Você está na página 1de 76

Aula – Poluição, Energia e

Meio Ambiente

Curso: ENGENHARIA CIVIL


Disciplina: Fundamentos da Engenharia
Ambiental
Profª DSc. Daniela Passos S. de A. Tavares

Semestre 2018.1
Definições
Ciências naturais – As ciências naturais abarcam todas as disciplinas científicas
que se dedicam ao estudo da natureza. Tratam dos aspectos físicos da realidade.
Dados são coletados via observação e experimentação.

Biologia
Química
Geologia
Física

Ciências ambientais – englobam todos os campos das ciências naturais.

✓ Objeto de estudo: ambiente natural (atmosfera, terra, água e seres)


Perspectiva histórica

PRIMEIRAS APLICAÇÕES PRÁTICAS DAS CIÊNCIAS NATURAIS:


CULTIVO DE CEREAIS PELOS INCAS
4

Perspectiva histórica

PRIMEIRAS APLICAÇÕES PRÁTICAS DAS CIÊNCIAS NATURAIS:


PREVISÃO DE ENCHENTES E MEDIDAS DE CONTROLE PELOS
EGÍPCIOS
Perspectiva histórica
HIDROLOGIA

• HIDROLOGIA MODERNA – SURGIU NO SÉCULO XVII COM O


SURGIMENTO DOS SISTEMAS DE MEDIDA;

• PRIMEIRAS MEDIÇÕES DE ÍNDICES PLUVIOMÉTRICOS,


EVAPORAÇÃO E CAPILARIDADE: RIO SENA – PERRAULT
(1678)

• MARRIOTE (1686) – CALCULOU O FLUXO APÓS MEDIR A


SEÇÃO TRANSVERSAL DO LEITO E VELOCIDADE DAS ÁGUAS;

• SÉCULO XIX – AUGE DA HIDROLOGIA EXPERIMENTAL –


CONHECIMENTOS DE GEOLOGIA PASSAM A SER APLICADOS
EM PROBLEMAS HIDROLÓGICOS;
Perspectiva histórica
TRATAMENTO DE ÁGUA

• ABASTECIMENTO DE ÁGUA E NECESSIDADE DE TRANSPORTAR RESÍDUOS PARA


LONGE DAS POPULAÇÕES ERAM ASPECTOS IMPORTANTES NAS CIVILIZAÇÕES
ANTIGAS;

• REDE DE ESGOTO EM NIPPUR (ÍNDIA) CONSTRUÍDA EM 3750 a.C.

• AQUEDUTOS – IMPÉRIO ROMANO – 97 d.C. – 3x105 m³ de água por dia

• UNIDADE DE FILTRAÇÃO DE ÁGUA – PAISLEY, ESCÓCIA – 1804

• CHELSEA WATER COMPANY – FILTROS PARA MELHORAR QUALIDADE DA ÁGUA


NO RIO TÂMISA – 1829

• 1854 – CIENTISTA AMBIENTAL DR. JOHN SNOW PROVOU A CORRELAÇÃO ENTRE


CONSUMO DE ÁGUA CONTAMINADA E CÓLERA;

• 1º SISTEMA DE CLORAÇÃO (BÉLGICA, 1902) E FLUORAÇÃO (1945, EUA).


Perspectiva histórica
TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

• PRIMEIROS ESFORÇOS LIMITAVAM-SE AO TRANSPORTE DE ESGOTO


ATÉ O RIO MAIS PRÓXIMO;

• INGLATERRA: 1868 – CRIADA A COMISSÃO REAL SOBRE A POLUIÇÃO


DOS RIOS – RECONHECIMENTO OFICIAL DA FILTRAÇÃO DO ESGOTO,
IRRIGAÇÃO E PRECIPITAÇÃO QUÍMICA COMO MÉTODOS EFICIENTES
DE TRATAMENTO;

• 1895 – BRITÂNICOS COMEÇARAM A EXTRAIR GÁS METANO DE FOSSAS


SÉPTICAS E UTILIZÁ-LO COMO COMBUSTÍVEL PARA ILUMINAÇÃO DAS
INSTALAÇÕES

• INGLATERRA, 1914 – LODO ATIVADO.


Perspectiva histórica
CONTROLE DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

• CIENTISTA HOHLFELD (1824) - PRIMEIRO APARATO EXPERIMENTAL PARA A


RETIRADA DE PARTÍCULAS DO AR – UTILIZANDO UMA AGULHA ELETRIFICADA
PARA DISSIPAR NÉVOA CONTIDA EM UMA GARRAFA;

• SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E COMEÇO DO SÉCULO XX: diversos


equipamentos de controle;

• CORRELAÇÃO DE DOENÇAS E POLUIÇÃO DO AR FICOU CLARA APENAS DEPOIS


DOS AVANÇOS CIENTÍFICOS NO TRATAMENTO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA;

• MORTE DE 4 MIL PESSOAS – LONDRES, 1952 – DEVIDO À INTENSIFICAÇÃO DA


POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA;

• FINAL DO SÉCULO XX – LUTA PARA CONTROLAR A POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA


GERADA PELA EXPLOSÃO DO CRESCIMENTO DO AUTOMÓVEL COMO MEIO DE
TRANSPORTE.
Perspectiva histórica
RESÍDUOS SÓLIDOS PERIGOSOS

• 1297 – RESIDENTES DE LONDRES ESTAVAM OBRIGADOS POR


LEI A GARANTIR QUE AS CALÇADAS DE SUAS CASAS FOSSEM
MANTIDAS LIMPAS;

• 1875 – SISTEMAS DE DESCARTE E COLETA DE RESÍDUOS NÃO


MUDARAM MUITO DESDE SUA IMPLEMENTAÇÃO, MESMO COM
OS AVANÇOS TECNOLÓGICOS CONQUISTADOS;

• PRIMEIRA INICIATIVA ADOTADA NA GESTÃO DE RESÍDUOS


SÓLIDOS – INCINERAÇÃO;

• ATERROS SANITÁRIOS – REINO UNIDO – COMEÇO DA DÉCADA


DE 30.
A questão colocada em debate pela charge é:
a) o desenvolvimento que não pode ser alcançado com a presença de áreas verdes.
b) a falta de materiais de proteção individual para as pessoas próximas às caçambas.
c) o caráter efêmero das construções civis que um dia serão destruídas.
d) a situação precária dos trabalhadores ligados ao transporte de carga no Brasil.
e) o descarte irregular de lixo e os impactos ambientais e sociais implicados.
Os problemas ambientais mobilizam muitos
cientistas e ativistas ao redor do mundo. Atuando
em áreas distintas, eles buscam soluções a curto e
médio prazos para evitar um colapso completo do
meio ambiente. Fazendo uma análise no sentido
sociológico da charge abaixo, podemos concluir
como verdadeiro:

a) sociedades com alto padrão de


qualidade e acesso irrestrito a tecnologia
estão a salvo das consequências advindas
dos problemas ambientais.
b) a resolução dos problemas ambientais
requer não somente políticas públicas e
ações globais, mas uma mudança de
comportamento dos indivíduos.
c) os problemas ambientais não forçarão a
mudança de comportamento dos
indivíduos ou a forma de organização das
sociedades ao redor do mundo.
d) as práticas capitalistas não ameaçam
tanto o meio ambiente e as relações
sociais.
e) a industrialização e urbanização
intensas não são causas dos problemas
ambientais.
Introdução à poluição,
energia e meio ambiente.
Degradação do meio ambiente

Ecologia Natural Ecologia Humana


Degradação do meio ambiente
Cadeia
alimentar
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

• Matéria e energia são conceitos fundamentais ligados à vida


no planeta;

• O fluxo unidirecional de energia solar proporciona condições


para síntese da matéria orgânica pelos seres autótrofos;

• Recursos na Terra depende do bom funcionamento dos ciclos


biogeoquímicos.
Ciclo do Carbono
Ciclo do Nitrogênio
Ciclo do Fósforo
Ciclo do Enxofre
Ciclo Hidrológico
Leis da Conservação da Massa e Energia
Leis da Conservação da Massa e Energia

Antoine Lavoisier
Obs. Forma e propriedades da matéria
(1743 – 1794)
podem se alterar.
Leis da Conservação da Massa e Energia

1ª Lei da Termodinâmica - A energia pode ser


convertida ou transformada, mas não destruída.

2ª Lei da Termodinâmica – Toda transformação


de energia envolve sempre rendimentos
inferiores a 100%, sendo que uma parte da
energia disponível transforma-se em uma forma
mais dispersa e menos útil, em geral na forma de
calor transferido para o meio ambiente.
Leis da Conservação da Massa e Energia

O que essas leis tem haver com


os problemas ambientais?
Interação das ecologias natural e humana

Ciclo natural de materiais Ciclo humano de materiais

Matéria-prima
Produção
Vegetais Herbívoros Carnívoros Industrial

Matéria-prima
Sapróvoros
(Materiais biogeoquímicos, Consumo
Resíduos humano
minerais, terra, água, ar) Poluição
Poluição
Resíduos
CRISE AMBIENTAL

POPULAÇÃO

RECURSOS
POLUIÇÃO
NATURAIS
CRISE AMBIENTAL
Crescimento populacional
CRISE AMBIENTAL
Crescimento populacional
CRISE AMBIENTAL
Consumo de energia
Características atuais do ambiente urbano
• Alta densidade demográfica;

• Relação desproporcional entre ambiente construído e ambiente


natural;

• Importação de energia para manter o sistema em funcionamento;

• Alteração significativa da diversidade biológica nativa com a


retirada das florestas e importação de espécies vegetais e animais;

• Desbalanceamento dos principais ciclos biogeoquímicos, como o


ciclo da água, do carbono, do nitrogênio e do fósforo;

• Impermeabilização do solo e alteração dos cursos de água.


RECURSOS NATURAIS
• Qualquer insumo de que os organismos,
populações e ecossistemas necessitam para sua
manutenção.
RECURSOS ENERGÉTICOS
COMBUSTÍVEIS
FÓSSEIS
NÃO
RENOVÁVEIS
MINERAIS
RADIOATIVOS

RECURSOS
HIDRÁULICA
ENERGÉTICOS

EÓLICA
RENOVÁVEIS
SOLAR

BIOMASSA
O que é ENERGIA NÃO RENOVÁVEL?
As fontes de energia não renováveis são aquelas
que se encontram na natureza em quantidades
limitadas e se extinguem com a sua utilização.

Uma vez
esgotadas, as
reservas não
podem ser
regeneradas.
O que é ENERGIA NÃO RENOVÁVEL?

 Combustíveis fósseis (carvão, petróleo bruto e


gás natural);

 Urânio (matéria-prima necessária para obter a


energia resultante dos processos de fissão ou
fusão nuclear).

 Todas estas fontes de energia têm reservas


finitas, uma vez que é necessário muito tempo
para repô-las, e a sua distribuição geográfica
não é homogênea.
O que é ENERGIA NÃO RENOVÁVEL?
 ENERGIA “SUJA” ou ENERGIA CONVENCIONAL

 Causa direta de importantes danos para o meio


ambiente e para a sociedade: destruição de
ecossistemas, danos em florestas e aquíferos,
doenças, redução da produtividade agrícola,
corrosão de edificações, monumentos e infra-
estruturas, deterioração da camada de ozônio* ou
chuva ácida.

 Efeitos indiretos: acidentes em sondagens petrolíferas e


minas de carvão ou a contaminação por
derramamentos químicos ou de combustível.
O que é ENERGIA RENOVÁVEL?

 Diz-se que uma fonte de energia é


renovável quando não é possível
estabelecer um fim temporal para a sua
utilização.

 As energias renováveis são virtualmente


inesgotáveis, mas limitadas em termos da
quantidade de energia que é possível
extrair em cada momento.
O que é ENERGIA RENOVÁVEL?

Ainda são pouco utilizadas devido:

✓ aos custos de instalação;


✓ à inexistência de tecnologias e redes de
distribuição experimentadas;
✓ ao desconhecimento e falta de
sensibilização para o assunto por parte dos
consumidores e dos municípios.
POLUIÇÃO
• (do latim polluere) = manchar, sujar;

• É uma alteração indesejável nas características físicas, químicas


ou biológicas da atmosfera, litosfera ou hidrosfera que cause ou
possa causar prejuízo à saúde, à sobrevivência ou às atividades
dos seres humanos e outras espécies.
Política Nacional do Meio Ambiente
(Lei nº. 6.938/81)

Poluição  degradação da qualidade ambiental resultante de


atividades que direta ou indiretamente:
a) prejudiquem a saúde a segurança e o bem estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente os ecossistemas;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;
e) lance matérias ou energia em desacordo com os padrões
ambientais.
Distribuição espacial da poluição

Pontual – quando a fonte está concentrada em uma


pequena superfície.
Distribuição espacial da poluição

Difusa – quando a fonte de poluição se estende, mesmo com baixa


concentração, sobre uma grande superfície. Exemplo: áreas de irrigação
ou áreas urbanas, ou do transporte por via atmosférica.
Distribuição espacial da poluição

Linear – quando a fonte de poluição é um rio ou um canal.


Tipos de poluição

Poluição da água Poluição do solo

Poluição visual

Poluição do ar Poluição sonora


Consequências da poluição

• Prejuízo a saúde humana (transmissão de


doenças);

• Danos à flora e fauna;

• Prejuízos materiais;

• Prejuízos às atividades econômicas e culturais;

• Desfiguração da paisagem;

• Desvalorização de áreas.
POLUIDOR

“A pessoa física ou
jurídica, de direito
público ou privado,
responsável, direta ou
indiretamente, por
atividade causadora
de degradação
ambiental”.
FONTE DE POLUIÇÃO

Qualquer atividade, sistema, processo, operação,


maquinaria, equipamentos ou dispositivos, móvel ou não,
previsto no regulamento desta lei, que cause ou possa vir a
causar a emissão de poluentes (Lei 6.938/81 – Art. 5º).

POLUENTE
Toda e qualquer forma de matéria ou energia que, direta ou
indiretamente, causa poluição do meio ambiente.
(Lei 6.938 – Art. 3º).
Geração de elevados níveis de pó (tipicamente de concreto, cimento, madeira,
pedra, sílica), e podem atingir grandes distâncias por um longo período de tempo.

A poeira de construção é classificada como PM10 – partículas inferior a 10


microns de diâmetro, completamente invisíveis a olho nu.

Pesquisas mostram que partículas com esse diâmetro penetram profundamente


nos pulmões e causam uma ampla gama de problemas de saúde, incluindo
doenças respiratórias como asma, bronquite e até mesmo câncer.

poluente
CONTAMINANTE X POLUENTE

• Poluente é qualquer fator que altera o aspecto


do sistema original; seja água, ar, solo, etc.
Deixando- o visualmente afetado, sujo, feio;

• Já a contaminação quando tem fatores


patógenos ou químicos que alteram estas
características.
FONTES GERADORAS DE POLUIÇÃO

• Atividade doméstica: resíduos, esgotos;

• Atividade industrial: resíduos, efluentes líquidos e gasosos;

• Estocagem subterrânea de combustíveis: postos de gasolina;

• Sistemas de saneamento: fossas comuns e sépticas;

• Cemitérios: necro-chorume e resíduos;

• Atividade agropecuária: fertilizantes, agrotóxicos, esgoto e


esterco de animais.
CICLO DA POLUIÇÃO

• 1ª fase  ocorre a geração e a emissão de poluentes


pelas diversas fontes poluidoras existentes;

• 2ª fase  ocorre o transporte e a difusão desses


poluentes no ambiente (as águas e os ventos, dentre
outros fatores, têm grande importância);

• 3ª fase  ocorre o contato com o homem, os animais,


os vegetais, etc., prejudicando, direta ou indiretamente, o
homem e ficando caracterizada a poluição ambiental.
CICLO DA POLUIÇÃO
Poluentes Mundiais
Dióxido de Carbono

• Presente na combustão de produtos carbonados diversos;

• Favorece o Efeito Estufa.

Monóxido de Carbono
• Resultante da combustão incompleta de materiais fósseis, como o
petróleo e carvão;

• Incolor, inodoro e extremamente tóxico para o homem.

Dióxido de Enxofre e Óxidos de Nitrogênio


• Emanações de indústrias, veículos automotores e combustíveis
domésticos; favorecem o fenômeno da chuva ácida;

• Agrava as afecções respiratórias, ataca as árvores e plantas, certos


tecidos sintéticos, etc.;
Poluentes Mundiais
Petróleo
• Originado, principalmente, de descargas ou acidentes com
navios petroleiros e da extração e do refino do petróleo;

• Poluição das águas;

• Impede a penetração de luz, o que afeta a flora.

Radiações
• Produzidas, principalmente, pela utilização da energia nuclear,
tanto para fins industriais como bélicos;

• Importante na medicina e na pesquisa médica (quando utilizados


em determinadas doses, podem causar malefícios e até
genéticos).
Classificação da poluição

• Quanto à origem: natural e artificial;


• Quanto à localização: atmosférica, hídrica e
edáfica;
• Quanto à forma: química, orgânica, térmica,
mecânica, radiativa, sonora, etc.
• Quanto ao aspecto econômico: da miséria e
tecnológica.
Classificação da poluição

Poluição química

• Poluição química brutal: decorrente de descargas maciças de


detritos industriais no meio ambiente (ex.: ácidos, metais pesados,
detergentes, etc.);

• Poluição química insidiosa ou crônica: ocorre de maneira mais


ou menos sistemática, com menor quantidade de poluentes. Efeitos
intensificados com a mistura de vários tipos de poluentes (ex.:
detergentes sintéticos, subprodutos do petróleo, etc.).
Classificação da poluição

Poluição biológica ou orgânica

• Poluentes caracterizados por materiais orgânicos


fermentáveis;

• Fontes poluidoras: esgotos domésticos, indústrias de


lacticínios, curtumes, matadouros, etc.
Matadouro em Gabu
(leste de Guiné-Bissau)
Classificação da poluição

Poluição térmica

• Decorrente da elevação da temperatura média do ambiente;

• Comum nos ambientes aquáticos;

• Fonte poluidora: aquecimento das águas utilizadas no


resfriamento de reatores de usinas térmicas, nas centrais
elétricas, nas refinarias de petróleo, etc.
CAUDAL aquecido
Classificação da poluição

Poluição mecânica
• Decorrente do deslocamento de grandes quantidades de
argila, areia, calcário, etc.

Construção – Usina
de Belo Monte
Classificação da poluição

Poluição radioativa

• Origem: explosões atômicas, acidentes de usinas


nucleares e no lixo atômico;

• Águas utilizadas no resfriamento dos reatores atômicos 


poluem termicamente e podem arrastar resíduos
radioativos.
Chernobyl (União
Soviética, abril de 1986):
é considerado um dos
maiores desastres
ambientais da história.
Acredita-se que tenha
causado a morte de 47
pessoas na explosão e de
mais de 9 mil
posteriormente por
câncer causado pela
radiação, segundo a
OMS.
Fukushima (Japão, março de 2011): o mais recente entre os grandes
acidentes nucleares teve origem no terremoto de magnitude 9 que danificou
4 dos 6 reatores da usina Fukushima I, gerando um enorme vazamento de
material radioativo no mar.
Classificação da poluição

Poluição “da miséria”


• Países subdesenvolvidos;
• Decorrente devido à falta de saneamento, causadora de enfermidades
(disenteria, hepatite, febre tifóide, etc.).
Classificação da poluição

Poluição “tecnológica”
• Países desenvolvidos;

• Devido ao uso da tecnologia em todas as vertentes.


Avaliação da poluição

• Indicador de poluição: parâmetro ou grupo de parâmetros


utilizado para medir o grau de poluição. Exemplo: pH, DBO,
CO, bactérias, etc.

• Padrão de qualidade: parâmetro ou grupo de parâmetros


utilizado para diagnosticar a poluição ambiental (estabelece
a concentração aceitável de dado poluente no ambiente).
Diagnóstico da poluição

1. Identificar as fontes poluidoras;


2. Associar poluentes às fontes poluidoras;
3. Escolher os indicadores de poluição;
4. Comparar os indicadores avaliados com os padrões
de qualidade desejados;
5. Elaborar parecer sobre o grau de poluição ambiental
no ambiente estudado.
EXERCITANDO

Com base nas etapas do diagnóstico da


poluição, identifique em sua cidade uma
FONTE POLUIDORA e faça um diagnóstico
qualitativo da poluição.