Você está na página 1de 2306

Caderno Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO


PODER JUDICIÁRIO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Nº2699/2019 Data da disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019. DEJT Nacional

Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região Tempestivo o recurso (decisão publicada em 20/04/2018, ID.

e75311b- Pág. 1; recurso apresentado em 09/05/2018, ID.


Solange Cristina Passos de C. Cordeiro
c224008).
Presidente
Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº

Américo Bedê Freire 436/TST).

Vice-Presidente Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL

509/69, art. 12).


Avenida Senador Vitorino Freire, 2001 PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Bairro Areinha
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO
São Luís/MA
RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA /SUBSIDIÁRIA / TOMADOR DE
CEP: 65030015
SERVIÇOS/TERCEIRIZAÇÃO / ENTE PÚBLICO.
Telefone(s) : (98) 2109-9300 Alegação:

- violação ao art. 5º, II, da CF;

- violação aos arts. 818 da CLT; art. 373, I, do CPC e art. 71, §1º da
Gabinete da Presidência Lei nº 8.666/93;
Decisão Monocrática - divergência jurisprudencial.
Decisão O reclamado interpõe recurso de revista (ID. b45e5ef) insatisfeito
Processo Nº RO-0016630-83.2015.5.16.0019
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR com a decisão colegiada que manteve sua responsabilidade
RECORRENTE JOAO BATISTA LOPES FILHO subsidiária no pagamento dos direitos trabalhistas devidos ao
ADVOGADO STENIO FARIAS MARINHO(OAB:
7791/PI) reclamante.
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO Alega, em síntese, que o acórdão revisando afastou a incidência do
TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE artigo 71, §1º, da Lei 8.666/93, e ao proceder assim, negou vigência
RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
à Lei, violando o princípio da reserva legal, garantido pelo inciso II,
ADVOGADO ERLLS MARTINS CAVALCANTI(OAB:
5419/MA) do artigo 5º, da Constituição Federal.
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Sustenta que a responsabilidade subsidiária do Poder Público não

pode ser automática, muito menos genérica, carecendo de suporte


Intimado(s)/Citado(s):
probatório para se infirmar a decisão. Afirma, em seguida que o
- ESTADO DO MARANHAO
- JOAO BATISTA LOPES FILHO ônus probandi da culpa in eligendo e in vigilando é da parte que

alega tais vícios, ou seja, a recorrida, conforme dispõe o artigo 818

consolidado e que inclusive o C. TST, em julgamentos posteriores

ao RE 760.931, vem entendendo dessa maneira.


PODER JUDICIÁRIO
Repisa que, no caso em tela, o acórdão recorrido, proferido pelo
JUSTIÇA DO TRABALHO
TRT da 16ª Região, ao tratar sobre o ônus da prova acerca da
Fundamentação escolha e fiscalização do contrato de terceirização, entendeu de
RECURSO DE REVISTA forma contrária, alegando que o ônus era do ente público, pois apto
Recorrente: ESTADO DO MARANHÃO para tal incumbência.Prossegue afirmando que diante da não
Procurador: GIVANILDO FELIX DE ARAUJO JUNIOR aplicação da lei que expressamente regula a matéria e diante da

falta de provas quanto à culpa do tomador de serviços, o acórdão


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS revisando logrou violar o artigo 5º, inciso II, da Constituição Federal,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 2
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

o artigo 71, § 1º, da Lei nº 8.666/91 e o artigo 818, da CLT, bem como eventualmente poderá fazê-lo, a mim me parece que o

como o entendimento do STF quando do julgamento da ADC 16 e Tribunal não pode, neste julgamento, impedir que a Justiça

do RE 760.931. trabalhista, com base em outras normas, em outros princípios e à

Transcreve arestos para confronto de teses. luz dos fatos de cada causa, reconheça a responsabilidade da

Por fim, requer que sejam reconhecidas suas alegações, trazendo Administração.

como consequência lógica de tal conclusão a reforma da decisão Se a lição extraída do art. 71, §1º, da Lei n. 8.666/93 fosse a total

recorrida, o reconhecimento da inexistência de responsabilidade irresponsabilidade da Administração Pública nas hipóteses de

subsidiária e, como consequência, a exclusão do Estado do terceirização, ela estaria presente nas manifestações e votos dos

Maranhão do polo passivo da lide. integrantes da Suprema Corte. A análise dos motivos por trás da

Quanto ao assunto, assim dispôs o v. Acórdão recorrido: decisão deixa claro que o intuito dos Ministros do STF não foi o de

Da responsabilidade subsidiária do ente público vedar, incondicionalmente, a responsabilização do Poder Público.

O ente público defende a exclusão de sua responsabilidade A condenação subsidiária do ente público exige a análise e efetiva

subsidiária pela satisfação dos créditos trabalhistas não adimplidos demonstração, na situação concreta, de sua conduta culposa,

pela 1ª reclamada (BEM VIVER), ao argumento de que não omissiva ou comissiva, tanto no que concerne ao procedimento de

manteve vínculo empregatício com o autor e de que não caberia escolha da empresa contratada (culpa ), quanto in eligendo ao

sua condenação, por força da vedação do art. 71, §1º, da Lei de exercício do dever-poder de fiscalização do cumprimento das

Licitações (Lei nº 8.666/93) e decisão do STF constante da ADC 16. obrigações oriundas do contrato (culpa in vigilando). Esses, aliás,

Ao exame. são os fundamentos utilizados para a revisão da Súmula 331 do

Ventilada a discussão sobre responsabilidade do ente público em TST, em especial o item V:

decorrência de terceirização, há de se ressaltar que a procedência SUM-331 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

da ADC 16/STF, declarando a constitucionalidade do art. 71, §1º, da LEGALIDADE (nova redação do item IV e inseridos os itens V e VI à

Lei n. 8.666/93, não significa a total ausência de responsabilidade redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011 I

da Administração Pública. Vejam-se os debates travados naquela - A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal,

oportunidade: formando-se o vínculo diretamente com o tomador dos serviços,

A Ministra Carmem Lúcia assim se expressou: salvo no caso de trabalho temporário (Lei nº 6.019, de 03.01.1974).

"Por outro lado, não se pode acolher o argumento, muitas vezes II - A contratação irregular de trabalhador, mediante empresa

repetido nas peças apresentadas pelos amici curiaedesta ação, de interposta, não gera vínculo de emprego com os órgãos da

que "a Administração Pública não tem meio de evitar o Administração Pública direta, indireta ou fundacional (art. 37, II, da

inadimplemento das obrigações trabalhistas por parte das empresas CF/1988). III - Não forma vínculo de emprego com o tomador a

contratadas". contratação de serviços de vigilância (Lei nº 7.102, de 20.06.1983) e

Desde o processo licitatório, a entidade pública contratante deve de conservação e limpeza, bem como a de serviços especializados

exigir o cumprimento das condições de habilitação (jurídica, técnica, ligados à atividade-meio do tomador, desde que inexistente a

econômico-financeira e fiscal) e fiscalizá-las na execução do pessoalidade e a subordinação direta. IV - O inadimplemento das

contrato. obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica a

O Ministro Cezar Peluso ponderou: responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços quanto

A informação prestada pelo Presidente do Tribunal Superior do àquelas obrigações, desde que haja participado da relação

Trabalho, invocando inclusive as decisões, é que o Tribunal processual e conste também do título executivo judicial. V - Os

Superior do Trabalho reconhece a responsabilidade da entes integrantes da Administração Pública direta e indireta

Administração com base nos fatos, isto é, com base no respondem subsidiariamente, nas mesmas condições do item IV,

descumprimento do contrato, e não com base em caso evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das

inconstitucionalidade de lei. Ou seja, o Tribunal Superior do obrigações da Lei n.º 8.666, de 21.06.1993, especialmente na

Trabalho não tem dúvida da constitucionalidade da norma, só que fiscalização do cumprimento das obrigações contratuais e legais da

reconhece responsabilidade da Administração por questões factuais prestadora de serviço como empregadora. não decorre de mero

ligadas a cada contrato em particular, [...] inadimplemento das obrigações trabalhistas assumidas pela

Em relação a isso não tenho dúvida nenhuma, eu reconheço a empresa regularmente contratada. VI - A responsabilidade

plena constitucionalidade da norma e, se o Tribunal a reconhecer, subsidiária do tomador de serviços abrange todas as verbas

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 3
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

decorrentes da condenação referentes ao período da prestação contratação e da fiscalização na execução do contrato. Sendo

laboral (destaque acrescido). assim, o ônus da prova, em virtude do princípio da aptidão, pertence

Esse entendimento se justifica em razão de a Administração dispor à Administração Pública:

de elementos jurídicos suficientes a garantir a execução plena do [...] II. RECURSO DE REVISTA. RESPONSABILIDADE

contrato administrativo de terceirização lícita de serviços SUBSIDIÁRIA. ÔNUS DA PROVA. ENTE DA ADMINISTRAÇÃO

especializados. O regular processo licitatório dirime a culpa in PÚBLICA. SÚMULA 331, V, DO Embora a constitucionalidade do

eligendo. Já a culpa in vigilando decorre de descumprimento do art. 71 da Lei 8.666/93 tenha TST. sido declarada em definitivo pela

dever de fiscalização do contrato, tal como previsto na Lei n. Excelsa Corte Suprema no julgamento proferido na ADC 16/DF, não

8.666/93: há óbice para a condenação subsidiária de entidades da

Art. 58 - O regime jurídico dos contratos administrativos instituído Administração Pública nas situações em que configurada a omissão

por esta Lei confere à Administração, em relação a eles, a no regular acompanhamento e fiscalização da execução dos

prerrogativa de: contratos de terceirização celebrados, particularmente em relação

[...] ao cumprimento das obrigações trabalhistas (legais e contratuais)

III - fiscalizar-lhes a execução por parte das empresas contratadas (Súmula 331, V, do col. TST).

Art. 67 - A execução do contrato deverá ser acompanhada e No caso dos autos, o Tribunal Regional afastou a responsabilidade

fiscalizada por um representante da Administração especialmente subsidiária da segunda Reclamada, ao fundamento de que o Autor

designado, permitida a contratação de terceiros para assisti-lo ou não se desonerou do ônus de provar a omissão do tomador de

subsidiá-lo de informações pertinentes a esta atribuição. serviços na fiscalização da execução do contrato de prestação de

O ente público, no caso de descumprimento das cláusulas serviços. Contudo, de acordo com o princípio da aptidão para a

contratuais pelo prestador dos serviços, pode adotar medidas de produção da prova, o ônus de demonstrar a regular fiscalização do

natureza administrativa que denotem sua discordância com a contrato administrativo, inclusive quanto à quitação das obrigações

situação de inadimplemento, chegando até mesmo à rescisão trabalhistas, é do tomador dos serviços.Afinal, na hipótese, a

contratual. segunda Reclamada, como responsável pelo controle da atividade

Assim decidiu este Regional nos autos do RO 0016059- da empresa prestadora, detinha, indubitavelmente, o ônus de

42.2015.5.16.0010, julgado em 20/04/2016. Na oportunidade, a comprovar a efetiva fiscalização do contrato administrativo, ônus do

Desembargadora Solange Cristina, relatora do feito, reconheceu a qual não se desonerou, decorrendo daí a culpa in vigilando, que

atuação diligente da União, o que resultou na exclusão da autoriza a condenação subsidiária. Recurso de revista conhecido e

responsabilidade: provido. (RR nº 0000649-17.2010.5.06.0003, 7ª Turma do TST, Rel.

[...] Do acima transcrito depreende-se que os artigos 71 da Lei Douglas Alencar Rodrigues. unânime, DEJT 17.12.2015).

8.666/93 não exime a Administração Pública direta e indireta dos (Destaques posteriores).

efeitos da responsabilidade subsidiária quando revelada a culpa in Os votos mais recentes do colendo TST seguem a mesma trilha,

vigilando e in eligendo. Com efeito, os artigos 58, III, e 67 da Lei nº citando-se os seguintes precedentes: AIRR - 245800-

8666/93 impõem à Administração Pública o dever de fiscalizar a 24.2008.5.09.0095, 1ª Turma (DEJT 18/04/2016); AIRR - 20042-

execução dos contratos administrativos de prestação de serviços 74.2014.5.04.0121, 2ª Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 1140-

celebrados. 25.2014.5.08.0101, 3ª Turma (D EJT 15/04/2016); AIRR - 167-

Analisando-se detidamente o conjunto probatório dos autos, extrai- 14.2013.5.02.0088, 4ª Turma (DEJT 15/04/2016); RR - 881-

se que a União não permaneceu inerte quando constatou que a 06.2013.5.02.0433, 5ª Turma (DEJT 27/11/2015); RR - 439-

empresa terceirizada vinha olvidando do cumprimento das 73.2014.5.03, 7ª Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 10989-

obrigações trabalhistas, especialmente o pagamento dos salários 84.2014.5.15.0017, 8ª Turma (DEJT 15/04/2016). Por fim, quanto

dos terceirizados. Infere-se, portanto, que a União Federal foi ao alcance da responsabilidade do tomador de serviços, o item VI

diligente no seu poder/dever de fiscalização do contrato firmado da Súmula 331 do TST esclarece que a responsabilização

com a primeira reclamada, inclusive tendo-lhe aplicado multa subsidiária inclui o pagamento de todas as parcelas da condenação,

administrativa registrada no Sicaf (ID Num. 1ea125c - Pág. 21), o em razão do princípio da reparação integral. Desse modo, deve

que posteriormente culminou na rescisão unilateral do contrato de responder por todo o prejuízo que o empregado venha a sofrer em

terceirização (ID nº 1ea125c). Observa-se, à evidência, que é razão da sua atividade laboral, incluindo-se, aqui, as verbas

possível ao ente público diligente efetuar prova da regularidade da rescisórias e as multas respectivas.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 4
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Na hipótese dos autos, restou incontroverso que o ESTADO DO INTEGRANTE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CULPA IN

MARANHÃO atuou na condição de tomador dos serviços da VIGILANDO. NÃO CONFIGURAÇÃO. JUNTADA DE

primeira ré (BEM VIVER). Também se constata que a parte autora DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA DA FISCALIZAÇÃO.

foi contratada pela primeira demandada para exercer a função de PRESUNÇÃO DE INEFICIÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO PELO MERO

porteiro, conforme se verifica nos documentos apresentados, INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. A

situação que revela a prestação terceirizada de serviços, figurando decisão embargada foi devidamente analisada e fundamentada em

o ESTADO DO MARANHÃO como beneficiário final do pacto obediência à orientação traçada pelo STF, uma vez que restou

celebrado entre o autor e a 1ª reclamada. Restou evidenciada a consignada na decisão regional a observância por parte da

formação da relação terceirizada de serviços. A terceirização tomadora do dever de acompanhar e fiscalizar a execução dos

somente pode ser encetada após regular procedimento licitatório contratos promovidos com a empresa prestadora de serviços, sendo

(art. 37, XXI, da CF/88), o qual seria o responsável por afastar a afastada a culpa in vigilando. Constou do acórdão embargado que

culpa in eligendo. Já a culpa in vigilando decorreria da falha no houve juntada da documentação comprobatória da fiscalização

dever de fiscalizar a execução do contrato regularmente firmado. exercida pela Administração, o que afasta, por si só, a alegação do

Todavia, o Recorrente sequer provou que fez licitação para a reclamante de ter restado caracterizada a culpa in vigilando. Diante

contratação da terceirizada, como também não provou que desse contexto, a irresignação do reclamante com a decisão

fiscalizou o cumprimento das obrigações trabalhistas, contratuais e embargada não encontra respaldo nas hipóteses dos arts. 1.022 do

legais por parte dessa prestadora de serviços para com seus CPC/2015 e 897-A da CLT, visto que não ficou configurada a

empregados, o que bem poderia ter feito, ante as formalidades de existência de nenhum vício a justificar a oposição da presente

que se cerca a atuação da Administração. medida. Embargos de declaração rejeitados. (ED-RR - 1449-

Portanto, diante do não atendimento do ônus probatório que 21.2015.5.05.0222 , Relatora Ministra: Dora Maria da Costa, Data

competia ao ente público, fica reconhecida a conduta culposa deste de Julgamento: 28/11/2018, 8ª Turma, Data de Publicação: DEJT

e, consequentemente, sua responsabilidade subsidiária pelo 30/11/2018)

pagamento dos direitos trabalhistas devidos ao reclamante. AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA.

Nega-se provimento. RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº

Analiso. 13.015/2014 TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS.

Entendo que não houve violação ao art. 5º, II, da CF, tampouco ao RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ARTIGO

art. 71,§1º, da Lei nº 8.666/93, na medida em que, ao julgar 71, § 1º, DA LEI Nº 8.666/93. SÚMULA Nº 331, ITEM V, DO

procedente o pedido formulado na ADC nº 16 e declarar a TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO. AÇÃO DECLARATÓRIA

constitucionalidade do art. 71, §1º, da Lei nº 8.666/93, bem como no DE CONSTITUCIONALIDADE Nº 16-DF. TEMA Nº 246 DO STF.

julgamento do RE 760931, o Supremo Tribunal Federal não afastou TESE DE REPERCUSSÃO GERAL. VEDAÇÃO DE

peremptoriamente a responsabilidade de a Administração Pública TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA DE RESPONSABILIDADE.

ser condenada no pagamento dos encargos trabalhistas não NECESSIDADE DE COMPROVAÇÃO DE CULPA DA

adimplidos pelo contratado. Pelo contrário, ressalvou a possibilidade ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. EXAURIMENTO DE MATÉRIA

de verificação, no caso concreto, da culpa in vigilando, nos exatos FÁTICA NAS INSTÂNCIAS ORDINÁRIAS. MATÉRIA NÃO

termos da Lei nº 8.666/93, arts. 58, inciso III, e 67, caput e §1º, os COGNOSCÍVEL EM RECURSO DE NATUREZA

quais atribuem ao ente público a responsabilidade pela fiscalização EXTRAORDINÁRIA. SÚMULA Nº 126 DO TRIBUNAL SUPERIOR

das obrigações decorrentes da execução dos contratos DO TRABALHO. No julgamento do Recurso Extraordinário nº

administrativos. 760.931-DF, em debate representativo do Tema nº 246 de

Ressalte-se que, no julgamento do RE 760931, não foi fixada repercussão geral reconhecida, os Ministros da Suprema Corte

qualquer tese sobre a distribuição do ônus da prova, embora reafirmaram a constitucionalidade do artigo 71, § 1º, da Lei nº

debates e compreensões jurídicas distintas entre os ministros 8.666/93, conforme já declarado no julgamento da Ação

tenham sido expostas durante a sessão plenária da Suprema Corte. Declaratória de Constitucionalidade nº 16, consignando que

Assim, não há qualquer contrariedade à decisão em comento. somente a demonstração efetiva de um comportamento culposo

Nesse sentido, seguem julgados recentes do TST: específico, com prova cabal do nexo de causalidade entre a

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO DE REVISTA. conduta comissiva ou omissiva da Administração Pública e o dano

TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE sofrido pelo trabalhador permitirá responsabilização do Poder

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 5
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Público, tomador dos serviços de trabalhadores terceirizados. Na serviços. Constatada pelo Regional, com base no quadro fático-

ocasião, por maioria de votos (vencidos os Ministros Rosa Weber, probatório dos autos, a existência de fiscalização da Administração

Relatora original, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Roberto Pública no caso concreto, não há como imputar a sua

Barroso e Edson Fachin) e nos termos do voto do Ministro Luiz Fux, responsabilidade subsidiária, nos termos da Ação Declaratória de

Redator do acórdão, fixou-se a seguinte tese de repercussão geral: Constitucionalidade nº 16 e do Recurso Extraordinário nº 760.931-

"O inadimplemento dos encargos trabalhistas dos empregados do DF, Tema nº 246 de Repercussão Geral no Supremo Tribunal

contratado não transfere automaticamente ao Poder Público Federal. Óbice da Súmula nº 126 do TST. Agravo de instrumento

contratante a responsabilidade pelo seu pagamento, seja em desprovido. (AIRR - 10182-96.2016.5.09.0652 , Relator Ministro:

caráter solidário ou subsidiário, nos termos do art. 71, § 1º, da Lei nº José Roberto Freire Pimenta, Data de Julgamento: 27/11/2018, 2ª

8.666/93". Embora da leitura da redação da referida tese não se Turma, Data de Publicação: DEJT 30/11/2018)

possa extrair o entendimento majoritário da Corte Suprema acerca In casu, diante do quadro fático delineado no v. acórdão recorrido,

da crucial questão controvertida sobre a quem caberia o ônus da no sentido de que a responsabilidade subsidiária do Estado do

prova relacionada ao comportamento culposo da Administração Maranhão advém de sua culpa in vigilando evidenciada nos autos,

Pública na fiscalização dos serviços terceirizados, extrai-se dos não é possível a revisão dessa premissa em sede extraordinária,

votos proferidos por ocasião da última sessão de julgamento em porquanto demandaria a incursão no acervo probatório dos autos

que se deliberou sobre a matéria que deve haver, como premissa (Súmula nº 126/TST).

necessária à condenação subsidiária da Administração Pública por Desse modo, toda e qualquer discussão sobre o tema encontra-se

ausência de fiscalização nas contratações terceirizadas, o esgotada no duplo grau de jurisdição, o que afasta a possibilidade

enfrentamento do caso concreto pelo Tribunal Regional do de prosseguimento da revista, resultando inviável a análise de

Trabalho, Corte soberana na análise do acervo fático-probatório, pretensa divergência jurisprudencial apresentada. Ademais, a

com manifestação expressa sobre a existência específica e decisão recorrida, tal como proferida, está em estrita consonância

demonstração de culpa da Administração Pública. Certo que a com as diretrizes dos itens IV, V e VI da Súmula 331 do TST, o que

responsabilidade da Administração Pública, em razão da também inviabiliza o prosseguimento do recurso de revista,

inadimplência da empresa contratada, não pode ser automática, nos consoante a regra contida no artigo 896, §7º, da CLT c/c a Súmula

exatos termos da Súmula nº 331, item V, do TST, de seguinte teor: nº 333 do TST.

"a aludida responsabilidade não decorre de mero inadimplemento Por fim, são inservíveis os arestos trazidos ao confronto de teses, já

das obrigações trabalhistas assumidas pela empresa regularmente que provenientes de órgãos não elencado no art. 896, "a", da CLT.

contratada. Ainda que exigidas da 1ª Ré para liberação das notas CONCLUSÃO

fiscais os recolhimentos do FGTS, contribuições fiscais, dentre DENEGO seguimento ao recurso.

outros (Id. 4ab487b, e8424f6 e seguintes), nada consta sobre o Publique-se e intime-se.

acompanhamento dos pagamentos dos salários do mês anterior e a SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

fiscalização quanto ao cumprimento das demais obrigações Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

dispostas na CLT, dentre elas o pagamento dos salários e direitos /m.3

previstos em norma coletiva". Se a mera inadimplência da

prestadora de serviços não caracteriza, por si só, culpa da Assinatura

Administração Pública e se o Tribunal Regional do Trabalho é a SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

última instância apta a analisar e a valorar a prova a esse respeito

(Súmulas nºs 279 do Supremo Tribunal Federal e 126 do Tribunal SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Superior do Trabalho, a contrario sensu), como bem acentuado Desembargador Federal do Trabalho

pelos Ministros Dias Toffoli e Luiz Fux na Suprema Corte, ao Decisão


Processo Nº RO-0016643-70.2015.5.16.0023
votarem no sentido da corrente vencedora, a responsabilização do Relator AMERICO BEDE FREIRE
ente público em tais casos depende do registro expresso e RECORRENTE A. REGIAO TOCANTINA DE
EDUCACAO E CULTURA LTDA.
específico da existência de sua culpa omissiva após a análise, pelo ADVOGADO AMADEUS PEREIRA DA SILVA(OAB:
4408/MA)
Regional, do quadro fático-probatório dos autos, matéria não sujeita
RECORRIDO RAIMUNDO FRANCISCO DE
a reexame pelas instâncias extraordinárias. In casu, o Regional OLIVEIRA NETTO
ADVOGADO CLEDILSON MAIA DA COSTA
expressamente registrou que houve fiscalização do tomador de SANTOS(OAB: 4181/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 6
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Intimado(s)/Citado(s): prática pagas ao reclamante, por entender que observam o padrão

- A. REGIAO TOCANTINA DE EDUCACAO E CULTURA LTDA. de consenso no mercado nacional e têm resguardo nas
- RAIMUNDO FRANCISCO DE OLIVEIRA NETTO Convenções Coletivas de Trabalho.

De fato, as Convenções Coletivas acostadas aos autos indicavam a

remuneração mínima a ser paga aos professores, com base nas

PODER JUDICIÁRIO horas/aula ministradas, mas sem fazer qualquer distinção entre o

JUSTIÇA DO TRABALHO valor das aulas teóricas e das aulas práticas.

As Convenções dos anuênios de 2009/2010, 2010/2011 e


Fundamentação
2011/2012 definiram que os estabelecimentos de ensino não
RECURSO DE REVISTA
remunerariam os professores em valores inferiores a,
Processo: 0016643-70.2015.5.16.0023
respectivamente, R$ 28,00 (id. d3fe6b9 - pág. 1), R$ 29,96 (id.
Recorrente: A. REGIÃO TOCANTINA DE EDUCAÇÃO E
d3d6b26 - pág. 3) e R$ 32,36 (id. c79ada2 - pág. 3), mas sem
CULTURA LTDA
apresentar quaisquer distinções em relação às aulas teóricas e
Advogado: AMADEUS PEREIRA DA SILVA OAB/MA 4.408
práticas.

Porém, em 29/09/2011, o Sindicato dos Trabalhadores em


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Estabelecimento de Ensino de Imperatriz (STEEI) e o Sindicato dos
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 25/01/2018; recurso
Estabelecimentos de Ensino de Imperatriz (SINEPE) firmaram termo
apresentado em 01/02/2018, ID. 99c46b4).
aditivo à Convenção Coletiva então vigente, assim estabelecendo
Regular a representação processual (ID. d20b728).
(id. c79ada2 - pág. 8):
Satisfeito o preparo (Sentença, R$10.000,00 - ID. 574533a - Pág. 6;
Cláusula primeira - não são enquadrados neste aspecto de
Custas, R$200,00 - ID. 60855a5 - Pág. 1; Depósito Recursal, R$
igualdade, a remuneração sobre as atividades de acompanhamento
8.183,06 - ID. 667c794 - Pág. 1; Depósito RR, R$18.378,00 - ID.
de alunos, na observação e aplicação da prática profissional, nas
3236a74 - Pág. 1).
grandes áreas do conhecimento, a saber: Ciências Agrárias,
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Ciências Biológicas, Ciências Exatas, Ciências Humanas, Ciências
Remuneração, Verbas Indenizatórias e Benefícios/
da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas, quando o professor
Salário/Diferença Salarial/ Salário por Equiparação/Isonomia
acompanhante, independente do nível, da habilitação e/ou
Alegações:
qualificação, recebera o valor de R$ 19,00 (dezenove reais) por
- divergência jurisprudencial
hora de acompanhamento.
A reclamada interpõe recurso de revista (ID. eff7c19) em face do
Como se percebe, a partir de então, foi estabelecido valor menor
acórdão (ID. 409456d, complementado no ID. 0dfac56), que,
pela hora de trabalho, fixando-se R$ 19,00 como remuneração
mantendo a sentença, considerou como ofensa ao princípio da
pelas atividades práticas e R$ 32,36 pelas aulas teóricas. Ou seja,
isonomia a distinção salarial relatada nos autos.
até 29.09.2011, de fato não havia autorização em norma coletiva da
De início, alega que a Turma se equivocou ao interpretar o princípio
distinção, motivo pelo qual não poderia a reclamada diferenciar os
da isonomia nos termos do art. 460 da CLT, eis que o caso em
valores.
questão amolda-se aos termos do art. 461 da CLT.
Por sua vez, a partir dessa data, em que pese previsão normativa
Em seguida, destaca que a isonomia laboral de igual valor
que passou a autorizar a diferenciação, verifica-se que a distinção
corresponde àquela atividade realizada com igual produtividade e
foi aplicada à remuneração do reclamante, mas não foi estendida
com a mesma perfeição técnica, ressaltando decisão de outro
aos professores do Curso de Odontologia, conforme afirmou a
Regional, que, partindo dessa premissa, concluiu pela
preposta e como consta da decisão recorrida.
impossibilidade de mensuração do trabalho voltado ao intelecto,
Assim, é inegável que a hipótese caracteriza ofensa ao princípio da
ainda mais quando se tratar de paradigma que ministra disciplina
isonomia (arts. 5º, caput, da CF/88, e 460, da CLT), motivo pelo
distinta.
qual outra solução não há senão corroborar o entendimento
Transcreve arestos para o confronto de teses.
manifestado pelo magistrado de primeiro grau. A prática revela a
Consta do v. acórdão a seguinte fundamentação:
valorização de certas carreiras em detrimento de outras, apesar da
(...) A reclamada ataca, em seu pleito recursal, a condenação no
exigência comum de formação superior e de regulamentação
que se refere às diferenças salariais decorrentes da diferenciação
própria. (...)
existente entre os valores da hora/aula teórica e da hora/aula

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 7
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Analiso. (OAB/MA 16.712-A)

Da análise da peça recursal, verifica-se que a recorrente

fundamenta as suas razões apenas em divergência jurisprudencial. PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Nos termos da Súmula 296, I, do TST, "A divergência Tempestivo o recurso (decisão publicada em 12/06/2018 - ID.

jurisprudencial ensejadora da admissibilidade, do prosseguimento e 11542e2; recurso apresentado em 25/06/2018, certidão ID.

do conhecimento do recurso há de ser específica, revelando a 36d8c1b).

existência de teses diversas na interpretação de um mesmo Regular a representação processual (ID. 3f0cd30- Pág. 1).

dispositivo legal, embora idênticos os fatos que as ensejaram.". Dispensado o preparo em razão do deferimento da justiça gratuita

Pois bem. Carece o recurso em apreço dessa correspondência (ID. 0393c88 - Pág. 6).

fática exigida na súmula. Os julgados apresentados como PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

paradigmas ou se revelam genéricos e somente inteligíveis dentro DIREITO DO TRABALHO / ALTERAÇÃO CONTRATUAL/

do contexto fático do qual emanaram (págs. 6 e 7) ou, claramente, REDUÇÃO SALARIAL / AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO E AUXÍLIO-

não contemplam as mesmas circunstâncias fáticas traçadas no CESTA-ALIMENTAÇÃO

acórdão ora recorrido (págs. 8 a 10). Alegação(ões):

CONCLUSÃO - Divergência jurisprudencial.

DENEGO seguimento ao recurso. - Violação do art. 457 e 458 da CLT

Publique-se e intime-se. O reclamante interpõe recurso de revista (ID. e16699b), eis que

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO insatisfeito com o acórdão (ID. 73c8328), que manteve a decisão de

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região primeiro grau reconhecendo a natureza indenizatória e não

4 remuneratória das parcelas Auxílio-Alimentação e Auxílio-Cesta-

Assinatura Alimentação pagas pelo recorrido.

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 Alega que, do seu ingresso na instituição recorrida até outubro de

1992, percebeu com habitualidade e por força de norma

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO regulamentar integrante do seu contrato de trabalho, parcela

Desembargador Federal do Trabalho denominada "reembolso desp. alimentação", e que tal parcela, por
Decisão força no disposto nos artigos 457 e 458 da CLT, corresponderia a
Processo Nº RO-0016261-75.2017.5.16.0001
Relator JAMES MAGNO ARAUJO FARIAS salário. Afirma, em ato contínuo, que o seu entendimento está em
RECORRENTE DALVANI RODRIGUES PEREIRA DE consonância com o teor da Súmula nº 241, do TST.
ARRUDA
ADVOGADO DIEGO ROBERT SANTOS Acrescenta, fundado nas Súmulas 241 e 51, inciso I do TST, que
MARANHAO(OAB: 10438/MA)
ainda que se diga que não houve a redução salarial, a adesão do
ADVOGADO JOAO GUILHERME CARVALHO
ZAGALLO(OAB: 16712/MA) PAT não tem o condão de alterar a natureza salarial da parcela
RECORRIDO CAIXA ECONOMICA FEDERAL
anteriormente instituída para aqueles que habitualmente já
ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA
MEIRELES(OAB: 3412/MA) recebiam o benefício.
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Aduz que, após outubro de 1992, a demandada passou a conceder

auxílios alimentação e cesta-alimentação nos moldes do Programa


Intimado(s)/Citado(s):
de Alimentaçãodo Trabalhador - PAT - ao Reclamante e suprimiu o
- CAIXA ECONOMICA FEDERAL
pagamento da parcela "reembolso desp. Alimentação" e que tal
- DALVANI RODRIGUES PEREIRA DE ARRUDA
alteração contratual, além de ilícita, contraria um dos primados mais

básicos da Constituição Federal de 1988, o da irredutibilidade

salarial. Complementa dizendo que, suprimida uma parcela salarial,


PODER JUDICIÁRIO
deve a mesma ser recomposta, sob pena de ter seu salário
JUSTIÇA DO TRABALHO
reduzido.

Fundamentação Transcreve arestos, a seu ver, divergentes.

RECURSO DE REVISTA Eis a ementa do v. Acórdão recorrido:

Recorrente(s): DALVANI RODRIGUES PEREIRA DE ARRUDA O reclamante renova neste RO seus argumentos iniciais aduzindo

Advogado(a)(s):JOÃO GUILHERME CARVALHO ZAGALLO que é ilegal a alteração contratual promovida pela empregadora

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 8
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Caixa Econômica Federal em outubro de 1992 ao suprimir a parcela ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO

denominada "reembolso despesa alimentação" que era RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE -

regularmente percebida pelo autor desde sua contratação com RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão

natureza de salário. Sustenta que a natureza jurídica da agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da

remuneração não poderia ter sido alterada pela livre vontade das CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras,

partes. Assim, pleiteia que seja declarada a ilegalidade da alteração divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de

contratual promovida pela reclamada que alterou a natureza da jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A,

parcela "reembolso desp. alimentação" de salarial para I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da

indenizatória, condenando a empresa na obrigação de fazer de decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da

incorporar os auxílios alimentação e cesta alimentação na controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro

remuneração do reclamante. Pugna, ainda, pela condenação da teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta

recorrida na obrigação de pagar os reflexos decorrentes sobre Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral

horas-extras, 13º salário, férias etc. do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque

O ponto principal para o deslinde da questão é a data em que o das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-

reclamante foi admitido nos quadros da reclamada. De forma A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que

inconteste, de acordo com os elementos documentais trazidos aos infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado,

autos, o ora recorrente foi contratado em 20/11/1989. Também razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com

repousam nos autos documentos que provam que desde 1987 aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator

havia Acordo Coletivo dispondo acerca da natureza indenizatória do Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento:

auxílio-alimentação. A alteração da natureza jurídica do benefício 12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018)

levada a efeito por meio de instrumento de negociação coletiva, que RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

passou a considerar a referida verba como indenizatória, é regular e PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

deve ser respeitada, tendo em vista o princípio da autonomia INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

privada coletiva alçado à garantia constitucional no inciso XXVI do 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

art. 7º, posto que nesta hipótese não há ofensa a norma de ordem admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

pública. Aliás, há previsão expressa no inciso VI do art. 7º, também redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

da CF/88, no sentido de que é possível, via negociação coletiva, a do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

redução, inclusive, de salário. que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

Assim, desde a sua admissão o reclamante passou a receber por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

auxílio-alimentação já com natureza indenizatória, não havendo que situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

se falar em ilegalidade. exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

Analiso. prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

insuscetível de veiculação o recurso de revista. recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

No caso presente, observo que o recorrente transcreveu todo o (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

capítulo da decisão, sem destaque das controvérsias, o que não cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST: cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 9
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO LUCIANA ARDUIN FONSECA(OAB:


LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE 143634/SP)
ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN CASTRO(OAB: 8883-A/MA)
VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO RECORRIDO MEGA SERVICE ASSISTENCIA
TECNICA LTDA - ME
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF. ADVOGADO DANIEL LUIS SILVEIRA(OAB: 8366-
A/MA)
PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data
RECORRIDO CLEIA MARIA TEIXEIRA
de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018). ADVOGADO ANTONIO VERAS DE ARAUJO(OAB:
3693-A/MA)
PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL Intimado(s)/Citado(s):


PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE - CLEIA MARIA TEIXEIRA
FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO - MEGA SERVICE ASSISTENCIA TECNICA LTDA - ME
- SAMSUNG ELETRONICA DA AMAZONIA LTDA
REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte PODER JUDICIÁRIO

e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão JUSTIÇA DO TRABALHO

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia


Fundamentação
objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.
RECURSO DE REVISTA
Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,
Processo: 0017711-24.2016.5.16.0022
sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do
Recorrente: SAMSUNG ELETRÔNICA DA AMAZÔNIA LTDA
Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações
Advogado(a): CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA CASTRO
indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de
OAB/MA 8883-A
instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR-

238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 22/02/2018, ID.
conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de
870acfd; recurso apresentado em 05/03/2018, ID. a6371a7).
Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª
Regular a representação processual (Procuração, ID. b9291f0/
Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de
Substabelecimento, ID. 9e1853b).
Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).
Satisfeito o preparo (Sentença R$ 12.000,00, ID. 753e00e; Custas
Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art.
R$ 240,00, ID. 025893b; Depósito RR R$ 12.000,00, ID. 025893b).
896, §1º-A, I, da CLT.
Vistos etc.
CONCLUSÃO
A recorrente requer que sejam as próximas notificações e
DENEGO seguimento ao recurso.
intimações remetidas aos cuidados do advogado Dr. OTÁVIO
Publique-se e intime-se.
PINTO E SILVA - OAB/SP nº 93.542, com endereço na Rua
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
Tabapuã, nº 81, 4º andar, CEP: 04533-010, Itaim Bibi, São Paulo -
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região
SP, sob pena de nulidade processual. No mesmo sentido, pede que
/m
as publicações no Diário de Justiça sejam realizadas, também, em

nome do referido advogado, sob pena de nulidade (Artigo 236, § 1º,


Assinatura
do CPC).
SAO LUIS, 4 de Abril de 2019
Defiro.

Providencie a secretaria os procedimentos de praxe, conforme


SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
documentos de representação de IDs. b9291f0 e 9e1853b.
Desembargador Federal do Trabalho
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Decisão
Processo Nº RO-0017711-24.2016.5.16.0022 Responsabilidade Solidária/Subsidiária
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA Alegação(ões):
RECORRENTE SAMSUNG ELETRONICA DA
AMAZONIA LTDA - contrariedade à Súmula 331 do TST;

- divergência jurisprudencial.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 10
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

A reclamada Samsung interpõe recurso de revista (ID. fb5d085) em treinada para a perfeita execução dos serviços de assistência

face do acórdão (ID. 8c28a1b), eis que inconformada com o técnica, cuja fiscalização dos parâmetros ficaria a cargo da própria

reconhecimento de sua responsabilidade subsidiária. fabricante. À vista das características do contrato formalizado entre

Alega, em síntese, que as atividades da outra parte reclamada as reclamadas, o Ministro relator, Alexandre Teixeira de Freitas

estão ligadas à sua atividade-meio e que a situação se encaixa no Bastos Cunha, concluiu da seguinte forma:

item III da Súmula 331 do TST, pelo que não há o que se falar em Tal situação configura a existência de típica terceirização na

sua condenação subsidiária. atividade-meio da tomadora, geradora da responsabilidade

Acrescenta que era a outra parte reclamada quem dirigia as subsidiária da beneficiária dos serviços pelas parcelas objeto da

atividades do reclamante e que com este não manteve qualquer condenação.

relação de subordinação. Frise-se que a relação jurídica entre a assistência técnica

Também assevera que não há comprovação de culpa de sua parte autorizada e a fabricante do produto, no caso a LONGSAM e a

e que sempre cumpriu com todos os pagamentos referentes à SANSUNG, revela manifesto vínculo de mútua dependência. Tanto

contratação dos serviços da outra reclamada. assim que o Código do Consumidor, em seu artigo 18, estabelece

Observa, ainda, que apenas nos casos de terceirização fraudulenta obrigações e vínculo de solidariedade entre ambas as empresas,

de atividade-fim é que a responsabilidade subsidiária se aplicaria, e em caso de defeito do produto.

que o contrato havido entre si e a outra reclamada se constitui em Logo, inexiste, nessa relação, mero contrato de natureza civil, sem

ato jurídico perfeito, sobre o qual não pesa nenhum vício de interligação na atividade produtiva das empresas. Por

consentimento que resulte em nulidade. consequência, a SAMSUNG se beneficia, nitidamente, da prestação

Transcreve arestos para confronto de teses. de serviços do autor.

Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação: Nesse diapasão, conheço do recurso de revista, por contrariedade

(...) O recurso ordinário subjacente versa sobre a responsabilidade ao inciso IV, da Súmula nº 331, desta Corte, na forma do art. 896,

dos fabricantes pelas verbas trabalhistas inadimplidas pelos alínea "a", da CLT, restando prejudicado o exame dos demais

serviços de assistência técnica autorizada. Ou melhor, se haveria argumentos veiculados na revista.

terceirização de serviços a ensejar a aplicação do entendimento Voltando aos autos, o mesmo tipo de ajuste foi celebrado entre as

consolidado na Súmula nº 331 do c. TST ou seria hipótese de reclamadas (instrumento de contrato, id f76f3e2). O objeto do

relação comercial civil, na qual não se evidenciaria a terceirização contrato envolvia a prestação de serviços de assistência técnica

de mão-de-obra, por isso inaplicável a posição consolidada no autorizada a ser manejada de acordo com as orientações fornecidas

enunciado citado. em manual elaborado pela fabricante, estando o contratado sujeito

A relação mercantil havida entre fabricantes e os demais atores da a cláusulas de desempenho, metas, prazos, garantias de serviço,

cadeia de comércio, de um modo geral, não configuram a proibição de recusa de prestação dos serviços, até mesmo a

responsabilidade subsidiária de que trata o inciso IV da Súmula n.º manutenção do logotipo da empresa na fachada, no tamanho e

331 do Tribunal Superior do Trabalho, justamente porque não há especificações informadas. Além dessas obrigações, na Cláusula

intermediação de mão-de-obra. Contudo, a depender dos termos do 5.1, letra "g", caberia também ao contratado disponibilizar mão de

contrato firmado entre a fabricante e a empresa responsável pelos obra devidamente qualificada e treinada para a perfeita execução

reparos aos produtos do seu cartel, a jurisprudência tem sim dos serviços de assistência técnica". Tal como no precedente

admitido a responsabilização subsidiária do fabricante. citado, constata-se a subordinação estrutural da 1ª reclamada à

No exame de uma hipótese similar (TST - RR: fabricante por meio da sua inserção na própria cadeia produtiva,

26613320125020039, Data de Julgamento: 13/05/2015, Data de que, diga-se, vai além da produção e comercialização dos produtos,

Publicação: DEJT 15/05/2015), em reclamação trabalhista movida tendo em vista a obrigação legal do fabricante em prestar

em desfavor da SAMSUNG, na qual a primeira reclamada também assistência técnica dos produtos ofertados no País. Não se trata,

era uma empresa de assistência técnica autorizada, o Tribunal portanto, de mera relação comercial civil, mas de verdadeira

Superior do Trabalho deu provimento ao recurso de revista para terceirização de serviços da qual a SAMSUNG é beneficiária direta

modificar acórdão regional para restabelecer a responsabilidade da mão de obra intermediada, por isso mesmo, exige tanto dos

subsidiária da SAMSUNG. Reconheceu ter havido verdadeira serviços de assistência técnica, pois sua imagem que está em jogo.

intermediação de mão de obra, haja vista a obrigação contratual da (...)

"autorizada" disponibilizar mão de obra devidamente qualificada e Pois bem.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 11
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

A partir do excerto acima transcrito, resta claro no acórdão que a Decisão


Processo Nº RO-0016227-71.2015.5.16.0001
conclusão a que chegou a Turma julgadora se encontra consonante Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
com a Súmula 331 do TST, não contrária, tal como alegado no RECORRENTE OLEAGINOSAS MARANHENSES SA
ADVOGADO EDSON COIMBRA MARTINS(OAB:
recurso em apreço. 145586/SP)
Vislumbra-se, inclusive, respaldo em manifestação reiterada do TST ADVOGADO RICARDO FERNANDEZ
NOGUEIRA(OAB: 96574/SP)
em casos similares, no sentido de que a situação concreta configura RECORRENTE GTEX BRASIL INDUSTRIA E
COMERCIO S.A.
a existência de terceirização na atividade-meio da tomadora, da
ADVOGADO EDSON COIMBRA MARTINS(OAB:
qual emerge a responsabilidade subsidiária consoante item IV da 145586/SP)
ADVOGADO RICARDO FERNANDEZ
Súmula nº 331. Vejamos outro precedente no mesmo sentido: NOGUEIRA(OAB: 96574/SP)
AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA EM RECORRENTE ROSATEX INDUSTRIA DE
PRODUTOS DE LIMPEZA LTDA - ME
FACE DE DECISÃO PUBLICADA ANTES DA VIGÊNCIA DA LEI Nº ADVOGADO EDSON COIMBRA MARTINS(OAB:
145586/SP)
13.015/2014. RITO SUMARÍSSIMO. NULIDADE DA DECISÃO
ADVOGADO RICARDO FERNANDEZ
REGIONAL POR NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. A NOGUEIRA(OAB: 96574/SP)
RECORRIDO SIND TRAB IND QUIMICAS E
Corte Regional proferiu decisão completa, válida e devidamente FARMACEUTICAS DO MARANHAO
fundamentada, razão pela qual não prospera a alegada negativa de ADVOGADO HIDALGO JOSE NEPOMUCENO
LEDA(OAB: 12802/MA)
prestação jurisdicional. Agravo de instrumento a que se nega ADVOGADO ROSECLEINE FLORIANA DE BARAO
E FONTES(OAB: 4646/MA)
provimento. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. EMPRESA
ADVOGADO ANA LETICIA NEPOMUCENO
PRIVADA. INCIDÊNCIA DA SÚMULA N° 331, IV, DO TST. Consta LEDA(OAB: 11377/MA)
RECORRIDO REAL PRODUTOS DE HIGIENE E
na decisão regional que entre as rés foi firmado contrato de LIMPEZA DO BRASIL LTDA
prestação de serviços e que a empresa recorrente se beneficiou do ADVOGADO DANIEL LUIS SILVEIRA(OAB: 8366-
A/MA)
trabalho executado pelo autor. Nesse sentido, a decisão regional foi

proferida em consonância com a Súmula n° 331, IV, do Tribunal Intimado(s)/Citado(s):


- GTEX BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO S.A.
Superior do Trabalho. Incide, no caso, o disposto no artigo 896, §
- OLEAGINOSAS MARANHENSES SA
4º, da CLT. Agravo de instrumento a que se nega provimento. - REAL PRODUTOS DE HIGIENE E LIMPEZA DO BRASIL LTDA
(AIRR - 542-12.2013.5.02.0089 , Relator Ministro: Cláudio - ROSATEX INDUSTRIA DE PRODUTOS DE LIMPEZA LTDA -
ME
Mascarenhas Brandão, Data de Julgamento: 22/04/2015, 7ª Turma, - SIND TRAB IND QUIMICAS E FARMACEUTICAS DO
MARANHAO
Data de Publicação: DEJT 04/05/2015)

Assim, consolidado o entendimento do TST acerca das matérias

trazidas a discussão, afigura-se inviável a configuração de

divergência jurisprudencial, a teor da Súmula 333 do TST c/c o art. PODER JUDICIÁRIO
896, §7°, da CLT. JUSTIÇA DO TRABALHO
CONCLUSÃO
Fundamentação
DENEGO seguimento ao recurso.
RECURSO DE REVISTA
Publique-se e intime-se.
Processo: 0016227-71.2015.5.16.0001
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
Recorrente: OLEAGINOSAS MARANHENSES S/A, GTEX
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região
BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO S/A e ROSATEX INDÚSTRIA
4
DE PRODUTOS DE LIMPEZA LTDA

Advogado(a): EDSON COIMBRA MARTINS OAB/SP 145.586

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 1º/2/2018, ID.


Assinatura
eaec437; recurso apresentado em 16/2/2018, ID. 7cd38a4).
SAO LUIS, 4 de Abril de 2019
Regular a representação processual (ID. b210f17).

Satisfeito o preparo (Sentença R$ 15.000,00, ID. c5af31f; Custas R$


SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
300,00, ID. f5ca54d; Depósito RO R$ 8.183,06, ID. fdb252c;
Desembargador Federal do Trabalho
Depósito RR R$ 18.378,00, IDs. e294591 e 40ea092).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 12
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS previsto no art. 896, §1º-A, I, da CLT, ou seja, não indicaram o

DIREITO DO TRABALHO/ Rescisão do Contrato de Trabalho/ trecho da decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento

Verbas Rescisórias/ Multas da controvérsia objeto do apelo quanto aos temas em questão.

DIREITO DO TRABALHO/ Remuneração, Verbas Indenizatórias e A exigência consiste em apontar o prequestionamento, salvo vício

Benefícios nascido na própria decisão, e comprová-lo com a transcrição textual

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO /Partes e e destacada da tese adotada pela Turma.

Procuradores/ Sucumbência/ Honorários Advocatícios Ressalte-se que a jurisprudência predominante no TST tem definido

Alegação(ões): que o pressuposto legal não se atende com a mera indicação da

- violação do(s) art(s). 49, 54 e 59, da Lei 11.101/05; folha do trecho do acórdão, da sinopse da decisão, da transcrição

- violação dos arts. 485, VI e 489, §1º, II, do CPC, e do art. 832 da da ementa, da parte dispositiva ou do inteiro teor do acórdão

CLT; recorrido.

- divergência jurisprudencial. Nesse sentido, os seguintes julgados:

As reclamadas interpõem recurso de revista (ID.5f9ef71) em face do RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

acórdão (ID. 80ae73a). PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

De início, insurgem-se contra o deferimento do pedido de INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

pagamento das verbas trabalhistas cobradas na inicial e inclusão 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

das multas dos arts. 467 e 477 da CLT, pelas demais integrantes do admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

grupo econômico. Argumentam, nesse sentido, que os valores redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

devidos aos funcionários representados pelo sindicato reclamante, do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

demitidos em junho de 2014, já se encontram formalmente inscritos que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

no quadro geral de credores submetidos ao plano de recuperação por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

judicial aprovado por assembleia e devidamente homologado pelo situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

juízo competente, e já estão sendo adimplidos. Apontam, assim, exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

violação dos arts. 49, 54 e 59, da Lei 11.101/05. Também apontam prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

violação dos arts. 485, VI e 489, §1º, II, do CPC, afirmando inexistir comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

interesse processual do sindicato reclamante, em razão da inclusão recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

dos créditos no referido plano de recuperação judicial. Colacionam, propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

ainda, arestos para confronto de tese referente à aplicação, por preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

analogia, da Súmula 388 do TST, às empresas em recuperação transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

judicial, no tocante às multas dos arts. 467 e 477 da CLT. súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

Em seguida, manifestam inconformismo com a manutenção da sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

sentença quanto à indenização adicional prevista no art. 9º da Lei recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

7.238/84 devida aos funcionários demitidos em setembro de 2014, (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

alegando que a Turma não se ateve às provas coligidas aos autos, cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

as quais comprovam que foi inserida em cada um dos TRCTs a que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

aludida indenização adicional aos demitidos no mês de setembro, e cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

que os funcionários demitidos em outubro foram contemplados com conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

o pagamento de percentual de reajuste. Indicam, nesse passo, 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

afronta aos arts. 485, VI, 489, §1º, II, do CPC, e 832 da CLT. LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE

Em sequência, defendem o afastamento da condenação em SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN

honorários, alegando que a ação é totalmente improcedente. VIGILANDO. DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO

Analiso. RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

Resta inviável o conhecimento do apelo no tocante aos argumentos PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data

relativos à inclusão de créditos no plano de recuperação judicial e de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018)

aos honorários advocatícios. (...) INDICAÇÃO DO TRECHO DA DECISÃO RECORRIDA QUE

Observa-se que as recorrentes não se desincumbiram do ônus CONSUBSTANCIA O PREQUESTIONAMENTO DA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 13
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CONTROVÉRSIA. PRESSUPOSTO RECURSAL NÃO base. Desta maneira, mantenho a sentença que deferiu a

OBSERVADO. TRANSCRIÇÃO INSUFICIENTE POR NÃO indenização adicional a cada um dos substituídos, cujos valores

CONTER FUNDAMENTOS FÁTICOS INDISPENSÁVEIS AO serão apurados em regular liquidação de sentença. (...)

DESLINDE DA CONTROVÉRSIA. De acordo com o § 1º-A do artigo Pois bem.

896 da CLT, incluído pela Lei 13.015/2014, sob pena de não Sabe-se que é incabível o recurso de revista para reexame de fatos

conhecimento do recurso de revista, é ônus da parte: "I - indicar o e provas (Súmula 126 do TST).

trecho da decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento Depreende-se da leitura do excerto acima transcrito que a

da controvérsia objeto do recurso de revista". No caso dos autos, o conclusão da Turma julgadora se embasou na análise de prova

Agravante efetuou transcrição de trecho do acórdão regional do documental, bem como do contexto fático do caso concreto.

qual não se extrai a tese adotada pelo TRT, revelando-se, portanto, Além disso, vê-se que as matérias versadas no recurso possuem

insuficiente ao exame das violações e divergências indicadas. conotação fática, não sendo permitida a reapreciação da decisão

Nesse cenário, ao contrário do que sustenta o Agravante, não colegiada, senão com o revolvimento de fatos e provas, o que

houve indicação, no recurso de revista, do trecho da decisão contraria o entendimento contido na supracitada Súmula 126.

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia, Ressalte-se que o juízo de convicção quanto às provas, desde que

de forma que os pressupostos recursais contidos no referido devidamente motivado, é da competência última do TRT, cabendo

dispositivo não foram satisfeitos. O processamento do recurso de ao TST o exame da matéria de direito, a partir das premissas fáticas

revista encontra óbice no artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Precedentes. e probatórias já fixadas no segundo grau de jurisdição, de maneira a

Agravo de instrumento não provido. (Ag-AIRR - 2650- rever o enquadramento jurídico dado aos fatos provados, e não se

75.2013.5.12.0011, Relator Ministro: Douglas Alencar Rodrigues, 5ª ficou provado, ou demonstrado, este ou aquele fato.

Turma, DEJT 21/09/2018) Ante o exposto, a apelo não merece seguimento, no particular.

PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE CONCLUSÃO

INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL DENEGO seguimento ao recurso.

PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE Publique-se e intime-se.

FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA 4

NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte Assinatura

e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c. SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional, Desembargador Federal do Trabalho

sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do Decisão


Processo Nº RO-0016040-72.2016.5.16.0019
Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO ERLLS MARTINS CAVALCANTI(OAB:
instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR- 5419/MA)
238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em RECORRIDO ROSILDA AUGUSTA DA COSTA
ADVOGADO GIL ALVES DOS SANTOS(OAB:
25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, 1143/PI)
conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de RECORRIDO MAHCRO SERVICOS DE LIMPEZAS
E COMERCIO EM GERAL LTDA
Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª ADVOGADO ADILENE MONDEGO
CARVALHO(OAB: 8586/MA)
Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018) TRABALHO

Sobre a questão da indenização adicional, consta no acórdão


Intimado(s)/Citado(s):
recorrido a seguinte fundamentação: - ESTADO DO MARANHAO
(...) Os TRCT's acostados aos autos (ID f280e50 e 777b597) - MAHCRO SERVICOS DE LIMPEZAS E COMERCIO EM
GERAL LTDA
compravam que a dispensa ocorreu no trintídio antecedente à data - ROSILDA AUGUSTA DA COSTA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 14
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Prossegue afirmando que diante da não aplicação da lei que

expressamente regula a matéria e diante da falta de provas quanto

PODER JUDICIÁRIO à culpa do tomador de serviços, o acórdão revisando logrou violar o

JUSTIÇA DO TRABALHO artigo 5º, inciso II, da Constituição Federal, o artigo 71, § 1º, da Lei

nº 8.666/91 e o artigo 818, da CLT, bem como o entendimento do


Fundamentação
STF quando do julgamento da ADC 16 e do RE 760.931.
RECURSO DE REVISTA
Transcreve arestos para confronto de teses.
Recorrente: ESTADO DO MARANHÃO
Por fim, requer que sejam reconhecidas suas alegações, trazendo
Procurador: GIVANILDO FELIX DE ARAUJO JUNIOR
como consequência lógica de tal conclusão a reforma da decisão

recorrida, o reconhecimento da inexistência de responsabilidade


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
subsidiária e, como consequência, a exclusão do Estado do
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 19/04/2018, ID.
Maranhão do polo passivo da lide.
46af26f- Pág. 1; recurso apresentado em 09/05/2018, ID. 46af26f).
Quanto ao assunto, assim dispôs o v. Acórdão recorrido:
Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº
Da responsabilidade subsidiária do ente público
436/TST).
O ente público defende a exclusão da sua responsabilidade
Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL
subsidiária pela satisfação dos créditos trabalhistas não adimplidos
509/69, art. 12).
pelo 1ª reclamado (MAHCRO ).
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Defende a inexistência de responsabilidade subsidiária, com base
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO
na redação do art. 71, §1º, da Lei nº 8.666/93 e na decisão proferida
RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA /SUBSIDIÁRIA / TOMADOR DE
pelo STF no julgamento da ADC 16, ressaltando que não se trata de
SERVIÇOS/TERCEIRIZAÇÃO / ENTE PÚBLICO.
culpa ou e na inaplicabilidade in eligendo in vigilando do item IV da
Alegação:
Súmula 331 do TST.
- violação ao art. 5º, II, da CF;
Sustenta, ainda, que não manteve vínculo empregatício com a
- violação aos arts. 818 da CLT; art. 373, I, do CPC e art. 71, §1º da
autora, em razão do que são indevidas as verbas trabalhistas
Lei nº 8.666/93;
pleiteadas.
- divergência jurisprudencial.
Prossegue alegando que caso ultrapassadas tais questões, é
O reclamado interpõe recurso de revista (ID. a55cb50) insatisfeito
indevida a multa do art. 477 da CLT, porque ante o seu caráter de
com a decisão colegiada que manteve sua responsabilidade
penalidade e pugna pela exclusão dos honorários advocatícios.
subsidiária no pagamento dos direitos trabalhistas devidos ao
Ao exame.
reclamante.
Ventilada a discussão sobre responsabilidade do ente público em
Alega, em síntese, que o acórdão revisando afastou a incidência do
decorrência de terceirização, há de se ressaltar que a procedência
artigo 71, §1º, da Lei 8.666/93, e ao proceder assim, negou vigência
da ADC 16/STF, declarando a constitucionalidade do art. 71, §1º, da
à Lei, violando o princípio da reserva legal, garantido pelo inciso II,
Lei n. 8.666/93, não significa a total ausência de responsabilidade
do artigo 5º, da Constituição Federal.
da Administração Pública. Vejam-se os debates travados naquela
Sustenta que a responsabilidade subsidiária do Poder Público não
oportunidade:
pode ser automática, muito menos genérica, carecendo de suporte
A Ministra Carmem Lúcia assim se expressou:
probatório para se infirmar a decisão. Afirma, em seguida que o
Por outro lado, não se pode acolher o argumento, muitas vezes
ônus probandi da culpa in eligendo e in vigilando é da parte que
repetido nas peças apresentadas pelos amici curiaedesta ação, de
alega tais vícios, ou seja, a recorrida, conforme dispõe o artigo 818
que "a Administração Pública não tem meio de evitar o
consolidado e que inclusive o C. TST, em julgamentos posteriores
inadimplemento das obrigações trabalhistas por parte das empresas
ao RE 760.931, vem entendendo dessa maneira.
contratadas".
Repisa que, no caso em tela, o acórdão recorrido, proferido pelo
Desde o processo licitatório, a entidade pública contratante deve
TRT da 16ª Região, ao tratar sobre o ônus da prova acerca da
exigir o cumprimento das condições de habilitação (jurídica, técnica,
escolha e fiscalização do contrato de terceirização, entendeu de
econômico-financeira e fiscal) e fiscalizá-las na execução do
forma contrária, alegando que o ônus era do ente público, pois apto
contrato.
para tal incumbência.
O Ministro Cezar Peluso ponderou:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 15
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

A informação prestada pelo Presidente do Tribunal Superior do IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do

Trabalho, invocando inclusive as decisões, é que o Tribunal empregador, implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos

Superior do Trabalho reconhece a responsabilidade da serviços quanto àquelas obrigações, desde que haja participado da

Administração com base nos fatos, isto é, com base no relação processual e conste também do título executivo judicial.

descumprimento do contrato, e não com base em V - Os entes integrantes da Administração Pública direta e indireta

inconstitucionalidade de lei. Ou seja, o Tribunal Superior do respondem subsidiariamente, nas mesmas condições do item IV,

Trabalho não tem dúvida da constitucionalidade da norma, só que caso evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das

reconhece responsabilidade da Administração por questões factuais obrigações da Lei n.º 8.666, de 21.06.1993, especialmente na

ligadas a cada contrato em particular, fiscalização do cumprimento das obrigações contratuais e legais da

[...] prestadora de A aludida responsabilidade serviço como

Em relação a isso não tenho dúvida nenhuma, eu reconheço a empregadora. não decorre de mero inadimplemento das obrigações

plena constitucionalidade da norma e, se o Tribunal a reconhecer, trabalhistas assumidas pela empresa regularmente contratada.

como eventualmente poderá fazê-lo, a mim me parece que o VI - A responsabilidade subsidiária do tomador de serviços abrange

Tribunal não pode, neste julgamento, impedir que a Justiça todas as verbas decorrentes da condenação referentes ao período

trabalhista, com base em outras normas, em outros princípios e à da prestação laboral (destaque acrescido).

luz dos fatos de cada causa, reconheça a responsabilidade da Esse entendimento se justifica em razão de a Administração dispor

Administração. de elementos jurídicos suficientes a garantir a execução plena do

Se a lição extraída do art. 71, §1º, da Lei n. 8.666/93 fosse a total contrato administrativo de terceirização lícita de serviços

irresponsabilidade da Administração Pública nas hipóteses de especializados.

terceirização, ela estaria presente nas manifestações e votos dos O regular processo licitatório dirime a culpa in eligendo. Já a culpa

integrantes da Suprema Corte. A análise dos motivos por trás da in vigilando decorre de descumprimento do dever de fiscalização do

decisão deixa claro que o intuito dos Ministros do STF não foi o de contrato, tal como previsto na Lei n. 8.666/93:

vedar, incondicionalmente, a responsabilização do Poder Público. Art. 58 - O regime jurídico dos contratos administrativos instituído

A condenação subsidiária do ente público exige a análise e efetiva por esta Lei confere à Administração, em relação a eles, a

demonstração, na situação concreta, de sua conduta culposa, prerrogativa de:

omissiva ou comissiva, tanto no que concerne ao procedimento de [...]

escolha da empresa contratada (culpa ), quanto in eligendo ao III - fiscalizar-lhes a execução

exercício do dever-poder de fiscalização do cumprimento das Art. 67 - A execução do contrato deverá ser acompanhada e

obrigações oriundas do contrato (culpa in vigilando). fiscalizada por um representante da Administração especialmente

Esses, aliás, são os fundamentos utilizados para a revisão da designado, permitida a contratação de terceiros para assisti-lo ou

Súmula 331 do TST, em especial o item V: subsidiá-lo de informações pertinentes a esta atribuição.

SUM-331 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. O ente público, no caso de descumprimento das cláusulas

LEGALIDADE (nova redação do item IV e inseridos os itens V e VI à contratuais pelo prestador dos serviços, pode adotar medidas de

redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011 natureza administrativa que denotem sua discordância com a

I - A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal, situação de inadimplemento, chegando até mesmo à rescisão

formando-se o vínculo diretamente com o tomador dos serviços, contratual. Assim decidiu este Regional nos autos do RO 0016059-

salvo no caso de trabalho temporário (Lei nº 6.019, de 03.01.1974). 42.2015.5.16.0010, julgado em 20/04/2016. Na oportunidade, a

II - A contratação irregular de trabalhador, mediante empresa Desembargadora Solange Cristina, relatora do feito, reconheceu a

interposta, não gera vínculo de emprego com os órgãos da atuação diligente da União, o que resultou na exclusão da

Administração Pública direta, indireta ou fundacional (art. 37, II, da responsabilidade:

CF/1988). [...] Do acima transcrito depreende-se que os artigos 71 da Lei

III - Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de 8.666/93 não exime a Administração Pública direta e indireta dos

serviços de vigilância (Lei nº 7.102, de 20.06.1983) e de efeitos da responsabilidade subsidiária quando revelada a culpa in

conservação e limpeza, bem como a de serviços especializados vigilando e in eligendo. Com efeito, os artigos 58, III, e 67 da Lei nº

ligados à atividade-meio do tomador, desde que inexistente a 8666/93 impõem à Administração Pública o dever de fiscalizar a

pessoalidade e a subordinação direta. execução dos contratos administrativos de prestação de serviços

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 16
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

celebrados. Analisando-se detidamente o conjunto probatório dos 14.2013.5.02.0088, 4ª Turma (DEJT 15/04/2016); RR - 881-

autos, extrai-se que a União não permaneceu inerte quando 06.2013.5.02.0433, 5ª Turma (DEJT 27/11/2015); RR - 439-

constatou que a empresa terceirizada vinha olvidando do 73.2014.5.03, 7ª Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 10989-

cumprimento das obrigações trabalhistas, especialmente o 84.2014.5.15.0017, 8ª Turma (DEJT 15/04/2016).

pagamento dos salários dos terceirizados. Infere-se, portanto, que a Por fim, quanto ao alcance da responsabilidade do tomador de

União Federal foi diligente no seu poder/dever de fiscalização do serviços, o item VI da Súmula 331 do TST esclarece que a

contrato firmado com a primeira reclamada, inclusive tendo-lhe responsabilização subsidiária inclui o pagamento de todas as

aplicado multa administrativa registrada no Sicaf (ID Num. 1ea125c parcelas da condenação, em razão do princípio da reparação

- Pág. 21), o que posteriormente culminou na rescisão unilateral do integral. Desse modo, deve responder por todo o prejuízo que o

contrato de terceirização (ID nº 1ea125c). empregado venha a sofrer em razão da sua atividade laboral,

Observa-se, à evidência, que é possível ao ente público diligente incluindo-se, aqui, as verbas rescisórias e as multas respectivas.

efetuar prova da regularidade da contratação e da fiscalização na Na hipótese dos autos, restou incontroverso que o ESTADO DO

execução do contrato. Sendo assim, o ônus da prova, em virtude do MARANHÃO atuou na condição de tomador dos serviços da

princípio da aptidão, pertence à Administração Pública: primeira ré (MAHCRO SERVIÇOS DE LIMPEZAS E COMERCIO

[...] II. RECURSO DE REVISTA. RESPONSABILIDADE EM GERAL LTDA).

SUBSIDIÁRIA. ÔNUS DA PROVA. ENTE DA ADMINISTRAÇÃO Também se constata que a parte autora foi contratada pela primeira

PÚBLICA. SÚMULA 331, V, DO Embora a constitucionalidade do demandada para exercer a função de auxiliar de serviços gerais,

art. 71 da Lei 8.666/93 tenha TST. sido declarada em definitivo pela conforme se verifica nos documentos apresentados, situação que

Excelsa Corte Suprema no julgamento proferido na ADC 16/DF, não revela a prestação terceirizada de serviços, figurando o Estado do

há óbice para a condenação subsidiária de entidades da Maranhão como beneficiário final do pacto celebrado entre a autora

Administração Pública nas situações em que configurada a omissão e a 1ª reclamada.

no regular acompanhamento e fiscalização da execução dos Restou evidenciada a formação da relação terceirizada de serviços.

contratos de terceirização celebrados, particularmente em relação A terceirização somente pode ser encetada após regular

ao cumprimento das obrigações trabalhistas (legais e contratuais) procedimento licitatório (art. 37, XXI, da CF/88), o qual seria o

por parte das empresas contratadas (Súmula 331, V, do col. TST). responsável por afastar a culpa . Já a culpa decorreria in eligendo in

No caso dos autos, o Tribunal Regional afastou a responsabilidade vigilando da falha no dever de fiscalizar a execução do contrato

subsidiária da segunda Reclamada, ao fundamento de que o Autor regularmente firmado.

não se desonerou do ônus de provar a omissão do tomador de Todavia, o Recorrente sequer provou que fez licitação para a

serviços na fiscalização da execução do contrato de prestação de contratação da terceirizada, como também não provou que

serviços. Contudo, de acordo com o princípio da aptidão para a fiscalizou o cumprimento das obrigações trabalhistas, contratuais e

produção da prova, o ônus de demonstrar a regular fiscalização do legais por parte dessa prestadora de serviços para com seus

contrato administrativo, inclusive quanto à quitação das obrigações empregados.

trabalhistas, é do tomador dos serviços.Afinal, na hipótese, a Portanto, diante do não atendimento do ônus probatório que

segunda Reclamada, como responsável pelo controle da atividade competia ao ente público, fica reconhecida a conduta culposa deste

da empresa prestadora, detinha, indubitavelmente, o ônus de e, consequentemente, sua responsabilidade subsidiária pelo

comprovar a efetiva fiscalização do contrato administrativo, ônus do pagamento dos direitos trabalhistas devidos ao reclamante.

qual não se desonerou, decorrendo daí a culpa in vigilando, que Nega-se provimento.

autoriza a condenação subsidiária. Recurso de revista conhecido e Analiso.

provido. (RR nº 0000649-17.2010.5.06.0003, 7ª Turma do TST, Rel. Entendo que não há que se falar em violação ao art. 5º, II, da CF,

Douglas Alencar Rodrigues. unânime, DEJT 17.12.2015). tampouco ao art. 71, §1º, da Lei nº 8.666/93, na medida em que, ao

(Destaques posteriores). julgar procedente o pedido formulado na ADC nº 16 e declarar a

Os votos mais recentes do colendo TST seguem a mesma trilha, constitucionalidade do art. 71, §1º, da Lei nº 8.666/93, bem como no

citando-se os seguintes precedentes: AIRR - 45800- julgamento do RE 760931, o Supremo Tribunal Federal não afastou

24.2008.5.09.0095, 1ª Turma (DEJT 18/04/2016); AIRR - 20042- peremptoriamente a responsabilidade de a Administração Pública

74.2014.5.04.0121, 2ª Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 1140- ser condenada no pagamento dos encargos trabalhistas não

25.2014.5.08.0101, 3ª Turma (D EJT 15/04/2016); AIRR - 167- adimplidos pelo contratado. Pelo contrário, ressalvou a possibilidade

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 17
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

de verificação, no caso concreto, da culpa in vigilando, nos exatos FÁTICA NAS INSTÂNCIAS ORDINÁRIAS. MATÉRIA NÃO

termos da Lei nº 8.666/93, arts. 58, inciso III, e 67, caput e §1º, os COGNOSCÍVEL EM RECURSO DE NATUREZA

quais atribuem ao ente público a responsabilidade pela fiscalização EXTRAORDINÁRIA. SÚMULA Nº 126 DO TRIBUNAL SUPERIOR

das obrigações decorrentes da execução dos contratos DO TRABALHO. No julgamento do Recurso Extraordinário nº

administrativos. 760.931-DF, em debate representativo do Tema nº 246 de

Ressalte-se que, no julgamento do RE 760931, não foi fixada repercussão geral reconhecida, os Ministros da Suprema Corte

qualquer tese sobre a distribuição do ônus da prova, embora reafirmaram a constitucionalidade do artigo 71, § 1º, da Lei nº

debates e compreensões jurídicas distintas entre os ministros 8.666/93, conforme já declarado no julgamento da Ação

tenham sido expostas durante a sessão plenária da Suprema Corte. Declaratória de Constitucionalidade nº 16, consignando que

Assim, não há qualquer contrariedade à decisão em comento. somente a demonstração efetiva de um comportamento culposo

Nesse sentido, seguem julgados recentes do TST: específico, com prova cabal do nexo de causalidade entre a

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO DE REVISTA. conduta comissiva ou omissiva da Administração Pública e o dano

TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE sofrido pelo trabalhador permitirá responsabilização do Poder

INTEGRANTE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CULPA IN Público, tomador dos serviços de trabalhadores terceirizados. Na

VIGILANDO. NÃO CONFIGURAÇÃO. JUNTADA DE ocasião, por maioria de votos (vencidos os Ministros Rosa Weber,

DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA DA FISCALIZAÇÃO. Relatora original, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Roberto

PRESUNÇÃO DE INEFICIÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO PELO MERO Barroso e Edson Fachin) e nos termos do voto do Ministro Luiz Fux,

INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. A Redator do acórdão, fixou-se a seguinte tese de repercussão geral:

decisão embargada foi devidamente analisada e fundamentada em "O inadimplemento dos encargos trabalhistas dos empregados do

obediência à orientação traçada pelo STF, uma vez que restou contratado não transfere automaticamente ao Poder Público

consignada na decisão regional a observância por parte da contratante a responsabilidade pelo seu pagamento, seja em

tomadora do dever de acompanhar e fiscalizar a execução dos caráter solidário ou subsidiário, nos termos do art. 71, § 1º, da Lei nº

contratos promovidos com a empresa prestadora de serviços, sendo 8.666/93". Embora da leitura da redação da referida tese não se

afastada a culpa in vigilando. Constou do acórdão embargado que possa extrair o entendimento majoritário da Corte Suprema acerca

houve juntada da documentação comprobatória da fiscalização da crucial questão controvertida sobre a quem caberia o ônus da

exercida pela Administração, o que afasta, por si só, a alegação do prova relacionada ao comportamento culposo da Administração

reclamante de ter restado caracterizada a culpa in vigilando. Diante Pública na fiscalização dos serviços terceirizados, extrai-se dos

desse contexto, a irresignação do reclamante com a decisão votos proferidos por ocasião da última sessão de julgamento em

embargada não encontra respaldo nas hipóteses dos arts. 1.022 do que se deliberou sobre a matéria que deve haver, como premissa

CPC/2015 e 897-A da CLT, visto que não ficou configurada a necessária à condenação subsidiária da Administração Pública por

existência de nenhum vício a justificar a oposição da presente ausência de fiscalização nas contratações terceirizadas, o

medida. Embargos de declaração rejeitados. (ED-RR - 1449- enfrentamento do caso concreto pelo Tribunal Regional do

21.2015.5.05.0222 , Relatora Ministra: Dora Maria da Costa, Data Trabalho, Corte soberana na análise do acervo fático-probatório,

de Julgamento: 28/11/2018, 8ª Turma, Data de Publicação: DEJT com manifestação expressa sobre a existência específica e

30/11/2018) demonstração de culpa da Administração Pública. Certo que a

AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. responsabilidade da Administração Pública, em razão da

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº inadimplência da empresa contratada, não pode ser automática, nos

13.015/2014 TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. exatos termos da Súmula nº 331, item V, do TST, de seguinte teor:

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ARTIGO "a aludida responsabilidade não decorre de mero inadimplemento

71, § 1º, DA LEI Nº 8.666/93. SÚMULA Nº 331, ITEM V, DO das obrigações trabalhistas assumidas pela empresa regularmente

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO. AÇÃO DECLARATÓRIA contratada. Ainda que exigidas da 1ª Ré para liberação das notas

DE CONSTITUCIONALIDADE Nº 16-DF. TEMA Nº 246 DO STF. fiscais os recolhimentos do FGTS, contribuições fiscais, dentre

TESE DE REPERCUSSÃO GERAL. VEDAÇÃO DE outros (Id. 4ab487b, e8424f6 e seguintes), nada consta sobre o

TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA DE RESPONSABILIDADE. acompanhamento dos pagamentos dos salários do mês anterior e a

NECESSIDADE DE COMPROVAÇÃO DE CULPA DA fiscalização quanto ao cumprimento das demais obrigações

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. EXAURIMENTO DE MATÉRIA dispostas na CLT, dentre elas o pagamento dos salários e direitos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 18
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

previstos em norma coletiva". Se a mera inadimplência da

prestadora de serviços não caracteriza, por si só, culpa da

Administração Pública e se o Tribunal Regional do Trabalho é a Assinatura

última instância apta a analisar e a valorar a prova a esse respeito SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

(Súmulas nºs 279 do Supremo Tribunal Federal e 126 do Tribunal

Superior do Trabalho, a contrario sensu), como bem acentuado SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

pelos Ministros Dias Toffoli e Luiz Fux na Suprema Corte, ao Desembargador Federal do Trabalho

votarem no sentido da corrente vencedora, a responsabilização do Decisão


Processo Nº RO-0017278-09.2014.5.16.0016
ente público em tais casos depende do registro expresso e Relator GERSON DE OLIVEIRA COSTA
FILHO
específico da existência de sua culpa omissiva após a análise, pelo
RECORRENTE ACR TECNOLOGIA LTDA
Regional, do quadro fático-probatório dos autos, matéria não sujeita ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
13125/CE)
a reexame pelas instâncias extraordinárias. In casu, o Regional
RECORRENTE MINISTÉRIO PÚBLICO DO
expressamente registrou que houve fiscalização do tomador de TRABALHO
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
serviços. Constatada pelo Regional, com base no quadro fático-
RECORRIDO MARCO ANTONIO ELIAS DA SILVA
probatório dos autos, a existência de fiscalização da Administração ADVOGADO CLAUZER MENDES CASTRO
PINHEIRO(OAB: 8261/MA)
Pública no caso concreto, não há como imputar a sua
ADVOGADO HELIANE SOUSA FERNANDES(OAB:
responsabilidade subsidiária, nos termos da Ação Declaratória de 8502/MA)
ADVOGADO LARISSA SARAIVA GARRIDO
Constitucionalidade nº 16 e do Recurso Extraordinário nº 760.931- CARNEIRO(OAB: 15969/MA)
DF, Tema nº 246 de Repercussão Geral no Supremo Tribunal RECORRIDO AUXILIO AGENCIAMENTO DE
RECURSOS HUMANOS E SERVICOS
Federal. Óbice da Súmula nº 126 do TST. Agravo de instrumento LTDA
ADVOGADO KARRAN AVILA ROSENDO(OAB:
desprovido. (AIRR - 10182-96.2016.5.09.0652 , Relator Ministro: 29034/CE)
José Roberto Freire Pimenta, Data de Julgamento: 27/11/2018, 2ª ADVOGADO FELIPE SILVEIRA GURGEL DO
AMARAL(OAB: 18476/CE)
Turma, Data de Publicação: DEJT 30/11/2018) RECORRIDO RH MULTI SERVICOS
ADMINISTRATIVOS LTDA
In casu, diante do quadro fático delineado no v. acórdão recorrido,
ADVOGADO KARRAN AVILA ROSENDO(OAB:
no sentido de que a responsabilidade subsidiária do Estado do 29034/CE)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Maranhão advém de sua culpa in vigilando evidenciada nos autos, TRABALHO
não é possível a revisão dessa premissa em sede extraordinária,
Intimado(s)/Citado(s):
porquanto demandaria a incursão no acervo probatório dos autos
- ACR TECNOLOGIA LTDA
(Súmula nº 126/TST). - AUXILIO AGENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS E
SERVICOS LTDA
Desse modo, toda e qualquer discussão sobre o tema encontra-se
- MARCO ANTONIO ELIAS DA SILVA
esgotada no duplo grau de jurisdição, o que afasta a possibilidade - RH MULTI SERVICOS ADMINISTRATIVOS LTDA
de prosseguimento da revista, resultando inviável a análise de

pretensa divergência jurisprudencial apresentada. Ademais, a

decisão recorrida, tal como proferida, está em estrita consonância


PODER JUDICIÁRIO
com as diretrizes dos itens IV, V e VI da Súmula 331 do TST, o que
JUSTIÇA DO TRABALHO
também inviabiliza o prosseguimento do recurso de revista,

consoante a regra contida no artigo 896, §7º, da CLT c/c a Súmula Fundamentação
nº 333 do TST. RECORRENTE: MARCO ANTÔNIO ELIAS DA SILVA
Por fim, inservíveis os arestos colacionados porque provenientes de ADVOGADO: LARISSA SARAIVA GARRIDO CARNEIRO
órgãos não elencados no art. 896, "a", da CLT. (OAB/MA 15.969)
CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao recurso. PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS


Publique-se e intime-se. Tempestivo o recurso (decisão publicada em 11/10/2017 - ID.
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO aebc20b; recurso apresentado em 23/10/2017 - ID. 715369b).
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região Regular a representação processual (ID. 488bd18; ID. 8ad26f8).
/3 Dispensado o preparo, em face do deferimento da Justiça Gratuita

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 19
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

(ID. d830a19 - Pág. 4). de terceirização precária prevê cláusula de isonomia remuneratória,

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS é custoso cogitar que o mesmo não se aplicaria para a situação das

DIREITO DO TRABALHO / Categoria Profissional / Enquadramento terceirizações ilícitas, já que o legislador pátrio claramente assumiu

/ Isonomia/Diferença Salarial a posição coerente de identificar a necessidade de tratamento

Alegação(ões): isonômico para aqueles que funcionalmente são equiparados, não

- violação ao art. 5º, caput e I, art. 7º, XXX e XXXII, da CF; obstante válido ou não, estável ou precário seu vínculo com a

- violação ao art. 461, caput, §1º, da CLT; art. 12, alínea a, da Lei nº Administração Pública (e note-se que não há aqui qualquer

6019/74; distinção entre regimes jurídicos!)

- divergência jurisprudencial. Transcreve diversos arestos para confronto de teses.

O reclamante interpõe recurso de revista, inconformado com a Assim dispôs o acórdão recorrido:

decisão de ID. 93ae829, que, reformando a sentença, julgou Sabe-se que somente pode haver isonomia entre trabalhadores

improcedente a reclamação trabalhista que pretendia o contratados sob o mesmo regime jurídico, uma vez que pressupõe

reconhecimento do desvio de função da atividade desempenhada igualdade de situações fáticas. Mesmo que haja identidade de

pelo Reclamante com a função de agente penitenciário. funções entre o trabalho prestado por empregado contratado pelo

Alega que ingressou com a inicial trabalhista alegando que foi regime celetista, e por servidor público estatutário concursado, o

admitido pelas empresas Reclamadas, atuando na função de fato de a admissão ter ocorrido por processos distintos e os regimes

"Monitor de Disciplina", ora na função de "Monitor de jurídicos a que se submetem serem diversos constitui óbice à

Ressocialização", cumprindo uma jornada de 12X36 horas e que, pretensão de isonomia salarial.

independentemente da classificação apresentada pelas empresas Assim decidem os Tribunais Pátrios. Vejamos:

Reclamadas nas anotações inseridas na CTPS do Recorrente, a TRT-PR-20-11-2009 ISONOMIA SALARIAL. EMPREGADO

realidade é que ele exercia efetivamente a função de Agente CELETISTA DE EMPRESA TERCEIRIZADA E SERVIDOR

Penitenciário, exercendo suas atividades junto ao Complexo PÚBLICO ESTATUTÁRIO ADMITIDO MEDIANTE CONCURSO.

Penitenciário de Pedrinhas. IMPOSSIBILIDADE. Ainda que constatada a identidade de funções

Sustenta que a contratação de "monitores de disciplina" e entre o trabalho prestado por empregado contratado pelo regime

"monitores de ressocialização" para exercer as atividades típicas de celetista, por empresa prestadora de serviços à Administração

Agentes Penitenciários revela grave terceirização ilícita da atividade Pública, e por servidor público estatutário concursado, o fato de a

fim, conspurcando toda a inteligência constitucional de garantias ao admissão ter ocorrido por processos absolutamente distintos e os

empregado celetista, bem como ao servidor público. regimes jurídicos a que se submetem serem diversos constitui óbice

Aduz que o acórdão recorrido contrariou a Súmula 6 do TST, que, à pretensão de isonomia salarial. Recurso ordinário do reclamante

para fins de equiparação, estabelece o critério de igualdade de conhecido e desprovido. (TRT-9 13003200813906 PR 13003-2008-

atividades, e não os critérios técnicos das funções, pouco 13-9-0-6, Relator: ALTINO PEDROZO DOS SANTOS, 3A. TURMA,

importando se estão sob o mesmo regime jurídico, sendo relevante Data de Publicação: 20/11/2009, undefined)

se as atividades exercidas são idênticas. TRT-PR-06-03-2012 DIFERENÇAS SALARIAIS - TRABALHARDOR

Argumenta que é sabido que o empregado concursado não tem CONTRATADO POR EMPRESA TERCEIRIZADA -

direitos trabalhistas iguais aos celetistas e que não se pretende as EQUIPARAÇÃO COM SERVIDORES PÚBLICOS CONCURSADOS

mesmas prerrogativas do concursado, nem o reconhecimento de - IMPOSSIBILIDADE. Insustentável equiparar-se, juridicamente, a

vínculo, mas sim o reconhecimento puro e simples da equiparação situação do trabalhador contratado por meio de empresa prestadora

salarial, impondo-se, por óbvio, as adequações pertinentes a cada de serviços, com a dos servidores públicos estatutários que se

regime. submeteram a concurso público. O princípio da isonomia consiste,

Assevera que o reconhecimento da equiparação no presente caso justamente, em equiparar os iguais, o que não se verifica na

não afronta o art. 37, XIII da Constituição Federal e o que está em situação, já que a autora é empregada de uma empresa privada

jogo é a análise específica dos agentes penitenciários e monitores cujo acesso fica a livre critério do empregador, deparando-se, pois,

de ressocialização e nesse sentido, o Tribunal do Trabalho da 9ª com essencial diferença já no requisito de ingresso. O próprio

Região (Paraná) já entendeu que para esses casos é equiparação é concurso público, por outro prisma, tem na sua gênese o princípio

devida, sob pena de se violar o princípio da isonomia. da isonomia, posto que uma das suas principais funções e razão da

Sopesa que, se o próprio normativo que regulamenta as situações sua existência é permitir, a todos os que atendem aos requisitos pré

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 20
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

-estabelecidos, concorram em igualdade de condições para o Também se constata que o reclamante, apesar de contratado e

ingresso na carreira pública. Forma de acesso que se destina a dar remunerado como Monitor de Disciplina desenvolveu, em benefício

cumprimento, também, aos princípios de legalidade, do ente público, atividades típicas do cargo de Agente Penitenciário

impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, na estatuídos do Estado do Maranhão, de natureza estatutária, cuja carreira é

pelo artigo 37 da CF. Logo, indevida a equiparação salarial regulamentada pela Lei Estadual n° 8.956/09, possuindo como

pretendida, ainda que a autora realize os mesmos serviços atribuições, dentre outras: "realizar atividades de média

daqueles que se submeteram a concurso público.Sentença mantida. complexidade, envolvendo planejamento e execução de serviços de

(TRT-9 831201093907 PR 831-2010-93-9-0-7, Relator: SUELI GIL segurança, vigilância, custódia de presos recolhidos nos

EL-RAFIHI, 6A. TURMA, Data de Publicação: 06/03/2012, estabelecimentos penais na execução de penas privativas de

undefined)(grifo nosso) liberdade (...) garantir a ordem, vigilância, disciplina e a segurança

Ademais, não se aplica ao caso as disposições da OJ 383 da SDI-1, das unidades penais e dos presos; (...) fiscalizar a entrada e saída

do TST, que estabelece: de pessoas e veículos dos estabelecimentos penais, incluindo a

383. TERCEIRIZAÇÃO. EMPREGADOS DA EMPRESA execução de revistas corporais (...) zelar pela manutenção,

PRESTADORA DE SERVIÇOS E DA TOMADORA. ISONOMIA. conservação e uso correto das armas, instalações, aparelhos,

ART. 12, "A", DA LEI Nº 6.019, DE 03.01.1974. (mantida) - Res. instrumentos e outros objetos de trabalho ".

175/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011 A contratação Mesmo que se considerem idênticas as funções entre o trabalho

irregular de trabalhador, mediante empresa interposta, não gera exercido pelo servidor estatutário e o empregado terceirizado, dada

vínculo de emprego com ente da Administração Pública, não a diferença nos regimes jurídicos, que não asseguram o mesmo

afastando, contudo, pelo princípio da isonomia, o direito dos tratamento jurídico a um e outro trabalhador, que as

empregados terceirizados às mesmas verbas trabalhistas legais e responsabilidades e deveres são diferentes uns dos outros, que as

normativas asseguradas àqueles contratados pelo tomador dos garantias e punições asseguradas e devidas a um não podem ser

serviços, desde que presente a igualdade de funções. Aplicação aplicadas ao outro, considero que esses fatores inibem a presença

analógica do art. 12, "a", da Lei nº 6.019, de 03.01.1974. daqueles elementos que asseguram a equiparação total.

Referida Orientação Jurispruencial é clara ao assegurar o direito Nesse sentido são as seguintes decisões do C. TST:

dos empregados terceirizados às mesmas verbas trabalhistas legais RECURSO DE REVISTA. TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA.

e normativas asseguradas àqueles contratados pelo tomador dos TRABALHADORES SOB REGIMES JURÍDICOS DISTINTOS (CLT

serviços, mas é necessário reconhecer que os estatutários não têm E ESTATUTO). PRINCÍPIO DA ISONOMIA. DIFERENÇAS

verbas trabalhistas. SALARIAIS. NÃO CABIMENTO. 1. A hipótese versa sobre o pedido

Ao analisar os precedentes que originaram a mencionada de isonomia salarial entre a autora prestadora de serviços e os

orientação jurisprudencial, onde constam diversos julgados tendo empregados efetivos da UFPR. O e. TRT entendeu que não se

como pólo passivo a Caixa Econômica Federal, leva-se à conclusão cogita de tal isonomia por tratar-se de empregadores diversos e

de que tal OJ só pode se referir à administração pública indireta, pelo fato de estarem os empregados submetidos a regimes jurídicos

quando explora atividade econômica, hipótese em que se sujeita ao distintos (CLT e estatutário). O Colegiado a quo não examinou a

regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos questão da validade da contratação, pois a sentença declarou a

direitos e obrigações trabalhistas, tal como previsto no art. 173, §1º, ilicitude da terceirização e não houve insurgência quanto a esse

II, CF/88, mesmo regime dos empregados de empresas interpostas. ponto. 2. Esta Corte Superior tem adotado a tese de não ser

Em tal caso, havendo semelhança entre as funções do terceirizado possível o reconhecimento da isonomia salarial entre trabalhadores

e do empregado da administração pública, a única distinção entre submetidos a regimes jurídicos distintos (estatutário e celetista).

seus regimes é a exigência do concurso público para o ingresso. A Sendo essa a hipótese dos autos, não há falar em aplicação do

isonomia exige igualdade nos dois pólos e, evidentemente, tal não princípio da isonomia, restando ilesos o art. 12, "a", da Lei

ocorre em relação ao estatutário. 6.019/1974 e a OJ 383/SDI-I/TST. Óbices do art. 896, § 40, a CLT

Na hipótese dos autos, é inconteste que o autor foi contratado pela (atual § 7°) e da Súmula 333 do TST. Precedentes. Recurso de

empresa VTI Serviços, Comércio e Projetos de Modernização e revista não conhecido. (RR - 1-96.2013.5.09.0084 , Relator Ministro:

Gestão Corporativa Ltda para exercer a função de Monitor de Hugo Carlos Scheuermann, Data de Julgamento: 21/09/2016, 1'

Disciplina em favor do Estado do Maranhão, nas dependências do Turma, Data dePublicação: DEJT 23/09/2016).

Complexo Penitenciário de Pedrinhas. RECURSO DE REVISTA REGIDO PELA LEI 13.015/2014.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 21
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

DIFERENÇA SALARIAL. ISONOMIA ENTRE SERVIDOR disposto no art. 37, XIII, da Constituição Federal."

ESTATUTÁRIO E PRESTADOR DE SERVIÇOS CELETISTA. Assim, não há que se falar em violação dos dispositivos indicados,

REGIMES JURÍDICOS DISTINTOS. IMPOSSIBILIDADE. Esta tampouco em divergência jurisprudencial, já que os arestos

Corte firmou entendimento de que não é possível o reconhecimento colacionados são inservíveis ao confronto de teses, já que

da isonomia salarial entre trabalhadores submetidos a regime provenientes de órgãos não elencados no art. 896, a, da CLT.

jurídicos distintos, caso dos autos, em razão do previsto no art. 37, CONCLUSÃO

XIII, da Constituição Federal, sendo inaplicável a Orientação DENEGO seguimento.

Jurisprudencial 383 da SBDI-1 do TST. Precedentes da SBDI-1 Publique-se e intime-se.

desta Corte. Recurso de revista não conhecido. ( RR - 465- SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

41.2016.5.10.0811 , Relatora Ministra: Delaíde Miranda Arantes, 2 Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

Turma, Data de Publicação: DEJT 17/03/2017). \3

Ademais, este Tribunal por meio do Incidente de Uniformização de

Jurisprudência nº 00009-2016-000-16-00-9 unificou o entendimento

quanto à matéria, prevalecendo a tese de não cabimento de

isonomia salarial entre trabalhadores sob regimes jurídicos distintos. Assinatura

"INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA. SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

EQUIPARAÇÃO E/OU ISONOMIA SALARIAL. TERCEIRIZAÇÃO.

EMPREGADO CELETISTA. FUNCIONÁRIO PÚBLICO SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

ESTATUTÁRIO. REGIMES DISTINTOS. ISONOMIA. TST OJ 383 Desembargador Federal do Trabalho

SDI_I INAPLICABILIDADE. É inaplicável a OJ 383 da SDI-1 do Decisão


Processo Nº RO-0017640-22.2015.5.16.0001
TST, nos casos de pretensão de equiparação e/ou isonomia salarial Relator AMERICO BEDE FREIRE
entre empregados terceirizados regidos pelo regime celetista e RECORRENTE ELMA SERVICOS GERAIS E
REPRESENTACAO LTDA
funcionários públicos (regime estatutário) do tomador de serviço, ADVOGADO RENATA RIBEIRO LINARD(OAB:
154644/SP)
por se tratar de regimes jurídicos distintos, não incidindo nesses
RECORRIDO JOLUY DE CARVALHO PINTO
casos o princípio da isonomia (art.5°, caput, e 7°, XXX e XXXII, da ADVOGADO JOSE MARIANO MUNIZ NETO(OAB:
15117/MA)
CF), posto que tal princípio pressupõe identidade de regime jurídico

entre o paradigma e o paragonado e, afronta o disposto no art. Intimado(s)/Citado(s):


37,XIII,da Constituição Federal. Incidente de Uniformização de - ELMA SERVICOS GERAIS E REPRESENTACAO LTDA
- JOLUY DE CARVALHO PINTO
Jurisprudência admitido e dissenso superado".

Assim, dou provimento ao apelo para afastar a condenação nas

diferenças salariais e reflexos e julgar improcedente a reclamação.

Analiso. PODER JUDICIÁRIO


Inviável o seguimento do recurso, diante da conclusão da Turma, no JUSTIÇA DO TRABALHO
sentido de que se aplica ao caso a Súmula nº 4 deste Regional, in
Fundamentação
verbis:
RECURSO DE REVISTA
SÚMULA Nº 4 "EQUIPARAÇÃO E/OU ISONOMIA SALARIAL.
Recorrente: ELMA SERVICOS GERAIS E REPRESENTACAO
TERCEIRIZAÇÃO. EMPREGADOS CELETISTAS E
LTDA
FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ESTATUTÁRIOS. REGIMES
Advogado(a): RENATA RIBEIRO LINARD (OAB/SP Nº 154.644)
JURÍDICOS DISTINTOS. IMPOSSIBILIDADE. É inaplicável a OJ

383 da SDI-I do TST, nos casos de pretensão de equiparação e/ou


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
isonomia salarial entre empregados terceirizados regidos pelo
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 24/04/2018; recurso
regime celetista e funcionários públicos (regime estatutário) do
apresentado em 04/05/2018, ID. 0300082).
tomador de serviço, por se tratar de regimes jurídicos distintos, não
Regular a representação processual (ID. 6dc99f3 - Pág. 11).
incidindo nesses casos o princípio da isonomia (art. 5º, caput, e 7º,
Satisfeito o preparo (Sentença R$ 7.000,00, ID. 9de0db5 - Pág. 3;
XXX e XXXII, da CF), posto que tal princípio pressupõe identidade
Custas R$ 140,00, ID. 87294b6; Depósito RO R$ 7.000,00, ID.
de regime jurídico entre o paradigma e o paragonado e, afronta o
2ffb276).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 22
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS sob esse título, pede que seja considerado somente os minutos

DIREITO DO TRABALHO (864) / Duração do Trabalho (1658) / diários faltantes que restarem devidamente comprovados. Evoca o

Horas Extras (2086) / Supressão / Retenção da CTPS art. 413 do CC.

Alegação(ões): Com relação ao ônus da prova, a reclamada juntou aos autos

- violação do(s) art(s). 71 da CLT e 413 do CC. "Espelhos do Cartão de Ponto" (ID. ca8fcdb - Pág. 1 -15), onde

- divergência jurisprudencial. consta o intervalo de uma hora de almoço.

O reclamado interpõe recurso de revista (ID. 283a6e8 ) em face do Todavia, o depoimento das testemunhas do autor (ID. ee6725f -

acórdão (ID. b1f3a46), eis que inconformado(a) com a sua Pág. 2) faz cair por terra a validade a fidelidade dos registro.

condenação ao pagamento de horas extraordinárias e multa relativa A primeira testemunha declarou:

à retenção da CTPS. "... que havia folha de ponto que o reclamante levava aos

Afirma que a condenação ao pagamento de horas extras não deve funcionários, porém apenas para ser colhida as assinaturas, já que

ser mantida, porque o recorrido não conseguiu demonstrar a os horários já estavam ali consignados..."

supressão do intervalo intrajornada. O depoimento da segunda testemunha do autor foi nesse mesmo

Aduz que a função do recorrido era de substituir outros sentido:

trabalhadores/porteiros em intervalo de almoço e que seu intervalo "...que era o reclamante quem levava as folhas de ponto nos postos;

de almoço não era suprimido, mas tão somente era concedido em que as folhas já vinham preenchidas com os horários de entrada e

horário diverso. Desse modo, considera indevido o pleito do saída; que o reclamante não tirava intervalo de almoço."

intervalo intrajornada, uma vez que sempre foi respeitado e gozado Por sua vez, as afirmações da testemunha da reclamada , Sr.

no total de uma hora, nos termos do art. 71 da CLT. Alfredo Alexandre Vaz Delago, corroboram com as declarações das

Requer, em atenção ao princípio da eventualidade, que no caso de testemunhas do obreiro, quando aquela disse (ID. ee6725f - Pág. 3)

sobrevir a condenação sob esse título, que seja considerado que "...não tem controle de frequência, porém recebe mensalmente

somente os minutos faltantes que restarem comprovados, conforme uma folha com a jornada de trabalho...".

art. 413 do Código Civil, que versa sobre redução de penalidade, Conforme entendeu o MM. Juízo de primeiro grau, essas

face ao cumprimento parcial de obrigação, e nestes termos, declarações sugerem que as folhas de ponto já vinha pré-

transcreve decisão do TRT 2ª Região, para confronto de teses. assinaladas, registrando de antemão a jornada de trabalho,

No que diz respeito à multa de retenção da CTPS, o recorrente restando ao empregado apenas lançar sua assinatura.

alega em sua tese defensiva que, assim que realizada a baixa da Por outro lado, o depoimento das testemunhas demonstram que o

Carteira de Trabalho, esta ficou à disposição do recorrido, reclamante laborava no horário do almoço, senão vejamos:

entretanto a retirada ocorreu somente na data da sua homologação, A primeira testemunha do autor: Fábio Oliveira da Silva, afirmou:

por vontade do próprio. Destaca que não houve recusa na "...que havia uma pessoa que rendia o depoente e os demais

devolução e que, sendo fato constitutivo de direito, é ônus do porteiros no horário do almoço, porém algumas vezes o reclamante

recorrido demonstrar a retenção da CTPS pela recorrente, encargo chegou a socorrer alguns porteiros no horário de almoço, por não

do qual não se desincumbiu. Nesses termos, requer a exclusão da ter ninguém para fazer a cobertura, principalmente nos feriados; que

condenação da multa do art. 53 da CLT. era frequente o depoente ligar para o reclamante na hora do

Assim dispôs o acórdão recorrido: almoço, para buscar orientação acerca de acesso negado de

Recurso da parte pessoas; que geralmente ocorria de empresas terceirizadas na hora

A reclamada recorre ID. 8210106 alegando que o recorrido sempre do almoço buscar acesso nos postos, o que geralmente gerava

usufruiu intervalo para refeição e descanso de 1 (uma) hora, sendo ocorrência, demandando a presença do reclamante.

que nas ocasiões em que tal usufruto pleno não era possível, eram A segunda testemunha da reclamada: Luis Henrique Sousa Moura,

indenizados em conjunto com as horas extras mensalmente asseverou:

remuneradas, sob a rubrica "Horas Extras 60%", "Hora Extra "...o reclamante comparecia no posto do depoente pela manhã, no

Intervalo 60%", "Hora extra Intervalo 100%". Ademais, conforme se horário do almoço e no final do plantão; que quando tinha

constatou pelos depoimentos considerados pela r. sentença não foi ocorrência geralmente o reclamante comparecia no posto, mas

sempre que o Recorrido precisou substituir os porteiros em seu também dava para resolver alguma coisa por telefone; que o

horários de almoço. Assim, indevido o pleito do pagamento do reclamante não tinha folga; que não pode afirmar se o reclamante

intervalo intrajornada. Ad cautelam, caso sobrevenha condenação trabalhava mais de oito horas por dia; que o reclamante chegou a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 23
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

substituir algum porteiro durante o horário do almoço". de sua homologação por vontade própria, de modo que em

Os depoimentos transcritos deixam evidente que o reclamante momento algum esta Contestante reteve dolosamente a CTPS.

laborava no horário do almoço. Requer a exclusão da multa.

Embora a recorrente tenha alegado que o intervalo para refeição É incontestável a responsabilidade da empregadora em entregar a

não era suprimido e que apenas o reclamante o fazia em outro CTPS à empregada, uma vez que constitui documento essencial

horário, não trouxe prova aos autos qual intervalo de tempo era para o trabalhador, que dele necessita para viabilizar o sua

utilizado pelo obreiro para as refeições. recolocação no mercado de trabalho, inclusive como prova de suas

Com efeito, não havendo prova de que a empresa cumpria com o experiências anteriores.

disposto no art. 71 da CLT, que determina a concessão de intervalo O preposto da reclamada confessou quando reinquirido(ID. ee6725f

para repouso ou alimentação de no mínimo de uma hora para - Pág. 2): "que a carteira de trabalho do reclamante foi devolvido 56

qualquer trabalho contínuo, cuja duração exceda a seis horas, é dias depois, porque ele negou-se a receber o documento na época".

devido o pagamento das horas intervalares suprimidas. Todavia, a empresa não fez qualquer prova no sentido de que

Com relação ao pedido para que seja considerado somente os tivesse pelo menos tentado fazer a entrega da CTPS.

minutos diários faltantes que restarem devidamente comprovados, Sendo assim, irreformável a r. sentença.

este não merece prosperar. É que a o regramento do art. 71 da CLT A leitura do Acórdão recorrido revela que a controvérsia foi

tratar-se de norma que visa assegurar a higiene e a saúde do solucionada após o exame do conjunto fático-probatório, qual seja,

empregado (OJ nº 342, I, da SBDI-1 do C. TST), de modo que a não os depoimentos das testemunhas trazidos aos autos, tendo o Juízo

-concessão total ou parcial do intervalo intrajornada mínimo, para a quo se convencido de que o labor desenvolvido pelo Reclamante

repouso e alimentação, implica o pagamento total do período dá ensejo ao pagamento de horas extras. Ademais, o Regional

correspondente, com acréscimo de, no mínimo, 50% sobre o valor concluiu que o reclamado não fez prova de que o intervalo de tempo

da remuneração da hora normal de trabalho. Inaplicável, à espécie era utilizado pelo obreiro para as refeições, não restando cumprido

o art. artigo 413, do Código Civil. o impositivo do art. 71 da CLT.

Logo, devida a condenação de pagamento de 1 (uma) hora diária No que diz respeito à multa pela retenção da CTPS, o Regional

pelo intervalo intrajornada suprimida, reforçou a responsabilidade da empregadora em entregar a carteira

Nesse sentido, dispõe a Súmula 437 do c. TST, verbis: para a empregada, face a natureza do documento, e concluiu que a

INTERVALO INTRAJORNADA PARA REPOUSO E empresa não fez prova no de que tivesse tentado fazer a entrega do

ALIMENTAÇÃO. APLICAÇÃO DO ART. 71 DA CLT(conversão das documento.

Orientações Jurisprudenciais nºs 307, 342, 354, 380 e 381 da SBDI- Assim, diante das premissas fáticas traçadas pelo Regional, não há

1) - Res. 185/2012, DEJT divulgado em 25, 26 e 27.09.2012 como modificar o julgado, cumprindo esclarecer que, para qualquer

I - Após a edição da Lei nº 8.923/94, a não-concessão ou a entendimento em contrário, seria imprescindível o revolvimento de

concessão parcial do intervalo intrajornada mínimo, para repouso e fatos e provas, medida obstada nesta esfera recursal, por força da

alimentação, a empregados urbanos e rurais, implica o pagamento Súmula n.º 126 do TST.

total do período correspondente, e não apenas daquele suprimido, CONCLUSÃO

com acréscimo de, no mínimo, 50% sobre o valor da remuneração DENEGO seguimento ao recurso.

da hora normal de trabalho (art. 71 da CLT), sem prejuízo do Publique-se e intime-se.

cômputo da efetiva jornada de labor para efeito de remuneração. SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

II - É inválida cláusula de acordo ou convenção coletiva de trabalho Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

contemplando a supressão ou redução do intervalo intrajornada a.3

porque este constitui medida de higiene, saúde e segurança do Assinatura

trabalho, garantido por norma de ordem pública (art. 71 da CLT e SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

art. 7º, XXII, da CF/1988), infenso à negociação coletiva. (...)

Por todas essas razões, mantenho a sentença neste ponto. SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Da Multa pela retenção da CTPS Desembargador Federal do Trabalho

Insurge-se contra a multa pela retenção da CTPS. Diz que, após Decisão
Processo Nº RO-0016456-16.2015.5.16.0006
realizada a baixa na CTPS do Recorrido, o documento ficou à Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
disposição do Reclamante para retirada, procedida somente na data RECORRENTE SERGIO RICARDO DA CUNHA SILVA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 24
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO MARCOS FABRICIO ARAUJO DE


SOUSA(OAB: 9210/MA) contratado para laborar como agente penitenciário, importando na
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO aplicação do princípio da primazia da realidade que, rege os
RECORRENTE ACR TECNOLOGIA LTDA
contratos trabalhistas.
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
13125/CE) Afirma que a OJ 383 da SBDI-1 do TST não faz distinção entre a
RECORRIDO SERGIO RICARDO DA CUNHA SILVA
Administração Pública direta e a indireta, mas deixa claro que, em
ADVOGADO MARCOS FABRICIO ARAUJO DE
SOUSA(OAB: 9210/MA) se tratando de igualdade de atividades nas contratações irregulares
RECORRIDO ACR TECNOLOGIA LTDA
pelo ente administrativo, é cabível a equiparação salarial entre
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
13125/CE) contratados e servidores.
RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
Por fim, renova a tese de existência de danos morais pela prática de
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO conduta ilícita com fulcro nos art. 5º, V e X da CF e arts. 186, 927 e

Intimado(s)/Citado(s): ss. do CC.

- ACR TECNOLOGIA LTDA Transcreve arestos para confronto de teses.


- SERGIO RICARDO DA CUNHA SILVA Eis a ementa do v. Acórdão recorrido:

EMPREGADO CELETISTA E SERVIDOR PÚBLICO

ESTATUTÁRIO. ISONOMIA SALARIAL. IMPOSSIBILIDADE.

PODER JUDICIÁRIO Sendo o empregado da terceirizada regido pela Consolidação das

JUSTIÇA DO TRABALHO Leis do Trabalho (regime celetista) e os paradigmas apontados

regidos pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do


Fundamentação
Maranhão (regime estatutário), pretensa isonomia salarial esbarra
RECURSO DE REVISTA
na proibição constitucional do art. 37, inciso XIII, da Constituição
Recorrente(s):SERGIO RICARDO DA CUNHA SILVA
Federal, não tendo aplicação à espécie, a OJ 383 da SDI-1 do TST.
Advogado(a)(s):MARCOS FABRICIO ARAUJO DE SOUSA -
Entendimento unificado (IUJ 0000900-55.2016.5.16.0000; Rel.
OAB/MA 9.210
Gerson de Oliveira Costa Filho; Pleno; DJE: 18/08/2017). Recursos

ordinários conhecidos, improvido o recurso do autor, provido o


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
recurso do primeiro reclamado e prejudicado o recurso do
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 12/04/2018; recurso
segundo reclamado.
apresentado em 23/04/2018, certidão ID. fe01ed4).
Analiso.
Regular a representação processual (ID. 2a02e6e - Pág. 1).
Analiso. Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei
Dispensado o preparo em razão do deferimento da justiça gratuita
n. 13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o
(ID. a1a368f - Pág. 11).
prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa
Remuneração, Verbas Indenizatórias e Benefícios / Salário /
exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o
Diferença Salarial / Salário por Equiparação / Isonomia
enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o
Alegação(ões):
prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna
- contrariedade à Súmula nº 383 da SBDI-I, do TST.
insuscetível de veiculação o recurso de revista.
- divergência jurisprudencial.
Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST:
Insurge-se o reclamante contra o v. Acórdão do ID. 142fc4f,
RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.
complementado pelo ID. 1a4cdf5, que reformou a sentença de
PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO
primeiro grau pra excluir da condenação a diferença salarial
INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº
decorrente do não reconhecimento da isonomia salarial e manteve a
13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de
improcedência do pedido de indenização por danos morais.
admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova
Alega, em síntese, que diversamente do que entendido no acórdão
redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus
regional, o reclamante fora contratado para exercer atividade de
do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida
monitor de segurança, dando apoio aos agentes penitenciários, no
que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente
entanto, exercia as mesmas funções que este, sem a devida
por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se
contraprestação e, ainda, sem a segurança e preparo para a
situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A
função. Caracterizando o desvio de função, haja vista, não ter sido

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 25
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do controvérsia objeto do recurso de revista, deixo de conhecer do

prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e presente recurso, nos termos do art. 896, §1º-A, I, da CLT.

comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões CONCLUSÃO

recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei: DENEGO seguimento ao recurso.

propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na Publique-se e intime-se.

preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014 \5

(decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em Assinatura

que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA Desembargador Federal do Trabalho

LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE Decisão


Processo Nº RO-0016408-54.2015.5.16.0007
SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO RECORRENTE MUNICIPIO DE PIO XII
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF. 3177/MA)
PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data RECORRIDO FERNANDO CANDIDO COSTA
ADVOGADO THUANY DI PAULA ALVES
de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018). RIBEIRO(OAB: 8832/MA)
PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE Intimado(s)/Citado(s):


- FERNANDO CANDIDO COSTA
FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO
- MUNICIPIO DE PIO XII
REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte PODER JUDICIÁRIO

e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão JUSTIÇA DO TRABALHO

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia


Fundamentação
objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.
RECURSO DE REVISTA
Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,
Recorrente: FERNANDO CÂNDIDO COSTA
sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do
Advogado(a): THUANY DI PAULA ALVES RIBEIRO (OAB/MA
Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações
8.832)
indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de

instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR-


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 21/02/2018.; recurso
25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,
apresentado em 01/03/2018 , ID. bdbda71).
conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de
Regular a representação processual ( id. 8f078f6).
Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª
Dispensado o preparo em razão do deferimento da justiça gratuita
Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de
(ID. 138ce41 - Pág. 9).
Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Assim, não tendo o recorrente feito a transcrição do trecho da
DIREITO DO TRABALHO (864) / Contrato Individual de Trabalho
decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento da
(1654) / Reconhecimento de Relação de Emprego / Agente

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 26
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Comunitário JUSTIÇA DO TRABALHO. A RELAÇÃO ESTATUTÁRIA

Alegação(ões): ESTABELECIDA EM LEI MUNICIPAL. Evidenciado que a parte

- violação dos arts. 93 IX e 198, § 5º da CF. autora foi admitida pelo ente público para exercer a função de

- violação dos arts. 8º, da lei 11.350/06 da CLT; e 373 e 489, VI do agente comunitário de saúde, sob égide da lei municipal que

CPC. súmula 300 e 461 do TST. instituiu regime estatutário, mediante processo seletivo, sobressai a

- divergência jurisprudencial. incompetência desta Justiça do Trabalho para apreciar o pedidos

O reclamante interpõe recurso de revista (ID. a9fa7c7) em face do veiculados na presente demanda.

acórdão (ID. 3f98fb2, complementado pelo ID. 6beeff5), eis que Analiso.

inconformado com a decisão que declarou a incompetência da Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n.

Justiça do Trabalho. 13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o

De início, afirma que o acórdão declarou a incompetência da Justiça prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal

do Trabalho, restado caracterizado error in judicando, contrariando à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa

Lei Federal e dando interpretação divergente à jurisprudências das exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o

Cortes Superiores e de outros regionais. enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o

Pontua ausência de fundamentação jurídica no acórdão prolatado, prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna

restando violado o inciso IX, 93 da Constituição Federal e nesse insuscetível de veiculação o recurso de revista.

passo, explica que a interpretação do acórdão é dúbia, vaga e No caso presente, observo que o recorrente transcreveu todo o

imprecisa e que num sistema de precedentes trazidos pelo novo capítulo da decisão, sem destaque das controvérsias, o que não

Código de Processo Civil a interpretação sistemática da decisão é atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT.

absolutamente indispensável, vez que este estrutura o sistema de Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST:

precedentes, tal como se observa na inteligência do art. 489, VI do AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE

CPC. REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO

Sustenta que o recorrente se submeteu a prévio e regular processo ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO

seletivo, cujo registro do cargo, comprovado pelos contracheques RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE -

acostados aos autos, não dispõe de regime específico, desse modo, RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão

submete-se ao regime celetista, assim como definido no art. 8º da agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da

Lei 13.350/06, lei que regulamentou o art. 198, § 5º da CF/88, que CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras,

versa sobre a submissão dos agentes comunitários de saúde à divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de

CLT. jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A,

Afirma que a municipalidade não juntou aos autos, lei orgânica I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da

tampouco o regime jurídico único e seus editais, de modo que não decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da

comprovou a publicação em conformidade com o ordenamento controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro

jurídico, inobservado ao art. 84, IV da CF. teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta

Afirma que é ônus do empregador provar o pagamento das verbas Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral

trabalhistas ao obreiro, raciocínio que se estende a todos os direitos do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque

elencados na exordial, e assim, requer reforma do acórdão recorrido das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-

para determinar competência da Justiça do Trabalho, face à A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que

ausência de provas, por ser escopo fundamental da Justiça do infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado,

Trabalho o caráter alimentar das decisões proferidas nesta razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com

Especializada, de acordo com a Súmula 300 e 461 do TST c/c aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator

artigo 373, II, do CPC de 2015. Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento:

Por fim, aduz que o acórdão feriu o acórdão feriu o princípio da "non 12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018)

reformatio in pejus" ou efeito prodrômico da sentença. RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

Transcreve arestos para confronto de teses. PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

Consta da ementa do acórdão recorrido: INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE. INCOMPETÊNCIA DA 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 27
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de

redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª

do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de

que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).

por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art.

situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A 896, §1º-A, I, da CLT.

exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do CONCLUSÃO

prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e DENEGO seguimento ao recurso.

comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões Publique-se e intime-se.

recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei: SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho a

transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a Assinatura

súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014 SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

(decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não Desembargador Federal do Trabalho

cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em Decisão


Processo Nº RO-0017290-82.2016.5.16.0006
que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não RECORRENTE DAVID ALUISIO DE SOUSA
ADVOGADO MARCOS FABRICIO ARAUJO DE
conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de SOUSA(OAB: 9210/MA)
2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA RECORRIDO ACR TECNOLOGIA LTDA
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE 13125/CE)
SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN RECORRIDO CIVILIZA GESTAO PRISIONAL LTDA
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO 13125/CE)
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF. RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data TRABALHO
de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).
Intimado(s)/Citado(s):
PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE
- ACR TECNOLOGIA LTDA
INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL - CIVILIZA GESTAO PRISIONAL LTDA
PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE - DAVID ALUISIO DE SOUSA

FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA


PODER JUDICIÁRIO
NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº
JUSTIÇA DO TRABALHO
-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte

e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão Fundamentação

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia RECURSO DE REVISTA

objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c. Recorrente(s):DAVID ALUISIO DE SOUSA

Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional, Advogado(a)(s): MARCOS FABRICIO ARAUJO DE SOUSA -

sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do OAB/MA 9.210

Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de Tempestivo o recurso (decisão publicada em 09/03/2018; recurso

instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR- apresentado em 19/03/2018, certidão ID. 92dae90).

238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em Regular a representação processual (ID. fd5be27 - Pág. 2).

25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, Dispensado o preparo em razão do deferimento da justiça gratuita

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 28
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

(ID. dd3a930 - Pág. 7). insuscetível de veiculação o recurso de revista.

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST:

DIREITO DO TRABALHO / Remuneração, Verbas Indenizatórias e RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

Benefícios / Adicional PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

Alegação(ões): INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

- contrariedade à Súmula nº 383 da SBDI-I, do TST. 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

- divergência jurisprudencial. admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

Insurge-se o reclamante contra o v. Acórdão do ID. 7e1d171, redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

complementado pelo ID. 69bcf1d, que manteve a sentença de do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

primeiro grau para não reconhecer a equiparação requerida e o que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

pedido de indenização por danos morais. por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

Alega, em síntese, que diversamente do que entendido no acórdão situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

regional, o reclamante fora contratado para exercer atividade de exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

monitor de segurança, dando apoio aos agentes penitenciários, no prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

entanto, exercia as mesmas funções que este, sem a devida comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

contraprestação e, ainda, sem a segurança e preparo para a recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

função. Caracterizando o desvio de função, haja vista, não ter sido propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

contratado para laborar como agente penitenciário, importando na preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

aplicação do princípio da primazia da realidade que, rege os transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

contratos trabalhistas. súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

Afirma que a OJ 383 da SBDI-1, do TST não faz distinção entre a sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

Administração Pública direta e a indireta, mas deixa claro que, em recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

se tratando de igualdade de atividades nas contratações irregulares (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

pelo ente administrativo, é cabível a equiparação salarial entre cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

contratados e servidores. que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

Renova a tese de existência de danos morais pela prática de cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

conduta ilícita com fulcro nos art. 5º, V e X da CF e arts. 186, 927 e conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

ss. do CC. 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

Transcreve arestos para confronto de teses. LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE

Eis a ementa do v. Acórdão recorrido: SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN

EMPREGADO CELETISTA E SERVIDOR PÚBLICO VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO

ESTATUTÁRIO. ISONOMIA SALARIAL. IMPOSSIBILIDADE. RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

Sendo o empregado da terceirizada regido pela Consolidação das PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data

Leis do Trabalho (regime celetista) e os paradigmas apontados de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).

regidos pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

Maranhão (regime estatutário), pretensa isonomia salarial esbarra INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

na proibição constitucional do art. 37, inciso XIII, da Constituição PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

Federal, não tendo aplicação à espécie, a OJ 383 da SDI-1 do TST. FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

Recurso ordinário conhecido e não provido. REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

Analiso. Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

n. 13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal -A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 29
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do Tempestivo o recurso (decisão publicada em 16/05/2018; recurso

Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações apresentado em 23/05/2018, ID. a35292c).

indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de Regular a representação processual (Procuração, ID. 192e246

instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR- /Substabelecimento, ID. f4e8b57).

238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em Satisfeito o preparo (Acórdão ED R$ 8.000,00, ID. 4f74e25 - Pág. 2;

25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, Custas R$ 60,00, ID. 8da704b; Depósito RO R$ 3.000,00, ID. ID.

conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de fe70f7f, Depósito RR R$ 5.000,00 ID. 03fc5ba).

Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de DIREITO DO TRABALHO (864) / Duração do Trabalho (1658) /

Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018). Horas Extras (2086) / Supressão

Assim, não tendo o recorrente feito a transcrição do trecho da Alegação(ões):

decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento da - violação do(s) art. 5º, inciso V e X, da CF.

controvérsia objeto do recurso de revista, deixo de conhecer do - violação do(s) art(s). 71 da CLT; art. 818 da CLT e art. 333, I, do

presente recurso, nos termos do art. 896, §1º-A, I, da CLT. CPC.

CONCLUSÃO - divergência jurisprudencial.

DENEGO seguimento ao recurso. O reclamado interpõe recurso de revista (ID. b93bda7) em face do

Publique-se e intime-se. acórdão (ID. ce38e66, complementado pelo ID. f5af4ea), eis que

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO inconformado com a decisão que deferiu horas extras e reflexos,

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região bem como a indenização por danos morais em favor do reclamante.

Alega, quanto ao intervalo intrajornada, que o V. Acórdão manteve a

Assinatura r. sentença, condenando a recorrente no pagamento de tempo

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 integral mais adicional correspondente e reflexos. Aduz que a

alegação de supressão do intervalo intrajornada não procede, e

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO considera que a instância não se prezou à apreciação de matéria

Desembargador Federal do Trabalho fática; irresigna-se apontando a divergência patente na


Decisão jurisprudência.
Processo Nº RO-0017447-46.2016.5.16.0009
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Afirma que não há caracterização de ato ilícito, e que o simples
RECORRENTE BIOSEV S.A. descumprimento de normas regulamentares, inclusive quanto a
ADVOGADO LEONARDO SANTINI
ECHENIQUE(OAB: 249651/SP) instalações sanitárias, por si só, não caracteriza dano moral
RECORRIDO VALCELINO DE SOUSA indenizável se não estiver cabalmente provado nos autos que esse
ADVOGADO WALLACE FIGUEIREDO
LOPES(OAB: 9591-A/MA) descumprimento teve por motivação ofender a honra e a imagem,

principalmente a dignidade humana; desse modo, afirma que restou


Intimado(s)/Citado(s):
violada a norma veiculada no artigo 5º, inciso V e X, da CF.
- BIOSEV S.A.
Aduz que no dano moral, a responsabilidade do empregador por
- VALCELINO DE SOUSA
indenização decorrente de dano é estritamente subjetiva,

submetendo-se aos requisitos dos artigos 186 e 927, do CC. Aduz

que a imposição condenatória requer, por conseguinte,


PODER JUDICIÁRIO
comprovação inconteste do dolo ou culpa do empregador, condição
JUSTIÇA DO TRABALHO
indispensável para a concessão da indenização. Afirma que a

Fundamentação reclamada cumpriu as exigências previstas na NR - 31, quanto aos

RECURSO DE REVISTA critérios de limpeza. Afirma que para a caracterização do dano

Recorrente: BIOSEV BIOENERGIA S/A moral, é indispensável prova robusta no sentido de que o

Advogado(a): LEONARDO SANTINI ECHENIQUE (OAB/SP empregador praticou ato lesivo à honra e à dignidade do

249.651) trabalhador, e no caso essa prova não foi feita.

Nesse passo, assevera que o acórdão Regional ao manter a

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS condenação, sem prova, violou o artigo 818 da CLT e artigo 333, I,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 30
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do CPC, bem como divergiu da jurisprudência de outros Tribunais 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

Regionais do Trabalho. admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

Transcreve arestos para confronto de teses. redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

Consta da Ementa do acórdão recorrido: do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

DANOS MORAIS.Constatadas as irregularidades denunciadas, que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

graves o suficiente a configurar a existência de trabalho degradante por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

e o dano à dignidade do ser humano, há de ser deferida ao autor a situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

indenização por danos morais a que faz jus. exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

Analiso. prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

insuscetível de veiculação o recurso de revista. recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

No caso presente, observo que o recorrente transcreveu todo o (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

capítulo da decisão, sem destaque das controvérsias, o que não cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST: cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE

RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE - SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN

RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO

agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras, PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data

divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).

jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A, PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º- -A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte

A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão

infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado, recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.

aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,

Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento: sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do

12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018) Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014. indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de

PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR-

INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº 238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 31
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, Regular a representação processual (ID. 3cbe026 - Pág. 2).

conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de Dispensado o preparo em razão do deferimento da justiça gratuita

Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª (ID. 3a95156 - Pág. 6).

Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018). DIREITO DO TRABALHO / Remuneração, Verbas Indenizatórias e

Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art. Benefícios / Adicional

896, §1º-A, I, da CLT. Alegação(ões):

CONCLUSÃO - contrariedade à Súmula nº 383 da SBDI-I, do TST.

DENEGO seguimento ao recurso. - divergência jurisprudencial.

Publique-se e intime-se. Insurge-se o reclamante contra o v. Acórdão do ID. bbe4903,

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO complementado pelo ID. b74f8cb, que manteve a sentença de

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região primeiro grau para não reconhecer a equiparação salarial requerida

a.3 e a improcedência do pedido de indenização por danos morais.

Alega, em síntese, que diversamente do que entendido no acórdão

Assinatura regional, o reclamante fora contratado para exercer atividade de

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 monitor de segurança, dando apoio aos agentes penitenciários, no

entanto, exercia as mesmas funções que este, sem a devida

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO contraprestação e, ainda, sem a segurança e preparo para a

Desembargador Federal do Trabalho função. Caracterizando o desvio de função, haja vista, não ter sido
Decisão contratado para laborar como agente penitenciário, importando na
Processo Nº RO-0016611-94.2016.5.16.0002
Relator GERSON DE OLIVEIRA COSTA aplicação do princípio da primazia da realidade que, rege os
FILHO
contratos trabalhistas.
RECORRENTE RODOLFO DA SILVA AQUINO
ADVOGADO MARCOS FABRICIO ARAUJO DE Afirma que a OJ 383 da SBDI-1 do TST não faz distinção entre a
SOUSA(OAB: 9210/MA)
Administração Pública direta e a indireta, mas deixa claro que, em
RECORRIDO CIVILIZA GESTAO PRISIONAL LTDA
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB: se tratando de igualdade de atividades nas contratações irregulares
13125/CE)
pelo ente administrativo, é cabível a equiparação salarial entre
RECORRIDO ACR TECNOLOGIA LTDA
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB: contratados e servidores.
13125/CE)
Renova a tese de existência de danos morais pela prática de
RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO conduta ilícita com fulcro nos art. 5º, V e X da CF e arts. 186, 927 e
TRABALHO
ss. do CC.

Intimado(s)/Citado(s): Transcreve arestos para confronto de teses.

- ACR TECNOLOGIA LTDA Eis a ementa do v. Acórdão recorrido:


- CIVILIZA GESTAO PRISIONAL LTDA RECURSO ORDINÁRIO. EQUIPARAÇÃO SALARIAL. ART. 461
- RODOLFO DA SILVA AQUINO
DA CLT. A equiparação salarial demanda uma série de requisitos,

dentre eles, a identidade de funções. Comprovado que as funções

do autor não correspondem àquelas apontadas como paradigma,


PODER JUDICIÁRIO não há que se falar em equiparação salarial, não fazendo jus às
JUSTIÇA DO TRABALHO diferenças salariais pretendidas. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS.

NÃO CABIMENTO. Conforme entendimento do TST pacificado nas


Fundamentação
Súmulas nºs 219 e 329, os honorários advocatícios na Justiça do
RECURSO DE REVISTA
Trabalho só são devidos se o reclamante estiver assistido por
Recorrente(s): RODOLFO DA SILVA AQUINO
sindicato da categoria profissional. Recurso conhecido e não
Advogado(a)(s): MARCOS FABRICIO ARAUJO DE SOUSA -
provido.
OAB/MA 9.210
Analiso.
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n.
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 07/11/2018; recurso
13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o
apresentado em 19/11/2018, certidão ID. b565273).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 32
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal textual do tópico nas razões recursais. Somente assim se atinge

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa a patente finalidade da lei: propiciar ao relator do recurso de revista

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o no TST maior presteza na preparação do voto ao ensejar que,

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o desde logo, confronte o trecho transcrito com o aresto acaso

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna apontado como divergente, ou com a súmula cuja contrariedade

insuscetível de veiculação o recurso de revista. acaso é alegada, ou a violação sustentada de forma analítica pelo

No caso presente, observo que o recorrente transcreveu recorrente. 3. Inadmissível recurso de revista interposto sob a égide

integralmente a decisão, sem destaque das controvérsias, o que da Lei nº 13.015/2014 (decisões publicadas a partir de 22/9/2014)

não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. em que a parte não cuida de transcrever o trecho específico do

Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST: acórdão regional em que repousa o prequestionamento da

AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE controvérsia transferida à cognição do TST. 4. Recurso de revista

REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO do Reclamado não conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, §

ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO 1º, do CPC de 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA

RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERENTE - VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO.

RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA

agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da PROVA. CULPA IN VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO

CEDGAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas TRIBUNAL FEDERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº

extras, divisor aplicável às horas extras e validade da compensação 760.931 RG/DF. PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006;

de jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º 7ª Turma; Data de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT

-A, I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho 06/04/2018). (grifo nosso)

da decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

integral do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

destaque das controvérsias, não atende ao requisito previsto PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA.

no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum EXIGÊNCIA NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº

argumento que infirmasse a conclusão a que se chegou no 13.015/2014, o novel § lº-A do artigo 896 da CLT exige, em seu

despacho agravado, razão pela qual não merece provimento. inciso I, como ônus da parte e sob pena de não conhecimento, a

Agravo desprovido, com aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469- indicação do trecho da decisão recorrida que consubstancia o

54.2016.5.01.0062 , Relator Ministro: Ives Gandra Martins Filho, prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de revista.

Data de Julgamento: 12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: Nos termos da jurisprudência desta c. Corte Superior, a

DEJT 19/12/2018) (grifo nosso) transcrição integral do tema do acórdão regional, sem

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014. destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do

PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das

INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº violações indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT.

13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de Agravo de instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº

admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova TST-AIRR-238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em

redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e 25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,

ônus do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de

recorrida que consubstancia o prequestionamento" não se Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª

atende meramente por meio de menção ou referência à folha do Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de

acórdão em que se situa, tampouco mediante sinopse do Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).(grifo

acórdão, no particular. A exigência em apreço traduz-se em nosso)

apontar a presença do prequestionamento (salvo vício nascido Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art.

no próprio julgamento) e comprová-lo mediante transcrição 896, §1º-A, I, da CLT.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 33
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CONCLUSÃO PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

DENEGO seguimento ao recurso. DIREITO DO TRABALHO / Rescisão do Contrato de Trabalho /

Publique-se e intime-se. Reintegração / Readmissão ou Indenização / Outras Hipóteses de

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO Estabilidade

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região Alegação:

- violação ao(s) art(s). 818, I, da CLT, c/c 373, I, do CPC.

- violação ao(s) art(s). 5º, V, X e 7º, XXVIII, da CF.

Assinatura - - violação ao(s) art(s). 944, do CC.

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 - contrariedade à(s) Súmula(s) 338, do TST.

- divergência jurisprudencial.

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO A reclamada interpõe recurso de revista, eis que insatisfeita com o

Desembargador Federal do Trabalho acórdão de ID. 5abf6b4, complementado na ID. 9512645, que
Decisão manteve a sentença de primeiro para condenar ao pagamento de
Processo Nº RO-0016083-27.2016.5.16.0013
Relator GERSON DE OLIVEIRA COSTA horas extras por intervalo intra jornada e a indenizar por danos
FILHO
morais.
RECORRENTE SULINO SOUZA FALCAO NETO
ADVOGADO ANTONIO JOSE FERREIRA LIMA Aduz que o reclamante, enquanto ocupou o cargo de operador de
FILHO(OAB: 10693/MA)
auto de linha, trabalhou no horário das 07h00 às 16h00, sempre
RECORRENTE VALE S.A.
ADVOGADO MARCO ANTONIO COELHO com intervalo de uma hora para descanso e alimentação, não
LARA(OAB: 5429-A/MA)
havendo labor aos domingos e feriados, e que, conforme se verifica
RECORRIDO SULINO SOUZA FALCAO NETO
ADVOGADO ANTONIO JOSE FERREIRA LIMA nos autos, os controles de presença foram registrados pelo autor.
FILHO(OAB: 10693/MA)
Sendo que, da análise destes não há que se falar em horários
RECORRIDO VALE S.A.
ADVOGADO RICARDO RABELLO SORIANO DE britânicos, pois o que se verifica é a pré-assinalação do intervalo,
MELLO(OAB: 3952/PA)
ratificado pela assinatura do recorrido, atendendo ao disposto no
ADVOGADO MARCO ANTONIO COELHO
LARA(OAB: 5429-A/MA) art. 74, § 2º da CLT.
ADVOGADO WILLGNER DA SILVA MARTINS(OAB:
14497/MA) Destaca, quanto às alegações referentes ao horário de trabalho dito

como cumprimento, cabia exclusivamente ao Recorrido o ônus de


Intimado(s)/Citado(s):
provar o labor na jornada aduzida na inicial, tudo nos termos do art.
- SULINO SOUZA FALCAO NETO
818 da CLT e art. 373, inciso I, do NCPC, do qual não se
- VALE S.A.
desincumbiu, pois sequer apresentou testemunha que

desconstituísse a jornada nos cartões de ponto, que alías, apesar

de desconsiderado pelo Juízo, foram juntados ao processo suprindo


PODER JUDICIÁRIO
os requisitos da Súmula 338, do TST.
JUSTIÇA DO TRABALHO
Alega ser controvertida a condenação em danos morais exarada na

Fundamentação sentença de base, primeiro porque não seria logisticamente

possível a instalação e manutenção de estruturas sanitárias ao

RECURSO DE REVISTA longo de toda a linha férrea, tratando-se de verdadeiro demandismo

Recorrente: VALE S.A exagerado e desarrazoado formulado pelo autor (e por tantos

Advogado: WILLGNER DA SILVA MARTINS - OAB/MA 14.497 outros), mas que infelizmente tem encontrado guarida perante

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS algum juízo desta Especializada.

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 08/03/2018; recurso Assevera que o Data maxima venia, o valor da condenação por

apresentado em 20/03/2018 - certidão de ID. 9549e3d). danos morais (R$ 20.000,00) atenta diretamente contra os

Regular a representação processual (ID. 9503e4c - Pág. 1/3). princípios da proporcionalidade e razoabilidade, inscritos no CC,

Satisfeito o preparo: sentença, R$ 60.000,00 (ID. 6cb471c - Pág. arts. 944, parágrafo único.

10); custas, R$ 1.200,00 (ID. 82581d3 - Pág. 2); depósito/RO, R$ Transcreve arestos para confronto de teses.

8.959,63 (ID. 82581d3 - Pág. 1); depósito/RR, R$ 18.378,00 (ID.

297a640 - Pág. 1/2). Consta da ementa do acórdão:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 34
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECURSO ORDINÁRIO. INTERVALO INTRAJORNADA. A CLT no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum

em seu art. 71 assegura ao empregado intervalos para repouso e argumento que infirmasse a conclusão a que se chegou no

alimentação, e se descumpridos pelo empregador ensejam a despacho agravado, razão pela qual não merece provimento.

remuneração do período correspondente. DANO MORAL. Agravo desprovido, com aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-

INDENIZAÇÃO DEVIDA. O trabalho em condições inadequadas é 54.2016.5.01.0062 , Relator Ministro: Ives Gandra Martins Filho,

repudiado hodiernamente pela sociedade, pois representa negação Data de Julgamento: 12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação:

absoluta da dignidade da pessoa humana, violando o sentido de DEJT 19/12/2018) (grifo nosso)

dignidade do homem enquanto ser social, provocando um dano em RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

sua personalidade. Em tal situação, configurando-se o dano moral, PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

a reparação é devida. RECURSO ADESIVO. MAJORAÇÃO DO INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

VALOR DA INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL. Na quantificação 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

da indenização, o julgador deve observar os critérios da admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

razoabilidade e da proporcionalidade, não esquecendo o duplo redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e

caráter da medida - o satisfativo-punitivo. Obedecidos tais ônus do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão

requisitos, o importe fixado deve ser mantido. Recursos recorrida que consubstancia o prequestionamento" não se

conhecidos. Parcialmente provido o da reclamada e improvido atende meramente por meio de menção ou referência à folha do

o do reclamante. acórdão em que se situa, tampouco mediante sinopse do

Analiso. acórdão, no particular. A exigência em apreço traduz-se em

Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. apontar a presença do prequestionamento (salvo vício nascido

13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o no próprio julgamento) e comprová-lo mediante transcrição

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal textual do tópico nas razões recursais. Somente assim se atinge

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa a patente finalidade da lei: propiciar ao relator do recurso de revista

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o no TST maior presteza na preparação do voto ao ensejar que,

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o desde logo, confronte o trecho transcrito com o aresto acaso

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna apontado como divergente, ou com a súmula cuja contrariedade

insuscetível de veiculação o recurso de revista. acaso é alegada, ou a violação sustentada de forma analítica pelo

No caso presente, observo que o recorrente transcreveu todo o recorrente. 3. Inadmissível recurso de revista interposto sob a égide

capítulo da decisão, sem destaque das controvérsias, o que não da Lei nº 13.015/2014 (decisões publicadas a partir de 22/9/2014)

atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. em que a parte não cuida de transcrever o trecho específico do

Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST: acórdão regional em que repousa o prequestionamento da

AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE controvérsia transferida à cognição do TST. 4. Recurso de revista

REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO do Reclamado não conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, §

ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO 1º, do CPC de 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA

RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE - VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO.

RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA

agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da PROVA. CULPA IN VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO

CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras, TRIBUNAL FEDERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº

divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de 760.931 RG/DF. PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006;

jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A, 7ª Turma; Data de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT

I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da 06/04/2018). (grifo nosso)

decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

integral do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

destaque das controvérsias, não atende ao requisito previsto PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 35
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

EXIGÊNCIA NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº Fundamentação

13.015/2014, o novel § lº-A do artigo 896 da CLT exige, em seu Recurso de Revista

inciso I, como ônus da parte e sob pena de não conhecimento, a Recorrente(s): EXPRESSO GUANABARA S A

indicação do trecho da decisão recorrida que consubstancia o Advogado(a)(s): ANTONIO CLETO GOMES - OAB: DF0037845

prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de revista.

Nos termos da jurisprudência desta c. Corte Superior, a PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

transcrição integral do tema do acórdão regional, sem Tempestivo o recurso (decisão publicada em 25/04/2018; recurso

destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do apresentado em 08/05/2018 - ID. 6613559 - Pág. 1).

Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das Regular a representação processual, procuração - ID. 8bb1b1c -

violações indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Pág. 2

Agravo de instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº Satisfeito o preparo (Sentença, R$5.000,00 - ID. 175ea9e - Pág. 4;

TST-AIRR-238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em Depósito RO, R$5.000,00 - ID. cbfc39b - Pág. 1; Custas, R$ 100,00

25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, - ID. 4ab4042 - Pág. 2).

conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª DIREITO DO TRABALHO (864) / Remuneração, Verbas

Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de Indenizatórias e Benefícios (2581) / Plano de Saúde

Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).(grifo Alegação(ões):

nosso) - violação do(s) art(s). 5º, II e 7º, XXVI da CF

Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art. - violação do(s) art(s) 611, § 1º da CLT

896, §1º-A, I, da CLT. - contrariedade à Súmula 440 do TST

CONCLUSÃO A reclamada interpõe recurso de revista ( ID. 01b3f29) em face da

DENEGO seguimento ao recurso. decisão colegiada (ID. 94df18b, complementada no ID. 363e52a)

Publique-se e intime-se. que considerou que a modificação do custeio do plano de saúde

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO por instrumento coletivo, não pode atingir o empregado em gozo de

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região benefício previdenciário, por estar com o contrato suspenso.

/5 Em síntese alega que não há qualquer restrição legal para a

aplicação das normas coletivas de trabalho para contratos de

Assinatura trabalho suspensos. Diz que a norma coletiva não altera o contrato

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 de trabalho, apenas regulamenta as condições gerais dos

empregados enquanto perdurar.

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO Aduz que a norma coletiva prevê que em caso de empregado

Desembargador Federal do Trabalho afastado pelo INSS a empresa continuará arcando com 50%
Decisão (cinquenta por cento) dos custos mensais do plano de saúde
Processo Nº ROPS-0018093-71.2016.5.16.0004
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA durante os três primeiros meses de afastamento, tendo o obreiro a
RECORRENTE EXPRESSO GUANABARA S A obrigação de custear a outra metade, sob pena de perda do
ADVOGADO ANTONIO CLETO GOMES(OAB:
37845/DF) benefício.
RECORRIDO WILLIAM REIS MENDES FRANCA Sustenta, que as cobranças foram efetuadas de acordo com
ADVOGADO NATHALIA CARVALHO
MAGALHAES(OAB: 10565/MA) previsão expressa em norma coletiva do trabalho, não havendo

como transferir para a recorrente a obrigação de custear sozinha o


Intimado(s)/Citado(s):
plano de saúde do recorrido, por ausência de previsão contratual,
- EXPRESSO GUANABARA S A
legal ou mesmo normativa, repisando que não houve cancelamento
- WILLIAM REIS MENDES FRANCA
do plano de saúde, mas apenas a recorrente, por forma normativa,

deixou de arcar com sua cota parte após os três meses de

afastamento..
PODER JUDICIÁRIO
Por fim, alega interpretação divergente da Súmula 440 do TST e
JUSTIÇA DO TRABALHO
ofensa ao art. 5º, inciso II da CF.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 36
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Assim, requer a esta Colenda Corte que seja conhecido o presente tributável do trabalhador.

Recurso e provido, para que a presente ação seja julgada A diferença em relação as normas coletivas seguintes (2015/2016 e

totalmente improcedente. 2016/2017) reside na supressão da previsão contida no parágrafo

O Acórdão adotou os seguintes fundamentos: terceiro da cláusula 13ª que ressalvava as condições de trabalho

(...) Ao esmiuçar os autos, constato inexistir questionamentos sobre anteriores, salvo opção expressa do empregado pelo novo regime.

a natureza ocupacional da doença. A discussão consiste em saber Importante dizer que, na seção Outras Disposições, restou prevista

qual o efeito das normas coletivas no âmbito temporal. Digo isso por a revogação das cláusulas que não foram objeto do atual acordo.

que as cobranças do plano de saúde começaram a ser feitas a Dada a situação, temos duas controvérsias a serem superadas.

partir de 2016, fundadas em acordos coletivos encetados com a Existia tal "prêmio" estipulado em favor dos empregados com mais

categoria, que, pelo menos desde 01 de maio de 2014 (ACT de cinco anos de contrato de trabalho? As alterações promovidas

2014/2015, id 8288d2a), possuem a seguinte previsão (ou similar): pelos instrumentos coletivos posteriores alteraram ou alterariam a

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - PLANO DE SAÚDE possível redução dos encargos para esses empregados?

Fica acordado que GUANABARA celebrará convênio com A norma coletiva de trabalho é ultrativa, ou reveste-se de

operadora de plano de saúde, disponibilizando plano de saúde ultratividade, quando continua eficaz após o seu termo final de

coletivo empresarial na modalidade local básico/enfermaria com vigência. Se uma categoria profissional e a representação patronal

coparticipação ou equivalente, de modo a permitir que os definem quais os direitos que devem ser assegurados a certos

trabalhadores em atividade, exceto os já aposentados que não trabalhadores a partir da data inicial de vigência de uma convenção

estejam em atividade na empresa, possam, mediante adesão ou acordo coletivo, o advento da data derradeira de vigência dessa

voluntária e expressa, realizar consultas, exames e demais serviços norma não lhe retirará a eficácia.

ofertados. No Brasil, onde se adota o modelo condicionado, a ultratividade da

PARÁGRAFO PRIMEIRO - A GUANABARA arcará com 50% cláusula resultante de negociação coletiva está condicionada à

(cinquenta por cento) dos custos da mensalidade do plano, não inexistência de norma coletiva posterior que a revogue, ou seja, a

incluindo os custos com exames e/ou procedimentos não cláusula normativa pode ser suprimida ou quiçá ter o seu alcance

contemplados no valor da mensalidade, ficando os outros 50% reduzido mediante norma coletiva superveniente, imunizando-se o

(cinquenta por cento) do valor da mensalidade do plano e demais seu conteúdo somente quanto à incidência das alterações

custos pela utilização a encargo do empregado, com desconto individuais do contrato de trabalho.

através de contracheque. A experiência brasileira faculta à vontade coletiva alguma

PARÁGRAFO SEGUNDO - Em caso de empregados afastados pelo disposição de direitos laborais, com vistas à preservação do

INSS, a GUANABARA continuará arcando com 50% (cinquenta por emprego em condições de permanente razoabilidade. Não se trata,

cento) dos custos da mensalidade do plano durante os 03 (três) em princípio, de reduzir ou suprimir direitos, mas de lhes permitir

primeiros meses de afastamento, ficando os outros 50% (cinquenta alguma plasticidade a fim de ajustá-los às mudanças naturais do

por cento) do valor da mensalidade do plano e demais custos com a ambiente da empresa e da estrutura empresarial, sempre com

utilização, a encargo do empregado, o qual deverá comparecer à vistas ao equilíbrio contratual - o bastante para a jurisprudência

empresa para disponibilizar tal valor à empregadora, sob pena de exigir contrapartidas, em favor dos trabalhadores, quando é instada,

perda do benefício. Após os 03 (três) primeiros meses de por exemplo, a validar cláusulas que reduzem salário ou prorrogam

afastamento, os referidos empregados poderão continuar usufruindo jornadas.

do plano de saúde desde que arquem com os custos integrais do É assegurado ao empregador negociar a redução de direitos

plano. previstos em norma coletiva, desde que se apresente à categoria

PARÁGRAFO TERCEIRO - Serão preservadas as condições mais obreira com o ânimo de negociar e lhe proponha contrapartidas que

benéficas já existentes, salvo expressa opção do empregado em preservem o equilíbrio dos contratos de trabalho, então a

aderir ao novo plano e cancelamento do anterior. negociação coletiva é estimulada, servindo ao seu desiderato.

PARÁGRAFO QUARTO - O benefício acima mencionado concedido A norma coletiva deve continuar eficaz até que outra sobrevenha.

pela GUANABARA não têm natureza salarial, não se incorpora à Nesse sentido, é a orientação contida na Súmula 277 do TST, in

remuneração para quaisquer efeitos, não constitui base de verbis:

incidência de contribuição previdenciária ou do Fundo de Garantia "CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO OU ACORDO

do Tempo de Serviço e nem se configura como rendimento COLETIVO DE TRABALHO. EFICÁCIA. ULTRATIVIDADE (redação

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 37
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

alterada na sessão do Tribunal Pleno realizada em 14.09.2012) - independentemente do quanto perdure o afastamento.

Res. 185/2012, DEJT divulgado em 25, 26 e 27.09.2012 Nesses termos, dou parcial provimento ao recurso ordinário da

As cláusulas normativas dos acordos coletivos ou convenções reclamada para determinar que o reclamante arque com 50% do

coletivas integram os contratos individuais de trabalho e somente valor da mensalidade do plano de saúde enquanto gozar do auxílio

poderão ser modificados ou suprimidas mediante negociação doença previdenciário vigente.

coletiva de trabalho." À análise.

Então, em tese, seria possível a modificação das condições do De início, registre-se que, por se encontrar o feito submetido ao rito

plano de saúde da parte autora por meio de ajustes coletivos sumaríssimo somente se admite recurso de revista por

posteriores, revelando-se, assim, descabida a alegação de direito contrariedade a súmula de jurisprudência uniforme do Tribunal

adquirido. Superior do Trabalho ou a súmula vinculante do Supremo Tribunal

Não obstante a digressão acima, no caso há um obstáculo. O Federal e por violação direta da Constituição Federal. Logo,

contrato de trabalho do obreiro se encontra suspenso desde 2008 impossível a análise de ofensa à legislação infraconstitucional.

em face do afastamento para gozo de auxílio previdenciário Quanto a alegação de violação do art. 5º, inciso II, da Carta Magna,

acidentário, situação que perdura até hoje, conforme o último não se mostra apta para promover a admissibilidade do recurso de

documento apresentado em Juízo, datado de 05 de maio do revista. O princípio constitucional da legalidade, previsto no art. 5º,

corrente ano (id 257a8f8). Logo nenhuma alteração pode ser inciso II, da CF, tem caráter genérico, o que não permite, em tese, a

implementada no seu contrato de trabalho. Como consequência, configuração da violação de natureza direta e literal exigida no art.

devem ser respeitadas as regras atinentes à época do afastamento 896, c, da CLT.

em relação ao plano de saúde. Também não vislumbro violação à literalidade do artigo 7º, XXVI da

Percebo, todavia, que as partes não trouxeram as normas coletivas CF, tendo em vista que a decisão recorrida não afastou a

vigentes naquele ano (2008). Desse modo, carecem de provas tanto possibilidade de modificação das condições do plano de saúde da

a existência do tal "prêmio" citado pelo reclamante, quanto as parte Autora por meio de ajustes coletivos posteriores, apenas

regras aplicáveis aos empregados afastados pelo INSS, em assegurou, no entanto, em razão da suspensão do contrato de

previsão similar ao atual conjunto normativo negociado. trabalho desde 2008 em face de afastamento para gozo de auxílio

Sobre esse incentivo, o Juízo de origem o considerou existente sob previdenciário acidentário, as regras atinentes à época do

o fundamento de que a parte reclamada não impugnou afastamento em relação ao plano de Saúde.

especificamente a veracidade dos fatos declinados na peça Por fim, não identifico a alegada contrariedade à Súmula nº 440 do

vestibular. Não acho, porém, razoável. A parte autora, a quem cabia TST, porquanto esta não cuida especificamente da fonte de custeio

originariamente o ônus da prova, sequer disse em qual instrumento do plano de saúde.

normativo estava prevista a assunção dos encargos do plano de CONCLUSÃO

saúde pela empregadora. E, de certa forma, a reclamada, ao DENEGO seguimento ao recurso.

apresentar a fórmula de repartição de custos vigente, disse ser Publique-se e intime-se.

irreal a afirmação de que os empregados com mais de cinco anos SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

contribuiriam apenas de forma simbólica. Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

Partindo desse cenário, em que ambas as partes sucumbiram em 2

seus ônus probatórios, também em homenagem à Súmula nº 440

do c. TST, que assegura o direito à manutenção de plano de saúde

ou de assistência médica oferecido pela empresa ao empregado,

não obstante suspenso o contrato de trabalho em virtude de auxílio-

doença acidentário ou de aposentadoria por invalidez, busco Assinatura

solução mais equânime, que seria o compartilhamento do custeio SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

do plano de saúde em frações iguais. Por essa maneira, o

reclamante garantiria a manutenção do plano arcando com 50% do SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

valor sem estar sujeito à integralidade do pagamento pelo decurso Desembargador Federal do Trabalho

do tempo, tal como previsto no parágrafo segundo da Cláusula 13ª. Decisão


Processo Nº RO-0017232-56.2014.5.16.0004
Por sua vez, a reclamada arcaria com 50% mensalidade integral,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 38
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Relator SOLANGE CRISTINA PASSOS DE


CASTRO CORDEIRO Os presentes autos vieram a esta Presidência (Núcleo de Recurso
RECORRENTE COMPANHIA OPERADORA de Revista/AI/RO) para análise de Agravo de Instrumento (Id
PORTUARIA DO ITAQUI
ADVOGADO ERICK ABDALLA BRITTO(OAB: f18c573), contra a decisão que negou seguimento ao seu recurso
11376/MA)
de revista (art. 897, alínea "b", da CLT).
ADVOGADO LARISSA ABDALLA BRITTO(OAB:
4282/MA) MANTENHO o despacho agravado.
RECORRENTE LUCENA INFRAESTRUTURA EIRELI
Satisfeitos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade, nos
ADVOGADO ARISTIDES LIMA FONTENELE(OAB:
7750/MA) termos do art. 1º da Resolução Administrativa nº 1418/2010 do c.
RECORRIDO DORALICE COSTA CORREIA
TST, proceda-se à autuação do Agravo, conforme disposto no art.
ADVOGADO ADOLFO TESTI NETO(OAB:
6075/MA) 2º da referida Resolução.
ADVOGADO JULIA MARIA AMIN CASTRO(OAB:
676/MA) Notifique(m)-se a(s) parte(s) agravada(s) para, querendo,
ADVOGADO JORGE LUIS DE CASTRO apresentar(em) contrarrazões ao agravo e ao recurso, no prazo
FONSECA(OAB: 3671/MA)
RECORRIDO EMPRESA MARANHENSE DE legal.
ADMINISTRACAO PORTUARIA -
EMAP Após, com ou sem manifestação, remetam-se os autos ao c. TST.
ADVOGADO RAIMUNDO NONATO FROZ CONCLUSÃO
NETO(OAB: 4776/MA)
ADVOGADO FLAVIA ALEXSANDRA NOLETO DE Recebo o agravo interposto.
MIRANDA CARVALHO(OAB:
7282/MA) SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região
TRABALHO
5
Intimado(s)/Citado(s):
- COMPANHIA OPERADORA PORTUARIA DO ITAQUI
AGRAVO DE INSTRUMENTO - 2
- DORALICE COSTA CORREIA
- EMPRESA MARANHENSE DE ADMINISTRACAO PORTUARIA Agravante(s):LUCENA INFRAESTRUTURA EIRELI
- EMAP
Advogado(s): ARISTIDES LIMA FONTENELE - OAB/MA n.º 7.750
- LUCENA INFRAESTRUTURA EIRELI
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 31/01/2019; recurso

apresentado em 27/09/2018 (ratificado em 04/02/19 - Id 8b08f14 -,


PODER JUDICIÁRIO
informações certificadas na ID. 97e4262).
JUSTIÇA DO TRABALHO
Regular a representação processual (Procuração, ID. 62524e7 -

Fundamentação Pág. 2). Satisfeito o preparo: sentença, R$300.000,00 - valor

arbitrado (ID. 3f6446f - Pág. 7); custas, R$6.000,00 (ID. 126a062);

Lei 13.015/2014 depósito/RO, R$ 8.183,06 (ID. ccfd609); depósito/RR, R$10,194.94

AGRAVO DE INSTRUMENTO - 1 (ID. c7f9ec4); depósito/AI, R$18,378.00 (ID. 03c1347 - Pág. 2);

Agravante(s):COMPANHIA OPERADORA PORTUARIA DO custas/AI, R$6.000,00 (ID. bc4b25a).

ITAQUI DESPACHO

Advogado(s): ERICK ABDALLA BRITTO - OAB/MA 11.376 Os presentes autos vieram a esta Presidência (Núcleo de Recurso

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS de Revista/AI/RO) para análise de Agravo de Instrumento (Id

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 31/01/2019; recurso f18c573), contra a decisão que negou seguimento ao seu recurso

apresentado em 12/02/2019, ambas informações certificadas na ID. de revista (art. 897, alínea "b", da CLT).

97e4262). MANTENHO o despacho agravado.

Regular a representação processual (procuração, ID. a16151b; e Satisfeitos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade, nos

substabelecimento, ID. 4b36259). termos do art. 1º da Resolução Administrativa nº 1418/2010 do c.

Satisfeito o preparo: sentença, R$300.000,00 - valor arbitrado (ID. TST, proceda-se à autuação do Agravo, conforme disposto no art.

3f6446f - Pág. 7); custas, R$6.000,00 (ID's 929c97b / df7203a - Pág. 2º da referida Resolução.

2); depósito/RO R$8.183,06 (ID. ad9d413); depósito/RR, Notifique(m)-se a(s) parte(s) agravada(s) para, querendo,

R$18.378,00 ( ID. 9fc7ace); depósito/AI, R$ 9.513,16 (ID. b027806 - apresentar(em) contrarrazões ao agravo e ao recurso, no prazo

Pág. 1). legal.

DESPACHO Após, com ou sem manifestação, remetam-se os autos ao c. TST.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 39
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CONCLUSÃO / Isonomia/Diferença Salarial

Recebo o agravo interposto. Responsabilidade Civil do Empregador/Empregado / Indenização

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO por Dano Moral/ Quantum indenizatório.

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região Alegação(ões):

\5 - violação aos arts 5º e 7º, da CF;

- violação ao art. 5º e 9º, da CLT; art. 944, caput, do CC; art. 4º. da

Assinatura Lei nº 11.079/2004; arts. 10, 23 e 27, da Lei estadual nº

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 8.593/20017;

- contrariedade à OJ 383 da SDI-1 do TST;

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO - divergência jurisprudencial.

Desembargador Federal do Trabalho O reclamante interpõe recurso de revista, inconformado com a


Decisão decisão de ID. df921d6, complementado noID. a6bb24f que
Processo Nº RO-0017443-95.2014.5.16.0003
Relator GERSON DE OLIVEIRA COSTA indeferiu seu pedido de reconhecimento das diferenças salariais
FILHO
devidas em decorrência do exercício de função própria dos agentes
RECORRENTE ESPERIDIAO DUARTE GONCALVES
NETO prisionais, embora tenha sido contratado como monitor de
ADVOGADO DAYENY CARDOSO DE
OLIVEIRA(OAB: 10988/MA) ressocialização.
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO Alega que este Tribunal Regional já decidiu em situação semelhante
RECORRENTE ACR TECNOLOGIA LTDA
de forma diversa da dos autos, posto que concedeu as diferenças
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
13125/CE) de salários pelo mesmo serviço, visto que no processo se busca
RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
apenas referidas diferenças pela execução de mesmo serviço.
RECORRIDO ESPERIDIAO DUARTE GONCALVES
NETO Afirma que o fato de haverem regimes distintos não é óbice para
ADVOGADO DAYENY CARDOSO DE
OLIVEIRA(OAB: 10988/MA) que seja reconhecida e aplicada a equiparação salarial e
RECORRIDO ACR TECNOLOGIA LTDA consequente pagamento das diferenças salariais, mesmo porque,
ADVOGADO CLAILSON CARDOSO RIBEIRO(OAB:
13125/CE) como é notório, a terceirização foi ilícita, tanto que o Estado do
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO Maranhão foi obrigado a finalizar tais contratos.
TRABALHO
Aduz que, no caso em apreço, vemos a dignidade do trabalhador
Intimado(s)/Citado(s): sendo aviltada, bem como a valorização do seu trabalho, posto que
- ACR TECNOLOGIA LTDA esteve em contato direto com os presos e em iminente risco de
- ESPERIDIAO DUARTE GONCALVES NETO
vida, sem qualquer contraprestação pelo serviço prestado.

Destaca que o art. 5º da CLT aduz que "a todo trabalho de igual

valor corresponderá salário igual, sem distinção de sexo", assim


PODER JUDICIÁRIO como o art. 7º, XXX, da CF, atendo-se ao princípio da igualdade
JUSTIÇA DO TRABALHO salarial nos termos da OJ nº 383 da SDI-I.

Argumenta que o Recorrente exerceu serviço imprescindível à


Fundamentação
ordem pública, logo, faz jus ao recebimento de salário igual,
RECORRENTE: ESPERIDIAO DUARTE GONCALVES NETO
independente do regime jurídico, haja vista a atividade-fim realizada
ADVOGADO:DAYENY CARDOSO DE OLIVEIRA (OAB/MA
pertencer exclusivamente ao Estado e terceirização ter sido ilícita,
10.988)
nos termos do art. 4º, III, da Lei nº 11.079/2004.

Sustenta que o Acórdão vergastado viola o artigo 944, da CLT por


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
não considerar a extensão do dano ao arbitrar o valor de
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 04/04/2018; recurso
indenização por dano moral, não atendendo aos princípios da
apresentado em 06/04/2018 - ID. 574d78b).
razoabilidade e proporcionalidade.
Regular a representação processual (ID. caa8179).
Transcreve diversos arestos para confronto de teses.
Dispensado o preparo, em face do deferimento da Justiça Gratuita
Assim dispôs o acórdão recorrido:
(ID. 384a127 - Pág. 8).
Equiparação salarial
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Pretende o recorrente a reforma da decisão que indeferiu diferenças
DIREITO DO TRABALHO / Categoria Profissional / Enquadramento

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 40
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

salariais ao argumento de que exercia função própria dos agentes (TRT-9 831201093907 PR 831-2010-93-9-0-7, Relator: SUELI GIL

prisionais, embora tenha sido contratado como monitor de EL-RAFIHI, 6A. TURMA, Data de Publicação: 06/03/2012,

ressocialização, e por isso tem direito à referida verba. undefined)(grifo nosso)

Sabe-se que somente pode haver isonomia entre trabalhadores Ademais, não se aplica ao caso as disposições da OJ 383 da SDI-1,

contratados sob o mesmo regime jurídico, uma vez que pressupõe do TST, que estabelece:

igualdade de situações fáticas. Mesmo que haja identidade de 383. TERCEIRIZAÇÃO. EMPREGADOS DA EMPRESA

funções entre o trabalho prestado por empregado contratado pelo PRESTADORA DE SERVIÇOS E DA TOMADORA. ISONOMIA.

regime celetista, e por servidor público estatutário concursado, o ART. 12, "A", DA LEI Nº 6.019, DE 03.01.1974. (mantida) - Res.

fato de a admissão ter ocorrido por processos distintos e os regimes 175/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011 A contratação

jurídicos a que se submetem serem diversos constitui óbice à irregular de trabalhador, mediante empresa interposta, não gera

pretensão de isonomia salarial. vínculo de emprego com ente da Administração Pública, não

Assim decidem os Tribunais Pátrios. Vejamos: afastando, contudo, pelo princípio da isonomia, o direito dos

TRT-PR-20-11-2009 ISONOMIA SALARIAL. EMPREGADO empregados terceirizados às mesmas verbas trabalhistas legais e

CELETISTA DE EMPRESA TERCEIRIZADA E SERVIDOR normativas asseguradas àqueles contratados pelo tomador dos

PÚBLICO ESTATUTÁRIO ADMITIDO MEDIANTE CONCURSO. serviços, desde que presente a igualdade de funções. Aplicação

IMPOSSIBILIDADE. Ainda que constatada a identidade de funções analógica do art. 12, "a", da Lei nº 6.019, de 03.01.1974.

entre o trabalho prestado por empregado contratado pelo regime Referida Orientação Jurispruencial é clara ao assegurar o direito

celetista, por empresa prestadora de serviços à Administração dos empregados terceirizados às mesmas verbas trabalhistas legais

Pública, e por servidor público estatutário concursado, o fato de a e normativas asseguradas àqueles contratados pelo tomador dos

admissão ter ocorrido por processos absolutamente distintos e os serviços, mas é necessário reconhecer que os estatutários não têm

regimes jurídicos a que se submetem serem diversos constitui óbice verbas trabalhistas.

à pretensão de isonomia salarial. Recurso ordinário do reclamante Ao analisar os precedentes que originaram a mencionada

conhecido e desprovido. (TRT-9 13003200813906 PR 13003-2008- orientação jurisprudencial, onde constam diversos julgados tendo

13-9-0-6, Relator: ALTINO PEDROZO DOS SANTOS, 3A. TURMA, como pólo passivo a Caixa Econômica Federal, leva-se à conclusão

Data de Publicação: 20/11/2009, undefined) de que tal OJ só pode se referir à administração pública indireta,

TRT-PR-06-03-2012 DIFERENÇAS SALARIAIS - TRABALHARDOR quando explora atividade econômica, hipótese em que se sujeita ao

CONTRATADO POR EMPRESA TERCEIRIZADA - regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos

EQUIPARAÇÃO COM SERVIDORES PÚBLICOS CONCURSADOS direitos e obrigações trabalhistas, tal como previsto no art. 173, §1º,

- IMPOSSIBILIDADE. Insustentável equiparar-se, juridicamente, a II, CF/88, mesmo regime dos empregados de empresas interpostas.

situação do trabalhador contratado por meio de empresa prestadora Em tal caso, havendo semelhança entre as funções do terceirizado

de serviços, com a dos servidores públicos estatutários que se e do empregado da administração pública, a única distinção entre

submeteram a concurso público. O princípio da isonomia consiste, seus regimes é a exigência do concurso público para o ingresso. A

justamente, em equiparar os iguais, o que não se verifica na isonomia exige igualdade nos dois pólos e, evidentemente, tal não

situação, já que a autora é empregada de uma empresa privada ocorre em relação ao estatutário.

cujo acesso fica a livre critério do empregador, deparando-se, pois, Na hipótese dos autos, é inconteste que o autor foi contratado pela

com essencial diferença já no requisito de ingresso. O próprio empresa VTI Serviços, Comércio e Projetos de Modernização e

concurso público, por outro prisma, tem na sua gênese o princípio Gestão Corporativa Ltda para exercer a função de Monitor de

da isonomia, posto que uma das suas principais funções e razão da Disciplina em favor do Estado do Maranhão, nas dependências do

sua existência é permitir, a todos os que atendem aos requisitos pré Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

-estabelecidos, concorram em igualdade de condições para o Também se constata que o reclamante, apesar de contratado e

ingresso na carreira pública. Forma de acesso que se destina a dar remunerado como Monitor de Disciplina desenvolveu de 02/12/2011

cumprimento, também, aos princípios de legalidade, a 26/06/2013, em benefício do ente público, atividades típicas do

impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, na estatuídos cargo de Agente Penitenciário do Estado do Maranhão, de natureza

pelo artigo 37 da CF. Logo, indevida a equiparação salarial estatutária, cuja carreira é regulamentada pela Lei Estadual n°

pretendida, ainda que a autora realize os mesmos serviços 8.956/09, possuindo como atribuições, dentre outras:"realizar

daqueles que se submeteram a concurso público.Sentença mantida. atividades de média complexidade, envolvendo planejamento e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 41
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

execução de serviços de segurança, vigilância, custódia de presos Jurisprudencial 383 da SBDI-1 do TST. Precedentes da SBDI-1

recolhidos nos estabelecimentos penais na execução de penas desta Corte. Recurso de revista não conhecido. ( RR - 465-

privativas de liberdade (...) garantir a ordem, vigilância, disciplina e a 41.2016.5.10.0811 , Relatora Ministra: Delaíde Miranda Arantes, 2

segurança das unidades penais e dos presos; (...) fiscalizar a Turma, Data de Publicação: DEJT 17/03/2017).

entrada e saída de pessoas e veículos dos estabelecimentos Ademais, este Tribunal por meio do Incidente de Uniformização de

penais, incluindo a execução de revistas corporais (...) zelar pela Jurisprudência nº 00009-2016-000-16-00-9 unificou o entendimento

manutenção, conservação e uso correto das armas, instalações, quanto à matéria, prevalecendo a tese de não cabimento de

aparelhos, instrumentos e outros objetos de trabalho ". isonomia salarial entre trabalhadores sob regimes jurídicos distintos.

Mesmo que se considerem idênticas as funções entre o trabalho "INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA.

exercido pelo servidor estatutário e o empregado terceirizado, dada EQUIPARAÇÃO E/OU ISONOMIA SALARIAL. TERCEIRIZAÇÃO.

a diferença nos regimes jurídicos, que não asseguram o mesmo EMPREGADO CELETISTA. FUNCIONÁRIO PÚBLICO

tratamento jurídico a um e outro trabalhador, que as ESTATUTÁRIO. REGIMES DISTINTOS. ISONOMIA. TST OJ 383

responsabilidades e deveres são diferentes uns dos outros, que as SDI_I INAPLICABILIDADE. É inaplicável a OJ 383 da SDI-1 do

garantias e punições asseguradas e devidas a um não podem ser TST, nos casos de pretensão de equiparação e/ou isonomia salarial

aplicadas ao outro, considero que esses fatores inibem a presença entre empregados terceirizados regidos pelo regime celetista e

daqueles elementos que asseguram a equiparação total. funcionários públicos (regime estatutário) do tomador de serviço,

Nesse sentido são as seguintes decisões do C. TST: por se tratar de regimes jurídicos distintos, não incidindo nesses

RECURSO DE REVISTA. TERCEIRIZAÇÃO ILÍCITA. casos o princípio da isonomia (art.5°, caput, e 7°, XXX e XXXII, da

TRABALHADORES SOB REGIMES JURÍDICOS DISTINTOS (CLT CF), posto que tal princípio pressupõe identidade de regime jurídico

E ESTATUTO). PRINCÍPIO DA ISONOMIA. DIFERENÇAS entre o paradigma e o paragonado e, afronta o disposto no art.

SALARIAIS. NÃO CABIMENTO. 1. A hipótese versa sobre o pedido 37,XIII,da Constituição Federal. Incidente de Uniformização de

de isonomia salarial entre a autora prestadora de serviços e os Jurisprudência admitido e dissenso superado".

empregados efetivos da UFPR. O e. TRT entendeu que não se Assim, nego provimento ao apelo neste aspecto.

cogita de tal isonomia por tratar-se de empregadores diversos e Analiso.

pelo fato de estarem os empregados submetidos a regimes jurídicos Inviável o seguimento do recurso no que se refere à isonomia

distintos (CLT e estatutário). O Colegiado a quo não examinou a salarial, diante da conclusão da Turma, no sentido de que se aplica

questão da validade da contratação, pois a sentença declarou a ao caso a Súmula nº 4 deste Regional, in verbis:

ilicitude da terceirização e não houve insurgência quanto a esse SÚMULA Nº 4 "EQUIPARAÇÃO E/OU ISONOMIA SALARIAL.

ponto. 2. Esta Corte Superior tem adotado a tese de não ser TERCEIRIZAÇÃO. EMPREGADOS CELETISTAS E

possível o reconhecimento da isonomia salarial entre trabalhadores FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ESTATUTÁRIOS. REGIMES

submetidos a regimes jurídicos distintos (estatutário e celetista). JURÍDICOS DISTINTOS. IMPOSSIBILIDADE. É inaplicável a OJ

Sendo essa a hipótese dos autos, não há falar em aplicação do 383 da SDI-I do TST, nos casos de pretensão de equiparação e/ou

princípio da isonomia, restando ilesos o art. 12, "a", da Lei isonomia salarial entre empregados terceirizados regidos pelo

6.019/1974 e a OJ 383/SDI-I/TST. Óbices do art. 896, § 40, a CLT regime celetista e funcionários públicos (regime estatutário) do

(atual § 7°) e da Súmula 333 do TST. Precedentes. Recurso de tomador de serviço, por se tratar de regimes jurídicos distintos, não

revista não conhecido. (RR - 1-96.2013.5.09.0084 , Relator Ministro: incidindo nesses casos o princípio da isonomia (art. 5º, caput, e 7º,

Hugo Carlos Scheuermann, Data de Julgamento: 21/09/2016, 1' XXX e XXXII, da CF), posto que tal princípio pressupõe identidade

Turma, Data dePublicação: DEJT 23/09/2016). de regime jurídico entre o paradigma e o paragonado e, afronta o

RECURSO DE REVISTA REGIDO PELA LEI 13.015/2014. disposto no art. 37, XIII, da Constituição Federal."

DIFERENÇA SALARIAL. ISONOMIA ENTRE SERVIDOR Assim, não há que se falar em violação dos dispositivos indicados,

ESTATUTÁRIO E PRESTADOR DE SERVIÇOS CELETISTA. tampouco em divergência jurisprudencial, já que os arestos

REGIMES JURÍDICOS DISTINTOS. IMPOSSIBILIDADE. Esta colacionados são inservíveis ao confronto de teses, já que

Corte firmou entendimento de que não é possível o reconhecimento provenientes de órgãos não elencados no art. 896, a, da CLT.

da isonomia salarial entre trabalhadores submetidos a regime Quanto ao montante fixado a título de indenização por danos

jurídicos distintos, caso dos autos, em razão do previsto no art. 37, morais, assim dispôs o acórdão:

XIII, da Constituição Federal, sendo inaplicável a Orientação No caso presente, embora a sujeição do empregado a condições

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 42
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

inadequadas e sem equipamento de proteção para lidar com os infraconstitucionais, o que não justifica o manejo do recurso de

detentos, bem como o tempo de contratação (de 02/12/2011 a revista, conforme a Súmula nº 636 do STF, bem como reiteradas

26/06/2013), a doutrina relaciona alguns critérios que norteiam o decisões da SBDI-I do TST.

juiz, para que ele possa, com espírito de equidade e prudência,

arbitrar o valor da indenização decorrente de dano moral. São eles:

a gravidade objetiva do dano; a intensidade do sofrimento da vítima;

a personalidade e o poder econômico do ofensor; a razoabilidade e CONCLUSÃO

equitatividade na estipulação da indenização. DENEGO seguimento.

Conjugando esses critérios, o julgador também não deve olvidar Publique-se e intime-se.

que o quantum indenizatório tem um duplo caráter: o satisfativo- SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

punitivo. Satisfativo, porque visa a compensar o sofrimento da Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

vítima, e punitivo, porque visa a desestimular a prática de atos \3

lesivos à integridade, à honra e à imagem das pessoas, observando Assinatura

-se os termos do art. 944 do Código Civil. SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

Tendo em vista o caráter pedagógico da medida, observando-se os

critérios da razoabilidade e da proporcionalidade, entendo que deve SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

ser paga indenização por danos morais no importe de R$ 4.000,00 Desembargador Federal do Trabalho

(quatro mil reais). Decisão


Processo Nº RO-0016413-43.2015.5.16.0018
Relator JAMES MAGNO ARAUJO FARIAS
Convém registrar que o arbitramento do quantum indenizatório se RECORRENTE IVANOR CARVALHO PIMENTEL
ADVOGADO ADLER GOMES LEITAO(OAB:
encontra dentro do poder discricionário do magistrado, em 6587/MA)
observância a critérios de razoabilidade e de proporcionalidade RECORRENTE AGENCIA NACIONAL DO
PETROLEO, GAS NATURAL E
extraídos da análise do conjunto fático e probatório existente em BIOCOMBUSTIVEIS
RECORRENTE UNIAO FEDERAL (AGU)
cada demanda. Não há na legislação pátria critérios objetivos para
RECORRIDO IVANOR CARVALHO PIMENTEL
delineamento do valor a ser fixado para indenizações por danos ADVOGADO ADLER GOMES LEITAO(OAB:
6587/MA)
morais. Tal lacuna legislativa leva o julgador a estabelecer uma
RECORRIDO ANDL SERVICOS GEOFISICOS LTDA
relação de equivalência entre a gravidade da lesão e o valor RECORRIDO WICAP BR EXPLORACAO SISMICA
LTDA
monetário da indenização imposta, de modo que possa propiciar a
RECORRIDO AGENCIA NACIONAL DO
certeza de que o ato ofensor não fique impune e servir de PETROLEO, GAS NATURAL E
BIOCOMBUSTIVEIS
desestímulo a práticas inadequadas aos parâmetros da lei. RECORRIDO UNIAO FEDERAL (AGU)
A revisão pelo c. TST do valor fixado nas instâncias ordinárias a CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
título de indenização somente se dá para reprimir valores

estratosféricos ou excessivamente módicos, desproporções que não Intimado(s)/Citado(s):


- IVANOR CARVALHO PIMENTEL
se verificam no caso ora em apreço, já que o valor arbitrado a título

de indenização por danos morais pautou-se em parâmetros

compatíveis, sopesando a intensidade do sofrimento, a gravidade

do dano, o grau de culpa do ofensor e a sua condição econômica, o PODER JUDICIÁRIO


não enriquecimento indevido da vítima e o caráter pedagógico da JUSTIÇA DO TRABALHO
medida. Logo, foi observado o art. 944, do CC.
Fundamentação
Por fim, resta observar que a decisão recorrida, da mesma forma,
RECORRENTE: IVANOR CARVALHO PIMENTEL
não viola os incisos dos arts. 5º e 7º constitucionais indicados, tendo
ADVOGADO: ADLER GOMES LEITAO (OAB/MA 6.587)
em vista que o arbitramento do dano moral é matéria que não se

exaure na Constituição Federal, isto é, exige que seja interpretado o

conteúdo da legislação infraconstitucional respectiva. Trata-se,


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
portanto, de hipótese de violação reflexa ou indireta, em que a
Ante o princípio da fungibilidade, passo à análise dos pressupostos
verificação de ofensa depende do reexame prévio de normas
extrínsecos do presente apelo como recurso de revista.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 43
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

PODER JUDICIÁRIO
Embora regular a representação processual (ID. 6847e99) e isento
JUSTIÇA DO TRABALHO
de preparo (ID. 166efab - Pág. 9), o recurso de revista interposto

pelo reclamado (ID. c19f415) não pode ser admitido porque Fundamentação

intempestivo, eis que apresentado fora do prazo legal. RECURSO DE REVISTA

Com efeito, vê-se que o acórdão mediante o qual foi julgado o Recorrente: MUNICÍPIO DE FEIRA NOVA DO MARANHÃO

Recurso Ordinário foi publicado em 22/02/2018 e a petição de Advogado(a): MANOEL DAVID DE OLIVEIRA NETO - (OAB/MA

recurso de revista (nomeada como Agravo de Instrumento) foi 13.071)

protocolizada em 15/03/2018, portanto, intempestivamente,

consoante Certidão emitida sob o ID. de3dd7c. PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Assim, ausente um dos pressupostos extrínsecos de Tempestivo o recurso (decisão publicada em 02/05/2018; recurso

admissibilidade, qual seja, a tempestividade, deixo de receber o apresentado em 18/05/2018, ID. 7e94aaf).

presente recurso de revista. Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº

CONCLUSÃO 436/TST).

DENEGO seguimento ao recurso. Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV)

Publique-se e intime-se. PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO DIREITO DO TRABALHO (864) / Prescrição (10568) / FGTS /

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região Regime Jurídico - Mudança

/3 Alegação(ões):

- violação do art. 193 do CC.

- violação das súmulas 153 e 382 do TST

- divergência jurisprudencial.

O Município de Feira Nova do Maranhão interpõe recurso de revista

Assinatura (ID. ccc0865) em face do acórdão (ID. 8172c03, complementado

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 pelo ID. 034767a), eis que inconformado com a decisão que afastou

a prescrição bienal pronunciada de ofício e, por consequência,

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO condenou o ente público demandado a pagar à autora a parcela

Desembargador Federal do Trabalho fundiária, no sobre as verbas salariais observadas o período que vai

Decisão da admissão (26/04/2010) até 30/12/2013, com juros e correção


Processo Nº RO-0016836-69.2016.5.16.0017
monetária.
Relator GERSON DE OLIVEIRA COSTA
FILHO Alega que restou clara a contrariedade às Súmulas 153 e 382 do
RECORRENTE JOVITA DA SILVA ROCHA
TST, bem como o art. 193 do CC/02, quando o acórdão inadmitiu a
ADVOGADO GERSON AKIHIRO KURAMOTO(OAB:
6759/MA) possibilidade de se arguir a prescrição em instância ordinária.
RECORRENTE MUNICIPIO DE FEIRA NOVA DO
MARANHAO Argumenta que a prescrição pode ser requerida em qualquer das
ADVOGADO MANOEL DAVID DE OLIVEIRA instâncias ordinárias, de modo que o pedido do Ente Público não
NETO(OAB: 13071/MA)
RECORRIDO JOVITA DA SILVA ROCHA pode ser desconsiderado.
ADVOGADO GERSON AKIHIRO KURAMOTO(OAB: Afirma que a relação jurídica entre as partes, de sua origem até a
6759/MA)
RECORRIDO MUNICIPIO DE FEIRA NOVA DO data da publicação da Lei Municipal nº 138/2013, era de natureza
MARANHAO
celetista, passando após esta data, a ser estatutária.
ADVOGADO MANOEL DAVID DE OLIVEIRA
NETO(OAB: 13071/MA) Assim, aduz que o liame de natureza celetista findou-se com a
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO transmudação de regime, em 2013, estabelecendo-se o marco

temporal naquela data, quando começou a transcorrer o prazo


Intimado(s)/Citado(s):
prescricional bienal (art. 7º, XXIX da CF/88), tal como estabelece a
- JOVITA DA SILVA ROCHA
- MUNICIPIO DE FEIRA NOVA DO MARANHAO súmula 382 do TST.

Conclui que merece provimento o apelo do Ente Público para ser

reconhecida a prescrição bienal às parcelas trabalhistas que foram

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 44
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

arguídas também em sede de recurso ordinário adesivo e em recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

contrarrazões, em observância ao disposto no art. 193 do Código propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

Civil Brasileiro. preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

Transcreve arestos para confronto de teses. transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

Requer, por fim, reforma do acórdão, para ver decretada a súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

prescrição bienal, por força das Súmulas 153 e 382 do TST c/c art. sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

193 do CC/02. recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

Consta da ementa do acórdão recorrido: (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

PRESCRIÇÃO DE OFÍCIO. INAPLICABILIDADE NA JUSTIÇA DO cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

TRABALHO. Não se decreta a prescrição de ofício ao Processo do que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

Trabalho (art. 219, § 5º, CPC e art. 521, § 5º, NCPC), por cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

incompatibilidade com as normas processuais trabalhistas, que não conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

são desassociadas dos Princípios que regem o Direito material, 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

mormente o da Proteção. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. NÃO LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE

CABIMENTO. Conforme entendimento do TST pacificado nas SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN

Súmulas nºs 219 e 329, os honorários advocatícios na Justiça do VIGILANDO. DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO

Trabalho só são devidos se o reclamante estiver assistido por RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

sindicato da categoria profissional. Recurso Ordinário conhecido PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data

e parcialmente provido; Recurso Adesivo conhecido e de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018)

parcialmente provido. (...) INDICAÇÃO DO TRECHO DA DECISÃO RECORRIDA QUE

Analiso. CONSUBSTANCIA O PREQUESTIONAMENTO DA

Observa-se que o recorrente não se desincumbiu do ônus previsto CONTROVÉRSIA. PRESSUPOSTO RECURSAL NÃO

no art. 896, §1º-A, I, da CLT, ou seja, não indicou o trecho da OBSERVADO. TRANSCRIÇÃO INSUFICIENTE POR NÃO

decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento da CONTER FUNDAMENTOS FÁTICOS INDISPENSÁVEIS AO

controvérsia objeto do recurso de revista. DESLINDE DA CONTROVÉRSIA. De acordo com o § 1º-A do artigo

A exigência consiste em apontar o prequestionamento, salvo vício 896 da CLT, incluído pela Lei 13.015/2014, sob pena de não

nascido na própria decisão, e comprová-lo com a transcrição textual conhecimento do recurso de revista, é ônus da parte: "I - indicar o

e destacada da tese adotada pela Turma. trecho da decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento

E a jurisprudência predominante no TST tem definido que o da controvérsia objeto do recurso de revista". No caso dos autos, o

pressuposto legal não se atende com a mera indicação da folha do Agravante efetuou transcrição de trecho do acórdão regional do

trecho do acórdão, da sinopse da decisão, da transcrição da qual não se extrai a tese adotada pelo TRT, revelando-se, portanto,

ementa, da parte dispositiva ou do inteiro teor do acórdão recorrido. insuficiente ao exame das violações e divergências indicadas.

Nesse sentido, os seguintes julgados: Nesse cenário, ao contrário do que sustenta o Agravante, não

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014. houve indicação, no recurso de revista, do trecho da decisão

PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia,

INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº de forma que os pressupostos recursais contidos no referido

13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de dispositivo não foram satisfeitos. O processamento do recurso de

admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova revista encontra óbice no artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Precedentes.

redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus Agravo de instrumento não provido. (Ag-AIRR - 2650-

do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida 75.2013.5.12.0011, Relator Ministro: Douglas Alencar Rodrigues, 5ª

que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente Turma, DEJT 21/09/2018)

por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 45
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA Intimado(s)/Citado(s):


NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº - ESTADO DO MARANHAO
-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte - FRANCISCO JOSE TORRES DA SILVA
- POTENCIAL SEGURANCA E VIGILANCIA LTDA
e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.

Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional, PODER JUDICIÁRIO

sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do JUSTIÇA DO TRABALHO

Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações


Fundamentação
indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de

instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR-


RECURSO DE REVISTA
238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em
Recorrente: ESTADO DO MARANHÃO
25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,
Procurador: Eduardo Philipe Magalhães da Silva
conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de

Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 06/04/2018, ID.
Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018)
8549c25; recurso apresentado em 30/04/2018, ID. 74667f1).
No caso presente, observo que o recorrente transcreveu apenas a
Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº
parte dispositiva do acórdão, o que não atende ao requisito previsto
436/TST).
no art. 896, § 1º-A, I, da CLT.
Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL
Assim, constatado que não houve o atendimento do pressuposto
509/69, art. 12).
em questão, resta inviável o conhecimento do apelo.
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
CONCLUSÃO
Responsabilidade Solidária /Subsidiária / Tomador de
DENEGO seguimento ao recurso.
Serviços/Terceirização / Ente Público
Publique-se e intime-se.
Alegação:
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
- violação ao art. 71, § 1º da Lei nº 8.666/93; art. 818 da CLT arts
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região
373 do CPC;
a
- violação arts. 5º, II, 97 e 102, §2º, da CF;

- violação à súmula vinculante nº 10 do STF


Assinatura
- divergência jurisprudencial.
SAO LUIS, 4 de Abril de 2019
O Estado do Maranhão interpõe recurso de revista (ID. f849e67),

insatisfeito com a decisão colegiada que, mantendo a sentença, o


SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
condenou, subsidiariamente, ao pagamento das verbas rescisórias
Desembargador Federal do Trabalho
devidas pela primeira reclamada Potencial Segurança e Vigilância
Decisão
Processo Nº RO-0016707-92.2015.5.16.0019 Ltda..
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR Argumenta que é incorreta a aplicação do art. 818 da CLT e art. 373
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
do CPC, que, ao inverter o ônus da prova em desfavor do
ADVOGADO ERLLS MARTINS CAVALCANTI(OAB:
5419/MA) recorrente, inobservou o julgamento da ADC nº 16, corroborado
RECORRIDO POTENCIAL SEGURANCA E
VIGILANCIA LTDA pelo RE 760931, no sentido de que a demonstração da culpa do
ADVOGADO SUZANE DE FATIMA GUIMARAES Ente Público passou a se apresentar como fato constitutivo do
PEREIRA DE CASTRO(OAB:
3690/MA) direito do empregado, cabendo a este comprovar a negligência ou
ADVOGADO IGOR SEKEFF CASTRO(OAB:
7187/MA) falta de fiscalização do contrato.
RECORRIDO FRANCISCO JOSE TORRES DA Aduz que a responsabilidade subsidiária da administração Pública
SILVA
ADVOGADO STENIO FARIAS MARINHO(OAB: não decorre de presunção de culpa, mas de sua verificação em
7791/PI)
concreto e que nos autos inexiste qualquer prova de um
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO comportamento omisso ou irregular pelo Estado do Maranhão.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 46
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Afirma que, ao afastar a aplicação do art. 71, § 1º, da Lei n. constitucionalidade do art. 71, § 1º, da Lei n. 8.666/93 não significa

8.666/93, sem declaração de inconstitucionalidade pelo Plenário, o a total ausência de responsabilidade da Administração Pública.

acórdão recorrido ofendeu a Súmula Vinculante n. 10, bem como o Em mais um oportunidade de se manifestar sobre o tema, os

art. 97 da Constituição Federal. Ministros do STF não vedaram, incondicionalmente, a

Repisa que a ADC nº 16 foi aplicada incorretamente, na medida em responsabilização do Poder Público.

que ela observa que a Administração Pública não pode ser Se a lição extraída do art. 71, § 1º, da Lei n. 8.666/93 fosse a total

condenada de forma subsidiária com base apenas na ausência de irresponsabilidade da Administração Pública nas hipóteses de

comprovação nas diligências fiscalizatórias. Sustenta ainda que é terceirização, ela estaria presente nas manifestações e votos dos

ônus do reclamante provar a omissão ou falta de fiscalização do integrantes da Suprema Corte, assim como na recente tese de

cumprimento do contrato por parte do ente público contratante e repercussão geral.

que a não aplicação da lei que expressamente regula a matéria, Pelo contrário, o STF entendeu que:

viola o artigo 5º, inciso II, da Constituição Federal. [...] a mera inadimplência do contratado não poderia transferir à

Apresenta arestos que, a seu ver, caracterizam divergência Administração Pública a responsabilidade pelo pagamento dos

jurisprudencial. Estes, segundo o recorrente, são aptos a ensejar o encargos, mas reconheceu-se que isso não significaria que eventual

conhecimento do Recurso de Revista, pois atuais e versam sobre o omissão da Administração Pública, na obrigação de fiscalizar as

ônus probatório, cujo encargo é do reclamante e não da obrigações do contratado, não viesse a gerar essa responsabilidade

administração. Acrescenta que o acórdão da 2ª turma do TRT 16ª (Informativo 610 do STF).

invoca o art. 71, §1º, da Lei n. 8.666/93 e a súmula 331 do TST, Em maio de 2011, o TST procedeu à revisão da Súmula 331, para

para afirmar que a responsabilização subsidiária da Administração incluir o fundamento no item V:

decorre do fato de que lhe compete o ônus da prova no caso, porém SUM-331 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

esse entendimento diverge expressamente de outras turmas de LEGALIDADE (nova redação do item IV e inseridos os itens V e

TRT diverso. VI à redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e

Requer, na hipótese remota de ser considerada a responsabilidade 31.05.2011

subsidiária do Estado, que a condenação do Estado se limite às [...]

verbas previstas na súmula 363 do TST, levando-se em conta os IV- O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do

preceitos do artigo 37, II e § 2°, da CF/88. empregador, implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos

Consta do v. Acórdão recorrido: serviços quanto àquelas obrigações, desde que haja participado da

Da responsabilidade subsidiária relação processual e conste também do título executivo judicial.

Em síntese, sustenta o recorrente não caber sua condenação V - Os entes integrantes da Administração Pública direta e indireta

subsidiária, por força da vedação contida no art. 71, § 1º, da Lei nº respondem subsidiariamente, nas mesmas condições do item IV,

8.666/93, cuja constitucionalidade restou assentada pelo Supremo caso evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das

Tribunal Federal no julgamento da ADC nº 16, bem como pela nova obrigações da Lei n.º 8.666, de 21.06.1993, especialmente na

redação da Súmula 331 do TST. fiscalização do cumprimento das obrigações contratuais e legais da

Sobre a responsabilidade prestadora de serviço como empregadora.A aludida

De longa data, vem o debate sobre a responsabilidade do ente responsabilidade não decorre de mero inadimplemento das

público em decorrência de terceirização. A mais recente análise obrigações trabalhistas assumidas pela empresa regularmente

sobre o assunto foi realizada pelo Supremo Tribunal Federal, que, contratada. (destaque posterior).

por maioria, no dia 26/04/2017, fixou a seguinte tese de VI - A responsabilidade subsidiária do tomador de serviços abrange

repercussão geral: todas as verbas decorrentes da condenação referentes ao período

Tema nº 246 - RE 760931 (leading case) - O inadimplemento dos da prestação laboral.

encargos trabalhistas dos empregados do contratado não transfere Acredita-se que as decisões do STF não se distanciam do

automaticamente ao Poder Público contratante a responsabilidade entendimento adotado pelas Cortes trabalhistas, sendo evidente a

pelo seu pagamento, seja em caráter solidário ou subsidiário, nos manutenção da responsabilidade.

termos do art. 71, § 1º, da Lei nº 8.666/93. Sobre o ônus da prova

A tese fixada não se afastou da conclusão obtida no julgamento da A Administração dispõe de elementos jurídicos suficientes a garantir

ADC 16, em novembro de 2010. O reconhecimento da a execução plena do contrato administrativo de terceirização lícita

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 47
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

de serviços especializados. PÚBLICA. SÚMULA 331, V, DO TST. Embora a constitucionalidade

O regular processo licitatório dirime a culpa in eligendo. Já a culpa do art. 71 da Lei 8.666/93 tenha sido declarada em definitivo pela

in vigilando decorre de descumprimento do dever de fiscalização do Excelsa Corte Suprema no julgamento proferido na ADC 16/DF, não

contrato, tal como previsto na Lei n. 8.666/93: há óbice para a condenação subsidiária de entidades da

Art. 58 - O regime jurídico dos contratos administrativos instituído Administração Pública nas situações em que configurada a omissão

por esta Lei confere à Administração, em relação a eles, a no regular acompanhamento e fiscalização da execução dos

prerrogativa de: contratos de terceirização celebrados, particularmente em relação

[...] ao cumprimento das obrigações trabalhistas (legais e contratuais)

III - fiscalizar-lhes a execução por parte das empresas contratadas (Súmula 331, V, do col. TST).

Art. 67 - A execução do contrato deverá ser acompanhada e No caso dos autos, o Tribunal Regional afastou a responsabilidade

fiscalizada por um representante da Administração especialmente subsidiária da segunda Reclamada, ao fundamento de que o Autor

designado, permitida a contratação de terceiros para assisti-lo ou não se desonerou do ônus de provar a omissão do tomador de

subsidiá-lo de informações pertinentes a esta atribuição. serviços na fiscalização da execução do contrato de prestação de

O ente público, no caso de descumprimento das cláusulas serviços. Contudo, de acordo com o princípio da aptidão para a

contratuais pelo prestador dos serviços, pode adotar medidas de produção da prova, o ônus de demonstrar a regular

natureza administrativa que denotem sua discordância com a fiscalização do contrato administrativo, inclusive quanto à

situação de inadimplemento, chegando até mesmo à rescisão quitação das obrigações trabalhistas, é do tomador dos

contratual. serviços.Afinal, na hipótese, a segunda Reclamada, como

Assim decidiu este Regional nos autos do RO 0016059- responsável pelo controle da atividade da empresa prestadora,

42.2015.5.16.0010, julgado em 20/04/2016. Na oportunidade, a detinha, indubitavelmente, o ônus de comprovar a efetiva

Desembargadora Solange Cristina, relatora do feito, reconheceu a fiscalização do contrato administrativo, ônus do qual não se

atuação diligente da União, o que resultou na exclusão da desonerou, decorrendo daí a culpa in vigilando, que autoriza a

responsabilidade: condenação subsidiária. Recurso de revista conhecido e provido.

[...] Do acima transcrito depreende-se que os artigos 71 da Lei (RR nº 0000649-17.2010.5.06.0003, 7ª Turma do TST, Rel. Douglas

8.666/93 não exime a Administração Pública direta e indireta dos Alencar Rodrigues. unânime, DEJT 17.12.2015). (Destaques

efeitos da responsabilidade subsidiária quando revelada a culpa in posteriores).

vigilando e in eligendo. Com efeito, os artigos 58, III, e 67 da Lei nº Os votos do colendo TST seguem a mesma trilha, citando-se os

8666/93 impõem à Administração Pública o dever de fiscalizar a seguintes precedentes: AIRR - 245800-24.2008.5.09.0095, 1ª

execução dos contratos administrativos de prestação de serviços Turma (DEJT 18/04/2016); AIRR - 20042-74.2014.5.04.0121, 2ª

celebrados. Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 1140-25.2014.5.08.0101, 3ª

Analisando-se detidamente o conjunto probatório dos autos, extrai- Turma (DEJT 15/04/2016); AIRR - 167-14.2013.5.02.0088, 4ª

se que a União não permaneceu inerte quando constatou que a Turma (DEJT 15/04/2016); RR - 881-06.2013.5.02.0433, 5ª Turma

empresa terceirizada vinha olvidando do cumprimento das (DEJT 27/11/2015); RR - 439-73.2014.5.03, 7ª Turma (DEJT

obrigações trabalhistas, especialmente o pagamento dos salários 15/04/2016); AIRR - 10989-84.2014.5.15.0017, 8ª Turma (DEJT

dos terceirizados. Infere-se, portanto, que a União Federal foi 15/04/2016).

diligente no seu poder/dever de fiscalização do contrato firmado Sobre a extensão da responsabilidade

com a primeira reclamada, inclusive tendo-lhe aplicado multa Quanto ao alcance da responsabilidade do tomador de serviços, o

administrativa registrada no Sicaf (ID Num. 1ea125c - Pág. 21), o item VI da Súmula 331 do TST esclarece que a responsabilização

que posteriormente culminou na rescisão unilateral do contrato de subsidiária inclui o pagamento de todas as parcelas da condenação,

terceirização (ID nº 1ea125c). em razão do princípio da reparação integral.

Observa-se, à evidência, que é possível ao ente público diligente Além disso, o tomador de serviços compõe a relação processual e,

efetuar prova da regularidade da contratação e da fiscalização na acaso condenado, deverá responder por todo o prejuízo que o

execução do contrato. Sendo assim, o ônus da prova, em virtude do empregado sofreu em razão da sua atividade laboral, incluindo-se,

princípio da aptidão, pertence à Administração Pública: aqui, as verbas rescisórias e as multas respectivas, a exemplo

[...] II. RECURSO DE REVISTA. RESPONSABILIDADE daquela prevista no art. 477 da CLT, sem prejuízo, por óbvio, da

SUBSIDIÁRIA. ÔNUS DA PROVA. ENTE DA ADMINISTRAÇÃO ação regressiva para ressarcimento pelo devedor principal, nos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 48
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

termos da legislação civil, uma vez que fica sub-rogado no crédito, ser condenada no pagamento dos encargos trabalhistas não

bem como o direito de retenção de importâncias a esta, porventura, adimplidos pelo contratado. Pelo contrário, ressalvou a possibilidade

devidas (CLT, art. 455, parágrafo único). de verificação, no caso concreto, da culpa in vigilando, nos exatos

Análise dos autos termos da Lei nº 8.666/93, arts. 58, inciso III, e 67, caput e §1º, os

Resta incontroverso que o reclamante foi contratado pela primeira quais atribuem ao ente público a responsabilidade pela fiscalização

reclamada em 02/07/2013 e desenvolveu suas atividades em das obrigações decorrentes da execução dos contratos

proveito do segundo reclamado, Estado do Maranhão, até administrativos.

21/08/2015, período em que exerceu a função de vigilante. Entendo, entretanto, que o recorrente logrou demonstrar a

Restou evidenciada, assim, a formação da relação terceirizada de existência de divergência jurisprudencial quanto ao ônus da prova

serviços. em relação à fiscalização do contrato, com os arestos de ID.

A terceirização somente pode ser encetada após regular f849e67 - Pág. 25/26 provenientes do TRT da 8ª Região.

procedimento licitatório (art. 37, XXI, da CF/88), responsável por Diante do exposto, considerando a necessidade de pacificação da

afastar a culpa in eligendo. Já a culpa in vigilando decorre da falha matéria por parte da Corte Superior Trabalhista, entendo prudente a

no dever de fiscalizar a execução do contrato regularmente firmado. admissibilidade da revista.

O Estado do Maranhão, em momento algum, nega a validade do Quanto aos arts. 97 e 102, § 2º, da CF/88, bem como à Súmula

contrato firmado com a primeira reclamada, muito menos o dever de Vinculante nº 10, do STF, observo que não foram devidamente

fiscalizar a empresa prestadora de serviços. prequestionados, uma vez que o v. acórdão guerreado não

Fica reconhecida, portanto, para os efeitos de aplicação da Súmula enfrenta, em seus fundamentos, tais dispositivos. Assim, ante o

331 do TST, e diante do não atendimento ao ônus probatório que óbice da Súmula 297 do TST, não prospera o presente recurso,

lhe competia, a conduta culposa do ente público. neste ponto.

Como decorrência direta está a responsabilidade subsidiária, que A análise da violação aos arts. 818 da CLT e 373, do CPC, no

deve alcançar todas as verbas devidas, inclusive a multa do art. momento, fica prejudicada, pois depende da conclusão do órgão ad

477, § 8º, da CLT, e não apenas as previstas na Súmula 363 do quem acerca da divergência constatada.

TST. A incidência desta é reservada aos casos de contratação nula. Por fim, inservíveis os demais arestos colacionados, pois

As hipóteses de terceirização, como a dos autos, desafiam a provenientes de órgãos não elencados no art. 896, "a", da CLT.

aplicação da Súmula 331, VI, do TST. CONCLUSÃO

Recurso a que se nega provimento. Dou SEGUIMENTO PARCIAL ao recurso, sem imprimir-lhe efeito

In casu, diante do quadro fático delineado no v. acórdão recorrido, suspensivo.

no sentido de que a responsabilidade subsidiária do Estado do Publique-se e intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

Maranhão advém de sua culpa in vigilando evidenciada nos autos, contrarrazões ao recurso.

não é possível a revisão dessa premissa em sede extraordinária, Após, com ou sem contrarrazões, remetam-se os autos ao c. TST.

porquanto demandaria a incursão no acervo probatório dos autos SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

(Súmula nº 126/TST). Ilesos, portanto, os dispositivos indicados. Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

Desse modo, toda e qualquer discussão sobre o tema encontra-se /a.3

esgotada no duplo grau de jurisdição, o que afasta a possibilidade Assinatura

de prosseguimento da revista. Ademais, a decisão recorrida, tal SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

como proferida, está em estrita consonância com as diretrizes dos

itens IV, V e VI da Súmula 331 do TST, o que também inviabiliza o SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

prosseguimento do recurso de revista, consoante a regra contida no Desembargador Federal do Trabalho

artigo 896, §7º, da CLT c/c a Súmula nº 333 do TST. Decisão


Processo Nº RO-0016666-09.2016.5.16.0014
Também entendo que não houve violação ao art. 5º, II, da CF, Relator ILKA ESDRA SILVA ARAUJO
tampouco ao art. 71,§1º, da Lei nº 8.666/93, na medida em que, ao RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO MARIA ALDENICE SILVEIRA
julgar procedente o pedido formulado na ADC nº 16 e declarar a CARIOLANO
constitucionalidade do art. 71, §1º, da Lei nº 8.666/93, bem como no ADVOGADO LEANDRO CAVALCANTE DE
CARVALHO(OAB: 11417-A/MA)
julgamento do RE 760931, o Supremo Tribunal Federal não afastou CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
peremptoriamente a responsabilidade de a Administração Pública

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 49
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Intimado(s)/Citado(s):
SERVIDOR PÚBLICO CELETISTA COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA
- MARIA ALDENICE SILVEIRA CARIOLANO
DO TRABALHO - A contratação de servidor público celetista

anteriormente ao advento da CF/88, quando não se exigia o prévio

concurso público, não afronta qualquer dispositivo legal, sendo


PODER JUDICIÁRIO
válida e eficaz. Por outro lado, conforme já decidiu o Excelso STF
JUSTIÇA DO TRABALHO
no julgamento da ADIN nº 1150-2, para a transposição de regime é

Fundamentação necessário o prévio concurso público nos termos do art. 37, II, da

RECURSO DE REVISTA CF/88. Assim, permanece íntegro o contrato de trabalho, pelo que é

Recorrente(s): ESTADO DO MARANHÃO desta Especializada a competência para julgar o presente feito.

Advogado(a)(s): ANTONIO AUGUSTO ACOSTA MARTINS CONTRATAÇÃO DE EMPREGADO SEM CONCURSO PÚBLICO

(Procurador do Estado) ANTES DA CF/88. VALIDADE - A admissão de empregado público,

sem prévia submissão a concurso, em período anterior a

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS 05/10/1988, data da promulgação da Constituição de 1988, não

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 26/03/2018; recurso encontra óbice constitucional, impondo a declaração da validade do

apresentado em 17/04/2018, certidão ID. 18f0296). contrato de trabalho e o deferimento de obrigações salariais e

Regular a representação processual, nos termos da Súmula nº rescisórias não adimplidas durante a vigência do

436/TST. pacto.HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. AUSÊNCIA DOS

Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL REQUISITOS DA SÚMULA 219, DO TST. INDEVIDOS - Ausentes

509/69, art. 12). os requisitos da assistência sindical da parte reclamante, a teor da

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Súmula 219 do c. TST, não é devida a condenação em honorários

Contrato Individual de Trabalho/ Administração Pública/ Conversão advocatícios.Recurso ordinário conhecido e parcialmente provido.

de Regime Jurídico Analiso.

DIREITO DO TRABALHO/ Contrato Individual de Trabalho/ FGTS/ Nos termos do art. 896, § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. 13.015

Depósito/ Diferença de Recolhimento /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o

Alegação(ões): prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal

- Violação do inciso I do art. 114 da CF/88; à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa

- Divergência jurisprudencial. exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o

O ente público recorrente interpõe Recurso de Revista (ID. enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o

627eee0) em face do acórdão (ID. ba1028a), eis que inconformado prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna

com a decisão colegiada que rejeitou a preliminar de incompetência insuscetível de veiculação o recurso de revista.

da Justiça do Trabalho, reconhecendo a nulidade da transposição No caso presente, observo que o recorrente transcreveu a decisão

do regime celetista para estatutário, promovida pela Lei Estadual nº intergralmente, sem destaque das controvérsias, o que não atende

6.107/94, e condenando-o a recolher o FGTS pleiteado. ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT.

Aduz ter havido a violação do inciso I do art. 114 da CF/88, no qual Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST:

a Justiça do trabalho não tem competência material para declarar a AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE

nulidade de transposição de regime jurídico celetista para REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO

estatutário, afirmando que tal posicionamento contraria a atual ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO

jurisprudência do STF, exemplificada por meio da ADI 3.395. RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE -

Requer o provimento do recurso para que seja declarada RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão

incompetência material da Justiça do Trabalho, que seja declarada agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da

a violação do inciso I do art. 114 da CF/88, e que os autos sejam CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras,

remetidos à Vara da Fazenda Pública da Comarca de Timon/MA divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de

para o regular processamento. jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A,

Colaciona arestos para amparar a sua tese. I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da

Consta da ementa do v. Acórdão: decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da

TRANSPOSIÇÃO DE REGIME. AUSÊNCIA DE REQUISITOS. controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 50
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º- -A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte

A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão

infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado, recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.

aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,

Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento: sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do

12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018) Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014. indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de

PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR-

INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº 238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em

13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de 25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,

admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de

redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª

do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de

que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).

por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art.

situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A 896, §1º-A, I, da CLT.

exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do CONCLUSÃO

prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e DENEGO seguimento ao recurso.

comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões Publique-se e intime-se.

recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei: SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho n3

transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a Assinatura

súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014 SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

(decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não Desembargador Federal do Trabalho

cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em Decisão


Processo Nº RO-0016566-91.2015.5.16.0013
que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à Relator ILKA ESDRA SILVA ARAUJO
cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não RECORRENTE VALE S.A.
ADVOGADO FERNANDO PEDRO AVILA DE
conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de MEDEIROS MARTINHO(OAB:
9404/MA)
2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA
ADVOGADO DANIELLE COSTA TINOCO(OAB:
LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE 17311/MA)
RECORRIDO RAIMUNDO NONATO DA SILVA
SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN AZEVEDO
VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO ADVOGADO RAMON HORACIO VIANA(OAB:
147819/MG)
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data Intimado(s)/Citado(s):


- RAIMUNDO NONATO DA SILVA AZEVEDO
de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).
- VALE S.A.
PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 51
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

pagamento de horas extras em virtude de supressão de intervalo


PODER JUDICIÁRIO
não aplicável ao reclamante por expresso mandamento legal.
JUSTIÇA DO TRABALHO
Em sequência, pelos mesmos argumentos e apontando as mesmas
Fundamentação violações, defende a inexistência do direito ao percebimento de
RECURSO DE REVISTA indenização equivalente a 15h mensais, a título de intervalo
Processo: 0016566-91.2015.5.16.0013 intrajornada.
Recorrente: VALE S.A. Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação:
Advogado(a): WILLGNER DA SILVA MARTINS OAB/MA 14.497 (...) A reclamada insurgiu-se contra o deferimento de indenização a

título de intervalo intrajornada, alegando que o reclamante não faz


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS jus a eventuais horas extras decorrentes do não cumprimento do
Tempestivo o recurso (ID. 4701225 - decisão publicada em intervalo intrajornada por força do disposto no art. 237 da CLT,
14/03/2018; recurso apresentado em 26/03/2018). tendo em vista que o período concedido para a refeição computa-se
Regular a representação processual (ID. c42fbc1). como de trabalho efetivo, nos termos do art. 238, §5º, da CLT.
Satisfeito o preparo (Sentença R$ 50.000,00, ID. 94600f3 - Pág. 11; Razão não assiste à reclamada.
Custas R$ 1.000,00, ID. 4196725 - Págs. 4 e 5; Depósito RO R$ Inicialmente, no tocante ao intervalo intrajornada cabe ressaltar que
8.960,00, ID. 4196725 - Pág. 1 a 3; Acórdão R$ 35.000,00, ID. restou incontroverso nos autos que o reclamante exercia a função
50d5c93; Custas R$ 700,00, ID. 4196725 - Págs. 4 e 5; Depósito de maquinista II, inserindo-se, portanto, na categoria "c" prevista no
RR R$ 18.378,00, ID. 0ff6452 - Págs. 1 e 2). art. 237 da CLT, qual seja, pessoal das equipagens de trens em
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS geral.
Duração do Trabalho/ Horas Extras/ Intervalo Intrajornada Ademais, restou demonstrado que o autor trabalhava em turno
Alegação(ões): ininterrupto de revezamento, com escalas diferenciadas e
- violação do(s) art(s). 5º, II, da CF; intercaladas por períodos de prontidão no próprio pátio, além de
- violação do(s) art(s). 8º, §2º e 238, §5º, da CLT; convocação para viagens ou manobras curtas, dentre outros
- divergência jurisprudencial. registros constantes nos relatórios de escala de Ids. 2ba6ebb - fls.
A reclamada interpõe recurso de revista (ID. c894e9a) em face do 419/547 e 68c1876 - fls. 646/773.
acórdão (ID. 50d5c93), eis que inconformada com o deferimento do Com efeito, a categoria dos empregados ferroviários é regida por
pedido de horas extras decorrentes da não concessão de intervalo normas especiais, constantes na Seção V, do Capítulo I, do Título III
intrajornada. da CLT, entretanto, esses empregados não se encontram
De início, aponta divergência jurisprudencial, alegando a excepcionados pelo art. 57 da CLT, como se poderia pensar à
impossibilidade de percepção de horas extras no caso do primeira vista.
reclamante, enquanto maquinista ferroviário da categoria c, nos A Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do C.
termos da legislação especial regulamentadora, e destacando a TST confirmou a compatibilidade entre os dispositivos da CLT (art.
inaplicabilidade do art. 71, §4º, da CLT à hipótese. 71, § 4º, e art. 238, § 5º) que tratam de intervalo para descanso e
Em seguida, indica a violação do art. 238, §5º, da CLT, na medida refeição do maquinista ferroviário.
em que tal dispositivo é direto e específico quanto a como será De acordo com a Subseção, estando o maquinista ferroviário
computado o tempo concedido para refeição no caso do submetido a uma jornada contínua superior a 6 (seis) horas, se
reclamante, pelo que entende pertinente a aplicação do princípio da torna obrigatória a concessão do intervalo para repouso ou
especialidade da norma. alimentação de, no mínimo, uma hora.
Também argumenta que, após a Lei 13.467/17, constata-se ainda Assim, na hipótese de não concessão do intervalo o empregado faz
mais a ofensa ao aludido dispositivo, vez que, nos termos do art. 8º, jus ao pagamento do período correspondente como hora extra, com
§2º, da CLT, é expressa a impossibilidade da jurisprudência suprimir o respectivo adicional, como todos os demais empregados que
o direito legislado. Nesse passo, registra que foi justamente o fazem refeição no local de trabalho, tendo em vista que a norma do
raciocínio jurídico da Súmula 446 do TST que serviu de base para o artigo 71 da CLT é de caráter imperativo e cogente, cuja
indeferimento do pleito recursal de exclusão da condenação em observância não pode ser transigida, bem como possui caráter
horas extras por não concessão do intervalo intrajornada. tutelar, por envolver medida de higiene, saúde e segurança do
Ainda, aponta ofensa ao art. 5º, II, da CF, eis que foi condenada ao trabalhador.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 52
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Nesse contexto, a Subseção concluiu que não é possível excluir do Consigne-se, ainda, que não se verifica afronta direta e literal ao art.

ferroviário o direito ao pagamento, como extraordinário, do intervalo 5º, II, da CF, conforme disciplina o art. 896, 'a', da CLT. A apontada

não concedido, bem assim que inexiste incompatibilidade entre as infringência implica prévia análise da legislação infraconstitucional

regras inscritas no art. 71, § 4º, da CLT, e as disposições que rege a matéria, caracterizando-se, assim, no máximo, a

constantes no art. 238 e seguintes da CLT. violação reflexa.

Esse posicionamento do C. TST encontra-se consubstanciado na Ante o exposto, não se vislumbra dissonância e/ou violação a serem

Súmula nº 446, in verbis: revistas no TST.

SÚMULA Nº 446 MAQUINISTA FERROVIÁRIO. INTERVALO CONCLUSÃO

INTRAJORNADA. SUPRESSÃO PARCIAL OU TOTAL. HORAS DENEGO seguimento ao recurso.

EXTRAS DEVIDAS. COMPATIBILIDADE ENTRE OS ARTS. 71, § Publique-se e intime-se.

4º, E 238, § 5º, DA CLT. Res. 193/2013, DEJT divulgado em 13, 16 SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

e 17.12.2013 Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

A garantia ao intervalo intrajornada, prevista no art. 71 da CLT, por 4

constituir-se em medida de higiene, saúde e segurança do

empregado, é aplicável também ao ferroviário maquinista integrante

da categoria "c" (equipagem de trem em geral), não havendo

incompatibilidade entre as regras inscritas nos arts. 71, § 4º, e 238,

§ 5º, da CLT.

Com essas considerações, correta a decisão recorrida que

considerou devido o valor correspondente ao intervalo intrajornada,

uma vez que restou demonstrado nos autos que o reclamante não

usufruía do citado intervalo, conforme afirmou o preposto da Assinatura

reclamada, Sr. Wisney Silva Sousa em depoimento nos autos do SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

processo nº 17207-16.2014 (Id. d156fb0 - fls. 814/815), utilizado

como prova emprestada, conforme determinado pelo juízo de 1º SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

grau na Ata de Audiência registrada sob o Id. ac9b06b - fl. 804, Desembargador Federal do Trabalho

senão vejamos: Decisão


Processo Nº RO-0016409-72.2016.5.16.0017
"que as refeições eram feitas geralmente dentro do trem nas Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
paradas, quais sejam paradas programadas e paradas de RECORRENTE MAGAZINE LILIANI S/A
ADVOGADO JEOVA RODRIGUES DA SILVA(OAB:
cruzamento." 13891/MA)
Portanto, nada a alterar no decisum quanto a esse aspecto. (...) RECORRIDO FEDERACAO DOS EMPREGADOS
NO COMERCIO E SERVICOS DO
Analiso. ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO TACITO DE JESUS LOPES
Observa-se que a decisão da Turma está de acordo com GARROS(OAB: 4508/MA)
entendimento pacífico do TST sobre a matéria trazida a discussão. CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Assim, consolidado o posicionamento do TST, é inviável a

configuração de divergência jurisprudencial, a teor da Súmula 333 Intimado(s)/Citado(s):


- FEDERACAO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO E
do TST c/c o art. 896, §7º, da CLT, bem como restam incólumes os SERVICOS DO ESTADO DO MARANHAO
artigos tidos por violados, uma vez que a aplicação de entendimento - MAGAZINE LILIANI S/A

pacífico da Corte superior reflete a interpretação dos dispositivos

que regem as questões em apreço, já se encontrando, portanto,

superado o debate a respeito.


PODER JUDICIÁRIO
Ressalte-se que a Súmula 446 do TST, ao afastar a
JUSTIÇA DO TRABALHO
incompatibilidade entre os arts. 71, §4º e 238, §5º, da CLT, louva as

regras neles insculpidas, não havendo o que falar em restrição de Fundamentação

direitos legalmente previstos ou criação de obrigações não previstas Lei 13.015/2014

em lei. Intacto o art. 8º, §2º, da CLT. AGRAVO DE INSTRUMENTO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 53
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA


Agravante(s): MAGAZINE LILIANE S/A MEIRELES(OAB: 3412/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Advogado(s): JEOVA RODRIGUES DA SILVA (OAB/MA n° TRABALHO
13891)
Intimado(s)/Citado(s):
- ANDREIA FERNANDA BAIMA PEREIRA
- CAIXA ECONOMICA FEDERAL
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Tempestivo o recurso (decisão publicada em 05/02/2019; recurso

apresentado em 15/02/2019 - certidão ID. c77c40d).


PODER JUDICIÁRIO
Regular a representação processual (ID. 86a65c0).
JUSTIÇA DO TRABALHO
Satisfeito o preparo (sentença ID. 95b2b59 - Pág. 6 - R$ 15.000,00)

- Custas: R$300,00 (ID. 7d42214 - Pág. 2), Depósito RO: R$ Fundamentação


8.959,63 (ID. 7d42214, Pág. 1); Depósito RR: R$6.433,58 (ID. Recurso de Revista
d2c43e7). Recorrente: ANDREIA FERNANDA BAIMA PEREIRA
DESPACHO Advogado: PACELLI DA ROCHA MARTINS - OAB: PB0011047
Os presentes autos vieram a esta Presidência (Núcleo de Recurso

de Revista/AI/RO) para análise de Agravo de Instrumento (ID. PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS


95817d5), contra a decisão que negou seguimento ao seu recurso Tempestivo o recurso (decisão publicada em 13/11/2018; recurso
de revista (art. 897, alínea "b", da CLT). apresentado em 21/11/2018 - ID. 429dac5 - Pág. 1).
MANTENHO o despacho agravado. Regular a representação processual (ID. 239cc4d - Pág. 1).
Satisfeitos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade, nos Dispensado o preparo, tendo em vista o deferimento da Justiça
termos do art. 1º da Resolução Administrativa nº 1418/2010 do c. Gratuita (ID. ba02a29 - Pág. 5).
TST, proceda-se à autuação do Agravo, conforme disposto no art. PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
2º da referida Resolução. DIREITO DO TRABALHO (864) / Categoria Profissional Especial
Notifique(m)-se a(s) parte(s) agravada(s) para, querendo, (7644) / Bancários (5280) / Intervalo Intrajornada
apresentar(em) contrarrazões ao agravo e ao recurso, no prazo Alegação(ões):
legal. - divergência jurisprudencial
Após, com ou sem manifestação, remetam-se os autos ao c. TST. A reclamante interpõe recurso de revista ( ID. 3836939 ), em face
CONCLUSÃO do acórdão de ID. c762a71 que reformou a sentença e julgou
Recebo o agravo interposto. improcedente o pedido de pagamento de horas extras pela
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO supressão das pausas de dez minutos a cada cinquenta minutos
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região laborados em atividade de digitação (intervalo intrajornada do
/3 digitador art. 72 da CLT).

Alega, em síntese, que a reclamada, através da ACT 1995/1996,


Assinatura instituiu a pausa de 10 minutos a cada 50 trabalhados para todos os
SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 empregados exercentes de atividades de entrada de dados, sujeitos

a movimentos ou esforços repetitivos, e que a regulamentação se


SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO deu através da CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996,
Desembargador Federal do Trabalho assegurando aos Caixas Executivos o direito ao intervalo; esta
Decisão regulamentação, segundo o reclamante, foi ratificado pelo Termo de
Processo Nº RO-0016744-02.2017.5.16.0003
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA Compromisso (Inquérito Civil Público nº 028/96) firmado entre a
RECORRENTE ANDREIA FERNANDA BAIMA Caixa Econômica Federal e o Ministério Público do Trabalho e
PEREIRA
ADVOGADO PACELLI DA ROCHA MARTINS(OAB: possui força de lei, conforme a Lei de Ação Civil Pública (7.347/85).
11047/PB)
Acrescenta que, a partir da expedição da CI 128/99, as normas
ADVOGADO VITO LEAL PETRUCCI(OAB:
18041/PB) internas e os Acordos Coletivos de Trabalho celebrados pela Caixa
ADVOGADO JANAINA ANTUNES DOS
SANTOS(OAB: 18800/PB) Econômica Federal vêm garantindo aos caixas, além do intervalo
RECORRIDO CAIXA ECONOMICA FEDERAL para o almoço de 15 (quinze) minutos, também o gozo de 10 (dez)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 54
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

minutos a cada 50 (cinquenta) trabalhados, por conta da atividade coletivos travados com a categoria fazem mais referências a esses

exercida (entrada de dados contínuas). dispositivos. Tanto é que, em consonância com a NR-17, os mais

Argumenta que é incontroverso, nestes autos, que não houve o recentes ACTs apresentados possuem a seguinte previsão:

gozo do referido intervalo, embora todos os Manuais Normativos e CLÁUSULA 31 - INTERVALO PARA DESCANSO

Acordos Coletivos vigentes no período objeto da presente Todos os empregados que exerçam atividades de entrada de

Reclamatória corroborem a tese suscitada nestas razões recursais. dados, sujeitas a movimentos ou esforços repetitivos dos membros

Destaca que, em nenhum momento, as normas coletivas preveem superiores e coluna vertebral farão uma pausa de 10 (dez) minutos

que para fazer jus ao intervalo, deva exercer exclusivamente a cada 50 (cinqüenta) trabalhados, conforme NR17, que deverá ser

atividades de digitação. realizada fora do posto de trabalho, na própria unidade de lotação,

Transcreve arestos para confronto de teses. sem que ocorra aumento de ritmo ou carga de trabalho em razão

Por fim, requer a condenação da Reclamada ao pagamento das dessas pausas. (ACT 2013/2014 - ID. 5c7ef93 - Pág. 96)

horas extras decorrentes da supressão do intervalo de 10 minutos a CLÁUSULA 33 - INTERVALO PARA DESCANSO

cada 50 trabalhados, além de seus reflexos, nos moldes do pedido Todos os empregados que exerçam atividades de entrada de

formulado na inicial. dados, sujeitas a movimentos ou esforços repetitivos dos membros

Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação: superiores e coluna vertebral farão uma pausa de 10 (dez) minutos

(...) A reclamante foi admitida pela instituição financeira reclamada a cada 50 (cinqüenta) trabalhados, conforme NR17, que deverá ser

em 07/06/2013, depois de devidamente aprovada em concurso realizada fora do posto de trabalho, na própria unidade de lotação,

público, para o cargo de escriturário, exercendo, atualmente, o sem que ocorra aumento de ritmo ou carga de trabalho em razão

cargo comissionado de caixa executivo, com jornada de trabalho de dessas pausas. (ACT 2014/2015 - ID. 5c7ef93 - Pág. 126)

06 (seis) horas diárias. Seu pedido se limita a horas extras devidas Assim, nem os instrumentos coletivos da categoria, nem o item

por conta da omissão da reclamada em proporcionar descanso 3.9.3 do Manual Normativo RH 035 dirigem-se aos caixas

durante a jornada de trabalho nos moldes do texto encetado em executivos, tornando-se atualmente descabida qualquer

normas internas, ajustes coletivos com a categoria, além de acordo equiparação ou extensão da norma à situação da embargante.

com o MPT em 1997, oportunidade na qual se comprometeu a E, categoricamente, o Tribunal Superior do Trabalho não reconhece

conceder intervalo de 10 minutos para cada 50 minutos trabalhados os caixas executivos como ligados a esse ramo. Vejamos as

para os empregados ligados à área de processamento de dados. seguintes ementas:

Como já me manifestei em outras ocasiões, entendo que a AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA.

reclamante não tem razão ao vindicar a aplicabilidade das normas INTERVALO DO ART. 72 DA CLT. DIGITAÇÃO. CAIXA BANCÁRIO

internas e o termo de compromisso citados. Esses textos foram 1. A jurisprudência do TST posiciona-se no sentido de que o caixa

ditados há 20 (vinte) anos. Hoje os equipamentos utilizados para a bancário, por não exercer atividades exclusivas de digitação, não

inserção de dados não maltratam tanto quanto as máquinas de faz jus ao intervalo intrajornada de 10 minutos a cada 90

escrever do passado. Indo ao encontro dessa nova realidade, as trabalhados, na medida em que tais atribuições não importam em

convenções coletivas firmadas com a categoria profissional atividade extenuante de digitação de dados, de maneira ininterrupta,

indicaram a necessidade de concessão dessa pausa apenas para durante toda a jornada. 2. Inadmissível recurso de revista para

aqueles empregados cuja atividade envolva a inserção de dados em impugnar acórdão regional em harmonia com a jurisprudência atual,

tempo integral, por estarem sujeitos a movimentos ou esforços notória e iterativa do TST sobre a matéria nele veiculada.

repetitivos dos membros superiores e coluna vertebral, conforme Absolutamente desnecessário, no caso, o TST exercer a missão

determina a NR-17, no item 17.6.4, letra "d", aplicáveis aos precípua que lhe compete de uniformizar a jurisprudência

empregados nas atividades de processamento eletrônico de dados. trabalhista. A Súmula nº 333 do TST e o art. 896, § 7º, da CLT

Efetivamente, a CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996; a CI constituem óbices intransponíveis ao conhecimento do recurso de

GEAGE/MZ 088/96, de 17.09.1996; e CI 128/99, de 30.03.1999, revista. 3. Agravo de instrumento do Reclamante a que se nega

item 2.3, cujos textos foram apresentados juntamente com a inicial, provimento. (Processo: ARR 11078220115060008; Relator: João

que demonstrariam a extensão do intervalo intrajornada dos Oreste Dalazen; Orgão Julgador: 4ª Turma; Publicação: DEJT

digitadores para os caixas da reclamada, são regramentos que 06/11/2015; Julgamento: 28 de Outubro de 2015)

estão ultrapassados, pois emitidos a quase duas década antes da RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO SOB A ÉGIDE DA LEI Nº

reclamante ser admitida no banco. Nem mesmo os acordos 13.015/2014. CAIXA BANCÁRIO. DIGITADOR. INTERVALO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 55
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

INTRAJORNADA. INTERMITÊNCIA NA EXECUÇÃO DE SERVIÇO coluna vertebral têm direito a intervalos regulares de dez minutos a

DE DIGITAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO ANALÓGICA cada cinquenta minutos trabalhados"; que o "próprio preposto da

DO ART. 72 DA CLT. DIGITADOR. INTERVALO. CAIXA Reclamada admite que a autora trabalhou como caixa e que, nesta

EXECUTIVO BANCÁRIO. IMPOSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO condição, fazia tarefas de digitação, sem, no entanto, gozar do

ANALÓGICA DO ART. 72 DA CLT. NORMA INTERNA. O art. 72 da intervalo de dez minutos a cada cinquenta minutos laborados". No

CLT, analogicamente aplicável aos digitadores (Súmula 346/TST), parágrafo seguinte, foi inserida afirmação do Tribunal Regional de

pressupõe o desempenho na função de modo permanente, não se que "resta demonstrado, de fato, que a Reclamante desempenhou

admitindo o exercício intercalado ou paralelo de outros serviços. Na função compatível com o regramento da Reclamada e acordos

hipótese, o Regional relata que a norma interna da empresa defere coletivos que garantem o intervalo equiparado ao de digitador". E,

o intervalo apenas aos que trabalhavam com inserção contínua de ainda, foi acrescentada a informação de que a reclamada firmou

dados, o que não é o caso dos caixas (Súmula 126/TST). Recurso compromisso com o Ministério Público do Trabalho, o qual foi

de revista não conhecido. (TST - RR: 6806520155200005, Relator: corroborado pela Circular nº 020, no sentido de "estabelecer para

Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, Data de Julgamento: empregados digitadores e caixas pausa de 10 (dez) minutos a cada

22/02/2017, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 03/03/2017) 50 (cinquenta) minutos trabalhados, não computando nessas

Opto, portanto, por seguir a jurisprudência do Tribunal Superior do pausas o intervalo destinado à alimentação já previsto na legislação

Trabalho no sentido de que somente aqueles que atuem na consolidada". Se consignado pela instância ordinária a existência de

inserção ou digitação de dados de maneira ininterrupta, durante norma regulamentar (Circular nº 020) no sentido de garantir o

toda a jornada, fazem jus à pausa prevista no instrumento coletivo. intervalo de pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados

Desta forma, dou provimento ao apelo para julgar improcedente a para os empregados digitadores e caixas, sem fixar o requisito da

reclamação trabalhista. exclusividade no exercício da atividade de digitação, entende-se

À análise. que, diante do quadro fático delineado no acórdão regional e

Do cotejo entre as razões de recurso de revista da reclamante e os reproduzido no acórdão recorrido, deve ser restabelecida a

fundamentos adotados pelo acórdão recorrido, entendo que a condenação imposta no acórdão regional, na parte em que

recorrente logrou demonstrar a existência de divergência apta a reconheceu o direito ao intervalo previsto no art. 72 da CLT.

ensejar o seguimento do recurso, com a ementa colacionada no ID. Recurso de embargos conhecido e provido." (E-ED-RR-1268-

d8421ec - Pág. 5/6, proveniente de decisão da SBDI 1, no sentido 95.2011.5.04.0025, Relator Ministro: Augusto César Leite de

de que o caixa bancário tem direito ao intervalo do digitador a que Carvalho, Data de Julgamento: 09/03/2017, Subseção I

se refere o art. 72 da CLT na hipótese em que há norma Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT

regulamentar e termo de ajustamento de conduta firmado com o 26/05/2017)

Ministério Público do Trabalho garantindo o intervalo de 10 minutos Diante do exposto, prossigam os autos.

a cada 50 minutos trabalhados, sem fixar o requisito da CONCLUSÃO

exclusividade no exercício da atividade de digitação. DOU SEGUIMENTO ao recurso de revista, sem imprimir-lhe efeito

Transcreve-se a ementa da referida decisão, verbis: suspensivo.

"RECURSO DE EMBARGOS REGIDO PELA LEI 13.015/2014. Publique-se e intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

INTERVALO DO DIGITADOR. ART. 72 DA CLT. PREVISÃO EM contrarrazões ao recurso.

NORMA COLETIVA E NORMA INTERNA DA RECLAMADA. A Após, com ou sem contrarrazões, remetam-se os autos ao c. TST.

controvérsia cinge-se em definir se a autora, no exercício da função SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

de caixa bancária, tem direito ao intervalo de pausa para descanso Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

destinado aos trabalhadores nos serviços de mecanografia, nos

termos da regra contida no artigo 72 da CLT. Consta do acórdão 2

recorrido, em transcrição de trechos do acórdão regional, que os

"regulamentos internos da reclamada, bem como os Acordos

Coletivos dispõem que os empregados designados para a função Assinatura

de ' caixa-executivo' /' caixa pv' e todos os demais empregados que SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

exercem atividade de entrada e saída de dados, sujeitos a

movimentos ou esforços repetitivos dos membros superiores e SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 56
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Desembargador Federal do Trabalho Compromisso (Inquérito Civil Público nº 028/96) firmado entre a
Decisão Caixa Econômica Federal e o Ministério Público do Trabalho e
Processo Nº RO-0017176-19.2016.5.16.0015
Relator ILKA ESDRA SILVA ARAUJO possui força de lei, conforme a Lei de Ação Civil Pública (7.347/85).
RECORRENTE VANESSA DA COSTA FERREIRA Acrescenta que, a partir da expedição da CI 128/99, as normas
ADVOGADO PACELLI DA ROCHA MARTINS(OAB:
11047/PB) internas e os Acordos Coletivos de Trabalho celebrados pela Caixa
ADVOGADO VITO LEAL PETRUCCI(OAB: Econômica Federal vêm garantindo aos caixas, além do intervalo
18041/PB)
ADVOGADO JANAINA ANTUNES DOS para o almoço de 15 (quinze) minutos, também o gozo de 10 (dez)
SANTOS(OAB: 18800/PB)
minutos a cada 50 (cinquenta) trabalhados, por conta da atividade
RECORRIDO CAIXA ECONOMICA FEDERAL
ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA exercida (entrada de dados contínuas).
MEIRELES(OAB: 3412/MA)
Argumenta que é incontroverso, nestes autos, que não houve o

Intimado(s)/Citado(s): gozo do referido intervalo, embora todos os Manuais Normativos e

- CAIXA ECONOMICA FEDERAL Acordos Coletivos vigentes no período objeto da presente


- VANESSA DA COSTA FERREIRA Reclamatória corroborem a tese suscitada nestas razões recursais.

Destaca que, em nenhum momento, as normas coletivas preveem

que para fazer jus ao intervalo, deva exercer exclusivamente

PODER JUDICIÁRIO atividades de digitação.

JUSTIÇA DO TRABALHO Transcreve arestos para confronto de teses.

Por fim, requer a condenação da Reclamada ao pagamento das


Fundamentação
horas extras decorrentes da supressão do intervalo de 10 minutos a
Recurso de Revista
cada 50 trabalhados, além de seus reflexos, nos moldes do pedido
Recorrente: VANESSA DA COSTA FERREIRA
formulado na inicial.
Advogado: PACELLI DA ROCHA MARTINS - OAB: PB0011047
Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação:

(...) Infere-se dos autos que a reclamante foi admitida pela empresa
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
reclamada em 02/03/2012, por meio de concurso público, para
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 05/12/2018; recurso
exercer o cargo de escriturário e que atualmente exerce o cargo
apresentado em16/12/2018 - ID. f5456b5 - Pág. 1).
comossionado de caixa executivo (fls. 09/12).
Regular a representação processual (ID. 239cc4d - Pág. 1).
O pleito da parte autora cinge-se às horas extras decorrentes da
Dispensado o preparo, tendo em vista o deferimento da Justiça
não fruição do intervalo de 10 (dez) minutos para cada 50
Gratuita (ID. df99498 - Pág. 4).
(cinquenta) trabalhados, partir de 01/04/2014 até os dias
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
atuais,sob o argumento de que desenvolve atividade de entrada de
DIREITO DO TRABALHO (864) / Categoria Profissional Especial
dados contínuos, que requer movimentos ou esforços repetitivos
(7644) / Bancários (5280) / Intervalo Intrajornada
dos membros superiores e da coluna vertebral.
Alegação(ões):
Pois bem.
- divergência jurisprudencial
Inicialmente, é importante registrar que, apesar de constar nas
A reclamante interpõe recurso de revista (ID. b671332 ), em face
normas interna corporistrazidas à colação pela autora a função de
do acórdão de ID. 18b0adc que manteve a sentença que julgou
caixa como beneficiária do intervalo de 10 minutos a cada 50
improcedente o pedido de pagamento de horas extras pela
minutos trabalhados, tais normas não se sobrepõem às normas
supressão das pausas de dez minutos a cada cinquenta minutos
coletivas convencionadas posteriormente, que preveem o aludido
laborados em atividade de digitação (intervalo intrajornada do
intervalo para todos os trabalhadores que exerçam atividades de
digitador art. 72 da CLT).
entrada de dados, sem distinção do cargo exercido, mas que
Alega, em síntese, que a reclamada, através da ACT 1995/1996,
atendam os critérios fixados na NR 17. Cabe ressaltar que os
instituiu a pausa de 10 minutos a cada 50 trabalhados para todos os
acordos coletivos expressam a manifestação da vontade das partes
empregados exercentes de atividades de entrada de dados, sujeitos
convenentes.
a movimentos ou esforços repetitivos, e que a regulamentação se
Os acordos coletivos carreados aos autos, relativos aos períodos de
deu através da CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996,
2010/2011 a 2014/2015 (fls. 42/177), aplicáveis ao caso sub
assegurando aos Caixas Executivos o direito ao intervalo; esta
examine, preveem intervalo para descanso de 10 minutos a cada 50
regulamentação, segundo o reclamante, foi ratificado pelo Termo de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 57
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

minutos trabalhados a todos os trabalhadores que exerçam EXECUTADOS PELA RECLAMANTE ESTÃO ABAIXO DO

atividades de entrada de dados, sujeitos a movimentos ou esforços DEFINIDO NA REFERIDA NR EM SEU ITEM 17.6.4, PORTANTO,

repetitivos dos membros superiores e coluna vertebral, conforme DENTRO DOS LIMITES DE TOLERÂNCIA.( grifo acrescido)

NR 17. A reclamada ainda juntou outros laudos periciais, utilizados como

Em sendo assim, mister se faz analisar o teor da NR 17, para fins prova emprestada, que chegaram à mesma conclusão acima

de enquadramento ou não das atividades desenvolvidas pela parte exposada, os quais também deixaram de ser impugnados pela

autora na referida norma. autora.

A NR 17 - ERGONOMIA foi editada com a finalidade de estabelecer Com efeito, o intervalo de 10 minutos a cada 50 minutos de trabalho

parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho consecutivo é aplicável somente às atividades de digitação

às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a ininterrupta e permanente, que atendam as exigências fixadas na

proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho sobredita NR 17, independentemente do cargo exercido pelo

eficiente, e no tocante às atividades de processamento eletrônico de empregado.

dados, matéria debatida nestes autos, dispõe no item 17.6.4, in Assim, exercendo a reclamante cargo de caixa bancário, cujas

verbis: atividades não se restringem à digitação de dados de forma

17.6.4.Nas atividades de processamento eletrônico de dados, deve ininterrupta e permanente, e considerando-se que a quantidade de

-se, salvo o disposto em convenções e acordos coletivos de toques por ela efetivamente executados estão abaixo do montante

trabalho, observar o seguinte: fixado na NR 17 e, portanto, dentro do limite de tolerância, não faz

a) o empregador não deve promover qualquer sistema de avaliação jus ao intervalo de 10 minutos a cada 50 minutos de trabalho

dos trabalhadores envolvidos nas atividades de digitação, baseado consecutivo previsto nos acordos coletivos juntados aos presentes

no número individual de toques sobre o teclado, inclusive o autos.

automatizado, para efeito de remuneração e vantagens de qualquer A jurisprudência recente do C. TST é no sentido de que somente

espécie; (117.032-5 ) aqueles que atuem na inserção ou digitação de dados de maneira

b) o número máximo de toques reais exigidos pelo empregador ininterrupta, durante toda a jornada, fazem jus à pausa prevista no

não deve ser superior a 8 (oito) mil por hora trabalhada, sendo instrumento coletivo, conforme julgado abaixo transcrito:

considerado toque real, para efeito desta NR, cada movimento AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA.

de pressão sobre o teclado; (117.033-3 / I3) INTERVALO DO ART. 72 DA CLT. DIGITAÇÃO. CAIXA BANCÁRIO

c) o tempo efetivo de trabalho de entrada de dados não deve 1. A jurisprudência do TST posiciona-se no sentido de que o

exceder o limite máximo de 5 (cinco) horas, sendo que, no período caixa bancário, por não exercer atividades exclusivas de

de tempo restante da jornada, o trabalhador poderá exercer outras digitação, não faz jus ao intervalo intrajornada de 10 minutos a

atividades, observado o disposto no art. 468 da Consolidação das cada 90 trabalhados, na medida em que tais atribuições não

Leis do Trabalho, desde que não exijam movimentos repetitivos, importam em atividade extenuante de digitação de dados, de

nem esforço visual; (117.034-1 / I3) maneira ininterrupta, durante toda a jornada. 2. Inadmissível

d) nas atividades de entrada de dados deve haver, no mínimo, recurso de revista para impugnar acórdão regional em harmonia

uma pausa de 10 (dez) minutos para cada 50 (cinqüenta) com a jurisprudência atual, notória e iterativa do TST sobre a

minutos trabalhados, não deduzidos da jornada normal de matéria nele veiculada. Absolutamente desnecessário, no caso, o

trabalho; (117.035-0 / I3) TST exercer a missão precípua que lhe compete de uniformizar a

e) quando do retorno ao trabalho, após qualquer tipo de jurisprudência trabalhista. A Súmula nº 333 do TST e o art. 896, §

afastamento igual ou superior a 15 (quinze) dias, a exigência de 7º, da CLT constituem óbices intransponíveis ao conhecimento do

produção em relação ao número de tóques deverá ser iniciado em recurso de revista. 3. Agravo de instrumento do Reclamante a que

níveis inferiores do máximo estabelecido na alínea "b" e ser se nega provimento. (Processo: ARR 11078220115060008; Relator:

ampliada progressivamente. (117.036-8 / I3) (grifos acrescidos) João Oreste Dalazen; Orgão Julgador: 4ª Turma; Publicação: DEJT

Ademais, a conclusão do Laudo Pericial de fls. 1149/1180, juntado 06/11/2015; Julgamento: 28 de Outubro de 2015)(destaque

pela reclamada como prova emprestada e não impugnado pela acrescido)

parte autora, encontra-se vazada nos seguintes termos: Nesse sentido, cita-se decisão da 1ª turma deste Tribunal Regional

ANTE O EXPOSTO, CONCLUO: QUE A RECLAMADA ATENDE A da 16ª Região:

NR 17, E QUE A QUANTIDADE DE TOQUES EFETIVAMENTE EMENTA: CAIXA EXECUTIVO. INTERVALO. 10 MINUTOS DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 58
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

DESCANSO A CADA 50 MINUTOS TRABALHADOS. ATIVIDADES parágrafo seguinte, foi inserida afirmação do Tribunal Regional de

REPETITIVAS. PREVISÃO EM ACORDO COLETIVO. ALCANCE que "resta demonstrado, de fato, que a Reclamante desempenhou

DA NORMA. Segundo a jurisprudência do Tribunal Superior do função compatível com o regramento da Reclamada e acordos

Trabalho, o caixa bancário, por não exercer atividades exclusivas de coletivos que garantem o intervalo equiparado ao de digitador". E,

digitação, não faz jus ao intervalo intrajornada de 10 minutos a cada ainda, foi acrescentada a informação de que a reclamada firmou

50 trabalhados, na medida em que tais atribuições não importam compromisso com o Ministério Público do Trabalho, o qual foi

em atividade extenuante de digitação de dados, de maneira corroborado pela Circular nº 020, no sentido de "estabelecer para

ininterrupta, durante toda a jornada. Recurso ordinário conhecido e empregados digitadores e caixas pausa de 10 (dez) minutos a cada

provido. (Processo: RO 0017710-36.2015.5.16.0002; Relator: José 50 (cinquenta) minutos trabalhados, não computando nessas

Evandro de Souza; Orgão Julgador: 1ª Turma; Assinatura: pausas o intervalo destinado à alimentação já previsto na legislação

28/03/2017) consolidada". Se consignado pela instância ordinária a existência de

Com essas considerações, não é possível chegar a conclusão norma regulamentar (Circular nº 020) no sentido de garantir o

diversa da alcançada pela juíza de base que indeferiu as horas intervalo de pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados

extras postuladas na inicial, razão pela qual se mantém a bem posta para os empregados digitadores e caixas, sem fixar o requisito da

decisão de 1º grau. exclusividade no exercício da atividade de digitação, entende-se

À análise. que, diante do quadro fático delineado no acórdão regional e

Do cotejo entre as razões de recurso de revista da reclamante e os reproduzido no acórdão recorrido, deve ser restabelecida a

fundamentos adotados pelo acórdão recorrido, entendo que a condenação imposta no acórdão regional, na parte em que

recorrente logrou demonstrar a existência de divergência apta a reconheceu o direito ao intervalo previsto no art. 72 da CLT.

ensejar o seguimento do recurso, com a ementa colacionada no ID. Recurso de embargos conhecido e provido." (E-ED-RR-1268-

d8421ec - Pág. 5/6, proveniente de decisão da SBDI 1, no sentido 95.2011.5.04.0025, Relator Ministro: Augusto César Leite de

de que o caixa bancário tem direito ao intervalo do digitador a que Carvalho, Data de Julgamento: 09/03/2017, Subseção I

se refere o art. 72 da CLT na hipótese em que há norma Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT

regulamentar e termo de ajustamento de conduta firmado com o 26/05/2017)

Ministério Público do Trabalho garantindo o intervalo de 10 minutos Diante do exposto, prossigam os autos.

a cada 50 minutos trabalhados, sem fixar o requisito da CONCLUSÃO

exclusividade no exercício da atividade de digitação. DOU SEGUIMENTO ao recurso de revista, sem imprimir-lhe efeito

Transcreve-se a ementa da referida decisão, verbis: suspensivo.

"RECURSO DE EMBARGOS REGIDO PELA LEI 13.015/2014. Publique-se e intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

INTERVALO DO DIGITADOR. ART. 72 DA CLT. PREVISÃO EM contrarrazões ao recurso.

NORMA COLETIVA E NORMA INTERNA DA RECLAMADA. A Após, com ou sem contrarrazões, remetam-se os autos ao c. TST.

controvérsia cinge-se em definir se a autora, no exercício da função SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

de caixa bancária, tem direito ao intervalo de pausa para descanso Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

destinado aos trabalhadores nos serviços de mecanografia, nos

termos da regra contida no artigo 72 da CLT. Consta do acórdão 2

recorrido, em transcrição de trechos do acórdão regional, que os

"regulamentos internos da reclamada, bem como os Acordos Assinatura

Coletivos dispõem que os empregados designados para a função SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

de ' caixa-executivo' /' caixa pv' e todos os demais empregados que

exercem atividade de entrada e saída de dados, sujeitos a SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

movimentos ou esforços repetitivos dos membros superiores e Desembargador Federal do Trabalho

coluna vertebral têm direito a intervalos regulares de dez minutos a Decisão


Processo Nº RO-0017328-30.2017.5.16.0016
cada cinquenta minutos trabalhados"; que o "próprio preposto da Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
Reclamada admite que a autora trabalhou como caixa e que, nesta RECORRENTE LEOPOLDO VELOSO NETO
ADVOGADO PACELLI DA ROCHA MARTINS(OAB:
condição, fazia tarefas de digitação, sem, no entanto, gozar do 11047/PB)
intervalo de dez minutos a cada cinquenta minutos laborados". No

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 59
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO VITO LEAL PETRUCCI(OAB:


18041/PB) internas e os Acordos Coletivos de Trabalho celebrados pela Caixa
ADVOGADO JANAINA ANTUNES DOS Econômica Federal vêm garantindo aos caixas, além do intervalo
SANTOS(OAB: 18800/PB)
RECORRIDO CAIXA ECONOMICA FEDERAL para o almoço de 15 (quinze) minutos, também o gozo de 10 (dez)
ADVOGADO RENATA FIALHO DE ALMEIDA(OAB: minutos a cada 50 (cinquenta) trabalhados, por conta da atividade
7483/MA)
ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA exercida (entrada de dados contínuas).
MEIRELES(OAB: 3412/MA)
Argumenta que é incontroverso, nestes autos, que não houve o
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO gozo do referido intervalo, embora todos os Manuais Normativos e

Intimado(s)/Citado(s): Acordos Coletivos vigentes no período objeto da presente

- CAIXA ECONOMICA FEDERAL Reclamatória corroborem a tese suscitada nestas razões recursais.
- LEOPOLDO VELOSO NETO Destaca que, em nenhum momento, as normas coletivas preveem

que para fazer jus ao intervalo, deva exercer exclusivamente

atividades de digitação.

PODER JUDICIÁRIO Transcreve arestos para confronto de teses.

JUSTIÇA DO TRABALHO Por fim, requer a condenação da Reclamada ao pagamento das

horas extras decorrentes da supressão do intervalo de 10 minutos a


Fundamentação
cada 50 trabalhados, além de seus reflexos, nos moldes do pedido
Recurso de Revista
formulado na inicial.
Recorrente: LEOPOLDO VELOSO NETO
Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação:
Advogado: VITO LEAL PETRUCCI - OAB: PB0018041
Do intervalo intrajonada pleiteado (digitador)

O recorrente pugna pela reforma da sentença, com o argumento de


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
que os regulamentos internos estenderiam aos caixas executivos o
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 11/03/2019; recurso
direito ao intervalo requerido, de modo que o cerne da controvérsia
apresentado em 20/03/2019 - ID. bb2738e - Pág. 1).
objeto da presente lide consiste em definir se as normas internas da
Regular a representação processual (ID. 670f5e8 - Pág. 1).
Caixa Econômica Federal que preveem o intervalo de 10 minutos a
Dispensado o preparo, tendo em vista o deferimento da Justiça
cada 50 minutos trabalhados são aplicáveis ou não aos
Gratuita ( ID. da4d795 - Pág. 6 ).
empregados que exercem as funções de caixa executivo, tal qual a
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
reclamante.
DURAÇÃO DO TRABALHO / INTERVALO INTRAJORNADA
É de se destacar que o art. 72 da CLT, norma legal que prevê
Alegação(ões):
repouso de 10 (dez) minutos a cada 90 (noventa) trabalhados no
- divergência jurisprudencial
desempenho de atividades de mecanografia (datilografia,
O reclamante interpõe recurso de revista ( ID. d8421ec), em face do
escrituração ou cálculo), o qual foi estendido aos digitadores através
acórdão de ID. c5005d3 que manteve a sentença que julgou
da Súmula nº 346 do TST, fala em serviços permanentes, de modo
improcedente o pedido de pagamento de horas extras pela
que somente têm direito à referida pausa os empregados que
supressão das pausas de dez minutos a cada cinquenta minutos
comprovem o desempenho de atividades que exijam digitação na
laborados em atividade de digitação (intervalo intrajornada do
maior parte de sua jornada laboral. As normas coletivas firmadas
digitador art. 72 da CLT).
entre a Caixa e a CONTRAF/CUT, por sua vez, fazem referência à
Alega, em síntese, que a reclamada, através da ACT 1995/1996,
NR 17 do Ministério do Trabalho.
instituiu a pausa de 10 minutos a cada 50 trabalhados para todos os
O TST já analisou a matéria por diversas vezes, em lides
empregados exercentes de atividades de entrada de dados, sujeitos
envolvendo a Caixa Econômica Federal e seus empregados, nas
a movimentos ou esforços repetitivos, e que a regulamentação se
quais estes pleitearam a mesma verba, de modo que já está
deu através da CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996,
pacificado no âmbito da SDI-1 que "o caixa bancário não faz jus ao
assegurando aos Caixas Executivos o direito ao intervalo; esta
intervalo do digitador de 10 minutos a cada cinquenta trabalhados,
regulamentação, segundo o reclamante, foi ratificado pelo Termo de
tendo em vista que não desenvolve atividade preponderantemente
Compromisso (Inquérito Civil Público nº 028/96) firmado entre a
de digitação", uma vez que "não exerce essa atividade de forma
Caixa Econômica Federal e o Ministério Público do Trabalho e
permanente, posto que se ocupa do atendimento ao público, da
possui força de lei, conforme a Lei de Ação Civil Pública (7.347/85).
movimentação do dinheiro, não se enquadrando na hipótese
Acrescenta que, a partir da expedição da CI 128/99, as normas

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 60
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

prevista no artigo 72 da CLT, da NR 17 e das cláusulas referentes a encontra pacificada no sentido de que apenas fará jus ao

descanso previstas nas normas coletivas da categoria" (E-RR - intervalo intrajornada, por aplicação analógica do art. 72 da

100499-71.2013.5.17.0152, Relator Ministro Alexandre de Souza CLT, o caixa bancário que exerça atividade exclusiva ou

Agra Belmonte, Julgamento em 09/02/2017, DEJT 19/05/2017), predominante de digitação, o que não é o caso dos autos. Não

como também destacado na sentença. há se falar em conflito jurisprudencial sobre o tema, a teor do art.

Nesse sentido, cito os seguintes arestos: 894, II e §2º, da CLT. Recurso de embargos não conhecido. (E-ARR

"RECURSO DE REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI - 500417-98.2014.5.17.0132, Relator Ministro: Aloysio Corrêa da

13.015/2014 E ANTERIOR À LEI 13.467/2017. Veiga, Data de Julgamento: 31/08/2017, Subseção I Especializada

INTERVALO DE DIGITADOR. CAIXA BANCÁRIO. NÃO em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT 08/09/2017)" -

APLICAÇÃO DO ART. 72 DA CLT. Esta Corte tem entendido que o grifei.

art. 72 da CLT não se aplica de forma analógica aos caixas Acompanho o entendimento perfilhado pelo E. TST, como exposto,

bancários, haja vista que este não atua tão somente como digitador de modo que, por não exercer atividades permanentes de digitação,

(Súmula 346/TST). A função de caixa envolve diferenciadas o empregado ocupante do cargo de caixa executivo não faz jus ao

atividades, o que afasta a exclusividade ou preponderância da intervalo de 10 (dez) minutos a cada 50 (cinquenta) trabalhados,

tarefa de digitação. Assim, não se há falar em aplicação analógica razão pela qual nego provimento ao recurso, mantendo a

do art. 72 da CLT nem da NR 17 da Portaria 3.214/78 do MT sentença em sua integralidade.

quando se tratar de exercício da função de caixa bancário. Recurso À análise.

de revista não conhecido. Do cotejo entre as razões de recurso de revista do reclamante e os

Processo: RR - 316-19.2016.5.06.0015 Data de Julgamento: fundamentos adotados pelo acórdão recorrido, entendo que o

21/11/2018, Relator Ministro: Mauricio Godinho Delgado, 3ª recorrente logrou demonstrar a existência de divergência apta a

Turma, Data de Publicação: DEJT 23/11/2018." ensejar o seguimento do recurso, com a ementa colacionada no ID.

"RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO PUBLICADO NA d8421ec - Pág. 5/6, proveniente de decisão da SBDI 1, no sentido

VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. INTERVALO DO DIGITADOR. de que o caixa bancário tem direito ao intervalo do digitador a que

CAIXA BANCÁRIO. O Tribunal Regional, amparado pelo conjunto se refere o art. 72 da CLT na hipótese em que há norma

fático-probatório, insuscetível de reexame em sede de cognição regulamentar e termo de ajustamento de conduta firmado com o

extraordinária, nos termos da Súmula nº 126/TST, manteve a Ministério Público do Trabalho garantindo o intervalo de 10 minutos

sentença que indeferiu o pagamento do intervalo intrajornada dos a cada 50 minutos trabalhados, sem fixar o requisito da

digitadores ao caixa bancário. Registrou que, no exercício de suas exclusividade no exercício da atividade de digitação.

funções, o reclamante não estava sujeito à atividade de Transcreve-se a ementa da referida decisão, verbis

digitação de forma ininterrupta, na medida em que também "RECURSO DE EMBARGOS REGIDO PELA LEI 13.015/2014.

exercia outras tarefas, a possibilitar pausas nos movimentos INTERVALO DO DIGITADOR. ART. 72 DA CLT. PREVISÃO EM

repetitivos. Tal como proferida, a decisão Regional está de NORMA COLETIVA E NORMA INTERNA DA RECLAMADA. A

acordo com a jurisprudência desta Corte, consubstanciada em controvérsia cinge-se em definir se a autora, no exercício da função

precedentes da SBDI-1, segundo a qual somente terá direito ao de caixa bancária, tem direito ao intervalo de pausa para descanso

intervalo intrajornada dos digitadores o caixa bancário que destinado aos trabalhadores nos serviços de mecanografia, nos

exercer atividade exclusiva ou predominante de digitação. termos da regra contida no artigo 72 da CLT. Consta do acórdão

Incide, portanto, a Súmula 333 desta Corte como óbice ao recorrido, em transcrição de trechos do acórdão regional, que os

conhecimento da revista, a pretexto da alegada ofensa aos "regulamentos internos da reclamada, bem como os Acordos

dispositivos apontados, bem como das divergências jurisprudenciais Coletivos dispõem que os empregados designados para a função

transcritas. Recurso de revista não conhecido. (RR - 506- de ' caixa-executivo' /' caixa pv' e todos os demais empregados que

68.2015.5.20.0001, Relator Ministro: Breno Medeiros, Data de exercem atividade de entrada e saída de dados, sujeitos a

Julgamento: 11/04/2018, 5ª Turma, Data de Publicação: DEJT movimentos ou esforços repetitivos dos membros superiores e

20/04/2018)"- grifei. coluna vertebral têm direito a intervalos regulares de dez minutos a

"RECURSO DE EMBARGOS. INTERVALO DIGITADOR. CAIXA cada cinquenta minutos trabalhados"; que o "próprio preposto da

BANCÁRIO. RECURSO DE REVISTA NÃO CONHECIDO. No Reclamada admite que a autora trabalhou como caixa e que, nesta

âmbito deste c. Tribunal Superior do Trabalho, a matéria já se condição, fazia tarefas de digitação, sem, no entanto, gozar do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 61
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO


intervalo de dez minutos a cada cinquenta minutos laborados". No TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
parágrafo seguinte, foi inserida afirmação do Tribunal Regional de RECORRIDO TEANES DA SILVA MOREIRA
que "resta demonstrado, de fato, que a Reclamante desempenhou ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
DOVERA(OAB: 54095/RS)
função compatível com o regramento da Reclamada e acordos ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB:
15239/MA)
coletivos que garantem o intervalo equiparado ao de digitador". E,
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ainda, foi acrescentada a informação de que a reclamada firmou TRABALHO

compromisso com o Ministério Público do Trabalho, o qual foi


Intimado(s)/Citado(s):
corroborado pela Circular nº 020, no sentido de "estabelecer para
- ESTADO DO MARANHAO
empregados digitadores e caixas pausa de 10 (dez) minutos a cada - TEANES DA SILVA MOREIRA
50 (cinquenta) minutos trabalhados, não computando nessas

pausas o intervalo destinado à alimentação já previsto na legislação

consolidada". Se consignado pela instância ordinária a existência de


PODER JUDICIÁRIO
norma regulamentar (Circular nº 020) no sentido de garantir o
JUSTIÇA DO TRABALHO
intervalo de pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados

para os empregados digitadores e caixas, sem fixar o requisito da Fundamentação

exclusividade no exercício da atividade de digitação, entende-se RECURSO DE REVISTA

que, diante do quadro fático delineado no acórdão regional e Recorrente: ESTADO DO MARANHÃO

reproduzido no acórdão recorrido, deve ser restabelecida a Procurador: DENILSON SOUZA DOS REIS ALMEIDA (OAB/MA

condenação imposta no acórdão regional, na parte em que 17.608)

reconheceu o direito ao intervalo previsto no art. 72 da CLT.

Recurso de embargos conhecido e provido." (E-ED-RR-1268- PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

95.2011.5.04.0025, Relator Ministro: Augusto César Leite de Tempestivo o recurso (decisão publicada em 24/04/2018; recurso

Carvalho, Data de Julgamento: 09/03/2017, Subseção I apresentado em 23/05/2018, ID. f995a5d).

Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº

26/05/2017) 436/TST).

Diante do exposto, prossigam os autos. Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL

CONCLUSÃO 509/69, art. 12).

DOU SEGUIMENTO ao recurso de revista, sem imprimir-lhe efeito PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

suspensivo. Responsabilidade Solidária/Subsidiária / Tomador de

Publique-se e intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar Serviços/Terceirização / Ente Público

contrarrazões ao recurso. Alegação:

Após, com ou sem contrarrazões, remetam-se os autos ao c. TST. - violação ao art. 71, § 1º da Lei nº 8.666/93;

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO - violação à sumula 331, V do TST;

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região - violação ao art. 5º, II e LV, e 97 da CF;

- contrariedade à Súmula Vinculante nº 10 do STF;

2 - divergência jurisprudencial.

O reclamado Estado do Maranhão interpõe recurso de revista (ID.

Assinatura 7b9aeed), insatisfeito com a decisão colegiada que negou

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 provimento ao seu recurso, mantendo sua responsabilidade

subsidiária pelo pagamento dos direitos trabalhistas pleiteados pela

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO reclamante.

Desembargador Federal do Trabalho Sustenta que a demonstração da culpa do ente público é mesmo

Decisão fato constitutivo do direito do empregado, ou seja, para que se


Processo Nº RO-0016324-49.2017.5.16.0018
imponha a responsabilidade subsidiária à Administração Pública,
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO cabe a ele (autor) comprovar a negligência ou falta de fiscalização
ADVOGADO PEDRO LUCIANO MOURA PINTO DE do contrato, tendo o acórdão recorrido contrariado entendimento do
CARVALHO(OAB: 3530/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 62
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Supremo Tribunal Federal, no RE 760931, com Repercussão Geral, 13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o

bem como violado o contraditório e ampla defesa (art. 5º, LV, da prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal

CF). à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa

Alega que a sentença recorrida, ao afastar a incidência do artigo 71, exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o

§1º, da Lei 8.666/93, violou o princípio da reserva legal (art. 5º, II da enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o

CF), sendo que tal afastamento, sem deliberação do órgão prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna

competente, ensejou afronta à Súmula Vinculante 10 do Supremo, insuscetível de veiculação o recurso de revista.

e, por consequência, violação ao dispositivo 97 da Constituição No caso presente, observo que o recorrente transcreveu a decisão

Federal. integralmente, sem destaque das controvérsias, o que não atende

Aduz que é evidente que o acordão, ora atacado, viola o artigo 71 ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT.

da Lei de Licitações porque não atende um requisito mínimo, fixado Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST:

pelos Tribunais Superiores, necessário para fazer o correto AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE

afastamento da incidência deste dispositivo, a saber: analisar a REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO

culpa estatal, além de contrariar a Súmula 331 do TST. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO

Assevera que o entendimento do STF quando do julgamento da já RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE -

referida ADC 16 foi aplicado incorretamente, na medida em que ela RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão

observa que a Administração Pública não pode ser condenada de agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da

forma subsidiária com base apenas na ausência de comprovação CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras,

nas diligências fiscalizatórias. Alega, ainda, divergência divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de

jurisprudencial e ausência de culpa do Estado. jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A,

Requer o conhecimento do recurso e acolhimento da preliminar de I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da

nulidade, e que seja modificado o acórdão recorrido para excluir a decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da

responsabilidade subsidiaria do Estado do Maranhão, e por fim controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro

pleiteia pelo pronunciamento quanto à matéria prequestionada. teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta

Transcreve arestos, a seu ver, divergentes. Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral

Eis a ementa do v. Acórdão recorrido: do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque

ENTE PÚBLICO TOMADOR DE SERVIÇOS. das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º-

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. POSSIBILIDADE. A A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que

condenação subsidiária do ente público exige a análise e efetiva infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado,

demonstração, na situação concreta, de sua conduta culposa, razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com

omissiva ou comissiva, tanto no que concerne ao procedimento de aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator

escolha da empresa contratada (culpa in eligendo), quanto ao Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento:

exercício do dever-poder de fiscalização do cumprimento das 12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018)

obrigações oriundas do contrato (culpa in vigilando). ENTE RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014.

PÚBLICO TOMADOR DE SERVIÇOS. RESPONSABILIDADE PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

SUBSIDIÁRIA. ÔNUS DA PROVA. É possível ao ente público INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

diligente efetuar prova da regularidade da contratação e da 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

fiscalização na execução do contrato. Sendo assim, o ônus da admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

prova, em virtude do princípio da aptidão, pertence à Administração redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

Pública. Precedentes do TST. ENTE PÚBLICO TOMADOR DE do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

SERVIÇOS. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ALCANCE. A que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

responsabilização subsidiária inclui o pagamento de todas as por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

parcelas da condenação, em razão do princípio da reparação situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

integral. Inteligência da Súmula 331, VI, do TST. Recurso ordinário exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

conhecido e não provido. prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 63
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei: SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho n3

transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a Assinatura

súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014 SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

(decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não Desembargador Federal do Trabalho

cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em Decisão


Processo Nº RO-0017865-68.2017.5.16.0002
que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não RECORRENTE AURISETH VIANA PASSOS
ADVOGADO JANAINA ANTUNES DOS
conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de SANTOS(OAB: 18800/PB)
2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA ADVOGADO VITO LEAL PETRUCCI(OAB:
18041/PB)
LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE ADVOGADO PACELLI DA ROCHA MARTINS(OAB:
11047/PB)
SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN
RECORRIDO CAIXA ECONOMICA FEDERAL
VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA
MEIRELES(OAB: 3412/MA)
RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data TRABALHO

de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).


Intimado(s)/Citado(s):
PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE - AURISETH VIANA PASSOS
INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL - CAIXA ECONOMICA FEDERAL

PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO


PODER JUDICIÁRIO
PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA
JUSTIÇA DO TRABALHO
NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

-A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte Fundamentação

e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão Recurso de Revista

recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia Recorrente: AURISETH VIANA PASSOS

objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c. Advogado: PACELLI DA ROCHA MARTINS - OAB: PB0011047

Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional, PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do Tempestivo o recurso (decisão publicada em23/08/2018; recurso

Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações apresentado em27/08/2018 -ID. 6d7b17a - Pág. 1).

indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de Regular a representação processual (ID. 46bb7dc - Pág. 1).

instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR- Dispensado o preparo, tendo em vista o deferimento da Justiça

238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em Gratuita (ID. 4492ac5 - Pág. 5).

25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de DIREITO DO TRABALHO (864) / Duração do Trabalho (1658) /

Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª Intervalo Intrajornada

Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de Alegação(ões):

Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018). - divergência jurisprudencial

Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art. A reclamante interpõe recurso de revista (ID. 055000d ), em face

896, §1º-A, I, da CLT. do acórdão deID. d782e94 que manteve a sentença que julgou

CONCLUSÃO improcedente o pedido de pagamento de horas extras pela

DENEGO seguimento ao recurso. supressão das pausas de dez minutos a cada cinquenta minutos

Publique-se e intime-se. laborados em atividade de digitação (intervalo intrajornada do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 64
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

digitador art. 72 da CLT). Indo ao encontro dessa nova realidade, as convenções coletivas

Alega, em síntese, que a reclamada, através da ACT 1995/1996, firmadas com a categoria profissional indicaram a necessidade de

instituiu a pausa de 10 minutos a cada 50 trabalhados para todos os concessão dessa pausa apenas para aqueles empregados cuja

empregados exercentes de atividades de entrada de dados, sujeitos atividade envolva a inserção de dados em tempo integral, por

a movimentos ou esforços repetitivos, e que a regulamentação se estarem sujeitos a movimentos ou esforços repetitivos dos membros

deu através da CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996, superiores e coluna vertebral, conforme determina a NR-17, no item

assegurando aos Caixas Executivos o direito ao intervalo; esta 17.6.4, letra "d", aplicáveis aos empregados nas atividades de

regulamentação, segundo o reclamante, foi ratificado pelo Termo de processamento eletrônico de dados.

Compromisso (Inquérito Civil Público nº 028/96) firmado entre a Efetivamente, a CI GEAGE/GEAPE nº 020, de 08.04.1996; a CI

Caixa Econômica Federal e o Ministério Público do Trabalho e GEAGE/MZ 088/96, de 17.09.1996; e CI 128/99, de 30.03.1999,

possui força de lei, conforme a Lei de Ação Civil Pública (7.347/85). item 2.3, cujos textos foram apresentados juntamente com a inicial,

Acrescenta que, a partir da expedição da CI 128/99, as normas que demonstrariam a extensão do intervalo intrajornada dos

internas e os Acordos Coletivos de Trabalho celebrados pela Caixa digitadores para os caixas da reclamada, são regramentos que

Econômica Federal vêm garantindo aos caixas, além do intervalo estão ultrapassados, pois emitidos uma década antes da

para o almoço de 15 (quinze) minutos, também o gozo de 10 (dez) reclamante ser admitida no banco. Nem mesmo os acordos

minutos a cada 50 (cinquenta) trabalhados, por conta da atividade coletivos travados com a categoria fazem mais referências a esses

exercida (entrada de dados contínuas). dispositivos. Tanto é que, em consonância com a NR-17, os mais

Argumenta que é incontroverso, nestes autos, que não houve o recentes ACTs apresentados possuem a seguinte previsão:

gozo do referido intervalo, embora todos os Manuais Normativos e CLÁUSULA 33 - INTERVALO PARA DESCANSO

Acordos Coletivos vigentes no período objeto da presente Todos os empregados que exerçam atividades de entrada de

Reclamatória corroborem a tese suscitada nestas razões recursais. dados, sujeitas a movimentos ou esforços repetitivos dos membros

Destaca que, em nenhum momento, as normas coletivas preveem superiores e coluna vertebral farão uma pausa de 10 (dez) minutos

que para fazer jus ao intervalo, deva exercer exclusivamente a cada 50 (cinqüenta) trabalhados, conforme NR17, que deverá ser

atividades de digitação. realizada fora do posto de trabalho, na própria unidade de lotação,

Transcreve arestos para confronto de teses. sem que ocorra aumento de ritmo ou carga de trabalho em razão

Por fim, requer a condenação da Reclamada ao pagamento das dessas pausas. (ID. 5aa9ac1 - Pág. 126)

horas extras decorrentes da supressão do intervalo de 10 minutos a Assim, nem os instrumentos coletivos da categoria, nem o item

cada 50 trabalhados, além de seus reflexos, nos moldes do pedido 3.9.3 do Manual Normativo RH 035 dirigem-se aos caixas

formulado na inicial. executivos, tornando-se atualmente descabida qualquer

Consta no acórdão recorrido a seguinte fundamentação: equiparação ou extensão da norma à situação da recorrente.

"A reclamante foi admitida pela instituição financeira reclamada em E, categoricamente, o Tribunal Superior do Trabalho não reconhece

08/01/2004, depois de devidamente aprovada em concurso público, os caixas executivos como ligados a esse ramo. Vejamos as

para o cargo de escriturário, exercendo, atualmente, o cargo seguintes ementas:

comissionado de caixa executivo, com jornada de trabalho de 06 AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA.

(seis) horas diárias. Seu pedido se limita a horas extras devidas por INTERVALO DO ART. 72 DA CLT. DIGITAÇÃO. CAIXA BANCÁRIO

conta da omissão da reclamada em proporcionar descanso durante 1. A jurisprudência do TST posiciona-se no sentido de que o caixa

a jornada de trabalho nos moldes do texto encetado em normas bancário, por não exercer atividades exclusivas de digitação, não

internas, ajustes coletivos com a categoria, além de acordo com o faz jus ao intervalo intrajornada de 10 minutos a cada 90

MPT em 1997, oportunidade na qual se comprometeu a conceder trabalhados, na medida em que tais atribuições não importam em

intervalo de 10 minutos para cada 50 minutos trabalhados para os atividade extenuante de digitação de dados, de maneira ininterrupta,

empregados ligados à área de processamento de dados. durante toda a jornada. 2. Inadmissível recurso de revista para

Como já me manifestei em outras ocasiões, a reclamante não tem impugnar acórdão regional em harmonia com a jurisprudência atual,

razão ao vindicar a aplicabilidade das normas internas e o termo de notória e iterativa do TST sobre a matéria nele veiculada.

compromisso citados. Esses textos foram ditados há 20 (vinte) Absolutamente desnecessário, no caso, o TST exercer a missão

anos. Hoje os equipamentos utilizados para a inserção de dados precípua que lhe compete de uniformizar a jurisprudência

não maltratam tanto quanto as máquinas de escrever do passado. trabalhista. A Súmula nº 333 do TST e o art. 896, § 7º, da CLT

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 65
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

constituem óbices intransponíveis ao conhecimento do recurso de de caixa bancária, tem direito ao intervalo de pausa para descanso

revista. 3. Agravo de instrumento do Reclamante a que se nega destinado aos trabalhadores nos serviços de mecanografia, nos

provimento. (Processo: ARR 11078220115060008; Relator: João termos da regra contida no artigo 72 da CLT. Consta do acórdão

Oreste Dalazen; Orgão Julgador: 4ª Turma; Publicação: DEJT recorrido, em transcrição de trechos do acórdão regional, que os

06/11/2015; Julgamento: 28 de Outubro de 2015) "regulamentos internos da reclamada, bem como os Acordos

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO SOB A ÉGIDE DA LEI Nº Coletivos dispõem que os empregados designados para a função

13.015/2014. CAIXA BANCÁRIO. DIGITADOR. INTERVALO de ' caixa-executivo' /' caixa pv' e todos os demais empregados que

INTRAJORNADA. INTERMITÊNCIA NA EXECUÇÃO DE SERVIÇO exercem atividade de entrada e saída de dados, sujeitos a

DE DIGITAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO ANALÓGICA movimentos ou esforços repetitivos dos membros superiores e

DO ART. 72 DA CLT. DIGITADOR. INTERVALO. CAIXA coluna vertebral têm direito a intervalos regulares de dez minutos a

EXECUTIVO BANCÁRIO. IMPOSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO cada cinquenta minutos trabalhados"; que o "próprio preposto da

ANALÓGICA DO ART. 72 DA CLT. NORMA INTERNA. O art. 72 da Reclamada admite que a autora trabalhou como caixa e que, nesta

CLT, analogicamente aplicável aos digitadores (Súmula 346/TST), condição, fazia tarefas de digitação, sem, no entanto, gozar do

pressupõe o desempenho na função de modo permanente, não se intervalo de dez minutos a cada cinquenta minutos laborados". No

admitindo o exercício intercalado ou paralelo de outros serviços. Na parágrafo seguinte, foi inserida afirmação do Tribunal Regional de

hipótese, o Regional relata que a norma interna da empresa defere que "resta demonstrado, de fato, que a Reclamante desempenhou

o intervalo apenas aos que trabalhavam com inserção contínua de função compatível com o regramento da Reclamada e acordos

dados, o que não é o caso dos caixas (Súmula 126/TST). Recurso coletivos que garantem o intervalo equiparado ao de digitador". E,

de revista não conhecido. (TST - RR: 6806520155200005, Relator: ainda, foi acrescentada a informação de que a reclamada firmou

Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, Data de Julgamento: compromisso com o Ministério Público do Trabalho, o qual foi

22/02/2017, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 03/03/2017) corroborado pela Circular nº 020, no sentido de "estabelecer para

Opto, portanto, por seguir a jurisprudência do Tribunal Superior do empregados digitadores e caixas pausa de 10 (dez) minutos a cada

Trabalho no sentido de que somente aqueles que atuem na 50 (cinquenta) minutos trabalhados, não computando nessas

inserção ou digitação de dados de maneira ininterrupta, durante pausas o intervalo destinado à alimentação já previsto na legislação

toda a jornada, fazem jus à pausa prevista no instrumento coletivo. consolidada". Se consignado pela instância ordinária a existência de

Prejudicada a análise das preliminares e da prejudicial de mérito norma regulamentar (Circular nº 020) no sentido de garantir o

tendo em vista a manutenção da sentença, com reexame do mérito intervalo de pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados

a favor da recorrida. para os empregados digitadores e caixas, sem fixar o requisito da

Nego provimento, por tais fundamentos, ao recurso ordinário da exclusividade no exercício da atividade de digitação, entende-se

reclamante. que, diante do quadro fático delineado no acórdão regional e

Do cotejo entre as razões de recurso de revista da reclamante e os reproduzido no acórdão recorrido, deve ser restabelecida a

fundamentos adotados pelo acórdão recorrido, entendo que a condenação imposta no acórdão regional, na parte em que

recorrente logrou demonstrar a existência de divergência apta a reconheceu o direito ao intervalo previsto no art. 72 da CLT.

ensejar o seguimento do recurso, com a ementa colacionada no ID. Recurso de embargos conhecido e provido." (E-ED-RR-1268-

055000d - Pág. 6, proveniente de decisão da SBDI 1, no sentido de 95.2011.5.04.0025, Relator Ministro: Augusto César Leite de

que o caixa bancário tem direito ao intervalo do digitador a que se Carvalho, Data de Julgamento: 09/03/2017, Subseção I

refere o art. 72 da CLT na hipótese em que há norma regulamentar Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT

e termo de ajustamento de conduta firmado com o Ministério 26/05/2017)

Público do Trabalho garantindo o intervalo de 10 minutos a cada 50 Diante do exposto, prossigam os autos.

minutos trabalhados, sem fixar o requisito da exclusividade no CONCLUSÃO

exercício da atividade de digitação. DOU SEGUIMENTO ao recurso de revista, sem imprimir-lhe efeito

Transcreve-se a ementa da referida decisão, verbis: suspensivo.

"RECURSO DE EMBARGOS REGIDO PELA LEI 13.015/2014. Publique-se e intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

INTERVALO DO DIGITADOR. ART. 72 DA CLT. PREVISÃO EM contrarrazões ao recurso.

NORMA COLETIVA E NORMA INTERNA DA RECLAMADA. A Após, com ou sem contrarrazões, remetam-se os autos ao c. TST.

controvérsia cinge-se em definir se a autora, no exercício da função SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 66
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região - contrariedade à Súmula Vinculante nº 10 do STF;

2 - divergência jurisprudencial.

O reclamado Estado do Maranhão interpõe recurso de revista (ID.

Assinatura a8eb6af), insatisfeito com a decisão colegiada que negou

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019 provimento ao seu recurso, mantendo sua responsabilidade

subsidiária pelo pagamento dos direitos trabalhistas pleiteados pela

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO reclamante.

Desembargador Federal do Trabalho Sustenta que a demonstração da culpa do ente público é mesmo
Decisão fato constitutivo do direito do empregado, ou seja, para que se
Processo Nº RO-0016351-32.2017.5.16.0018
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR imponha a responsabilidade subsidiária à Administração Pública,
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO cabe a ele (autor) comprovar a negligência ou falta de fiscalização
ADVOGADO PEDRO LUCIANO MOURA PINTO DE
CARVALHO(OAB: 3530/MA) do contrato, tendo o acórdão recorrido contrariado entendimento do
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO Supremo Tribunal Federal, no RE 760931, com Repercussão Geral,
TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE bem como violado o contraditório e ampla defesa (art. 5º, LV, da
RECORRIDO LUIZA VALE DE SOUSA
CF).
ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
DOVERA(OAB: 54095/RS) Alega que a sentença recorrida, ao afastar a incidência do artigo 71,
ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB:
15239/MA) §1º, da Lei 8.666/93, violou o princípio da reserva legal (art. 5º, II da
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO CF), sendo que tal afastamento, sem deliberação do órgão
TRABALHO
competente, ensejou afronta à Súmula Vinculante 10 do Supremo,
Intimado(s)/Citado(s): e, por consequência, violação ao dispositivo 97 da Constituição
- ESTADO DO MARANHAO Federal.
- LUIZA VALE DE SOUSA
Aduz que é evidente que o acordão, ora atacado, viola o artigo 71

da Lei de Licitações porque não atende um requisito mínimo, fixado

pelos Tribunais Superiores, necessário para fazer o correto


PODER JUDICIÁRIO afastamento da incidência deste dispositivo, a saber: analisar a
JUSTIÇA DO TRABALHO culpa estatal, além de contrariar a Súmula 331 do TST.

Assevera que o entendimento do STF quando do julgamento da já


Fundamentação
referida ADC 16 foi aplicado incorretamente, na medida em que ela
RECURSO DE REVISTA
observa que a Administração Pública não pode ser condenada de
Recorrente: ESTADO DO MARANHÃO
forma subsidiária com base apenas na ausência de comprovação
Procurador: DENILSON SOUZA DOS REIS ALMEIDA (OAB/MA
nas diligências fiscalizatórias. Alega, ainda, divergência
17.608)
jurisprudencial e ausência de culpa do Estado.

Requer o conhecimento do recurso e acolhimento da preliminar de


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
nulidade, e que seja modificado o acórdão recorrido para excluir a
Tempestivo o recurso (decisão publicada em 24/04/2018; recurso
responsabilidade subsidiaria do Estado do Maranhão, e por fim
apresentado em 23/05/2018, ID. ee66976).
pleiteia pelo pronunciamento quanto à matéria prequestionada.
Regular a representação processual (nos termos da Súmula nº
Transcreve arestos, a seu ver, divergentes.
436/TST).
Eis a ementa do v. Acórdão recorrido:
Isento de preparo (CLT, art. 790-A e DL 779/69, art. 1º, IV, e DL
ENTE PÚBLICO TOMADOR DE SERVIÇOS.
509/69, art. 12).
RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. POSSIBILIDADE. A
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
condenação subsidiária do ente público exige a análise e efetiva
Responsabilidade Solidária/Subsidiária / Tomador de
demonstração, na situação concreta, de sua conduta culposa,
Serviços/Terceirização / Ente Público
omissiva ou comissiva, tanto no que concerne ao procedimento de
Alegação:
escolha da empresa contratada (culpa in eligendo), quanto ao
- violação ao art. 71, § 1º da Lei nº 8.666/93;
exercício do dever-poder de fiscalização do cumprimento das
- violação à sumula 331, V do TST;
obrigações oriundas do contrato (culpa in vigilando). ENTE
- violação ao art. 5º, II e LV, e 97 da CF;

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 67
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

PÚBLICO TOMADOR DE SERVIÇOS. RESPONSABILIDADE PREQUESTIONAMENTO. DEMONSTRAÇÃO. TRANSCRIÇÃO

SUBSIDIÁRIA. ÔNUS DA PROVA. É possível ao ente público INTEGRAL DO ACÓRDÃO. ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT 1. A Lei nº

diligente efetuar prova da regularidade da contratação e da 13.015/2014 recrudesceu os pressupostos intrínsecos de

fiscalização na execução do contrato. Sendo assim, o ônus da admissibilidade do recurso de revista, como se extrai da nova

prova, em virtude do princípio da aptidão, pertence à Administração redação do art. 896, § 1º-A, da CLT. 2. O novo pressuposto e ônus

Pública. Precedentes do TST. ENTE PÚBLICO TOMADOR DE do recorrente consistente em "indicar o trecho da decisão recorrida

SERVIÇOS. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ALCANCE. A que consubstancia o prequestionamento" não se atende meramente

responsabilização subsidiária inclui o pagamento de todas as por meio de menção ou referência à folha do acórdão em que se

parcelas da condenação, em razão do princípio da reparação situa, tampouco mediante sinopse do acórdão, no particular. A

integral. Inteligência da Súmula 331, VI, do TST. Recurso ordinário exigência em apreço traduz-se em apontar a presença do

conhecido e não provido. prequestionamento (salvo vício nascido no próprio julgamento) e

Nos termos do art. 896 , § 1º-A, I, da CLT, incluído pela Lei n. comprová-lo mediante transcrição textual do tópico nas razões

13.015 /14, a transcrição dos fundamentos em que se identifica o recursais. Somente assim se atinge a patente finalidade da lei:

prequestionamento da matéria impugnada constitui exigência formal propiciar ao relator do recurso de revista no TST maior presteza na

à admissibilidade do recurso de revista. Havendo expressa preparação do voto ao ensejar que, desde logo, confronte o trecho

exigência legal de indicação do trecho do julgado que demonstre o transcrito com o aresto acaso apontado como divergente, ou com a

enfrentamento da matéria pelo Tribunal Regional, evidenciando o súmula cuja contrariedade acaso é alegada, ou a violação

prequestionamento, a ausência desse pressuposto intrínseco torna sustentada de forma analítica pelo recorrente. 3. Inadmissível

insuscetível de veiculação o recurso de revista. recurso de revista interposto sob a égide da Lei nº 13.015/2014

No caso presente, observo que o recorrente transcreveu a decisão (decisões publicadas a partir de 22/9/2014) em que a parte não

integralmente, sem destaque das controvérsias, o que não atende cuida de transcrever o trecho específico do acórdão regional em

ao requisito previsto no art. 896, § 1º-A, I, da CLT. que repousa o prequestionamento da controvérsia transferida à

Nesse sentido, os seguintes julgados do c. TST: cognição do TST. 4. Recurso de revista do Reclamado não

AGRAVO - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE conhecido quanto ao tema "multa do art. 523, § 1º, do CPC de

REVISTA - INOBSERVÂNCIA DO REQUISITO PREVISTO NO 2015". RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

ART. 896, § 1º-A, I, DA CLT - TRANSCRIÇÃO DA DECISÃO LEI Nº 13.015/2014. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE

RECORRIDA SEM DESTAQUE DO PONTO DIVERGENTE - SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. ÔNUS DA PROVA. CULPA IN

RECURSO INFUNDADO - APLICAÇÃO DE MULTA. 1. A decisão VIGILANDO . DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO

agravada denegou seguimento ao agravo de instrumento da RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 760.931 RG/DF.

CEDAE, que versava sobre horas extras, adicional de horas extras, PROVIMENTO. (TST-RR 146-91.2015.5.21.0006; 7ª Turma; Data

divisor aplicável às horas extras e validade da compensação de de Julgamento: 03 de Abril de 2018; DEJT 06/04/2018).

jornada instituída pela norma coletiva, pelo óbice do art. 896, § 1º-A, PROCESSO NA VIGÊNCIA DA LEI 13.467/2017. AGRAVO DE

I, da CLT, por não ter a Recorrente cuidado de indicar o trecho da INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ACÓRDÃO REGIONAL

decisão recorrida que consubstanciaria o prequestionamento da PUBLICADO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DESVIO DE

controvérsia. 2. A ora Agravante alega que a indicação do inteiro FUNÇÃO. TRANSCRIÇÃO INTEGRAL DO TEMA DO ACÓRDÃO

teor da decisão recorrida supre o requisito em questão. 3. Esta REGIONAL. INDICAÇÃO DO TRECHO CORRESPONDENTE AO

Corte tem se posicionado no sentido de que a transcrição integral PREQUESTIONAMENTO DA MATÉRIA IMPUGNADA. EXIGÊNCIA

do acórdão regional, ou mesmo de seus capítulos, sem destaque NÃO ATENDIDA. Com o advento da Lei nº 13.015/2014, o novel § lº

das controvérsias, não atende ao requisito previsto no art. 896, § 1º- -A do artigo 896 da CLT exige, em seu inciso I, como ônus da parte

A, I, da CLT. 3. O agravo não trouxe nenhum argumento que e sob pena de não conhecimento, a indicação do trecho da decisão

infirmasse a conclusão a que se chegou no despacho agravado, recorrida que consubstancia o prequestionamento da controvérsia

razão pela qual não merece provimento. Agravo desprovido, com objeto do recurso de revista. Nos termos da jurisprudência desta c.

aplicação de multa. (Ag-AIRR - 100469-54.2016.5.01.0062 , Relator Corte Superior, a transcrição integral do tema do acórdão regional,

Ministro: Ives Gandra Martins Filho, Data de Julgamento: sem destaque da controvérsia devolvida ao Tribunal Superior do

12/12/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT 19/12/2018) Trabalho, bem como sem a demonstração analítica das violações

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE. LEI 13.015/2014. indicadas, não atende o artigo 896, § 1º-A, I, da CLT. Agravo de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 68
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO FRANCIOLE MARTINS DA


instrumento conhecido e desprovido. fls. PROCESSO Nº TST-AIRR- CONCEICAO(OAB: 11792-A/MA)
RECORRIDO AYMORE CREDITO,
238-93.2016.5.10.0021 Firmado por assinatura digital em FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
S.A.
25/10/2018 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho,
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
conforme MP 2.200-2/2001, que instituiu a Infra-Estrutura de ANDRADE(OAB: 29514/PE)
ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
Chaves Públicas Brasileira. (TST-AIRR 238-93.2016.5.10.0021; 3ª CASTRO(OAB: 8883-A/MA)
Turma; Min. Relator: Alexandre de Souza Agra Belmonte; Data de
Intimado(s)/Citado(s):
Julgamento: 24 de Outubro de 2018; DEJT 26/10/2018).
- BERNARDO PEREIRA DA SILVA NETO
Assim, deixo de conhecer do presente recurso, nos termos do art.

896, §1º-A, I, da CLT.

CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao recurso. PODER JUDICIÁRIO

Publique-se e intime-se. JUSTIÇA DO TRABALHO

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

CONCLUSÃO
Recurso de Revista
DENEGO seguimento ao recurso.

Publique-se e intime-se.
Recorrentes: BERNARDO PEREIRA DA SILVA NETO; BANCO
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO
SANTANDER (BRASIL) S.A e AYMORE CREDITO,
Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A.
n3

Assinatura

SAO LUIS, 4 de Abril de 2019

Vistos,
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Desembargador Federal do Trabalho


Cuida-se de processo submetido a julgamento de IRDT (Incidente
Despacho
de Resolução de Demandas Repetitivas), junto ao c. TST, no qual
Despacho
Processo Nº RO-0017489-82.2013.5.16.0015 se discute entre outros temas o divisor a ser utilizado para o cálculo
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR das horas extras do empregado bancário.
RECORRENTE BERNARDO PEREIRA DA SILVA
NETO
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER Após o julgamento do tema afetado em Incidente de Recurso
PENNER(OAB: 27386/GO)
RECORRENTE AYMORE CREDITO, Repetitivo (TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138 - TEMA 2), a Corte
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
S.A. Superior Trabalhista promoveu alteração da Súmula nº 124, em
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE 30.06.2017, para fixar:
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
RECORRENTE BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE "SUM-124 BANCÁRIO. SALÁRIO-HORA. DIVISOR (alteração em
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA razão do julgamento do processo TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138)
VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
- Res. 219/2017, DEJT divulgado em 28, 29 e 30.06.2017
RECORRIDO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA
VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
I - o divisor aplicável para o cálculo das horas extras do bancário
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE) será:
ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
CASTRO(OAB: 8883-A/MA)
RECORRIDO BERNARDO PEREIRA DA SILVA a) 180, para os empregados submetidos à jornada de seis horas
NETO
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER prevista no caput do art. 224 da CLT ;
PENNER(OAB: 27386/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 69
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECORRENTE BERNARDO PEREIRA DA SILVA


b) 220, para os empregados submetidos à jornada de oito horas, NETO
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
nos termos do § 2º do art. 224 da CLT. PENNER(OAB: 27386/GO)
RECORRENTE AYMORE CREDITO,
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
II - Ressalvam-se da aplicação do item anterior as decisões de S.A.
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
mérito sobre o tema, qualquer que seja o seu teor, emanadas de ANDRADE(OAB: 29514/PE)
Turma do TST ou da SBDI-I, no período de 27/09/2012 até RECORRENTE BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
21/11/2016, conforme a modulação aprovada no precedente ANDRADE(OAB: 29514/PE)
obrigatório firmado no Incidente de Recursos de Revista Repetitivos ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA
VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
nº TST-IRR-849-83.2013.5.03.0138, DEJT 19.12.2016." (Destaquei) RECORRIDO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA
VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
Assim, tendo em vista que a decisão posta nos autos, em face do ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
acórdão ID. ID. 5ab87b3 - Pág. 8 , parece conflitar com a decisão
ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
tomada no referido IRDT, retornem os autos ao gabinete do CASTRO(OAB: 8883-A/MA)
RECORRIDO BERNARDO PEREIRA DA SILVA
Desembargador Relator, para que tenha a oportunidade de exercer NETO
juízo de adequação, na forma do art. 14, II, da Instrução Normativa ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
PENNER(OAB: 27386/GO)
nº 38/2015 do TST c/c o art. 896-C, § 11, II, da CLT. ADVOGADO FRANCIOLE MARTINS DA
CONCEICAO(OAB: 11792-A/MA)
RECORRIDO AYMORE CREDITO,
CONCLUSÃO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
S.A.
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
Prejudicada, por ora, a análise dos recursos de revista.
ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
CASTRO(OAB: 8883-A/MA)

Intimem-se. Publique-se.
Intimado(s)/Citado(s):
- AYMORE CREDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO S.A.

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

Recurso de Revista

Recorrentes: BERNARDO PEREIRA DA SILVA NETO; BANCO

SANTANDER (BRASIL) S.A e AYMORE CREDITO,


SAO LUIS, 2 de Abril de 2019
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A.

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Desembargador Federal do Trabalho


Vistos,

Cuida-se de processo submetido a julgamento de IRDT (Incidente


Despacho
Processo Nº RO-0017489-82.2013.5.16.0015 de Resolução de Demandas Repetitivas), junto ao c. TST, no qual
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
se discute entre outros temas o divisor a ser utilizado para o cálculo

das horas extras do empregado bancário.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 70
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Após o julgamento do tema afetado em Incidente de Recurso

Repetitivo (TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138 - TEMA 2), a Corte

Superior Trabalhista promoveu alteração da Súmula nº 124, em

30.06.2017, para fixar:

"SUM-124 BANCÁRIO. SALÁRIO-HORA. DIVISOR (alteração em SAO LUIS, 2 de Abril de 2019

razão do julgamento do processo TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138)

- Res. 219/2017, DEJT divulgado em 28, 29 e 30.06.2017

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

I - o divisor aplicável para o cálculo das horas extras do bancário Desembargador Federal do Trabalho

será:

a) 180, para os empregados submetidos à jornada de seis horas Despacho


Processo Nº RO-0017489-82.2013.5.16.0015
prevista no caput do art. 224 da CLT ; Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE BERNARDO PEREIRA DA SILVA
NETO
b) 220, para os empregados submetidos à jornada de oito horas, ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
PENNER(OAB: 27386/GO)
nos termos do § 2º do art. 224 da CLT.
RECORRENTE AYMORE CREDITO,
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
S.A.
II - Ressalvam-se da aplicação do item anterior as decisões de ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
mérito sobre o tema, qualquer que seja o seu teor, emanadas de
RECORRENTE BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
Turma do TST ou da SBDI-I, no período de 27/09/2012 até ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
21/11/2016, conforme a modulação aprovada no precedente
ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA
obrigatório firmado no Incidente de Recursos de Revista Repetitivos VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
RECORRIDO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
nº TST-IRR-849-83.2013.5.03.0138, DEJT 19.12.2016." (Destaquei)
ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA
VANDERLEI(OAB: 21678/PE)
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
Assim, tendo em vista que a decisão posta nos autos, em face do ANDRADE(OAB: 29514/PE)
acórdão ID. ID. 5ab87b3 - Pág. 8 , parece conflitar com a decisão ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
CASTRO(OAB: 8883-A/MA)
tomada no referido IRDT, retornem os autos ao gabinete do RECORRIDO BERNARDO PEREIRA DA SILVA
NETO
Desembargador Relator, para que tenha a oportunidade de exercer
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
juízo de adequação, na forma do art. 14, II, da Instrução Normativa PENNER(OAB: 27386/GO)
ADVOGADO FRANCIOLE MARTINS DA
nº 38/2015 do TST c/c o art. 896-C, § 11, II, da CLT. CONCEICAO(OAB: 11792-A/MA)
RECORRIDO AYMORE CREDITO,
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
CONCLUSÃO S.A.
ADVOGADO MARCELO ALBUQUERQUE
ANDRADE(OAB: 29514/PE)
Prejudicada, por ora, a análise dos recursos de revista. ADVOGADO CARLOS FERNANDO DE SIQUEIRA
CASTRO(OAB: 8883-A/MA)

Intimem-se. Publique-se. Intimado(s)/Citado(s):


- BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 71
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

nº 38/2015 do TST c/c o art. 896-C, § 11, II, da CLT.

Recurso de Revista

CONCLUSÃO

Recorrentes: BERNARDO PEREIRA DA SILVA NETO; BANCO

SANTANDER (BRASIL) S.A e AYMORE CREDITO, Prejudicada, por ora, a análise dos recursos de revista.

FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A.

Intimem-se. Publique-se.

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

Vistos,

Desembargadora Presidente do TRT da 16ª Região

Cuida-se de processo submetido a julgamento de IRDT (Incidente

de Resolução de Demandas Repetitivas), junto ao c. TST, no qual

se discute entre outros temas o divisor a ser utilizado para o cálculo

das horas extras do empregado bancário. 2

Após o julgamento do tema afetado em Incidente de Recurso

Repetitivo (TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138 - TEMA 2), a Corte

Superior Trabalhista promoveu alteração da Súmula nº 124, em

30.06.2017, para fixar:

"SUM-124 BANCÁRIO. SALÁRIO-HORA. DIVISOR (alteração em SAO LUIS, 2 de Abril de 2019

razão do julgamento do processo TST-IRR 849-83.2013.5.03.0138)

- Res. 219/2017, DEJT divulgado em 28, 29 e 30.06.2017

SOLANGE CRISTINA PASSOS DE CASTRO CORDEIRO

I - o divisor aplicável para o cálculo das horas extras do bancário Desembargador Federal do Trabalho

será:

a) 180, para os empregados submetidos à jornada de seis horas

prevista no caput do art. 224 da CLT ; Secretaria da 1ª Turma


Acórdão
b) 220, para os empregados submetidos à jornada de oito horas, Acórdão
Processo Nº RO-0017983-49.2015.5.16.0023
nos termos do § 2º do art. 224 da CLT. Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE JANILEIDE DE OLIVEIRA PEREIRA
ADVOGADO DENYJACKSON SOUSA
II - Ressalvam-se da aplicação do item anterior as decisões de MAGALHAES(OAB: 7083/MA)
mérito sobre o tema, qualquer que seja o seu teor, emanadas de RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE
Turma do TST ou da SBDI-I, no período de 27/09/2012 até CARVALHO(OAB: 7008/MA)
21/11/2016, conforme a modulação aprovada no precedente RECORRIDO JANILEIDE DE OLIVEIRA PEREIRA
ADVOGADO DENYJACKSON SOUSA
obrigatório firmado no Incidente de Recursos de Revista Repetitivos MAGALHAES(OAB: 7083/MA)
nº TST-IRR-849-83.2013.5.03.0138, DEJT 19.12.2016." (Destaquei) RECORRIDO MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE
CARVALHO(OAB: 7008/MA)
Assim, tendo em vista que a decisão posta nos autos, em face do CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
acórdão ID. ID. 5ab87b3 - Pág. 8 , parece conflitar com a decisão

tomada no referido IRDT, retornem os autos ao gabinete do Intimado(s)/Citado(s):


- JANILEIDE DE OLIVEIRA PEREIRA
Desembargador Relator, para que tenha a oportunidade de exercer

juízo de adequação, na forma do art. 14, II, da Instrução Normativa

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 72
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO


TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE IMPERATRIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
unanimidade, conhecer recurso e, no mérito, por maioria, dar SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
provimento parcial para condenar o reclamado a pagar indenização Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
por danos morais no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais). Custas COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
pelo autor, das quais é isento por gozar do benefício da justiça douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
gratuita (art. 790-A da CLT), concedido na sentença. unanimidade, conhecer recurso e, no mérito, por maioria, dar

provimento parcial para condenar o reclamado a pagar indenização


Vencido o Desembargador José Evandro de Souza que negava por danos morais no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais). Custas
provimento ao recurso. pelo autor, das quais é isento por gozar do benefício da justiça

gratuita (art. 790-A da CLT), concedido na sentença.

Vencido o Desembargador José Evandro de Souza que negava

provimento ao recurso.

Acórdão
Processo Nº RO-0017983-49.2015.5.16.0023
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE JANILEIDE DE OLIVEIRA PEREIRA
ADVOGADO DENYJACKSON SOUSA
MAGALHAES(OAB: 7083/MA)
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ Acórdão
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE Processo Nº RO-0018410-75.2017.5.16.0023
CARVALHO(OAB: 7008/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRIDO JANILEIDE DE OLIVEIRA PEREIRA RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
ADVOGADO DENYJACKSON SOUSA ADVOGADO ELISANGELA CONCEICAO
MAGALHAES(OAB: 7083/MA) SILVA(OAB: 5424/MA)
RECORRIDO MUNICIPIO DE IMPERATRIZ ADVOGADO RODRIGO DO CARMO COSTA(OAB:
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE 9500/MA)
CARVALHO(OAB: 7008/MA) RECORRIDO HEUSLY REIS MELO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 73
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO TEYDSON CARLOS DO Processo Nº RO-0018410-75.2017.5.16.0023


NASCIMENTO(OAB: 16148/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
TRABALHO
ADVOGADO ELISANGELA CONCEICAO
SILVA(OAB: 5424/MA)
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO RODRIGO DO CARMO COSTA(OAB:
- MUNICIPIO DE IMPERATRIZ 9500/MA)
RECORRIDO HEUSLY REIS MELO
ADVOGADO TEYDSON CARLOS DO
NASCIMENTO(OAB: 16148/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- HEUSLY REIS MELO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
de incompetência desta Justiça do Trabalho e, no mérito, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, negar provimento ao recurso para manter a decisão
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
de 1º grau.
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por


Vencida a Desembargadora Relatora na preliminar de
unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar
incompetência da Justiça do Trabalho.
de incompetência desta Justiça do Trabalho e, no mérito, por

unanimidade, negar provimento ao recurso para manter a decisão

de 1º grau.

Vencida a Desembargadora Relatora na preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho.

Acórdão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 74
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0018158-26.2017.5.16.0006
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE BURITI
ADVOGADO CECILIA RAQUEL MARQUES
Acórdão TEIXEIRA(OAB: 16499/MA)
Processo Nº RO-0018158-26.2017.5.16.0006
ADVOGADO HUMBERTO HENRIQUE VERAS
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA TEIXEIRA FILHO(OAB: 6645/MA)
RECORRENTE MUNICIPIO DE BURITI RECORRIDO DARLA FERNANDES CARVALHO
ADVOGADO CECILIA RAQUEL MARQUES ADVOGADO IVOZANGELA RODRIGUES
TEIXEIRA(OAB: 16499/MA) FARIA(OAB: 10913/PI)
ADVOGADO HUMBERTO HENRIQUE VERAS CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TEIXEIRA FILHO(OAB: 6645/MA) TRABALHO
RECORRIDO DARLA FERNANDES CARVALHO
ADVOGADO IVOZANGELA RODRIGUES Intimado(s)/Citado(s):
FARIA(OAB: 10913/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - DARLA FERNANDES CARVALHO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE BURITI

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer dos embargos para, no mérito, rejeitá-los.

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos para, no mérito, rejeitá-los.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0018098-36.2016.5.16.0023

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 75
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA


AGRAVANTE SINDICATO DOS SERVIDORES E
SERVIDORAS DO SERVICO
PUBLICO MUNICIPAL DE SITIO
NOVO ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO
TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
AGRAVANTE FEDERACAO DOS TRAB DA
ADMINISTRACAO E DO SERVICO
PUB. MUNICIPAL DO ESTADO DO Acórdão
MARANHAO
Processo Nº AIRO-0018098-36.2016.5.16.0023
ADVOGADO JOSE WALKMAR BRITTO Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
NETO(OAB: 8129/MA)
AGRAVANTE SINDICATO DOS SERVIDORES E
AGRAVANTE FEDERACAO DOS SERVIDORAS DO SERVICO
TRABALHADORES NO ENSINO E NO PUBLICO MUNICIPAL DE SITIO
SERV PUBLICO DO SUL DO NOVO ESTADO DO MARANHAO
MARANHAO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
AGRAVANTE FEDERACAO DOS TRAB DA
AGRAVADO MUNICIPIO DE SITIO NOVO ADMINISTRACAO E DO SERVICO
ADVOGADO AMADEUS PEREIRA DA SILVA(OAB: PUB. MUNICIPAL DO ESTADO DO
4408/MA) MARANHAO
ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB: ADVOGADO JOSE WALKMAR BRITTO
4401/MA) NETO(OAB: 8129/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO AGRAVANTE FEDERACAO DOS
TRABALHO TRABALHADORES NO ENSINO E NO
SERV PUBLICO DO SUL DO
MARANHAO
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO JOSENILDO GALENO
- SINDICATO DOS SERVIDORES E SERVIDORAS DO TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
SERVICO PUBLICO MUNICIPAL DE SITIO NOVO ESTADO DO AGRAVADO MUNICIPIO DE SITIO NOVO
MARANHAO
ADVOGADO AMADEUS PEREIRA DA SILVA(OAB:
4408/MA)
ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB:
4401/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- FEDERACAO DOS TRABALHADORES NO ENSINO E NO
SERV PUBLICO DO SUL DO MARANHAO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, negar-lhe no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
provimento, para manter a decisão agravada. o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, negar-lhe

provimento, para manter a decisão agravada.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 76
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, negar-lhe

provimento, para manter a decisão agravada.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0018098-36.2016.5.16.0023
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE SINDICATO DOS SERVIDORES E
SERVIDORAS DO SERVICO
PUBLICO MUNICIPAL DE SITIO
NOVO ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO
TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
AGRAVANTE FEDERACAO DOS TRAB DA
ADMINISTRACAO E DO SERVICO
PUB. MUNICIPAL DO ESTADO DO
MARANHAO Acórdão
ADVOGADO JOSE WALKMAR BRITTO Processo Nº AIRO-0018098-36.2016.5.16.0023
NETO(OAB: 8129/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE FEDERACAO DOS AGRAVANTE SINDICATO DOS SERVIDORES E
TRABALHADORES NO ENSINO E NO SERVIDORAS DO SERVICO
SERV PUBLICO DO SUL DO PUBLICO MUNICIPAL DE SITIO
MARANHAO NOVO ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO ADVOGADO JOSENILDO GALENO
TEIXEIRA(OAB: 11086/MA) TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
AGRAVADO MUNICIPIO DE SITIO NOVO AGRAVANTE FEDERACAO DOS TRAB DA
ADMINISTRACAO E DO SERVICO
ADVOGADO AMADEUS PEREIRA DA SILVA(OAB: PUB. MUNICIPAL DO ESTADO DO
4408/MA) MARANHAO
ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB: ADVOGADO JOSE WALKMAR BRITTO
4401/MA) NETO(OAB: 8129/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO AGRAVANTE FEDERACAO DOS
TRABALHO TRABALHADORES NO ENSINO E NO
SERV PUBLICO DO SUL DO
Intimado(s)/Citado(s): MARANHAO
ADVOGADO JOSENILDO GALENO
- FEDERACAO DOS TRAB DA ADMINISTRACAO E DO TEIXEIRA(OAB: 11086/MA)
SERVICO PUB. MUNICIPAL DO ESTADO DO MARANHAO
AGRAVADO MUNICIPIO DE SITIO NOVO
ADVOGADO AMADEUS PEREIRA DA SILVA(OAB:
4408/MA)
ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB:
4401/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE SITIO NOVO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 77
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) incompetência da Justiça do Trabalho, bem como a prejudicial de

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, negar-lhe manter a decisão de 1º grau.

provimento, para manter a decisão agravada.

Acórdão
Processo Nº RO-0018182-63.2017.5.16.0003
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE RAPOSA Acórdão
ADVOGADO JOAO GABINA DE OLIVEIRA(OAB: Processo Nº RO-0018182-63.2017.5.16.0003
8973/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRIDO FRANCISCA DO NASCIMENTO RECORRENTE MUNICIPIO DE RAPOSA
SILVA ADVOGADO JOAO GABINA DE OLIVEIRA(OAB:
ADVOGADO ONACY VIEIRA CARNEIRO 8973/MA)
JUNIOR(OAB: 10407/MA) RECORRIDO FRANCISCA DO NASCIMENTO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO SILVA
TRABALHO ADVOGADO ONACY VIEIRA CARNEIRO
JUNIOR(OAB: 10407/MA)
Intimado(s)/Citado(s): CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
- MUNICIPIO DE RAPOSA

Intimado(s)/Citado(s):
- FRANCISCA DO NASCIMENTO SILVA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 78
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

incompetência da Justiça do Trabalho, bem como a prejudicial de COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

manter a decisão de 1º grau. unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar

de incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, por

unanimidade, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º

grau.

Vencida a Desembargadora Relatora na preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho.

Acórdão
Processo Nº RO-0018403-83.2017.5.16.0023
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
ADVOGADO BRUNO CENDES ESCORCIO(OAB:
11910/MA) Acórdão
Processo Nº RO-0018403-83.2017.5.16.0023
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
CARVALHO(OAB: 7008/MA)
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
RECORRIDO JUCILENE CARNEIRO
ADVOGADO BRUNO CENDES ESCORCIO(OAB:
ADVOGADO MARIANA DE ARAUJO SILVA(OAB: 11910/MA)
15577/MA)
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO CARVALHO(OAB: 7008/MA)
TRABALHO
RECORRIDO JUCILENE CARNEIRO
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO MARIANA DE ARAUJO SILVA(OAB:
15577/MA)
- MUNICIPIO DE IMPERATRIZ CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- JUCILENE CARNEIRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 79
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
de incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, por unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento
unanimidade, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º parcial para definir a condenação ao pagamento do saldo de salário
grau. do mês de agosto/17 a 14 (catorze) dias, nos termos da

fundamentação do voto da Desembargadora Relatora. Custas


Vencida a Desembargadora Relatora na preliminar de Processuais na forma da lei.
incompetência da Justiça do Trabalho.

Acórdão
Processo Nº RO-0018287-31.2017.5.16.0006
Acórdão
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
Processo Nº RO-0018287-31.2017.5.16.0006
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA RECORRENTE MUNICIPIO DE SANTA QUITERIA DO
MARANHAO
RECORRENTE MUNICIPIO DE SANTA QUITERIA DO
MARANHAO ADVOGADO ANTONIO RODRIGUES MONTEIRO
NETO(OAB: 8679-A/MA)
ADVOGADO ANTONIO RODRIGUES MONTEIRO
NETO(OAB: 8679-A/MA) RECORRIDO MARIA DOS MILAGRES RIBEIRO
RECORRIDO MARIA DOS MILAGRES RIBEIRO ADVOGADO KALEO ALVES PERES(OAB: 8078/PI)
ADVOGADO KALEO ALVES PERES(OAB: 8078/PI) CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):
Intimado(s)/Citado(s): - MARIA DOS MILAGRES RIBEIRO
- MUNICIPIO DE SANTA QUITERIA DO MARANHAO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 80
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares de
parcial para definir a condenação ao pagamento do saldo de salário
incompetência da Justiça do Trabalho e de nulidade do feito por
do mês de agosto/17 a 14 (catorze) dias, nos termos da
irregularidade da representação da autora e, no mérito, negar-lhe
fundamentação do voto da Desembargadora Relatora. Custas
provimento para manter a decisão de 1º grau.
Processuais na forma da lei.

Acórdão
Processo Nº RO-0018298-57.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE ALTO ALEGRE DO
PINDARE Acórdão
ADVOGADO DIEGO FERNANDO MENDES Processo Nº RO-0018298-57.2017.5.16.0007
ROLIM(OAB: 8477/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRIDO LEUDIANE BORBA BARROS RECORRENTE MUNICIPIO DE ALTO ALEGRE DO
ADVOGADO IRANDY GARCIA DA SILVA(OAB: PINDARE
5208-A/MA) ADVOGADO DIEGO FERNANDO MENDES
ADVOGADO JURANDIR GARCIA DA SILVA(OAB: ROLIM(OAB: 8477/MA)
7388/MA) RECORRIDO LEUDIANE BORBA BARROS
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO ADVOGADO IRANDY GARCIA DA SILVA(OAB:
TRABALHO 5208-A/MA)
ADVOGADO JURANDIR GARCIA DA SILVA(OAB:
Intimado(s)/Citado(s): 7388/MA)
- MUNICIPIO DE ALTO ALEGRE DO PINDARE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 81
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO RECORRIDO MUNICIPIO DE ITINGA DO


TRABALHO MARANHAO
ADVOGADO ANTONIO PONTES DE AGUIAR
Intimado(s)/Citado(s): FILHO(OAB: 11706/MA)
ADVOGADO MARCUS VINICIUS JANSEN CUTRIM
- LEUDIANE BORBA BARROS CARDOSO(OAB: 7240/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- TANIA COSTA DOS SANTOS

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares de
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
incompetência da Justiça do Trabalho e de nulidade do feito por
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
irregularidade da representação da autora e, no mérito, negar-lhe
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
provimento para manter a decisão de 1º grau.
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0017434-98.2017.5.16.0013
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE TANIA COSTA DOS SANTOS
ADVOGADO PAULO SERGIO PEREIRA DA
SILVA(OAB: 7087/MA)
RECORRIDO MUNICIPIO DE ITINGA DO
MARANHAO
ADVOGADO ANTONIO PONTES DE AGUIAR
FILHO(OAB: 11706/MA)
Acórdão ADVOGADO MARCUS VINICIUS JANSEN CUTRIM
Processo Nº RO-0017434-98.2017.5.16.0013 CARDOSO(OAB: 7240/MA)
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
RECORRENTE TANIA COSTA DOS SANTOS TRABALHO
ADVOGADO PAULO SERGIO PEREIRA DA
SILVA(OAB: 7087/MA) Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE ITINGA DO MARANHAO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 82
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, rejeitar a preliminar de incompetência material da


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe provimento para manter
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
a decisão de 1º grau. Condenar o ente público recorrente em
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
honorários sucumbenciais no percentual de 10% (dez por cento),
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
em observância ao art. 791-A da CLT, sobre o valor que resultar da
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
liquidação de sentença/proveito econômico obtido (ou, não sendo
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa). Custas
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
Processuais pelo recorrente, porém dispensadas na forma da lei.
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0018196-35.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE SANTA INES
Acórdão
ADVOGADO MARA RUBIA ARAUJO DA SILVA Processo Nº RO-0018196-35.2017.5.16.0007
BRINGEL(OAB: 5689/MA)
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRIDO JEFERSON GAMA BRITO
RECORRENTE MUNICIPIO DE SANTA INES
ADVOGADO HAYNA BELO SANTOS(OAB:
15411/MA) ADVOGADO MARA RUBIA ARAUJO DA SILVA
BRINGEL(OAB: 5689/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO RECORRIDO JEFERSON GAMA BRITO
ADVOGADO HAYNA BELO SANTOS(OAB:
15411/MA)
Intimado(s)/Citado(s):
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
- MUNICIPIO DE SANTA INES TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- JEFERSON GAMA BRITO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 83
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

unanimidade, rejeitar a preliminar de incompetência material da o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe provimento para manter SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

a decisão de 1º grau. Condenar o ente público recorrente em Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

honorários sucumbenciais no percentual de 10% (dez por cento), COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

em observância ao art. 791-A da CLT, sobre o valor que resultar da douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

liquidação de sentença/proveito econômico obtido (ou, não sendo unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los.

possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa). Custas

Processuais pelo recorrente, porém dispensadas na forma da lei.

Acórdão
Processo Nº RO-0021686-51.2016.5.16.0023
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO
TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
Acórdão
RECORRIDO REJANE DE SOUSA QUEIROZ
Processo Nº RO-0021686-51.2016.5.16.0023
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR ADVOGADO ENNIO SILVA DE SOUSA(OAB:
16603/MA)
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO TRABALHO
TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
RECORRIDO REJANE DE SOUSA QUEIROZ Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO ENNIO SILVA DE SOUSA(OAB: - BEM VIVER - ASSOCIACAO TOCANTINA PARA O
16603/MA) DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- REJANE DE SOUSA QUEIROZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 84
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ público recorrente pelas verbas objeto da condenação.

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los. provimento ao recurso.

Acórdão
Processo Nº RO-0016126-75.2018.5.16.0018
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO Acórdão
RECORRIDO LEANDRA LEAL CABRAL Processo Nº RO-0016126-75.2018.5.16.0018
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB:
15239/MA) RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE RECORRIDO LEANDRA LEAL CABRAL
DOVERA(OAB: 54095/RS) ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB:
RECORRIDO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO 15239/MA)
E APOIO A CIDADANIA - IDAC ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO DOVERA(OAB: 54095/RS)
TRABALHO RECORRIDO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO
E APOIO A CIDADANIA - IDAC
Intimado(s)/Citado(s): CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
- LEANDRA LEAL CABRAL

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APOIO A CIDADANIA
- IDAC

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 85
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente

público recorrente pelas verbas objeto da condenação. público recorrente pelas verbas objeto da condenação.

Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava

provimento ao recurso. provimento ao recurso.

Acórdão Acórdão
Processo Nº RO-0016289-79.2018.5.16.0010 Processo Nº RO-0016289-79.2018.5.16.0010
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E
NATUREZA NATUREZA
RECORRIDO ALESSANDRO MACHADO BARRETO RECORRIDO ALESSANDRO MACHADO BARRETO
ADVOGADO DANILO COSTA SILVA(OAB: ADVOGADO DANILO COSTA SILVA(OAB:
14113/MA) 14113/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s): Intimado(s)/Citado(s):
- ALESSANDRO MACHADO BARRETO - INSTITUTO CIDADANIA E NATUREZA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 86
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

público recorrente pelas verbas objeto da condenação. unanimidade, conhecer dos embargos para acolhê-los, em parte,

para suprir a omissão e retirar a multa aplicada pelo caráter

Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava protelatório dos primeiros embargos.

provimento ao recurso.

Acórdão
Processo Nº RO-0017503-40.2016.5.16.0022
Acórdão Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
Processo Nº RO-0016228-31.2017.5.16.0019
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO VALDENIO NOGUEIRA
RECORRENTE ALTINA MONTEIRO CAMINHA(OAB: 5835/MA)
ADVOGADO ANDRE DE CARVALHO VERAS RECORRIDO NADIA DE JESUS MOTTA OLIVEIRA
ACIOLI LINS(OAB: 14504/PI)
ADVOGADO DORIANA DOS SANTOS
ADVOGADO JOSE LUCIANO FREITAS CAMELLO(OAB: 6170/MA)
HENRIQUES ACIOLI LINS
FILHO(OAB: 9139/PI) ADVOGADO ALICIA SANTANA DUARTE
MAGALHAES(OAB: 11902/MA)
ADVOGADO NAYRON LIMA BRANDAO
MIRANDA(OAB: 321682/SP) ADVOGADO PEDRO DUAILIBE
MASCARENHAS(OAB: 4632/MA)
RECORRIDO ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO ROBERTO DOS SANTOS
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO BULCAO(OAB: 12219/MA)
TRABALHO
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E
NATUREZA
Intimado(s)/Citado(s):
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
- ALTINA MONTEIRO TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO CIDADANIA E NATUREZA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 87
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los. unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los.

Acórdão Acórdão
Processo Nº RO-0017503-40.2016.5.16.0022 Processo Nº RO-0017399-56.2017.5.16.0008
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO VALDENIO NOGUEIRA RECORRIDO JORGE PAULO BEZERRA SANTOS
CAMINHA(OAB: 5835/MA) ADVOGADO RAYSSA FERREIRA
RECORRIDO NADIA DE JESUS MOTTA OLIVEIRA CANTANHEDE(OAB: 16451/MA)
ADVOGADO DORIANA DOS SANTOS ADVOGADO ALICIA SANTANA DUARTE
CAMELLO(OAB: 6170/MA) MAGALHAES(OAB: 11902/MA)
ADVOGADO ALICIA SANTANA DUARTE ADVOGADO PEDRO DUAILIBE
MAGALHAES(OAB: 11902/MA) MASCARENHAS(OAB: 4632/MA)
ADVOGADO PEDRO DUAILIBE ADVOGADO ROBERTO DOS SANTOS
MASCARENHAS(OAB: 4632/MA) BULCAO(OAB: 12219/MA)
ADVOGADO ROBERTO DOS SANTOS ADVOGADO DORIANA DOS SANTOS
BULCAO(OAB: 12219/MA) CAMELLO(OAB: 6170/MA)
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
NATUREZA TRABALHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):
- JORGE PAULO BEZERRA SANTOS
Intimado(s)/Citado(s):
- NADIA DE JESUS MOTTA OLIVEIRA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 88
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

público recorrente pelas verbas objeto da condenação. unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento parcial para excluir a responsabilidade subsidiária do

Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava ente público recorrente pelas verbas objeto da condenação.

provimento ao recurso.

Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava

provimento ao recurso.

Acórdão
Processo Nº RO-0016080-86.2018.5.16.0018
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO Acórdão
RECORRIDO RAIMUNDO NONATO CABRAL SILVA Processo Nº RO-0016080-86.2018.5.16.0018
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
DOVERA(OAB: 54095/RS) RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB: RECORRIDO RAIMUNDO NONATO CABRAL SILVA
15239/MA) ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
RECORRIDO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DOVERA(OAB: 54095/RS)
E APOIO A CIDADANIA - IDAC ADVOGADO MAYARA ALMEIDA BOGEA(OAB:
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO 15239/MA)
TRABALHO RECORRIDO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO
E APOIO A CIDADANIA - IDAC
Intimado(s)/Citado(s): CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
- RAIMUNDO NONATO CABRAL SILVA

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E APOIO A CIDADANIA
- IDAC

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 89
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
provimento parcial para excluir a responsabilidade subsidiária do unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los.
ente público recorrente pelas verbas objeto da condenação.

Vencido o Desembargador Luiz Cosmo da Silva Júnior que negava

provimento ao recurso.

Acórdão
Processo Nº RO-0021738-47.2016.5.16.0023
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO
TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
RECORRIDO ARACY MORAIS DE AGUIAR
ADVOGADO ENNIO SILVA DE SOUSA(OAB:
Acórdão 16603/MA)
Processo Nº RO-0021738-47.2016.5.16.0023 CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR TRABALHO
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO BEM VIVER - ASSOCIACAO Intimado(s)/Citado(s):
TOCANTINA PARA O - ARACY MORAIS DE AGUIAR
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE
RECORRIDO ARACY MORAIS DE AGUIAR
ADVOGADO ENNIO SILVA DE SOUSA(OAB:
16603/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- BEM VIVER - ASSOCIACAO TOCANTINA PARA O
DESENVOLVIMENTO DA SAUDE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 90
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores unanimidade, conhecer dos embargos e, no mérito, rejeitá-los,

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ aplicando ao embargante multa de 2% sobre valor atualizado da

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) causa, com fulcro no art. 1.026, § 2º, do CPC.

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los.

Acórdão
Processo Nº RO-0016400-85.2017.5.16.0014
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Acórdão
Processo Nº RO-0016400-85.2017.5.16.0014
RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO ERIKO JOSE DOMINGUES DA SILVA RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR
RIBEIRO(OAB: 4835/MA)
ADVOGADO ERIKO JOSE DOMINGUES DA SILVA
ADVOGADO CARLOS SEABRA DE CARVALHO RIBEIRO(OAB: 4835/MA)
COELHO(OAB: 4773/MA)
ADVOGADO CARLOS SEABRA DE CARVALHO
ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA COELHO(OAB: 4773/MA)
TOLENTINO(OAB: 17675/MA)
ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA
RECORRIDO MARIA YRES FERREIRA DA SILVA TOLENTINO(OAB: 17675/MA)
LUZ
RECORRIDO MARIA YRES FERREIRA DA SILVA
ADVOGADO FRANCISCO COELHO FONTES(OAB: LUZ
6883/MA)
ADVOGADO FRANCISCO COELHO FONTES(OAB:
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO 6883/MA)
TRABALHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE MIRADOR Intimado(s)/Citado(s):
- MARIA YRES FERREIRA DA SILVA LUZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 91
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos e, no mérito, rejeitá-los, unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar

aplicando ao embargante multa de 2% sobre valor atualizado da de incompetência da Justiça do Trabalho para apreciar e julgar o

causa, com fulcro no art. 1.026, § 2º, do CPC. feito e, no mérito, por unanimidade, negar-lhe provimento,

mantendo a sentença em sua integralidade, nos termos da

fundamentação do voto da Desembargadora Relatora. Custas pelo

ente público, porém dispensadas em razão do disposto no inciso I

do art. 790-A da CLT.

Acórdão
Processo Nº RO-0016157-84.2016.5.16.0012
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
ADVOGADO KASSIO RONALDO BRITO
Acórdão SILVA(OAB: 6838/MA)
Processo Nº RO-0016157-84.2016.5.16.0012
ADVOGADO BRUNO CENDES ESCORCIO(OAB:
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA 11910/MA)
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ RECORRIDO FRANCISCA DA COSTA OLIVEIRA
ADVOGADO KASSIO RONALDO BRITO ADVOGADO SHIRLENE CABRAL SILVA(OAB:
SILVA(OAB: 6838/MA) 9468/MA)
ADVOGADO BRUNO CENDES ESCORCIO(OAB: CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
11910/MA) TRABALHO
RECORRIDO FRANCISCA DA COSTA OLIVEIRA
ADVOGADO SHIRLENE CABRAL SILVA(OAB: Intimado(s)/Citado(s):
9468/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - FRANCISCA DA COSTA OLIVEIRA
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE IMPERATRIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 92
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de nulidade

unanimidade, conhecer do recurso, por maioria, rejeitar a preliminar da sentença por cerceamento do direito de defesa e, no mérito, por

de incompetência da Justiça do Trabalho para apreciar e julgar o maioria, dar-lhe provimento para excluir a responsabilidade

feito e, no mérito, por unanimidade, negar-lhe provimento, subsidiária do ente público recorrente.

mantendo a sentença em sua integralidade, nos termos da

fundamentação do voto da Desembargadora Relatora. Custas pelo

ente público, porém dispensadas em razão do disposto no inciso I

do art. 790-A da CLT.

Acórdão
Processo Nº RO-0018165-09.2017.5.16.0009
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO ERLLS MARTINS CAVALCANTI(OAB:
5419/MA)
Acórdão RECORRIDO INSTITUTO CORPORE PARA O
Processo Nº RO-0018165-09.2017.5.16.0009 DESENVOLVIMENTO DA
QUALIDADE DE VIDA
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO ATILA SAUNER POSSE(OAB:
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO 35249/PR)
ADVOGADO ERLLS MARTINS CAVALCANTI(OAB: RECORRIDO LUZANIR ARAUJO SOUSA DE
5419/MA) OLIVEIRA
RECORRIDO INSTITUTO CORPORE PARA O ADVOGADO GLAUBER ROGERS CANTANHEDE
DESENVOLVIMENTO DA PAIVA FRAZAO(OAB: 13369/MA)
QUALIDADE DE VIDA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ADVOGADO ATILA SAUNER POSSE(OAB: TRABALHO
35249/PR)
RECORRIDO LUZANIR ARAUJO SOUSA DE
OLIVEIRA Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO GLAUBER ROGERS CANTANHEDE - INSTITUTO CORPORE PARA O DESENVOLVIMENTO DA
PAIVA FRAZAO(OAB: 13369/MA) QUALIDADE DE VIDA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- LUZANIR ARAUJO SOUSA DE OLIVEIRA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de nulidade
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
da sentença por cerceamento do direito de defesa e, no mérito, por
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
maioria, dar-lhe provimento para excluir a responsabilidade

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 93
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

subsidiária do ente público recorrente.

Acórdão
Processo Nº RO-0016162-14.2018.5.16.0020
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO SALETH DE SOUSA GOMES
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
Acórdão DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
Processo Nº RO-0016162-14.2018.5.16.0020
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA TRABALHO
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO Intimado(s)/Citado(s):
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO SALETH DE SOUSA GOMES - SALETH DE SOUSA GOMES
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores provimento para manter a sentença, nos termos da fundamentação

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ do voto da Desembargadora Relatora.

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a sentença, nos termos da fundamentação

do voto da Desembargadora Relatora.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 94
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA


RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
Acórdão RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E
Processo Nº RO-0018044-05.2017.5.16.0001 NATUREZA
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA RECORRIDO LEONARDO FERREIRA SERRA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO ADVOGADO ROBERTO DOS SANTOS
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E BULCAO(OAB: 12219/MA)
NATUREZA ADVOGADO ALICIA SANTANA DUARTE
RECORRIDO LEONARDO FERREIRA SERRA MAGALHAES(OAB: 11902/MA)
ADVOGADO ROBERTO DOS SANTOS ADVOGADO PEDRO DUAILIBE
BULCAO(OAB: 12219/MA) MASCARENHAS(OAB: 4632/MA)
ADVOGADO ALICIA SANTANA DUARTE ADVOGADO RAYSSA FERREIRA
MAGALHAES(OAB: 11902/MA) CANTANHEDE(OAB: 16451/MA)
ADVOGADO PEDRO DUAILIBE ADVOGADO DORIANA DOS SANTOS
MASCARENHAS(OAB: 4632/MA) CAMELLO(OAB: 6170/MA)
ADVOGADO RAYSSA FERREIRA CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
CANTANHEDE(OAB: 16451/MA) TRABALHO
ADVOGADO DORIANA DOS SANTOS
CAMELLO(OAB: 6170/MA) Intimado(s)/Citado(s):
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - LEONARDO FERREIRA SERRA
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO CIDADANIA E NATUREZA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
unanimidade, conhecer do recurso ordinário, rejeitar a preliminar de
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
incompletude e, no mérito, por maioria, dar-lhe provimento excluir a
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
responsabilidade subsidiária do ente público pelos encargos
unanimidade, conhecer do recurso ordinário, rejeitar a preliminar de
trabalhistas objeto da condenação.
incompletude e, no mérito, por maioria, dar-lhe provimento excluir a

responsabilidade subsidiária do ente público pelos encargos

trabalhistas objeto da condenação.

Acórdão
Processo Nº RO-0018348-54.2015.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
Acórdão RECORRIDO MAFRA SEGURANCA PRIVADA
Processo Nº RO-0018044-05.2017.5.16.0001 LTDA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 95
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECORRIDO ADAGELSON JARDIM PONTES


ADVOGADO GABRIEL FRANCO REIS(OAB:
11476/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- ADAGELSON JARDIM PONTES
Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
ilegitimidade passiva ad causam e, no mérito, por maioria, dar-lhe
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
público recorrente.
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

ilegitimidade passiva ad causam e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente

público recorrente.

Acórdão
Processo Nº RO-0016211-94.2018.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE IGARAPE DO MEIO
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
5332/MA)
RECORRIDO RENATO CESAR OLIVEIRA PEREIRA
ADVOGADO HAROLFRANN ALVES DE MELO
JUNIOR(OAB: 12632/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Acórdão
Processo Nº RO-0018348-54.2015.5.16.0007 Intimado(s)/Citado(s):
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
- MUNICIPIO DE IGARAPE DO MEIO
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO MAFRA SEGURANCA PRIVADA
LTDA
RECORRIDO ADAGELSON JARDIM PONTES
ADVOGADO GABRIEL FRANCO REIS(OAB:
11476/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MAFRA SEGURANCA PRIVADA LTDA
Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 96
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores incompetência da Justiça do Trabalho, no mérito, negar-lhe

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ provimento para manter a decisão de 1º grau.

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016448-74.2017.5.16.0004
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE RAPOSA
ADVOGADO JOAO GABINA DE OLIVEIRA(OAB:
8973/MA)
RECORRIDO MARIA DO ROSARIO RIBEIRO
ALVES
Acórdão ADVOGADO ONACY VIEIRA CARNEIRO
Processo Nº RO-0016211-94.2018.5.16.0007 JUNIOR(OAB: 10407/MA)
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
RECORRENTE MUNICIPIO DE IGARAPE DO MEIO TRABALHO
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
5332/MA) Intimado(s)/Citado(s):
RECORRIDO RENATO CESAR OLIVEIRA PEREIRA
- MUNICIPIO DE RAPOSA
ADVOGADO HAROLFRANN ALVES DE MELO
JUNIOR(OAB: 12632/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- RENATO CESAR OLIVEIRA PEREIRA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
incompetência da Justiça do Trabalho, bem como a prejudicial de
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
manter a decisão de 1º grau.
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 97
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016851-52.2017.5.16.0001
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE FABIANO SILVA CARNEIRO
ADVOGADO MARCUS VINICIUS PEREIRA
Acórdão SILVA(OAB: 8719/MA)
Processo Nº RO-0016448-74.2017.5.16.0004
RECORRENTE ITAU UNIBANCO HOLDING S.A.
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO MOISES NETO DE OLIVEIRA(OAB:
RECORRENTE MUNICIPIO DE RAPOSA 8012/CE)
ADVOGADO JOAO GABINA DE OLIVEIRA(OAB: RECORRIDO ITAU UNIBANCO HOLDING S.A.
8973/MA)
ADVOGADO MOISES NETO DE OLIVEIRA(OAB:
RECORRIDO MARIA DO ROSARIO RIBEIRO 8012/CE)
ALVES
RECORRIDO FABIANO SILVA CARNEIRO
ADVOGADO ONACY VIEIRA CARNEIRO
JUNIOR(OAB: 10407/MA) ADVOGADO MARCUS VINICIUS PEREIRA
SILVA(OAB: 8719/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):
Intimado(s)/Citado(s): - FABIANO SILVA CARNEIRO
- MARIA DO ROSARIO RIBEIRO ALVES

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por unanimidade, conhecer de ambos os recursos e, no mérito, negar
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de provimento ao recurso do reclamante e conceder parcial provimento
incompetência da Justiça do Trabalho, bem como a prejudicial de ao recurso do reclamado para determinar o pagamento como extra,
prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para apenas 1 (uma) hora por dia, em decorrência do intervalo
manter a decisão de 1º grau. intrajornada não respeitado.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 98
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº AIRO-0017111-79.2015.5.16.0008
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
AGRAVANTE DRI METAL INDUSTRIA
METALURGICA LTDA - ME
ADVOGADO LISIANE DE FATIMA ZORZO(OAB:
8114-B/MT)
Acórdão
Processo Nº RO-0016851-52.2017.5.16.0001 AGRAVADO R. D. S. G. F.
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
RECORRENTE FABIANO SILVA CARNEIRO
AGRAVADO W. C. G.
ADVOGADO MARCUS VINICIUS PEREIRA
SILVA(OAB: 8719/MA) ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
RECORRENTE ITAU UNIBANCO HOLDING S.A.
AGRAVADO ANDRE CARDOSO GOMES
ADVOGADO MOISES NETO DE OLIVEIRA(OAB:
8012/CE) ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
RECORRIDO ITAU UNIBANCO HOLDING S.A.
AGRAVADO WANDERSON CARDOSO GOMES
ADVOGADO MOISES NETO DE OLIVEIRA(OAB:
8012/CE) ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
RECORRIDO FABIANO SILVA CARNEIRO
ADVOGADO MARCUS VINICIUS PEREIRA
SILVA(OAB: 8719/MA) Intimado(s)/Citado(s):
- DRI METAL INDUSTRIA METALURGICA LTDA - ME
Intimado(s)/Citado(s):
- ITAU UNIBANCO HOLDING S.A.

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los e, ante seu
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
caráter protelatório, condenar a parte embargante a pagar ao
unanimidade, conhecer de ambos os recursos e, no mérito, negar
embargado multa de 2% sobre o valor da causa, na forma do art.
provimento ao recurso do reclamante e conceder parcial provimento
1.026, § 2º, do Novo CPC.
ao recurso do reclamado para determinar o pagamento como extra,

apenas 1 (uma) hora por dia, em decorrência do intervalo

intrajornada não respeitado.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 99
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão Acórdão
Processo Nº AIRO-0017111-79.2015.5.16.0008 Processo Nº AIRO-0017111-79.2015.5.16.0008
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
AGRAVANTE DRI METAL INDUSTRIA AGRAVANTE DRI METAL INDUSTRIA
METALURGICA LTDA - ME METALURGICA LTDA - ME
ADVOGADO LISIANE DE FATIMA ZORZO(OAB: ADVOGADO LISIANE DE FATIMA ZORZO(OAB:
8114-B/MT) 8114-B/MT)
AGRAVADO R. D. S. G. F. AGRAVADO R. D. S. G. F.
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO W. C. G. AGRAVADO W. C. G.
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO ANDRE CARDOSO GOMES AGRAVADO ANDRE CARDOSO GOMES
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO WANDERSON CARDOSO GOMES AGRAVADO WANDERSON CARDOSO GOMES
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)

Intimado(s)/Citado(s): Intimado(s)/Citado(s):
- W. C. G. - R. D. S. G. F.

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los e, ante seu unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los e, ante seu

caráter protelatório, condenar a parte embargante a pagar ao caráter protelatório, condenar a parte embargante a pagar ao

embargado multa de 2% sobre o valor da causa, na forma do art. embargado multa de 2% sobre o valor da causa, na forma do art.

1.026, § 2º, do Novo CPC. 1.026, § 2º, do Novo CPC.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 100
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão Acórdão
Processo Nº AIRO-0017111-79.2015.5.16.0008 Processo Nº AIRO-0017111-79.2015.5.16.0008
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
AGRAVANTE DRI METAL INDUSTRIA AGRAVANTE DRI METAL INDUSTRIA
METALURGICA LTDA - ME METALURGICA LTDA - ME
ADVOGADO LISIANE DE FATIMA ZORZO(OAB: ADVOGADO LISIANE DE FATIMA ZORZO(OAB:
8114-B/MT) 8114-B/MT)
AGRAVADO R. D. S. G. F. AGRAVADO R. D. S. G. F.
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO W. C. G. AGRAVADO W. C. G.
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO ANDRE CARDOSO GOMES AGRAVADO ANDRE CARDOSO GOMES
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)
AGRAVADO WANDERSON CARDOSO GOMES AGRAVADO WANDERSON CARDOSO GOMES
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA ADVOGADO JOSE RAIMUNDO COSTA
MAGALHAES(OAB: 5713/MA) MAGALHAES(OAB: 5713/MA)

Intimado(s)/Citado(s): Intimado(s)/Citado(s):
- ANDRE CARDOSO GOMES - WANDERSON CARDOSO GOMES

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los e, ante seu unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los e, ante seu

caráter protelatório, condenar a parte embargante a pagar ao caráter protelatório, condenar a parte embargante a pagar ao

embargado multa de 2% sobre o valor da causa, na forma do art. embargado multa de 2% sobre o valor da causa, na forma do art.

1.026, § 2º, do Novo CPC. 1.026, § 2º, do Novo CPC.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 101
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Processo Nº RO-0016141-77.2018.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
5332/MA)
Acórdão RECORRIDO EDILENE RODRIGUES DE SOUSA
Processo Nº RO-0016141-77.2018.5.16.0007 ROCHA
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA 3177/MA)
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB: CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
5332/MA) TRABALHO
RECORRIDO EDILENE RODRIGUES DE SOUSA
ROCHA Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB: - EDILENE RODRIGUES DE SOUSA ROCHA
3177/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE ZE DOCA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) provimento para manter a decisão de 1º grau.
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016283-69.2013.5.16.0003
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE COMPANHIA ENERG?TICA DO
MARANH?O-CEMAR
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB:
Acórdão 7145/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 102
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA


MENDONCA(OAB: 7179/MA)
RECORRENTE PROVIDER SOLUCOES Acórdão
TECNOLOGICAS LTDA
Processo Nº RO-0016283-69.2013.5.16.0003
ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
CORREA(OAB: 8375-D/PE)
RECORRENTE COMPANHIA ENERG?TICA DO
RECORRIDO PROVIDER SOLUCOES MARANH?O-CEMAR
TECNOLOGICAS LTDA
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB:
ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO 7145/MA)
CORREA(OAB: 8375-D/PE)
ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA
RECORRIDO FLAVIA FERNANDA LEITE SILVA MENDONCA(OAB: 7179/MA)
ADVOGADO EMILIA JOSEFA GOMES RECORRENTE PROVIDER SOLUCOES
ALMEIDA(OAB: 10368/MA) TECNOLOGICAS LTDA
RECORRIDO COMPANHIA ENERG?TICA DO ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO
MARANH?O-CEMAR CORREA(OAB: 8375-D/PE)
ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA RECORRIDO PROVIDER SOLUCOES
MENDONCA(OAB: 7179/MA) TECNOLOGICAS LTDA
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB: ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO
7145/MA) CORREA(OAB: 8375-D/PE)
RECORRIDO FLAVIA FERNANDA LEITE SILVA
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO EMILIA JOSEFA GOMES
- COMPANHIA ENERG?TICA DO MARANH?O-CEMAR ALMEIDA(OAB: 10368/MA)
RECORRIDO COMPANHIA ENERG?TICA DO
MARANH?O-CEMAR
ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA
MENDONCA(OAB: 7179/MA)
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB:
7145/MA)

Intimado(s)/Citado(s):
- PROVIDER SOLUCOES TECNOLOGICAS LTDA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

unanimidade, conhecer dos recursos e, no mérito, negar-lhes no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

provimento para manter a decisão de base. o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos recursos e, no mérito, negar-lhes

provimento para manter a decisão de base.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 103
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016283-69.2013.5.16.0003
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE COMPANHIA ENERG?TICA DO
MARANH?O-CEMAR
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB:
7145/MA)
ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA
MENDONCA(OAB: 7179/MA)
RECORRENTE PROVIDER SOLUCOES
TECNOLOGICAS LTDA Acórdão
Processo Nº RO-0016495-36.2017.5.16.0008
ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
CORREA(OAB: 8375-D/PE)
RECORRENTE MUNICIPIO DE VITORINO FREIRE
RECORRIDO PROVIDER SOLUCOES
TECNOLOGICAS LTDA ADVOGADO MAYARA RAYANNE LOPES
ALVES(OAB: 16925/MA)
ADVOGADO FREDERICO DA COSTA PINTO
CORREA(OAB: 8375-D/PE) ADVOGADO MARTINA SOUSA DE
ALENCAR(OAB: 16097/MA)
RECORRIDO FLAVIA FERNANDA LEITE SILVA
ADVOGADO FERNANDO SILVA
ADVOGADO EMILIA JOSEFA GOMES CAVALCANTE(OAB: 16000/MA)
ALMEIDA(OAB: 10368/MA)
RECORRIDO FIRMINO JUSTINO FERREIRA
RECORRIDO COMPANHIA ENERG?TICA DO
MARANH?O-CEMAR ADVOGADO JOSE WELLINGTON PINTO
GONCALVES(OAB: 8697/MA)
ADVOGADO ANNALISA SOUSA SILVA CORREIA
MENDONCA(OAB: 7179/MA) CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
ADVOGADO GUSTAVO MENEZES ROCHA(OAB:
7145/MA)
Intimado(s)/Citado(s):
Intimado(s)/Citado(s): - MUNICIPIO DE VITORINO FREIRE
- FLAVIA FERNANDA LEITE SILVA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe
unanimidade, conhecer dos recursos e, no mérito, negar-lhes provimento para manter íntegra a decisão de primeiro grau.
provimento para manter a decisão de base.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 104
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016495-36.2017.5.16.0008
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE VITORINO FREIRE Acórdão
ADVOGADO MAYARA RAYANNE LOPES Processo Nº RO-0016465-34.2018.5.16.0018
ALVES(OAB: 16925/MA) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO MARTINA SOUSA DE RECORRENTE MUNICIPIO DE PAULINO NEVES
ALENCAR(OAB: 16097/MA) ADVOGADO PEDRO DURANS BRAID
ADVOGADO FERNANDO SILVA RIBEIRO(OAB: 10255/MA)
CAVALCANTE(OAB: 16000/MA) RECORRENTE SALVELINA GARCES FERREIRA
RECORRIDO FIRMINO JUSTINO FERREIRA ADVOGADO MARIA LUCIA DE AQUINO
ADVOGADO JOSE WELLINGTON PINTO SILVA(OAB: 8669/PI)
GONCALVES(OAB: 8697/MA) RECORRIDO SALVELINA GARCES FERREIRA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO ADVOGADO MARIA LUCIA DE AQUINO
TRABALHO SILVA(OAB: 8669/PI)
RECORRIDO MUNICIPIO DE PAULINO NEVES
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO PEDRO DURANS BRAID
- FIRMINO JUSTINO FERREIRA RIBEIRO(OAB: 10255/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE PAULINO NEVES

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
provimento para manter íntegra a decisão de primeiro grau.
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos recursos, e, no mérito, negar

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 105
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

provimento ao recurso do Município e dar provimento ao recurso da Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

autora para deferir os depósitos fundiários do período de COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

01/03/2009 a 27/06/2013. Custas processuais na forma da lei. douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos recursos, e, no mérito, negar

provimento ao recurso do Município e dar provimento ao recurso da

autora para deferir os depósitos fundiários do período de

01/03/2009 a 27/06/2013. Custas processuais na forma da lei.

Acórdão
Processo Nº RO-0016465-34.2018.5.16.0018
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE MUNICIPIO DE PAULINO NEVES
ADVOGADO PEDRO DURANS BRAID
RIBEIRO(OAB: 10255/MA)
RECORRENTE SALVELINA GARCES FERREIRA Acórdão
ADVOGADO MARIA LUCIA DE AQUINO Processo Nº RO-0018347-10.2017.5.16.0004
SILVA(OAB: 8669/PI) Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRIDO SALVELINA GARCES FERREIRA RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
ADVOGADO MARIA LUCIA DE AQUINO RECORRIDO MASP - MARANHENSE SERVICOS
SILVA(OAB: 8669/PI) PROFISSIONAIS LTDA
RECORRIDO MUNICIPIO DE PAULINO NEVES ADVOGADO GABRIELE LOPES
CARVALHAL(OAB: 9659/MA)
ADVOGADO PEDRO DURANS BRAID
RIBEIRO(OAB: 10255/MA) RECORRIDO ITABAJARA OLIVEIRA DE JESUS
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO ADVOGADO RAIMUNDO RIBEIRO
TRABALHO GONCALVES(OAB: 4388/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Intimado(s)/Citado(s): TRABALHO

- SALVELINA GARCES FERREIRA


Intimado(s)/Citado(s):
- ITABAJARA OLIVEIRA DE JESUS

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 106
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE público recorrente.

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente

público recorrente.

Acórdão
Processo Nº RO-0016645-86.2018.5.16.0006
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE ANAPURUS
ADVOGADO WEMERSON TIAGO ALVES AMORIM
SILVA(OAB: 13543/MA)
ADVOGADO LUAN LESSA SANTOS(OAB:
15749/MA)
RECORRIDO MARIA DAS DORES PEREIRA
MONTELES
ADVOGADO FELIPE THIAGO SERRA NETO(OAB:
Acórdão 15718/MA)
Processo Nº RO-0018347-10.2017.5.16.0004 CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA TRABALHO
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO MASP - MARANHENSE SERVICOS Intimado(s)/Citado(s):
PROFISSIONAIS LTDA
- MUNICIPIO DE ANAPURUS
ADVOGADO GABRIELE LOPES
CARVALHAL(OAB: 9659/MA)
RECORRIDO ITABAJARA OLIVEIRA DE JESUS
ADVOGADO RAIMUNDO RIBEIRO
GONCALVES(OAB: 4388/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MASP - MARANHENSE SERVICOS PROFISSIONAIS LTDA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
unanimidade, conhecer do recurso ordinário, rejeitar a preliminar de
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
incompetência material da Justiça do Trabalho e a prejudicial de
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
manter a decisão de 1º grau.
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para excluir a responsabilidade subsidiária do ente

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 107
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016645-86.2018.5.16.0006
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE ANAPURUS
ADVOGADO WEMERSON TIAGO ALVES AMORIM
SILVA(OAB: 13543/MA)
ADVOGADO LUAN LESSA SANTOS(OAB:
15749/MA)
RECORRIDO MARIA DAS DORES PEREIRA Acórdão
MONTELES Processo Nº RO-0016362-21.2018.5.16.0020
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO FELIPE THIAGO SERRA NETO(OAB:
15718/MA) RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
TRABALHO LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO MAGUIDA BARBOSA DE LIMA REIS
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
- MARIA DAS DORES PEREIRA MONTELES
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso ordinário, rejeitar a preliminar de Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
incompetência material da Justiça do Trabalho e a prejudicial de COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
prescrição quinquenal e, no mérito, negar-lhe provimento para douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
manter a decisão de 1º grau. unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 108
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

provimento para manter a sentença, nos termos da fundamentação

do voto da Desembargadora Relatora.

Acórdão
Processo Nº RO-0017904-44.2017.5.16.0009
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO INSTITUTO CORPORE PARA O
DESENVOLVIMENTO DA
QUALIDADE DE VIDA
ADVOGADO ATILA SAUNER POSSE(OAB:
Acórdão 35249/PR)
Processo Nº RO-0016362-21.2018.5.16.0020 RECORRIDO DAIANE SANTOS DA SILVA
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA ADVOGADO GLAUBER ROGERS CANTANHEDE
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO PAIVA FRAZAO(OAB: 13369/MA)
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
LAGO(OAB: 7744/MA) TRABALHO
RECORRIDO MAGUIDA BARBOSA DE LIMA REIS
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO Intimado(s)/Citado(s):
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
- DAIANE SANTOS DA SILVA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MAGUIDA BARBOSA DE LIMA REIS

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
ilegitimidade passiva ad causam e, no mérito, por maioria, dar-lhe
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
provimento excluir a responsabilidade subsidiária do ente público
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
pelos encargos trabalhistas objeto da condenação.
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a sentença, nos termos da fundamentação

do voto da Desembargadora Relatora.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 109
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0018910-95.2017.5.16.0006
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E
Acórdão NATUREZA
Processo Nº RO-0017904-44.2017.5.16.0009
RECORRIDO JOSE ANSELMO SERRA
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO EUCLIDES FIGUEIREDO CORREA
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO CABRAL(OAB: 123477/MG)
RECORRIDO INSTITUTO CORPORE PARA O ADVOGADO PEDRO VINICIUS VIEIRA
DESENVOLVIMENTO DA BECKMAN(OAB: 14399/MA)
QUALIDADE DE VIDA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ADVOGADO ATILA SAUNER POSSE(OAB: TRABALHO
35249/PR)
RECORRIDO DAIANE SANTOS DA SILVA
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO GLAUBER ROGERS CANTANHEDE
PAIVA FRAZAO(OAB: 13369/MA) - JOSE ANSELMO SERRA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO CORPORE PARA O DESENVOLVIMENTO DA
QUALIDADE DE VIDA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ parcial provimento para excluir da condenação a responsabilidade

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) do ente público pelas parcelas da condenação e deferir ao ente

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por público honorários advocatícios pelo reclamante, no valor de 5% da

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de condenação, obrigação que ficará sob condição suspensiva de

ilegitimidade passiva ad causam e, no mérito, por maioria, dar-lhe exigibilidade.

provimento excluir a responsabilidade subsidiária do ente público

pelos encargos trabalhistas objeto da condenação.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 110
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO ANTONIO PONTES DE AGUIAR


Acórdão FILHO(OAB: 11706/MA)
Processo Nº RO-0018910-95.2017.5.16.0006 ADVOGADO MARCUS VINICIUS JANSEN CUTRIM
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA CARDOSO(OAB: 7240/MA)
RECORRENTE ESTADO DO MARANHAO RECORRIDO ADRIELLY SILVA SOUSA
RECORRIDO INSTITUTO CIDADANIA E ADVOGADO MAYCON LIMA ANDRADE(OAB:
NATUREZA 17412/MA)
RECORRIDO JOSE ANSELMO SERRA CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ADVOGADO EUCLIDES FIGUEIREDO CORREA TRABALHO
CABRAL(OAB: 123477/MG)
ADVOGADO PEDRO VINICIUS VIEIRA Intimado(s)/Citado(s):
BECKMAN(OAB: 14399/MA)
- MUNICIPIO DE ITINGA DO MARANHAO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- INSTITUTO CIDADANIA E NATUREZA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, rejeitar a preliminar de incompetência da Justiça do

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) Trabalho e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por de 1º grau, nos termos da fundamentação do voto da

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe Desembargadora Relatora.

parcial provimento para excluir da condenação a responsabilidade

do ente público pelas parcelas da condenação e deferir ao ente

público honorários advocatícios pelo reclamante, no valor de 5% da

condenação, obrigação que ficará sob condição suspensiva de

exigibilidade.

Acórdão
Processo Nº RO-0016289-70.2018.5.16.0013
Acórdão Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
Processo Nº RO-0016289-70.2018.5.16.0013 RECORRENTE MUNICIPIO DE ITINGA DO
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA MARANHAO
RECORRENTE MUNICIPIO DE ITINGA DO ADVOGADO ANTONIO PONTES DE AGUIAR
MARANHAO FILHO(OAB: 11706/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 111
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO MARCUS VINICIUS JANSEN CUTRIM


CARDOSO(OAB: 7240/MA) Intimado(s)/Citado(s):
RECORRIDO ADRIELLY SILVA SOUSA
- LASTRO ENGENHARIA E INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO MAYCON LIMA ANDRADE(OAB:
17412/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- ADRIELLY SILVA SOUSA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
provimento para estender o benefício da justiça gratuita para
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
alcançar o depósito recursal.
COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, rejeitar a preliminar de incompetência da Justiça do

Trabalho e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão

de 1º grau, nos termos da fundamentação do voto da

Desembargadora Relatora.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0016373-26.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
PENHA(OAB: 6682/MA)
AGRAVADO DANIEL FERREIRA DA SILVA
ADVOGADO TIAGO MARTINS SAMPAIO(OAB:
14480/MA)

Intimado(s)/Citado(s):
- DANIEL FERREIRA DA SILVA

Acórdão
Processo Nº AIRO-0016373-26.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
PENHA(OAB: 6682/MA)
AGRAVADO DANIEL FERREIRA DA SILVA
ADVOGADO TIAGO MARTINS SAMPAIO(OAB:
14480/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 112
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional provimento para estender os benefícios da justiça gratuita para

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada alcançar o depósito recursal.

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para estender o benefício da justiça gratuita para

alcançar o depósito recursal.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0016375-93.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
PENHA(OAB: 6682/MA)
AGRAVADO GEARLISON CORREIA LOBO
ADVOGADO TIAGO MARTINS SAMPAIO(OAB:
14480/MA)

Intimado(s)/Citado(s):
- GEARLISON CORREIA LOBO
Acórdão
Processo Nº AIRO-0016375-93.2017.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
PENHA(OAB: 6682/MA)
AGRAVADO GEARLISON CORREIA LOBO
ADVOGADO TIAGO MARTINS SAMPAIO(OAB:
14480/MA)

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional


Intimado(s)/Citado(s):
- LASTRO ENGENHARIA E INCORPORACOES LTDA. do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, por maioria, dar-lhe

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional provimento para estender os benefícios da justiça gratuita para

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada alcançar o depósito recursal.

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, por maioria, dar-lhe

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 113
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO MARCELO AGUIAR


CARVALHO(OAB: 4649/PI)
RECORRIDO EMS S/A
ADVOGADO FERNANDO ROGERIO
PELUSO(OAB: 207679/SP)
Acórdão
Processo Nº RO-0016001-12.2015.5.16.0019 Intimado(s)/Citado(s):
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA - EMS S/A
RECORRENTE JANGSON OLIVEIRA DE CARVALHO
ADVOGADO MARCELO AGUIAR
CARVALHO(OAB: 4649/PI)
RECORRIDO EMS S/A
ADVOGADO FERNANDO ROGERIO
PELUSO(OAB: 207679/SP)

Intimado(s)/Citado(s):
- JANGSON OLIVEIRA DE CARVALHO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE provimento para manter a decisão de 1º grau.

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0016034-04.2016.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
PENHA(OAB: 6682/MA)
ADVOGADO WINDSOR SILVA DOS SANTOS(OAB:
4214/MA)
AGRAVADO CAIXA ECONOMICA FEDERAL
Acórdão ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA
Processo Nº RO-0016001-12.2015.5.16.0019 MEIRELES(OAB: 3412/MA)
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVADO FRANCISCO DOS SANTOS
RECORRENTE JANGSON OLIVEIRA DE CARVALHO GALDENCIO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 114
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO EDMILSON ALVES DE AGUIAR(OAB: Intimado(s)/Citado(s):


3229/MA)
- FRANCISCO DOS SANTOS GALDENCIO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- LASTRO ENGENHARIA E INCORPORACOES LTDA.

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, por maioria, dar-lhe

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a) provimento para estender o benefício da justiça gratuita para

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por alcançar a exigência do deposito recursal, e consequentemente,

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, por maioria, dar-lhe afastar a deserção.

provimento para estender o benefício da justiça gratuita para

alcançar a exigência do deposito recursal, e consequentemente,

afastar a deserção.

Acórdão
Processo Nº AIRO-0016034-04.2016.5.16.0007
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E
INCORPORACOES LTDA.
Acórdão ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO
Processo Nº AIRO-0016034-04.2016.5.16.0007 PENHA(OAB: 6682/MA)
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA ADVOGADO WINDSOR SILVA DOS SANTOS(OAB:
AGRAVANTE LASTRO ENGENHARIA E 4214/MA)
INCORPORACOES LTDA. AGRAVADO CAIXA ECONOMICA FEDERAL
ADVOGADO KATIA TEREZA DE CARVALHO ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA
PENHA(OAB: 6682/MA) MEIRELES(OAB: 3412/MA)
ADVOGADO WINDSOR SILVA DOS SANTOS(OAB: AGRAVADO FRANCISCO DOS SANTOS
4214/MA) GALDENCIO
AGRAVADO CAIXA ECONOMICA FEDERAL ADVOGADO EDMILSON ALVES DE AGUIAR(OAB:
ADVOGADO SAMARONE JOSE LIMA 3229/MA)
MEIRELES(OAB: 3412/MA) CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
AGRAVADO FRANCISCO DOS SANTOS TRABALHO
GALDENCIO
ADVOGADO EDMILSON ALVES DE AGUIAR(OAB: Intimado(s)/Citado(s):
3229/MA)
- CAIXA ECONOMICA FEDERAL
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 115
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)
do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe
Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE parcial provimento para excluir a responsabilidade subsidiária da
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - EBCT.
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do agravo e, no mérito, por maioria, dar-lhe

provimento para estender o benefício da justiça gratuita para

alcançar a exigência do deposito recursal, e consequentemente,

afastar a deserção.

Acórdão
Processo Nº RO-0016306-72.2014.5.16.0005
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
CORREIOS E TELEGRAFOS
ADVOGADO FERNANDO ROBERTO
PEREIRA(OAB: 37918/DF)
RECORRIDO LUIS FERNANDO PEREIRA RIBEIRO
ADVOGADO ANTONIO CARLOS RODRIGUES
VIANA(OAB: 5358/MA)
RECORRIDO MASERV - MARANHAO SEGURANCA
Acórdão E SERVICOS LTDA - EPP
Processo Nº RO-0016306-72.2014.5.16.0005 CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA TRABALHO
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
CORREIOS E TELEGRAFOS
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO FERNANDO ROBERTO
PEREIRA(OAB: 37918/DF) - MASERV - MARANHAO SEGURANCA E SERVICOS LTDA -
EPP
RECORRIDO LUIS FERNANDO PEREIRA RIBEIRO
ADVOGADO ANTONIO CARLOS RODRIGUES
VIANA(OAB: 5358/MA)
RECORRIDO MASERV - MARANHAO SEGURANCA
E SERVICOS LTDA - EPP
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- LUIS FERNANDO PEREIRA RIBEIRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 4ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte de março do ano de 2019, tendo na Presidência o

Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR e, ainda, com a presença do(a)


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 116
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, por maioria, dar-lhe

parcial provimento para excluir a responsabilidade subsidiária da

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - EBCT.

Acórdão
Processo Nº RO-0016522-46.2018.5.16.0020
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
Acórdão LAGO(OAB: 7744/MA)
Processo Nº RO-0016522-46.2018.5.16.0020
RECORRIDO JOSIRENE DA SILVA
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
LAGO(OAB: 7744/MA) TRABALHO
RECORRIDO JOSIRENE DA SILVA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO Intimado(s)/Citado(s):
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - JOSIRENE DA SILVA
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) provimento para manter a decisão de 1º grau.

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 117
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016516-39.2018.5.16.0020
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO VAILSON RODRIGUES FERREIRA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
Acórdão CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Processo Nº RO-0016516-39.2018.5.16.0020 TRABALHO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO - VAILSON RODRIGUES FERREIRA
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO VAILSON RODRIGUES FERREIRA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE provimento para manter a decisão de 1º grau.

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016526-83.2018.5.16.0020
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 118
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO - FERNANDA DE SOUSA SILVA


LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO FERNANDA DE SOUSA SILVA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE provimento para manter a decisão de 1º grau.
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016454-49.2015.5.16.0005
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE PORTO RICO DO
MARANHAO
ADVOGADO NARAYANNA AUREA LOPES
GOMES COSTA(OAB: 15315/MA)
ADVOGADO ALTEREDO DE JESUS NERIS
FERREIRA(OAB: 6556/MA)
Acórdão RECORRIDO LIDENILCE RODRIGUES MELO
Processo Nº RO-0016526-83.2018.5.16.0020 ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR DOVERA(OAB: 54095/RS)
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO TERCEIRO José do Rosário Costa Frazão
INTERESSADO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
LAGO(OAB: 7744/MA) CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
RECORRIDO FERNANDA DE SOUSA SILVA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO Intimado(s)/Citado(s):
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - MUNICIPIO DE PORTO RICO DO MARANHAO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 119
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
unanimidade, conhecer do recurso para acolher a preliminar de douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
incompetência da Justiça do Trabalho para processar e julgar o unanimidade, conhecer do recurso para acolher a preliminar de
feito, extinguindo-o sem resolução do mérito, com fundamento no incompetência da Justiça do Trabalho para processar e julgar o
art. 485, IV, do NCPC, por impossibilidade de aplicação do disposto feito, extinguindo-o sem resolução do mérito, com fundamento no
no § 3º do art. 64 do mesmo código, restando prejudicada a análise art. 485, IV, do NCPC, por impossibilidade de aplicação do disposto
das demais matérias veiculadas no apelo. Custas processuais no § 3º do art. 64 do mesmo código, restando prejudicada a análise
invertidas, porém, dispensadas. Reservado às partes, junto a Vara das demais matérias veiculadas no apelo. Custas processuais
de Origem, o direito de obter certidão acerca do processo ora invertidas, porém, dispensadas. Reservado às partes, junto a Vara
extinto, recaindo sobre elas o ônus pelo traslado das peças que o de Origem, o direito de obter certidão acerca do processo ora
compõem. extinto, recaindo sobre elas o ônus pelo traslado das peças que o

compõem.

Acórdão
Processo Nº RO-0016454-49.2015.5.16.0005
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR Acórdão
Processo Nº RO-0016454-49.2015.5.16.0005
RECORRENTE MUNICIPIO DE PORTO RICO DO
MARANHAO Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
ADVOGADO NARAYANNA AUREA LOPES RECORRENTE MUNICIPIO DE PORTO RICO DO
GOMES COSTA(OAB: 15315/MA) MARANHAO
ADVOGADO ALTEREDO DE JESUS NERIS ADVOGADO NARAYANNA AUREA LOPES
FERREIRA(OAB: 6556/MA) GOMES COSTA(OAB: 15315/MA)
RECORRIDO LIDENILCE RODRIGUES MELO ADVOGADO ALTEREDO DE JESUS NERIS
FERREIRA(OAB: 6556/MA)
ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
DOVERA(OAB: 54095/RS) RECORRIDO LIDENILCE RODRIGUES MELO
TERCEIRO José do Rosário Costa Frazão ADVOGADO RICARDO AUGUSTO DUARTE
INTERESSADO DOVERA(OAB: 54095/RS)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO TERCEIRO José do Rosário Costa Frazão
TRABALHO INTERESSADO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):
- LIDENILCE RODRIGUES MELO Intimado(s)/Citado(s):

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 120
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

- José do Rosário Costa Frazão ADVOGADO REGINALDO CRUZ DE OLIVEIRA


JUNIOR(OAB: 13227/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE IMPERATRIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

unanimidade, conhecer do recurso para acolher a preliminar de SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

incompetência da Justiça do Trabalho para processar e julgar o Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

feito, extinguindo-o sem resolução do mérito, com fundamento no COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

art. 485, IV, do NCPC, por impossibilidade de aplicação do disposto douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

no § 3º do art. 64 do mesmo código, restando prejudicada a análise unanimidade, conhecer parcialmente do recurso, por maioria,

das demais matérias veiculadas no apelo. Custas processuais rejeitar a preliminar de incompetência material da Justiça do

invertidas, porém, dispensadas. Reservado às partes, junto a Vara Trabalho, por unanimidade, rejeitar a preliminar de ilegitimidade

de Origem, o direito de obter certidão acerca do processo ora passiva e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão

extinto, recaindo sobre elas o ônus pelo traslado das peças que o de 1º grau.

compõem.

Acórdão
Processo Nº RO-0016600-35.2016.5.16.0012
Acórdão Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
Processo Nº RO-0016600-35.2016.5.16.0012
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
ADVOGADO MARIA HELENA DE OLIVEIRA
RECORRENTE MUNICIPIO DE IMPERATRIZ AMORIM(OAB: 3946/MA)
ADVOGADO MARIA HELENA DE OLIVEIRA ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE
AMORIM(OAB: 3946/MA) CARVALHO(OAB: 7008/MA)
ADVOGADO PATRICK ALVES MADEIRA DE ADVOGADO WERTSON JORGE DOS
CARVALHO(OAB: 7008/MA) SANTOS(OAB: 6849/MA)
ADVOGADO WERTSON JORGE DOS RECORRIDO STEPHANY MAYARA PINHEIRO
SANTOS(OAB: 6849/MA) NOGUEIRA
RECORRIDO STEPHANY MAYARA PINHEIRO ADVOGADO EDSON BORBA MANOEL(OAB:
NOGUEIRA 13617/MA)
ADVOGADO EDSON BORBA MANOEL(OAB: ADVOGADO GUSTAVO HENRIQUE CHAVES
13617/MA) MESSIAS(OAB: 13588/MA)
ADVOGADO GUSTAVO HENRIQUE CHAVES ADVOGADO REGINALDO CRUZ DE OLIVEIRA
MESSIAS(OAB: 13588/MA) JUNIOR(OAB: 13227/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 121
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO


TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- STEPHANY MAYARA PINHEIRO NOGUEIRA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
provimento para manter a decisão de 1º grau.
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer parcialmente do recurso, por maioria,

rejeitar a preliminar de incompetência material da Justiça do

Trabalho, por unanimidade, rejeitar a preliminar de ilegitimidade

passiva e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão

de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016511-17.2018.5.16.0020
Acórdão Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
Processo Nº RO-0016511-17.2018.5.16.0020 RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO LAGO(OAB: 7744/MA)
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO RECORRIDO EDILEUZA MARIA SILVA FERREIRA
LAGO(OAB: 7744/MA) ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
RECORRIDO EDILEUZA MARIA SILVA FERREIRA DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA) TRABALHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):
- EDILEUZA MARIA SILVA FERREIRA
Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 122
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) provimento para manter a decisão de 1º grau.

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016458-36.2018.5.16.0020
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO KAYANNE DOS SANTOS COSTA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
Acórdão CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Processo Nº RO-0016458-36.2018.5.16.0020 TRABALHO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO - KAYANNE DOS SANTOS COSTA
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO KAYANNE DOS SANTOS COSTA
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 123
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016461-49.2017.5.16.0012
Acórdão Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
Processo Nº RO-0016461-49.2017.5.16.0012
RECORRENTE MUNICIPIO DE AMARANTE DO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR MARANHAO
RECORRENTE MUNICIPIO DE AMARANTE DO ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB:
MARANHAO 4401/MA)
ADVOGADO EDMILSON FRANCO DA SILVA(OAB: RECORRIDO RAIMUNDA ELENITA ALVES DE SA
4401/MA)
ADVOGADO JANAINA GOMES DE MORAES(OAB:
RECORRIDO RAIMUNDA ELENITA ALVES DE SA 8347/MA)
ADVOGADO JANAINA GOMES DE MORAES(OAB: CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
8347/MA) TRABALHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):

Intimado(s)/Citado(s): - RAIMUNDA ELENITA ALVES DE SA

- MUNICIPIO DE AMARANTE DO MARANHAO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º grau.

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 124
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016599-85.2018.5.16.0010
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA
ADVOGADO ELISANGELA YURIKO KANEKI(OAB:
206307/SP)
RECORRIDO EVA RIBEIRO FONSECA
ADVOGADO JOSELIA SILVA OLIVEIRA
PAIVA(OAB: 6880/MA)
Acórdão CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Processo Nº RO-0016599-85.2018.5.16.0010 TRABALHO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO ELISANGELA YURIKO KANEKI(OAB: - EVA RIBEIRO FONSECA
206307/SP)
RECORRIDO EVA RIBEIRO FONSECA
ADVOGADO JOSELIA SILVA OLIVEIRA
PAIVA(OAB: 6880/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE para declinar da competência da Justiça do Trabalho para julgar a

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores lide e extinguir o processo, sem resolução de mérito, com

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ fundamento no art. 485, IV, do NCPC, por ausência de pressuposto

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) de desenvolvimento válido e regular. Custas invertidas e

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por dispensadas.

unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento

para declinar da competência da Justiça do Trabalho para julgar a

lide e extinguir o processo, sem resolução de mérito, com

fundamento no art. 485, IV, do NCPC, por ausência de pressuposto

de desenvolvimento válido e regular. Custas invertidas e

dispensadas.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 125
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016478-27.2018.5.16.0020
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
Acórdão LAGO(OAB: 7744/MA)
Processo Nº RO-0016478-27.2018.5.16.0020
RECORRIDO IZALDIR BEZERRA DOS REIS
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
ADVOGADO VICTOR MENDES MORAIS
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO SILVA(OAB: 15029/PI)
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
LAGO(OAB: 7744/MA) TRABALHO
RECORRIDO IZALDIR BEZERRA DOS REIS
ADVOGADO VICTOR MENDES MORAIS Intimado(s)/Citado(s):
SILVA(OAB: 15029/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO - IZALDIR BEZERRA DOS REIS
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) provimento para manter a decisão de 1º grau.

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016586-86.2018.5.16.0010
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 126
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECORRENTE MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA


Acórdão
ADVOGADO ELISANGELA YURIKO KANEKI(OAB:
206307/SP) Processo Nº RO-0016586-86.2018.5.16.0010
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR
RECORRIDO EVA DO NASCIMENTO ARAUJO
RECORRENTE MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA
ADVOGADO JOSELIA SILVA OLIVEIRA
PAIVA(OAB: 6880/MA) ADVOGADO ELISANGELA YURIKO KANEKI(OAB:
206307/SP)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO RECORRIDO EVA DO NASCIMENTO ARAUJO
ADVOGADO JOSELIA SILVA OLIVEIRA
PAIVA(OAB: 6880/MA)
Intimado(s)/Citado(s):
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
- MUNICIPIO DE BARRA DO CORDA TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- EVA DO NASCIMENTO ARAUJO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
para, declarando a existência de dois contratos de trabalho
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
distintos, pronunciar a prescrição bienal do primeiro, terminado em
unanimidade, conhecer do recurso, e, no mérito, dar-lhe provimento
10/09/1997, extinguindo o feito nessa parte, com resolução do
para, declarando a existência de dois contratos de trabalho
mérito, nos termos do art. 487, II, do CPC; em relação ao segundo,
distintos, pronunciar a prescrição bienal do primeiro, terminado em
vigente a partir de 11/09/1997, declinar da competência da Justiça
10/09/1997, extinguindo o feito nessa parte, com resolução do
do Trabalho para julgar a lide e extinguir o processo, sem resolução
mérito, nos termos do art. 487, II, do CPC; em relação ao segundo,
de mérito, com fundamento no art. 485, IV, do NCPC, por ausência
vigente a partir de 11/09/1997, declinar da competência da Justiça
de pressuposto de desenvolvimento válido e regular. Custas
do Trabalho para julgar a lide e extinguir o processo, sem resolução
invertidas e dispensadas.
de mérito, com fundamento no art. 485, IV, do NCPC, por ausência

de pressuposto de desenvolvimento válido e regular. Custas

invertidas e dispensadas.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 127
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO


LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO LINDACILDE SANTOS NASCIMENTO
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
Acórdão DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
Processo Nº RO-0016524-16.2018.5.16.0020 CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR TRABALHO
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO Intimado(s)/Citado(s):
LAGO(OAB: 7744/MA)
- LINDACILDE SANTOS NASCIMENTO
RECORRIDO LINDACILDE SANTOS NASCIMENTO
ADVOGADO HENRIQUE ROOSEVELT OLIMPIO
DE OLIVEIRA(OAB: 7868/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores provimento para manter a decisão de 1º grau.

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016742-44.2018.5.16.0020
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO
LAGO(OAB: 7744/MA)
RECORRIDO GLAUDIANNY GUIMARAES DOS
SANTOS LUCAS
Acórdão ADVOGADO JANIO PEREIRA DA SILVA
Processo Nº RO-0016524-16.2018.5.16.0020 FILHO(OAB: 9811/MA)
Relator LUIZ COSMO DA SILVA JUNIOR CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO TRABALHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 128
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE DOM PEDRO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ
provimento para manter integralmente a sentença, nos termos da
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
fundamentação do voto do Desembargador Relator.
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter integralmente a sentença, nos termos da

fundamentação do voto do Desembargador Relator.

Acórdão
Processo Nº RO-0016727-17.2018.5.16.0007
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
Acórdão 5332/MA)
Processo Nº RO-0016742-44.2018.5.16.0020 RECORRIDO MOACIR FERREIRA FRANCA
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
RECORRENTE MUNICIPIO DE DOM PEDRO 3177/MA)
ADVOGADO JOSE HELIAS SEKEFF DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
LAGO(OAB: 7744/MA) TRABALHO
RECORRIDO GLAUDIANNY GUIMARAES DOS
SANTOS LUCAS Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO JANIO PEREIRA DA SILVA - MUNICIPIO DE ZE DOCA
FILHO(OAB: 9811/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- GLAUDIANNY GUIMARAES DOS SANTOS LUCAS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 129
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores incompetência e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ decisão de 1º grau.

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a

decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016745-51.2017.5.16.0014
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR
ADVOGADO CARLOS SEABRA DE CARVALHO
COELHO(OAB: 4773/MA)
ADVOGADO ERIKO JOSE DOMINGUES DA SILVA
RIBEIRO(OAB: 4835/MA)
Acórdão ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA
Processo Nº RO-0016727-17.2018.5.16.0007 TOLENTINO(OAB: 17675/MA)
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA ADVOGADO DANIELE DAS GRACAS SOUSA E
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA SILVA(OAB: 16570/MA)
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB: RECORRIDO SABINA PEREIRA MENDES
5332/MA) ADVOGADO DANILO DE CARVALHO
RECORRIDO MOACIR FERREIRA FRANCA MADEIRA(OAB: 12456/PI)
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB: ADVOGADO LARISSA MARQUES ROLINS DE
3177/MA) SOUSA(OAB: 12066/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s): Intimado(s)/Citado(s):
- MOACIR FERREIRA FRANCA - MUNICIPIO DE MIRADOR

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 130
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, dar-lhe unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

provimento parcial para excluir da condenação os honorários incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, dar-lhe

advocatícios. provimento parcial para excluir da condenação os honorários

advocatícios.

Acórdão
Processo Nº RO-0016745-51.2017.5.16.0014
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA Acórdão
Processo Nº RO-0016433-75.2017.5.16.0014
RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
ADVOGADO CARLOS SEABRA DE CARVALHO RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR
COELHO(OAB: 4773/MA)
ADVOGADO HUGO LEONARDO SOUSA
ADVOGADO ERIKO JOSE DOMINGUES DA SILVA SOARES(OAB: 12478/MA)
RIBEIRO(OAB: 4835/MA)
ADVOGADO DOUGLAS CARDOSO LADEIRA(OAB:
ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA 6202/TO)
TOLENTINO(OAB: 17675/MA)
ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA
ADVOGADO DANIELE DAS GRACAS SOUSA E TOLENTINO(OAB: 17675/MA)
SILVA(OAB: 16570/MA)
RECORRIDO MARIA DE JESUS ALVES DA SILVA
RECORRIDO SABINA PEREIRA MENDES
ADVOGADO RAIMUNDO DE SOUZA
ADVOGADO DANILO DE CARVALHO FERREIRA(OAB: 8271/MA)
MADEIRA(OAB: 12456/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ADVOGADO LARISSA MARQUES ROLINS DE TRABALHO
SOUSA(OAB: 12066/PI)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE MIRADOR
Intimado(s)/Citado(s):
- SABINA PEREIRA MENDES

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 131
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a) Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los, mantendo a douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

aplicação da multa anteriormente fixada ao embargante, agora unanimidade, conhecer dos embargos para rejeitá-los, mantendo a

elevada para 5% sobre o valor atualizado da causa, nos termos do aplicação da multa anteriormente fixada ao embargante, agora

art.1026, §º 3, do NCPC. elevada para 5% sobre o valor atualizado da causa, nos termos do

art.1026, §º 3, do NCPC.

Acórdão
Processo Nº RO-0016433-75.2017.5.16.0014
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Acórdão
Processo Nº RO-0016690-87.2018.5.16.0007
RECORRENTE MUNICIPIO DE MIRADOR Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
ADVOGADO HUGO LEONARDO SOUSA RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA
SOARES(OAB: 12478/MA)
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
ADVOGADO DOUGLAS CARDOSO LADEIRA(OAB: 5332/MA)
6202/TO)
RECORRIDO SIMAO MACHADO TRINDADE
ADVOGADO LORENA CRONEMBERGER BATISTA
TOLENTINO(OAB: 17675/MA) ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
3177/MA)
RECORRIDO MARIA DE JESUS ALVES DA SILVA
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
ADVOGADO RAIMUNDO DE SOUZA TRABALHO
FERREIRA(OAB: 8271/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):
- MUNICIPIO DE ZE DOCA
Intimado(s)/Citado(s):
- MARIA DE JESUS ALVES DA SILVA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 132
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016749-12.2017.5.16.0007
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE PENALVA
ADVOGADO MARIO GONZAGA MATOS DOS REIS
JUNIOR(OAB: 10596/MA)
RECORRIDO ELIZANGELA DINIZ
ADVOGADO KLEBER FRANCISCO DE ASSIS DOS
Acórdão SANTOS(OAB: 4779/MA)
Processo Nº RO-0016690-87.2018.5.16.0007
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA TRABALHO
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB: Intimado(s)/Citado(s):
5332/MA)
RECORRIDO SIMAO MACHADO TRINDADE - MUNICIPIO DE PENALVA
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
3177/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- SIMAO MACHADO TRINDADE

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares e, no

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º grau.

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência da Justiça do Trabalho e, no mérito, negar-lhe

provimento para manter a decisão de 1º grau.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 133
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0016681-28.2018.5.16.0007
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
5332/MA)
RECORRIDO VLEUDENIR OLIVEIRA SOUSA
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB:
3177/MA)
Acórdão CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Processo Nº RO-0016749-12.2017.5.16.0007 TRABALHO
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE PENALVA Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO MARIO GONZAGA MATOS DOS REIS - MUNICIPIO DE ZE DOCA
JUNIOR(OAB: 10596/MA)
RECORRIDO ELIZANGELA DINIZ
ADVOGADO KLEBER FRANCISCO DE ASSIS DOS
SANTOS(OAB: 4779/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- ELIZANGELA DINIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE incompetência e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores decisão de 1º grau.

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares e, no

mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016681-28.2018.5.16.0007
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 134
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

RECORRENTE MUNICIPIO DE ZE DOCA CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO


TRABALHO
ADVOGADO EVELINE SILVA NUNES(OAB:
5332/MA)
RECORRIDO VLEUDENIR OLIVEIRA SOUSA Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO FRANKLIN RORIZ NETO(OAB: - MUNICIPIO DE PENALVA
3177/MA)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
- VLEUDENIR OLIVEIRA SOUSA

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares e, no

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º grau.

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar a preliminar de

incompetência e, no mérito, negar-lhe provimento para manter a

decisão de 1º grau.

Acórdão
Processo Nº RO-0016737-95.2017.5.16.0007
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA
RECORRENTE MUNICIPIO DE PENALVA
ADVOGADO MARIO GONZAGA MATOS DOS REIS
JUNIOR(OAB: 10596/MA)
RECORRIDO LOURISVALDO MENDES COSTA
ADVOGADO KLEBER FRANCISCO DE ASSIS DOS
Acórdão SANTOS(OAB: 4779/MA)
Processo Nº RO-0016737-95.2017.5.16.0007
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Relator JOSE EVANDRO DE SOUZA TRABALHO
RECORRENTE MUNICIPIO DE PENALVA
ADVOGADO MARIO GONZAGA MATOS DOS REIS Intimado(s)/Citado(s):
JUNIOR(OAB: 10596/MA)
RECORRIDO LOURISVALDO MENDES COSTA - LOURISVALDO MENDES COSTA
ADVOGADO KLEBER FRANCISCO DE ASSIS DOS
SANTOS(OAB: 4779/MA)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 135
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

ADVOGADO FRANCIOLE MARTINS DA


CONCEICAO(OAB: 11792-A/MA)

Intimado(s)/Citado(s):
- BV FINANCEIRA SA CREDITO FINANCIAMENTO E
INVESTIMENTO

Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional

do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada

no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência

o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE

SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ


Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional
COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada
douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência
unanimidade, conhecer do recurso, rejeitar as preliminares e, no
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE
mérito, negar-lhe provimento para manter a decisão de 1º grau.
SOUZA, e com a presença dos Excelentíssimos Senhores

Desembargadores MÁRCIA ANDREA FARIAS DA SILVA e LUIZ

COSMO DA SILVA JÚNIOR, e ainda com a presença do(a)

douto(a) representante do Ministério Público do Trabalho, por

unanimidade, conhecer dos recursos, rejeitar a preliminar de

nulidade da sentença por negativa de prestação jurisdicional e, no

mérito, por maioria, dar provimento parcial ao recurso da reclamante

deferir 60 minutos de intervalo intrajornada acrescido de 50%,

durante todo o pacto laboral (27/06/2011 a 02/07/2012) e fixar em

favor da autora indenização reparatória no valor de R$ 5.000,00

(cinco mil reais) e, por unanimidade, dar parcial provimento ao

recurso da reclamada para excluir da condenação os honorários

advocatícios. Dá-se à causa a importância de R$ 30.000,00 (trinta

mil reais). Custas pela reclamada no valor de R$ 600,00 (seiscentos

Acórdão reais).
Processo Nº RO-0017357-22.2013.5.16.0016
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
RECORRENTE BANCO VOTORANTIM S.A. Vencido o Desembargador José Evandro de Souza, quanto ao
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES deferimento de 60 (sessenta) minutos de intervalo intrajornada.
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
ADVOGADO ALEXANDRE DE ALMEIDA
CARDOSO(OAB: 149394/SP)
RECORRENTE BV FINANCEIRA SA CREDITO
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
RECORRIDO CP PROMOTORA DE VENDAS S.A.
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
ADVOGADO ALEXANDRE DE ALMEIDA
CARDOSO(OAB: 149394/SP)
RECORRIDO EDNETE PEREIRA DO NASCIMENTO
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
PENNER(OAB: 27386/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 132693


2699/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região 136
Data da Disponibilização: Segunda-feira, 08 de Abril de 2019

Acórdão
Processo Nº RO-0017357-22.2013.5.16.0016
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA Vencido o Desembargador José Evandro de Souza, quanto ao
RECORRENTE BANCO VOTORANTIM S.A. deferimento de 60 (sessenta) minutos de intervalo intrajornada.
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
ADVOGADO ALEXANDRE DE ALMEIDA
CARDOSO(OAB: 149394/SP)
RECORRENTE BV FINANCEIRA SA CREDITO
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
RECORRIDO CP PROMOTORA DE VENDAS S.A.
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
ADVOGADO ALEXANDRE DE ALMEIDA
CARDOSO(OAB: 149394/SP)
RECORRIDO EDNETE PEREIRA DO NASCIMENTO
ADVOGADO KELEN CRISTINA WEISS SCHERER
PENNER(OAB: 27386/GO)
ADVOGADO FRANCIOLE MARTINS DA
CONCEICAO(OAB: 11792-A/MA) Acórdão
Processo Nº RO-0017357-22.2013.5.16.0016
Relator MARCIA ANDREA FARIAS DA SILVA
Intimado(s)/Citado(s):
RECORRENTE BANCO VOTORANTIM S.A.
- BANCO VOTORANTIM S.A. ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
ADVOGADO ALEXANDRE DE ALMEIDA
CARDOSO(OAB: 149394/SP)
RECORRENTE BV FINANCEIRA SA CREDITO
FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
NETO(OAB: 144616/SP)
ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
Acordam os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal Regional RECORRIDO CP PROMOTORA DE VENDAS S.A.
ADVOGADO MEIRE CHRYSTIAN LINHARES
do Trabalho da 16ª Região, em sua 5ª Sessão Ordinária, realizada NETO(OAB: 144616/SP)
no dia vinte e sete de março do ano de 2019, tendo na Presidência ADVOGADO EDUARDO ANTONIO GUIMARAES
DE CASTRO(OAB: 9583/MA)
o Excelentíssimo Senhor Desembargador JOSÉ EVANDRO DE ADVOGADO ALEXA