Você está na página 1de 3

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA

2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº : 0036530-29.2016.8.05.0001
Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : COMPANHIA DO METRO DA BAHIA
EMPRESA BAIANA DE AGUAS E SANEAMENTO S A
EMBASA
Recorrido(s) : SAMUEL MERCES ALMEIDA

Origem : 1ª VSJE DO CONSUMIDOR (MATUTINO)


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

VOTO-E M E N T A
RECURSO INOMINADO. CONSUMIDOR. FORNECIMENTO DE ÁGUA. ROMPIMENTO
ADUTORA. INÉPCIA DA INICIAL. AUSÊNCIA DE DOCUMENTO INDISPENSÁVEL Á
PROPOSITURA DA AÇÃO. FALTA DE PRESSUPOSTO PROCESSUAL. PARTE
AUTORA QUE JUNTA FATURA DE CONSUMO ILEGÍVEL. EXTINÇÃO EX OFFICIO DO
PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO. ART. 485, INCISO IV DO CPC.

1. AOs Recorrente insurgem-se contra sentença que julgou procedente a ação, nestes
termos: “Pelo exposto, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE os pedidos para condenar os
Réus, solidariamente, a pagarem ao Autor, a título de danos morais, o importe de R$ 7.000,00
(sete mil reais), valor esse que deverá ser corrigido monetariamente pelo INPC, a partir da
sentença, consoante enunciado 362 do STJ, e juros legais a contar da citação..”.
2. TTrata-se de ação indenizatória movida em razão da falha na prestação de serviços das
Rés em razão do rompimento da adutora que abastece a cidade de Salvador e ocasionou
falta de fornecimento de água por 7 dias em sua residência.
3. A Recorrente EMBASA alega a ausência do interesse de agir, alegando que o autor
não comprova ser o titular da conta , e no mérito sustenta a inexistência de provas que
liguem a parte autora diretamente ao evento narrado nos autos.
4. A Recorrente COMPANHIA DO METRO DA BAHIA alega ser indevida a imposição
de multa por litigância de má fé quando da interposição dos embargos de declaração,
suscita a incompetência absoluta dos juizados para o deslinde do feito, bem como suscita
a nulidade da sentença, com fundamento na inexistência de fundamentação, haja vista
que não existiria relação de consumo entre a parte autora e a CCR , e assevera ainda a
inexistência de provas acerca da ocorrência dos danos morais.

5. . . Após análise detida dos autos, forçoso é concluir que a questão em apreço
pode ser definida como inépcia da petição inicial por ausência de documentos essenciais
à propositura da ação, no caso consistente na não juntada de fatura de consumo legível
em que figure a parte autora como usuária dos serviços disponibilizados pela ré, sendo
ademais imprescindível a presença de tal documento para a análise acerca da prova do
fato constitutivo do direito alegado, é dizer, se efetivamente a parte autora fora atingida
diretamente pelo evento narrado dos autos, quando deverá ser observada a data da
fatura, que deverá ser coincidente com o período em que houve o rompimento da adutora.

Em assim sendo, a consequência processual imediata consiste na extinção do processo sem


resolução do mérito, por ausência de pressuposto processual, nos termos do art. 485,
inciso IV do CPC, dado que sem a não juntada do mencionado documento torna
impossível a análise do mérito da questão. Assim dispõe o mencionado dispositivo, in
verbis:

Art. 485. O juiz não resolverá o mérito quando:

IV - verificar a ausência de pressupostos de constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo;

Dentre os pressupostos processuais encontra-se a petição inicial apta, que deverá atender
portanto aos requisitos formais previstos no Código, sendo essencial que haja a juntada
dos documentos essenciais à propositura da demanda, o que não logrou fazer a parte
acionante no presente caso, restando prejudicada portanto a análise do mérito da
demanda.

9. Ante ao exposto, voto no sentido de EXTINGUIR EX OFFICIO O PROCESSO


SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO, prejudicados os recursos, nos termos do art. 485,
inciso IV do CPC, pelo reconhecimento da inépcia da exordial. Sem custas e honorários
advocatícios.

Salvador, Sala das Sessões, 01 de Junho de 2017.


BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA CÉLIA MARIA CARDOZO DOS REIS QUEIROZ
Juíza Presidente

4.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº : 0036530-29.2016.8.05.0001
Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : COMPANHIA DO METRO DA BAHIA
EMPRESA BAIANA DE AGUAS E SANEAMENTO S A
EMBASA
Recorrido(s) : SAMUEL MERCES ALMEIDA

Origem : 1ª VSJE DO CONSUMIDOR (MATUTINO)


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

ACÓRDÃO

Acordam as Senhoras Juízas da 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais


Cíveis e Criminais do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, CÉLIA MARIA
CARDOZO DOS REIS QUEIROZ –Presidente, MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
– Relatora e ALBÊNIO LIMA DA SILVA HONÓRIO, em proferir a seguinte decisão:
EXTINÇÃO EX OFFICIO DO PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO. UNÂNIME,
de acordo com a ata do julgamento. Sem custas processuais e honorários advocatícios.

Salvador, Sala das Sessões, 01 de Junho de 2017.


BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA CÉLIA MARIA CARDOZO DOS REIS QUEIROZ
Juíza Presidente