Você está na página 1de 7

Nota final

Avaliação de Língua Portuguesa


Extensivo – 2º. bimestre

Aluno No. Turma

Professor Data Valor prova


100
Orientações Conteúdos
 Letra legível, uso de caneta azul ou preta. Substantivos;
 Rasuras nas respostas de questões objetivas: a questão será Pronomes;
anulada. Coesão Textual;
Conjugação e Classificação
Verbal;
Gêneros textuais – Notícia;
Carta do Leitor, Resenha;
Divulgação Científica e Editorial.

1. (VALOR 10) Substantivo é a classe gramatical que nomeia os seres, sejam eles inanimados
ou não. Observe as afirmações a seguir acerca dos substantivos:
I. Podem ser antecedidos por um artigo;
II. Podem variar de acordo com a quantidade de seres a que se refere, podendo estar no
singular ou no plural;
III. Descreve ações;
IV. Ocupam o núcleo do sujeito e seus complementos na análise sintática;
V. Pode ser intensificado por meio de advérbios;
São verdadeiras as afirmações:
a) I, III e IV.
b) I, II, IV e V.
c) I, II.
d) I, II e V.
e) I, II e IV.

2. (VALOR 5) Os substantivos podem ter seu significado alterado por meio de um


determinante. Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela cuja classe gramatical NÃO é um
determinante do substantivo:
a) adjetivo;
b) pronomes;
c) advérbio;
d) artigos;
e) numeral.
Texto para a questão 3.

3. (VALOR 10) (PISM-UFJF) O Texto I, “Meio homem meio máquina”, pode ser classificado
como:
a) notícia de divulgação científica, por oferecer ao leitor algumas informações sobre recentes
descobertas científicas.
b) uma resenha, por fazer referência a O homem de seis milhões de dólares, clássico filme de
ficção científica.
c) parte de um relatório científico, por descrever, em detalhes, experiências científicas de
ponta.
d) texto de opinião, por apresentar críticas ao acelerado processo de transformação do ser
humano.
e) texto enciclopédico, por apresentar dados sistematizados sobre a complexa relação
biologia/eletrônica.

Texto para a questão 4.

Concordo plenamente com o artigo "Revolucione a sala de aula". É preciso que valorizemos o
ser humano, seja ele estudante, seja professor. Acredito na importância de aprender a
respeitar nossos limites e superá-los, quando possível, o que será mais fácil se pudermos
desenvolver a capacidade de relacionamento em sala de aula. Como arquiteta, concordo com
a postura de valorização do indivíduo, em qualquer situação: se procurarmos uma relação de
respeito e colaboração, seguramente estaremos criando a base sólida de uma vida melhor.
Tania Bertoluci de Souza Porto Alegre, RS
(Disponível em: <:http://www.kanitz.com.br/veja/cartas.htm>. Acesso em: 2 maio 2009 (com adaptações).)

4. (VALOR 10) (Enem) Em uma sociedade letrada como a nossa, são construídos textos
diversos para dar conta das necessidades cotidianas de comunicação. Assim, para utilizar-se de
algum gênero textual, é preciso que conheçamos os seus elementos. A carta do leitor é um
gênero textual que:
a) apresenta sua estrutura por parágrafos, organizado pela tipologia da ordem da injunção
(comando) e estilo de linguagem com alto grau de formalidade.
b) se inscreve em uma categoria cujo objetivo é o de descrever os assuntos e temas que
circularam nos jornais e revistas do país semanalmente.
c) se organiza por uma estrutura de elementos bastante flexível em que o locutor encaminha a
ampliação dos temas tratados para o veículo de comunicação.
d) se constitui por um estilo caracterizado pelo uso da variedade não-padrão da língua e tema
construído por fatos políticos.
e) se organiza em torno de um tema, de um estilo e em forma de paragrafação,
representando, em conjunto, as ideias e opiniões de locutores que interagem diretamente
com o veículo de comunicação.

Texto para a questão 5.


Crítica: O dia em que a Terra parou

1 O Remake O Dia em que a terra parou, filme estrelado por Keanu Reeves e com um orçamento
2 de US$ 80 milhões, é um prato cheio para os aficionados da Ficção Científica. O primeiro O Dia
3 em que a terra parou, dirigido por Robert Wise, rodado em 1951, foi um apelo ao fim da
4 Guerra Fria. O recente, dirigido por Scott Derrickson, um apelo ao desmatamento, guerras
5 insanas, violência, etc. O que muitos não sabem, é que o filme foi baseado no conto Farewell
6 to the Master, do escritor Harry Bates. Relevante no aspecto “conscientização”, mas infantil
7 em outros. Os efeitos especiais são incríveis, e o gigante robô biológico Gort, que acompanha o
8 alienígena Klaatu, mesmo sem pronunciar palavra e ficar estático quase todo o tempo, dá um
9 show. O pequeno Jaden Smith, filho do ator Will Smith, fez boa interpretação, e tenho certeza
10 do promissor sucesso. Mas, como apaixonado por FC, sou suspeito pra falar deste gênero.
11 Confesso que em “longos” momentos, o filme foi parado: sem ação alguma. Já no termo da
12 lógica: se realmente existirem alienígenas, será que se preocupariam com o nosso planeta? Por
13 quê? Acredito que não. O universo pode ter milhões de outros planetas habitados, segundo o
14 consagrado Dr. em Cosmologia e Físico Teórico Stephen Hawking. Por que se interessariam em
15 salvar justamente o nosso?
16 No filme, o alienígena Klaatu, diferente do que parece, não tem boas intenções com os seres
17 humanos. Sua única intenção, é salvar o planeta Terra de nós, que a estamos destruindo aos
18 poucos, o que não deixa de ser verdade.
19 Interessante, com menos ação e violência que Guerra dos Mundos, mas igualmente
20 impactante. Recomendo.
(Disponível em: http://www.cranik.com/odiaemqueaterraparou_critica.html)

5. (VALOR 10) (UERJ-2010) O texto oferece ao leitor informações sobre o filme filtradas pelo
autor e somadas às suas avaliações pessoais. Esse recurso linguístico, próprio das resenhas,
está mais bem exemplificado em:
a) O remake O dia em que a Terra parou, filme estrelado por Keanu Reeves e com um
orçamento de US$ 80 milhões, é um prato cheio para os aficionados da ficção científica. (l. 1-2)
b) O que muitos não sabem é que o filme foi baseado no conto Farewell to the Master, do
escritor Harry Bates. (l. 5-6)
c) Mas, como apaixonado por FC [ficção científica], sou suspeito pra falar deste gênero. (l. 10)
d) O universo pode ter milhões de outros planetas habitados, segundo o consagrado doutor
em cosmologia e físico teórico Stephen Hawking. (l. 13-14)

Texto para as questões 6 e 7.


O balanço da Bossa

Condicionada fundamentalmente pelos veículos de massa, que a coagem a respeitar o


"código" de convenções do ouvinte, a música popular não apresenta, senão em grau
atenuado, o contraditório entre informação e redundância, produção e consumo. Desse modo,
ela se encaminha para o que Umberto Eco denomina de música "gastronômica”: um produto
industrial que não persegue nenhum objetivo artístico, mas, ao contrário, tende a satisfazer as
exigências do mercado, e que tem, como característica principal, não acrescentar nada de
novo, redizendo sempre aquilo que o auditório já sabe e espera ansiosamente ver repetido.
Em suma: o servilismo ao "código" apriorístico - assegurando a comunicação imediata com o
público - é o critério básico de sua confecção. "A mesma praça. O mesmo banco. As mesmas
flores, o mesmo jardim". O mesmismo. Todo mundo fica satisfeito. O público. A TV. Os
anunciantes. As casas de disco. A crítica. E, obviamente, o autor. Alguns ganham com isso
(financeiramente falando). Só o ouvinte-receptor não "ganha" nada. Seu repertório de
informações permanece, mesmissimamente, o mesmo. Mas nem tudo é redundância na
música popular. É possível discernir no seu percurso momentos de rebeldia contra a
estandardização e o consumismo. Assim foi com o Jazz Moderno e a Bossa-Nova.

(Augusto de Campos. O Balanço da Bossa).

6. (VALOR 5) (FUVEST-SP) O texto de Augusto de Campos é, predominantemente:


a) dissertativo.
b) narrativo.
c) descritivo.
d) descritivo-narrativo.
e) narrativo-dissertativo.

7. (VALOR 5) Observe o seguinte trecho do texto de Augusto do Campos: “Seu repertório de


informações permanece, mesmissimamente, o mesmo”. O pronome possessivo “seu”,
evidencia-se como um recurso de coesão textual que se refere a qual substantivo já dito?
a) Música popular;
b) A TV;
c) A mídia;
d) Todo mundo;
e) O ouvinte-receptor.

Texto para a questão 8.

O dia em que o peixe saiu de graça


Uma operação do Ibama para combater a pesca ilegal na divisa entre os Estados do Pará,
Maranhão e Tocantins incinerou 10 km de redes usadas por pescadores durante o período em
que os peixes se reproduzem. Embora tenha um impacto temporário na atividade na região, a
medida visa preservá-la ao longo prazo, evitando o risco de extinção dos animais. Cerca de 15
toneladas de peixes foram apreendidas e doadas para instituições de caridade.

(Época. 23 mar. 2009 (adaptado).)

8. (VALOR 5) (Enem-2010) A notícia acima, do ponto de vista de seus elementos constitutivos,


a) informa sobre uma ação, a finalidade que a motivou e o resultado dessa ação.
b) apresenta argumentos contrários à pesca ilegal.
c) tem um título que resume o conteúdo do texto.
d) dirige-se aos órgãos governamentais dos estados envolvidos na referida operação do Ibama.
e) introduz um fato com a finalidade de incentivar movimentos sociais em defesa do meio
ambiente.

Texto para as questões 9 e 10.

A última edição deste periódico apresenta mais uma vez tema relacionado ao tratamento dado
ao lixo caseiro, aquele que produzimos no dia a dia. A informação agora passa pelo problema
do material jogado na estrada vicinal que liga o município de Rio Claro ao distrito de Ajapi.
Infelizmente, no local em questão, a reportagem encontrou mais uma forma errada de
destinação do lixo: material atirado ao lado da pista como se isso fosse o ideal. Muitos
moradores, por exemplo, retiram o lixo de suas residências e, em vez de um destino correto,
procuram dispensá-lo em outras regiões. Uma situação no mínimo incômoda. Se você sai de
casa para jogar o lixo em outra localidade, por que não o fazer no local ideal? É muita falta de
educação achar que aquilo que não é correto para sua região possa ser para outra. A
reciclagem do lixo doméstico é um passo inteligente e de consciência. Olha o exemplo que
passamos aos mais jovens! Quem aprende errado coloca em prática o errado. Um perigo!

(Disponível em: http://jornaldacidade.uol.com.br. Acesso em: 10 ago. 2012 (adaptado))

9. (VALOR 10) (Enem-2014) Esse editorial faz uma leitura diferenciada de uma notícia
veiculada no jornal. Tal diferença traz à tona uma das funções sociais desse gênero textual,
que é:
a) apresentar fatos que tenham sido noticiados pelo próprio veículo.
b) chamar a atenção do leitor para temas raramente abordados no jornal.
c) provocar a indignação dos cidadãos por força dos argumentos apresentados.
d) interpretar criticamente fatos noticiados e considerados relevantes para a opinião pública.
e) trabalhar uma informação previamente apresentada com base no ponto de vista do autor
da notícia.

10. (VALOR 5) A coesão por substituição ocorre quando utilizamos outras palavras e
expressões que o rementem um termo já enunciado. Na linha 7 do texto da questão anterior,
o pronome “lo” em “dispensá-lo” é utilizado para recuperar qual termo?
a) periódico (l. 1)
b) destino correto (l. 6)
c) lixo (l. 6)
d) material (l. 5)
e) local (l. 4)

11. (VALOR 5) Na coesão por substituição, muitas vezes o substantivo é substituído por um
pronome. Além de poder substituir um substantivo, o pronome pode acompanhá-lo,
determinando-o no espaço e/ou contexto. De acordo com a norma culta, assinale a alternativa
em que o pronome está empregado de maneira incorreta:
a) Ela jurou a si mesma.
b) Ela trazia um relógio consigo.
c) Todos os domingos ele almoça conosco.
d) Hoje à noite eu preciso ir consigo.
e) Todos se entreolharam.

12. (VALOR 5) (UFMG) Em todas as alternativas, a lacuna pode ser preenchida com o verbo
indicado entre parênteses, no subjuntivo, exceto em:
a) Olhou para o cão, enquanto esperava que lhe _______ a porta (abrir).
b) Por que foi que aquela criatura não ________ com franqueza? (proceder)
c) É preciso que uma pessoa se ________ para encurtar a despesa. (trancar).
d) Deixa de luxo, minha filha, será o que Deus ________. (querer)
e) Se isso me ______ possível, procuraria a roupa. (ser)
13. (VALOR 5) (FAME/FUPAC-MG) Em: “Sei de uma moça... Se alguém escrevesse a sua
história, diriam como o senhor (...)”, há verbos empregados respectivamente no:
a) presente do indicativo, pretérito imperfeito do subjuntivo, futuro do pretérito do indicativo.
b) presente do indicativo, pretérito imperfeito do indicativo, futuro do pretérito do indicativo.
c) presente do indicativo, futuro do pretérito do indicativo, pretérito imperfeito do subjuntivo.
d) presente do indicativo, futuro do pretérito do indicativo, pretérito imperfeito do indicativo.
e) presente do indicativo, futuro do pretérito do subjuntivo, pretérito imperfeito do
subjuntivo.

14. (VALOR 5) (UM-SP) Em qual das alternativas todos os verbos estão em tempos do
pretérito?
a) Chamei-lhe a atenção porque teria observado de perto seu progresso.
b) Concordei que assim era, mas aleguei que a velhice estava agora no domínio da
compensação.
c) Lembra-me de o ver erguer-se assustado e tonto.
d) Meu pai respondia a todos os presentes que seria o que Deus quisesse.
e) Se advertirmos constantemente esta moça, perderemos uma excelente profissional.

15. (VALOR 5) Advérbio é a classe de palavras que tem como função modificar um verbo,
podendo também ser usado para modificar toda uma oração. Dentre as frases a seguir,
assinale aquela cujo a palavra destacada é um advérbio de modo:
a) Ela realmente tinha estudado para a prova.
b) Eles faltaram às aulas sucessivamente.
c) Provavelmente todos estavam errados.
d) A prova estava demasiadamente difícil.
e) Ele saiu silenciosamente da sala.