Você está na página 1de 4

Publicado nas revistas ISTOÉ/VEJA e nos principais jornais

AUDITORIA -1966 a 1992

ORESTES QUÉRCIA
E m face da campanha d i f a m a t ó r i a que tenho sofrido por parte de meus a d v e r s á r i o s , a p r o p ó s i t o de minha v i d a empresarial, especialmente com
respeito à e v o l u ç ã o de meu p a t r i m ô n i o , c o n s t r u í d o com empreendimentos de c o m u n i c a ç ã o , loteamentos, c o n s t r u ç õ e s , c o m é r c i o de a u t o m ó v e i s
e c a m i n h õ e s e atividade rural, entre outros, submeti-me a rigorosa auditoria d a T R E V I S A N A U D I T O R E S E C O N S U L T O R E S , u m a das
mais respeitadas e conceituadas empresas especializadas do País. Isso a l é m de todas as minhas empresas terem sido rigorosamente fiscalizadas
t a m b é m pela Receita Federal, que por sua vez j á havia feito u m a devassa em m i n h a v i d a particular, nada encontrando de desabonador.
Tendo auditado 26 anos de minha v i d a (1966 a 1992), a T R E V I S A N A U D I T O R E S E C O N S U L T O R E S concluiu:
a. Todos os impostos devidos foram pagos,
b. Todos os bens que adquiri são compatíveis com os rendimentos que auferi.
Para conhecimento p ú b l i c o , divulgo a íntegra d a auditoria.
Orestes Q u é r c i a

RELATÓRIO SOBRE A REVISÃO DA DECLARAÇÃO D E RENDA 8 C o n f e r ê n c i a d o s c á l c u l o s d o s g a n h o s de c a p i t a l n a a l i e n a ç ã o de bens e direitos, n o s


D E PESSOA FÍSICA termos d a l e g i s l a ç ã o e m v i g o r nas datas e m que o c o r r e r a m os eventos ( a l i e n a ç õ e s ) . R e -
Introdução v i s ã o dos anexos que i n s t r u í r a m as d e c l a r a ç õ e s de rendimentos (Demonstrativo de A p u -
Revisamos, p o r s o l i c i t a ç ã o d o interessado, as d e c l a r a ç õ e s de rendimentos de Orestes r a ç ã o dos G a n h o s de C a p i t a l e D e c l a r a ç ã o de A l i e n a ç ã o de P a r t i c i p a ç ã o S o c i e t á r i a ) .
Q u é r c i a , C P F n? 024.008.718-68, relativas aos exercícios financeiros d e 1967 a 1993 (anos- 9 C o n f e r ê n c i a d o s c á l c u l o s d e a p u r a ç ã o d o i m p o s t o devido, nos termos d a l e g i s l a ç ã o
base de 1966 a 1992). e m vigor, e m c a d a ano-base e e x e r c í c i o financeiro.
A s d e c l a r a ç õ e s referentes aos exercícios financeiros d e 1967 a 1977 (anos-base d e 1966 10 E l a b o r a ç ã o e a n á l i s e c r í t i c a das origens e a p l i c a ç õ e s de recursos, ano a ano, c o m o obje-
a 1976) j á h a v i a m s i d o revisadas anteriormente por outros auditores independentes, que, tivo de apurar a c o n s i s t ê n c i a do a c r é s c i m o p a t r i m o n i a l verificado no p e r í o d o sob exame.
considerando a e x t e n s ã o dos procedimentos de r e v i s ã o adotados, n ã o a p o n t a r a m n e n h u - 11 E x a m e d a s guias de r e c o l h i m e n t o d o imposto, observando os prazos fixados p e l a
m a d i s c o r d â n c i a relevante entre as d e c l a r a ç õ e s apresentadas e a l e g i s l a ç ã o fiscal vigente l e g i s l a ç ã o e m v i g o r e m c a d a ano-base e exercício f i n a n c e i r o e r e v i s ã o d o c á l c u l o d o s
naqueles exercícios. a c r é s c i m o s legais q u a n d o recolhido o i m p o s t o fora d o prazo legal.
Extensão e Limitação do Trabalho Conclusão
Nossas revisões sobre as d e c l a r a ç õ e s de r e n d a apresentadas, a c i m a i n d i c a d a s , f o r a m T e n d o p o r base a r e v i s ã o efetuada nas d e c l a r a ç õ e s de r e n d a apresentadas pelo c o n t r i -
efetuadas n a f o r m a e e x t e n s ã o identificadas a seguir: buinte Orestes Q u é r c i a , C P F n ? 024.008.718-68, relativas aos exercícios financeiros de
1 C o n f r o n t a ç ã o dos rendimentos l a n ç a d o s n a d e c l a r a ç ã o c o m os respectivos c o m p r o - 1967 a 1993 (anos-base de 1966 a 1992), n a f o r m a e e x t e n s ã o anteriormente descritas,
vantes emitidos pelas fontes pagadoras. p o d ç - s e c o n c l u i r que as o b r i g a ç õ e s p r i n c i p a i s e a c e s s ó r i a s relativas a o i m p o s t o de r e n d a
2 C o n f r o n t a ç ã o dos rendimentos isentos declarados c o m os respectivos c o m p r o v a n t e s pessoa física a p u r a d o nessas d e c l a r a ç õ e s f o r a m c u m p r i d a s e que os rendimentos t r i b u t a -
fornecidos pelas fontes pagadoras. dos, isentos e submetidos à t r i b u t a ç ã o exclusiva, declarados no p e r í o d o considerado, s ã o
3 C o n f r o n t a ç ã o dos rendimentos submetidos à t r i b u t a ç ã o exclusiva declarados c o m os compatíveis com o acréscimo patrimonial verificado e declarado no mesmo período.
respectivos comprovantes fornecidos pelas fontes pagadoras. E s t e r e l a t ó r i o foi desenvolvido para atender aos objetivos anteriormente definidos e n ã o
4 C o n f r o n t a ç ã o d o s saldos m a n t i d o s e m contas d e d e p ó s i t o à vista e d e a p l i c a ç õ e s d e v e r á ser d i v u l g a d o parcialmente, e m qualquer c i r c u n s t â n c i a , sem n o s s a a p r o v a ç ã o p r é -
financeiras c o m os comprovantes fornecidos pelas i n s t i t u i ç õ e s . v i a e p o r escrito.
5 C o n f r o n t a ç ã o das contas correntes declaradas c o m os saldos registrados n a contabili- 25 d e o u t u b r o de 1993
dade das empresas das quais o contribuinte p a r t i c i p a .
6 C o n f r o n t a ç ã o dos t í t u l o s aquisitivos dos bens que integram o u integraram o p a t r i m ô -
nio d o contribuinte c o m as d e s c r i ç õ e s e valores l a n ç a d o s n a s d e c l a r a ç õ e s de bens. J o s é Luiz D e Franco
7 E x a m e d o s d o c u m e n t o s que c o m p õ e m os rendimentos d a atividade r u r a l e r e v i s ã o Contador - C R C - R J 36.918 " S " S P 1.625
do preenchimento d o respectivo anexo, nos termos d a l e g i s l a ç ã o q u e d i s c i p l i n a a t r i - Trevisan Auditores Independentes
b u t a ç ã o d a atividade rural. C R C - S P 13.439

US$ (milhares)

1500

1000

500

66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92
| Origens [ | Aplicações (Dados extraídos da declaração de rendimentos)
S.P. Janeiro/1994

CIRCULAR

Prezado(a) Senhor(a),

É de conhecimento público que há anos venho s o f r e n d o uma v i o l e n t a


campanha difamatória, movida p o r adversários, que p r o c u r a m lançar
dúvidas s o b r e minha v i d a f i n a n c e i r a .
I s s o porque, após h a v e r d e s e n v o l v i d o um governo r e a l i z a d o r e
honrado em São P a u l o , c o n c l u i n d o meu mandato com 8 2 % de aprovação
p o p u l a r e 6 1 , 9 % de avaliação ótima e boa n a s p e s q u i s a s j u n t o à
população p a u l i s t a , meu nome s e f o r t a l e c e u m u i t o em âmbito n a c i o n a l ,
o que a c i r r o u a h o s t i l i d a d e dos i n i m i g o s políticos.
Com o o b j e t i v o de e l i m i n a r d e f i n i t i v a m e n t e q u a i s q u e r dúvidas
s o b r e meu patrimônio - p r o v e n i e n t e de empreendimentos nos s e t o r e s
de comunicação, l o t e a m e n t o s , construções, a t i v i d a d e s r u r a l e
consórcio e comércio de automóveis e caminhões, d u r a n t e m a i s de 30
anos - f i z , no último d i a 5, uma e x a u s t i v a apresentação à Comissão
E x e c u t i v a N a c i o n a l do PMDB, a f i m de comprovar a retidão e honradez
de minha v i d a p o l i t i c a , e m p r e s a r i a l e p e s s o a l .

P a r a s e u conhecimento e exame, t e n h o o p r a z e r de l h e e n v i a r a
i n t e g r a de meu p r o n u n c i a m e n t o e cópia do relatório da a u d i t o r i a
p e s s o a l a que me s u b m e t i , p e l a TREVISAN AUDITORES E CONSULTORES, uma
das m a i s c o n c e i t u a d a s e r e s p e i t a d a s empresas - e s p e c i a l i z a d a s do
B r a s i l . Além de a u d i t a r minhas empresas, a TREVISAN i n v e s t i g o u também
a evolução de meu patrimônio p e s s o a l no período de 26 anos, de 1966
a 1992, comprovando a p e r f e i t a c o m p a t i b i l i d a d e e n t r e meus i n v e s t i -
mentos e rendimentos, ano a ano.

I n v e r t i , a s s i m , o ónus da p r o v a , assumindo-o, p a r a comprovar


d e f i n i t i v a m e n t e minha h o n r a d e z , h o n e s t i d a d e e correção.
Com meus m e l h o r e s a g r a d e c i m e n t o s p o r s u a atenção, a p r e s e n t o - l h e
também meus v o t o s de f e l i z 1994.

Atenciosamente,

O r e s t e s Quércia
Leia a circular anexa
dirigida às lideranças da opinião
pública brasileira; e, no verso,
a íntegra do pronunciamento feito, dia
5 de janeiro último, pelo ex-governador
Orestes Quércia, perante a Comissão
Executiva Nacional do PMDB.
São Paulo, domingo, 9 dc janeiro de 1994 Diário Popular - Página 9

ÍNTEGRA DO P R O N U N C I A M E N T O DO
E X - G O V E R N A D O R O R E S T E S QUÉRCIA
Na última quarta-feira o ex-governador Orestes Quércia fez à Comissão Executiva Nacional do PMDB uma apresentação exaustiva sobre a evolução de sua vida
política e económica, desde 1955. A apresentação compreendeu um pronunciamento básico e diversos documentos comprobatórios, entre os quais: carta do ex-senador e atual
ministro do STF, Pâulo Brossard, dirigida a Quércia; currículo político e empresarial de Quércia; quatro correspondências entre Quércia e a CPI da VASP, comprovando a
uebra voluntária do sigilo bancário de Quércia; documento ao STJ em que Quércia oferece voluntariamente seu sigilo bancário pessoal e empresarial; termo de encerramento
3a fiscalização da Receita Federal; carta de Quércia à Receita Federal solicitando fiscalização em suas empresas; relatório da Polícia Federal encaminhando ao Ministério Público
Federal o parecer da correição feita na anterior fiscalização da Receita Federal; e Parecer Técnico Conclusivo da Receita Federal confirmando o resultado da devassa feita em
1991 nas contas de Orestes Quércia, que não encontrou irregularidades.

A apresentação incluiu também dois relatórios da TREVISAN AUDITORES E CONSULTORES, uma das mais respeitadas e conceituadas empresas especializadas
do País, que auditou todas as empresas em que Quércia tem participação acionária, bem como as contas de pessoa física do ex-presidente do PMDB.

O relatório de pessoa física da TREVISAN cobriu um período de 26 anos, de 1966 a 1992, comprovando a compatibilidade entre os investimentos realizados por
Quércia ano a ano e as origens de seus rendimentos, provenientes de seus empreendimentos empresariais, notadamente nos setores de comunicação, loteamentos, construções,
atividade rural, consórcio e comércio de automóveis e caminhões.

A seguir, a íntegra do pronunciamento do ex-governador Orestes Quércia.

Brasília, 5 de Janeiro de 1994 Atestou ainda o ministro Brossard A C P I da Vasp, por exemplo, que O próprio secretário da Ciência e so não fosse suficiente, em atitude 25. Sobre o exame efetuado em em-
a meu respeito: "Por derradeiro, fôra instalada para averiguar pos- Tecnologia de então, Dr. Luiz Gon- que revelou o intuito político da presas em que tenho participação,
devo proclamar que a sua atuaçâo síveis conexões entre o empresário zaga Belluzzo, recentemente decla- ação, o Ministério Público ordenou principalmente na Sol-Invest (que
Comissão Executiva Nacional do no Senado, especialmente nos dois que adquirira em leilão público o rou à imprensa que o governador ainda a correição da fiscalização é a "holding" do grupo), atesta o
PMDB anos em que fui Líder, foi de abso- controle acionário daquela empre- não realizara qualquer ato referen- que fôra efetuada em 1991, em mi- relatório da Trcvisan Auditores e
luta correção, sempre solidário sa aérea e personagens ligadas ao te à aquisição de equipamentos, nha vida tributária como pessoa fí- Consultores que os bens existentes
Prezados companheiros, meu caro com a sua bancada e com o seu par- governo federal de então, voltou- chamando a si essa responsabilida- sica, bem como das que foram pro- em seus ativos foram adquiridos*
Presidente Luis Henrique, tido, que era declaradamente opo- se contra mim, com objetivos es- de e afirmando que nada houvera cedidas nas contas de meu pai e nas basicamente com os recursos pro-
sicionista ao regime autoritário." cancaradamente políticos dos re- de irregular no processo. de José Nunes Lopes. venientes de aporte de capital fei-
Nesta data em que aqui compare- presentantes do PT, PSDB e PDT. tos pelos sócios, bem como com
ço, por minha iniciativa, a fim de 4. Outro processo contra mim, ini- Apesar de tudo isso, porém, alguns 20. Já foram concluídas todas as aqueles gerados pelas operações
esclarecer as dúvidas a respeito de ciado por um adversário político de A própria C P I , porém, concluiu jornais insistem em ligar essas im- devassas realizadas pela Receita Fe- que lhes são próprias.
meu patrimônio, que foram semea- Campinas, que me fazia a ridícula pela inexistência de qualquer irre- portações a mim pessoalmente — deral em minhas contas pessoais e
das durante anos por setores da im- acusação de haver desviado trilhos gularidade em minha ação como da mesma forma como agem em empresariais. 26. Chegamos finalmente à mais
prensa de São Paulo, exploradas à de bonde da cidade para uma fa- governador, que consistiu em pro- outros casos, em que investigações importante e exaustiva comprova-
exaustão por adversários políticos zenda de minha propriedade, foi por à Assembléia Legislativa o pro- ou processos contra pessoas, em- 21. Nas contas das empresas de que ção da limpidez e transparência de
do PMDB e recentemente levadas igualmente arquivado pelo Supre- jeto da Lei de Privatização, que, presas, ou órgãos do governo, ao participo, os impostos exigidos e as minha vida financeira: a auditoria
à tribuna do Senado pelo líder do mo Tribunal Federal em 1975, por aprovado, incluiu na Comissão de invés de serem divulgados como multas aplicadas já foram todos realizada pela Trevisan Auditores e
Governo, o senador Pedro Simon, inexistência de crime, demonstran- Privatização dois deputados, um tal, são imputados a mim ou ao pagos, com juros e correção mone- Consultores em minhas contas co-
de nosso próprio Partido, permito- do o absurdo da acusação. A de- dos quais da oposição. Essa Co- "governo Quércia". Como se o go- tária, no prazo estabelecido pela mo pessoa física (QUE COBRIU,
me fazer um rápido histórico, ilus- cisão foi tomada por unanimi- missão foi a responsável — e não vernador, pessoalmente, realizasse fiscalização, e se originaram em er- RESSALTO, O PERÍODO D E 26
trado e comprovado pelos docu- dade, pelos ministros Djaci Falcão o governador — pelos atos concre- todas as atividades de administra- ros de cálculo da correção mone- ANOS, COMPREENDENDO OS
mentos anexos, dos seguintes fatos: (presidente), Leitão de Abreu (re- tos que culminaram na privatiza- ção de um Estado que representa tária de balanço e divergências na EXERCÍCIOS D E 1967 A 1993).
lator), Bilac Pinto, Eloy da Rocha, ção da Vasp. quase metade do Produto Interno escrituração contábil de alguns lan- ,Entre as várias investigações efe-
1. Eleito prefeito de Campinas em Thompson Flores, Antonio Neder, Bruto Nacional e quase o dobro do çamentos. Estão sendo discutidos tuadas, o relatório ressalta "elabo-
1968 pelo MDB, partido pelo qual Xavier de Albuquerque, Rodrigues As correspondências anexas mos- PIB da Argentina. Ou como se o em nível administrativo, conforme ração e análise crítica das origens
já havia sido escolhido deputado Alckmin, Cordeiro Guerra, Cunha tram que, por minha iniciativa, governador devesse ser responsabi^ faculta a lei, os critérios de cálculo e aplicações de recursos, ano a ano,
estadual em 1966, vi-me na difícil Peixoto e Moreira Alves. compareci pessoalmente à C P I e lizado por um acidente causado dos juros de mora adotados pela com o objetivo de apurar a consis-
situação dè prefeito da oposição, lhe ofereci a quebra de meu sigilo por um maquinista do Metrô ou Receita Federal, impugnados com tência* do acréscimo patrimonial
nos piores anos da ditadura mili- 5. Anteriormente ao início de mi- bancário sem qualquer limitação. por um tratorista do D E R . base em acórdão do Supremo Tri- verificado no período sob exame."
tar. Longe, porém, de me acovar- nha atividade política, desenvol- E a privatização da Vasp foi, em bunal Federal que reconheceu a in-
dar, enfrentei as dificuldades via-se desde 1955 minha vida de sua época, elogiada em editoriais 16. Em Março de 1993 o Tribunal constitucionalidade daquele crité- E a conclusão do relatório: *%s
dedicando-me não só a realizar empresário. Já na campanha pela de grandes jornais brasileiros. de Justiça de São Paulo concluíra rio fazendário. obrigações principais e acessórias
uma excelente administração em Prefeitura de Campinas, utilizei co- por minha inocência em outro pro- relativas ao Imposto de Renda Pes-
Campinas, mas também a implan- mo um de meus "slogans" a expres- 11. Para demonstrar claramente cesso movido por adversários, re- 22. Com relação à correição feita soa Física apurado nessas declara-
tar e organizar o MDB no Estado são "um empresário de sucesso na que nada temia, porque nada tinha ferente à construção do Memorial na fiscalização efetuada em mi- ções foram cumpridas e que os ren-
u Prefeitura de Campinas". Um dos a temer, providenciei, naquela épo- da América Latina, importante nhas contas de pessoa física, que dimentos tributados, isentos e sub-
4e São Paulo.
documentos anexos é meu currícu- ca, para que fôsse apresentado à realização de minha gestão como também levou em consideração metidos à tributação exclusiva, de-
2. Tfeve início então uma persegui- lo, que, além de minhas atividades Câmara dos Deputados um proje- governador, que hoje, entre outras acusações de imprensa, o Parecer clarados no período considerado,
ção que visava evitar minha eleição pessoais e políticas, contém tam- to de lei propondo a extinção do si- coisas, é a sede do Parlamento La- Técnico Conclusivo da Secretaria são compatíveis com o acréscimo
como senador, em 1974, com a ins- bém o histórico de minha atuação gilo bancário de todos os detento- tino-Americano. da Receita Federal juntado ao Re- patrimonial verificado e declarado
talação de uma C G I , cujo eviden- empresarial. res de mandatos eletivos e também latório do Delegado Antonio Ro- no mesmo período."
te objetivo era encontrar em minha de presidentes de partidos. 17. Já em 1991, mal concluído meu drigues Santiago, da Polícia Fede-
vida alguma irregularidade que 6. A coerência de minha atuação mandato de governador de São ral (anexos), atesta:
justificasse à ditadura militar cas- política, sempre no MDB; a inten- 12. Esse procedimento, porém, fla- Paulo, o governo Collor determi- Assim encerro, senhores, a apresen-
sar um oposicionista que vencera sidade de meu trabalho de implan- grantemente não vinha ao encon- nou que a Receita Federal realizas- "De acordo com os exames por r.ós tação que me propus fazer às lide-
arrasadoramente seu adversário da tação e organização do Partido no tro da expectativa dos nossos ad- se uma devassa em minha vida fis- realizados na documentação e no ranças de meu Partido, para lhes
A R E N A em São Paulo. Um opor Estado de São Paulo; minha luta versários, que, desafiando a reali- cal, cobrindo justamente o perío- reexame dos levantamentos efe tu a- dar uma demonstração cabal e
sicionista que lutava pela investiga- pelo municipalismo e pela descen- dade, tudo fizeram para disseminar do em que eu chefiara o Executivo dos pelos Auditores-Fiscais, pode- exaustiva da absoluta correção e
ção do desaparecimento de presos tralização administrativa; e a for- a mentirosa versão de que eu "es- paulista (1986 a 1990). Após exami- mos afirmar,de uma forma geral, honradez de minha vida pública e
políticos, que propunha a convo- mulação de programas administra- colhera" as contas cujo sigilo abri- nar toda a documentação referen- que a ação fiscal desenvolveu-se de privada. É fácil concluir que não há
cação de uma Assembléia Nacio- tivos bem definidos geraram em ria. Mais ainda: em sua guerra sem te a imóveis, participações societá- conformidade com os procedimen- no País e possivelmente no mundo
nal Constituinte e que ajudava a li- torno de meu nome o sólido apoio quartel, os persistentes inimigos rias, atividade rural, rendimentos tos normalmente utilizados para a um político tão frequente ou inten-
bertar lideres sindicais ameaçados partidário que em 1986 me levou, abrigados na CPI forçaram a aber- e evolução patrimonial, com base revisão de declarações de rendi- samente investigado quanto eu —
pelos donos do poder. Uma perse- de vice-governador, a candidato e tura do sigilo bancário de pessoas não só nas declarações de Impos- mentos e de bens. e quase sempre a mando de inimi-
guição, como se vê, com óbvia mo- a seguir a governador de São Paulo. a mim ligadas, entre as quais mi- to de Renda mas também em "ele- gos.
tivação política. nha mulher, meu pai e minha irmã. mentos coletados em notícias di- Esta é a prática normalmente ado-
7. Isso, porém, não impediu a má vulgadas pela imprensa", o Termo tada em casos semelhantes, nos Espero sinceramente que esta de-
3. Nada conseguiram encontrar, vontade que uma parcela da im- 13. É óbvio que, a não ser os enor- de Encerramento emitido em quais os revisores devem, por ofí- monstração sirva para colocar uma
porém. Porque nada havia. E em prensa paulista manifesta contra mes prejuízos causados ao PMDB, 11/11/91 (anexo) afirma: "A análi- cio e com isenção de ânimo, linti- definitiva pedra sobre as dúvidas
1979 o governo militar foi obriga- mim — fundada, ao que se diz, nos que eram claramente seu principal se por nós efetuada não demons- tar-se à fiscalização da declaração, que os adversários conseguiram se-
do a arquivar o processo da CGI — preconceitos de uma elite aristocrá- objetivo, nada conseguiram os ad- trou, em todos os anos-base exami- só aprofundando os exames e pro- mear nas cabeças de alguns de
ao qual, diga-se, até hoje não tive tica contra o primeiro interiorano, versários, contra mim ou contra os nados, a ocorrência de aumento cedendo a diligências na hipótese meus companheiros.
acesso. descendente de imigrantes italia- que me são próximos e que tão ig- patrimonial a descoberto ou de ir- de ocorrer circunstância especial
nos, eleito para governar São Pau- nobilmente viram seus nomes ex- regularidades que motivassem a la- ou suspeita ou indícios de que as Espero também que as lideranças
Para encobrir o fato de que o regi- lo — que assumiu então os contor- plorados em públicos. vratura de Auto de Infração.A evo- provas apresentadas possam não do Partido concentrem-se em fazer
me militar reconhecera minha ino- nos da campanha de imprensa que lução patrimonial do fiscalizado corresponder à realidade. É o man- do PMDB o instrumento de con-
cência, trataram então meus inimi- hoje é de todos sobejamente conhe- 14. Em Maio de 1993, para acabar guarda proporcionalidade e coe- damento expresso no parágrafo 2? cretização do grande sonho brasi-
gos de insinuar que, para obter o cida. de vez com as dúvidas levantadas rência com os rendimentos e ga- do artigo 678 do Regulamento do leiro, já nas próximas eleições. Não
arquivamento do processo, eu te- com objetivos políticos por meus nhos de capital obtidos no perío- Imposto de Renda (Decreto tenho colocado minha candidatu-
ria feito uma composição política. Desenvolvi uma administração adversários e também para ajudar do analisado." 85.450/80) e regra fundamental da ra a qualquer cargo, mas tenho cer-
A expressão máxima dessa infâmia bem planejada, realizadora e hon- a demonstrar minha absoluta ino- fiscalização, que deve ser impes- teza de que minha história neste
foi o ex-ministro Armando Falcão, rada, voltada para os interesses da cência no processo referente à im- Acrescente-se que idêntica fiscali- soal. Partido, as experiências que nele e
que, ém um livro de memórias, população mais pobre do Estado portação de equipamentos eletrô- zação foi procedida, com idêntico por ele vivi, a liderança que con-
referiu-se a uma interferência que e que, ao seu final, foi reconhecida nicos de Israel, apresentei requeri- resultado, nas*contas de meu pai, Não constatamos existirem esses quistei junto aos companheiros e
o então senador Petronio Portella pela população com índice de mento (anexo) ao Superior Tribu- Octávio Quércia, e nas de meu ami- f atores especiais, nem a análise das os sofrimentos que por isso tenho
teria feito, nesse sentido. aprovação de 82% e apontada co- nal de Justiça, em que afirmava: go José Nunes Lopes. declarações pressupõe a ocorrên- suportado — como bem demons-
mo ótima ou boa por 61,9*70 dos "Em razão da confiança que depo- cia de omissão grave ou fraude, ou tra a apresentação que lhesfiz—
Ocorre que a exigência (e não pe- paulistas. sita no Superior Tribunal de Justi- 18. Não desistiram, porém, aque- inexatidão dos esclarecimentos serão de grande valia na determi-
dido de favor) junto ao então pre- ça, o requerente coloca desde logo les que desejavam prejudicar-me. prestados ou dos documentos ofe- nação dos caminhos que nos leva-
sidente do Senado Petronio Portel- 8. Fortalecido pelo sucesso de mi- à disposição de V. Exa. todos os ex- Passaram a alegar, como base de recidos." rão à vitória em 1994.
la, de que o caso tivesse solução, nha administração em um Estado tratos bancários seus e de suas em- invectivas, que eu me recusara a
não foi formulada por mim, e sim com a importância de São Paulo e presas, assim como a documenta- abrir à CPI da Vasp o sigilo bancá- 23. Fica claro, portanto, que, seja Daqui a alguns meses enfrentare-
pçlo mais destacado líder da opo- sob a pressão das bases partidárias, ção de seu patrimônio (como já fez, rio de minhas empresas (que não nas empresas, seja na pessoa físi- mos as eleições mais complexas da
sição da época, que era o senador fui então eleito presidente nacional em 1992, ao pedir à Receita Fede- me fôra solicitado). Tomei então a ca, a fiscalização não apurou qual- História do Brasil. Nossos adver-
Paulo Brossard. do PMDB. Preocupei-me com a or- ral que fossem auditados), pois a iniciativa, em 29/10/92, de oficiar quer indício de sonegação fiscal. sários estão ativos e aguerridos.
ganização do Partido em todo o investigação a surgir daí será feita à Receita Federal (anexo), afirman- Notadamente o PT, que é incom-
O agora ilustre ministro do Supre- País, a fim de prepará-lo em estru- para buscar a verdade — que em tu- do: "Tendo em vista, de um lado,o 24. Nem toda essa longa enumera- petente como administrador e ul-
mo Tribunal Federal confirmou es- tura e programa para disputar e do o beneficia — e não para pro- fato de que, além de empresário há ção de fatos históricos e todas es- trapassado em sua ideologia. A nós
se fato em carta a mim enviada em vencer os futuros pleitos. duzir fatos políticos." 35 anos, sou um homem público; sas demonstrações cabais de reti- cabe frustrar definitivamente os
1993 (anexa), onde declara que, a e considerando o meu empenho em dão, porém, pareciam suficientes que querem ver o PMDB esfacela-
meu pedido, procurou o presiden- 9. Ao não disputar qualquer cargo, 15. Aliás, o caso das importações que não paire qualquer dúvida a para abalar a persistência hostil dos do e nos dedicarmos à reconstru-
te Petronio Portella "para dele re- abri mão também de qualquer imu- de Israel, cujo processo está sendo respeito de minha atividade empre- adversários, ou para eliminar as ção de nosso Partido.
clamar uma solução para o seu ca- nidade, o que em si já demonstra julgado pelo STJ, demonstra cla- sarial, venho requerer a V.Sa. que dúvidas de alguns companheiros.
so, pois não era possível que um Se- a tranquilidade de consciência com ramente a campanha pessoal que seja aberta uma fiscalização, por É o momento de nos concentrar-
nador ficasse indefinidamente sob que encaro minha vida política e certa imprensa de São Paulo move parte dessa Receita Federal, ampla Decidi então inverter o ónus da mos todos na formulação de uma
suspeita, notando-lhe que o Presi- empresarial. contra mim. Aproveitando-se des- e abrangente, em todas as empre- prova, assumindo-o para compro- proposta política nacional, viável,
dente do Senado devia ser o maior ta campanha, adversários políticos sas das quais participo como só- var minha honradez, contratando, que magnetize e incorpore as espe-
interessado em não ter um suspei- 10. Todas essas realizações, porém, ligaram um simples ato protocolar cio." a minhas expensas, os serviços da ranças do povo brasileiro, consubs-
to na Casa que presidia; não lhe fui enquanto fortaleciam nosso que eu realizei como governador, mais famosa e bem reputada em- tanciando os mais nobres e altos
pedir uma solução favorável, mas PMDB e o tornavam ainda mais te- com medidas administrativas pos- 19. O Ministério Público Federal de presa de auditoria do País, a Trevi- objetivos a que este povo tem o di-
reclamar uma solução, fosse ela mível nas eleições de 1994, também teriores de órgãos do governo so- São Paulo secundou essa atitude, san Auditores e Consultores, para reito de aspirar.
qual fosse; nem outra atitude eu me acirravam de forma sem preceden- bre as quais o protocolo não pode- acionado por deputados de parti- executar rigorosa auditoria fiscal e
permitiria assumir. Não tardou e o ria ter qualquer efeito jurídico, pa- dos adversários do PMDB, deter- patrimonial de minha vida empre-
assunto, que se arrastava, encon- tes a violência de nossos adversá-
rios. ra tentar comprometer minha ad- minando devassa semelhante em sarial e pessoal. Suas conclusões,
trou seu desfecho com o arquiva- ministração. após vários meses de trabalho, en-
mento do processo secreto." minhas empresas. Como se tudo is-
contram-se em dois relatórios ane-
xos. Orestes Quércia