Você está na página 1de 18

FACULDADE ESTÁCIO DE ALAGOAS

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA

DESENVOLVIMENTO MOTOR DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA


INTELECTUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL I

DOUGLAS ALVES MARQUES


WELLITON FERREIRA DA SILVA
MARCOS ANTÔNIO LUCENA

Maceió-AL

Outubro de 2018
1

Douglas Alves Marques


Welliton Ferreira da Silva
Marcos Antônio Lucena

DESENVOLVIMENTO MOTOR DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA


INTELECTUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL I

Projeto de pesquisa elaborado por Douglas Alves


Marques,Marcos Antônio Lucena filho,Welliton
Ferreira da Silva,orientado pela Professora Francy
Kelle Rodrigues Silva e apresentado ao Comitê de
Ética da Faculdade Estácio de Alagoas.

Maceió-AL
2018
2

RESUMO

Introdução: A Educação Física configura-se como um agente que está fortemente


atrelado à socialização do indivíduo no ambiente escolar, pois, propõe uma série de
atividades que possibilita o aluno entrar em contato com seu próprio corpo, ao executar
os movimentos propostos. Dessa forma, exerce um primordial papel no desenvolvimento
motor dos educandos. As atividades lúdicas são uma das formas mais eficazes utilizadas
pela Educação Física para trabalhar a motricidade dos alunos por meio de movimentos
socializadores, mais simples e com menos exigência de complexidade. Nesse enfoque, a
Educação Física também estimula a motricidade de crianças portadoras de deficiência
intelectual ao propor exercícios que desenvolvam maior equilíbrio e percepção corporal
dos educandos, dando-lhes a oportunidade de descobrir seu próprio corpo, além de
contribuir para o acúmulo de experiências motoras que serão somadas à sua vida adulta.
Objetivo: investigar o desenvolvimento motor de crianças com deficiência intelectual do
ensino fundamental I. Metodologia: A pesquisa será de natureza quantitativa. A amostra
será constituída por 20 alunos com deficiência intelectual entre 8 e 10 anos de uma Escola
Estadual no município de Capela – AL. O instrumento utilizado será a Matriz de Análise
dos Padrões Fundamentais de Movimento, Gallahue & Ozmun (2005). Os alunos serão
submetidos a testes de movimentos que serão realizados uma única vez no pátio da
escola, com a finalidade de determinar seus perfis motores. Os discentes serão
submetidos a: arremesso, corrida, deslizamento, rolamento, quicar e lançar. Relevância
dos estudos e contribuição para a comunidade acadêmica: disponibilizar um maior
acervo de informações e esclarecer o perfil motor de crianças com deficiência intelectual.

Palavras-chaves: Educação física. Desenvolvimento motor. Deficiência intelectual


3

SUMÁRIO

1. INFORMAÇÕES GERAIS.........................................................................................0
2. INTRODUÇÃO .......................................................................................................................
3. HIPÓTESE ..............................................................................................................................
4. JUSTIFICATIVA .....................................................................................................................
5.OBJETIVOS .............................................................................................................................
5.1. OBJETIVO GERAL ............................................................................................................
5.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ............................................................................................
6. METODOLOGIA ....................................................................................................................
6.1. TIPO DE ESTUDO: ............................................................................................................
6.2. LOCAL..................................................................................................................................
6.3 CRITERIOS DE INCUSÃO ................................................................................................
6.4. CRITERIOS DE EXCLUSÃO ...........................................................................................
6.5. PROCEDIMENTOS ...........................................................................................................
6.6. CONFIDENC IALIDADE.....................................................................................................
6.7. RISCOS E BENEFÍC IOS ..................................................................................................
6.8. AMOSTRAGEM E CÁLCULO DO TAMANHO DA AMOSTRA ..................................
6.9. ANÁLISE DOS DADOS
..................................................................................................... 7. ETAPAS DA PESQUISA
...................................................................................................... 7.1. CRONOGRAMA
................................................................................................................. 8. ORÇAMENTO
........................................................................................................................ 9. REFERÊNC
IAS...................................................................................................................... APÊNDICE
4

1.INFORMAÇÕES GERAIS
A) LOCAL DO ESTUDO
Unidade: Escola Estadual Torquato Cabral
Endereço:

B) PESQUISADOR PRINCIPAL
Nome: Francy Kelle Rodrigues Silva

Grau acadêmico: Mestrado

Instituição afiliada: Faculdade Estácio de Alagoas – Estácio FAL.

Endereço postal: Av. Pio XII, 70, Jatiúca, CEP: 57.035-560, Maceió – AL
Fone: (82) 98853-8209

Correio Eletrônico: francykelle@yahoo.com.br

C) ORIENTANDOS
Nome: Douglas Alves Marques
Grau acadêmico: Graduando em Educação Física Licenciatura
Instituição afiliada: Faculdade Estácio de Alagoas – Estácio FAL
Endereço Postal: Rua Rosa da Rocha Soriano, Loteamento
Claudina. CEP: 57.780-000, Capela - AL
Fone: (82) 9997-1804
Correio Eletrônico: marquesdgalves@gmail.com

Nome: Marcos Antônio Lucena Filho


Grau acadêmico: Graduando em Educação Física Licenciatura
Instituição afiliada: Faculdade Estácio de Alagoas – Estácio FAL
Endereço Posta: Avenida Doutor Horácio de Melo, CEP:
57.780-000, Capela - AL
Fone: (82) 9349-3008
Correio Eletrônico: marquinhos.lucena@hotmail.com

Nome: Welliton Ferreira da Silva


5
Grau acadêmico: Graduando em Educação Física Licenciatura
Instituição afiliada: Faculdade Estácio de Alagoas – Estácio FAL
Endereço Postal: Mauro Montenegro, Centro. CEP: 57.780-000,
Capela - AL
Fone: (82) 9342-8774
Correio Eletrônico: welf_silva@hotmail.com

D) TÍTULO

DESENVOLVIMENTO MOTOR DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA


INTELECTUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL I

E) DATA DO INÍCIO (Após a aprovação pelo CEP da Faculdade Estácio de


Alagoas).

F) DATA DO TÉRMINO

G) CUSTO ESTIMADO
6

2. INTRODUÇÃO

A Educação física, assim como as demais disciplinas, tem o objetivo de produzir e


disseminar conhecimentos aos alunos para que os tornem agentes transformadores do
mundo social. No espaço escolar, ajuda o educando no entendimento da percepção do
seu próprio corpo e dos movimentos que podem ser realizados e, como estes movimentos
se interligam nas diversas funções corporais e no desenvolvimento motor do organismo.
No ambiente escolar, a Educação física tem como foco principal, o movimento
sistematizado e intencional (PALMA E PALMA, 2005).

A Educação física está fortemente atrelada ao desenvolvimento motor, pois é a


partir dos movimentos, que os indivíduos tomam conhecimento do seu próprio corpo e
aprendem a explorá-lo nos seus diversos níveis de complexidade (FREITAS, 2007).

No período escolar do ensino fundamental I é de extrema importância ofertar às


crianças atividades lúdicas que as proporcionem uma maior descoberta de seu próprio
corpo, por meio de movimentos simples e menos complexos. Dessa forma, disponibilizar
atividades que envolvam a ludicidade e a participação dos alunos, significa estimular seu
desenvolvimento motor, contribuindo dessa forma, para o acúmulo de experiências
motoras que auxiliarão na vida adulta (Balbé, Dias, Souza, 2009).

Nesse enfoque do desenvolvimento motor durante o ensino fundamental I, o


professor de Educação Física exerce um importante papel, pois atua como uma agente
mediador entre a parte teórica e prática, adequando cada atividade às particularidades dos
alunos (Gallahue, 2003).

A Educação Física, no ambiente escolar, promove, por meio das atividades, uma
maior probabilidade de interação entre os indivíduos. Dessa forma, é vista como um
elemento primordial para a aquisição e aperfeiçoamento de habilidades, tanto do
movimento corporal, como, psicomotoras, exercendo dessa forma, uma importante função
educacional na vida escolar dos educandos (Zunino, 2008) .

A Educação Física no Ensino Fundamental I tem por finalidade construir meios que
corroborem para o desenvolvimento da motricidade dos alunos, ajudando-os na aquisição
7
de habilidades utilizadas no seu cotidiano, melhorando dessa forma, sua saúde e
qualidade de vida. (Silva et al, 2011).

“O desenvolvimento motor refere-se às mudanças de mobilidade dos indivíduos ao


longo do tempo, fortemente influenciado por fatores biológicos, sociais e ambientais. Além
disso está ligado ao desenvolvimento cognitivo e afetivo do indivíduo” (Gallahue, 2005,
p.03).

Ainda de acordo com Gallahue (2005), o desenvolvimento motor, não ocorre


apenas na infância, ele é contínuo e progressivo, ocorrendo durante toda a vida do
indivíduo, fortalecendo cada vez mais sua motricidade.

Levando em consideração a interdependência entre desenvolvimento motor e


cognitivo é importante ressaltar o caso das crianças com deficiência intelectual. Nesse
contexto, de acordo com (DSM-IV-TR, 2002) o indivíduo com deficiência intelectual
apresenta um lento desempenho cognitivo. Além disso, a Associação Americana de
Retardo Mental (AAMR, 2006) considera as dificuldades motoras como uma das principais
características para o diagnóstico da deficiência intelectual.

Os distúrbios associados à deficiência intelectual, como os cardiovasculares e


respiratórios dificultam o desenvolvimento motor das crianças. Dessa forma, de acordo
com o distúrbio apresentado, cada criança apresentará suas particularidades quanto a sua
motricidade (Lorenzini, 2002).
É importante ressaltar, que o comportamento e o desenvolvimento motor das
crianças com deficiência intelectual depende das experiências e das oportunidades que
lhe são ofertadas a partir do ambiente que a cerca, bem como, de suas relações com as
outras pessoas. Dessa forma, a criança terá a oportunidade de conhecer seu próprio
corpo, suas limitações e até seus avanços, acumulando experiências construtivas para a
vida adulta (Lorenzini, 2002).

De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria (2014), os portadores de


deficiência intelectual apresentam um perfil de dependência de diversas atividades em sua
vida cotidiana, sendo assim, dependentes quanto aos aspectos pessoal e social. Nesse
contexto, a deficiência intelectual afeta diretamente sua participação na vida em
comunidade, bem como, a sua capacidade intelectual, desenvolvendo limitações de
8
raciocínio lógico e aprendizagem escolar.

Uma das grandes dificuldades da deficiência intelectual é o seu diagnóstico, que


muitas vezes não acontece de forma precoce, nos primeiros anos de vida da criança,
acarretando, assim, dificuldades intelectuais, sociais e comportamentais na vida do
indivíduo (Veltrone, 2012).

A detecção da deficiência intelectual é dificultada por inúmeros fatores, dentre eles,


destaca-se a falta de conhecimento da família sobre qual médico deverá consultar para
iniciar o acompanhamento da criança, bem como, sobre a oferta de conhecimento pelos
profissionais da saúde à família. ( Cerqueira, Alves & Aguiar).

Diante disto, o problema que norteará essa pesquisa será: Qual o nível do
desenvolvimento motor de alunos com deficiência intelectual do ensino fundamental?

3. HIPÓTESE

Não ocorrerão diferenças motoras significativas entre os participantes com deficiência


intelectual quando forem submetidos aos testes de arremesso, corrida, deslizamento,
quicar e rolamento.

4. JUSTIFICATIVA

A escolha da presente temática está ligada à necessidade de se dar uma maior


atenção ao desenvolvimento motor de crianças com deficiência intelectual para que se
tornem adultos mais independentes, com maior resistência física, força e uma maior
coordenação motora (Tavares, 2003).
Assim, faz-se necessário investigar o desenvolvimento motor de crianças no ensino
fundamental I, a fim de mostrar a relevância da construção de boas habilidades motoras
para vida adulta dos discentes. Nesse enfoque, os dados obtidos nessa pesquisa servirão
de embasamento teórico à comunidade científica, tornando o conhecimento mais
acessível para ser aplicado à comunidade escolar. Ao mesmo tempo, o presente trabalho
terá uma importância significativa às crianças envolvidas, pois, por meio da compreensão
do perfil motor de alunos com deficiência intelectual, será possível, articular e aplicar
atividades mais eficazes de modo a contribuir com o desenvolvimento da motricidade das
crianças.
9

5. OBJETIVOS
OBJETIVO GERAL

Investigar o desenvolvimento motor de crianças com deficiência intelectual do ensino


fundamental I.

6. METODOLOGIA

6.1 TIPO DE ESTUDO

O presente estudo será de natureza quantitativa. De acordo com Fonseca


(2002), os resultados desse tipo de pesquisa podem ser quantificados. Dessa forma, a
pesquisa quantitativa caracteriza-se pela objetividade, tomando como base a
linguagem matemática para descrever as causas de um fenômeno e as relações entre
as variáveis que fundamentam o estudo proposto.

6.2. LOCAL DA PESQUISA

A pesquisa será realizada na Escola Estadual Torquato Cabral, no município de


Capela- AL.

6.3. CRITÉRIOS DE INCLUSÃO

Estudantes do Ensino Fundamental I, portadores de deficiência intelectual, na


faixa etária entre 8 e 10 anos.

6.4. CRITÉRIOS DE EXCLUSÃO


1
0

6.5. PROCEDIMENTOS

O presente projeto passará pela análise e avaliação do Comitê de ética para


aprovação e posterior aplicação. Vale também ressaltar, que será aplicado o TCLE e o termo
de assentimento aos alunos e aos seus respectivos responsáveis.

O presente estudo será realizado no pátio da escola, no horário normal de aula


dos alunos. Para avaliar os movimentos, será aplicada a Matriz de Análise dos Padrões
Fundamentais de Movimento, Gallahue & Ozmun (2005), que classificará os alunos em
três estágios: inicial, elementar e maduro.

A coleta de dados ocorrerá em apenas um momento na escola com o


propósito de verificar o nível motor dos alunos.

Os alunos serão submetidos a uma série de tarefas seqüenciadas: correr,


deslizar, quicar, receber, arremessar e rolar o corpo para frente.

A sequência de execução das tarefas será realizada de modo alternado e, o


número que indica o momento de participação de cada aluno será distribuído de forma
aleatória.

6.6. CONFIDENCIALIDADE

6.7. VARIÁVEIS

Corrida, arremesso por cima, deslizamento, receber, quicar e rolamento.

Na corrida, o aluno será instruído a colocar-se de frente à linha demarcada no


solo e correr sobre a mesma, por uma distância de aproximadamente 10 metros.

No arremesso por cima, o aluno, com o auxílio de uma bola de tênis, efetuará
o movimento de arremesso sobre o ombro, o mais distante possível, sem uso de salto ou
corrida.

No deslizamento o aluno executará movimentos laterais sobre uma linha reta,


por aproximadamente 5 metros, tendo como pontos de partida e chegada dois cones.
1
No movimento de receber, o aluno ficará posicionado sobre uma linha, a uma1
distância de aproximadamente 5 metros do lançador. Uma bola de voleibol será lançada na
altura do peito da criança que a receberá com as duas mãos.

No movimento de quicar, O aluno será instruído a quicar uma bola de


voleibol abaixo da linha da cintura, por 4 vezes sem mover os pés, usando uma das mãos
e então segurá-la.

No rolamento de frente para o colchonete, o aluno será instruído a agachar,


aproximar o queixo do peito e com o auxílio das mãos, colocadas no colchonete, rolar seu
corpo para frente, terminando na posição inicial.

6.8. RISCOS E BENEFÍCIOS

O presente trabalho apresenta riscos dos alunos sofrerem lesão durante o teste
e apresenta benefícios de se desenvolver melhores mecanismos e estudos para melhorar o
desenvolvimento motor dos discentes.

6.9. AMOSTRAGEM E CÁLCULO DO TAMANHO DA AMOSTRA

A presente pesquisa será realizada com um grupo de 20 alunos do


fundamental I entre 8 e 10 anos, portadores de deficiência intelectual. Os alunos serão
reunidos no pátio da escola e, posteriormente, serão submetidos aos testes de arremesso,
corrida, deslizamento, rolamento, receber e quicar.

6.10. ANÁLISE DOS DADOS

A análise dos dados será de acordo com a Matriz de Análise dos Padrões
Fundamentais de Movimento, Gallahue & Ozmun (2005).

Os dados coletados serão transformados em gráficos para posterior análise e


discussão.

7. ETAPAS DA PESQUISA
I ETAPA: PESQUISA BIBLIOGRÁFICA
II ETAPA: ELABORAÇÃO DO PROJETO
III ETAPA: SUBMISÃO AO CEP
IV ETAPA: COLETA DE DADOS
V ETAPA: ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS DADOS
VI ETAPA: CONFECÇÃO DO TCC
1
VII ETAPA: ENTREGA DO TCC E DEFESA 2
1
3

7.1. CRONOGRAMA
ETAPAS Ago Set Out Nov Dez
I X
II X X

III
X
IV X
X
V
X
VI
X
VII

8. ORÇAMENTO
Material Unidades Preço unitário Preço total

Papel
Bola de vôlei
Colchonetes
Bola de tênis
cones
VALOR TOTAL

O presente projeto não terá auxílio de verbas para a realização da pesquisa.

9. REFERÊNCIAS
1
4

AAMR (American Association on Mental Retardation). Retardo Mental – Definição,


Classificação e Sistemas de Apoio. 10ª.ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSIQUIATRIA. Manual Diagnóstico e Estatístico de


Transtornos Mentais (DSM-V). Porto Alegre: 5º edição, Artes médicas, 2014.

BALBÉ , G. P.; DIAS, R. G.; SOUZA, L. da S. Educação Física e suas contribuições para o
desenvolvimento motor na educação infantil. Revista Digital/ Buenos Aires, ano 13, n.
129, 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 de novembro de 2018 .

CERQUEIRA, M. M. F.; ALVES, R. de O. & AGUIAR, M. G. G. (2016). Experiências vividas por


mães de crianças com deficiência intelectual nos itinerários terapêuticos. Ciência & Saúde
Coletiva, 21(10). Recuperado em 23/12/2016 de: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n10/en_1413-
8123-csc-21-10-3223.pdf.

DSM-IV-TRTM. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Trad.


Cláudia Dornelles; 4ª ed. Rev. Porto Alegre: Artmed, 2002.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

FREITAS, J. L. de. Capoeira Infantil: a arte de brincar com o próprio corpo. Curitiba / PR,
Ed. Progressiva, 2007- Vl. 2.

GALLAHUE, DL; OZMUN, JC. Compreendendo o Desenvolvimento: Bebês, Crianças,


Adolescentes e Adultos. São Paulo: Phorte Editora, 2003.

GALLAHUE, D. L.; OZMUN J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês,


crianças, adolescentes e adultos. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2005.

LORENZINI, M. Brincando a brincadeira com a criança deficiente. São Paulo:


Manole, 2002.

PALMA, Â. P. T. V. ; PALMA, J. A. V. . O ensino da educação física: princípios


fundamentais para uma relação pedagógica construtivista na educação infantil e
ensino fundamental. Fiep Bulletin, Brasil, v. 75, n. Special Ed, p. 91-94, 2005.

SILVA, Viviane Sabido; GARCIA, Flávia Mendonça; COICEIRO, Geovana Alves; CASTRO; Rosana
Vieira da Rocha de; CANDÊA, Luciano Gonçalves. A importância da Educação Física Escolar
no desenvolvimento motor de crianças nos anos iniciais do ensino fundamental. Visão dos
responsáveis. EFDeportes: Buenos Aires, (16) 156, 2011. Disponível em <
http://www.efdeportes.com/efd156/a-educacao-fisica-escolar-do-ensino-fundamental. htm> Acesso
em 01 de novembro de 2018.

TAVARES, M. C. G. C. Imagem corporal: conceito e desenvolvimento. São Paulo:


Manole, 2003.

VELTRONE, A. A.; MENDES, E. G. Impacto da mudança de nomenclatura de deficiência mental


para deficiência intelectual. Revista Educação Especial v. 03, Viçosa, 2012

ZUNINO, Ana Paula. Educação física: ensino fundamental, 6º - 9º. Curitiba: Positivo, 2008.
1
5
1
6

APÊNDICE A: INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS

ROTEIRO DE ENTREVISTA
1
7

APÊNDICE B: CURRÍCULO LATTES

1. ORIENTADOR(A):
LATTES:

2. ORIENTANDOS:

2.1:
LATTES:
CPF

2.2:
LATTES:
CPF