Você está na página 1de 22

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES


DE MATERIAIS PARA SANEAMENTO
Rua General Furtado Nascimento, 684 conj. 64
Alto de Pinheiros | São Paulo | SP
Fone: +55 (11) 3026 4380
site: http://www.asfamas.org.br / e-mail: asfamas@asfamas.org.br

Entidade Gestora Técnica

TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda.


Rua Guaipá, 486 – CEP: 05089-000 – São Paulo – SP / fone fax (11) 2137-9666
site: www.tesis.com.br / e-mail: tesistpq@tesis.com.br

Programa Setorial da Qualidade

Relatório Setorial para Divulgação nº 15


PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS PLÁSTICOS PARA
SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM EDIFICAÇÕES

Emissão
Março/2011

A Entidade Gestora Técnica é a responsável pelas informações contidas nesse Relatório Setorial.

1085/RS016
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

ASFAMAS: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE MATERIAIS PARA


SANEAMENTO

BRASKEM: BRASKEM S/A

SOLVAY: SOLVAY INDUPA DO BRASIL S/A

TESIS: TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

REFERÊNCIA:

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS


PLÁSTICOS PARA SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM
EDIFICAÇÕES

ASSUNTO:

RELATÓRIO SETORIAL No 15

DOCUMENTO:

1085/RS016

DATA:

MARÇO/2011

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 1/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 3
2 OBJETIVO ............................................................................................................................... 4
3 EMPRESAS AUDITADAS E MARCAS ACOMPANHADAS PELO PROGRAMA DE
GARANTIA DA QUALIDADE.......................................................................................................... 4
4 NORMALIZAÇÃO ADOTADA PARA A VERIFICAÇÃO DA QUALIDADE.............................. 5
5 CONSIDERAÇÕES ADOTAD AS NESTE RELATÓRIO SETORIAL ................................... 5
6 CRITÉRIOS ADOTADOS PARA A ANÁLISE DOS RESULTADOS ..................................... 9
7 APRESENTAÇÃO DA SITUAÇÃO DO SETOR NESTE RELATÓRIO SETORIAL .......... 10
8 EVOLUÇÃO DAS FÁBRICAS DAS EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA..... 12
9 COMENTÁRIOS FINAIS ....................................................................................................... 16
9.1 EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA......................................................... 16
9.2 EMPRESAS NÃO PARTICIPANTES DO PROGRAMA................................................ 17
ANEXO CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS – RELATÓRIO SETORIAL Nº 15 ..................... 18

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 2/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

1 INTRODUÇÃO

Atualmente convivem no mercado, eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa


tensão com níveis de qualidade muito diferenciados, sendo que muitos produtos não apresentam
desempenho adequado. Esta situação lesa os construtores e os usuários das edificações,
podendo até colocar em risco a sua segurança.

Diante deste cenário, em setembro de 2006 foi implementado o Programa de Garantia da


Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa Tensão em
Edificações. Este Programa tem como o objetivo apoiar e promover a melhoria da qualidade dos
eletrodutos plásticos para uso em edificações, visando garantir a segurança dos sistemas
elétricos prediais e a efetividade dos eletrodutos plásticos quanto ao desempenho.

Uma das primeiras atividades do Programa de Garantia da Qualidade foi a realização de um


Diagnóstico dos eletrodutos plásticos disponíveis no mercado, que consistiu na compra destes
produtos em diversas lojas de materiais elétricos e revendas de materiais para construção em
diferentes cidades brasileiras. Foram analisados todos os tipos de eletrodutos plásticos
disponíveis no mercado brasileiro: eletrodutos flexíveis corrugados e planos, e eletrodutos rígidos
soldáveis e roscáveis, fabricados em PVC (poli cloreto de vinila), PE (polietileno) e eletrodutos
cuja matéria-prima não era informada pelo fabricante na embalagem ou marcação do produto.

Estas amostras foram ensaiadas pelo Laboratório de Instalações Prediais e Saneamento do IPT
- Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, conforme os métodos prescritos
nas normas IEC61386 Conduit systems for electrical installations (IEC – International
Electrotechnical Commission). Também foram desenvolvidos ensaios que simulavam as
condições de obra a que os eletrodutos poderiam ser submetidos. Nestes estudos, foram
realizados mais de 300 ensaios laboratoriais.

Através deste Diagnóstico, foi possível identificar os requisitos mínimos de desempenho a serem
atendidos pelos eletrodutos plásticos. É importante salientar que a identificação dos requisitos
mínimos de desempenho dos eletrodutos plásticos também considerou a realidade da mão-de-
obra da construção civil brasileira.

Assim, a partir das normas internacionais IEC61386 e da análise dos resultados do Diagnóstico,
o Programa de Garantia da Qualidade elaborou o texto-base do “projeto 03:023.05-001 Sistemas
de eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa tensão – Requisitos de
desempenho”. Este texto foi discutido em reuniões da Comissão de Estudo da ABNT, e foi
publicado como Norma Brasileira ABNT NBR 15465 em julho de 2007. Para verificar efetividade
da aplicação desta Norma Brasileira, desde março/2007 o Programa de Garantia da Qualidade
de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa Tensão em Edificações avalia
periodicamente o atendimento dos eletrodutos plásticos em relação aos requisitos especificados
pela ABNT NBR 15465.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 3/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Esta avaliação é realizada pela TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia,


entidade de terceira parte que realiza auditorias não programadas nas unidades fabris das
empresas participantes e aquisição de amostras no comércio. As amostras são submetidas a
ensaios laboratoriais, que são realizados pelo Laboratório TESIS e pelo Laboratório ITEN.
Ressalta-se que o Laboratório TESIS é acreditado pelo INMETRO (CRL nº0162) para a
realização diversos ensaios em materiais para construção civil, inclusive diversos ensaios de
eletrodutos (ABNT NBR 15465).

Em agosto/2008, a ABNT NBR 15465/Emenda 1:2008 foi publicada pela ABNT especificando:

• A correção da temperatura do ensaio de resistência ao calor dos eletrodutos de classe de


resistência mecânica “pesado” e “médio” para 60 °C;

• A alteração da cor dos eletrodutos flexíveis de classe de resistência mecânica “médio” de


“cinza” para “ocre/laranja”. Esta alteração foi necessária para evitar conflitos com a Norma
Regulamentadora NR-26 Sinalização de segurança;

• A inclusão da informação sobre o “tipo de junta” na marcação dos eletrodutos rígidos não
aparentes.

Em 26/08/08, o Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas


Elétricos de Baixa Tensão em Edificações foi aprovado pelo Programa Brasileiro de Qualidade e
Produtividade do Habitat – PBHQ-H. Desde novembro/2008, os Relatórios Setoriais e a relação
de empresas qualificadas e não conformes são divulgados no site do PBQP-H, através do
endereço da Internet: http://www.cidades.gov.br/pbqp-h/projetos_simac_psqs.php.

2 OBJETIVO

Este Relatório Setorial do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para


Sistemas Elétricos de Baixa Tensão em Edificações tem o objetivo de apresentar a situação do
setor com base nos resultados dos ensaios realizados em amostras eletrodutos plásticos
coletadas neste período de análise, em unidades fabris das empresas participantes e de
empresas em credenciamento, em revendas de materiais de construção e em lojas de materiais
elétricos.

3 EMPRESAS AUDITADAS E MARCAS ACOMPANHADAS PELO PROGRAMA DE


GARANTIA DA QUALIDADE

O Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa


Tensão em Edificações verifica a qualidade dos eletrodutos plásticos produzidos por 7 empresas
participantes em 12 unidades fabris, e 21 marcas/tipos de eletrodutos de empresas não
participantes ou em credenciamento. O Anexo deste Relatório apresenta a relação das
empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade e sua classificação, bem como a
relação de empresas não conformes.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 4/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

As responsabilidades das empresas participantes estão definidas no documento SQ/IT165 –


Fundamentos do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas
Elétricos de Baixa Tensão em Edificações.
Os procedimentos e os critérios utilizados durante o credenciamento de empresas estão
descritos no documento SQ/IT166 - Condições para o credenciamento de fabricantes junto ao
Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa
Tensão em Edificações”. As empresas atualmente em credenciamento são apresentadas no
Anexo deste Relatório Setorial.

Neste período, foram analisadas 77 amostras de eletrodutos plásticos de diâmetro nominal


DN25, sendo 36 de empresas participantes, 07 de empresas em credenciamento e 34 de
empresas não participantes acompanhadas no mercado.

4 NORMALIZAÇÃO ADOTADA PARA A VERIFICAÇÃO DA QUALIDADE

A verificação da qualidade dos eletrodutos plásticos é realizada com base nos documentos
normativos descritos a seguir:

⇒ ABNT NBR 15465:2008 – Sistemas de eletrodutos plásticos para instalações elétricas de


baixa tensão – Requisitos de desempenho.

5 CONSIDERAÇÕES ADOTADAS NESTE RELATÓRIO SETORIAL

Para a elaboração deste Relatório Setorial, foram adotadas as seguintes considerações:

5.1 AUDITORIAS REALIZADAS

As empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade têm a qualidade de seus


eletrodutos plásticos verificada através de visitas de auditorias em suas unidades fabris,
periódicas e não programadas. A qualidade dos eletrodutos plásticos também pode ser verificada
através de aquisição de amostras em pontos de revendas de materiais de construção e de
materiais elétricos em todo o país, e em obras.

As auditorias têm o objetivo de coletar amostras para a verificação do desempenho dos


seguintes eletrodutos plásticos para sistemas elétricos de baixa tensão:
Ø Eletroduto rígido roscável DN25;
Ø Eletroduto rígido soldável DN25;
Ø Eletroduto flexível corrugado DN25;
Ø Eletroduto flexível plano DN25.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 5/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

5.2 ENSAIOS REALIZADOS

Os eletrodutos plásticos produzidos pelas empresas participantes ou em credenciamento junto


ao Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Instalações Elétricas de
Baixa Tensão em Edificações são periodicamente submetidos aos ensaios especificados nas
normas de referência do Programa citadas no item 4, e apresentados na Tabela 1.

No caso dos eletrodutos produzidos por empresas não participantes do Programa, a verificação
dos requisitos é planejada de forma a reduzir os custos e prazos dos ensaios. Tal planejamento
foi efetuado a partir das seguintes premissas:

Ø Estabelecimento de uma sequência para execução dos ensaios;


Ø Interrupção da seqüência dos ensaios quando for constatada uma não-conformidade;
Ø A seqüência dos ensaios espelha uma prioridade dos requisitos de desempenho;

Tabela 1: Resumo dos requisitos prescritos pela Norma Brasileira ABNT NBR 15645:2008

Propriedade REQUISITOS MÍNIMOS


Este ensaio verifica se os diâmetros externo e interno do eletroduto
Verificação atendem aos valores especificados pela Norma. Os flexíveis são
1
dimensional verificados através de gabaritos, e os rígidos através de gabarito e
paquímetro ou fita perimetral.
Ensaio aplicável apenas aos eletrodutos flexíveis. Após ser
Resistência a
2 submetido a uma determinada sequência de curvaturas, deve ser
curvatura
possível a passagem de um gabarito internamente ao eletroduto.
Os eletrodutos não devem apresentar quebras ou fissuras visíveis a
olho nu, sendo que a diferença entre o diâmetro inicial e o diâmetro
sob carga, não deve ser superior a 25% do diâmetro inicial. Após 60
Resistência a
3 s da remoção da carga, essa diferença não deve ser superior a 10%
compressão
do diâmetro inicial. A carga a ser aplicada é definida de acordo com
a classe de resistência mecânica do eletroduto (leve, médio ou
pesado).
Os eletrodutos não devem apresentar fissuras visíveis a olho nu em
Resistência ao pelo menos 9 dos 12 corpos-de-prova ensaiados. Para os
4
impacto eletrodutos flexíveis, também deve ser possível a passagem de um
gabarito especificado.
Após serem submetidos por 24h em estufa a 60 °C, sob carga
Resistência ao especificada de acordo com sua resistência mecânica (leve, médio
5
calor ou pesado), deve ser possível a passagem de um gabarito
internamente ao eletroduto.

(continuação)

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 6/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Tabela 1: Resumo dos requisitos prescritos pela Norma Brasileira ABNT NBR 15645:2008
(continuação)
Propriedade REQUISITOS MÍNIMOS ESPECIFICADOS
Ensaio aplicável apenas aos eletrodutos a serem utilizados
aparentes ou embutidos em alvenaria. Os eletrodutos não devem
inflamar. Se os corpos-de-prova queimarem ou forem
consumidos sem queimar, o eletroduto é aprovado se os três
corpos-de-prova atenderem a todos os requisitos a seguir:
Resistência a a) não haver combustão por mais de 30 s após a remoção da
6 chama;
chama
b) após ter cessado a combustão e após o corpo-de-prova ter
sido limpo, a amostra não deve apresentar evidência de queima
ou carbonização a menos de 50 mm de qualquer parte da pinça;
e
c) não ocorrer combustão do lenço de papel que sob da amostra
ensaiada.
Não deve ocorrer passagem de corrente elétrica acima de
7 Rigidez dielétrica
100mA
Resistência do
8 A resistência do isolamento não deve ser inferior a 100MΩ.
isolamento elétrico
Os eletrodutos devem trazer marcados, ao longo de sua
extensão, de forma legível e indelével, no mínimo o seguinte:
Nome ou marca de identificação do fabricante;
Diâmetro nominal;
O termo: “eletroduto”;
Código de rastreabilidade do lote;
NBR15465.

Adicionalmente, os eletrodutos:
9 Marcação
• FLEXÍVEIS: devem apresentar: a classe de resistência
mecânica: “leve”, “médio” ou “pesado”;
• LEVES: devem apresentar a expressão: “não embutir em laje
ou enterrar”;
• PROPAGANTES DE CHAMA: devem apresentar a
expressão: “não usar aparente ou embutido em alvenaria”;
• RÍGIDOS (exceto para uso aparente): devem apresentar o
“tipo de junção”.

É importante ressaltar também que, a Tabela 2 da ABNT NBR 15465:2008 transcrita a seguir,
especifica que:

• Os eletrodutos a serem enterrados ou embutidos em laje podem ser “propagantes de chama”,


porém devem ter no mínimo classe de resistência mecânica “médio”;
• Os eletrodutos a serem embutidos em alvenaria devem ser “não propagantes de chama”, e
podem ter classe de resistência mecânica “leve”, “médio” ou “pesado”;
• Os eletrodutos a serem instalados aparentes devem ser “não propagantes de chama” e ter
classe de resistência mecânica “pesado”

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 7/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Tabela 2: Aplicação dos eletrodutos X classificação (tabela 2 da ABNT NBR 15645:2008)


Classificação quanto à Classificação quanto à
Aplicação
resistência mecânica propagação de chama
Tipo A: embutido em laje ou enterrado na Médio Propagante de chama
área externa da edificação a Pesado Não propagante de chama
Leve
b
Tipo B: embutido em alvenaria Médio Não propagante de chama
Pesado
c
Tipo C: aparente Pesado Não propagante de chama

a
Tipo A: Aplicações em que os eletrodutos e suas conexões ficam confinados, sem a possibilidade de
combustão. Para aplicações em que os eletrodutos e suas conexões ficam submetidos a esforços de
compressão de até 750 N, deve-se utilizar no mínimo a classe de resistência “médio”; para esforços de
compressão de até 1 250 N, deve-se utilizar a classe de resistência mecânica “pesado”.
b
Tipo B: Aplicações em que os eletrodutos e suas conexões ficam embutidos em alvenaria. Para
aplicações em que os eletrodutos e suas conexões ficam submetidos a esforços de compressão de
até 320 N, deve-se utilizar no mínimo a classe de resistência “leve”; para esforços até 750 N, deve-se
utilizar no mínimo a classe de resistência “médio”; para esforços de compressão de até 1 250 N, deve-
se utilizar a classe de resistência mecânica “pesado”.
c
Tipo C: Aplicações em que os eletrodutos e suas conexões ficam aparentes.

Salienta-se também que atualmente encontram-se disponíveis no mercado, eletrodutos flexíveis


planos caracterizados como “mangueiras”. Ressalta-se que a Norma Brasileira “ABNT NBR
5410:2004 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão” especifica as condições a que devem
satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão de edificações - qualquer que seja seu uso,
sendo que o item “6.2.11.1.1” estabelece que:

“É vedado o uso, como eletroduto, de produtos que não sejam expressamente apresentados
e comercializados como tal.

NOTA Esta proibição inclui, por exemplo, produtos caracterizados por seus fabricantes
como mangueiras.”

Tabela 3: Codificação de cores (Tabela 5 da ABNT NBR 15645:2008)

Classe de resistencia Eletrodutos flexíveis


Eletrodutos rígidos Eletrodutos flexíveis planos
mecânica corrugados
Amarelo ou preto com faixas
Leve --- Amarelo
coextrudadas amarelas
Ocre/laranja ou preto com
Médio --- Ocre/laranja faixas coextrudadas
ocre/laranja
Preto ou preto com faixas
Pesado Preto Preto
coextrudadas azuis
NOTA Os eletrodutos aparentes devem ser na cor cinza, e podem ser utilizados embutidos.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 8/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

5.3 LABORATÓRIOS DE ENSAIOS

Os laboratórios responsáveis pela realização dos ensaios são:

• Laboratório da TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia (verificação


dimensional, resistência ao calor, resistência ao impacto, resistência à compressão, análise
da marcação e resistência à curvatura), acreditado pelo INMETRO (CRL nº0162) para a
realização desses ensaios;

• Laboratório ITEN – Instituto Tecnológico de Ensaios Ltda. (resistência a chama, rigidez


dielétrica e resistência do isolamento).

6 CRITÉRIOS ADOTADOS PARA A ANÁLISE DOS RESULTADOS

Para a análise da conformidade dos eletrodutos plásticos para sistemas elétricos de baixa
tensão, ou seja, para as classificações das empresas apresentadas no anexo, foram
consideradas:

Empresas qualificadas: empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade, que


atendem aos critérios para qualificação das empresas apresentados no documento
Fundamentos do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas
Elétricos de Baixa Tensão (SQ/IT165), e que produzem eletrodutos plásticos DN25 em
conformidade com os seguintes requisitos especificados pela ABNT NBR 15465:2008:

• Verificação da resistência à compressão;


• Verificação da resistência ao calor;
• Verificação da resistência à chama;
• Verificação da resistência à curvatura;
• Verificação da rigidez dielétrica;
• Determinação da resistência de isolamento elétrico.
• Verificação da marcação;

Empresas não qualificadas: empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade,


que apresentaram reprovação durante dois trimestres consecutivos em relação aos requisitos
apresentados acima ou que não atendem aos critérios para qualificação apresentados no
documento Fundamentos do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para
Sistemas Elétricos de Baixa Tensão (SQ/IT165).

Empresas não conformes: empresas participantes ou não do Programa de Garantia da


Qualidade que possuem histórico de fabricação de eletrodutos plásticos em não conformidade
sistemática em pelo menos um dos seguintes requisitos de desempenho especificados na
Norma Brasileira ABNT NBR 15465:2008:
TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 9/21
Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

• Verificação da resistência à compressão;


• Verificação da resistência à chama;
• Verificação da resistência à curvatura.

Obs.: o fato de uma empresa ou marca comercial não constar na relação de “Empresas
Não Conformes” não significa que esta empresa ou marca seja conforme em relação à
Norma Brasileira.

7 APRESENTAÇÃO DA SITUAÇÃO DO SETOR NESTE RELATÓRIO SETORIAL

Os resultados obtidos nos ensaios das amostras de eletrodutos plásticos são comparados com
os requisitos mínimos de desempenho prescritos na ABNT NBR 15465 – Sistemas de
eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa tensão – Requisitos de desempenho.
Para cada requisito analisado, é apresentada uma tabela em que cada eletroduto plástico é
representado através de um número, que é único e exclusivamente do conhecimento da
respectiva empresa participante ou em credenciamento junto ao Programa, a fim de garantir o
sigilo dos dados perante as demais empresas. Além disto, o número de identificação muda a
cada Relatório Setorial.
A Tabela 4 apresenta a situação das empresas participantes ou em credenciamento em relação
aos requisitos avaliados neste Relatório Setorial, que são considerados no critério de
classificação das empresas.
Vale destacar que a classificação das empresas apresentada no Anexo deste Relatório
considera:

− Resultados obtidos na avaliação de todas as marcas de eletrodutos plásticos DN 25 de cada


empresa, em todas as unidades fabris que produzem este produto;
− Atendimento dos critérios para classificação apresentados no documento Fundamentos do
Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de
Baixa Tensão em Edificações (SQ/IT165).

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 10/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Tabela 4: Resumo dos resultados dos ensaios – Empresas participantes do Programa ou em


credenciamento – Requisitos considerados para classificação das empresas ou
análise do processo de credenciamento

Código
da Resist. à Resist. ao Resist. a Rigidez Resist. do Resist. a
Tipo Marcação
unidade compressão calor chama(1) dielétrica isolamento curvatura
fabril
1 A A nr A nr A A
2 A A nr A nr A A
3 A A nr A nr A A
4 A A nr A nr A A
Flexível
5 A A nr A nr A A
corrugado
leve 6* A nr A A A A A
7 A A nr A nr A A
8* A A A A A A A
9 A A nr A nr A A
10 A A nr A nr A A
11 A A nr nr nr A A
12 A A nr nr nr A A
13* R A nr A A A R
Flexível
corrugado 14 A A nr A nr A A
médio e 15 A A nr A nr A A
plano 16 R nr nr A nr A A
(médio e 17* A nr A A A A A
pesado)
18 A A nr A nr A A
19 A A nr A nr A A
20 A A nr A nr A A
21* nr A nr nr nr --- R
22 A A nr nr nr --- A
23 A A nr nr nr --- A
24 A A nr nr nr --- A
Rígido
25 A A nr nr nr --- A
Roscável
26 A A nr nr nr --- A
27 A A nr nr nr --- A
28 A A nr nr nr --- A
29 A A nr nr nr --- A
30 A A nr nr nr --- A
31 A A nr nr nr --- A
Rígido 32 A A nr nr nr --- A
Soldável 33 A A nr nr nr --- A
34 A A nr nr nr --- A
35 A A nr nr nr --- A
A: aprovado; R: reprovado; nr: ensaio não realizado, ---: não aplicável; (1): ensaio realizado com periodicidade
quadri-anual para as empresas participantes com histórico de conformidade, *: empresa em processo de
credenciamento junto ao Programa

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 11/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

8 EVOLUÇÃO DAS FÁBRICAS DAS EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA

As figuras 1 a 4 a seguir apresentam as evoluções das unidades fabris das empresas


participantes do Programa de Garantia da Qualidade em relação aos requisitos especificados
pela ABNT NBR 15465:2008 considerados para classificação das empresas participantes:

• Resistência à compressão – eletrodutos rígidos e flexíveis;


• Resistência ao calor – eletrodutos rígidos e flexíveis;
• Verificação da resistência à curvatura – eletrodutos flexíveis;
• Rigidez dielétrica – eletrodutos flexíveis.

Resistência à compressão - Evolução das fábricas de


empresas participantes

100,0%
100% (8/8)

100,0% (6/6)
100% (7/7)
100% (8/8)
100% (7/7)

100% (7/7)
100% (7/7)

100% (6/6)
100% (7/7)
100% (7/7)
100% (8/8)

100% (4/4)
100% (7/7)
100% (5/5)
87,5% (7/8)

80,0%
71,4% (5/7)

60,0%

40,0%

20,0%

0,0%
Eletroduto flexível Flexível corrugado Eletroduto rígido Eletroduto rígido
corrugado leve médio/planos médio roscável soldável
e pesado
SET.12 (RS13) SET.13 (RS14) SET.14 (RS15) SET.15 (RS16)
emitido em jun/10 emitido em set/10 emitido em dez/10 emitido em mar/11

Figura 1 - Resistência a compressão - Percentual de unidades fabris


das empresas participantes do Programa em conformidade

Análise: de acordo com a figura 1, verifica-se que em relação ao ensaio de resistência à


compressão:
• eletrodutos flexíveis corrugado “médio”, plano médio e pesado: Uma fábrica não
apresentou as amostras em conformidade, reduzindo o percentual das fábricas
participantes do Programa em conformidade de 100% para 88%.
• eletrodutos rígidos e o flexível corrugado leve: manutenção do percentual satisfatório de
100% das fábricas participantes em conformidade.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 12/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Resistência ao calor - Evolução das fábricas de empresas


participantes
100%

100% (7/7)

100% (8/8)

100% (7/7)

100% (8/8)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (6/6)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (8/8)

100% (4/4)

100% (7/7)

100% (5/5)

100% (6/6)
80%

60%

40%

20%

0%
Eletroduto flexível Flexível corrugado Eletroduto rígido Eletroduto rígido
corrugado leve médio/planos médio e roscável soldável
pesado
SET.12 (RS13) SET.13 (RS14) SET.14 (RS15) SET.15 (RS16)
emitido em jun/10 emitido em set/10 emitido em dez/10 emitido em mar/11

Figura 2 - Resistência ao calor - Percentual de unidades fabris das


empresas participantes do Programa em conformidade

Análise: de acordo com a figura 2, verifica-se que em relação ao ensaio de resistência ao calor,
desde o Setorial nº12, todas as fábricas das empresas participantes apresentam amostras em
conformidade para todos os tipos de eletrodutos plásticos analisados.

Resistência à curvatura - Evolução das fábricas de


empresas participantes

100%
100% (7/7)

100% (8/8)

100% (7/7)

100% (8/8)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (7/7)

100% (8/8)

80%

60%

40%

20%

0%
Eletroduto flexível corrugado leve Flexível corrugado médio/planos
médio e pesado

SET.12 (RS13) SET.13 (RS14) SET.14 (RS15) SET.15 (RS16)


emitido em jun/10 emitido em set/10 emitido em dez/10 emitido em mar/11

Figura 3 - Resistência a curvatura - Percentual de unidades fabris das


empresas participantes do Programa em conformidade

Análise: de acordo com a figura 3, verifica-se que em relação ao ensaio de resistência à


curvatura, desde o Setorial nº12, todas as fábricas das empresas participantes apresentam
amostras em conformidade para todos os tipos de eletrodutos plásticos analisados.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 13/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

Rigidez dielétrica - Evolução das fábricas de empresas


participantes

100%

100% (7/7)

100% (8/8)

100% (5/5)

100% (7/7)

100% (6/6)
100% (5/5)
80%
83,3% (5/6)

75% (6/8)
60%

40%

20%

0%
Eletroduto flexível corrugado leve Flexível corrugado médio e plano médio e
pesado
SET.12 (RS13) SET.13 (RS14) SET.14 (RS15) SET.15 (RS16)
emitido em jun/10 emitido em set/10 emitido em dez/10 emitido em mar/11

Figura 4 - Rigidez Dielétrica - Percentual de unidades fabris das empresas


participantes do Programa em conformidade

• Análise: de acordo com a figura 4, verifica-se que em relação ao ensaio de rigidez


dielétrica, todas as fábricas das empresas participantes apresentam amostras em
conformidade para todos os tipos de eletrodutos plásticos analisados, mantendo o
percentual satisfatório de 100% das fábricas participantes em conformidade.

A figura 5 apresenta os percentuais de conformidade das fábricas participantes do Programa em


relação aos requisitos considerados para classificação das empresas.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 14/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março /2011

Percentual de fábricas de empresas participantes em conformidade com a ABNT NBR 15465

100% 100,0% 100,0% 100% 100% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0%
(8/8) (6/6) (8/8) (8/8) (6/6) (8/8) (7/7) (8/8) (6/6) (8/8) (8/8) (8/8) (6/6) (8/8) (8/8)
87,5%
(7/8)

Resist. a compressão Resist. ao calor Rigidez dielétrica Resist. a curvatura Marcação

Eletroduto rígido roscável Eletroduto rígido soldável Eletroduto flexível corrug leve Eletroduto flexível corrugado médio, plano médio e plano pesado

Figura 5 - Percentual das fábricas de empresas participantes do Programa que atenderam aos requisitos especificados
pela ABNT NBR 15465:2008 considerados para classificação das empresas

TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 15/22


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/DTT/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março /2011

9 COMENTÁRIOS FINAIS

Este Relatório Setorial apresenta a análise de amostras de eletrodutos plásticos DN25 coletadas
em auditorias em unidades fabris de empresas participantes do Programa ou em processo de
credenciamento e através da aquisição no mercado. Foram analisados 77 eletrodutos plásticos
DN25, sendo 36 de empresas participantes, 07 de empresas em credenciamento e 34 de
empresas não participantes acompanhadas no mercado.

Os itens a seguir apresentam sucintamente os resultados das análises das amostras de


eletrodutos plásticos das empresas participantes e não participantes do Programa analisadas
neste trimestre:

9.1 EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA

I. Todos os eletrodutos rígidos roscáveis analisados nos requisitos de resistência à


compressão, resistência ao calor e marcação foram aprovados;

II. Todos os eletrodutos rígidos soldáveis analisados nos requisitos de resistência à


compressão, resistência ao calor e marcação foram aprovados;

III. Todos os eletrodutos flexíveis corrugados leve analisados nos requisitos de resistência à
compressão, resistência ao calor, rigidez dielétrica, resistência à curvatura e marcação
foram aprovados;

IV. Todos os eletrodutos flexíveis corrugados médio analisados nos requisitos de resistência ao
calor, rigidez dielétrica, resistência à curvatura e marcação foram aprovados. No requisito de
resistência à compressão, 7 fábricas dentre as 8 avaliadas foram aprovadas (87,5%);

V. Todos os eletrodutos flexíveis planos médio e pesado analisados nos requisitos de


resistência ao calor, rigidez dielétrica, resistência à curvatura e marcação foram aprovados.

TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 16/22


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/DTT/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

9.2 EMPRESAS NÃO PARTICIPANTES DO PROGRAMA

Durante o período de análise deste Relatório Setorial, foram adquiridas 34 amostras de


eletrodutos (flexíveis corrugados, flexíveis planos e rígidos) de 11 marcas acompanhadas pelo
Programa de Garantia da Qualidade. Estas amostras foram adquiridas em lojas de materiais
elétricos e revendas de materiais de construção.

Estas amostras são ensaiadas utilizando os seguintes critérios, de forma a reduzir os custos e
prazos dos ensaios:

Ø Estabelecimento de uma seqüência para execução dos ensaios;


Ø Interrupção da seqüência dos ensaios quando for constatada uma não-conformidade;
Ø A seqüência dos ensaios espelha uma prioridade dos requisitos de desempenho;

Das 34 amostras ensaiadas, 27 foram reprovadas no requisito de resistência à compressão ou


resistência à chama. O índice de não conformidade constatado foi de 79,4%.

São Paulo, 02 de março de 2011.

_________________________________ _________________________________
Eng. Cristiano Colozzi Eng. Jairo Cukierman
Coordenador Gerente

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 17/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

ANEXO
CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS – RELATÓRIO SETORIAL Nº 15
PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS PLÁSTICOS
PARA SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM EDIFICAÇÕES
(PERÍODO DE VALIDADE: 01/03/11 À 30/05/11)

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 18/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março /2011

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS PLÁSTICOS PARA


SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM EDIFICAÇÕES

RELATÓRIO SETORIAL Nº 15 (PERÍODO DE VALIDADE: 01/03/11 À 30/05/11)

As empresas apresentadas a seguir encontram-se em credenciamento junto ao Programa de


Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa Tensão em
Edificações:

• ADTEX Indústria e Comércio de Plásticos Ltda, situada em Rio Claro/SP;


• ASTRA S/A Indústria e Comércio situada em Jundiaí/SP;
• ATCO Plásticos Ltda., situada em Vinhedo/SP;
• COFLEX Ind. e Com. de Plásticos Ltda, situada em São Bernardo do Campo/SP;
• GL Eletro-Eletrônicos Ltda (CEMAR LEGRAND), situada em Caxias do Sul/RS.

Destaca-se que empresas em credenciamento são aquelas que são submetidas a auditorias
intensivas como forma de verificar suas condições para o credenciamento junto ao Programa de
Garantia da Qualidade. Desta forma, o fato de uma empresa estar em credenciamento junto
ao Programa não significa que é uma empresa “qualificada” junto ao Programa de
Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa Tensão
em Edificações.
Os procedimentos e os critérios utilizados no período de credenciamento estão descritos no
documento “SQ/IT166 - Condições para o credenciamento de fabricantes junto ao Programa de
Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas Elétricos de Baixa Tensão em
Edificações”.

TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 19/22


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/DTT/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011
PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS PLÁSTICOS PARA
SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM EDIFICAÇÕES
RELATÓRIO SETORIAL Nº 15 (PERÍODO DE VALIDADE: 01/03/11 À 30/05/11)
A tabela a seguir apresenta a classificação das empresas referente ao período de análise deste
Relatório Setorial nº 15.
RELAÇÃO DE EMPRESAS PARTICIPANTES E SUA CLASSIFICAÇÃO NO PROGRAMA
(ordem alfabética)
Localização da Tipos de eletrodutos Marcas
Empresa comercializados comercializadas
Classificação
unidade fabril/CNPJ
Rígido roscável
KRONA Tubos e Conexões Ltda. SC: 00.145.602/0001-37 Rígido soldável KRONA Qualificada
Flexível corrugado leve
Indústria e Comércio de Plásticos Flexível plano médio
SP: 62.207.998/0001-57 ELETROMAJ Qualificada
MAJESTIC Ltda. Flexível plano pesado
Indústria Plástica e Componentes
AM: 10.262.116/0001-52 Rígido roscável CARDINALI Qualificada
SOUSA Ltda.
SP: 58.514.928/0033-51 Rígido roscável
MEXICHEM Brasil Indústria de Rígido soldável
PE: 58.514.928/0037-85 AMANCO Qualificada
Transformação Plástica Ltda. Flexível corrugado leve
SC: 58.514.928/0020-37
Flexível corrugado médio
MEXICHEM Plastubos Indústria
AL: 01.230.897/0005-36 Rígido soldável PLASTUBOS Qualificada
de Transformação Plástica Ltda.
SP: 84.684.455/0071-76 Rígido roscável
BA: 84.684.455/0070-95 Rígido soldável
TIGRE S/A Tubos e Conexões TIGRE Qualificada
SC: 84.684.455/0069-51 Flexível corrugado leve
PE: 84.684.455/0012-16 Flexível corrugado médio

CORR PLASTIK Industrial Ltda. SP: 67.731.091/0001-06 Flexível corrugado leve CORR PLASTIK Qualificada

Empresas qualificadas: empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade, que


atendem aos critérios para qualificação das empresas apresentados no documento
Fundamentos do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para Sistemas
Elétricos de Baixa Tensão (SQ/IT165), e que produzem eletrodutos plásticos DN25 em
conformidade com os seguintes requisitos especificados pela ABNT NBR 15465:2008:
• Verificação da marcação;
• Verificação da resistência à compressão;
• Verificação da resistência ao calor;
• Verificação da resistência à chama;
• Verificação da resistência à curvatura;
• Verificação da rigidez dielétrica;
• Determinação da resistência de isolamento elétrico.
Empresas não qualificadas: empresas participantes do Programa de Garantia da Qualidade,
que apresentaram reprovação durante dois trimestres consecutivos em relação aos requisitos
apresentados acima ou que não atendem aos critérios para qualificação apresentados no
documento Fundamentos do Programa de Garantia da Qualidade de Eletrodutos Plásticos para
Sistemas Elétricos de Baixa Tensão (SQ/IT165).
TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 20/21
Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC
Relatório Setorial 1085/RS016 – Março/2011

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ELETRODUTOS PLÁSTICOS PARA


SISTEMAS ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO EM EDIFICAÇÕES

RELATÓRIO SETORIAL Nº 15 (PERÍODO DE VALIDADE: 01/03/11 À 30/05/11)

Relação de marcas de eletrodutos em não conformidade em


relação à Norma ABNT NBR 15465:2008:
Empresa Marca comercializada
Apoloplast Ind. e Com. de Plásticos Ltda. Apoloplast / Magnoplast
Dinoplast Ind. e Com. de Plásticos Ltda. Dinoplast
Indústria e Comércio de Plásticos Tuboline Ltda. Tuboline
Metasul Plástico e Metalurgia Ltda. Metasul
Politubos Indústria e Comércio de Plásticos Ltda. Politubos
Richard Moises - EPP HBR Plásticos
Fischer Eletrodutos Ltda. Fischer

Empresas não conformes: empresas participantes ou não do Programa de Garantia da


Qualidade que possuem histórico de fabricação de eletrodutos plásticos em não conformidade
sistemática em pelo menos um dos seguintes requisitos de desempenho especificados na
Norma Brasileira ABNT NBR 15465:2008:

• Verificação da resistência à compressão;


• Verificação da resistência à chama;
• Verificação da resistência à curvatura.

Obs.: o fato de uma empresa ou marca comercial não constar na relação de Empresas
Não Conformes não significa que esta empresa ou marca seja conforme em relação à
Norma Brasileira.

TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 21/21


Rua Guaipá, 486 – Vila Leopoldina
05089-000 - São Paulo - SP / fone/fax (11) 2137 9666
TPQ-2/1085/RS016/MCD/JOC