Você está na página 1de 24

Filosofia para crianças

Postado em 10 de março de 2014

Selecione o idioma ▼
0

Paty Fonte

Elaboramos um projeto de Filosofia para crianças


buscando uma participação mais efetiva no
processo de criação dos indivíduos. A escola
tradicional, várias vezes, impede à criatividade a
partir do momento que ensina a criança a não
errar. São ditos e valorizados como corretos
determinados comportamentos, pensamentos e
até mesmo sentimentos. Formas diferentes de
resolver uma situação-problema muitas vezes não
são aceitas dentro do espaço escolar. Há de
aceitar-se a diversidade de opiniões, soluções e
métodos. Por que não criar novas formas de
relação entre as pessoas? Por que não refletir
sobre a instituição, seus membros e seus
porquês?

É fundamental repensar a práxis pedagógica e o


professor necessita de materiais de apoio, não
com intuito de fazer chegar às suas mãos
“receitas mágicas”, mas sim exemplos, modelos,
dicas, idéias para que refletindo sobre sua prática
diária possa desenvolver um trabalho prazeroso,
significativo para os alunos e acima de tudo
eficaz.

Assim chegamos ao Proyecto Noria e suas propostas pedagógicas...

Traçamos, então, os seguintes objetivos:

 Substituir a “transmissão” de conhecimentos pelo desenvolvimento do próprio pensamento do


estudante;
 Capacitar o aluno para debater e confrontar idéias;
 Desenvolver nos alunos o raciocínio, a formação de conceitos, a investigação e a tradução (capacidade
de dizer ou escrever com as próprias palavras o que foi lido ou ouvido);
 Levar o educando a elaborar novos conhecimentos, desenvolver seu potencial criativo, enfrentar novos
desafios, relacionar as informações e tirar suas próprias conclusões;
 Auxiliar os alunos a se tornarem cidadãos que sejam capazes de oferecer contribuição pessoal
enriquecedora na construção continuada das necessárias referências orientadoras das vidas humanas.

A criatividade não é alcançada facilmente. É necessário muita motivação e trabalho para tal. Sendo assim,
adotamos como metodologia aulas baseadas em dinâmicas, jogos e brincadeiras, o que consideramos as
melhores estratégias para despertar o potencial criativo das crianças.

Dentre as atividades propostas destacamos a atividade inicial: Pensando sobre a própria existência:

O educador distribui folhas em tamanho A4 e oferece revistas, encartes, jornais e figuras variadas. A proposta é
que cada um preencha toda a folha com recortes os quais se identificam – imagens, palavras e frases que de
certa forma “falam” um pouco sobre o seu eu, a sua essência. Podem ser preferências e características físicas,
mas não devem se deter apenas nisso.

É necessário que tenham tempo suficiente para pensar e analisar enquanto pesquisam. A atividade não será
eficiente em curto espaço de tempo.
Em um segundo momento, com todas as folhas preenchidas, deve-se, em círculo, conversar sobre a experiência
e juntos analisar cada uma delas.

Na roda de conversas deve-se estimular para que as crianças expressem seus pensamentos, dúvidas e questões
relacionadas à atividade sempre instigando, sondando, inquietando: Mas por que esta figura? E esta forma de
colagem? Foi fácil para você? Mas por quê? É difícil então? Por quê?

Outra atividade interessante e simples é a caixa de novidades onde qualquer objeto pode se transformar em
análise, crítica e reflexão. Podem ser criadas regras para o uso do objeto, novas formas de utilizar, histórias,
músicas, arte plástica, etc. A idéia é mostrar aos alunos que podem superar o conhecido, o já descoberto. A
superação baseada em uma novidade caracterizará o pensamento lógico, reflexivo, crítico e criativo.

Assim, a Filosofia não é abstrata, colocamos o ato de filosofar em prática e este passa a fazer parte da realidade
das crianças.

Professores que utilizaram o projeto como material de apoio e desenvolveram as atividades propostas,
afirmaram que perceberam em seus alunos maior autonomia de pensamento, respeito por pensamentos
diferentes do seu, respeito à opinião de outras pessoas, melhor argumentação, entre outras habilidades.

Projeto A Margarida Friorenta


Postado em 24 de julho de 2012
12

Selecione o idioma ▼

Esther Aline Varanda

A Margarida era uma florzinha que estava com muito, muito frio.
Passou uma borboleta, viu que ela estava com frio, chamou a Ana Maria, que foi ajudá-la, chamou o cachorro
para trazê-la para o seu quarto, junto a sua cama, e ela colocou um casaco, mas não adiantou, fez uma casinha
não deu certo.
Colocou de baixo da luz não conseguiu.
No final ela só precisava de uma coisa que ninguém imaginava, tão simples....

Objetivos:

1. Favorecer atitudes de responsabilidade e de cooperação, sensibilizando para:


2. Atenção e cuidados com a Natureza.
3. Observação de mudanças e permanências no processo de desenvolvimento de seres vivos.
4. Estabelecimento de parceria e de cooperação com o outro na solução de problemas
5. Formar com os colegas a Comunidade de
Aprendizagem Investigativa.

Temas:

1. Amor às plantas
2. Boa ação
3. Bondade
4. Amizade
5. Carinho
6. Caridade
7. Afeto

Temas Transversais

ÉTICA - Atitudes que favorecem “tornar os alunos capazes de adotar atitudes de respeito pelas diferenças entre
as pessoas, respeito esse necessário ao convívio numa sociedade democrática e pluralista”. (Parâmetros
Curriculares Nacionais, v. 8, Apresentação dos temas transversais e Ética, Brasília, MEC, 1997, p. 97)

MEIO AMBIENTE - Formação de valores e de atitudes voltados para a proteção das diferentes formas de vida.

Abordagens Interdisciplinares

LÍNGUA PORTUGUESA

 Elementos da narrativa: personagens, enredo (ações em seqüência de tempo e espaço)


 Discurso direto e marcas na escrita: “– O que é que ela tem? / – Frio, coitada!” (p. 10)
 Substantivo próprio e substantivo comum: a Margarida friorenta, a Borboleta Azul, o cachorro Moleque

ARTE

 Pintura – a escolha dos diferentes materiais e técnicas de pintar, sua relação com a intenção do artista
e seus efeitos de sentido: transmitir uma idéia, sensibilizar para uma atitude, expressar um sentimento,
provocar criticidade...
 Na história, a ilustração concretiza as metáforas de frio como exclusão, abandono, falta de afeto, e as
de calor como acolhimento, inclusão, afetividade

CIÊNCIA

 Os conteúdos procedimentais da área de Ciência: observação, comparação e busca de solução para


possíveis problemas

O Jardim
Você já tremeu um dia? Quando? Por quê?

Como é uma borboleta? Você sabe como ela nasce? Você gostaria de voar?
E você? Como nasceu?

Existem muitos tipos de frio, e o pior talvez seja aquele que nasce da falta de carinho. Seria esse o
que a pequena margarida sentia?

ENSINO FUNDAMENTAL II e MÉDIO

Através do conto qualidade de vida e prevenção


Postado em 05 de maio de 2015

Selecione o idioma ▼
Vilma Orlando

Quando se considera a prevenção no contexto


escolar deve-se dar ênfase ao investimento na
formação de profissionais qualificados, bem
treinados e habilidosos para lidarem de forma
correta com o que surgir. Deve-se envolver toda
equipe escolar e colocar o adolescente como
participante ativo do processo de elaboração do
projeto utilizando linguagem acessível e
escutando-o sobre sua realidade. Orientando-o
quanto ao risco do uso de drogas, de forma
aberta, sem atitudes negativas, punitivas,
preconceituosas e excludentes.

A família sendo parceira em todo processo e ajudando e sendo ajudada quando necessário, ampliando a
habilidade de escuta e diálogo para favorecer a comunicação e a orientação à família. Quando os laços se
fortalecem, as vulnerabilidades se reduzem, e dentre elas, os riscos do uso de drogas. Fortalecermos as
parcerias internas e externas de apoio a comunidade, assim possibilitar a prevenção ao álcool e outras drogas e
proporcionando uma melhor qualidade de vida.

“Na escola, é possível favorecer a construção de projetos de vida, ao interferirmos pontualmente


naquilo que está ao nosso alcance como criar condições para que a escola se torne um espaço de
participação, realização e criação, e não de fracasso ou exclusão. Cabe à escola oferecer situações
instigantes como parte de seu processo educativo que respondam às necessidades e motivações do
adolescente.” (SENAD 2014 p.117).

Para se entender que cabe à escola a função de ensinar e de educar, recai, especialmente sobre o professor
desempenhar um papel ativo de organizar, conduzir e mediar o processo educativo. (SENAD 204 p. 29).

Desta forma, os alunos irão trabalhar com significado envolvendo debates livres e vivências, mediado e facilitado
pelos professores em ambiente confortável de modo que confiem e procurem ajuda quando tiver dúvidas ou
problemas.

O tema da promoção da saúde não é exclusivo de nenhum componente do currículo. Deve ser abordado na
perspectiva interdisciplinar e integrado às
diferentes áreas do conhecimento de forma
motivadora e coerente com os interesses e com
as necessidades dos alunos. (SENAD 2014,
p.202).
Desenvolvemos um projeto interdisciplinar integrando as disciplinas tradicionais e temas debatidos socialmente,
com ações que vinculadas a um projeto amplo e contínuo e não limitado as ações pontuais.Como temas de uma
melhor qualidade de vida e prevenção ao uso de drogas integrados às disciplinas tradicionais na escola.

“A escola encontra-se diante de um novo desafio e, nesta circunstância, educar para prevenção apresenta-se
como a melhor alternativa para o enfrentamento do consumo de drogas entre estudantes. Prevenção significa
dispor com antecipação, impedir ou pelo menos reduzir o consumo.” (Psicologia Educacional p.1).

Prevenção se faz com a valorização da vida. Tratamos de temas como inclusão e exclusão,
cidadania, diversidade e pluralidade cultural e outros.
Segundo Fonseca (2006), faz-se urgente estruturar uma dinâmica de implantação em prevenção ao abuso de
drogas nas escolas. E, “a melhor forma de se chegar com a Mensagem Antidrogas ao jovem é municipalizando
as ações de prevenção contra as drogas” (BRASIL, 2000, não paginado). As estratégias de municipalização
possibilitam incrementar medidas estruturadas em plano, programa e projeto que tornam a prevenção mais
próxima às instituições escolares.

Escola. É o lugar privilegiado para intervenções educacionais. Deve elaborar projetos que assegurem ações
preventivas intensivas e duradouras, tendo como guia o Plano de Ação e o Programa Preventivo. Na prática
escolar, a prevenção ao abuso de drogas torna-se viável por intervenções nas condições de ensino e,
principalmente, são direcionadas ao projeto político pedagógico, à gestão escolar e à abordagem educacional,
como apresentados na sequência.

A prevenção será feita, mesmo reconhecendo que é importante tratar da temática das drogas de forma
específica e proporcionando a reflexão e as mudanças de hábitos para uma melhor qualidade de vida.

Sabemos que a promoção da saúde deve ser vista de forma integral e devemos apresentar aos alunos diversas
possibilidades de abordar o assunto.

Por isso, é tão importante que o assunto seja incluído nas disciplinas curriculares e também nas atividades de
natureza interdisciplinar da escola, tais como visitas, passeios, excursões, peças teatrais, etc. Isto irá trazer mais
aproximação com o aluno e fará com que tenha mais confiança, tornando o ambiente mais favorável à
criatividade, à autonomia e à diversidade, propício para que o aluno se desenvolva, construindo valores,
refletindo sobre sua saúde e suas escolhas.

Objetivo Geral:

 Promover aos alunos do Projeto Aperfeiçoamento Pedagógico, orientações, incentivo e fortalecimento


de ações de promoção à saúde, e a prevenção ao uso do álcool e drogas e consequentemente,
melhorar a qualidade de vida destes alunos influenciando no modo de pensar e agir, refletindo em seu
presente e futuro, na vida e para a vida.

Objetivos Específicos:
 Conhecer o que os alunos sabem sobre os temas abordados suas principais dúvidas, e necessidades e
planejar atividades adequadas;
 Considerar a realidade deste aluno, a realidade de vida e identificando os fatores de risco e proteção
em relação ao uso do álcool e outras drogas;
 Incentivar a reflexão, desenvolvendo o espírito crítico sobre a própria realidade e vivência, com a
realidade local e geral do problema;
 Desenvolver o autoconhecimento e a busca por comportamentos saudáveis;
 Estimular a construção do conhecimento pelas trocas, pesquisas, reflexões e análises;
 Estimular a expressão de sentimentos e opiniões, desenvolvendo as habilidades sociais;
 Apresentar conceitos realistas e não preconceituosos;
 Desenvolver os temas qualidade de vida e drogas, integradas aos conteúdos pedagógicos explorando a
transversalidade dos temas;
 Estimular o interesse do aluno e o senso crítico, proporcionando uma visão realista e correta a respeito
do uso do álcool e outras drogas e a maneira de agir diante delas.

O ser humano possui imensa capacidade em transformar o meio em que vive, assim, enquanto
educadores, é tarefa nossa investir na formação de um ser capaz de interferir no seu cotidiano,
ator de sua história, promovendo melhorias coletivas, inspiradas nos princípios de liberdade e nos
ideais de solidariedade, preparando o aluno para exercer a cidadania e ter uma melhor qualidade
de vida.

Desenvolvimento - metodologia

Ao se tratar de saúde e de drogas nas diversas disciplinas é muito importante o diálogo, a roda de Conversa e
que sejam utilizadas vivências, relatos, exemplos familiares dos alunos, tudo seja retirado do contexto de vida
dos mesmos, seja com os pares que convivem, seja em apoio a outras redes, como a família e a escola, sem
preconceitos e discriminações.

Abordaremos os assuntos qualidade de vida e a temática das drogas, promovendo a saúde, adequando a
realidade da escola e das turmas, diluído nas diferentes atividades curriculares.

Desenvolvendo programas fundamentados cientificamente, integrando o tema qualidade de vida e prevenção do


uso de álcool e outras drogas com ações escolares, realizando uma educação abrangente, que compreenda as
diferentes dimensões da vida dos estudantes, de modo que os alunos construam conhecimentos, participando
das tomadas de decisões em todo processo de educar, pesquisar e compartilhar, como algo que proporcione
mais prazer, harmonia, respeito e confiança, descobrindo novos caminhos.

Traduzindo-se assim numa linguagem que possa ser entendida dentro e fora do âmbito escolar.

O produto final pode ser em uma exposição, uma peça teatral, uma música ou outra forma que o grupo seja
democrático e aberto á criatividade, resgatando tudo que foi vivido, demonstrando a forma de entender as
relações que foram acontecendo durante o desenvolvimento do projeto, valorizando os alunos em todas suas
dimensões, afetivas, sensitivas, intuitiva, imaginativa, criativa, transformando o espaço para o aprendizado, na
oportunidade de aprender uns com os outros, resgatando a autoestima, o auto-descobrirem, falarem sobre suas
experiências de vida, de seus sentimentos, lançando mão do potencial imaginativo e criativo dos grupos.

A prevenção será mais abrangente e eficaz se tiver como objetivo o desenvolvimento da capacidade de escolhas
dos indivíduos. Uma pessoa bem informada e, com uma consciência crítica desenvolvida tem mais possibilidades
de tomar decisões e evitando riscos e favorecendo sua saúde. Pessoas conscientes, livres, responsáveis e
comprometidas com valores éticos de promoção a saúde individual e coletiva.

As diversas disciplinas serão trabalhadas com transversalidade:

Língua Portuguesa: pela leitura do conto de


fadas”Pinóquio”, com questionamentos e reflexões em
Roda de Conversa ( verdade e mentira; pessoas
conhecidas e estranhas; confiar e desconfiar;a
obediência e a teimosia; riscos; perigos; o abuso, etc.)
Leituras de variedades textuais abordando os temas
necessários para o desenvolvimento dos trabalhos e
para nos aprofundar nos assuntos quanto a prevenção
ao uso de álcool e drogas; dinâmicas diversificadas;
cruzadinhas; caça-palavras; jogos; quebra-cabeça;
Jogo da Memória; o DVD “Pinóquio”. A música: ” Terra Planeta Água” de Guilherme Arantes Na biblioteca ler o
livro “Uma Vida Duas Histórias” permitindo assim o maior aprofundamento. No fechamento desenvolvemos um
livro com esta história e as atividades desenvolvidas.

Matemática: Tabelas; gráficos; exercícios de raciocínio; continhas utilizando as quatro operações; frações;
cruzadinhas; enigmas; caça palavras; cubos mágicos; envolvendo o conto de fadas “Pinóquio” e os temas: água;
prevenção e proteção ao uso de drogas e medicamentos, bem como a qualidade de vida .Para o fechamento
foram montados dados e personagens da história Pinóquio.

Ciências: Trabalhar a apostila Expoente, conhecendo a quantidade de água existente no planeta, estados
físicos da água (sólido,líquido,gasoso); Mudanças dos estados físicos da água ( fusão,
solidificação,vaporização,condensação e sublimação); O Ciclo da água. Leituras de textos diversos; exploração
oral e escrita com atividades relacionadas; caça-palavras; cruzadinhas; etc. Fechamento com visitações a seguir:

 Visita à Estação de Tratamento da Água


(ETA) e Estação de Tratamento de Esgoto
(ETE); SABESP. Conhecendo todo o trajeto
da água que abastece nossa cidade desde a
captação no rio até chegar à nossa casa.
Esses tratamentos proporcionam qualidade
de vida nos protegendo contra doenças..
 Visita à Usina Santa Isabel, conhecer o
viveiro de mudas, colocar o aluno para
realizar o plantio de mudas, conhecer técnicas do plantio de sementes, a usina realiza o
reflorestamento com estas mudas, conhecer o mais próximo.
 Visita à vários setores da usina conhecer os processos, desde a cana no caminhão e as etapas para
chegar a fabricação do álcool, geração de energia e açúcar o empacotamento, armazenamento,
carregamento nos caminhões para ser distribuído. Um engenheiro, funcionário da usina nos orientará
durante todo percurso, explicando os processos, juntamente com a professora de geografia Elisabete,
responsável pelo Centro Educacional Ambiental “Walter de Biasi Filho” .

Plantamos em caixotes nossa horta, pintados na aula de arte, trabalhamos sobre alimentos, bem como a
Pirâmide Alimentar. A horta será todo tempo cuidada pelos alunos nos dois períodos. Verificaremos o valor das
vitaminas nos alimentos e conscientização de uma alimentação saudável.

Geografia: Oceanos, mares e continentes, matérias


de nossa apostila, com textos diversos com atividades
relacionadas, assistimos à diversos vídeos no YouTube
: Conhecendo os Oceanos ( Oceano Glacial Ártico;
Oceano Glacial Antártico; Oceano Pacífico;Oceano
Atlântico; Oceano Índico). Conscientização de
preservação e de cuidado com o meio ambiente, bem
com, compreender os reflexos que as ações do homem
causam ao planeta. Fechamento com a visitação a
seguir:

 Visita ao Centro de Educação Ambiental “ Walter de Biasi Filho”professora Elizabete responsável pelo
Centro, na sala que representa água, ela mostrará os oceanos no ”Globo Terrestre” iluminado. Os
alunos irão ver a maquete do Tratamento da água e esgoto de Novo Horizonte. Alguns tubos de vidro
nos mostrará a quantidade de água do planeta, abordará a quantidade de água gasta nas diversas
tarefas diárias e na nossa higienização, conscientizando os alunos a preservação da água.
 Numa outra sala do projeto a professora abordará sobre solo e verificar, algumas caixas com os tipos
de solos, falar sobre cada um deles, ver o minhocário e explanar sobre este assunto.
 Utilizará de multimídia com vídeos diversos sobre lixo, como é o aterro sanitário de Novo Horizonte,
como é feita a separação do lixo em nossa cidade e o processo de reaproveitar materiais recicláveis
para transformar em algo útil para ser utilizado novamente. Conscientizando sobre o cuidado com a
natureza.

História: Conhecer a história da antiguidade onde não existia tratamento de água e esgoto, relacionando com o
tratamento de água e esgoto vivenciados na visita a ETA
( Estação de Tratamento da Água) e ETE ( Estação de tratamento do Esgoto).
Trabalhar noções de higiene pessoal, em casa, na escola, na rua, no bairro, na cidade, enfim conscientização de
bons hábitos de higiene, além de promoverem a saúde, ajudam a prevenir doenças e se desenvolve uma melhor
qualidade de vida.

Assistir ao filme: O Flautista de Hamelin é uma história


clássica na qual o flautista livra a cidade de uma peste
de ratos e ressalta a importância de se cumprir os
tratos feitos. Haverá debate oral sobre o filme
envolvendo diversos assuntos ressaltando a qualidade
de vida e a prevenção ao uso de drogas.

Inglês: Roda de Conversa: O que sabem sobre


higiene pessoal, trabalhar a escrita de palavras relacionadas á higiene pessoal; trabalhar banco de palavras,
caça-palavras, cruzadinhas, atividades, etc. Os alunos irão trazer embalagens de produtos de higiene corporal,
irão fazer rótulos , nomeando e etiquetando estes produtos. O fechamento será montando um jogo. Jogo:
Produto e Nome, os alunos terão que relacionar produtos de higiene pessoal colocando o rótulo
correspondente.

Educação Física: Roda de Conversa: Qualidade de Vida, o que os alunos entendem sobre o assunto, sobre
seus hábitos e o direcionamento para uma boa alimentação e nutrição, realizaratividades físicas e práticas
corporais; atividades de coordenação motora; a importância da saúde mental e o lazer. O professor juntamente
com os alunos irão, fazer suas pipas e soltá-las dando fechamento aos trabalhos será feito um passeio na
represa local, onde serão realizados exercícios físicos em aparelhos existentes no local.

Arte: pintar caixotes de madeira e personalizar para o plantio da horta que os alunos farão.

 Confeccionar com caixas de leite fantoches da história: Pinóquio.


 Ensinar os alunos manusearem os fantoches, ensaiar peça teatral Pinóquio, que será apresentada pelos
alunos da Sala de Aperfeiçoamento Pedagógico.
 Produzir um filme. Postar no Blog , bem como atividades, fotos, depoimentos, enfim tudo que estiver
relacionado ao desenvolvimento do projeto.

O tema saúde está integrado a outros fatores que compõem a vida (cultura, valores, espaço social) e não pode
ser visto de modo isolado, portanto, há necessidade de se estabelecer um elo entre eles. A articulação desses
fatores no currículo da escola, com incorporação de todas as áreas do conhecimento que o estruturam, dá
formato a um currículo “vivo”, em que os conteúdos curriculares não são vistos como um fim em si
mesmos, mas como meios básicos para constituir competências cognitivas e sociais.

O tema da promoção da saúde não é exclusivo de nenhum componente do currículo. Deve ser abordado na
perspectiva interdisciplinar e integrado às diferentes áreas do conhecimento de forma motivadora e coerente
com os interesses e com as necessidades dos alunos, tornando-se flexível e dinâmico.
Comprometida com a melhoria da qualidade de vida de toda a população, a escola, como parte de um conjunto
social, deve também participar de projetos mais amplos nas políticas públicas. ( SENAD 2014, p.202).

Desenvolvendo pessoas conscientes, responsáveis e comprometida com valores éticos de promoção à saúde
individual e coletiva.

REFERÊNCIAS:

 ADSON. Vasconcelos, Fernanda Beleza, Regina Vilaça.Oficina de Literatura. Vol. 04 – 4º Ano.P. 07 a


27, Editora Ridel.
 ASSAD. Zilma. Uma Vida Duas Histórias. Ed,Paulus.
 BRASIL. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Curso de prevenção do uso de drogas para
educadores de escolas públicas/Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, Ministério da Educação.
– 5. ed.,atual. – Brasília: Ministério da Justiça, 2014.
 FONSECA, M. S. (2006). Prevenção ao abuso de drogas na prática pedagógica dos professores do
Ensino Fundamental. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP.
 IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas Geografia Escolar.Ensino Fundamental do 6º
ao 9º ano/ IBGE 2010. Rio de Janeiro,RJ.
 SANFELICE. Elizabeth. Apostila Expoente – Ensino Fundamental 6º Ano.

Projeto Cidadania Urgente - Um compromisso


com a sociedade brasileira
Postado em 5 de abril de 2016

Selecione o idioma ▼

Paty Fonte

Justificativa:
Educar é acender a luz da cidadania,
ampliando nos alunos a visão da
realidade e dando-lhes condições de
influenciar na trajetória do País, para
construir melhores dias para toda a sociedade.

“Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos
anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis.” (Bertolt Brecht)

O projeto Cidadania Urgente pretende resgatar o sentido da cidadania entre os alunos, para que eles a
percebam como fruto do trabalho, uma conquista de cada dia que depende da participação daqueles que são os
maiores interessados: Os cidadãos.

É preciso lembrar que a construção da cidadania pressupõe compromisso social.

Diante da violência, da corrupção, da miséria social e educacional que assolam o País, é importante lembrar que
a escola, como representação do cotidiano em permanente transformação, deve criar condições efetivas de uma
participação marcante de alunos e educadores no processo de construção da sociedade brasileira mais justa e
mais digna. Portanto, a reflexão sobre cidadania será direcionada para importantes aspectos da vida em
sociedade. O trabalho deve ser integrado com as demais áreas de estudo tendo por ideia básica o
slogan “Cidadão é indivíduo socialmente útil e necessário”.

“A cidadania não é feita só de lutas políticas e muito menos só de direitos. Há deveres a cumprir, erros a corrigir
em todos os aspectos da vida social, e isto é responsabilidade de cada um de nós.
Ela é fruto de um trabalho, é uma conquista de cada dia, tem que ser renovada, discutida, ampliada e
melhorada a cada instante, com a participação daqueles que são os maiores interessados: nós, os cidadãos.
Só depende de nós. Cada cidadão é a semente de um novo tempo.”
(Adaptação do texto: Nacionalidade e Cidadania – André Carvalho e Sebastião Martins)

Nos projetos não existe pressão para os alunos competirem pelas notas mais altas, mas motivação, estímulo
pela comunicação genuína com os outros sobre o que descobriram e sobre como podem apresentar e
compartilhar a informação.

A visão da Pedagogia de Projetos está interligada a visão de Escola Cidadã proposta por Freire:

“A Escola Cidadã, então, é a escola que viabiliza a cidadania de quem está nela e de quem vem a ela. Ela não
pode ser uma escola cidadã em si e para si. Ela é cidadã na medida em que se exercita na construção da
cidadania de quem usa o seu espaço. A Escola Cidadã é uma escola coerente com a liberdade que, brigando
para ser ela mesma, luta para que os educandos-educadores também sejam eles mesmos. E como ninguém
pode ser só, a Escola Cidadã é uma escola de comunidade, de companheirismo. É uma escola que não pode ser
jamais licenciosa nem jamais autoritária. É uma escola que vive a experiência tensa da democracia. ”
(PAULO FREIRE, março de 1997. In: PADILHA, Paulo R. Padilha, 2001:61; segunda orelha)

Decretado pela Unesco, 2016 é o Ano Internacional do Entendimento Global. O tema pressupõe Educar
para a Cidadania conforme consta em seu documento original:
“Alcançar a educação de qualidade para todos e a aprendizagem permanente ao longo de toda a vida;
mobilizar o conhecimento científico e as políticas relativas à Ciência com vistas ao desenvolvimento
sustentável; enfrentar e resolver os novos problemas éticos e sociais; construir sociedades do
conhecimento inclusivas e integradoras com o apoio da informação e da comunicação.”

Objetivos
Criar condições:

 Para que o aluno possa entender, de forma crítica, a realidade social em que vive;
 Para a sensibilização de educandos e educadores sobre a importância de uma escala de valores
compatível com a dignidade humana;
 Para que a comunidade escolar possa perceber a necessidade de trabalhar por uma vida que haja mais
igualdade de oportunidades.

Nossas metas:

 Educar para a vida e formar seres pensantes;


 Discutir problemas sociais e buscar soluções;
 Transformar a vida de muitas crianças através da Literatura e Educação.

Desenvolvimento / Propostas de Atividades

Através de projetos de leitura bem estruturados, abordar temas que estão em voga e atingem a Sociedade,
como:

 Vírus H1N1 surge antes da hora e chega mais violento este ano
no Brasil.Já foram 46 mortes, 10 a mais do que no ano
passado inteiro. Número de casos mais do que dobrou e já
atinge seis estados.

A melhor prevenção é realizada através do cuidado com saúde e


higiene.

Nas classes de Educação Infantil desenvolver o projeto baseado no


livro: Higiene e saúde bucal: atitudes saudáveis para uma vida
melhor.

 Estamos diante de uma epidemia de microcefalia no país,


relacionada ao vírus zika, transmitido pelo mosquito "Aedes
Aegypti". A forma mais eficiente para combater o zika, e outras
doenças como a dengue e a febre chikungunya é eliminar os
focos do mosquito, transmissor destas doenças.
Nas classes do Ensino Fundamental I desenvolver o projeto baseado no livro: Combate à dengue. Você
também pode colaborar.

 A Lei 13.185/2015 que obriga escolas e clubes a adotarem medidas de prevenção e combate o bullying
entrou em vigor. A mesma determina que seja feita a capacitação de docentes e equipes pedagógicas
para implementar ações de prevenção e solução do problema, assim como a orientação de pais e
familiares, para identificar vítimas e agressores.

Nas classes do Ensino Fundamental II desenvolver projeto baseado no livro: Violência nas escolas –
Bullying: este comportamento não pode existir entre nós.

 Os usuários regulares de crack e/ou de formas similares de cocaína fumada (pasta-base, merla e oxi)
somam em média 370 mil pessoas nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal. Considerada uma
população oculta e de difícil acesso, ela representa 35% do total de consumidores de drogas ilícitas,
com exceção da maconha, nesses municípios, estimado em 1 milhão de brasileiros. A constatação está
no estudo Estimativa do número de usuários de crack e/ou similares nas capitais do país, divulgado
pelos ministérios da Justiça e da Saúde.

Nas classes do Ensino Médio desenvolver projeto baseado nos livros: Crack: o caminho da vida não passa
por esta pedra e Álcool e drogas. Fique fora!

OUTROS TEMAS INTERESSANTES:

 Ambientais: lixo, água, Mata Atlântica


 Alimentação Saudável
 Pedofilia
 Se ligue na internet
 Consumo Infantil
 Trânsito
 Esporte

O Projeto Cidadania Urgente pode ser desenvolvido com base na adoção dos livros, neste caso a
escola receberá auxílio para o pleno desenvolvimento dos mesmos.

Conheça os livros da Editora Cidadania: www.editoracidadania.com.br

Projeto Horta
Postado em 26 de março de 2010

0
Selecione o idioma ▼

Disponível para download gratuito em nosso site desde 2007,


incentivando educadores de todo Brasil a criarem um espaço
para horta em suas escolas, o projeto contou com a
colaboração da Profª Elis Regina P. Röesler que sugeriu
atividades para informatizar a proposta.

No mundo atual, a informática já faz parte do cotidiano de


nossos alunos. Com efeito, a tecnologia está presente nos
brinquedos, nas agências bancárias, na TV, no cinema e nos
computadores domésticos, levando lazer, serviços,
entretenimento e educação. Assim, enquanto usam o
computador em seu dia-a-dia, as crianças têm a chance de
entrar no mundo da fantasia, superando de forma lúdica e
através de pesquisas as dificuldades de aprendizado dos conceitos das diferentes áreas de estudo. O uso das
novas tecnologias permite aos educadores adotarem atitudes não diretivas, aumentando a capacidade criativa
dos alunos, tendo em vista que estes passam a caminhar de acordo com sua capacidade de assimilação,
escolhendo situações de aprendizagem não delimitadas pelo educador.

Sugestões de recursos de Informática e outras tecnologias para aliar ao projeto:

Materiais Necessários:

 Computadores conectados à internet,


 Máquina fotográfica,
 DVD Player,
 TV ou Projetor
 Programas para geração de vídeos
 Editores de textos
 Programa para criação de HQ (Histórias em Quadrinhos)

Atividades sugeridas:

 Pesquisa: utilizar a internet, acessando sites diversificados e realizando comparações entre as


informações coletadas. É importante que os alunos participem ativamente desta atividade.
Dependendo da faixa etária da turma, podem ser formados grupos onde cada grupo pesquisa
determinado assunto e posteriormente são compartilhados os resultados. O educador elabora planilha
com as informações coletadas nas pesquisas.
 Digitalizar os desenhos feitos pelos alunos para criação de painéis, cartazes, murais, slides, etc.
 Produzir Livros de Receitas: impressos e entregues aos alunos.
 Geração de vídeo, gravado em DVD, contendo as fotografias e filmagens, planilhas, textos, desenhos
dos alunos. As produções podem ser impressas, inseridos em vídeos os arquivos ou ambas as opções.
 Registrar com fotografias e filmagens as etapas e em textos as impressões dos alunos e como
culminância assistir ao vídeo gerado numa tarde de cinema, com direito a ingresso e pipoca.
 O vídeo produzido, gravado em DVD, pode ainda ser presente de final de ano para as famílias. Exibir
para a comunidade escolar e familiares.
 No editor de textos criar tabelas para registro de dados. Exemplos:
 Pesquisar na internet outras escolas que realizam projetos similares e corresponder-se através de e-
mails
 Publicar no blog ou site da Escola informações referentes ao Projeto, bem como as fotos, e atualizar
diariamente ou semanalmente. Mandar pela agenda dos alunos ou por email o link para que os pais
possam acessar e acompanhar o desenvolvimento das tarefas.

Paty Fonte, autora do projeto complementa com mais algumas sugestões:

 Promover estudos sobre as hortaliças, sua época de plantio e colheita, associados ao estudo das
estações do ano, do solo e da vegetação local. Criar uma tabela com o material pesquisado e listar os
alimentos da época.
 Realizar pesquisas sobre os alimentos: origem, clima, solo e relevo a fim de descobrir que
características favorecem a produção dos alimentos. Expor essas informações em pequenos painéis e
no blog ou site da escola.
 Pesquisar os hábitos alimentares dos diferentes povos como, por exemplo, o povo latino-americano.
Solicitar que os grupos criem paródias, poemas ou musicas para socializar as informações.
 Elaborar uma oficina de culinária com os alunos, utilizando, de preferência, alimentos plantados e
colhidos na horta escolar. Essa atividade não precisa acontecer, necessariamente, em uma cozinha. O
professor pode propor a confecção de lanches saudáveis utilizando frutas e hortaliças.
 Pesquisar e produzir gravuras dos cinco grupos de alimentos: cereais, tubérculos e raízes; frutas,
legumes e verduras; feijões e outros alimentos vegetais ricos em proteína; leite e derivados, carnes e
ovos; gorduras, açúcares e sal. A turma pode montar um painel ou apresentações em vídeo ou Power
point classificando as gravuras segundo os grupos apresentados, discutindo a importância do equilíbrio
no consumo destes grupos.
 Difundir informações sobre o ambiente e sobre a alimentação no blog, site ou jornal da escola.
Estimular um concurso de produção de textos sobre temas ligados a horta e a alimentação saudável
para ser publicado no jornal.
 Dividir a turma em grupos para que criem um roteiro teatral sobre a relação das crianças com as
frutas, as verduras e os legumes. Depois dos roteiros prontos, os alunos produzirão as falas dos
personagens e apresentarão a dramatização para toda a escola.
 Produzir com os alunos charges que abordem temas como cultivo, culinária e consumo de frutas,
legumes e verduras (FLV). Pode ser realizada uma exposição das tiras confeccionadas.
 Trabalhar o tema Cadela Alimentar em sala de aula
usando esquemas representativos, salientando a
importâncla dos seres decompositores na
transformação dos residuos orgânicos. Estes
esquemas podem ser confeccionados em papel
cartao, formando jogos de montar.
Apresentar questões para reflexão e debate, como:
o Insetos-pragas destruíram a plantação
(couve, milho, outros). Este fato afeta a
cadeia alimentar? De que modo?
o A mudança climática afeta a cadeia
alimentar? De que maneira?
 Assistir filmes que possam complementar o
trabalho. Sugerimos: "Fuga das galinhas". Com
base na discussão do filme, evidenciar a questão do instinto de sobrevivência que caracteriza as
espécies, inclusive o homem. E a sobrevivência da horta, como fica diante da invasão dos insetos-
pragas?
 Projeto Horta Assistir filmes como “A arca de Noé", "Shrek", "Procurando Nemo". Em seguida, dividir a
turma em pequenos grupos e solicitar uma pesquisa sobre cada um dos Biomas brasileiros,
enfatizando-se: como classificar os diferentes tipos; qual a diferença deles em relação a biodiversidade
(animais e plantas) e, para que servem os animais e plantas dos diferentes tipos. Baseado nos filmes,
debater a importância da preservação e do respeito às varias espécies.
 Discutir os procedimentos de lavagem e higienização das hortaliças e frutas com os alunos e ensinar o
procedimento adequado.
 Agendar visitas ao comercio local de alimentos, como armazéns e supermercados. Preparar junto com
a turma um formulário para preenchimento durante a visita. O formulário pode abordar preços,
condições de armazenamento, data de validade dos produtos, verificação dos rótulos. Após a visita,
estabelecer relações entre a safra e o preço das hortaliças.

Projeto aprendendo a cuidar do planeta


Postado em 27 de meio de 2013

32

Selecione o idioma ▼

Durante o mês de setembro (2012) o maternal II realizou o projeto “Aprendendo a cuidar do planeta” onde fora
m abordados temas relacionados a reciclagem com osubtítulo A criança e a relação com o meio ambiente:
O cuidar e o transformar.

Perfil do grupo: Turma composta por 18 crianças sendo na sua maioria com 3 anos sobre os cuidados da profe
ssora Márcia e auxiliar Francisca e com a supervisão dadiretora Rejane Calota na Creche Municipal Acalanto local
izada em Volta Redonda - estado do Rio de Janeiro.

A programação do trabalho se deu em 5 eixos com os seguintes assuntos:

 O que é compostagem?
 Cuidando da nossa horta orgânica;
 Boneco ecólogico;
 A coleta e seleção do lixo;
 Como fazer sabão reciclado.

O detonador do projeto foi baseado na necessidade de chamar atenção e trabalhar a regra dos 3 Rs (reduzir, re
utilizar e reciclar) e para isso foi adotado como forma deintrodução e discussão dos temas a História da família M
arizona e no seu diario de aventuras que no decorrer do projeto foi sendo escrito pela vivencia da mesma com o
srespectivos temas.

Para fazer ciencia do trabalho que a creche estava se propondo a realizar foi falado sobre o assunto em reunião
de pais, da importância e necessidade do tema comoaprendizado e como consciência de indivíduo como ser atua
nte sobre tal problemática e logo em seguida disponibilizado um folder com o objetivo de reforçar e solicitar apar
ticipação dos responsaveis junto afim de facilitar o trabalho.
Assim que foi proposto o trabalho com temas tão subjetivos e importantes dentro do contexto da reciclagem, sur
giram as questões: Como identificar possibilidades deatuação que contribuam para que tais conceitos auxiliem n
a construção da cidadania dos alunos? Como direcionar o processo de aprendizado a crianças de 3 anos a fim de
que as mesmas possam compreender e exercer o papel de protagonistas no seu meio familiar e social?
Dizem-
me que, para instruir, é necessário conhecer aqueles que se instruem. Talvez, mas bem mais import
ante é, sem dúvida, conhecerbem aquilo que se ensina.

Alan - filósofo francês.

Desenvolvimento:

1ª etapa -
Conhecer bem a particulidade de cada eixo pesquisando na internet, revistas e livros, contextualizando-
os e focando no essencial e importante para dar norteao trabalho.
2ª etapa – Desenvolver os conceitos a partir de histórias, interligando-
os para que ao término de uma seja possível iniciar outra, assim dando continuidade as atividades,reconhecendo
a necessidade de coerência entre discurso e prática.

Ouvir e contar histórias na infância leva à interiorização de um mundo de enredos, personagens, situações,
problemas e soluções, que proporcionam às crianças um enorme enriquecimento pessoal contribuindo para a
formação de estruturas mentais que lhes permitirão compreender melhor e mais rapidamente não só as histórias
escritas como os acontecimentos do seu cotidiano.

Pontos importantes e que


nortearam o trabalho:

 Fala simples e objetiva


sinalizando a presença e o
porque da gravura.
 O uso do contexto da criança
como a questão famíliar, nom
es que poderiam ser dogrupo
como Duda de Maria Eduarda.
 Aproveitar a novidade do dia c
omo artificio para inserir na hi
stória -
como oaniversário do papai da Duda -
o qual surgiu a partir do aniversário de um aluno dogrupo, se tornando pretexto para introduzir na hist
ória os elementos da festa. Orecheio do bolo surpresa do papai foi feito com restos de alimentos e frut
as picadas efrescas. Os convidados foram os amigos bonecos ecológicos ( trabalhandosocialização do g
rupo).

O resultado foi surpreendente, pois toda a ansiedade do inicio de como desenvolver umtrabalho desse porte com
crianças tão pequenas foi a cada passo se anulando pelos bonsresultados obtidos.

A primeira história desenvolvida foi “A aventura da família Marizona” onde uma família de 4 minhocas, papai,
mamãe, Duda e vovó que num passeio na creche Acalanto dão inicio a uma grande aventura.

A protagonista é Duda, é ela que no


embate de cada situação consegue
pensar na solução deixando a família
tranquila e pronta para mais uma
aventura.

Depois desta ainda tiveram mais algum


as aventuras da família: uma onde Dud
a assume atarefa de ajudar a sua vovó
com as mudinhas colhidas durante o passeio na creche(abordando a horta suspensa); outra relacionada com a
festa surpresa de Duda ao papai(onde os convidados especiais foram os bonecos ecológicos) e, finalmente, u
ma históriabaseada na seleção e coleta do lixo (depois da festa do papai Duda ensina a sua família como
selecionar e coletar de forma correta o lixo e ainda o que fazer com o mesmo até chegar ao caminhão da
coleta).

Assim sendo, os mesmos personagens vivenciaram diferentes situações o que proporcionounovas descobertas às
crianças, as quais construindo e desconstruindo o conhecimento,adquiriram novas sensações, imaginando e rela
cionando o mundo da fantasia com a realidade.

Além das histórias foram propostos jogos para dar continuidade aos temas abordados, trabalhando a corpo em
movimento e reinventando os espaços da creche.

Enquanto os alunos brincavam ampliavam seus conhecimentos sobre o mundo, uma vez que o faz de conta
possibilita o se colocar no lugar do adulto. No ato de brincar, os sinais, os gestos, os objetos e os espaços valiam
e significavam outra coisa daquilo que apresentam ser.

Em situações em que o grupo era provocado a assumir diferentes papéis, claramente em suas representações
agiam, frente à realidade, de maneira não liberal, transferiam e substituíam suas ações cotidianas pelas ações e
características do papel assumido.

“Nenhuma criança brinca espontaneamente só para passar o tempo. Sua escolha é motivada por pr
ocessos íntimos, desejos,problemas, ansiedades. O que está acontecendo com a mente da criança d
etermina suas atividades lúdicas; brincar é sua linguagemsecreta, que devemos respeitar mesmo s
e não a entendemos.” (Bettelheim,1984, p. 105)
Outras atividades relacionadas ao projeto:

 Teatro Duda e a sementinha;


 Oficina de sabão reciclado com a participação dos familiares;
 Desfile Ecológico nos arredores da escola com a participação de alunos, professores, funcionários e
responsáveis – entregando mudas de plantas a vizinhança.

O ponto alto do projeto foi a participação das famílias e da comunidade - componente essencial
para o sucesso educativo. Durante todo o processo houve a preocupação de disponibilizar aos
responsáveis fotos e registros das atividades realizadas.

Fonte: http://www.projetospedagogicosdinamicos.com/filosofia_para_criancas.html
Pesquisado em 27/05/2017