Você está na página 1de 3

Ficha de Análise de Artigo Científico

Artigo: Computing Machinery and intelligence – Alan Turing

1. Introdução: O artigo se propõe a responder a pergunta “Seria uma máquina capaz de


pensar?”. Para responder essa pergunta o autor começa definindo o que seria uma “máquina” e
como se daria o processo de “pensamento”. Em seguida ele propõe um teste, que ficou
conhecido mais tarde como “Teste de Turing”. Seguindo o pensamento de que apenas os
humanos são capazes de pensar, então se um computador conseguir simular um humano de
maneira que seu interlocutor não consiga distinguir se ele está falando com um humano, então
pode se assumir que computadores teriam inteligência artificial e simulariam um pensamento.
Após isso, o artigo se limita a responder possíveis criticas, dadas que a época que o artigo foi
escrito algumas dessas ideias poderiam vir a ser radicais demais.

2. Autor(es): Alan Mathison Turing, morreu com 41 anos, Trabalhou para o governo britânico,
mas pesquisou principalmente pela universidade de Cambridge, se graduou bacharel em
matemática, Turing escreveu mais de 250 artigos durante toda a sua breve vida, a maioria fala a
respeito de teoremas matemáticos e algoritmos de previsão, todos eles são muito bem lembrados
dado a sua genialidade. Projetos secretos para o governo britânico na divisão de inteligência.
Matemática e computação, porém se atem em áreas da biologia em padrões que seguem o
número de fibonnaci.. E-mail e home page não foi possível linkar, dado que Alan morreu a mais
de 50 anos.

3. Estrutura do Artigo: O Artigo recebe uma formatação não padronizada para os dias de hoje,
porém ela se organiza em temas litados numericamente com o propósito de separar melhor e
esclarecer o objetivo de cada parte. Existe uma tabela no artigo, tal tabela se organiza em
formato matricial como uma árvore de possibilidades binária.

4. Atualidade do Tema: Cada vez mais a otimização das coisas se torna inevitável através da
inteligência artificial, otimização de sistemas e catalogação de dados são todos feitos a partir de
computadores operando autonomamente através de inteligência artificial. Tal artigo define como
uma máquina poderia pensar. Logo o artigo é totalmente atual.

5. Referências utilizadas pelo autor: Samuel Butler – The Book Of Machines; Alonzo Church-
An Unsolved Problem of Elementary Number; K. Godel Uberformal unentscheidbare Satzeder
Principia Mathematica and verwandter systeme; D.H.Hartree – Calculating Instruments and
Machines; S.C.Kleene – General Recursive Functions of Natural Numbers; G. Jefferson – The
Mind of Mechanical Man; Countness of Lovelance – Scientific Memories; Bertrand Russel –
History Of Western Philosophy; A.M.Turing – On Computable Numbers, With an Aplication to
The Entscheidungsproblem.

Analisando as referências é possível observar que o autor cita obras suas e utiliza obras clássicas
principalmente de filosofia como o Russel. E por ser pioneiro na área ele acaba citando seus
próprios artigos, quanto a qualidade quantitativa o número de referências é mais que satisfatório.
6. Resumo do artigo,

Sessão 1: A sessão de abertura brevemente questiona o interlocutor se uma máquina seria capaz
de pensar. E em seguida define o que seria considerado um pensamento e o que seria
considerado uma máquina, e então revela que tem um jogo proposto ( o jogo da imitação ) que
poderia testar se uma máquina possuiria inteligência artificial.

Sessão 2: A sessão fala o teste em si e sobre os possíveis problemas no método empregado no


teste, mas diz que seria o primeiro passo para desenvolver computadores dotados de inteligência
artificial.

Sessão 3: A sessão discute o papel que o computador teria no jogo da imitação e o conjunto de
regras em que o computador operaria para conseguir imitar o pensamento humano e enganar o
interlocutor.

Sessão 4: A sessão discute operações computadorizadas feitas por máquinas virtuais. Seria um
método que seria importado de uma rede e o computador processaria esse método e seguiria para
3 pilares: Armazenar o resultado, Processar o resultado, Controlar o próximo passo.

Sessão 5: A sessão discute como os métodos virtuais passariam a ser universais em todos os
computadores em todos os processos, desde os mais básicos até os mais complexos. Inclusive no
número de operações logicas feitas por segundo.

Sessão 6: Se limita a discutir as implicações filosóficas de criar uma máquina capaz de pensar.
Detalhe que existe uma objeção matemática de algoritmos porém ela se limita a área filosófica
da matemática.

7. Sugestão de Trabalhos Futuros: o autor sugere uma análise de se incluir elementos


randômicos no aprendizado das inteligências artificiais.

8. Lista de Dúvidas: Seria possível que uma máquina que passou no teste de Turing avaliasse
outra máquina no teste de Turing?

9. Perguntas Sugestivas: O que é o Jogo da Imitação? Quais seriam as 3 partes de um


computador virtual? Qual é a importância do Jogo da Imitação?

10. Conclusão: O artigo é excelente, ele foi publicado na revista Mind e propõe um Jogo que
levaria as máquinas a concluírem se pensariam ou não. Proponho o trabalho de algoritmização
do jogo da imitação.

Qualificar o artigo, seus autores, veículo de publicação, os resultados obtidos, etc… O artigo
deve ser recomendado para leitura? Propor temas de trabalhos futuros além daqueles já propostos
pelos autores.
11. Referências utilizadas para a análise crítica: The Bicameral Mind pois ele explica como a
mente humana trabalha através de 2 etapas. A de raciocínio e obediência.