onic fator simbdlico percebido na desigualdade do dia a dia. £ importante, no entanto, que se percebam também as caréncias que reprodu- _zem as misérias que s40 de pertencimento a classe, jd que elas, {a0 contro da cor da pele do individuo, podem ser modificadas,